SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 25
SAÚDE
MENTAL
Freud dizia que um adulto saudável é
aquele que é capaz de amar e
trabalhar satisfatoriamente.
Administrar bem os conflitos inerentes à
vida, manter a auto estima e estabelecer
vínculos afetivos estáveis.
É estar de bem consigo e com os outros. Aceitar
as exigências da vida. Saber lidar com as boas
emoções e também com as desagradáveis.
Reconhecer seus limites e buscar ajuda quando
necessário.
MAS COMO É QUE TUDO ISSO SE
PROCESSA NA MENTE HUMANA?
INSTÂNCIAS
PSÍQUICO
DO APARELHO
ID – INSTINTOS NATURAIS
PRAZER E REPRESENTAÇÕES NÃO ACEITAS PELA CONSCIÊNCIA
EGO – INSTÂNCIA REGULADORA
CONSCIÊNCIA DA PRÓPRIA PERSONALIDADE E AÇÕES DE
AUTOPRESERVAÇÃO
SUPEREGO – JUIZ SENSOR
CÓDIGOS MORAIS, CONDUTA E PARÂMETROS QUE
INIBEM A PERSONALIDADE
• As instâncias psíquicas são formas de
decodificações da realidade absorvida por
intermédio do aparelho sensório.
• O Psiquismo está em constante tensão, devido
a uma série de excitações provocadas pela
libido.
• O grande exercício psicológico é buscar o
equilíbrio entre as excitações. Sentimentos e
emoções não existem sem uma representação
que os definam.
MAS COMO ESSAS INSTÂNCIAS SE
ESTRUTURAM?
AS TRÊS ESTRUTURAS DA PERSONALIDADE
Neurose, Psicose, Perversão
NEUROSE
• Ocorre a partir do recalque
imperfeito dos desejos
censurados que procuram
meios para se
manifestarem.
• Esses meios são os
sintomas que retornam à
consciência e são
mascarados de alguma
forma para que o Ego não
sofra.
• O contato com a realidade
externa é preservado.
NEUROSE
 É como se o sujeito contasse
para si uma história com
outros personagens que
possuem o mesmo
significado respondente aos
envolvidos no fato real.
 Os neuróticos usam a
fantasia como um
instrumento para dar conta
da realidade traumática.
NEUROSE
• Elas são fruto de tentativas
ineficazes de lidar com
conflitos e traumas
inconscientes.
• O pensamento é cristalizado
e normalmente baseado na
angústia da perda.
PSICOSE
• Constrói uma realidade
interna, paralela e por isso
vive em conflito com a
realidade externa.
• Suas representações são
admitidas como sendo
algo alheio ao Ego (vindo
de fora).
PSICOSE
• Afeta os níveis de
consciência.
• Seu sistema sensório é
comprometido, sendo que
as manifestações podem
ser eliciadas a partir de
um único evento
traumático.
• Pensamento fragmentado.
PERVERSÃO
• A Pulsão exercida do lado
do avesso, culturalmente
associada à uma
aberração social de ordem
sexual ou criminosa.
• Ocorre uma negação da
lei no plano simbólico.
• Incapaz de se por como
sujeito desejante, ante,
elege para si um objeto
que lhe propicie o gozo.
PERVERSÃO
• Está em jogo a ideia de
desprezo para com o
outro e o seu uso para
propiciação de prazer.
• As perversões são
catalogadas no campo da
sexualidade. Anestesias,
hiperestesias, parestesias
e paradoxias.
• Há uma visão
estereotipada da
atmosfera do desvio, do
avesso moral.
PERVERSÃO
• Admite-se a lei, mas a
nega para alcançar a
satisfação.
• Não se sente culpado por
infringir as regras, como
acontece na neurose, uma
vez que leva em
consideração a angústia
do seu desejo não
satisfeito.
• Boa capacidade cognitiva
sem comprometimento
com a percepção da
realidade
MAS QUEM DEFINE O QUE É UM
TRANSTORNO
PSÍQUICO?
MANUAL DIAGNÓSTICO E
ESTATÍSTICO DE TRANSTORNOS
MENTAIS
DSM - 5
Conhecido como a Bíblia da Psiquiatria e da Psicologia, o manual
teve início em 1840, quando o Governos dos EUA decidiu coletar
dados sobre doenças mentais.
O DSM-I foi publicado em 1952, e descrevia 106 doenças, que
eram chamadas de “reações”.
Atualmente na quinta edição, o DSM-V traz importantes
modificações para doenças conhecidas do grande público (como a
depressão) e também incluiu novas classificações (como a
inclusão dos Transtornos do Espectro Autista).
Define e diferencia os eixos das doenças, transtornos, síndromes e
distúrbios mentais.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Depressão
DepressãoDepressão
DepressãoUNIME
 
2. freud e o inconsciente
2. freud e o inconsciente2. freud e o inconsciente
2. freud e o inconscientenorberto faria
 
Aula sobre Psicanalise/Freud - FPE
Aula sobre Psicanalise/Freud - FPEAula sobre Psicanalise/Freud - FPE
Aula sobre Psicanalise/Freud - FPERodrigo Castro
 
Saúde mental, desenvolvimento e transtornos da personalidade
Saúde mental, desenvolvimento e transtornos da personalidadeSaúde mental, desenvolvimento e transtornos da personalidade
Saúde mental, desenvolvimento e transtornos da personalidadeAroldo Gavioli
 
Freud e os mecanismos de defesa
Freud e os mecanismos de defesaFreud e os mecanismos de defesa
Freud e os mecanismos de defesaFábio Vasconcelos
 
Psicopatologia I - Aula 1: Introdução aos Conceitos da Psicopatologia.
Psicopatologia I - Aula 1: Introdução aos Conceitos da Psicopatologia.Psicopatologia I - Aula 1: Introdução aos Conceitos da Psicopatologia.
Psicopatologia I - Aula 1: Introdução aos Conceitos da Psicopatologia.Alexandre Simoes
 
PSICOPATOLOGIA II: Aula 01 (introdução à CID-10)
PSICOPATOLOGIA II: Aula 01 (introdução à CID-10)PSICOPATOLOGIA II: Aula 01 (introdução à CID-10)
PSICOPATOLOGIA II: Aula 01 (introdução à CID-10)Alexandre Simoes
 
Teorias e Técnicas Psicoterápicas I - Aula 4.pptx
Teorias e Técnicas Psicoterápicas I - Aula 4.pptxTeorias e Técnicas Psicoterápicas I - Aula 4.pptx
Teorias e Técnicas Psicoterápicas I - Aula 4.pptxJessicaDassi
 
A TEORIA PSICANÁLITICA DE SIGMUND FREUD
A TEORIA PSICANÁLITICA DE SIGMUND FREUDA TEORIA PSICANÁLITICA DE SIGMUND FREUD
A TEORIA PSICANÁLITICA DE SIGMUND FREUDDandara Cunha
 
Adolescência e identidade
Adolescência e identidadeAdolescência e identidade
Adolescência e identidadeariadnemonitoria
 
Trabalhando com os pensamentos automáticos
Trabalhando com os pensamentos automáticosTrabalhando com os pensamentos automáticos
Trabalhando com os pensamentos automáticosSarah Karenina
 
DoençAs PsicossomáTicas
DoençAs PsicossomáTicasDoençAs PsicossomáTicas
DoençAs PsicossomáTicasenfermagem
 
Transtornos ansiosos na infância e adolescência
Transtornos ansiosos na infância e adolescênciaTranstornos ansiosos na infância e adolescência
Transtornos ansiosos na infância e adolescênciaCláudio Costa
 

Mais procurados (20)

Depressão
DepressãoDepressão
Depressão
 
2. freud e o inconsciente
2. freud e o inconsciente2. freud e o inconsciente
2. freud e o inconsciente
 
Aula sobre Psicanalise/Freud - FPE
Aula sobre Psicanalise/Freud - FPEAula sobre Psicanalise/Freud - FPE
Aula sobre Psicanalise/Freud - FPE
 
Saúde mental, desenvolvimento e transtornos da personalidade
Saúde mental, desenvolvimento e transtornos da personalidadeSaúde mental, desenvolvimento e transtornos da personalidade
Saúde mental, desenvolvimento e transtornos da personalidade
 
Freud e os mecanismos de defesa
Freud e os mecanismos de defesaFreud e os mecanismos de defesa
Freud e os mecanismos de defesa
 
Depressão
DepressãoDepressão
Depressão
 
A Depressão
A DepressãoA Depressão
A Depressão
 
Ansiedade estratégias de tratamento em TCC
Ansiedade estratégias de tratamento em TCCAnsiedade estratégias de tratamento em TCC
Ansiedade estratégias de tratamento em TCC
 
Id.Ego.Super
Id.Ego.SuperId.Ego.Super
Id.Ego.Super
 
Psicopatologia I - Aula 1: Introdução aos Conceitos da Psicopatologia.
Psicopatologia I - Aula 1: Introdução aos Conceitos da Psicopatologia.Psicopatologia I - Aula 1: Introdução aos Conceitos da Psicopatologia.
Psicopatologia I - Aula 1: Introdução aos Conceitos da Psicopatologia.
 
Suicídio
SuicídioSuicídio
Suicídio
 
PSICOPATOLOGIA II: Aula 01 (introdução à CID-10)
PSICOPATOLOGIA II: Aula 01 (introdução à CID-10)PSICOPATOLOGIA II: Aula 01 (introdução à CID-10)
PSICOPATOLOGIA II: Aula 01 (introdução à CID-10)
 
Teorias e Técnicas Psicoterápicas I - Aula 4.pptx
Teorias e Técnicas Psicoterápicas I - Aula 4.pptxTeorias e Técnicas Psicoterápicas I - Aula 4.pptx
Teorias e Técnicas Psicoterápicas I - Aula 4.pptx
 
Ansiedade
AnsiedadeAnsiedade
Ansiedade
 
A TEORIA PSICANÁLITICA DE SIGMUND FREUD
A TEORIA PSICANÁLITICA DE SIGMUND FREUDA TEORIA PSICANÁLITICA DE SIGMUND FREUD
A TEORIA PSICANÁLITICA DE SIGMUND FREUD
 
janeiro branco.pptx
janeiro branco.pptxjaneiro branco.pptx
janeiro branco.pptx
 
Adolescência e identidade
Adolescência e identidadeAdolescência e identidade
Adolescência e identidade
 
Trabalhando com os pensamentos automáticos
Trabalhando com os pensamentos automáticosTrabalhando com os pensamentos automáticos
Trabalhando com os pensamentos automáticos
 
DoençAs PsicossomáTicas
DoençAs PsicossomáTicasDoençAs PsicossomáTicas
DoençAs PsicossomáTicas
 
Transtornos ansiosos na infância e adolescência
Transtornos ansiosos na infância e adolescênciaTranstornos ansiosos na infância e adolescência
Transtornos ansiosos na infância e adolescência
 

Semelhante a INSTÂNCIAS PSÍQUICAS E ESTRUTURAS DA PERSONALIDADE À LUZ DA PSICANÁLISE

Semelhante a INSTÂNCIAS PSÍQUICAS E ESTRUTURAS DA PERSONALIDADE À LUZ DA PSICANÁLISE (20)

JUNG E A FORMAÇÃO DA IDENTIDADE personalidade.ppt
JUNG E A FORMAÇÃO DA IDENTIDADE personalidade.pptJUNG E A FORMAÇÃO DA IDENTIDADE personalidade.ppt
JUNG E A FORMAÇÃO DA IDENTIDADE personalidade.ppt
 
Freud
FreudFreud
Freud
 
Freud
FreudFreud
Freud
 
sadementaledesenvolvimentodapersonalidade-140813214028-phpapp01.pdf
sadementaledesenvolvimentodapersonalidade-140813214028-phpapp01.pdfsadementaledesenvolvimentodapersonalidade-140813214028-phpapp01.pdf
sadementaledesenvolvimentodapersonalidade-140813214028-phpapp01.pdf
 
O caminho da cura
O caminho da curaO caminho da cura
O caminho da cura
 
Curso de Entrevistadores - Sexualidade
Curso de Entrevistadores - SexualidadeCurso de Entrevistadores - Sexualidade
Curso de Entrevistadores - Sexualidade
 
Curso de Entrevistadores - Sexualidade
Curso de Entrevistadores - SexualidadeCurso de Entrevistadores - Sexualidade
Curso de Entrevistadores - Sexualidade
 
Freud 1
Freud 1Freud 1
Freud 1
 
Psicanálise - Estudo da Teoria de Sigmund Freud
Psicanálise - Estudo da Teoria de Sigmund FreudPsicanálise - Estudo da Teoria de Sigmund Freud
Psicanálise - Estudo da Teoria de Sigmund Freud
 
5 slides psicanalise_desejo_desencadeador_+processo_humano_todos
5 slides psicanalise_desejo_desencadeador_+processo_humano_todos5 slides psicanalise_desejo_desencadeador_+processo_humano_todos
5 slides psicanalise_desejo_desencadeador_+processo_humano_todos
 
Obsessão
ObsessãoObsessão
Obsessão
 
Carl Jung
Carl JungCarl Jung
Carl Jung
 
Seminario freud
Seminario freudSeminario freud
Seminario freud
 
Inteligência Espiritual
Inteligência EspiritualInteligência Espiritual
Inteligência Espiritual
 
Ep neurose e psicose
Ep neurose e psicoseEp neurose e psicose
Ep neurose e psicose
 
Aula M1(16 a 17 anos) (26/04/12) - O valor da vida
Aula M1(16 a 17 anos) (26/04/12) - O valor da vida Aula M1(16 a 17 anos) (26/04/12) - O valor da vida
Aula M1(16 a 17 anos) (26/04/12) - O valor da vida
 
Psicanálise
PsicanálisePsicanálise
Psicanálise
 
Saúde emocional
Saúde emocionalSaúde emocional
Saúde emocional
 
Material de revisão
Material de revisãoMaterial de revisão
Material de revisão
 
O impulso sexual
O impulso sexualO impulso sexual
O impulso sexual
 

Mais de Rafael Almeida

ORIENTAÇÕES EM CRISES ENVOLVENDO PESSOAS EM IDEAÇÃO SUICIDA
ORIENTAÇÕES EM CRISES ENVOLVENDO PESSOAS EM IDEAÇÃO SUICIDAORIENTAÇÕES EM CRISES ENVOLVENDO PESSOAS EM IDEAÇÃO SUICIDA
ORIENTAÇÕES EM CRISES ENVOLVENDO PESSOAS EM IDEAÇÃO SUICIDARafael Almeida
 
FENOMENOLOGIA E AS IMPLICAÇÕES DA CONSCIÊNCIA
FENOMENOLOGIA E AS IMPLICAÇÕES DA CONSCIÊNCIAFENOMENOLOGIA E AS IMPLICAÇÕES DA CONSCIÊNCIA
FENOMENOLOGIA E AS IMPLICAÇÕES DA CONSCIÊNCIARafael Almeida
 
Defesa civil volume II
Defesa civil volume IIDefesa civil volume II
Defesa civil volume IIRafael Almeida
 
PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL
PSICOLOGIA ORGANIZACIONALPSICOLOGIA ORGANIZACIONAL
PSICOLOGIA ORGANIZACIONALRafael Almeida
 
Aconselhamento Cristão nas questões pessoais
Aconselhamento Cristão nas questões pessoaisAconselhamento Cristão nas questões pessoais
Aconselhamento Cristão nas questões pessoaisRafael Almeida
 
PSICOLOGIA DA CRIATIVIDADE
PSICOLOGIA DA CRIATIVIDADEPSICOLOGIA DA CRIATIVIDADE
PSICOLOGIA DA CRIATIVIDADERafael Almeida
 
PRONTOS PARA MATAR E PARA MORRER
PRONTOS PARA MATAR E PARA MORRERPRONTOS PARA MATAR E PARA MORRER
PRONTOS PARA MATAR E PARA MORRERRafael Almeida
 
Ansiedade, Depressão & superação
Ansiedade, Depressão & superaçãoAnsiedade, Depressão & superação
Ansiedade, Depressão & superaçãoRafael Almeida
 
Estresse e Alcoolismo na Atividade Policial
Estresse e Alcoolismo na Atividade PolicialEstresse e Alcoolismo na Atividade Policial
Estresse e Alcoolismo na Atividade PolicialRafael Almeida
 
EU E OS OUTROS - UM ENSAIO SOBRE A COMPETÊNCIA INTERPESSOAL BASEADO NO SERIAD...
EU E OS OUTROS - UM ENSAIO SOBRE A COMPETÊNCIA INTERPESSOAL BASEADO NO SERIAD...EU E OS OUTROS - UM ENSAIO SOBRE A COMPETÊNCIA INTERPESSOAL BASEADO NO SERIAD...
EU E OS OUTROS - UM ENSAIO SOBRE A COMPETÊNCIA INTERPESSOAL BASEADO NO SERIAD...Rafael Almeida
 
RELAÇÕES INTERPESSOAIS
RELAÇÕES INTERPESSOAISRELAÇÕES INTERPESSOAIS
RELAÇÕES INTERPESSOAISRafael Almeida
 
ORIENTAÇÕES PARA PAIS E ADOLESCENTES - JOGO DA BALEIA AZUL
ORIENTAÇÕES PARA PAIS E ADOLESCENTES - JOGO DA BALEIA AZULORIENTAÇÕES PARA PAIS E ADOLESCENTES - JOGO DA BALEIA AZUL
ORIENTAÇÕES PARA PAIS E ADOLESCENTES - JOGO DA BALEIA AZULRafael Almeida
 
Comunicação organizacional
Comunicação organizacionalComunicação organizacional
Comunicação organizacionalRafael Almeida
 
Relato de uma vivência sob a ótica do Existencialismo. Estudo de caso sobre M...
Relato de uma vivência sob a ótica do Existencialismo. Estudo de caso sobre M...Relato de uma vivência sob a ótica do Existencialismo. Estudo de caso sobre M...
Relato de uma vivência sob a ótica do Existencialismo. Estudo de caso sobre M...Rafael Almeida
 
Depressão: Quando a fraqueza ganha força!
Depressão: Quando a fraqueza ganha força!Depressão: Quando a fraqueza ganha força!
Depressão: Quando a fraqueza ganha força!Rafael Almeida
 

Mais de Rafael Almeida (20)

EDUCAÇÃO EMOCIONAL
EDUCAÇÃO EMOCIONALEDUCAÇÃO EMOCIONAL
EDUCAÇÃO EMOCIONAL
 
ORIENTAÇÕES EM CRISES ENVOLVENDO PESSOAS EM IDEAÇÃO SUICIDA
ORIENTAÇÕES EM CRISES ENVOLVENDO PESSOAS EM IDEAÇÃO SUICIDAORIENTAÇÕES EM CRISES ENVOLVENDO PESSOAS EM IDEAÇÃO SUICIDA
ORIENTAÇÕES EM CRISES ENVOLVENDO PESSOAS EM IDEAÇÃO SUICIDA
 
FENOMENOLOGIA E AS IMPLICAÇÕES DA CONSCIÊNCIA
FENOMENOLOGIA E AS IMPLICAÇÕES DA CONSCIÊNCIAFENOMENOLOGIA E AS IMPLICAÇÕES DA CONSCIÊNCIA
FENOMENOLOGIA E AS IMPLICAÇÕES DA CONSCIÊNCIA
 
Defesa civil volume II
Defesa civil volume IIDefesa civil volume II
Defesa civil volume II
 
DEFESA CIVIL
DEFESA CIVILDEFESA CIVIL
DEFESA CIVIL
 
FENOMENOLOGIA
FENOMENOLOGIA FENOMENOLOGIA
FENOMENOLOGIA
 
LIDERANÇA
LIDERANÇALIDERANÇA
LIDERANÇA
 
PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL
PSICOLOGIA ORGANIZACIONALPSICOLOGIA ORGANIZACIONAL
PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL
 
Aconselhamento Cristão nas questões pessoais
Aconselhamento Cristão nas questões pessoaisAconselhamento Cristão nas questões pessoais
Aconselhamento Cristão nas questões pessoais
 
PSICOLOGIA DA CRIATIVIDADE
PSICOLOGIA DA CRIATIVIDADEPSICOLOGIA DA CRIATIVIDADE
PSICOLOGIA DA CRIATIVIDADE
 
PRONTOS PARA MATAR E PARA MORRER
PRONTOS PARA MATAR E PARA MORRERPRONTOS PARA MATAR E PARA MORRER
PRONTOS PARA MATAR E PARA MORRER
 
Ansiedade, Depressão & superação
Ansiedade, Depressão & superaçãoAnsiedade, Depressão & superação
Ansiedade, Depressão & superação
 
Estresse e Alcoolismo na Atividade Policial
Estresse e Alcoolismo na Atividade PolicialEstresse e Alcoolismo na Atividade Policial
Estresse e Alcoolismo na Atividade Policial
 
MOTIVAÇÃO
MOTIVAÇÃOMOTIVAÇÃO
MOTIVAÇÃO
 
EU E OS OUTROS - UM ENSAIO SOBRE A COMPETÊNCIA INTERPESSOAL BASEADO NO SERIAD...
EU E OS OUTROS - UM ENSAIO SOBRE A COMPETÊNCIA INTERPESSOAL BASEADO NO SERIAD...EU E OS OUTROS - UM ENSAIO SOBRE A COMPETÊNCIA INTERPESSOAL BASEADO NO SERIAD...
EU E OS OUTROS - UM ENSAIO SOBRE A COMPETÊNCIA INTERPESSOAL BASEADO NO SERIAD...
 
RELAÇÕES INTERPESSOAIS
RELAÇÕES INTERPESSOAISRELAÇÕES INTERPESSOAIS
RELAÇÕES INTERPESSOAIS
 
ORIENTAÇÕES PARA PAIS E ADOLESCENTES - JOGO DA BALEIA AZUL
ORIENTAÇÕES PARA PAIS E ADOLESCENTES - JOGO DA BALEIA AZULORIENTAÇÕES PARA PAIS E ADOLESCENTES - JOGO DA BALEIA AZUL
ORIENTAÇÕES PARA PAIS E ADOLESCENTES - JOGO DA BALEIA AZUL
 
Comunicação organizacional
Comunicação organizacionalComunicação organizacional
Comunicação organizacional
 
Relato de uma vivência sob a ótica do Existencialismo. Estudo de caso sobre M...
Relato de uma vivência sob a ótica do Existencialismo. Estudo de caso sobre M...Relato de uma vivência sob a ótica do Existencialismo. Estudo de caso sobre M...
Relato de uma vivência sob a ótica do Existencialismo. Estudo de caso sobre M...
 
Depressão: Quando a fraqueza ganha força!
Depressão: Quando a fraqueza ganha força!Depressão: Quando a fraqueza ganha força!
Depressão: Quando a fraqueza ganha força!
 

INSTÂNCIAS PSÍQUICAS E ESTRUTURAS DA PERSONALIDADE À LUZ DA PSICANÁLISE

  • 2. Freud dizia que um adulto saudável é aquele que é capaz de amar e trabalhar satisfatoriamente.
  • 3. Administrar bem os conflitos inerentes à vida, manter a auto estima e estabelecer vínculos afetivos estáveis.
  • 4. É estar de bem consigo e com os outros. Aceitar as exigências da vida. Saber lidar com as boas emoções e também com as desagradáveis.
  • 5. Reconhecer seus limites e buscar ajuda quando necessário.
  • 6. MAS COMO É QUE TUDO ISSO SE PROCESSA NA MENTE HUMANA?
  • 8.
  • 9. ID – INSTINTOS NATURAIS PRAZER E REPRESENTAÇÕES NÃO ACEITAS PELA CONSCIÊNCIA
  • 10. EGO – INSTÂNCIA REGULADORA CONSCIÊNCIA DA PRÓPRIA PERSONALIDADE E AÇÕES DE AUTOPRESERVAÇÃO
  • 11. SUPEREGO – JUIZ SENSOR CÓDIGOS MORAIS, CONDUTA E PARÂMETROS QUE INIBEM A PERSONALIDADE
  • 12. • As instâncias psíquicas são formas de decodificações da realidade absorvida por intermédio do aparelho sensório. • O Psiquismo está em constante tensão, devido a uma série de excitações provocadas pela libido. • O grande exercício psicológico é buscar o equilíbrio entre as excitações. Sentimentos e emoções não existem sem uma representação que os definam.
  • 13. MAS COMO ESSAS INSTÂNCIAS SE ESTRUTURAM?
  • 14. AS TRÊS ESTRUTURAS DA PERSONALIDADE Neurose, Psicose, Perversão
  • 15. NEUROSE • Ocorre a partir do recalque imperfeito dos desejos censurados que procuram meios para se manifestarem. • Esses meios são os sintomas que retornam à consciência e são mascarados de alguma forma para que o Ego não sofra. • O contato com a realidade externa é preservado.
  • 16. NEUROSE  É como se o sujeito contasse para si uma história com outros personagens que possuem o mesmo significado respondente aos envolvidos no fato real.  Os neuróticos usam a fantasia como um instrumento para dar conta da realidade traumática.
  • 17. NEUROSE • Elas são fruto de tentativas ineficazes de lidar com conflitos e traumas inconscientes. • O pensamento é cristalizado e normalmente baseado na angústia da perda.
  • 18. PSICOSE • Constrói uma realidade interna, paralela e por isso vive em conflito com a realidade externa. • Suas representações são admitidas como sendo algo alheio ao Ego (vindo de fora).
  • 19. PSICOSE • Afeta os níveis de consciência. • Seu sistema sensório é comprometido, sendo que as manifestações podem ser eliciadas a partir de um único evento traumático. • Pensamento fragmentado.
  • 20. PERVERSÃO • A Pulsão exercida do lado do avesso, culturalmente associada à uma aberração social de ordem sexual ou criminosa. • Ocorre uma negação da lei no plano simbólico. • Incapaz de se por como sujeito desejante, ante, elege para si um objeto que lhe propicie o gozo.
  • 21. PERVERSÃO • Está em jogo a ideia de desprezo para com o outro e o seu uso para propiciação de prazer. • As perversões são catalogadas no campo da sexualidade. Anestesias, hiperestesias, parestesias e paradoxias. • Há uma visão estereotipada da atmosfera do desvio, do avesso moral.
  • 22. PERVERSÃO • Admite-se a lei, mas a nega para alcançar a satisfação. • Não se sente culpado por infringir as regras, como acontece na neurose, uma vez que leva em consideração a angústia do seu desejo não satisfeito. • Boa capacidade cognitiva sem comprometimento com a percepção da realidade
  • 23. MAS QUEM DEFINE O QUE É UM TRANSTORNO PSÍQUICO?
  • 24. MANUAL DIAGNÓSTICO E ESTATÍSTICO DE TRANSTORNOS MENTAIS DSM - 5
  • 25. Conhecido como a Bíblia da Psiquiatria e da Psicologia, o manual teve início em 1840, quando o Governos dos EUA decidiu coletar dados sobre doenças mentais. O DSM-I foi publicado em 1952, e descrevia 106 doenças, que eram chamadas de “reações”. Atualmente na quinta edição, o DSM-V traz importantes modificações para doenças conhecidas do grande público (como a depressão) e também incluiu novas classificações (como a inclusão dos Transtornos do Espectro Autista). Define e diferencia os eixos das doenças, transtornos, síndromes e distúrbios mentais.