SlideShare uma empresa Scribd logo
Panorama do Novo Testamento
Filipenses
1.
Introdução Filipenses
Introdução
▣Filipenses é uma epístola informal de Paulo e aponta Cristo como centro da fé
cristã. Com total de 104 versículos, o nome ou título de Jesus ocorre 51 vezes
ao longo da epístola. Filipenses se destaca pela ênfase de Paulo na unidade do
corpo e pela demonstração de amor do apóstolo à igreja local. Também é
importante lembrar que Paulo estava encarcerado quando escreveu essa
epístola, o que não o impediu de declarar várias vezes a alegria por fazer
contato com a igreja em Filipos.
2.
Informações
Básicas Filipenses
Informações Básicas
▣Grupo: Epístolas paulinas eclesiásticas
▣Autor: Paulo
▣Data: Fim década 50 ou início década 60d.C.
▣Local: Prisão (?)
▣Alvo: Igreja em Filipos
▣Versículo-chave: Filipenses 4.4
▣Expressão-chave: Unidade em Cristo
Propósito
Foi em Filipos, onde Paulo visitou em sua segunda viagem missionária (At
16.12), que Lídia e o carcereiro e sua família foram convertidos a Cristo.
Agora, alguns anos mais tarde, a igreja estava bem estabelecida, como se
pode deduzir pelo seu tratamento inicial, o qual diz: "bispos (presbíteros) e
diáconos" (Fp 1.1). Um dos motivos de escrever a carta foi reconhecer
uma oferta monetária procedente da igreja em Filipos e levada ao apóstolo
por Epafrodito, um dos seus membros (Fp 4.10-18). Esta é uma carta
alegre para um grupo de cristãos que eram especialmente próximos ao
coração de Paulo (2Co 8.1-6) e, comparativamente, pouco é dito sobre o
erro doutrinário.
Esboço
▣O progresso do Evangelho (Fp 1-2)
– Por meio de Paulo (Fp 1.12-26)
– Por meio dos filipenses (Fp 1.27-2.30)
▣Advertências contra falsos mestres (Fp 3.1-4.1)
▣Exortações e agradecimentos (Fp 4.2-23)
3.
Principais
Personagens Filipenses
Principais Personagens
▣Paulo: escreveu aos filipenses sobre a
alegria e a força encontradas em Cristo (1.1 –
4.23)
▣Timóteo: missionário de ascendência judia e
gentia: preparado por Paulo para dar
continuidade ao seu ministério em Filipos (1.1
– 2.23)
Principais Personagens
▣Epafrodito: obreiro fiel de Filipos; enviado por
Paulo com recursos para auxílio (2.25-30; 4.18)
▣Evódia: obreira fiel repreendida por Paulo por seu
relacionamento conflituoso com Síntique, irmã da
igreja (4.2-3)
▣Síntique: obreira fiel repreendida por Paulo por
seu relacionamento conflituoso com Evódia, irmã
da igreja (4.2-3)
4.
O Caráter de Deus Filipenses
O Caráter de Deus
▣Deus é glorioso: 2.11
▣Deus é misericordioso: 2.27
▣Deus é providente: 1.12
5.
Contexto Filipenses
Cidade de Filipos
Importante polo da Macedônia, Filipos se
destacava pela extração de minério e ouro. Em 31
d.C., a cidade se tornou colônia de Roma (At
16.12). A língua falada passou a ser o latim, e a
cidade foi considerada uma pequena Roma.
Estava localizada na Via Inácia, principal estrada
romana que ligava o Oriente ao Ocidente.
Cidade de Filipos
Por sua posição em relação ao império romano, Filipos desfrutava de
alguns privilégios:
• Não havia impostos de indivíduos e da terra;
• Havia direito de comprar e vender bens livremente;
• A lei romana dava proteção de direitos à população local;
• A lei romana permitia líderes governamentais locais (pretores e
lictores).
A cidade era um excelente ponto estratégico para expansão do reino
de Jesus Cristo.
Paulo e a igreja em Filipos
A epístola foi escrita para a primeira igreja fundada na Europa.
Paulo foi a Filipos em resposta a uma visão e ao apelo: “Passa à
Macedônia e ajuda-nos” (At 16.9). Primeiro ele pregou numa
reunião de oração de mulheres, na qual Lídia foi convertida.
Ela o hospedou enquanto esteve na cidade. Depois de algum
tempo ali, iniciou-se uma grande oposição a ele e, juntamente
com Silas, foi açoitado e levado à prisão. Por meio das
orações, foram libertos por um terremoto que também resultou
na conversão do carcereiro e sua família (At 16.19-34).
O caráter da epístola
A palavra “alegria” ou “regozijo” aparecem frequentemente na
epístola. Suas palavras brotam de um coração leve e alegre. É uma
carta informal, sem um plano lógico ou argumentos doutrinários. É
uma expressão espontânea de amor e gratidão. Epafrodito havia
trazido ajuda dos filipenses a Paulo e estava para retornar a casa.
Surgia, então, uma grande oportunidade para enviar-lhes uma carta
de agradecimento (Fp 4.18). Nela estão registradas algumas das
afirmações mais maravilhosas e profundas a respeito de Cristo (Fp
2.5-11).
6.
Conteúdo da
Epístola Filipenses
Esboço prático da epístola
Fp 1 Fp 2 Fp 3 Fp 4
Quem Jesus é? Nossa vida Nosso padrão Nosso alvo Nossa forma e
suficiência
Quais os sentimentos
de Cristo em nós?
União Humildade Zelo Contentamento
Quais as principais
lições de Cristo para
nós?
Sofrimento por
amor
Submissão ao
Pai
Salvação pela
graça
Santificação por
obediência
Quais os resultados
práticos?
Viver em CristoPensar como
Cristo
Conhecer a
Cristo
Ter a paz de Cristo
Qual o objetivo final? Unidade em Cristo
Kenosis de Cristo
▣Filipenses 2.5-11 apresenta, com extrema profundidade, a
teologia da encarnação de Jesus. O texto destaca a Kenosis,
esvaziamento de Cristo, num lindo hino de exaltação.
Esvaziamento, no texto, não significa anulação da divindade
de Jesus, mas abrir mão da manifestação de Sua natureza
divina. Seu apelo era para que os crentes de Filipos
tivessem a mesma disposição física, emocional e espiritual
de Cristo quando Se fez homem como nós.
Ameaças externas
▣À semelhança de outras igrejas do 1°
século, a igreja em Filipos também sofreu
com ameaças externas. Paulo alertou
aqueles cristãos a serem seus imitadores e
a observarem bons testemunhos dentro da
igreja (Fp 3.17).
Ameaças externas
Inimigos Resposta
Judaizantes
Fp 3.2
“cães” Fp 3.3 “gloriamos em Cristo”
“maus obreiros” “adoramos a Deus no Espírito”
“falsa circuncisão” “somos da circuncisão”
Gentios libertinos
Fp 3.18-19
“são inimigos da
cruz”
Fp 3.20 “nossa pátria está nos céus”
“só se preocupam
com as coisas
terrenas”
Temas em destaque na epístola
Alegria Fp 1.4; 2.2,17-
18,28-29; 3.1;
4.1,4,10
Pessoas Fp 2.19; 2.25-
30; 4.2-3; 4.18;
4.22
Paz Fp 1.2; 4.7,9 Relacionamentos Fp 2.1-4; 4.2-3
Ansiedade Fp 4.6-7 Ética Fp 4.8
7.
Curiosidades Filipenses
Pontos curiosos em Filipenses
▣A palavra “alegria” com seus sinônimos e nuances
aparece 16 vezes na carta. Filipenses é considerada a
carta mais alegre e afetuosa do apóstolo Paulo.
▣A igreja em Filipos participou ativamente contribuindo
com o ministério de Paulo. Enviou auxílio ao apóstolo
pelo menos em três ocasiões: duas vezes quando Paulo
estava em Tessalônica (Fp 4.16) e uma vez em Corinto
(2Co 11.9).
Pontos curiosos em Filipenses
▣Em Filipenses, não encontramos qualquer citação direta
ao Antigo Testamento. É provável que Paulo não tenha
tido a preocupação em citar diretamente o AT devido a
pouca presença de judeus na cidade quando Paulo
chegou lá.
▣A igreja em Filipos foi a primeira igreja da Europa.
8.
Aceitação no
Cânon Filipenses
Aceitação no Cânon
Ecos de Filipenses foram percebidos em
1Clemente e Inácio, ao passo que Policarpo diz
que Paulo escreveu cartas à igreja de Filipos. Não
há nenhuma evidência de que alguém tenha tido
dúvidas de ela ter sido escrita por Paulo.
9.
Aplicações
Práticas Filipenses
Filipenses na Prática
Escrita durante a sua prisão em Roma, Paulo exorta os filipenses a
seguirem o seu exemplo e anunciar “a palavra com maior determinação e
destemor” (Fp 1.14) em tempos de perseguição. Todos os cristãos têm
experimentado, em um momento ou outro, a animosidade dos
incrédulos contra o evangelho de Cristo. Isso é de se esperar. Jesus
disse que o mundo o odiava e odiaria os Seus seguidores também
(Jo 15.18). Paulo exorta-nos a perseverar em face de perseguição, a
permanecer firmes "num mesmo espírito, combatendo juntamente com o mesmo
ânimo pela fé do evangelho" (Fp 1.27).
Filipenses na Prática
Uma outra aplicação de Filipenses é a necessidade dos cristãos
permanecerem unidos em humildade. Estamos unidos com Cristo e
temos que nos esforçar para estar unidos uns aos outros da mesma
maneira. Paulo nos encoraja a “ter o mesmo modo de pensar, o mesmo amor,
um só espírito e uma só atitude” e a repudiar a vaidade e egoísmo, mas
”humildemente considerem os outros superiores a si mesmo", prestando
atenção aos interesses dos outros e cuidando uns aos outros (Fp
2.2-4). Haveria muito menos conflito nas igrejas hoje se todos
seguíssemos o conselho de Paulo.
Filipenses na Prática
Uma outra aplicação de Filipenses é a do gozo e alegria
encontrados ao longo de sua carta. Ele se alegra que
Cristo está sendo proclamado (Fp 1.8) em sua
perseguição (2.18), exorta os outros a se alegrarem no
Senhor (3.1), e refere-se aos irmãos de Filipos como a sua
“alegria e coroa” (4.1). Ele resume com esta exortação aos
crentes: "Alegrem-se sempre no Senhor. Novamente direi: alegrem-
se!" (4.4-7).
Filipenses na Prática
Como crentes, podemos nos alegrar e experimentar da
paz de Deus quando lançamos todos os nossos cuidados
sobre Ele: "Não andem ansiosos por coisa alguma, mas em tudo, pela
oração e súplicas, e com ação de graças, apresentem seus pedidos a Deus"
(4.6). A alegria de Paulo, apesar da perseguição e prisão,
brilha através desta carta e temos a promessa da mesma
alegria quando focalizamos nossos pensamentos no
Senhor (Fp 4.8).
10.
Conclusão Filipenses
Conclusão
A carta inteira de Filipenses é dominada pela
história de Cristo. O Cristo a quem somos
chamados a servir e cuja semelhanças devemos
buscar. “Conhecer a Cristo” significa viver e agir na
comunidade cristã assim como Ele viveu em sua
encarnação e crucificação.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Panorama do NT - 2Coríntios
Panorama do NT - 2CoríntiosPanorama do NT - 2Coríntios
Panorama do NT - 2Coríntios
Respirando Deus
 
Panorama do NT - Gálatas
Panorama do NT - GálatasPanorama do NT - Gálatas
Panorama do NT - Gálatas
Respirando Deus
 
TESSALONICENSES
TESSALONICENSESTESSALONICENSES
TESSALONICENSES
Cesar Oliveira
 
Panorama do NT - Efésios
Panorama do NT - EfésiosPanorama do NT - Efésios
Panorama do NT - Efésios
Respirando Deus
 
Panorama do NT - Filemom
Panorama do NT - FilemomPanorama do NT - Filemom
Panorama do NT - Filemom
Respirando Deus
 
Panorama do NT - Judas
Panorama do NT - JudasPanorama do NT - Judas
Panorama do NT - Judas
Respirando Deus
 
Panorama do NT - 2Tessalonicenses
Panorama do NT - 2TessalonicensesPanorama do NT - 2Tessalonicenses
Panorama do NT - 2Tessalonicenses
Respirando Deus
 
38 1 e 2 timoteo=
38   1 e 2 timoteo=38   1 e 2 timoteo=
38 1 e 2 timoteo=
PIB Penha
 
Epístolas gerais - aula 1
Epístolas gerais - aula 1Epístolas gerais - aula 1
Epístolas gerais - aula 1
Moisés Sampaio
 
Carta aos efesios
Carta aos efesiosCarta aos efesios
Carta aos efesios
Jasiel Oliveira
 
As Cartas de Paulo
As Cartas de PauloAs Cartas de Paulo
As Cartas de Paulo
Egmon Pereira
 
Panorama do NT - 1Pedro
Panorama do NT - 1PedroPanorama do NT - 1Pedro
Panorama do NT - 1Pedro
Respirando Deus
 
CURSO EETAD -
CURSO EETAD - CURSO EETAD -
Panorama do NT - Hebreus
Panorama do NT - HebreusPanorama do NT - Hebreus
Panorama do NT - Hebreus
Respirando Deus
 
Eclesiologia
EclesiologiaEclesiologia
Eclesiologia
Romulo Roosemberg
 
Panorama do NT - Romanos
Panorama do NT - RomanosPanorama do NT - Romanos
Panorama do NT - Romanos
Respirando Deus
 
Soteriologia - Doutrina da Salvação
Soteriologia - Doutrina da SalvaçãoSoteriologia - Doutrina da Salvação
Soteriologia - Doutrina da Salvação
RODRIGO FERREIRA
 
Apresentação 2 Coríntios - Teologia
Apresentação 2 Coríntios - Teologia Apresentação 2 Coríntios - Teologia
Apresentação 2 Coríntios - Teologia
Rodrigo F Menegatti
 
Panorama do NT - 2João
Panorama do NT - 2JoãoPanorama do NT - 2João
Panorama do NT - 2João
Respirando Deus
 
Carta de Paulo aos Filipenses
Carta de Paulo aos FilipensesCarta de Paulo aos Filipenses
Carta de Paulo aos Filipenses
UEPB
 

Mais procurados (20)

Panorama do NT - 2Coríntios
Panorama do NT - 2CoríntiosPanorama do NT - 2Coríntios
Panorama do NT - 2Coríntios
 
Panorama do NT - Gálatas
Panorama do NT - GálatasPanorama do NT - Gálatas
Panorama do NT - Gálatas
 
TESSALONICENSES
TESSALONICENSESTESSALONICENSES
TESSALONICENSES
 
Panorama do NT - Efésios
Panorama do NT - EfésiosPanorama do NT - Efésios
Panorama do NT - Efésios
 
Panorama do NT - Filemom
Panorama do NT - FilemomPanorama do NT - Filemom
Panorama do NT - Filemom
 
Panorama do NT - Judas
Panorama do NT - JudasPanorama do NT - Judas
Panorama do NT - Judas
 
Panorama do NT - 2Tessalonicenses
Panorama do NT - 2TessalonicensesPanorama do NT - 2Tessalonicenses
Panorama do NT - 2Tessalonicenses
 
38 1 e 2 timoteo=
38   1 e 2 timoteo=38   1 e 2 timoteo=
38 1 e 2 timoteo=
 
Epístolas gerais - aula 1
Epístolas gerais - aula 1Epístolas gerais - aula 1
Epístolas gerais - aula 1
 
Carta aos efesios
Carta aos efesiosCarta aos efesios
Carta aos efesios
 
As Cartas de Paulo
As Cartas de PauloAs Cartas de Paulo
As Cartas de Paulo
 
Panorama do NT - 1Pedro
Panorama do NT - 1PedroPanorama do NT - 1Pedro
Panorama do NT - 1Pedro
 
CURSO EETAD -
CURSO EETAD - CURSO EETAD -
CURSO EETAD -
 
Panorama do NT - Hebreus
Panorama do NT - HebreusPanorama do NT - Hebreus
Panorama do NT - Hebreus
 
Eclesiologia
EclesiologiaEclesiologia
Eclesiologia
 
Panorama do NT - Romanos
Panorama do NT - RomanosPanorama do NT - Romanos
Panorama do NT - Romanos
 
Soteriologia - Doutrina da Salvação
Soteriologia - Doutrina da SalvaçãoSoteriologia - Doutrina da Salvação
Soteriologia - Doutrina da Salvação
 
Apresentação 2 Coríntios - Teologia
Apresentação 2 Coríntios - Teologia Apresentação 2 Coríntios - Teologia
Apresentação 2 Coríntios - Teologia
 
Panorama do NT - 2João
Panorama do NT - 2JoãoPanorama do NT - 2João
Panorama do NT - 2João
 
Carta de Paulo aos Filipenses
Carta de Paulo aos FilipensesCarta de Paulo aos Filipenses
Carta de Paulo aos Filipenses
 

Destaque

Slide
SlideSlide
Panorama do NT - João
Panorama do NT - JoãoPanorama do NT - João
Panorama do NT - João
Respirando Deus
 
Panorama do NT - 1Tessalonicenses
Panorama do NT - 1TessalonicensesPanorama do NT - 1Tessalonicenses
Panorama do NT - 1Tessalonicenses
Respirando Deus
 
Panorama do NT - Mateus
Panorama do NT - MateusPanorama do NT - Mateus
Panorama do NT - Mateus
Respirando Deus
 
PÉRGAMO UMA IGREJA CASADA COM O MUNDO
PÉRGAMO UMA IGREJA CASADA COM O MUNDOPÉRGAMO UMA IGREJA CASADA COM O MUNDO
PÉRGAMO UMA IGREJA CASADA COM O MUNDO
Marcio Ferreira da Silva
 
Panorama do NT - Lucas
Panorama do NT - LucasPanorama do NT - Lucas
Panorama do NT - Lucas
Respirando Deus
 
Panorama do NT - 2Timóteo
Panorama do NT - 2TimóteoPanorama do NT - 2Timóteo
Panorama do NT - 2Timóteo
Respirando Deus
 
Panorama do AT - Naum
Panorama do AT - NaumPanorama do AT - Naum
Panorama do AT - Naum
Respirando Deus
 
Panorama do AT - Daniel
Panorama do AT - DanielPanorama do AT - Daniel
Panorama do AT - Daniel
Respirando Deus
 
O Propósito do Casamento
O Propósito do CasamentoO Propósito do Casamento
O Propósito do Casamento
Respirando Deus
 
Carta à Igreja de Éfeso no Apocalipse
Carta à Igreja de Éfeso no ApocalipseCarta à Igreja de Éfeso no Apocalipse
Carta à Igreja de Éfeso no Apocalipse
Pr. Welfany Nolasco Rodrigues
 
Panorama do NT - Atos
Panorama do NT - AtosPanorama do NT - Atos
Panorama do NT - Atos
Respirando Deus
 
Panorama do NT - A Plenitude dos Tempos
Panorama do NT - A Plenitude dos TemposPanorama do NT - A Plenitude dos Tempos
Panorama do NT - A Plenitude dos Tempos
Respirando Deus
 
Panorama do AT - Obadias
Panorama do AT - ObadiasPanorama do AT - Obadias
Panorama do AT - Obadias
Respirando Deus
 
Panorama do AT - Amós
Panorama do AT - AmósPanorama do AT - Amós
Panorama do AT - Amós
Respirando Deus
 
Curso de diacono 01
Curso de diacono 01Curso de diacono 01
Curso de diacono 01
Joao Franca
 
Panorama do AT - Cântico dos Cânticos
Panorama do AT - Cântico dos CânticosPanorama do AT - Cântico dos Cânticos
Panorama do AT - Cântico dos Cânticos
Respirando Deus
 
Panorama do NT - Introdução
Panorama do NT - IntroduçãoPanorama do NT - Introdução
Panorama do NT - Introdução
Respirando Deus
 
Panorama do AT - Eclesiastes
Panorama do AT - EclesiastesPanorama do AT - Eclesiastes
Panorama do AT - Eclesiastes
Respirando Deus
 
Panorama do AT - Oseias
Panorama do AT - OseiasPanorama do AT - Oseias
Panorama do AT - Oseias
Respirando Deus
 

Destaque (20)

Slide
SlideSlide
Slide
 
Panorama do NT - João
Panorama do NT - JoãoPanorama do NT - João
Panorama do NT - João
 
Panorama do NT - 1Tessalonicenses
Panorama do NT - 1TessalonicensesPanorama do NT - 1Tessalonicenses
Panorama do NT - 1Tessalonicenses
 
Panorama do NT - Mateus
Panorama do NT - MateusPanorama do NT - Mateus
Panorama do NT - Mateus
 
PÉRGAMO UMA IGREJA CASADA COM O MUNDO
PÉRGAMO UMA IGREJA CASADA COM O MUNDOPÉRGAMO UMA IGREJA CASADA COM O MUNDO
PÉRGAMO UMA IGREJA CASADA COM O MUNDO
 
Panorama do NT - Lucas
Panorama do NT - LucasPanorama do NT - Lucas
Panorama do NT - Lucas
 
Panorama do NT - 2Timóteo
Panorama do NT - 2TimóteoPanorama do NT - 2Timóteo
Panorama do NT - 2Timóteo
 
Panorama do AT - Naum
Panorama do AT - NaumPanorama do AT - Naum
Panorama do AT - Naum
 
Panorama do AT - Daniel
Panorama do AT - DanielPanorama do AT - Daniel
Panorama do AT - Daniel
 
O Propósito do Casamento
O Propósito do CasamentoO Propósito do Casamento
O Propósito do Casamento
 
Carta à Igreja de Éfeso no Apocalipse
Carta à Igreja de Éfeso no ApocalipseCarta à Igreja de Éfeso no Apocalipse
Carta à Igreja de Éfeso no Apocalipse
 
Panorama do NT - Atos
Panorama do NT - AtosPanorama do NT - Atos
Panorama do NT - Atos
 
Panorama do NT - A Plenitude dos Tempos
Panorama do NT - A Plenitude dos TemposPanorama do NT - A Plenitude dos Tempos
Panorama do NT - A Plenitude dos Tempos
 
Panorama do AT - Obadias
Panorama do AT - ObadiasPanorama do AT - Obadias
Panorama do AT - Obadias
 
Panorama do AT - Amós
Panorama do AT - AmósPanorama do AT - Amós
Panorama do AT - Amós
 
Curso de diacono 01
Curso de diacono 01Curso de diacono 01
Curso de diacono 01
 
Panorama do AT - Cântico dos Cânticos
Panorama do AT - Cântico dos CânticosPanorama do AT - Cântico dos Cânticos
Panorama do AT - Cântico dos Cânticos
 
Panorama do NT - Introdução
Panorama do NT - IntroduçãoPanorama do NT - Introdução
Panorama do NT - Introdução
 
Panorama do AT - Eclesiastes
Panorama do AT - EclesiastesPanorama do AT - Eclesiastes
Panorama do AT - Eclesiastes
 
Panorama do AT - Oseias
Panorama do AT - OseiasPanorama do AT - Oseias
Panorama do AT - Oseias
 

Semelhante a Panorama do NT - Filipenses

licao-01-paulo-e-a-igreja-em-filipos.pptx
licao-01-paulo-e-a-igreja-em-filipos.pptxlicao-01-paulo-e-a-igreja-em-filipos.pptx
licao-01-paulo-e-a-igreja-em-filipos.pptx
Jeronimo Nunes
 
35 filipenses
35 filipenses35 filipenses
35 filipenses
PIB Penha
 
Paulo e a igreja em filipos lição 1
Paulo e a igreja em filipos   lição 1Paulo e a igreja em filipos   lição 1
Paulo e a igreja em filipos lição 1
yosseph2013
 
2013_3 tri_Lição 1 - Paulo e a igreja de filipos
2013_3 tri_Lição 1 - Paulo e a igreja de filipos2013_3 tri_Lição 1 - Paulo e a igreja de filipos
2013_3 tri_Lição 1 - Paulo e a igreja de filipos
Natalino das Neves Neves
 
Lição 01: Paulo e a Igreja em Filipos
Lição 01:  Paulo e a Igreja em FiliposLição 01:  Paulo e a Igreja em Filipos
Lição 01: Paulo e a Igreja em Filipos
João Paulo Silva Mendes
 
3º Trim. 2013 - Lição 12 - A reciprocidade do amor cristão
3º Trim. 2013 - Lição 12 - A reciprocidade do amor cristão3º Trim. 2013 - Lição 12 - A reciprocidade do amor cristão
3º Trim. 2013 - Lição 12 - A reciprocidade do amor cristão
Anderson Silva
 
ESCOLA BIBLICA DOMINICAL AULA 1 FILIPENSES.ppt
ESCOLA BIBLICA DOMINICAL AULA 1 FILIPENSES.pptESCOLA BIBLICA DOMINICAL AULA 1 FILIPENSES.ppt
ESCOLA BIBLICA DOMINICAL AULA 1 FILIPENSES.ppt
varjaomelo
 
Comentário Filipenses - moody. (Auxilio para as Aulas EBD. 3º Trimestre-2013.
Comentário Filipenses - moody. (Auxilio para as Aulas EBD. 3º Trimestre-2013.Comentário Filipenses - moody. (Auxilio para as Aulas EBD. 3º Trimestre-2013.
Comentário Filipenses - moody. (Auxilio para as Aulas EBD. 3º Trimestre-2013.
Abdias Barreto
 
Paulo e a Igreja em Filipos
Paulo e a Igreja em FiliposPaulo e a Igreja em Filipos
Paulo e a Igreja em Filipos
Jonas Martins Olímpio
 
Panorama do nt 2
Panorama do nt 2Panorama do nt 2
Panorama do nt 2
Lisanro Cronje
 
Lição 9 - Filipenses, Colossenses, 1 e 2 Tessalonicenses.
Lição 9 - Filipenses, Colossenses, 1 e 2 Tessalonicenses.Lição 9 - Filipenses, Colossenses, 1 e 2 Tessalonicenses.
Lição 9 - Filipenses, Colossenses, 1 e 2 Tessalonicenses.
Nehemias Santos
 
IBADEP BÁSICO AULA 3 - FILIPENSES, COLOSSENSES 1 E 2 TESSALONICENSES, 1 E TIM...
IBADEP BÁSICO AULA 3 - FILIPENSES, COLOSSENSES 1 E 2 TESSALONICENSES, 1 E TIM...IBADEP BÁSICO AULA 3 - FILIPENSES, COLOSSENSES 1 E 2 TESSALONICENSES, 1 E TIM...
IBADEP BÁSICO AULA 3 - FILIPENSES, COLOSSENSES 1 E 2 TESSALONICENSES, 1 E TIM...
Rubens Sohn
 
Estudo 01 santos e servos
Estudo 01   santos e servosEstudo 01   santos e servos
Estudo 01 santos e servos
André Luiz Bento Arêa
 
Lição 17- A Unidade no Trabalho na Igreja
Lição 17- A Unidade no Trabalho na IgrejaLição 17- A Unidade no Trabalho na Igreja
Lição 17- A Unidade no Trabalho na Igreja
Márcio Pereira
 
Colossenses e Filemom
Colossenses e FilemomColossenses e Filemom
Colossenses e Filemom
Francilene Santos
 
Palestra às epistolas de são paulo janeiro de 2013 atualizado em 01 04-2013
Palestra às epistolas de são paulo janeiro de 2013 atualizado em 01 04-2013Palestra às epistolas de são paulo janeiro de 2013 atualizado em 01 04-2013
Palestra às epistolas de são paulo janeiro de 2013 atualizado em 01 04-2013
Pré Cursilho Taguatinga
 
Filipenses (moody)
Filipenses (moody)Filipenses (moody)
Filipenses (moody)
leniogravacoes
 
STNB-NT2-M2
STNB-NT2-M2STNB-NT2-M2
STNB-NT2-M2
Milton JB Sobreiro
 
estudo sobre as epístolas gerais
estudo sobre as epístolas geraisestudo sobre as epístolas gerais
estudo sobre as epístolas gerais
RODRIGO FERREIRA
 
panorama-biblico un estudio sistematico.ppt
panorama-biblico un estudio sistematico.pptpanorama-biblico un estudio sistematico.ppt
panorama-biblico un estudio sistematico.ppt
Ruben C Mamani
 

Semelhante a Panorama do NT - Filipenses (20)

licao-01-paulo-e-a-igreja-em-filipos.pptx
licao-01-paulo-e-a-igreja-em-filipos.pptxlicao-01-paulo-e-a-igreja-em-filipos.pptx
licao-01-paulo-e-a-igreja-em-filipos.pptx
 
35 filipenses
35 filipenses35 filipenses
35 filipenses
 
Paulo e a igreja em filipos lição 1
Paulo e a igreja em filipos   lição 1Paulo e a igreja em filipos   lição 1
Paulo e a igreja em filipos lição 1
 
2013_3 tri_Lição 1 - Paulo e a igreja de filipos
2013_3 tri_Lição 1 - Paulo e a igreja de filipos2013_3 tri_Lição 1 - Paulo e a igreja de filipos
2013_3 tri_Lição 1 - Paulo e a igreja de filipos
 
Lição 01: Paulo e a Igreja em Filipos
Lição 01:  Paulo e a Igreja em FiliposLição 01:  Paulo e a Igreja em Filipos
Lição 01: Paulo e a Igreja em Filipos
 
3º Trim. 2013 - Lição 12 - A reciprocidade do amor cristão
3º Trim. 2013 - Lição 12 - A reciprocidade do amor cristão3º Trim. 2013 - Lição 12 - A reciprocidade do amor cristão
3º Trim. 2013 - Lição 12 - A reciprocidade do amor cristão
 
ESCOLA BIBLICA DOMINICAL AULA 1 FILIPENSES.ppt
ESCOLA BIBLICA DOMINICAL AULA 1 FILIPENSES.pptESCOLA BIBLICA DOMINICAL AULA 1 FILIPENSES.ppt
ESCOLA BIBLICA DOMINICAL AULA 1 FILIPENSES.ppt
 
Comentário Filipenses - moody. (Auxilio para as Aulas EBD. 3º Trimestre-2013.
Comentário Filipenses - moody. (Auxilio para as Aulas EBD. 3º Trimestre-2013.Comentário Filipenses - moody. (Auxilio para as Aulas EBD. 3º Trimestre-2013.
Comentário Filipenses - moody. (Auxilio para as Aulas EBD. 3º Trimestre-2013.
 
Paulo e a Igreja em Filipos
Paulo e a Igreja em FiliposPaulo e a Igreja em Filipos
Paulo e a Igreja em Filipos
 
Panorama do nt 2
Panorama do nt 2Panorama do nt 2
Panorama do nt 2
 
Lição 9 - Filipenses, Colossenses, 1 e 2 Tessalonicenses.
Lição 9 - Filipenses, Colossenses, 1 e 2 Tessalonicenses.Lição 9 - Filipenses, Colossenses, 1 e 2 Tessalonicenses.
Lição 9 - Filipenses, Colossenses, 1 e 2 Tessalonicenses.
 
IBADEP BÁSICO AULA 3 - FILIPENSES, COLOSSENSES 1 E 2 TESSALONICENSES, 1 E TIM...
IBADEP BÁSICO AULA 3 - FILIPENSES, COLOSSENSES 1 E 2 TESSALONICENSES, 1 E TIM...IBADEP BÁSICO AULA 3 - FILIPENSES, COLOSSENSES 1 E 2 TESSALONICENSES, 1 E TIM...
IBADEP BÁSICO AULA 3 - FILIPENSES, COLOSSENSES 1 E 2 TESSALONICENSES, 1 E TIM...
 
Estudo 01 santos e servos
Estudo 01   santos e servosEstudo 01   santos e servos
Estudo 01 santos e servos
 
Lição 17- A Unidade no Trabalho na Igreja
Lição 17- A Unidade no Trabalho na IgrejaLição 17- A Unidade no Trabalho na Igreja
Lição 17- A Unidade no Trabalho na Igreja
 
Colossenses e Filemom
Colossenses e FilemomColossenses e Filemom
Colossenses e Filemom
 
Palestra às epistolas de são paulo janeiro de 2013 atualizado em 01 04-2013
Palestra às epistolas de são paulo janeiro de 2013 atualizado em 01 04-2013Palestra às epistolas de são paulo janeiro de 2013 atualizado em 01 04-2013
Palestra às epistolas de são paulo janeiro de 2013 atualizado em 01 04-2013
 
Filipenses (moody)
Filipenses (moody)Filipenses (moody)
Filipenses (moody)
 
STNB-NT2-M2
STNB-NT2-M2STNB-NT2-M2
STNB-NT2-M2
 
estudo sobre as epístolas gerais
estudo sobre as epístolas geraisestudo sobre as epístolas gerais
estudo sobre as epístolas gerais
 
panorama-biblico un estudio sistematico.ppt
panorama-biblico un estudio sistematico.pptpanorama-biblico un estudio sistematico.ppt
panorama-biblico un estudio sistematico.ppt
 

Mais de Respirando Deus

Escola Bíblica: Os Puritanos - #06
Escola Bíblica: Os Puritanos - #06Escola Bíblica: Os Puritanos - #06
Escola Bíblica: Os Puritanos - #06
Respirando Deus
 
Escola Bíblica: Os Puritanos - #05
Escola Bíblica: Os Puritanos - #05Escola Bíblica: Os Puritanos - #05
Escola Bíblica: Os Puritanos - #05
Respirando Deus
 
Escola Bíblica: Os Puritanos - #04
Escola Bíblica: Os Puritanos - #04Escola Bíblica: Os Puritanos - #04
Escola Bíblica: Os Puritanos - #04
Respirando Deus
 
Escola Bíblica: Os Puritanos - #03
Escola Bíblica: Os Puritanos - #03Escola Bíblica: Os Puritanos - #03
Escola Bíblica: Os Puritanos - #03
Respirando Deus
 
Escola Bíblica: Os Puritanos - #02
Escola Bíblica: Os Puritanos - #02Escola Bíblica: Os Puritanos - #02
Escola Bíblica: Os Puritanos - #02
Respirando Deus
 
Escola Bíblica: Os Puritanos - #01
Escola Bíblica: Os Puritanos - #01Escola Bíblica: Os Puritanos - #01
Escola Bíblica: Os Puritanos - #01
Respirando Deus
 
História da Igreja #25
História da Igreja #25História da Igreja #25
História da Igreja #25
Respirando Deus
 
História da Igreja #24
História da Igreja #24História da Igreja #24
História da Igreja #24
Respirando Deus
 
História da Igreja #23
História da Igreja #23História da Igreja #23
História da Igreja #23
Respirando Deus
 
História da Igreja #22
História da Igreja #22História da Igreja #22
História da Igreja #22
Respirando Deus
 
História da Igreja #21
História da Igreja #21História da Igreja #21
História da Igreja #21
Respirando Deus
 
Calendário de Eventos IBLM 2018
Calendário de Eventos IBLM 2018Calendário de Eventos IBLM 2018
Calendário de Eventos IBLM 2018
Respirando Deus
 
História da Igreja #20
História da Igreja #20História da Igreja #20
História da Igreja #20
Respirando Deus
 
História da Igreja #19
História da Igreja #19História da Igreja #19
História da Igreja #19
Respirando Deus
 
História da Igreja #18 - As Cruzadas
História da Igreja #18 - As CruzadasHistória da Igreja #18 - As Cruzadas
História da Igreja #18 - As Cruzadas
Respirando Deus
 
História da Igreja #17
História da Igreja #17História da Igreja #17
História da Igreja #17
Respirando Deus
 
História da Igreja #16
História da Igreja #16História da Igreja #16
História da Igreja #16
Respirando Deus
 
História da Igreja #15
História da Igreja #15História da Igreja #15
História da Igreja #15
Respirando Deus
 
História da Igreja #14
História da Igreja #14História da Igreja #14
História da Igreja #14
Respirando Deus
 
História da Igreja #13
História da Igreja #13História da Igreja #13
História da Igreja #13
Respirando Deus
 

Mais de Respirando Deus (20)

Escola Bíblica: Os Puritanos - #06
Escola Bíblica: Os Puritanos - #06Escola Bíblica: Os Puritanos - #06
Escola Bíblica: Os Puritanos - #06
 
Escola Bíblica: Os Puritanos - #05
Escola Bíblica: Os Puritanos - #05Escola Bíblica: Os Puritanos - #05
Escola Bíblica: Os Puritanos - #05
 
Escola Bíblica: Os Puritanos - #04
Escola Bíblica: Os Puritanos - #04Escola Bíblica: Os Puritanos - #04
Escola Bíblica: Os Puritanos - #04
 
Escola Bíblica: Os Puritanos - #03
Escola Bíblica: Os Puritanos - #03Escola Bíblica: Os Puritanos - #03
Escola Bíblica: Os Puritanos - #03
 
Escola Bíblica: Os Puritanos - #02
Escola Bíblica: Os Puritanos - #02Escola Bíblica: Os Puritanos - #02
Escola Bíblica: Os Puritanos - #02
 
Escola Bíblica: Os Puritanos - #01
Escola Bíblica: Os Puritanos - #01Escola Bíblica: Os Puritanos - #01
Escola Bíblica: Os Puritanos - #01
 
História da Igreja #25
História da Igreja #25História da Igreja #25
História da Igreja #25
 
História da Igreja #24
História da Igreja #24História da Igreja #24
História da Igreja #24
 
História da Igreja #23
História da Igreja #23História da Igreja #23
História da Igreja #23
 
História da Igreja #22
História da Igreja #22História da Igreja #22
História da Igreja #22
 
História da Igreja #21
História da Igreja #21História da Igreja #21
História da Igreja #21
 
Calendário de Eventos IBLM 2018
Calendário de Eventos IBLM 2018Calendário de Eventos IBLM 2018
Calendário de Eventos IBLM 2018
 
História da Igreja #20
História da Igreja #20História da Igreja #20
História da Igreja #20
 
História da Igreja #19
História da Igreja #19História da Igreja #19
História da Igreja #19
 
História da Igreja #18 - As Cruzadas
História da Igreja #18 - As CruzadasHistória da Igreja #18 - As Cruzadas
História da Igreja #18 - As Cruzadas
 
História da Igreja #17
História da Igreja #17História da Igreja #17
História da Igreja #17
 
História da Igreja #16
História da Igreja #16História da Igreja #16
História da Igreja #16
 
História da Igreja #15
História da Igreja #15História da Igreja #15
História da Igreja #15
 
História da Igreja #14
História da Igreja #14História da Igreja #14
História da Igreja #14
 
História da Igreja #13
História da Igreja #13História da Igreja #13
História da Igreja #13
 

Último

PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdfPROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
Nelson Pereira
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Nilson Almeida
 
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptxLição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Celso Napoleon
 
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
HerverthRibeiro1
 
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Igreja Jesus é o Verbo
 
Enfermos - Unção para consagração dosa enfermos
Enfermos - Unção para consagração dosa enfermosEnfermos - Unção para consagração dosa enfermos
Enfermos - Unção para consagração dosa enfermos
FernandoCavalcante48
 
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptxLição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
JaquelineSantosBasto
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Nilson Almeida
 
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Lourhana
 
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Celso Napoleon
 

Último (10)

PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdfPROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
 
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptxLição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
 
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
 
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
 
Enfermos - Unção para consagração dosa enfermos
Enfermos - Unção para consagração dosa enfermosEnfermos - Unção para consagração dosa enfermos
Enfermos - Unção para consagração dosa enfermos
 
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptxLição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
 
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
 
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
 

Panorama do NT - Filipenses

  • 1. Panorama do Novo Testamento Filipenses
  • 3. Introdução ▣Filipenses é uma epístola informal de Paulo e aponta Cristo como centro da fé cristã. Com total de 104 versículos, o nome ou título de Jesus ocorre 51 vezes ao longo da epístola. Filipenses se destaca pela ênfase de Paulo na unidade do corpo e pela demonstração de amor do apóstolo à igreja local. Também é importante lembrar que Paulo estava encarcerado quando escreveu essa epístola, o que não o impediu de declarar várias vezes a alegria por fazer contato com a igreja em Filipos.
  • 5. Informações Básicas ▣Grupo: Epístolas paulinas eclesiásticas ▣Autor: Paulo ▣Data: Fim década 50 ou início década 60d.C. ▣Local: Prisão (?) ▣Alvo: Igreja em Filipos ▣Versículo-chave: Filipenses 4.4 ▣Expressão-chave: Unidade em Cristo
  • 6. Propósito Foi em Filipos, onde Paulo visitou em sua segunda viagem missionária (At 16.12), que Lídia e o carcereiro e sua família foram convertidos a Cristo. Agora, alguns anos mais tarde, a igreja estava bem estabelecida, como se pode deduzir pelo seu tratamento inicial, o qual diz: "bispos (presbíteros) e diáconos" (Fp 1.1). Um dos motivos de escrever a carta foi reconhecer uma oferta monetária procedente da igreja em Filipos e levada ao apóstolo por Epafrodito, um dos seus membros (Fp 4.10-18). Esta é uma carta alegre para um grupo de cristãos que eram especialmente próximos ao coração de Paulo (2Co 8.1-6) e, comparativamente, pouco é dito sobre o erro doutrinário.
  • 7. Esboço ▣O progresso do Evangelho (Fp 1-2) – Por meio de Paulo (Fp 1.12-26) – Por meio dos filipenses (Fp 1.27-2.30) ▣Advertências contra falsos mestres (Fp 3.1-4.1) ▣Exortações e agradecimentos (Fp 4.2-23)
  • 9. Principais Personagens ▣Paulo: escreveu aos filipenses sobre a alegria e a força encontradas em Cristo (1.1 – 4.23) ▣Timóteo: missionário de ascendência judia e gentia: preparado por Paulo para dar continuidade ao seu ministério em Filipos (1.1 – 2.23)
  • 10. Principais Personagens ▣Epafrodito: obreiro fiel de Filipos; enviado por Paulo com recursos para auxílio (2.25-30; 4.18) ▣Evódia: obreira fiel repreendida por Paulo por seu relacionamento conflituoso com Síntique, irmã da igreja (4.2-3) ▣Síntique: obreira fiel repreendida por Paulo por seu relacionamento conflituoso com Evódia, irmã da igreja (4.2-3)
  • 11. 4. O Caráter de Deus Filipenses
  • 12. O Caráter de Deus ▣Deus é glorioso: 2.11 ▣Deus é misericordioso: 2.27 ▣Deus é providente: 1.12
  • 14. Cidade de Filipos Importante polo da Macedônia, Filipos se destacava pela extração de minério e ouro. Em 31 d.C., a cidade se tornou colônia de Roma (At 16.12). A língua falada passou a ser o latim, e a cidade foi considerada uma pequena Roma. Estava localizada na Via Inácia, principal estrada romana que ligava o Oriente ao Ocidente.
  • 15.
  • 16.
  • 17.
  • 18.
  • 19.
  • 20.
  • 21.
  • 22. Cidade de Filipos Por sua posição em relação ao império romano, Filipos desfrutava de alguns privilégios: • Não havia impostos de indivíduos e da terra; • Havia direito de comprar e vender bens livremente; • A lei romana dava proteção de direitos à população local; • A lei romana permitia líderes governamentais locais (pretores e lictores). A cidade era um excelente ponto estratégico para expansão do reino de Jesus Cristo.
  • 23.
  • 24. Paulo e a igreja em Filipos A epístola foi escrita para a primeira igreja fundada na Europa. Paulo foi a Filipos em resposta a uma visão e ao apelo: “Passa à Macedônia e ajuda-nos” (At 16.9). Primeiro ele pregou numa reunião de oração de mulheres, na qual Lídia foi convertida. Ela o hospedou enquanto esteve na cidade. Depois de algum tempo ali, iniciou-se uma grande oposição a ele e, juntamente com Silas, foi açoitado e levado à prisão. Por meio das orações, foram libertos por um terremoto que também resultou na conversão do carcereiro e sua família (At 16.19-34).
  • 25. O caráter da epístola A palavra “alegria” ou “regozijo” aparecem frequentemente na epístola. Suas palavras brotam de um coração leve e alegre. É uma carta informal, sem um plano lógico ou argumentos doutrinários. É uma expressão espontânea de amor e gratidão. Epafrodito havia trazido ajuda dos filipenses a Paulo e estava para retornar a casa. Surgia, então, uma grande oportunidade para enviar-lhes uma carta de agradecimento (Fp 4.18). Nela estão registradas algumas das afirmações mais maravilhosas e profundas a respeito de Cristo (Fp 2.5-11).
  • 27. Esboço prático da epístola Fp 1 Fp 2 Fp 3 Fp 4 Quem Jesus é? Nossa vida Nosso padrão Nosso alvo Nossa forma e suficiência Quais os sentimentos de Cristo em nós? União Humildade Zelo Contentamento Quais as principais lições de Cristo para nós? Sofrimento por amor Submissão ao Pai Salvação pela graça Santificação por obediência Quais os resultados práticos? Viver em CristoPensar como Cristo Conhecer a Cristo Ter a paz de Cristo Qual o objetivo final? Unidade em Cristo
  • 28. Kenosis de Cristo ▣Filipenses 2.5-11 apresenta, com extrema profundidade, a teologia da encarnação de Jesus. O texto destaca a Kenosis, esvaziamento de Cristo, num lindo hino de exaltação. Esvaziamento, no texto, não significa anulação da divindade de Jesus, mas abrir mão da manifestação de Sua natureza divina. Seu apelo era para que os crentes de Filipos tivessem a mesma disposição física, emocional e espiritual de Cristo quando Se fez homem como nós.
  • 29. Ameaças externas ▣À semelhança de outras igrejas do 1° século, a igreja em Filipos também sofreu com ameaças externas. Paulo alertou aqueles cristãos a serem seus imitadores e a observarem bons testemunhos dentro da igreja (Fp 3.17).
  • 30. Ameaças externas Inimigos Resposta Judaizantes Fp 3.2 “cães” Fp 3.3 “gloriamos em Cristo” “maus obreiros” “adoramos a Deus no Espírito” “falsa circuncisão” “somos da circuncisão” Gentios libertinos Fp 3.18-19 “são inimigos da cruz” Fp 3.20 “nossa pátria está nos céus” “só se preocupam com as coisas terrenas”
  • 31. Temas em destaque na epístola Alegria Fp 1.4; 2.2,17- 18,28-29; 3.1; 4.1,4,10 Pessoas Fp 2.19; 2.25- 30; 4.2-3; 4.18; 4.22 Paz Fp 1.2; 4.7,9 Relacionamentos Fp 2.1-4; 4.2-3 Ansiedade Fp 4.6-7 Ética Fp 4.8
  • 33. Pontos curiosos em Filipenses ▣A palavra “alegria” com seus sinônimos e nuances aparece 16 vezes na carta. Filipenses é considerada a carta mais alegre e afetuosa do apóstolo Paulo. ▣A igreja em Filipos participou ativamente contribuindo com o ministério de Paulo. Enviou auxílio ao apóstolo pelo menos em três ocasiões: duas vezes quando Paulo estava em Tessalônica (Fp 4.16) e uma vez em Corinto (2Co 11.9).
  • 34. Pontos curiosos em Filipenses ▣Em Filipenses, não encontramos qualquer citação direta ao Antigo Testamento. É provável que Paulo não tenha tido a preocupação em citar diretamente o AT devido a pouca presença de judeus na cidade quando Paulo chegou lá. ▣A igreja em Filipos foi a primeira igreja da Europa.
  • 36. Aceitação no Cânon Ecos de Filipenses foram percebidos em 1Clemente e Inácio, ao passo que Policarpo diz que Paulo escreveu cartas à igreja de Filipos. Não há nenhuma evidência de que alguém tenha tido dúvidas de ela ter sido escrita por Paulo.
  • 38. Filipenses na Prática Escrita durante a sua prisão em Roma, Paulo exorta os filipenses a seguirem o seu exemplo e anunciar “a palavra com maior determinação e destemor” (Fp 1.14) em tempos de perseguição. Todos os cristãos têm experimentado, em um momento ou outro, a animosidade dos incrédulos contra o evangelho de Cristo. Isso é de se esperar. Jesus disse que o mundo o odiava e odiaria os Seus seguidores também (Jo 15.18). Paulo exorta-nos a perseverar em face de perseguição, a permanecer firmes "num mesmo espírito, combatendo juntamente com o mesmo ânimo pela fé do evangelho" (Fp 1.27).
  • 39. Filipenses na Prática Uma outra aplicação de Filipenses é a necessidade dos cristãos permanecerem unidos em humildade. Estamos unidos com Cristo e temos que nos esforçar para estar unidos uns aos outros da mesma maneira. Paulo nos encoraja a “ter o mesmo modo de pensar, o mesmo amor, um só espírito e uma só atitude” e a repudiar a vaidade e egoísmo, mas ”humildemente considerem os outros superiores a si mesmo", prestando atenção aos interesses dos outros e cuidando uns aos outros (Fp 2.2-4). Haveria muito menos conflito nas igrejas hoje se todos seguíssemos o conselho de Paulo.
  • 40. Filipenses na Prática Uma outra aplicação de Filipenses é a do gozo e alegria encontrados ao longo de sua carta. Ele se alegra que Cristo está sendo proclamado (Fp 1.8) em sua perseguição (2.18), exorta os outros a se alegrarem no Senhor (3.1), e refere-se aos irmãos de Filipos como a sua “alegria e coroa” (4.1). Ele resume com esta exortação aos crentes: "Alegrem-se sempre no Senhor. Novamente direi: alegrem- se!" (4.4-7).
  • 41. Filipenses na Prática Como crentes, podemos nos alegrar e experimentar da paz de Deus quando lançamos todos os nossos cuidados sobre Ele: "Não andem ansiosos por coisa alguma, mas em tudo, pela oração e súplicas, e com ação de graças, apresentem seus pedidos a Deus" (4.6). A alegria de Paulo, apesar da perseguição e prisão, brilha através desta carta e temos a promessa da mesma alegria quando focalizamos nossos pensamentos no Senhor (Fp 4.8).
  • 43. Conclusão A carta inteira de Filipenses é dominada pela história de Cristo. O Cristo a quem somos chamados a servir e cuja semelhanças devemos buscar. “Conhecer a Cristo” significa viver e agir na comunidade cristã assim como Ele viveu em sua encarnação e crucificação.

Notas do Editor

  1. -
  2. Omicron Delta Omicron Sigma Rodós - Rua
  3. 98-117 d.C. Considerou cristãos ateus. Declarou que não deveriam ser perseguidos ou procurados, mas se denunciados eles seriam condenados a prisão ou a morte. Quadro que durou até ano de 180 quando assumiu Marco Aurélio um dos maiores perseguidores. No mandato de Trajano Inácio de Antioquia foi martirizado, morto no coliseu comido por leões.