13 aula terminais maritimos e distribuições

360 visualizações

Publicada em

.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
360
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
28
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

13 aula terminais maritimos e distribuições

  1. 1. TERMINAIS MARITIMOS E DISTRIBUIÇÕES
  2. 2. Logística de Armazenagem e Distribuição de Combustível AULA 24 – TERMINAIS MARITIMOS E DISTRIBUIÇÃO
  3. 3. Pier AULA 24 – TERMINAIS MARITIMOS E DISTRIBUIÇÃO
  4. 4. Atracação Transpetro AULA 24 – TERMINAIS MARITIMOS E DISTRIBUIÇÃO Disponibilidade de atracação, fila; Calado; Atracação; Análise e descarga.
  5. 5. DEMURRAGE AULA 24 – TERMINAIS MARITIMOS E DISTRIBUIÇÃO Demurrage é uma multa que o afretador paga ao fretador se o navio permanece com ele por mais tempo do que o acordado. Quando ocorre um afretamento de navio, esta é sempre uma das cláusulas estabelecidas no Charter Party, sendo rara a sua exclusão.
  6. 6. Navio de Granéis líquidos AULA 24 – TERMINAIS MARITIMOS E DISTRIBUIÇÃO
  7. 7. Manifoldes de Terra AULA 24 – TERMINAIS MARITIMOS E DISTRIBUIÇÃO
  8. 8. Linhas de Pier AULA 24 – TERMINAIS MARITIMOS E DISTRIBUIÇÃO
  9. 9. Terminal Marítimo AULA 24 – TERMINAIS MARITIMOS E DISTRIBUIÇÃO
  10. 10. Terminal Marítimo AULA 24 – TERMINAIS MARITIMOS E DISTRIBUIÇÃO Tipos de combustível : Óleo Diesel >>>S-1800 – Interior e S-50 – Metropolitano Biodiesel >>> 2008 2%, em Jul. 2008 3%, de Jul. a dez 2009 4% e em 2010 5%. Gasolina C >>> Gasolina A + Álcool anidro Etanol hidratado Querosene de aviação >>> QAV Gasolina de aviação>>> GAV Óleo combustível Gás Liquefeito de Petróleo>>>GLP Querosene Iluminante
  11. 11. Vendas Pelas Distribuidoras dos Derivados de Combustíveis AULA 24 – TERMINAIS MARITIMOS E DISTRIBUIÇÃO Dados Volume em m³ 2005 88.807.392 2006 90.672.794 2007 97.785.715 2008 105.972.513 2009 108.802.854 2010 117.951.824
  12. 12. Volume movimentado em m³ 0 AULA 24 – TERMINAIS MARITIMOS E DISTRIBUIÇÃO 20,000,000 40,000,000 60,000,000 80,000,000 100,000,000 120,000,000 140,000,000 1 2 3 4 5 6
  13. 13. Volume Movimentado AULA 24 – TERMINAIS MARITIMOS E DISTRIBUIÇÃO Esse volume representa um crescimento da ordem de 24,71% em cinco anos
  14. 14. Crescimento por Região em 5 anos AULA 24 – TERMINAIS MARITIMOS E DISTRIBUIÇÃO Região Crescimento m³ Crescimento % Centro Oeste 3.066.595 10,52 Norte 3.492.075 11,98 Sul 3.930.549 13,49 Nordeste 5.599.061 19,21 Sudeste 13.056.154 44,80
  15. 15. Crescimento na região NE AULA 24 – TERMINAIS MARITIMOS E DISTRIBUIÇÃO Estado Crescimento m³ Crescimento % Alagoas 212.803 3,80 Sergipe 246.046 4,39 Rio Grande do Norte 320.893 5,73 Piauí 330.254 5,90 Paraíba 349.499 6,24 Maranhão 735.644 13,14 Ceará 854.949 15,27 Pernambuco 1.009.955 18,04 Bahia 1.539.018 27,49
  16. 16. Como vamos atender essa demanda crescente na nossa cadeia de distribuição? Como acontece hoje ? AULA 24 – TERMINAIS MARITIMOS E DISTRIBUIÇÃO
  17. 17. Cadeia de distribuição Refinarias e Usinas Bases Primárias Clientes Bases Secundárias AULA 24 – TERMINAIS MARITIMOS E DISTRIBUIÇÃO
  18. 18. Cadeia de distribuição Deficiência na estrutura de distribuição Gera impactos na Logística de distribuição Aumentando de custo e afetando a economia do país AULA 24 – TERMINAIS MARITIMOS E DISTRIBUIÇÃO
  19. 19. Cadeia de distribuição % frete preço Bomba Duto ferroviário Rodoviário Diferença 2,8% AULA 24 – TERMINAIS MARITIMOS E DISTRIBUIÇÃO 5,4% 2,6% Origem Destino Distância Modal Replan Paulínea 80 m Dutoviário Paulínea S.J. do Rio Preto 419 Km Ferroviário S.J. do Rio Preto Barretos 165 Km Ferroviário Paulínea S.J. do Rio Preto 338 Km Rodoviário
  20. 20. Cadeia de distribuição AULA 24 – TERMINAIS MARITIMOS E DISTRIBUIÇÃO Todo crescimento de volume irá para o modal rodoviário. Estudos mostram uma necessidade de 3.000 veículos a mais por ano. Que encontrarão péssimas Condições nas estradas brasileiras Afetando a cadeia logística de combustíveis tanto nas transferências quanto nas entregas
  21. 21. Conclusões AULA 24 – TERMINAIS MARITIMOS E DISTRIBUIÇÃO  Gargalos na infra-estrutura de logística do País afetam de forma significativa a Logística dos combustíveis Gasolina, Álcool e Diesel, onerando os elos da cadeia de suprimento e afetando os preços para o consumidor final;  Os principais gargalos de infra-estrutura identificados no sistema atual foram a falta de capacidade das ferrovias em atender à demanda e as péssimas condições das rodovias. A não concretização de novos traçados ferroviários e extensões de linha já planejados, também gera ineficiências no transporte;
  22. 22. Conclusões morosidade nas decisões. AULA 24 – TERMINAIS MARITIMOS E DISTRIBUIÇÃO  Grande parte dos investimentos necessários nas ferrovias e rodovias não serão justificados somente pelos volumes de combustíveis, mas sim por cargas mais representativas como minério e as do agronegócio. É importante, portanto, que diversos setores da economia se mobilizem para que os investimentos ocorram;  A burocracia, distorção já tão reconhecida e de enorme abrangência no Brasil, também afeta a eficiência da logística de combustíveis: seja na documentação de tráfego, nas licenças para construção de novas bases, nos estudos de novos dutos, ela está presente em diversos processos, causando atraso em atividades e
  23. 23. FIM

×