10 aula materiais

535 visualizações

Publicada em

.

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
535
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
29
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

10 aula materiais

  1. 1. AULA 16 MATERIAIS
  2. 2. Introdução
  3. 3. MATERIAIS  Classificação: Surge por necessidade, uma vez que com o aumento da industrialização e da introdução da produção em série, foi necessário, para não ocorrer falhas de produção devido á inexistência ou insuficiência de peças de estoque.  Categorias:  Identificação  Codificação  Cadastramento  Catalogação
  4. 4. MATERIAIS  Identificação: É a primeira etapa e a mais importante das etapas de classificação de materiais, é a análise e registro das características físico/ químicas, bem como das aplicações.  Medidas/dimensões das peças  Voltagem, amperagem  Tipo de material e qual a sua aplicação  Acabamento superficial do material  Normas técnicas  Referências da peças e/ou embalagens  Acondicionamento, cor  Identificação dos fabricantes
  5. 5. MATERIAIS  Métodos de identificação:  Descritivo: Descrição detalhada, apresentando todas as características físicas que tornem o item único, usando o bom senso de não detalhar em demasia (excesso de pormenores) (ex.manuais longos e cansativos de ler).  Referencial: Base na nomenclatura com apoio as referências do fabricante.
  6. 6. MATERIAIS  Codificação de material é o passo da classificação: Rápida visualização, segundo atribui-se um código representativo (letras ou números), simplificando e tornando mais fácil a identificação destes produtos em diversas áreas da empresa.  Tipos de codificação:  Sistema Alfabético (ex. livros)  Sistema Alfanumérico (ex. almoxarifados)  Sistema Numérico (ex. linhas de produção)  Código de barras (ex. supermercados)
  7. 7.  Códigos de barras: Sistemas numéricos, alfanuméricos, alfabético e alguns de visualização (preços e fotos do produto, ex supermercados)  Podemos teras seguintes informações:  Lotes a qual pertencem  Qual preço pago  Tipo de material, fornecedor, procedência  Qual o giro necessário de estoque, etc.  Fotos, descritivos, preços á se pagar (supermercados) MATERIAIS Leitor de mão Leitor fixo
  8. 8. MATERIAIS  Conceitos Básicos Para compreender como as informações são codificadas em código de barra é fundamental que se tenha os seguintes conceitos. Vejamos os principais:  Barra - Consiste na parte escura do código(normalmente preta), ela absorve a luz e codifica um em cada modulo de barra .  Espaço - Consiste na parte clara do código (geralmente o fundo que o código é impresso) , ele reflete a luz e cada modulo é codificado como zero.
  9. 9. MATERIAIS Caractere - Cada numero ou letra codificado com barra e espaço. Cada caractere pode ser modificado por tantos “1” ou “0” quantos forem os módulos contidos na sua codificação. Caractere inicial final - Indicam ao leitor de código o respectivamente o inicio e o fim do código estes caractere pode ser representado por uma letra ,um numero ou um outro símbolo dependendo do padrão do código em questão. Separadores - Os separadores serve para indicar as extremidade do código e indicar ao leitor o sentido que o código esta sendo lido. Este separadores serve também para permitir que o código seja lido nos dois sentidos.
  10. 10. ALGUNS TIPOS
  11. 11. CADASTRAMENTO DE MATERIAIS  O terceiro passo da classificação é o cadastramento de materiais, este processo consiste de um banco de dados para a identificação do material. São usados fluxogramas do seguinte modo:  Início;  Identificação (1) (da chegada e de como será tratado);  Codificação (Tradução para a linguagem da empresa);  Transcrição de dados (Cópia);  Formulário de especificação (desenhos, tolerâncias, etc.);  Formulário de cadastramento (início);  Alteração de cadastramento (novas atualizações);  Formulário de especificação ( padronização na empresa);
  12. 12. CATALOGAÇÃO DE MATERIAIS Esta é a ultima etapa da classificação de materiais, tem como objetivo uma ordenação lógica dos dados dos itens, que são identificados, codificados e cadastrados, facilitando assim a consulta e confecção de relatórios de controle, pelas diversas áreas da empresa. A simplicidade, objetividade e concisão dos são o maior objetivo desta etapa. Conseguir especificar um catálogo de tal forma que o usuário consiga identificar/requisitar o material desejado; Evitar duplicidades; Possibilitar a constante verificação dos dados em documentos (relatórios) e dentro de sistemas de gerenciamento de material.
  13. 13. ARMAZENAGEM
  14. 14. ARMAZENAGEM (recebimento/entrega) e manuseio de Armazenagem: Controle mercadorias. Custos elevados (movimentação, área, controle, depreciação, etc...); Só é necessária quando a demanda for analisada com alto grau de precisão;  Meta – Redução (menor possível);  Poder ser redutores de custos de transporte (planejando melhor a distribuição (constante e fracionada);  Desenvolvimento de fornecedores confiáveis;  Jamais deixar de servir/alimentar os pontos de distribuição;  Alimentar eficientemente uma produção;  Podem absorver até 40% dos custos da logística;  Ciclo de vida do produto (entregas demoradas ex. importação).
  15. 15. ARMAZENAGEM  Metas:  Reduzir custos de transporte;  Reduzir os custos de produção;  Coordenação de suprimento e demanda (produtos sazonais);  Auxiliar no processo de produção (alimentos e produtos taxados);  Auxiliar marketing (disponibilização dos produtos no mercado).  Localização:  Localização geográfica (integrando com produção e transporte);  Mercados consumidores;  Fornecedores;  Co parceiros;  Potencial para expansão;  Mão de obra e equipamentos;  Sistema de escoamento (modais);  Próprio ou alugado;  Estrutura de fretes.
  16. 16. ARMAZENAGEM  Vantagens do armazenamento  Disponibilidade de insumos;  Facilidade de fiscalização do processo.  Metas:  Redução do risco de acidentes no manuseio de materiais;  Incremento na produção e maior uso de tecnologia;  Satisfação e aumento da motivação dos trabalhadores;  Melhor aproveitamento do espaço;  Redução de custos de movimentação;  Facilidade na fiscalização do processo e menos erros;  Redução de perdas e inutilidades;  Versatilidade sob novas condições.
  17. 17. ARMAZENAGEM  Desvantagens:  Atualização monetária do estoque (inflação, depreciação);  Lugares adequados próprios ou alugados (Câmaras frias);  Uso de serviços administrativos;  Prazos de validade que tem de ser respeitados;  Custos em movimentação.  Fatores que afetam a armazenagem:  Material diferenciado pela sua utilização, consumo, apresentação (embalagem);  Espera, material que tem um prazo de espera para ser utilizado na produção, envio as cadeias de distribuição;  Existência, quantidade mínima para uso na produção ou para formar a carga do modal;  Tráfego: homens, máquinas; carregamento, movimentações implica internas na desacomodação, ou externas do local, descarregamento, colocações.
  18. 18. ARMAZENAGEM  Custos de armazenagem  Fixos e indiretos Aluguéis, contas de consumo;  Depreciação (tempo de estocagem x perda de qualidade ou da demora da volta do capital investido);  Diretos (mão de obra, máquinas e equipamentos), manutenção.  Outros.
  19. 19. ARMAZENAGEM  Armazenagem em função das prioridades:  Por agrupamento, facilita a busca e arrumação de materiais;  Por tamanho, peso e características do material, melhor previsão do espaço a ser ou já utilizado, exigindo um controle rigoroso de todas as movimentações;  Por freqüência, baixa pouca movimentação daquele material; alta rotatividade;  Por separação entre lotes de reserva e diários; pequenos lotes do dia a dia e de reserva lotes mínimos (para não haver falta de materiais);  Por setores de montagem (kamban); MP, semi acabados, acabados, com problemas, etc.
  20. 20. ARMAZENAGEM  Tipos de armazenagem:  Temporária, permite a rotatividade e a adequação das necessidades de produtos com uma necessidade mais rápida;  Permanente, microfilmes para imagens digitais, tambores de gás (até estarem completos), materiais obsoletos mas com alto valor agregado (Tratores, etc.);  Interior / exterior, ar livre, materiais pesados, etc.
  21. 21. MATERIAIS  Armazenagem em função dos materiais  A armazenagem deve ter em conta a natureza dos materiais de modo a obter-se uma disposição racional do armazém, sendo importante classificá-los:  Material diverso  Material a granel  Líquidos  Gases
  22. 22. MATERIAIS  Material diverso, o principal objetivo é agregar o material em unidades de transporte e armazenagem tão grandes quanto possíveis,de modo a preencher o veiculo por completo.  Material a granel, a armazenagem deste material deve ocorrer nas imediações do local de utilização, pois o transporte deste tipo de material é dispendioso. Para grandes quantidades deste material a armazenagem faz-se em silos ou reservatórios de grandes dimensões. Para quantidades menores utilizam-se bidões, latas e caixas.
  23. 23. MATERIAIS  Líquidos, nos líquidos aplica-se a mesma lógica do material a granel. Estes têm a vantagem de poderem ser diretamente conduzidos do local de armazenamento para a fábrica através de condutas.  Gases, obedecem a medidas especiais de precaução, uma vez que tornam-se perigosos ao estarem sujeitos a altas pressões e serem inflamáveis. Por sua vez a armazenagem de garrafas de gás está sujeita a regras específicas e as unidades de transporte são por norma de grandes dimensões.
  24. 24. Armazenagem
  25. 25. MOVIMENTAÇÃO DE MATERIAIS  A movimentação de material, ou transporte/tráfego interno, tem como objetivo a reposição de matérias-primas nas linhas ou células de produção de uma fábrica, bem como transportar o material em processo, quando este processamento implica a realização de operações que são desempenhadas em postos de trabalho diferentes, de onde e para onde vai ser transportado.  A movimentação de material não se limita apenas a movimentar, encaixotar e armazenar como também executa essas funções tendo em conta o tempo e espaço disponíveis. As atividades de apoio à produção, agrupagem e todas as outras atividades não devem ser vistas como um número isolado e independente de procedimentos, devendo ser integradas num sistema de atividades de modo a maximizar a produtividade total de uma instalação ou armazém.
  26. 26. MOVIMENTAÇÃO DE MATERIAIS  Além da movimentação de material ter em conta o tempo, o espaço, e a abordagem de sistemas, deve também ter em conta outro aspecto, o ser humano. Quer seja uma operação simples, que envolva a movimentação de poucos materiais, que seja uma operação complexa que envolva um sistema automatizado, as pessoas fazem sempre parte da movimentação de material .  Um outro aspecto muito importante a ter em conta na movimentação de material é o balanço econômico. A entrega de componentes e produtos no tempo certo e no lugar certo torna-se importante se os custos forem aceitáveis, de modo a que a empresa tenha e mantenha o seu lucro. A combinação de todos estes aspectos traduz- se numa definição mais completa da movimentação de material:  A movimentação de material é um sistema ou a combinação de métodos, instalações, trabalho, equipamento para transporte, embalagem e armazenagem para corresponder a objetivos específicos.
  27. 27. QUESTIONÁRIO  1- Defina a classificação do material.  2- Quais os métodos de identificação do material?  3- Quais são os tipos de codificação do material?  4- Monte um fluxograma do cadastramento de materiais.  5- Defina catalogação do material.  6- Defina armazenagem.  7- Quais as razões para se reduzir os custos de armazenagem de uma empresa?
  28. 28. FIM

×