SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 54
PEDOLOGIA
Histórico e fundamentos da
ciência do solo
Os primeiros conhecimentos sobre o solo
Os primeiros grupamentos humanos viam o solo apenas como um lugar
por onde caminhavam, caçavam ou recolhiam alimentos, ou para obter
algum barro para confeccionar objetos de cerâmica e pigmentos
coloridos para suas pinturas. Determinados solos podiam ser melhores
para caminhar, fornecer os barros e os pigmentos, mas nenhum
conhecimento adicional era necessário.
Em um período iniciado após a última era glacial, cerca de 10.000 anos
atrás, uma boa parte dos humanos começou a agrupar-se em
determinadas terras, onde aprenderam a domesticar plantas e animais.
De nômades, passaram a se fixar em determinados territórios,
escolhidos pela qualidade do solo, do clima e da água.
As primeiras cidades desenvolveram-se nos vales dos rios Tigres e
Eufrates – na Mesopotâmia, hoje Síria e Iraque – e no Nilo (Egito),
formando o chamado “crescente fértil”
As primeiras civilizações: Mesopotâmios, egípcios, indianos,
chineses, astecas e incas.
•Disputa de terras mais férteis e uso da água necessário
para irrigação
•Organização das terras e da sociedade
•Marcação de limites e propriedades
•Construção de canais de irrigação, estradas, etc.
•Divisão de trabalho e conhecimento.
O que é
Pedologia?
O que é Solo?
Solo é a coletividade de indivíduos naturais, na superfície
da terra, eventualmente modificado ou mesmo construído
pelo homem, contendo matéria orgânica viva e servindo ou
sendo capaz de servir à sustentação de plantas ao ar livre.
Em sua parte superior, limita-se com o ar atmosférico ou
águas rasas. Lateralmente, limita-se gradualmente com
rocha consolidada ou parcialmente desintegrada, água
profunda ou gelo. O limite inferior é talvez o mais difícil de
definir. Mas, o que é reconhecido como solo deve excluir o
material que mostre pouco efeito das interações de clima,
organismos, material originário e relevo, através do tempo.
IBGE
Estudo dos solos
Na Ciência do Solo, surgem ramificações ou especializações,
uma que vez que o estudo dos solos como recurso natural
pode incluir pesquisas relacionadas a vários aspectos, como
sua formação, classificação e mapeamento, além de atributos
físicos, químicos, biológicos e de fertilidade em relação ao uso
e manejo dos solo.
Edafologia = finalidade práticas à agronomia
Pedologia = estudos de gênese, classificação e mapeamentos
dos solos
A pedologia, uma subdivisão da Ciência do Solo, preocupa-se com
os aspectos genéticos do solo, sua organização morfológica
resultantes da atuação dos fatores de formação, seu mapeamento
e o entendimento da distribuição dos solos na paisagem. Portanto,
é uma subdivisão que , originalmente, trata de aspectos científicos
mais básicos relacionados ao solo, estudado como corpo individual
desenvolvido sob condições naturais específicas.
A pedologia tem importantes aplicações diretas e indiretas:
fornece conhecimentos básico a respeito da estrutura química,
mineralógica, física e morfológica de um dados solo, algo
fundamental para futuras aplicações agrícolas, geotécnicas e
mesmo ecológicas; possibilita a diferenciação de classes de solo e,
portanto, sua categorização; permite a construção de mapas e
modelos de evolução na paisagem, facilitando o entendimento a
respeito da distribuição dos solos no planeta.
ROCHAS E SEUS MINERAIS
Quando conhecemos melhor as pedras, elas deixam de
ser simples objetos inanimados e transformam-se em
pequenos capítulos da história do planeta e da nossa
própria história.
(Fábio Ramos de Andrade)
O manto dos solos da
Terra é muitas vezes
definido como aquilo que
está acima das rochas.
Contudo, na Pedologia,
nem tudo “mais solto” e
acima das rochas pode ser
chamado de solo. O nome
correto para esta parte
“mais solta”, entre a
superfície da Terra e as
rochas, é REGOLITO
SOLO, REGOLITO E SAPRÓLITO
SOLO - do latim = terra, chão – está localizado na parte
superior do regolito. Apesar de não haver um limite muito
distinto entre ele e o que está abaixo, existem várias
maneiras de distingui-lo da parte inferior, chamada saprólito
(horizonte C).
O solo normalmente tem um teor mais alto de materiais
orgânicos; no solo encontramos muitas raízes de plantas e
organismos vivos; o solo é mais intensamente alterado – ou
intemperizado – que o saprólito; o solo apresenta várias
zonas superpostas, geralmente paralelas à superfície, que
em Pedologia são chamadas de horizontes.
Cada um dos horizontes é composto de quatros partes:
Minerais, matéria orgânica, água e ar
Os minerais são sólidos que se
originam direta ou indiretamente da
decomposição das rochas. O outro
componente sólido encontrado nos
solos é a matéria orgânica. Os
espaços que ficam abertos entre
esses dois tipos de sólidos são os
poros, os quais normalmente estão
preenchidos com dois outros
componentes, um líquido e outro
gasoso: o ar e a água.
Qual a diferença entre um elemento químico, um mineral
e uma rocha?
Onde e como esses materiais se originam?
Como eles adquirem as atuais características?
Por que uns se decompõem mais facilmente que outros?
Será que diferentes rochas com diferentes minerais
sempre dão origem a diferentes solos?
Minerais e Rochas - Definições
• Minerais são elementos ou compostos
químicos com composição definida dentro de
certos limites, cristalizados e formados
naturalmente por meio de processos
geológicos inorgânicos, na Terra ou em corpos
extraterrestres. A composição química e as
propriedades cristalográficas bem definidas do
mineral fazem com que ele seja único dentro
do reino mineral e, assim, receba um nome
característico.
Minerais e Rochas - Definições
• Cada tipo de mineral, tal como o quartzo
(SiO2),constitui uma espécie mineral. Sempre
que a sua cristalização ao se der em condições
geológicas ideais, a sua organização atômica
interna se manifestara em uma forma
geométrica externa, com o aparecimento de
faces, arestas e vértices naturais. Nesta
situação, a amostra do mineral será chamada
também de cristal.
Minerais e Rochas - Definições
• O termo rocha e usado para descrever uma
associação de minerais que, por diferentes
motivos geológicos, acabam ficando intimamente
unidos. Embora coesa e, muitas vezes, dura, a
rocha não e homogênea. Ela não tem a
continuidade física de um mineral e, portanto,
pode ser subdividida em todos os seus minerais
constituintes.
• Já termo minério é utilizado apenas quando o
mineral ou a rocha apresentar uma importância
econômica.
Propriedades físicas dos minerais
DUREZA, COR DO RISCO, CLIVAGEM E MAGNETISMO
Rochas
• As rochas são, basicamente, associações
naturais de dois ou mais minerais agregados
e, normalmente, cobrindo vastas áreas da
crosta terrestre. Por vezes, embora raras,
são constituídas por um só mineral.
• rocha é definida como um corpo sólido natural, resultante de um
processo geológico determinado, formado por aglomerações de um ou
mais minerais, arranjados segundo as condições de temperatura e
pressão existentes durante sua formação.
• As rochas são agrupadas, de acordo com a sua formação, em três
grandes classes:
• magmáticas ou ígneas (ignis=fogo),
• sedimentares e
• metamórficas.
Mineral
• Elementos ou compostos químicos;
• Composição definida;
• Cristalinos;
• Inorgânicos;
• Formados por processos naturais.
Elementos nativos
• Ocorrem no estado elementar (Prata, ouro,
enxofre, cobre,.....) ou como ligas naturais;
• Metais, semi-metais (As), não-metais (C,S)
Sulfetos
• combinação de um elemento
metálico ou semi-metálico
com S
Esfarelita (ZnS)
Calcopirita (CuFeS2)
Galena (PbS)
Pirita (FeS2)
Molibdenita (MoS2)
Óxidos e hidróxidos
• Combinação de oxigênio com um
ou mais elementos metálicos
Cassiterita (SnO2)
Espinélio (MgAl2O4)
Gibsita Al(OH)3
Hematita (Fe2O3)
Magnetita (Fe3O4)
• Combinação com (OH-)
Goethita (FeO(OH)
Cassiterita
Magnetita (Fe3O4)
É um mineral comum que ocorre nas
rochas ígneas, metamórficas, em depósitos
hidrotermais e em areias de rios.
Freqüentemente transforma-se em
hematita e limonita.
Apresenta forte magnetismo.
Do ponto de vista agronômico,
aparece freqüentemente como constituinte
mineralógico da fração arenosa do solo.
Hematita (Fe2O3)
Abundante nas rochas
sedimentares e metamórficas.
Nas rochas ígneas é acessório.
É freqüente sua associação
com a magnetita e limonita.
Forma-se em solos
tropicais com temperatura alta
e pH baixo.
Ocorre como pigmento
vermelho comum nos
sedimentos, solos, etc. É o
principal minério de ferro.
Halita (NaCl)
Ocorre em depósitos
sedimentares precipitados
por evaporação de água
salgada (evaporitos), em
associação com outros sais e
componentes de depósitos
de areias e argilas.
Os principais usos são como
sal de cozinha e como fonte
de cloro e sódio para a
indústria química.
Carbonatos
• Combinação de cátions
bivalentes com:
o complexo aniônico (CO3)2-
Cerussita (PbCO3) Magnesita
(MgCO3) Smithsonita (ZnCO3)
Siderita (FeCO3)
Calcita (CaCO3)
Dolomita (CaMg(CO3)2)
Uma rocha representativa do grupo dos minério calcita
Calcários:
Usos:
Indústria agrícola (como corretivo de solo
Indústria do cimento, indústria química, pedras ornamentais
(mármores), instrumentos óticos.
Calcita (CaCO3) É um dos minerais mais
comuns, sendo o principal
constituinte mineralógico dos
calcários e mármores puros.
Ocorre, também em
arenitos, preenchendo cavidades
nas rochas ígneas e como
depósitos de fontes termais.
Dolomita (CaMg(CO3)2)
É um carbonato comum.
Freqüêntemente associa-se a calcita. Pode
originar-se a partir da calcita pela
influência de soluções magnesianas.
É o principal componente
mineralógico dos calcários e mármores
magnesianos. Em depósitos hidrotermais,
é comum sua associação com sulfetos.
GIPSITA: CaSO4.2H2O
É um mineral comum,
encontrado principalmente em
camadas sedimentares,
geralmente estratificadas com
calcários e folhelhos.
É um sulfato de cálcio hidratado.
Do ponto de vista
agronômico é fonte de Ca e S para
as plantas
Usado principalmente para a produção de gesso e na produção de
cimentos.
Minerais – Silicatos
Grupo da Serpentina
Antigorita e Crisótilo
Minerais do grupo das argilas
Caulinita,Esmectita , Montmorillonita, Ilita, Talco, Pirofilita
Grupo das micas
Moscovita, Flogopita, Biotita, Lepidolita, Margarita
Grupo da clorita
Apofilita, Prehnita
38
Principais minerais
A tabela a seguir mostra os principais constituintes mineralógicos
das rochas que integram a crosta:
Feldspato 59,5%
Quartzo 12,0%
Piroxênios e anfibólios 16,8%
Micas 3,8%
Outros 7,0%
As rochas são agrupadas, de acordo com a
sua formação, em três grandes classes:
Magmáticas ou ígneas (ignis=fogo);
Metamórficas;
Sedimentares.
Magmáticas ou ígneas (ignis=fogo);
Metamórficas;
Sedimentares.
Ciclo das rochas
• As rochas magmáticas
• Formam-se quando o magma em fusão arrefece e
solidifica. Se arrefece rapidamente, os minerais não têm
tempo de se desenvolverem originando rochas
vulcânicas. Se, pelo contrário, o magma arrefece
lentamente, permite a cristalização e crescimento de
todos os minerais, formando-se rochas plutônicas.
O Basalto
A região de terra vermelha do norte do
Paraná, e´região de derrame vulcânico.
O basalto também é encontrado
em pequenas porções em outra
parte do território do estado do
Acre como por exemplo na região
de Rio Branco
Exemplo de Rochas vulcânicas :
É uma rocha dura e escura e com
pequenos minerais cristalizados.
Granito
Exemplo de Rochas plutónicas:
É uma rocha dura, heterogénea,
com minerais cristalizados visíveis à
vista desarmada, com cores e
tamanhos diferentes de quartzo,
feldspato e, por vezes micas.
Rochas Sedimentares
As rochas sedimentares resultam da cimentação dos
depósitos de detritos oriundos da desagregação das
rochas pré-existentes que sofreram alteração física ou
química, por ação de agentes de erosão (chuva, vento,
calor, frio, gelo, seres vivos, etc.).
Existem 3 tipos de rochas sedimentares:
Detríticas ( argila, areia, arenito,…)
Químicas ( calcário, gesso, sal-gema,…)
Biogénicas (carvão, petróleo,…)
:
Rochas Sedimentares
Rochas Sedimentares Detríticas: são formadas a partir
de restos de outras rochas, após sofrerem erosão. Ex:
areia, arenito, argilito, conglomerado.
Rochas Sedimentares Químicas: são formadas a partir da
precipitação de substâncias dissolvidas na água. Ex:
calcário, gesso, sal-gema.
Rochas Sedimentares Biogénicas: são formadas a partir
de restos de seres vivos (fósseis). Ex: calcário conquífero,
carvão, petróleo.
Fases de Formação das Rochas Sedimentares
1.ALTERAÇÃO da rocha de origem
2.EROSÃO desfragmentarão da rocha de origem
3.TRANSPORTE dos resíduos
4.SEDIMENTAÇÃO dos resíduos
5.DIAGÊNESE:
– Compactação: as rochas são apertadas
– Desidratação: as rochas perdem água
– Cimentação: as rochas são coladas por um cimento
natural
Rochas Sedimentares – formadas por deposição de materiais em
ambientes continentais ou marinhos;
A água e o vento são os principais agentes de transporte de
sedimentos. Quando estes agentes perdem a capacidade de
transportar, devido a uma diminuição da velocidade, ocorre a
sedimentação.
• As rochas sedimentares são caracterizados pela
presença de estratificação - que resulta da formação
de camadas paralelas e horizontais, pela deposição
contínua de partículas no fundo de um oceano, de um
lago, de um rio ou numa superfície continental.
Calcário - a coloração passa do branco ao preto,
podendo ser cinza claro ou cinza escuro. Muitos calcários
apresentam tons de vermelho, amarelo, azul ou verde
dependendo do tipo e quantidade de impurezas que
apresentam.
• É utilizado na construção civil na
pavimentação de passeios,
produção do cimento e cal,
estátuas, etc…
Rochas Metamórficas
As rochas metamórficas são o produto da transformação
de qualquer tipo de rocha levada a um ambiente onde as
condições físicas (pressão, temperatura) são muito
distintas daquelas onde a rocha se formou. Nestes
ambientes, os minerais tornam-se instáveis e reagem
formando outros minerais.
Rochas Metamórficas
Há medida que novas camadas de rochas sedimentares vão sendo
depositadas umas sobre as outras, as mais antigas são sujeitas à ação de
temperaturas e pressões crescentes.
Mármore
É utilizado no revestimento de paredes, escadas, esculturas…
MAGMA
Rochas Magmáticas Vulcânicas
Rochas Magmáticas Plutónicas
Sedimentos
Seres Vivos
Rochas Metamórficas
… que sofrem fusão e
voltam a ser:
Rochas
Sedimentares
O magma (rocha derretida)
sobe do interior da terra
Dá-se a ascensão do
magma que sobe até
à superfície, dando
origem a:
Outro magma, mais
viscoso, fica aprisionado
no interior da Terra,
formando:
…como as rochas vulcânicas,
sofrem erosão, transformando-
se em:
Por erosão
superficial, estas
rochas afloram e…
Estes fazem trocas com
a Biosfera (vide
fósseis)...
Por ação do calor
e pressão passam
a:

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Pedologia- Geografia - Geologia - aula_01.pptx

Classificação geral dos solos e solos do brasil
Classificação geral dos solos e solos do brasilClassificação geral dos solos e solos do brasil
Classificação geral dos solos e solos do brasil
Thamires Bragança
 
Slides ciência do solo
Slides   ciência do soloSlides   ciência do solo
Slides ciência do solo
daianeagricola
 
Tipos de solos
Tipos de solosTipos de solos
Tipos de solos
dela28
 
Trabalho de pedologia
Trabalho de pedologia Trabalho de pedologia
Trabalho de pedologia
ufmt
 
Estrutura geológica da terra e solo
Estrutura geológica da terra e soloEstrutura geológica da terra e solo
Estrutura geológica da terra e solo
landipaula
 
Aula propriedades morfológicas
Aula  propriedades morfológicasAula  propriedades morfológicas
Aula propriedades morfológicas
Carolina Corrêa
 

Semelhante a Pedologia- Geografia - Geologia - aula_01.pptx (20)

Prof Demétrio Melo - Geografia TD Brasil: Estrutura Geológica, Relevo e Minerais
Prof Demétrio Melo - Geografia TD Brasil: Estrutura Geológica, Relevo e MineraisProf Demétrio Melo - Geografia TD Brasil: Estrutura Geológica, Relevo e Minerais
Prof Demétrio Melo - Geografia TD Brasil: Estrutura Geológica, Relevo e Minerais
 
6 - Solos.pptx
6 - Solos.pptx6 - Solos.pptx
6 - Solos.pptx
 
Classificação geral dos solos e solos do brasil
Classificação geral dos solos e solos do brasilClassificação geral dos solos e solos do brasil
Classificação geral dos solos e solos do brasil
 
Aula 1 solos
Aula 1 solosAula 1 solos
Aula 1 solos
 
Solos E Ocupação Rural No Mundo
Solos E Ocupação Rural No MundoSolos E Ocupação Rural No Mundo
Solos E Ocupação Rural No Mundo
 
Rochas e solos
Rochas e solosRochas e solos
Rochas e solos
 
Slides ciência do solo
Slides   ciência do soloSlides   ciência do solo
Slides ciência do solo
 
Aula 5-quimica da-litosfera_1a
Aula 5-quimica da-litosfera_1aAula 5-quimica da-litosfera_1a
Aula 5-quimica da-litosfera_1a
 
Origem dos solos
Origem dos solosOrigem dos solos
Origem dos solos
 
Ciências do Ambiente - Cap 4 - Meio terrestre: características e poluição
Ciências do Ambiente - Cap 4 - Meio terrestre: características e poluiçãoCiências do Ambiente - Cap 4 - Meio terrestre: características e poluição
Ciências do Ambiente - Cap 4 - Meio terrestre: características e poluição
 
Introdução a ciência do solo
Introdução a ciência do soloIntrodução a ciência do solo
Introdução a ciência do solo
 
Solos: origem, evolução, degradação e conservação
Solos: origem, evolução, degradação e conservaçãoSolos: origem, evolução, degradação e conservação
Solos: origem, evolução, degradação e conservação
 
GÊNESE DO SOLO
GÊNESE DO SOLO GÊNESE DO SOLO
GÊNESE DO SOLO
 
Powerpoint Rochas
Powerpoint   RochasPowerpoint   Rochas
Powerpoint Rochas
 
Solos rochas e minerais
Solos rochas e mineraisSolos rochas e minerais
Solos rochas e minerais
 
Brozura solos bie
Brozura solos bieBrozura solos bie
Brozura solos bie
 
Tipos de solos
Tipos de solosTipos de solos
Tipos de solos
 
Trabalho de pedologia
Trabalho de pedologia Trabalho de pedologia
Trabalho de pedologia
 
Estrutura geológica da terra e solo
Estrutura geológica da terra e soloEstrutura geológica da terra e solo
Estrutura geológica da terra e solo
 
Aula propriedades morfológicas
Aula  propriedades morfológicasAula  propriedades morfológicas
Aula propriedades morfológicas
 

Último

5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
edjailmax
 
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfAS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
ssuserbb4ac2
 

Último (20)

"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
 
Poema - Reciclar é preciso
Poema            -        Reciclar é precisoPoema            -        Reciclar é preciso
Poema - Reciclar é preciso
 
O carteiro chegou - Janet & Allan Ahlberg
O carteiro chegou - Janet & Allan AhlbergO carteiro chegou - Janet & Allan Ahlberg
O carteiro chegou - Janet & Allan Ahlberg
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
 
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
Apresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimento
Apresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimentoApresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimento
Apresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimento
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animal
 
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorial
 
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é preciso
 
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfExercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
 
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfAS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
 
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_AssisMemórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaO que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 

Pedologia- Geografia - Geologia - aula_01.pptx

  • 2. Os primeiros conhecimentos sobre o solo Os primeiros grupamentos humanos viam o solo apenas como um lugar por onde caminhavam, caçavam ou recolhiam alimentos, ou para obter algum barro para confeccionar objetos de cerâmica e pigmentos coloridos para suas pinturas. Determinados solos podiam ser melhores para caminhar, fornecer os barros e os pigmentos, mas nenhum conhecimento adicional era necessário. Em um período iniciado após a última era glacial, cerca de 10.000 anos atrás, uma boa parte dos humanos começou a agrupar-se em determinadas terras, onde aprenderam a domesticar plantas e animais. De nômades, passaram a se fixar em determinados territórios, escolhidos pela qualidade do solo, do clima e da água. As primeiras cidades desenvolveram-se nos vales dos rios Tigres e Eufrates – na Mesopotâmia, hoje Síria e Iraque – e no Nilo (Egito), formando o chamado “crescente fértil”
  • 3.
  • 4.
  • 5.
  • 6. As primeiras civilizações: Mesopotâmios, egípcios, indianos, chineses, astecas e incas. •Disputa de terras mais férteis e uso da água necessário para irrigação •Organização das terras e da sociedade •Marcação de limites e propriedades •Construção de canais de irrigação, estradas, etc. •Divisão de trabalho e conhecimento.
  • 8. O que é Solo?
  • 9. Solo é a coletividade de indivíduos naturais, na superfície da terra, eventualmente modificado ou mesmo construído pelo homem, contendo matéria orgânica viva e servindo ou sendo capaz de servir à sustentação de plantas ao ar livre. Em sua parte superior, limita-se com o ar atmosférico ou águas rasas. Lateralmente, limita-se gradualmente com rocha consolidada ou parcialmente desintegrada, água profunda ou gelo. O limite inferior é talvez o mais difícil de definir. Mas, o que é reconhecido como solo deve excluir o material que mostre pouco efeito das interações de clima, organismos, material originário e relevo, através do tempo. IBGE
  • 10. Estudo dos solos Na Ciência do Solo, surgem ramificações ou especializações, uma que vez que o estudo dos solos como recurso natural pode incluir pesquisas relacionadas a vários aspectos, como sua formação, classificação e mapeamento, além de atributos físicos, químicos, biológicos e de fertilidade em relação ao uso e manejo dos solo. Edafologia = finalidade práticas à agronomia Pedologia = estudos de gênese, classificação e mapeamentos dos solos
  • 11. A pedologia, uma subdivisão da Ciência do Solo, preocupa-se com os aspectos genéticos do solo, sua organização morfológica resultantes da atuação dos fatores de formação, seu mapeamento e o entendimento da distribuição dos solos na paisagem. Portanto, é uma subdivisão que , originalmente, trata de aspectos científicos mais básicos relacionados ao solo, estudado como corpo individual desenvolvido sob condições naturais específicas. A pedologia tem importantes aplicações diretas e indiretas: fornece conhecimentos básico a respeito da estrutura química, mineralógica, física e morfológica de um dados solo, algo fundamental para futuras aplicações agrícolas, geotécnicas e mesmo ecológicas; possibilita a diferenciação de classes de solo e, portanto, sua categorização; permite a construção de mapas e modelos de evolução na paisagem, facilitando o entendimento a respeito da distribuição dos solos no planeta.
  • 12. ROCHAS E SEUS MINERAIS Quando conhecemos melhor as pedras, elas deixam de ser simples objetos inanimados e transformam-se em pequenos capítulos da história do planeta e da nossa própria história. (Fábio Ramos de Andrade)
  • 13. O manto dos solos da Terra é muitas vezes definido como aquilo que está acima das rochas. Contudo, na Pedologia, nem tudo “mais solto” e acima das rochas pode ser chamado de solo. O nome correto para esta parte “mais solta”, entre a superfície da Terra e as rochas, é REGOLITO
  • 14. SOLO, REGOLITO E SAPRÓLITO SOLO - do latim = terra, chão – está localizado na parte superior do regolito. Apesar de não haver um limite muito distinto entre ele e o que está abaixo, existem várias maneiras de distingui-lo da parte inferior, chamada saprólito (horizonte C). O solo normalmente tem um teor mais alto de materiais orgânicos; no solo encontramos muitas raízes de plantas e organismos vivos; o solo é mais intensamente alterado – ou intemperizado – que o saprólito; o solo apresenta várias zonas superpostas, geralmente paralelas à superfície, que em Pedologia são chamadas de horizontes.
  • 15. Cada um dos horizontes é composto de quatros partes: Minerais, matéria orgânica, água e ar Os minerais são sólidos que se originam direta ou indiretamente da decomposição das rochas. O outro componente sólido encontrado nos solos é a matéria orgânica. Os espaços que ficam abertos entre esses dois tipos de sólidos são os poros, os quais normalmente estão preenchidos com dois outros componentes, um líquido e outro gasoso: o ar e a água.
  • 16. Qual a diferença entre um elemento químico, um mineral e uma rocha? Onde e como esses materiais se originam? Como eles adquirem as atuais características? Por que uns se decompõem mais facilmente que outros? Será que diferentes rochas com diferentes minerais sempre dão origem a diferentes solos?
  • 17. Minerais e Rochas - Definições • Minerais são elementos ou compostos químicos com composição definida dentro de certos limites, cristalizados e formados naturalmente por meio de processos geológicos inorgânicos, na Terra ou em corpos extraterrestres. A composição química e as propriedades cristalográficas bem definidas do mineral fazem com que ele seja único dentro do reino mineral e, assim, receba um nome característico.
  • 18. Minerais e Rochas - Definições • Cada tipo de mineral, tal como o quartzo (SiO2),constitui uma espécie mineral. Sempre que a sua cristalização ao se der em condições geológicas ideais, a sua organização atômica interna se manifestara em uma forma geométrica externa, com o aparecimento de faces, arestas e vértices naturais. Nesta situação, a amostra do mineral será chamada também de cristal.
  • 19.
  • 20. Minerais e Rochas - Definições • O termo rocha e usado para descrever uma associação de minerais que, por diferentes motivos geológicos, acabam ficando intimamente unidos. Embora coesa e, muitas vezes, dura, a rocha não e homogênea. Ela não tem a continuidade física de um mineral e, portanto, pode ser subdividida em todos os seus minerais constituintes. • Já termo minério é utilizado apenas quando o mineral ou a rocha apresentar uma importância econômica.
  • 21. Propriedades físicas dos minerais DUREZA, COR DO RISCO, CLIVAGEM E MAGNETISMO
  • 22.
  • 24. • As rochas são, basicamente, associações naturais de dois ou mais minerais agregados e, normalmente, cobrindo vastas áreas da crosta terrestre. Por vezes, embora raras, são constituídas por um só mineral.
  • 25. • rocha é definida como um corpo sólido natural, resultante de um processo geológico determinado, formado por aglomerações de um ou mais minerais, arranjados segundo as condições de temperatura e pressão existentes durante sua formação. • As rochas são agrupadas, de acordo com a sua formação, em três grandes classes: • magmáticas ou ígneas (ignis=fogo), • sedimentares e • metamórficas.
  • 26. Mineral • Elementos ou compostos químicos; • Composição definida; • Cristalinos; • Inorgânicos; • Formados por processos naturais.
  • 27. Elementos nativos • Ocorrem no estado elementar (Prata, ouro, enxofre, cobre,.....) ou como ligas naturais; • Metais, semi-metais (As), não-metais (C,S)
  • 28. Sulfetos • combinação de um elemento metálico ou semi-metálico com S Esfarelita (ZnS) Calcopirita (CuFeS2) Galena (PbS) Pirita (FeS2) Molibdenita (MoS2)
  • 29. Óxidos e hidróxidos • Combinação de oxigênio com um ou mais elementos metálicos Cassiterita (SnO2) Espinélio (MgAl2O4) Gibsita Al(OH)3 Hematita (Fe2O3) Magnetita (Fe3O4) • Combinação com (OH-) Goethita (FeO(OH) Cassiterita
  • 30. Magnetita (Fe3O4) É um mineral comum que ocorre nas rochas ígneas, metamórficas, em depósitos hidrotermais e em areias de rios. Freqüentemente transforma-se em hematita e limonita. Apresenta forte magnetismo. Do ponto de vista agronômico, aparece freqüentemente como constituinte mineralógico da fração arenosa do solo.
  • 31. Hematita (Fe2O3) Abundante nas rochas sedimentares e metamórficas. Nas rochas ígneas é acessório. É freqüente sua associação com a magnetita e limonita. Forma-se em solos tropicais com temperatura alta e pH baixo. Ocorre como pigmento vermelho comum nos sedimentos, solos, etc. É o principal minério de ferro.
  • 32. Halita (NaCl) Ocorre em depósitos sedimentares precipitados por evaporação de água salgada (evaporitos), em associação com outros sais e componentes de depósitos de areias e argilas. Os principais usos são como sal de cozinha e como fonte de cloro e sódio para a indústria química.
  • 33. Carbonatos • Combinação de cátions bivalentes com: o complexo aniônico (CO3)2- Cerussita (PbCO3) Magnesita (MgCO3) Smithsonita (ZnCO3) Siderita (FeCO3) Calcita (CaCO3) Dolomita (CaMg(CO3)2)
  • 34. Uma rocha representativa do grupo dos minério calcita Calcários: Usos: Indústria agrícola (como corretivo de solo Indústria do cimento, indústria química, pedras ornamentais (mármores), instrumentos óticos. Calcita (CaCO3) É um dos minerais mais comuns, sendo o principal constituinte mineralógico dos calcários e mármores puros. Ocorre, também em arenitos, preenchendo cavidades nas rochas ígneas e como depósitos de fontes termais.
  • 35. Dolomita (CaMg(CO3)2) É um carbonato comum. Freqüêntemente associa-se a calcita. Pode originar-se a partir da calcita pela influência de soluções magnesianas. É o principal componente mineralógico dos calcários e mármores magnesianos. Em depósitos hidrotermais, é comum sua associação com sulfetos.
  • 36. GIPSITA: CaSO4.2H2O É um mineral comum, encontrado principalmente em camadas sedimentares, geralmente estratificadas com calcários e folhelhos. É um sulfato de cálcio hidratado. Do ponto de vista agronômico é fonte de Ca e S para as plantas Usado principalmente para a produção de gesso e na produção de cimentos.
  • 37. Minerais – Silicatos Grupo da Serpentina Antigorita e Crisótilo Minerais do grupo das argilas Caulinita,Esmectita , Montmorillonita, Ilita, Talco, Pirofilita Grupo das micas Moscovita, Flogopita, Biotita, Lepidolita, Margarita Grupo da clorita Apofilita, Prehnita
  • 38. 38 Principais minerais A tabela a seguir mostra os principais constituintes mineralógicos das rochas que integram a crosta: Feldspato 59,5% Quartzo 12,0% Piroxênios e anfibólios 16,8% Micas 3,8% Outros 7,0%
  • 39. As rochas são agrupadas, de acordo com a sua formação, em três grandes classes: Magmáticas ou ígneas (ignis=fogo); Metamórficas; Sedimentares.
  • 40. Magmáticas ou ígneas (ignis=fogo); Metamórficas; Sedimentares.
  • 42. • As rochas magmáticas • Formam-se quando o magma em fusão arrefece e solidifica. Se arrefece rapidamente, os minerais não têm tempo de se desenvolverem originando rochas vulcânicas. Se, pelo contrário, o magma arrefece lentamente, permite a cristalização e crescimento de todos os minerais, formando-se rochas plutônicas.
  • 43. O Basalto A região de terra vermelha do norte do Paraná, e´região de derrame vulcânico. O basalto também é encontrado em pequenas porções em outra parte do território do estado do Acre como por exemplo na região de Rio Branco Exemplo de Rochas vulcânicas : É uma rocha dura e escura e com pequenos minerais cristalizados.
  • 44. Granito Exemplo de Rochas plutónicas: É uma rocha dura, heterogénea, com minerais cristalizados visíveis à vista desarmada, com cores e tamanhos diferentes de quartzo, feldspato e, por vezes micas.
  • 45. Rochas Sedimentares As rochas sedimentares resultam da cimentação dos depósitos de detritos oriundos da desagregação das rochas pré-existentes que sofreram alteração física ou química, por ação de agentes de erosão (chuva, vento, calor, frio, gelo, seres vivos, etc.). Existem 3 tipos de rochas sedimentares: Detríticas ( argila, areia, arenito,…) Químicas ( calcário, gesso, sal-gema,…) Biogénicas (carvão, petróleo,…) :
  • 46. Rochas Sedimentares Rochas Sedimentares Detríticas: são formadas a partir de restos de outras rochas, após sofrerem erosão. Ex: areia, arenito, argilito, conglomerado. Rochas Sedimentares Químicas: são formadas a partir da precipitação de substâncias dissolvidas na água. Ex: calcário, gesso, sal-gema. Rochas Sedimentares Biogénicas: são formadas a partir de restos de seres vivos (fósseis). Ex: calcário conquífero, carvão, petróleo.
  • 47. Fases de Formação das Rochas Sedimentares 1.ALTERAÇÃO da rocha de origem 2.EROSÃO desfragmentarão da rocha de origem 3.TRANSPORTE dos resíduos 4.SEDIMENTAÇÃO dos resíduos 5.DIAGÊNESE: – Compactação: as rochas são apertadas – Desidratação: as rochas perdem água – Cimentação: as rochas são coladas por um cimento natural
  • 48. Rochas Sedimentares – formadas por deposição de materiais em ambientes continentais ou marinhos; A água e o vento são os principais agentes de transporte de sedimentos. Quando estes agentes perdem a capacidade de transportar, devido a uma diminuição da velocidade, ocorre a sedimentação.
  • 49. • As rochas sedimentares são caracterizados pela presença de estratificação - que resulta da formação de camadas paralelas e horizontais, pela deposição contínua de partículas no fundo de um oceano, de um lago, de um rio ou numa superfície continental.
  • 50. Calcário - a coloração passa do branco ao preto, podendo ser cinza claro ou cinza escuro. Muitos calcários apresentam tons de vermelho, amarelo, azul ou verde dependendo do tipo e quantidade de impurezas que apresentam. • É utilizado na construção civil na pavimentação de passeios, produção do cimento e cal, estátuas, etc…
  • 51. Rochas Metamórficas As rochas metamórficas são o produto da transformação de qualquer tipo de rocha levada a um ambiente onde as condições físicas (pressão, temperatura) são muito distintas daquelas onde a rocha se formou. Nestes ambientes, os minerais tornam-se instáveis e reagem formando outros minerais.
  • 52. Rochas Metamórficas Há medida que novas camadas de rochas sedimentares vão sendo depositadas umas sobre as outras, as mais antigas são sujeitas à ação de temperaturas e pressões crescentes.
  • 53. Mármore É utilizado no revestimento de paredes, escadas, esculturas…
  • 54. MAGMA Rochas Magmáticas Vulcânicas Rochas Magmáticas Plutónicas Sedimentos Seres Vivos Rochas Metamórficas … que sofrem fusão e voltam a ser: Rochas Sedimentares O magma (rocha derretida) sobe do interior da terra Dá-se a ascensão do magma que sobe até à superfície, dando origem a: Outro magma, mais viscoso, fica aprisionado no interior da Terra, formando: …como as rochas vulcânicas, sofrem erosão, transformando- se em: Por erosão superficial, estas rochas afloram e… Estes fazem trocas com a Biosfera (vide fósseis)... Por ação do calor e pressão passam a: