SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 26
Baixar para ler offline
AULA 2
LOGÍSTICA DO PETRÓLEO
Tipos de Petróleo
Países produtores
EUA e Brasil
Cáucaso (Rússia)
Indonésia (Bornéo)
Tipo do petróleo Principais produtos
explorado
Parafínicos Óleos Lubrificantes
Naftenico Gasolina
Benzênicos Nylon
AULA 2 – LOGISTICA DO PETRÓLEO
 O petróleo pode ter suas característica modificadas de acordo com a
região que ele for extraído, como o cheiro e cor por exemplo (Arábia
Saudita, petróleo amarelo, Brasil – preto), estas características
a composição estrutural domodificam
diversos tipos de derivados. Depois
óleo gerando futuramente
de produzido o óleo e
transportado até as refinarias e centrais petroquímicas, serão
produzidos derivados tais como: gasolina, óleo, lubrificantes, piche,
etc., os derivados podem ser adquiridos de um tipo específico de
petróleo ou até mesmo na junção de vários tipos.
Tipos de Petróleo
AULA 2 – LOGISTICA DO PETRÓLEO
 Brent, é o petróleo produzido na sua forma bruta (crú) sem
passar pelo sistema de refino;
 Light, é o petróleo leve, sem impurezas, que já passou pelo
sistema de refino;
 Nafténico, é o petróleo com grande quantidade de
hidrocarbonetos nafténicos (nafta);
 Parafínico, é o petróleo com grande concentração de
hidrocarbonetos parafínicos;
 Aromático, é o petróleo com grande concentração de
hidrocarbonetos aromáticos;
Gás Natural
AULA 2 – LOGISTICA DO PETRÓLEO
 Formação: mistura de hidrocarbonetos leves encontrada no subsolo, na qual o
metano representa 70% em volume.
 É encontrado no subsolo, por acumulações em rochas porosas, associados ou
não ao petróleo, é resultante da degradação da matéria orgânica de forma
anaeróbia (sem ar) de microorganismos que, em eras pré-históricas, se
acumulavam nas águas litorâneas dos mares da época, com fortes
temperaturas e pressões.
 Tipos: Os reservatórios de gás natural são constituídos de rochas porosas
capazes de reter o petróleo e gás, em função do teor de petróleo bruto e gás
livre, classifica-se o gás, quanto ao seu estado de origem, em:
 Gás associado, está dissolvido no óleo, e este próprio gás é aproveitado na
produção de óleo sendo chamado (reinjeção ou gás lift);
 Gás não associado, está livre ou presente em pequenas quantidades de
óleo, neste caso este gás é justificável comercialmente (ex. Bolívia).
Gás Natural
AULA 2 – LOGISTICA DO PETRÓLEO
 Utilização: empregado diretamente como combustível em indústrias, casas e
automóveis,
 Considerado fonte de energia mais limpa de poluentes do derivado de
petróleo e carvão,
 Principais utilizações:
 Combustível, mais limpa e dá uma vida mais longa aos equipamentos que a
utilizam, pois tem um menor custo de manutenção
 Automotivo, utilizado para motores de ônibus, automóveis e caminhões, podendo
ser até 70% mais barato que outros combustíveis e menos poluente
 Industrial, Utilizado para a produção de metanol, amônia e uréia
 Condicionamento, conjunto de processos físicos ou químicos para a remoção
ou redução de contaminantes, sob especificações legais de mercado,
transporte, segurança e posterior processamento.
 Pode ser armazenado na forma líquida á pressão atmosférica, contando com
tanques com isolamento térmico e mantidos á temperatura inferior ao ponto
de condensação do gás natural (GNL), gás natural liquefeito.
Armazenamento do gás natural
AULA 2 – LOGISTICA DO PETRÓLEO
Utilização do gás natural
AULA 2 – LOGISTICA DO PETRÓLEO
Camada do Pré Sal
AULA 2 – LOGISTICA DO PETRÓLEO
Pré-sal
Logística do Petróleo
Logística do Petróleo
Cadeia de suprimentos na indústria do petróleo (Supply Chain) tem por objetivo
ofertar produtos derivados do petróleo ao mercado consumidor.
 Representada por:
 Exploração e produção (Upstream)
 Refino (Midstream)
 Distribuição (Downstream), Comercialização e Distribuição de derivados.
 Segmento de Exploração e Produção (Upstream),:
 Atividades necessárias à extração (Terra ou mar)
Métodos Geológicos ou Geofísicos
 Coloca o petróleo disponível para o refino
 Início da fase de perfuração
Poços exploratórios e/ou pioneiros
 Conclusão da atividade de perfuração
 Seguem-se as atividades de complementação
 Adequação dos poços perfurados, possibilitando a instalação dos equipamentos
para a produção de óleo e/ou gás natural.
 Confirmada a presença de óleo, começa a produção após a instalação da infra-
estrutura necessária
 Coloca-se o óleo/gás disponível para o uso
Logística do Petróleo
 Segmento de Refino (midstream),
 Transformação do óleo cru em derivados por processos fisico-químicos
específicos com especificações diferentes para cada produto;
 O Óleo cru sai das áreas de produção indo até as áreas de armazenamento das
plantas de refino;
 O óleo é submetido a tratamentos preliminares:
Decantação (sedimentação de resíduos sólidos, separação da água
emulsionada com petróleo;
Dessalgação (redução do teor de sal, nocivo aos equipamentos de refino;
Diluição com outros tipos de óleo (ajustando características fisico
quimicas (viscosidade e fluidez)
Outros tratamentos, adequação do óleo cru aos equipamentos específicos
de refino (devido a finalidade), com processos de produção diferentes,
visando os produtos desejados;
 Produtos finais de refino
Variedade (grande) de derivados, fornecidos como matéria prima para
diversos segmentos.
Logística do Petróleo
 Segmento de distribuição (Downstrean), conjunto de operações de uma cadeia
vasta de logística de agentes.
 Fatores que são de extrema importância:
Rapidez (pontualidade)
Tipo de produto (transportado)
Tipo de modal usado
Características do produto (periculosidade, etc.)
Bases de distribuição primários e secundários de armazenamento
 Refinarias, distribuidoras
Modais de transporte (rodoviários, dutoviários, etc.)
 Transporte do petróleo e derivados
 Alta produção (mundialmente crescente)
 Problema logístico – escoamento desta produção, locais longínquos e de difícil
acesso (plataformas) para locais onde o petróleo e derivados tem demanda
 Inicialmente as refinarias estavam próximos dos campos de produção e dos
seus clientes
 Hoje com o distanciamento temos os tipos de modais utilizados:
Logística do Petróleo
Localização dos
Campos de petróleo
Modal utilizado para a
transferência da
matéria prima
Característica do
modal utilizado
Próximo às refinarias Dutoviário
Dutos de grande
diâmetro
(24’’, 30’’ ou maiores)
Distantes das
refinarias
Hidroviário
Navios (LCC, VLCC´s
até ULCC´S)
Barcaças com
capacidade da ordem
de 20 a 50 mil barris de
carga
Outros tipos de
embarcações
Observações
 Tanker, navio que transporta carga líquida (petróleo gás liquefeito,
produtos químicos, etc.)
 VLCC, VERY LARGE CRUDE CARRIER - Navio-tanque para transporte de
petróleo com capacidade superior a 180 mil Tbp.
 Os petroleiros são normalmente classificados por produto e por porte. A
classificação por produto divide-se em: Crude, Clean Products (produtos
brancos) e Dirty Products (produtos pretos). Os navios de produtos
brancos transportam produtos refinados tais como gasolinas, diesel e
gasóleo, que requerem revestimento adequado dos tanques para evitar
contaminação. Os navios de produtos pretos transportam óleos e outros
produtos relativamente viscosos que requerem aquecimento dos
tanques. A classificação por porte é em: Handysize, Panamax, Aframax,
Suezmax, VLCC e ULCC.
Observações
 O convés do petroleiro é forrado de canos interligados entre si, que distribuem o
óleo igualmente entre os diferentes tanques para garantir o equilíbrio do navio.
No carregamento, o óleo flui por esta rede de canos naturalmente, seguindo a
força da gravidade. Já no descarregamento entra em ação um sistema de
bombeamento de alta pressão. No fundo dos tanques, serpentinas aquecem o
óleo para diminuir sua viscosidade e acelerar o descarregamento, que leva em
média um dia. Contudo, dependendo do tipo de petróleo e da temperatura em
que ele chega, esse processo pode levar três dias.
 O interior do petroleiro é formado por 8 a 12 tanques enormes, separados por
placas vazadas, cuja função é evitar a formação de ondas dentro da embarcação.
Principal preocupação da logística do petróleo
 Tempo de transferência, é uma das maiores preocupações da
logística, sendo que depende diretamente do modal utilizado
e da distância a percorrer, como por exemplo temos a
transferência em dutos (horas ou dias) e navios (dias ou
meses).
Modais utilizados para o transporte
 Dutoviário
econômicos,
(Um dos mais
seguros), interliga
fontes produtoras, refinarias,
terminais de armazenamento,
bases de distribuição aos centros
consumidores.
Dutoviário
 Vantagens:
 Custos, permite após a construção, a redução dos fretes pois
estes significam um aumento significativo no preço final dos
produtos;
 Diminui o tráfego de outros modais (rodoviários e ferroviários)
 Aumenta a segurança nas estradas e vias urbanas
 Movimentação dos produtos 24 h/d, 7 dias por semana,
compensando a movimentação vagarosa
 Transporte de quaisquer produtos inclusive juntos
 Desvantagens:
 Movimentação de produtos é vagarosa em relação ao modal
rodoviário (aprox. 8 km/h)
Rodoviário
 Realizado por meio de
caminhões tanque
 Mais de um tanque (dois
produtos diferentes)
 Carga e descarga realizada
por
especializadas
operadoras
com
padrões derigorosos
segurança
 Vantagens:
 Velocidade
 Frequência
 Disponibilidade
Ferroviário
 Alternativa extremamente
econômica
 Deslocamento simultâneo de
grandes volumes de petróleo e
derivados
 Custos de 30% a menos se
comparado com o modal
rodoviário, principalmente pelo
volume transportado
 Desvantagem na rapidez tendo em
vista que a velocidade média de
uma composição é de 20 milhas/h
(32 km/h)
 86% do tempo é gasto nas
operações de
carregamento/descarregamento
por isso cai a velocidade média
UNIPETRO TREINAMENTOS – PETRÓLEO E GÁS
Hidroviário
 Marítimo ou fluvial
 Carregamento e
descarregamento muito
complexos
 Navios tanque com cargas de 35 a
90 mil ton
 Chatas e balsas com capacidade
de até 40 mil ton
Petrobrás Transporte S/A - Transpetro
 Transporta petróleo, gás natural,
derivados e álcool.
 Opera 11 mil Km
gasodutos, 45
de oleodutos e
terminais (21
terrestres e 24 aquaviários)
 Possuem 500 tanques com
capacidade de 10 milhões m3, de
óleo leve/pesado, 53 petroleiros
 Responsável pela distribuição
(sistema Petrobrás)
 Criada em 1998
 Atua também no exterior
Petrobrás Transporte S/A - Transpetro
 A frota
transportar 2,9 milhões de toneladas
da Transpetro tem capacidade de
de
produtos e é formada por 53 embarcações.
 9 navios aliviadores para escoamento da
produção de petróleo em alto-mar.
 13 navios para o transporte de petróleo e de
produtos escuros (óleo combustível e bunker).
 6 navios para produtos escuros e claros (óleo
diesel e gasolina).
 18 navios para produtos claros.
 6 navios gaseiros, para transporte de gás
liquefeito de petróleo (GLP).
 1 unidade flutuante de transferência e
estocagem de petróleo (FSO).
 1 embarcação de apoio marítimo.
Questionário
1 Explique a logística do petróleo.
2 Explique com suas palavras o que é petróleo BRENT.
3 Cite os três principais tipos e seus produtos.
4 Explique gás natural, a sua formação e tipos.
5 Cite algumas aplicações, e explique a sua importância nestas
aplicações.
6 Explique segmento de distribuição (Downstrean).
7 Explique segmento de refino (Midstrean).
8Explique segmento de exploração e produção (Upstrean).
9- Qual é a principal preocupação da logística do petróleo?
FIM

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Vantagens e desvantagens do transporte aquaviário no brasil
Vantagens e desvantagens do transporte aquaviário no brasilVantagens e desvantagens do transporte aquaviário no brasil
Vantagens e desvantagens do transporte aquaviário no brasilCarlos Benkendorf
 
Métodos de elevação de petróleo
Métodos de elevação de petróleoMétodos de elevação de petróleo
Métodos de elevação de petróleoVictor Said
 
Transporte Rodoviário
Transporte RodoviárioTransporte Rodoviário
Transporte RodoviárioAluisio Junior
 
Aula 4 petróleo prof. pedro ibrapeq
Aula 4 petróleo prof. pedro ibrapeqAula 4 petróleo prof. pedro ibrapeq
Aula 4 petróleo prof. pedro ibrapeqPedro Monteiro
 
Conceitos e oportunidade no Transporte Marítimo Internacional
Conceitos e oportunidade no Transporte Marítimo InternacionalConceitos e oportunidade no Transporte Marítimo Internacional
Conceitos e oportunidade no Transporte Marítimo InternacionalABRACOMEX
 
Introdução a Tecnologia do Petróleo e Gás
Introdução a Tecnologia do Petróleo e GásIntrodução a Tecnologia do Petróleo e Gás
Introdução a Tecnologia do Petróleo e GásAnderson Pontes
 
Equipamentos de uma sonda de perfuração
Equipamentos de uma sonda de perfuraçãoEquipamentos de uma sonda de perfuração
Equipamentos de uma sonda de perfuraçãoAnderson Pontes
 

Mais procurados (20)

11 aula refino do petróleo
11  aula refino do petróleo11  aula refino do petróleo
11 aula refino do petróleo
 
Vantagens e desvantagens do transporte aquaviário no brasil
Vantagens e desvantagens do transporte aquaviário no brasilVantagens e desvantagens do transporte aquaviário no brasil
Vantagens e desvantagens do transporte aquaviário no brasil
 
Petroleo
PetroleoPetroleo
Petroleo
 
Refino de Petróleo
Refino de PetróleoRefino de Petróleo
Refino de Petróleo
 
Métodos de elevação de petróleo
Métodos de elevação de petróleoMétodos de elevação de petróleo
Métodos de elevação de petróleo
 
Transporte Dutoviário
Transporte DutoviárioTransporte Dutoviário
Transporte Dutoviário
 
Transporte ferroviário brasileiro
Transporte ferroviário brasileiroTransporte ferroviário brasileiro
Transporte ferroviário brasileiro
 
petroleo
petroleopetroleo
petroleo
 
Modal hidroviário
Modal hidroviárioModal hidroviário
Modal hidroviário
 
02 aula industria do petróleo
02 aula industria do petróleo02 aula industria do petróleo
02 aula industria do petróleo
 
A Importância do Petróleo
A Importância do PetróleoA Importância do Petróleo
A Importância do Petróleo
 
Transporte Rodoviário
Transporte RodoviárioTransporte Rodoviário
Transporte Rodoviário
 
Aula 4 petróleo prof. pedro ibrapeq
Aula 4 petróleo prof. pedro ibrapeqAula 4 petróleo prof. pedro ibrapeq
Aula 4 petróleo prof. pedro ibrapeq
 
Petroleo2
Petroleo2Petroleo2
Petroleo2
 
Conceitos e oportunidade no Transporte Marítimo Internacional
Conceitos e oportunidade no Transporte Marítimo InternacionalConceitos e oportunidade no Transporte Marítimo Internacional
Conceitos e oportunidade no Transporte Marítimo Internacional
 
Modais de Transporte
Modais de TransporteModais de Transporte
Modais de Transporte
 
Introdução a Tecnologia do Petróleo e Gás
Introdução a Tecnologia do Petróleo e GásIntrodução a Tecnologia do Petróleo e Gás
Introdução a Tecnologia do Petróleo e Gás
 
Gestão de transporte
Gestão de transporteGestão de transporte
Gestão de transporte
 
A Indústria do Petróleo
A Indústria do PetróleoA Indústria do Petróleo
A Indústria do Petróleo
 
Equipamentos de uma sonda de perfuração
Equipamentos de uma sonda de perfuraçãoEquipamentos de uma sonda de perfuração
Equipamentos de uma sonda de perfuração
 

Destaque

Aula 01 curso de administração de hotel
Aula 01 curso de administração de hotelAula 01 curso de administração de hotel
Aula 01 curso de administração de hotelHomero Alves de Lima
 
07 aula campos de petróleo e plataformas
07 aula campos de petróleo e plataformas07 aula campos de petróleo e plataformas
07 aula campos de petróleo e plataformasHomero Alves de Lima
 
Apostila separação, armazenagem e transporte de petróle
Apostila separação,  armazenagem e transporte de petróleApostila separação,  armazenagem e transporte de petróle
Apostila separação, armazenagem e transporte de petróleJhurengo Margon
 
12 aula plataformas e embarcações
12 aula plataformas e embarcações12 aula plataformas e embarcações
12 aula plataformas e embarcaçõesHomero Alves de Lima
 
13 aula terminais maritimos e distribuições
13 aula terminais maritimos e distribuições13 aula terminais maritimos e distribuições
13 aula terminais maritimos e distribuiçõesHomero Alves de Lima
 
Livro completo de administração de empresa
Livro completo de administração de empresaLivro completo de administração de empresa
Livro completo de administração de empresaHomero Alves de Lima
 
14 aula sistema de logistica portuaria
14 aula sistema de logistica portuaria14 aula sistema de logistica portuaria
14 aula sistema de logistica portuariaHomero Alves de Lima
 
Aula extra segurança em incendios ll
Aula extra segurança em incendios llAula extra segurança em incendios ll
Aula extra segurança em incendios llHomero Alves de Lima
 
Gás Natural (Natural Gas, Gas Natural)
Gás Natural (Natural Gas, Gas Natural)Gás Natural (Natural Gas, Gas Natural)
Gás Natural (Natural Gas, Gas Natural)Carlos Calácio
 
Atualidades, Geografia tematica, Geopolitica
Atualidades,  Geografia tematica, GeopoliticaAtualidades,  Geografia tematica, Geopolitica
Atualidades, Geografia tematica, Geopoliticajorgelapolinario
 
Gás natural: perspectiva e utilização
Gás natural: perspectiva e utilizaçãoGás natural: perspectiva e utilização
Gás natural: perspectiva e utilizaçãoAnderson Vieira
 
18 03-2008 José Sergio Gabrielli de Azevedo - A indústria de Petróleo e Gás N...
18 03-2008 José Sergio Gabrielli de Azevedo - A indústria de Petróleo e Gás N...18 03-2008 José Sergio Gabrielli de Azevedo - A indústria de Petróleo e Gás N...
18 03-2008 José Sergio Gabrielli de Azevedo - A indústria de Petróleo e Gás N...Petrobras
 

Destaque (20)

Modais de Transporte de Petróleo & Gás
Modais de Transporte de Petróleo & GásModais de Transporte de Petróleo & Gás
Modais de Transporte de Petróleo & Gás
 
Aula 01 curso de administração de hotel
Aula 01 curso de administração de hotelAula 01 curso de administração de hotel
Aula 01 curso de administração de hotel
 
07 aula campos de petróleo e plataformas
07 aula campos de petróleo e plataformas07 aula campos de petróleo e plataformas
07 aula campos de petróleo e plataformas
 
Apostila separação, armazenagem e transporte de petróle
Apostila separação,  armazenagem e transporte de petróleApostila separação,  armazenagem e transporte de petróle
Apostila separação, armazenagem e transporte de petróle
 
12 aula plataformas e embarcações
12 aula plataformas e embarcações12 aula plataformas e embarcações
12 aula plataformas e embarcações
 
13 aula terminais maritimos e distribuições
13 aula terminais maritimos e distribuições13 aula terminais maritimos e distribuições
13 aula terminais maritimos e distribuições
 
Livro completo de administração de empresa
Livro completo de administração de empresaLivro completo de administração de empresa
Livro completo de administração de empresa
 
14 aula sistema de logistica portuaria
14 aula sistema de logistica portuaria14 aula sistema de logistica portuaria
14 aula sistema de logistica portuaria
 
07 aula armazenagem l
07 aula armazenagem l07 aula armazenagem l
07 aula armazenagem l
 
Aula extra segurança em incendios ll
Aula extra segurança em incendios llAula extra segurança em incendios ll
Aula extra segurança em incendios ll
 
06 aula just in time e kanban
06 aula just in time e kanban06 aula just in time e kanban
06 aula just in time e kanban
 
10 aula materiais
10 aula materiais10 aula materiais
10 aula materiais
 
08 aula armazenagem ii
08 aula armazenagem ii08 aula armazenagem ii
08 aula armazenagem ii
 
09 aula armazenagem iii
09 aula armazenagem iii09 aula armazenagem iii
09 aula armazenagem iii
 
Gás Natural (Natural Gas, Gas Natural)
Gás Natural (Natural Gas, Gas Natural)Gás Natural (Natural Gas, Gas Natural)
Gás Natural (Natural Gas, Gas Natural)
 
Atualidades, Geografia tematica, Geopolitica
Atualidades,  Geografia tematica, GeopoliticaAtualidades,  Geografia tematica, Geopolitica
Atualidades, Geografia tematica, Geopolitica
 
Gás natural: perspectiva e utilização
Gás natural: perspectiva e utilizaçãoGás natural: perspectiva e utilização
Gás natural: perspectiva e utilização
 
Dalmo Marchetti
Dalmo MarchettiDalmo Marchetti
Dalmo Marchetti
 
18 03-2008 José Sergio Gabrielli de Azevedo - A indústria de Petróleo e Gás N...
18 03-2008 José Sergio Gabrielli de Azevedo - A indústria de Petróleo e Gás N...18 03-2008 José Sergio Gabrielli de Azevedo - A indústria de Petróleo e Gás N...
18 03-2008 José Sergio Gabrielli de Azevedo - A indústria de Petróleo e Gás N...
 
Frases Paulo Coelho
Frases Paulo CoelhoFrases Paulo Coelho
Frases Paulo Coelho
 

Semelhante a Logística do Petróleo: Modais e Cadeia de Suprimentos

Apostila de Refino de PETRÓLEO
Apostila de Refino de PETRÓLEO Apostila de Refino de PETRÓLEO
Apostila de Refino de PETRÓLEO Ricardo Akerman
 
Trabalho sobre petróleo
Trabalho sobre petróleoTrabalho sobre petróleo
Trabalho sobre petróleoEduardo Chaves
 
Base da refinação de petróleo
Base da refinação de petróleoBase da refinação de petróleo
Base da refinação de petróleoJoaoSandoval
 
Funcionamento de um fpso
Funcionamento de um fpsoFuncionamento de um fpso
Funcionamento de um fpsoCelso Brasil
 
Recepção de Mercadoria na Placa.pptx
Recepção de Mercadoria na Placa.pptxRecepção de Mercadoria na Placa.pptx
Recepção de Mercadoria na Placa.pptxadao18
 
Texto da-aula-2-auxiliar-de-logistica
Texto da-aula-2-auxiliar-de-logisticaTexto da-aula-2-auxiliar-de-logistica
Texto da-aula-2-auxiliar-de-logisticaNairo Carimo Ussumane
 
Aula 12 petroleo prof pedro ibrapeq
Aula 12 petroleo prof pedro   ibrapeqAula 12 petroleo prof pedro   ibrapeq
Aula 12 petroleo prof pedro ibrapeqPedro Monteiro
 
Aula 13 exercícios complementares
Aula 13   exercícios complementaresAula 13   exercícios complementares
Aula 13 exercícios complementaresPedro Monteiro
 
COMBUSTÍVEIS-E-SISTEMAS-DE-COMBUSTÍVEL.pdf
COMBUSTÍVEIS-E-SISTEMAS-DE-COMBUSTÍVEL.pdfCOMBUSTÍVEIS-E-SISTEMAS-DE-COMBUSTÍVEL.pdf
COMBUSTÍVEIS-E-SISTEMAS-DE-COMBUSTÍVEL.pdfadao18
 
Aula 06 classificação do petroleo e introdução ao refino
Aula 06   classificação do petroleo e introdução ao refinoAula 06   classificação do petroleo e introdução ao refino
Aula 06 classificação do petroleo e introdução ao refinoAnderson Pontes
 

Semelhante a Logística do Petróleo: Modais e Cadeia de Suprimentos (20)

Apostila de Refino de PETRÓLEO
Apostila de Refino de PETRÓLEO Apostila de Refino de PETRÓLEO
Apostila de Refino de PETRÓLEO
 
Pronae aula 14
Pronae aula 14Pronae aula 14
Pronae aula 14
 
Gasolina automotiva
Gasolina automotivaGasolina automotiva
Gasolina automotiva
 
Processamento primario
Processamento primarioProcessamento primario
Processamento primario
 
Trabalho sobre petróleo
Trabalho sobre petróleoTrabalho sobre petróleo
Trabalho sobre petróleo
 
Pronae aula10
Pronae aula10Pronae aula10
Pronae aula10
 
Base da refinação de petróleo
Base da refinação de petróleoBase da refinação de petróleo
Base da refinação de petróleo
 
6 refino-de-petrc3b3leo
6 refino-de-petrc3b3leo6 refino-de-petrc3b3leo
6 refino-de-petrc3b3leo
 
aulas de SPS _001.pdf
aulas de SPS _001.pdfaulas de SPS _001.pdf
aulas de SPS _001.pdf
 
Funcionamento de um fpso
Funcionamento de um fpsoFuncionamento de um fpso
Funcionamento de um fpso
 
Booommmm petroleo
Booommmm petroleoBooommmm petroleo
Booommmm petroleo
 
Recepção de Mercadoria na Placa.pptx
Recepção de Mercadoria na Placa.pptxRecepção de Mercadoria na Placa.pptx
Recepção de Mercadoria na Placa.pptx
 
Texto da-aula-2-auxiliar-de-logistica
Texto da-aula-2-auxiliar-de-logisticaTexto da-aula-2-auxiliar-de-logistica
Texto da-aula-2-auxiliar-de-logistica
 
Aula 12 petroleo prof pedro ibrapeq
Aula 12 petroleo prof pedro   ibrapeqAula 12 petroleo prof pedro   ibrapeq
Aula 12 petroleo prof pedro ibrapeq
 
O PetróLeo
O PetróLeoO PetróLeo
O PetróLeo
 
Aula 13 exercícios complementares
Aula 13   exercícios complementaresAula 13   exercícios complementares
Aula 13 exercícios complementares
 
COMBUSTÍVEIS-E-SISTEMAS-DE-COMBUSTÍVEL.pdf
COMBUSTÍVEIS-E-SISTEMAS-DE-COMBUSTÍVEL.pdfCOMBUSTÍVEIS-E-SISTEMAS-DE-COMBUSTÍVEL.pdf
COMBUSTÍVEIS-E-SISTEMAS-DE-COMBUSTÍVEL.pdf
 
Aula 06 classificação do petroleo e introdução ao refino
Aula 06   classificação do petroleo e introdução ao refinoAula 06   classificação do petroleo e introdução ao refino
Aula 06 classificação do petroleo e introdução ao refino
 
Petróleo
PetróleoPetróleo
Petróleo
 
Pronae aula 12
Pronae aula 12Pronae aula 12
Pronae aula 12
 

Mais de Homero Alves de Lima

Simulado de matemática e suas tecnologias
Simulado de matemática e suas tecnologiasSimulado de matemática e suas tecnologias
Simulado de matemática e suas tecnologiasHomero Alves de Lima
 
Simulado de linguagens, códigos e suas tecnologias
Simulado de linguagens, códigos e suas tecnologiasSimulado de linguagens, códigos e suas tecnologias
Simulado de linguagens, códigos e suas tecnologiasHomero Alves de Lima
 
Simulado de ciências humanas e suas tecnologias
Simulado de ciências humanas e suas tecnologiasSimulado de ciências humanas e suas tecnologias
Simulado de ciências humanas e suas tecnologiasHomero Alves de Lima
 
Simulado de ciências da natureza e suas tecnologias
Simulado de ciências da natureza e suas tecnologiasSimulado de ciências da natureza e suas tecnologias
Simulado de ciências da natureza e suas tecnologiasHomero Alves de Lima
 
Caderno de ecercícios de redação
Caderno de ecercícios de redaçãoCaderno de ecercícios de redação
Caderno de ecercícios de redaçãoHomero Alves de Lima
 
Caderno de exercícios de matemática e suas tecnologias
Caderno de exercícios de matemática e suas tecnologiasCaderno de exercícios de matemática e suas tecnologias
Caderno de exercícios de matemática e suas tecnologiasHomero Alves de Lima
 
Aula 09 de matemática e suas tecnologias
Aula 09 de matemática e suas tecnologiasAula 09 de matemática e suas tecnologias
Aula 09 de matemática e suas tecnologiasHomero Alves de Lima
 
Aula 08 de matemática e suas tecnologias
Aula 08 de matemática e suas tecnologiasAula 08 de matemática e suas tecnologias
Aula 08 de matemática e suas tecnologiasHomero Alves de Lima
 
Aula 07 de matemática e suas tecnologias
Aula 07 de matemática e suas tecnologiasAula 07 de matemática e suas tecnologias
Aula 07 de matemática e suas tecnologiasHomero Alves de Lima
 
Aula 06 de matemática e suas tecnologias
Aula 06 de matemática e suas tecnologiasAula 06 de matemática e suas tecnologias
Aula 06 de matemática e suas tecnologiasHomero Alves de Lima
 
Aula 05 de matemática e suas tecnologias
Aula 05 de matemática e suas tecnologiasAula 05 de matemática e suas tecnologias
Aula 05 de matemática e suas tecnologiasHomero Alves de Lima
 
Aula 04 de matemática e suas tecnologias
Aula 04 de matemática e suas tecnologiasAula 04 de matemática e suas tecnologias
Aula 04 de matemática e suas tecnologiasHomero Alves de Lima
 
Aula 03 de matemática e suas tecnologias
Aula 03 de matemática e suas tecnologiasAula 03 de matemática e suas tecnologias
Aula 03 de matemática e suas tecnologiasHomero Alves de Lima
 
Aula 02 de matemática e suas tecnologias
Aula 02 de matemática e suas tecnologiasAula 02 de matemática e suas tecnologias
Aula 02 de matemática e suas tecnologiasHomero Alves de Lima
 
Aula 01 de matemática e suas tecnologias
Aula 01 de matemática e suas tecnologiasAula 01 de matemática e suas tecnologias
Aula 01 de matemática e suas tecnologiasHomero Alves de Lima
 
Conteúdo programático matemática e suas tecnologias
Conteúdo programático matemática e suas tecnologiasConteúdo programático matemática e suas tecnologias
Conteúdo programático matemática e suas tecnologiasHomero Alves de Lima
 

Mais de Homero Alves de Lima (20)

Sumulando uma prova do enem
Sumulando uma prova do enemSumulando uma prova do enem
Sumulando uma prova do enem
 
Simulado de matemática e suas tecnologias
Simulado de matemática e suas tecnologiasSimulado de matemática e suas tecnologias
Simulado de matemática e suas tecnologias
 
Simulado de linguagens, códigos e suas tecnologias
Simulado de linguagens, códigos e suas tecnologiasSimulado de linguagens, códigos e suas tecnologias
Simulado de linguagens, códigos e suas tecnologias
 
Simulado de ciências humanas e suas tecnologias
Simulado de ciências humanas e suas tecnologiasSimulado de ciências humanas e suas tecnologias
Simulado de ciências humanas e suas tecnologias
 
Simulado de ciências da natureza e suas tecnologias
Simulado de ciências da natureza e suas tecnologiasSimulado de ciências da natureza e suas tecnologias
Simulado de ciências da natureza e suas tecnologias
 
Caderno de ecercícios de redação
Caderno de ecercícios de redaçãoCaderno de ecercícios de redação
Caderno de ecercícios de redação
 
Aula 02 redação
Aula 02 redaçãoAula 02 redação
Aula 02 redação
 
Aula 01 redação
Aula 01 redaçãoAula 01 redação
Aula 01 redação
 
Conteúdo programático redação
Conteúdo programático redaçãoConteúdo programático redação
Conteúdo programático redação
 
Caderno de exercícios de matemática e suas tecnologias
Caderno de exercícios de matemática e suas tecnologiasCaderno de exercícios de matemática e suas tecnologias
Caderno de exercícios de matemática e suas tecnologias
 
Aula 09 de matemática e suas tecnologias
Aula 09 de matemática e suas tecnologiasAula 09 de matemática e suas tecnologias
Aula 09 de matemática e suas tecnologias
 
Aula 08 de matemática e suas tecnologias
Aula 08 de matemática e suas tecnologiasAula 08 de matemática e suas tecnologias
Aula 08 de matemática e suas tecnologias
 
Aula 07 de matemática e suas tecnologias
Aula 07 de matemática e suas tecnologiasAula 07 de matemática e suas tecnologias
Aula 07 de matemática e suas tecnologias
 
Aula 06 de matemática e suas tecnologias
Aula 06 de matemática e suas tecnologiasAula 06 de matemática e suas tecnologias
Aula 06 de matemática e suas tecnologias
 
Aula 05 de matemática e suas tecnologias
Aula 05 de matemática e suas tecnologiasAula 05 de matemática e suas tecnologias
Aula 05 de matemática e suas tecnologias
 
Aula 04 de matemática e suas tecnologias
Aula 04 de matemática e suas tecnologiasAula 04 de matemática e suas tecnologias
Aula 04 de matemática e suas tecnologias
 
Aula 03 de matemática e suas tecnologias
Aula 03 de matemática e suas tecnologiasAula 03 de matemática e suas tecnologias
Aula 03 de matemática e suas tecnologias
 
Aula 02 de matemática e suas tecnologias
Aula 02 de matemática e suas tecnologiasAula 02 de matemática e suas tecnologias
Aula 02 de matemática e suas tecnologias
 
Aula 01 de matemática e suas tecnologias
Aula 01 de matemática e suas tecnologiasAula 01 de matemática e suas tecnologias
Aula 01 de matemática e suas tecnologias
 
Conteúdo programático matemática e suas tecnologias
Conteúdo programático matemática e suas tecnologiasConteúdo programático matemática e suas tecnologias
Conteúdo programático matemática e suas tecnologias
 

Último

Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?MrciaRocha48
 
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptxErivaldoLima15
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdfProfGleide
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREIVONETETAVARESRAMOS
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãodanielagracia9
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptAlineSilvaPotuk
 
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parteDança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira partecoletivoddois
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAAVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAEdioFnaf
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxGislaineDuresCruz
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoCelianeOliveira8
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxkarinasantiago54
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfmarialuciadasilva17
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxconcelhovdragons
 
A população Brasileira e diferença de populoso e povoado
A população Brasileira e diferença de populoso e povoadoA população Brasileira e diferença de populoso e povoado
A população Brasileira e diferença de populoso e povoadodanieligomes4
 
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
Geometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdfGeometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdf
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdfDemetrio Ccesa Rayme
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas BrasileirosMary Alvarenga
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
 
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetização
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
 
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parteDança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAAVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
 
A população Brasileira e diferença de populoso e povoado
A população Brasileira e diferença de populoso e povoadoA população Brasileira e diferença de populoso e povoado
A população Brasileira e diferença de populoso e povoado
 
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
Geometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdfGeometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdf
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 

Logística do Petróleo: Modais e Cadeia de Suprimentos

  • 2. Tipos de Petróleo Países produtores EUA e Brasil Cáucaso (Rússia) Indonésia (Bornéo) Tipo do petróleo Principais produtos explorado Parafínicos Óleos Lubrificantes Naftenico Gasolina Benzênicos Nylon AULA 2 – LOGISTICA DO PETRÓLEO  O petróleo pode ter suas característica modificadas de acordo com a região que ele for extraído, como o cheiro e cor por exemplo (Arábia Saudita, petróleo amarelo, Brasil – preto), estas características a composição estrutural domodificam diversos tipos de derivados. Depois óleo gerando futuramente de produzido o óleo e transportado até as refinarias e centrais petroquímicas, serão produzidos derivados tais como: gasolina, óleo, lubrificantes, piche, etc., os derivados podem ser adquiridos de um tipo específico de petróleo ou até mesmo na junção de vários tipos.
  • 3. Tipos de Petróleo AULA 2 – LOGISTICA DO PETRÓLEO  Brent, é o petróleo produzido na sua forma bruta (crú) sem passar pelo sistema de refino;  Light, é o petróleo leve, sem impurezas, que já passou pelo sistema de refino;  Nafténico, é o petróleo com grande quantidade de hidrocarbonetos nafténicos (nafta);  Parafínico, é o petróleo com grande concentração de hidrocarbonetos parafínicos;  Aromático, é o petróleo com grande concentração de hidrocarbonetos aromáticos;
  • 4. Gás Natural AULA 2 – LOGISTICA DO PETRÓLEO  Formação: mistura de hidrocarbonetos leves encontrada no subsolo, na qual o metano representa 70% em volume.  É encontrado no subsolo, por acumulações em rochas porosas, associados ou não ao petróleo, é resultante da degradação da matéria orgânica de forma anaeróbia (sem ar) de microorganismos que, em eras pré-históricas, se acumulavam nas águas litorâneas dos mares da época, com fortes temperaturas e pressões.  Tipos: Os reservatórios de gás natural são constituídos de rochas porosas capazes de reter o petróleo e gás, em função do teor de petróleo bruto e gás livre, classifica-se o gás, quanto ao seu estado de origem, em:  Gás associado, está dissolvido no óleo, e este próprio gás é aproveitado na produção de óleo sendo chamado (reinjeção ou gás lift);  Gás não associado, está livre ou presente em pequenas quantidades de óleo, neste caso este gás é justificável comercialmente (ex. Bolívia).
  • 5. Gás Natural AULA 2 – LOGISTICA DO PETRÓLEO  Utilização: empregado diretamente como combustível em indústrias, casas e automóveis,  Considerado fonte de energia mais limpa de poluentes do derivado de petróleo e carvão,  Principais utilizações:  Combustível, mais limpa e dá uma vida mais longa aos equipamentos que a utilizam, pois tem um menor custo de manutenção  Automotivo, utilizado para motores de ônibus, automóveis e caminhões, podendo ser até 70% mais barato que outros combustíveis e menos poluente  Industrial, Utilizado para a produção de metanol, amônia e uréia  Condicionamento, conjunto de processos físicos ou químicos para a remoção ou redução de contaminantes, sob especificações legais de mercado, transporte, segurança e posterior processamento.  Pode ser armazenado na forma líquida á pressão atmosférica, contando com tanques com isolamento térmico e mantidos á temperatura inferior ao ponto de condensação do gás natural (GNL), gás natural liquefeito.
  • 6. Armazenamento do gás natural AULA 2 – LOGISTICA DO PETRÓLEO
  • 7. Utilização do gás natural AULA 2 – LOGISTICA DO PETRÓLEO
  • 8. Camada do Pré Sal AULA 2 – LOGISTICA DO PETRÓLEO
  • 11. Logística do Petróleo Cadeia de suprimentos na indústria do petróleo (Supply Chain) tem por objetivo ofertar produtos derivados do petróleo ao mercado consumidor.  Representada por:  Exploração e produção (Upstream)  Refino (Midstream)  Distribuição (Downstream), Comercialização e Distribuição de derivados.  Segmento de Exploração e Produção (Upstream),:  Atividades necessárias à extração (Terra ou mar) Métodos Geológicos ou Geofísicos  Coloca o petróleo disponível para o refino  Início da fase de perfuração Poços exploratórios e/ou pioneiros  Conclusão da atividade de perfuração  Seguem-se as atividades de complementação  Adequação dos poços perfurados, possibilitando a instalação dos equipamentos para a produção de óleo e/ou gás natural.  Confirmada a presença de óleo, começa a produção após a instalação da infra- estrutura necessária  Coloca-se o óleo/gás disponível para o uso
  • 12. Logística do Petróleo  Segmento de Refino (midstream),  Transformação do óleo cru em derivados por processos fisico-químicos específicos com especificações diferentes para cada produto;  O Óleo cru sai das áreas de produção indo até as áreas de armazenamento das plantas de refino;  O óleo é submetido a tratamentos preliminares: Decantação (sedimentação de resíduos sólidos, separação da água emulsionada com petróleo; Dessalgação (redução do teor de sal, nocivo aos equipamentos de refino; Diluição com outros tipos de óleo (ajustando características fisico quimicas (viscosidade e fluidez) Outros tratamentos, adequação do óleo cru aos equipamentos específicos de refino (devido a finalidade), com processos de produção diferentes, visando os produtos desejados;  Produtos finais de refino Variedade (grande) de derivados, fornecidos como matéria prima para diversos segmentos.
  • 13. Logística do Petróleo  Segmento de distribuição (Downstrean), conjunto de operações de uma cadeia vasta de logística de agentes.  Fatores que são de extrema importância: Rapidez (pontualidade) Tipo de produto (transportado) Tipo de modal usado Características do produto (periculosidade, etc.) Bases de distribuição primários e secundários de armazenamento  Refinarias, distribuidoras Modais de transporte (rodoviários, dutoviários, etc.)  Transporte do petróleo e derivados  Alta produção (mundialmente crescente)  Problema logístico – escoamento desta produção, locais longínquos e de difícil acesso (plataformas) para locais onde o petróleo e derivados tem demanda  Inicialmente as refinarias estavam próximos dos campos de produção e dos seus clientes  Hoje com o distanciamento temos os tipos de modais utilizados:
  • 14. Logística do Petróleo Localização dos Campos de petróleo Modal utilizado para a transferência da matéria prima Característica do modal utilizado Próximo às refinarias Dutoviário Dutos de grande diâmetro (24’’, 30’’ ou maiores) Distantes das refinarias Hidroviário Navios (LCC, VLCC´s até ULCC´S) Barcaças com capacidade da ordem de 20 a 50 mil barris de carga Outros tipos de embarcações
  • 15. Observações  Tanker, navio que transporta carga líquida (petróleo gás liquefeito, produtos químicos, etc.)  VLCC, VERY LARGE CRUDE CARRIER - Navio-tanque para transporte de petróleo com capacidade superior a 180 mil Tbp.  Os petroleiros são normalmente classificados por produto e por porte. A classificação por produto divide-se em: Crude, Clean Products (produtos brancos) e Dirty Products (produtos pretos). Os navios de produtos brancos transportam produtos refinados tais como gasolinas, diesel e gasóleo, que requerem revestimento adequado dos tanques para evitar contaminação. Os navios de produtos pretos transportam óleos e outros produtos relativamente viscosos que requerem aquecimento dos tanques. A classificação por porte é em: Handysize, Panamax, Aframax, Suezmax, VLCC e ULCC.
  • 16. Observações  O convés do petroleiro é forrado de canos interligados entre si, que distribuem o óleo igualmente entre os diferentes tanques para garantir o equilíbrio do navio. No carregamento, o óleo flui por esta rede de canos naturalmente, seguindo a força da gravidade. Já no descarregamento entra em ação um sistema de bombeamento de alta pressão. No fundo dos tanques, serpentinas aquecem o óleo para diminuir sua viscosidade e acelerar o descarregamento, que leva em média um dia. Contudo, dependendo do tipo de petróleo e da temperatura em que ele chega, esse processo pode levar três dias.  O interior do petroleiro é formado por 8 a 12 tanques enormes, separados por placas vazadas, cuja função é evitar a formação de ondas dentro da embarcação.
  • 17. Principal preocupação da logística do petróleo  Tempo de transferência, é uma das maiores preocupações da logística, sendo que depende diretamente do modal utilizado e da distância a percorrer, como por exemplo temos a transferência em dutos (horas ou dias) e navios (dias ou meses).
  • 18. Modais utilizados para o transporte  Dutoviário econômicos, (Um dos mais seguros), interliga fontes produtoras, refinarias, terminais de armazenamento, bases de distribuição aos centros consumidores.
  • 19. Dutoviário  Vantagens:  Custos, permite após a construção, a redução dos fretes pois estes significam um aumento significativo no preço final dos produtos;  Diminui o tráfego de outros modais (rodoviários e ferroviários)  Aumenta a segurança nas estradas e vias urbanas  Movimentação dos produtos 24 h/d, 7 dias por semana, compensando a movimentação vagarosa  Transporte de quaisquer produtos inclusive juntos  Desvantagens:  Movimentação de produtos é vagarosa em relação ao modal rodoviário (aprox. 8 km/h)
  • 20. Rodoviário  Realizado por meio de caminhões tanque  Mais de um tanque (dois produtos diferentes)  Carga e descarga realizada por especializadas operadoras com padrões derigorosos segurança  Vantagens:  Velocidade  Frequência  Disponibilidade
  • 21. Ferroviário  Alternativa extremamente econômica  Deslocamento simultâneo de grandes volumes de petróleo e derivados  Custos de 30% a menos se comparado com o modal rodoviário, principalmente pelo volume transportado  Desvantagem na rapidez tendo em vista que a velocidade média de uma composição é de 20 milhas/h (32 km/h)  86% do tempo é gasto nas operações de carregamento/descarregamento por isso cai a velocidade média UNIPETRO TREINAMENTOS – PETRÓLEO E GÁS
  • 22. Hidroviário  Marítimo ou fluvial  Carregamento e descarregamento muito complexos  Navios tanque com cargas de 35 a 90 mil ton  Chatas e balsas com capacidade de até 40 mil ton
  • 23. Petrobrás Transporte S/A - Transpetro  Transporta petróleo, gás natural, derivados e álcool.  Opera 11 mil Km gasodutos, 45 de oleodutos e terminais (21 terrestres e 24 aquaviários)  Possuem 500 tanques com capacidade de 10 milhões m3, de óleo leve/pesado, 53 petroleiros  Responsável pela distribuição (sistema Petrobrás)  Criada em 1998  Atua também no exterior
  • 24. Petrobrás Transporte S/A - Transpetro  A frota transportar 2,9 milhões de toneladas da Transpetro tem capacidade de de produtos e é formada por 53 embarcações.  9 navios aliviadores para escoamento da produção de petróleo em alto-mar.  13 navios para o transporte de petróleo e de produtos escuros (óleo combustível e bunker).  6 navios para produtos escuros e claros (óleo diesel e gasolina).  18 navios para produtos claros.  6 navios gaseiros, para transporte de gás liquefeito de petróleo (GLP).  1 unidade flutuante de transferência e estocagem de petróleo (FSO).  1 embarcação de apoio marítimo.
  • 25. Questionário 1 Explique a logística do petróleo. 2 Explique com suas palavras o que é petróleo BRENT. 3 Cite os três principais tipos e seus produtos. 4 Explique gás natural, a sua formação e tipos. 5 Cite algumas aplicações, e explique a sua importância nestas aplicações. 6 Explique segmento de distribuição (Downstrean). 7 Explique segmento de refino (Midstrean). 8Explique segmento de exploração e produção (Upstrean). 9- Qual é a principal preocupação da logística do petróleo?
  • 26. FIM