SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 19
Relato de uma
Sob a ótica do
Apresentação do casoApresentação do caso
““Como ser uma coisaComo ser uma coisa
que eu não tive?”que eu não tive?”
(Maria Rita)
““Maria RitaMaria Rita
costumava ficarcostumava ficar
bastante irritadabastante irritada
quando comparadaquando comparada
com a mãe.”com a mãe.”
Mas que relação conflituosa
havia entre Maria Rita e Elis?
Mas que relação conflituosa
havia entre Maria Rita e Elis?
“Uma chata, mal humorada, de poucos
amigos, drogada e suicida. mas uma bela voz.
sempre detestei elis.”
(naíra jane rodi - 20/01/2012)
“Eu vivia atônita porque eles sabiam tudo
da minha vida, porra! Dia tal, lugar tal, tal
hora, você conversou com fulano... Até os
números dos cheques que eu mandava pra
minha mãe em Porto Alegre, o número da
conta...”
(Elis Regina)
MÃE DOS QUE NÃO
TINHAM VOZ
Como patriota, Elis registrou momentos de
felicidade, amor, tristeza, patriotismo e ditadura
militar no país.
Elis Regina criticou muitas vezes a ditadura
brasileira, nos difíceis Anos de chumbo, quando
muitos músicos foram perseguidos e exilados. A
crítica tornava-se pública em meio às
declarações ou nas canções que interpretava.
Em entrevista, no ano de 1969, teria afirmado
que o Brasil era governado por gorilas (há ainda
controvérsias em relação a essa declaração.
Sempre engajada politicamente, Elis participou
de uma série de movimentos de renovação
política e cultural brasileira, com voz ativa da
campanha pela Anistia de exilados brasileiros.
Causando grande comoção
nacional, faleceu aos 36 anos
de idade em 19 de janeiro de
1982, devido a complicações
decorrentes de uma overdose
de cocaína, e bebida
alcoólica.
“Sobre as comparações com minha mãe, isso já
me incomodou muito. Mas como ninguém nasce
do nada. Filha de chocadeira, eu não sou. Acho
as acusações inadmissíveis. Às pessoas que
ousam dizer que eu a imito, perco o respeito na
hora, fecho a porta na cara. Uma mãe e uma
filha são iguais porque é assim que a genética
explica. Não estou inventando nada.
Reconquistei uma relação com a minha mãe. Na
adolescência, quando me sentia solitária, ouvia
uma música dela e me sentia melhor. Larguei
por causa dessas pessoas. Daí eu decidi que
agora “vocês vão ver bem como é o negócio”.
(Maria Rita)
&
"Uma situação marcante, que mudou a minha vida,
aconteceu anos atrás em um sarau com a família. Eu cantei
e quando acabei todo mundo estava chorando, aquilo me
irritou. Fiquei brava e disse: 'ela não vai voltar mais'.
“Na ocasião um amigo me disse: 'eu não
acho que você lembre a Elis , mas pensei
que nunca mais fosse me emocionar, e me
emocionou'. Ai eu entendi” explicou a
cantora.'.
“Cantar é a forma que
encontrei para cuidar
de minha mãe. Eu canto
com toda a minha
coragem e com todo o
meu amor. As pessoas
cuidam de suas mães
vivas e eu infelizmente
não tive essa
oportunidade".
A cantora também
disse que a
maternidade lhe
trouxe muita
insegurança e por isso
procurou um
terapeuta.
"Procurei terapia não pelo filho, mas pelo trabalho, para
saber lidar com a culpa de deixar um bebê pequeno em
casa.
“Eu não tive mãe, fui criada pelo meu
pai e pela esposa dela, então a
maternidade me assustou, tinha 4
anos quando minha mãe morreu.
Como ser uma coisa que eu não tive?
Mãe é um elemento importante, eu
precisava me entender dentro desse
contexto... Eu entendi que a melhor
ferramenta é o instinto maternal".
Contextualização e DiscussõesContextualização e Discussões
Referências:Referências:
http://celebridades.uol.com.br/noticias/redacao/2014/05/28/
maria-rita-sobre-terapia-apos-ser-mae-como-ser-uma-coisa-
que-eu-nao-tive.htm
http://caras.uol.com.br/tv/maria-rita-odiava-ser-comparada-
mae-cantei-e-todo-mundo-chorou-aquilo-me-irritou
http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/diversao-e-
arte/2014/04/02/interna_diversao_arte,420766/subia-no-
palco-com-medo-revela-maria-rita-sobre-homenagem-a-elis-
regina.shtml
http://f5.folha.uol.com.br/celebridades/2014/05/1461530-
como-ser-uma-coisa-que-eu-nao-tive-diz-maria-rita-sobre-
maternidade.shtml
http://mediacenter.amauryjr.com.br/mediacenter/principal_vi
deoteca.asp?sub=0&id=28

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Relação Maria Rita e Elis

Cantigas_de_adolescer_PNLD2020_PR.pdf
Cantigas_de_adolescer_PNLD2020_PR.pdfCantigas_de_adolescer_PNLD2020_PR.pdf
Cantigas_de_adolescer_PNLD2020_PR.pdfSolangeLopesdeSousa1
 
Jose Lins do Rego MENINO DE ENGENHO
Jose Lins do Rego   MENINO DE ENGENHOJose Lins do Rego   MENINO DE ENGENHO
Jose Lins do Rego MENINO DE ENGENHOeducacaocedbc
 
AfroPoemas expocupacão AfroEscola em Palavras, jun 2018
AfroPoemas expocupacão AfroEscola em Palavras, jun 2018AfroPoemas expocupacão AfroEscola em Palavras, jun 2018
AfroPoemas expocupacão AfroEscola em Palavras, jun 2018oficinativa
 
Cuidebemdoseuamor X(1)
Cuidebemdoseuamor X(1)Cuidebemdoseuamor X(1)
Cuidebemdoseuamor X(1)Sandro Moretty
 
Cuidebemdoseuamor x(1)
Cuidebemdoseuamor x(1)Cuidebemdoseuamor x(1)
Cuidebemdoseuamor x(1)Juninho Moral
 
Trabalho português_Oscar_9ºCF_nr18.pptx
Trabalho português_Oscar_9ºCF_nr18.pptxTrabalho português_Oscar_9ºCF_nr18.pptx
Trabalho português_Oscar_9ºCF_nr18.pptxMaria Céu Santos
 
Análise estrutural da narrativa em "Uma canção para você", de Luísa Trigo
Análise estrutural da narrativa em "Uma canção para você", de Luísa TrigoAnálise estrutural da narrativa em "Uma canção para você", de Luísa Trigo
Análise estrutural da narrativa em "Uma canção para você", de Luísa TrigoProfessora Lucimara
 
Mulheres entrelacadas dimythryus padilha
Mulheres entrelacadas   dimythryus padilhaMulheres entrelacadas   dimythryus padilha
Mulheres entrelacadas dimythryus padilhaBruno Grossi Begê
 
capivarinhas-nao-sao-sozinhas-internet.pdf
capivarinhas-nao-sao-sozinhas-internet.pdfcapivarinhas-nao-sao-sozinhas-internet.pdf
capivarinhas-nao-sao-sozinhas-internet.pdfProfessorCesar1
 
Roteiro didático de história tecnologia aplicada à educação
Roteiro didático de história tecnologia aplicada à educaçãoRoteiro didático de história tecnologia aplicada à educação
Roteiro didático de história tecnologia aplicada à educaçãoMargarete Tesch
 
T Extos Do 5 F
T Extos Do 5 FT Extos Do 5 F
T Extos Do 5 Fveroleal
 
Desabafo De Um Velho
Desabafo De Um VelhoDesabafo De Um Velho
Desabafo De Um Velhojmeirelles
 
PRINCESA DO DESEJO: desventuras de uma jovem
PRINCESA DO DESEJO: desventuras de uma jovemPRINCESA DO DESEJO: desventuras de uma jovem
PRINCESA DO DESEJO: desventuras de uma jovemCamilaSGaspar
 

Semelhante a Relação Maria Rita e Elis (20)

Cantigas_de_adolescer_PNLD2020_PR.pdf
Cantigas_de_adolescer_PNLD2020_PR.pdfCantigas_de_adolescer_PNLD2020_PR.pdf
Cantigas_de_adolescer_PNLD2020_PR.pdf
 
Jose Lins do Rego MENINO DE ENGENHO
Jose Lins do Rego   MENINO DE ENGENHOJose Lins do Rego   MENINO DE ENGENHO
Jose Lins do Rego MENINO DE ENGENHO
 
Shaloom livro
Shaloom livroShaloom livro
Shaloom livro
 
AfroPoemas expocupacão AfroEscola em Palavras, jun 2018
AfroPoemas expocupacão AfroEscola em Palavras, jun 2018AfroPoemas expocupacão AfroEscola em Palavras, jun 2018
AfroPoemas expocupacão AfroEscola em Palavras, jun 2018
 
Cuidebemdoseuamor X(1)
Cuidebemdoseuamor X(1)Cuidebemdoseuamor X(1)
Cuidebemdoseuamor X(1)
 
Cuidebemdoseuamor x(1)
Cuidebemdoseuamor x(1)Cuidebemdoseuamor x(1)
Cuidebemdoseuamor x(1)
 
Cuide Bem Do Seu Amor
Cuide Bem Do Seu AmorCuide Bem Do Seu Amor
Cuide Bem Do Seu Amor
 
Cuidebemdoseuamor X(1)
Cuidebemdoseuamor X(1)Cuidebemdoseuamor X(1)
Cuidebemdoseuamor X(1)
 
Cuide bem do seu amor
Cuide bem do seu amorCuide bem do seu amor
Cuide bem do seu amor
 
Trabalho português_Oscar_9ºCF_nr18.pptx
Trabalho português_Oscar_9ºCF_nr18.pptxTrabalho português_Oscar_9ºCF_nr18.pptx
Trabalho português_Oscar_9ºCF_nr18.pptx
 
Análise estrutural da narrativa em "Uma canção para você", de Luísa Trigo
Análise estrutural da narrativa em "Uma canção para você", de Luísa TrigoAnálise estrutural da narrativa em "Uma canção para você", de Luísa Trigo
Análise estrutural da narrativa em "Uma canção para você", de Luísa Trigo
 
Inexistente Procurado
Inexistente ProcuradoInexistente Procurado
Inexistente Procurado
 
Cidadania
CidadaniaCidadania
Cidadania
 
Mulheres entrelacadas dimythryus padilha
Mulheres entrelacadas   dimythryus padilhaMulheres entrelacadas   dimythryus padilha
Mulheres entrelacadas dimythryus padilha
 
capivarinhas-nao-sao-sozinhas-internet.pdf
capivarinhas-nao-sao-sozinhas-internet.pdfcapivarinhas-nao-sao-sozinhas-internet.pdf
capivarinhas-nao-sao-sozinhas-internet.pdf
 
Roteiro didático de história tecnologia aplicada à educação
Roteiro didático de história tecnologia aplicada à educaçãoRoteiro didático de história tecnologia aplicada à educação
Roteiro didático de história tecnologia aplicada à educação
 
T Extos Do 5 F
T Extos Do 5 FT Extos Do 5 F
T Extos Do 5 F
 
A Amizade
A AmizadeA Amizade
A Amizade
 
Desabafo De Um Velho
Desabafo De Um VelhoDesabafo De Um Velho
Desabafo De Um Velho
 
PRINCESA DO DESEJO: desventuras de uma jovem
PRINCESA DO DESEJO: desventuras de uma jovemPRINCESA DO DESEJO: desventuras de uma jovem
PRINCESA DO DESEJO: desventuras de uma jovem
 

Mais de Rafael Almeida

ORIENTAÇÕES EM CRISES ENVOLVENDO PESSOAS EM IDEAÇÃO SUICIDA
ORIENTAÇÕES EM CRISES ENVOLVENDO PESSOAS EM IDEAÇÃO SUICIDAORIENTAÇÕES EM CRISES ENVOLVENDO PESSOAS EM IDEAÇÃO SUICIDA
ORIENTAÇÕES EM CRISES ENVOLVENDO PESSOAS EM IDEAÇÃO SUICIDARafael Almeida
 
FENOMENOLOGIA E AS IMPLICAÇÕES DA CONSCIÊNCIA
FENOMENOLOGIA E AS IMPLICAÇÕES DA CONSCIÊNCIAFENOMENOLOGIA E AS IMPLICAÇÕES DA CONSCIÊNCIA
FENOMENOLOGIA E AS IMPLICAÇÕES DA CONSCIÊNCIARafael Almeida
 
Defesa civil volume II
Defesa civil volume IIDefesa civil volume II
Defesa civil volume IIRafael Almeida
 
INSTÂNCIAS PSÍQUICAS E ESTRUTURAS DA PERSONALIDADE À LUZ DA PSICANÁLISE
INSTÂNCIAS PSÍQUICAS E ESTRUTURAS DA PERSONALIDADE À LUZ DA PSICANÁLISEINSTÂNCIAS PSÍQUICAS E ESTRUTURAS DA PERSONALIDADE À LUZ DA PSICANÁLISE
INSTÂNCIAS PSÍQUICAS E ESTRUTURAS DA PERSONALIDADE À LUZ DA PSICANÁLISERafael Almeida
 
PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL
PSICOLOGIA ORGANIZACIONALPSICOLOGIA ORGANIZACIONAL
PSICOLOGIA ORGANIZACIONALRafael Almeida
 
Aconselhamento Cristão nas questões pessoais
Aconselhamento Cristão nas questões pessoaisAconselhamento Cristão nas questões pessoais
Aconselhamento Cristão nas questões pessoaisRafael Almeida
 
PSICOLOGIA DA CRIATIVIDADE
PSICOLOGIA DA CRIATIVIDADEPSICOLOGIA DA CRIATIVIDADE
PSICOLOGIA DA CRIATIVIDADERafael Almeida
 
PRONTOS PARA MATAR E PARA MORRER
PRONTOS PARA MATAR E PARA MORRERPRONTOS PARA MATAR E PARA MORRER
PRONTOS PARA MATAR E PARA MORRERRafael Almeida
 
Ansiedade, Depressão & superação
Ansiedade, Depressão & superaçãoAnsiedade, Depressão & superação
Ansiedade, Depressão & superaçãoRafael Almeida
 
Estresse e Alcoolismo na Atividade Policial
Estresse e Alcoolismo na Atividade PolicialEstresse e Alcoolismo na Atividade Policial
Estresse e Alcoolismo na Atividade PolicialRafael Almeida
 
EU E OS OUTROS - UM ENSAIO SOBRE A COMPETÊNCIA INTERPESSOAL BASEADO NO SERIAD...
EU E OS OUTROS - UM ENSAIO SOBRE A COMPETÊNCIA INTERPESSOAL BASEADO NO SERIAD...EU E OS OUTROS - UM ENSAIO SOBRE A COMPETÊNCIA INTERPESSOAL BASEADO NO SERIAD...
EU E OS OUTROS - UM ENSAIO SOBRE A COMPETÊNCIA INTERPESSOAL BASEADO NO SERIAD...Rafael Almeida
 
RELAÇÕES INTERPESSOAIS
RELAÇÕES INTERPESSOAISRELAÇÕES INTERPESSOAIS
RELAÇÕES INTERPESSOAISRafael Almeida
 
ORIENTAÇÕES PARA PAIS E ADOLESCENTES - JOGO DA BALEIA AZUL
ORIENTAÇÕES PARA PAIS E ADOLESCENTES - JOGO DA BALEIA AZULORIENTAÇÕES PARA PAIS E ADOLESCENTES - JOGO DA BALEIA AZUL
ORIENTAÇÕES PARA PAIS E ADOLESCENTES - JOGO DA BALEIA AZULRafael Almeida
 
Comunicação organizacional
Comunicação organizacionalComunicação organizacional
Comunicação organizacionalRafael Almeida
 
Depressão: Quando a fraqueza ganha força!
Depressão: Quando a fraqueza ganha força!Depressão: Quando a fraqueza ganha força!
Depressão: Quando a fraqueza ganha força!Rafael Almeida
 

Mais de Rafael Almeida (20)

EDUCAÇÃO EMOCIONAL
EDUCAÇÃO EMOCIONALEDUCAÇÃO EMOCIONAL
EDUCAÇÃO EMOCIONAL
 
ORIENTAÇÕES EM CRISES ENVOLVENDO PESSOAS EM IDEAÇÃO SUICIDA
ORIENTAÇÕES EM CRISES ENVOLVENDO PESSOAS EM IDEAÇÃO SUICIDAORIENTAÇÕES EM CRISES ENVOLVENDO PESSOAS EM IDEAÇÃO SUICIDA
ORIENTAÇÕES EM CRISES ENVOLVENDO PESSOAS EM IDEAÇÃO SUICIDA
 
FENOMENOLOGIA E AS IMPLICAÇÕES DA CONSCIÊNCIA
FENOMENOLOGIA E AS IMPLICAÇÕES DA CONSCIÊNCIAFENOMENOLOGIA E AS IMPLICAÇÕES DA CONSCIÊNCIA
FENOMENOLOGIA E AS IMPLICAÇÕES DA CONSCIÊNCIA
 
Defesa civil volume II
Defesa civil volume IIDefesa civil volume II
Defesa civil volume II
 
INSTÂNCIAS PSÍQUICAS E ESTRUTURAS DA PERSONALIDADE À LUZ DA PSICANÁLISE
INSTÂNCIAS PSÍQUICAS E ESTRUTURAS DA PERSONALIDADE À LUZ DA PSICANÁLISEINSTÂNCIAS PSÍQUICAS E ESTRUTURAS DA PERSONALIDADE À LUZ DA PSICANÁLISE
INSTÂNCIAS PSÍQUICAS E ESTRUTURAS DA PERSONALIDADE À LUZ DA PSICANÁLISE
 
DEFESA CIVIL
DEFESA CIVILDEFESA CIVIL
DEFESA CIVIL
 
FENOMENOLOGIA
FENOMENOLOGIA FENOMENOLOGIA
FENOMENOLOGIA
 
LIDERANÇA
LIDERANÇALIDERANÇA
LIDERANÇA
 
PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL
PSICOLOGIA ORGANIZACIONALPSICOLOGIA ORGANIZACIONAL
PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL
 
Aconselhamento Cristão nas questões pessoais
Aconselhamento Cristão nas questões pessoaisAconselhamento Cristão nas questões pessoais
Aconselhamento Cristão nas questões pessoais
 
PSICOLOGIA DA CRIATIVIDADE
PSICOLOGIA DA CRIATIVIDADEPSICOLOGIA DA CRIATIVIDADE
PSICOLOGIA DA CRIATIVIDADE
 
PRONTOS PARA MATAR E PARA MORRER
PRONTOS PARA MATAR E PARA MORRERPRONTOS PARA MATAR E PARA MORRER
PRONTOS PARA MATAR E PARA MORRER
 
Ansiedade, Depressão & superação
Ansiedade, Depressão & superaçãoAnsiedade, Depressão & superação
Ansiedade, Depressão & superação
 
Estresse e Alcoolismo na Atividade Policial
Estresse e Alcoolismo na Atividade PolicialEstresse e Alcoolismo na Atividade Policial
Estresse e Alcoolismo na Atividade Policial
 
MOTIVAÇÃO
MOTIVAÇÃOMOTIVAÇÃO
MOTIVAÇÃO
 
EU E OS OUTROS - UM ENSAIO SOBRE A COMPETÊNCIA INTERPESSOAL BASEADO NO SERIAD...
EU E OS OUTROS - UM ENSAIO SOBRE A COMPETÊNCIA INTERPESSOAL BASEADO NO SERIAD...EU E OS OUTROS - UM ENSAIO SOBRE A COMPETÊNCIA INTERPESSOAL BASEADO NO SERIAD...
EU E OS OUTROS - UM ENSAIO SOBRE A COMPETÊNCIA INTERPESSOAL BASEADO NO SERIAD...
 
RELAÇÕES INTERPESSOAIS
RELAÇÕES INTERPESSOAISRELAÇÕES INTERPESSOAIS
RELAÇÕES INTERPESSOAIS
 
ORIENTAÇÕES PARA PAIS E ADOLESCENTES - JOGO DA BALEIA AZUL
ORIENTAÇÕES PARA PAIS E ADOLESCENTES - JOGO DA BALEIA AZULORIENTAÇÕES PARA PAIS E ADOLESCENTES - JOGO DA BALEIA AZUL
ORIENTAÇÕES PARA PAIS E ADOLESCENTES - JOGO DA BALEIA AZUL
 
Comunicação organizacional
Comunicação organizacionalComunicação organizacional
Comunicação organizacional
 
Depressão: Quando a fraqueza ganha força!
Depressão: Quando a fraqueza ganha força!Depressão: Quando a fraqueza ganha força!
Depressão: Quando a fraqueza ganha força!
 

Relação Maria Rita e Elis