SlideShare uma empresa Scribd logo
Panorama do Antigo Testamento
Naum
Introdução
Alguns dizem que Naum é o livro que o profeta Jonas queria
escrever (Jn 3.4; 4.2) acerca do juízo de Deus contra os ninivitas.
Assim como Jonas constata que o Senhor é tardio a irar-se, Naum
também ressalta isso, mas destaca a justiça e o poder de Deus
para executar Seus juízos (Na 1.3). O livro de Naum é a profecia
da destruição de Nínive, entretanto sua mensagem não é de terror,
e sim, como o próprio nome do profeta indica (Naum = “Consolo”),
de consolação.
Informações Básicas
● Data: Entre 663 e 612 a.C.
● Autor: Naum
● Local: Nínive (Assíria)
● Alvo: Ninivitas
● Versículo-chave: Na 1.7-8
● Palavra-chave: Consolo
Informações Básicas
● Conteúdo: uma profecia do juízo de Deus contra Nínive
(Assíria) por sua opressão, crueldade e idolatria,
concluindo com o anúncio da destruição da cidade.
● Ênfases: a soberania de Deus sobre todas as nações; a
justiça levada a cabo, por Deus, contra a crueldade; Deus
triunfa sobre os arrogantes, que pensam ser eternos.
Informações Básicas
● Propósito: Naum não escreveu este livro como uma advertência
ou uma "chamada ao arrependimento" para o povo de Nínive.
Deus já tinha enviado o profeta Jonas um século antes com Sua
promessa do que aconteceria se continuassem em seus maus
caminhos. As pessoas daquela época haviam se arrependido, mas
agora viviam tão mal (se não pior) do que antes. Os assírios
tinham se tornado absolutamente brutais em suas conquistas.
Agora Naum estava dizendo ao povo de Judá para não se
desesperarem porque Deus havia pronunciado julgamento e os
assírios em breve estariam recebendo o que mereciam.
Esboço
● A Pessoa de Deus
Na 1.1-8 – Descrição do caráter de Deus
● O Juízo de Deus
Na 1.9-3.19 – Descrição do juízo de Deus
● Naum em uma sentença: O profeta anuncia o caráter de Deus e
declara o julgamento inevitável de Nínive.
Personagens Principais
● O povo de Nínive
– Assírios que se voltaram novamente para o mal,
destinados à destruição (2.1-3.19).
O Terror do Império Assírio
● Os reis assírios eram governantes absolutos,
era o principal representante do deus Asur,
além de ser comandante do exército.
Habitaram a terra dos antigos sumérios e
acádios, e seguiam o código de leis desses
ancestrais. Nínive era a capital do império. Era
um povo muito cruel com seus prisioneiros.
O Terror do Império Assírio
● Diferente dos tempos de Jonas, em que o governante de
Nínive se voltou para o Senhor e o arrependimento
alcançou a cidade toda (Jn 3.5-9), no contexto de Naum, de
Nínive surgiram líderes que se voltaram contra o Senhor
(Na 1.11). Sob o comando de poderosos líderes que se
ergueram a partir da segunda metade do século 8 a.C., a
Assíria tornou-se poderosa e se expandiu, dominando toda
a região conhecida como o Crescente Fértil no mundo
antigo, inclusive Israel 722 a.C.
O Terror do Império Assírio
● A prática de expansão dos assírios era a
conquista militar, a destruição do território
dominado, a separação e a divisão dos
habitantes por diversas regiões do império, a
fim de desestruturar toda a forma de
resistência pelos povos dominados.
A Ira do Senhor dos Exércitos
● Naum anuncia a destruição desse império cruel
representado por Nínive. Entretanto, levando em
conta a data adotada nesta lição, Israel teve que
esperar cerca de 100 anos para ver Nínive
destruída pelas mãos dos babilônicos, em 612
a.C. Nesse evento histórico se comprova a
soberania de Deus sobre as nações, pela ação
de Deus anunciada por Naum em seu livro.
Doutrinas
O principal ensinamento do livro de Naum
só é obtido quando o lemos pela ótica dos
judeus. Para Israel, o império assírio era
seu opressor. Por todo o livro, a ira de
Deus contra Nínive é acompanhada pelo
cuidado ao Seu povo.
Doutrinas
Referência Israel Nínive
1.2 Deus é zeloso, tem ciúmes de Seu
povo.
Deus é vingador e cheio de ira
contra Seus inimigos.
1.7-8 Deus é fortaleza para os que se
refrugiam Nele.
Deus é destruidor e perseguidor
dos Seus inimigos.
1.13-14 Deus liberta o povo. Deus extermina o povo inimigo.
1.15 O povo de Deus celebra a paz. O inimigo vil foi exterminado.
2.1-2 Deus reataura a glória do povo. Deus avança contra os inimigos.
3.19 Celebram a libertação da maldade
opressora.
Sofre de seu mal incurável e sua
condenação definitiva.
O Caráter de Deus em Miqueias
● Deus é bom: 1.7
● Deus é ciumento: 1.2
● Deus é poderoso: 1.3
● Deus é providente: 1.4
● Deus é soberano: 1.2-5
● Deus se ira: 1.2-3,6
Naum e o Novo Testamento
A forma como Naum apresenta Deus, como Aquele que
combate os inimigos do povo e o liberta (Na 1.2-8), se
assemelha à figura guerreira de Jesus Cristo no Novo
Testamento, que vence a batalha contra o inimigo, a
morte, sujeitando todas as coisas e libertando os crentes
(1Co 15.25-28; Cl 2.14-15). A guerra de Deus contra Seus
inimigos antecipa a consumação desse tema na guerra de
Cristo contra Satanás em Ap 19.11-21.
Naum e o Novo Testamento
Assim como a imagem do Deus guerreiro e
libertador em Naum é anúncio de consolo e
boas-novas ao povo (Na 1.15), o Cristo
vitorioso que subjuga todos os inimigos sob
Seus pés é parte do evangelho da salvação e
esperança para todo aquele que crê.
Aplicação Prática
Deus é paciente e tardio para se irar. Ele dá a cada
país o tempo para anunciá-lo como seu Senhor.
Entretanto, Ele não se deixa escarnecer. Toda vez que
um país se afasta dEle para servir aos seus próprios
motivos, Ele avança com julgamento. Nosso país e
nossos governantes se dirigem diariamente na direção
oposta dos princípios encontrados na Bíblia. Como
cristãos, é nosso dever defender os princípios bíblicos
e a verdade bíblica pois a Verdade é a única esperança
para o nosso e qualquer outra nação.
Conclusão
Naum nos lembra do caráter essencial do Deus
cuja história é contada na Bíblia, um Deus de
bondade e salvação, bem como de justiça e
juízo, qualidade que existem lado a lado Nele,
da mesma maneira em que são finalmente
exibidas, juntas, na morte de Jesus Cristo em
uma cruz.
Perguntas?
● Na 1.2
– Deus é cheio de ira?
– Problema: Naum declara que Deus é “vingador e cheio de
ira”. Com efeito, Des frequentemente é apresentado na
Bíblia como quem fica irado (Is 26.20, Jr 4.8). Ao mesmo
tempo, a Bíblia recomenda aos cristãos que não fiquem
irados, por ser isso pecado (Gl 5.20). Mas, se é pecado,
como Deus pode irar-se então?
Perguntas?
● Solução:
A Boa Ira A Ira Má
Diante do pecado Diante de sofrer um pecado
Contra o pecado Contra os pecadores
Expressa com justiça Expressa injustamente
Sendo tardio no irar-se Sendo rápido no irar-se
Feita em justiça Feita em retaliação

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Panorama do AT - Ageu
Panorama do AT - AgeuPanorama do AT - Ageu
Panorama do AT - Ageu
Respirando Deus
 
15. O Livro de I Reis
15. O Livro de I Reis15. O Livro de I Reis
15. O Livro de I Reis
Igreja Presbiteriana de Dourados
 
Panorama do AT - Oseias
Panorama do AT - OseiasPanorama do AT - Oseias
Panorama do AT - Oseias
Respirando Deus
 
Panorama do AT - Amós
Panorama do AT - AmósPanorama do AT - Amós
Panorama do AT - Amós
Respirando Deus
 
36. O profeta Amós
36. O profeta Amós36. O profeta Amós
Panorama do AT - Esdras
Panorama do AT - EsdrasPanorama do AT - Esdras
Panorama do AT - Esdras
Respirando Deus
 
Aula 04 e 05 provérbios
Aula 04 e 05   provérbiosAula 04 e 05   provérbios
Aula 04 e 05 provérbios
Pastor W. Costa
 
45. o profeta malaquias
45. o profeta malaquias45. o profeta malaquias
45. o profeta malaquias
Igreja Presbiteriana de Dourados
 
Panorama do AT - Juízes e Rute
Panorama do AT - Juízes e RutePanorama do AT - Juízes e Rute
Panorama do AT - Juízes e Rute
Respirando Deus
 
Panorama do AT - Joel
Panorama do AT - JoelPanorama do AT - Joel
Panorama do AT - Joel
Respirando Deus
 
69 estudo panorâmico da bíblia (o livro de jeremias)
69   estudo panorâmico da bíblia (o livro de jeremias)69   estudo panorâmico da bíblia (o livro de jeremias)
69 estudo panorâmico da bíblia (o livro de jeremias)
Robson Tavares Fernandes
 
32. O Profeta Ezequiel
32. O Profeta Ezequiel32. O Profeta Ezequiel
32. O Profeta Ezequiel
Igreja Presbiteriana de Dourados
 
5 aula profetas menores, Zacarias e Malaquias
5 aula profetas menores, Zacarias e Malaquias5 aula profetas menores, Zacarias e Malaquias
5 aula profetas menores, Zacarias e Malaquias
RODRIGO FERREIRA
 
Panorama do AT - Neemias e Ester
Panorama do AT - Neemias e EsterPanorama do AT - Neemias e Ester
Panorama do AT - Neemias e Ester
Respirando Deus
 
Panorama do AT - Ezequiel
Panorama do AT - EzequielPanorama do AT - Ezequiel
Panorama do AT - Ezequiel
Respirando Deus
 
41. O Profeta Habacuque
41. O Profeta Habacuque41. O Profeta Habacuque
41. O Profeta Habacuque
Igreja Presbiteriana de Dourados
 
40. O Profeta Naum
40. O Profeta Naum40. O Profeta Naum
Ezequiel
EzequielEzequiel
Ezequiel
Ricardo Gondim
 
Panorama do NT - Mateus
Panorama do NT - MateusPanorama do NT - Mateus
Panorama do NT - Mateus
Respirando Deus
 
Livro de Amós
Livro de AmósLivro de Amós
Livro de Amós
Rogério Nunes
 

Mais procurados (20)

Panorama do AT - Ageu
Panorama do AT - AgeuPanorama do AT - Ageu
Panorama do AT - Ageu
 
15. O Livro de I Reis
15. O Livro de I Reis15. O Livro de I Reis
15. O Livro de I Reis
 
Panorama do AT - Oseias
Panorama do AT - OseiasPanorama do AT - Oseias
Panorama do AT - Oseias
 
Panorama do AT - Amós
Panorama do AT - AmósPanorama do AT - Amós
Panorama do AT - Amós
 
36. O profeta Amós
36. O profeta Amós36. O profeta Amós
36. O profeta Amós
 
Panorama do AT - Esdras
Panorama do AT - EsdrasPanorama do AT - Esdras
Panorama do AT - Esdras
 
Aula 04 e 05 provérbios
Aula 04 e 05   provérbiosAula 04 e 05   provérbios
Aula 04 e 05 provérbios
 
45. o profeta malaquias
45. o profeta malaquias45. o profeta malaquias
45. o profeta malaquias
 
Panorama do AT - Juízes e Rute
Panorama do AT - Juízes e RutePanorama do AT - Juízes e Rute
Panorama do AT - Juízes e Rute
 
Panorama do AT - Joel
Panorama do AT - JoelPanorama do AT - Joel
Panorama do AT - Joel
 
69 estudo panorâmico da bíblia (o livro de jeremias)
69   estudo panorâmico da bíblia (o livro de jeremias)69   estudo panorâmico da bíblia (o livro de jeremias)
69 estudo panorâmico da bíblia (o livro de jeremias)
 
32. O Profeta Ezequiel
32. O Profeta Ezequiel32. O Profeta Ezequiel
32. O Profeta Ezequiel
 
5 aula profetas menores, Zacarias e Malaquias
5 aula profetas menores, Zacarias e Malaquias5 aula profetas menores, Zacarias e Malaquias
5 aula profetas menores, Zacarias e Malaquias
 
Panorama do AT - Neemias e Ester
Panorama do AT - Neemias e EsterPanorama do AT - Neemias e Ester
Panorama do AT - Neemias e Ester
 
Panorama do AT - Ezequiel
Panorama do AT - EzequielPanorama do AT - Ezequiel
Panorama do AT - Ezequiel
 
41. O Profeta Habacuque
41. O Profeta Habacuque41. O Profeta Habacuque
41. O Profeta Habacuque
 
40. O Profeta Naum
40. O Profeta Naum40. O Profeta Naum
40. O Profeta Naum
 
Ezequiel
EzequielEzequiel
Ezequiel
 
Panorama do NT - Mateus
Panorama do NT - MateusPanorama do NT - Mateus
Panorama do NT - Mateus
 
Livro de Amós
Livro de AmósLivro de Amós
Livro de Amós
 

Destaque

Panorama do NT - 2Timóteo
Panorama do NT - 2TimóteoPanorama do NT - 2Timóteo
Panorama do NT - 2Timóteo
Respirando Deus
 
95 estudo panorâmico da bíblia - o livro de naum - parte 2
95   estudo panorâmico da bíblia - o livro de naum - parte 295   estudo panorâmico da bíblia - o livro de naum - parte 2
95 estudo panorâmico da bíblia - o livro de naum - parte 2
Robson Tavares Fernandes
 
Profetas menores lição 8 - Naum
Profetas menores   lição 8 - NaumProfetas menores   lição 8 - Naum
Profetas menores lição 8 - Naum
Escola Bíblica Sem Fronteiras
 
Panorama do AT - Habacuque
Panorama do AT - HabacuquePanorama do AT - Habacuque
Panorama do AT - Habacuque
Respirando Deus
 
Panorama do NT - João
Panorama do NT - JoãoPanorama do NT - João
Panorama do NT - João
Respirando Deus
 
Panorama do NT - Filipenses
Panorama do NT - FilipensesPanorama do NT - Filipenses
Panorama do NT - Filipenses
Respirando Deus
 
Panorama do NT - 2Tessalonicenses
Panorama do NT - 2TessalonicensesPanorama do NT - 2Tessalonicenses
Panorama do NT - 2Tessalonicenses
Respirando Deus
 
Slide
SlideSlide
Panorama do NT - 1Tessalonicenses
Panorama do NT - 1TessalonicensesPanorama do NT - 1Tessalonicenses
Panorama do NT - 1Tessalonicenses
Respirando Deus
 
Panorama do NT - Colossenses
Panorama do NT - ColossensesPanorama do NT - Colossenses
Panorama do NT - Colossenses
Respirando Deus
 
Panorama do NT - 2Coríntios
Panorama do NT - 2CoríntiosPanorama do NT - 2Coríntios
Panorama do NT - 2Coríntios
Respirando Deus
 
Panorama do NT - 1Coríntios
Panorama do NT - 1CoríntiosPanorama do NT - 1Coríntios
Panorama do NT - 1Coríntios
Respirando Deus
 
Panorama do NT - Romanos
Panorama do NT - RomanosPanorama do NT - Romanos
Panorama do NT - Romanos
Respirando Deus
 
Panorama do NT - Lucas
Panorama do NT - LucasPanorama do NT - Lucas
Panorama do NT - Lucas
Respirando Deus
 
PÉRGAMO UMA IGREJA CASADA COM O MUNDO
PÉRGAMO UMA IGREJA CASADA COM O MUNDOPÉRGAMO UMA IGREJA CASADA COM O MUNDO
PÉRGAMO UMA IGREJA CASADA COM O MUNDO
Marcio Ferreira da Silva
 
Panorama do NT - Gálatas
Panorama do NT - GálatasPanorama do NT - Gálatas
Panorama do NT - Gálatas
Respirando Deus
 
O Propósito do Casamento
O Propósito do CasamentoO Propósito do Casamento
O Propósito do Casamento
Respirando Deus
 
Panorama do NT - A Plenitude dos Tempos
Panorama do NT - A Plenitude dos TemposPanorama do NT - A Plenitude dos Tempos
Panorama do NT - A Plenitude dos Tempos
Respirando Deus
 
Panorama do NT - Atos
Panorama do NT - AtosPanorama do NT - Atos
Panorama do NT - Atos
Respirando Deus
 
Carta à Igreja de Éfeso no Apocalipse
Carta à Igreja de Éfeso no ApocalipseCarta à Igreja de Éfeso no Apocalipse
Carta à Igreja de Éfeso no Apocalipse
Pr. Welfany Nolasco Rodrigues
 

Destaque (20)

Panorama do NT - 2Timóteo
Panorama do NT - 2TimóteoPanorama do NT - 2Timóteo
Panorama do NT - 2Timóteo
 
95 estudo panorâmico da bíblia - o livro de naum - parte 2
95   estudo panorâmico da bíblia - o livro de naum - parte 295   estudo panorâmico da bíblia - o livro de naum - parte 2
95 estudo panorâmico da bíblia - o livro de naum - parte 2
 
Profetas menores lição 8 - Naum
Profetas menores   lição 8 - NaumProfetas menores   lição 8 - Naum
Profetas menores lição 8 - Naum
 
Panorama do AT - Habacuque
Panorama do AT - HabacuquePanorama do AT - Habacuque
Panorama do AT - Habacuque
 
Panorama do NT - João
Panorama do NT - JoãoPanorama do NT - João
Panorama do NT - João
 
Panorama do NT - Filipenses
Panorama do NT - FilipensesPanorama do NT - Filipenses
Panorama do NT - Filipenses
 
Panorama do NT - 2Tessalonicenses
Panorama do NT - 2TessalonicensesPanorama do NT - 2Tessalonicenses
Panorama do NT - 2Tessalonicenses
 
Slide
SlideSlide
Slide
 
Panorama do NT - 1Tessalonicenses
Panorama do NT - 1TessalonicensesPanorama do NT - 1Tessalonicenses
Panorama do NT - 1Tessalonicenses
 
Panorama do NT - Colossenses
Panorama do NT - ColossensesPanorama do NT - Colossenses
Panorama do NT - Colossenses
 
Panorama do NT - 2Coríntios
Panorama do NT - 2CoríntiosPanorama do NT - 2Coríntios
Panorama do NT - 2Coríntios
 
Panorama do NT - 1Coríntios
Panorama do NT - 1CoríntiosPanorama do NT - 1Coríntios
Panorama do NT - 1Coríntios
 
Panorama do NT - Romanos
Panorama do NT - RomanosPanorama do NT - Romanos
Panorama do NT - Romanos
 
Panorama do NT - Lucas
Panorama do NT - LucasPanorama do NT - Lucas
Panorama do NT - Lucas
 
PÉRGAMO UMA IGREJA CASADA COM O MUNDO
PÉRGAMO UMA IGREJA CASADA COM O MUNDOPÉRGAMO UMA IGREJA CASADA COM O MUNDO
PÉRGAMO UMA IGREJA CASADA COM O MUNDO
 
Panorama do NT - Gálatas
Panorama do NT - GálatasPanorama do NT - Gálatas
Panorama do NT - Gálatas
 
O Propósito do Casamento
O Propósito do CasamentoO Propósito do Casamento
O Propósito do Casamento
 
Panorama do NT - A Plenitude dos Tempos
Panorama do NT - A Plenitude dos TemposPanorama do NT - A Plenitude dos Tempos
Panorama do NT - A Plenitude dos Tempos
 
Panorama do NT - Atos
Panorama do NT - AtosPanorama do NT - Atos
Panorama do NT - Atos
 
Carta à Igreja de Éfeso no Apocalipse
Carta à Igreja de Éfeso no ApocalipseCarta à Igreja de Éfeso no Apocalipse
Carta à Igreja de Éfeso no Apocalipse
 

Semelhante a Panorama do AT - Naum

Lição 08 naum - o limite da tolerância divina
Lição 08   naum - o limite da tolerância divinaLição 08   naum - o limite da tolerância divina
Lição 08 naum - o limite da tolerância divina
cledsondrumms
 
12 naum
12   naum12   naum
12 naum
PIB Penha
 
28. Introdução aos Profetas
28. Introdução aos Profetas28. Introdução aos Profetas
28. Introdução aos Profetas
Igreja Presbiteriana de Dourados
 
Jonas - A Misericórdia Divina
Jonas - A Misericórdia DivinaJonas - A Misericórdia Divina
Jonas - A Misericórdia Divina
Jonas Martins Olímpio
 
LIÇÃO 8 - A RESTAURAÇÃO DO POVO E O CUIDADO DO SENHOR.pptx
LIÇÃO 8 - A RESTAURAÇÃO DO POVO E O CUIDADO DO SENHOR.pptxLIÇÃO 8 - A RESTAURAÇÃO DO POVO E O CUIDADO DO SENHOR.pptx
LIÇÃO 8 - A RESTAURAÇÃO DO POVO E O CUIDADO DO SENHOR.pptx
RonaldoMassan3
 
Lição 6 – jonas – a misericórdia divina
Lição 6 – jonas – a misericórdia divinaLição 6 – jonas – a misericórdia divina
Lição 6 – jonas – a misericórdia divina
Ebd Brasil
 
Lição 8 - Naum, o limite da tolerância Divina
Lição 8 - Naum, o limite da tolerância DivinaLição 8 - Naum, o limite da tolerância Divina
Lição 8 - Naum, o limite da tolerância Divina
Ailton da Silva
 
Leituras: 34° Domingo do Tempo Comum - Ano B
Leituras: 34° Domingo do Tempo Comum - Ano BLeituras: 34° Domingo do Tempo Comum - Ano B
Leituras: 34° Domingo do Tempo Comum - Ano B
José Lima
 
Lição 10 As setenta semanas 4ºTri.2014
Lição 10 As setenta semanas 4ºTri.2014Lição 10 As setenta semanas 4ºTri.2014
Lição 10 As setenta semanas 4ºTri.2014
Pr. Andre Luiz
 
23 naum, habacuque e sofonias
23 naum, habacuque e sofonias23 naum, habacuque e sofonias
23 naum, habacuque e sofonias
PIB Penha
 
PROFETAS MENORES
 PROFETAS MENORES PROFETAS MENORES
PROFETAS MENORES
Miguel Aguilera
 
PROFETAS MENORES (AULA 03 -1 - BÁSICO - IBADEP)
PROFETAS MENORES (AULA 03 -1 - BÁSICO - IBADEP)PROFETAS MENORES (AULA 03 -1 - BÁSICO - IBADEP)
PROFETAS MENORES (AULA 03 -1 - BÁSICO - IBADEP)
Pr Davi Passos - Estudos Bíblicos
 
Ansioso para perdoar_Lição original com textos_622013
Ansioso para perdoar_Lição original com textos_622013Ansioso para perdoar_Lição original com textos_622013
Ansioso para perdoar_Lição original com textos_622013
Gerson G. Ramos
 
Panorama do AT - Jeremias e Lamentações
Panorama do AT - Jeremias e LamentaçõesPanorama do AT - Jeremias e Lamentações
Panorama do AT - Jeremias e Lamentações
Respirando Deus
 
Lição 3 – Missões Transculturais no Antigo Testamento.pptx
Lição 3 – Missões Transculturais no Antigo Testamento.pptxLição 3 – Missões Transculturais no Antigo Testamento.pptx
Lição 3 – Missões Transculturais no Antigo Testamento.pptx
Celso Napoleon
 
Lição 03 Missões Transculturais no Antigo Testamento 4° Trimestre de 2023 ...
Lição 03  Missões Transculturais no Antigo Testamento  4° Trimestre de 2023  ...Lição 03  Missões Transculturais no Antigo Testamento  4° Trimestre de 2023  ...
Lição 03 Missões Transculturais no Antigo Testamento 4° Trimestre de 2023 ...
JOSELAURINDODASILVA
 
Lição 06 jonas - a misericórdia divina
Lição 06   jonas - a misericórdia divinaLição 06   jonas - a misericórdia divina
Lição 06 jonas - a misericórdia divina
cledsondrumms
 
7 - panorama do AT - josue^J juizes.pptx
7 - panorama do AT - josue^J juizes.pptx7 - panorama do AT - josue^J juizes.pptx
7 - panorama do AT - josue^J juizes.pptx
PIB Penha
 
Alianças e Dispensações - Ourilândia - Atual.pptx
Alianças e Dispensações - Ourilândia - Atual.pptxAlianças e Dispensações - Ourilândia - Atual.pptx
Alianças e Dispensações - Ourilândia - Atual.pptx
CarlosAzevedo109
 

Semelhante a Panorama do AT - Naum (19)

Lição 08 naum - o limite da tolerância divina
Lição 08   naum - o limite da tolerância divinaLição 08   naum - o limite da tolerância divina
Lição 08 naum - o limite da tolerância divina
 
12 naum
12   naum12   naum
12 naum
 
28. Introdução aos Profetas
28. Introdução aos Profetas28. Introdução aos Profetas
28. Introdução aos Profetas
 
Jonas - A Misericórdia Divina
Jonas - A Misericórdia DivinaJonas - A Misericórdia Divina
Jonas - A Misericórdia Divina
 
LIÇÃO 8 - A RESTAURAÇÃO DO POVO E O CUIDADO DO SENHOR.pptx
LIÇÃO 8 - A RESTAURAÇÃO DO POVO E O CUIDADO DO SENHOR.pptxLIÇÃO 8 - A RESTAURAÇÃO DO POVO E O CUIDADO DO SENHOR.pptx
LIÇÃO 8 - A RESTAURAÇÃO DO POVO E O CUIDADO DO SENHOR.pptx
 
Lição 6 – jonas – a misericórdia divina
Lição 6 – jonas – a misericórdia divinaLição 6 – jonas – a misericórdia divina
Lição 6 – jonas – a misericórdia divina
 
Lição 8 - Naum, o limite da tolerância Divina
Lição 8 - Naum, o limite da tolerância DivinaLição 8 - Naum, o limite da tolerância Divina
Lição 8 - Naum, o limite da tolerância Divina
 
Leituras: 34° Domingo do Tempo Comum - Ano B
Leituras: 34° Domingo do Tempo Comum - Ano BLeituras: 34° Domingo do Tempo Comum - Ano B
Leituras: 34° Domingo do Tempo Comum - Ano B
 
Lição 10 As setenta semanas 4ºTri.2014
Lição 10 As setenta semanas 4ºTri.2014Lição 10 As setenta semanas 4ºTri.2014
Lição 10 As setenta semanas 4ºTri.2014
 
23 naum, habacuque e sofonias
23 naum, habacuque e sofonias23 naum, habacuque e sofonias
23 naum, habacuque e sofonias
 
PROFETAS MENORES
 PROFETAS MENORES PROFETAS MENORES
PROFETAS MENORES
 
PROFETAS MENORES (AULA 03 -1 - BÁSICO - IBADEP)
PROFETAS MENORES (AULA 03 -1 - BÁSICO - IBADEP)PROFETAS MENORES (AULA 03 -1 - BÁSICO - IBADEP)
PROFETAS MENORES (AULA 03 -1 - BÁSICO - IBADEP)
 
Ansioso para perdoar_Lição original com textos_622013
Ansioso para perdoar_Lição original com textos_622013Ansioso para perdoar_Lição original com textos_622013
Ansioso para perdoar_Lição original com textos_622013
 
Panorama do AT - Jeremias e Lamentações
Panorama do AT - Jeremias e LamentaçõesPanorama do AT - Jeremias e Lamentações
Panorama do AT - Jeremias e Lamentações
 
Lição 3 – Missões Transculturais no Antigo Testamento.pptx
Lição 3 – Missões Transculturais no Antigo Testamento.pptxLição 3 – Missões Transculturais no Antigo Testamento.pptx
Lição 3 – Missões Transculturais no Antigo Testamento.pptx
 
Lição 03 Missões Transculturais no Antigo Testamento 4° Trimestre de 2023 ...
Lição 03  Missões Transculturais no Antigo Testamento  4° Trimestre de 2023  ...Lição 03  Missões Transculturais no Antigo Testamento  4° Trimestre de 2023  ...
Lição 03 Missões Transculturais no Antigo Testamento 4° Trimestre de 2023 ...
 
Lição 06 jonas - a misericórdia divina
Lição 06   jonas - a misericórdia divinaLição 06   jonas - a misericórdia divina
Lição 06 jonas - a misericórdia divina
 
7 - panorama do AT - josue^J juizes.pptx
7 - panorama do AT - josue^J juizes.pptx7 - panorama do AT - josue^J juizes.pptx
7 - panorama do AT - josue^J juizes.pptx
 
Alianças e Dispensações - Ourilândia - Atual.pptx
Alianças e Dispensações - Ourilândia - Atual.pptxAlianças e Dispensações - Ourilândia - Atual.pptx
Alianças e Dispensações - Ourilândia - Atual.pptx
 

Mais de Respirando Deus

Escola Bíblica: Os Puritanos - #06
Escola Bíblica: Os Puritanos - #06Escola Bíblica: Os Puritanos - #06
Escola Bíblica: Os Puritanos - #06
Respirando Deus
 
Escola Bíblica: Os Puritanos - #05
Escola Bíblica: Os Puritanos - #05Escola Bíblica: Os Puritanos - #05
Escola Bíblica: Os Puritanos - #05
Respirando Deus
 
Escola Bíblica: Os Puritanos - #04
Escola Bíblica: Os Puritanos - #04Escola Bíblica: Os Puritanos - #04
Escola Bíblica: Os Puritanos - #04
Respirando Deus
 
Escola Bíblica: Os Puritanos - #03
Escola Bíblica: Os Puritanos - #03Escola Bíblica: Os Puritanos - #03
Escola Bíblica: Os Puritanos - #03
Respirando Deus
 
Escola Bíblica: Os Puritanos - #02
Escola Bíblica: Os Puritanos - #02Escola Bíblica: Os Puritanos - #02
Escola Bíblica: Os Puritanos - #02
Respirando Deus
 
Escola Bíblica: Os Puritanos - #01
Escola Bíblica: Os Puritanos - #01Escola Bíblica: Os Puritanos - #01
Escola Bíblica: Os Puritanos - #01
Respirando Deus
 
História da Igreja #25
História da Igreja #25História da Igreja #25
História da Igreja #25
Respirando Deus
 
História da Igreja #24
História da Igreja #24História da Igreja #24
História da Igreja #24
Respirando Deus
 
História da Igreja #23
História da Igreja #23História da Igreja #23
História da Igreja #23
Respirando Deus
 
História da Igreja #22
História da Igreja #22História da Igreja #22
História da Igreja #22
Respirando Deus
 
História da Igreja #21
História da Igreja #21História da Igreja #21
História da Igreja #21
Respirando Deus
 
Calendário de Eventos IBLM 2018
Calendário de Eventos IBLM 2018Calendário de Eventos IBLM 2018
Calendário de Eventos IBLM 2018
Respirando Deus
 
História da Igreja #20
História da Igreja #20História da Igreja #20
História da Igreja #20
Respirando Deus
 
História da Igreja #19
História da Igreja #19História da Igreja #19
História da Igreja #19
Respirando Deus
 
História da Igreja #18 - As Cruzadas
História da Igreja #18 - As CruzadasHistória da Igreja #18 - As Cruzadas
História da Igreja #18 - As Cruzadas
Respirando Deus
 
História da Igreja #17
História da Igreja #17História da Igreja #17
História da Igreja #17
Respirando Deus
 
História da Igreja #16
História da Igreja #16História da Igreja #16
História da Igreja #16
Respirando Deus
 
História da Igreja #15
História da Igreja #15História da Igreja #15
História da Igreja #15
Respirando Deus
 
História da Igreja #14
História da Igreja #14História da Igreja #14
História da Igreja #14
Respirando Deus
 
História da Igreja #13
História da Igreja #13História da Igreja #13
História da Igreja #13
Respirando Deus
 

Mais de Respirando Deus (20)

Escola Bíblica: Os Puritanos - #06
Escola Bíblica: Os Puritanos - #06Escola Bíblica: Os Puritanos - #06
Escola Bíblica: Os Puritanos - #06
 
Escola Bíblica: Os Puritanos - #05
Escola Bíblica: Os Puritanos - #05Escola Bíblica: Os Puritanos - #05
Escola Bíblica: Os Puritanos - #05
 
Escola Bíblica: Os Puritanos - #04
Escola Bíblica: Os Puritanos - #04Escola Bíblica: Os Puritanos - #04
Escola Bíblica: Os Puritanos - #04
 
Escola Bíblica: Os Puritanos - #03
Escola Bíblica: Os Puritanos - #03Escola Bíblica: Os Puritanos - #03
Escola Bíblica: Os Puritanos - #03
 
Escola Bíblica: Os Puritanos - #02
Escola Bíblica: Os Puritanos - #02Escola Bíblica: Os Puritanos - #02
Escola Bíblica: Os Puritanos - #02
 
Escola Bíblica: Os Puritanos - #01
Escola Bíblica: Os Puritanos - #01Escola Bíblica: Os Puritanos - #01
Escola Bíblica: Os Puritanos - #01
 
História da Igreja #25
História da Igreja #25História da Igreja #25
História da Igreja #25
 
História da Igreja #24
História da Igreja #24História da Igreja #24
História da Igreja #24
 
História da Igreja #23
História da Igreja #23História da Igreja #23
História da Igreja #23
 
História da Igreja #22
História da Igreja #22História da Igreja #22
História da Igreja #22
 
História da Igreja #21
História da Igreja #21História da Igreja #21
História da Igreja #21
 
Calendário de Eventos IBLM 2018
Calendário de Eventos IBLM 2018Calendário de Eventos IBLM 2018
Calendário de Eventos IBLM 2018
 
História da Igreja #20
História da Igreja #20História da Igreja #20
História da Igreja #20
 
História da Igreja #19
História da Igreja #19História da Igreja #19
História da Igreja #19
 
História da Igreja #18 - As Cruzadas
História da Igreja #18 - As CruzadasHistória da Igreja #18 - As Cruzadas
História da Igreja #18 - As Cruzadas
 
História da Igreja #17
História da Igreja #17História da Igreja #17
História da Igreja #17
 
História da Igreja #16
História da Igreja #16História da Igreja #16
História da Igreja #16
 
História da Igreja #15
História da Igreja #15História da Igreja #15
História da Igreja #15
 
História da Igreja #14
História da Igreja #14História da Igreja #14
História da Igreja #14
 
História da Igreja #13
História da Igreja #13História da Igreja #13
História da Igreja #13
 

Último

9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
PIB Penha
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Ricardo Azevedo
 
14 - Um Convite à Oração. Incentivar a orar
14 - Um Convite à Oração. Incentivar a orar14 - Um Convite à Oração. Incentivar a orar
14 - Um Convite à Oração. Incentivar a orar
PIB Penha
 
PREGUE A MISSÃO - 15 Esboços de Sermões sobre Missões e Evangelização - Sammi...
PREGUE A MISSÃO - 15 Esboços de Sermões sobre Missões e Evangelização - Sammi...PREGUE A MISSÃO - 15 Esboços de Sermões sobre Missões e Evangelização - Sammi...
PREGUE A MISSÃO - 15 Esboços de Sermões sobre Missões e Evangelização - Sammi...
Sammis Reachers
 
13 - Estudo dos Relacionamentos do Cristão
13 - Estudo dos Relacionamentos do Cristão13 - Estudo dos Relacionamentos do Cristão
13 - Estudo dos Relacionamentos do Cristão
PIB Penha
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
Nilson Almeida
 
metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdfmetafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
GuilhermeCerqueira17
 
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdfDiscipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
LEILANEGOUVEIA1
 
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptxPalestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
NEDIONOSSOMUNDO
 
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
PIB Penha
 
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
PIB Penha
 
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
PIB Penha
 
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
PIB Penha
 
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
PIB Penha
 

Último (14)

9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
 
14 - Um Convite à Oração. Incentivar a orar
14 - Um Convite à Oração. Incentivar a orar14 - Um Convite à Oração. Incentivar a orar
14 - Um Convite à Oração. Incentivar a orar
 
PREGUE A MISSÃO - 15 Esboços de Sermões sobre Missões e Evangelização - Sammi...
PREGUE A MISSÃO - 15 Esboços de Sermões sobre Missões e Evangelização - Sammi...PREGUE A MISSÃO - 15 Esboços de Sermões sobre Missões e Evangelização - Sammi...
PREGUE A MISSÃO - 15 Esboços de Sermões sobre Missões e Evangelização - Sammi...
 
13 - Estudo dos Relacionamentos do Cristão
13 - Estudo dos Relacionamentos do Cristão13 - Estudo dos Relacionamentos do Cristão
13 - Estudo dos Relacionamentos do Cristão
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
 
metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdfmetafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
 
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdfDiscipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
 
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptxPalestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
 
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
 
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
 
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
 
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
 
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
 

Panorama do AT - Naum

  • 1. Panorama do Antigo Testamento Naum
  • 2. Introdução Alguns dizem que Naum é o livro que o profeta Jonas queria escrever (Jn 3.4; 4.2) acerca do juízo de Deus contra os ninivitas. Assim como Jonas constata que o Senhor é tardio a irar-se, Naum também ressalta isso, mas destaca a justiça e o poder de Deus para executar Seus juízos (Na 1.3). O livro de Naum é a profecia da destruição de Nínive, entretanto sua mensagem não é de terror, e sim, como o próprio nome do profeta indica (Naum = “Consolo”), de consolação.
  • 3. Informações Básicas ● Data: Entre 663 e 612 a.C. ● Autor: Naum ● Local: Nínive (Assíria) ● Alvo: Ninivitas ● Versículo-chave: Na 1.7-8 ● Palavra-chave: Consolo
  • 4. Informações Básicas ● Conteúdo: uma profecia do juízo de Deus contra Nínive (Assíria) por sua opressão, crueldade e idolatria, concluindo com o anúncio da destruição da cidade. ● Ênfases: a soberania de Deus sobre todas as nações; a justiça levada a cabo, por Deus, contra a crueldade; Deus triunfa sobre os arrogantes, que pensam ser eternos.
  • 5. Informações Básicas ● Propósito: Naum não escreveu este livro como uma advertência ou uma "chamada ao arrependimento" para o povo de Nínive. Deus já tinha enviado o profeta Jonas um século antes com Sua promessa do que aconteceria se continuassem em seus maus caminhos. As pessoas daquela época haviam se arrependido, mas agora viviam tão mal (se não pior) do que antes. Os assírios tinham se tornado absolutamente brutais em suas conquistas. Agora Naum estava dizendo ao povo de Judá para não se desesperarem porque Deus havia pronunciado julgamento e os assírios em breve estariam recebendo o que mereciam.
  • 6. Esboço ● A Pessoa de Deus Na 1.1-8 – Descrição do caráter de Deus ● O Juízo de Deus Na 1.9-3.19 – Descrição do juízo de Deus ● Naum em uma sentença: O profeta anuncia o caráter de Deus e declara o julgamento inevitável de Nínive.
  • 7. Personagens Principais ● O povo de Nínive – Assírios que se voltaram novamente para o mal, destinados à destruição (2.1-3.19).
  • 8. O Terror do Império Assírio ● Os reis assírios eram governantes absolutos, era o principal representante do deus Asur, além de ser comandante do exército. Habitaram a terra dos antigos sumérios e acádios, e seguiam o código de leis desses ancestrais. Nínive era a capital do império. Era um povo muito cruel com seus prisioneiros.
  • 9. O Terror do Império Assírio ● Diferente dos tempos de Jonas, em que o governante de Nínive se voltou para o Senhor e o arrependimento alcançou a cidade toda (Jn 3.5-9), no contexto de Naum, de Nínive surgiram líderes que se voltaram contra o Senhor (Na 1.11). Sob o comando de poderosos líderes que se ergueram a partir da segunda metade do século 8 a.C., a Assíria tornou-se poderosa e se expandiu, dominando toda a região conhecida como o Crescente Fértil no mundo antigo, inclusive Israel 722 a.C.
  • 10. O Terror do Império Assírio ● A prática de expansão dos assírios era a conquista militar, a destruição do território dominado, a separação e a divisão dos habitantes por diversas regiões do império, a fim de desestruturar toda a forma de resistência pelos povos dominados.
  • 11. A Ira do Senhor dos Exércitos ● Naum anuncia a destruição desse império cruel representado por Nínive. Entretanto, levando em conta a data adotada nesta lição, Israel teve que esperar cerca de 100 anos para ver Nínive destruída pelas mãos dos babilônicos, em 612 a.C. Nesse evento histórico se comprova a soberania de Deus sobre as nações, pela ação de Deus anunciada por Naum em seu livro.
  • 12. Doutrinas O principal ensinamento do livro de Naum só é obtido quando o lemos pela ótica dos judeus. Para Israel, o império assírio era seu opressor. Por todo o livro, a ira de Deus contra Nínive é acompanhada pelo cuidado ao Seu povo.
  • 13. Doutrinas Referência Israel Nínive 1.2 Deus é zeloso, tem ciúmes de Seu povo. Deus é vingador e cheio de ira contra Seus inimigos. 1.7-8 Deus é fortaleza para os que se refrugiam Nele. Deus é destruidor e perseguidor dos Seus inimigos. 1.13-14 Deus liberta o povo. Deus extermina o povo inimigo. 1.15 O povo de Deus celebra a paz. O inimigo vil foi exterminado. 2.1-2 Deus reataura a glória do povo. Deus avança contra os inimigos. 3.19 Celebram a libertação da maldade opressora. Sofre de seu mal incurável e sua condenação definitiva.
  • 14. O Caráter de Deus em Miqueias ● Deus é bom: 1.7 ● Deus é ciumento: 1.2 ● Deus é poderoso: 1.3 ● Deus é providente: 1.4 ● Deus é soberano: 1.2-5 ● Deus se ira: 1.2-3,6
  • 15. Naum e o Novo Testamento A forma como Naum apresenta Deus, como Aquele que combate os inimigos do povo e o liberta (Na 1.2-8), se assemelha à figura guerreira de Jesus Cristo no Novo Testamento, que vence a batalha contra o inimigo, a morte, sujeitando todas as coisas e libertando os crentes (1Co 15.25-28; Cl 2.14-15). A guerra de Deus contra Seus inimigos antecipa a consumação desse tema na guerra de Cristo contra Satanás em Ap 19.11-21.
  • 16. Naum e o Novo Testamento Assim como a imagem do Deus guerreiro e libertador em Naum é anúncio de consolo e boas-novas ao povo (Na 1.15), o Cristo vitorioso que subjuga todos os inimigos sob Seus pés é parte do evangelho da salvação e esperança para todo aquele que crê.
  • 17. Aplicação Prática Deus é paciente e tardio para se irar. Ele dá a cada país o tempo para anunciá-lo como seu Senhor. Entretanto, Ele não se deixa escarnecer. Toda vez que um país se afasta dEle para servir aos seus próprios motivos, Ele avança com julgamento. Nosso país e nossos governantes se dirigem diariamente na direção oposta dos princípios encontrados na Bíblia. Como cristãos, é nosso dever defender os princípios bíblicos e a verdade bíblica pois a Verdade é a única esperança para o nosso e qualquer outra nação.
  • 18. Conclusão Naum nos lembra do caráter essencial do Deus cuja história é contada na Bíblia, um Deus de bondade e salvação, bem como de justiça e juízo, qualidade que existem lado a lado Nele, da mesma maneira em que são finalmente exibidas, juntas, na morte de Jesus Cristo em uma cruz.
  • 19. Perguntas? ● Na 1.2 – Deus é cheio de ira? – Problema: Naum declara que Deus é “vingador e cheio de ira”. Com efeito, Des frequentemente é apresentado na Bíblia como quem fica irado (Is 26.20, Jr 4.8). Ao mesmo tempo, a Bíblia recomenda aos cristãos que não fiquem irados, por ser isso pecado (Gl 5.20). Mas, se é pecado, como Deus pode irar-se então?
  • 20. Perguntas? ● Solução: A Boa Ira A Ira Má Diante do pecado Diante de sofrer um pecado Contra o pecado Contra os pecadores Expressa com justiça Expressa injustamente Sendo tardio no irar-se Sendo rápido no irar-se Feita em justiça Feita em retaliação

Notas do Editor

  1. Jn 3.4 Começou Jonas a percorrer a cidade caminho de um dia, e pregaca, e dizia: Ainda quarenta dias, e Nínive será subvertida. Jn 4.2 E orou ao Senhor e disse: Ah! Senhor! Não foi isso o que eu disse, estando ainda na minha terra? Por isso, me adiantei, fugindo para Társis, pois sabia que és Deus clemente, e misericordioso, e tardio em irar-se, e grande em benignidade, e que te arrependes do mal. Naum = “conforto” ou “consolo”. Forma abreviada do nome Neemias = “conforto de Javé”
  2. Entre outras atrocidades, eles penduravam os corpos de suas vítimas em postes e colocavam a sua pele nas paredes das suas tendas
  3. O que torna Miqueias um livro único está na sua organização (não necessariamente cronológica), que alterna entre profecias de juízo e profecias de esperança para o futuro. Mq 1-2; 3-5; 6-7, nitidamente blocos diferentes distinquidos pela ordem “ouvi [vós] em 1.2; 3.1;6.1. Um terço do livro trata do pecado do povo, outro terço trata do castigo que estava por vir e a outra terça parte promete esperança aos fiéis depois do castigo.
  4. Assur era representado por um sol alado que protegia e guiava o rei, o seu principal servo. Era também simbolizado por uma árvore, representando a fertilidade. No entanto, ele era, antes de mais, o deus da guerra e a guerra tornou-se parte integrante da religião dos assírios. Cada campanha militar era pensada para ser levada a cabo em resposta às ordens diretas de Assur. Assim, a participação na guerra era um ato de adoração. Esta associação de Assur com as campanhas militares dos assírios explica o fato de o culto a Assur ter desaparecido com a destruição do Império Assírio, contrastando com os cultos dos deuses das outras nações que sobreviveram à destruição do seu povo.
  5. Os assírios eram um povo militar e comercial, simples em costumes porém cruéis e ferozes com seus prisioneiros queimando-os vivos os seus conquistados após uma sessão de mutilação. Cortavam-lhe as mãos, pés, orelhas, faziam pirâmides de caveiras (crânios). Um certo rei Assírio, em uma de suas batalhas, levou a cativo 14 mil homens como prisioneiros de guerra, por medida de precaução, para que não houvesse revoltas, deu ordem ao seu exército que vazassem os olhos de todos os presos. Existe o relato de um rei que quando estava cercado pelos exércitos assírios, resolveu fazer um acordo com o monarca assírio tentando preservar a vida de seus súditos, o trato consistia de que ele se renderia desde não houvesse derramamento de sangue, ok! O acordo foi cumprido por ambas as partes. Os assíros conquistaram o território do inimigo.E o inimigo... foi enterrado vivo!
  6. Nas palavras de Naum, Nínive terminaria “com uma enchente devastadora” (1.8). A profecia se cumpriu quando o Rio Tigre transbordou e abriu nas muralhas uma brecha grande o suficiente para os babilônicos passarem. Naum também predisse que a cidade seria escondida (3.11). Depois da destruição, em 612 a.C., Nínive só foi redescoberta em 1842 d.C.
  7. Segue um quadro comparativo da postura concomitante de Deus diante de Israel e Nínive:
  8. Assim, a mensagem de Naum concilia a justiça e o amor de Deus como forma de consolo a um povo oprimido. Deus liberta, assim como outrora castigou Israel.
  9. Zeloso: em hebraico, qanno. Esse termo está relacionado a uma raiz que pode significar “ter zelo” ou até “ser ciumento”. Tendemos a associar o ciúme com um sentimento egocêntrico que, em geral, é pecaminoso. O ciúme do Senhor,porém, vem de sua santidade porque Ele é o único Senhor e não tolera rivais. O zelo de Deus não é por causa de algo que não lhe pertença; pelo contrário, o seu zelo é para a proteção do que de fato lhe pertence, a saber, a sua total supremacia. Não é pecado Deus reivindicar lealdade de suas criaturas, porque ele é o Criador e sabe que é melhor para elas.
  10. Gálatas lista a ira como obras da carne.
  11. A ira em si não é pecado. Depende do propósito, da natureza e/ou do objeto da ira. Até mesmo Jesus, o nosso perfeito exemplo em conduta moral, ficou irado diante do pecado (Mt 23.15-36). Paulo exortou-nos: “Irai-vos e não pequeis” (Ef 4.26). Em resumo, devemos irar-nos diante do pecado, mas não devemos pecar em nossa ira. O problema com a ira humana, mesmo no bom sentido da ira diante do pecado, é que é fácil devá-la longe demais, de modo a pecar. Diferentemente de Deus, que é “tardiu em irar-se” (Ne 9.17), com frequêncianos apressamos em nossa ira.