SlideShare uma empresa Scribd logo
Historia de Portugal
•A historia de
Portugal começou na
peninsula ibérica
onde se situam
Portugal e Espanha
Povos nomades recoletores
Viviam do que conseguiam caçar, pescar e colher da
natureza
Quando os recursos escasseavam, mudavam.se para uma nova
zona, em busca de agua e alimento, por isso eram nomadas
• Normalmente,
viviam em grutas
e cavernas e
cobriam o corpo
com peles de
animal
Usavam instrumentos rudimentares e pintavam ou
gravavam nas paredes das grutas e nas rochas.
Comunidade
agropastoris
Começaram a fixar-se em
determinados locais,
tornando-se sedentários.
Domesticavam
animais,
praticavam a
agricultura e a
pastorícia.
Trabalhavam na
cerâmica,
tecelagem e
cestaria.
Começaram a
trabalhar o
cobre, o bronze
e o ferro para
criarem
instrumentos.
A chegada
dos Celtas e
dos Iberos
No seculo IV a.C, os Celtas e os Iberos
fixaram-se na Peninsula Ibérica
Os Celtas
habitavam casas
de pedras,
chamadas de
castros ou
citânias.
Eram um
povo
guerreiro e
dedicavam-se
a agricultura.
pastoricia
E ao trabalho de metal
O povo Ibero, para
além da
agricultura e da
pastorícia, também
dominava a arte de
trabalhar o ouro
E a cerâmica
O contacto com os Fenícios, os
Gregos e os Cartogineses.
Entre o ano 1000 a.C e ano
500 a.C, chegaram por mar, a
Peninsula Iberica, povos do
Mediterraneo e os Fenicios, os
Gregos e os Cartagineses.
Estes povos
praticavam
comercio, sobretudo
os Iberos, que
viviam no sul e
sudoeste da
Peninsula Iberica.
Vendiam o
excedente da
sua produção
agricola .
Procuravam metais preciosos , como ouro, prata ,
cobre e estanho.
Em troca traziam diversos
produtos , como vidro, cerâmica
e tecido.
O contacto com estes povos permitiu aos
habitantes da Peninsula Iberica
adotarem alguns dos seus
conhecimentos e costumes.
Fenicios
Alfabeto Fenicio
Gregos
Moedas Gregas
Cartagineses Conservação de alimentos
com sal
Os Romanos e
os povos
barbaros
No seculo III a.C , um
poderoso exercito
romano chegou a
peninsula Iberica para
conquistar o territorio
Enfretam a resistência dos povos ibéricos em particular dos
Lusitanas, que defenderam a sua região, do alto dos seus castros e
chefiados por Viriatro, resistiram por muitos anos.
Porem, no ano 139 a.C, três guerreiros
lusitanos traíram o seu líder, e Viriato
morreu.
Os romanos
deixaram de ter
resistência e
avançaram para
a conquista de
toda a Peninsula
Ibérica.
Na peninsula Iberica, os Romanos
deixaram:
A sua língua:
Latim
Tecnica de construção
Numeração Romana
A sua moeda
A religião cristã
Aos poucos, os Romanos influenciaram o
modo de vida dos povos da Peninsula Iberica.
Este processo deu-se o nome de romantização.
Os povos barbaros
No seculo IV a.C, o território
ocupado pelos Romanos foi
invadido por diversos povos
vindo do Norte da Europa,
das quais se destacaram os
Suevos e os Visigodos.
Estes povos,
conhecidos como
Barbaros,
quebraram a
resistência romana e
instalaram-se na
Peninsula Ibérica.
No final do seculo VI d.C, os
Visigados , fixados no Centro do Sul
da Peninsula, acabaram por
dominar os Suevos, que viviam no
Noroeste e formaram o Reino
Visigodo.
Visigodos
Suevos
Os mulçumanos
No inicio do
Seculo VII d.C,
enquanto os
Visigodos
controlovam a
peninsula Iberico
os Mulçumanos
avançavam, vindo
dos Norte de
Africa.
Assim, em 711,
tinha inicio a
Guerra Santa
na Peninsula
Iberica.
A intenção dos
mulçumanos era espalhar
o islamismo, a sua religião
e conquista a Peninsula
Iberica.
Rapidamente
conseguiram
vencer diversas
batalhas e
conquistar quase
toda Peninsula
com a exceção das
Asturias situadas
no Norte, a ultima
posto de
resistência dos
Visigodos.
Herança
Mulçumana
FamilyID=Office_ArchiveTorn
Novas Tecnicas Agricolas e novas plantas ,
culturas e instrumentos.
Picota
Nora
Laranjeira
Conhecimento em áreas como a astronomia e matemática
e a medicina
Astrolabio
Algarismo
Medicina
Conhecimentos de arte, construção tapeçario, literatura e
musica
Azulejo Mesquita Alaude
Palavra Novas
Açucar, Xarope, Algarismo , Xadrez, javali , Alfaiate e etc
Reconquista Cristão e o Condado Portucalense
No ano 713, quase toda
Península Ibérica estava
ocupada pelos Muçulmanos.
No entanto a partir de 722, os
cristãos iniciaram a
reconquista cristã.
Nos seculos seguintes
formaram-se vários
reinos e condados cristão
que tentavam ganhar
território aos
mulçumanos.
Leão Castela, Navarro, Aragão,
Condado Portucalense e Condado
de Catalunha
Para auxiliar os
cristãos ,
chegaram a
Peninsula
alguns
cavaleiros
estrangeiros
FamilyID=Office_ArchiveTorn
D.Afonso VI, rei de Leão e Castela, teve o auxilio de dois
cavaleiros franceses , D. Raimundo e D. Henrique.
D Henrique
D Afonso VI
D Raimundo
Como recompensa D
Afonso VI concedeu-lhes
a honra de casar com
suas filhas e
administrar terrritorios
do seu reino
D . Urraca D Raimundo Condado da Galiza
D Henrique
D Teresa
A Formação de Portugal
D. Henrique administrou o
Condado Portucalense, mas
desejava ser independente do
rei de Leão e Castela.Contudo,
em 1112 morreu e, como seus
filho, D.Afonso Henrique , era
criança, D. Teresa ficou a
governar o condado.
Já, adolescente D.
Afonso Henque
decide tornar o
condado
independete apesar
da oposição da sua
mãe.
Na batalha de são
mamede, em 1128, D
Afonso Henrique
venceu as tropas da
sua mãe e passou a
governar o condado
de Portuculense.
Posteriormente para garantir a
indenpendencia do condado, lutou contra os
exércitos do seu primo, D.Afonso VII de Leão
de Castela.
Em 5 de outubro de 1143 é assinado o tratado de Zamora,
na qual D Afonso VII reconhece o Condado de
Portucalense como independente do reino de Leão e
Castela
Nascia o Reino de
Portugal e D Afonso
Henriques tornava-
se o seu primeiro
rei. No entanto, o
reino de Portugal só
seria reconhecido
pelo Papa chefe
máximo da igreja
cristã en 1179,
através da bula
Manifest Probatum
Alargamen
to do
reino
Apos a independência, D
Afonso Henriques quis
expandir o território de
Portugal.
Venceu diversas batalhas
e conquistou varias
cidades aos muçulmanos,
como santarem e Lisboa
em 1147.
Quando D. Afonso Henrique morreu, em 1185, parte dessas terras tinha sido
perdida.
Nos reinados seguintes os seus sucessores reconquistam território e, em 1249, D.
Afonso III conquistou definitivamente o Algarve.
Em 1297, foi assinado o tratado de Alcanises , entre o rei D
Dinis de Portugal e D. Fernando de Castela.
Tratado que definiu as fronteiras de Portugal continental,
praticamente idênticas as atuais.
Povoamento do
Reino
Apos a Reconquista Cristã, seguiu-se um período de paz e estabilidade que favoreceu o desenvolvimento em varias
áreas.
Então os reis da primeira dinastia procuravam atrair as populações para os terrritorios conquistados.
Através de doações aos senhores da nobreza e da clero que ficavam responsáveis sua defesa e cultivo.
Neste Período, o rei D. Dinis teve um papel muito importante e
implementou diversas medidas que desenvolveram o país.
Organização do
territorio
1 - Doou terras através de
cartas de foral(documento
emitidos pelo rei que
regulavam os privilégios,
entre outras atividades),
para que fossem mais
facilmente cultivadas e
defendidas.
2- Criou Concelhos
Agricultura
1- Mandou secar pântanos
para aumentar as terras
cultiváveis.
2- Mandou plantar pinhais
para proteger as culturas.
Educação e cultura
1- Em 1290, fundou a
primeira universidade
portuguesa em Lisboa.
A partir de 1537, esta
instalou-se
definitivamente em
Coimbra.
2- Instituiu a língua
portuguesa como a
língua oficial nos
documentos da corte.
Comercio
1- Incentivou o comercio
interno através da criação
de feiras.
2- Criou leis de proteção
aos mercadores.
Segunda Dinastia
Em 1383, D. Fernando, rei de Portugal, morre e surge um problema de sucessão.
A sua única filha D. Beatriz, estava casada com o rei de Castela(Atual Espanha) .
Muitos Portugueses não apoiava a sua subida ao trono pois poderia por em causa a
independencia de Portugal
A mãe de D.Beatriz , D. Leonor Teles defendia o
dieito da filha ao trono.
Outra parte Propunha a subida ao trono de
D.João Mestre de Avis( meio-irmão do falecido
rei D.Fernando).
Em 1385, D João Mestre de Avis, é aclamado D. João I , rei de
Portugal, nas cortes de Coimbra, dando inicio a Segunda Dinastia ou
dinastia de Avis.
Guerra entre Portugal e Espanha
A Nomeação de D. João I contrariava os objetivos do Rei de
Castela(Rei da Atual Espanha).
Iniciou-se um período de guerra entre Portugal e Castela.
Com varias Batalhas, das quais se destaca, em agosto de 1385,
a batalha de Aljubarrota.
• Nessa batalha, o exercito Portugues era menor do que o exercito castelhano.
• D. Nuno Alvares Pereira, nomeado chefe dos exércitos portugueses por D. João I, utilizou
uma tatica especifica, a tatica do quadrado.
• O exercito castelhano, apesar de mais numeroso foi derrotado e partiu em fuga.
A Vitoria de
ajubarrota garantiu
a Independencia de
Portugal
Para comemorar a vitoria na batalha, D. João I mandou
construir perto do local da batalha, o mosteiro de Santa Maria
da Vitoria ou Mosteiro da Batalha
Crise de
Sucessão
• A Guerra da
Independencia com
Castela, deixou
Portugal Fragilizado
em 1313-1385.
• Com pouco dinheiro
,falta de alimentos ,
espalharam muitas
doenças , uma dela
bastante mortifera – a
peste Negra.
Expansão
Maritima
• Com o objetivo
de procurar
riqueza
• Difundir a fé
crista
• Iniciou-se a
expansão
maritima.
Infante D Henrique
• Filho de D João I , Infante D.
Henrique reuniu varios
especialistas de varias
nacionalidades para garantir
o sucesso na viagens , que
mais tarde começaram a
costruir grandes
embarcações denomidas
caravelas.
Primeiros Passos
• Primeira Conquista foi
em 1415 com a
Conquista de Ceuta,
uma cidade no norte da
Africa, onde abundava
ouro e cereais.
• Descobrimento das ilha
da madera(1419) e
açores(1427)
Costa da Africa e
Cabo da Tormenta
• A partir daí, já nos reinados
de D. João II e de D.Manuel
I os portugueses
continuaram explorando a
costa africana ate chegar ao
cabo da tormenta que
depois passou a ser
nomeado como cabo da
esperança(com Bortolomeu
Dias(1498)).
Vasco da Gama
• Depois seguiram trajetória para
India(1498), onde com trocas
comerciais conseguiam trazer para
Portugal: especiarias, tecidos e outros
produtos que tinham um alto valor
na Europa na época.( Vasco da Gama
foi o responsável pelo sucesso da
chegada dos portugueses a india)
Chegada ao
Brasil
• Em 1500 , graça Pedro
Alvares Cabral os
portugueses chegaram ao
brasil . Passaram a trazer
diversos produtos, como o
pau-brasil, o tabaco e o
cacau . No cultivo e extração
destes produtos, o
portugueses usavam mão de
obra escravas, leva de
Africa.
• Desta forma Portugal
tornou-se, nesta época um
dos reinos mais ricos da
Europa.
D.Sebastião
• Em 1578, o jovem rei de Portugal
,morre sem deixar filhos , na
batalha de Alcácer Quibir , no
norte de África.
Cardeal
D.Henrique
Era tio avô de D.Sebastião e
ficou com o trono, que falece
pouco depois, sem deixar
herdeiros.
D. Filipe I
• O rei de Espanha , neto de
D.Manuel I, exerce o trono e
é reconhecido nas cortes de
Tomar, em 1581, como rei de
Portugal.
• Ele prometeu respeitar as
leis e os costumes
portugueses
Terceira dinastia
ou dinastia Filipina
Luís Vaz de Camões
• As viagens marítimas dos
portugueses ficaram
registradas obras literárias, das
quais se destacava Os Lusíadas.
• Ele Faleceu no dia 10 de junho
de 1580, precisamente no
mesno ano que Portugal perdeu
a Independência.
• Este dia é atualmente feriado
nacional - Dia de Portugal, de
Camões e das Comunidades
Portuguesas.
Quarta dinastia ou dinastia de Bragança
• Devido ao descontentamento geral com a governação Filipina , em 1 de dezembro
de 1640, os represente do rei espanhol são expulsos de Portugal.
• D. João Duque de Bragança é aclamado rei de Portugal, com o nome de D. João IV
• Atualmente em 1 de dezembro comemora-se o Dia da Restauração de
Indenpendencia e é feriado em Portugal.
A Guerra da Restauração
• Espanha tentou reconquistar Portugal ao longo de 28 anos , na guerra da Restauração.
• Em 1668, no reinado de D. Afonso VI é que Portugal , assegurou definitivamente , a sua
• Independencia.
• Nas décadas Seguintes,
Portugal entrou numa fase
prospera, e as riquezas
oriundas do Brasil,
• Como ouro e pedras
preciosas permitiram o
enriquecimento do país.
• No Reinado do D. João V ,
parte dessas riquezas foi gasta
na construção de monumentos
:
O convento de Mafra e o
Arqueduto de Aguas Livres .
O
Terremoto
de Lisboa
• Em 1 de novembro de 1755, no reinado de D. Jose, neste dia Lisboa
, uma das maiores e mais ricas cidades da Europa, na altura, ficou
completamente destruída.
• O violento Terremoto, seguido de tsunami e somando inúmeros
incedios, deixaram um rastro de destruição e milhares de pessoas
morreram.
Marques de
Pombal
• Após o incidente (o grande
terremoto de Lisboa),
Marques de Pombal , ministro
do reino , ficou responsável
pela reconstrução da cidade.
1- No seculo XIX, França encontrava-se
Em Guerra com Inglaterra. 2- Napoleão
Bonaparte
decretou
A proibição de
trocas comerciais
Com a Inglaterra
3- Portugal manteve as
Relações comercias
Com a Inglaterra, apesar
Das ameaças de Napoleão
Entre 1807 e 1810,
As tropas Napoleónicas
Invadiram Portugal e a
Família real partiu para o
Brasil para não ser presa.
As três invasões Francesas
• Deixaram um rastro de destruição, com alguns
episodios tragicos , como o desastre da Ponte de
Barcas, durante a Segunda invasão, no Porto.
Vitoria aos Franceses
• Apoiados pelos Ingleses, o exercito portugues conseguiu vencer os invasores e expulsar
definitivamente os Franceses em Portugal
• Apesar disso a Familia real continuou a viver no Brasil, e os Ingleses passaram a
interferir na vida politica e economica do país, o que desagradava os portugueses
Revolução Liberal
Em 24 de agosto de 1820 da-se a
1- Com o descontentamento da população
Com a intervenção inglesa na
Governação do país.
2- A população do porto
Rapidamente aderiu as
Manifestações.
Foi então
Que a revolução se
Espalhou pelo país
4- Exigência da população:
4-1.Expulsar os ingleses que
Controlovam a economia
E a politica do país.
4-2.Regresso do rei que estava no Brasil
4-3.Alterar os poderes do rei
instaurando
A monarquia constituncional
ao em vez
Da monarquia absoluta.
Constituição de 1822
• Formou-se um Governo provisorio que criou o texto da primeira constituição: a
Constituição de 1822.
• A familia real, regressada do Brasil (1821), aceitou a alteração, e D. João VI passou a
governar uma monarquia constitucional.
D. Pedro
• Filho de D. João VI, foi o
unico
• Da familia real que não
regressou a Portugal.
• Ele lutou pela
indenpendencia do Brasil, que
foi alcançada em 7 de
setembro de 1822. tornando-
se imperador.
Queda da
monarquia
• No Seculo XIX, grande parte da população
estava descontente com a governação.
• Em 1 de fevereiro de 1908, o rei D. Carlos e
seu filho foram assassinados, passando o
rei a ser D.Manuel II, Segundo filho de
D.Carlos.
• Em 5 de outubro de 1910, da se uma
revolta em Lisboa, e D.Manuel II é expulso,
assim termina quase 800 anos de
Monarquia.Sendo proclamada a republica.
• 5 de outubro passou a ser feriodo: - O dia
da proclamação da republica.
Diferenças
entre
Monarquia
e Republica
Chefe de Estado : Rei
Como assume o poder: Geralmente por
Via hereditária, isto é, de pai para filho
(o filho mais velho herda o trono)
Abandona o cargo: Quando Morre.
Republica
• Chefe de Estado: Presidente da
Republica.
Como assume: Através de eleições(
é eleito pela população, atraves do
voto)
Abandona o cargo: Quando termina
o periodo determinado por lei.
O primeiro Presidente da Republica
eleito em Portugal foi Manuel de
Arriaga.
Novos Simbolos
• Com a
Implatação da
Republica foram
ainda provados
novos símbolos
da republica
Portuguesa.
bandeira
Hino
Moeda : Escudo
1- A difícil situação económica do país
E a primeira guerra mundial fizeram
Que a primeira republica fosse
Muito instável.
2 - Em 28 de maio de 1926,
O general Gomes da Costa
Chefiou um golpe militar.
3- Pos fim a primeira
Republica e instalou
Uma ditadura militar
4- Durante esse regime,
O general Camona assumiu
O cargo de Presidente
Da Republica.
5- Nomeou Antonio de
Oliveira Salazar para
Ministro das Finanças
Estado Novo
• Em 1932, Salazar é nomeado
chefe do Governo e aprova
uma Constituição que, em
1933, instituiu o regime
Estado Novo.
• Foi um regime autoritario e
repressivo que retirou direitos
e liberade aos cidadãos e
vigorou durante 41 anos, até
1974
Caracteristica do Estado Novo
Fim da Liberdade de
expressão e do direito a
greve.
Sistema de propaganda
politica e controlo da
cultura para converter a
população ao regime
Regime repressivo que
perseguia quem se
opusesse as sua ideias.
Pobreza
• Durante este período,
Portugal tornou-se um país
pobre e pouco desenvolvido
em relação a outros países
europeus.
• Por isso, nesse periodo
muitos portugueses
emigraram a procura de
melhores condições de vida.
25 de abril de 1974
• Devido ao aumento
generalizado da
insatisfação, na
madrugada do dia 25 de
abril de 1974, os
militares do movimento
das forças
armadas(MFA),
desencadearam um
golpe de Estado para
derrubar o Estados
Novo.
Grandola Vila Morena
• Apos ouvirem na a canção
“Grândola Vila Morena”, do
musico de intervenção Zeca
Afonso(Um sinal de código
previamente combinada)
• O golpe teve o
opoio da
população e ficou
conhecida como
Revolução dos
Cravos, devido
aos cravos que o
povo colocou nas
armas dos
militares.

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Historia de Portugal - Quarto Ano - 2024

Ahistriadeportugal 111228172656-phpapp01
Ahistriadeportugal 111228172656-phpapp01Ahistriadeportugal 111228172656-phpapp01
Ahistriadeportugal 111228172656-phpapp01
Carolina Magalhães
 
Ahistriadeportugal 111228172656-phpapp01
Ahistriadeportugal 111228172656-phpapp01Ahistriadeportugal 111228172656-phpapp01
Ahistriadeportugal 111228172656-phpapp01
Carolina Magalhães
 
História de portugal
História de portugalHistória de portugal
História de portugal
ana2643232
 
História de portugal
História de portugalHistória de portugal
História de portugal
davidetavares
 
História de Portugal
História de PortugalHistória de Portugal
História de Portugal
Vitor Matias
 
Ahistriadeportugal
Ahistriadeportugal Ahistriadeportugal
Ahistriadeportugal
Sonia Valente
 
Histria de-portugal-1222350041054449-9
Histria de-portugal-1222350041054449-9Histria de-portugal-1222350041054449-9
Histria de-portugal-1222350041054449-9
Sandra Madeira
 
Histria de-portugal-1222350041054449-9
Histria de-portugal-1222350041054449-9Histria de-portugal-1222350041054449-9
Histria de-portugal-1222350041054449-9
Annarrocha
 
Século XIV até século XVI
Século XIV até século XVISéculo XIV até século XVI
Século XIV até século XVI
Catarina Sequeira
 
A história de portugal
A história de portugalA história de portugal
A história de portugal
telmascapelo
 
Historia de portugal
Historia de portugalHistoria de portugal
Historia de portugal
Sinziana Socol
 
Historia de Portugal
Historia de PortugalHistoria de Portugal
Historia de Portugal
profigor
 
Ate a segunda dinastia
Ate a segunda dinastiaAte a segunda dinastia
Ate a segunda dinastia
Froncky
 
Até a segunda dinastia
Até a segunda dinastiaAté a segunda dinastia
Até a segunda dinastia
Froncky
 
Apresenta‡æo 1§s povos
Apresenta‡æo 1§s povosApresenta‡æo 1§s povos
Apresenta‡æo 1§s povos
Li Tagarelinhas
 
Primeiros povos e formação de portugal
Primeiros povos e formação de portugalPrimeiros povos e formação de portugal
Primeiros povos e formação de portugal
Hugo Ferreira
 
Estudo meio 2_historiaportugal
Estudo meio 2_historiaportugalEstudo meio 2_historiaportugal
Estudo meio 2_historiaportugal
Sílvia Rocha
 
História de Portugal - Unidade 2.pptx.pdf
História de Portugal - Unidade 2.pptx.pdfHistória de Portugal - Unidade 2.pptx.pdf
História de Portugal - Unidade 2.pptx.pdf
CatarinaGouveiaRoque1
 
Historia historia.em.banda.desenhada
Historia historia.em.banda.desenhadaHistoria historia.em.banda.desenhada
Historia historia.em.banda.desenhada
Lina Rodrigues
 
A Reconquista
A ReconquistaA Reconquista
A Reconquista
Professores História
 

Semelhante a Historia de Portugal - Quarto Ano - 2024 (20)

Ahistriadeportugal 111228172656-phpapp01
Ahistriadeportugal 111228172656-phpapp01Ahistriadeportugal 111228172656-phpapp01
Ahistriadeportugal 111228172656-phpapp01
 
Ahistriadeportugal 111228172656-phpapp01
Ahistriadeportugal 111228172656-phpapp01Ahistriadeportugal 111228172656-phpapp01
Ahistriadeportugal 111228172656-phpapp01
 
História de portugal
História de portugalHistória de portugal
História de portugal
 
História de portugal
História de portugalHistória de portugal
História de portugal
 
História de Portugal
História de PortugalHistória de Portugal
História de Portugal
 
Ahistriadeportugal
Ahistriadeportugal Ahistriadeportugal
Ahistriadeportugal
 
Histria de-portugal-1222350041054449-9
Histria de-portugal-1222350041054449-9Histria de-portugal-1222350041054449-9
Histria de-portugal-1222350041054449-9
 
Histria de-portugal-1222350041054449-9
Histria de-portugal-1222350041054449-9Histria de-portugal-1222350041054449-9
Histria de-portugal-1222350041054449-9
 
Século XIV até século XVI
Século XIV até século XVISéculo XIV até século XVI
Século XIV até século XVI
 
A história de portugal
A história de portugalA história de portugal
A história de portugal
 
Historia de portugal
Historia de portugalHistoria de portugal
Historia de portugal
 
Historia de Portugal
Historia de PortugalHistoria de Portugal
Historia de Portugal
 
Ate a segunda dinastia
Ate a segunda dinastiaAte a segunda dinastia
Ate a segunda dinastia
 
Até a segunda dinastia
Até a segunda dinastiaAté a segunda dinastia
Até a segunda dinastia
 
Apresenta‡æo 1§s povos
Apresenta‡æo 1§s povosApresenta‡æo 1§s povos
Apresenta‡æo 1§s povos
 
Primeiros povos e formação de portugal
Primeiros povos e formação de portugalPrimeiros povos e formação de portugal
Primeiros povos e formação de portugal
 
Estudo meio 2_historiaportugal
Estudo meio 2_historiaportugalEstudo meio 2_historiaportugal
Estudo meio 2_historiaportugal
 
História de Portugal - Unidade 2.pptx.pdf
História de Portugal - Unidade 2.pptx.pdfHistória de Portugal - Unidade 2.pptx.pdf
História de Portugal - Unidade 2.pptx.pdf
 
Historia historia.em.banda.desenhada
Historia historia.em.banda.desenhadaHistoria historia.em.banda.desenhada
Historia historia.em.banda.desenhada
 
A Reconquista
A ReconquistaA Reconquista
A Reconquista
 

Último

UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
Manuais Formação
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Norma de Gênero - Mulheres Heterossexuais, Homossexuais e Bissexuais.pdf
Norma de Gênero - Mulheres Heterossexuais, Homossexuais e Bissexuais.pdfNorma de Gênero - Mulheres Heterossexuais, Homossexuais e Bissexuais.pdf
Norma de Gênero - Mulheres Heterossexuais, Homossexuais e Bissexuais.pdf
Pastor Robson Colaço
 
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdfMAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
GracinhaSantos6
 
FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024
FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024
FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024
FredFringeFringeDola
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
pamellaaraujo10
 
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdfCD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
Manuais Formação
 
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdfApostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
bmgrama
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
AntonioAngeloNeves
 
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdfsaid edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
ThiagoRORISDASILVA1
 
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptxCLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
Deiciane Chaves
 
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
fran0410
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
Pr Davi Passos - Estudos Bíblicos
 
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdfPrimeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Maurício Bratz
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Mary Alvarenga
 

Último (20)

UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
Norma de Gênero - Mulheres Heterossexuais, Homossexuais e Bissexuais.pdf
Norma de Gênero - Mulheres Heterossexuais, Homossexuais e Bissexuais.pdfNorma de Gênero - Mulheres Heterossexuais, Homossexuais e Bissexuais.pdf
Norma de Gênero - Mulheres Heterossexuais, Homossexuais e Bissexuais.pdf
 
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdfMAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
 
FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024
FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024
FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
 
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdfCD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
 
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdfApostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
 
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdfsaid edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
 
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptxCLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
 
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
 
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdfPrimeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
 

Historia de Portugal - Quarto Ano - 2024

  • 2. •A historia de Portugal começou na peninsula ibérica onde se situam Portugal e Espanha
  • 4. Viviam do que conseguiam caçar, pescar e colher da natureza
  • 5. Quando os recursos escasseavam, mudavam.se para uma nova zona, em busca de agua e alimento, por isso eram nomadas
  • 6. • Normalmente, viviam em grutas e cavernas e cobriam o corpo com peles de animal
  • 7. Usavam instrumentos rudimentares e pintavam ou gravavam nas paredes das grutas e nas rochas.
  • 9. Começaram a fixar-se em determinados locais, tornando-se sedentários.
  • 12. Começaram a trabalhar o cobre, o bronze e o ferro para criarem instrumentos.
  • 13. A chegada dos Celtas e dos Iberos
  • 14. No seculo IV a.C, os Celtas e os Iberos fixaram-se na Peninsula Ibérica
  • 15. Os Celtas habitavam casas de pedras, chamadas de castros ou citânias.
  • 18. E ao trabalho de metal
  • 19. O povo Ibero, para além da agricultura e da pastorícia, também dominava a arte de trabalhar o ouro
  • 21. O contacto com os Fenícios, os Gregos e os Cartogineses.
  • 22. Entre o ano 1000 a.C e ano 500 a.C, chegaram por mar, a Peninsula Iberica, povos do Mediterraneo e os Fenicios, os Gregos e os Cartagineses.
  • 23. Estes povos praticavam comercio, sobretudo os Iberos, que viviam no sul e sudoeste da Peninsula Iberica.
  • 24. Vendiam o excedente da sua produção agricola .
  • 25. Procuravam metais preciosos , como ouro, prata , cobre e estanho.
  • 26. Em troca traziam diversos produtos , como vidro, cerâmica e tecido.
  • 27. O contacto com estes povos permitiu aos habitantes da Peninsula Iberica adotarem alguns dos seus conhecimentos e costumes.
  • 30. Cartagineses Conservação de alimentos com sal
  • 31. Os Romanos e os povos barbaros
  • 32. No seculo III a.C , um poderoso exercito romano chegou a peninsula Iberica para conquistar o territorio
  • 33. Enfretam a resistência dos povos ibéricos em particular dos Lusitanas, que defenderam a sua região, do alto dos seus castros e chefiados por Viriatro, resistiram por muitos anos.
  • 34. Porem, no ano 139 a.C, três guerreiros lusitanos traíram o seu líder, e Viriato morreu.
  • 35. Os romanos deixaram de ter resistência e avançaram para a conquista de toda a Peninsula Ibérica.
  • 36. Na peninsula Iberica, os Romanos deixaram:
  • 42. Aos poucos, os Romanos influenciaram o modo de vida dos povos da Peninsula Iberica. Este processo deu-se o nome de romantização.
  • 44. No seculo IV a.C, o território ocupado pelos Romanos foi invadido por diversos povos vindo do Norte da Europa, das quais se destacaram os Suevos e os Visigodos.
  • 45. Estes povos, conhecidos como Barbaros, quebraram a resistência romana e instalaram-se na Peninsula Ibérica.
  • 46. No final do seculo VI d.C, os Visigados , fixados no Centro do Sul da Peninsula, acabaram por dominar os Suevos, que viviam no Noroeste e formaram o Reino Visigodo. Visigodos Suevos
  • 48. No inicio do Seculo VII d.C, enquanto os Visigodos controlovam a peninsula Iberico os Mulçumanos avançavam, vindo dos Norte de Africa.
  • 49. Assim, em 711, tinha inicio a Guerra Santa na Peninsula Iberica.
  • 50. A intenção dos mulçumanos era espalhar o islamismo, a sua religião e conquista a Peninsula Iberica.
  • 51. Rapidamente conseguiram vencer diversas batalhas e conquistar quase toda Peninsula com a exceção das Asturias situadas no Norte, a ultima posto de resistência dos Visigodos.
  • 53. FamilyID=Office_ArchiveTorn Novas Tecnicas Agricolas e novas plantas , culturas e instrumentos. Picota Nora Laranjeira
  • 54. Conhecimento em áreas como a astronomia e matemática e a medicina Astrolabio Algarismo Medicina
  • 55. Conhecimentos de arte, construção tapeçario, literatura e musica Azulejo Mesquita Alaude
  • 56. Palavra Novas Açucar, Xarope, Algarismo , Xadrez, javali , Alfaiate e etc
  • 57. Reconquista Cristão e o Condado Portucalense
  • 58. No ano 713, quase toda Península Ibérica estava ocupada pelos Muçulmanos. No entanto a partir de 722, os cristãos iniciaram a reconquista cristã.
  • 59. Nos seculos seguintes formaram-se vários reinos e condados cristão que tentavam ganhar território aos mulçumanos. Leão Castela, Navarro, Aragão, Condado Portucalense e Condado de Catalunha
  • 60. Para auxiliar os cristãos , chegaram a Peninsula alguns cavaleiros estrangeiros
  • 61. FamilyID=Office_ArchiveTorn D.Afonso VI, rei de Leão e Castela, teve o auxilio de dois cavaleiros franceses , D. Raimundo e D. Henrique. D Henrique D Afonso VI D Raimundo
  • 62. Como recompensa D Afonso VI concedeu-lhes a honra de casar com suas filhas e administrar terrritorios do seu reino
  • 63. D . Urraca D Raimundo Condado da Galiza
  • 65. A Formação de Portugal
  • 66. D. Henrique administrou o Condado Portucalense, mas desejava ser independente do rei de Leão e Castela.Contudo, em 1112 morreu e, como seus filho, D.Afonso Henrique , era criança, D. Teresa ficou a governar o condado.
  • 67. Já, adolescente D. Afonso Henque decide tornar o condado independete apesar da oposição da sua mãe.
  • 68. Na batalha de são mamede, em 1128, D Afonso Henrique venceu as tropas da sua mãe e passou a governar o condado de Portuculense.
  • 69. Posteriormente para garantir a indenpendencia do condado, lutou contra os exércitos do seu primo, D.Afonso VII de Leão de Castela.
  • 70. Em 5 de outubro de 1143 é assinado o tratado de Zamora, na qual D Afonso VII reconhece o Condado de Portucalense como independente do reino de Leão e Castela
  • 71. Nascia o Reino de Portugal e D Afonso Henriques tornava- se o seu primeiro rei. No entanto, o reino de Portugal só seria reconhecido pelo Papa chefe máximo da igreja cristã en 1179, através da bula Manifest Probatum
  • 72. Alargamen to do reino Apos a independência, D Afonso Henriques quis expandir o território de Portugal.
  • 73. Venceu diversas batalhas e conquistou varias cidades aos muçulmanos, como santarem e Lisboa em 1147.
  • 74. Quando D. Afonso Henrique morreu, em 1185, parte dessas terras tinha sido perdida. Nos reinados seguintes os seus sucessores reconquistam território e, em 1249, D. Afonso III conquistou definitivamente o Algarve.
  • 75. Em 1297, foi assinado o tratado de Alcanises , entre o rei D Dinis de Portugal e D. Fernando de Castela. Tratado que definiu as fronteiras de Portugal continental, praticamente idênticas as atuais.
  • 77. Apos a Reconquista Cristã, seguiu-se um período de paz e estabilidade que favoreceu o desenvolvimento em varias áreas. Então os reis da primeira dinastia procuravam atrair as populações para os terrritorios conquistados. Através de doações aos senhores da nobreza e da clero que ficavam responsáveis sua defesa e cultivo.
  • 78. Neste Período, o rei D. Dinis teve um papel muito importante e implementou diversas medidas que desenvolveram o país.
  • 80. 1 - Doou terras através de cartas de foral(documento emitidos pelo rei que regulavam os privilégios, entre outras atividades), para que fossem mais facilmente cultivadas e defendidas. 2- Criou Concelhos
  • 82. 1- Mandou secar pântanos para aumentar as terras cultiváveis. 2- Mandou plantar pinhais para proteger as culturas.
  • 84. 1- Em 1290, fundou a primeira universidade portuguesa em Lisboa. A partir de 1537, esta instalou-se definitivamente em Coimbra. 2- Instituiu a língua portuguesa como a língua oficial nos documentos da corte.
  • 86. 1- Incentivou o comercio interno através da criação de feiras. 2- Criou leis de proteção aos mercadores.
  • 88. Em 1383, D. Fernando, rei de Portugal, morre e surge um problema de sucessão. A sua única filha D. Beatriz, estava casada com o rei de Castela(Atual Espanha) . Muitos Portugueses não apoiava a sua subida ao trono pois poderia por em causa a independencia de Portugal
  • 89. A mãe de D.Beatriz , D. Leonor Teles defendia o dieito da filha ao trono. Outra parte Propunha a subida ao trono de D.João Mestre de Avis( meio-irmão do falecido rei D.Fernando).
  • 90. Em 1385, D João Mestre de Avis, é aclamado D. João I , rei de Portugal, nas cortes de Coimbra, dando inicio a Segunda Dinastia ou dinastia de Avis.
  • 91. Guerra entre Portugal e Espanha A Nomeação de D. João I contrariava os objetivos do Rei de Castela(Rei da Atual Espanha). Iniciou-se um período de guerra entre Portugal e Castela. Com varias Batalhas, das quais se destaca, em agosto de 1385, a batalha de Aljubarrota.
  • 92. • Nessa batalha, o exercito Portugues era menor do que o exercito castelhano. • D. Nuno Alvares Pereira, nomeado chefe dos exércitos portugueses por D. João I, utilizou uma tatica especifica, a tatica do quadrado. • O exercito castelhano, apesar de mais numeroso foi derrotado e partiu em fuga.
  • 93. A Vitoria de ajubarrota garantiu a Independencia de Portugal Para comemorar a vitoria na batalha, D. João I mandou construir perto do local da batalha, o mosteiro de Santa Maria da Vitoria ou Mosteiro da Batalha
  • 94. Crise de Sucessão • A Guerra da Independencia com Castela, deixou Portugal Fragilizado em 1313-1385. • Com pouco dinheiro ,falta de alimentos , espalharam muitas doenças , uma dela bastante mortifera – a peste Negra.
  • 95. Expansão Maritima • Com o objetivo de procurar riqueza • Difundir a fé crista • Iniciou-se a expansão maritima.
  • 96. Infante D Henrique • Filho de D João I , Infante D. Henrique reuniu varios especialistas de varias nacionalidades para garantir o sucesso na viagens , que mais tarde começaram a costruir grandes embarcações denomidas caravelas.
  • 97. Primeiros Passos • Primeira Conquista foi em 1415 com a Conquista de Ceuta, uma cidade no norte da Africa, onde abundava ouro e cereais. • Descobrimento das ilha da madera(1419) e açores(1427)
  • 98. Costa da Africa e Cabo da Tormenta • A partir daí, já nos reinados de D. João II e de D.Manuel I os portugueses continuaram explorando a costa africana ate chegar ao cabo da tormenta que depois passou a ser nomeado como cabo da esperança(com Bortolomeu Dias(1498)).
  • 99. Vasco da Gama • Depois seguiram trajetória para India(1498), onde com trocas comerciais conseguiam trazer para Portugal: especiarias, tecidos e outros produtos que tinham um alto valor na Europa na época.( Vasco da Gama foi o responsável pelo sucesso da chegada dos portugueses a india)
  • 100. Chegada ao Brasil • Em 1500 , graça Pedro Alvares Cabral os portugueses chegaram ao brasil . Passaram a trazer diversos produtos, como o pau-brasil, o tabaco e o cacau . No cultivo e extração destes produtos, o portugueses usavam mão de obra escravas, leva de Africa. • Desta forma Portugal tornou-se, nesta época um dos reinos mais ricos da Europa.
  • 101. D.Sebastião • Em 1578, o jovem rei de Portugal ,morre sem deixar filhos , na batalha de Alcácer Quibir , no norte de África.
  • 102. Cardeal D.Henrique Era tio avô de D.Sebastião e ficou com o trono, que falece pouco depois, sem deixar herdeiros.
  • 103. D. Filipe I • O rei de Espanha , neto de D.Manuel I, exerce o trono e é reconhecido nas cortes de Tomar, em 1581, como rei de Portugal. • Ele prometeu respeitar as leis e os costumes portugueses
  • 105. Luís Vaz de Camões • As viagens marítimas dos portugueses ficaram registradas obras literárias, das quais se destacava Os Lusíadas. • Ele Faleceu no dia 10 de junho de 1580, precisamente no mesno ano que Portugal perdeu a Independência. • Este dia é atualmente feriado nacional - Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas.
  • 106. Quarta dinastia ou dinastia de Bragança • Devido ao descontentamento geral com a governação Filipina , em 1 de dezembro de 1640, os represente do rei espanhol são expulsos de Portugal. • D. João Duque de Bragança é aclamado rei de Portugal, com o nome de D. João IV • Atualmente em 1 de dezembro comemora-se o Dia da Restauração de Indenpendencia e é feriado em Portugal.
  • 107. A Guerra da Restauração • Espanha tentou reconquistar Portugal ao longo de 28 anos , na guerra da Restauração. • Em 1668, no reinado de D. Afonso VI é que Portugal , assegurou definitivamente , a sua • Independencia.
  • 108. • Nas décadas Seguintes, Portugal entrou numa fase prospera, e as riquezas oriundas do Brasil, • Como ouro e pedras preciosas permitiram o enriquecimento do país. • No Reinado do D. João V , parte dessas riquezas foi gasta na construção de monumentos : O convento de Mafra e o Arqueduto de Aguas Livres .
  • 109. O Terremoto de Lisboa • Em 1 de novembro de 1755, no reinado de D. Jose, neste dia Lisboa , uma das maiores e mais ricas cidades da Europa, na altura, ficou completamente destruída. • O violento Terremoto, seguido de tsunami e somando inúmeros incedios, deixaram um rastro de destruição e milhares de pessoas morreram.
  • 110. Marques de Pombal • Após o incidente (o grande terremoto de Lisboa), Marques de Pombal , ministro do reino , ficou responsável pela reconstrução da cidade.
  • 111. 1- No seculo XIX, França encontrava-se Em Guerra com Inglaterra. 2- Napoleão Bonaparte decretou A proibição de trocas comerciais Com a Inglaterra 3- Portugal manteve as Relações comercias Com a Inglaterra, apesar Das ameaças de Napoleão Entre 1807 e 1810, As tropas Napoleónicas Invadiram Portugal e a Família real partiu para o Brasil para não ser presa.
  • 112. As três invasões Francesas • Deixaram um rastro de destruição, com alguns episodios tragicos , como o desastre da Ponte de Barcas, durante a Segunda invasão, no Porto.
  • 113. Vitoria aos Franceses • Apoiados pelos Ingleses, o exercito portugues conseguiu vencer os invasores e expulsar definitivamente os Franceses em Portugal • Apesar disso a Familia real continuou a viver no Brasil, e os Ingleses passaram a interferir na vida politica e economica do país, o que desagradava os portugueses
  • 114. Revolução Liberal Em 24 de agosto de 1820 da-se a 1- Com o descontentamento da população Com a intervenção inglesa na Governação do país. 2- A população do porto Rapidamente aderiu as Manifestações. Foi então Que a revolução se Espalhou pelo país 4- Exigência da população: 4-1.Expulsar os ingleses que Controlovam a economia E a politica do país. 4-2.Regresso do rei que estava no Brasil 4-3.Alterar os poderes do rei instaurando A monarquia constituncional ao em vez Da monarquia absoluta.
  • 115. Constituição de 1822 • Formou-se um Governo provisorio que criou o texto da primeira constituição: a Constituição de 1822. • A familia real, regressada do Brasil (1821), aceitou a alteração, e D. João VI passou a governar uma monarquia constitucional.
  • 116. D. Pedro • Filho de D. João VI, foi o unico • Da familia real que não regressou a Portugal. • Ele lutou pela indenpendencia do Brasil, que foi alcançada em 7 de setembro de 1822. tornando- se imperador.
  • 117. Queda da monarquia • No Seculo XIX, grande parte da população estava descontente com a governação. • Em 1 de fevereiro de 1908, o rei D. Carlos e seu filho foram assassinados, passando o rei a ser D.Manuel II, Segundo filho de D.Carlos. • Em 5 de outubro de 1910, da se uma revolta em Lisboa, e D.Manuel II é expulso, assim termina quase 800 anos de Monarquia.Sendo proclamada a republica. • 5 de outubro passou a ser feriodo: - O dia da proclamação da republica.
  • 119. Chefe de Estado : Rei Como assume o poder: Geralmente por Via hereditária, isto é, de pai para filho (o filho mais velho herda o trono) Abandona o cargo: Quando Morre.
  • 120. Republica • Chefe de Estado: Presidente da Republica. Como assume: Através de eleições( é eleito pela população, atraves do voto) Abandona o cargo: Quando termina o periodo determinado por lei. O primeiro Presidente da Republica eleito em Portugal foi Manuel de Arriaga.
  • 121. Novos Simbolos • Com a Implatação da Republica foram ainda provados novos símbolos da republica Portuguesa. bandeira Hino Moeda : Escudo
  • 122. 1- A difícil situação económica do país E a primeira guerra mundial fizeram Que a primeira republica fosse Muito instável. 2 - Em 28 de maio de 1926, O general Gomes da Costa Chefiou um golpe militar. 3- Pos fim a primeira Republica e instalou Uma ditadura militar 4- Durante esse regime, O general Camona assumiu O cargo de Presidente Da Republica. 5- Nomeou Antonio de Oliveira Salazar para Ministro das Finanças
  • 123. Estado Novo • Em 1932, Salazar é nomeado chefe do Governo e aprova uma Constituição que, em 1933, instituiu o regime Estado Novo. • Foi um regime autoritario e repressivo que retirou direitos e liberade aos cidadãos e vigorou durante 41 anos, até 1974
  • 124. Caracteristica do Estado Novo Fim da Liberdade de expressão e do direito a greve. Sistema de propaganda politica e controlo da cultura para converter a população ao regime Regime repressivo que perseguia quem se opusesse as sua ideias.
  • 125. Pobreza • Durante este período, Portugal tornou-se um país pobre e pouco desenvolvido em relação a outros países europeus. • Por isso, nesse periodo muitos portugueses emigraram a procura de melhores condições de vida.
  • 126. 25 de abril de 1974
  • 127. • Devido ao aumento generalizado da insatisfação, na madrugada do dia 25 de abril de 1974, os militares do movimento das forças armadas(MFA), desencadearam um golpe de Estado para derrubar o Estados Novo.
  • 128. Grandola Vila Morena • Apos ouvirem na a canção “Grândola Vila Morena”, do musico de intervenção Zeca Afonso(Um sinal de código previamente combinada)
  • 129.
  • 130. • O golpe teve o opoio da população e ficou conhecida como Revolução dos Cravos, devido aos cravos que o povo colocou nas armas dos militares.