SlideShare uma empresa Scribd logo
Inferência Estatística:
Conceitos Básicos II
Distribuição Amostral e Teorema do Limite Central
Análise Exploratória de dados no SPSS
Vitor Vieira Vasconcelos
Flávia da Fonseca Feitosa
BH1350 – Métodos e Técnicas de Análise da Informação para o Planejamento
Junho de 2017
O Que Revisamos Na Aula
Passada
 Populações e Amostras
 Medidas de Tendência Central: Média, Moda, Mediana
 Medidas de Variabilidade: Variância e Desvio Padrão
 Curva Normal
 Distribuições de Frequência e Probabilidade
 Escores padrão (valor padronizado z)
 Cálculo da probabilidade sob a curva normal
 Ambiente SPSS
Aula de Hoje
Conceitos Básicos de Inferência Estatística
(Continuação)
Distribuição Amostral e Teorema do Limite Central
Leitura de Referência
Capítulo 1
Tudo o que você sempre quis
saber sobre estatística
(bem, quase tudo)
(parcialmente, p. 42 – 47)
Minha Amostra é
Representativa da
População?
DISTRIBUIÇÃO
AMOSTRAL
Convenções:
μ = média população
X = média amostra
σ = DP população
s = DP amostra
Usamos amostras para estimar o
comportamento/características de uma
população. Por exemplo, usamos a
média da amostra (X), para estimar a
média da população (μ).
Se pegarmos muitas amostras de uma
mesma população, cada amostra terá
sua própria média e em várias dessas
amostras as médias serão diferentes.
Minha Amostra é
Representativa da
População?
Podemos construir uma distribuição de
frequência com as médias destas
amostras!
DISTRIBUIÇÃO AMOSTRAL
Distribuição de frequências das médias
de todas as amostras de uma mesma
população. Está centrada no mesmo
valor que a média da população
DISTRIBUIÇÃO
AMOSTRAL
Convenções:
μ = média população
X = média amostra
σ = DP população
s = DP amostra
Características de uma
distribuição amostral
DISTRIBUIÇÃO
AMOSTRAL
1. Se aproxima de uma curva normal
(desde que o tamanho da amostra seja
razoavelmente grande – N > 30)
2. A média de uma distribuição amostral
(a média das médias) é igual à
verdadeira média populacional (μ).
3. O desvio padrão de uma distribuição
amostral (σX ) é menor do que o da
população (σ). A média amostral é mais
estável do que os escores que a compõe.
Erro Padrão da Média
DISTRIBUIÇÃO
AMOSTRAL
ERRO PADRÃO
Mede variabilidade
entre as médias de
diferentes amostras.
Na verdade, deveria ser o desvio padrão da população dividido
pela raiz quadrada do tamanho da amostra; no entanto, para
amostras grandes, essa aproximação é razoável.
ERRO PADRÃO DA MÉDIA (σX )
Desvio padrão das médias das amostras.
Medida de quão representativa a
amostra poderá ser da população
Na realidade não podemos selecionar
centenas de amostras para construir
uma distribuição amostral.
Técnica para estimar o erro padrão a
partir do desvio padrão da amostra (s):
Dividir s pela raiz quadrada do tamanho
da amostra (N)
Conceitos Básicos de Estatística II
Erro Padrão da Média
RECAPITULANDO:
 Normalmente estamos interessados em utilizar a média da
amostra como uma estimativa do valor da média da
população.
 No entanto, amostras diferentes fornecerão valores
diferentes da média.
 O Erro Padrão pode ser usado para se ter uma ideia da
diferença entre a média da amostra e a média da população.
 O Erro padrão pode ser estimado  maior quando o desvio
padrão da população é maior (na falta do desvio padrão da
população, usamos o da amostra); menor quando o número
da amostra é maior.
Erro Padrão da Média
Além de nos fornecer uma ideia da diferença entre a média da
amostra (X) e a média da população (μ)…
 Com ajuda do Erro Padrão da Média podemos estimar a
probabilidade de nossa média populacional situar-se
realmente dentro de um intervalo de valores médios 
Conceito de INTERVALO DE CONFIANÇA
Intervalos de Confiança
Uma abordagem para determinar a precisão da
média da amostra:
Calcular os limites entre os quais acreditamos que o
valor da média verdadeira estará
INTERVALO DE CONFIANÇA
Gama de valores (limites) entre os quais achamos que
o valor da população (parâmetro) estará
(no caso, o valor da média verdadeira)
Intervalos de Confiança
Um intervalo de confiança (IC) de 95%
Como interpreto???
Se selecionarmos 100 amostras, calcularmos a
média e, depois de determinarmos o intervalo de
confiança para aquela média, 95% dos intervalos
de confiança conterão o valor real da média da
população
Conceitos Básicos de Estatística II
OK! Agora
vamos ver como
se calcula o IC…
DISTRIBUIÇÃO
AMOSTRAL DE
MÉDIAS
A MÉDIA DA NOSSA AMOSTRA ESTÁ EM
ALGUM PONTO DA DISTRIBUIÇÃO
Intervalos de Confiança
Lembram por que o valor 1,96
é um valor de z importante???
Lembrem também como
podemos converter
escores em escores-z:
escores-z
E 2,58?
E 3,29?
Porque 95% dos escores de z estão
entre -1,96 e 1,96!!!
1,96-1,96
Intervalos de Confiança
Se soubermos que nossos limites serão -1,96 e 1,96,
em escores-z, quais são os escores correspondentes
em valores dos nossos dados?
[É o inverso do que fizemos na última aula]
Para encontrar isso, vamos recolocar z na equação
escores-z
escores-z
-
-
escores-z
Usamos o Erro Padrão e não o Desvio
Padrão porque estamos interessados
na variabilidade das médias das
amostras e não na variabilidade das
observações dentro da amostra
Intervalos de Confiança
Exemplo – IC 95%
Digamos que tenhamos coletados dados sobre o preço do m2 dos
imóveis em um determinado bairro. Temos uma amostra de 100
imóveis (N=100), com média = 3800 e desvio padrão (s) = 1500.
Cálculo do Erro Padrão (EP):
Exemplo – IC 95%
Digamos que tenhamos coletados dados sobre o preço do m2 dos
imóveis em um determinado bairro. Temos uma amostra de 100
imóveis (N=100), com média = 3800 e desvio padrão (s) = 1500.
Limite inferior do intervalo de confiança = 3800 – (1,96*150) = 3506
Limite superior do intervalo de confiança = 3800 + (1,96*150) = 4094
Exemplo – IC 95%
Digamos que tenhamos coletados dados sobre o preço do m2 dos
imóveis no Bairro W. Temos uma amostra de 100 imóveis (N=100),
com média = 3800 e desvio padrão (s) = 1500.
Limite inferior do intervalo de confiança = 3800 – (1,96*150) = 3506
Limite superior do intervalo de confiança = 3800 + (1,96*150) = 4094
Considerando que 95% dos intervalos de confiança contém a média
da população, podemos dizer que este intervalo entre 3506 e 4094
tem 95% de chance de conter a média real do preço do m2 nos
imóveis no Bairro W.
Intervalos de Confiança mais Exatos
Para amostras pequenas, onde s é uma estimativa menos confiável de σ
devemos construir nosso intervalo de confiança de maneira um pouco
diferente.
Ao invés de usar 1.96 (escore-z), usamos um valor ligeiramente maior
para refletir nossa redução na confiança. Este valor é baseado na
distribuição t.
Relembrando a aula passada:
Variância e Graus de Liberdade
VARIÂNCIA – “média do quadrado dos desvios”
No entanto, como geralmente
queremos usar o erro na amostra para
estimar o erro na população,
dividiremos o SS pelo
nr. de observações menos 1
(graus de liberdade).
Assim, aumentamos ligeramente a
variância amostral para produzir
estimativas não tendenciosas (mais
precisas) da variância populacional
Estimativa da variância da
população usando n amostras
aleatórias xi onde i = 1, 2, ..., n.
Intervalos de Confiança mais Exatos
Neste caso, o escore z é substituído pela razão t.
A razão t usa uma estimativa de erro padrão baseada em dados amostrais. À
medida que o tamanho da amostra aumenta, o valor de ambas se torna
muito parecido
(…)
t(i;0,05)
gl = N-1
P = 1 – nível de confiança
(área nas extremidades da
distribuição t)
Comparação entre Intervalos de
Confiança
Suponha que tenhamos dois ou mais grupos separados, por
exemplo, os municípios do ABC. Podemos construir um
intervalo de confiança de 95% para a média para cada um
dos grupos, e então construir um gráfico com esses
intervalos contra um eixo comum para verificar se existe
uma interseção (i.e. se existem alguns valores em comum).
Se os intervalos não se sobrepõem, então temos (pelo
menos) 95% de confiança de que as verdadeiras médias não
são iguais.
Intervalos de Confiança no SPSS
1. Abra o arquivo “AguaSNIS2010.sav”
2. No SPSS, vá em Analisar> Estatísticas Descritivas > Explorar…
3. Selecione a variável “Consumo de água per capita – pop
total” e, em “Estatísticas”, selecione “Descritivas” e 95%
Intervalos de Confiança no SPSS
Limite inferior= 24.77 – (1,96*0.25) = 24.28
Limite superior= 24.77 + (1,96*0.25) = 25.25
Intervalos de Confiança no SPSS
Intervalos de Confiança no SPSS
Assimetria
Intervalos de Confiança - Grupos
1. No SPSS, vá em Analisar> Estatísticas Descritivas > Explorar…
2. Selecione a variável “Consumo de água per capita – pop
total” na lista de variáveis dependents e a variável “REGIAO”
em lista de fatores.
3. Em “Estatísticas…”, selecione “Descritivas” e 95%
Intervalos de Confiança - Grupos
Intervalos de Confiança - Grupos
Os intervalos de confiança estão se sobrepondo?
Intervalos de Confiança - Grupos
• Como o desvio padrão e o número de casos
afetam o erro padrão de cada região?
• Quais regiões se aproximam mais de uma curva
normal?
• Como isso afeta a mediana e a média?
Atividade
Individual:
1. Qual a diferença entre desvio padrão e erro padrão?
2. O que é um intervalo de confiança?
3. Como interpretar um intervalo de confiança de 95%?
Em grupo:
4. Preparem uma planilha com no mínimo 3 variáveis que vocês
pretendam utilizar para o trabalho da disciplina
5. Cada componente do grupo escolherá uma variável e analisará,
no SPSS: histograma, a média, intervalo de 95% de confiança para
média, erro padrão, mediana, desvio padrão, assimetria e
curtose.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

amostragem
amostragemamostragem
amostragem
socram01
 
Aula bioestatistica
Aula bioestatisticaAula bioestatistica
Aula bioestatistica
AleNiv
 
Media, moda e mediana
Media, moda e medianaMedia, moda e mediana
Media, moda e mediana
Jeremias Manhica
 
Aula 13 teste de hipóteses
Aula 13   teste de hipótesesAula 13   teste de hipóteses
Aula 13 teste de hipóteses
Ariel Rennó Chaves
 
Bioestatística
 Bioestatística Bioestatística
Bioestatística
felipethoaldo
 
Regressão Linear Múltipla
Regressão Linear MúltiplaRegressão Linear Múltipla
Regressão Linear Múltipla
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Aula 30 testes de hipóteses
Aula 30   testes de hipótesesAula 30   testes de hipóteses
Distribuição Amostral da Média
Distribuição Amostral da MédiaDistribuição Amostral da Média
Distribuição Amostral da Média
Anderson Pinho
 
Correlação Estatística
Correlação EstatísticaCorrelação Estatística
Correlação Estatística
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Tabela normal
Tabela normalTabela normal
Tabela normal
Héllio Ferreira
 
Prática de Regressão no SPSS
Prática de Regressão no SPSSPrática de Regressão no SPSS
Prática de Regressão no SPSS
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Aula 20 medidas de assimetria
Aula 20   medidas de assimetriaAula 20   medidas de assimetria
Aula inferencia
Aula inferenciaAula inferencia
Aula inferencia
Fernando Bortolozo
 
Estatística Descritiva
Estatística DescritivaEstatística Descritiva
Distribuição binomial, poisson e hipergeométrica - Estatística I
Distribuição binomial, poisson e hipergeométrica - Estatística IDistribuição binomial, poisson e hipergeométrica - Estatística I
Distribuição binomial, poisson e hipergeométrica - Estatística I
Ricardo Bruno - Universidade Federal do Pará
 
Distribuição de frequencia
Distribuição de frequenciaDistribuição de frequencia
Distribuição de frequencia
Asafe Salomao
 
Aula 12 intervalo de confiança
Aula 12   intervalo de confiançaAula 12   intervalo de confiança
Aula 12 intervalo de confiança
Ariel Rennó Chaves
 
Tabelas do teste f, 10, 5, 1%
Tabelas do teste f, 10, 5, 1%Tabelas do teste f, 10, 5, 1%
Tabelas do teste f, 10, 5, 1%
thiago carnevali
 
Estatistica aplicada exercicios resolvidos manual tecnico formando
Estatistica aplicada exercicios resolvidos manual tecnico formandoEstatistica aplicada exercicios resolvidos manual tecnico formando
Estatistica aplicada exercicios resolvidos manual tecnico formando
Antonio Mankumbani Chora
 
Teoria da Amostragem - Profa. Rilva - GESME
Teoria da Amostragem - Profa. Rilva - GESMETeoria da Amostragem - Profa. Rilva - GESME
Teoria da Amostragem - Profa. Rilva - GESME
Rilva Lopes de Sousa Muñoz
 

Mais procurados (20)

amostragem
amostragemamostragem
amostragem
 
Aula bioestatistica
Aula bioestatisticaAula bioestatistica
Aula bioestatistica
 
Media, moda e mediana
Media, moda e medianaMedia, moda e mediana
Media, moda e mediana
 
Aula 13 teste de hipóteses
Aula 13   teste de hipótesesAula 13   teste de hipóteses
Aula 13 teste de hipóteses
 
Bioestatística
 Bioestatística Bioestatística
Bioestatística
 
Regressão Linear Múltipla
Regressão Linear MúltiplaRegressão Linear Múltipla
Regressão Linear Múltipla
 
Aula 30 testes de hipóteses
Aula 30   testes de hipótesesAula 30   testes de hipóteses
Aula 30 testes de hipóteses
 
Distribuição Amostral da Média
Distribuição Amostral da MédiaDistribuição Amostral da Média
Distribuição Amostral da Média
 
Correlação Estatística
Correlação EstatísticaCorrelação Estatística
Correlação Estatística
 
Tabela normal
Tabela normalTabela normal
Tabela normal
 
Prática de Regressão no SPSS
Prática de Regressão no SPSSPrática de Regressão no SPSS
Prática de Regressão no SPSS
 
Aula 20 medidas de assimetria
Aula 20   medidas de assimetriaAula 20   medidas de assimetria
Aula 20 medidas de assimetria
 
Aula inferencia
Aula inferenciaAula inferencia
Aula inferencia
 
Estatística Descritiva
Estatística DescritivaEstatística Descritiva
Estatística Descritiva
 
Distribuição binomial, poisson e hipergeométrica - Estatística I
Distribuição binomial, poisson e hipergeométrica - Estatística IDistribuição binomial, poisson e hipergeométrica - Estatística I
Distribuição binomial, poisson e hipergeométrica - Estatística I
 
Distribuição de frequencia
Distribuição de frequenciaDistribuição de frequencia
Distribuição de frequencia
 
Aula 12 intervalo de confiança
Aula 12   intervalo de confiançaAula 12   intervalo de confiança
Aula 12 intervalo de confiança
 
Tabelas do teste f, 10, 5, 1%
Tabelas do teste f, 10, 5, 1%Tabelas do teste f, 10, 5, 1%
Tabelas do teste f, 10, 5, 1%
 
Estatistica aplicada exercicios resolvidos manual tecnico formando
Estatistica aplicada exercicios resolvidos manual tecnico formandoEstatistica aplicada exercicios resolvidos manual tecnico formando
Estatistica aplicada exercicios resolvidos manual tecnico formando
 
Teoria da Amostragem - Profa. Rilva - GESME
Teoria da Amostragem - Profa. Rilva - GESMETeoria da Amostragem - Profa. Rilva - GESME
Teoria da Amostragem - Profa. Rilva - GESME
 

Destaque

Max Weber
Max WeberMax Weber
Regressão Espacial
Regressão EspacialRegressão Espacial
Regressão Espacial
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Geovisualização Multivariada, Temporal e de Incerteza
Geovisualização Multivariada, Temporal e de IncertezaGeovisualização Multivariada, Temporal e de Incerteza
Geovisualização Multivariada, Temporal e de Incerteza
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Aquifer recharge contributions for water and enviornmental management in co...
Aquifer recharge   contributions for water and enviornmental management in co...Aquifer recharge   contributions for water and enviornmental management in co...
Aquifer recharge contributions for water and enviornmental management in co...
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Autocorrelação espacial - Prática no GEODA
Autocorrelação espacial - Prática no GEODAAutocorrelação espacial - Prática no GEODA
Autocorrelação espacial - Prática no GEODA
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Prática de Regressão Espacial
Prática de Regressão EspacialPrática de Regressão Espacial
Prática de Regressão Espacial
Vitor Vieira Vasconcelos
 
O ambiente SPSS
O ambiente SPSSO ambiente SPSS
O ambiente SPSS
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Impactos e Custos Econômico-Ambientais da Agricultura Moderna: estudo de caso...
Impactos e Custos Econômico-Ambientais da Agricultura Moderna: estudo de caso...Impactos e Custos Econômico-Ambientais da Agricultura Moderna: estudo de caso...
Impactos e Custos Econômico-Ambientais da Agricultura Moderna: estudo de caso...
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Análise de Agrupamentos e Regionalização
Análise de Agrupamentos e RegionalizaçãoAnálise de Agrupamentos e Regionalização
Análise de Agrupamentos e Regionalização
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Manipulação de dados no SPSS e QGIS
Manipulação de dados no SPSS e QGISManipulação de dados no SPSS e QGIS
Manipulação de dados no SPSS e QGIS
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Mapeamento de estratificação de altitude para vegetação no Brasil: subsídios...
Mapeamento de estratificação de altitude para vegetação no Brasil: subsídios...Mapeamento de estratificação de altitude para vegetação no Brasil: subsídios...
Mapeamento de estratificação de altitude para vegetação no Brasil: subsídios...
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Elaboração de Mapas no QGIS
Elaboração de Mapas no QGISElaboração de Mapas no QGIS
Elaboração de Mapas no QGIS
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Prática com Infraworks 360 Autodesk
Prática com Infraworks 360 AutodeskPrática com Infraworks 360 Autodesk
Prática com Infraworks 360 Autodesk
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Modelagem e Geotecnologias para a Conservação, Planejamento e Gestão da Biodi...
Modelagem e Geotecnologias para a Conservação, Planejamento e Gestão da Biodi...Modelagem e Geotecnologias para a Conservação, Planejamento e Gestão da Biodi...
Modelagem e Geotecnologias para a Conservação, Planejamento e Gestão da Biodi...
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Árvores de Decisão
Árvores de Decisão Árvores de Decisão
Árvores de Decisão
Mayara Mônica
 
Estatistica conceitos
Estatistica conceitosEstatistica conceitos
Estatistica conceitos
Edinardo Correia
 
Aula 01: Conceitos básicos de Estatística
Aula 01: Conceitos básicos de EstatísticaAula 01: Conceitos básicos de Estatística
Aula 01: Conceitos básicos de Estatística
Josimar M. Rocha
 
Estatística
EstatísticaEstatística
Estatística
giselesilvaramos
 
Estatística
EstatísticaEstatística
Estatística
aldaalves
 
Karl Marx
Karl MarxKarl Marx

Destaque (20)

Max Weber
Max WeberMax Weber
Max Weber
 
Regressão Espacial
Regressão EspacialRegressão Espacial
Regressão Espacial
 
Geovisualização Multivariada, Temporal e de Incerteza
Geovisualização Multivariada, Temporal e de IncertezaGeovisualização Multivariada, Temporal e de Incerteza
Geovisualização Multivariada, Temporal e de Incerteza
 
Aquifer recharge contributions for water and enviornmental management in co...
Aquifer recharge   contributions for water and enviornmental management in co...Aquifer recharge   contributions for water and enviornmental management in co...
Aquifer recharge contributions for water and enviornmental management in co...
 
Autocorrelação espacial - Prática no GEODA
Autocorrelação espacial - Prática no GEODAAutocorrelação espacial - Prática no GEODA
Autocorrelação espacial - Prática no GEODA
 
Prática de Regressão Espacial
Prática de Regressão EspacialPrática de Regressão Espacial
Prática de Regressão Espacial
 
O ambiente SPSS
O ambiente SPSSO ambiente SPSS
O ambiente SPSS
 
Impactos e Custos Econômico-Ambientais da Agricultura Moderna: estudo de caso...
Impactos e Custos Econômico-Ambientais da Agricultura Moderna: estudo de caso...Impactos e Custos Econômico-Ambientais da Agricultura Moderna: estudo de caso...
Impactos e Custos Econômico-Ambientais da Agricultura Moderna: estudo de caso...
 
Análise de Agrupamentos e Regionalização
Análise de Agrupamentos e RegionalizaçãoAnálise de Agrupamentos e Regionalização
Análise de Agrupamentos e Regionalização
 
Manipulação de dados no SPSS e QGIS
Manipulação de dados no SPSS e QGISManipulação de dados no SPSS e QGIS
Manipulação de dados no SPSS e QGIS
 
Mapeamento de estratificação de altitude para vegetação no Brasil: subsídios...
Mapeamento de estratificação de altitude para vegetação no Brasil: subsídios...Mapeamento de estratificação de altitude para vegetação no Brasil: subsídios...
Mapeamento de estratificação de altitude para vegetação no Brasil: subsídios...
 
Elaboração de Mapas no QGIS
Elaboração de Mapas no QGISElaboração de Mapas no QGIS
Elaboração de Mapas no QGIS
 
Prática com Infraworks 360 Autodesk
Prática com Infraworks 360 AutodeskPrática com Infraworks 360 Autodesk
Prática com Infraworks 360 Autodesk
 
Modelagem e Geotecnologias para a Conservação, Planejamento e Gestão da Biodi...
Modelagem e Geotecnologias para a Conservação, Planejamento e Gestão da Biodi...Modelagem e Geotecnologias para a Conservação, Planejamento e Gestão da Biodi...
Modelagem e Geotecnologias para a Conservação, Planejamento e Gestão da Biodi...
 
Árvores de Decisão
Árvores de Decisão Árvores de Decisão
Árvores de Decisão
 
Estatistica conceitos
Estatistica conceitosEstatistica conceitos
Estatistica conceitos
 
Aula 01: Conceitos básicos de Estatística
Aula 01: Conceitos básicos de EstatísticaAula 01: Conceitos básicos de Estatística
Aula 01: Conceitos básicos de Estatística
 
Estatística
EstatísticaEstatística
Estatística
 
Estatística
EstatísticaEstatística
Estatística
 
Karl Marx
Karl MarxKarl Marx
Karl Marx
 

Semelhante a Conceitos Básicos de Estatística II

intervalo de confiança AGRONOMIA 30_40.pptx
intervalo de confiança AGRONOMIA 30_40.pptxintervalo de confiança AGRONOMIA 30_40.pptx
intervalo de confiança AGRONOMIA 30_40.pptx
ssuser2b53fe
 
Cálculo do tamanho de uma Amostra
Cálculo do tamanho de uma AmostraCálculo do tamanho de uma Amostra
Cálculo do tamanho de uma Amostra
Flávia Salame
 
estatistica.docx
estatistica.docxestatistica.docx
estatistica.docx
pablovar159
 
Tq7
Tq7Tq7
inferencia intervalos de confiança teoria associada
inferencia intervalos de confiança  teoria associadainferencia intervalos de confiança  teoria associada
inferencia intervalos de confiança teoria associada
bru231
 
Tópico 2 Intervalo de Confiança
Tópico 2   Intervalo de ConfiançaTópico 2   Intervalo de Confiança
Tópico 2 Intervalo de Confiança
Ricardo Bruno - Universidade Federal do Pará
 
Estatística intervalo de confiança (aula 4)
Estatística   intervalo de confiança (aula 4)Estatística   intervalo de confiança (aula 4)
Estatística intervalo de confiança (aula 4)
Wellington Marinho Falcão
 
metodologia que apoiam na formulação de conclusões sobre as características ...
metodologia que apoiam na formulação de  conclusões sobre as características ...metodologia que apoiam na formulação de  conclusões sobre as características ...
metodologia que apoiam na formulação de conclusões sobre as características ...
BELLALIP
 
Princípios de Estatística Inferencial - I
Princípios de Estatística Inferencial - IPrincípios de Estatística Inferencial - I
Princípios de Estatística Inferencial - I
Federal University of Bahia
 
Fundamentos da bioestatística
Fundamentos da bioestatísticaFundamentos da bioestatística
Fundamentos da bioestatística
Juliano van Melis
 
Aula7
Aula7Aula7
Bioestatística
BioestatísticaBioestatística
Bioestatística
Gilmar Giraldelli
 
Medidas de centralidade
Medidas de centralidadeMedidas de centralidade
Medidas de centralidade
Andréa Thees
 
Distribuição normal
Distribuição normalDistribuição normal
Aula parte6 distribuicao_amostral
Aula parte6 distribuicao_amostralAula parte6 distribuicao_amostral
Aula parte6 distribuicao_amostral
igorjlc
 
Atps estatistica
Atps estatisticaAtps estatistica
Atps estatistica
alcemirholanda
 
Ie14 intervalos de-confianca
Ie14 intervalos de-confiancaIe14 intervalos de-confianca
Ie14 intervalos de-confianca
amfsousa79
 
3. medidas de posição e dispersão (1)
3. medidas de posição e dispersão (1)3. medidas de posição e dispersão (1)
3. medidas de posição e dispersão (1)
Thiago Apolinário
 
Exercicios de estatistica resolvido.4
Exercicios de estatistica resolvido.4Exercicios de estatistica resolvido.4
Exercicios de estatistica resolvido.4
Antonio Mankumbani Chora
 
Medidas de Posição e Dispersão
Medidas de Posição e DispersãoMedidas de Posição e Dispersão
Medidas de Posição e Dispersão
LucasCoimbra24
 

Semelhante a Conceitos Básicos de Estatística II (20)

intervalo de confiança AGRONOMIA 30_40.pptx
intervalo de confiança AGRONOMIA 30_40.pptxintervalo de confiança AGRONOMIA 30_40.pptx
intervalo de confiança AGRONOMIA 30_40.pptx
 
Cálculo do tamanho de uma Amostra
Cálculo do tamanho de uma AmostraCálculo do tamanho de uma Amostra
Cálculo do tamanho de uma Amostra
 
estatistica.docx
estatistica.docxestatistica.docx
estatistica.docx
 
Tq7
Tq7Tq7
Tq7
 
inferencia intervalos de confiança teoria associada
inferencia intervalos de confiança  teoria associadainferencia intervalos de confiança  teoria associada
inferencia intervalos de confiança teoria associada
 
Tópico 2 Intervalo de Confiança
Tópico 2   Intervalo de ConfiançaTópico 2   Intervalo de Confiança
Tópico 2 Intervalo de Confiança
 
Estatística intervalo de confiança (aula 4)
Estatística   intervalo de confiança (aula 4)Estatística   intervalo de confiança (aula 4)
Estatística intervalo de confiança (aula 4)
 
metodologia que apoiam na formulação de conclusões sobre as características ...
metodologia que apoiam na formulação de  conclusões sobre as características ...metodologia que apoiam na formulação de  conclusões sobre as características ...
metodologia que apoiam na formulação de conclusões sobre as características ...
 
Princípios de Estatística Inferencial - I
Princípios de Estatística Inferencial - IPrincípios de Estatística Inferencial - I
Princípios de Estatística Inferencial - I
 
Fundamentos da bioestatística
Fundamentos da bioestatísticaFundamentos da bioestatística
Fundamentos da bioestatística
 
Aula7
Aula7Aula7
Aula7
 
Bioestatística
BioestatísticaBioestatística
Bioestatística
 
Medidas de centralidade
Medidas de centralidadeMedidas de centralidade
Medidas de centralidade
 
Distribuição normal
Distribuição normalDistribuição normal
Distribuição normal
 
Aula parte6 distribuicao_amostral
Aula parte6 distribuicao_amostralAula parte6 distribuicao_amostral
Aula parte6 distribuicao_amostral
 
Atps estatistica
Atps estatisticaAtps estatistica
Atps estatistica
 
Ie14 intervalos de-confianca
Ie14 intervalos de-confiancaIe14 intervalos de-confianca
Ie14 intervalos de-confianca
 
3. medidas de posição e dispersão (1)
3. medidas de posição e dispersão (1)3. medidas de posição e dispersão (1)
3. medidas de posição e dispersão (1)
 
Exercicios de estatistica resolvido.4
Exercicios de estatistica resolvido.4Exercicios de estatistica resolvido.4
Exercicios de estatistica resolvido.4
 
Medidas de Posição e Dispersão
Medidas de Posição e DispersãoMedidas de Posição e Dispersão
Medidas de Posição e Dispersão
 

Mais de Vitor Vieira Vasconcelos

Relationships among socioeconomic affluence, yard management, and biodiversity
Relationships among socioeconomic affluence, yard management, and biodiversityRelationships among socioeconomic affluence, yard management, and biodiversity
Relationships among socioeconomic affluence, yard management, and biodiversity
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Análise espacial de doenças transmissíveis
Análise espacial de doenças transmissíveisAnálise espacial de doenças transmissíveis
Análise espacial de doenças transmissíveis
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Fishbanks! Jogo de simulação de gestão de recursos renováveis
Fishbanks! Jogo de simulação de gestão de recursos renováveisFishbanks! Jogo de simulação de gestão de recursos renováveis
Fishbanks! Jogo de simulação de gestão de recursos renováveis
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Regimes de Apropriação de Recursos Naturais
Regimes de Apropriação de Recursos NaturaisRegimes de Apropriação de Recursos Naturais
Regimes de Apropriação de Recursos Naturais
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Recursos Comuns e Tragédia dos Comuns
Recursos Comuns e Tragédia dos ComunsRecursos Comuns e Tragédia dos Comuns
Recursos Comuns e Tragédia dos Comuns
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Relações entre sistemas naturais e sociais
Relações entre sistemas naturais e sociaisRelações entre sistemas naturais e sociais
Relações entre sistemas naturais e sociais
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Valoração de Serviços Ecossistêmicos
Valoração de Serviços EcossistêmicosValoração de Serviços Ecossistêmicos
Valoração de Serviços Ecossistêmicos
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Recursos Naturais e Serviços Ecossistêmicos
Recursos Naturais e Serviços EcossistêmicosRecursos Naturais e Serviços Ecossistêmicos
Recursos Naturais e Serviços Ecossistêmicos
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Bases teóricas e conceituais do Planejamento e da Política Ambiental
Bases teóricas e conceituais do Planejamento e da Política AmbientalBases teóricas e conceituais do Planejamento e da Política Ambiental
Bases teóricas e conceituais do Planejamento e da Política Ambiental
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Planejamento territorial
Planejamento territorialPlanejamento territorial
Planejamento territorial
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Coremática e Mapeamento Participativo
Coremática e Mapeamento ParticipativoCoremática e Mapeamento Participativo
Coremática e Mapeamento Participativo
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Cartografia Social
Cartografia SocialCartografia Social
Cartografia Social
Vitor Vieira Vasconcelos
 
MIgrações
MIgraçõesMIgrações
Conflitos fundiários
Conflitos fundiáriosConflitos fundiários
Conflitos fundiários
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Conflitos Territoriais
Conflitos TerritoriaisConflitos Territoriais
Conflitos Territoriais
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Chácara Baronesa - Haras São Bernardo
Chácara Baronesa - Haras São BernardoChácara Baronesa - Haras São Bernardo
Chácara Baronesa - Haras São Bernardo
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Governo e Território
Governo e TerritórioGoverno e Território
Governo e Território
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Segregação e Interação Territorial
Segregação e Interação TerritorialSegregação e Interação Territorial
Segregação e Interação Territorial
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Território e Poder
Território e PoderTerritório e Poder
Território e Poder
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Operações com dados espaciais (Vetor) em R
Operações com dados espaciais (Vetor) em ROperações com dados espaciais (Vetor) em R
Operações com dados espaciais (Vetor) em R
Vitor Vieira Vasconcelos
 

Mais de Vitor Vieira Vasconcelos (20)

Relationships among socioeconomic affluence, yard management, and biodiversity
Relationships among socioeconomic affluence, yard management, and biodiversityRelationships among socioeconomic affluence, yard management, and biodiversity
Relationships among socioeconomic affluence, yard management, and biodiversity
 
Análise espacial de doenças transmissíveis
Análise espacial de doenças transmissíveisAnálise espacial de doenças transmissíveis
Análise espacial de doenças transmissíveis
 
Fishbanks! Jogo de simulação de gestão de recursos renováveis
Fishbanks! Jogo de simulação de gestão de recursos renováveisFishbanks! Jogo de simulação de gestão de recursos renováveis
Fishbanks! Jogo de simulação de gestão de recursos renováveis
 
Regimes de Apropriação de Recursos Naturais
Regimes de Apropriação de Recursos NaturaisRegimes de Apropriação de Recursos Naturais
Regimes de Apropriação de Recursos Naturais
 
Recursos Comuns e Tragédia dos Comuns
Recursos Comuns e Tragédia dos ComunsRecursos Comuns e Tragédia dos Comuns
Recursos Comuns e Tragédia dos Comuns
 
Relações entre sistemas naturais e sociais
Relações entre sistemas naturais e sociaisRelações entre sistemas naturais e sociais
Relações entre sistemas naturais e sociais
 
Valoração de Serviços Ecossistêmicos
Valoração de Serviços EcossistêmicosValoração de Serviços Ecossistêmicos
Valoração de Serviços Ecossistêmicos
 
Recursos Naturais e Serviços Ecossistêmicos
Recursos Naturais e Serviços EcossistêmicosRecursos Naturais e Serviços Ecossistêmicos
Recursos Naturais e Serviços Ecossistêmicos
 
Bases teóricas e conceituais do Planejamento e da Política Ambiental
Bases teóricas e conceituais do Planejamento e da Política AmbientalBases teóricas e conceituais do Planejamento e da Política Ambiental
Bases teóricas e conceituais do Planejamento e da Política Ambiental
 
Planejamento territorial
Planejamento territorialPlanejamento territorial
Planejamento territorial
 
Coremática e Mapeamento Participativo
Coremática e Mapeamento ParticipativoCoremática e Mapeamento Participativo
Coremática e Mapeamento Participativo
 
Cartografia Social
Cartografia SocialCartografia Social
Cartografia Social
 
MIgrações
MIgraçõesMIgrações
MIgrações
 
Conflitos fundiários
Conflitos fundiáriosConflitos fundiários
Conflitos fundiários
 
Conflitos Territoriais
Conflitos TerritoriaisConflitos Territoriais
Conflitos Territoriais
 
Chácara Baronesa - Haras São Bernardo
Chácara Baronesa - Haras São BernardoChácara Baronesa - Haras São Bernardo
Chácara Baronesa - Haras São Bernardo
 
Governo e Território
Governo e TerritórioGoverno e Território
Governo e Território
 
Segregação e Interação Territorial
Segregação e Interação TerritorialSegregação e Interação Territorial
Segregação e Interação Territorial
 
Território e Poder
Território e PoderTerritório e Poder
Território e Poder
 
Operações com dados espaciais (Vetor) em R
Operações com dados espaciais (Vetor) em ROperações com dados espaciais (Vetor) em R
Operações com dados espaciais (Vetor) em R
 

Último

Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
felipescherner
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
deboracorrea21
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
Sandra Pratas
 
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdfquadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
marcos oliveira
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
principeandregalli
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
valdeci17
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
Sandra Pratas
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
Manuais Formação
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 

Último (20)

Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdfquadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 

Conceitos Básicos de Estatística II

  • 1. Inferência Estatística: Conceitos Básicos II Distribuição Amostral e Teorema do Limite Central Análise Exploratória de dados no SPSS Vitor Vieira Vasconcelos Flávia da Fonseca Feitosa BH1350 – Métodos e Técnicas de Análise da Informação para o Planejamento Junho de 2017
  • 2. O Que Revisamos Na Aula Passada  Populações e Amostras  Medidas de Tendência Central: Média, Moda, Mediana  Medidas de Variabilidade: Variância e Desvio Padrão  Curva Normal  Distribuições de Frequência e Probabilidade  Escores padrão (valor padronizado z)  Cálculo da probabilidade sob a curva normal  Ambiente SPSS
  • 3. Aula de Hoje Conceitos Básicos de Inferência Estatística (Continuação) Distribuição Amostral e Teorema do Limite Central
  • 4. Leitura de Referência Capítulo 1 Tudo o que você sempre quis saber sobre estatística (bem, quase tudo) (parcialmente, p. 42 – 47)
  • 5. Minha Amostra é Representativa da População? DISTRIBUIÇÃO AMOSTRAL Convenções: μ = média população X = média amostra σ = DP população s = DP amostra Usamos amostras para estimar o comportamento/características de uma população. Por exemplo, usamos a média da amostra (X), para estimar a média da população (μ). Se pegarmos muitas amostras de uma mesma população, cada amostra terá sua própria média e em várias dessas amostras as médias serão diferentes.
  • 6. Minha Amostra é Representativa da População? Podemos construir uma distribuição de frequência com as médias destas amostras! DISTRIBUIÇÃO AMOSTRAL Distribuição de frequências das médias de todas as amostras de uma mesma população. Está centrada no mesmo valor que a média da população DISTRIBUIÇÃO AMOSTRAL Convenções: μ = média população X = média amostra σ = DP população s = DP amostra
  • 7. Características de uma distribuição amostral DISTRIBUIÇÃO AMOSTRAL 1. Se aproxima de uma curva normal (desde que o tamanho da amostra seja razoavelmente grande – N > 30) 2. A média de uma distribuição amostral (a média das médias) é igual à verdadeira média populacional (μ). 3. O desvio padrão de uma distribuição amostral (σX ) é menor do que o da população (σ). A média amostral é mais estável do que os escores que a compõe.
  • 8. Erro Padrão da Média DISTRIBUIÇÃO AMOSTRAL ERRO PADRÃO Mede variabilidade entre as médias de diferentes amostras. Na verdade, deveria ser o desvio padrão da população dividido pela raiz quadrada do tamanho da amostra; no entanto, para amostras grandes, essa aproximação é razoável. ERRO PADRÃO DA MÉDIA (σX ) Desvio padrão das médias das amostras. Medida de quão representativa a amostra poderá ser da população Na realidade não podemos selecionar centenas de amostras para construir uma distribuição amostral. Técnica para estimar o erro padrão a partir do desvio padrão da amostra (s): Dividir s pela raiz quadrada do tamanho da amostra (N)
  • 10. Erro Padrão da Média RECAPITULANDO:  Normalmente estamos interessados em utilizar a média da amostra como uma estimativa do valor da média da população.  No entanto, amostras diferentes fornecerão valores diferentes da média.  O Erro Padrão pode ser usado para se ter uma ideia da diferença entre a média da amostra e a média da população.  O Erro padrão pode ser estimado  maior quando o desvio padrão da população é maior (na falta do desvio padrão da população, usamos o da amostra); menor quando o número da amostra é maior.
  • 11. Erro Padrão da Média Além de nos fornecer uma ideia da diferença entre a média da amostra (X) e a média da população (μ)…  Com ajuda do Erro Padrão da Média podemos estimar a probabilidade de nossa média populacional situar-se realmente dentro de um intervalo de valores médios  Conceito de INTERVALO DE CONFIANÇA
  • 12. Intervalos de Confiança Uma abordagem para determinar a precisão da média da amostra: Calcular os limites entre os quais acreditamos que o valor da média verdadeira estará INTERVALO DE CONFIANÇA Gama de valores (limites) entre os quais achamos que o valor da população (parâmetro) estará (no caso, o valor da média verdadeira)
  • 13. Intervalos de Confiança Um intervalo de confiança (IC) de 95% Como interpreto??? Se selecionarmos 100 amostras, calcularmos a média e, depois de determinarmos o intervalo de confiança para aquela média, 95% dos intervalos de confiança conterão o valor real da média da população
  • 15. OK! Agora vamos ver como se calcula o IC… DISTRIBUIÇÃO AMOSTRAL DE MÉDIAS A MÉDIA DA NOSSA AMOSTRA ESTÁ EM ALGUM PONTO DA DISTRIBUIÇÃO
  • 16. Intervalos de Confiança Lembram por que o valor 1,96 é um valor de z importante??? Lembrem também como podemos converter escores em escores-z: escores-z E 2,58? E 3,29? Porque 95% dos escores de z estão entre -1,96 e 1,96!!!
  • 18. Intervalos de Confiança Se soubermos que nossos limites serão -1,96 e 1,96, em escores-z, quais são os escores correspondentes em valores dos nossos dados? [É o inverso do que fizemos na última aula] Para encontrar isso, vamos recolocar z na equação escores-z
  • 20. escores-z Usamos o Erro Padrão e não o Desvio Padrão porque estamos interessados na variabilidade das médias das amostras e não na variabilidade das observações dentro da amostra
  • 22. Exemplo – IC 95% Digamos que tenhamos coletados dados sobre o preço do m2 dos imóveis em um determinado bairro. Temos uma amostra de 100 imóveis (N=100), com média = 3800 e desvio padrão (s) = 1500. Cálculo do Erro Padrão (EP):
  • 23. Exemplo – IC 95% Digamos que tenhamos coletados dados sobre o preço do m2 dos imóveis em um determinado bairro. Temos uma amostra de 100 imóveis (N=100), com média = 3800 e desvio padrão (s) = 1500. Limite inferior do intervalo de confiança = 3800 – (1,96*150) = 3506 Limite superior do intervalo de confiança = 3800 + (1,96*150) = 4094
  • 24. Exemplo – IC 95% Digamos que tenhamos coletados dados sobre o preço do m2 dos imóveis no Bairro W. Temos uma amostra de 100 imóveis (N=100), com média = 3800 e desvio padrão (s) = 1500. Limite inferior do intervalo de confiança = 3800 – (1,96*150) = 3506 Limite superior do intervalo de confiança = 3800 + (1,96*150) = 4094 Considerando que 95% dos intervalos de confiança contém a média da população, podemos dizer que este intervalo entre 3506 e 4094 tem 95% de chance de conter a média real do preço do m2 nos imóveis no Bairro W.
  • 25. Intervalos de Confiança mais Exatos Para amostras pequenas, onde s é uma estimativa menos confiável de σ devemos construir nosso intervalo de confiança de maneira um pouco diferente. Ao invés de usar 1.96 (escore-z), usamos um valor ligeiramente maior para refletir nossa redução na confiança. Este valor é baseado na distribuição t.
  • 26. Relembrando a aula passada: Variância e Graus de Liberdade VARIÂNCIA – “média do quadrado dos desvios” No entanto, como geralmente queremos usar o erro na amostra para estimar o erro na população, dividiremos o SS pelo nr. de observações menos 1 (graus de liberdade). Assim, aumentamos ligeramente a variância amostral para produzir estimativas não tendenciosas (mais precisas) da variância populacional Estimativa da variância da população usando n amostras aleatórias xi onde i = 1, 2, ..., n.
  • 27. Intervalos de Confiança mais Exatos Neste caso, o escore z é substituído pela razão t. A razão t usa uma estimativa de erro padrão baseada em dados amostrais. À medida que o tamanho da amostra aumenta, o valor de ambas se torna muito parecido (…) t(i;0,05) gl = N-1 P = 1 – nível de confiança (área nas extremidades da distribuição t)
  • 28. Comparação entre Intervalos de Confiança Suponha que tenhamos dois ou mais grupos separados, por exemplo, os municípios do ABC. Podemos construir um intervalo de confiança de 95% para a média para cada um dos grupos, e então construir um gráfico com esses intervalos contra um eixo comum para verificar se existe uma interseção (i.e. se existem alguns valores em comum). Se os intervalos não se sobrepõem, então temos (pelo menos) 95% de confiança de que as verdadeiras médias não são iguais.
  • 29. Intervalos de Confiança no SPSS 1. Abra o arquivo “AguaSNIS2010.sav” 2. No SPSS, vá em Analisar> Estatísticas Descritivas > Explorar… 3. Selecione a variável “Consumo de água per capita – pop total” e, em “Estatísticas”, selecione “Descritivas” e 95%
  • 30. Intervalos de Confiança no SPSS Limite inferior= 24.77 – (1,96*0.25) = 24.28 Limite superior= 24.77 + (1,96*0.25) = 25.25
  • 32. Intervalos de Confiança no SPSS Assimetria
  • 33. Intervalos de Confiança - Grupos 1. No SPSS, vá em Analisar> Estatísticas Descritivas > Explorar… 2. Selecione a variável “Consumo de água per capita – pop total” na lista de variáveis dependents e a variável “REGIAO” em lista de fatores. 3. Em “Estatísticas…”, selecione “Descritivas” e 95%
  • 36. Os intervalos de confiança estão se sobrepondo?
  • 37. Intervalos de Confiança - Grupos • Como o desvio padrão e o número de casos afetam o erro padrão de cada região? • Quais regiões se aproximam mais de uma curva normal? • Como isso afeta a mediana e a média?
  • 38. Atividade Individual: 1. Qual a diferença entre desvio padrão e erro padrão? 2. O que é um intervalo de confiança? 3. Como interpretar um intervalo de confiança de 95%? Em grupo: 4. Preparem uma planilha com no mínimo 3 variáveis que vocês pretendam utilizar para o trabalho da disciplina 5. Cada componente do grupo escolherá uma variável e analisará, no SPSS: histograma, a média, intervalo de 95% de confiança para média, erro padrão, mediana, desvio padrão, assimetria e curtose.