Aula 03 - Funções psíquicas

20.089 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
20.089
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
793
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
353
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula 03 - Funções psíquicas

  1. 1. LAMPSI Liga Acadêmica de MedicinaPsiquiátrica do Rio Grande do Norte Curso de PsicopatologiaConsciência/ Atenção/ Orientação
  2. 2. A CONSCIÊNCIA E SUAS ALTERAÇÕES
  3. 3. DEFINIÇÕES BÁSICAS• Conceito: conhecimento compartilhado com outro ou conhecimento compartilhado consigo mesmo.• Husserl (fenomenologia)  consciência como fenômeno ativo, visando ao mundo e produzindo sentido para os objetos que se lhe apresentam. É o dirigir-se a algo de forma ativa e produtiva.
  4. 4. NEUROPSICOLOGIA DA CONSCIÊNCIA ESTÍMULOS INTRÍNSECOS (Proprioceptivos, Viscerais) E EXTRÍNSECOS (Órgãos dos sentidos) Vias ascendentes SRAA (Tronco cerebral e Mesencéfalo  principalmente:porção tegmentar, parte superior da ponte e mesencéfalo) Projeções talâmicas Ativação e manutenção do tônus cerebral nos HEMISFÉRIOS CEREBRAIS Moruzzi e Magoun  estar desperto e agir conscientemente dependem do SRAA
  5. 5. Sistema Reticular Ativador Ascendente• O alerta está relacionado especialmente ao locus ceruleus, localizado no 1/3 superior da ponte, que é a maior fonte de norepinefrina no cérebro.
  6. 6. Sistema Reticular Ativador Ascendente• O sono está relacionado aos núcleos da rafe, localizados na parte inferior da ponte e no bulbo, cujas terminações secretam serotonina.• O ciclo sono-vigília é controlado pelo núcleo supra-quiasmático no hipotálamo posterior.
  7. 7. NEUROPSICOLOGIA DA CONSCIÊNCIA• Outras áreas de importância: - Corticais visuais: visão pré-consciente. - Lobo parietal direito: reconhecimento do próprio corpo, objetos e mundo além da apreensão da “realidade”. - Áreas pré-frontais: organização da ativi- dade mental consciente. - Interações tálamo-corticais: ativação da atividade cortical relativa à consciência.
  8. 8. CAMPO DA CONSCIÊNCIA FOCO MARGEM: Automatismos mentais e estados subliminares
  9. 9. INCONSCIENTE• Eficaz, dinâmico e determinante da vida psíquica. É pilar da psicanálise.• Há dois tipos: VERDADEIRO PRÉ-CONSCIENTEIncapaz de consciência, inacessível à Representações, idéias e sentimentosevocação voluntária. suscetíveis de serem evocados peloSó acessível por técnicas especiais esforço voluntário.(hipnose, psicanálise). Fatos, lembranças e idéias esquecidos sãoRevela-se por subprodutos: sonhos, atos evocáveis voluntariamente a qual-querfalhos, chistes e sintomas neuró-ticos. hora.• Sintomas neuróticos: satisfação indireta ou substitutiva de impulsos recalcados (tendências excluídas da consciência pela autocensura mas que permanecem no inconsciente).
  10. 10. INCONSCIENTE• Características dinâmicas: - Sede de idéias latentes, mas com caráter dinâmico e atuante. - Verificação clínica do caráter dinâmico: # Resistência para chegar ao inconsciente; # Produção renovada de derivados do recalque.
  11. 11. ALTERAÇÕES NORMAIS – O SONO• Dividido em 2 fases básicas: REM e NREM.• Fase REM: - 20-25% do tempo total de sono. - EEG = estágio I NREM. - Instabilidade do SNA simp (FC,FR,TA,FSC,DC). - Ocorrência da maior parte dos sonhos. - 1º período REM: 70-120 min após adormecer (latência REM). - > qtd. no último 1/3 da noite (4 às 7 horas). - Narcolepsia e depressão:  latência REM. - Padrão de movimentos oculares rápidos e conjugados + relaxamento muscular profundo e generalizado.
  12. 12. ALTERAÇÕES NORMAIS – O SONO• Fase Não-REM: - Atividade elétrica cerebral síncrona com elementos próprios(complexos K e ondas lentas). -  atividade do SNA simpático e  relativo da atividade do SNA parassimpático - Estágios: # 1: EEG de baixa voltagem, sono leve e superficial. # 2: EEG c/ aspectos fusiformes e espículas de alta voltagem (complexos K). # 3: EEG lento, c/ondas delta. # 4: + profundo, ondas delta, difícil despertar e caso ocorra, gera confusão. # Sono de ondas lentas: estágios 3 e 4.
  13. 13. ALTERAÇÕES NORMAIS – O SONHO• Sonha-se várias vezes durante a noite mas pouco é lembrado (> 8 min. pós-REM impede a lembrança).• Vivências predominantemente visuais.• Freud: - Fenômeno psicológico rico e revelador de desejos e temores, mesmo que de forma indireta e disfarçada. - Transforma conteúdos latentes em manifestos (sonhos lembrados). - Negociação entre inconsciente e consciente.
  14. 14. ALTERAÇÕES QUANTITATIVAS• Consiste no rebaixamento do nível de consciência.• Obnubilação/turvação: - Rebaixamento leve a moderado. - Paciente sonolento ou parecendo desperto. -  clareza do sensório,  concentração e integração de informações do ambiente. - Perplexidade c/ pensamento algo confuso.• Sopor: - Rebaixamento + profundo, evidentemente sonolento e só desperto por estímulo enérgico. - S/ ação espontânea, lentificação EEG.
  15. 15. ALTERAÇÕES QUANTITATIVAS• Coma: - Grau mais profundo do rebaixamento. - Ausência de qq. indício de consciência e atividade voluntária. - Sinais neurológicos: movimentos oculares errantes, nistagmo, transtorno do olhar conjugado, ausência do reflexo de acomodação... - Rigidez de decorticação e descerebração e anormalidade difusas ou focais no EEG.
  16. 16. ALTERAÇÕES QUANTITATIVAS• Síndromes psicopatológicas associadas: - Delirium: designa > parte das síndromes confusionais agudos, cursando com  nível de consciência, desorientação TE, agitação/lentificação, ilusões/alucinações visuais, flutuação do QC ao longo do dia (piora ao anoitecer). - Estado onírico:consciência turva + estado semelhante a 1 sonho vívido (alucinação visual intensa e cênica),forte carga emocional,amnésia posterior. Ex: psicose tóxica, abstinência a drogas (DT) e febre tóxico-infecciosa. Atual: delirium.
  17. 17. ALTERAÇÕES QUANTITATIVAS- Síndrome do cativeiro (Locked-in): paralisia total dos nn. cranianos e dos membros por destruição da base da ponte (infarto/mielinólise da porção central) com preservação do nível de consciência e respiração e comunicação por meio de movimentos oculares (piscamento).
  18. 18. ALTERAÇÕES QUALITATIVAS• Perturbação de parte do campo da consciência geralmente associada a alteração quantitativa.• “Transtornos focais/do conteúdo” da consciência.• Estados crepusculares: afunilamento da consciência + atividade psicomotora ± coordenada com atos explosivos/descontrole emocional. Duração variável. Ex: histeria aguda, epilepsia e intoxicações.• Dissociação da consciência: divisão da consciência c/ perda da sua unidade durando de minutos a horas. Ex: histeria e ansiedade intensa, visando se desligar da realidade p/  sofrimento.
  19. 19. ALTERAÇÕES QUALITATIVAS• Transe: dissociação + atividade motora automática e estereotipada + suspensão parcial dos movimentos voluntários. Religioso (cultural) e histérico (conflitos e transtornos psicopatológicos).• Estado hipnótico: técnica refinada de concentração da atenção e alteração induzida da consciência, assemelha-se ao transe, há > sugestionabilidade do indivíduo e pode haver lembrança de cenas e fatos esquecidos bem como indução de anestesia, paralisia, rigidez muscular e alterações vasomotoras.
  20. 20. SEMIOTÉCNICA• Primeira função a ser avaliada.• Desperto ou sonolento?  ver fácies e atitude.• Perplexidade?   integração c/ estímulos ambientais.• Orientação TE auxilia avaliação da consciência.• Teste da parede ou do papel em branco e do globo ocular: alucinações visuais simples/complexas.• Escala de coma de Glasgow: - Abertura ocular: 4 (espontânea,verbal,dor,não). - Resposta verbal: 5 (coerente,confuso,palavras incompreensíveis,grunhidos,nenhuma). - Resposta motora: 6 (voluntária,localiza,retira,flexão, extensão,nenhuma)
  21. 21. A ATENÇÃO E SUAS ALTERAÇÕES
  22. 22. CONCEITOS• Estado de concentração da atividade mental sobre determinado objeto.• Direção da consciência.• Tomar posse pela mente, de modo claro e vívido, de um entre uma diversidade enorme de objetos ou correntes de pensamentos simultaneamente dados.
  23. 23. CONCEITOS• Natureza da atenção: Voluntária- concentração ativa e intencional sobre um objeto. Espontânea- suscitado pelo interesse momentâneo que um objeto desperta• Direção da atenção Externa- voltada para o mundo exterior Interna- voltada para os processos mentais do indivíduo• Amplitude Focal- concentra-se sobre um campo delimitado da consciência Dispersa
  24. 24. ASPECTOS BÁSICOS DA ATENÇÃO• Capacidade e foco de atenção• Atenção seletiva• Seleção de resposta e controle seletivo• Atenção constante ou sustentada# Hábito e sensibilização (Pavlov)- “resposta de orientação”
  25. 25. NEUROPSICOLOGIA• Áreas envolvidas: SRAA, tálamo (filtro), corpo estriado, córtex parietal posterior D (seleção sensorial), córtex pré-frontal, lobo temporal medial.• SRAA: possibilita o nível de consciência básico.• Áreas pré-frontais: seleção e concentração de informações, focando a atenção.• Porção anterior do Giro do Cíngulo: controle da atenção.• Estruturas límbicas mesotemporais: interesse afetivo.
  26. 26. PSICOLOGIA DA ATENÇÃO• Tenacidade: capacidade de fixar a atenção sobre determinado objeto/área. Fixação a um determinado estímulo.• Vigilância: qualidade da atenção que permite ao indivíduo mudar seu foco de um objeto p/ outro.
  27. 27. ANORMALIDADES• Hipoprosexia:  global da atenção sendo a + comum e menos específica.• Aprosexia: total abolição da capacidade de atenção, por + fortes e variados que sejam os estímulos utilizados.• Hiperprosexia: atenção exacerbada com tendência incoercível a se manter indefinidamente sobre um mesmo objeto com infatigabilidade.• Distração: é um sinal caracterizado por superconcentração ativa em um objeto e inibição do restante.
  28. 28. ANORMALIDADES• Distraibilidade: - É patológica. - Há instabilidade marcante e mobilidade acentua- da da atenção voluntária, dificuldade e incapaci- dade para se fixar ou se manter em qualquer coisa que implique esforço produtivo. - Atenção fica facilmente desviável.
  29. 29. DOENÇAS MENTAIS• Mania:  atenção voluntária,  atenção espontânea,  vigilância e  tenacidade.• Depressão moderada: hipoprosexia generalizada.• Depressão grave: hipertenacidade em temas de ruína, culpa e pecado com incapacidade para mudar este foco (hipovigilância).• Esquizofrenia: franca distraibilidade com dificuldade para filtrar e anular estímulos irrelevantes.• TDAH: dificuldade de prestar atenção em estímulos internos e externos, dificuldade em organizar/ completar tarefas e para controlar os impulsos, prejuízo em relação à filtragem de estímulos irrelevantes à tarefa
  30. 30. ORIENTAÇÃO E SUAS ALTERAÇÕES
  31. 31. CONCEITOS• Importância: avaliação do nível de consciência.• Autopsíquica: orientação em relação a si mesmo (quem é, como se chama, idade, nacionalidade, profissão, estado civil e religião).• Alopsíquica: orientação em relação ao mundo, dividindo-o em tempo e espaço. - Temporal: avalia hora e período atual, dia, data e estação do ano. É a mais sofisticada, adquirida mais tardiamente, exige integração + elaborada de estímulos ambientais, + fácil prejuízo. - Espacial: lugar onde está, andar do prédio, bairro, cidade, estado, país.
  32. 32. ALTERAÇÕES• 1ª alteração: temporal, seguindo-se espaço e autopsíquica.• Desorientação por  nível de consciência: forma + comum c/ alteração da atenção, concentração e capacidade de integração de estímulos ambientais. Sinônimo: torporosa/confusa.• Por déficit de memória de fixação (amnéstica): dificuldade em fixar informações c/ perda do fluir do tempo e deslocamento no espaço. Ex: Korsakoff.• Demencial: amnéstica + agnosia + desorganização global das funções cognitivas.
  33. 33. • ALTERAÇÕES e Apática ou abúlica: falta de motivação interesse com perda do foco nos estímulos ambientais.• Delirante: passa a habitar o local dos seus delírios e pode haver “dupla orientação” (real e delirante coexistindo).• Oligofrênica: incapacidade p/ compreender o ambiente e as normas sociais.• Histérica: alteração da identidade pessoal• e/ou da consciência secundária à dissociação.• Por desagregação: EQ crônica c/ grave desorganização comportamental.• Quanto à própria idade: discrepância de• 5 anos  EQ crônica c/ déficit cognitivo.
  34. 34. maralizandra@hotmail.com

×