SlideShare uma empresa Scribd logo
Território e Sociedade
Migração
Vitor Vieira Vasconcelos
Universidade Federal do ABC
São Bernardo do Campo
Maio, 2020
Conteúdo
●
Conflitos migratórios
●
Imigração e Direitos Humanos
●
Imigração sob diversos olhares:
– Demografia
– Economia
– Ciência Política
– Direito
– Sociologia
– Antropologia
Texto base
MARANDOLA Jr, E.; GALLO, D.;
MARCHIORI, P.
Ser migrante: implicações territoriais e
existenciais da migração. 
Revista brasileira de estudos de População.
v. 27, n. 2, p. 407-424, 2010
Vídeo
Migrações, um fenômeno global
https://youtu.be/spFE9y0w1Tw
Agosto de 2001 – Navio de cargaAgosto de 2001 – Navio de carga
norueguês “Tampa” resgata barco de 438norueguês “Tampa” resgata barco de 438
imigrantes, a maioria afegãos buscandoimigrantes, a maioria afegãos buscando
asilo político por perseguição étnica.asilo político por perseguição étnica.
Também havia imigrantes paquistanesesTambém havia imigrantes paquistaneses
e do Sri Lankae do Sri Lanka
https://ethicaljournalismnetwork.org/worth-thousand-words-photos-shape-attitudes-refugees
Diversos dosDiversos dos
imigrantes estavamimigrantes estavam
desnutridos e/oudesnutridos e/ou
precisavam deprecisavam de
assistência médicaassistência médica
O capitão do navio, Arne Rinnan, pede autorização
para desembarcar em Christmas Island, território
australiano, para atendimento aos imigrantes
O que vocês fariam se fossem o governo australiano?
O governo australiano proíbe o desembarque,
afirmando ser responsabilidade da Noruega.
O que vocês fariam se fossem o capitão do navio?
A Indonésia era o segundo porto mais próximo. Inicialmente,A Indonésia era o segundo porto mais próximo. Inicialmente,
negaram o desembarque, mas depois aceitaram.negaram o desembarque, mas depois aceitaram.
Mas os imigrantes se negaram a desembarcar eMas os imigrantes se negaram a desembarcar e
fizeram greve de fome.fizeram greve de fome.
E agora, o que fazer?E agora, o que fazer?
https://ethicaljournalismnetwork.org/worth-thousand-words-photos-shape-attitudes-refugees
O governo da Austrália direciona os
imigrantes para um campo de
detenção na ilha Nauru
https://www.change.org/p/the-prime-minister-open-the-nauru-manus-detention-centre-to-independent-third-party-inspectio
Nova Zelândia recebe 150 dos imigrantes.
Outros ficam mais de 2 anos no campo de
detenção, e após outra greve de fome, são
aceitos na Austrália.
https://www.abc.net.au/news/2003-12-24/nauru-detainees-on-hunger-strike/110410
Novembro de 2001: barco de pesca
SIEV-X afunda e morrem 353 imigrantes,
após ter desembarque negado pela
Austrália
http://thedeletions.blogspot.com/2006/10/siev-x.html
Imigração e Direitos Humanos
●
Visão tradicional
– O governo deve garantir os direitos
humanos aos seus cidadãos
●
Tendência contemporânea
– Direito humanos são universais
– O governo deve garantir os direitos
humanos de qualquer pessoa em seu
território
Reis, R.R., 2004. Soberania, direitos humanos e migrações internacionais.
Revista Brasileira de Ciências Sociais, 19(55), pp.149-163.
UN. International Migration Report 2017.
https://www.un.org/en/development/desa/population/migration/publications/migrationreport/docs/MigrationReport2017.pdf
Ratificação de instrumentos legais relativos à
migração internacional (1950-2017)
Ratificação de instrumentos legais
relacionados às migrações (2019)
https://reliefweb.int/sites/reliefweb.int/files/resources/MigrationStock2019_Wallchart.pdf
5
4
3
1 ou 2
Nenhum
Sem dados
Conflitos
Soberania dos Estados em
controlar a mobilidade nas
fronteiras
X
Tratados internacionais sobre
direitos humanos para imigrantes
Reis, R.R., 2004. Soberania, direitos humanos e migrações internacionais.
Revista Brasileira de Ciências Sociais, 19(55), pp.149-163.
Fluxo
A B
Contenção
A B
Contenção
Efeito Represa
A B
Contenção
MaiorMaior
pressãopressão
Contornamento
A B
Contornamento
Contenção
Número de muros e barreiras
entre países
Vernon, V. and Zimmermann, K.F., 2019. Walls and Fences: A Journey Through History and
Economics (No. 330). GLO Discussion Paper.
País: Construiu barreiras Não construiu barreiras
Seções de fronteiras cercadas: Construídas total ou parcialmente Planejadas
Vallet, E., 2016. Borders, fences and walls: State of insecurity?. Routledge.
Jacobs, Frank, The West' is, in fact, the world's biggest gated community. Big Think, 2019. https://bigthink.com/strange-maps/walled-world
73%
da renda mundial
14%
da população
mundial
27%
da renda mundial
86%
da população mundial
50 cidades com melhor qualidade de vida
Zona de fronteira altamente protegida
A maior comunidade fechada do mundo
https://storymaps.esri.com/stories/2017/the-uprooted/index.html
Contenção e contornamento deContenção e contornamento de
imigrantes sírios na Europaimigrantes sírios na Europa
Síria
Turquia
Grécia
Cerca entreCerca entre
Turquia eTurquia e
GréciaGrécia
Síria
Turquia
Grécia
Refugiados em bote para a GréciaRefugiados em bote para a Grécia
Bulgária
https://storymaps.esri.com/stories/2017/the-uprooted/index.html
Síria
Turquia
Grécia
Bulgária
Hungria
Macedônia
Sérvia
Cerca entreCerca entre
Hungria e SérviaHungria e Sérvia
https://storymaps.esri.com/stories/2017/the-uprooted/index.html
Turquia
Grécia
Bulgária
Hungria
Macedônia
Sérvia
Romênia
Croácia
Eslovênia
https://storymaps.esri.com/stories/2017/the-uprooted/index.html
Cerca entre Áustria e EslovêniaCerca entre Áustria e Eslovênia
Turquia
Grécia
Bulgária
Hungria
Macedônia
Sérvia
Romênia
Croácia
Eslovênia
Áustria
https://storymaps.esri.com/stories/2017/the-uprooted/index.html
Turquia
Grécia
Bulgária
Hungria
Macedônia
Sérvia
Romênia
Croácia
Eslovênia
Áustria
Eslováquia
Tcheca
Alemanha
Suécia
Dinamarca
https://storymaps.esri.com/stories/2017/the-uprooted/index.html
https://storymaps.esri.com/stories/2017/the-uprooted/index.html
Síria
Constituição Federal de 1988
Art. 5º Todos são iguais perante a lei,
sem distinção de qualquer natureza,
garantindo-se aos brasileiros e aos
estrangeiros residentes no País a
inviolabilidade do direito à vida, à
liberdade, à igualdade, à segurança
e à propriedade
Vídeo
https://youtu.be/mj5kPzB3l7Q
Causas de migração
●
Desastres naturais
(secas, terremotos, inundações,
tornados, desertificação)
●
Refugiados de guerra
●
Asilo político
●
Trabalho
●
Reunião familiar
●
Migração de retorno
Nolasco, C., 2016. Migrações internacionais: conceitos, tipologia e teorias. Oficina do CES, 434, pp.1-29.
Tipos de migração
Legal X Clandestina
Voluntária X Tráfico de pessoas
https://fashionfood4.wordpress.com/
Nolasco, C., 2016. Migrações internacionais: conceitos, tipologia e teorias. Oficina do CES, 434, pp.1-29.
Tempo
Permanente
Temporário
Intermitente
Escala
Internacional
Nacional
Intermunicipal
Migração
Mobilidade
Nolasco, C., 2016. Migrações internacionais: conceitos, tipologia e teorias. Oficina do CES, 434, pp.1-29.
A leis da migração, de Ravestein
• As migrações acontecem essencialmente por disparidades
econômicas entre áreas, sendo que os grandes centros urbanos,
industriais ou de comércio são espaços de atração
• Existe uma relação entre o movimento migratório e a distância
percorrida, na medida em que quanto maior for a distância
menor será o número de migrantes a efetuar esse percurso
• Se a distância a percorrer for grande, o percurso migratório
tende a ser feito por etapas
• Adultos e camponeses migram mais que jovens, idosos, e
urbanos
• As migrações tendem a aumentar com o desenvolvimento
econômico e com o progresso da tecnologia e dos transportes
• Toda corrente de migração gera uma contracorrente de retorno
Ravenstein, Erneste Georg (1885), “The Laws of Migrations”, Journal of the Statistical Society of London, 48(2), 167-235.
Teoria dos sistemas
migratórios
●
Imigrantes procuram o país de
afinidade linguística que tenha
melhor condição econômica
●
Exemplos:
– Brasil X Portugal
– Irlanda X Estados Unidos
– Polônia X Alemanha
Baganha, Maria I. (2009), “The Lusophone Migratory System: Patterns and Trends”, International Migration. 47(3), 5-20.
Para que se estudam
as migrações?
Brettell, C.B. and Hollifield, J.F. eds., 2014. Migration theory: Talking across disciplines. Routledge.
Quem as estuda?
Demografia
●
Quantas pessoas estão migrando?
●
Quais as características dos
migrantes (idade, gênero, estudo,
origem)?
●
Como a imigração altera o tamanho
e características das populações
dos países?
Brettell, C.B. and Hollifield, J.F. eds., 2014. Migration theory: Talking across disciplines. Routledge.
Migrantes
internacionais
% de migrantes
em relação à
população
mundial
Migrantes Como porcentagem da população mundial
Taxa de crescimento anual composta em cada período (%)
Fluxos de migração
(2010-2015)
http://metrocosm.com/global-immigration-map/
Fluxos de migração
Brasil (2010-2015)
http://metrocosm.com/global-immigration-map/
https://www.nytimes.com/2018/09/11/learning/whats-going-on-in-this-graph-sept-12-2018.html
https://twitter.com/paragkhanna/status/725387800611164160/photo/1
Número total de migrantes partindo de um território / região
Fluxo de migrantes
Ranking pelo número de migrantes por país
ONU (2004). Imigration emigration world map. Em: http://www.emersonkent.com/images/global_migration_2005.jpg
Novos destinos de migração
https://www.weforum.org/agenda/2017/10/how-migration-is-changing-world-cities-charts/
0 5 10 20-5-10-20
Migrants per 1000 Population
no data
Annual Net Migration Rate 2015–2020
Data source: United Nations, Department of
Economic and Social Affairs, Population Division
(2019). World Population Prospects 2019,
custom data acquired via website.
https://en.wikipedia.org/wiki/Human_migration#/media/File:Annual_Net_Migration_Rate_2015%E2%80%932020.svg
Taxa de migração líquida anual (2015-2020)
Migrantes por 1000 habitantes
https://reliefweb.int/sites/reliefweb.int/files/resources/MigrationStock2019_Wallchart.pdf
Migrantes internacionais como porcentagem da
população total (2019)
20% ou mais
10 a 20%
5 a 10%
1 a 5%
Menos de 1%
Sem dados
Migração
interna no
Brasil
2000-2010
https://servicodados.ibge.gov.br/Download/Download.ashx?http=1&u=biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv64529_cap5.pdf
https://servicodados.ibge.gov.br/Download/Download.ashx?http=1&u=biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv64529_cap5.pdf
Onde moram as pessoas que nasceram na região:
Sul Sudeste Centro
Oeste
https://www.nexojornal.com.br/grafico/2017/12/01/Fluxos-migrat%C3%B3rios-a-distribui%C3%A7%C3%A3o-da-popula%C3%A7%C3%A3o-de-cada-estado-pelo-pa%C3%ADs
Nordeste Norte
Municípios em que mais de 70% da população
é de migrantes recentes (pós 1960)
Moraes, R. São Paulo, cidade em busca de reformas, ainda que tarde. GGN. 2016.
Economia
●
Em que medida as desigualdades
econômicas levam as pessoas a
migrar?
●
Quais são os custos e benefícios
econômicos da imigração para
cada país?
Brettell, C.B. and Hollifield, J.F. eds., 2014. Migration theory: Talking across disciplines. Routledge.
A migração ajuda a reduzir a
desigualdade social e espacial?
●
Positivo:
– Salários melhores após migração
– Ajuste entre oferta de emprego e mão
de obra disponível
– Imigrantes enviam dinheiro de volta para
família
A migração ajuda a reduzir a
desigualdade social e espacial?
●
Negativo:
– Desestruturação social nas
comunidades emissoras e recebedoras
– Sobrecarga em serviços públicos (saúde
e educação) e assistência social
– Os migrantes normalmente têm maior
educação e capacidades de trabalho
que os não migrantes de sua
comunidade original (fuga de talentos)
Ciência Política
●
Como as opiniões dos eleitores
influenciam as decisões políticas
sobre imigração?
Brettell, C.B. and Hollifield, J.F. eds., 2014. Migration theory: Talking across disciplines. Routledge.
Decisões sobre os navios Tampa e o
SIEV-X foram relevantes para a reeleição
dos governos de direita na Austrália em
2001
Direito
●
Como as mudanças legais alteram
o fluxo migratório?
●
Como as mudanças legais afetam
a vida dos imigrantes dentro dos
países?
Brettell, C.B. and Hollifield, J.F. eds., 2014. Migration theory: Talking across disciplines. Routledge.
Diferentes leis e políticas para
imigrantes:
●
temporários
●
permanentes
●
reunificação familiar
●
refugiados
●
ilegais
Sociologia
●
Como as instituições públicas e
privadas se relacionam com os
imigrantes?
Brettell, C.B. and Hollifield, J.F. eds., 2014. Migration theory: Talking across disciplines. Routledge.

Têm acesso ao sistema de saúde público?

Têm acesso ao sistema de educação pública?

Podem ter contrato de trabalho?

Há políticas de assistência ao imigrante?

O que ocorre ao se descobrir que um imigrante é ilegal?
Antropologia
●
Como são as relações nas famílias
e comunidades de imigrantes?
●
Como se dá a relação dos
imigrantes com as culturas locais?
Brettell, C.B. and Hollifield, J.F. eds., 2014. Migration theory: Talking across disciplines. Routledge.
Migração e Cultura
● Aculturação
– Um grupo aprende a se manter em uma outra
matriz cultural (ex: aprender a língua),
mas ainda se identifica com matriz de origem
● Assimilação
– Um grupo se mescla à matriz cultural e perde
sua identidade
● Transculturação
– Duas culturas criam uma faixa de transição que
mescla as duas características
Domosh, Mona, Roderick P. Neumann, Patricia L. Price, and Terry G. Jordan-Bychkov. The human mosaic: A cultural approach to human geography. W.H. Freeman
and Company, New York, 2010.
Transculturação
linguística
Regiões onde se
fala Portunhol
https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Portu%C3%B1ol_americano.png
Atividade
Assista aos vídeos “Zonas de Conflito”
(https://youtu.be/I_iIOvyBBOc) “Refugiados e
Migrantes” (https://youtu.be/X1wFLifH14Y) e “Cidade e
Migrações” (https://youtu.be/98x3SSUITJM) e, com
base nos vídeos, no conteúdo da aula e do texto base
de leitura, discuta sobre:
●
Quais motivações levam governos a restringir a
entrada e a integração de imigrantes em seus
territórios
●
As dificuldades de adaptação dos imigrantes à vida
no local de destino
●
O que pode ser feito para assegurar melhor os
direitos e a qualidade de vida dos imigrantes
Dúvidas?
Comentários?
Obrigado!
Vitor Vieira Vasconcelos
vitor.v.v@gmail.com

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Os fluxos populacionais
Os fluxos populacionaisOs fluxos populacionais
Os fluxos populacionais
Luiz Carvalheira Junior
 
Pirâmide etária
Pirâmide etáriaPirâmide etária
Pirâmide etária
Vitor Pereira Rodrigues
 
Urbanização Mundial e Brasileira
Urbanização Mundial e BrasileiraUrbanização Mundial e Brasileira
Urbanização Mundial e Brasileira
Artur Lara
 
Formação Territorial Do Brasil
Formação Territorial Do BrasilFormação Territorial Do Brasil
Formação Territorial Do Brasil
Luciano Pessanha
 
O PROCESSO DE URBANIZAÇÃO NO BRASIL
O PROCESSO DE URBANIZAÇÃO NO BRASILO PROCESSO DE URBANIZAÇÃO NO BRASIL
O PROCESSO DE URBANIZAÇÃO NO BRASIL
Anderson Silva
 
Aula 3 - fluxos migratórios
Aula 3 -  fluxos migratóriosAula 3 -  fluxos migratórios
Aula 3 - fluxos migratórios
Isabela Espíndola
 
Movimentos migratorios
Movimentos migratoriosMovimentos migratorios
Movimentos migratorios
dela28
 
Transição demográfica
Transição demográficaTransição demográfica
Transição demográfica
unesp
 
Globalização
GlobalizaçãoGlobalização
Globalização
Luciano Pessanha
 
Populaçao brasileira
Populaçao brasileiraPopulaçao brasileira
Populaçao brasileira
Prof.Paulo/geografia
 
O Território Brasileiro
O Território BrasileiroO Território Brasileiro
O Território Brasileiro
André Luiz Marques
 
Cap. 3 - População brasileira (7º ano)
Cap. 3 - População brasileira (7º ano)Cap. 3 - População brasileira (7º ano)
Cap. 3 - População brasileira (7º ano)
profacacio
 
Continente americano
Continente americanoContinente americano
Continente americano
André Luiz Marques
 
Globalização
GlobalizaçãoGlobalização
Globalização
Cristina Gouveia
 
Desigualdade Social
Desigualdade SocialDesigualdade Social
Desigualdade Social
Marcos Alencar
 
O Processo de Industrialização do Brasil - 7º Ano (2017)
O Processo de Industrialização do Brasil - 7º Ano (2017)O Processo de Industrialização do Brasil - 7º Ano (2017)
O Processo de Industrialização do Brasil - 7º Ano (2017)
Nefer19
 
Desigualdade segregação espacial 1
Desigualdade segregação espacial 1Desigualdade segregação espacial 1
Desigualdade segregação espacial 1
orlandoguedess
 
Localização geográfica do brasil
Localização geográfica do brasilLocalização geográfica do brasil
Localização geográfica do brasil
guiodrumond
 
Urbanização
UrbanizaçãoUrbanização
Urbanização
Ian Macedo
 
A regionalização do espaço geográfico mundial
A regionalização do espaço geográfico mundialA regionalização do espaço geográfico mundial
A regionalização do espaço geográfico mundial
Uilson Pereira da Silva
 

Mais procurados (20)

Os fluxos populacionais
Os fluxos populacionaisOs fluxos populacionais
Os fluxos populacionais
 
Pirâmide etária
Pirâmide etáriaPirâmide etária
Pirâmide etária
 
Urbanização Mundial e Brasileira
Urbanização Mundial e BrasileiraUrbanização Mundial e Brasileira
Urbanização Mundial e Brasileira
 
Formação Territorial Do Brasil
Formação Territorial Do BrasilFormação Territorial Do Brasil
Formação Territorial Do Brasil
 
O PROCESSO DE URBANIZAÇÃO NO BRASIL
O PROCESSO DE URBANIZAÇÃO NO BRASILO PROCESSO DE URBANIZAÇÃO NO BRASIL
O PROCESSO DE URBANIZAÇÃO NO BRASIL
 
Aula 3 - fluxos migratórios
Aula 3 -  fluxos migratóriosAula 3 -  fluxos migratórios
Aula 3 - fluxos migratórios
 
Movimentos migratorios
Movimentos migratoriosMovimentos migratorios
Movimentos migratorios
 
Transição demográfica
Transição demográficaTransição demográfica
Transição demográfica
 
Globalização
GlobalizaçãoGlobalização
Globalização
 
Populaçao brasileira
Populaçao brasileiraPopulaçao brasileira
Populaçao brasileira
 
O Território Brasileiro
O Território BrasileiroO Território Brasileiro
O Território Brasileiro
 
Cap. 3 - População brasileira (7º ano)
Cap. 3 - População brasileira (7º ano)Cap. 3 - População brasileira (7º ano)
Cap. 3 - População brasileira (7º ano)
 
Continente americano
Continente americanoContinente americano
Continente americano
 
Globalização
GlobalizaçãoGlobalização
Globalização
 
Desigualdade Social
Desigualdade SocialDesigualdade Social
Desigualdade Social
 
O Processo de Industrialização do Brasil - 7º Ano (2017)
O Processo de Industrialização do Brasil - 7º Ano (2017)O Processo de Industrialização do Brasil - 7º Ano (2017)
O Processo de Industrialização do Brasil - 7º Ano (2017)
 
Desigualdade segregação espacial 1
Desigualdade segregação espacial 1Desigualdade segregação espacial 1
Desigualdade segregação espacial 1
 
Localização geográfica do brasil
Localização geográfica do brasilLocalização geográfica do brasil
Localização geográfica do brasil
 
Urbanização
UrbanizaçãoUrbanização
Urbanização
 
A regionalização do espaço geográfico mundial
A regionalização do espaço geográfico mundialA regionalização do espaço geográfico mundial
A regionalização do espaço geográfico mundial
 

Semelhante a MIgrações

ATIVIDADE GEOGRAFIA 8 ANO MIGRAÇÕES.docx
ATIVIDADE GEOGRAFIA 8 ANO MIGRAÇÕES.docxATIVIDADE GEOGRAFIA 8 ANO MIGRAÇÕES.docx
ATIVIDADE GEOGRAFIA 8 ANO MIGRAÇÕES.docx
Keliane Oliveira
 
Unidade 1
Unidade 1Unidade 1
Unidade 1
Christie Freitas
 
Quem sou eu - a formação do povo brasileiro
Quem sou eu - a formação do povo brasileiroQuem sou eu - a formação do povo brasileiro
Quem sou eu - a formação do povo brasileiro
André Luiz Marques
 
Europa e Europeus - Os Gregos
Europa e Europeus - Os GregosEuropa e Europeus - Os Gregos
Europa e Europeus - Os Gregos
Carlos Ribeiro Medeiros
 
AULAS EXPOSITIVAS.8 ANO.pdf
AULAS EXPOSITIVAS.8 ANO.pdfAULAS EXPOSITIVAS.8 ANO.pdf
AULAS EXPOSITIVAS.8 ANO.pdf
ssuser372a77
 
Slides - 8º ano.pdf
Slides - 8º ano.pdfSlides - 8º ano.pdf
Slides - 8º ano.pdf
Lucascpa1
 
Europa e Europeus - Gregos (2018/2019)
Europa e Europeus - Gregos (2018/2019)Europa e Europeus - Gregos (2018/2019)
Europa e Europeus - Gregos (2018/2019)
Carlos Ribeiro Medeiros
 
Relatório do Debate sobre Migrações
Relatório do Debate sobre MigraçõesRelatório do Debate sobre Migrações
Relatório do Debate sobre Migrações
Renato Oliveira
 
02 26
02 2602 26
Cartilha embaixada
Cartilha embaixadaCartilha embaixada
Cartilha embaixada
EmbaixadaSolidria
 
Hist doc 6.1
Hist doc 6.1Hist doc 6.1
Hist doc 6.1
bleckmouth
 
C 9ilha 01-invejidade
C 9ilha 01-invejidadeC 9ilha 01-invejidade
C 9ilha 01-invejidade
milsumav
 
66hhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh6649.pdf
66hhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh6649.pdf66hhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh6649.pdf
66hhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh6649.pdf
LEANDROSPANHOL1
 
CLC Urbanismo e Mobilidade DR 4 Migrações
CLC Urbanismo e Mobilidade DR 4 MigraçõesCLC Urbanismo e Mobilidade DR 4 Migrações
CLC Urbanismo e Mobilidade DR 4 Migrações
Fernando de Sá
 
AVALIAÇÃO ANTROPOLOGIA CULTURAL
AVALIAÇÃO ANTROPOLOGIA CULTURALAVALIAÇÃO ANTROPOLOGIA CULTURAL
AVALIAÇÃO ANTROPOLOGIA CULTURAL
Umberto Neves
 
Ensino e memoria_historias_da_imigracao
Ensino e memoria_historias_da_imigracaoEnsino e memoria_historias_da_imigracao
Ensino e memoria_historias_da_imigracao
Rodrigo Delfim
 
23573.pptx
23573.pptx23573.pptx
Território e sociedade - Refugiados Árabes
Território e sociedade - Refugiados ÁrabesTerritório e sociedade - Refugiados Árabes
Território e sociedade - Refugiados Árabes
Isabella Aragão Araújo
 
Imigrantes e Refugiados
Imigrantes e RefugiadosImigrantes e Refugiados
Imigrantes e Refugiados
GustavoRamos304472
 

Semelhante a MIgrações (20)

ATIVIDADE GEOGRAFIA 8 ANO MIGRAÇÕES.docx
ATIVIDADE GEOGRAFIA 8 ANO MIGRAÇÕES.docxATIVIDADE GEOGRAFIA 8 ANO MIGRAÇÕES.docx
ATIVIDADE GEOGRAFIA 8 ANO MIGRAÇÕES.docx
 
Unidade 1
Unidade 1Unidade 1
Unidade 1
 
Quem sou eu - a formação do povo brasileiro
Quem sou eu - a formação do povo brasileiroQuem sou eu - a formação do povo brasileiro
Quem sou eu - a formação do povo brasileiro
 
Europa e Europeus - Os Gregos
Europa e Europeus - Os GregosEuropa e Europeus - Os Gregos
Europa e Europeus - Os Gregos
 
AULAS EXPOSITIVAS.8 ANO.pdf
AULAS EXPOSITIVAS.8 ANO.pdfAULAS EXPOSITIVAS.8 ANO.pdf
AULAS EXPOSITIVAS.8 ANO.pdf
 
Slides - 8º ano.pdf
Slides - 8º ano.pdfSlides - 8º ano.pdf
Slides - 8º ano.pdf
 
Europa e Europeus - Gregos (2018/2019)
Europa e Europeus - Gregos (2018/2019)Europa e Europeus - Gregos (2018/2019)
Europa e Europeus - Gregos (2018/2019)
 
Relatório do Debate sobre Migrações
Relatório do Debate sobre MigraçõesRelatório do Debate sobre Migrações
Relatório do Debate sobre Migrações
 
02 26
02 2602 26
02 26
 
Cartilha embaixada
Cartilha embaixadaCartilha embaixada
Cartilha embaixada
 
Hist doc 6.1
Hist doc 6.1Hist doc 6.1
Hist doc 6.1
 
C 9ilha 01-invejidade
C 9ilha 01-invejidadeC 9ilha 01-invejidade
C 9ilha 01-invejidade
 
66hhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh6649.pdf
66hhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh6649.pdf66hhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh6649.pdf
66hhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh6649.pdf
 
CLC Urbanismo e Mobilidade DR 4 Migrações
CLC Urbanismo e Mobilidade DR 4 MigraçõesCLC Urbanismo e Mobilidade DR 4 Migrações
CLC Urbanismo e Mobilidade DR 4 Migrações
 
AVALIAÇÃO ANTROPOLOGIA CULTURAL
AVALIAÇÃO ANTROPOLOGIA CULTURALAVALIAÇÃO ANTROPOLOGIA CULTURAL
AVALIAÇÃO ANTROPOLOGIA CULTURAL
 
Ensino e memoria_historias_da_imigracao
Ensino e memoria_historias_da_imigracaoEnsino e memoria_historias_da_imigracao
Ensino e memoria_historias_da_imigracao
 
Migrações no brasil
Migrações no brasilMigrações no brasil
Migrações no brasil
 
23573.pptx
23573.pptx23573.pptx
23573.pptx
 
Território e sociedade - Refugiados Árabes
Território e sociedade - Refugiados ÁrabesTerritório e sociedade - Refugiados Árabes
Território e sociedade - Refugiados Árabes
 
Imigrantes e Refugiados
Imigrantes e RefugiadosImigrantes e Refugiados
Imigrantes e Refugiados
 

Mais de Vitor Vieira Vasconcelos

Relationships among socioeconomic affluence, yard management, and biodiversity
Relationships among socioeconomic affluence, yard management, and biodiversityRelationships among socioeconomic affluence, yard management, and biodiversity
Relationships among socioeconomic affluence, yard management, and biodiversity
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Análise espacial de doenças transmissíveis
Análise espacial de doenças transmissíveisAnálise espacial de doenças transmissíveis
Análise espacial de doenças transmissíveis
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Fishbanks! Jogo de simulação de gestão de recursos renováveis
Fishbanks! Jogo de simulação de gestão de recursos renováveisFishbanks! Jogo de simulação de gestão de recursos renováveis
Fishbanks! Jogo de simulação de gestão de recursos renováveis
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Regimes de Apropriação de Recursos Naturais
Regimes de Apropriação de Recursos NaturaisRegimes de Apropriação de Recursos Naturais
Regimes de Apropriação de Recursos Naturais
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Recursos Comuns e Tragédia dos Comuns
Recursos Comuns e Tragédia dos ComunsRecursos Comuns e Tragédia dos Comuns
Recursos Comuns e Tragédia dos Comuns
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Relações entre sistemas naturais e sociais
Relações entre sistemas naturais e sociaisRelações entre sistemas naturais e sociais
Relações entre sistemas naturais e sociais
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Valoração de Serviços Ecossistêmicos
Valoração de Serviços EcossistêmicosValoração de Serviços Ecossistêmicos
Valoração de Serviços Ecossistêmicos
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Recursos Naturais e Serviços Ecossistêmicos
Recursos Naturais e Serviços EcossistêmicosRecursos Naturais e Serviços Ecossistêmicos
Recursos Naturais e Serviços Ecossistêmicos
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Bases teóricas e conceituais do Planejamento e da Política Ambiental
Bases teóricas e conceituais do Planejamento e da Política AmbientalBases teóricas e conceituais do Planejamento e da Política Ambiental
Bases teóricas e conceituais do Planejamento e da Política Ambiental
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Planejamento territorial
Planejamento territorialPlanejamento territorial
Planejamento territorial
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Coremática e Mapeamento Participativo
Coremática e Mapeamento ParticipativoCoremática e Mapeamento Participativo
Coremática e Mapeamento Participativo
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Cartografia Social
Cartografia SocialCartografia Social
Cartografia Social
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Conflitos fundiários
Conflitos fundiáriosConflitos fundiários
Conflitos fundiários
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Conflitos Territoriais
Conflitos TerritoriaisConflitos Territoriais
Conflitos Territoriais
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Chácara Baronesa - Haras São Bernardo
Chácara Baronesa - Haras São BernardoChácara Baronesa - Haras São Bernardo
Chácara Baronesa - Haras São Bernardo
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Governo e Território
Governo e TerritórioGoverno e Território
Governo e Território
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Segregação e Interação Territorial
Segregação e Interação TerritorialSegregação e Interação Territorial
Segregação e Interação Territorial
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Território e Poder
Território e PoderTerritório e Poder
Território e Poder
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Operações com dados espaciais (Vetor) em R
Operações com dados espaciais (Vetor) em ROperações com dados espaciais (Vetor) em R
Operações com dados espaciais (Vetor) em R
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Lugar, Ambiente, Paisagem e Sentimento
Lugar, Ambiente, Paisagem e SentimentoLugar, Ambiente, Paisagem e Sentimento
Lugar, Ambiente, Paisagem e Sentimento
Vitor Vieira Vasconcelos
 

Mais de Vitor Vieira Vasconcelos (20)

Relationships among socioeconomic affluence, yard management, and biodiversity
Relationships among socioeconomic affluence, yard management, and biodiversityRelationships among socioeconomic affluence, yard management, and biodiversity
Relationships among socioeconomic affluence, yard management, and biodiversity
 
Análise espacial de doenças transmissíveis
Análise espacial de doenças transmissíveisAnálise espacial de doenças transmissíveis
Análise espacial de doenças transmissíveis
 
Fishbanks! Jogo de simulação de gestão de recursos renováveis
Fishbanks! Jogo de simulação de gestão de recursos renováveisFishbanks! Jogo de simulação de gestão de recursos renováveis
Fishbanks! Jogo de simulação de gestão de recursos renováveis
 
Regimes de Apropriação de Recursos Naturais
Regimes de Apropriação de Recursos NaturaisRegimes de Apropriação de Recursos Naturais
Regimes de Apropriação de Recursos Naturais
 
Recursos Comuns e Tragédia dos Comuns
Recursos Comuns e Tragédia dos ComunsRecursos Comuns e Tragédia dos Comuns
Recursos Comuns e Tragédia dos Comuns
 
Relações entre sistemas naturais e sociais
Relações entre sistemas naturais e sociaisRelações entre sistemas naturais e sociais
Relações entre sistemas naturais e sociais
 
Valoração de Serviços Ecossistêmicos
Valoração de Serviços EcossistêmicosValoração de Serviços Ecossistêmicos
Valoração de Serviços Ecossistêmicos
 
Recursos Naturais e Serviços Ecossistêmicos
Recursos Naturais e Serviços EcossistêmicosRecursos Naturais e Serviços Ecossistêmicos
Recursos Naturais e Serviços Ecossistêmicos
 
Bases teóricas e conceituais do Planejamento e da Política Ambiental
Bases teóricas e conceituais do Planejamento e da Política AmbientalBases teóricas e conceituais do Planejamento e da Política Ambiental
Bases teóricas e conceituais do Planejamento e da Política Ambiental
 
Planejamento territorial
Planejamento territorialPlanejamento territorial
Planejamento territorial
 
Coremática e Mapeamento Participativo
Coremática e Mapeamento ParticipativoCoremática e Mapeamento Participativo
Coremática e Mapeamento Participativo
 
Cartografia Social
Cartografia SocialCartografia Social
Cartografia Social
 
Conflitos fundiários
Conflitos fundiáriosConflitos fundiários
Conflitos fundiários
 
Conflitos Territoriais
Conflitos TerritoriaisConflitos Territoriais
Conflitos Territoriais
 
Chácara Baronesa - Haras São Bernardo
Chácara Baronesa - Haras São BernardoChácara Baronesa - Haras São Bernardo
Chácara Baronesa - Haras São Bernardo
 
Governo e Território
Governo e TerritórioGoverno e Território
Governo e Território
 
Segregação e Interação Territorial
Segregação e Interação TerritorialSegregação e Interação Territorial
Segregação e Interação Territorial
 
Território e Poder
Território e PoderTerritório e Poder
Território e Poder
 
Operações com dados espaciais (Vetor) em R
Operações com dados espaciais (Vetor) em ROperações com dados espaciais (Vetor) em R
Operações com dados espaciais (Vetor) em R
 
Lugar, Ambiente, Paisagem e Sentimento
Lugar, Ambiente, Paisagem e SentimentoLugar, Ambiente, Paisagem e Sentimento
Lugar, Ambiente, Paisagem e Sentimento
 

Último

1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
LeticiaRochaCupaiol
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
MateusTavares54
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
Marlene Cunhada
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Érika Rufo
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
YeniferGarcia36
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
eaiprofpolly
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
AntnioManuelAgdoma
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 

Último (20)

1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 

MIgrações

  • 1. Território e Sociedade Migração Vitor Vieira Vasconcelos Universidade Federal do ABC São Bernardo do Campo Maio, 2020
  • 2. Conteúdo ● Conflitos migratórios ● Imigração e Direitos Humanos ● Imigração sob diversos olhares: – Demografia – Economia – Ciência Política – Direito – Sociologia – Antropologia
  • 3. Texto base MARANDOLA Jr, E.; GALLO, D.; MARCHIORI, P. Ser migrante: implicações territoriais e existenciais da migração.  Revista brasileira de estudos de População. v. 27, n. 2, p. 407-424, 2010
  • 4. Vídeo Migrações, um fenômeno global https://youtu.be/spFE9y0w1Tw
  • 5. Agosto de 2001 – Navio de cargaAgosto de 2001 – Navio de carga norueguês “Tampa” resgata barco de 438norueguês “Tampa” resgata barco de 438 imigrantes, a maioria afegãos buscandoimigrantes, a maioria afegãos buscando asilo político por perseguição étnica.asilo político por perseguição étnica. Também havia imigrantes paquistanesesTambém havia imigrantes paquistaneses e do Sri Lankae do Sri Lanka https://ethicaljournalismnetwork.org/worth-thousand-words-photos-shape-attitudes-refugees Diversos dosDiversos dos imigrantes estavamimigrantes estavam desnutridos e/oudesnutridos e/ou precisavam deprecisavam de assistência médicaassistência médica
  • 6. O capitão do navio, Arne Rinnan, pede autorização para desembarcar em Christmas Island, território australiano, para atendimento aos imigrantes O que vocês fariam se fossem o governo australiano?
  • 7. O governo australiano proíbe o desembarque, afirmando ser responsabilidade da Noruega. O que vocês fariam se fossem o capitão do navio?
  • 8. A Indonésia era o segundo porto mais próximo. Inicialmente,A Indonésia era o segundo porto mais próximo. Inicialmente, negaram o desembarque, mas depois aceitaram.negaram o desembarque, mas depois aceitaram. Mas os imigrantes se negaram a desembarcar eMas os imigrantes se negaram a desembarcar e fizeram greve de fome.fizeram greve de fome. E agora, o que fazer?E agora, o que fazer? https://ethicaljournalismnetwork.org/worth-thousand-words-photos-shape-attitudes-refugees
  • 9. O governo da Austrália direciona os imigrantes para um campo de detenção na ilha Nauru https://www.change.org/p/the-prime-minister-open-the-nauru-manus-detention-centre-to-independent-third-party-inspectio
  • 10. Nova Zelândia recebe 150 dos imigrantes. Outros ficam mais de 2 anos no campo de detenção, e após outra greve de fome, são aceitos na Austrália. https://www.abc.net.au/news/2003-12-24/nauru-detainees-on-hunger-strike/110410
  • 11. Novembro de 2001: barco de pesca SIEV-X afunda e morrem 353 imigrantes, após ter desembarque negado pela Austrália http://thedeletions.blogspot.com/2006/10/siev-x.html
  • 12. Imigração e Direitos Humanos ● Visão tradicional – O governo deve garantir os direitos humanos aos seus cidadãos ● Tendência contemporânea – Direito humanos são universais – O governo deve garantir os direitos humanos de qualquer pessoa em seu território Reis, R.R., 2004. Soberania, direitos humanos e migrações internacionais. Revista Brasileira de Ciências Sociais, 19(55), pp.149-163.
  • 13. UN. International Migration Report 2017. https://www.un.org/en/development/desa/population/migration/publications/migrationreport/docs/MigrationReport2017.pdf Ratificação de instrumentos legais relativos à migração internacional (1950-2017)
  • 14. Ratificação de instrumentos legais relacionados às migrações (2019) https://reliefweb.int/sites/reliefweb.int/files/resources/MigrationStock2019_Wallchart.pdf 5 4 3 1 ou 2 Nenhum Sem dados
  • 15. Conflitos Soberania dos Estados em controlar a mobilidade nas fronteiras X Tratados internacionais sobre direitos humanos para imigrantes Reis, R.R., 2004. Soberania, direitos humanos e migrações internacionais. Revista Brasileira de Ciências Sociais, 19(55), pp.149-163.
  • 20. Número de muros e barreiras entre países Vernon, V. and Zimmermann, K.F., 2019. Walls and Fences: A Journey Through History and Economics (No. 330). GLO Discussion Paper.
  • 21. País: Construiu barreiras Não construiu barreiras Seções de fronteiras cercadas: Construídas total ou parcialmente Planejadas Vallet, E., 2016. Borders, fences and walls: State of insecurity?. Routledge.
  • 22. Jacobs, Frank, The West' is, in fact, the world's biggest gated community. Big Think, 2019. https://bigthink.com/strange-maps/walled-world 73% da renda mundial 14% da população mundial 27% da renda mundial 86% da população mundial 50 cidades com melhor qualidade de vida Zona de fronteira altamente protegida A maior comunidade fechada do mundo
  • 23. https://storymaps.esri.com/stories/2017/the-uprooted/index.html Contenção e contornamento deContenção e contornamento de imigrantes sírios na Europaimigrantes sírios na Europa Síria Turquia Grécia Cerca entreCerca entre Turquia eTurquia e GréciaGrécia
  • 24. Síria Turquia Grécia Refugiados em bote para a GréciaRefugiados em bote para a Grécia Bulgária https://storymaps.esri.com/stories/2017/the-uprooted/index.html
  • 25. Síria Turquia Grécia Bulgária Hungria Macedônia Sérvia Cerca entreCerca entre Hungria e SérviaHungria e Sérvia https://storymaps.esri.com/stories/2017/the-uprooted/index.html
  • 27. Cerca entre Áustria e EslovêniaCerca entre Áustria e Eslovênia Turquia Grécia Bulgária Hungria Macedônia Sérvia Romênia Croácia Eslovênia Áustria https://storymaps.esri.com/stories/2017/the-uprooted/index.html
  • 30. Constituição Federal de 1988 Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade
  • 32. Causas de migração ● Desastres naturais (secas, terremotos, inundações, tornados, desertificação) ● Refugiados de guerra ● Asilo político ● Trabalho ● Reunião familiar ● Migração de retorno Nolasco, C., 2016. Migrações internacionais: conceitos, tipologia e teorias. Oficina do CES, 434, pp.1-29.
  • 33. Tipos de migração Legal X Clandestina Voluntária X Tráfico de pessoas https://fashionfood4.wordpress.com/ Nolasco, C., 2016. Migrações internacionais: conceitos, tipologia e teorias. Oficina do CES, 434, pp.1-29.
  • 34. Tempo Permanente Temporário Intermitente Escala Internacional Nacional Intermunicipal Migração Mobilidade Nolasco, C., 2016. Migrações internacionais: conceitos, tipologia e teorias. Oficina do CES, 434, pp.1-29.
  • 35. A leis da migração, de Ravestein • As migrações acontecem essencialmente por disparidades econômicas entre áreas, sendo que os grandes centros urbanos, industriais ou de comércio são espaços de atração • Existe uma relação entre o movimento migratório e a distância percorrida, na medida em que quanto maior for a distância menor será o número de migrantes a efetuar esse percurso • Se a distância a percorrer for grande, o percurso migratório tende a ser feito por etapas • Adultos e camponeses migram mais que jovens, idosos, e urbanos • As migrações tendem a aumentar com o desenvolvimento econômico e com o progresso da tecnologia e dos transportes • Toda corrente de migração gera uma contracorrente de retorno Ravenstein, Erneste Georg (1885), “The Laws of Migrations”, Journal of the Statistical Society of London, 48(2), 167-235.
  • 36. Teoria dos sistemas migratórios ● Imigrantes procuram o país de afinidade linguística que tenha melhor condição econômica ● Exemplos: – Brasil X Portugal – Irlanda X Estados Unidos – Polônia X Alemanha Baganha, Maria I. (2009), “The Lusophone Migratory System: Patterns and Trends”, International Migration. 47(3), 5-20.
  • 37. Para que se estudam as migrações? Brettell, C.B. and Hollifield, J.F. eds., 2014. Migration theory: Talking across disciplines. Routledge. Quem as estuda?
  • 38. Demografia ● Quantas pessoas estão migrando? ● Quais as características dos migrantes (idade, gênero, estudo, origem)? ● Como a imigração altera o tamanho e características das populações dos países? Brettell, C.B. and Hollifield, J.F. eds., 2014. Migration theory: Talking across disciplines. Routledge.
  • 39. Migrantes internacionais % de migrantes em relação à população mundial Migrantes Como porcentagem da população mundial Taxa de crescimento anual composta em cada período (%)
  • 41. Fluxos de migração Brasil (2010-2015) http://metrocosm.com/global-immigration-map/
  • 43. https://twitter.com/paragkhanna/status/725387800611164160/photo/1 Número total de migrantes partindo de um território / região Fluxo de migrantes Ranking pelo número de migrantes por país
  • 44. ONU (2004). Imigration emigration world map. Em: http://www.emersonkent.com/images/global_migration_2005.jpg
  • 45. Novos destinos de migração https://www.weforum.org/agenda/2017/10/how-migration-is-changing-world-cities-charts/
  • 46. 0 5 10 20-5-10-20 Migrants per 1000 Population no data Annual Net Migration Rate 2015–2020 Data source: United Nations, Department of Economic and Social Affairs, Population Division (2019). World Population Prospects 2019, custom data acquired via website. https://en.wikipedia.org/wiki/Human_migration#/media/File:Annual_Net_Migration_Rate_2015%E2%80%932020.svg Taxa de migração líquida anual (2015-2020) Migrantes por 1000 habitantes
  • 47. https://reliefweb.int/sites/reliefweb.int/files/resources/MigrationStock2019_Wallchart.pdf Migrantes internacionais como porcentagem da população total (2019) 20% ou mais 10 a 20% 5 a 10% 1 a 5% Menos de 1% Sem dados
  • 51. Onde moram as pessoas que nasceram na região: Sul Sudeste Centro Oeste https://www.nexojornal.com.br/grafico/2017/12/01/Fluxos-migrat%C3%B3rios-a-distribui%C3%A7%C3%A3o-da-popula%C3%A7%C3%A3o-de-cada-estado-pelo-pa%C3%ADs Nordeste Norte
  • 52. Municípios em que mais de 70% da população é de migrantes recentes (pós 1960) Moraes, R. São Paulo, cidade em busca de reformas, ainda que tarde. GGN. 2016.
  • 53. Economia ● Em que medida as desigualdades econômicas levam as pessoas a migrar? ● Quais são os custos e benefícios econômicos da imigração para cada país? Brettell, C.B. and Hollifield, J.F. eds., 2014. Migration theory: Talking across disciplines. Routledge.
  • 54. A migração ajuda a reduzir a desigualdade social e espacial? ● Positivo: – Salários melhores após migração – Ajuste entre oferta de emprego e mão de obra disponível – Imigrantes enviam dinheiro de volta para família
  • 55. A migração ajuda a reduzir a desigualdade social e espacial? ● Negativo: – Desestruturação social nas comunidades emissoras e recebedoras – Sobrecarga em serviços públicos (saúde e educação) e assistência social – Os migrantes normalmente têm maior educação e capacidades de trabalho que os não migrantes de sua comunidade original (fuga de talentos)
  • 56. Ciência Política ● Como as opiniões dos eleitores influenciam as decisões políticas sobre imigração? Brettell, C.B. and Hollifield, J.F. eds., 2014. Migration theory: Talking across disciplines. Routledge. Decisões sobre os navios Tampa e o SIEV-X foram relevantes para a reeleição dos governos de direita na Austrália em 2001
  • 57. Direito ● Como as mudanças legais alteram o fluxo migratório? ● Como as mudanças legais afetam a vida dos imigrantes dentro dos países? Brettell, C.B. and Hollifield, J.F. eds., 2014. Migration theory: Talking across disciplines. Routledge. Diferentes leis e políticas para imigrantes: ● temporários ● permanentes ● reunificação familiar ● refugiados ● ilegais
  • 58. Sociologia ● Como as instituições públicas e privadas se relacionam com os imigrantes? Brettell, C.B. and Hollifield, J.F. eds., 2014. Migration theory: Talking across disciplines. Routledge.  Têm acesso ao sistema de saúde público?  Têm acesso ao sistema de educação pública?  Podem ter contrato de trabalho?  Há políticas de assistência ao imigrante?  O que ocorre ao se descobrir que um imigrante é ilegal?
  • 59. Antropologia ● Como são as relações nas famílias e comunidades de imigrantes? ● Como se dá a relação dos imigrantes com as culturas locais? Brettell, C.B. and Hollifield, J.F. eds., 2014. Migration theory: Talking across disciplines. Routledge.
  • 60. Migração e Cultura ● Aculturação – Um grupo aprende a se manter em uma outra matriz cultural (ex: aprender a língua), mas ainda se identifica com matriz de origem ● Assimilação – Um grupo se mescla à matriz cultural e perde sua identidade ● Transculturação – Duas culturas criam uma faixa de transição que mescla as duas características Domosh, Mona, Roderick P. Neumann, Patricia L. Price, and Terry G. Jordan-Bychkov. The human mosaic: A cultural approach to human geography. W.H. Freeman and Company, New York, 2010.
  • 61. Transculturação linguística Regiões onde se fala Portunhol https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Portu%C3%B1ol_americano.png
  • 62. Atividade Assista aos vídeos “Zonas de Conflito” (https://youtu.be/I_iIOvyBBOc) “Refugiados e Migrantes” (https://youtu.be/X1wFLifH14Y) e “Cidade e Migrações” (https://youtu.be/98x3SSUITJM) e, com base nos vídeos, no conteúdo da aula e do texto base de leitura, discuta sobre: ● Quais motivações levam governos a restringir a entrada e a integração de imigrantes em seus territórios ● As dificuldades de adaptação dos imigrantes à vida no local de destino ● O que pode ser feito para assegurar melhor os direitos e a qualidade de vida dos imigrantes