SlideShare uma empresa Scribd logo
FUNÇÕES
INORGÂNICAS
PROF. CARLOS PRIANTE
AULA 9.1
Energia = Luminosa ou química
Matéria = Orgânica ou Inorgânica
EXISTEM 4 PRINCIPAIS FUNÇÕES
INORGÂNICAS:
Ácidos
BasesSais
Óxidos
ÁCIDOS
 É toda substância que quando dissolvida em água o
cátion H+.
• Têm sabor azedo
•Alguns possuem alto poder corrosivo (clorídrico, sulfúrico, etc)
•Reagem com metais.
•Conduzem corrente elétrica quando em solução aquosa
NOMENCLATURA:
•Para ácidos não oxigenados, usamos a terminação IDRICO.
•Exemplo:
     • HCl – ácido clorídrico      • H2S – ácido sulfídrico     • H2Se –ácido selenídrico
•Para ácidos oxigenados, se o elemento possuir somente uma valência,usamos
a terminação ICO.
•Exemplo:
H2CO3 – ácido carbônico H3BO3 – ácido bórico
Se o elemento tiver 2 valências, para a maior usamos ICO e para a menor OSO.
•Exemplos:
H2SO3 – ácido sulfuroso H2SO4 – ácido sulfúrico
HNO2 – ácido nitroso HNO3 – ácido nítrico
BASES
 São substâncias que, quando adicionadas à água, produzem
o ânion OH (hidróxidos).⁻
 As bases são formadas com a união da hidroxila com um
metal (cátion)
 Possuem alto poder corrosivo (soda cáustica NaOH)
 Tem sabor adstringente
 Possuem alta condutividade elétrica
 As bases diminuem a acidez das soluções
 Se o elemento possuir somente uma valência, usamos a
expressão “hidróxido de” seguida do nome do elemento. Exemplo:
NaOH – hidróxido de sódio Ca(OH)2 – hidróxido de cálcio
 Se o elemento possuir duas valências, usamos a expressão
“hidróxido de” seguida do nome do elemento e os sufixos OSO e
ICO, ou então a valência em números romanos. Exemplo:
Fe(OH)2 – hidróxido ferroso ou hidróxido de ferro II
Fe(OH)3 – hidróxido férrico ou hidróxido de ferro III
NOMENCLATURA:
O PH DE UMA SOLUÇÃO
pH significa potencial hidrogeniônico, que é definido
dentro de uma escala de 0 a 14.
pH<7 Solução ácida
pH=7 Solução neutra
pH>7 Solução básica
SAIS
 Os sais são compostos iônicos que possuem pelo menos
um cátion diferente de H+ e um ânion diferente de OH-
 De maneira geral este cátion é um metal e o ânion um não-
metal.
 Possuem sabor salgado,
 Possuem ação bactericida,
 Possuem alta condutividade elétrica
NOMENCLATURA:
 Os sais sem oxigênio mudam a terminação IDRICO para a terminação
ETO. Exemplo:
CaS – sulfeto de cálcio, vem do ácido sulfídrico
RbF – fluoreto de rubídio, vem do ácido fluorídrico
 Os sais oxigenados de menor valência mudam a terminação OSO para
ITO. Exemplo:
Na2SO3 – sulfito de sódio, vem do ácido sulfuroso
LiNO2 – nitrito de lítio, vem do ácido nitroso
 Os sais oxigenados de maior valência mudam a terminação ICO para
ATO. Exemplo:
Na2SO4 – sulfato de sódio, vem do ácido sulfúrico
NaClO3 – clorato de sódio, vem do ácido clórico.
ÓXIDOS
 São compostos binários, ou seja, formados por dois
elementos químicos, sendo um deles o oxigênio e o outro
qualquer outro elemento químico (exceto o flúor).
 Como o O pode se ligar a qualquer elemento, as
características desta função irá variar de acordo com o
elemento a qual ele se ligar.
 Os Óxidos são inodoros e insípidos
 São, em geral, tóxicos (poluentes)
 Alguns óxidos reagem com água, produzindo ácidos ou
bases.
 Se o elemento possuir somente uma valência, usamos a
expressão “óxido de” seguida do nome do elemento.
BaO – óxido de bário K2O – óxido de potássio
 Se o elemento possuir duas valências, usamos a
expressão “óxido de” seguida do nome do elemento e os
sufixos OSO e ICO, ou então a valência em números
romanos.
 Cu2O – óxido cuproso ou óxido de cobre I
 CuO – óxido cúprico ou óxido de cobre II
 NiO – óxido niqueloso ou óxido de níquel II
 Ni2O3 – óxido niquélico ou óxido de níquel III
NOMENCLATURA:
HCl
HF
H2SO4  NaOHMg(OH)2 
Hidróxido de Cálcio
NH4OH 
NaCl
Cloreto de potássio
Na2CO3
Al2(SO4)3
 CO
CaO
Pb3O4
Ácido Clorídrico Óxido de cálcio
KCl
Hidróxido de Magnésio Ácido sulfúrico Hidróxido de Sódio
Ca(OH)2 
Carbonato de Sódio Óxido de chumbo
Cloreto de sódio Hidróxido de amônio Monóxido de Carbono
Ácido fluorídrico Sulfato de alumínio
REAÇÕES QUÍMICASREAÇÕES QUÍMICAS
 As substancias que participam de uma reação
química deixam de existir e dão origem a uma
nova substancia.
 Há o rompimento das ligações entre os átomos
destas substâncias, eles se rearranjam e há a
formação de novas ligações químicas.
 Através do estudo destas reações pode-se criar
novas substancias, como os plásticos.
É UM PROCESSO PELO QUAL CERTAS
SUBSTÂNCIAS SÃO TRANSFORMADAS EM
OUTRAS, EM CONSEQUÊNCIA DE
REARRANJO DE SEUS ÁTOMOS.
EVIDÊNCIAS DE REAÇÕES
QUÍMICAS
 mudança de cor;
 liberação de gases (efervescência);
 formação de um sólido (precipitado);
 aparecimento de uma chama ou luminosidade.
 Ao misturar um ácido e uma base se inicia uma
reação química que irá produzir um sal e água.
 Podemos dizer que:
Uma molécula de ácido sulfúrico reage com duas
moléculas de hidróxido de potássio resultando em
uma molécula de sulfato de potássio e duas moléculas
de água.
 Isto não é muito prático e pessoas de outras nações
terão dificuldade de entender.
 Assim, as reações químicas são descritas
graficamente em Equações, uma linguagem
internacional.
 Assim está mais fácil, prático, rápido e qualquer
um com conhecimento poderá interpretar a
reação:
ácido sulfúrico
hidróxido de potássio
sulfato de potássio
água
EQUAÇÃO QUÍMICA:
 É a representação de uma reação química,
indicando os reagentes e seus produtos.
 Na equação química temos:
 Coeficientes: (os números que vem antes nas
fórmulas) indicam a proporção entre reagentes e
produtos;
 Índices (os números que vem depois nos símbolos
dos elementos): indicam o número de átomos
presentes nas substâncias.
REAGENTE PRODUTO
COEFICIENTE ÍNDICE
EQUAÇÃO NÃO-BALANCEADA:
 O número de átomos do produto é diferente do
número de átomos dos reagentes.
H2 + O2 → H2O
EQUAÇÃO BALANCEADA:
 Quando o número de átomos do produto é igual ao
número de átomos dos reagentes.
2H2 + O2 → 2H2O
MÉTODO DAS TENTATIVAS:
 Para fazer o acerto dos coeficientes utiliza-se o método das
tentativas: deve-se contar o número de átomos dos
reagentes e dos produtos e equaliza-los.
 Nesta ordem:
1º) Metais
2º) Não-Metais
3º) Oxigênio
4º) Hidrogênio
 Dica: Iniciar o balanceamento com os elementos que
aparecem uma só vez em ambos os membros; selecionar o
elemento de maior índice e utilizar esses índices como
coeficientes no membro oposto;
LEIS DAS REAÇÕES
QUÍMICAS
LEI DA CONSERVAÇÃO DAS MASSAS
 Proposta por Lavoisier afirma que “numa reação
química, em sistema fechado, a soma das massas
dos reagentes é igual à soma das massas dos
produtos”.
 Ou seja, nada se perde, nada se cria, tudo se
transforma.
2 H2 + O2 → 2 H2O
4 g 32 g 36 g
LEI DAS PROPORÇÕES DEFINIDAS
 Proposta por Proust:
“Quando duas ou mais substancias se combinam
para formar um composto, elas devem guardar
entre si proporções certas e definidas”.
 Os reagentes se combinam na proporção de suas
massas
2 H2 + O2 → 2 H2O
2g 16 g 18 g
4g 32 g 36 g
MASSA ATÔMICA
MASSA MOLECULAR
x2
etc
1/12 da massa de C
2 H2 + O2 → 2 H2O
2g 16 g 18 g
(MDC)
2 H2 + O2 → 2 H2O
1g 8 g
MODOS DE REAÇÕES
QUANTO AO ENVOLVIMENTO DE CALOR:
 Endotérmica: ocorre com absorção de calor.
Ex.: CaCO3 + calor → CaO + CO2.
H2O(s) + calor → H2O(l)
 Exotérmica: ocorre com liberação de calor.
Ex.: 2 H2 + O2 → 2 H2O + calor
C + O2 → CO2 + calor
(Carbonato de cálcio) (óxido de cálcio)
QUANTO À VELOCIDADE
 A velocidade de uma reação química depende de
vários fatores: 
 superfície de contato entre os reagentes,
 temperatura,
 concentração dos reagentes e
 presença do catalisador.
 Rápidas:
Ex.: C2H6O + 3 O2 → 2 CO2 + 3 H2O
 Lentas:
Ex.: 4 Fe + 3 O2 → 2 Fe2O3
TIPOS DE REAÇÕES QUÍMICAS
SÍNTESE (OU ADIÇÃO):
 Reação em que duas ou mais substâncias
(simples ou compostas) originam uma única
substância composta.
Ex.: 2 CO + O2 → 2 CO2
2 H2 + O2 → 2 H2O
2 C + 3 H2 + ½ O2  C2H6O
ANÁLISE (OU DECOMPOSIÇÃO):
 Reação em que uma única substância composta
se desdobra em outras substâncias (simples ou
compostas).
Ex.: 2 HCl → H2 + Cl2 (pirólise)
2H2O2 → 2 H2 + O2 (fotólise)
2 H2O → 2 H2 + O2 (eletrólise)
DESLOCAMENTO (OU
SUBSTITUIÇÃO):
 Reação em que uma substância simples reage
com uma composta produzindo uma composta e
outra simples.
Ex.: Cl2 + 2 NaI → 2 NaCl + I2
Fe + CuSO4 → FeSO4 + Cu
 
DUPLA TROCA (OU DUPLA TROCA):
 Reação em que duas substâncias compostas
produzem duas novas substâncias compostas.
Ex.: HCl + NaOH → NaCl + H2O
NaCl + AgNO3 → AgCl + NaNO3
COMBUSTÃO:
 É a reação em que substâncias (combustíveis) e o
oxigênio reagem liberando luz, calor e outras
substâncias.
Ex.: C2H6O + 3O2 → 2CO2 + 3 H2O (completa)
C2H6O + 2O2 → 2CO + 3 H2O (incompleta)
FIIIIIMMMMM !!!FIIIIIMMMMM !!!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Reações de Substituição Nucleofílica e de Eliminação
Reações de Substituição Nucleofílica e de EliminaçãoReações de Substituição Nucleofílica e de Eliminação
Reações de Substituição Nucleofílica e de Eliminação
José Nunes da Silva Jr.
 
Padronização de HCl e teor de NaOH
Padronização de HCl e teor de NaOHPadronização de HCl e teor de NaOH
Padronização de HCl e teor de NaOH
Rodrigo Henrique
 
Reações de Aldeídos e Cetonas
Reações de Aldeídos e CetonasReações de Aldeídos e Cetonas
Reações de Aldeídos e Cetonas
José Nunes da Silva Jr.
 
Reações de Ácidos Carboxílicos e Derivados
Reações de Ácidos Carboxílicos e DerivadosReações de Ácidos Carboxílicos e Derivados
Reações de Ácidos Carboxílicos e Derivados
José Nunes da Silva Jr.
 
Reações Químicas
Reações QuímicasReações Químicas
Reações Químicas
Polo UAB de Alagoinhas
 
Relatório - Volumetria de Complexação: determinação de dureza da água.
Relatório - Volumetria de Complexação: determinação de dureza da água.Relatório - Volumetria de Complexação: determinação de dureza da água.
Relatório - Volumetria de Complexação: determinação de dureza da água.
Dhion Meyg Fernandes
 
9 solubilidade
9 solubilidade9 solubilidade
9 solubilidade
daniela pinto
 
Relatorio 3 leite de magnésia
Relatorio 3  leite de magnésiaRelatorio 3  leite de magnésia
Relatorio 3 leite de magnésia
Dianna Grandal
 
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: DESTILAÇÃO FRACIONADA E PONTO DE EBULIÇÃO
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: DESTILAÇÃO FRACIONADA E PONTO DE EBULIÇÃORELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: DESTILAÇÃO FRACIONADA E PONTO DE EBULIÇÃO
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: DESTILAÇÃO FRACIONADA E PONTO DE EBULIÇÃO
Ezequias Guimaraes
 
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: PREPARO DE SOLUÇÃO
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: PREPARO DE SOLUÇÃORELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: PREPARO DE SOLUÇÃO
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: PREPARO DE SOLUÇÃO
Ezequias Guimaraes
 
Cinética química
Cinética químicaCinética química
Cinética química
Fernando Lucas
 
Relatorio de Química Analítica II - Determinação da Acidez total do Vinagre
Relatorio de Química Analítica II - Determinação da Acidez total do VinagreRelatorio de Química Analítica II - Determinação da Acidez total do Vinagre
Relatorio de Química Analítica II - Determinação da Acidez total do Vinagre
Dhion Meyg Fernandes
 
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: REAÇÕES DOS METAIS ALCALINOS E OBTENÇÃO DO HIDROG...
 RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: REAÇÕES DOS METAIS ALCALINOS E OBTENÇÃO DO HIDROG... RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: REAÇÕES DOS METAIS ALCALINOS E OBTENÇÃO DO HIDROG...
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: REAÇÕES DOS METAIS ALCALINOS E OBTENÇÃO DO HIDROG...
Ezequias Guimaraes
 
Reações de Subst. Nucleofïlicas em Compostos Aromáticos
Reações de Subst. Nucleofïlicas em Compostos AromáticosReações de Subst. Nucleofïlicas em Compostos Aromáticos
Reações de Subst. Nucleofïlicas em Compostos Aromáticos
José Nunes da Silva Jr.
 
Substituição aromática eletrofilíca
Substituição aromática eletrofilícaSubstituição aromática eletrofilíca
Substituição aromática eletrofilíca
Adrianne Mendonça
 
Grupo I ao VI (Identificação de ânions)
Grupo I ao VI (Identificação de ânions)Grupo I ao VI (Identificação de ânions)
Grupo I ao VI (Identificação de ânions)
Sarah Ornellas
 
Identificação dos cátions Cu2+ e Bi3+
Identificação dos cátions Cu2+ e Bi3+Identificação dos cátions Cu2+ e Bi3+
Identificação dos cátions Cu2+ e Bi3+
Gabriela Begalli
 
Reações químicas
Reações químicasReações químicas
Reações químicas
João Paulo Luna
 
Aula 05 - Estrutura dos átomos e molécula II (ligações quimicas)
Aula 05 - Estrutura dos átomos e molécula II (ligações quimicas)Aula 05 - Estrutura dos átomos e molécula II (ligações quimicas)
Aula 05 - Estrutura dos átomos e molécula II (ligações quimicas)
Nelson Virgilio Carvalho Filho
 
Aula termoquímica
Aula termoquímicaAula termoquímica
Aula termoquímica
Marilena Meira
 

Mais procurados (20)

Reações de Substituição Nucleofílica e de Eliminação
Reações de Substituição Nucleofílica e de EliminaçãoReações de Substituição Nucleofílica e de Eliminação
Reações de Substituição Nucleofílica e de Eliminação
 
Padronização de HCl e teor de NaOH
Padronização de HCl e teor de NaOHPadronização de HCl e teor de NaOH
Padronização de HCl e teor de NaOH
 
Reações de Aldeídos e Cetonas
Reações de Aldeídos e CetonasReações de Aldeídos e Cetonas
Reações de Aldeídos e Cetonas
 
Reações de Ácidos Carboxílicos e Derivados
Reações de Ácidos Carboxílicos e DerivadosReações de Ácidos Carboxílicos e Derivados
Reações de Ácidos Carboxílicos e Derivados
 
Reações Químicas
Reações QuímicasReações Químicas
Reações Químicas
 
Relatório - Volumetria de Complexação: determinação de dureza da água.
Relatório - Volumetria de Complexação: determinação de dureza da água.Relatório - Volumetria de Complexação: determinação de dureza da água.
Relatório - Volumetria de Complexação: determinação de dureza da água.
 
9 solubilidade
9 solubilidade9 solubilidade
9 solubilidade
 
Relatorio 3 leite de magnésia
Relatorio 3  leite de magnésiaRelatorio 3  leite de magnésia
Relatorio 3 leite de magnésia
 
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: DESTILAÇÃO FRACIONADA E PONTO DE EBULIÇÃO
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: DESTILAÇÃO FRACIONADA E PONTO DE EBULIÇÃORELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: DESTILAÇÃO FRACIONADA E PONTO DE EBULIÇÃO
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: DESTILAÇÃO FRACIONADA E PONTO DE EBULIÇÃO
 
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: PREPARO DE SOLUÇÃO
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: PREPARO DE SOLUÇÃORELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: PREPARO DE SOLUÇÃO
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: PREPARO DE SOLUÇÃO
 
Cinética química
Cinética químicaCinética química
Cinética química
 
Relatorio de Química Analítica II - Determinação da Acidez total do Vinagre
Relatorio de Química Analítica II - Determinação da Acidez total do VinagreRelatorio de Química Analítica II - Determinação da Acidez total do Vinagre
Relatorio de Química Analítica II - Determinação da Acidez total do Vinagre
 
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: REAÇÕES DOS METAIS ALCALINOS E OBTENÇÃO DO HIDROG...
 RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: REAÇÕES DOS METAIS ALCALINOS E OBTENÇÃO DO HIDROG... RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: REAÇÕES DOS METAIS ALCALINOS E OBTENÇÃO DO HIDROG...
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: REAÇÕES DOS METAIS ALCALINOS E OBTENÇÃO DO HIDROG...
 
Reações de Subst. Nucleofïlicas em Compostos Aromáticos
Reações de Subst. Nucleofïlicas em Compostos AromáticosReações de Subst. Nucleofïlicas em Compostos Aromáticos
Reações de Subst. Nucleofïlicas em Compostos Aromáticos
 
Substituição aromática eletrofilíca
Substituição aromática eletrofilícaSubstituição aromática eletrofilíca
Substituição aromática eletrofilíca
 
Grupo I ao VI (Identificação de ânions)
Grupo I ao VI (Identificação de ânions)Grupo I ao VI (Identificação de ânions)
Grupo I ao VI (Identificação de ânions)
 
Identificação dos cátions Cu2+ e Bi3+
Identificação dos cátions Cu2+ e Bi3+Identificação dos cátions Cu2+ e Bi3+
Identificação dos cátions Cu2+ e Bi3+
 
Reações químicas
Reações químicasReações químicas
Reações químicas
 
Aula 05 - Estrutura dos átomos e molécula II (ligações quimicas)
Aula 05 - Estrutura dos átomos e molécula II (ligações quimicas)Aula 05 - Estrutura dos átomos e molécula II (ligações quimicas)
Aula 05 - Estrutura dos átomos e molécula II (ligações quimicas)
 
Aula termoquímica
Aula termoquímicaAula termoquímica
Aula termoquímica
 

Destaque

Propriedades fisicas e quimicas
Propriedades fisicas e quimicasPropriedades fisicas e quimicas
Propriedades fisicas e quimicas
Isadora Girio
 
Propriedades do oxigénio
Propriedades do oxigénioPropriedades do oxigénio
Propriedades do oxigénio
Rita Miguel
 
Química Geral Aula 13
Química Geral Aula 13Química Geral Aula 13
Química Geral Aula 13
Ednilsom Orestes
 
Propriedade físicas e químicas dos compostos orgânicos
Propriedade físicas e químicas dos compostos orgânicosPropriedade físicas e químicas dos compostos orgânicos
Propriedade físicas e químicas dos compostos orgânicos
Deborah Calácia
 
Propriedades QuíMicas
Propriedades QuíMicasPropriedades QuíMicas
Propriedades QuíMicas
guest787ebb4
 
Guia de-geografia
Guia de-geografiaGuia de-geografia
Guia de-geografia
Atividades Diversas Cláudia
 
Propriedades físicas e propriedades químicas
Propriedades físicas e propriedades químicas Propriedades físicas e propriedades químicas
Propriedades físicas e propriedades químicas
paulaamelia2013
 
Propriedades físicas dos compostos orgânicos
Propriedades físicas dos compostos orgânicosPropriedades físicas dos compostos orgânicos
Propriedades físicas dos compostos orgânicos
Carlos Henrique Souza
 
Química Geral Aula 00
Química Geral Aula 00Química Geral Aula 00
Química Geral Aula 00
Ednilsom Orestes
 
Química Geral 2016/1 Aula 14
Química Geral 2016/1 Aula 14Química Geral 2016/1 Aula 14
Química Geral 2016/1 Aula 14
Ednilsom Orestes
 
Propriedades QuíMicas
Propriedades QuíMicasPropriedades QuíMicas
Propriedades QuíMicas
SESI 422 - Americana
 
Reações químicas
Reações químicasReações químicas
Reações químicas
Antonio Carneiro
 
Propriedades físicas dos compostos orgânicos
Propriedades físicas dos compostos orgânicosPropriedades físicas dos compostos orgânicos
Propriedades físicas dos compostos orgânicos
Ana Luisa Santana
 
Quimica de-alimentos-agua
Quimica de-alimentos-aguaQuimica de-alimentos-agua
Quimica de-alimentos-agua
Vanessa Alonso
 
Transformações químicas
Transformações químicasTransformações químicas
Transformações químicas
Dulcilene Figueiredo
 
A água 5º ano
A água   5º anoA água   5º ano
A água 5º ano
Isabel Ribeiro
 

Destaque (16)

Propriedades fisicas e quimicas
Propriedades fisicas e quimicasPropriedades fisicas e quimicas
Propriedades fisicas e quimicas
 
Propriedades do oxigénio
Propriedades do oxigénioPropriedades do oxigénio
Propriedades do oxigénio
 
Química Geral Aula 13
Química Geral Aula 13Química Geral Aula 13
Química Geral Aula 13
 
Propriedade físicas e químicas dos compostos orgânicos
Propriedade físicas e químicas dos compostos orgânicosPropriedade físicas e químicas dos compostos orgânicos
Propriedade físicas e químicas dos compostos orgânicos
 
Propriedades QuíMicas
Propriedades QuíMicasPropriedades QuíMicas
Propriedades QuíMicas
 
Guia de-geografia
Guia de-geografiaGuia de-geografia
Guia de-geografia
 
Propriedades físicas e propriedades químicas
Propriedades físicas e propriedades químicas Propriedades físicas e propriedades químicas
Propriedades físicas e propriedades químicas
 
Propriedades físicas dos compostos orgânicos
Propriedades físicas dos compostos orgânicosPropriedades físicas dos compostos orgânicos
Propriedades físicas dos compostos orgânicos
 
Química Geral Aula 00
Química Geral Aula 00Química Geral Aula 00
Química Geral Aula 00
 
Química Geral 2016/1 Aula 14
Química Geral 2016/1 Aula 14Química Geral 2016/1 Aula 14
Química Geral 2016/1 Aula 14
 
Propriedades QuíMicas
Propriedades QuíMicasPropriedades QuíMicas
Propriedades QuíMicas
 
Reações químicas
Reações químicasReações químicas
Reações químicas
 
Propriedades físicas dos compostos orgânicos
Propriedades físicas dos compostos orgânicosPropriedades físicas dos compostos orgânicos
Propriedades físicas dos compostos orgânicos
 
Quimica de-alimentos-agua
Quimica de-alimentos-aguaQuimica de-alimentos-agua
Quimica de-alimentos-agua
 
Transformações químicas
Transformações químicasTransformações químicas
Transformações químicas
 
A água 5º ano
A água   5º anoA água   5º ano
A água 5º ano
 

Semelhante a Propriedade química e reações químicas

Funções Inorgânicas e Reações Químicas
Funções Inorgânicas e Reações QuímicasFunções Inorgânicas e Reações Químicas
Funções Inorgânicas e Reações Químicas
Carlos Priante
 
Messages
MessagesMessages
Messages
Laah Santana
 
TRABALHO DE QUÍMICA.pdf
TRABALHO DE QUÍMICA.pdfTRABALHO DE QUÍMICA.pdf
TRABALHO DE QUÍMICA.pdf
PyetraLorranny
 
Funções inorgânicas
Funções inorgânicasFunções inorgânicas
Funções inorgânicas
Silvio Gentil
 
1- aula 1 - funções inorgânicas compl.pptx
1- aula 1 - funções inorgânicas compl.pptx1- aula 1 - funções inorgânicas compl.pptx
1- aula 1 - funções inorgânicas compl.pptx
edneigoncalves74
 
Aula sobre Funções Inorgânicas - química .ppt
Aula sobre Funções Inorgânicas - química .pptAula sobre Funções Inorgânicas - química .ppt
Aula sobre Funções Inorgânicas - química .ppt
ssuser46216d
 
Funcoes inorganicas completo
Funcoes inorganicas completoFuncoes inorganicas completo
Funcoes inorganicas completo
Everson Carabolante
 
72285373 apostila-quimica-inorganica
72285373 apostila-quimica-inorganica72285373 apostila-quimica-inorganica
72285373 apostila-quimica-inorganica
uagno
 
Lista de exercicios reações químicas
Lista de exercicios   reações químicasLista de exercicios   reações químicas
Lista de exercicios reações químicas
Profª Alda Ernestina
 
Estequiometria2
Estequiometria2Estequiometria2
Estequiometria2
Cristina Helena
 
A5 i funcoes_inorganicas
A5 i funcoes_inorganicasA5 i funcoes_inorganicas
A5 i funcoes_inorganicas
ProCLAUDIA/LUCIANE MEIJON/SOARES
 
Relatorio Óxidos
Relatorio ÓxidosRelatorio Óxidos
Relatorio Óxidos
MarianaMartinsR
 
Descrição dos tipos de funções químicas, suas propriedades e seus efeitos quí...
Descrição dos tipos de funções químicas, suas propriedades e seus efeitos quí...Descrição dos tipos de funções químicas, suas propriedades e seus efeitos quí...
Descrição dos tipos de funções químicas, suas propriedades e seus efeitos quí...
CarolAlencar11
 
Funções inorgânicas bases
Funções inorgânicas   basesFunções inorgânicas   bases
Funções inorgânicas bases
Rafael Nishikawa
 
Apostila funcao inorganica
Apostila funcao inorganicaApostila funcao inorganica
Apostila funcao inorganica
Otoazevedo Otoazevedo
 
Funções químicas
Funções químicasFunções químicas
Funções químicas
João Paulo Luna
 
Apresentação funções inorgânicas
Apresentação funções inorgânicasApresentação funções inorgânicas
Apresentação funções inorgânicas
RenanKiev
 
Funcoes inorganicas
Funcoes inorganicasFuncoes inorganicas
Funcoes inorganicas
estead2011
 
Funcoes inorganicas
Funcoes inorganicasFuncoes inorganicas
Funcoes inorganicas
estead2011
 
343
343343

Semelhante a Propriedade química e reações químicas (20)

Funções Inorgânicas e Reações Químicas
Funções Inorgânicas e Reações QuímicasFunções Inorgânicas e Reações Químicas
Funções Inorgânicas e Reações Químicas
 
Messages
MessagesMessages
Messages
 
TRABALHO DE QUÍMICA.pdf
TRABALHO DE QUÍMICA.pdfTRABALHO DE QUÍMICA.pdf
TRABALHO DE QUÍMICA.pdf
 
Funções inorgânicas
Funções inorgânicasFunções inorgânicas
Funções inorgânicas
 
1- aula 1 - funções inorgânicas compl.pptx
1- aula 1 - funções inorgânicas compl.pptx1- aula 1 - funções inorgânicas compl.pptx
1- aula 1 - funções inorgânicas compl.pptx
 
Aula sobre Funções Inorgânicas - química .ppt
Aula sobre Funções Inorgânicas - química .pptAula sobre Funções Inorgânicas - química .ppt
Aula sobre Funções Inorgânicas - química .ppt
 
Funcoes inorganicas completo
Funcoes inorganicas completoFuncoes inorganicas completo
Funcoes inorganicas completo
 
72285373 apostila-quimica-inorganica
72285373 apostila-quimica-inorganica72285373 apostila-quimica-inorganica
72285373 apostila-quimica-inorganica
 
Lista de exercicios reações químicas
Lista de exercicios   reações químicasLista de exercicios   reações químicas
Lista de exercicios reações químicas
 
Estequiometria2
Estequiometria2Estequiometria2
Estequiometria2
 
A5 i funcoes_inorganicas
A5 i funcoes_inorganicasA5 i funcoes_inorganicas
A5 i funcoes_inorganicas
 
Relatorio Óxidos
Relatorio ÓxidosRelatorio Óxidos
Relatorio Óxidos
 
Descrição dos tipos de funções químicas, suas propriedades e seus efeitos quí...
Descrição dos tipos de funções químicas, suas propriedades e seus efeitos quí...Descrição dos tipos de funções químicas, suas propriedades e seus efeitos quí...
Descrição dos tipos de funções químicas, suas propriedades e seus efeitos quí...
 
Funções inorgânicas bases
Funções inorgânicas   basesFunções inorgânicas   bases
Funções inorgânicas bases
 
Apostila funcao inorganica
Apostila funcao inorganicaApostila funcao inorganica
Apostila funcao inorganica
 
Funções químicas
Funções químicasFunções químicas
Funções químicas
 
Apresentação funções inorgânicas
Apresentação funções inorgânicasApresentação funções inorgânicas
Apresentação funções inorgânicas
 
Funcoes inorganicas
Funcoes inorganicasFuncoes inorganicas
Funcoes inorganicas
 
Funcoes inorganicas
Funcoes inorganicasFuncoes inorganicas
Funcoes inorganicas
 
343
343343
343
 

Mais de Carlos Priante

Botânica- resumo
Botânica- resumoBotânica- resumo
Botânica- resumo
Carlos Priante
 
Zoologia dos vertebrados-resumo
Zoologia dos vertebrados-resumoZoologia dos vertebrados-resumo
Zoologia dos vertebrados-resumo
Carlos Priante
 
Zoologia dos invertebrados-resumo
Zoologia dos invertebrados-resumoZoologia dos invertebrados-resumo
Zoologia dos invertebrados-resumo
Carlos Priante
 
Noções de Astronomia
Noções de AstronomiaNoções de Astronomia
Noções de Astronomia
Carlos Priante
 
Lista de exercícios I Modelos Atômicos
Lista de exercícios I Modelos AtômicosLista de exercícios I Modelos Atômicos
Lista de exercícios I Modelos Atômicos
Carlos Priante
 
Correção Química ENEM 2014
Correção Química ENEM 2014Correção Química ENEM 2014
Correção Química ENEM 2014
Carlos Priante
 
Correção Biologia ENEM 2014
Correção Biologia ENEM 2014Correção Biologia ENEM 2014
Correção Biologia ENEM 2014
Carlos Priante
 
Correção Unesp 2 fase inverno 2015
Correção Unesp 2 fase inverno 2015Correção Unesp 2 fase inverno 2015
Correção Unesp 2 fase inverno 2015
Carlos Priante
 
Correção Unesp 1 fase inverno 2015
Correção Unesp 1 fase inverno 2015Correção Unesp 1 fase inverno 2015
Correção Unesp 1 fase inverno 2015
Carlos Priante
 
Energia: transformação e conservação
Energia: transformação e conservaçãoEnergia: transformação e conservação
Energia: transformação e conservação
Carlos Priante
 
Revisão puc inverno2015
Revisão puc inverno2015Revisão puc inverno2015
Revisão puc inverno2015
Carlos Priante
 
Teorias da Origem da vida e Evolução das espécies
Teorias da Origem da vida e Evolução das espéciesTeorias da Origem da vida e Evolução das espécies
Teorias da Origem da vida e Evolução das espécies
Carlos Priante
 
Reações Orgânicas
Reações OrgânicasReações Orgânicas
Reações Orgânicas
Carlos Priante
 
Lista de exercícios isomeria
Lista de exercícios isomeria Lista de exercícios isomeria
Lista de exercícios isomeria
Carlos Priante
 
Isomeria- Química Orgânica
Isomeria- Química OrgânicaIsomeria- Química Orgânica
Isomeria- Química Orgânica
Carlos Priante
 
Sucessão Ecológica
Sucessão EcológicaSucessão Ecológica
Sucessão Ecológica
Carlos Priante
 
Funções Orgânicas
Funções OrgânicasFunções Orgânicas
Funções Orgânicas
Carlos Priante
 
Mapas conceituais de Ciências
Mapas conceituais de CiênciasMapas conceituais de Ciências
Mapas conceituais de Ciências
Carlos Priante
 
Química Orgânica- Nomenclatura e Hidrocarbonetos
Química Orgânica- Nomenclatura e Hidrocarbonetos Química Orgânica- Nomenclatura e Hidrocarbonetos
Química Orgânica- Nomenclatura e Hidrocarbonetos
Carlos Priante
 
Lista de exercícios X Hidrocarbonetos
Lista de exercícios X HidrocarbonetosLista de exercícios X Hidrocarbonetos
Lista de exercícios X Hidrocarbonetos
Carlos Priante
 

Mais de Carlos Priante (20)

Botânica- resumo
Botânica- resumoBotânica- resumo
Botânica- resumo
 
Zoologia dos vertebrados-resumo
Zoologia dos vertebrados-resumoZoologia dos vertebrados-resumo
Zoologia dos vertebrados-resumo
 
Zoologia dos invertebrados-resumo
Zoologia dos invertebrados-resumoZoologia dos invertebrados-resumo
Zoologia dos invertebrados-resumo
 
Noções de Astronomia
Noções de AstronomiaNoções de Astronomia
Noções de Astronomia
 
Lista de exercícios I Modelos Atômicos
Lista de exercícios I Modelos AtômicosLista de exercícios I Modelos Atômicos
Lista de exercícios I Modelos Atômicos
 
Correção Química ENEM 2014
Correção Química ENEM 2014Correção Química ENEM 2014
Correção Química ENEM 2014
 
Correção Biologia ENEM 2014
Correção Biologia ENEM 2014Correção Biologia ENEM 2014
Correção Biologia ENEM 2014
 
Correção Unesp 2 fase inverno 2015
Correção Unesp 2 fase inverno 2015Correção Unesp 2 fase inverno 2015
Correção Unesp 2 fase inverno 2015
 
Correção Unesp 1 fase inverno 2015
Correção Unesp 1 fase inverno 2015Correção Unesp 1 fase inverno 2015
Correção Unesp 1 fase inverno 2015
 
Energia: transformação e conservação
Energia: transformação e conservaçãoEnergia: transformação e conservação
Energia: transformação e conservação
 
Revisão puc inverno2015
Revisão puc inverno2015Revisão puc inverno2015
Revisão puc inverno2015
 
Teorias da Origem da vida e Evolução das espécies
Teorias da Origem da vida e Evolução das espéciesTeorias da Origem da vida e Evolução das espécies
Teorias da Origem da vida e Evolução das espécies
 
Reações Orgânicas
Reações OrgânicasReações Orgânicas
Reações Orgânicas
 
Lista de exercícios isomeria
Lista de exercícios isomeria Lista de exercícios isomeria
Lista de exercícios isomeria
 
Isomeria- Química Orgânica
Isomeria- Química OrgânicaIsomeria- Química Orgânica
Isomeria- Química Orgânica
 
Sucessão Ecológica
Sucessão EcológicaSucessão Ecológica
Sucessão Ecológica
 
Funções Orgânicas
Funções OrgânicasFunções Orgânicas
Funções Orgânicas
 
Mapas conceituais de Ciências
Mapas conceituais de CiênciasMapas conceituais de Ciências
Mapas conceituais de Ciências
 
Química Orgânica- Nomenclatura e Hidrocarbonetos
Química Orgânica- Nomenclatura e Hidrocarbonetos Química Orgânica- Nomenclatura e Hidrocarbonetos
Química Orgânica- Nomenclatura e Hidrocarbonetos
 
Lista de exercícios X Hidrocarbonetos
Lista de exercícios X HidrocarbonetosLista de exercícios X Hidrocarbonetos
Lista de exercícios X Hidrocarbonetos
 

Último

Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
MateusTavares54
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 
PROPOSTA CURRICULAR EDUCACAO FISICA.docx
PROPOSTA CURRICULAR  EDUCACAO FISICA.docxPROPOSTA CURRICULAR  EDUCACAO FISICA.docx
PROPOSTA CURRICULAR EDUCACAO FISICA.docx
Escola Municipal Jesus Cristo
 
Química orgânica e as funções organicas.pptx
Química orgânica e as funções organicas.pptxQuímica orgânica e as funções organicas.pptx
Química orgânica e as funções organicas.pptx
KeilianeOliveira3
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
analuisasesso
 
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdflivro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
Escola Municipal Jesus Cristo
 
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdfEspecialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
DanielCastro80471
 
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manualUFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
Manuais Formação
 
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdfthe_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
CarinaSoto12
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdfiNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
andressacastro36
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
Mary Alvarenga
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
ReinaldoSouza57
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdfCaderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
enpfilosofiaufu
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
ValdineyRodriguesBez1
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
RenanSilva991968
 
Aula01 - ensino médio - (Filosofia).pptx
Aula01 - ensino médio - (Filosofia).pptxAula01 - ensino médio - (Filosofia).pptx
Aula01 - ensino médio - (Filosofia).pptx
kdn15710
 

Último (20)

Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 
PROPOSTA CURRICULAR EDUCACAO FISICA.docx
PROPOSTA CURRICULAR  EDUCACAO FISICA.docxPROPOSTA CURRICULAR  EDUCACAO FISICA.docx
PROPOSTA CURRICULAR EDUCACAO FISICA.docx
 
Química orgânica e as funções organicas.pptx
Química orgânica e as funções organicas.pptxQuímica orgânica e as funções organicas.pptx
Química orgânica e as funções organicas.pptx
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
 
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdflivro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
 
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdfEspecialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
 
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manualUFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
 
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdfthe_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
 
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdfiNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdfCaderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
 
Aula01 - ensino médio - (Filosofia).pptx
Aula01 - ensino médio - (Filosofia).pptxAula01 - ensino médio - (Filosofia).pptx
Aula01 - ensino médio - (Filosofia).pptx
 

Propriedade química e reações químicas

  • 2. Energia = Luminosa ou química Matéria = Orgânica ou Inorgânica
  • 3. EXISTEM 4 PRINCIPAIS FUNÇÕES INORGÂNICAS: Ácidos BasesSais Óxidos
  • 4. ÁCIDOS  É toda substância que quando dissolvida em água o cátion H+. • Têm sabor azedo •Alguns possuem alto poder corrosivo (clorídrico, sulfúrico, etc) •Reagem com metais. •Conduzem corrente elétrica quando em solução aquosa
  • 5. NOMENCLATURA: •Para ácidos não oxigenados, usamos a terminação IDRICO. •Exemplo:      • HCl – ácido clorídrico      • H2S – ácido sulfídrico     • H2Se –ácido selenídrico •Para ácidos oxigenados, se o elemento possuir somente uma valência,usamos a terminação ICO. •Exemplo: H2CO3 – ácido carbônico H3BO3 – ácido bórico Se o elemento tiver 2 valências, para a maior usamos ICO e para a menor OSO. •Exemplos: H2SO3 – ácido sulfuroso H2SO4 – ácido sulfúrico HNO2 – ácido nitroso HNO3 – ácido nítrico
  • 6.
  • 7. BASES  São substâncias que, quando adicionadas à água, produzem o ânion OH (hidróxidos).⁻  As bases são formadas com a união da hidroxila com um metal (cátion)  Possuem alto poder corrosivo (soda cáustica NaOH)  Tem sabor adstringente  Possuem alta condutividade elétrica  As bases diminuem a acidez das soluções
  • 8.  Se o elemento possuir somente uma valência, usamos a expressão “hidróxido de” seguida do nome do elemento. Exemplo: NaOH – hidróxido de sódio Ca(OH)2 – hidróxido de cálcio  Se o elemento possuir duas valências, usamos a expressão “hidróxido de” seguida do nome do elemento e os sufixos OSO e ICO, ou então a valência em números romanos. Exemplo: Fe(OH)2 – hidróxido ferroso ou hidróxido de ferro II Fe(OH)3 – hidróxido férrico ou hidróxido de ferro III NOMENCLATURA:
  • 9.
  • 10. O PH DE UMA SOLUÇÃO pH significa potencial hidrogeniônico, que é definido dentro de uma escala de 0 a 14. pH<7 Solução ácida pH=7 Solução neutra pH>7 Solução básica
  • 11.
  • 12. SAIS  Os sais são compostos iônicos que possuem pelo menos um cátion diferente de H+ e um ânion diferente de OH-  De maneira geral este cátion é um metal e o ânion um não- metal.  Possuem sabor salgado,  Possuem ação bactericida,  Possuem alta condutividade elétrica
  • 13. NOMENCLATURA:  Os sais sem oxigênio mudam a terminação IDRICO para a terminação ETO. Exemplo: CaS – sulfeto de cálcio, vem do ácido sulfídrico RbF – fluoreto de rubídio, vem do ácido fluorídrico  Os sais oxigenados de menor valência mudam a terminação OSO para ITO. Exemplo: Na2SO3 – sulfito de sódio, vem do ácido sulfuroso LiNO2 – nitrito de lítio, vem do ácido nitroso  Os sais oxigenados de maior valência mudam a terminação ICO para ATO. Exemplo: Na2SO4 – sulfato de sódio, vem do ácido sulfúrico NaClO3 – clorato de sódio, vem do ácido clórico.
  • 14.
  • 15. ÓXIDOS  São compostos binários, ou seja, formados por dois elementos químicos, sendo um deles o oxigênio e o outro qualquer outro elemento químico (exceto o flúor).  Como o O pode se ligar a qualquer elemento, as características desta função irá variar de acordo com o elemento a qual ele se ligar.  Os Óxidos são inodoros e insípidos  São, em geral, tóxicos (poluentes)  Alguns óxidos reagem com água, produzindo ácidos ou bases.
  • 16.  Se o elemento possuir somente uma valência, usamos a expressão “óxido de” seguida do nome do elemento. BaO – óxido de bário K2O – óxido de potássio  Se o elemento possuir duas valências, usamos a expressão “óxido de” seguida do nome do elemento e os sufixos OSO e ICO, ou então a valência em números romanos.  Cu2O – óxido cuproso ou óxido de cobre I  CuO – óxido cúprico ou óxido de cobre II  NiO – óxido niqueloso ou óxido de níquel II  Ni2O3 – óxido niquélico ou óxido de níquel III NOMENCLATURA:
  • 17.
  • 18. HCl HF H2SO4  NaOHMg(OH)2  Hidróxido de Cálcio NH4OH  NaCl Cloreto de potássio Na2CO3 Al2(SO4)3  CO CaO Pb3O4 Ácido Clorídrico Óxido de cálcio KCl Hidróxido de Magnésio Ácido sulfúrico Hidróxido de Sódio Ca(OH)2  Carbonato de Sódio Óxido de chumbo Cloreto de sódio Hidróxido de amônio Monóxido de Carbono Ácido fluorídrico Sulfato de alumínio
  • 20.  As substancias que participam de uma reação química deixam de existir e dão origem a uma nova substancia.  Há o rompimento das ligações entre os átomos destas substâncias, eles se rearranjam e há a formação de novas ligações químicas.  Através do estudo destas reações pode-se criar novas substancias, como os plásticos. É UM PROCESSO PELO QUAL CERTAS SUBSTÂNCIAS SÃO TRANSFORMADAS EM OUTRAS, EM CONSEQUÊNCIA DE REARRANJO DE SEUS ÁTOMOS.
  • 21. EVIDÊNCIAS DE REAÇÕES QUÍMICAS  mudança de cor;  liberação de gases (efervescência);  formação de um sólido (precipitado);  aparecimento de uma chama ou luminosidade.
  • 22.
  • 23.  Ao misturar um ácido e uma base se inicia uma reação química que irá produzir um sal e água.  Podemos dizer que: Uma molécula de ácido sulfúrico reage com duas moléculas de hidróxido de potássio resultando em uma molécula de sulfato de potássio e duas moléculas de água.  Isto não é muito prático e pessoas de outras nações terão dificuldade de entender.  Assim, as reações químicas são descritas graficamente em Equações, uma linguagem internacional.
  • 24.  Assim está mais fácil, prático, rápido e qualquer um com conhecimento poderá interpretar a reação: ácido sulfúrico hidróxido de potássio sulfato de potássio água
  • 25. EQUAÇÃO QUÍMICA:  É a representação de uma reação química, indicando os reagentes e seus produtos.  Na equação química temos:  Coeficientes: (os números que vem antes nas fórmulas) indicam a proporção entre reagentes e produtos;  Índices (os números que vem depois nos símbolos dos elementos): indicam o número de átomos presentes nas substâncias.
  • 27. EQUAÇÃO NÃO-BALANCEADA:  O número de átomos do produto é diferente do número de átomos dos reagentes. H2 + O2 → H2O EQUAÇÃO BALANCEADA:  Quando o número de átomos do produto é igual ao número de átomos dos reagentes. 2H2 + O2 → 2H2O
  • 28. MÉTODO DAS TENTATIVAS:  Para fazer o acerto dos coeficientes utiliza-se o método das tentativas: deve-se contar o número de átomos dos reagentes e dos produtos e equaliza-los.  Nesta ordem: 1º) Metais 2º) Não-Metais 3º) Oxigênio 4º) Hidrogênio  Dica: Iniciar o balanceamento com os elementos que aparecem uma só vez em ambos os membros; selecionar o elemento de maior índice e utilizar esses índices como coeficientes no membro oposto;
  • 29. LEIS DAS REAÇÕES QUÍMICAS LEI DA CONSERVAÇÃO DAS MASSAS  Proposta por Lavoisier afirma que “numa reação química, em sistema fechado, a soma das massas dos reagentes é igual à soma das massas dos produtos”.  Ou seja, nada se perde, nada se cria, tudo se transforma. 2 H2 + O2 → 2 H2O 4 g 32 g 36 g
  • 30. LEI DAS PROPORÇÕES DEFINIDAS  Proposta por Proust: “Quando duas ou mais substancias se combinam para formar um composto, elas devem guardar entre si proporções certas e definidas”.  Os reagentes se combinam na proporção de suas massas 2 H2 + O2 → 2 H2O 2g 16 g 18 g 4g 32 g 36 g MASSA ATÔMICA MASSA MOLECULAR x2 etc 1/12 da massa de C
  • 31. 2 H2 + O2 → 2 H2O 2g 16 g 18 g (MDC) 2 H2 + O2 → 2 H2O 1g 8 g
  • 32. MODOS DE REAÇÕES QUANTO AO ENVOLVIMENTO DE CALOR:  Endotérmica: ocorre com absorção de calor. Ex.: CaCO3 + calor → CaO + CO2. H2O(s) + calor → H2O(l)  Exotérmica: ocorre com liberação de calor. Ex.: 2 H2 + O2 → 2 H2O + calor C + O2 → CO2 + calor (Carbonato de cálcio) (óxido de cálcio)
  • 33. QUANTO À VELOCIDADE  A velocidade de uma reação química depende de vários fatores:   superfície de contato entre os reagentes,  temperatura,  concentração dos reagentes e  presença do catalisador.  Rápidas: Ex.: C2H6O + 3 O2 → 2 CO2 + 3 H2O  Lentas: Ex.: 4 Fe + 3 O2 → 2 Fe2O3
  • 34. TIPOS DE REAÇÕES QUÍMICAS SÍNTESE (OU ADIÇÃO):  Reação em que duas ou mais substâncias (simples ou compostas) originam uma única substância composta. Ex.: 2 CO + O2 → 2 CO2 2 H2 + O2 → 2 H2O 2 C + 3 H2 + ½ O2  C2H6O
  • 35. ANÁLISE (OU DECOMPOSIÇÃO):  Reação em que uma única substância composta se desdobra em outras substâncias (simples ou compostas). Ex.: 2 HCl → H2 + Cl2 (pirólise) 2H2O2 → 2 H2 + O2 (fotólise) 2 H2O → 2 H2 + O2 (eletrólise)
  • 36. DESLOCAMENTO (OU SUBSTITUIÇÃO):  Reação em que uma substância simples reage com uma composta produzindo uma composta e outra simples. Ex.: Cl2 + 2 NaI → 2 NaCl + I2 Fe + CuSO4 → FeSO4 + Cu  
  • 37. DUPLA TROCA (OU DUPLA TROCA):  Reação em que duas substâncias compostas produzem duas novas substâncias compostas. Ex.: HCl + NaOH → NaCl + H2O NaCl + AgNO3 → AgCl + NaNO3
  • 38. COMBUSTÃO:  É a reação em que substâncias (combustíveis) e o oxigênio reagem liberando luz, calor e outras substâncias. Ex.: C2H6O + 3O2 → 2CO2 + 3 H2O (completa) C2H6O + 2O2 → 2CO + 3 H2O (incompleta)