SlideShare uma empresa Scribd logo
Panorama do Antigo Testamento
Eclesiastes
2
Informações Básicas
* Autor: Salomão
* Data: 935 a.C.
* Versículo-chave: Ec 2.11
* Palavra-chave: Vaidade
3
Informações Básicas
Propósito: Eclesiastes é um livro de perspectiva. A narrativa do “Pregador”, ou
“Sábio”, revela a depressão que inevitavelmente resulta da procura da felicidade em
coisas mundanas. Este livro dá aos Cristãos a oportunidade de ver o mundo através
dos olhos de uma pessoa que, apesar de muito sábio, está tentando encontrar sentido
em coisas humanas e temporárias. Quase todas as formas de prazer mundano são
exploradas pelo Pregador, e nenhuma delas lhe dá sentido algum.
No final, o pregador chega a aceitar que a fé em Deus é a única maneira de encontrar
um significado pessoal. Ele decide aceitar o fato de que a vida é breve e, no fim das
contas, inútil sem Deus. O pregador aconselha o leitor a concentrar-se em um Deus
eterno, em vez de prazer temporário.
4
Informações Básicas
Conteúdo: as meditações de um mestre da Sabedoria que luta com
as realidades da vida; o que se ganha alcançando-se a fortuna ou a
sabedoria quando no fim a morte reivindica tanto o rico como o
pobre, tanto o sábio como o tolo; mas o livro se situa especialmente
num contexto de se conhecer o temor de Deus.
Ênfases: a natureza transitória da vida presente; como viver de
maneira sábia num mundo em que as únicas certezas são a morte e o
julgamento; a futilidade dos projetos humanos que não levam em
conta o temor de Deus.
5
Esboço
Capítulo a capítulo, o autor afirma e reafirma: nada vale a pena neste mundo,
sem o temor do Senhor.
Ec 1-2: Sabedoria, riqueza e prazer podem ser bênção ou maldição
Ec 3: Nosso telacionamento com o tempo
Ec 4-6: Opressão, trabalho, religião, política, salário
Ec 7-10 : Vida humana, destino humano, diferentes tipos de pessoas
Ec 11-12:Regras para viver bem, conclusão do livro
6
Resumo
Duas frases são repetidas muitas vezes em Eclesiastes. A
palavra traduzida como “vaidade” aparece muitas vezes e é
usada para enfatizar a natureza temporária das coisas
mundanas. No fim das contas, mesmo as conquistas humanas
mais impressionantes serão deixada para trás. A expressão
“debaixo do sol” ocorre 28 vezes e refere-se ao mundo mortal.
Quando o pregador se refere a “todas as coisas debaixo do sol”,
ele está falando de coisas terrenas, temporárias e humanas.
7
Resumo
Os sete primeiros capítulos do livro de Eclesiastes descrevem todas
as coisas mundanas “debaixo do sol” nas quais o Pregador tenta
encontrar satisfação. Ele tenta descobrimentos científicos (1.10-11),
sabedoria e filosofia (1.13-18 ), alegria (2.1), álcool (2.3), arquitetura
(2.4), bens (2.7-8) e luxúria (2.8). O Pregador concentrou-se em
filosofias diferentes para encontrar um significado, tal como o
materialismo (2.19-20) e até mesmo os códigos morais (incluindo os
capítulos 8-9). Ele descobriu que tudo era vaidade, uma distração
temporária que, sem Deus, não tinha nenhum propósito ou
longevidade.
8
Resumo
Os capítulos 8-12 de Eclesiastes descrevem as sugestões e
comentários do Pregador sobre como a vida deve ser vivida.
Ele chega à conclusão de que, sem Deus, não há nenhuma
verdade ou sentido à vida. Ele já tinha visto muitos males e
percebido que mesmo as melhores realizações do homem não
valem nada a longo prazo. Assim, ele aconselha o leitor a
conhecer a Deus desde a juventude (12.01) e seguir a Sua
vontade (12.13-14).
9
As Palavras do Pregador
No livro de Eclesiastes, o rei Salomão se identifica como “Pregador” (Ec 1.1).
Considerando o livro como um todo, podemos ver que o sábio rei fez um
verdadeiro trabalho de pregador, expondo sua mensagem de forma clara
aplicando-a diretamente à vida, sem fugir de sua tese central, explícita em
Eclesiastes 12.13: “De tudo o que se tem ouvido, a suma é: Teme a Deus e guarda
os seus mandamentos; porque isto é o dever de todo o homem”.
Eclesiastes em uma sentança
O pregador faz uma revisão da vida, aponta as coisas más, exorta-nos a
aproveitar o que é bom, porém, debaixo da orientação do temor do
Senhor.
10
Mensagem
Ec 1-2 Sem Deus, sabedoria, riqueza e prazer não passam de materialismo. Debaixo do
temor do Senhor são vistas como bênçãos que vêm Dele.
Ec 3 O autor de Eclesiastes afirma que Deus ordena o tempo, as coisas boas e más da
vida enquanto estamos na terra, avisando que todo homem responderá ao Senhor
em juízo.
Ec 4-6 Rotina frustrante sem Deus, temas que vão e vêm nos debates do homem
moderno
Ec 7-10 Desânimo sem Deus. Contentamento com o temor do Senhor
Ec 11-12 Não dá para viver sem o temor do Senhor. Se podemos pensar em ilustração,
esses dois capítulos são as placas de PARE antes de prosseguir na caminhada de
nossa vida. Duas verdades são proclamadas: A vida não para (um dia você ficará
velho) e A vida não compensa sem o temor do Senhor.
11
Reflexão
Ec 1-2 Talvez esta seja a maior tentação de nossa época – ter cada vez mais. Ser rico ou ter bens não é
pecado, mas o próprio Jesus nos advertiu que é muito difícil um rico entrar no céu.
Ec 3 “Tempo é dinheiro” foi a frase pregada pelos herdeiros da revolução industrial. Depois alguns até
disseram que tempo faz dinheiro. Mas assumir essas duas posturas é prender-se somente ao relógio
e se esquecer de quem é o Dono do tempo.
Ec 4-6 Que pensa o pregador disso? Sempre coerente, afirma que desfrutar de alguns desses bens é
prazeroso, se Deus for reconhecido como doador. No entanto, não se pode esquecer de que tudo isso
é vaidade.
Ec 7-10 Essa parte do livro é muito interessante. O autor volta a Gênesis e nos lembra que Deus é o criador do
homem, mas que este se meteu em encrencas (7.29). No decorrer dos capítulos, enfatiza a eterna luta
entre o bem e o mal, colocando o sábio e o tolo como evidências dessas diferenças. Conclui
afirmando: “Melhor é a sabedoria do que as armas de guerra, mas um só pecador destrói muitas
coisas boas”.
Ec 11-12 Como bom pensador, Salomão ensina que crer é também pensar. Obviamente há mistérios que Deus
reservou para Si. Só Ele sabe a resposta. No entanto, vários questionamentos humanos sobre Deus
são perfeitamentes explicáveis à luz de uma razão submissa ao temor do Senhor.
12
Aplicação
Ec 1-2 Que alvo você vai estabelecer para sua vida material? Valer-se da providência de
Deus para ter o que é necessário ou correr atrás do vento, do materialismo, até que
as energias acabem?
Ec 3 Sem Deus, essa roda-viva do tempo é encarada como fatalismo; dentro da
perspectiva do temor do Senhor, como soberania de Deus. Por qual das duas você
interpreta os acontecimentos da sua vida?
Ec 4-6 Você tem buscado equilibrio entre desfrutar o que Deus lhe dá, sem perder de vista
que tudo é passageiro e que as coisas desta vida não são as mais importantes?
Ec 7-10 Olhando o contexto do nosso mundo, hoje, dá vontade de fazer um panfleto com
essas capítulos e distribuir.
Ec 11-12 Como você se relaciona com os assuntos desafiadores da vida cristã? Não há
melhor opção que render-se diante do Senhor de toda sabedoria.
13
Doutrinas
Deus Criador
Em Eclesiastes, Deus é apresentado como “Criador” (Ec
12.1). Seu papel como criador vai além de fazer todas as
coisas (Ec 11.5) e dar vida (Ec 8.15; 9.9). Ele é também o
organizador da vida (Ec 3.1-8), mantendo até mesmo as
coisas mais simples em execução (Ec 1.5-7). Assim como
Deus criou todas as coisas e as mantém, o Criador também
cuida de todas elas como um Pastor (Ec 12.11).
14
Doutrinas
Ser humano decadente
O realismo de Eclesiastes leva ao reconhecimento da natureza do ser
humano caído. Segundo Eclesiastes, estamos separados de Deus (Ec 5.2) e
sujeitos à morte como qualquer outra criatura (Ec 3.19-20; 6.6). Todos os
seres humanos são pecadores (Ec 7.20), e o pecado domina a raça humana
por completo (Ec 9.3). Várias são as repercussões do pecado relatadas por
Eclesiastes: opressão (Ec 5.8); inveja (Ec 4.4); ganância (Ec 5.10); arrogância
(Ec 7.8); ira (Ec 7.9) e imoralidade sexual (Ec 7.26). A consequência final do
pecado, indica o Pregador, é a morte prematura (Ec 7.17; 8.13).
15
Doutrinas
Ser humano decadente
Apesar da decadência humana, a imagem do Criador não é
totalmente ofuscada pelo pecado. O ser humano é visto como
uma criatura complexa, vivendo tanto a realidade material pela
carne (Ec 11.10), como a imaterial, expressa na alma (Ec 6.2-3),
no espírito (Ec 12.7) e no coração (Ec 1.13; 7.3-4,7; 8.11). A
imagem do Criador parece ser a causa do paradoxo vivido pelo
ser humano, que permanece pecador e fadado à morte
prematura, mas tem o vislumbre da eternidade em sua essência
(3.11).
16
Prenúncios
Para todas as vaidades descritas no livro de Eclesiastes, a resposta é Cristo.
De acordo com Eclesiastes 3.17, Deus julga os justos e os ímpios, e os justos
são apenas aqueles que estão em Cristo (2Co 5.21). Deus colocou o desejo
pela eternidade em nossos corações (Ec 3.11) e tem providenciado o
Caminho da vida eterna através de Cristo (Jo 3.16). Somos lembrados de que
ir atrás da riqueza do mundo não só é vaidade, porque não satisfaz (Ec 5.10),
mas mesmo se pudéssemos alcançá-la, sem Cristo perderíamos nossas almas
e que proveito há nisso? (Mc 8.36). No fim das contas, cada decepção e
vaidade descrita em Eclesiastes encontra a sua solução em Cristo, na
sabedoria de Deus e no único verdadeiro significado a ser encontrado na vida.
17
Aplicação Prática
Eclesiastes oferece ao Cristão a oportunidade de compreender o vazio e o
desespero com os quais aqueles que não conhecem a Deus têm que lidar.
Aqueles que não têm uma fé salvadora em Cristo se deparam com uma vida
que no fim das contas vai acabar e tornar-se irrelevante. Se não há salvação,
e não há Deus, então não existe nenhum sentido, propósito ou direção para a
vida. O “mundo debaixo do sol”, longe de Deus, é frustrante, cruel, injusto,
breve e total “vaidade”. No entanto, com Cristo a vida é apenas uma sombra
das glórias por vir em um paraíso que só é acessível por meio dEle.
18
Conclusão
O livro de Eclesiastes é um manifesto da decadência humana.
E é na decadência humana que se percebe a necessidade da
salvação, a qual chega pela vida e obra de Jesus Cristo. O
maior conselho do pregador é “Tema a Deus”, que implica
relacionamento e obediência. O sacrifício de Cristo tornou isso
possível de maneira concreta e definitiva, pois, só por meio
Dele, temos livre acesso ao Pai e perfeitas condições de nos
relacionar com Ele, vivendo plenamente o “temor do Senhor”.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

35. O Profeta Joel
35. O Profeta Joel35. O Profeta Joel
Panorama do AT - Isaías
Panorama do AT - IsaíasPanorama do AT - Isaías
Panorama do AT - Isaías
Respirando Deus
 
Panorama do AT - Oseias
Panorama do AT - OseiasPanorama do AT - Oseias
Panorama do AT - Oseias
Respirando Deus
 
Panorama do AT - Reis 1 e 2
Panorama do AT - Reis 1 e 2Panorama do AT - Reis 1 e 2
Panorama do AT - Reis 1 e 2
Respirando Deus
 
31 livro de lamentações de jeremias (rev ildemar berbert)
31 livro de lamentações de jeremias (rev ildemar berbert)31 livro de lamentações de jeremias (rev ildemar berbert)
31 livro de lamentações de jeremias (rev ildemar berbert)
Igreja Presbiteriana de Dourados
 
Panorama do AT - Miqueias
Panorama do AT - MiqueiasPanorama do AT - Miqueias
Panorama do AT - Miqueias
Respirando Deus
 
Panorama do AT - Josué
Panorama do AT - JosuéPanorama do AT - Josué
Panorama do AT - Josué
Respirando Deus
 
Panorama do AT - Cântico dos Cânticos
Panorama do AT - Cântico dos CânticosPanorama do AT - Cântico dos Cânticos
Panorama do AT - Cântico dos Cânticos
Respirando Deus
 
Ezequiel
EzequielEzequiel
Ezequiel
Ricardo Gondim
 
Panorama do AT - Levítico
Panorama do AT - LevíticoPanorama do AT - Levítico
Panorama do AT - Levítico
Respirando Deus
 
32. O Profeta Ezequiel
32. O Profeta Ezequiel32. O Profeta Ezequiel
32. O Profeta Ezequiel
Igreja Presbiteriana de Dourados
 
Panorama do NT - Lucas
Panorama do NT - LucasPanorama do NT - Lucas
Panorama do NT - Lucas
Respirando Deus
 
43. O Profeta Ageu
43. O Profeta Ageu43. O Profeta Ageu
Panorama do AT - Amós
Panorama do AT - AmósPanorama do AT - Amós
Panorama do AT - Amós
Respirando Deus
 
28. Introdução aos Profetas
28. Introdução aos Profetas28. Introdução aos Profetas
28. Introdução aos Profetas
Igreja Presbiteriana de Dourados
 
Panorama do NT - Efésios
Panorama do NT - EfésiosPanorama do NT - Efésios
Panorama do NT - Efésios
Respirando Deus
 
29. O profeta Isaías
29. O profeta Isaías29. O profeta Isaías
29. O profeta Isaías
Igreja Presbiteriana de Dourados
 
27. Os poéticos: Cantares de Salomão
27. Os poéticos: Cantares de Salomão27. Os poéticos: Cantares de Salomão
27. Os poéticos: Cantares de Salomão
Igreja Presbiteriana de Dourados
 
45. o profeta malaquias
45. o profeta malaquias45. o profeta malaquias
45. o profeta malaquias
Igreja Presbiteriana de Dourados
 
Panorama do AT - Joel
Panorama do AT - JoelPanorama do AT - Joel
Panorama do AT - Joel
Respirando Deus
 

Mais procurados (20)

35. O Profeta Joel
35. O Profeta Joel35. O Profeta Joel
35. O Profeta Joel
 
Panorama do AT - Isaías
Panorama do AT - IsaíasPanorama do AT - Isaías
Panorama do AT - Isaías
 
Panorama do AT - Oseias
Panorama do AT - OseiasPanorama do AT - Oseias
Panorama do AT - Oseias
 
Panorama do AT - Reis 1 e 2
Panorama do AT - Reis 1 e 2Panorama do AT - Reis 1 e 2
Panorama do AT - Reis 1 e 2
 
31 livro de lamentações de jeremias (rev ildemar berbert)
31 livro de lamentações de jeremias (rev ildemar berbert)31 livro de lamentações de jeremias (rev ildemar berbert)
31 livro de lamentações de jeremias (rev ildemar berbert)
 
Panorama do AT - Miqueias
Panorama do AT - MiqueiasPanorama do AT - Miqueias
Panorama do AT - Miqueias
 
Panorama do AT - Josué
Panorama do AT - JosuéPanorama do AT - Josué
Panorama do AT - Josué
 
Panorama do AT - Cântico dos Cânticos
Panorama do AT - Cântico dos CânticosPanorama do AT - Cântico dos Cânticos
Panorama do AT - Cântico dos Cânticos
 
Ezequiel
EzequielEzequiel
Ezequiel
 
Panorama do AT - Levítico
Panorama do AT - LevíticoPanorama do AT - Levítico
Panorama do AT - Levítico
 
32. O Profeta Ezequiel
32. O Profeta Ezequiel32. O Profeta Ezequiel
32. O Profeta Ezequiel
 
Panorama do NT - Lucas
Panorama do NT - LucasPanorama do NT - Lucas
Panorama do NT - Lucas
 
43. O Profeta Ageu
43. O Profeta Ageu43. O Profeta Ageu
43. O Profeta Ageu
 
Panorama do AT - Amós
Panorama do AT - AmósPanorama do AT - Amós
Panorama do AT - Amós
 
28. Introdução aos Profetas
28. Introdução aos Profetas28. Introdução aos Profetas
28. Introdução aos Profetas
 
Panorama do NT - Efésios
Panorama do NT - EfésiosPanorama do NT - Efésios
Panorama do NT - Efésios
 
29. O profeta Isaías
29. O profeta Isaías29. O profeta Isaías
29. O profeta Isaías
 
27. Os poéticos: Cantares de Salomão
27. Os poéticos: Cantares de Salomão27. Os poéticos: Cantares de Salomão
27. Os poéticos: Cantares de Salomão
 
45. o profeta malaquias
45. o profeta malaquias45. o profeta malaquias
45. o profeta malaquias
 
Panorama do AT - Joel
Panorama do AT - JoelPanorama do AT - Joel
Panorama do AT - Joel
 

Destaque

26. Os poéticos: Eclesiastes
26. Os poéticos: Eclesiastes26. Os poéticos: Eclesiastes
26. Os poéticos: Eclesiastes
Igreja Presbiteriana de Dourados
 
ECLESIASTES
ECLESIASTESECLESIASTES
ECLESIASTES
Enerliz
 
Eclesiastes
EclesiastesEclesiastes
Eclesiastes
profsempre
 
Eclesiastes
EclesiastesEclesiastes
Eclesiastes
Isaias Christal
 
65 Estudo Panorâmico da Bíblia (o livro de Eclesiastes)
65   Estudo Panorâmico da Bíblia (o livro de Eclesiastes)65   Estudo Panorâmico da Bíblia (o livro de Eclesiastes)
65 Estudo Panorâmico da Bíblia (o livro de Eclesiastes)
Robson Tavares Fernandes
 
Eclesiastes 3
Eclesiastes 3Eclesiastes 3
Eclesiastes 3
Enerliz
 
Castigo ou benção ?
Castigo ou  benção ?Castigo ou  benção ?
Castigo ou benção ?
Edilson Jose Barbosa Barbosa
 
Um engano quase que perfeito.
Um engano quase que perfeito.Um engano quase que perfeito.
Um engano quase que perfeito.
Natanael Araujo
 
8. as finan+ças e a boa administra+ç+âo
8. as finan+ças e a boa administra+ç+âo8. as finan+ças e a boa administra+ç+âo
8. as finan+ças e a boa administra+ç+âo
talmidimted
 
O Sentido de Equipe do Povo de Deus
O Sentido de Equipe do Povo de DeusO Sentido de Equipe do Povo de Deus
O Sentido de Equipe do Povo de Deus
Rogério Nunes
 
Seminário finanças
Seminário finançasSeminário finanças
Seminário finanças
noel jose pereira
 
Lição 7. As estações da vida.
Lição 7. As estações da vida.Lição 7. As estações da vida.
Lição 7. As estações da vida.
André Rocha
 
Tempo e Trabalho - Eclesiastes 3
Tempo e Trabalho - Eclesiastes 3Tempo e Trabalho - Eclesiastes 3
Tempo e Trabalho - Eclesiastes 3
Amor pela EBD
 
Lição 1
Lição 1Lição 1
Lição 1
Silas Rodrigues
 
Lições biblicas 4 trimestre liçao 1
Lições biblicas 4 trimestre liçao 1Lições biblicas 4 trimestre liçao 1
Lições biblicas 4 trimestre liçao 1
vandiney
 
Destruindo os destruidores
Destruindo os destruidoresDestruindo os destruidores
Destruindo os destruidores
Dilton Rodrigues
 
4 animais sábios
4 animais sábios4 animais sábios
Lição 01 (o valor dos bons conselhos)
Lição 01 (o valor dos bons conselhos)Lição 01 (o valor dos bons conselhos)
Lição 01 (o valor dos bons conselhos)
Antonio Filho
 
Panorama do NT - João
Panorama do NT - JoãoPanorama do NT - João
Panorama do NT - João
Respirando Deus
 
Panorama do NT - Filipenses
Panorama do NT - FilipensesPanorama do NT - Filipenses
Panorama do NT - Filipenses
Respirando Deus
 

Destaque (20)

26. Os poéticos: Eclesiastes
26. Os poéticos: Eclesiastes26. Os poéticos: Eclesiastes
26. Os poéticos: Eclesiastes
 
ECLESIASTES
ECLESIASTESECLESIASTES
ECLESIASTES
 
Eclesiastes
EclesiastesEclesiastes
Eclesiastes
 
Eclesiastes
EclesiastesEclesiastes
Eclesiastes
 
65 Estudo Panorâmico da Bíblia (o livro de Eclesiastes)
65   Estudo Panorâmico da Bíblia (o livro de Eclesiastes)65   Estudo Panorâmico da Bíblia (o livro de Eclesiastes)
65 Estudo Panorâmico da Bíblia (o livro de Eclesiastes)
 
Eclesiastes 3
Eclesiastes 3Eclesiastes 3
Eclesiastes 3
 
Castigo ou benção ?
Castigo ou  benção ?Castigo ou  benção ?
Castigo ou benção ?
 
Um engano quase que perfeito.
Um engano quase que perfeito.Um engano quase que perfeito.
Um engano quase que perfeito.
 
8. as finan+ças e a boa administra+ç+âo
8. as finan+ças e a boa administra+ç+âo8. as finan+ças e a boa administra+ç+âo
8. as finan+ças e a boa administra+ç+âo
 
O Sentido de Equipe do Povo de Deus
O Sentido de Equipe do Povo de DeusO Sentido de Equipe do Povo de Deus
O Sentido de Equipe do Povo de Deus
 
Seminário finanças
Seminário finançasSeminário finanças
Seminário finanças
 
Lição 7. As estações da vida.
Lição 7. As estações da vida.Lição 7. As estações da vida.
Lição 7. As estações da vida.
 
Tempo e Trabalho - Eclesiastes 3
Tempo e Trabalho - Eclesiastes 3Tempo e Trabalho - Eclesiastes 3
Tempo e Trabalho - Eclesiastes 3
 
Lição 1
Lição 1Lição 1
Lição 1
 
Lições biblicas 4 trimestre liçao 1
Lições biblicas 4 trimestre liçao 1Lições biblicas 4 trimestre liçao 1
Lições biblicas 4 trimestre liçao 1
 
Destruindo os destruidores
Destruindo os destruidoresDestruindo os destruidores
Destruindo os destruidores
 
4 animais sábios
4 animais sábios4 animais sábios
4 animais sábios
 
Lição 01 (o valor dos bons conselhos)
Lição 01 (o valor dos bons conselhos)Lição 01 (o valor dos bons conselhos)
Lição 01 (o valor dos bons conselhos)
 
Panorama do NT - João
Panorama do NT - JoãoPanorama do NT - João
Panorama do NT - João
 
Panorama do NT - Filipenses
Panorama do NT - FilipensesPanorama do NT - Filipenses
Panorama do NT - Filipenses
 

Semelhante a Panorama do AT - Eclesiastes

Tema a Deus em Todo o Tempo.
Tema a Deus em Todo o Tempo.Tema a Deus em Todo o Tempo.
Tema a Deus em Todo o Tempo.
Antonio Fernandes
 
Apresentação eclesiastes.pptx
Apresentação eclesiastes.pptxApresentação eclesiastes.pptx
Apresentação eclesiastes.pptx
EderDeboraReis
 
Tema a deus em todo tempo
Tema a deus em todo tempoTema a deus em todo tempo
Tema a deus em todo tempo
Moisés Sampaio
 
Lição 9 - O Tempo para Todas as Coisas
Lição 9 - O Tempo para Todas as CoisasLição 9 - O Tempo para Todas as Coisas
Lição 9 - O Tempo para Todas as Coisas
Natalino das Neves Neves
 
LIÇÃO 13 - TEMA A DEUS EM TODO TEMPO
LIÇÃO 13 - TEMA A DEUS EM TODO TEMPOLIÇÃO 13 - TEMA A DEUS EM TODO TEMPO
LIÇÃO 13 - TEMA A DEUS EM TODO TEMPO
Natalino das Neves Neves
 
O tempo para todas as coisas
O tempo para todas as coisasO tempo para todas as coisas
O tempo para todas as coisas
Moisés Sampaio
 
O Tempo Para todas as Coisas.
O Tempo Para todas as Coisas.O Tempo Para todas as Coisas.
O Tempo Para todas as Coisas.
Antonio Fernandes
 
Eclesiastes (moody)
Eclesiastes (moody)Eclesiastes (moody)
Eclesiastes (moody)
leniogravacoes
 
Lição 13 a manifestação da graça da salvação 3º trimestre de 2015
Lição 13    a manifestação da graça da salvação 3º trimestre de 2015Lição 13    a manifestação da graça da salvação 3º trimestre de 2015
Lição 13 a manifestação da graça da salvação 3º trimestre de 2015
Andrew Guimarães
 
Lição 10 – a perda dos bens terrenos
Lição 10  –  a perda dos bens terrenosLição 10  –  a perda dos bens terrenos
Lição 10 – a perda dos bens terrenos
cledsondrumms
 
A vida cristã_Lição da Escola Sabatina_original_com_textos
 A vida cristã_Lição da Escola Sabatina_original_com_textos  A vida cristã_Lição da Escola Sabatina_original_com_textos
A vida cristã_Lição da Escola Sabatina_original_com_textos
Gerson G. Ramos
 
LIÇÃO 6 – EUTANÁSIA
LIÇÃO 6 – EUTANÁSIA LIÇÃO 6 – EUTANÁSIA
LIÇÃO 6 – EUTANÁSIA
Marcus Wagner
 
TODOS OS ARTIGOS DE PADRE ASSIS
TODOS OS ARTIGOS DE PADRE ASSISTODOS OS ARTIGOS DE PADRE ASSIS
TODOS OS ARTIGOS DE PADRE ASSIS
Helio Diniz
 
Lição 13 - A manifestação da graça da salvação
Lição 13 - A manifestação da graça da salvaçãoLição 13 - A manifestação da graça da salvação
Lição 13 - A manifestação da graça da salvação
Regio Davis
 
Destino final
Destino finalDestino final
Destino final
Edsangelo Gomes
 
Destino final
Destino finalDestino final
Destino final
PolicialdoCabo
 
Ult338 estudos biblicos
Ult338 estudos biblicosUlt338 estudos biblicos
Ult338 estudos biblicos
Francisco Sá
 
Unidade 2 - Descobrindo um Método para Estudar a Bíblia - versão 2018
Unidade 2 - Descobrindo um Método para Estudar a Bíblia - versão 2018Unidade 2 - Descobrindo um Método para Estudar a Bíblia - versão 2018
Unidade 2 - Descobrindo um Método para Estudar a Bíblia - versão 2018
Ramón Zazatt
 
Dragões bestas - pragas e trombetas
Dragões   bestas - pragas e trombetasDragões   bestas - pragas e trombetas
Dragões bestas - pragas e trombetas
Diego Fortunatto
 
Subsídios das Lições Bíblicas EBD - 4º Trimestre de 2013
Subsídios das Lições Bíblicas EBD - 4º Trimestre de 2013Subsídios das Lições Bíblicas EBD - 4º Trimestre de 2013
Subsídios das Lições Bíblicas EBD - 4º Trimestre de 2013
Anderson Silva
 

Semelhante a Panorama do AT - Eclesiastes (20)

Tema a Deus em Todo o Tempo.
Tema a Deus em Todo o Tempo.Tema a Deus em Todo o Tempo.
Tema a Deus em Todo o Tempo.
 
Apresentação eclesiastes.pptx
Apresentação eclesiastes.pptxApresentação eclesiastes.pptx
Apresentação eclesiastes.pptx
 
Tema a deus em todo tempo
Tema a deus em todo tempoTema a deus em todo tempo
Tema a deus em todo tempo
 
Lição 9 - O Tempo para Todas as Coisas
Lição 9 - O Tempo para Todas as CoisasLição 9 - O Tempo para Todas as Coisas
Lição 9 - O Tempo para Todas as Coisas
 
LIÇÃO 13 - TEMA A DEUS EM TODO TEMPO
LIÇÃO 13 - TEMA A DEUS EM TODO TEMPOLIÇÃO 13 - TEMA A DEUS EM TODO TEMPO
LIÇÃO 13 - TEMA A DEUS EM TODO TEMPO
 
O tempo para todas as coisas
O tempo para todas as coisasO tempo para todas as coisas
O tempo para todas as coisas
 
O Tempo Para todas as Coisas.
O Tempo Para todas as Coisas.O Tempo Para todas as Coisas.
O Tempo Para todas as Coisas.
 
Eclesiastes (moody)
Eclesiastes (moody)Eclesiastes (moody)
Eclesiastes (moody)
 
Lição 13 a manifestação da graça da salvação 3º trimestre de 2015
Lição 13    a manifestação da graça da salvação 3º trimestre de 2015Lição 13    a manifestação da graça da salvação 3º trimestre de 2015
Lição 13 a manifestação da graça da salvação 3º trimestre de 2015
 
Lição 10 – a perda dos bens terrenos
Lição 10  –  a perda dos bens terrenosLição 10  –  a perda dos bens terrenos
Lição 10 – a perda dos bens terrenos
 
A vida cristã_Lição da Escola Sabatina_original_com_textos
 A vida cristã_Lição da Escola Sabatina_original_com_textos  A vida cristã_Lição da Escola Sabatina_original_com_textos
A vida cristã_Lição da Escola Sabatina_original_com_textos
 
LIÇÃO 6 – EUTANÁSIA
LIÇÃO 6 – EUTANÁSIA LIÇÃO 6 – EUTANÁSIA
LIÇÃO 6 – EUTANÁSIA
 
TODOS OS ARTIGOS DE PADRE ASSIS
TODOS OS ARTIGOS DE PADRE ASSISTODOS OS ARTIGOS DE PADRE ASSIS
TODOS OS ARTIGOS DE PADRE ASSIS
 
Lição 13 - A manifestação da graça da salvação
Lição 13 - A manifestação da graça da salvaçãoLição 13 - A manifestação da graça da salvação
Lição 13 - A manifestação da graça da salvação
 
Destino final
Destino finalDestino final
Destino final
 
Destino final
Destino finalDestino final
Destino final
 
Ult338 estudos biblicos
Ult338 estudos biblicosUlt338 estudos biblicos
Ult338 estudos biblicos
 
Unidade 2 - Descobrindo um Método para Estudar a Bíblia - versão 2018
Unidade 2 - Descobrindo um Método para Estudar a Bíblia - versão 2018Unidade 2 - Descobrindo um Método para Estudar a Bíblia - versão 2018
Unidade 2 - Descobrindo um Método para Estudar a Bíblia - versão 2018
 
Dragões bestas - pragas e trombetas
Dragões   bestas - pragas e trombetasDragões   bestas - pragas e trombetas
Dragões bestas - pragas e trombetas
 
Subsídios das Lições Bíblicas EBD - 4º Trimestre de 2013
Subsídios das Lições Bíblicas EBD - 4º Trimestre de 2013Subsídios das Lições Bíblicas EBD - 4º Trimestre de 2013
Subsídios das Lições Bíblicas EBD - 4º Trimestre de 2013
 

Mais de Respirando Deus

Escola Bíblica: Os Puritanos - #06
Escola Bíblica: Os Puritanos - #06Escola Bíblica: Os Puritanos - #06
Escola Bíblica: Os Puritanos - #06
Respirando Deus
 
Escola Bíblica: Os Puritanos - #05
Escola Bíblica: Os Puritanos - #05Escola Bíblica: Os Puritanos - #05
Escola Bíblica: Os Puritanos - #05
Respirando Deus
 
Escola Bíblica: Os Puritanos - #04
Escola Bíblica: Os Puritanos - #04Escola Bíblica: Os Puritanos - #04
Escola Bíblica: Os Puritanos - #04
Respirando Deus
 
Escola Bíblica: Os Puritanos - #03
Escola Bíblica: Os Puritanos - #03Escola Bíblica: Os Puritanos - #03
Escola Bíblica: Os Puritanos - #03
Respirando Deus
 
Escola Bíblica: Os Puritanos - #02
Escola Bíblica: Os Puritanos - #02Escola Bíblica: Os Puritanos - #02
Escola Bíblica: Os Puritanos - #02
Respirando Deus
 
Escola Bíblica: Os Puritanos - #01
Escola Bíblica: Os Puritanos - #01Escola Bíblica: Os Puritanos - #01
Escola Bíblica: Os Puritanos - #01
Respirando Deus
 
História da Igreja #25
História da Igreja #25História da Igreja #25
História da Igreja #25
Respirando Deus
 
História da Igreja #24
História da Igreja #24História da Igreja #24
História da Igreja #24
Respirando Deus
 
História da Igreja #23
História da Igreja #23História da Igreja #23
História da Igreja #23
Respirando Deus
 
História da Igreja #22
História da Igreja #22História da Igreja #22
História da Igreja #22
Respirando Deus
 
História da Igreja #21
História da Igreja #21História da Igreja #21
História da Igreja #21
Respirando Deus
 
Calendário de Eventos IBLM 2018
Calendário de Eventos IBLM 2018Calendário de Eventos IBLM 2018
Calendário de Eventos IBLM 2018
Respirando Deus
 
História da Igreja #20
História da Igreja #20História da Igreja #20
História da Igreja #20
Respirando Deus
 
História da Igreja #19
História da Igreja #19História da Igreja #19
História da Igreja #19
Respirando Deus
 
História da Igreja #18 - As Cruzadas
História da Igreja #18 - As CruzadasHistória da Igreja #18 - As Cruzadas
História da Igreja #18 - As Cruzadas
Respirando Deus
 
História da Igreja #17
História da Igreja #17História da Igreja #17
História da Igreja #17
Respirando Deus
 
História da Igreja #16
História da Igreja #16História da Igreja #16
História da Igreja #16
Respirando Deus
 
História da Igreja #15
História da Igreja #15História da Igreja #15
História da Igreja #15
Respirando Deus
 
História da Igreja #14
História da Igreja #14História da Igreja #14
História da Igreja #14
Respirando Deus
 
História da Igreja #13
História da Igreja #13História da Igreja #13
História da Igreja #13
Respirando Deus
 

Mais de Respirando Deus (20)

Escola Bíblica: Os Puritanos - #06
Escola Bíblica: Os Puritanos - #06Escola Bíblica: Os Puritanos - #06
Escola Bíblica: Os Puritanos - #06
 
Escola Bíblica: Os Puritanos - #05
Escola Bíblica: Os Puritanos - #05Escola Bíblica: Os Puritanos - #05
Escola Bíblica: Os Puritanos - #05
 
Escola Bíblica: Os Puritanos - #04
Escola Bíblica: Os Puritanos - #04Escola Bíblica: Os Puritanos - #04
Escola Bíblica: Os Puritanos - #04
 
Escola Bíblica: Os Puritanos - #03
Escola Bíblica: Os Puritanos - #03Escola Bíblica: Os Puritanos - #03
Escola Bíblica: Os Puritanos - #03
 
Escola Bíblica: Os Puritanos - #02
Escola Bíblica: Os Puritanos - #02Escola Bíblica: Os Puritanos - #02
Escola Bíblica: Os Puritanos - #02
 
Escola Bíblica: Os Puritanos - #01
Escola Bíblica: Os Puritanos - #01Escola Bíblica: Os Puritanos - #01
Escola Bíblica: Os Puritanos - #01
 
História da Igreja #25
História da Igreja #25História da Igreja #25
História da Igreja #25
 
História da Igreja #24
História da Igreja #24História da Igreja #24
História da Igreja #24
 
História da Igreja #23
História da Igreja #23História da Igreja #23
História da Igreja #23
 
História da Igreja #22
História da Igreja #22História da Igreja #22
História da Igreja #22
 
História da Igreja #21
História da Igreja #21História da Igreja #21
História da Igreja #21
 
Calendário de Eventos IBLM 2018
Calendário de Eventos IBLM 2018Calendário de Eventos IBLM 2018
Calendário de Eventos IBLM 2018
 
História da Igreja #20
História da Igreja #20História da Igreja #20
História da Igreja #20
 
História da Igreja #19
História da Igreja #19História da Igreja #19
História da Igreja #19
 
História da Igreja #18 - As Cruzadas
História da Igreja #18 - As CruzadasHistória da Igreja #18 - As Cruzadas
História da Igreja #18 - As Cruzadas
 
História da Igreja #17
História da Igreja #17História da Igreja #17
História da Igreja #17
 
História da Igreja #16
História da Igreja #16História da Igreja #16
História da Igreja #16
 
História da Igreja #15
História da Igreja #15História da Igreja #15
História da Igreja #15
 
História da Igreja #14
História da Igreja #14História da Igreja #14
História da Igreja #14
 
História da Igreja #13
História da Igreja #13História da Igreja #13
História da Igreja #13
 

Último

Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - RevidesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Ricardo Azevedo
 
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptxBatismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
nadeclarice
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Celso Napoleon
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Celso Napoleon
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
AndreyCamarini
 
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita RafaelA Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
DavidBertelli3
 
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
Nilson Almeida
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
Rogério Augusto Ayres de Araujo
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
AlailzaSoares1
 
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.pptEncontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
SanturioTacararu
 
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptxApresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
AlexandreCarvalho858758
 
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
Marta Gomes
 
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf radedgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
carla983678
 
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyugcontrole-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
AntonioMugiba
 

Último (14)

Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - RevidesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
 
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptxBatismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
 
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita RafaelA Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
 
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
 
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.pptEncontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
 
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptxApresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
 
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
 
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf radedgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
 
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyugcontrole-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
 

Panorama do AT - Eclesiastes

  • 1. Panorama do Antigo Testamento Eclesiastes
  • 2. 2 Informações Básicas * Autor: Salomão * Data: 935 a.C. * Versículo-chave: Ec 2.11 * Palavra-chave: Vaidade
  • 3. 3 Informações Básicas Propósito: Eclesiastes é um livro de perspectiva. A narrativa do “Pregador”, ou “Sábio”, revela a depressão que inevitavelmente resulta da procura da felicidade em coisas mundanas. Este livro dá aos Cristãos a oportunidade de ver o mundo através dos olhos de uma pessoa que, apesar de muito sábio, está tentando encontrar sentido em coisas humanas e temporárias. Quase todas as formas de prazer mundano são exploradas pelo Pregador, e nenhuma delas lhe dá sentido algum. No final, o pregador chega a aceitar que a fé em Deus é a única maneira de encontrar um significado pessoal. Ele decide aceitar o fato de que a vida é breve e, no fim das contas, inútil sem Deus. O pregador aconselha o leitor a concentrar-se em um Deus eterno, em vez de prazer temporário.
  • 4. 4 Informações Básicas Conteúdo: as meditações de um mestre da Sabedoria que luta com as realidades da vida; o que se ganha alcançando-se a fortuna ou a sabedoria quando no fim a morte reivindica tanto o rico como o pobre, tanto o sábio como o tolo; mas o livro se situa especialmente num contexto de se conhecer o temor de Deus. Ênfases: a natureza transitória da vida presente; como viver de maneira sábia num mundo em que as únicas certezas são a morte e o julgamento; a futilidade dos projetos humanos que não levam em conta o temor de Deus.
  • 5. 5 Esboço Capítulo a capítulo, o autor afirma e reafirma: nada vale a pena neste mundo, sem o temor do Senhor. Ec 1-2: Sabedoria, riqueza e prazer podem ser bênção ou maldição Ec 3: Nosso telacionamento com o tempo Ec 4-6: Opressão, trabalho, religião, política, salário Ec 7-10 : Vida humana, destino humano, diferentes tipos de pessoas Ec 11-12:Regras para viver bem, conclusão do livro
  • 6. 6 Resumo Duas frases são repetidas muitas vezes em Eclesiastes. A palavra traduzida como “vaidade” aparece muitas vezes e é usada para enfatizar a natureza temporária das coisas mundanas. No fim das contas, mesmo as conquistas humanas mais impressionantes serão deixada para trás. A expressão “debaixo do sol” ocorre 28 vezes e refere-se ao mundo mortal. Quando o pregador se refere a “todas as coisas debaixo do sol”, ele está falando de coisas terrenas, temporárias e humanas.
  • 7. 7 Resumo Os sete primeiros capítulos do livro de Eclesiastes descrevem todas as coisas mundanas “debaixo do sol” nas quais o Pregador tenta encontrar satisfação. Ele tenta descobrimentos científicos (1.10-11), sabedoria e filosofia (1.13-18 ), alegria (2.1), álcool (2.3), arquitetura (2.4), bens (2.7-8) e luxúria (2.8). O Pregador concentrou-se em filosofias diferentes para encontrar um significado, tal como o materialismo (2.19-20) e até mesmo os códigos morais (incluindo os capítulos 8-9). Ele descobriu que tudo era vaidade, uma distração temporária que, sem Deus, não tinha nenhum propósito ou longevidade.
  • 8. 8 Resumo Os capítulos 8-12 de Eclesiastes descrevem as sugestões e comentários do Pregador sobre como a vida deve ser vivida. Ele chega à conclusão de que, sem Deus, não há nenhuma verdade ou sentido à vida. Ele já tinha visto muitos males e percebido que mesmo as melhores realizações do homem não valem nada a longo prazo. Assim, ele aconselha o leitor a conhecer a Deus desde a juventude (12.01) e seguir a Sua vontade (12.13-14).
  • 9. 9 As Palavras do Pregador No livro de Eclesiastes, o rei Salomão se identifica como “Pregador” (Ec 1.1). Considerando o livro como um todo, podemos ver que o sábio rei fez um verdadeiro trabalho de pregador, expondo sua mensagem de forma clara aplicando-a diretamente à vida, sem fugir de sua tese central, explícita em Eclesiastes 12.13: “De tudo o que se tem ouvido, a suma é: Teme a Deus e guarda os seus mandamentos; porque isto é o dever de todo o homem”. Eclesiastes em uma sentança O pregador faz uma revisão da vida, aponta as coisas más, exorta-nos a aproveitar o que é bom, porém, debaixo da orientação do temor do Senhor.
  • 10. 10 Mensagem Ec 1-2 Sem Deus, sabedoria, riqueza e prazer não passam de materialismo. Debaixo do temor do Senhor são vistas como bênçãos que vêm Dele. Ec 3 O autor de Eclesiastes afirma que Deus ordena o tempo, as coisas boas e más da vida enquanto estamos na terra, avisando que todo homem responderá ao Senhor em juízo. Ec 4-6 Rotina frustrante sem Deus, temas que vão e vêm nos debates do homem moderno Ec 7-10 Desânimo sem Deus. Contentamento com o temor do Senhor Ec 11-12 Não dá para viver sem o temor do Senhor. Se podemos pensar em ilustração, esses dois capítulos são as placas de PARE antes de prosseguir na caminhada de nossa vida. Duas verdades são proclamadas: A vida não para (um dia você ficará velho) e A vida não compensa sem o temor do Senhor.
  • 11. 11 Reflexão Ec 1-2 Talvez esta seja a maior tentação de nossa época – ter cada vez mais. Ser rico ou ter bens não é pecado, mas o próprio Jesus nos advertiu que é muito difícil um rico entrar no céu. Ec 3 “Tempo é dinheiro” foi a frase pregada pelos herdeiros da revolução industrial. Depois alguns até disseram que tempo faz dinheiro. Mas assumir essas duas posturas é prender-se somente ao relógio e se esquecer de quem é o Dono do tempo. Ec 4-6 Que pensa o pregador disso? Sempre coerente, afirma que desfrutar de alguns desses bens é prazeroso, se Deus for reconhecido como doador. No entanto, não se pode esquecer de que tudo isso é vaidade. Ec 7-10 Essa parte do livro é muito interessante. O autor volta a Gênesis e nos lembra que Deus é o criador do homem, mas que este se meteu em encrencas (7.29). No decorrer dos capítulos, enfatiza a eterna luta entre o bem e o mal, colocando o sábio e o tolo como evidências dessas diferenças. Conclui afirmando: “Melhor é a sabedoria do que as armas de guerra, mas um só pecador destrói muitas coisas boas”. Ec 11-12 Como bom pensador, Salomão ensina que crer é também pensar. Obviamente há mistérios que Deus reservou para Si. Só Ele sabe a resposta. No entanto, vários questionamentos humanos sobre Deus são perfeitamentes explicáveis à luz de uma razão submissa ao temor do Senhor.
  • 12. 12 Aplicação Ec 1-2 Que alvo você vai estabelecer para sua vida material? Valer-se da providência de Deus para ter o que é necessário ou correr atrás do vento, do materialismo, até que as energias acabem? Ec 3 Sem Deus, essa roda-viva do tempo é encarada como fatalismo; dentro da perspectiva do temor do Senhor, como soberania de Deus. Por qual das duas você interpreta os acontecimentos da sua vida? Ec 4-6 Você tem buscado equilibrio entre desfrutar o que Deus lhe dá, sem perder de vista que tudo é passageiro e que as coisas desta vida não são as mais importantes? Ec 7-10 Olhando o contexto do nosso mundo, hoje, dá vontade de fazer um panfleto com essas capítulos e distribuir. Ec 11-12 Como você se relaciona com os assuntos desafiadores da vida cristã? Não há melhor opção que render-se diante do Senhor de toda sabedoria.
  • 13. 13 Doutrinas Deus Criador Em Eclesiastes, Deus é apresentado como “Criador” (Ec 12.1). Seu papel como criador vai além de fazer todas as coisas (Ec 11.5) e dar vida (Ec 8.15; 9.9). Ele é também o organizador da vida (Ec 3.1-8), mantendo até mesmo as coisas mais simples em execução (Ec 1.5-7). Assim como Deus criou todas as coisas e as mantém, o Criador também cuida de todas elas como um Pastor (Ec 12.11).
  • 14. 14 Doutrinas Ser humano decadente O realismo de Eclesiastes leva ao reconhecimento da natureza do ser humano caído. Segundo Eclesiastes, estamos separados de Deus (Ec 5.2) e sujeitos à morte como qualquer outra criatura (Ec 3.19-20; 6.6). Todos os seres humanos são pecadores (Ec 7.20), e o pecado domina a raça humana por completo (Ec 9.3). Várias são as repercussões do pecado relatadas por Eclesiastes: opressão (Ec 5.8); inveja (Ec 4.4); ganância (Ec 5.10); arrogância (Ec 7.8); ira (Ec 7.9) e imoralidade sexual (Ec 7.26). A consequência final do pecado, indica o Pregador, é a morte prematura (Ec 7.17; 8.13).
  • 15. 15 Doutrinas Ser humano decadente Apesar da decadência humana, a imagem do Criador não é totalmente ofuscada pelo pecado. O ser humano é visto como uma criatura complexa, vivendo tanto a realidade material pela carne (Ec 11.10), como a imaterial, expressa na alma (Ec 6.2-3), no espírito (Ec 12.7) e no coração (Ec 1.13; 7.3-4,7; 8.11). A imagem do Criador parece ser a causa do paradoxo vivido pelo ser humano, que permanece pecador e fadado à morte prematura, mas tem o vislumbre da eternidade em sua essência (3.11).
  • 16. 16 Prenúncios Para todas as vaidades descritas no livro de Eclesiastes, a resposta é Cristo. De acordo com Eclesiastes 3.17, Deus julga os justos e os ímpios, e os justos são apenas aqueles que estão em Cristo (2Co 5.21). Deus colocou o desejo pela eternidade em nossos corações (Ec 3.11) e tem providenciado o Caminho da vida eterna através de Cristo (Jo 3.16). Somos lembrados de que ir atrás da riqueza do mundo não só é vaidade, porque não satisfaz (Ec 5.10), mas mesmo se pudéssemos alcançá-la, sem Cristo perderíamos nossas almas e que proveito há nisso? (Mc 8.36). No fim das contas, cada decepção e vaidade descrita em Eclesiastes encontra a sua solução em Cristo, na sabedoria de Deus e no único verdadeiro significado a ser encontrado na vida.
  • 17. 17 Aplicação Prática Eclesiastes oferece ao Cristão a oportunidade de compreender o vazio e o desespero com os quais aqueles que não conhecem a Deus têm que lidar. Aqueles que não têm uma fé salvadora em Cristo se deparam com uma vida que no fim das contas vai acabar e tornar-se irrelevante. Se não há salvação, e não há Deus, então não existe nenhum sentido, propósito ou direção para a vida. O “mundo debaixo do sol”, longe de Deus, é frustrante, cruel, injusto, breve e total “vaidade”. No entanto, com Cristo a vida é apenas uma sombra das glórias por vir em um paraíso que só é acessível por meio dEle.
  • 18. 18 Conclusão O livro de Eclesiastes é um manifesto da decadência humana. E é na decadência humana que se percebe a necessidade da salvação, a qual chega pela vida e obra de Jesus Cristo. O maior conselho do pregador é “Tema a Deus”, que implica relacionamento e obediência. O sacrifício de Cristo tornou isso possível de maneira concreta e definitiva, pois, só por meio Dele, temos livre acesso ao Pai e perfeitas condições de nos relacionar com Ele, vivendo plenamente o “temor do Senhor”.