SlideShare uma empresa Scribd logo
NOMENCLATURA DE  HIDROCARBONETOS Prof. Marcelo Química - 1301
INTRODUÇÃO Função Orgânica:  Conjunto de substâncias com propriedades químicas semelhantes (propriedades funcionais). Grupo Funcional:  Átomo ou grupo de átomos responsável(eis) pelas propriedades químicas dos compostos pertencentes a uma determinada função química. Nomenclatura Oficial: - IUPAC (União Internacional de Química Pura e Aplicada); - Criada em 1892 em congresso internacional em Genebra; - Princípios: I.)Cada composto deve ter um único nome que o distinga dos demais; II.)Dada a fórmula estrutural de um composto, deve ser possível elaborar seu nome, e vice-versa.
NOMENCLATURA Fundamentos: - Prefixo:  indica o número de átomos de carbono pertencentes a  cadeia principal.   PREFIXO + SATURAÇÃO + SUFIXO 1C = Met 6C = Hex 11C = Undec 2C = Et 7C = Hept 12C = Dodec 3C = Prop 8C = Oct 13C = Tridec 4C = But 9C = Non 15C = Pentadec 5C = Pent 10C = Dec 20C = Eicos
NOMENCLATURA Fundamentos: - Saturação:   Indica o tipo de ligação entre os carbonos. - Sufixo:   Indica a função química do composto orgânico. Hidrocarboneto =  o ; Álcool =  ol ; Aldeído =  al ; Cetona =  ona ; Ácido carboxílico =  óico ; Amina =  amina ; Éter =  óxi .  Todas simples = an Duas duplas = dien Uma dupla = en            Três duplas = trien Uma tripla = in Duas triplas = diin
FUNÇÕES 1. Hidrocarbonetos - Constituídos exclusivamente por Carbono e Hidrogênio; - Fórmula Geral: C x H y ; - Formam o “esqueleto” das demais funções orgânicas.
1. Hidrocarbonetos FUNÇÕES São divididos em classes, sendo as principais: - Alcanos - Alcenos; - Alcinos; - Alcadienos; - Cicloalcanos, - Cicloalcenos; - Hidrocarbonetos aromáticos.
1.1. Alcanos ou Parafinas FUNÇÕES - Hidrocarbonetos saturados de cadeia aberta (acíclica); - Possuem fórmula geral: C n H 2n+2  ;
Prop an o Prop   =   Cadeia com 3 Carbonos; an  = Cadeia saturada (sem ligações duplas ou triplas); o =  Função: Hidrocarboneto NOMENCLATURA a.) Alcanos de Cadeia Normal - Junta-se o prefixo + a insaturação + o sufixo; - Exemplo: metano, etano, propano, butano, pentano, hexano, heptano, octano, nonano, decano, undecano, etc.
FUNÇÕES 1.2. Alcenos ou Olefinas ,[object Object],[object Object]
hex -2- en o 2 =   Localização da dupla ligação; hex   = Cadeia com 6 Carbonos; en  = Cadeia com uma ou mais ligações duplas;  o  = Função: Hidrocarboneto. NOMENCLATURA a.) Alcenos de Cadeia Normal - Semelhante a nomenclatura utilizada para os alcanos. Troca-se a terminação  ano  do alcano por  eno  .
FUNÇÕES 1.3. Alcinos ou Alquinos ,[object Object],[object Object]
NOMENCLATURA a.) Alcinos de Cadeia Normal - Semelhante a nomenclatura utilizada para os alcanos. Troca-se a terminação  ano  do alcano por  ino  .  pent -2- in o 2 =   Localização da ligação tripla; pent   = Cadeia com 5 Carbonos; in  = Cadeia com uma ou mais triplas ligações; o  = Função: Hidrocarboneto
FUNÇÕES 1.4. Alcadienos ,[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],1 2 3 4 buta -1,3- di en o buta   = Cadeia com 4 Carbonos; 1,3   = Localização das duplas ligações; di  = Duas ligações duplas; en   = Cadeia com uma ou mais ligações duplas; o   = Função: Hidrocarboneto.
FUNÇÕES 1.5. Ciclanos, Cicloalcanos ou Ciclo-Parafinas - São hidrocarbonetos de cadeia cíclica (fechada) e saturada.  - Possuem fórmula geral C n H 2n  onde "n" deve ser maior ou igual a 3.
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],ciclo pent an o ciclo   = Cadeia cíclica; pent  = Cadeia com 5 Carbonos; an   = Cadeia saturada (sem ligações duplas ou triplas); o   = Função: Hidrocarboneto.
FUNÇÕES - São hidrocarbonetos cíclicos com uma dupla ligação.  - Possuem fórmula geral C n H 2n-2 1.6. Ciclenos, Ciclo-alquenos ou Ciclo-olefinas
NOMENCLATURA a.) Ciclenos de Cadeia Normal - O nome é dado adicionando-se o prefixo  CICLO  ao nome do alceno correspondente. Ex:  ciclo pent en o ciclo   = Cadeia cíclica; pent  = Cadeia com 5 Carbonos; en   = Cadeia insaturada (com ligação dupla); o   = Função: Hidrocarboneto.
FUNÇÕES ,[object Object],1.7. Hidrocarbonetos Aromáticos
NOMENCLATURA - Compostos aromáticos com mais de um anel aromático. Ex:  Fenantreno Antraceno Naftaleno

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Introdução a Quimica orgânica
Introdução a Quimica orgânicaIntrodução a Quimica orgânica
Introdução a Quimica orgânica
Josenildo Vasconcelos
 
Aula termoquímica
Aula termoquímicaAula termoquímica
Aula termoquímica
Marilena Meira
 
Isomeria
IsomeriaIsomeria
Termoquímica
TermoquímicaTermoquímica
Termoquímica
Adrianne Mendonça
 
Nomenclatura dos hidrocarbonetos.
Nomenclatura dos hidrocarbonetos.Nomenclatura dos hidrocarbonetos.
Nomenclatura dos hidrocarbonetos.
Lara Lídia
 
Funções Inorgânicas
Funções InorgânicasFunções Inorgânicas
Funções Inorgânicas
loirissimavivi
 
1. introdução a química
1. introdução a química1. introdução a química
1. introdução a química
Rebeca Vale
 
Capítulo 19 e 20 funções químicas ácidos, bases, sais e óxidos
Capítulo 19 e 20   funções químicas ácidos, bases, sais e óxidosCapítulo 19 e 20   funções químicas ácidos, bases, sais e óxidos
Capítulo 19 e 20 funções químicas ácidos, bases, sais e óxidos
Igor Brant
 
Cadeias carbônicas
Cadeias carbônicasCadeias carbônicas
Cadeias carbônicas
Kamila Passos
 
Nomenclatura dos COMPOSTOS ORGÂNICOS
Nomenclatura dos COMPOSTOS  ORGÂNICOS Nomenclatura dos COMPOSTOS  ORGÂNICOS
Nomenclatura dos COMPOSTOS ORGÂNICOS
Adrianne Mendonça
 
Introdução a química orgânica
Introdução a química orgânicaIntrodução a química orgânica
Introdução a química orgânica
JoseAlexandreRocha
 
Aula Digital de Química - Ácidos e Bases
Aula Digital de Química - Ácidos e BasesAula Digital de Química - Ácidos e Bases
Aula Digital de Química - Ácidos e Bases
Nelson Virgilio Carvalho Filho
 
Equilíbrio Químico
Equilíbrio QuímicoEquilíbrio Químico
Equilíbrio Químico
José Nunes da Silva Jr.
 
Estudo dos hidrocarbonetos
Estudo dos hidrocarbonetos Estudo dos hidrocarbonetos
Estudo dos hidrocarbonetos
Manuel Vicente
 
Hidrocarbonetos
HidrocarbonetosHidrocarbonetos
Hidrocarbonetos
anderson85lima
 
Hidrocarbonetos 3a2
Hidrocarbonetos   3a2Hidrocarbonetos   3a2
Hidrocarbonetos 3a2
EEB Francisco Mazzola
 
Reações químicas
Reações químicasReações químicas
Reações químicas
João Paulo Luna
 
Eletroquimica
EletroquimicaEletroquimica
Eletroquimica
Adrianne Mendonça
 
Aula sobre ligações químicas
Aula sobre ligações químicasAula sobre ligações químicas
Aula sobre ligações químicas
Profª Alda Ernestina
 
Aula funções oxigenadas
Aula  funções oxigenadasAula  funções oxigenadas
Aula funções oxigenadas
Profª Alda Ernestina
 

Mais procurados (20)

Introdução a Quimica orgânica
Introdução a Quimica orgânicaIntrodução a Quimica orgânica
Introdução a Quimica orgânica
 
Aula termoquímica
Aula termoquímicaAula termoquímica
Aula termoquímica
 
Isomeria
IsomeriaIsomeria
Isomeria
 
Termoquímica
TermoquímicaTermoquímica
Termoquímica
 
Nomenclatura dos hidrocarbonetos.
Nomenclatura dos hidrocarbonetos.Nomenclatura dos hidrocarbonetos.
Nomenclatura dos hidrocarbonetos.
 
Funções Inorgânicas
Funções InorgânicasFunções Inorgânicas
Funções Inorgânicas
 
1. introdução a química
1. introdução a química1. introdução a química
1. introdução a química
 
Capítulo 19 e 20 funções químicas ácidos, bases, sais e óxidos
Capítulo 19 e 20   funções químicas ácidos, bases, sais e óxidosCapítulo 19 e 20   funções químicas ácidos, bases, sais e óxidos
Capítulo 19 e 20 funções químicas ácidos, bases, sais e óxidos
 
Cadeias carbônicas
Cadeias carbônicasCadeias carbônicas
Cadeias carbônicas
 
Nomenclatura dos COMPOSTOS ORGÂNICOS
Nomenclatura dos COMPOSTOS  ORGÂNICOS Nomenclatura dos COMPOSTOS  ORGÂNICOS
Nomenclatura dos COMPOSTOS ORGÂNICOS
 
Introdução a química orgânica
Introdução a química orgânicaIntrodução a química orgânica
Introdução a química orgânica
 
Aula Digital de Química - Ácidos e Bases
Aula Digital de Química - Ácidos e BasesAula Digital de Química - Ácidos e Bases
Aula Digital de Química - Ácidos e Bases
 
Equilíbrio Químico
Equilíbrio QuímicoEquilíbrio Químico
Equilíbrio Químico
 
Estudo dos hidrocarbonetos
Estudo dos hidrocarbonetos Estudo dos hidrocarbonetos
Estudo dos hidrocarbonetos
 
Hidrocarbonetos
HidrocarbonetosHidrocarbonetos
Hidrocarbonetos
 
Hidrocarbonetos 3a2
Hidrocarbonetos   3a2Hidrocarbonetos   3a2
Hidrocarbonetos 3a2
 
Reações químicas
Reações químicasReações químicas
Reações químicas
 
Eletroquimica
EletroquimicaEletroquimica
Eletroquimica
 
Aula sobre ligações químicas
Aula sobre ligações químicasAula sobre ligações químicas
Aula sobre ligações químicas
 
Aula funções oxigenadas
Aula  funções oxigenadasAula  funções oxigenadas
Aula funções oxigenadas
 

Semelhante a Nomenclatura de Hidrocarbonetos

Nomenclaturadehidrocarbonetos 120304133655-phpapp02
Nomenclaturadehidrocarbonetos 120304133655-phpapp02Nomenclaturadehidrocarbonetos 120304133655-phpapp02
Nomenclaturadehidrocarbonetos 120304133655-phpapp02
Abel Oliveira
 
Polígrafo orgânica (resumido)
Polígrafo orgânica (resumido)Polígrafo orgânica (resumido)
química_orgânica.pdf
química_orgânica.pdfquímica_orgânica.pdf
química_orgânica.pdf
Nuno Belo
 
Introdução a química orgânica.pdf
Introdução a química orgânica.pdfIntrodução a química orgânica.pdf
Introdução a química orgânica.pdf
TairineMedrado1
 
Química Orgânica- Nomenclatura e Hidrocarbonetos
Química Orgânica- Nomenclatura e Hidrocarbonetos Química Orgânica- Nomenclatura e Hidrocarbonetos
Química Orgânica- Nomenclatura e Hidrocarbonetos
Carlos Priante
 
Aula 2 funções orgânicas.
Aula 2   funções orgânicas.Aula 2   funções orgânicas.
Aula 2 funções orgânicas.
Ajudar Pessoas
 
Radicaisorganicos
RadicaisorganicosRadicaisorganicos
Radicaisorganicos
Fábio Garcia Ferreira
 
Exercicios de quimica 3 ano
Exercicios de quimica 3 anoExercicios de quimica 3 ano
Exercicios de quimica 3 ano
Mauricio Leonardo
 
Funções Orgânicas
Funções OrgânicasFunções Orgânicas
Funções Orgânicas
Mateus Serejo
 
Resumo hidrocarbonetos - alcanos e ciclanos
Resumo    hidrocarbonetos - alcanos e ciclanosResumo    hidrocarbonetos - alcanos e ciclanos
Resumo hidrocarbonetos - alcanos e ciclanos
Profª Alda Ernestina
 
Hidrocarbonetos
HidrocarbonetosHidrocarbonetos
Hidrocarbonetos
MariaJoaoTeixeira
 
Nomenclatura dos compostos_organicos
Nomenclatura dos compostos_organicosNomenclatura dos compostos_organicos
Nomenclatura dos compostos_organicos
Karol Maia
 
Trabalho de quimica 3º ano cbsp
Trabalho de quimica 3º ano cbsp Trabalho de quimica 3º ano cbsp
Trabalho de quimica 3º ano cbsp
Barbalho Isabelle
 
Hidrocarbonetos
HidrocarbonetosHidrocarbonetos
Hidrocarbonetos
erminiaalmeida
 
Familia compostos organicos
Familia compostos organicosFamilia compostos organicos
Familia compostos organicos
Fernando Lucas
 
Nomenclatura 02
Nomenclatura 02Nomenclatura 02
Nomenclatura 02
tamandarealfamanha
 
Nomenclatura dos compostos orgânicos
Nomenclatura dos compostos orgânicosNomenclatura dos compostos orgânicos
Nomenclatura IUPAC de cadeias não ramificadas
Nomenclatura IUPAC de cadeias não ramificadasNomenclatura IUPAC de cadeias não ramificadas
Nomenclatura IUPAC de cadeias não ramificadas
Kaires Braga
 
1_2_A_quimica_dos_combustiveis_fosseis.pptx
1_2_A_quimica_dos_combustiveis_fosseis.pptx1_2_A_quimica_dos_combustiveis_fosseis.pptx
1_2_A_quimica_dos_combustiveis_fosseis.pptx
ssuser03bb93
 
Resumo hidrocarbonetos - alcenos, ciclenos e alcinos, propriedades e nomenc...
Resumo   hidrocarbonetos - alcenos, ciclenos e alcinos, propriedades e nomenc...Resumo   hidrocarbonetos - alcenos, ciclenos e alcinos, propriedades e nomenc...
Resumo hidrocarbonetos - alcenos, ciclenos e alcinos, propriedades e nomenc...
Profª Alda Ernestina
 

Semelhante a Nomenclatura de Hidrocarbonetos (20)

Nomenclaturadehidrocarbonetos 120304133655-phpapp02
Nomenclaturadehidrocarbonetos 120304133655-phpapp02Nomenclaturadehidrocarbonetos 120304133655-phpapp02
Nomenclaturadehidrocarbonetos 120304133655-phpapp02
 
Polígrafo orgânica (resumido)
Polígrafo orgânica (resumido)Polígrafo orgânica (resumido)
Polígrafo orgânica (resumido)
 
química_orgânica.pdf
química_orgânica.pdfquímica_orgânica.pdf
química_orgânica.pdf
 
Introdução a química orgânica.pdf
Introdução a química orgânica.pdfIntrodução a química orgânica.pdf
Introdução a química orgânica.pdf
 
Química Orgânica- Nomenclatura e Hidrocarbonetos
Química Orgânica- Nomenclatura e Hidrocarbonetos Química Orgânica- Nomenclatura e Hidrocarbonetos
Química Orgânica- Nomenclatura e Hidrocarbonetos
 
Aula 2 funções orgânicas.
Aula 2   funções orgânicas.Aula 2   funções orgânicas.
Aula 2 funções orgânicas.
 
Radicaisorganicos
RadicaisorganicosRadicaisorganicos
Radicaisorganicos
 
Exercicios de quimica 3 ano
Exercicios de quimica 3 anoExercicios de quimica 3 ano
Exercicios de quimica 3 ano
 
Funções Orgânicas
Funções OrgânicasFunções Orgânicas
Funções Orgânicas
 
Resumo hidrocarbonetos - alcanos e ciclanos
Resumo    hidrocarbonetos - alcanos e ciclanosResumo    hidrocarbonetos - alcanos e ciclanos
Resumo hidrocarbonetos - alcanos e ciclanos
 
Hidrocarbonetos
HidrocarbonetosHidrocarbonetos
Hidrocarbonetos
 
Nomenclatura dos compostos_organicos
Nomenclatura dos compostos_organicosNomenclatura dos compostos_organicos
Nomenclatura dos compostos_organicos
 
Trabalho de quimica 3º ano cbsp
Trabalho de quimica 3º ano cbsp Trabalho de quimica 3º ano cbsp
Trabalho de quimica 3º ano cbsp
 
Hidrocarbonetos
HidrocarbonetosHidrocarbonetos
Hidrocarbonetos
 
Familia compostos organicos
Familia compostos organicosFamilia compostos organicos
Familia compostos organicos
 
Nomenclatura 02
Nomenclatura 02Nomenclatura 02
Nomenclatura 02
 
Nomenclatura dos compostos orgânicos
Nomenclatura dos compostos orgânicosNomenclatura dos compostos orgânicos
Nomenclatura dos compostos orgânicos
 
Nomenclatura IUPAC de cadeias não ramificadas
Nomenclatura IUPAC de cadeias não ramificadasNomenclatura IUPAC de cadeias não ramificadas
Nomenclatura IUPAC de cadeias não ramificadas
 
1_2_A_quimica_dos_combustiveis_fosseis.pptx
1_2_A_quimica_dos_combustiveis_fosseis.pptx1_2_A_quimica_dos_combustiveis_fosseis.pptx
1_2_A_quimica_dos_combustiveis_fosseis.pptx
 
Resumo hidrocarbonetos - alcenos, ciclenos e alcinos, propriedades e nomenc...
Resumo   hidrocarbonetos - alcenos, ciclenos e alcinos, propriedades e nomenc...Resumo   hidrocarbonetos - alcenos, ciclenos e alcinos, propriedades e nomenc...
Resumo hidrocarbonetos - alcenos, ciclenos e alcinos, propriedades e nomenc...
 

Mais de José Marcelo Cangemi

A luz visível 2022 9º ano vivenda
A luz visível 2022   9º ano vivendaA luz visível 2022   9º ano vivenda
A luz visível 2022 9º ano vivenda
José Marcelo Cangemi
 
Dica fuvest 2014
Dica fuvest 2014Dica fuvest 2014
Dica fuvest 2014
José Marcelo Cangemi
 
Dica vunesp 2014
Dica vunesp 2014Dica vunesp 2014
Dica vunesp 2014
José Marcelo Cangemi
 
Revisão 2013 (mod. 1 a 3)
Revisão 2013 (mod. 1 a 3)Revisão 2013 (mod. 1 a 3)
Revisão 2013 (mod. 1 a 3)
José Marcelo Cangemi
 
Equilibrio iônico
Equilibrio iônicoEquilibrio iônico
Equilibrio iônico
José Marcelo Cangemi
 
Cinética Química coc
Cinética Química cocCinética Química coc
Cinética Química coc
José Marcelo Cangemi
 
Cotidianode ácidos, bases e sais.
Cotidianode ácidos, bases e sais.Cotidianode ácidos, bases e sais.
Cotidianode ácidos, bases e sais.
José Marcelo Cangemi
 
Apresentação cotidiano óxidos 2013 coc
Apresentação cotidiano óxidos 2013 cocApresentação cotidiano óxidos 2013 coc
Apresentação cotidiano óxidos 2013 coc
José Marcelo Cangemi
 
Termoqumica 2013 objetivo
Termoqumica 2013   objetivoTermoqumica 2013   objetivo
Termoqumica 2013 objetivo
José Marcelo Cangemi
 
3º ano forças intermoleculares - objetivo
3º ano   forças intermoleculares - objetivo3º ano   forças intermoleculares - objetivo
3º ano forças intermoleculares - objetivo
José Marcelo Cangemi
 
Ligações químicas 2013 objetivo
Ligações químicas 2013   objetivoLigações químicas 2013   objetivo
Ligações químicas 2013 objetivo
José Marcelo Cangemi
 
1º ano separação de misturas 2013 - coc franca
1º ano   separação de misturas 2013 - coc franca1º ano   separação de misturas 2013 - coc franca
1º ano separação de misturas 2013 - coc franca
José Marcelo Cangemi
 
Dispersões 2013 objetivo
Dispersões 2013   objetivoDispersões 2013   objetivo
Dispersões 2013 objetivo
José Marcelo Cangemi
 
Poluição da água objetivo ituverava - 2013
Poluição da água   objetivo ituverava - 2013Poluição da água   objetivo ituverava - 2013
Poluição da água objetivo ituverava - 2013
José Marcelo Cangemi
 
Teoria atômico molecular - objetivo ituverava 2013
Teoria atômico molecular - objetivo ituverava 2013Teoria atômico molecular - objetivo ituverava 2013
Teoria atômico molecular - objetivo ituverava 2013
José Marcelo Cangemi
 
Aula modelo atômico bohr 2013
Aula modelo atômico bohr   2013Aula modelo atômico bohr   2013
Aula modelo atômico bohr 2013
José Marcelo Cangemi
 
Tratamento de água objetivo ituverava - 2013
Tratamento de água   objetivo ituverava - 2013Tratamento de água   objetivo ituverava - 2013
Tratamento de água objetivo ituverava - 2013
José Marcelo Cangemi
 
Modelos atômicos 2013 objetivo ituverava
Modelos  atômicos 2013   objetivo ituveravaModelos  atômicos 2013   objetivo ituverava
Modelos atômicos 2013 objetivo ituverava
José Marcelo Cangemi
 
áGua objetivo ituverava - 2013
áGua   objetivo ituverava - 2013áGua   objetivo ituverava - 2013
áGua objetivo ituverava - 2013
José Marcelo Cangemi
 
Mod. 1 ciência e química - objetivo ituverava
Mod. 1   ciência e química - objetivo ituveravaMod. 1   ciência e química - objetivo ituverava
Mod. 1 ciência e química - objetivo ituverava
José Marcelo Cangemi
 

Mais de José Marcelo Cangemi (20)

A luz visível 2022 9º ano vivenda
A luz visível 2022   9º ano vivendaA luz visível 2022   9º ano vivenda
A luz visível 2022 9º ano vivenda
 
Dica fuvest 2014
Dica fuvest 2014Dica fuvest 2014
Dica fuvest 2014
 
Dica vunesp 2014
Dica vunesp 2014Dica vunesp 2014
Dica vunesp 2014
 
Revisão 2013 (mod. 1 a 3)
Revisão 2013 (mod. 1 a 3)Revisão 2013 (mod. 1 a 3)
Revisão 2013 (mod. 1 a 3)
 
Equilibrio iônico
Equilibrio iônicoEquilibrio iônico
Equilibrio iônico
 
Cinética Química coc
Cinética Química cocCinética Química coc
Cinética Química coc
 
Cotidianode ácidos, bases e sais.
Cotidianode ácidos, bases e sais.Cotidianode ácidos, bases e sais.
Cotidianode ácidos, bases e sais.
 
Apresentação cotidiano óxidos 2013 coc
Apresentação cotidiano óxidos 2013 cocApresentação cotidiano óxidos 2013 coc
Apresentação cotidiano óxidos 2013 coc
 
Termoqumica 2013 objetivo
Termoqumica 2013   objetivoTermoqumica 2013   objetivo
Termoqumica 2013 objetivo
 
3º ano forças intermoleculares - objetivo
3º ano   forças intermoleculares - objetivo3º ano   forças intermoleculares - objetivo
3º ano forças intermoleculares - objetivo
 
Ligações químicas 2013 objetivo
Ligações químicas 2013   objetivoLigações químicas 2013   objetivo
Ligações químicas 2013 objetivo
 
1º ano separação de misturas 2013 - coc franca
1º ano   separação de misturas 2013 - coc franca1º ano   separação de misturas 2013 - coc franca
1º ano separação de misturas 2013 - coc franca
 
Dispersões 2013 objetivo
Dispersões 2013   objetivoDispersões 2013   objetivo
Dispersões 2013 objetivo
 
Poluição da água objetivo ituverava - 2013
Poluição da água   objetivo ituverava - 2013Poluição da água   objetivo ituverava - 2013
Poluição da água objetivo ituverava - 2013
 
Teoria atômico molecular - objetivo ituverava 2013
Teoria atômico molecular - objetivo ituverava 2013Teoria atômico molecular - objetivo ituverava 2013
Teoria atômico molecular - objetivo ituverava 2013
 
Aula modelo atômico bohr 2013
Aula modelo atômico bohr   2013Aula modelo atômico bohr   2013
Aula modelo atômico bohr 2013
 
Tratamento de água objetivo ituverava - 2013
Tratamento de água   objetivo ituverava - 2013Tratamento de água   objetivo ituverava - 2013
Tratamento de água objetivo ituverava - 2013
 
Modelos atômicos 2013 objetivo ituverava
Modelos  atômicos 2013   objetivo ituveravaModelos  atômicos 2013   objetivo ituverava
Modelos atômicos 2013 objetivo ituverava
 
áGua objetivo ituverava - 2013
áGua   objetivo ituverava - 2013áGua   objetivo ituverava - 2013
áGua objetivo ituverava - 2013
 
Mod. 1 ciência e química - objetivo ituverava
Mod. 1   ciência e química - objetivo ituveravaMod. 1   ciência e química - objetivo ituverava
Mod. 1 ciência e química - objetivo ituverava
 

Último

A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
ReinaldoSouza57
 
0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática
Giovana Gomes da Silva
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Biblioteca UCS
 
apresentação sobre Clarice Lispector .pptx
apresentação sobre Clarice Lispector .pptxapresentação sobre Clarice Lispector .pptx
apresentação sobre Clarice Lispector .pptx
JuliaMachado73
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
cmeioctaciliabetesch
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdfEspecialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
DanielCastro80471
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
analuisasesso
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
Mary Alvarenga
 
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmenteeducação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
DeuzinhaAzevedo
 
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdfCaderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
enpfilosofiaufu
 
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
 
0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
 
apresentação sobre Clarice Lispector .pptx
apresentação sobre Clarice Lispector .pptxapresentação sobre Clarice Lispector .pptx
apresentação sobre Clarice Lispector .pptx
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdfEspecialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
 
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmenteeducação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
 
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdfCaderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
 
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
 

Nomenclatura de Hidrocarbonetos

  • 1. NOMENCLATURA DE HIDROCARBONETOS Prof. Marcelo Química - 1301
  • 2. INTRODUÇÃO Função Orgânica: Conjunto de substâncias com propriedades químicas semelhantes (propriedades funcionais). Grupo Funcional: Átomo ou grupo de átomos responsável(eis) pelas propriedades químicas dos compostos pertencentes a uma determinada função química. Nomenclatura Oficial: - IUPAC (União Internacional de Química Pura e Aplicada); - Criada em 1892 em congresso internacional em Genebra; - Princípios: I.)Cada composto deve ter um único nome que o distinga dos demais; II.)Dada a fórmula estrutural de um composto, deve ser possível elaborar seu nome, e vice-versa.
  • 3. NOMENCLATURA Fundamentos: - Prefixo: indica o número de átomos de carbono pertencentes a cadeia principal. PREFIXO + SATURAÇÃO + SUFIXO 1C = Met 6C = Hex 11C = Undec 2C = Et 7C = Hept 12C = Dodec 3C = Prop 8C = Oct 13C = Tridec 4C = But 9C = Non 15C = Pentadec 5C = Pent 10C = Dec 20C = Eicos
  • 4. NOMENCLATURA Fundamentos: - Saturação: Indica o tipo de ligação entre os carbonos. - Sufixo: Indica a função química do composto orgânico. Hidrocarboneto = o ; Álcool = ol ; Aldeído = al ; Cetona = ona ; Ácido carboxílico = óico ; Amina = amina ; Éter = óxi . Todas simples = an Duas duplas = dien Uma dupla = en            Três duplas = trien Uma tripla = in Duas triplas = diin
  • 5. FUNÇÕES 1. Hidrocarbonetos - Constituídos exclusivamente por Carbono e Hidrogênio; - Fórmula Geral: C x H y ; - Formam o “esqueleto” das demais funções orgânicas.
  • 6. 1. Hidrocarbonetos FUNÇÕES São divididos em classes, sendo as principais: - Alcanos - Alcenos; - Alcinos; - Alcadienos; - Cicloalcanos, - Cicloalcenos; - Hidrocarbonetos aromáticos.
  • 7. 1.1. Alcanos ou Parafinas FUNÇÕES - Hidrocarbonetos saturados de cadeia aberta (acíclica); - Possuem fórmula geral: C n H 2n+2 ;
  • 8. Prop an o Prop = Cadeia com 3 Carbonos; an = Cadeia saturada (sem ligações duplas ou triplas); o = Função: Hidrocarboneto NOMENCLATURA a.) Alcanos de Cadeia Normal - Junta-se o prefixo + a insaturação + o sufixo; - Exemplo: metano, etano, propano, butano, pentano, hexano, heptano, octano, nonano, decano, undecano, etc.
  • 9.
  • 10. hex -2- en o 2 = Localização da dupla ligação; hex = Cadeia com 6 Carbonos; en = Cadeia com uma ou mais ligações duplas; o = Função: Hidrocarboneto. NOMENCLATURA a.) Alcenos de Cadeia Normal - Semelhante a nomenclatura utilizada para os alcanos. Troca-se a terminação ano do alcano por eno .
  • 11.
  • 12. NOMENCLATURA a.) Alcinos de Cadeia Normal - Semelhante a nomenclatura utilizada para os alcanos. Troca-se a terminação ano do alcano por ino . pent -2- in o 2 = Localização da ligação tripla; pent = Cadeia com 5 Carbonos; in = Cadeia com uma ou mais triplas ligações; o = Função: Hidrocarboneto
  • 13.
  • 14.
  • 15. FUNÇÕES 1.5. Ciclanos, Cicloalcanos ou Ciclo-Parafinas - São hidrocarbonetos de cadeia cíclica (fechada) e saturada. - Possuem fórmula geral C n H 2n onde "n" deve ser maior ou igual a 3.
  • 16.
  • 17. FUNÇÕES - São hidrocarbonetos cíclicos com uma dupla ligação. - Possuem fórmula geral C n H 2n-2 1.6. Ciclenos, Ciclo-alquenos ou Ciclo-olefinas
  • 18. NOMENCLATURA a.) Ciclenos de Cadeia Normal - O nome é dado adicionando-se o prefixo CICLO ao nome do alceno correspondente. Ex: ciclo pent en o ciclo = Cadeia cíclica; pent = Cadeia com 5 Carbonos; en = Cadeia insaturada (com ligação dupla); o = Função: Hidrocarboneto.
  • 19.
  • 20. NOMENCLATURA - Compostos aromáticos com mais de um anel aromático. Ex: Fenantreno Antraceno Naftaleno