Aula1 2012-1

1.027 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
1 comentário
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.027
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
20
Comentários
1
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula1 2012-1

  1. 1. Comunicação Digital PP UNIVALI Aula 1 Prof Marco Antonio Pinheiro 2012/1
  2. 2. Comunicação Digital <ul><li>Aspectos sociais das tecnologias da informação e comunicação </li></ul><ul><ul><li>Comunicação na Sociedade em Rede </li></ul></ul><ul><ul><li>Desenvolvimento tecnológico, a sociedade e as suas economias </li></ul></ul>
  3. 3. <ul><li>Agentes inteligentes e comunidades virtuais </li></ul><ul><ul><li>Comunidades Virtuais </li></ul></ul><ul><ul><li>Sistemas de busca </li></ul></ul><ul><ul><li>Redes sociais e distribuição de informação </li></ul></ul><ul><ul><li>SEO (search engine optimization) e SEM (Search Engine Marketing) </li></ul></ul>Comunicação Digital
  4. 4. <ul><li>Suportes tecnológicos </li></ul><ul><ul><li>Grupos de ferramentas digitais e noções de programação, hospedagem linguagens e formatos, custos e investimentos. </li></ul></ul><ul><ul><li>Tendências e demais suportes tecnológicos: mobile, realidade aumentada, games. </li></ul></ul>Comunicação Digital
  5. 5. <ul><li>Planejamento e desenvolvimento </li></ul><ul><ul><li>O marketing e a comunicação estratégica digital: público, mercado, meios de consumo, foco, formas de atingir e o que fazer para atender objetivos estratégicos </li></ul></ul><ul><ul><li>Usabilidade e interfaces digitais </li></ul></ul><ul><ul><li>Cases de comunicação digital </li></ul></ul>Comunicação Digital
  6. 6. <ul><li>Bibliografia </li></ul><ul><ul><li>Básica </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Sociedade em Rede – Manuel Castells </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Sem e Seo: dominando o marketing de busca – Martha GABRIEL </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Cultura da convergência Henry JENKINS </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Linked: a nova ciência dos networks. BARABASI, Albert-Laszlo. </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>SEO: otimização de Sites – Aplicando técnicas de otimização de sites com uma abordagem prática </li></ul></ul></ul>Comunicação Digital
  7. 7. <ul><li>Bibliografia </li></ul><ul><ul><li>Complementar </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Marketing na era digital: conceitos, plataformas e estratégias - GABRIEL, Martha </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Redes Sociais na internet RECUERO, Raquel </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Os 8ps do Marketing Digital, ADOLFO, Conrado </li></ul></ul></ul>Comunicação Digital
  8. 8. <ul><li>Avaliações </li></ul><ul><ul><li>M1 – 2 atividades (seminário + prova) </li></ul></ul><ul><ul><li>M2 – 2 atividades (Trabalho +Fórum +Prova) </li></ul></ul><ul><ul><li>M3 – 2 atividades (Implementação + Prova) </li></ul></ul>Comunicação Digital
  9. 9. Porque olhar o passado? <ul><li>Para compreender o presente e prever o futuro </li></ul>
  10. 10. Admirável Mundo Novo (1932) Porque olhar o passado?
  11. 11. 1984 (1948) Porque olhar o passado?
  12. 12. Neuromancer (1984) Porque olhar o passado?
  13. 13. <ul><li>A Revolução da Tecnologia da Informação </li></ul><ul><ul><li>Tão importante quanto a revolução industrial </li></ul></ul><ul><ul><li>Toda nova tecnologia transforma as práticas sociais </li></ul></ul><ul><ul><li>A informação é a matéria prima desta revolução </li></ul></ul>Sociedade em Rede (Manuel Castells)
  14. 14. <ul><li>Processo de Transformação </li></ul>Sociedade em Rede Tecnológico
  15. 15. Sociedade em Rede Econômico
  16. 16. Sociedade em Rede Social
  17. 17. Sociedade em Rede Cultural
  18. 18. <ul><li>Uma nova ordem Social – Informacional </li></ul><ul><li>Informação vale mais que capital </li></ul>Sociedade em Rede + informação = + mão de obra especializada + tecnologia + produção + capital + desenvolvimento Capitalismo Informacional
  19. 19. Sociedade em Rede <ul><li>Competitividade Global modifica várias estruturas </li></ul><ul><ul><li>Comunicação </li></ul></ul><ul><ul><li>Produção </li></ul></ul><ul><ul><li>Mercado de Trabalho </li></ul></ul><ul><ul><li>Dinheiro </li></ul></ul>
  20. 20. moeda flutuante + = instabilidade financeira Que resultado isso poderia ter? Sociedade em Rede
  21. 21. Sociedade em Rede mas as pessoas deixaram de pagar houve muita concessão de crédito
  22. 22. Sociedade em Rede
  23. 23. Sociedade em Rede <ul><li>A Instabilidade do Sistema está na dependência das conexões criadas nesta Sociedade em Rede </li></ul>
  24. 24. A CRIAÇÃO DA INTERNET
  25. 26. A Web <ul><li>A REVOLUÇÃO DA INTERFACE GRÁFICA </li></ul><ul><ul><li>Internet ainda era um lugar para poucos </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Conteúdo acadêmico: denso e hermético </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>As pessoas não sabiam direito como usá-la </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Desprezo com a forma: cores/ilustrações </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Criação da interface da World Wide Web </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Desenvolvida por Tim Berners-Lee em 1990 </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Inspirada na Teoria do Hipertexto de Ted Nelson </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Transferência de textos e figuras a partir de programa </li></ul></ul></ul>
  26. 27. A Web <ul><li>A IMPORTÂNCIA DE BERNERS-LEE </li></ul><ul><ul><li>Criação de um projeto global de hipertexto </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Permitir trabalho interconectado </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Por meio de organizações, links e navegações de páginas </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><li>Bases para a interface estão prontas </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>HTML : convertia informação em hipertexto </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>HTTP : permitia conexão entre computadores </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Faltava o software que rodaria a linguagem </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Programa WorldWideWeb foi criado dezembro 1990 </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Códigos do navegador tornam-se de domínio público </li></ul></ul></ul>
  27. 28. W orld W ide W eb
  28. 29. W orld W ide W eb
  29. 30. Mosaic
  30. 31. Mosaic Netscape
  31. 32. Reflexão <ul><li>O erro da Microsoft </li></ul>
  32. 33. Netscape 2.02 FireFox 10
  33. 34. Reflexão O que mudou? Tecnologia e Design Maneira de navegar é a mesma
  34. 35. O Que é Web 2.0 Adaptado de @erionline “ O termo Web 2.0 é utilizado para descrever a segunda geração da World Wide Web - tendência que reforça o conceito de troca de informações e colaboração dos internautas com sites e serviços virtuais” Folha de São Paulo on-line
  35. 36. Web 1.0 Produção de conteúdo centralizada Taxonomia Rede de computadores Complexidade Web 2.0 Descentralizada a Folksonomia Rede + Plataforma Simplicidade
  36. 37. Colaboração - sites exploram ao máximo a interatividade (humana e humana/sistema) para geração de inteligência coletiva . Web 2.0 é
  37. 38. www.wikipedia.com
  38. 39. http://br.answers.yahoo.com/
  39. 40. Social - realmente construída pensando nas pessoas. Sites Web 2.0 promovem a interação entre internautas. Web 2.0 é
  40. 42. Reflexão <ul><li>Orkut </li></ul><ul><ul><li>Fenômeno Brasileiro </li></ul></ul>
  41. 43. Conteúdo produção de conteúdo descentralizada. Usuários criam , classificam, customizam e publicam conteúdos na web 2.0 . Internautas podem publicar conteúdos em diferentes suportes midiáticos ( textos digitais, áudio, fotografia, vídeo). . Web 2.0 é
  42. 45. Simplicidade a curva de apre ndizagem é curta. Não é necessário saber programar para criar uma página na Internet ou para usar qualquer outra aplicativo web 2.0. Qualquer pessoa pode utilizar as ferramentas da nova web de forma bastante simples. Web 2.0 é
  43. 47. Plataforma - A internet é um plataforma onde programas são executados on-line . Programas típicos de desktop começam a surgir na internet como editores de textos e planilhas, programas de edição de imagem, editores de áudio e vídeo, entre outros. Ex.: Google Docspreadsheet, Think Free, Picnik, Zoho Web 2.0 é
  44. 49. Folksonomia usuários classificam suas informações pela inserção de rótulos (tags) , o que permite recuperá-las de forma mais rápida no futuro. Ex.: Del.icio.us, Flickr Web 2.0 é
  45. 50. Nuvens de tags www.flirckr.com
  46. 51. Cultura da convergência de Henry Jenkins, 2006
  47. 52. Cultura da convergência Henry Jenkins <ul><li>Introdução </li></ul>Convergência. s.f. Palavra que define mudan ças tecnológicas, culturais, industriais, culturais e sociais no modo de como as mídias circulam em nossa cultura. Cultura participativa. s. f. Cultura em que fãs e outros consumidores são convidados a participar ativamente da criação e da circulação de novos conteúdos.
  48. 53. Cultura da convergência Henry Jenkins <ul><li>Introdução </li></ul>Onde ocorre a convergência? Não nos aparelhos mais modernos, mas no cérebro de cada consumidor (p. 30) Novo atacando o velho? Não. Mídias novas e velhas se interagirão em formas cada vez mais complexas.
  49. 54. Cultura da convergência Henry Jenkins <ul><li>Desvendando os segredos de Survivor </li></ul>Inteligência coletiva. c. f. Pierre Lévy. Capacidade das comunidades virtuais em alavancar conhecimentos. Spoiler. s. m. ing. Qualquer revelação sobre o conteúdo de uma série de TV.
  50. 55. Cultura da convergência Henry Jenkins Narrativa transmídia. s. f. Histórias que se desenrolam em múltiplas plataformas, cada um deles contribuindo de forma distinta para compreensão do universo.
  51. 56. Cultura da convergência Henry Jenkins Enter the Matrix, tentativa de fechar os furos do filme Para o casual, Matrix exigiu demais e para o fã, ofereceu de menos.
  52. 57. Cultura da convergência Henry Jenkins Exemplo de narrativa transmídia: Webisodes
  53. 58. Cultura da convergência Henry Jenkins Criatividade alternativa. s. f. Versões alternativas de histórias iniciadas pelos meios tradicionais, mas produzida pelos próprios fãs, em circulação na internet. Cultura tradicional / cultura de massa / convergência (p. 194)
  54. 59. Cultura da convergência Henry Jenkins Letramento midiático. s. m. Aprendizado na nova cultura, em novas mídias digitais.
  55. 60. Seminário sobre Cultura da Convergência <ul><li>Objetivo – Discutir os diversos cases relacionados a Cultura da Convergência que existem na Web atualmente. </li></ul><ul><li>Dinâmica </li></ul><ul><ul><li>Divisão da turma em grupos; </li></ul></ul><ul><ul><li>Escolher um case ligado a Cultura da Convergência e fazer o enquadramento dele em um dos 3 tópicos abaixo. </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Inteligência Coletiva </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Narrativa Transmídia </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Criatividade Alternativa </li></ul></ul></ul>
  56. 61. <ul><ul><li>Apresentar o case fazendo correlação com os conceitos do livro (15 a 20 minutos) </li></ul></ul><ul><ul><li>Pode ser usado qualquer material da internet </li></ul></ul><ul><ul><li>O roteiro da apresentação é livre </li></ul></ul><ul><ul><li>Data da Apresentação – 08/03/2012 </li></ul></ul><ul><ul><li>Critérios de Avaliação </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Didática, Segurança e Coesão do Grupo </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Tempo de Apresentação </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Recursos Utilizados </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Pertinência do Tema </li></ul></ul></ul>Seminário sobre Cultura da Convergência

×