SlideShare uma empresa Scribd logo
Faculdade Anhanguera de Rondonópolis
             Ademir Beccegatto Junior
              Diego da Silva Ferreira
              Luiz Fernando Paulino
            Samuel Pinheiro de Andrade
             Vinícius Pires de Oliveira




Contabilidade Gerencial Financeira



                Rondonópolis
                   2012
Custeio Do Ciclo De Vida Total Do Produto

    Os custos estão presentes em todas as atividades
econômico-administrativas e são de grande importância para
uma boa gestão diante dos objetivos traçados. Custo para
tomada de decisões é considerado como um elemento
estratégico que tem a finalidade em dar suporte aos
gestores quanto à forma de maximização da riqueza dos
investidores. Assim, o correto gerenciamento dos custos do
ciclo de vida de um produto é um fator de extrema
importância para saber como este produto está se
comportando na indústria.
A idéia de que existem fases na vida de um produto ou um
serviço é considerada antiga, porém o que é recente na gestão
dos custos é o uso desses para fins de avaliação de um sistema
de custeio. As empresas já poderão projetar, com
antecedência, nas primeiras fases (pré-operacionais) de
formação do produto, os custos da fabricação deste produto.
Este fato facilita a obtenção de uma redução de custos mais
significativa, para as empresas que buscam uma maior
competitividade. E, devido à evolução acelerada da tecnologia
da informação, a gestão do ciclo de vida dos produtos passará
a ser mais efetiva ou, pelo menos, deverá receber uma forte
influência dessa grande competitividade.
Ciclo de vida do produto

    O ciclo de vida do produto pode ser dividido em duas
visões distintas: a do fabricante e a do consumidor. A do
fabricante vai desde a idéia inicial, onde é analisada a
questão do custo-benefício para o cliente final, até o término
da garantia da última unidade produzida. Já a fase do
consumidor que vai desde a decisão da compra até o
término de sua vida útil, que pode ser o descarte ou eventual
repasse a terceiros.
Conceito de custeio

    Para sintetizar o conceito de custeio do ciclo de vida,
pode-se afirmar que é necessário separá-lo em dois estágios:
o custeio do fabricante e o custeio do usuário ou consumidor
final. O fabricante deverá identificar e acumular todos os
custos envolvidos com o produto, desde o início (projeto e
planejamento dos gastos que acontecerá no término do
último produto ou serviço). Já o custeio do usuário deverá
computar os custos, desde a compra do produto ou serviço
até se desfazer do mesmo, que pode ser pela venda ou
descarte. 
Evolução e Mudança na Contabilidade
                  Gerencial
    "O campo da atividade organizacional abarcado pela
contabilidade gerencial foi desenvolvido através de quatro
estágios reconhecíveis.


• Estágio 1 - antes de 1950, o foco era na determinação do
custo e controle financeiro, através do uso das tecnologias
de orçamento e contabilidade de custos;
• Estágio 2 - por volta de 1965, o foco foi mudado para o
fornecimento de informação para o controle e planejamento
gerencial, através do uso de tecnologias tais como análise de
decisão e contabilidade por responsabilidade;
• Estágio 3 - por volta de 1985, a atenção foi focada na
redução do desperdício de recursos usados nos processos de
negócios, através do uso das tecnologias de análise do
processo e administração estratégica de custos;
• Estágio 4 - por volta de 1995, a atenção foi mudada para a
geração ou criação de valor através do uso efetivo dos
recursos, através do uso de tecnologias tais como exame dos
direcionadores de valor ao cliente, valor para o acionista, e
inovação organizacional."
Valor Econômico Adicionado (EVA – Economic
                  Value Added)
    Na área de finanças, mais ligado à análise de
investimentos, surgiu o conceito de EVA/MVA - Valor
Econômico Adicionado/Valor Adicionado de Mercado.
Conforme       Atkinson,   Banker,     Kaplan     &     Young,
"recentemente, um número de analistas e consultores tem
proposto o uso do valor econômico adicionado como
ferramenta para avaliação do desempenho da
organização...o analista ajusta o lucro contábil, corrigindo-o
com que os proponentes do valor econômico adicionado
consideram para sua visão conservadora. Por exemplo, os
ajustes incluem a capitalização e amortização de custos
significativos de lançamento de produtos. A seguir o analista
computa a importância do investimento na organização e
deriva o valor econômico adicionado como segue:
A seguir o analista computa a importância do investimento
na organização e deriva o valor econômico adicionado como
segue:


Valor Econômico Adicionado = Lucro Contábil Ajustado


(-) Custo de Capital x Nível de Investimento.


Na realidade pode-se dizer que o conceito do EVA nada mais
é do que uma aplicação do conceito de custo de
oportunidade do capital e do conceito de manutenção do
capital financeiro da empresa.
Obrigado pela Atenção.

         Fim

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

MRP na prática - gerenciamento da produção
MRP na prática - gerenciamento da produção MRP na prática - gerenciamento da produção
MRP na prática - gerenciamento da produção
Nara Oliveira
 
Qualidade
QualidadeQualidade
Qualidade
José Luismar
 
ISO9001
ISO9001ISO9001
Qualidade de Processo A Série ISO 9000
Qualidade de Processo A Série ISO 9000Qualidade de Processo A Série ISO 9000
Qualidade de Processo A Série ISO 9000
elliando dias
 
Guia de utilização iso9001 2015
Guia de utilização iso9001 2015Guia de utilização iso9001 2015
Guia de utilização iso9001 2015
Denyse Evany Silveira Marquini
 
TP1 - Gestão da Qualidade
TP1 - Gestão da QualidadeTP1 - Gestão da Qualidade
TP1 - Gestão da Qualidade
Cristiana
 
Aula 01 Introdução – SGQ ISO 9001:2015
Aula 01 Introdução – SGQ ISO 9001:2015Aula 01 Introdução – SGQ ISO 9001:2015
Aula 01 Introdução – SGQ ISO 9001:2015
Claudio Bernardi Stringari
 
Iso 9000 e séries
Iso  9000 e sériesIso  9000 e séries
Iso 9000 e séries
R Gómez
 
Gestão da Produção
Gestão da ProduçãoGestão da Produção
Gestão da Produção
Nelson Oliveira
 
Contabilidade basica
Contabilidade basicaContabilidade basica
Contabilidade basica
jfsead
 
SIPOC
SIPOCSIPOC
Manual avaliação fornecedores
Manual avaliação fornecedoresManual avaliação fornecedores
Manual avaliação fornecedores
mjmcreatore
 
Manual 0620[1]
Manual 0620[1]Manual 0620[1]
Manual 0620[1]
lurdesRocha7
 
Racionalização e Otimização de Despesas
Racionalização e Otimização de DespesasRacionalização e Otimização de Despesas
Racionalização e Otimização de Despesas
EloGroup
 
Diagrama de Rede e Cronograma
Diagrama de Rede e CronogramaDiagrama de Rede e Cronograma
Diagrama de Rede e Cronograma
Marcelo Coutinho
 
Aula 16 - 10 Planejamento da Auditoria de demonstrações contábeis
Aula 16 - 10  Planejamento da Auditoria de demonstrações contábeisAula 16 - 10  Planejamento da Auditoria de demonstrações contábeis
Aula 16 - 10 Planejamento da Auditoria de demonstrações contábeis
Secretaria de Estado da Tributação do RN
 
Cronoanálise.pdf
Cronoanálise.pdfCronoanálise.pdf
Cronoanálise.pdf
KellyDuarte40
 
Aula 13 Natureza Do Planejamento E Controle
Aula 13   Natureza Do Planejamento E ControleAula 13   Natureza Do Planejamento E Controle
Aula 13 Natureza Do Planejamento E Controle
guesteb91dafb
 
Gestão da qualidade
Gestão da qualidadeGestão da qualidade
Gestão da qualidade
Adriano Pereira
 
Capacidade de-producao
Capacidade de-producaoCapacidade de-producao
Capacidade de-producao
Kris Podovec
 

Mais procurados (20)

MRP na prática - gerenciamento da produção
MRP na prática - gerenciamento da produção MRP na prática - gerenciamento da produção
MRP na prática - gerenciamento da produção
 
Qualidade
QualidadeQualidade
Qualidade
 
ISO9001
ISO9001ISO9001
ISO9001
 
Qualidade de Processo A Série ISO 9000
Qualidade de Processo A Série ISO 9000Qualidade de Processo A Série ISO 9000
Qualidade de Processo A Série ISO 9000
 
Guia de utilização iso9001 2015
Guia de utilização iso9001 2015Guia de utilização iso9001 2015
Guia de utilização iso9001 2015
 
TP1 - Gestão da Qualidade
TP1 - Gestão da QualidadeTP1 - Gestão da Qualidade
TP1 - Gestão da Qualidade
 
Aula 01 Introdução – SGQ ISO 9001:2015
Aula 01 Introdução – SGQ ISO 9001:2015Aula 01 Introdução – SGQ ISO 9001:2015
Aula 01 Introdução – SGQ ISO 9001:2015
 
Iso 9000 e séries
Iso  9000 e sériesIso  9000 e séries
Iso 9000 e séries
 
Gestão da Produção
Gestão da ProduçãoGestão da Produção
Gestão da Produção
 
Contabilidade basica
Contabilidade basicaContabilidade basica
Contabilidade basica
 
SIPOC
SIPOCSIPOC
SIPOC
 
Manual avaliação fornecedores
Manual avaliação fornecedoresManual avaliação fornecedores
Manual avaliação fornecedores
 
Manual 0620[1]
Manual 0620[1]Manual 0620[1]
Manual 0620[1]
 
Racionalização e Otimização de Despesas
Racionalização e Otimização de DespesasRacionalização e Otimização de Despesas
Racionalização e Otimização de Despesas
 
Diagrama de Rede e Cronograma
Diagrama de Rede e CronogramaDiagrama de Rede e Cronograma
Diagrama de Rede e Cronograma
 
Aula 16 - 10 Planejamento da Auditoria de demonstrações contábeis
Aula 16 - 10  Planejamento da Auditoria de demonstrações contábeisAula 16 - 10  Planejamento da Auditoria de demonstrações contábeis
Aula 16 - 10 Planejamento da Auditoria de demonstrações contábeis
 
Cronoanálise.pdf
Cronoanálise.pdfCronoanálise.pdf
Cronoanálise.pdf
 
Aula 13 Natureza Do Planejamento E Controle
Aula 13   Natureza Do Planejamento E ControleAula 13   Natureza Do Planejamento E Controle
Aula 13 Natureza Do Planejamento E Controle
 
Gestão da qualidade
Gestão da qualidadeGestão da qualidade
Gestão da qualidade
 
Capacidade de-producao
Capacidade de-producaoCapacidade de-producao
Capacidade de-producao
 

Destaque

Custo do Ciclo de Vida (LCC) e Efetividade: Conceitos e Princípios
Custo do Ciclo de Vida (LCC) e Efetividade: Conceitos e PrincípiosCusto do Ciclo de Vida (LCC) e Efetividade: Conceitos e Princípios
Custo do Ciclo de Vida (LCC) e Efetividade: Conceitos e Princípios
Antonio Sallum Librelato
 
Aplicação dos métodos de custeio variável, por absorção e pleno no segmento d...
Aplicação dos métodos de custeio variável, por absorção e pleno no segmento d...Aplicação dos métodos de custeio variável, por absorção e pleno no segmento d...
Aplicação dos métodos de custeio variável, por absorção e pleno no segmento d...
FCV - Faculdade Cidade Verde
 
Trabalho final kaizen~ (1)
Trabalho final kaizen~ (1)Trabalho final kaizen~ (1)
Trabalho final kaizen~ (1)
Moises Ribeiro
 
Custos metodos de custeio
Custos metodos de custeioCustos metodos de custeio
Custos metodos de custeio
custos contabil
 
Custos principais métodos de custeio
Custos principais métodos de custeioCustos principais métodos de custeio
Custos principais métodos de custeio
custos contabil
 
Manual de inspeção e manutenção de correias transportadoras
Manual de inspeção e manutenção de correias transportadorasManual de inspeção e manutenção de correias transportadoras
Manual de inspeção e manutenção de correias transportadoras
Valmir Mendes
 
Estudo de caso da cadeia de suprimentos da empresa pescado carioca ltda.
Estudo de caso da cadeia de suprimentos da empresa pescado carioca ltda.Estudo de caso da cadeia de suprimentos da empresa pescado carioca ltda.
Estudo de caso da cadeia de suprimentos da empresa pescado carioca ltda.
Henrique Dacheux
 
Kaizen
KaizenKaizen
Custeio baseado em atividades abc
Custeio baseado em atividades   abcCusteio baseado em atividades   abc
Custeio baseado em atividades abc
William Rodrigues
 
Capitulo 7 abc custeio baseado em atividades
Capitulo 7   abc  custeio baseado em atividadesCapitulo 7   abc  custeio baseado em atividades
Capitulo 7 abc custeio baseado em atividades
Daniel Moura
 
7 passos para um bom kaizen
7 passos para um bom kaizen7 passos para um bom kaizen
7 passos para um bom kaizen
Jose Donizetti Moraes
 
Custos da qualidade
Custos da qualidadeCustos da qualidade
Custos da qualidade
Lucas Wendell
 
Como cultivar uma cultura Kaizen?
Como cultivar uma cultura Kaizen?Como cultivar uma cultura Kaizen?
Como cultivar uma cultura Kaizen?
Rodrigo Yoshima
 
Kaizen
KaizenKaizen
Planejamento de Marketing - Matrizes
Planejamento de Marketing - MatrizesPlanejamento de Marketing - Matrizes
Planejamento de Marketing - Matrizes
Gustavo Mendonça
 
Os Custos da Qualidade e da Não Qualidade na Produção
Os Custos da Qualidade e da Não Qualidade na ProduçãoOs Custos da Qualidade e da Não Qualidade na Produção
Os Custos da Qualidade e da Não Qualidade na Produção
Luiz Gustavo de Sassarrão Moraes
 
Introdução a Manutenção de Máquinas e Equipamentos
Introdução a Manutenção de Máquinas e EquipamentosIntrodução a Manutenção de Máquinas e Equipamentos
Introdução a Manutenção de Máquinas e Equipamentos
Anderson Pontes
 
Modelo kaizen
Modelo kaizenModelo kaizen
Modelo kaizen
Maurício Dorneles
 

Destaque (18)

Custo do Ciclo de Vida (LCC) e Efetividade: Conceitos e Princípios
Custo do Ciclo de Vida (LCC) e Efetividade: Conceitos e PrincípiosCusto do Ciclo de Vida (LCC) e Efetividade: Conceitos e Princípios
Custo do Ciclo de Vida (LCC) e Efetividade: Conceitos e Princípios
 
Aplicação dos métodos de custeio variável, por absorção e pleno no segmento d...
Aplicação dos métodos de custeio variável, por absorção e pleno no segmento d...Aplicação dos métodos de custeio variável, por absorção e pleno no segmento d...
Aplicação dos métodos de custeio variável, por absorção e pleno no segmento d...
 
Trabalho final kaizen~ (1)
Trabalho final kaizen~ (1)Trabalho final kaizen~ (1)
Trabalho final kaizen~ (1)
 
Custos metodos de custeio
Custos metodos de custeioCustos metodos de custeio
Custos metodos de custeio
 
Custos principais métodos de custeio
Custos principais métodos de custeioCustos principais métodos de custeio
Custos principais métodos de custeio
 
Manual de inspeção e manutenção de correias transportadoras
Manual de inspeção e manutenção de correias transportadorasManual de inspeção e manutenção de correias transportadoras
Manual de inspeção e manutenção de correias transportadoras
 
Estudo de caso da cadeia de suprimentos da empresa pescado carioca ltda.
Estudo de caso da cadeia de suprimentos da empresa pescado carioca ltda.Estudo de caso da cadeia de suprimentos da empresa pescado carioca ltda.
Estudo de caso da cadeia de suprimentos da empresa pescado carioca ltda.
 
Kaizen
KaizenKaizen
Kaizen
 
Custeio baseado em atividades abc
Custeio baseado em atividades   abcCusteio baseado em atividades   abc
Custeio baseado em atividades abc
 
Capitulo 7 abc custeio baseado em atividades
Capitulo 7   abc  custeio baseado em atividadesCapitulo 7   abc  custeio baseado em atividades
Capitulo 7 abc custeio baseado em atividades
 
7 passos para um bom kaizen
7 passos para um bom kaizen7 passos para um bom kaizen
7 passos para um bom kaizen
 
Custos da qualidade
Custos da qualidadeCustos da qualidade
Custos da qualidade
 
Como cultivar uma cultura Kaizen?
Como cultivar uma cultura Kaizen?Como cultivar uma cultura Kaizen?
Como cultivar uma cultura Kaizen?
 
Kaizen
KaizenKaizen
Kaizen
 
Planejamento de Marketing - Matrizes
Planejamento de Marketing - MatrizesPlanejamento de Marketing - Matrizes
Planejamento de Marketing - Matrizes
 
Os Custos da Qualidade e da Não Qualidade na Produção
Os Custos da Qualidade e da Não Qualidade na ProduçãoOs Custos da Qualidade e da Não Qualidade na Produção
Os Custos da Qualidade e da Não Qualidade na Produção
 
Introdução a Manutenção de Máquinas e Equipamentos
Introdução a Manutenção de Máquinas e EquipamentosIntrodução a Manutenção de Máquinas e Equipamentos
Introdução a Manutenção de Máquinas e Equipamentos
 
Modelo kaizen
Modelo kaizenModelo kaizen
Modelo kaizen
 

Semelhante a Custeio do Ciclo de Vida do Produto

Analise de viabilidade econômica portal de conhecimentos
Analise de viabilidade econômica portal de conhecimentosAnalise de viabilidade econômica portal de conhecimentos
Analise de viabilidade econômica portal de conhecimentos
justojoseroberts
 
A ciência contabilística e a contabilidade de custos
A ciência contabilística e a contabilidade de custosA ciência contabilística e a contabilidade de custos
A ciência contabilística e a contabilidade de custos
Universidade Pedagogica
 
Contabilidade.pdf
Contabilidade.pdfContabilidade.pdf
Contabilidade.pdf
DjobeFrancisco
 
Aps con gerencial
Aps con gerencialAps con gerencial
Aps con gerencial
Luziane Madeira
 
Material aula contabilidade de custos
Material aula contabilidade de custosMaterial aula contabilidade de custos
Material aula contabilidade de custos
Rafhael Sena
 
Aspectos de controladoria
Aspectos de controladoriaAspectos de controladoria
Aspectos de controladoria
Joao Telles Corrêa Filho
 
Contabilidade gerencial capitulo i
Contabilidade gerencial capitulo iContabilidade gerencial capitulo i
Contabilidade gerencial capitulo i
Ariovaldo Silva
 
Apostila analise de custos v 300
Apostila analise de custos v 300Apostila analise de custos v 300
Apostila analise de custos v 300
Cesar Ventura
 
Custos completo
Custos completoCustos completo
Custos completo
Leonardo Poth
 
Portfolio Administração Financeira e Análise de Investimento IV
Portfolio Administração Financeira e Análise de Investimento IVPortfolio Administração Financeira e Análise de Investimento IV
Portfolio Administração Financeira e Análise de Investimento IV
Andréia Cruz
 
Apostila contabilidade custos2006
Apostila contabilidade custos2006Apostila contabilidade custos2006
Apostila contabilidade custos2006
simuladocontabil
 
Apostila contabilidade custos2006
Apostila contabilidade custos2006Apostila contabilidade custos2006
Apostila contabilidade custos2006
zeramento contabil
 
PPts_CG_01_Solicitadoria.pdf Contabilidade de Gestão
PPts_CG_01_Solicitadoria.pdf Contabilidade de GestãoPPts_CG_01_Solicitadoria.pdf Contabilidade de Gestão
PPts_CG_01_Solicitadoria.pdf Contabilidade de Gestão
mariajosecarolina19
 
Apostila custos-ind._e_gestão_estrat._de_custos
Apostila  custos-ind._e_gestão_estrat._de_custosApostila  custos-ind._e_gestão_estrat._de_custos
Apostila custos-ind._e_gestão_estrat._de_custos
odgracio
 
Gestão de Custos Logisticos transpor.pdf
Gestão de Custos Logisticos transpor.pdfGestão de Custos Logisticos transpor.pdf
Gestão de Custos Logisticos transpor.pdf
aj519384
 
02 - Curso de custos prático.docx
02 - Curso de custos prático.docx02 - Curso de custos prático.docx
02 - Curso de custos prático.docx
cirojneto
 
Financas
FinancasFinancas
Como reduzir custos logísticos07
Como reduzir custos logísticos07Como reduzir custos logísticos07
Gestao financeira e controle gerencial no varejo farmacêutico
Gestao financeira e controle gerencial no varejo farmacêuticoGestao financeira e controle gerencial no varejo farmacêutico
Gestao financeira e controle gerencial no varejo farmacêutico
Antonio Artur de Souza
 
SISTEMA DE CUSTOS PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS.pptx
SISTEMA DE CUSTOS PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS.pptxSISTEMA DE CUSTOS PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS.pptx
SISTEMA DE CUSTOS PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS.pptx
RobsonBispo11
 

Semelhante a Custeio do Ciclo de Vida do Produto (20)

Analise de viabilidade econômica portal de conhecimentos
Analise de viabilidade econômica portal de conhecimentosAnalise de viabilidade econômica portal de conhecimentos
Analise de viabilidade econômica portal de conhecimentos
 
A ciência contabilística e a contabilidade de custos
A ciência contabilística e a contabilidade de custosA ciência contabilística e a contabilidade de custos
A ciência contabilística e a contabilidade de custos
 
Contabilidade.pdf
Contabilidade.pdfContabilidade.pdf
Contabilidade.pdf
 
Aps con gerencial
Aps con gerencialAps con gerencial
Aps con gerencial
 
Material aula contabilidade de custos
Material aula contabilidade de custosMaterial aula contabilidade de custos
Material aula contabilidade de custos
 
Aspectos de controladoria
Aspectos de controladoriaAspectos de controladoria
Aspectos de controladoria
 
Contabilidade gerencial capitulo i
Contabilidade gerencial capitulo iContabilidade gerencial capitulo i
Contabilidade gerencial capitulo i
 
Apostila analise de custos v 300
Apostila analise de custos v 300Apostila analise de custos v 300
Apostila analise de custos v 300
 
Custos completo
Custos completoCustos completo
Custos completo
 
Portfolio Administração Financeira e Análise de Investimento IV
Portfolio Administração Financeira e Análise de Investimento IVPortfolio Administração Financeira e Análise de Investimento IV
Portfolio Administração Financeira e Análise de Investimento IV
 
Apostila contabilidade custos2006
Apostila contabilidade custos2006Apostila contabilidade custos2006
Apostila contabilidade custos2006
 
Apostila contabilidade custos2006
Apostila contabilidade custos2006Apostila contabilidade custos2006
Apostila contabilidade custos2006
 
PPts_CG_01_Solicitadoria.pdf Contabilidade de Gestão
PPts_CG_01_Solicitadoria.pdf Contabilidade de GestãoPPts_CG_01_Solicitadoria.pdf Contabilidade de Gestão
PPts_CG_01_Solicitadoria.pdf Contabilidade de Gestão
 
Apostila custos-ind._e_gestão_estrat._de_custos
Apostila  custos-ind._e_gestão_estrat._de_custosApostila  custos-ind._e_gestão_estrat._de_custos
Apostila custos-ind._e_gestão_estrat._de_custos
 
Gestão de Custos Logisticos transpor.pdf
Gestão de Custos Logisticos transpor.pdfGestão de Custos Logisticos transpor.pdf
Gestão de Custos Logisticos transpor.pdf
 
02 - Curso de custos prático.docx
02 - Curso de custos prático.docx02 - Curso de custos prático.docx
02 - Curso de custos prático.docx
 
Financas
FinancasFinancas
Financas
 
Como reduzir custos logísticos07
Como reduzir custos logísticos07Como reduzir custos logísticos07
Como reduzir custos logísticos07
 
Gestao financeira e controle gerencial no varejo farmacêutico
Gestao financeira e controle gerencial no varejo farmacêuticoGestao financeira e controle gerencial no varejo farmacêutico
Gestao financeira e controle gerencial no varejo farmacêutico
 
SISTEMA DE CUSTOS PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS.pptx
SISTEMA DE CUSTOS PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS.pptxSISTEMA DE CUSTOS PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS.pptx
SISTEMA DE CUSTOS PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS.pptx
 

Último

Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdfO Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
Falcão Brasil
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
Manuais Formação
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Falcão Brasil
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Falcão Brasil
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Falcão Brasil
 
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptxAdministração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
helenawaya9
 
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdfIntendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
Falcão Brasil
 
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
SheylaAlves6
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdfgestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
Maria das Graças Machado Rodrigues
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
MariaJooSilva58
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Falcão Brasil
 

Último (20)

Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
VIAGEM AO PASSADO -
VIAGEM AO PASSADO                        -VIAGEM AO PASSADO                        -
VIAGEM AO PASSADO -
 
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdfO Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
 
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptxAdministração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
 
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdfIntendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
 
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 
Festa dos Finalistas .
Festa dos Finalistas                    .Festa dos Finalistas                    .
Festa dos Finalistas .
 
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdfgestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
 

Custeio do Ciclo de Vida do Produto

  • 1. Faculdade Anhanguera de Rondonópolis Ademir Beccegatto Junior Diego da Silva Ferreira Luiz Fernando Paulino Samuel Pinheiro de Andrade Vinícius Pires de Oliveira Contabilidade Gerencial Financeira Rondonópolis 2012
  • 2. Custeio Do Ciclo De Vida Total Do Produto Os custos estão presentes em todas as atividades econômico-administrativas e são de grande importância para uma boa gestão diante dos objetivos traçados. Custo para tomada de decisões é considerado como um elemento estratégico que tem a finalidade em dar suporte aos gestores quanto à forma de maximização da riqueza dos investidores. Assim, o correto gerenciamento dos custos do ciclo de vida de um produto é um fator de extrema importância para saber como este produto está se comportando na indústria.
  • 3. A idéia de que existem fases na vida de um produto ou um serviço é considerada antiga, porém o que é recente na gestão dos custos é o uso desses para fins de avaliação de um sistema de custeio. As empresas já poderão projetar, com antecedência, nas primeiras fases (pré-operacionais) de formação do produto, os custos da fabricação deste produto. Este fato facilita a obtenção de uma redução de custos mais significativa, para as empresas que buscam uma maior competitividade. E, devido à evolução acelerada da tecnologia da informação, a gestão do ciclo de vida dos produtos passará a ser mais efetiva ou, pelo menos, deverá receber uma forte influência dessa grande competitividade.
  • 4. Ciclo de vida do produto O ciclo de vida do produto pode ser dividido em duas visões distintas: a do fabricante e a do consumidor. A do fabricante vai desde a idéia inicial, onde é analisada a questão do custo-benefício para o cliente final, até o término da garantia da última unidade produzida. Já a fase do consumidor que vai desde a decisão da compra até o término de sua vida útil, que pode ser o descarte ou eventual repasse a terceiros.
  • 5. Conceito de custeio Para sintetizar o conceito de custeio do ciclo de vida, pode-se afirmar que é necessário separá-lo em dois estágios: o custeio do fabricante e o custeio do usuário ou consumidor final. O fabricante deverá identificar e acumular todos os custos envolvidos com o produto, desde o início (projeto e planejamento dos gastos que acontecerá no término do último produto ou serviço). Já o custeio do usuário deverá computar os custos, desde a compra do produto ou serviço até se desfazer do mesmo, que pode ser pela venda ou descarte. 
  • 6. Evolução e Mudança na Contabilidade Gerencial "O campo da atividade organizacional abarcado pela contabilidade gerencial foi desenvolvido através de quatro estágios reconhecíveis. • Estágio 1 - antes de 1950, o foco era na determinação do custo e controle financeiro, através do uso das tecnologias de orçamento e contabilidade de custos; • Estágio 2 - por volta de 1965, o foco foi mudado para o fornecimento de informação para o controle e planejamento gerencial, através do uso de tecnologias tais como análise de decisão e contabilidade por responsabilidade;
  • 7. • Estágio 3 - por volta de 1985, a atenção foi focada na redução do desperdício de recursos usados nos processos de negócios, através do uso das tecnologias de análise do processo e administração estratégica de custos; • Estágio 4 - por volta de 1995, a atenção foi mudada para a geração ou criação de valor através do uso efetivo dos recursos, através do uso de tecnologias tais como exame dos direcionadores de valor ao cliente, valor para o acionista, e inovação organizacional."
  • 8. Valor Econômico Adicionado (EVA – Economic Value Added) Na área de finanças, mais ligado à análise de investimentos, surgiu o conceito de EVA/MVA - Valor Econômico Adicionado/Valor Adicionado de Mercado. Conforme Atkinson, Banker, Kaplan & Young, "recentemente, um número de analistas e consultores tem proposto o uso do valor econômico adicionado como ferramenta para avaliação do desempenho da organização...o analista ajusta o lucro contábil, corrigindo-o com que os proponentes do valor econômico adicionado consideram para sua visão conservadora. Por exemplo, os ajustes incluem a capitalização e amortização de custos significativos de lançamento de produtos. A seguir o analista computa a importância do investimento na organização e deriva o valor econômico adicionado como segue:
  • 9. A seguir o analista computa a importância do investimento na organização e deriva o valor econômico adicionado como segue: Valor Econômico Adicionado = Lucro Contábil Ajustado (-) Custo de Capital x Nível de Investimento. Na realidade pode-se dizer que o conceito do EVA nada mais é do que uma aplicação do conceito de custo de oportunidade do capital e do conceito de manutenção do capital financeiro da empresa.