02 aula cadeia de fornecimento

513 visualizações

Publicada em

.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
513
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

02 aula cadeia de fornecimento

  1. 1. AULA 4 CADEIA DE FORNECIMENTO
  2. 2. CADEIA DE FORNECIMENTO Cadeia de fornecimento é o grupo de fornecedores que supre as necessidades de uma empresa na criação e no desenvolvimento dos seus produtos
  3. 3. CADEIA DE FORNECIMENTO SUPPLY CHAIN MANAGEMENT (SCM) O ciclo de vida dos processos que compreendem os fluxos físicos, informativos, financeiros e de conhecimento, cujo objetivo é satisfazer os requisitos do consumidor final com produtos e serviços de vários fornecedores. Segundo alguns estudiosos, a competição no mercado global não ocorre entre empresas, mas entre as cadeias de fornecimento A gestão logística e do fluxo de informações em toda a cadeia permite ao executivo avaliar pontos fortes e fracos na sua cadeia de fornecimento, auxiliando na sua tomada de decisão, aumentando sua competitividade e criando diferencial em relação à concorrência
  4. 4. CADEIA DE FORNECIMENTO Reduzir custos Ampliar Lucros Reduzir / Eliminar Desperdícios Reduzir nível estoqueAumentar a eficácia O QUE SE ESPERA DO GERENCIAMENTO DA CADEIA DE FORNECIMENTO? Reduzir Lead Time Aumentar a vantagem competitiva Melhorar Relacionamento Cliente x Fornecedor
  5. 5. CADEIA DE FORNECIMENTO
  6. 6. ELIMINAÇÃO DE DESPERDÍCIOS
  7. 7. DESPERDÍCIOS MovimentaçãoManuseio Produção em excesso Processamento desnecessário Retrabalho Inventário Espera TIPOS DE DESPERDÍCIO (Não adiciona valor)
  8. 8. ELIMINAÇÃO DE DESPERDÍCIOS Produção em excesso Processamento desnecessário Manuseio Movimentação Retrabalho Espera Inventário 2P+2M+REI Produzir mais e antes do necessário Passos não necessários durante o processo Transporte excessivo de materiais Movimentos desnecessários Do operador Refazer operações por má qualidade ou defeito Trabalhadores esperando Por máquinas ou peças Peças semi-acabadas entre operações
  9. 9. ESTRATÉGIA COMPETITIVA
  10. 10. ESTRATÉGIA COMPETITIVA As empresas dedicam muito tempo procurando meios para diferenciar os seus produtos daqueles da concorrência Ex: A XEROX, com suas patentes de copiadoras expirando, não teria um produto diferenciado no mercado por muito tempo. Então, ela adotou a estratégia de ser a número um no serviço de campo.
  11. 11. PROCESSOS
  12. 12. PROCESSOS O que compõe um sistema Logístico? Serviços ao Cliente Previsão de vendas Comunicação de Distribuição Manuseio de materiais Processamento de pedidos Localização das plantas Recuperação e descarte Controle de estoque Peças de reposição Armazenagem Devoluções Transporte Compras Estoque
  13. 13. PROCESSOS Dentro deste contexto, estão sincronizadas às funções da logística, a integração do fluxo de informações com o fluxo de materiais: •Planejamento de projeto do produto, instalações, equipamentos e capacidades; •Programação de seqüência lógica de operações para atendimento à demanda; • Suprimento de aquisição, armazenamento e movimentação de materiais; •Distribuição de colocação das mercadorias junto aos pontos de consumo;
  14. 14. SISTEMA DE INFORMAÇÃO O que precisamos saber? DEMANDA CAPACIDADE DE FORNECIMENTO Quantidade de produtos ou serviços que o mercado pode absorver Quantidade de produtos ou serviços que podem ser ofertados, independente da demanda
  15. 15. SISTEMA DE INFORMAÇÃO POLÍTICA ESTOQUES E COMPRAS ACORDOS OPERACIONAIS Classificação ABC dos materiais Níveis de estoque Lotes de encomendas Condições operacionais de operação com fornecedores parceiros LOCALIZAÇÃO Distância geográfica e identificação de condições ambientais
  16. 16. SISTEMA DE INFORMAÇÃO QUALIDADE ASSEGURADA PADRONIZAÇÃO DE BALAGENS Garantia de fornecimento de materiais em condições imediatas de consumo Maximizar o acondicionamento de materiais em condições favoráveis a movimentação e estocagem FREQUÊNCIA ENTREGAS OU COLETAS Definição de rotas e quantidades movimentadas (MILK RUN)
  17. 17. SISTEMA DE INFORMAÇÃO SINCRONIZAÇÃO DAS OPERAÇÕES ESTATÍSTICAS E RELATÓRIOS Integração de atividades entre parceiros comerciais Sistema de processamento de informação para acompanhamento e avaliação de resultados SISTEMA DE MOVIMENTAÇÃO Definição dos meios de transporte e movimentação de mercadorias e produtos
  18. 18. PROCESSOS Exemplo de cadeia de suprimentos, quanto aos gastos e despesas da empresa: envolvem clientes, distribuição, produção eTodos os processos fornecedores Linha de Processos Envolvidos Marketing Planejamento/Controle/Produção (PCP) Fornecedores Almoxarifado/Armazenagem Produção Estocagem Administração do pedido/Despacho Marketing (retorno)
  19. 19. PROCESSOS •Marketing: é essencialmente a arte de enviar uma mensagem aos clientes potenciais, e também aos que já fazem parte de sua carteira de clientes, para convencê-los a comprar de você. Envolvendo: faixa etária, poder aquisitivo, classe social, localização, concorrente; alem da função de propaganda e sistemas promocionais. As empresas reconhecem a importância do marketing e direcionam uma boa parte de seus recursos humanos e financeiros a essa atividade. •PCP (Planejamento/ Controle/ Produção): tradução, expectativa para a realização da produção. As peças necessárias, equipamentos, etc. •Fornecedores: fornecedores da matéria-prima, devem ser tratadas como parceiros, devendo até serem convidados a verem a produção; participar da produção, do dia a dia da empresa; já que ambos os conhecimentos podem atuar juntos, surgindo assim uma estrutura de competência altíssima. •Almoxarifado/Armazenagem: sua atuação é importante no controle dos materiais que entram na empresa, vendo inclusive se os mesmos não estão em excesso.
  20. 20. PROCESSOS Para melhor explorarmos a cadeia de fornecimento ou de suprimentos, entramos na logística empresarial que é o estudo da cadeia de suprimentos. Temos então, as Atividades Primárias e as Secundárias. • Atividades Primárias • Transportes • Manutenção de estoques • Processamento do pedido saída – oriente – • Atividades Secundárias • Armazenagem • Manuseio de materiais • Embalagens de materiais • Obtenção (seleção de fontes, quantidades de compra) • Programação do produto (distribuição – fluxo de programação PCP)
  21. 21. COMBINAÇÃO DE ATIVIDADES
  22. 22. COMBINAÇÃO DE ATIVIDADES Logística empresarial Distribuição físicaSuprimento físico (administração de materiais) Fontes de Suprimentos Plantas / operações Clientes • Transporte • Manutenção de estoques • Processamento de pedidos • Aquisição • Embalagem protetora • Armazenagem • Manuseio de materiais • Manutenção de informações • Transporte • Manutenção de estoques • Processamento de pedidos • Programação de produto • Embalagem protetora • Armazenagem • Manuseio de materiais • Manutenção de informações
  23. 23. ATIVIDADES-CHAVE 1. Padrões de serviço ao cliente a.Analisar as necessidades e os desejos de clientes para serviços logísticos; b. Determinar a reação dos clientes aos serviços; c. Estabelecer o nível de serviços a clientes. 2. Transportes a. Seleção do modal e do serviço de transportes; b. Consolidação de fretes; c. Roteiro do transporte; d. Programação de veículos; e. Seleção de equipamentos; f. Processamento de reclamações; g. Auditoria de tarifas.
  24. 24. ATIVIDADES-CHAVE 3. Administração de estoques a.Políticas de estocagem de matérias-primas e produtos acabados; b. Previsão de vendas a curto prazo; c.Combinação de produtos em pontos de estocagem; d. Número, tamanho e local dos pontos de estocagem; e. Estratégias de just-in-time, de empurrar e de puxar. 4. Fluxo de informações e Processamentos de pedidos a. Procedimentos de interface dos estoques com pedidos de venda; de informações deb.Métodos de transmissão pedido; c. Regras de pedidos.
  25. 25. ATIVIDADES DE SUPORTE 1. Armazenagem a. Determinação do espaço; b. Disposição do estoque e desenho das docas; c. Configuração do armazém; d. Localização do estoque. 2. Manuseio dos materiais a. Seleção de equipamentos; b. Políticas de reposição de equipamentos; c. Procedimentos de coletas de pedidos; d. Alocação e recuperação de materiais. 3. Compras a. Seleção de fontes de equipamentos; b. O momento da compra; c. Quantidade de compra.
  26. 26. ATIVIDADES DE SUPORTE 4. Embalagem protetora Projeto para: a. Manuseio; b.Estocagem; c. Proteção contra perdas e danos. 5. Cooperar com a produção/operação para: a. Especificar quantidades agregadas; b. Seqüência e tempo do volume de produção. 6. Manutenção de Informação manipulação dea.Coleta, arquivamento e informação; b. Análise de dados; c. Procedimentos de controle.
  27. 27. CLASSIFICAÇÃO DE MATERIAIS
  28. 28. CLASSIFICAÇÃO DE MATERIAIS Qual sua definição? É um processo que tem como objetivo agrupar todos os materiais com características comuns Como surgiu? Surgiu devido ao aumento da industrialização e da introdução da produção em série para evitar falhas nos processos de produção
  29. 29. CLASSIFICAÇÃO DE MATERIAIS A Classificação pode ser dividida em 4 Categorias: Identificação Codificação Cadastramento Catalogação
  30. 30. IDENTIFICAÇÃO DE MATERIAIS A primeira etapa da CLASSIFICACÃO e também a mais importante. Consiste na análise e registro das características de um determinado item. É a identidade do material. Exemplo: • Medidas / dimensões das peças • Voltagem / Amperagem • Acabamento • Tipo de material • Referência da peça / embalagem • Cor do material • Identificação do fabricante
  31. 31. MÉTODOS DE IDENTIFICAÇÃO •Descritivo: Quando se identifica o material pela sua descrição detalhada. Procura-se neste tipo de identificação apresentar todas as características físicas que tornem o item único, independentemente da sua referência ou fabricante. •Referencial: Este método de identificação atribui uma descrição ou uma nomenclatura apoiada na referência do fabricante.
  32. 32. CODIFICAÇÃO DE MATERIAIS Tem como objetivo atribuir um código representativo de modo facilitar a identificação do item Existem 4 tipos: • Sistema Alfabético • Sistema Numérico • Sistema Alfanumérico • Código de barras
  33. 33. SISTEMA ALFABÉTICO Este processo representa os materiais por meio de letras. Foi muito utilizado na codificação de livros (Método de Dewey). A sua principal característica é conseguir associar letras com as características do material (Fernandes, 1981, p.148). Exemplo de aplicação do sistema alfabético: P - Pregos P/AA - Pregos 14 x 18 - 1 1/2 x 14 P/AB - Pregos 16 x 20 - 2 1/4 x 12 P/AC - Pregos 30 x 38 - 3 1/4 x 8
  34. 34. SISTEMA ALFANUMÉRICO É um método que como o próprio nome indica usa letras (sistema alfabético) e números (sistema numérico) para representar um material.
  35. 35. SISTEMA NUMÉRICO Este sistema é, de todos os métodos de codificação de material, o que tem um uso mais generalizado e ilimitado. Devido à sua forma simples e à facilidade de organização que oferece, este é também o sistema mais usado pelas empresas. Este sistema tem por base a atribuição de números para representar um material.
  36. 36. CÓDIGO DE BARRAS Para além dos sistemas alfabético, alfanumérico e numérico há também um outro método de codificação muito conhecido, que se pode visualizar, entre outros lugares, nos supermercados. O código de barras representa a informação de um material através da alternância de barras e espaços. Este sistema ao poder ser lido através de dispositivos eletrônicos facilita a entrada e saída de dados num sistema de computação. Em que o número de stock ou número do item, isto é, o número que serve para identificar individualmente cada item, é composto por um número de classe, que identifica a classe a que o material identificação, significativo, pertence, por um número de este é um número não isto é, não apresenta nenhuma identificação com os elementos descritivos do material e por um dígito verificador.
  37. 37. CADASTRAMENTO DE MATERIAIS Registrar todos os dados que identifiquem o material. O cadastramento é efetuado através de preenchimento e emissão de relatórios Exemplo: • Identificação • Codificação • Dados • Especificação técnica • Validade • Observações de Segurança • Histórico de alterações Sistema de almoxarifado
  38. 38. CATALOGAÇÃO DE MATERIAIS Ordenar de forma lógica todos os dados que dizem respeito aos itens identificados, codificados e cadastrados para facilitar a consulta de informações Exemplo: • Impressa Catálogos Revistas Mala direta • Virtual Banco de dados Internet
  39. 39. FIFO
  40. 40. FIFO First In – First Out O primeiro que entra é o primeiro que sai Definição: Uma ferramenta muito utilizada nas organizações para gerenciar mercadorias que possuem prazo de validade ou garantir rastreabilidade de peças e/ou produtos durante o processo.
  41. 41. QUESTIONÁRIO 1) O que é cadeia de fornecimento? 2) O que se espera do gerenciamento da cadeia de fornecimento? 3)Quais são os desperdícios e qual o significado de cada um? 4) Quais processos compõe um sistema logístico? 5)Qual a diferença entre demanda e capacidade de fornecimento? 6)O que é importante saber na definição da política de estoque e compra de materiais? 7) O que é classificação de materiais? 8) Como a classificação de materiais pode ser dividida? 9) O que é identificação de materiais? Cite exemplos. 10) O que é FIFO e qual sua utilização?
  42. 42. FIM

×