SlideShare uma empresa Scribd logo
PRÉ –NATAL


Profª Ms. Isolina Rios
Assis
   O pré-natal é um acompanhamento médico ou de
    enfermagem oferecido à gestante desde a concepção
    até o início do trabalho de parto; é o momento onde
    a mulher deve receber informações sobre a própria
    saúde e a saúde do bebê, apoio emocional e preparo
    para a maternidade. (Rezende, 2002).


   A assistência pré-natal é um direito de toda gestante,
    independente de condições raciais, sociais,
    econômico e culturais.
   O pré-natal tem a finalidade de assegurar menores
    índices de mortalidade materno-infantil, visa detectar
    doenças e alterações que comprometem a saúde, e
    orientar hábitos de vida saudáveis preparando a
    mulher para o parto e pós-parto.




   De acordo com a Lei do Exercício Profissional da
    Enfermagem – Decreto nº 94.406/87 – o pré-natal
    de baixo risco pode ser inteiramente acompanhado
    pela enfermeira (o).
● O Ministério da Saúde preconiza no mínimo
  6 consultas de pré-natal.


   O intervalo entre as consultas deve ser de
    quatro semanas até a 36º semana. Após este
    período, a gestante deverá ser acompanhada a
    cada 15 dias, visando à avaliação da pressão
    arterial, da presença de edemas, do AFU, dos
    movimentos do fetais e dos batimentos
    cardiofetais.
Diagnóstico da Gravidez
                                          AVALIAR:
Atraso ou irregularidade
                                          - Ciclo menstrual
menstrual, náuseas,                       - DUM
aumento do volume                         - Atividade Sexual
 abdominal

                                 Atraso menstrual em mulheres com atividade
                                 sexual
                                 Solicitar: Teste Imunológico da Gravidez



          Resultado positivo                            Resultado Negativo

                                                        Repetir após 15 dias
        Gravidez confirmada
                                                       Resultado negativo
                                                       com persistência da
                                                       amenorréia
        Iniciar acompanhamento
                da gestante
                                                           Avaliar causas
                                                           ginecológicas
Sinais certeza:
 1º trimestre=ultra-sonografia o saco gestacional com 4
sem. pulsação cardíaca do embrião, no 3º mês é bastante
preciso o diag. de gravidez.

 Raios X: esqueleto fetal será visualizado após sua
calcificação,  na 18ª semana.

 Batimento cardíaco fetal(BCF) evidenciados a partir 14ª
semana utilizando Sonar Doppler; Estetoscópio Pinard
ausculta BCF após 18ª a 20ª.

   Freqüência cardíaca fetal oscila 120 a 160 bpm.
Os testes laboratoriais de gravidez
   A maioria testes realiza-se em presença
    gonadotropina coriônica humana (HCG) hormônios
    placentários produzido pelas vilosidades coriônicas.

   Esse aparece em alta concentração, tanto na urina
    como no sangue 10 a 12 dias após a concepção,
    atingindo o pico elevado, por volta 8ª a 10ª semana de
    gestação, depois  lentamente, atingindo um nível
    baixo entre 14ª e 18ª semana, mantendo-se assim até
    ocorrer à separação da placenta, quando desaparece
    esta função.
Após confirmação da gravidez registra-se:
►O cartão da gestante, com a identificação
 preenchida e orientação sobre o mesmo;
► DUM, IG
►Trimestre da gravidez no momento em que iniciou
 o pré-natal;
► O calendário de vacinas e suas orientações;
►As solicitações sobre a participação nas atividades
 reuniões em grupo e visitas domiciliares.
►Avaliação nutricional: utilizando a curva       de
 peso/idade gestacional;
Roteiro da primeira consulta
História :
   Identificação, idade, cor, naturalidade, procedência,
    endereço         atual,      situação       conjugal,
    profissão/ocupação e prática religiosa.


Dados sócio-econômicos e culturais:
   Grau de instrução, renda familiar, número de
    dependentes, número de pessoas na família que
    trabalham, condições de moradia (tipo, n° de
    cômodos), condições de saneamento (água, esgoto,
    coleta de lixo);
ANTECEDENTES FAMILIARES:
   Hipertensão,      diabetes,     doenças      congênitas,
    gemelaridade, câncer de mama, hanseníase, tuberculose
    e outros contatos domiciliares (anotar a doença e o grau
    de parentesco).



          ANTECEDENTES PESSOAIS :
   Hipertensão arterial, cardiopatias, diabetes, doenças
    renais crônicas, anemia, transfusões de sangue, doenças
    neuropsiquiátricas, viroses (rubéola e herpes), cirurgia
    (tipo e data), alergias, hanseníase e tuberculose.
ANTECEDENTES GINECOLÓGICOS:
   Início da atividade sexual;
   Desejo sexual;
   Orgasmo;
   Dispareunia;
   Número de parceiros;
   Ciclos menstruais (duração, intervalo e regularidade);
   Uso de métodos anticoncepcionais;
   Infertilidade e esterilidade (tratamento);
   Doenças sexualmente transmissíveis(inclusive parceiro);
   Cirurgias ginecológicas (idade e motivo);
   Mamas (alteração e tratamento);
   Última colpocitologia oncótica (data e resultado).
ANTECEDENTES OBSTÉTRICOS:
   Idade da primeira gestação;

   Número de gestações (incluindo abortamentos, gravidez
    ectópica, mola hidatiforme);

   Número de partos (domiciliares, hospitalares, vaginais
    espontâneos, fórceps, cesáreas - indicações);

   Número de filhos vivos (se pré ou pós-termo);

   Mortes neonatais precoces (até 7 dias de vida) ou tardias
    (7 e 28 dias de vida);
   Recém-nascidos com icterícia neonatal, transfusão,
    exsanguineotransfusões;


   Intercorrência ou complicações em gestações anteriores
    (especificar);


   Complicações nos puerpérios (descrever);


   Intervalo entre o final da última gestação e o início da
    atual.
GESTAÇÃO ATUAL:

   Nomes dos medicamentos usados na gestação;

   Se a gestação é ou não desejada;

   Hábitos: fumo (número de cigarros/dia), álcool e
    uso de drogas ilícitas;

   Ocupação habitual (esforço físico intenso, exposição
    a agentes químicos e físicos potencialmente nocivos,
    estresse).
Exame Físico
Geral:
   Determinação do peso e avaliação do estado nutricional da
    gestante;
   Medida e estatura;
   FR;
   FC;
   Temperatura;
   PA;
   Ausculta cardiopulmonar;
   Inspeção da pele e das mucosas;
   Palpação abdominal;
   Exame dos membros inferiores.
Específico: gineco-obstétrico
   Exame mamas (orientando para o aleitamento materno);
   Medida da altura uterina (AFU);
   Ausculta dos batimentos cardiofetais (Sonar Doppler por
    volta da 10ª semana e entre a 18ª e 20ª semana com
    Pinnar).
   Identificação da situação e apresentação fetal;
   Palpação dos gânglios inguinais;
   Inspeção dos genitais externos.
   OBS: se necessário realizar a coleta de material para exame
    colpocitológico.
Exames do Pré-natal
● Grupo sangüíneo e fator Rh;
● Sorologia para sífilis (VDRL), hepatite B, rubéola,
citomegalovírus e toxoplasmose.
● Glicemia em jejum
● Exame de urina (Tipo I);
●Hemograma (atentar para a dosagem de hemoglobina
-Hb);
●Sorologia    anti-HIV   (prévio   consentimento   da
paciente).
Vacina
 Anti-tetânica:
Esquema básico:

    1º dose              2º dose         3ºdose
      Iniciar após 1º   Intervalo mínimo de 30 dias e
        Trimestre       máximo de 60 dias

OBS: o reforço deve ser realizado de 10 em 10 anos.
 Antecipar a dose de reforço se ocorrer nova gravidez
 em cinco anos, ou mais, depois de aplicação de última
 dose.
Roteiro das consultas subsequentes
   Revisão da ficha perinatal e anamnese atual;


   Cálculo e anotação da IG;


   Determinação do peso - anotar no gráfico e observar o
    sentido da curva para avaliação do estado nutricional da
    gestante;


   Inspeção das mamas;


   Inspeção da pele e das mucosas;
   Ausculta dos batimentos cardiofetais;

   Verificação da presença de edema;

   Interpretação de exames laboratoriais e solicitação de
    outros, se necessários;

   Controle do calendário de vacinação;

   Acompanhamento das condutas adotadas em serviços
    clínicos especializados.
Realizar AFU
Condutas nas queixas mais freqüentes
            na gestação
► Náuseas, vômitos, pirose e sialorréia:
► Dispnéia:
► Dor nas mamas:
► Dor lombar (dores nas costas):
► Sangramento nas gengivas:
► Varizes:
► Cloasma gravídico:
   DUM (data da última menstruação)

IG (idade gestacional)
DUM até dia atual dividido por 7

 DPP (data provável do parto)
15/09/2006 DUM
+7 -3
21/06/2007 DPP
Pré-Natal

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

AssistêNcia Ao Parto
AssistêNcia Ao PartoAssistêNcia Ao Parto
AssistêNcia Ao Parto
chirlei ferreira
 
Cuidado ao Recém-nascido no Parto e Nascimento
Cuidado ao Recém-nascido no Parto e NascimentoCuidado ao Recém-nascido no Parto e Nascimento
Aula assistência de enfermagem no puerperio imeditato
Aula assistência de enfermagem no puerperio imeditatoAula assistência de enfermagem no puerperio imeditato
Aula assistência de enfermagem no puerperio imeditato
Viviane da Silva
 
Pré natal
Pré natalPré natal
Assistência pré natal
Assistência pré natalAssistência pré natal
Assistência pré natal
LASM_UIT
 
Assistencia Enfermagem Neonatal - Enf Jesiele Spindler
Assistencia Enfermagem Neonatal - Enf Jesiele SpindlerAssistencia Enfermagem Neonatal - Enf Jesiele Spindler
Assistencia Enfermagem Neonatal - Enf Jesiele Spindler
Jesiele Spindler
 
Coleta e Indicações para o Exame Citopatológico do Colo Uterino
Coleta e Indicações para o Exame Citopatológico do Colo UterinoColeta e Indicações para o Exame Citopatológico do Colo Uterino
Coleta e Indicações para o Exame Citopatológico do Colo Uterino
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 
Consulta de pre natal
Consulta de pre natalConsulta de pre natal
Consulta de pre natal
ilanaseixasladeia
 
Puerpério
PuerpérioPuerpério
Puerpério
Cleidenisia Daiana
 
AMAMENTAÇÃO
AMAMENTAÇÃOAMAMENTAÇÃO
AMAMENTAÇÃO
blogped1
 
Exames de Rotina do Pré-Natal
Exames de Rotina do Pré-NatalExames de Rotina do Pré-Natal
02 aula Assistência de enfermagem ao recém-nascido normal.
02 aula   Assistência de enfermagem ao recém-nascido normal.02 aula   Assistência de enfermagem ao recém-nascido normal.
02 aula Assistência de enfermagem ao recém-nascido normal.
Edna Rúbia Paulino de Oliveira
 
Puericultura - Roteiro de Consulta
Puericultura - Roteiro de ConsultaPuericultura - Roteiro de Consulta
Puericultura - Roteiro de Consulta
blogped1
 
Alojamento conjunto e enfermagem
Alojamento conjunto e enfermagemAlojamento conjunto e enfermagem
Alojamento conjunto e enfermagem
jusantos_
 
Aleitamento Materno
Aleitamento Materno Aleitamento Materno
Aleitamento Materno
blogped1
 
Parto Normal
Parto NormalParto Normal
Parto Normal
Ministério da Saúde
 
Pré Natal
Pré  NatalPré  Natal
Pré Natal
Gláucia Marchini
 
Semiologia do recém nascido
Semiologia do recém nascidoSemiologia do recém nascido
Semiologia do recém nascido
Laped Ufrn
 
Puericultura- Roteiro Prático
Puericultura-  Roteiro PráticoPuericultura-  Roteiro Prático
Puericultura- Roteiro Prático
blogped1
 
Assistência de enfermagem em neonatologia
Assistência de enfermagem em neonatologiaAssistência de enfermagem em neonatologia
Assistência de enfermagem em neonatologia
Amanda Corrêa
 

Mais procurados (20)

AssistêNcia Ao Parto
AssistêNcia Ao PartoAssistêNcia Ao Parto
AssistêNcia Ao Parto
 
Cuidado ao Recém-nascido no Parto e Nascimento
Cuidado ao Recém-nascido no Parto e NascimentoCuidado ao Recém-nascido no Parto e Nascimento
Cuidado ao Recém-nascido no Parto e Nascimento
 
Aula assistência de enfermagem no puerperio imeditato
Aula assistência de enfermagem no puerperio imeditatoAula assistência de enfermagem no puerperio imeditato
Aula assistência de enfermagem no puerperio imeditato
 
Pré natal
Pré natalPré natal
Pré natal
 
Assistência pré natal
Assistência pré natalAssistência pré natal
Assistência pré natal
 
Assistencia Enfermagem Neonatal - Enf Jesiele Spindler
Assistencia Enfermagem Neonatal - Enf Jesiele SpindlerAssistencia Enfermagem Neonatal - Enf Jesiele Spindler
Assistencia Enfermagem Neonatal - Enf Jesiele Spindler
 
Coleta e Indicações para o Exame Citopatológico do Colo Uterino
Coleta e Indicações para o Exame Citopatológico do Colo UterinoColeta e Indicações para o Exame Citopatológico do Colo Uterino
Coleta e Indicações para o Exame Citopatológico do Colo Uterino
 
Consulta de pre natal
Consulta de pre natalConsulta de pre natal
Consulta de pre natal
 
Puerpério
PuerpérioPuerpério
Puerpério
 
AMAMENTAÇÃO
AMAMENTAÇÃOAMAMENTAÇÃO
AMAMENTAÇÃO
 
Exames de Rotina do Pré-Natal
Exames de Rotina do Pré-NatalExames de Rotina do Pré-Natal
Exames de Rotina do Pré-Natal
 
02 aula Assistência de enfermagem ao recém-nascido normal.
02 aula   Assistência de enfermagem ao recém-nascido normal.02 aula   Assistência de enfermagem ao recém-nascido normal.
02 aula Assistência de enfermagem ao recém-nascido normal.
 
Puericultura - Roteiro de Consulta
Puericultura - Roteiro de ConsultaPuericultura - Roteiro de Consulta
Puericultura - Roteiro de Consulta
 
Alojamento conjunto e enfermagem
Alojamento conjunto e enfermagemAlojamento conjunto e enfermagem
Alojamento conjunto e enfermagem
 
Aleitamento Materno
Aleitamento Materno Aleitamento Materno
Aleitamento Materno
 
Parto Normal
Parto NormalParto Normal
Parto Normal
 
Pré Natal
Pré  NatalPré  Natal
Pré Natal
 
Semiologia do recém nascido
Semiologia do recém nascidoSemiologia do recém nascido
Semiologia do recém nascido
 
Puericultura- Roteiro Prático
Puericultura-  Roteiro PráticoPuericultura-  Roteiro Prático
Puericultura- Roteiro Prático
 
Assistência de enfermagem em neonatologia
Assistência de enfermagem em neonatologiaAssistência de enfermagem em neonatologia
Assistência de enfermagem em neonatologia
 

Destaque

Pre Natal
Pre NatalPre Natal
Pre Natal
ITPAC PORTO
 
Prenatal
PrenatalPrenatal
Prenatal
Alex Holub
 
Hormônios e o ciclo menstrual
Hormônios e o ciclo menstrualHormônios e o ciclo menstrual
Hormônios e o ciclo menstrual
Miryan Carneiro
 
Saude bucal da gestante e bebe
Saude bucal da gestante e bebeSaude bucal da gestante e bebe
Saude bucal da gestante e bebe
barbaralourenco
 
Saúde bucal em gestantes
Saúde bucal em gestantesSaúde bucal em gestantes
Saúde bucal em gestantes
PET - Odontologia UFPR
 
Intercorrências clínicas e obstétricas mais frequentes
Intercorrências clínicas e obstétricas mais frequentesIntercorrências clínicas e obstétricas mais frequentes
Intercorrências clínicas e obstétricas mais frequentes
Juan Figueiredo
 
Dheg
Dheg Dheg
Avaliação e o processo de Enfermagem
Avaliação e o processo de EnfermagemAvaliação e o processo de Enfermagem
Avaliação e o processo de Enfermagem
resenfe2013
 
Planejamento dos cuidados de enfermagem
Planejamento dos cuidados de enfermagemPlanejamento dos cuidados de enfermagem
Planejamento dos cuidados de enfermagem
Daniel Félix dos Santos
 
Ciclo menstrual
Ciclo menstrualCiclo menstrual
Ciclo menstrual
Juliana Maciel
 
Ciclo Menstrual
Ciclo MenstrualCiclo Menstrual
Ciclo Menstrual
felix campos
 
Piramide alimentar
Piramide alimentarPiramide alimentar
Piramide alimentar
Marcos Capellotto
 
Ciclo menstrual
Ciclo menstrualCiclo menstrual
Ciclo menstrual
UNISUL
 
Aula de Doenças Hipertensiva Específica da Gestação (Dheg)
Aula de Doenças Hipertensiva Específica da Gestação (Dheg)Aula de Doenças Hipertensiva Específica da Gestação (Dheg)
Aula de Doenças Hipertensiva Específica da Gestação (Dheg)
SMS - Petrópolis
 
Ciclo menstrual
Ciclo menstrualCiclo menstrual
Ciclo menstrual
Aris HM
 
El ciclo menstrual femenino
El ciclo menstrual femeninoEl ciclo menstrual femenino
El ciclo menstrual femenino
MariaJose2808
 
Leitura e interpretação de texto na alfabetização (alimentação saudável)
Leitura e interpretação de texto na alfabetização (alimentação saudável)Leitura e interpretação de texto na alfabetização (alimentação saudável)
Leitura e interpretação de texto na alfabetização (alimentação saudável)
Lorena Lopes
 

Destaque (17)

Pre Natal
Pre NatalPre Natal
Pre Natal
 
Prenatal
PrenatalPrenatal
Prenatal
 
Hormônios e o ciclo menstrual
Hormônios e o ciclo menstrualHormônios e o ciclo menstrual
Hormônios e o ciclo menstrual
 
Saude bucal da gestante e bebe
Saude bucal da gestante e bebeSaude bucal da gestante e bebe
Saude bucal da gestante e bebe
 
Saúde bucal em gestantes
Saúde bucal em gestantesSaúde bucal em gestantes
Saúde bucal em gestantes
 
Intercorrências clínicas e obstétricas mais frequentes
Intercorrências clínicas e obstétricas mais frequentesIntercorrências clínicas e obstétricas mais frequentes
Intercorrências clínicas e obstétricas mais frequentes
 
Dheg
Dheg Dheg
Dheg
 
Avaliação e o processo de Enfermagem
Avaliação e o processo de EnfermagemAvaliação e o processo de Enfermagem
Avaliação e o processo de Enfermagem
 
Planejamento dos cuidados de enfermagem
Planejamento dos cuidados de enfermagemPlanejamento dos cuidados de enfermagem
Planejamento dos cuidados de enfermagem
 
Ciclo menstrual
Ciclo menstrualCiclo menstrual
Ciclo menstrual
 
Ciclo Menstrual
Ciclo MenstrualCiclo Menstrual
Ciclo Menstrual
 
Piramide alimentar
Piramide alimentarPiramide alimentar
Piramide alimentar
 
Ciclo menstrual
Ciclo menstrualCiclo menstrual
Ciclo menstrual
 
Aula de Doenças Hipertensiva Específica da Gestação (Dheg)
Aula de Doenças Hipertensiva Específica da Gestação (Dheg)Aula de Doenças Hipertensiva Específica da Gestação (Dheg)
Aula de Doenças Hipertensiva Específica da Gestação (Dheg)
 
Ciclo menstrual
Ciclo menstrualCiclo menstrual
Ciclo menstrual
 
El ciclo menstrual femenino
El ciclo menstrual femeninoEl ciclo menstrual femenino
El ciclo menstrual femenino
 
Leitura e interpretação de texto na alfabetização (alimentação saudável)
Leitura e interpretação de texto na alfabetização (alimentação saudável)Leitura e interpretação de texto na alfabetização (alimentação saudável)
Leitura e interpretação de texto na alfabetização (alimentação saudável)
 

Semelhante a Pré-Natal

Condutas no pré natal 5
Condutas no pré natal 5Condutas no pré natal 5
Condutas no pré natal 5
Nayara Wanderley
 
PNBR 2016
PNBR 2016PNBR 2016
Resumo pré natal de baixo risco parte 2
Resumo pré natal de baixo risco parte 2Resumo pré natal de baixo risco parte 2
Resumo pré natal de baixo risco parte 2
Auro Gonçalves
 
Aula 4 -_consulta_de_enfermagem_na_assistencia_pre-natal
Aula 4 -_consulta_de_enfermagem_na_assistencia_pre-natalAula 4 -_consulta_de_enfermagem_na_assistencia_pre-natal
Aula 4 -_consulta_de_enfermagem_na_assistencia_pre-natal
Gustavo Henrique
 
AULA PRE NATAL.pdf
AULA PRE NATAL.pdfAULA PRE NATAL.pdf
AULA PRE NATAL.pdf
EllenSantos73107
 
Pré Natal E GestaçãO De Alto Risco
Pré Natal E GestaçãO De Alto RiscoPré Natal E GestaçãO De Alto Risco
Pré Natal E GestaçãO De Alto Risco
chirlei ferreira
 
Pré Natal E GestaçãO De Alto Risco
Pré Natal E GestaçãO De Alto RiscoPré Natal E GestaçãO De Alto Risco
Pré Natal E GestaçãO De Alto Risco
chirlei ferreira
 
Protocolo clínico de atendimento na rede básica de pré natal de baixo risco
Protocolo clínico de atendimento na rede básica de pré natal de baixo riscoProtocolo clínico de atendimento na rede básica de pré natal de baixo risco
Protocolo clínico de atendimento na rede básica de pré natal de baixo risco
Professor Robson
 
Assistência pre natal - gestante de baixo risco
Assistência pre natal - gestante de baixo riscoAssistência pre natal - gestante de baixo risco
Assistência pre natal - gestante de baixo risco
yasminroriz3
 
Assistência pré-natal de baixo e alto risco-1.pptx
Assistência pré-natal de baixo e alto risco-1.pptxAssistência pré-natal de baixo e alto risco-1.pptx
Assistência pré-natal de baixo e alto risco-1.pptx
VitriaMaria56
 
Consulta pré-natal.pdf
Consulta pré-natal.pdfConsulta pré-natal.pdf
Consulta pré-natal.pdf
elisa162943
 
4° AULA - PRÉ-NATAL.pptx
4° AULA - PRÉ-NATAL.pptx4° AULA - PRÉ-NATAL.pptx
4° AULA - PRÉ-NATAL.pptx
Natasha Louise
 
TRABALHO DIAGNOSTICO, PRÉ NATAL E PUERPERIO.pptx
TRABALHO DIAGNOSTICO, PRÉ NATAL E PUERPERIO.pptxTRABALHO DIAGNOSTICO, PRÉ NATAL E PUERPERIO.pptx
TRABALHO DIAGNOSTICO, PRÉ NATAL E PUERPERIO.pptx
douglas870578
 
Assistencia pre natal
Assistencia pre natalAssistencia pre natal
Assistencia pre natal
EDSON ALAN QUEIROZ
 
Blog Pré Natal Slayd
Blog Pré Natal SlaydBlog Pré Natal Slayd
Blog Pré Natal Slayd
Gláucia Marchini
 
Pre natal de baixo risco parte 2 Uesc Medicina
Pre natal de baixo risco parte 2  Uesc MedicinaPre natal de baixo risco parte 2  Uesc Medicina
Pre natal de baixo risco parte 2 Uesc Medicina
Auro Gonçalves
 
Curso mulher b
Curso mulher  bCurso mulher  b
Curso mulher b
niltonsan43
 
Gravidez nos CSP
Gravidez nos CSPGravidez nos CSP
Gravidez nos CSP
Eluisa Silva
 
Segredo profissional do médico
Segredo profissional do médicoSegredo profissional do médico
Segredo profissional do médico
Cleiton Terra
 
Prenatal baixo risco
Prenatal baixo riscoPrenatal baixo risco
Prenatal baixo risco
Ceça Botelho
 

Semelhante a Pré-Natal (20)

Condutas no pré natal 5
Condutas no pré natal 5Condutas no pré natal 5
Condutas no pré natal 5
 
PNBR 2016
PNBR 2016PNBR 2016
PNBR 2016
 
Resumo pré natal de baixo risco parte 2
Resumo pré natal de baixo risco parte 2Resumo pré natal de baixo risco parte 2
Resumo pré natal de baixo risco parte 2
 
Aula 4 -_consulta_de_enfermagem_na_assistencia_pre-natal
Aula 4 -_consulta_de_enfermagem_na_assistencia_pre-natalAula 4 -_consulta_de_enfermagem_na_assistencia_pre-natal
Aula 4 -_consulta_de_enfermagem_na_assistencia_pre-natal
 
AULA PRE NATAL.pdf
AULA PRE NATAL.pdfAULA PRE NATAL.pdf
AULA PRE NATAL.pdf
 
Pré Natal E GestaçãO De Alto Risco
Pré Natal E GestaçãO De Alto RiscoPré Natal E GestaçãO De Alto Risco
Pré Natal E GestaçãO De Alto Risco
 
Pré Natal E GestaçãO De Alto Risco
Pré Natal E GestaçãO De Alto RiscoPré Natal E GestaçãO De Alto Risco
Pré Natal E GestaçãO De Alto Risco
 
Protocolo clínico de atendimento na rede básica de pré natal de baixo risco
Protocolo clínico de atendimento na rede básica de pré natal de baixo riscoProtocolo clínico de atendimento na rede básica de pré natal de baixo risco
Protocolo clínico de atendimento na rede básica de pré natal de baixo risco
 
Assistência pre natal - gestante de baixo risco
Assistência pre natal - gestante de baixo riscoAssistência pre natal - gestante de baixo risco
Assistência pre natal - gestante de baixo risco
 
Assistência pré-natal de baixo e alto risco-1.pptx
Assistência pré-natal de baixo e alto risco-1.pptxAssistência pré-natal de baixo e alto risco-1.pptx
Assistência pré-natal de baixo e alto risco-1.pptx
 
Consulta pré-natal.pdf
Consulta pré-natal.pdfConsulta pré-natal.pdf
Consulta pré-natal.pdf
 
4° AULA - PRÉ-NATAL.pptx
4° AULA - PRÉ-NATAL.pptx4° AULA - PRÉ-NATAL.pptx
4° AULA - PRÉ-NATAL.pptx
 
TRABALHO DIAGNOSTICO, PRÉ NATAL E PUERPERIO.pptx
TRABALHO DIAGNOSTICO, PRÉ NATAL E PUERPERIO.pptxTRABALHO DIAGNOSTICO, PRÉ NATAL E PUERPERIO.pptx
TRABALHO DIAGNOSTICO, PRÉ NATAL E PUERPERIO.pptx
 
Assistencia pre natal
Assistencia pre natalAssistencia pre natal
Assistencia pre natal
 
Blog Pré Natal Slayd
Blog Pré Natal SlaydBlog Pré Natal Slayd
Blog Pré Natal Slayd
 
Pre natal de baixo risco parte 2 Uesc Medicina
Pre natal de baixo risco parte 2  Uesc MedicinaPre natal de baixo risco parte 2  Uesc Medicina
Pre natal de baixo risco parte 2 Uesc Medicina
 
Curso mulher b
Curso mulher  bCurso mulher  b
Curso mulher b
 
Gravidez nos CSP
Gravidez nos CSPGravidez nos CSP
Gravidez nos CSP
 
Segredo profissional do médico
Segredo profissional do médicoSegredo profissional do médico
Segredo profissional do médico
 
Prenatal baixo risco
Prenatal baixo riscoPrenatal baixo risco
Prenatal baixo risco
 

Mais de Instituto Consciência GO

Princípios da Ventilação Invasiva
Princípios da Ventilação InvasivaPrincípios da Ventilação Invasiva
Princípios da Ventilação Invasiva
Instituto Consciência GO
 
O processo de Avaliação no Ensino Superior
O processo de Avaliação no Ensino SuperiorO processo de Avaliação no Ensino Superior
O processo de Avaliação no Ensino Superior
Instituto Consciência GO
 
Saúde e Educação
Saúde e EducaçãoSaúde e Educação
Saúde e Educação
Instituto Consciência GO
 
Modelo de Artigo Científico
Modelo de Artigo CientíficoModelo de Artigo Científico
Modelo de Artigo Científico
Instituto Consciência GO
 
Informe Psicopedagógico
Informe PsicopedagógicoInforme Psicopedagógico
Informe Psicopedagógico
Instituto Consciência GO
 
Normatização para Trabalhos Acadêmicos
Normatização para Trabalhos AcadêmicosNormatização para Trabalhos Acadêmicos
Normatização para Trabalhos Acadêmicos
Instituto Consciência GO
 
TDAH
TDAHTDAH
Atenção
AtençãoAtenção
Saúde do Trabalhador no SUS - CEREST
Saúde do Trabalhador no SUS - CERESTSaúde do Trabalhador no SUS - CEREST
Saúde do Trabalhador no SUS - CEREST
Instituto Consciência GO
 
Parametro de QLDD
Parametro de QLDDParametro de QLDD
Parametro de QLDD
Instituto Consciência GO
 
Direitos da Criança na Ed. Infantil
Direitos da Criança na Ed. InfantilDireitos da Criança na Ed. Infantil
Direitos da Criança na Ed. Infantil
Instituto Consciência GO
 
DCNEIs
DCNEIsDCNEIs
Currículo nos anos inicias
Currículo nos anos iniciasCurrículo nos anos inicias
Currículo nos anos inicias
Instituto Consciência GO
 
Currículo e educação infantil - teóricos atuais
Currículo e educação infantil - teóricos atuaisCurrículo e educação infantil - teóricos atuais
Currículo e educação infantil - teóricos atuais
Instituto Consciência GO
 
Palestra IV Seminário Multidisciplinar do ICG - Dra. Meire Incarnacão Ribeiro...
Palestra IV Seminário Multidisciplinar do ICG - Dra. Meire Incarnacão Ribeiro...Palestra IV Seminário Multidisciplinar do ICG - Dra. Meire Incarnacão Ribeiro...
Palestra IV Seminário Multidisciplinar do ICG - Dra. Meire Incarnacão Ribeiro...
Instituto Consciência GO
 
Palestra IV Seminário Multidisciplinar do ICG - Ms. Lisa Valéria Vieira Tôrres
Palestra IV Seminário Multidisciplinar do ICG - Ms. Lisa Valéria Vieira TôrresPalestra IV Seminário Multidisciplinar do ICG - Ms. Lisa Valéria Vieira Tôrres
Palestra IV Seminário Multidisciplinar do ICG - Ms. Lisa Valéria Vieira Tôrres
Instituto Consciência GO
 
A familia brasileira - Saude Publica
A familia brasileira - Saude PublicaA familia brasileira - Saude Publica
A familia brasileira - Saude Publica
Instituto Consciência GO
 
Saúde da Família: Uma estratégia para a reorientação do modelo assistencial
Saúde da Família: Uma estratégia para a reorientação do modelo assistencialSaúde da Família: Uma estratégia para a reorientação do modelo assistencial
Saúde da Família: Uma estratégia para a reorientação do modelo assistencial
Instituto Consciência GO
 
Um modelo de educação em saúde para o programa saúde da família
Um modelo de educação em saúde para o programa saúde da famíliaUm modelo de educação em saúde para o programa saúde da família
Um modelo de educação em saúde para o programa saúde da família
Instituto Consciência GO
 
SIAD
SIADSIAD

Mais de Instituto Consciência GO (20)

Princípios da Ventilação Invasiva
Princípios da Ventilação InvasivaPrincípios da Ventilação Invasiva
Princípios da Ventilação Invasiva
 
O processo de Avaliação no Ensino Superior
O processo de Avaliação no Ensino SuperiorO processo de Avaliação no Ensino Superior
O processo de Avaliação no Ensino Superior
 
Saúde e Educação
Saúde e EducaçãoSaúde e Educação
Saúde e Educação
 
Modelo de Artigo Científico
Modelo de Artigo CientíficoModelo de Artigo Científico
Modelo de Artigo Científico
 
Informe Psicopedagógico
Informe PsicopedagógicoInforme Psicopedagógico
Informe Psicopedagógico
 
Normatização para Trabalhos Acadêmicos
Normatização para Trabalhos AcadêmicosNormatização para Trabalhos Acadêmicos
Normatização para Trabalhos Acadêmicos
 
TDAH
TDAHTDAH
TDAH
 
Atenção
AtençãoAtenção
Atenção
 
Saúde do Trabalhador no SUS - CEREST
Saúde do Trabalhador no SUS - CERESTSaúde do Trabalhador no SUS - CEREST
Saúde do Trabalhador no SUS - CEREST
 
Parametro de QLDD
Parametro de QLDDParametro de QLDD
Parametro de QLDD
 
Direitos da Criança na Ed. Infantil
Direitos da Criança na Ed. InfantilDireitos da Criança na Ed. Infantil
Direitos da Criança na Ed. Infantil
 
DCNEIs
DCNEIsDCNEIs
DCNEIs
 
Currículo nos anos inicias
Currículo nos anos iniciasCurrículo nos anos inicias
Currículo nos anos inicias
 
Currículo e educação infantil - teóricos atuais
Currículo e educação infantil - teóricos atuaisCurrículo e educação infantil - teóricos atuais
Currículo e educação infantil - teóricos atuais
 
Palestra IV Seminário Multidisciplinar do ICG - Dra. Meire Incarnacão Ribeiro...
Palestra IV Seminário Multidisciplinar do ICG - Dra. Meire Incarnacão Ribeiro...Palestra IV Seminário Multidisciplinar do ICG - Dra. Meire Incarnacão Ribeiro...
Palestra IV Seminário Multidisciplinar do ICG - Dra. Meire Incarnacão Ribeiro...
 
Palestra IV Seminário Multidisciplinar do ICG - Ms. Lisa Valéria Vieira Tôrres
Palestra IV Seminário Multidisciplinar do ICG - Ms. Lisa Valéria Vieira TôrresPalestra IV Seminário Multidisciplinar do ICG - Ms. Lisa Valéria Vieira Tôrres
Palestra IV Seminário Multidisciplinar do ICG - Ms. Lisa Valéria Vieira Tôrres
 
A familia brasileira - Saude Publica
A familia brasileira - Saude PublicaA familia brasileira - Saude Publica
A familia brasileira - Saude Publica
 
Saúde da Família: Uma estratégia para a reorientação do modelo assistencial
Saúde da Família: Uma estratégia para a reorientação do modelo assistencialSaúde da Família: Uma estratégia para a reorientação do modelo assistencial
Saúde da Família: Uma estratégia para a reorientação do modelo assistencial
 
Um modelo de educação em saúde para o programa saúde da família
Um modelo de educação em saúde para o programa saúde da famíliaUm modelo de educação em saúde para o programa saúde da família
Um modelo de educação em saúde para o programa saúde da família
 
SIAD
SIADSIAD
SIAD
 

Último

A ÉTICA NA MODERNIDADE(Crise d moral e problemas atuais).pptx
A ÉTICA NA MODERNIDADE(Crise d moral e problemas atuais).pptxA ÉTICA NA MODERNIDADE(Crise d moral e problemas atuais).pptx
A ÉTICA NA MODERNIDADE(Crise d moral e problemas atuais).pptx
FeridoZitoJonas
 
Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptxSíndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
marjoguedes1
 
A DISSOLUÇÃO DO COMPLEXO DE ÉDIPO (1924)
A DISSOLUÇÃO DO COMPLEXO DE ÉDIPO (1924)A DISSOLUÇÃO DO COMPLEXO DE ÉDIPO (1924)
A DISSOLUÇÃO DO COMPLEXO DE ÉDIPO (1924)
Luiz Henrique Pimentel Novais Silva
 
DESVIOS POSTURAIS DA COLUNA VERTEBRAL 0001.pptx
DESVIOS POSTURAIS DA COLUNA VERTEBRAL 0001.pptxDESVIOS POSTURAIS DA COLUNA VERTEBRAL 0001.pptx
DESVIOS POSTURAIS DA COLUNA VERTEBRAL 0001.pptx
Klaisn
 
Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
sula31
 
4.Tecidos Excitáveis - Tecido Nervoso.pptx
4.Tecidos Excitáveis - Tecido Nervoso.pptx4.Tecidos Excitáveis - Tecido Nervoso.pptx
4.Tecidos Excitáveis - Tecido Nervoso.pptx
AmaroAlmeidaChimbala
 
História da Enfermagem-Enfermagem 2024.pdf
História da Enfermagem-Enfermagem 2024.pdfHistória da Enfermagem-Enfermagem 2024.pdf
História da Enfermagem-Enfermagem 2024.pdf
JandersonGeorgeGuima
 
Apostila Gerência de Riscos PDF voltado para Segurança do Trabalho
Apostila Gerência de Riscos PDF   voltado para Segurança do TrabalhoApostila Gerência de Riscos PDF   voltado para Segurança do Trabalho
Apostila Gerência de Riscos PDF voltado para Segurança do Trabalho
CatieleAlmeida1
 

Último (9)

A ÉTICA NA MODERNIDADE(Crise d moral e problemas atuais).pptx
A ÉTICA NA MODERNIDADE(Crise d moral e problemas atuais).pptxA ÉTICA NA MODERNIDADE(Crise d moral e problemas atuais).pptx
A ÉTICA NA MODERNIDADE(Crise d moral e problemas atuais).pptx
 
Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptxSíndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
 
A DISSOLUÇÃO DO COMPLEXO DE ÉDIPO (1924)
A DISSOLUÇÃO DO COMPLEXO DE ÉDIPO (1924)A DISSOLUÇÃO DO COMPLEXO DE ÉDIPO (1924)
A DISSOLUÇÃO DO COMPLEXO DE ÉDIPO (1924)
 
DESVIOS POSTURAIS DA COLUNA VERTEBRAL 0001.pptx
DESVIOS POSTURAIS DA COLUNA VERTEBRAL 0001.pptxDESVIOS POSTURAIS DA COLUNA VERTEBRAL 0001.pptx
DESVIOS POSTURAIS DA COLUNA VERTEBRAL 0001.pptx
 
Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
 
Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
 
4.Tecidos Excitáveis - Tecido Nervoso.pptx
4.Tecidos Excitáveis - Tecido Nervoso.pptx4.Tecidos Excitáveis - Tecido Nervoso.pptx
4.Tecidos Excitáveis - Tecido Nervoso.pptx
 
História da Enfermagem-Enfermagem 2024.pdf
História da Enfermagem-Enfermagem 2024.pdfHistória da Enfermagem-Enfermagem 2024.pdf
História da Enfermagem-Enfermagem 2024.pdf
 
Apostila Gerência de Riscos PDF voltado para Segurança do Trabalho
Apostila Gerência de Riscos PDF   voltado para Segurança do TrabalhoApostila Gerência de Riscos PDF   voltado para Segurança do Trabalho
Apostila Gerência de Riscos PDF voltado para Segurança do Trabalho
 

Pré-Natal

  • 1. PRÉ –NATAL Profª Ms. Isolina Rios Assis
  • 2. O pré-natal é um acompanhamento médico ou de enfermagem oferecido à gestante desde a concepção até o início do trabalho de parto; é o momento onde a mulher deve receber informações sobre a própria saúde e a saúde do bebê, apoio emocional e preparo para a maternidade. (Rezende, 2002).  A assistência pré-natal é um direito de toda gestante, independente de condições raciais, sociais, econômico e culturais.
  • 3. O pré-natal tem a finalidade de assegurar menores índices de mortalidade materno-infantil, visa detectar doenças e alterações que comprometem a saúde, e orientar hábitos de vida saudáveis preparando a mulher para o parto e pós-parto.  De acordo com a Lei do Exercício Profissional da Enfermagem – Decreto nº 94.406/87 – o pré-natal de baixo risco pode ser inteiramente acompanhado pela enfermeira (o).
  • 4. ● O Ministério da Saúde preconiza no mínimo 6 consultas de pré-natal.  O intervalo entre as consultas deve ser de quatro semanas até a 36º semana. Após este período, a gestante deverá ser acompanhada a cada 15 dias, visando à avaliação da pressão arterial, da presença de edemas, do AFU, dos movimentos do fetais e dos batimentos cardiofetais.
  • 5. Diagnóstico da Gravidez AVALIAR: Atraso ou irregularidade - Ciclo menstrual menstrual, náuseas, - DUM aumento do volume - Atividade Sexual abdominal Atraso menstrual em mulheres com atividade sexual Solicitar: Teste Imunológico da Gravidez Resultado positivo Resultado Negativo Repetir após 15 dias Gravidez confirmada Resultado negativo com persistência da amenorréia Iniciar acompanhamento da gestante Avaliar causas ginecológicas
  • 6. Sinais certeza:  1º trimestre=ultra-sonografia o saco gestacional com 4 sem. pulsação cardíaca do embrião, no 3º mês é bastante preciso o diag. de gravidez.  Raios X: esqueleto fetal será visualizado após sua calcificação,  na 18ª semana.  Batimento cardíaco fetal(BCF) evidenciados a partir 14ª semana utilizando Sonar Doppler; Estetoscópio Pinard ausculta BCF após 18ª a 20ª.  Freqüência cardíaca fetal oscila 120 a 160 bpm.
  • 7. Os testes laboratoriais de gravidez  A maioria testes realiza-se em presença gonadotropina coriônica humana (HCG) hormônios placentários produzido pelas vilosidades coriônicas.  Esse aparece em alta concentração, tanto na urina como no sangue 10 a 12 dias após a concepção, atingindo o pico elevado, por volta 8ª a 10ª semana de gestação, depois  lentamente, atingindo um nível baixo entre 14ª e 18ª semana, mantendo-se assim até ocorrer à separação da placenta, quando desaparece esta função.
  • 8. Após confirmação da gravidez registra-se: ►O cartão da gestante, com a identificação preenchida e orientação sobre o mesmo; ► DUM, IG ►Trimestre da gravidez no momento em que iniciou o pré-natal; ► O calendário de vacinas e suas orientações; ►As solicitações sobre a participação nas atividades reuniões em grupo e visitas domiciliares. ►Avaliação nutricional: utilizando a curva de peso/idade gestacional;
  • 9. Roteiro da primeira consulta História :  Identificação, idade, cor, naturalidade, procedência, endereço atual, situação conjugal, profissão/ocupação e prática religiosa. Dados sócio-econômicos e culturais:  Grau de instrução, renda familiar, número de dependentes, número de pessoas na família que trabalham, condições de moradia (tipo, n° de cômodos), condições de saneamento (água, esgoto, coleta de lixo);
  • 10. ANTECEDENTES FAMILIARES:  Hipertensão, diabetes, doenças congênitas, gemelaridade, câncer de mama, hanseníase, tuberculose e outros contatos domiciliares (anotar a doença e o grau de parentesco). ANTECEDENTES PESSOAIS :  Hipertensão arterial, cardiopatias, diabetes, doenças renais crônicas, anemia, transfusões de sangue, doenças neuropsiquiátricas, viroses (rubéola e herpes), cirurgia (tipo e data), alergias, hanseníase e tuberculose.
  • 11. ANTECEDENTES GINECOLÓGICOS:  Início da atividade sexual;  Desejo sexual;  Orgasmo;  Dispareunia;  Número de parceiros;  Ciclos menstruais (duração, intervalo e regularidade);  Uso de métodos anticoncepcionais;  Infertilidade e esterilidade (tratamento);  Doenças sexualmente transmissíveis(inclusive parceiro);  Cirurgias ginecológicas (idade e motivo);  Mamas (alteração e tratamento);  Última colpocitologia oncótica (data e resultado).
  • 12. ANTECEDENTES OBSTÉTRICOS:  Idade da primeira gestação;  Número de gestações (incluindo abortamentos, gravidez ectópica, mola hidatiforme);  Número de partos (domiciliares, hospitalares, vaginais espontâneos, fórceps, cesáreas - indicações);  Número de filhos vivos (se pré ou pós-termo);  Mortes neonatais precoces (até 7 dias de vida) ou tardias (7 e 28 dias de vida);
  • 13. Recém-nascidos com icterícia neonatal, transfusão, exsanguineotransfusões;  Intercorrência ou complicações em gestações anteriores (especificar);  Complicações nos puerpérios (descrever);  Intervalo entre o final da última gestação e o início da atual.
  • 14. GESTAÇÃO ATUAL:  Nomes dos medicamentos usados na gestação;  Se a gestação é ou não desejada;  Hábitos: fumo (número de cigarros/dia), álcool e uso de drogas ilícitas;  Ocupação habitual (esforço físico intenso, exposição a agentes químicos e físicos potencialmente nocivos, estresse).
  • 15. Exame Físico Geral:  Determinação do peso e avaliação do estado nutricional da gestante;  Medida e estatura;  FR;  FC;  Temperatura;  PA;  Ausculta cardiopulmonar;  Inspeção da pele e das mucosas;  Palpação abdominal;  Exame dos membros inferiores.
  • 16. Específico: gineco-obstétrico  Exame mamas (orientando para o aleitamento materno);  Medida da altura uterina (AFU);  Ausculta dos batimentos cardiofetais (Sonar Doppler por volta da 10ª semana e entre a 18ª e 20ª semana com Pinnar).  Identificação da situação e apresentação fetal;  Palpação dos gânglios inguinais;  Inspeção dos genitais externos.  OBS: se necessário realizar a coleta de material para exame colpocitológico.
  • 17. Exames do Pré-natal ● Grupo sangüíneo e fator Rh; ● Sorologia para sífilis (VDRL), hepatite B, rubéola, citomegalovírus e toxoplasmose. ● Glicemia em jejum ● Exame de urina (Tipo I); ●Hemograma (atentar para a dosagem de hemoglobina -Hb); ●Sorologia anti-HIV (prévio consentimento da paciente).
  • 18. Vacina  Anti-tetânica: Esquema básico: 1º dose 2º dose 3ºdose Iniciar após 1º Intervalo mínimo de 30 dias e Trimestre máximo de 60 dias OBS: o reforço deve ser realizado de 10 em 10 anos. Antecipar a dose de reforço se ocorrer nova gravidez em cinco anos, ou mais, depois de aplicação de última dose.
  • 19. Roteiro das consultas subsequentes  Revisão da ficha perinatal e anamnese atual;  Cálculo e anotação da IG;  Determinação do peso - anotar no gráfico e observar o sentido da curva para avaliação do estado nutricional da gestante;  Inspeção das mamas;  Inspeção da pele e das mucosas;
  • 20. Ausculta dos batimentos cardiofetais;  Verificação da presença de edema;  Interpretação de exames laboratoriais e solicitação de outros, se necessários;  Controle do calendário de vacinação;  Acompanhamento das condutas adotadas em serviços clínicos especializados.
  • 22. Condutas nas queixas mais freqüentes na gestação ► Náuseas, vômitos, pirose e sialorréia: ► Dispnéia: ► Dor nas mamas: ► Dor lombar (dores nas costas): ► Sangramento nas gengivas: ► Varizes: ► Cloasma gravídico:
  • 23. DUM (data da última menstruação) IG (idade gestacional) DUM até dia atual dividido por 7  DPP (data provável do parto) 15/09/2006 DUM +7 -3 21/06/2007 DPP