SlideShare uma empresa Scribd logo
Revisão
Prova Unesp 2º Fase
Meio do Ano/2015
Prof Carlos Priante
BIOLOGIA
Considere a ilustração
publicitária, publicada na
revista Almanaque do
Biotônico, de 1935.
Na ilustração, Monteiro
Lobato diagnostica o
caipira com a doença
conhecida popularmente
como “amarelão”.
Cite um dos vermes que
causa essa doença e uma
medida para sua
prevenção, justificando-a.
Explique a razão
• A doença mais conhecida como amarelão é a
Ancilostomose, causada por dois vermes
nematelmintos: Necator americanus e
Ancylostoma duodenale.
• Como prevenção temos o saneamento básico
(ovos saem nas fezes) e uso de calçados (as larvas
penetram pela pele)
• Sintomas: anemia (vermes hematófagos), o que
gera cansaço.
Leia o trecho da sentença condenatória de Joaquim José da Silva
Xavier, o Tiradentes.
Portanto condenam ao Réu Joaquim José da Silva Xavier por alcunha o
Tiradentes Alferes que foi da tropa paga da Capitania de Minas a
que com baraço e pregão seja conduzido pelas ruas públicas ao
lugar da forca e nela morra morte natural para sempre, […] e a casa
em que vivia em Vila Rica será arrasada e salgada, para que nunca
mais no chão se edifique […].
Como se verifica, além da condenação à morte, a sentença
determinava ainda que a casa em que o inconfidente vivia fosse
demolida e a terra salgada, tornando-a assim improdutiva.
Referindo-se aos processos de transporte de substâncias através da
membrana, os quais permitem às células dos pelos absorventes das
raízes obterem água e minerais do solo, explique por que salgar a
terra torna o solo improdutivo.
• Entre o transporte de íons e água pela célula
temos a osmose (solvente sai do menos
concentrado para o mais concentrado),
• A adição de sal cria um meio hipertônico (mais
concentrado). Para regularizar a célula permite a
entrada do sal e com isso há a saída de água,
murchando a célula.
• Assim as células de pelos absorventes perdem
água para o meio e impedem o desenvolvimento
do vegetal.
A microbiota normal do homem é colonizada por diversos
microrganismos que estão de forma comensal, sendo a
Candida spp. o fungo oportunista mais comum,
podendo assim se tornar patogênica, caso ocorram
alterações nos mecanismos de defesa do homem.
O texto afirma que vários microrganismos interagem com
o ser humano de forma comensal. No contexto das
relações ecológicas interespecíficas, explique o que
isso significa e dê mais um exemplo desse tipo de
interação.
No caso da Candida spp. se tornar patogênica, como se
denomina a relação interespecífica entre esse fungo e o
ser humano? Justifique sua resposta.
• Comensalismo é a relação onde um ser se
aproveita do resto de alimento ou produtos,
tirando vantagem de outro ser sem prejudica-lo.
Ex tubarão e rêmora, leão e hiena.
• Quando o fungo oportunista Candida spp causa
doença ele passa a ser um parasita, se
alimentando de outro ser aos poucos, tirando
proveito e causando danos ao hospedeiro.
• Relação de parasitismo. Ex. carrapato, pulga,
piolho.
QUÍMICA
Chama-se titulação a operação
de laboratório realizada com
a finalidade de determinar a
concentração de uma
substância em determinada
solução, por meio do uso de
outra solução de
concentração conhecida.
Para tanto, adiciona-se uma
solução-padrão, gota a gota,
a uma solução-problema
(solução contendo uma
substância a ser analisada)
até o término da reação,
evidenciada, por exemplo,
com uma substância
indicadora.
Uma estudante realizou
uma titulação ácido-base
típica, titulando 25,0 mL
de uma solução aquosa
de Ca(OH)2 e gastando
20,0 mL de uma solução
padrão de HNO3 de
concentração igual a
0,10 mol · L–1.
Para preparar 200 mL da solução-padrão de concentração
0,10 mol · L–1 utilizada na titulação, a estudante
utilizou uma determinada alíquota de uma solução
concentrada de HNO3, cujo título era de 65,0% (m/m)
e a densidade de 1,50 g · mL–1.
Admitindo-se a ionização de 100% do ácido nítrico,
expresse sua equação de ionização em água, calcule o
volume da alíquota da solução concentrada, em mL, e
calcule o pH da solução-padrão preparada.
Dados:
• Massa molar do HNO3 = 63,0 g · mol–1
• pH = – log [H+]
1- Equação de ionização do HNO3:
HNO3 (aq) H+(aq) + NO3- (aq)
2- Calculo volume da alíquota concentrada:
1mL 1,50g 65% de 1500= 975 n= m = 975 =15,5 mol
1000mL 1500g MM 63
Mc x Vc= Mp x Vp (c-concentrada, p-padrão)
15,5 x Vc= 0,1 x 200
Vc= 1,29 mL
3- HNO3 (aq) H+(aq) + NO3- (aq)
0,1 mol/L 0,1 mol/L
Utilizando os dados do texto, apresente a
equação balanceada de neutralização
envolvida na titulação e calcule a
concentração da solução de Ca(OH)2.
• Neutralização (acido-base)
Ca(OH)2 (aq) + 2HNO3 (aq) Ca(NO3)2 (aq) + 2H2O (l)
1mol 2mol
nB nA nA= 2nB (n=MxV)
MA . VA.X = MB . VB.Y
0,1x20mL = 2MB x 25 mL
Mb= 0,04 mol/L
Em um laboratório, nas condições ambientes, uma determinada massa
de carbonato de cálcio (CaCO3) foi colocada para reagir com
excesso de ácido nítrico diluído. Os valores do volume de gás
liberado pela reação com o transcorrer do tempo estão
apresentados na tabela.
Escreva a equação balanceada da reação e calcule a velocidade média
da reação, em mol · min–1, no intervalo entre 1 minuto e 3
minutos.
Dado:
• Volume molar do CO2 nas condições ambientes = 25,0 L · mol–1
Correção Unesp 2 fase inverno 2015

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

28358 lista de exercícios de mru e mruv
28358 lista de exercícios de mru e mruv28358 lista de exercícios de mru e mruv
28358 lista de exercícios de mru e mruvafpinto
 
Ficha de exercicio regencia nominal e verbal
Ficha de exercicio regencia nominal e verbalFicha de exercicio regencia nominal e verbal
Ficha de exercicio regencia nominal e verbalNaraSomerhalder
 
Aula de transitividade verbal
Aula de transitividade verbalAula de transitividade verbal
Aula de transitividade verbalMonica Montenegro
 
Estação de Tratamento Rio Arroio Fundo
Estação de Tratamento Rio Arroio FundoEstação de Tratamento Rio Arroio Fundo
Estação de Tratamento Rio Arroio FundoTadeu Vasconcelos
 
DIPLOMA PÓS GRADUAÇÃO EDUCAÇÃO AMBIENTAL
DIPLOMA PÓS GRADUAÇÃO EDUCAÇÃO AMBIENTAL DIPLOMA PÓS GRADUAÇÃO EDUCAÇÃO AMBIENTAL
DIPLOMA PÓS GRADUAÇÃO EDUCAÇÃO AMBIENTAL Joziane Pimentel
 
Exercícios extras_Potencial elétrico e trabalho
Exercícios extras_Potencial elétrico e trabalhoExercícios extras_Potencial elétrico e trabalho
Exercícios extras_Potencial elétrico e trabalhoO mundo da FÍSICA
 
Abranches 2003-presidencialismo de coalizão-pdf
Abranches 2003-presidencialismo de coalizão-pdfAbranches 2003-presidencialismo de coalizão-pdf
Abranches 2003-presidencialismo de coalizão-pdfSérgio Braga
 
Tp nu00 b02 m rotondi
Tp nu00 b02 m rotondiTp nu00 b02 m rotondi
Tp nu00 b02 m rotondinahuelcejas
 
Orações subordinadas adverbiais
Orações subordinadas adverbiaisOrações subordinadas adverbiais
Orações subordinadas adverbiaisma.no.el.ne.ves
 
Oficios do pontos de ônibus
Oficios do pontos de ônibusOficios do pontos de ônibus
Oficios do pontos de ônibusVava Leite
 
Modelo abaixo assinado Pacto pela Vida Animal
Modelo abaixo assinado Pacto pela Vida AnimalModelo abaixo assinado Pacto pela Vida Animal
Modelo abaixo assinado Pacto pela Vida Animalpactovidaanimal
 
Análise da Microrregião de Ouro Preto
Análise da Microrregião de Ouro PretoAnálise da Microrregião de Ouro Preto
Análise da Microrregião de Ouro PretoMatheus Garcia
 
Fascismo Paper
Fascismo PaperFascismo Paper
Fascismo Papersimonardi
 
Exercício 01 PA - Resolvido
Exercício 01 PA - ResolvidoExercício 01 PA - Resolvido
Exercício 01 PA - ResolvidoAna Paula Silva
 
Orações subordinadas substantivas
Orações subordinadas substantivasOrações subordinadas substantivas
Orações subordinadas substantivasTiago Tavares
 

Mais procurados (20)

Exercícios – isomeria plana
Exercícios – isomeria planaExercícios – isomeria plana
Exercícios – isomeria plana
 
28358 lista de exercícios de mru e mruv
28358 lista de exercícios de mru e mruv28358 lista de exercícios de mru e mruv
28358 lista de exercícios de mru e mruv
 
Regencia verbal
Regencia verbalRegencia verbal
Regencia verbal
 
Ficha de exercicio regencia nominal e verbal
Ficha de exercicio regencia nominal e verbalFicha de exercicio regencia nominal e verbal
Ficha de exercicio regencia nominal e verbal
 
Aula de transitividade verbal
Aula de transitividade verbalAula de transitividade verbal
Aula de transitividade verbal
 
Estação de Tratamento Rio Arroio Fundo
Estação de Tratamento Rio Arroio FundoEstação de Tratamento Rio Arroio Fundo
Estação de Tratamento Rio Arroio Fundo
 
DIPLOMA PÓS GRADUAÇÃO EDUCAÇÃO AMBIENTAL
DIPLOMA PÓS GRADUAÇÃO EDUCAÇÃO AMBIENTAL DIPLOMA PÓS GRADUAÇÃO EDUCAÇÃO AMBIENTAL
DIPLOMA PÓS GRADUAÇÃO EDUCAÇÃO AMBIENTAL
 
Exercícios extras_Potencial elétrico e trabalho
Exercícios extras_Potencial elétrico e trabalhoExercícios extras_Potencial elétrico e trabalho
Exercícios extras_Potencial elétrico e trabalho
 
Abranches 2003-presidencialismo de coalizão-pdf
Abranches 2003-presidencialismo de coalizão-pdfAbranches 2003-presidencialismo de coalizão-pdf
Abranches 2003-presidencialismo de coalizão-pdf
 
Tp nu00 b02 m rotondi
Tp nu00 b02 m rotondiTp nu00 b02 m rotondi
Tp nu00 b02 m rotondi
 
Trabalho de artes
Trabalho de artesTrabalho de artes
Trabalho de artes
 
Pronomes (1)
Pronomes (1)Pronomes (1)
Pronomes (1)
 
Orações subordinadas adverbiais
Orações subordinadas adverbiaisOrações subordinadas adverbiais
Orações subordinadas adverbiais
 
Oficios do pontos de ônibus
Oficios do pontos de ônibusOficios do pontos de ônibus
Oficios do pontos de ônibus
 
Modelo abaixo assinado Pacto pela Vida Animal
Modelo abaixo assinado Pacto pela Vida AnimalModelo abaixo assinado Pacto pela Vida Animal
Modelo abaixo assinado Pacto pela Vida Animal
 
Análise da Microrregião de Ouro Preto
Análise da Microrregião de Ouro PretoAnálise da Microrregião de Ouro Preto
Análise da Microrregião de Ouro Preto
 
Fascismo Paper
Fascismo PaperFascismo Paper
Fascismo Paper
 
Exercício 01 PA - Resolvido
Exercício 01 PA - ResolvidoExercício 01 PA - Resolvido
Exercício 01 PA - Resolvido
 
Orações subordinadas substantivas
Orações subordinadas substantivasOrações subordinadas substantivas
Orações subordinadas substantivas
 
Força e movimento
Força e movimentoForça e movimento
Força e movimento
 

Destaque

Exercicios de cinetica_quimica
Exercicios de cinetica_quimicaExercicios de cinetica_quimica
Exercicios de cinetica_quimicaAndre Costa
 
2ª lista de exercícios 1º ano
2ª lista de exercícios 1º ano2ª lista de exercícios 1º ano
2ª lista de exercícios 1º anorommelalves
 
Exercícios cinética química
Exercícios cinética químicaExercícios cinética química
Exercícios cinética químicafabioquimico
 
Biologia - Professor Tércio Câmara
Biologia  - Professor Tércio CâmaraBiologia  - Professor Tércio Câmara
Biologia - Professor Tércio CâmaraPré-Enem Seduc
 
Cinetica quimica questoes_objetivas[1]
Cinetica quimica questoes_objetivas[1]Cinetica quimica questoes_objetivas[1]
Cinetica quimica questoes_objetivas[1]Profª Rosana
 
Relatório de preparo e padronização de HCl e H2SO4
Relatório de preparo e padronização de HCl e H2SO4Relatório de preparo e padronização de HCl e H2SO4
Relatório de preparo e padronização de HCl e H2SO4Ivys Antônio
 
Calculo de Concentrações e Preparação de Soluções
Calculo de Concentrações e Preparação de SoluçõesCalculo de Concentrações e Preparação de Soluções
Calculo de Concentrações e Preparação de SoluçõesFabio Santos Nery
 

Destaque (13)

Exercicios de cinetica_quimica
Exercicios de cinetica_quimicaExercicios de cinetica_quimica
Exercicios de cinetica_quimica
 
Equilibrio de precipitação
Equilibrio de precipitaçãoEquilibrio de precipitação
Equilibrio de precipitação
 
2ª lista de exercícios 1º ano
2ª lista de exercícios 1º ano2ª lista de exercícios 1º ano
2ª lista de exercícios 1º ano
 
Exercícios cinética química
Exercícios cinética químicaExercícios cinética química
Exercícios cinética química
 
Biologia - Professor Tércio Câmara
Biologia  - Professor Tércio CâmaraBiologia  - Professor Tércio Câmara
Biologia - Professor Tércio Câmara
 
Simulado eletrostática
Simulado eletrostáticaSimulado eletrostática
Simulado eletrostática
 
Cinetica quimica questoes_objetivas[1]
Cinetica quimica questoes_objetivas[1]Cinetica quimica questoes_objetivas[1]
Cinetica quimica questoes_objetivas[1]
 
Pré modernismo
Pré modernismoPré modernismo
Pré modernismo
 
Relatório de preparo e padronização de HCl e H2SO4
Relatório de preparo e padronização de HCl e H2SO4Relatório de preparo e padronização de HCl e H2SO4
Relatório de preparo e padronização de HCl e H2SO4
 
Parasitologia - Lista 01 gabarito
Parasitologia - Lista 01 gabaritoParasitologia - Lista 01 gabarito
Parasitologia - Lista 01 gabarito
 
Biologia aula 09 parasitoses
Biologia aula 09 parasitosesBiologia aula 09 parasitoses
Biologia aula 09 parasitoses
 
Calculo de Concentrações e Preparação de Soluções
Calculo de Concentrações e Preparação de SoluçõesCalculo de Concentrações e Preparação de Soluções
Calculo de Concentrações e Preparação de Soluções
 
SOLUÇÕES - EXERCÍCIOS
SOLUÇÕES - EXERCÍCIOSSOLUÇÕES - EXERCÍCIOS
SOLUÇÕES - EXERCÍCIOS
 

Semelhante a Correção Unesp 2 fase inverno 2015

Oficina de biologia
Oficina de biologiaOficina de biologia
Oficina de biologiaJoão Souza
 
Estudo dirigido para o 7º ano ciencias
Estudo dirigido para o 7º ano   cienciasEstudo dirigido para o 7º ano   ciencias
Estudo dirigido para o 7º ano cienciasrodrigo-baster
 
Aulas EspecíFicas Biologia 2 Fase Aula 03 2007 Revisado
Aulas EspecíFicas Biologia 2 Fase Aula 03 2007 RevisadoAulas EspecíFicas Biologia 2 Fase Aula 03 2007 Revisado
Aulas EspecíFicas Biologia 2 Fase Aula 03 2007 Revisadoelisamello
 
Caderno ciencias-naturais-ef
Caderno ciencias-naturais-efCaderno ciencias-naturais-ef
Caderno ciencias-naturais-efCynthia Cobucci
 
Biologia: Bactérias
Biologia: BactériasBiologia: Bactérias
Biologia: BactériasEstude Mais
 
Aula 5 Ancylostomidae E Larva Migrans Cutanea
Aula 5   Ancylostomidae E Larva Migrans CutaneaAula 5   Ancylostomidae E Larva Migrans Cutanea
Aula 5 Ancylostomidae E Larva Migrans CutaneaITPAC PORTO
 
Doencas infecciosas parte 1 via fecal oral
Doencas infecciosas parte 1 via fecal oralDoencas infecciosas parte 1 via fecal oral
Doencas infecciosas parte 1 via fecal oralFabio Magalhães
 
Doencas infecciosas parte 1 via fecal oral
Doencas infecciosas parte 1 via fecal oralDoencas infecciosas parte 1 via fecal oral
Doencas infecciosas parte 1 via fecal oralFabio Dias
 
Capitulo 3 Esgotamento sanitário
Capitulo 3 Esgotamento sanitárioCapitulo 3 Esgotamento sanitário
Capitulo 3 Esgotamento sanitárioJoao Miguel Silva
 
APOSTILÃO MICROBIOLOGIA E PARASITOLOGIA PROF FELIPE.pdf
APOSTILÃO MICROBIOLOGIA E PARASITOLOGIA PROF FELIPE.pdfAPOSTILÃO MICROBIOLOGIA E PARASITOLOGIA PROF FELIPE.pdf
APOSTILÃO MICROBIOLOGIA E PARASITOLOGIA PROF FELIPE.pdfProfFelipeSoaresQumi
 
Acidentes com animais peçonhentos
Acidentes com animais peçonhentosAcidentes com animais peçonhentos
Acidentes com animais peçonhentosIsmael Costa
 
Poster relações tróficas
Poster relações tróficasPoster relações tróficas
Poster relações tróficasoceantica
 
Principais bactérias anaeróbias de interesse clínico.pdf
Principais bactérias anaeróbias de interesse clínico.pdfPrincipais bactérias anaeróbias de interesse clínico.pdf
Principais bactérias anaeróbias de interesse clínico.pdfCheserDomingues
 
Enem - Questões de biologia
Enem -  Questões de biologia Enem -  Questões de biologia
Enem - Questões de biologia retimi
 
Nematelmintos
NematelmintosNematelmintos
NematelmintosURCA
 

Semelhante a Correção Unesp 2 fase inverno 2015 (20)

Oficina de biologia
Oficina de biologiaOficina de biologia
Oficina de biologia
 
Estudo dirigido para o 7º ano ciencias
Estudo dirigido para o 7º ano   cienciasEstudo dirigido para o 7º ano   ciencias
Estudo dirigido para o 7º ano ciencias
 
Aula 04
Aula 04Aula 04
Aula 04
 
Aulas EspecíFicas Biologia 2 Fase Aula 03 2007 Revisado
Aulas EspecíFicas Biologia 2 Fase Aula 03 2007 RevisadoAulas EspecíFicas Biologia 2 Fase Aula 03 2007 Revisado
Aulas EspecíFicas Biologia 2 Fase Aula 03 2007 Revisado
 
Caderno ciencias-naturais-ef
Caderno ciencias-naturais-efCaderno ciencias-naturais-ef
Caderno ciencias-naturais-ef
 
Biologia: Bactérias
Biologia: BactériasBiologia: Bactérias
Biologia: Bactérias
 
Aula 5 Ancylostomidae E Larva Migrans Cutanea
Aula 5   Ancylostomidae E Larva Migrans CutaneaAula 5   Ancylostomidae E Larva Migrans Cutanea
Aula 5 Ancylostomidae E Larva Migrans Cutanea
 
Doencas infecciosas parte 1 via fecal oral
Doencas infecciosas parte 1 via fecal oralDoencas infecciosas parte 1 via fecal oral
Doencas infecciosas parte 1 via fecal oral
 
Doencas infecciosas parte 1 via fecal oral
Doencas infecciosas parte 1 via fecal oralDoencas infecciosas parte 1 via fecal oral
Doencas infecciosas parte 1 via fecal oral
 
Capitulo 3 Esgotamento sanitário
Capitulo 3 Esgotamento sanitárioCapitulo 3 Esgotamento sanitário
Capitulo 3 Esgotamento sanitário
 
Biologia no enem
Biologia no enemBiologia no enem
Biologia no enem
 
basófilos.pptx
basófilos.pptxbasófilos.pptx
basófilos.pptx
 
APOSTILÃO MICROBIOLOGIA E PARASITOLOGIA PROF FELIPE.pdf
APOSTILÃO MICROBIOLOGIA E PARASITOLOGIA PROF FELIPE.pdfAPOSTILÃO MICROBIOLOGIA E PARASITOLOGIA PROF FELIPE.pdf
APOSTILÃO MICROBIOLOGIA E PARASITOLOGIA PROF FELIPE.pdf
 
Acidentes com animais peçonhentos
Acidentes com animais peçonhentosAcidentes com animais peçonhentos
Acidentes com animais peçonhentos
 
Poster relações tróficas
Poster relações tróficasPoster relações tróficas
Poster relações tróficas
 
Reino protista I
Reino protista IReino protista I
Reino protista I
 
Principais bactérias anaeróbias de interesse clínico.pdf
Principais bactérias anaeróbias de interesse clínico.pdfPrincipais bactérias anaeróbias de interesse clínico.pdf
Principais bactérias anaeróbias de interesse clínico.pdf
 
Enem - Questões de biologia
Enem -  Questões de biologia Enem -  Questões de biologia
Enem - Questões de biologia
 
Nematelmintos
NematelmintosNematelmintos
Nematelmintos
 
reinos microscópicos.pdf
reinos microscópicos.pdfreinos microscópicos.pdf
reinos microscópicos.pdf
 

Mais de Carlos Priante

Zoologia dos vertebrados-resumo
Zoologia dos vertebrados-resumoZoologia dos vertebrados-resumo
Zoologia dos vertebrados-resumoCarlos Priante
 
Zoologia dos invertebrados-resumo
Zoologia dos invertebrados-resumoZoologia dos invertebrados-resumo
Zoologia dos invertebrados-resumoCarlos Priante
 
Noções de Astronomia
Noções de AstronomiaNoções de Astronomia
Noções de AstronomiaCarlos Priante
 
Lista de exercícios I Modelos Atômicos
Lista de exercícios I Modelos AtômicosLista de exercícios I Modelos Atômicos
Lista de exercícios I Modelos AtômicosCarlos Priante
 
Correção Química ENEM 2014
Correção Química ENEM 2014Correção Química ENEM 2014
Correção Química ENEM 2014Carlos Priante
 
Correção Biologia ENEM 2014
Correção Biologia ENEM 2014Correção Biologia ENEM 2014
Correção Biologia ENEM 2014Carlos Priante
 
Correção Unesp 1 fase inverno 2015
Correção Unesp 1 fase inverno 2015Correção Unesp 1 fase inverno 2015
Correção Unesp 1 fase inverno 2015Carlos Priante
 
Energia: transformação e conservação
Energia: transformação e conservaçãoEnergia: transformação e conservação
Energia: transformação e conservaçãoCarlos Priante
 
Revisão puc inverno2015
Revisão puc inverno2015Revisão puc inverno2015
Revisão puc inverno2015Carlos Priante
 
Teorias da Origem da vida e Evolução das espécies
Teorias da Origem da vida e Evolução das espéciesTeorias da Origem da vida e Evolução das espécies
Teorias da Origem da vida e Evolução das espéciesCarlos Priante
 
Lista de exercícios isomeria
Lista de exercícios isomeria Lista de exercícios isomeria
Lista de exercícios isomeria Carlos Priante
 
Isomeria- Química Orgânica
Isomeria- Química OrgânicaIsomeria- Química Orgânica
Isomeria- Química OrgânicaCarlos Priante
 
Mapas conceituais de Ciências
Mapas conceituais de CiênciasMapas conceituais de Ciências
Mapas conceituais de CiênciasCarlos Priante
 
Química Orgânica- Nomenclatura e Hidrocarbonetos
Química Orgânica- Nomenclatura e Hidrocarbonetos Química Orgânica- Nomenclatura e Hidrocarbonetos
Química Orgânica- Nomenclatura e Hidrocarbonetos Carlos Priante
 
Lista de exercícios X Hidrocarbonetos
Lista de exercícios X HidrocarbonetosLista de exercícios X Hidrocarbonetos
Lista de exercícios X HidrocarbonetosCarlos Priante
 
Lista de exercícios X Fluxo de energia e Ciclo da matéria
Lista de exercícios X Fluxo de energia e Ciclo da matériaLista de exercícios X Fluxo de energia e Ciclo da matéria
Lista de exercícios X Fluxo de energia e Ciclo da matériaCarlos Priante
 

Mais de Carlos Priante (20)

Botânica- resumo
Botânica- resumoBotânica- resumo
Botânica- resumo
 
Zoologia dos vertebrados-resumo
Zoologia dos vertebrados-resumoZoologia dos vertebrados-resumo
Zoologia dos vertebrados-resumo
 
Zoologia dos invertebrados-resumo
Zoologia dos invertebrados-resumoZoologia dos invertebrados-resumo
Zoologia dos invertebrados-resumo
 
Noções de Astronomia
Noções de AstronomiaNoções de Astronomia
Noções de Astronomia
 
Lista de exercícios I Modelos Atômicos
Lista de exercícios I Modelos AtômicosLista de exercícios I Modelos Atômicos
Lista de exercícios I Modelos Atômicos
 
Correção Química ENEM 2014
Correção Química ENEM 2014Correção Química ENEM 2014
Correção Química ENEM 2014
 
Correção Biologia ENEM 2014
Correção Biologia ENEM 2014Correção Biologia ENEM 2014
Correção Biologia ENEM 2014
 
Correção Unesp 1 fase inverno 2015
Correção Unesp 1 fase inverno 2015Correção Unesp 1 fase inverno 2015
Correção Unesp 1 fase inverno 2015
 
Energia: transformação e conservação
Energia: transformação e conservaçãoEnergia: transformação e conservação
Energia: transformação e conservação
 
Revisão puc inverno2015
Revisão puc inverno2015Revisão puc inverno2015
Revisão puc inverno2015
 
Teorias da Origem da vida e Evolução das espécies
Teorias da Origem da vida e Evolução das espéciesTeorias da Origem da vida e Evolução das espécies
Teorias da Origem da vida e Evolução das espécies
 
Reações Orgânicas
Reações OrgânicasReações Orgânicas
Reações Orgânicas
 
Lista de exercícios isomeria
Lista de exercícios isomeria Lista de exercícios isomeria
Lista de exercícios isomeria
 
Isomeria- Química Orgânica
Isomeria- Química OrgânicaIsomeria- Química Orgânica
Isomeria- Química Orgânica
 
Sucessão Ecológica
Sucessão EcológicaSucessão Ecológica
Sucessão Ecológica
 
Funções Orgânicas
Funções OrgânicasFunções Orgânicas
Funções Orgânicas
 
Mapas conceituais de Ciências
Mapas conceituais de CiênciasMapas conceituais de Ciências
Mapas conceituais de Ciências
 
Química Orgânica- Nomenclatura e Hidrocarbonetos
Química Orgânica- Nomenclatura e Hidrocarbonetos Química Orgânica- Nomenclatura e Hidrocarbonetos
Química Orgânica- Nomenclatura e Hidrocarbonetos
 
Lista de exercícios X Hidrocarbonetos
Lista de exercícios X HidrocarbonetosLista de exercícios X Hidrocarbonetos
Lista de exercícios X Hidrocarbonetos
 
Lista de exercícios X Fluxo de energia e Ciclo da matéria
Lista de exercícios X Fluxo de energia e Ciclo da matériaLista de exercícios X Fluxo de energia e Ciclo da matéria
Lista de exercícios X Fluxo de energia e Ciclo da matéria
 

Último

00Certificado - MBA - Gestão de projetos
00Certificado - MBA - Gestão de projetos00Certificado - MBA - Gestão de projetos
00Certificado - MBA - Gestão de projetosLeonardoHenrique931183
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Mary Alvarenga
 
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaaCarolineFrancielle
 
ATPCG 27.05 - Recomposição de aprendizagem.pptx
ATPCG 27.05 - Recomposição de aprendizagem.pptxATPCG 27.05 - Recomposição de aprendizagem.pptx
ATPCG 27.05 - Recomposição de aprendizagem.pptxmairaviani
 
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfExercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfRILTONNOGUEIRADOSSAN
 
Poema - Reciclar é preciso
Poema            -        Reciclar é precisoPoema            -        Reciclar é preciso
Poema - Reciclar é precisoMary Alvarenga
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfPastor Robson Colaço
 
Evangelismo e Missões Contemporânea Cristã.pdf
Evangelismo e Missões Contemporânea Cristã.pdfEvangelismo e Missões Contemporânea Cristã.pdf
Evangelismo e Missões Contemporânea Cristã.pdfPastor Robson Colaço
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é precisoMary Alvarenga
 
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdfedjailmax
 
Desastres ambientais e vulnerabilidadess
Desastres ambientais e vulnerabilidadessDesastres ambientais e vulnerabilidadess
Desastres ambientais e vulnerabilidadessRodrigoGonzlez461291
 
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfAS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfssuserbb4ac2
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalcarlaOliveira438
 
Apresentação Formação em Prevenção ao Assédio
Apresentação Formação em Prevenção ao AssédioApresentação Formação em Prevenção ao Assédio
Apresentação Formação em Prevenção ao Assédioifbauab
 
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_AssisMemórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assisbrunocali007
 
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdfARIANAMENDES11
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalcarlamgalves5
 
Atividade português 7 ano página 38 a 40
Atividade português 7 ano página 38 a 40Atividade português 7 ano página 38 a 40
Atividade português 7 ano página 38 a 40vitoriaalyce2011
 
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfHans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfrarakey779
 

Último (20)

00Certificado - MBA - Gestão de projetos
00Certificado - MBA - Gestão de projetos00Certificado - MBA - Gestão de projetos
00Certificado - MBA - Gestão de projetos
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa
 
ATPCG 27.05 - Recomposição de aprendizagem.pptx
ATPCG 27.05 - Recomposição de aprendizagem.pptxATPCG 27.05 - Recomposição de aprendizagem.pptx
ATPCG 27.05 - Recomposição de aprendizagem.pptx
 
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
 
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfExercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
 
Poema - Reciclar é preciso
Poema            -        Reciclar é precisoPoema            -        Reciclar é preciso
Poema - Reciclar é preciso
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
 
Evangelismo e Missões Contemporânea Cristã.pdf
Evangelismo e Missões Contemporânea Cristã.pdfEvangelismo e Missões Contemporânea Cristã.pdf
Evangelismo e Missões Contemporânea Cristã.pdf
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é preciso
 
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
 
Desastres ambientais e vulnerabilidadess
Desastres ambientais e vulnerabilidadessDesastres ambientais e vulnerabilidadess
Desastres ambientais e vulnerabilidadess
 
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfAS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
 
Apresentação Formação em Prevenção ao Assédio
Apresentação Formação em Prevenção ao AssédioApresentação Formação em Prevenção ao Assédio
Apresentação Formação em Prevenção ao Assédio
 
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_AssisMemórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
 
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animal
 
Atividade português 7 ano página 38 a 40
Atividade português 7 ano página 38 a 40Atividade português 7 ano página 38 a 40
Atividade português 7 ano página 38 a 40
 
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfHans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
 

Correção Unesp 2 fase inverno 2015

  • 1. Revisão Prova Unesp 2º Fase Meio do Ano/2015 Prof Carlos Priante
  • 3. Considere a ilustração publicitária, publicada na revista Almanaque do Biotônico, de 1935. Na ilustração, Monteiro Lobato diagnostica o caipira com a doença conhecida popularmente como “amarelão”. Cite um dos vermes que causa essa doença e uma medida para sua prevenção, justificando-a. Explique a razão
  • 4. • A doença mais conhecida como amarelão é a Ancilostomose, causada por dois vermes nematelmintos: Necator americanus e Ancylostoma duodenale. • Como prevenção temos o saneamento básico (ovos saem nas fezes) e uso de calçados (as larvas penetram pela pele) • Sintomas: anemia (vermes hematófagos), o que gera cansaço.
  • 5. Leia o trecho da sentença condenatória de Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes. Portanto condenam ao Réu Joaquim José da Silva Xavier por alcunha o Tiradentes Alferes que foi da tropa paga da Capitania de Minas a que com baraço e pregão seja conduzido pelas ruas públicas ao lugar da forca e nela morra morte natural para sempre, […] e a casa em que vivia em Vila Rica será arrasada e salgada, para que nunca mais no chão se edifique […]. Como se verifica, além da condenação à morte, a sentença determinava ainda que a casa em que o inconfidente vivia fosse demolida e a terra salgada, tornando-a assim improdutiva. Referindo-se aos processos de transporte de substâncias através da membrana, os quais permitem às células dos pelos absorventes das raízes obterem água e minerais do solo, explique por que salgar a terra torna o solo improdutivo.
  • 6. • Entre o transporte de íons e água pela célula temos a osmose (solvente sai do menos concentrado para o mais concentrado), • A adição de sal cria um meio hipertônico (mais concentrado). Para regularizar a célula permite a entrada do sal e com isso há a saída de água, murchando a célula. • Assim as células de pelos absorventes perdem água para o meio e impedem o desenvolvimento do vegetal.
  • 7.
  • 8. A microbiota normal do homem é colonizada por diversos microrganismos que estão de forma comensal, sendo a Candida spp. o fungo oportunista mais comum, podendo assim se tornar patogênica, caso ocorram alterações nos mecanismos de defesa do homem. O texto afirma que vários microrganismos interagem com o ser humano de forma comensal. No contexto das relações ecológicas interespecíficas, explique o que isso significa e dê mais um exemplo desse tipo de interação. No caso da Candida spp. se tornar patogênica, como se denomina a relação interespecífica entre esse fungo e o ser humano? Justifique sua resposta.
  • 9. • Comensalismo é a relação onde um ser se aproveita do resto de alimento ou produtos, tirando vantagem de outro ser sem prejudica-lo. Ex tubarão e rêmora, leão e hiena. • Quando o fungo oportunista Candida spp causa doença ele passa a ser um parasita, se alimentando de outro ser aos poucos, tirando proveito e causando danos ao hospedeiro. • Relação de parasitismo. Ex. carrapato, pulga, piolho.
  • 11. Chama-se titulação a operação de laboratório realizada com a finalidade de determinar a concentração de uma substância em determinada solução, por meio do uso de outra solução de concentração conhecida. Para tanto, adiciona-se uma solução-padrão, gota a gota, a uma solução-problema (solução contendo uma substância a ser analisada) até o término da reação, evidenciada, por exemplo, com uma substância indicadora. Uma estudante realizou uma titulação ácido-base típica, titulando 25,0 mL de uma solução aquosa de Ca(OH)2 e gastando 20,0 mL de uma solução padrão de HNO3 de concentração igual a 0,10 mol · L–1.
  • 12. Para preparar 200 mL da solução-padrão de concentração 0,10 mol · L–1 utilizada na titulação, a estudante utilizou uma determinada alíquota de uma solução concentrada de HNO3, cujo título era de 65,0% (m/m) e a densidade de 1,50 g · mL–1. Admitindo-se a ionização de 100% do ácido nítrico, expresse sua equação de ionização em água, calcule o volume da alíquota da solução concentrada, em mL, e calcule o pH da solução-padrão preparada. Dados: • Massa molar do HNO3 = 63,0 g · mol–1 • pH = – log [H+]
  • 13. 1- Equação de ionização do HNO3: HNO3 (aq) H+(aq) + NO3- (aq) 2- Calculo volume da alíquota concentrada: 1mL 1,50g 65% de 1500= 975 n= m = 975 =15,5 mol 1000mL 1500g MM 63 Mc x Vc= Mp x Vp (c-concentrada, p-padrão) 15,5 x Vc= 0,1 x 200 Vc= 1,29 mL 3- HNO3 (aq) H+(aq) + NO3- (aq) 0,1 mol/L 0,1 mol/L
  • 14. Utilizando os dados do texto, apresente a equação balanceada de neutralização envolvida na titulação e calcule a concentração da solução de Ca(OH)2.
  • 15. • Neutralização (acido-base) Ca(OH)2 (aq) + 2HNO3 (aq) Ca(NO3)2 (aq) + 2H2O (l) 1mol 2mol nB nA nA= 2nB (n=MxV) MA . VA.X = MB . VB.Y 0,1x20mL = 2MB x 25 mL Mb= 0,04 mol/L
  • 16. Em um laboratório, nas condições ambientes, uma determinada massa de carbonato de cálcio (CaCO3) foi colocada para reagir com excesso de ácido nítrico diluído. Os valores do volume de gás liberado pela reação com o transcorrer do tempo estão apresentados na tabela. Escreva a equação balanceada da reação e calcule a velocidade média da reação, em mol · min–1, no intervalo entre 1 minuto e 3 minutos. Dado: • Volume molar do CO2 nas condições ambientes = 25,0 L · mol–1