SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 25
Baixar para ler offline
A ESCOLA E O ENSINO
Apresentação: Arlete Camargo
PRIMÓRDIOS DA ESCOLA
MODERNA
Europa Ocidental (entre os séculos XV e XVI).
Infância passa a ser entendida como uma era
particular e específica da vida do ser humano.
A escola como instituição voltada para melhor
preparar as crianças para a vida futura.
Ensinamentos morais e aprendizado das virtudes
cristãs.
ESCOLA DE MASSAS
Desde a metade do século XIX começa a abertura
para um maior número de pessoas em diferentes
países.
Teve início em alguns países da América Ocidental
e América do Norte.
O ritmo de expansão e consolidação foi muito
variável de país para país.
E no Brasil?
QUAIS AS CARACTERÍSTICAS DA
ESCOLA DE MASSAS?
GRAMÁTICA ESCOLAR
GRAMÁTICA ESCOLAR
Semelhança no
funcionamento
da escola, no
ensino, no
mundo.
Haveria um ar-
ranjo obrigatório
como acontece
em uma frase
sintaticamente
estruturada
(sujeito, verbo e
predicado).
Estrutura de
longa
duração.
INSTITUIÇÃO GLOBAL
• Tempo de formação e
obrigatoriedade
escolarização;
• Forma da sala de aula;
• Graduação do ensino
(seriação, ciclos);
• Organização das classes;
• Padronização dos
currículos;
• Controle estatal/ emissão
de certificados .
SEMELHANÇAS E DIFERENÇAS
• Mecanismos de controle,
avaliação e seleção do
material didático;
• Orientação curricular
predominantemente
nacional;
• Mecanismos legais de acesso
e de exercício da profissão
docente;
• Distribuição dos horários
escolares.
A DIDÁTICA E OS SENTIDOS DE
ENSINAR
» Arte de transmitir conhecimentos.
» Técnica de ensinar.
» Orientação, condução, guia, direção.
» Desde Comenius: tratamento dos preceitos
que orientam a atividade educativa de
modo a torná-la eficiente.
COMENIUS E OS OBJETIVOS DE SUA
PROPOSTA
» ... A proa e a popa da nossa Didática será
investigar e descobrir o método segundo o qual
os professores ensinem menos e os estudantes
aprendam mais; nas escolas, haja menos
barulho, menos enfado, menos trabalho inúltil,
e, ao contrário, haja mais recolhimento mais
atrativo e mais sólido progresso; na Cristandade,
haja menos trevas, menos confusão, menos
dissídios, e mais luz, mais ordem, mais paz e
mais tranquilidade...
Quem é o professor que ensina?
 Alguém que conhece e
domina um ofício,
uma profissão.
 Modo específico e
especializado de
realizar uma tarefa ou
ofício.
 Vínculo entre o
magistério e o
sacerdócio.
Quem é o professor que ensina?
 O modo como os
professores entendem o
que é ensinar afeta
grandemente o que
efetivamente fazem na sala
de aula
 Necessidade de explicitar o
que é ensinar
O QUE É ENSINAR?
Para Paul Hirst: “Sem um conceito claro do que é
ensinar, é impossível encontrar critérios de
comportamento apropriados para acontecer o que
acontece numa sala de aula”.
A AULA E O PROCESSO ENSINO
APRENDIZAGEM
Quais as atividades que
são realizadas durante 40
ou 50 minutos?
O que acontece durante
esse período?
ENSINAR E APRENDER
O que aproxima ou diferencia esses fenômenos?
São fenômenos distintos ou ocorrem
simultaneamente?
APRENDER
 A aprendizagem é um processo
mental, interno;
 Base biológica (orgânica);
 Só podemos ver seus resultados
que são os comportamentos;
 Nem sempre há
intencionalidade.
APRENDER
Envolve disposição emocional para aprender;
As aprendizagens em contextos institucionais
exigem mais esforço porque nem sempre são
guiadas pelos nossos interesses;
Pode haver aprendizagem sem ensino.
ENSINAR
 O ensino é uma atividade
que é observável.
 Dimensões:
intencionalidade e
resultados.
 Nem sempre o ensino
produz a aprendizagem
esperada.
ENSINO
 Ocorre geralmente em
contextos institucionalizados.
 É preciso que alguém estimule
a aprendizagem.
 Não é possível explicar o
ensino sem referência à
aprendizagem.
 O ensino é uma atividade
social e como tal tem certas
regras éticas.
CARACTERÍSTICAS BÁSICAS DO ENSINO
(FAIRSTEIN E GYSSELS)
 Uma pessoa que aprende.
 Alguma coisa que se
aprende.
 Uma pessoa, o professor,
que faz alguma coisa para
que o outro aprenda
alguma coisa.
MODELOS DE ENSINO
ENSINO E CONCEPÇÕES DE MENTE
Aprendizagem por imitação;
Absorção de ideias;
Aluno como ser pensante;
Aluno como detentor do conhecimento.
DEFINIÇÕES DE ENSINO
Ensinar é transmitir conhecimentos ao aluno.
Ensinar é deixar que o aluno descubra o
conhecimento.
Ensinar é conduzir o aluno na construção do
conhecimento.
Ensinar é construir o conhecimento junto com o
aluno.
ENSINAR É ...
FAZER ALGO PARA QUE OUTRO
APRENDA ALGUMA COISA
CORDEIRO, Jaime. Didática. São Paulo: Contexto,
2010.
FAIRSTEN, Gabriela Alejandra & GYSSELS. Como se
ensina. São Paulo: Edições Loyola, 2005.
MIZUKAMI, Maria da Graça Nicoletti. Ensino: as
abordagens do processo. São Paulo: EPU, 1986.
BIBLIOGRAFIA

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Avaliação da aprendizagem
Avaliação da aprendizagemAvaliação da aprendizagem
Avaliação da aprendizagem
Gerdian Teixeira
 
Teorias da educação
Teorias da educaçãoTeorias da educação
Teorias da educação
renanmedonho
 
Teorias de aprendizagem
Teorias de aprendizagemTeorias de aprendizagem
Teorias de aprendizagem
normaquilino
 

Mais procurados (20)

Atividade 1 teorias de aprendizagem - puc-rs - PowerPoint
Atividade 1   teorias de aprendizagem - puc-rs - PowerPointAtividade 1   teorias de aprendizagem - puc-rs - PowerPoint
Atividade 1 teorias de aprendizagem - puc-rs - PowerPoint
 
Avaliação da aprendizagem
Avaliação da aprendizagemAvaliação da aprendizagem
Avaliação da aprendizagem
 
Avaliação da aprendizagem
Avaliação da aprendizagemAvaliação da aprendizagem
Avaliação da aprendizagem
 
Rousseau
RousseauRousseau
Rousseau
 
12 ensino e aprendizagem
12 ensino e aprendizagem12 ensino e aprendizagem
12 ensino e aprendizagem
 
Metodologias ativas
Metodologias ativas Metodologias ativas
Metodologias ativas
 
Aprendizagem significativa
Aprendizagem significativaAprendizagem significativa
Aprendizagem significativa
 
Conhecendo a didática
Conhecendo a didáticaConhecendo a didática
Conhecendo a didática
 
Legislacao inclusao
Legislacao inclusaoLegislacao inclusao
Legislacao inclusao
 
Teorias da educação
Teorias da educaçãoTeorias da educação
Teorias da educação
 
Didatica teórica e tendências
Didatica teórica e tendênciasDidatica teórica e tendências
Didatica teórica e tendências
 
4. avaliação
4. avaliação4. avaliação
4. avaliação
 
Didática geral aula 1
Didática geral aula 1Didática geral aula 1
Didática geral aula 1
 
O Que é EducaçãO
O Que é  EducaçãOO Que é  EducaçãO
O Que é EducaçãO
 
Didática: Diversas Concepções
Didática: Diversas ConcepçõesDidática: Diversas Concepções
Didática: Diversas Concepções
 
Avaliação Escolar
Avaliação EscolarAvaliação Escolar
Avaliação Escolar
 
Avaliação
AvaliaçãoAvaliação
Avaliação
 
Teorias de aprendizagem
Teorias de aprendizagemTeorias de aprendizagem
Teorias de aprendizagem
 
Pedagogia da autonomia
Pedagogia da autonomia Pedagogia da autonomia
Pedagogia da autonomia
 
Planejamento pedagógico
Planejamento pedagógicoPlanejamento pedagógico
Planejamento pedagógico
 

Destaque

Aprender e ensinar
Aprender e ensinarAprender e ensinar
Aprender e ensinar
Deia Araujo
 
Construa slides
Construa slidesConstrua slides
Construa slides
digrado
 
Tipologia de conteúdos
Tipologia de conteúdosTipologia de conteúdos
Tipologia de conteúdos
João Alberto
 
O Reino Da MatemáTica(Slides)
O Reino Da MatemáTica(Slides)O Reino Da MatemáTica(Slides)
O Reino Da MatemáTica(Slides)
guest7ce41de
 
Trabalho de matematica thalita
Trabalho de matematica thalitaTrabalho de matematica thalita
Trabalho de matematica thalita
Eliander Carvalho
 

Destaque (20)

Aprender e ensinar
Aprender e ensinarAprender e ensinar
Aprender e ensinar
 
Ensinar e Aprender
Ensinar e AprenderEnsinar e Aprender
Ensinar e Aprender
 
Ensinar e aprender com sentido - Metodologias Ativas de Ensino Aprendizagem
Ensinar e aprender com sentido - Metodologias Ativas de Ensino AprendizagemEnsinar e aprender com sentido - Metodologias Ativas de Ensino Aprendizagem
Ensinar e aprender com sentido - Metodologias Ativas de Ensino Aprendizagem
 
Métodos de Ensino - Texto de Libâneo (1994)
Métodos de Ensino - Texto de Libâneo (1994)Métodos de Ensino - Texto de Libâneo (1994)
Métodos de Ensino - Texto de Libâneo (1994)
 
A fragilidade do olhar do professor
A fragilidade do olhar do professorA fragilidade do olhar do professor
A fragilidade do olhar do professor
 
Construa slides
Construa slidesConstrua slides
Construa slides
 
Habilidades e competências
Habilidades e competênciasHabilidades e competências
Habilidades e competências
 
Os desafios de ensinar matemática nos dias de hoje
Os desafios de ensinar matemática nos dias de hojeOs desafios de ensinar matemática nos dias de hoje
Os desafios de ensinar matemática nos dias de hoje
 
Modelagem Matemática nas Séries Iniciais
Modelagem Matemática nas Séries IniciaisModelagem Matemática nas Séries Iniciais
Modelagem Matemática nas Séries Iniciais
 
Importância do ensino bíblico na criação e formação das crianças
Importância do ensino bíblico na criação e formação das criançasImportância do ensino bíblico na criação e formação das crianças
Importância do ensino bíblico na criação e formação das crianças
 
A importância do ensino cristão constante e sistemático
A importância do ensino cristão constante e sistemáticoA importância do ensino cristão constante e sistemático
A importância do ensino cristão constante e sistemático
 
Modelagem
ModelagemModelagem
Modelagem
 
Tipologia de conteúdos
Tipologia de conteúdosTipologia de conteúdos
Tipologia de conteúdos
 
Psicofisiologia resumo
Psicofisiologia resumoPsicofisiologia resumo
Psicofisiologia resumo
 
As dimensões conceitual, procedimental e atitudinal na educação física
As dimensões conceitual, procedimental e atitudinal na educação físicaAs dimensões conceitual, procedimental e atitudinal na educação física
As dimensões conceitual, procedimental e atitudinal na educação física
 
Modelos matematicos equipo n.2
Modelos matematicos equipo n.2Modelos matematicos equipo n.2
Modelos matematicos equipo n.2
 
O Reino Da MatemáTica(Slides)
O Reino Da MatemáTica(Slides)O Reino Da MatemáTica(Slides)
O Reino Da MatemáTica(Slides)
 
O Conceito De Número
O Conceito De NúmeroO Conceito De Número
O Conceito De Número
 
Dimensões de ensino da educação física
Dimensões de ensino da educação físicaDimensões de ensino da educação física
Dimensões de ensino da educação física
 
Trabalho de matematica thalita
Trabalho de matematica thalitaTrabalho de matematica thalita
Trabalho de matematica thalita
 

Semelhante a O que e ensinar

Pedagogiadaautonomia 160227202032
Pedagogiadaautonomia 160227202032Pedagogiadaautonomia 160227202032
Pedagogiadaautonomia 160227202032
Taís Rubinho
 
Trabalhar com projetos em sala de aula
Trabalhar com projetos em sala de aulaTrabalhar com projetos em sala de aula
Trabalhar com projetos em sala de aula
Greisomar
 
Professor Reflexivo 2
Professor Reflexivo 2Professor Reflexivo 2
Professor Reflexivo 2
Marlova Balke
 

Semelhante a O que e ensinar (20)

Professor x Educador
Professor x EducadorProfessor x Educador
Professor x Educador
 
Apresenta..
Apresenta..Apresenta..
Apresenta..
 
Portfolio
PortfolioPortfolio
Portfolio
 
Portfolio
PortfolioPortfolio
Portfolio
 
Portfolio
PortfolioPortfolio
Portfolio
 
Portfolio
PortfolioPortfolio
Portfolio
 
Formação Continuada de professores - Estudo de grupo 2013
Formação Continuada de professores - Estudo de grupo 2013Formação Continuada de professores - Estudo de grupo 2013
Formação Continuada de professores - Estudo de grupo 2013
 
O professor, seus saberes e suas crenças
O professor, seus saberes e suas crençasO professor, seus saberes e suas crenças
O professor, seus saberes e suas crenças
 
As Principais Correntes Pedagógicas
As Principais Correntes PedagógicasAs Principais Correntes Pedagógicas
As Principais Correntes Pedagógicas
 
História da pedagogia e da didática
História da pedagogia e da didáticaHistória da pedagogia e da didática
História da pedagogia e da didática
 
História da pedagogia e da didática
História da pedagogia e da didáticaHistória da pedagogia e da didática
História da pedagogia e da didática
 
Pedagogia da autonomia
Pedagogia da autonomiaPedagogia da autonomia
Pedagogia da autonomia
 
Pedagogiadaautonomia 160227202032
Pedagogiadaautonomia 160227202032Pedagogiadaautonomia 160227202032
Pedagogiadaautonomia 160227202032
 
Pedagogiadaautonomia 160227202032
Pedagogiadaautonomia 160227202032Pedagogiadaautonomia 160227202032
Pedagogiadaautonomia 160227202032
 
Trabalhar com projetos em sala de aula
Trabalhar com projetos em sala de aulaTrabalhar com projetos em sala de aula
Trabalhar com projetos em sala de aula
 
Professor Reflexivo 2
Professor Reflexivo 2Professor Reflexivo 2
Professor Reflexivo 2
 
Abordagem Humanista na Educação
Abordagem Humanista na EducaçãoAbordagem Humanista na Educação
Abordagem Humanista na Educação
 
Apresentação concepções (mais completa)
Apresentação concepções (mais completa)Apresentação concepções (mais completa)
Apresentação concepções (mais completa)
 
Apresentação concepções (mais completa)
Apresentação concepções (mais completa)Apresentação concepções (mais completa)
Apresentação concepções (mais completa)
 
Didática III
Didática IIIDidática III
Didática III
 

Último

Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Pastor Robson Colaço
 
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importânciaclubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
LuanaAlves940822
 
Plano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola públicaPlano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola pública
anapsuls
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
VALMIRARIBEIRO1
 

Último (20)

"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
 
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_AssisMemórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
 
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importânciaclubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
 
Plano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola públicaPlano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola pública
 
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco LeiteOs Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
 
Slide - HIV (1) edit.pptx hiv em crianças
Slide - HIV (1) edit.pptx hiv em criançasSlide - HIV (1) edit.pptx hiv em crianças
Slide - HIV (1) edit.pptx hiv em crianças
 
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaO que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
 
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
 
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.pptAula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animal
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
 
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfExercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
PLANO DE ESTUDO TUTORADO COMPLEMENTAR 1 ANO 1 BIMESTRE.pdf
PLANO DE ESTUDO TUTORADO COMPLEMENTAR 1 ANO 1 BIMESTRE.pdfPLANO DE ESTUDO TUTORADO COMPLEMENTAR 1 ANO 1 BIMESTRE.pdf
PLANO DE ESTUDO TUTORADO COMPLEMENTAR 1 ANO 1 BIMESTRE.pdf
 

O que e ensinar

  • 1. A ESCOLA E O ENSINO Apresentação: Arlete Camargo
  • 2. PRIMÓRDIOS DA ESCOLA MODERNA Europa Ocidental (entre os séculos XV e XVI). Infância passa a ser entendida como uma era particular e específica da vida do ser humano. A escola como instituição voltada para melhor preparar as crianças para a vida futura. Ensinamentos morais e aprendizado das virtudes cristãs.
  • 3. ESCOLA DE MASSAS Desde a metade do século XIX começa a abertura para um maior número de pessoas em diferentes países. Teve início em alguns países da América Ocidental e América do Norte. O ritmo de expansão e consolidação foi muito variável de país para país. E no Brasil?
  • 4. QUAIS AS CARACTERÍSTICAS DA ESCOLA DE MASSAS?
  • 6. GRAMÁTICA ESCOLAR Semelhança no funcionamento da escola, no ensino, no mundo. Haveria um ar- ranjo obrigatório como acontece em uma frase sintaticamente estruturada (sujeito, verbo e predicado). Estrutura de longa duração.
  • 7. INSTITUIÇÃO GLOBAL • Tempo de formação e obrigatoriedade escolarização; • Forma da sala de aula; • Graduação do ensino (seriação, ciclos); • Organização das classes; • Padronização dos currículos; • Controle estatal/ emissão de certificados .
  • 8. SEMELHANÇAS E DIFERENÇAS • Mecanismos de controle, avaliação e seleção do material didático; • Orientação curricular predominantemente nacional; • Mecanismos legais de acesso e de exercício da profissão docente; • Distribuição dos horários escolares.
  • 9. A DIDÁTICA E OS SENTIDOS DE ENSINAR » Arte de transmitir conhecimentos. » Técnica de ensinar. » Orientação, condução, guia, direção. » Desde Comenius: tratamento dos preceitos que orientam a atividade educativa de modo a torná-la eficiente.
  • 10. COMENIUS E OS OBJETIVOS DE SUA PROPOSTA » ... A proa e a popa da nossa Didática será investigar e descobrir o método segundo o qual os professores ensinem menos e os estudantes aprendam mais; nas escolas, haja menos barulho, menos enfado, menos trabalho inúltil, e, ao contrário, haja mais recolhimento mais atrativo e mais sólido progresso; na Cristandade, haja menos trevas, menos confusão, menos dissídios, e mais luz, mais ordem, mais paz e mais tranquilidade...
  • 11. Quem é o professor que ensina?  Alguém que conhece e domina um ofício, uma profissão.  Modo específico e especializado de realizar uma tarefa ou ofício.  Vínculo entre o magistério e o sacerdócio.
  • 12. Quem é o professor que ensina?  O modo como os professores entendem o que é ensinar afeta grandemente o que efetivamente fazem na sala de aula  Necessidade de explicitar o que é ensinar
  • 13. O QUE É ENSINAR? Para Paul Hirst: “Sem um conceito claro do que é ensinar, é impossível encontrar critérios de comportamento apropriados para acontecer o que acontece numa sala de aula”.
  • 14. A AULA E O PROCESSO ENSINO APRENDIZAGEM Quais as atividades que são realizadas durante 40 ou 50 minutos? O que acontece durante esse período?
  • 15. ENSINAR E APRENDER O que aproxima ou diferencia esses fenômenos? São fenômenos distintos ou ocorrem simultaneamente?
  • 16. APRENDER  A aprendizagem é um processo mental, interno;  Base biológica (orgânica);  Só podemos ver seus resultados que são os comportamentos;  Nem sempre há intencionalidade.
  • 17. APRENDER Envolve disposição emocional para aprender; As aprendizagens em contextos institucionais exigem mais esforço porque nem sempre são guiadas pelos nossos interesses; Pode haver aprendizagem sem ensino.
  • 18. ENSINAR  O ensino é uma atividade que é observável.  Dimensões: intencionalidade e resultados.  Nem sempre o ensino produz a aprendizagem esperada.
  • 19. ENSINO  Ocorre geralmente em contextos institucionalizados.  É preciso que alguém estimule a aprendizagem.  Não é possível explicar o ensino sem referência à aprendizagem.  O ensino é uma atividade social e como tal tem certas regras éticas.
  • 20. CARACTERÍSTICAS BÁSICAS DO ENSINO (FAIRSTEIN E GYSSELS)  Uma pessoa que aprende.  Alguma coisa que se aprende.  Uma pessoa, o professor, que faz alguma coisa para que o outro aprenda alguma coisa.
  • 22. ENSINO E CONCEPÇÕES DE MENTE Aprendizagem por imitação; Absorção de ideias; Aluno como ser pensante; Aluno como detentor do conhecimento.
  • 23. DEFINIÇÕES DE ENSINO Ensinar é transmitir conhecimentos ao aluno. Ensinar é deixar que o aluno descubra o conhecimento. Ensinar é conduzir o aluno na construção do conhecimento. Ensinar é construir o conhecimento junto com o aluno.
  • 24. ENSINAR É ... FAZER ALGO PARA QUE OUTRO APRENDA ALGUMA COISA
  • 25. CORDEIRO, Jaime. Didática. São Paulo: Contexto, 2010. FAIRSTEN, Gabriela Alejandra & GYSSELS. Como se ensina. São Paulo: Edições Loyola, 2005. MIZUKAMI, Maria da Graça Nicoletti. Ensino: as abordagens do processo. São Paulo: EPU, 1986. BIBLIOGRAFIA