SlideShare uma empresa Scribd logo
UFPB – Universidade Federal da Paraíba
Campus I – Centro de Tecnologia
Departamento de Engenharia de Produção
Curso de Graduação em Engenharia de Produção
Mecânica
Planejamento e Projeto do Produto
Estética do
Produto
Philippe Conrado de F. Elias 10921163
O que é Estética?
• Do grego αισθητική (Aisthesis:
percepção, sensação);
• Ramo da filosofia que estuda a natureza
do belo e dos fundamentos da arte;
• Estudo dos sentimentos, conceitos e
juízos da nossa apreciação das artes ou
dos objetos considerados tocantes, belos
ou sublimes;
• “Por que tiramos prazer estético do
inesperado, como uma tragédia ou com o
horror de algumas cenas naturais? Por
que coisas de tipos muito diferentes
podem parecer igualmente belas?”
O que é Design?
• Do latim designare (designar, diagramar);
• Processo técnico e criativo relacionado à concepção, elaboração e
especificação de um artefato;
• Esse processo é orientado por uma intenção ou objetivo, ou para a
solução de um problema;
• É uma atribuição de valor identificado pelo mercado e transformado em
atributo físico do produto.
A Estética é uma ferramenta do Design.
Origem do
Design
Arts &
Crafts• Oficina fundada na Inglaterra por William Morris em 1861;
• Resposta à Revolução Industrial: produção em massa e sem identidade.
• Valorizava o artesão e restabelecia o elo entre o trabalho belo e o
trabalhador;
• Visava melhorar qualidade de
vida dos trabalhadores, levar
cultura a todos e reatar a união
entre as artes e os ofícios;
• O movimento obteve apoio da
monarquia vitoriana e grande
sucesso entre a burguesia rica;
• Produtos publicados em revistas
especializadas geravam desejo no
público feminino.
Stylism
• Após o crash de 1929, o mercado dos
E.U.A. precisava impulsionar suas vendas;
• Designers criaram produtos onde sua
aparência e aspecto exterior instingam os
consumidores à compra;
• O objeto não assumia nenhum valor
importante em termos funcionais, de
ambientes e ergonômicos;
• O movimento defendia a valorização
da função simbólica do produto.
Funcionalism
o• Louis Sullivan (1960): “a forma segue a função”;
• Reduzia cores e as formas em sua mínima expressão;
• Materiais inovadores, desenho ergonômico, versátil e
adaptável;
• Criação de estruturas espaciais,
componentes ajustáveis, objetos
empilháveis e sistemas modulares;
• Bom Design (Gute Form): durabilidade,
relação com o meio-ambiente,
adaptabilidade ao corpo humano.
“A estética do produto está ligado aos valores
sociais e pessoais do consumidor e seu
relacionamento com o estilo do produto. Assim, é
importante que seja identificado o estilo de vida
dos consumidores em potencial e quais as
características que os consumidores mais
valorizam nos produtos.”
Percebendo
a
Elementos da Estética
Muitos elementos contribuem para a percepção geral do produto, e na sua
opinião em relação à estética do produto;
Visão
• Cor
• Forma
• Textura
• Carga
Visual
• Equilíbrio
• Movimento
Audição
•
Sonoridade
• Ritmo
• Repetição
• Melodia
• Barulho
• Volume
Tato
• Textura
• Peso
• Conforto
•Vibração
• Temperatura
• Facildiade de
uso
Olfato e
Paladar
• Concentração
• Sabor
•Textura
• Amargura
Estética no Design
Uma das técnicas do design em relação à estética é despertar o prazer.
Esse prazer pode ser categorizado nos seguintes tipos:
Fisiológico
• Prazer
despertado
através do tato,
cheiro, prazer
sensual, etc.
Sociológico
• O produto
pode significar
a reunião de
um grupo ou
definir o nível
social do
usuário.
Ideológico
• Prazer obtido
de livros, artes e
música.
Também inclui
valores como
responsabilidad
e social.
Psicológico
• O produto
oferece prazer
quando uma
tarefa é
cumprida ou
ajuda a cumprir
a tarefa com
mais facilidade.
Está
intimamente
ligado com a
usabilidade do
produto.
“A estética é uma parte fundamental dos
produtos, pois é o que normalmente atrai o
consumidor para a compra, despertando o desejo
da aquisição. A estética do produto está ligada a
tudo aquilo que o consumidor percebe.”
Chamando Atenção
Processamento Visual
• Percepção Global: Processo veloz onde a imagem é enviada
para o cérebro para reconhecimento de padrões. O objeto é visto
inteiro e não em detalhes.
• Atenção Visual: É feita uma atenção focalizada nas
peculiaridades da imagem, prendendo a atenção de quem vê.
• A percepeção prévia será dominante e determinará a atenção
subsequente.
• A imagem percebida primeiro é que vai determinar a estretégia
para a exploração posterior de detalhes.
• “Chamar a atenção e depois prender a atenção”;
Hipótese
Visual• Em casos de informações dúbias ou incompletas, construímos hipóteses
visuais em nossas mentes e as projetamos mentalmente sobre as figuras;
• Figuras incompletas de formas complexas são rapidamentes
identificadas pela mente com um padrão conhecido e o cérebro completa
a imagem;
• É feita uma separação de elementos-chaves da figura e suas
associações com padrões previamente conhecidos;
• Uma vez identificado esse padrão, torna-se uma forte imagem da figura.
Isso acontece depois que sua mente formou a hipótese visual.
• Quando olhamos para uma imagem, extraímos suas principais
características. Com estas características, nossa mente identifica a
imagem a partir de algum padrão conhecido.
• “Enxergamos aquilo que queremos ver.”
… e o Produto com
isso?• Produtos exercem apelo imediato, prendem a atenção e chamam os
olhos;
• Não requer atenção deliberada e nem exame detalhado do produto;
• A forma ou imagem de um produto refere-se à percepção global do
mesmo;
• A beleza de um produto relaciona-se mais com as propriedades do
sistema visual, do que alguma coisa bela no produto;
• A beleza não está somente no produto, mas, principalmente, nos olhos e
na mente do obsevador.
• Para um produto ser belo, é preciso ser feito de acordo com as
propriedades da visão humana.
Percepção
Visual
Gestalt
• Nosso cérebro está programado para extrair certos padrões visuais e
ordená-los em uma imagem com significado;
• Gestalt são as regras que fazem nosso cérebro reconhecer e ordenar
estes padrões;
• Proximidade: objetos e figuras que se situam próximos tendem a ser
percebidos como um conjunto único;
• Similaridade: objetos e figuras com formas ou aspectos semelhantes
tendem a ser vistos como um padrão;
• Continuidade: a percepção pode criar continuidade, trajetória ou
prolongamento aos componentes da figura;
• Outra característica da nossa percepção é a capacidade de separar uma
parte da imagem que é considerada mais importante. Assim é feita a
diferença entre figura e fundo.
…e eu com
isso?
Simplicidade
Visual• Produtos simétricos com linhas simples, assemelhando figuras
geométricas.
• A simplicidade tende a aumentar a segurança das pessoas, a
complexidade provoca insegurança. A complexidade é um conceito
relativo;
• A complexidade gera curiosidade, atrai mais clientes e chama à
exploração e interpretação;
• No lançamento, uma forma complexa pode não ser atrativa, a
familiaridade pode vir com o tempo;
• Um objeto pode ter uma forma nunca vista e assim mesmo não causar
tanta estranheza. Ele pode parecer familiar porque simboliza algo que é
familiar;
• Há uma combinação ótima de complexidade e simplicidade para o
produto ser atrativo e não perder interesse em pouco tempo.
Proporção Áurea
• Razão Áurea, Seção Áurea, Número de Ouro, Mágico ou Divino;
• Aparece constantemente em fenômenos naturais e em obras onde o
julgamento humano encontra beleza ou harmonia.
• Presente na espiral de uma concha, na formação de ramos em um
caule, nas proporções do corpo humano, na geometria de um floco de
neve…
• Utilizado nos cartões de crédito, logotipos, arquitetura, obras de arte,
música, cinema e, obviamente, nos designs de produto;
• Encontrado a partir da série de Fibonacci, quando um número é somado
ao número anterior. (1, 2, 3, 5, 8, 13, 21, 34, 55, 89, 144, …);
• Quando o número é dividido pelo seu anterior encontra-se a
aproximação da Proporção Áurea. O número ideal para a Proporção
Em um quadrado perfeito de qualquer tamanho,
adicione um retângulo com lado igual à
0,61803399 da largura do quadrado.
Esse processo pode ser repetido infinitamente
formando retângulos cada vez menores que
convergem em um ponto, formando uma
espiral.
A espiral logarítmica mostra a sequência que as
folhas se distribuem ao redor do caule. As
conchas de caracóis seguem essa mesma
regra, assim como os chifres dos antílopes.
E isso funciona?
iPod
iPod
• Primeira versão lançada em 2001;
• Mais de 300 milhões de unidades
vendidas;
• Recebeu prêmios nas áreas de
engenharia, fonografia, computação,
ergonomia e design;
• Produto tão revolucionário quanto o
computador pessoal, walkman e
GameBoy;
• O portfólio de produtos do iPod envolve
os modelos Shuffle, Nano, Classic, Video
e Touch;
• Cada um deles se tornou referência em
sua própria categoria.
Estética do Produto
Estética do Produto
•O produto está disponível em várias
cores;
Estética do Produto
•O produto está disponível em várias
cores;
• Pesa aproximadamente 140g;
Estética do Produto
•O produto está disponível em várias
cores;
• Pesa aproximadamente 140g;
• Seu tamanho e formato são versáteis,
não incomoda e oferece conforto;
• Proporciona facilidade de uso.
Estética do Produto
•O produto está disponível em várias
cores;
• Pesa aproximadamente 140g;
• Seu tamanho e formato são versáteis,
não incomoda e oferece conforto;
Processamento Visual
Processamento Visual
• Durante a fase de pré-atenção, o
cérebro reconhece padrões presentes
no formato do iPod;
Processamento Visual
• Durante a fase de pré-atenção, o
cérebro reconhece padrões presentes
no formato do iPod;
Processamento Visual
• Durante a fase de pré-atenção, o
cérebro reconhece padrões presentes
no formato do iPod;
• Na segunda vista, o observador presta
mais atenção na imagem, procurando
peculiaridades;
Processamento Visual
• Durante a fase de pré-atenção, o
cérebro reconhece padrões presentes
no formato do iPod;
• Na segunda vista, o observador presta
mais atenção na imagem, procurando
peculiaridades;
• “Chamar a atenção e depois prender a
atenção.
Gestalt
Gestalt
• Em relação à vertical, o iPod é
simétrico;
Gestalt
• Em relação à vertical, o iPod é
simétrico;
• Os botões de funcionamento
encontram-se próximos um do outro,
então ficam visualmente associados;
Gestalt
• Em relação à vertical, o iPod é
simétrico;
• Os botões de funcionamento
encontram-se próximos um do outro,
então ficam visualmente associadas;
• Há similaridades no dispositivo de
controle (círculo maior-menor),
mostrando com facilidade como operá-
lo;
Gestalt
• Em relação à vertical, o iPod é
simétrico;
• Os botões de funcionamento
encontram-se próximos um do outro,
então ficam visualmente associadas;
• Há similaridades no dispositivo de
controle (círculo maior-menor),
mostrando com facilidade como operá-
lo;
• O controle do iPod é um círculo que
pode ser considerado como o símbolo
do infinito. Denotando continuidade.
Simplicidade Visual
Simplicidade Visual
• O iPod é um produto simétrico e
formado por linhas simples;
Simplicidade Visual
• O iPod é um produto simétrico e
formado por linhas simples;
• Design incrivelmente simples, passa
segurança ao observador;
Simplicidade Visual
• O iPod é um produto simétrico e
formado por linhas simples;
• Design incrivelmente simples, passa
segurança ao observador;
• Presença de complexidade no controle
do iPod: click-wheel é sensível ao toque.
Inovação na época do lançamento;
Simplicidade Visual
• O iPod é um produto simétrico e
formado por linhas simples;
• Design incrivelmente simples, passa
segurança ao observador;
• Presença de complexidade no controle
do iPod: click-wheel é sensível ao toque.
Inovação na época do lançamento;
• Click-wheel: apesar de complexa, não
causa estranheza, já que sua forma é
familiar;
Simplicidade Visual
• O iPod é um produto simétrico e
formado por linhas simples;
• Design incrivelmente simples, passa
segurança ao observador;
• Presença de complexidade no controle
do iPod: click-wheel é sensível ao toque.
Inovação na época do lançamento;
• Click-wheel: apesar de complexa, não
causa estranheza, já que sua forma é
familiar;
• A combinação entre simplicidade e
complexidade é quase perfeita, deixando
o produto atraente sem perder a atenção.
Proporção Áurea
Proporção Áurea
• Entre os mp3 players disponíveis no
mercado, na época de seu lançamento, o
iPod era o que tinha melhor aproximação.
Proporção Áurea
• Entre os mp3 players disponíveis no
mercado, na época de seu lançamento, o
iPod era o que tinha melhor aproximação.
• iPod: 1.67
• iRiver: 1.75
• Nomad Zen: 1.47
“Por mais que a estética não seja o fator
mais urgente durante o projeto dp produto, é
importante que se dê a devida atenção, pois é
através dela que será chamada a atenção do
cliente e sua afeição pelo produto.”
“O design do produto deve ser uma atividade
integrada, trabalhando junto com as áreas
técnicas, em todas as fases do projeto. As
decisões sobre o estilo precisam ser tomadas em
todas as fases, desde o planejamento do produto
até a engenharia de produção.”
Considerações
Finais
Referências
BAXTER, Mike. Projeto de Produto: Guia Prático para o Desenvolvimento de Novos Produtos. São Paulo: Edgar Blücher Ltda, 1998.
ROZENFELD, H. et al (2006). Gestão de Desenvolvimento de Produtos - Uma referência para a melhoria do processo. São Paulo, Saraiva, 2006.
http://www.sciencedirect.com/science?_ob=ArticleURL&_udi=B8JGB-50PB9W6-
1&_user=10&_coverDate=10/31/2010&_rdoc=1&_fmt=high&_orig=search&_origin=search&_sort=d&_docanchor=&view=c&_acct=C000050221&_version=1&_urlVersion=0&_userid=10&md5=3a9fd
5dff06ec9c03ff076be4242ee39&searchtype=a
http://www.acrwebsite.org/volumes/display.asp?id=7824
http://www.plasticstoday.com/mpw/articles/design-focus-industrial-design-aesthetics-produce-easier-sell-products
https://springerlink3.metapress.com/content/l1506744318x54t3/resource-secured/?target=fulltext.pdf&sid=vadyngar1rysay55uodofu55&sh=www.springerlink.com
http://psasir.upm.edu.my/3845/1/Pages_from_JST_VOL_13_NO._1-9.pdf
http://www.ergonomics4schools.com/lzone/aesthetics.htm
http://studiolab.io.tudelft.nl/static/gems/hekkert/DesignAesthetics.pdf
http://sites.unifra.br/Portals/36/ALC/2003/estetica.pdf
http://www.facadiferente.sebrae.com.br/2010/10/25/produtos-bem-desenhados-e-bolados-conquistam-a-clientela/
http://www.slideshare.net/piraua/slideshows
http://ligiafascioni.wordpress.com/2008/05/13/funcao-ou-estetica/
http://rookery.s3.amazonaws.com/1046000/1046367_f3f7_625x1000.jpg
http://fx.worth1000.com/contests/15920/archaeological-anomalies-10
http://www.mariosantiago.net/Textos%20em%20PDF/Design%20e%20%C3%A9%20arte.pdf
http://books.google.com.br/books?hl=pt-BR&lr=&id=-ZrrkxDb5mcC&oi=fnd&pg=PT20&dq=estetica+do+produto&ots=V6J_OijQlv&sig=j5LoKCSQ5tmpME_jfUrUTYp3wkY#v=onepage&q&f=false
http://books.google.com.br/books?hl=pt-BR&lr=&id=JKdKtpIHDNYC&oi=fnd&pg=PA13&dq=estetica+do+produto&ots=SDlyvqO9Zm&sig=AFkOs3Javt4RMtE5zOyyv1nKg_Q#v=onepage&q&f=false
http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0104-530X1996000100004&script=sci_abstract&tlng=pt
http://www.producao.ufrgs.br/arquivos/disciplinas/187_187_uma_analise_da_evolucao_dos_procedimentos_de_execucao_do_desenvolvimento_de_produtos.pdf
http://www.lsc.ufsc.br/~edla/design/conceitos.htm
http://www.consciencia.net/filosofia/estetica.html
http://estudio.typepad.com/blog/2010/03/design-do-produto-muito-al%C3%A9m-da-est%C3%A9tica.html
http://www.uff.br/trabalhonecessario/Esquef%20TN3.htm
http://usabilidoido.com.br/estetica_antes_usabilidade_depois.html
http://www.digital-web.com/articles/the_designer_is_dead/
http://estetica4ano.blogspot.com/
http://www.prcconsultoria.com.br/internas/colunas/colunas_planos.php?idColuna=67
http://nicholasgimenes.blogspot.com/2008/02/design-importante.html
http://www.audiolog.pt/design-de-equipamento-e-importante
http://tsetse.blogs.sapo.pt/11344.html
http://www.branver.com.br/?p=462
http://www.estagiodeartista.pro.br/artedu/histodesign/5_funcionalismo.htm
http://www.estagiodeartista.pro.br/artedu/histodesign/fucoes_produto.pdf
http://www.portocultura.com.br/moda/53/7974/o-surgimento-do-design-e-sua-participacao-na-historia-industrial.html
http://www.marketdesign.com.br/design-o-poder-do-belo.php
http://www.telecentros.desenvolvimento.gov.br/_arquivos/capacitacao-empresarial/OqueeDesign.pdf
http://300palavras.wordpress.com/
http://www.vitruvius.com.br/revistas/read/resenhasonline/07.080/3064
http://www.scribd.com/doc/35432505/O-design-do-desejo
Obrigado!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Metodologia para Projeto de Design
Metodologia para Projeto de DesignMetodologia para Projeto de Design
Metodologia para Projeto de Design
Marcio Duarte
 
Expressão e composição da forma
Expressão e composição da formaExpressão e composição da forma
Expressão e composição da forma
Fernando Mendes
 
Historia do Design
Historia do DesignHistoria do Design
Historia do Design
Ravena Gente Boa
 
Timeline e historia do design
Timeline e historia do designTimeline e historia do design
Timeline e historia do design
Marcio Duarte
 
Princípios clássicos de composição visual e Gráfica para não Designers
Princípios clássicos de composição visual e Gráfica para não DesignersPrincípios clássicos de composição visual e Gráfica para não Designers
Princípios clássicos de composição visual e Gráfica para não Designers
Leonardo Pereira
 
Elementos básicos da comunicação visual
Elementos básicos da comunicação visualElementos básicos da comunicação visual
Elementos básicos da comunicação visual
vivi_belon
 
História do Design - Movimento de Vanguarda - Hd05
História do Design - Movimento de Vanguarda - Hd05História do Design - Movimento de Vanguarda - Hd05
História do Design - Movimento de Vanguarda - Hd05
Valdir Soares
 
Gestalt
GestaltGestalt
Gestalt
Marcio Duarte
 
Design Editorial | Introdução
Design Editorial | IntroduçãoDesign Editorial | Introdução
Design Editorial | Introdução
Fabio Silveira: Designer | Professor
 
Linguagem Visual
Linguagem VisualLinguagem Visual
Linguagem Visual
Victor Corte Real
 
Teoria do design aula 01 [conceitos basicos]
Teoria do design aula 01 [conceitos basicos]Teoria do design aula 01 [conceitos basicos]
Teoria do design aula 01 [conceitos basicos]
Léo Dias
 
elementos da linguagem visual
elementos da linguagem visualelementos da linguagem visual
elementos da linguagem visual
guest1c7f7f
 
Aula 01 desenho de observação
Aula 01 desenho de observaçãoAula 01 desenho de observação
Aula 01 desenho de observação
Claudemilson Santos
 
O design surgiu no século xix
O design surgiu no século xixO design surgiu no século xix
O design surgiu no século xix
Francisco_98
 
Perspetiva cónica
Perspetiva cónicaPerspetiva cónica
Perspetiva cónica
madalena Madalena Moura
 
Semiótica Aplicada ao Design (Aula 01)
Semiótica Aplicada ao Design (Aula 01)Semiótica Aplicada ao Design (Aula 01)
Semiótica Aplicada ao Design (Aula 01)
Hely Costa Júnior
 
Sintaxe da Linguagem Visual - parte I
Sintaxe da Linguagem Visual - parte ISintaxe da Linguagem Visual - parte I
Sintaxe da Linguagem Visual - parte I
Cíntia Dal Bello
 
Deutscher Werkbund
Deutscher WerkbundDeutscher Werkbund
Deutscher Werkbund
Hely Costa Júnior
 
Metodologia para produtos de moda
Metodologia para produtos de modaMetodologia para produtos de moda
Metodologia para produtos de moda
Marcio Duarte
 
Estilo internacional
Estilo internacionalEstilo internacional
Estilo internacional
Esc Sec Caneças
 

Mais procurados (20)

Metodologia para Projeto de Design
Metodologia para Projeto de DesignMetodologia para Projeto de Design
Metodologia para Projeto de Design
 
Expressão e composição da forma
Expressão e composição da formaExpressão e composição da forma
Expressão e composição da forma
 
Historia do Design
Historia do DesignHistoria do Design
Historia do Design
 
Timeline e historia do design
Timeline e historia do designTimeline e historia do design
Timeline e historia do design
 
Princípios clássicos de composição visual e Gráfica para não Designers
Princípios clássicos de composição visual e Gráfica para não DesignersPrincípios clássicos de composição visual e Gráfica para não Designers
Princípios clássicos de composição visual e Gráfica para não Designers
 
Elementos básicos da comunicação visual
Elementos básicos da comunicação visualElementos básicos da comunicação visual
Elementos básicos da comunicação visual
 
História do Design - Movimento de Vanguarda - Hd05
História do Design - Movimento de Vanguarda - Hd05História do Design - Movimento de Vanguarda - Hd05
História do Design - Movimento de Vanguarda - Hd05
 
Gestalt
GestaltGestalt
Gestalt
 
Design Editorial | Introdução
Design Editorial | IntroduçãoDesign Editorial | Introdução
Design Editorial | Introdução
 
Linguagem Visual
Linguagem VisualLinguagem Visual
Linguagem Visual
 
Teoria do design aula 01 [conceitos basicos]
Teoria do design aula 01 [conceitos basicos]Teoria do design aula 01 [conceitos basicos]
Teoria do design aula 01 [conceitos basicos]
 
elementos da linguagem visual
elementos da linguagem visualelementos da linguagem visual
elementos da linguagem visual
 
Aula 01 desenho de observação
Aula 01 desenho de observaçãoAula 01 desenho de observação
Aula 01 desenho de observação
 
O design surgiu no século xix
O design surgiu no século xixO design surgiu no século xix
O design surgiu no século xix
 
Perspetiva cónica
Perspetiva cónicaPerspetiva cónica
Perspetiva cónica
 
Semiótica Aplicada ao Design (Aula 01)
Semiótica Aplicada ao Design (Aula 01)Semiótica Aplicada ao Design (Aula 01)
Semiótica Aplicada ao Design (Aula 01)
 
Sintaxe da Linguagem Visual - parte I
Sintaxe da Linguagem Visual - parte ISintaxe da Linguagem Visual - parte I
Sintaxe da Linguagem Visual - parte I
 
Deutscher Werkbund
Deutscher WerkbundDeutscher Werkbund
Deutscher Werkbund
 
Metodologia para produtos de moda
Metodologia para produtos de modaMetodologia para produtos de moda
Metodologia para produtos de moda
 
Estilo internacional
Estilo internacionalEstilo internacional
Estilo internacional
 

Destaque

IV PROJETO DO PRODUTO - Hiperlink ii - ESTRUTURA DO RELATÓRIO DO PROJETO DO P...
IV PROJETO DO PRODUTO - Hiperlink ii - ESTRUTURA DO RELATÓRIO DO PROJETO DO P...IV PROJETO DO PRODUTO - Hiperlink ii - ESTRUTURA DO RELATÓRIO DO PROJETO DO P...
IV PROJETO DO PRODUTO - Hiperlink ii - ESTRUTURA DO RELATÓRIO DO PROJETO DO P...
Thays J. Perassoli Boiko
 
Pesquisa de identidade visual comfrio
Pesquisa de identidade visual   comfrioPesquisa de identidade visual   comfrio
Pesquisa de identidade visual comfrio
Luiz Henrique Weg
 
Engenharia do Produto - Marcel Gois
Engenharia do Produto - Marcel GoisEngenharia do Produto - Marcel Gois
Engenharia do Produto - Marcel Gois
Luciano Acioli
 
Engenharia do produto
Engenharia do produtoEngenharia do produto
Engenharia do produto
karentiago
 
Estética - Estudo do Belo
Estética - Estudo do BeloEstética - Estudo do Belo
Estética - Estudo do Belo
Silmara Nogueira
 
Modelo
ModeloModelo
Apresentacao supplier park rev2
Apresentacao   supplier park rev2Apresentacao   supplier park rev2
Apresentacao supplier park rev2
Philippe Elias
 
Relatório Home Office 2014 - SAP Consultoria RH
Relatório Home Office 2014 - SAP Consultoria RHRelatório Home Office 2014 - SAP Consultoria RH
Relatório Home Office 2014 - SAP Consultoria RH
SAP Consultoria RH
 
Engenharia do produto plano de ensino
Engenharia do produto   plano de ensinoEngenharia do produto   plano de ensino
Engenharia do produto plano de ensino
Fabio Silva
 
engenharia do produto - Aula 1
engenharia do produto - Aula 1engenharia do produto - Aula 1
engenharia do produto - Aula 1
Danielli Villar Lemes
 
Engenharia x Desenvolvimento Industrial
Engenharia x Desenvolvimento IndustrialEngenharia x Desenvolvimento Industrial
Engenharia x Desenvolvimento Industrial
Sistema FIEB
 
Estimativas de Observações de Tempos
Estimativas de Observações de TemposEstimativas de Observações de Tempos
Estimativas de Observações de Tempos
Philippe Elias
 
TCC - Desenvolvimento de Aplicativo para Windows Phone
TCC - Desenvolvimento de Aplicativo para Windows PhoneTCC - Desenvolvimento de Aplicativo para Windows Phone
TCC - Desenvolvimento de Aplicativo para Windows Phone
César Augusto Pereira
 
16 relatorio-gerencial
16 relatorio-gerencial16 relatorio-gerencial
16 relatorio-gerencial
redeminastv
 
APLITEC - Supplier Park - Fiat Chrysler Jeep - Goiana, Pernambuco
APLITEC - Supplier Park - Fiat Chrysler Jeep - Goiana, PernambucoAPLITEC - Supplier Park - Fiat Chrysler Jeep - Goiana, Pernambuco
APLITEC - Supplier Park - Fiat Chrysler Jeep - Goiana, Pernambuco
Philippe Elias
 
Aula engmet - parte 1
Aula   engmet - parte 1Aula   engmet - parte 1
Aula engmet - parte 1
engmetodos
 
Afinal, o que é Engenharia Mecânica - profissaoengenheiro.com.br
Afinal, o que é Engenharia Mecânica - profissaoengenheiro.com.brAfinal, o que é Engenharia Mecânica - profissaoengenheiro.com.br
Afinal, o que é Engenharia Mecânica - profissaoengenheiro.com.br
Carolina Tomazetti
 
Workshop: O Que Você Precisa Saber Sobre Identidade Visual
Workshop: O Que Você Precisa Saber Sobre Identidade VisualWorkshop: O Que Você Precisa Saber Sobre Identidade Visual
Workshop: O Que Você Precisa Saber Sobre Identidade Visual
StarShine Soluções em Comunicação
 
Neurociência contexto pedagógico
Neurociência contexto pedagógicoNeurociência contexto pedagógico
Neurociência contexto pedagógico
Gisele Cortoni Calia
 
Engenharia mecanica
Engenharia mecanicaEngenharia mecanica
Engenharia mecanica
Agregacao
 

Destaque (20)

IV PROJETO DO PRODUTO - Hiperlink ii - ESTRUTURA DO RELATÓRIO DO PROJETO DO P...
IV PROJETO DO PRODUTO - Hiperlink ii - ESTRUTURA DO RELATÓRIO DO PROJETO DO P...IV PROJETO DO PRODUTO - Hiperlink ii - ESTRUTURA DO RELATÓRIO DO PROJETO DO P...
IV PROJETO DO PRODUTO - Hiperlink ii - ESTRUTURA DO RELATÓRIO DO PROJETO DO P...
 
Pesquisa de identidade visual comfrio
Pesquisa de identidade visual   comfrioPesquisa de identidade visual   comfrio
Pesquisa de identidade visual comfrio
 
Engenharia do Produto - Marcel Gois
Engenharia do Produto - Marcel GoisEngenharia do Produto - Marcel Gois
Engenharia do Produto - Marcel Gois
 
Engenharia do produto
Engenharia do produtoEngenharia do produto
Engenharia do produto
 
Estética - Estudo do Belo
Estética - Estudo do BeloEstética - Estudo do Belo
Estética - Estudo do Belo
 
Modelo
ModeloModelo
Modelo
 
Apresentacao supplier park rev2
Apresentacao   supplier park rev2Apresentacao   supplier park rev2
Apresentacao supplier park rev2
 
Relatório Home Office 2014 - SAP Consultoria RH
Relatório Home Office 2014 - SAP Consultoria RHRelatório Home Office 2014 - SAP Consultoria RH
Relatório Home Office 2014 - SAP Consultoria RH
 
Engenharia do produto plano de ensino
Engenharia do produto   plano de ensinoEngenharia do produto   plano de ensino
Engenharia do produto plano de ensino
 
engenharia do produto - Aula 1
engenharia do produto - Aula 1engenharia do produto - Aula 1
engenharia do produto - Aula 1
 
Engenharia x Desenvolvimento Industrial
Engenharia x Desenvolvimento IndustrialEngenharia x Desenvolvimento Industrial
Engenharia x Desenvolvimento Industrial
 
Estimativas de Observações de Tempos
Estimativas de Observações de TemposEstimativas de Observações de Tempos
Estimativas de Observações de Tempos
 
TCC - Desenvolvimento de Aplicativo para Windows Phone
TCC - Desenvolvimento de Aplicativo para Windows PhoneTCC - Desenvolvimento de Aplicativo para Windows Phone
TCC - Desenvolvimento de Aplicativo para Windows Phone
 
16 relatorio-gerencial
16 relatorio-gerencial16 relatorio-gerencial
16 relatorio-gerencial
 
APLITEC - Supplier Park - Fiat Chrysler Jeep - Goiana, Pernambuco
APLITEC - Supplier Park - Fiat Chrysler Jeep - Goiana, PernambucoAPLITEC - Supplier Park - Fiat Chrysler Jeep - Goiana, Pernambuco
APLITEC - Supplier Park - Fiat Chrysler Jeep - Goiana, Pernambuco
 
Aula engmet - parte 1
Aula   engmet - parte 1Aula   engmet - parte 1
Aula engmet - parte 1
 
Afinal, o que é Engenharia Mecânica - profissaoengenheiro.com.br
Afinal, o que é Engenharia Mecânica - profissaoengenheiro.com.brAfinal, o que é Engenharia Mecânica - profissaoengenheiro.com.br
Afinal, o que é Engenharia Mecânica - profissaoengenheiro.com.br
 
Workshop: O Que Você Precisa Saber Sobre Identidade Visual
Workshop: O Que Você Precisa Saber Sobre Identidade VisualWorkshop: O Que Você Precisa Saber Sobre Identidade Visual
Workshop: O Que Você Precisa Saber Sobre Identidade Visual
 
Neurociência contexto pedagógico
Neurociência contexto pedagógicoNeurociência contexto pedagógico
Neurociência contexto pedagógico
 
Engenharia mecanica
Engenharia mecanicaEngenharia mecanica
Engenharia mecanica
 

Semelhante a Design e Estética do Produto - Planejamento e Projeto do Produto

Comunicação Empresarial | Aula 03
Comunicação Empresarial | Aula 03Comunicação Empresarial | Aula 03
Comunicação Empresarial | Aula 03
Pablo Caldas
 
Interação Humano-Computador - Design para Experiência
Interação Humano-Computador - Design para ExperiênciaInteração Humano-Computador - Design para Experiência
Interação Humano-Computador - Design para Experiência
Wellington Oliveira
 
Vitrinas pelo mundo
Vitrinas pelo mundoVitrinas pelo mundo
Vitrinas pelo mundo
Angela Kochhann
 
Conceito de 12 07_12
Conceito de 12 07_12Conceito de 12 07_12
Conceito de 12 07_12
wanderburielo
 
Criatividade e linguagem fotográfica
Criatividade e linguagem fotográficaCriatividade e linguagem fotográfica
Criatividade e linguagem fotográfica
Cid Costa Neto
 
CRP0357-2016-02
CRP0357-2016-02CRP0357-2016-02
Identidade corporativa
Identidade corporativaIdentidade corporativa
Identidade corporativa
Euripedes Magalhães
 
Artesanato/Design
Artesanato/DesignArtesanato/Design
Artesanato/Design
Ana Barrelas
 
Design Emocional
Design EmocionalDesign Emocional
Design Emocional
Edu Agni
 
Design estratégico - Usando conceitos de design para diferenciar seus produtos
Design estratégico - Usando conceitos de design para diferenciar seus produtosDesign estratégico - Usando conceitos de design para diferenciar seus produtos
Design estratégico - Usando conceitos de design para diferenciar seus produtos
Bruno Cullen
 
Psicologia Histórico-Cultural aplicada ao Design
Psicologia Histórico-Cultural aplicada ao DesignPsicologia Histórico-Cultural aplicada ao Design
Psicologia Histórico-Cultural aplicada ao Design
UTFPR
 
Apresentação Criação
Apresentação CriaçãoApresentação Criação
Apresentação Criação
Doisnovemeia Publicidade
 
Arte1em
Arte1emArte1em
InovaSession - Design Thinking 2012
InovaSession - Design Thinking 2012InovaSession - Design Thinking 2012
InovaSession - Design Thinking 2012
rcmello13
 
Design Emocional
Design EmocionalDesign Emocional
Design Emocional
Edu Agni
 
Wks inovação social vf
Wks inovação social vfWks inovação social vf
Wks inovação social vf
Verena Pessim
 
"Cultura Visual aplicada ao Coolhunting" - Resumo do conteúdo da disciplina
"Cultura Visual aplicada ao Coolhunting" - Resumo do conteúdo da disciplina"Cultura Visual aplicada ao Coolhunting" - Resumo do conteúdo da disciplina
"Cultura Visual aplicada ao Coolhunting" - Resumo do conteúdo da disciplina
Vanessa Costa
 
Mídia IELUSC - Conhecendo o Consumidor
Mídia IELUSC - Conhecendo o ConsumidorMídia IELUSC - Conhecendo o Consumidor
Mídia IELUSC - Conhecendo o Consumidor
Lucas Pelaez
 
palestracriacao-100519190729-phpapp01.pptx
palestracriacao-100519190729-phpapp01.pptxpalestracriacao-100519190729-phpapp01.pptx
palestracriacao-100519190729-phpapp01.pptx
VanderleiPostigo
 
Design e seus arquétipos
Design e seus arquétiposDesign e seus arquétipos
Design e seus arquétipos
Nathanye Godinho
 

Semelhante a Design e Estética do Produto - Planejamento e Projeto do Produto (20)

Comunicação Empresarial | Aula 03
Comunicação Empresarial | Aula 03Comunicação Empresarial | Aula 03
Comunicação Empresarial | Aula 03
 
Interação Humano-Computador - Design para Experiência
Interação Humano-Computador - Design para ExperiênciaInteração Humano-Computador - Design para Experiência
Interação Humano-Computador - Design para Experiência
 
Vitrinas pelo mundo
Vitrinas pelo mundoVitrinas pelo mundo
Vitrinas pelo mundo
 
Conceito de 12 07_12
Conceito de 12 07_12Conceito de 12 07_12
Conceito de 12 07_12
 
Criatividade e linguagem fotográfica
Criatividade e linguagem fotográficaCriatividade e linguagem fotográfica
Criatividade e linguagem fotográfica
 
CRP0357-2016-02
CRP0357-2016-02CRP0357-2016-02
CRP0357-2016-02
 
Identidade corporativa
Identidade corporativaIdentidade corporativa
Identidade corporativa
 
Artesanato/Design
Artesanato/DesignArtesanato/Design
Artesanato/Design
 
Design Emocional
Design EmocionalDesign Emocional
Design Emocional
 
Design estratégico - Usando conceitos de design para diferenciar seus produtos
Design estratégico - Usando conceitos de design para diferenciar seus produtosDesign estratégico - Usando conceitos de design para diferenciar seus produtos
Design estratégico - Usando conceitos de design para diferenciar seus produtos
 
Psicologia Histórico-Cultural aplicada ao Design
Psicologia Histórico-Cultural aplicada ao DesignPsicologia Histórico-Cultural aplicada ao Design
Psicologia Histórico-Cultural aplicada ao Design
 
Apresentação Criação
Apresentação CriaçãoApresentação Criação
Apresentação Criação
 
Arte1em
Arte1emArte1em
Arte1em
 
InovaSession - Design Thinking 2012
InovaSession - Design Thinking 2012InovaSession - Design Thinking 2012
InovaSession - Design Thinking 2012
 
Design Emocional
Design EmocionalDesign Emocional
Design Emocional
 
Wks inovação social vf
Wks inovação social vfWks inovação social vf
Wks inovação social vf
 
"Cultura Visual aplicada ao Coolhunting" - Resumo do conteúdo da disciplina
"Cultura Visual aplicada ao Coolhunting" - Resumo do conteúdo da disciplina"Cultura Visual aplicada ao Coolhunting" - Resumo do conteúdo da disciplina
"Cultura Visual aplicada ao Coolhunting" - Resumo do conteúdo da disciplina
 
Mídia IELUSC - Conhecendo o Consumidor
Mídia IELUSC - Conhecendo o ConsumidorMídia IELUSC - Conhecendo o Consumidor
Mídia IELUSC - Conhecendo o Consumidor
 
palestracriacao-100519190729-phpapp01.pptx
palestracriacao-100519190729-phpapp01.pptxpalestracriacao-100519190729-phpapp01.pptx
palestracriacao-100519190729-phpapp01.pptx
 
Design e seus arquétipos
Design e seus arquétiposDesign e seus arquétipos
Design e seus arquétipos
 

Mais de Philippe Elias

Monografia TCC Eng Produção - Desenvolvimento de um Aplicativo Móvel para Aná...
Monografia TCC Eng Produção - Desenvolvimento de um Aplicativo Móvel para Aná...Monografia TCC Eng Produção - Desenvolvimento de um Aplicativo Móvel para Aná...
Monografia TCC Eng Produção - Desenvolvimento de um Aplicativo Móvel para Aná...
Philippe Elias
 
13 - Tipos de Processos x Arranjo Físico
13 - Tipos de Processos x Arranjo Físico13 - Tipos de Processos x Arranjo Físico
13 - Tipos de Processos x Arranjo Físico
Philippe Elias
 
15 Objetivos de Desempenho
15 Objetivos de Desempenho15 Objetivos de Desempenho
15 Objetivos de Desempenho
Philippe Elias
 
12 Classificação de Sistemas - Parte 2
12 Classificação de Sistemas - Parte 212 Classificação de Sistemas - Parte 2
12 Classificação de Sistemas - Parte 2
Philippe Elias
 
11 Classificação dos Sistemas de Produção - Parte 1
11 Classificação dos Sistemas de Produção - Parte 111 Classificação dos Sistemas de Produção - Parte 1
11 Classificação dos Sistemas de Produção - Parte 1
Philippe Elias
 
10 conceito de sistema e sistemas de produção - imagens compactadas
10   conceito de sistema e sistemas de produção - imagens compactadas10   conceito de sistema e sistemas de produção - imagens compactadas
10 conceito de sistema e sistemas de produção - imagens compactadas
Philippe Elias
 
7 Toyotismo
7 Toyotismo7 Toyotismo
7 Toyotismo
Philippe Elias
 
7 Toyotismo - Continuação
7 Toyotismo - Continuação7 Toyotismo - Continuação
7 Toyotismo - Continuação
Philippe Elias
 
Classificação dos Sistemas de Produção - Parte 1
Classificação dos Sistemas de Produção - Parte 1Classificação dos Sistemas de Produção - Parte 1
Classificação dos Sistemas de Produção - Parte 1
Philippe Elias
 
Objetivos de Desempenho - Parte 1
Objetivos de Desempenho - Parte 1Objetivos de Desempenho - Parte 1
Objetivos de Desempenho - Parte 1
Philippe Elias
 
Classificação dos Sistemas de Produção - Parte 2
Classificação dos Sistemas de Produção - Parte 2Classificação dos Sistemas de Produção - Parte 2
Classificação dos Sistemas de Produção - Parte 2
Philippe Elias
 
Conceito de Sistemas e Sistemas de Produção
Conceito de Sistemas e Sistemas de ProduçãoConceito de Sistemas e Sistemas de Produção
Conceito de Sistemas e Sistemas de Produção
Philippe Elias
 
Toyotismo- Segunda Parte
Toyotismo- Segunda ParteToyotismo- Segunda Parte
Toyotismo- Segunda Parte
Philippe Elias
 
Toyotismo - Primeira Parte
Toyotismo - Primeira ParteToyotismo - Primeira Parte
Toyotismo - Primeira Parte
Philippe Elias
 

Mais de Philippe Elias (14)

Monografia TCC Eng Produção - Desenvolvimento de um Aplicativo Móvel para Aná...
Monografia TCC Eng Produção - Desenvolvimento de um Aplicativo Móvel para Aná...Monografia TCC Eng Produção - Desenvolvimento de um Aplicativo Móvel para Aná...
Monografia TCC Eng Produção - Desenvolvimento de um Aplicativo Móvel para Aná...
 
13 - Tipos de Processos x Arranjo Físico
13 - Tipos de Processos x Arranjo Físico13 - Tipos de Processos x Arranjo Físico
13 - Tipos de Processos x Arranjo Físico
 
15 Objetivos de Desempenho
15 Objetivos de Desempenho15 Objetivos de Desempenho
15 Objetivos de Desempenho
 
12 Classificação de Sistemas - Parte 2
12 Classificação de Sistemas - Parte 212 Classificação de Sistemas - Parte 2
12 Classificação de Sistemas - Parte 2
 
11 Classificação dos Sistemas de Produção - Parte 1
11 Classificação dos Sistemas de Produção - Parte 111 Classificação dos Sistemas de Produção - Parte 1
11 Classificação dos Sistemas de Produção - Parte 1
 
10 conceito de sistema e sistemas de produção - imagens compactadas
10   conceito de sistema e sistemas de produção - imagens compactadas10   conceito de sistema e sistemas de produção - imagens compactadas
10 conceito de sistema e sistemas de produção - imagens compactadas
 
7 Toyotismo
7 Toyotismo7 Toyotismo
7 Toyotismo
 
7 Toyotismo - Continuação
7 Toyotismo - Continuação7 Toyotismo - Continuação
7 Toyotismo - Continuação
 
Classificação dos Sistemas de Produção - Parte 1
Classificação dos Sistemas de Produção - Parte 1Classificação dos Sistemas de Produção - Parte 1
Classificação dos Sistemas de Produção - Parte 1
 
Objetivos de Desempenho - Parte 1
Objetivos de Desempenho - Parte 1Objetivos de Desempenho - Parte 1
Objetivos de Desempenho - Parte 1
 
Classificação dos Sistemas de Produção - Parte 2
Classificação dos Sistemas de Produção - Parte 2Classificação dos Sistemas de Produção - Parte 2
Classificação dos Sistemas de Produção - Parte 2
 
Conceito de Sistemas e Sistemas de Produção
Conceito de Sistemas e Sistemas de ProduçãoConceito de Sistemas e Sistemas de Produção
Conceito de Sistemas e Sistemas de Produção
 
Toyotismo- Segunda Parte
Toyotismo- Segunda ParteToyotismo- Segunda Parte
Toyotismo- Segunda Parte
 
Toyotismo - Primeira Parte
Toyotismo - Primeira ParteToyotismo - Primeira Parte
Toyotismo - Primeira Parte
 

Último

AE02 - SINAIS E SISTEMAS LINEARES UNICESUMAR 52/2024
AE02 - SINAIS E SISTEMAS LINEARES UNICESUMAR 52/2024AE02 - SINAIS E SISTEMAS LINEARES UNICESUMAR 52/2024
AE02 - SINAIS E SISTEMAS LINEARES UNICESUMAR 52/2024
Consultoria Acadêmica
 
Manual de Instalação para Placa Proteco Q60A
Manual de Instalação para Placa Proteco Q60AManual de Instalação para Placa Proteco Q60A
Manual de Instalação para Placa Proteco Q60A
Tronicline Automatismos
 
MAQUINAS-EQUIPAMENTOS-E-FERRAMENTAS.pptx
MAQUINAS-EQUIPAMENTOS-E-FERRAMENTAS.pptxMAQUINAS-EQUIPAMENTOS-E-FERRAMENTAS.pptx
MAQUINAS-EQUIPAMENTOS-E-FERRAMENTAS.pptx
Vilson Stollmeier
 
AE02 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL COMUNICAÇÃO ASSERTIVA E INTERPESSOA...
AE02 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL COMUNICAÇÃO ASSERTIVA E INTERPESSOA...AE02 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL COMUNICAÇÃO ASSERTIVA E INTERPESSOA...
AE02 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL COMUNICAÇÃO ASSERTIVA E INTERPESSOA...
Consultoria Acadêmica
 
Grau TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO I - LEGISLAÇÃO APLICADA À SAÚDE E SEGUR...
Grau TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO I - LEGISLAÇÃO APLICADA À SAÚDE E SEGUR...Grau TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO I - LEGISLAÇÃO APLICADA À SAÚDE E SEGUR...
Grau TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO I - LEGISLAÇÃO APLICADA À SAÚDE E SEGUR...
carlos silva Rotersan
 
Aula 4 - 3D laser scanning para bim em engenharia
Aula 4 - 3D laser scanning para bim em engenhariaAula 4 - 3D laser scanning para bim em engenharia
Aula 4 - 3D laser scanning para bim em engenharia
JosAtila
 

Último (6)

AE02 - SINAIS E SISTEMAS LINEARES UNICESUMAR 52/2024
AE02 - SINAIS E SISTEMAS LINEARES UNICESUMAR 52/2024AE02 - SINAIS E SISTEMAS LINEARES UNICESUMAR 52/2024
AE02 - SINAIS E SISTEMAS LINEARES UNICESUMAR 52/2024
 
Manual de Instalação para Placa Proteco Q60A
Manual de Instalação para Placa Proteco Q60AManual de Instalação para Placa Proteco Q60A
Manual de Instalação para Placa Proteco Q60A
 
MAQUINAS-EQUIPAMENTOS-E-FERRAMENTAS.pptx
MAQUINAS-EQUIPAMENTOS-E-FERRAMENTAS.pptxMAQUINAS-EQUIPAMENTOS-E-FERRAMENTAS.pptx
MAQUINAS-EQUIPAMENTOS-E-FERRAMENTAS.pptx
 
AE02 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL COMUNICAÇÃO ASSERTIVA E INTERPESSOA...
AE02 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL COMUNICAÇÃO ASSERTIVA E INTERPESSOA...AE02 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL COMUNICAÇÃO ASSERTIVA E INTERPESSOA...
AE02 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL COMUNICAÇÃO ASSERTIVA E INTERPESSOA...
 
Grau TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO I - LEGISLAÇÃO APLICADA À SAÚDE E SEGUR...
Grau TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO I - LEGISLAÇÃO APLICADA À SAÚDE E SEGUR...Grau TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO I - LEGISLAÇÃO APLICADA À SAÚDE E SEGUR...
Grau TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO I - LEGISLAÇÃO APLICADA À SAÚDE E SEGUR...
 
Aula 4 - 3D laser scanning para bim em engenharia
Aula 4 - 3D laser scanning para bim em engenhariaAula 4 - 3D laser scanning para bim em engenharia
Aula 4 - 3D laser scanning para bim em engenharia
 

Design e Estética do Produto - Planejamento e Projeto do Produto

  • 1. UFPB – Universidade Federal da Paraíba Campus I – Centro de Tecnologia Departamento de Engenharia de Produção Curso de Graduação em Engenharia de Produção Mecânica Planejamento e Projeto do Produto Estética do Produto Philippe Conrado de F. Elias 10921163
  • 2. O que é Estética? • Do grego αισθητική (Aisthesis: percepção, sensação); • Ramo da filosofia que estuda a natureza do belo e dos fundamentos da arte; • Estudo dos sentimentos, conceitos e juízos da nossa apreciação das artes ou dos objetos considerados tocantes, belos ou sublimes; • “Por que tiramos prazer estético do inesperado, como uma tragédia ou com o horror de algumas cenas naturais? Por que coisas de tipos muito diferentes podem parecer igualmente belas?”
  • 3. O que é Design? • Do latim designare (designar, diagramar); • Processo técnico e criativo relacionado à concepção, elaboração e especificação de um artefato; • Esse processo é orientado por uma intenção ou objetivo, ou para a solução de um problema; • É uma atribuição de valor identificado pelo mercado e transformado em atributo físico do produto.
  • 4. A Estética é uma ferramenta do Design.
  • 6. Arts & Crafts• Oficina fundada na Inglaterra por William Morris em 1861; • Resposta à Revolução Industrial: produção em massa e sem identidade. • Valorizava o artesão e restabelecia o elo entre o trabalho belo e o trabalhador; • Visava melhorar qualidade de vida dos trabalhadores, levar cultura a todos e reatar a união entre as artes e os ofícios; • O movimento obteve apoio da monarquia vitoriana e grande sucesso entre a burguesia rica; • Produtos publicados em revistas especializadas geravam desejo no público feminino.
  • 7. Stylism • Após o crash de 1929, o mercado dos E.U.A. precisava impulsionar suas vendas; • Designers criaram produtos onde sua aparência e aspecto exterior instingam os consumidores à compra; • O objeto não assumia nenhum valor importante em termos funcionais, de ambientes e ergonômicos; • O movimento defendia a valorização da função simbólica do produto.
  • 8. Funcionalism o• Louis Sullivan (1960): “a forma segue a função”; • Reduzia cores e as formas em sua mínima expressão; • Materiais inovadores, desenho ergonômico, versátil e adaptável; • Criação de estruturas espaciais, componentes ajustáveis, objetos empilháveis e sistemas modulares; • Bom Design (Gute Form): durabilidade, relação com o meio-ambiente, adaptabilidade ao corpo humano.
  • 9. “A estética do produto está ligado aos valores sociais e pessoais do consumidor e seu relacionamento com o estilo do produto. Assim, é importante que seja identificado o estilo de vida dos consumidores em potencial e quais as características que os consumidores mais valorizam nos produtos.”
  • 11. Elementos da Estética Muitos elementos contribuem para a percepção geral do produto, e na sua opinião em relação à estética do produto; Visão • Cor • Forma • Textura • Carga Visual • Equilíbrio • Movimento Audição • Sonoridade • Ritmo • Repetição • Melodia • Barulho • Volume Tato • Textura • Peso • Conforto •Vibração • Temperatura • Facildiade de uso Olfato e Paladar • Concentração • Sabor •Textura • Amargura
  • 12. Estética no Design Uma das técnicas do design em relação à estética é despertar o prazer. Esse prazer pode ser categorizado nos seguintes tipos: Fisiológico • Prazer despertado através do tato, cheiro, prazer sensual, etc. Sociológico • O produto pode significar a reunião de um grupo ou definir o nível social do usuário. Ideológico • Prazer obtido de livros, artes e música. Também inclui valores como responsabilidad e social. Psicológico • O produto oferece prazer quando uma tarefa é cumprida ou ajuda a cumprir a tarefa com mais facilidade. Está intimamente ligado com a usabilidade do produto.
  • 13. “A estética é uma parte fundamental dos produtos, pois é o que normalmente atrai o consumidor para a compra, despertando o desejo da aquisição. A estética do produto está ligada a tudo aquilo que o consumidor percebe.”
  • 15. Processamento Visual • Percepção Global: Processo veloz onde a imagem é enviada para o cérebro para reconhecimento de padrões. O objeto é visto inteiro e não em detalhes. • Atenção Visual: É feita uma atenção focalizada nas peculiaridades da imagem, prendendo a atenção de quem vê. • A percepeção prévia será dominante e determinará a atenção subsequente. • A imagem percebida primeiro é que vai determinar a estretégia para a exploração posterior de detalhes. • “Chamar a atenção e depois prender a atenção”;
  • 16.
  • 17.
  • 18. Hipótese Visual• Em casos de informações dúbias ou incompletas, construímos hipóteses visuais em nossas mentes e as projetamos mentalmente sobre as figuras; • Figuras incompletas de formas complexas são rapidamentes identificadas pela mente com um padrão conhecido e o cérebro completa a imagem; • É feita uma separação de elementos-chaves da figura e suas associações com padrões previamente conhecidos; • Uma vez identificado esse padrão, torna-se uma forte imagem da figura. Isso acontece depois que sua mente formou a hipótese visual. • Quando olhamos para uma imagem, extraímos suas principais características. Com estas características, nossa mente identifica a imagem a partir de algum padrão conhecido. • “Enxergamos aquilo que queremos ver.”
  • 19.
  • 20.
  • 21.
  • 22. … e o Produto com isso?• Produtos exercem apelo imediato, prendem a atenção e chamam os olhos; • Não requer atenção deliberada e nem exame detalhado do produto; • A forma ou imagem de um produto refere-se à percepção global do mesmo; • A beleza de um produto relaciona-se mais com as propriedades do sistema visual, do que alguma coisa bela no produto; • A beleza não está somente no produto, mas, principalmente, nos olhos e na mente do obsevador. • Para um produto ser belo, é preciso ser feito de acordo com as propriedades da visão humana.
  • 24. Gestalt • Nosso cérebro está programado para extrair certos padrões visuais e ordená-los em uma imagem com significado; • Gestalt são as regras que fazem nosso cérebro reconhecer e ordenar estes padrões; • Proximidade: objetos e figuras que se situam próximos tendem a ser percebidos como um conjunto único; • Similaridade: objetos e figuras com formas ou aspectos semelhantes tendem a ser vistos como um padrão; • Continuidade: a percepção pode criar continuidade, trajetória ou prolongamento aos componentes da figura; • Outra característica da nossa percepção é a capacidade de separar uma parte da imagem que é considerada mais importante. Assim é feita a diferença entre figura e fundo.
  • 25.
  • 26.
  • 27.
  • 28.
  • 30.
  • 31.
  • 32. Simplicidade Visual• Produtos simétricos com linhas simples, assemelhando figuras geométricas. • A simplicidade tende a aumentar a segurança das pessoas, a complexidade provoca insegurança. A complexidade é um conceito relativo; • A complexidade gera curiosidade, atrai mais clientes e chama à exploração e interpretação; • No lançamento, uma forma complexa pode não ser atrativa, a familiaridade pode vir com o tempo; • Um objeto pode ter uma forma nunca vista e assim mesmo não causar tanta estranheza. Ele pode parecer familiar porque simboliza algo que é familiar; • Há uma combinação ótima de complexidade e simplicidade para o produto ser atrativo e não perder interesse em pouco tempo.
  • 33. Proporção Áurea • Razão Áurea, Seção Áurea, Número de Ouro, Mágico ou Divino; • Aparece constantemente em fenômenos naturais e em obras onde o julgamento humano encontra beleza ou harmonia. • Presente na espiral de uma concha, na formação de ramos em um caule, nas proporções do corpo humano, na geometria de um floco de neve… • Utilizado nos cartões de crédito, logotipos, arquitetura, obras de arte, música, cinema e, obviamente, nos designs de produto; • Encontrado a partir da série de Fibonacci, quando um número é somado ao número anterior. (1, 2, 3, 5, 8, 13, 21, 34, 55, 89, 144, …); • Quando o número é dividido pelo seu anterior encontra-se a aproximação da Proporção Áurea. O número ideal para a Proporção
  • 34.
  • 35. Em um quadrado perfeito de qualquer tamanho, adicione um retângulo com lado igual à 0,61803399 da largura do quadrado. Esse processo pode ser repetido infinitamente formando retângulos cada vez menores que convergem em um ponto, formando uma espiral. A espiral logarítmica mostra a sequência que as folhas se distribuem ao redor do caule. As conchas de caracóis seguem essa mesma regra, assim como os chifres dos antílopes.
  • 36.
  • 37.
  • 38.
  • 40. iPod
  • 41. iPod • Primeira versão lançada em 2001; • Mais de 300 milhões de unidades vendidas; • Recebeu prêmios nas áreas de engenharia, fonografia, computação, ergonomia e design; • Produto tão revolucionário quanto o computador pessoal, walkman e GameBoy; • O portfólio de produtos do iPod envolve os modelos Shuffle, Nano, Classic, Video e Touch; • Cada um deles se tornou referência em sua própria categoria.
  • 43. Estética do Produto •O produto está disponível em várias cores;
  • 44. Estética do Produto •O produto está disponível em várias cores; • Pesa aproximadamente 140g;
  • 45. Estética do Produto •O produto está disponível em várias cores; • Pesa aproximadamente 140g; • Seu tamanho e formato são versáteis, não incomoda e oferece conforto;
  • 46. • Proporciona facilidade de uso. Estética do Produto •O produto está disponível em várias cores; • Pesa aproximadamente 140g; • Seu tamanho e formato são versáteis, não incomoda e oferece conforto;
  • 48. Processamento Visual • Durante a fase de pré-atenção, o cérebro reconhece padrões presentes no formato do iPod;
  • 49. Processamento Visual • Durante a fase de pré-atenção, o cérebro reconhece padrões presentes no formato do iPod;
  • 50. Processamento Visual • Durante a fase de pré-atenção, o cérebro reconhece padrões presentes no formato do iPod; • Na segunda vista, o observador presta mais atenção na imagem, procurando peculiaridades;
  • 51. Processamento Visual • Durante a fase de pré-atenção, o cérebro reconhece padrões presentes no formato do iPod; • Na segunda vista, o observador presta mais atenção na imagem, procurando peculiaridades; • “Chamar a atenção e depois prender a atenção.
  • 53. Gestalt • Em relação à vertical, o iPod é simétrico;
  • 54. Gestalt • Em relação à vertical, o iPod é simétrico; • Os botões de funcionamento encontram-se próximos um do outro, então ficam visualmente associados;
  • 55. Gestalt • Em relação à vertical, o iPod é simétrico; • Os botões de funcionamento encontram-se próximos um do outro, então ficam visualmente associadas; • Há similaridades no dispositivo de controle (círculo maior-menor), mostrando com facilidade como operá- lo;
  • 56. Gestalt • Em relação à vertical, o iPod é simétrico; • Os botões de funcionamento encontram-se próximos um do outro, então ficam visualmente associadas; • Há similaridades no dispositivo de controle (círculo maior-menor), mostrando com facilidade como operá- lo; • O controle do iPod é um círculo que pode ser considerado como o símbolo do infinito. Denotando continuidade.
  • 58. Simplicidade Visual • O iPod é um produto simétrico e formado por linhas simples;
  • 59. Simplicidade Visual • O iPod é um produto simétrico e formado por linhas simples; • Design incrivelmente simples, passa segurança ao observador;
  • 60. Simplicidade Visual • O iPod é um produto simétrico e formado por linhas simples; • Design incrivelmente simples, passa segurança ao observador; • Presença de complexidade no controle do iPod: click-wheel é sensível ao toque. Inovação na época do lançamento;
  • 61. Simplicidade Visual • O iPod é um produto simétrico e formado por linhas simples; • Design incrivelmente simples, passa segurança ao observador; • Presença de complexidade no controle do iPod: click-wheel é sensível ao toque. Inovação na época do lançamento; • Click-wheel: apesar de complexa, não causa estranheza, já que sua forma é familiar;
  • 62. Simplicidade Visual • O iPod é um produto simétrico e formado por linhas simples; • Design incrivelmente simples, passa segurança ao observador; • Presença de complexidade no controle do iPod: click-wheel é sensível ao toque. Inovação na época do lançamento; • Click-wheel: apesar de complexa, não causa estranheza, já que sua forma é familiar; • A combinação entre simplicidade e complexidade é quase perfeita, deixando o produto atraente sem perder a atenção.
  • 64. Proporção Áurea • Entre os mp3 players disponíveis no mercado, na época de seu lançamento, o iPod era o que tinha melhor aproximação.
  • 65. Proporção Áurea • Entre os mp3 players disponíveis no mercado, na época de seu lançamento, o iPod era o que tinha melhor aproximação. • iPod: 1.67 • iRiver: 1.75 • Nomad Zen: 1.47
  • 66. “Por mais que a estética não seja o fator mais urgente durante o projeto dp produto, é importante que se dê a devida atenção, pois é através dela que será chamada a atenção do cliente e sua afeição pelo produto.” “O design do produto deve ser uma atividade integrada, trabalhando junto com as áreas técnicas, em todas as fases do projeto. As decisões sobre o estilo precisam ser tomadas em todas as fases, desde o planejamento do produto até a engenharia de produção.” Considerações Finais
  • 67. Referências BAXTER, Mike. Projeto de Produto: Guia Prático para o Desenvolvimento de Novos Produtos. São Paulo: Edgar Blücher Ltda, 1998. ROZENFELD, H. et al (2006). Gestão de Desenvolvimento de Produtos - Uma referência para a melhoria do processo. São Paulo, Saraiva, 2006. http://www.sciencedirect.com/science?_ob=ArticleURL&_udi=B8JGB-50PB9W6- 1&_user=10&_coverDate=10/31/2010&_rdoc=1&_fmt=high&_orig=search&_origin=search&_sort=d&_docanchor=&view=c&_acct=C000050221&_version=1&_urlVersion=0&_userid=10&md5=3a9fd 5dff06ec9c03ff076be4242ee39&searchtype=a http://www.acrwebsite.org/volumes/display.asp?id=7824 http://www.plasticstoday.com/mpw/articles/design-focus-industrial-design-aesthetics-produce-easier-sell-products https://springerlink3.metapress.com/content/l1506744318x54t3/resource-secured/?target=fulltext.pdf&sid=vadyngar1rysay55uodofu55&sh=www.springerlink.com http://psasir.upm.edu.my/3845/1/Pages_from_JST_VOL_13_NO._1-9.pdf http://www.ergonomics4schools.com/lzone/aesthetics.htm http://studiolab.io.tudelft.nl/static/gems/hekkert/DesignAesthetics.pdf http://sites.unifra.br/Portals/36/ALC/2003/estetica.pdf http://www.facadiferente.sebrae.com.br/2010/10/25/produtos-bem-desenhados-e-bolados-conquistam-a-clientela/ http://www.slideshare.net/piraua/slideshows http://ligiafascioni.wordpress.com/2008/05/13/funcao-ou-estetica/ http://rookery.s3.amazonaws.com/1046000/1046367_f3f7_625x1000.jpg http://fx.worth1000.com/contests/15920/archaeological-anomalies-10 http://www.mariosantiago.net/Textos%20em%20PDF/Design%20e%20%C3%A9%20arte.pdf http://books.google.com.br/books?hl=pt-BR&lr=&id=-ZrrkxDb5mcC&oi=fnd&pg=PT20&dq=estetica+do+produto&ots=V6J_OijQlv&sig=j5LoKCSQ5tmpME_jfUrUTYp3wkY#v=onepage&q&f=false http://books.google.com.br/books?hl=pt-BR&lr=&id=JKdKtpIHDNYC&oi=fnd&pg=PA13&dq=estetica+do+produto&ots=SDlyvqO9Zm&sig=AFkOs3Javt4RMtE5zOyyv1nKg_Q#v=onepage&q&f=false http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0104-530X1996000100004&script=sci_abstract&tlng=pt http://www.producao.ufrgs.br/arquivos/disciplinas/187_187_uma_analise_da_evolucao_dos_procedimentos_de_execucao_do_desenvolvimento_de_produtos.pdf http://www.lsc.ufsc.br/~edla/design/conceitos.htm http://www.consciencia.net/filosofia/estetica.html http://estudio.typepad.com/blog/2010/03/design-do-produto-muito-al%C3%A9m-da-est%C3%A9tica.html http://www.uff.br/trabalhonecessario/Esquef%20TN3.htm http://usabilidoido.com.br/estetica_antes_usabilidade_depois.html http://www.digital-web.com/articles/the_designer_is_dead/ http://estetica4ano.blogspot.com/ http://www.prcconsultoria.com.br/internas/colunas/colunas_planos.php?idColuna=67 http://nicholasgimenes.blogspot.com/2008/02/design-importante.html http://www.audiolog.pt/design-de-equipamento-e-importante http://tsetse.blogs.sapo.pt/11344.html http://www.branver.com.br/?p=462 http://www.estagiodeartista.pro.br/artedu/histodesign/5_funcionalismo.htm http://www.estagiodeartista.pro.br/artedu/histodesign/fucoes_produto.pdf http://www.portocultura.com.br/moda/53/7974/o-surgimento-do-design-e-sua-participacao-na-historia-industrial.html http://www.marketdesign.com.br/design-o-poder-do-belo.php http://www.telecentros.desenvolvimento.gov.br/_arquivos/capacitacao-empresarial/OqueeDesign.pdf http://300palavras.wordpress.com/ http://www.vitruvius.com.br/revistas/read/resenhasonline/07.080/3064 http://www.scribd.com/doc/35432505/O-design-do-desejo