SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 23
Baixar para ler offline
ESTOCAGEM
Qual a diferença entre armazenagem e estocagem?
É a designação usada para definir
quantidades armazenadas ou em
processo de produção de quaisquer
recursos necessários para dar
origem a um bem com a função
principal de criar uma independência
entre os vários estágios da cadeia
produtiva.
ARMAZENAGEM
ESTOCAGEM
Guarda de produtos acabados
Guarda de matéria prima
Os estoques podem ser constituídos por diversos tipos de
materiais, nos quais podemos dividir em classes:
Materiais a serem empregados visando a
obtenção de um produto final
Produtos em processo
Produtos acabados
Componentes
Matéria prima
Subconjuntos que irão constituir o
conjunto final do produto
Componentes ou materiais que estão em
espera no processo produtivo
Produtos finais que se encontram para
venda, distribuição ou armazenagem
ESTOCAGEM
CLASSIFICAÇÃO DOS ESTOQUES
VANTAGENS DA ESTOCAGEM
VANTAGENS DO ESTOQUE
de incerteza nas demandas e no tempo de• Protege a empresa
ressuprimento
•Possibilidade de adquirir por preços baixos e vender com preços mais
elevados (Especulação)
provocados por avarias durante
• Melhoram o nível de serviço
• Prevenir atrasos nas entregas,
produção, transporte, etc.
• Redução de preço unitário, mediante compra de lotes maiores
• Segurança contra contingências
DESVANTAGENS DA ESTOCAGEM
DESVANTAGENS DO ESTOQUE
•Custam Dinheiro - Dinheiro Parado
• Ocultam problemas e ineficiência do processo
• Fornecedor investem menos em novos processos
•Perigo de encalhar materiais em estoque, levando em consideração a
troca de modelo/ano
GESTÃO DE MATERIAIS
GESTÃO DE MATERIAIS
A administração de materiais na empresa é um conjunto de atividades com a
finalidade de assegurar o suprimento de materiais necessários ao
funcionamento da organização, no tempo correto, na quantidade necessária,
na qualidade requerida e pelo melhor preço.
Em relação a suas atribuições podem
ser classificadas como:
Administração de estoques
Administração de compras
Administração física
GESTÃO DE ESTOQUES
GESTÃO DE ESTOQUES
A GESTÃO DE ESTOQUES NA CADEIA DE SUPRIMENTOS é um assunto que
absorve parte substancial do orçamento operacional de uma organização. Como
eles não agregam valores aos produtos, quanto menor o nível de estoques com
que um sistema produtivo conseguir trabalhar, mais eficiente será.
A eficiência na sua administração poderá
criar a diferença com os concorrentes,
melhorando a qualidade, reduzindo os
tempos, diminuindo os custos entre
outros fatores, oferecendo, assim, uma
vantagem competitiva para a própria
empresa.
É fundamental que as empresas
diminuam, ao mínimo, a quantidade de
estoques na cadeia de suprimentos, a
fim de obter uma racionalização nos
custos de armazenagem e respectiva
manutenção.
CUSTOS ASSOCIADOS A GESTÃO
DE ESTOQUES
CUSTOS ASSOCIADOS A GESTÃO DE ESTOQUE
CUSTO DE MANUTENÇÃO DE ESTOQUE
São custos proporcionais a quantidade armazenada e ao tempo que
esta fica em estoque
CUSTO DE PEDIDO
São custos referentes a uma nova encomenda, podendo esses custos
ser tanto variáveis (preço unitário de compra de artigo encomendado)
como fixos (envio / recebimento da encomenda, inspeção)
CUSTO DE FALTA
São custos derivados de quando não existe estoque suficiente para
satisfazer a procura dos clientes em um dado período de tempo.
SISTEMAS DE GERENCIAMENTO
DE ESTOQUES
SISTEMAS DE GERENCIAMENTO DE ESTOQUE
FMS – FLEXIBLE MANUFACTURING SYSTEM
MRP – MATERIAL REQUIREMENT PLANING
SISTEMA PERIÓDICO
OPT – OPTIMIZED PRODUCTION TECHNOLOGY
KANBAN
FMS – FLEXIBLE MANUFACTURING SYSTEM
Nesse sistema, os computadores comandam as operações das máquinas de
produção e, inclusive, comandam a troca de ferramentas das operações de
manuseio de materiais, ferramentas, acessórios e estoques. Pode-se incluir
no software módulos de monitoração do controle estatístico da qualidade.
Normalmente, é aplicado em fábricas com grande diversidade de peças de
produtos finais montados em lotes.
Podemos destacar, entre as vantagens do FMS, as seguintes:
•Permite maior produtividade das máquinas, que passam a ter utilização
de 80% a 90% do tempo disponível;
•Possibilita maior atenção aos consumidores em função da flexibilidade
proporcionada;
• Diminui os tempos de fabricação;
•Em função do aumento da flexibilidade, permite aumentar a variedade
dos produtos ofertados.
MRP – MATERIAL REQUIREMENT PLANING
O MRP é um sistema completo para emitir ordens de fabricação, de
compras, controlar estoques e administrar a carteira de pedidos dos
clientes. Opera em base semanal, impondo, com isso, uma previsão de
vendas no mesmo prazo, de modo a permitir a geração de novas ordens de
produção para a fábrica. O sistema pode operar com diversas fórmulas
para cálculo dos lotes de compras, fabricação e montagem, operando
ainda com diversos estoques de material em processo, como estoque de
matérias-primas, partes, submontagens e produtos acabados.
A maior vantagem do MRP consiste em
utilizar programas de computadores
complexos, levando-se em consideração
todos os
conseguir o
fatores
melhor
relevantes para
cumprimento de
prazos de entrega, com estoques baixos,
mesmo que a fábrica tenha muitos
produtos em quantidade, de uma semana
para outra.
SISTEMA PERIÓDICO
A característica básica desse sistema é a divisão da fábrica
em vários setores de processamento sucessivo de vários
produtos similares. Cada setor recebe um conjunto de
ordens de fabricação para ser iniciado e terminado no
período. Com isso, no fim de cada período, se todos os
setores cumprirem sua carga de trabalho, não haverá
qualquer material em aberto. Isso facilita o controle de cada
setor da fábrica, atribuindo responsabilidades bem
definidas. Esse sistema com período fixo é antigo, mas,
devido às suas características, não se tornou obsoleto face
aos sistemas modernos, nos quais é possível a adoção de
períodos curtos, menores que uma semana.
OPT – OPTIMIZED PRODUCTION TECHNOLOGY
O sistema OPT foi desenvolvido com uma abordagem diferente dos
sistemas anteriores, enfatizando a racionalidade do fluxo de
materiais pelos diversos postos de trabalho de uma fábrica; os
pressupostos básicos do OPT foram originados por formulações
matemáticas.
Nesse sistema, as ordens de fabricação são vistas como tendo de
passar por filas de espera de atendimento nos diversos postos de
trabalho na fábrica. O conjunto de postos de trabalho forma então,
uma rede de filas de espera.
O sistema OPT usa um conjunto de coeficientes gerenciais para
ajudar a determinar o lote ótimo para cada componente ou
submontagem a ser processado em cada posto de trabalho. Muita
ênfase é dedicada aos pontos de gargalo da produção.
KANBAN
O sistema Kanban foi desenvolvido para ser utilizado onde os
empregados possuem motivação e mobilização, com grande liberdade de
ação. Nessas fábricas, na certeza de que os empregados trabalham com
dedicação e responsabilidade, é legítimo um trabalhador parar a linha de
montagem ou produção porque achou algo errado. Os empregados
mutuamente oumantêm-se ocupados todo o tempo, ajudando-se
trocando de tarefas conforme as necessidades.
É um sistema que "puxa" a produção da
fábrica, inclusive até o nível de compras,
pelas necessidades
montagem final. As
geradas
peças
feitas especialmente para cada
na
ou
submontagens são colocadas em caixa
uma
dessas partes, que, ao serem esvaziadas
na montagem, são remetidas ao posto de
trabalho que faz a última operação a essa
remessa, funcionando como uma ordem
de produção.
SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE ESTOQUES
O gerenciamento dos estoques nas empresas é fundamental
para a diminuição dos custos. Estoques elevados e com falhas
na administração são fatores que oneram o preço final dos
produtos, bem como uma aplicação indevida do capital de giro
das empresas. A competitividade das empresas no mundo
globalizado exige uma correta manutenção desse ativo, sendo
fundamental manter apenas as quantidades necessárias para a
produção. A correta gestão de todo o estoque na cadeia de
suprimentos não pode ser efetuada isoladamente, algumas das
medidas de controle de produção
podem ser implementadas pela
empresa. Porém, é fundamental que a
cadeia de suprimentos esteja
no mesmo nível de evolução e
a relação cliente - fornecedor
tenha um sincronismo total.
QUESTIONÁRIO
1) O que é estocagem?
2) Como os estoques podem ser constituídos?
3) Como os estoques podem ser classificados?
4) Quais as vantagens da estocagem?
5) Quais as desvantagens da estocagem?
6) O que é gestão de materiais?
7) O que é gestão de estoque?
8) Quais os custos associados a gestão de estoque?
9) Cite 3 sistemas de gerenciamento de estoque.
10) O que é MRP e o que ele faz?
FIM

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Logística e distribuição
Logística e distribuiçãoLogística e distribuição
Logística e distribuiçãoGilberto Freitas
 
Distribuição e armazenagem
Distribuição e armazenagemDistribuição e armazenagem
Distribuição e armazenagemConsultor SAP MM
 
Logística historico,fundamentos e perspectivas- Professor Danilo Pires
Logística  historico,fundamentos e perspectivas- Professor Danilo PiresLogística  historico,fundamentos e perspectivas- Professor Danilo Pires
Logística historico,fundamentos e perspectivas- Professor Danilo PiresDanilo Pires
 
Logística 2 fundamentos
Logística 2 fundamentosLogística 2 fundamentos
Logística 2 fundamentosAndrey Martins
 
Aula 7 logística reversa
Aula 7   logística reversaAula 7   logística reversa
Aula 7 logística reversaHytalo Rafael
 
Logística e cadeia de suprimento
Logística e cadeia de suprimentoLogística e cadeia de suprimento
Logística e cadeia de suprimentoJader Windson
 
Logística de produção
Logística de produçãoLogística de produção
Logística de produçãoSandro Souza
 
Aula de controle de estoques
Aula de controle de estoquesAula de controle de estoques
Aula de controle de estoquesMoises Ribeiro
 
61321330 adm-estoque-e-almoxarifado-130612211743-phpapp02
61321330 adm-estoque-e-almoxarifado-130612211743-phpapp0261321330 adm-estoque-e-almoxarifado-130612211743-phpapp02
61321330 adm-estoque-e-almoxarifado-130612211743-phpapp02Sheila Moreira Bezerra
 

Mais procurados (20)

Logística e distribuição
Logística e distribuiçãoLogística e distribuição
Logística e distribuição
 
Logística de Suprimentos
Logística de SuprimentosLogística de Suprimentos
Logística de Suprimentos
 
Logistica empresarial
Logistica empresarialLogistica empresarial
Logistica empresarial
 
Distribuição e armazenagem
Distribuição e armazenagemDistribuição e armazenagem
Distribuição e armazenagem
 
Gestão de Armazéns
Gestão de ArmazénsGestão de Armazéns
Gestão de Armazéns
 
07 aula armazenagem l
07 aula armazenagem l07 aula armazenagem l
07 aula armazenagem l
 
Aula FUNDAMENTOS DA LOGISTICA
Aula FUNDAMENTOS DA LOGISTICAAula FUNDAMENTOS DA LOGISTICA
Aula FUNDAMENTOS DA LOGISTICA
 
Logística historico,fundamentos e perspectivas- Professor Danilo Pires
Logística  historico,fundamentos e perspectivas- Professor Danilo PiresLogística  historico,fundamentos e perspectivas- Professor Danilo Pires
Logística historico,fundamentos e perspectivas- Professor Danilo Pires
 
3ª aula de Logística (Atividades de Apoio)
3ª aula de Logística (Atividades de Apoio)3ª aula de Logística (Atividades de Apoio)
3ª aula de Logística (Atividades de Apoio)
 
Logística 2 fundamentos
Logística 2 fundamentosLogística 2 fundamentos
Logística 2 fundamentos
 
03 aula armazenagem
03 aula armazenagem03 aula armazenagem
03 aula armazenagem
 
Aula 7 logística reversa
Aula 7   logística reversaAula 7   logística reversa
Aula 7 logística reversa
 
Logística e cadeia de suprimento
Logística e cadeia de suprimentoLogística e cadeia de suprimento
Logística e cadeia de suprimento
 
Logística de produção
Logística de produçãoLogística de produção
Logística de produção
 
Logística Empresarial
Logística EmpresarialLogística Empresarial
Logística Empresarial
 
Aula de controle de estoques
Aula de controle de estoquesAula de controle de estoques
Aula de controle de estoques
 
61321330 adm-estoque-e-almoxarifado-130612211743-phpapp02
61321330 adm-estoque-e-almoxarifado-130612211743-phpapp0261321330 adm-estoque-e-almoxarifado-130612211743-phpapp02
61321330 adm-estoque-e-almoxarifado-130612211743-phpapp02
 
Estocagem
EstocagemEstocagem
Estocagem
 
Fluxos logísticos
Fluxos logísticosFluxos logísticos
Fluxos logísticos
 
Administração de materiais
Administração de materiaisAdministração de materiais
Administração de materiais
 

Destaque

Armazenagem de Materiais
Armazenagem de MateriaisArmazenagem de Materiais
Armazenagem de MateriaisRobson Costa
 
Pré-sal: folheto
Pré-sal: folhetoPré-sal: folheto
Pré-sal: folhetoFatoseDados
 
Maual Técnico mineraçãoApostila tminerac3a7c3a3o
Maual Técnico mineraçãoApostila tminerac3a7c3a3oMaual Técnico mineraçãoApostila tminerac3a7c3a3o
Maual Técnico mineraçãoApostila tminerac3a7c3a3ohomertc
 
Delcídio do Amaral - 2010 Assembléia Legislativa - Campo Grande - Divisão dos...
Delcídio do Amaral - 2010 Assembléia Legislativa - Campo Grande - Divisão dos...Delcídio do Amaral - 2010 Assembléia Legislativa - Campo Grande - Divisão dos...
Delcídio do Amaral - 2010 Assembléia Legislativa - Campo Grande - Divisão dos...Delcídio do Amaral
 
15 aula torres de perfuração e equipamentos
15 aula torres de perfuração e equipamentos15 aula torres de perfuração e equipamentos
15 aula torres de perfuração e equipamentosHomero Alves de Lima
 
01 Aula a História do Petróleo no Brasil
01 Aula a História do Petróleo no Brasil01 Aula a História do Petróleo no Brasil
01 Aula a História do Petróleo no BrasilHomero Alves de Lima
 
Mineração e DNPM (The Brazilian Mining Sector and The Mineral Agency)
Mineração e DNPM (The Brazilian Mining Sector and The Mineral Agency)Mineração e DNPM (The Brazilian Mining Sector and The Mineral Agency)
Mineração e DNPM (The Brazilian Mining Sector and The Mineral Agency)Saulo Melo
 
Aula 01 introdução, endereçamento e wms
Aula 01  introdução, endereçamento e wmsAula 01  introdução, endereçamento e wms
Aula 01 introdução, endereçamento e wmsAdilson Paradella
 
Museu da Escola de Lavra
Museu da Escola de LavraMuseu da Escola de Lavra
Museu da Escola de LavraMargarida Mota
 
Aula engmet - parte 3
Aula   engmet - parte 3Aula   engmet - parte 3
Aula engmet - parte 3engmetodos
 
07 aula campos de petróleo e plataformas
07 aula campos de petróleo e plataformas07 aula campos de petróleo e plataformas
07 aula campos de petróleo e plataformasHomero Alves de Lima
 
09 aula valvulas da industria de petroleo
09 aula valvulas da industria de petroleo09 aula valvulas da industria de petroleo
09 aula valvulas da industria de petroleoHomero Alves de Lima
 
12 aula corrosão tanque e purgadores
12 aula corrosão tanque e purgadores12 aula corrosão tanque e purgadores
12 aula corrosão tanque e purgadoresHomero Alves de Lima
 

Destaque (20)

Armazenagem de Materiais
Armazenagem de MateriaisArmazenagem de Materiais
Armazenagem de Materiais
 
08 aula armazenagem ii
08 aula armazenagem ii08 aula armazenagem ii
08 aula armazenagem ii
 
3 tipos de colheita tese
3 tipos de colheita tese3 tipos de colheita tese
3 tipos de colheita tese
 
Cc avaliacao estoques
Cc avaliacao estoquesCc avaliacao estoques
Cc avaliacao estoques
 
02 aula cadeia de fornecimento
02 aula cadeia de fornecimento02 aula cadeia de fornecimento
02 aula cadeia de fornecimento
 
Petróleo pps
Petróleo ppsPetróleo pps
Petróleo pps
 
Pré-sal: folheto
Pré-sal: folhetoPré-sal: folheto
Pré-sal: folheto
 
Maual Técnico mineraçãoApostila tminerac3a7c3a3o
Maual Técnico mineraçãoApostila tminerac3a7c3a3oMaual Técnico mineraçãoApostila tminerac3a7c3a3o
Maual Técnico mineraçãoApostila tminerac3a7c3a3o
 
02 aula cadeia de fornecimento
02 aula cadeia de fornecimento02 aula cadeia de fornecimento
02 aula cadeia de fornecimento
 
Delcídio do Amaral - 2010 Assembléia Legislativa - Campo Grande - Divisão dos...
Delcídio do Amaral - 2010 Assembléia Legislativa - Campo Grande - Divisão dos...Delcídio do Amaral - 2010 Assembléia Legislativa - Campo Grande - Divisão dos...
Delcídio do Amaral - 2010 Assembléia Legislativa - Campo Grande - Divisão dos...
 
15 aula torres de perfuração e equipamentos
15 aula torres de perfuração e equipamentos15 aula torres de perfuração e equipamentos
15 aula torres de perfuração e equipamentos
 
01 Aula a História do Petróleo no Brasil
01 Aula a História do Petróleo no Brasil01 Aula a História do Petróleo no Brasil
01 Aula a História do Petróleo no Brasil
 
Mineração e DNPM (The Brazilian Mining Sector and The Mineral Agency)
Mineração e DNPM (The Brazilian Mining Sector and The Mineral Agency)Mineração e DNPM (The Brazilian Mining Sector and The Mineral Agency)
Mineração e DNPM (The Brazilian Mining Sector and The Mineral Agency)
 
02 aula industria do petróleo
02 aula industria do petróleo02 aula industria do petróleo
02 aula industria do petróleo
 
Aula 01 introdução, endereçamento e wms
Aula 01  introdução, endereçamento e wmsAula 01  introdução, endereçamento e wms
Aula 01 introdução, endereçamento e wms
 
Museu da Escola de Lavra
Museu da Escola de LavraMuseu da Escola de Lavra
Museu da Escola de Lavra
 
Aula engmet - parte 3
Aula   engmet - parte 3Aula   engmet - parte 3
Aula engmet - parte 3
 
07 aula campos de petróleo e plataformas
07 aula campos de petróleo e plataformas07 aula campos de petróleo e plataformas
07 aula campos de petróleo e plataformas
 
09 aula valvulas da industria de petroleo
09 aula valvulas da industria de petroleo09 aula valvulas da industria de petroleo
09 aula valvulas da industria de petroleo
 
12 aula corrosão tanque e purgadores
12 aula corrosão tanque e purgadores12 aula corrosão tanque e purgadores
12 aula corrosão tanque e purgadores
 

Semelhante a Diferença entre armazenagem e estocagem

A importância da administração de produção como ferramenta impulsionadora da ...
A importância da administração de produção como ferramenta impulsionadora da ...A importância da administração de produção como ferramenta impulsionadora da ...
A importância da administração de produção como ferramenta impulsionadora da ...IFMG e COLTEC
 
Sistemas de Automação para Gestão de Armazéns
Sistemas de Automação para Gestão de ArmazénsSistemas de Automação para Gestão de Armazéns
Sistemas de Automação para Gestão de Armazénspraxated
 
Artigo gestao_de_estoques
Artigo gestao_de_estoquesArtigo gestao_de_estoques
Artigo gestao_de_estoquesAntonio Branco
 
Aula de logística 01
Aula de logística 01Aula de logística 01
Aula de logística 01trainertek
 
Gestão de Estoque.ppt
Gestão de Estoque.pptGestão de Estoque.ppt
Gestão de Estoque.pptMARIO SOARES
 
Engenharia de operações e processos da produção
Engenharia de operações e processos da produçãoEngenharia de operações e processos da produção
Engenharia de operações e processos da produçãoSara Dantas
 
Gestao stock4º trabalho
Gestao stock4º trabalhoGestao stock4º trabalho
Gestao stock4º trabalhojorgecs6
 
OPT - Optimized Production Technology
OPT - Optimized Production TechnologyOPT - Optimized Production Technology
OPT - Optimized Production TechnologyArthur Santos
 
Administração da Produção
Administração da ProduçãoAdministração da Produção
Administração da ProduçãoRaniere Emin
 

Semelhante a Diferença entre armazenagem e estocagem (20)

Conceitos 1
Conceitos   1Conceitos   1
Conceitos 1
 
P10 estoque custos
P10 estoque custosP10 estoque custos
P10 estoque custos
 
Gestão de estoque
Gestão de estoqueGestão de estoque
Gestão de estoque
 
Aula 1 conceitos básicos
Aula 1   conceitos básicosAula 1   conceitos básicos
Aula 1 conceitos básicos
 
Produção
ProduçãoProdução
Produção
 
A importância da administração de produção como ferramenta impulsionadora da ...
A importância da administração de produção como ferramenta impulsionadora da ...A importância da administração de produção como ferramenta impulsionadora da ...
A importância da administração de produção como ferramenta impulsionadora da ...
 
Adm estoque
Adm  estoqueAdm  estoque
Adm estoque
 
Sistemas de Automação para Gestão de Armazéns
Sistemas de Automação para Gestão de ArmazénsSistemas de Automação para Gestão de Armazéns
Sistemas de Automação para Gestão de Armazéns
 
Just in-time-kaizen-shigeo-shingo
Just in-time-kaizen-shigeo-shingoJust in-time-kaizen-shigeo-shingo
Just in-time-kaizen-shigeo-shingo
 
Adm da produção
Adm da produçãoAdm da produção
Adm da produção
 
Artigo gestao_de_estoques
Artigo gestao_de_estoquesArtigo gestao_de_estoques
Artigo gestao_de_estoques
 
Aula de logística 01
Aula de logística 01Aula de logística 01
Aula de logística 01
 
Gestão de Estoque.ppt
Gestão de Estoque.pptGestão de Estoque.ppt
Gestão de Estoque.ppt
 
Engenharia de operações e processos da produção
Engenharia de operações e processos da produçãoEngenharia de operações e processos da produção
Engenharia de operações e processos da produção
 
Gestao stock4º trabalho
Gestao stock4º trabalhoGestao stock4º trabalho
Gestao stock4º trabalho
 
OPT - Optimized Production Technology
OPT - Optimized Production TechnologyOPT - Optimized Production Technology
OPT - Optimized Production Technology
 
Adm Producao
Adm ProducaoAdm Producao
Adm Producao
 
2 slides - gestão de estoques
2   slides - gestão de estoques2   slides - gestão de estoques
2 slides - gestão de estoques
 
CONTROLE DE ESTOQUE.pdf
CONTROLE DE ESTOQUE.pdfCONTROLE DE ESTOQUE.pdf
CONTROLE DE ESTOQUE.pdf
 
Administração da Produção
Administração da ProduçãoAdministração da Produção
Administração da Produção
 

Mais de Homero Alves de Lima

Aula 01 curso de administração de hotel
Aula 01 curso de administração de hotelAula 01 curso de administração de hotel
Aula 01 curso de administração de hotelHomero Alves de Lima
 
Livro completo de administração de empresa
Livro completo de administração de empresaLivro completo de administração de empresa
Livro completo de administração de empresaHomero Alves de Lima
 
Simulado de matemática e suas tecnologias
Simulado de matemática e suas tecnologiasSimulado de matemática e suas tecnologias
Simulado de matemática e suas tecnologiasHomero Alves de Lima
 
Simulado de linguagens, códigos e suas tecnologias
Simulado de linguagens, códigos e suas tecnologiasSimulado de linguagens, códigos e suas tecnologias
Simulado de linguagens, códigos e suas tecnologiasHomero Alves de Lima
 
Simulado de ciências humanas e suas tecnologias
Simulado de ciências humanas e suas tecnologiasSimulado de ciências humanas e suas tecnologias
Simulado de ciências humanas e suas tecnologiasHomero Alves de Lima
 
Simulado de ciências da natureza e suas tecnologias
Simulado de ciências da natureza e suas tecnologiasSimulado de ciências da natureza e suas tecnologias
Simulado de ciências da natureza e suas tecnologiasHomero Alves de Lima
 
Caderno de ecercícios de redação
Caderno de ecercícios de redaçãoCaderno de ecercícios de redação
Caderno de ecercícios de redaçãoHomero Alves de Lima
 
Caderno de exercícios de matemática e suas tecnologias
Caderno de exercícios de matemática e suas tecnologiasCaderno de exercícios de matemática e suas tecnologias
Caderno de exercícios de matemática e suas tecnologiasHomero Alves de Lima
 
Aula 09 de matemática e suas tecnologias
Aula 09 de matemática e suas tecnologiasAula 09 de matemática e suas tecnologias
Aula 09 de matemática e suas tecnologiasHomero Alves de Lima
 
Aula 08 de matemática e suas tecnologias
Aula 08 de matemática e suas tecnologiasAula 08 de matemática e suas tecnologias
Aula 08 de matemática e suas tecnologiasHomero Alves de Lima
 
Aula 07 de matemática e suas tecnologias
Aula 07 de matemática e suas tecnologiasAula 07 de matemática e suas tecnologias
Aula 07 de matemática e suas tecnologiasHomero Alves de Lima
 
Aula 06 de matemática e suas tecnologias
Aula 06 de matemática e suas tecnologiasAula 06 de matemática e suas tecnologias
Aula 06 de matemática e suas tecnologiasHomero Alves de Lima
 
Aula 05 de matemática e suas tecnologias
Aula 05 de matemática e suas tecnologiasAula 05 de matemática e suas tecnologias
Aula 05 de matemática e suas tecnologiasHomero Alves de Lima
 
Aula 04 de matemática e suas tecnologias
Aula 04 de matemática e suas tecnologiasAula 04 de matemática e suas tecnologias
Aula 04 de matemática e suas tecnologiasHomero Alves de Lima
 
Aula 03 de matemática e suas tecnologias
Aula 03 de matemática e suas tecnologiasAula 03 de matemática e suas tecnologias
Aula 03 de matemática e suas tecnologiasHomero Alves de Lima
 
Aula 02 de matemática e suas tecnologias
Aula 02 de matemática e suas tecnologiasAula 02 de matemática e suas tecnologias
Aula 02 de matemática e suas tecnologiasHomero Alves de Lima
 

Mais de Homero Alves de Lima (20)

Aula 01 curso de administração de hotel
Aula 01 curso de administração de hotelAula 01 curso de administração de hotel
Aula 01 curso de administração de hotel
 
Livro completo de administração de empresa
Livro completo de administração de empresaLivro completo de administração de empresa
Livro completo de administração de empresa
 
Sumulando uma prova do enem
Sumulando uma prova do enemSumulando uma prova do enem
Sumulando uma prova do enem
 
Simulado de matemática e suas tecnologias
Simulado de matemática e suas tecnologiasSimulado de matemática e suas tecnologias
Simulado de matemática e suas tecnologias
 
Simulado de linguagens, códigos e suas tecnologias
Simulado de linguagens, códigos e suas tecnologiasSimulado de linguagens, códigos e suas tecnologias
Simulado de linguagens, códigos e suas tecnologias
 
Simulado de ciências humanas e suas tecnologias
Simulado de ciências humanas e suas tecnologiasSimulado de ciências humanas e suas tecnologias
Simulado de ciências humanas e suas tecnologias
 
Simulado de ciências da natureza e suas tecnologias
Simulado de ciências da natureza e suas tecnologiasSimulado de ciências da natureza e suas tecnologias
Simulado de ciências da natureza e suas tecnologias
 
Caderno de ecercícios de redação
Caderno de ecercícios de redaçãoCaderno de ecercícios de redação
Caderno de ecercícios de redação
 
Aula 02 redação
Aula 02 redaçãoAula 02 redação
Aula 02 redação
 
Aula 01 redação
Aula 01 redaçãoAula 01 redação
Aula 01 redação
 
Conteúdo programático redação
Conteúdo programático redaçãoConteúdo programático redação
Conteúdo programático redação
 
Caderno de exercícios de matemática e suas tecnologias
Caderno de exercícios de matemática e suas tecnologiasCaderno de exercícios de matemática e suas tecnologias
Caderno de exercícios de matemática e suas tecnologias
 
Aula 09 de matemática e suas tecnologias
Aula 09 de matemática e suas tecnologiasAula 09 de matemática e suas tecnologias
Aula 09 de matemática e suas tecnologias
 
Aula 08 de matemática e suas tecnologias
Aula 08 de matemática e suas tecnologiasAula 08 de matemática e suas tecnologias
Aula 08 de matemática e suas tecnologias
 
Aula 07 de matemática e suas tecnologias
Aula 07 de matemática e suas tecnologiasAula 07 de matemática e suas tecnologias
Aula 07 de matemática e suas tecnologias
 
Aula 06 de matemática e suas tecnologias
Aula 06 de matemática e suas tecnologiasAula 06 de matemática e suas tecnologias
Aula 06 de matemática e suas tecnologias
 
Aula 05 de matemática e suas tecnologias
Aula 05 de matemática e suas tecnologiasAula 05 de matemática e suas tecnologias
Aula 05 de matemática e suas tecnologias
 
Aula 04 de matemática e suas tecnologias
Aula 04 de matemática e suas tecnologiasAula 04 de matemática e suas tecnologias
Aula 04 de matemática e suas tecnologias
 
Aula 03 de matemática e suas tecnologias
Aula 03 de matemática e suas tecnologiasAula 03 de matemática e suas tecnologias
Aula 03 de matemática e suas tecnologias
 
Aula 02 de matemática e suas tecnologias
Aula 02 de matemática e suas tecnologiasAula 02 de matemática e suas tecnologias
Aula 02 de matemática e suas tecnologias
 

Último

LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.HildegardeAngel
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullyingMary Alvarenga
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLaseVasconcelos1
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...Martin M Flynn
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdfProfGleide
 
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAAVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAEdioFnaf
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas BrasileirosMary Alvarenga
 
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?MrciaRocha48
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoCelianeOliveira8
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxDeyvidBriel
 
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptxErivaldoLima15
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxkarinasantiago54
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxRevolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxHlioMachado1
 
parte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz
parte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzparte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz
parte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzAlexandrePereira818171
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...nexocan937
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfmarialuciadasilva17
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxGislaineDuresCruz
 

Último (20)

LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
 
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAAVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
 
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
 
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxRevolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
 
parte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz
parte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzparte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz
parte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
 

Diferença entre armazenagem e estocagem

  • 1. ESTOCAGEM Qual a diferença entre armazenagem e estocagem? É a designação usada para definir quantidades armazenadas ou em processo de produção de quaisquer recursos necessários para dar origem a um bem com a função principal de criar uma independência entre os vários estágios da cadeia produtiva. ARMAZENAGEM ESTOCAGEM Guarda de produtos acabados Guarda de matéria prima
  • 2. Os estoques podem ser constituídos por diversos tipos de materiais, nos quais podemos dividir em classes: Materiais a serem empregados visando a obtenção de um produto final Produtos em processo Produtos acabados Componentes Matéria prima Subconjuntos que irão constituir o conjunto final do produto Componentes ou materiais que estão em espera no processo produtivo Produtos finais que se encontram para venda, distribuição ou armazenagem ESTOCAGEM
  • 5. VANTAGENS DO ESTOQUE de incerteza nas demandas e no tempo de• Protege a empresa ressuprimento •Possibilidade de adquirir por preços baixos e vender com preços mais elevados (Especulação) provocados por avarias durante • Melhoram o nível de serviço • Prevenir atrasos nas entregas, produção, transporte, etc. • Redução de preço unitário, mediante compra de lotes maiores • Segurança contra contingências
  • 7. DESVANTAGENS DO ESTOQUE •Custam Dinheiro - Dinheiro Parado • Ocultam problemas e ineficiência do processo • Fornecedor investem menos em novos processos •Perigo de encalhar materiais em estoque, levando em consideração a troca de modelo/ano
  • 9. GESTÃO DE MATERIAIS A administração de materiais na empresa é um conjunto de atividades com a finalidade de assegurar o suprimento de materiais necessários ao funcionamento da organização, no tempo correto, na quantidade necessária, na qualidade requerida e pelo melhor preço. Em relação a suas atribuições podem ser classificadas como: Administração de estoques Administração de compras Administração física
  • 11. GESTÃO DE ESTOQUES A GESTÃO DE ESTOQUES NA CADEIA DE SUPRIMENTOS é um assunto que absorve parte substancial do orçamento operacional de uma organização. Como eles não agregam valores aos produtos, quanto menor o nível de estoques com que um sistema produtivo conseguir trabalhar, mais eficiente será. A eficiência na sua administração poderá criar a diferença com os concorrentes, melhorando a qualidade, reduzindo os tempos, diminuindo os custos entre outros fatores, oferecendo, assim, uma vantagem competitiva para a própria empresa. É fundamental que as empresas diminuam, ao mínimo, a quantidade de estoques na cadeia de suprimentos, a fim de obter uma racionalização nos custos de armazenagem e respectiva manutenção.
  • 12. CUSTOS ASSOCIADOS A GESTÃO DE ESTOQUES
  • 13. CUSTOS ASSOCIADOS A GESTÃO DE ESTOQUE CUSTO DE MANUTENÇÃO DE ESTOQUE São custos proporcionais a quantidade armazenada e ao tempo que esta fica em estoque CUSTO DE PEDIDO São custos referentes a uma nova encomenda, podendo esses custos ser tanto variáveis (preço unitário de compra de artigo encomendado) como fixos (envio / recebimento da encomenda, inspeção) CUSTO DE FALTA São custos derivados de quando não existe estoque suficiente para satisfazer a procura dos clientes em um dado período de tempo.
  • 15. SISTEMAS DE GERENCIAMENTO DE ESTOQUE FMS – FLEXIBLE MANUFACTURING SYSTEM MRP – MATERIAL REQUIREMENT PLANING SISTEMA PERIÓDICO OPT – OPTIMIZED PRODUCTION TECHNOLOGY KANBAN
  • 16. FMS – FLEXIBLE MANUFACTURING SYSTEM Nesse sistema, os computadores comandam as operações das máquinas de produção e, inclusive, comandam a troca de ferramentas das operações de manuseio de materiais, ferramentas, acessórios e estoques. Pode-se incluir no software módulos de monitoração do controle estatístico da qualidade. Normalmente, é aplicado em fábricas com grande diversidade de peças de produtos finais montados em lotes. Podemos destacar, entre as vantagens do FMS, as seguintes: •Permite maior produtividade das máquinas, que passam a ter utilização de 80% a 90% do tempo disponível; •Possibilita maior atenção aos consumidores em função da flexibilidade proporcionada; • Diminui os tempos de fabricação; •Em função do aumento da flexibilidade, permite aumentar a variedade dos produtos ofertados.
  • 17. MRP – MATERIAL REQUIREMENT PLANING O MRP é um sistema completo para emitir ordens de fabricação, de compras, controlar estoques e administrar a carteira de pedidos dos clientes. Opera em base semanal, impondo, com isso, uma previsão de vendas no mesmo prazo, de modo a permitir a geração de novas ordens de produção para a fábrica. O sistema pode operar com diversas fórmulas para cálculo dos lotes de compras, fabricação e montagem, operando ainda com diversos estoques de material em processo, como estoque de matérias-primas, partes, submontagens e produtos acabados. A maior vantagem do MRP consiste em utilizar programas de computadores complexos, levando-se em consideração todos os conseguir o fatores melhor relevantes para cumprimento de prazos de entrega, com estoques baixos, mesmo que a fábrica tenha muitos produtos em quantidade, de uma semana para outra.
  • 18. SISTEMA PERIÓDICO A característica básica desse sistema é a divisão da fábrica em vários setores de processamento sucessivo de vários produtos similares. Cada setor recebe um conjunto de ordens de fabricação para ser iniciado e terminado no período. Com isso, no fim de cada período, se todos os setores cumprirem sua carga de trabalho, não haverá qualquer material em aberto. Isso facilita o controle de cada setor da fábrica, atribuindo responsabilidades bem definidas. Esse sistema com período fixo é antigo, mas, devido às suas características, não se tornou obsoleto face aos sistemas modernos, nos quais é possível a adoção de períodos curtos, menores que uma semana.
  • 19. OPT – OPTIMIZED PRODUCTION TECHNOLOGY O sistema OPT foi desenvolvido com uma abordagem diferente dos sistemas anteriores, enfatizando a racionalidade do fluxo de materiais pelos diversos postos de trabalho de uma fábrica; os pressupostos básicos do OPT foram originados por formulações matemáticas. Nesse sistema, as ordens de fabricação são vistas como tendo de passar por filas de espera de atendimento nos diversos postos de trabalho na fábrica. O conjunto de postos de trabalho forma então, uma rede de filas de espera. O sistema OPT usa um conjunto de coeficientes gerenciais para ajudar a determinar o lote ótimo para cada componente ou submontagem a ser processado em cada posto de trabalho. Muita ênfase é dedicada aos pontos de gargalo da produção.
  • 20. KANBAN O sistema Kanban foi desenvolvido para ser utilizado onde os empregados possuem motivação e mobilização, com grande liberdade de ação. Nessas fábricas, na certeza de que os empregados trabalham com dedicação e responsabilidade, é legítimo um trabalhador parar a linha de montagem ou produção porque achou algo errado. Os empregados mutuamente oumantêm-se ocupados todo o tempo, ajudando-se trocando de tarefas conforme as necessidades. É um sistema que "puxa" a produção da fábrica, inclusive até o nível de compras, pelas necessidades montagem final. As geradas peças feitas especialmente para cada na ou submontagens são colocadas em caixa uma dessas partes, que, ao serem esvaziadas na montagem, são remetidas ao posto de trabalho que faz a última operação a essa remessa, funcionando como uma ordem de produção.
  • 21. SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE ESTOQUES O gerenciamento dos estoques nas empresas é fundamental para a diminuição dos custos. Estoques elevados e com falhas na administração são fatores que oneram o preço final dos produtos, bem como uma aplicação indevida do capital de giro das empresas. A competitividade das empresas no mundo globalizado exige uma correta manutenção desse ativo, sendo fundamental manter apenas as quantidades necessárias para a produção. A correta gestão de todo o estoque na cadeia de suprimentos não pode ser efetuada isoladamente, algumas das medidas de controle de produção podem ser implementadas pela empresa. Porém, é fundamental que a cadeia de suprimentos esteja no mesmo nível de evolução e a relação cliente - fornecedor tenha um sincronismo total.
  • 22. QUESTIONÁRIO 1) O que é estocagem? 2) Como os estoques podem ser constituídos? 3) Como os estoques podem ser classificados? 4) Quais as vantagens da estocagem? 5) Quais as desvantagens da estocagem? 6) O que é gestão de materiais? 7) O que é gestão de estoque? 8) Quais os custos associados a gestão de estoque? 9) Cite 3 sistemas de gerenciamento de estoque. 10) O que é MRP e o que ele faz?
  • 23. FIM