SlideShare uma empresa Scribd logo
O DESENVOLVIMENTO PRÉ-NATAL E
O RECÉM NASCIDO
Acadêmicas : Flávia Mizerski , Jéssica Riélly, Maria
Fernanda e Taynara.
PRÉ-NATAL
 Pré-natal é a assistência médica (consultas,
avaliações e exames) prestada à mulher durante o
período da gravidez.
 O pré-natal destina-se a garantir o melhor estado
de saúde possível para a mãe e o bebê no
momento do parto. Pode-se mesmo dizer que o
pré-natal deve começar antes da gravidez, como
uma preparação para engravidar.
 Geralmente o pré-natal reduz o número de
nascimentos prematuros, evita cesarianos
desnecessários, reduz os nascimentos com baixo
peso e as complicações como a hipertensão
arterial e a transmissão vertical (da mãe para o
feto) de patologias transmissíveis.
FREQUÊNCIA NAS CONSULTAS
 Embora o número de consultas varie de acordo com
o médico e também com as necessidades da
gestação, em geral a paciente é orientada a retornar
ao consultório mensalmente até o sétimo mês da
gravidez. No oitavo, são duas visitas de 15 em 15
dias, já no nono e no último mês o encontro com o
médico passa a ser semanal.
 Essa agenda repleta de compromissos serve para
cuidar da saúde da mãe e do bebê, como também
para acompanhar o desenvolvimento do bebê.
FREQUÊNCIA NAS CONSULTAS
 Abaixo segue alguns dos pontos abordados
durante as consultas de pré-natal:
 Medição da pressão arterial.
 Verificação do Peso
 Aferição da altura do útero e da circunferência
abdominal.
 Solicitação de exames (Laboratoriais, de imagens
e outros se necessário).
 Conversa com a paciente, para saber o seu estado
geral. (Como passou da última consulta até a
presente, sintomas dos quais apresentou, etc.)
EXAMES (OBRIGATÓRIOS)
 Glicemia, para controlar o nível de açúcar sanguíneo
que pode aumentar durante a gravidez. (No início da
gravidez, somente uma vez).
 Sorologia, para identificar se há HIV/AIDS no sangue da
mãe. (No início da gravidez, somente uma vez)
 Exame para detectar a sífilis, toxoplasmose, rubéola.
 Exame para detectar a presença do vírus da hepatite B.
(No início da gravidez, somente uma vez).
 Tipagem sanguínea e fator Rh. (No inicio)
 Exame de fezes. (No inicio)
 Hemograma, para determinar se há anemia ou
infecções. (Mais de uma vez, durante a gravidez)
 Exame de urina e/ou urinocultura. (Frequentemente)
IMPORTÂNCIA DO PAI NA GESTAÇÃO
IMPORTÂNCIA DO PAI NA GESTAÇÃO
 "A importância do pai durante a gestação não se
restringe a apenas dar suporte físico à mulher. Sua
presença colabora para criar um vínculo familiar
entre pai, mãe e o filho, antes mesmo do
nascimento”.
INFLUÊNCIAS DA ALIMENTAÇÃO NA
GESTAÇÃO.
 O sangue do feto é o mesmo que o da mãe, por
isso, se deve ter cuidados com a alimentação, a
saúde da mãe influência diretamente no
desenvolvimento do bebê.
 A desnutrição pode ter como consequência o
retardamento cerebral e ter futuras limitações
mentais.
INFLUÊNCIAS DA ALIMENTAÇÃO NA
GESTAÇÃO.
 A gestante não deve engordar mais que 12 Kg,
“não se deve comer por dois”, o ganho de peso
excessivo pode ser prejudicial para a mãe e para o
bebê, podendo desencadear pressão alta, diabetes
gestacional e etc.
INFLUÊNCIAS DA ALIMENTAÇÃO NA
GESTAÇÃO.
 A dieta da mãe deve ser balanceada, incluindo
vitaminas e sais minerais (frutas e verduras),
proteínas (leite, carne e cereais), fibras (verduras,
aveias, trigo, milho, ...) gorduras e carboidratos
(pães, massas, doces), sendo que esses últimos
energéticos devem ser consumidos com
moderação.
 O ácido fólico possui grande importância na
gestação, pois evita defeitos no tubo neural.
 Resumindo a mãe deve comer um pouco de tudo,
sem exageros para não afetar o bebê.
RECÉM NASCIDO COM 6 KG, DEVIDO AO
GANHO DE PESO EXAGERADO DA MÃE!
RECÉM NASCIDO DESNUTRIDO /
PREMATURO- ABAIXO DE 2 KG
RECÉM NASCIDO SAUDÁVEL –
EM TORNO DE 3,5 KG / 4,5 KG
USO DE DROGAS NA GESTAÇÃO
 O uso de drogas mais pesadas na gravidez (cocaína,
anfetaminas, psicotrópicos e seus derivados) resultam em
lesões fetais que atrasam o desenvolvimento da criança. "O
nenê não cresce, ou cresce pouco na barriga da mãe. Pode
ocorrer a síndrome da abstinência fetal, com quadro
acompanhado de tremores e convulsão".
 Outro tipo de problema referente à gravidez está no consumo
do álcool, "uma droga lícita que causa a síndrome feto
alcoólica. Dependendo da idade gestacional e da quantidade
de álcool ingerido, pode levar à microcefalia, alteração grave
do sistema nervoso central (SNC), alteração ocular, e
cardiopatia congênita, que é quadro clínico da Síndrome Fetal
Alcoólica. É um processo irreversível"
 Quando a mãe ingere álcool em quantidade menor, depois do
terceiro ou quarto mês gestacional, o resultado não é a má
formação, mas uma discreta microcefalia, hiperatividade e
déficit de atenção, que é chamado de efeito feto alcoólico.
USO DE ÁLCOOL NA GESTAÇÃO
USO DE DROGAS NA GESTAÇÃO
RECÉM-NASCIDO
OBSERVANDO, CUIDANDO E CONHECENDO
O BEBÊ
 O bebê deve ser bem acolhido para se sentir
protegido.
 Não tenha medo de pegá-lo no colo, aproxime-o do
seu corpo, apoiando seu pescoço e sua cabeça.
Converse, cante, acaricie, embale, abrace, interaja
com o bebê.
 No início da vida o bebê dorme bastante. Para
garantir um bom sono é importante que ele durma
em lugar tranquilo, arejado e limpo.
 O bebê nunca deve dormir de barriga para baixo.
Recomenda-se que ele durma de barriga para
cima. Cuide para que a boca e o nariz não fiquem
cobertos.
o O bebê precisa de tranquilidade, evite levá-lo a
lugares onde haja muita gente e muito barulho.
o Não permita que fumem dentro de casa. A
fumaça faz mal a saúde, a criança não deve
receber colo por alguém que acabou de fumar.
o Evite usar produtos de limpeza com cheiro muito
forte.
o Proteja a criança de animais; mesmo os que são
de casa, pois podem ter reações imprevisíveis.
HIGIENE DO BEBÊ
o O Banho deve ser dado desde os primeiros
dias, numa banheira ou bacia com água
morna e sabonete neutro.
o Enxugue-o rápido para que ele não sinta frio,
não esquecendo de secar bem as dobrinhas
da pele e umbigo.
o O coto do umbigo costuma cair até o final
da segunda semana após o nascimento.
o Não coloque faixa, moedas, ou qualquer
outro objeto ou substância sobre o umbigo,
o modo correto de higienizá-lo é utilizando
álcool a 70%.
Para evitar assaduras, troque
as fraldas sempre que
estiverem molhadas ou sujas,
e limpe o bebê com pano ou
algodão umedecido. Não use
talco pois pode causar
sufocação no bebê.
AMAMENTAÇÃO: BENEFÍCIOS PARA O
BEBÊ
o O leite materno tem tudo o que o
bebê precisa até os 6 meses,
inclusive água e é de mais fácil
digestão do que qualquer outro
leite, porque foi feito para ele,
está sempre pronto e quentinho.
o Funciona como uma verdadeira
vacina, protegendo a criança de
muitas doenças.
o Favorece o contato mais íntimo entre mãe
bebê.
o O ato de sugar favorece o desenvolvimento
da face da criança, ajuda a ter dentes
bonitos, desenvolver a fala e ter uma boa
respiração.
AMAMENTAÇÃO: BENEFÍCIOS PARA A MÃE
 Reduz o peso mais rapidamente após o parto.
 Ajuda o útero a recuperar seu tamanho normal,
diminuindo o risco de anemia após o parto.
 Reduz risco de diabetes, câncer de mama e de
ovário.
 Pode ser um método natural para evitar uma nova
gravidez nos primeiros 6 meses desde que a mãe
ainda não tenha menstruado e esteja
amamentando exclusivamente (o bebê não recebe
outro tipo de alimento) a cada 2 ou 3 horas e em
livre demanda, ou seja, de dia e noite, sempre que
o bebê quiser.
COMO TORNAR A AMAMENTAÇÃO
MAIS TRANQUILA E PRAZEROSA?
 Com os primeiros meses o bebê ainda não tem horário
para mamar, mas com o passar do tempo ele faz seu
horário.
 Cada bebê tem seu ritmo de mamar, o que deve ser
respeitado, por isso deixe que ele mame até ficar
satisfeito. Espere que ele esvazie bem a mama e então
ofereça a outra se ele quiser, é importante que as
mamas fiquem vazias, pois esse processo melhora a
produção do leite.
 O leite do início da mamada possui mais água e mata a
sede do bebê, além de ser rico em proteína e
anticorpos, e no fim possui mais gordura e por isso
mata a fome do bebê e faz com que ele ganhe mais
peso, por isso é importante que o bebê sugue todo o
leite do seio.
 As mamadas devem sempre começar pelo
último seio que o bebê sugou na mamada
anterior, pois no início ele tem mais fome e
suga com mais força, isso permite que as
duas mamas sejam bem esvaziadas.
 A melhor posição para amamentar é aquela
que a mãe e o bebê sintam-se confortáveis, a
amamentação deve ser prazerosa para os
dois.
 Durante a amamentação o bebê deve estar
virado para a mãe, bem junto de seu corpo,
bem apoiado e com os braços livres.
POSIÇÕES DE AMAMENTAÇÃO
 A cabeça do bebê deve ficar de frente para o
peito e o nariz bem na frente do mamilo. Só
coloque o bebê para sugar quando ele estiver
com a boca bem aberta.
 Quando o bebê pega bem o peito o queixo
encosta na mama, os lábios ficam virados para
fora. O nariz fica livre e aparece mais a aréola
na parte de cima da boca do bebê do que na
parte de baixo.
 Quando for preciso tirar o bebê do peito
sem que ele machuque o mamilo, a mãe
pode colocar o dedo mínimo no canto da
boca do bebê, entre as gengivas.
 Depois da mamada é importante colocar
o bebê em posição vertical para que ele
possa arrotar.
 Se a mãe tiver excesso de leite, ela pode
doá-lo a um Banco de Leite Humano e ajudar
outros bebes que necessitam de leite
humano, para mais informações procure a
unidade de saúde mais perto de sua casa.
 É importante saber que a mãe deve se cuidar
bem evitando bebidas alcoólicas, cigarros e
outras drogas. Os medicamentos que a mãe
toma podem passar para o bebê, por isso
deve tomar medicamentos apenas com
orientação médica.
 O uso de mamadeiras e chupetas podem
atrapalhar a amamentação, além disso
podem causar problemas na dentição e na
fala.
COMO PREVENIR PROBLEMAS NA
AMAMENTAÇÃO
 Certos cuidados são importantes para prevenir
problemas como rachaduras no bico do peito, seio
empedrado, entre outros.
 Por isso é importante que o bebê pegue
corretamente a mama.
 Os seios devem ser higienizados apenas com água
evitando sabonetes, cremes e pomadas, pois
causam ressecamento na aréola. Não é necessário
lavá-los toda vez que for amamentar.
 Se a mama estiver muito cheia e endurecida retire
um pouco de leite e passe na aréola, esse
processo amacia a aréola.
 Rachaduras no bico do peito: As
rachaduras podem ser sinal de que é preciso
melhorar o jeito do bebê pegar o peito, a mãe
pode passar leite na rachadura, se não houver
melhora é bom procurar ajuda do serviço de
saúde.
 Mamas empedradas: Quando isso
acontece é preciso esvaziar bem as mamas,
para isso a amamentação deve acontecer com
mais frequência, sem horários fixos, inclusive à
noite. É importante que a mãe retire um pouco
de leite antes da mamada para amolecer a
mama e facilitar que o bebê pegue o peito, se
houver piora a mãe deve procurar ajuda no
serviço de saúde.
 Pouco leite: Para manter uma boa quantidade
de leite é importante que a mãe amamente com
frequência. A sucção é o maior estimulo à produção
de leite, por isso quanto mais ele sugar, mais leite a
mãe produzirá. A mãe pode observar se o leite está
sendo suficiente para o bebê através do peso que
ele vai adquirindo e se ele está dormindo bem, se a
mãe achar que está com pouco leite deve procurar
orientação no serviço de saúde.
O MITO DO LEITE FRACO
 Não existe leite fraco! Todo leite materno é forte e
bom.
 A cor do leite pode variar de mulher para mulher,
mas isso não significa que ele seja fraco.
 Em alguns casos o leite demora de 3 a 4 para
descer após o nascimento do bebê, mas é
importante que a mãe mantenha-se calma, pois em
casos de ansiedade podem afetar esta descida, o
marido e a família podem servir de apoio nesta
questão.
 A mãe é capaz de alimentar seu filho até os
primeiros seis meses de idade apenas com o seu
leite.
ACOMPANHANDO A SAÚDE DA CRIANÇA
o Para que a criança cresça e se desenvolva bem é
fundamental ter um acompanhamento em uma
unidade de saúde.
o Nas consultas de rotina esclareça suas dúvidas e
peça orientações sobre os cuidados necessários
para que a criança tenha uma boa saúde e um
desenvolvimento saudável.
 As consultas de rotina são de grande
importância para avaliar e orientar sobre a
alimentação da criança, o peso, comprimento
ou altura e perímetro cefálico (até os 2 anos
de idade), vacinas, desenvolvimento, entre
outros.
 Acompanhe o desenvolvimento do seu filho
juntamente com um profissional de saúde,
se achar que algo não vai bem alerte-o para
que possa examiná-lo melhor.
 Conversar, acariciar e brincar com a
criança desde o nascimento é muito
importante para o seu
desenvolvimento.
 Desenvolver-se é crescer, aprender,
fazer coisas novas e diferentes, cada
criança tem um jeito próprio de se
desenvolver e o papel dos pais é
estimular um desenvolvimento sadio e
seguro para seus filhos.
Mulher,
Prepara-te para o momento sublime!
Vive dentro de ti uma criança
Que está ansiosa para nascer, viver
E te chamar carinhosamente de Mamãe.
(Autor desconhecido)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aleitamento Materno
Aleitamento Materno Aleitamento Materno
Aleitamento Materno
blogped1
 
ALEITAMENTO MATERNO
ALEITAMENTO MATERNOALEITAMENTO MATERNO
ALEITAMENTO MATERNO
Lara Martins
 
Aleitamento Materno - album seriado do MS/UNICEF
Aleitamento Materno - album seriado do MS/UNICEFAleitamento Materno - album seriado do MS/UNICEF
Aleitamento Materno - album seriado do MS/UNICEF
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
Complicações na gestação
Complicações na gestaçãoComplicações na gestação
Complicações na gestação
Alinebrauna Brauna
 
A Importância do Pré-Natal
A Importância do Pré-NatalA Importância do Pré-Natal
A Importância do Pré-Natal
UEA - Universidade do Estado do Amazonas
 
Grupo com gestantes
Grupo com gestantesGrupo com gestantes
Grupo com gestantes
Alinebrauna Brauna
 
AMAMENTAÇÃO
AMAMENTAÇÃOAMAMENTAÇÃO
AMAMENTAÇÃO
blogped1
 
Assistência de enfermagem em neonatologia
Assistência de enfermagem em neonatologiaAssistência de enfermagem em neonatologia
Assistência de enfermagem em neonatologia
Amanda Corrêa
 
Mitos e verdades sobre amamentação
Mitos  e verdades sobre amamentaçãoMitos  e verdades sobre amamentação
Mitos e verdades sobre amamentação
Isaque Reis
 
Pré Natal E GestaçãO De Alto Risco
Pré Natal E GestaçãO De Alto RiscoPré Natal E GestaçãO De Alto Risco
Pré Natal E GestaçãO De Alto Risco
chirlei ferreira
 
Slide Aleitamento materno
Slide Aleitamento materno Slide Aleitamento materno
Slide Aleitamento materno
Juliana Maciel
 
Agosto Dourado 2021: Proteger a Amamentação
Agosto Dourado 2021: Proteger a AmamentaçãoAgosto Dourado 2021: Proteger a Amamentação
Aleitamento
AleitamentoAleitamento
Aleitamento
Solange Broggine
 
Informações Básicas (Cuidados com o RN e Amamentação)
Informações Básicas (Cuidados com o RN e Amamentação)Informações Básicas (Cuidados com o RN e Amamentação)
Informações Básicas (Cuidados com o RN e Amamentação)
Neto Pontes
 
Assistencia de-enfermagem-em-puericultura
Assistencia de-enfermagem-em-puericulturaAssistencia de-enfermagem-em-puericultura
Assistencia de-enfermagem-em-puericultura
EDSON ALAN QUEIROZ
 
Aleitamento materno outubro 2011
Aleitamento materno outubro 2011Aleitamento materno outubro 2011
Aleitamento materno outubro 2011
Walquíria Domingues
 
5° AULA - Assistência de Enfermagem no PARTO-PUÉRPERIO.pptx
5° AULA - Assistência de Enfermagem no PARTO-PUÉRPERIO.pptx5° AULA - Assistência de Enfermagem no PARTO-PUÉRPERIO.pptx
5° AULA - Assistência de Enfermagem no PARTO-PUÉRPERIO.pptx
Natasha Louise
 
AssistêNcia Ao Parto
AssistêNcia Ao PartoAssistêNcia Ao Parto
AssistêNcia Ao Parto
chirlei ferreira
 
Aleitamento materno
Aleitamento maternoAleitamento materno
Aleitamento materno
GisleneDmingos
 
Pré natal
Pré natalPré natal

Mais procurados (20)

Aleitamento Materno
Aleitamento Materno Aleitamento Materno
Aleitamento Materno
 
ALEITAMENTO MATERNO
ALEITAMENTO MATERNOALEITAMENTO MATERNO
ALEITAMENTO MATERNO
 
Aleitamento Materno - album seriado do MS/UNICEF
Aleitamento Materno - album seriado do MS/UNICEFAleitamento Materno - album seriado do MS/UNICEF
Aleitamento Materno - album seriado do MS/UNICEF
 
Complicações na gestação
Complicações na gestaçãoComplicações na gestação
Complicações na gestação
 
A Importância do Pré-Natal
A Importância do Pré-NatalA Importância do Pré-Natal
A Importância do Pré-Natal
 
Grupo com gestantes
Grupo com gestantesGrupo com gestantes
Grupo com gestantes
 
AMAMENTAÇÃO
AMAMENTAÇÃOAMAMENTAÇÃO
AMAMENTAÇÃO
 
Assistência de enfermagem em neonatologia
Assistência de enfermagem em neonatologiaAssistência de enfermagem em neonatologia
Assistência de enfermagem em neonatologia
 
Mitos e verdades sobre amamentação
Mitos  e verdades sobre amamentaçãoMitos  e verdades sobre amamentação
Mitos e verdades sobre amamentação
 
Pré Natal E GestaçãO De Alto Risco
Pré Natal E GestaçãO De Alto RiscoPré Natal E GestaçãO De Alto Risco
Pré Natal E GestaçãO De Alto Risco
 
Slide Aleitamento materno
Slide Aleitamento materno Slide Aleitamento materno
Slide Aleitamento materno
 
Agosto Dourado 2021: Proteger a Amamentação
Agosto Dourado 2021: Proteger a AmamentaçãoAgosto Dourado 2021: Proteger a Amamentação
Agosto Dourado 2021: Proteger a Amamentação
 
Aleitamento
AleitamentoAleitamento
Aleitamento
 
Informações Básicas (Cuidados com o RN e Amamentação)
Informações Básicas (Cuidados com o RN e Amamentação)Informações Básicas (Cuidados com o RN e Amamentação)
Informações Básicas (Cuidados com o RN e Amamentação)
 
Assistencia de-enfermagem-em-puericultura
Assistencia de-enfermagem-em-puericulturaAssistencia de-enfermagem-em-puericultura
Assistencia de-enfermagem-em-puericultura
 
Aleitamento materno outubro 2011
Aleitamento materno outubro 2011Aleitamento materno outubro 2011
Aleitamento materno outubro 2011
 
5° AULA - Assistência de Enfermagem no PARTO-PUÉRPERIO.pptx
5° AULA - Assistência de Enfermagem no PARTO-PUÉRPERIO.pptx5° AULA - Assistência de Enfermagem no PARTO-PUÉRPERIO.pptx
5° AULA - Assistência de Enfermagem no PARTO-PUÉRPERIO.pptx
 
AssistêNcia Ao Parto
AssistêNcia Ao PartoAssistêNcia Ao Parto
AssistêNcia Ao Parto
 
Aleitamento materno
Aleitamento maternoAleitamento materno
Aleitamento materno
 
Pré natal
Pré natalPré natal
Pré natal
 

Destaque

Desenvolvimento prénatal
Desenvolvimento prénatalDesenvolvimento prénatal
Desenvolvimento prénatal
psicologiaazambuja
 
Pre Natal
Pre NatalPre Natal
Pre Natal
ITPAC PORTO
 
Pré Natal
Pré  NatalPré  Natal
Pré Natal
Gláucia Marchini
 
Desenvolvimento pré natal
Desenvolvimento pré natalDesenvolvimento pré natal
Desenvolvimento pré natal
Sarah Noleto
 
Assistência pré natal
Assistência pré natalAssistência pré natal
Assistência pré natal
Heloísa Ximenes
 
Apresentação gestantes
Apresentação gestantesApresentação gestantes
Apresentação gestantes
Juliane Stivanin da Silva
 
Etapas do desenvolvimento pré natal2011
Etapas do desenvolvimento pré natal2011Etapas do desenvolvimento pré natal2011
Etapas do desenvolvimento pré natal2011
UNISUL
 
Pré-Natal Baixo Risco
Pré-Natal Baixo RiscoPré-Natal Baixo Risco
Pré-Natal Baixo Risco
HIURYGOMES
 
Assistência pré natal
Assistência pré  natalAssistência pré  natal
Assistência pré natal
Lucas Ferreira
 
Acompanhamento do crescimento e desenvolvimento da criança
Acompanhamento do crescimento e desenvolvimento da criançaAcompanhamento do crescimento e desenvolvimento da criança
Acompanhamento do crescimento e desenvolvimento da criança
EDSON ALAN QUEIROZ
 
Fase do desenvolvimento
Fase do desenvolvimentoFase do desenvolvimento
Fase do desenvolvimento
Gil Pereira
 
Desenvolvimento do bebe dos 0 aos 6 meses de idade
Desenvolvimento do bebe dos 0 aos 6 meses de idadeDesenvolvimento do bebe dos 0 aos 6 meses de idade
Desenvolvimento do bebe dos 0 aos 6 meses de idade
astraquinasns
 
Medicamentos na gravidez e lactação
Medicamentos na gravidez e lactaçãoMedicamentos na gravidez e lactação
Medicamentos na gravidez e lactação
Felipe Assan Remondi
 
Medicamentos na gravidez
Medicamentos na gravidezMedicamentos na gravidez
Medicamentos na gravidez
Alinebrauna Brauna
 
Uso seguro de medicamentos na gravidez e lactação 2
Uso seguro de medicamentos na gravidez e lactação 2Uso seguro de medicamentos na gravidez e lactação 2
Uso seguro de medicamentos na gravidez e lactação 2
Eduardo Cordioli
 
Desenvolvimento infância
Desenvolvimento infânciaDesenvolvimento infância
Desenvolvimento infância
psicologiaazambuja
 
Alimentação na Gestação
Alimentação na GestaçãoAlimentação na Gestação
Alimentação na Gestação
Julio Cesar Dessoy
 
Cuidados com o rn
Cuidados com o rnCuidados com o rn
Cuidados com o rn
Alinebrauna Brauna
 
Assistência de enfermagem ao recém nascido prematuro
Assistência de enfermagem ao recém nascido prematuroAssistência de enfermagem ao recém nascido prematuro
Assistência de enfermagem ao recém nascido prematuro
Juliana Maciel
 
Gestação
GestaçãoGestação
Gestação
Sandra Semedo
 

Destaque (20)

Desenvolvimento prénatal
Desenvolvimento prénatalDesenvolvimento prénatal
Desenvolvimento prénatal
 
Pre Natal
Pre NatalPre Natal
Pre Natal
 
Pré Natal
Pré  NatalPré  Natal
Pré Natal
 
Desenvolvimento pré natal
Desenvolvimento pré natalDesenvolvimento pré natal
Desenvolvimento pré natal
 
Assistência pré natal
Assistência pré natalAssistência pré natal
Assistência pré natal
 
Apresentação gestantes
Apresentação gestantesApresentação gestantes
Apresentação gestantes
 
Etapas do desenvolvimento pré natal2011
Etapas do desenvolvimento pré natal2011Etapas do desenvolvimento pré natal2011
Etapas do desenvolvimento pré natal2011
 
Pré-Natal Baixo Risco
Pré-Natal Baixo RiscoPré-Natal Baixo Risco
Pré-Natal Baixo Risco
 
Assistência pré natal
Assistência pré  natalAssistência pré  natal
Assistência pré natal
 
Acompanhamento do crescimento e desenvolvimento da criança
Acompanhamento do crescimento e desenvolvimento da criançaAcompanhamento do crescimento e desenvolvimento da criança
Acompanhamento do crescimento e desenvolvimento da criança
 
Fase do desenvolvimento
Fase do desenvolvimentoFase do desenvolvimento
Fase do desenvolvimento
 
Desenvolvimento do bebe dos 0 aos 6 meses de idade
Desenvolvimento do bebe dos 0 aos 6 meses de idadeDesenvolvimento do bebe dos 0 aos 6 meses de idade
Desenvolvimento do bebe dos 0 aos 6 meses de idade
 
Medicamentos na gravidez e lactação
Medicamentos na gravidez e lactaçãoMedicamentos na gravidez e lactação
Medicamentos na gravidez e lactação
 
Medicamentos na gravidez
Medicamentos na gravidezMedicamentos na gravidez
Medicamentos na gravidez
 
Uso seguro de medicamentos na gravidez e lactação 2
Uso seguro de medicamentos na gravidez e lactação 2Uso seguro de medicamentos na gravidez e lactação 2
Uso seguro de medicamentos na gravidez e lactação 2
 
Desenvolvimento infância
Desenvolvimento infânciaDesenvolvimento infância
Desenvolvimento infância
 
Alimentação na Gestação
Alimentação na GestaçãoAlimentação na Gestação
Alimentação na Gestação
 
Cuidados com o rn
Cuidados com o rnCuidados com o rn
Cuidados com o rn
 
Assistência de enfermagem ao recém nascido prematuro
Assistência de enfermagem ao recém nascido prematuroAssistência de enfermagem ao recém nascido prematuro
Assistência de enfermagem ao recém nascido prematuro
 
Gestação
GestaçãoGestação
Gestação
 

Semelhante a Pré natal-e-recém-nascido

Aleitamento materno.pptx.pdf
Aleitamento materno.pptx.pdfAleitamento materno.pptx.pdf
Aleitamento materno.pptx.pdf
VeraLuciaPereira24
 
Campanha-Aleitamento Eva Mendes.pptx
Campanha-Aleitamento Eva Mendes.pptxCampanha-Aleitamento Eva Mendes.pptx
Campanha-Aleitamento Eva Mendes.pptx
LarissaVasconcelos32
 
Mini Banner - Aleitamento Materno
Mini Banner - Aleitamento MaternoMini Banner - Aleitamento Materno
Mini Banner - Aleitamento Materno
Neto Pontes
 
Leite materno padrão ouro da alimentação.pptx
Leite materno padrão ouro da alimentação.pptxLeite materno padrão ouro da alimentação.pptx
Leite materno padrão ouro da alimentação.pptx
BrunoMMorales
 
aleitamentomaterno_slide.pdf
aleitamentomaterno_slide.pdfaleitamentomaterno_slide.pdf
aleitamentomaterno_slide.pdf
Christina Almeida
 
O que não pode faltar na Primeira Visita Domiciliar ao Recém Nascido e à sua ...
O que não pode faltar na Primeira Visita Domiciliar ao Recém Nascido e à sua ...O que não pode faltar na Primeira Visita Domiciliar ao Recém Nascido e à sua ...
O que não pode faltar na Primeira Visita Domiciliar ao Recém Nascido e à sua ...
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 
Cartilhasmam
CartilhasmamCartilhasmam
Gravidez na adolescencia grupo c_9ºc
Gravidez na adolescencia grupo c_9ºcGravidez na adolescencia grupo c_9ºc
Gravidez na adolescencia grupo c_9ºc
gabinetedossegredos
 
E-book EuSaúde - Crianças
E-book EuSaúde - CriançasE-book EuSaúde - Crianças
E-book EuSaúde - Crianças
EuSaúde
 
Aleitamento album seriado unicef
Aleitamento album seriado unicefAleitamento album seriado unicef
Aleitamento album seriado unicef
Aline Melo de Aguiar
 
Album seriado am
Album seriado amAlbum seriado am
Album seriado am
Alinebrauna Brauna
 
Album seriado amamentação (Unicef, Min. Saúde)
Album seriado amamentação (Unicef, Min. Saúde)Album seriado amamentação (Unicef, Min. Saúde)
Album seriado amamentação (Unicef, Min. Saúde)
Dr. Benevenuto
 
Promovendo o aleitamento materno
Promovendo o aleitamento maternoPromovendo o aleitamento materno
Promovendo o aleitamento materno
gisa_legal
 
Folder "AMAMENTAÇÃO faz bem para o seu filho, para você e para o planeta"
Folder "AMAMENTAÇÃO faz bem para o seu filho, para você e para o planeta"Folder "AMAMENTAÇÃO faz bem para o seu filho, para você e para o planeta"
Folder "AMAMENTAÇÃO faz bem para o seu filho, para você e para o planeta"
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
Cartilha Odete Valadares
Cartilha Odete ValadaresCartilha Odete Valadares
Cartilha Odete Valadares
Rebeca - Doula
 
album_seriado_aleitamento_materno.pdf
album_seriado_aleitamento_materno.pdfalbum_seriado_aleitamento_materno.pdf
album_seriado_aleitamento_materno.pdf
AnaCardoso680770
 
Gravidez
GravidezGravidez
Gravidez
Bobilone
 
AMAMENTAÇÃO - livro digital para mães e pais do Click Bebê parte I
AMAMENTAÇÃO - livro digital para mães e pais do Click Bebê parte I AMAMENTAÇÃO - livro digital para mães e pais do Click Bebê parte I
AMAMENTAÇÃO - livro digital para mães e pais do Click Bebê parte I
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
Amamentação
AmamentaçãoAmamentação
Amamentação
Cleidenisia Daiana
 
04 gestação, amamentação e o recém nascido
04 gestação, amamentação e o recém nascido04 gestação, amamentação e o recém nascido
04 gestação, amamentação e o recém nascido
Praxis Educativa
 

Semelhante a Pré natal-e-recém-nascido (20)

Aleitamento materno.pptx.pdf
Aleitamento materno.pptx.pdfAleitamento materno.pptx.pdf
Aleitamento materno.pptx.pdf
 
Campanha-Aleitamento Eva Mendes.pptx
Campanha-Aleitamento Eva Mendes.pptxCampanha-Aleitamento Eva Mendes.pptx
Campanha-Aleitamento Eva Mendes.pptx
 
Mini Banner - Aleitamento Materno
Mini Banner - Aleitamento MaternoMini Banner - Aleitamento Materno
Mini Banner - Aleitamento Materno
 
Leite materno padrão ouro da alimentação.pptx
Leite materno padrão ouro da alimentação.pptxLeite materno padrão ouro da alimentação.pptx
Leite materno padrão ouro da alimentação.pptx
 
aleitamentomaterno_slide.pdf
aleitamentomaterno_slide.pdfaleitamentomaterno_slide.pdf
aleitamentomaterno_slide.pdf
 
O que não pode faltar na Primeira Visita Domiciliar ao Recém Nascido e à sua ...
O que não pode faltar na Primeira Visita Domiciliar ao Recém Nascido e à sua ...O que não pode faltar na Primeira Visita Domiciliar ao Recém Nascido e à sua ...
O que não pode faltar na Primeira Visita Domiciliar ao Recém Nascido e à sua ...
 
Cartilhasmam
CartilhasmamCartilhasmam
Cartilhasmam
 
Gravidez na adolescencia grupo c_9ºc
Gravidez na adolescencia grupo c_9ºcGravidez na adolescencia grupo c_9ºc
Gravidez na adolescencia grupo c_9ºc
 
E-book EuSaúde - Crianças
E-book EuSaúde - CriançasE-book EuSaúde - Crianças
E-book EuSaúde - Crianças
 
Aleitamento album seriado unicef
Aleitamento album seriado unicefAleitamento album seriado unicef
Aleitamento album seriado unicef
 
Album seriado am
Album seriado amAlbum seriado am
Album seriado am
 
Album seriado amamentação (Unicef, Min. Saúde)
Album seriado amamentação (Unicef, Min. Saúde)Album seriado amamentação (Unicef, Min. Saúde)
Album seriado amamentação (Unicef, Min. Saúde)
 
Promovendo o aleitamento materno
Promovendo o aleitamento maternoPromovendo o aleitamento materno
Promovendo o aleitamento materno
 
Folder "AMAMENTAÇÃO faz bem para o seu filho, para você e para o planeta"
Folder "AMAMENTAÇÃO faz bem para o seu filho, para você e para o planeta"Folder "AMAMENTAÇÃO faz bem para o seu filho, para você e para o planeta"
Folder "AMAMENTAÇÃO faz bem para o seu filho, para você e para o planeta"
 
Cartilha Odete Valadares
Cartilha Odete ValadaresCartilha Odete Valadares
Cartilha Odete Valadares
 
album_seriado_aleitamento_materno.pdf
album_seriado_aleitamento_materno.pdfalbum_seriado_aleitamento_materno.pdf
album_seriado_aleitamento_materno.pdf
 
Gravidez
GravidezGravidez
Gravidez
 
AMAMENTAÇÃO - livro digital para mães e pais do Click Bebê parte I
AMAMENTAÇÃO - livro digital para mães e pais do Click Bebê parte I AMAMENTAÇÃO - livro digital para mães e pais do Click Bebê parte I
AMAMENTAÇÃO - livro digital para mães e pais do Click Bebê parte I
 
Amamentação
AmamentaçãoAmamentação
Amamentação
 
04 gestação, amamentação e o recém nascido
04 gestação, amamentação e o recém nascido04 gestação, amamentação e o recém nascido
04 gestação, amamentação e o recém nascido
 

Último

-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
fagnerlopes11
 
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃOAUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
FernandaOliveira758273
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
JoanaFigueira11
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
SidneySilva523387
 
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
Manuais Formação
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
vinibolado86
 
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptxPsicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
TiagoLouro8
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 
Curativo de cateter venoso central na UTI.pdf
Curativo de cateter venoso central na UTI.pdfCurativo de cateter venoso central na UTI.pdf
Curativo de cateter venoso central na UTI.pdf
BiancaCristina75
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Mary Alvarenga
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
Crisnaiara
 
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.pptFUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
MarceloMonteiro213738
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
pamellaaraujo10
 
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdfUFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
Manuais Formação
 
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
Gênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9ºGênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9º
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
sjcelsorocha
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
CarlosJean21
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 

Último (20)

-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
 
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃOAUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
 
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
 
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptxPsicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 
Curativo de cateter venoso central na UTI.pdf
Curativo de cateter venoso central na UTI.pdfCurativo de cateter venoso central na UTI.pdf
Curativo de cateter venoso central na UTI.pdf
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
 
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.pptFUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
 
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdfUFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
 
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
Gênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9ºGênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9º
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 

Pré natal-e-recém-nascido

  • 1. O DESENVOLVIMENTO PRÉ-NATAL E O RECÉM NASCIDO Acadêmicas : Flávia Mizerski , Jéssica Riélly, Maria Fernanda e Taynara.
  • 2. PRÉ-NATAL  Pré-natal é a assistência médica (consultas, avaliações e exames) prestada à mulher durante o período da gravidez.  O pré-natal destina-se a garantir o melhor estado de saúde possível para a mãe e o bebê no momento do parto. Pode-se mesmo dizer que o pré-natal deve começar antes da gravidez, como uma preparação para engravidar.  Geralmente o pré-natal reduz o número de nascimentos prematuros, evita cesarianos desnecessários, reduz os nascimentos com baixo peso e as complicações como a hipertensão arterial e a transmissão vertical (da mãe para o feto) de patologias transmissíveis.
  • 3.
  • 4. FREQUÊNCIA NAS CONSULTAS  Embora o número de consultas varie de acordo com o médico e também com as necessidades da gestação, em geral a paciente é orientada a retornar ao consultório mensalmente até o sétimo mês da gravidez. No oitavo, são duas visitas de 15 em 15 dias, já no nono e no último mês o encontro com o médico passa a ser semanal.  Essa agenda repleta de compromissos serve para cuidar da saúde da mãe e do bebê, como também para acompanhar o desenvolvimento do bebê.
  • 5. FREQUÊNCIA NAS CONSULTAS  Abaixo segue alguns dos pontos abordados durante as consultas de pré-natal:  Medição da pressão arterial.  Verificação do Peso  Aferição da altura do útero e da circunferência abdominal.  Solicitação de exames (Laboratoriais, de imagens e outros se necessário).  Conversa com a paciente, para saber o seu estado geral. (Como passou da última consulta até a presente, sintomas dos quais apresentou, etc.)
  • 6. EXAMES (OBRIGATÓRIOS)  Glicemia, para controlar o nível de açúcar sanguíneo que pode aumentar durante a gravidez. (No início da gravidez, somente uma vez).  Sorologia, para identificar se há HIV/AIDS no sangue da mãe. (No início da gravidez, somente uma vez)  Exame para detectar a sífilis, toxoplasmose, rubéola.  Exame para detectar a presença do vírus da hepatite B. (No início da gravidez, somente uma vez).  Tipagem sanguínea e fator Rh. (No inicio)  Exame de fezes. (No inicio)  Hemograma, para determinar se há anemia ou infecções. (Mais de uma vez, durante a gravidez)  Exame de urina e/ou urinocultura. (Frequentemente)
  • 7. IMPORTÂNCIA DO PAI NA GESTAÇÃO
  • 8. IMPORTÂNCIA DO PAI NA GESTAÇÃO  "A importância do pai durante a gestação não se restringe a apenas dar suporte físico à mulher. Sua presença colabora para criar um vínculo familiar entre pai, mãe e o filho, antes mesmo do nascimento”.
  • 9. INFLUÊNCIAS DA ALIMENTAÇÃO NA GESTAÇÃO.  O sangue do feto é o mesmo que o da mãe, por isso, se deve ter cuidados com a alimentação, a saúde da mãe influência diretamente no desenvolvimento do bebê.  A desnutrição pode ter como consequência o retardamento cerebral e ter futuras limitações mentais.
  • 10. INFLUÊNCIAS DA ALIMENTAÇÃO NA GESTAÇÃO.  A gestante não deve engordar mais que 12 Kg, “não se deve comer por dois”, o ganho de peso excessivo pode ser prejudicial para a mãe e para o bebê, podendo desencadear pressão alta, diabetes gestacional e etc.
  • 11. INFLUÊNCIAS DA ALIMENTAÇÃO NA GESTAÇÃO.  A dieta da mãe deve ser balanceada, incluindo vitaminas e sais minerais (frutas e verduras), proteínas (leite, carne e cereais), fibras (verduras, aveias, trigo, milho, ...) gorduras e carboidratos (pães, massas, doces), sendo que esses últimos energéticos devem ser consumidos com moderação.  O ácido fólico possui grande importância na gestação, pois evita defeitos no tubo neural.  Resumindo a mãe deve comer um pouco de tudo, sem exageros para não afetar o bebê.
  • 12. RECÉM NASCIDO COM 6 KG, DEVIDO AO GANHO DE PESO EXAGERADO DA MÃE!
  • 13. RECÉM NASCIDO DESNUTRIDO / PREMATURO- ABAIXO DE 2 KG
  • 14. RECÉM NASCIDO SAUDÁVEL – EM TORNO DE 3,5 KG / 4,5 KG
  • 15. USO DE DROGAS NA GESTAÇÃO  O uso de drogas mais pesadas na gravidez (cocaína, anfetaminas, psicotrópicos e seus derivados) resultam em lesões fetais que atrasam o desenvolvimento da criança. "O nenê não cresce, ou cresce pouco na barriga da mãe. Pode ocorrer a síndrome da abstinência fetal, com quadro acompanhado de tremores e convulsão".  Outro tipo de problema referente à gravidez está no consumo do álcool, "uma droga lícita que causa a síndrome feto alcoólica. Dependendo da idade gestacional e da quantidade de álcool ingerido, pode levar à microcefalia, alteração grave do sistema nervoso central (SNC), alteração ocular, e cardiopatia congênita, que é quadro clínico da Síndrome Fetal Alcoólica. É um processo irreversível"  Quando a mãe ingere álcool em quantidade menor, depois do terceiro ou quarto mês gestacional, o resultado não é a má formação, mas uma discreta microcefalia, hiperatividade e déficit de atenção, que é chamado de efeito feto alcoólico.
  • 16. USO DE ÁLCOOL NA GESTAÇÃO
  • 17. USO DE DROGAS NA GESTAÇÃO
  • 18. RECÉM-NASCIDO OBSERVANDO, CUIDANDO E CONHECENDO O BEBÊ  O bebê deve ser bem acolhido para se sentir protegido.  Não tenha medo de pegá-lo no colo, aproxime-o do seu corpo, apoiando seu pescoço e sua cabeça. Converse, cante, acaricie, embale, abrace, interaja com o bebê.
  • 19.  No início da vida o bebê dorme bastante. Para garantir um bom sono é importante que ele durma em lugar tranquilo, arejado e limpo.  O bebê nunca deve dormir de barriga para baixo. Recomenda-se que ele durma de barriga para cima. Cuide para que a boca e o nariz não fiquem cobertos.
  • 20. o O bebê precisa de tranquilidade, evite levá-lo a lugares onde haja muita gente e muito barulho. o Não permita que fumem dentro de casa. A fumaça faz mal a saúde, a criança não deve receber colo por alguém que acabou de fumar. o Evite usar produtos de limpeza com cheiro muito forte. o Proteja a criança de animais; mesmo os que são de casa, pois podem ter reações imprevisíveis.
  • 21. HIGIENE DO BEBÊ o O Banho deve ser dado desde os primeiros dias, numa banheira ou bacia com água morna e sabonete neutro. o Enxugue-o rápido para que ele não sinta frio, não esquecendo de secar bem as dobrinhas da pele e umbigo.
  • 22. o O coto do umbigo costuma cair até o final da segunda semana após o nascimento. o Não coloque faixa, moedas, ou qualquer outro objeto ou substância sobre o umbigo, o modo correto de higienizá-lo é utilizando álcool a 70%.
  • 23. Para evitar assaduras, troque as fraldas sempre que estiverem molhadas ou sujas, e limpe o bebê com pano ou algodão umedecido. Não use talco pois pode causar sufocação no bebê.
  • 24. AMAMENTAÇÃO: BENEFÍCIOS PARA O BEBÊ o O leite materno tem tudo o que o bebê precisa até os 6 meses, inclusive água e é de mais fácil digestão do que qualquer outro leite, porque foi feito para ele, está sempre pronto e quentinho. o Funciona como uma verdadeira vacina, protegendo a criança de muitas doenças.
  • 25. o Favorece o contato mais íntimo entre mãe bebê. o O ato de sugar favorece o desenvolvimento da face da criança, ajuda a ter dentes bonitos, desenvolver a fala e ter uma boa respiração.
  • 26. AMAMENTAÇÃO: BENEFÍCIOS PARA A MÃE  Reduz o peso mais rapidamente após o parto.  Ajuda o útero a recuperar seu tamanho normal, diminuindo o risco de anemia após o parto.  Reduz risco de diabetes, câncer de mama e de ovário.  Pode ser um método natural para evitar uma nova gravidez nos primeiros 6 meses desde que a mãe ainda não tenha menstruado e esteja amamentando exclusivamente (o bebê não recebe outro tipo de alimento) a cada 2 ou 3 horas e em livre demanda, ou seja, de dia e noite, sempre que o bebê quiser.
  • 27. COMO TORNAR A AMAMENTAÇÃO MAIS TRANQUILA E PRAZEROSA?  Com os primeiros meses o bebê ainda não tem horário para mamar, mas com o passar do tempo ele faz seu horário.  Cada bebê tem seu ritmo de mamar, o que deve ser respeitado, por isso deixe que ele mame até ficar satisfeito. Espere que ele esvazie bem a mama e então ofereça a outra se ele quiser, é importante que as mamas fiquem vazias, pois esse processo melhora a produção do leite.  O leite do início da mamada possui mais água e mata a sede do bebê, além de ser rico em proteína e anticorpos, e no fim possui mais gordura e por isso mata a fome do bebê e faz com que ele ganhe mais peso, por isso é importante que o bebê sugue todo o leite do seio.
  • 28.  As mamadas devem sempre começar pelo último seio que o bebê sugou na mamada anterior, pois no início ele tem mais fome e suga com mais força, isso permite que as duas mamas sejam bem esvaziadas.  A melhor posição para amamentar é aquela que a mãe e o bebê sintam-se confortáveis, a amamentação deve ser prazerosa para os dois.  Durante a amamentação o bebê deve estar virado para a mãe, bem junto de seu corpo, bem apoiado e com os braços livres.
  • 30.  A cabeça do bebê deve ficar de frente para o peito e o nariz bem na frente do mamilo. Só coloque o bebê para sugar quando ele estiver com a boca bem aberta.  Quando o bebê pega bem o peito o queixo encosta na mama, os lábios ficam virados para fora. O nariz fica livre e aparece mais a aréola na parte de cima da boca do bebê do que na parte de baixo.
  • 31.
  • 32.  Quando for preciso tirar o bebê do peito sem que ele machuque o mamilo, a mãe pode colocar o dedo mínimo no canto da boca do bebê, entre as gengivas.  Depois da mamada é importante colocar o bebê em posição vertical para que ele possa arrotar.
  • 33.  Se a mãe tiver excesso de leite, ela pode doá-lo a um Banco de Leite Humano e ajudar outros bebes que necessitam de leite humano, para mais informações procure a unidade de saúde mais perto de sua casa.  É importante saber que a mãe deve se cuidar bem evitando bebidas alcoólicas, cigarros e outras drogas. Os medicamentos que a mãe toma podem passar para o bebê, por isso deve tomar medicamentos apenas com orientação médica.  O uso de mamadeiras e chupetas podem atrapalhar a amamentação, além disso podem causar problemas na dentição e na fala.
  • 34. COMO PREVENIR PROBLEMAS NA AMAMENTAÇÃO  Certos cuidados são importantes para prevenir problemas como rachaduras no bico do peito, seio empedrado, entre outros.  Por isso é importante que o bebê pegue corretamente a mama.  Os seios devem ser higienizados apenas com água evitando sabonetes, cremes e pomadas, pois causam ressecamento na aréola. Não é necessário lavá-los toda vez que for amamentar.  Se a mama estiver muito cheia e endurecida retire um pouco de leite e passe na aréola, esse processo amacia a aréola.
  • 35.  Rachaduras no bico do peito: As rachaduras podem ser sinal de que é preciso melhorar o jeito do bebê pegar o peito, a mãe pode passar leite na rachadura, se não houver melhora é bom procurar ajuda do serviço de saúde.  Mamas empedradas: Quando isso acontece é preciso esvaziar bem as mamas, para isso a amamentação deve acontecer com mais frequência, sem horários fixos, inclusive à noite. É importante que a mãe retire um pouco de leite antes da mamada para amolecer a mama e facilitar que o bebê pegue o peito, se houver piora a mãe deve procurar ajuda no serviço de saúde.
  • 36.  Pouco leite: Para manter uma boa quantidade de leite é importante que a mãe amamente com frequência. A sucção é o maior estimulo à produção de leite, por isso quanto mais ele sugar, mais leite a mãe produzirá. A mãe pode observar se o leite está sendo suficiente para o bebê através do peso que ele vai adquirindo e se ele está dormindo bem, se a mãe achar que está com pouco leite deve procurar orientação no serviço de saúde.
  • 37. O MITO DO LEITE FRACO  Não existe leite fraco! Todo leite materno é forte e bom.  A cor do leite pode variar de mulher para mulher, mas isso não significa que ele seja fraco.  Em alguns casos o leite demora de 3 a 4 para descer após o nascimento do bebê, mas é importante que a mãe mantenha-se calma, pois em casos de ansiedade podem afetar esta descida, o marido e a família podem servir de apoio nesta questão.  A mãe é capaz de alimentar seu filho até os primeiros seis meses de idade apenas com o seu leite.
  • 38. ACOMPANHANDO A SAÚDE DA CRIANÇA o Para que a criança cresça e se desenvolva bem é fundamental ter um acompanhamento em uma unidade de saúde. o Nas consultas de rotina esclareça suas dúvidas e peça orientações sobre os cuidados necessários para que a criança tenha uma boa saúde e um desenvolvimento saudável.
  • 39.  As consultas de rotina são de grande importância para avaliar e orientar sobre a alimentação da criança, o peso, comprimento ou altura e perímetro cefálico (até os 2 anos de idade), vacinas, desenvolvimento, entre outros.  Acompanhe o desenvolvimento do seu filho juntamente com um profissional de saúde, se achar que algo não vai bem alerte-o para que possa examiná-lo melhor.
  • 40.  Conversar, acariciar e brincar com a criança desde o nascimento é muito importante para o seu desenvolvimento.  Desenvolver-se é crescer, aprender, fazer coisas novas e diferentes, cada criança tem um jeito próprio de se desenvolver e o papel dos pais é estimular um desenvolvimento sadio e seguro para seus filhos.
  • 41. Mulher, Prepara-te para o momento sublime! Vive dentro de ti uma criança Que está ansiosa para nascer, viver E te chamar carinhosamente de Mamãe. (Autor desconhecido)