SlideShare uma empresa Scribd logo
Estequiometria,solubilidade,concentrações,gases
professora Ana Cristina
1) Os compostosiônicos,aose dissolverememágua,tendemase dissociar,formandocátions
e ânions.Onitratode potássio(KNO3),quandoemsolução aquosa, dissocia-se, formando o cátion
potássio e o ânion nitrato. Para esse composto (KNO3):
a) Calcule sua massa molar
b) Calcule a quantidade de matéria, em mol, presente em 3g desse sal.
2) Uma solução verdadeira apresenta a seguinte característica:
a) É sempre bifásico
b) Tem partículas maiores que 100 nm
c) Um exemplo de solução verdadeira é o sangue.
d) É sempre homogênea
3) Um coloide apresenta a seguinte característica:
a) Apresenta partículas menores que 1 nm
b) Só é heterogênea no ultramicroscópio
c) A fumaça é um exemplo
d) É sempre heterogênea
e) Não sofre o efeito Tyndall
4) A neblina é um exemplo de:
a) Coloide
b) Solução
c) Mistura heterogênea
d) Suspensão
5) (UFPE) O rótulo de um frasco diz que ele contém uma solução 1,5 molar de NaI em água. Isso
quer dizer que a solução contém:
a) 1,5 mol de NaI/quilograma de solução
b) 1,5 mol de NaI/quilograma de água
c) 1,5 mol de NaI/litro de água
d) 1,5 mol de NaI/litro de solução
6) (U. F. Paraná) Das equaçõesquímicasabaixo,qual(is) está(ão) balanceada(s) corretamente?
I. NH3 + HCl  NH4Cl
II. BaCl2 + H2SO4  2HCl + BaSO4
III. C2H6O + O2  CO2 + H2O
IV. N2 + H2  NH3
a) Somente I
b) Somente II
c) Somente Ie II
d) Somente IIe IV
e) Somente IIIe IV
7) (UEA – AM) Um indivíduo bebeu 300 mL de um determinado tipo de vinho que possui 8%
de álcool (porcentagememvolume).Considerando-seque amassaespecíficadoálcool (densidade)
é igual a 0,8g/mL, qual foi a massa de álcool ingerida por esse indivíduo?
Estequiometria,solubilidade,concentrações,gases
professora Ana Cristina
8) (UEM-PR) Sabendo-se que 1,0Kg de leite de vacaapresentam1,2g de cálcio,qual é a massa
de leite necessáriaparaque um bezerrofaçaa ingestãode 0,18 mol de cálcio? (MMCa = 40 g/mol).
9) Diferencie solução verdadeira, coloide e suspensão.
10) Explique e diferencie: solução insaturada, saturada e supersaturada.
11) Diferencie solução aquosa e solução alcoólica.
12) A massa de glicose (C6H12O6) presente em 200 mL de solução 0,05 mol/L desse açúcar é:
13) Descreva três processos físicos de separação de misturas.
14) Descreva os processos físicos de separação que fazemos quando preparamos e coamos
café.
15) Uma dispersão é um sistema no qual uma substância está dispersa em outra. Essas
dispersões podem ser classificadas pelo tamanho das partículas, além de outros critérios.
Baseado neste contexto conceitue e exemplifique:
a) Suspensão
b) Coloide
c) solução
16) Uma soluçãofoi preparadacom a dissoluçãode 149 g de hipocloritode sódio(NaClO) em
água suficienteparase obter5 L de solução.Sabendo que amassamolar desse sal é 74,5 g/mol,a
concentraçãoem mol/Ldessasoluçãoé:
a) 0,1 mol/L
b) 0,2 mol/L
c) 0,3 mol/L
d) 0,4 mol/L
e) 0,5 mol/L
17) Nas Condições Normais de Temperatura e Pressão (CNTP), o volume ocupado por 48g de
metano (CH4) é: (R= 0,082 atm.L/mol/K; V=22,4L/mol)
a) 224 L
b) 72 L
c) 7,96 L
d) 22,4 L
e) 67,2 L
18) A densidade absoluta de um gás é dada pela razão entre os produtos Pressão x Massa
Molecular e R (constante dos gases) x Temperatura. Calcule a densidade absoluta do gás
metano (CH4) a 1 atm e 27°C. (R= 0,082).
a) 16g/L
b) 4,2g/L
c) 0,65g/L
d) 6,0g/L
e) 0,85g/L
Estequiometria,solubilidade,concentrações,gases
professora Ana Cristina
19) As transformações gasosas são quaisquer mudanças que se faz nas variáveis de estado do
gás (pressão,temperatura,volume).Complete oquadroabaixocom“VARIA” ou “CONSTANTE”, ou
com o NOME DA TRANSFORMAÇÃO para definir as seguintes transformações gasosas:
TRANSFORMAÇAO VOLUME PRESSAO TEMPERATURA
Isotérmica
Varia constante Varia
Isovolumétrica
Varia varia Varia
Dados para as questões abaixo:
As leisfísicasdosgasessãoaquelasque se referemaocomportamentode uma certa massa
de gás numa transformaçãogasosa. Sua base estáem 3 Leis: a de Boyle-Mariotte (p1V1 = p2V2) e as
de Charles e Gay-Lussac (V1/ T1 = V2/T2) e (p1/T1 = p2/T2).
20) (UEM-PR) Um balãovolumétricode volume constante contém um gás ideal à temperatura
de 200K. Se a temperatura passar para 800K, a razão entre as pressões inicial e final será:
a) ¼
b) ½
c) 1/1
d) 1/6
e) 1/8
21) (CESGRANRIO-RJ) Uma amostra de ozônio ocupa 250 mL a 21°C. Que volume ocupará a
80°C, se não houver variação de pressão?
a) 1 000 mL
b) 300 mL
c) 257 mL
d) 350 mL
e) 273 mL
Estequiometria,solubilidade,concentrações,gases
professora Ana Cristina
29) (Fuvest–SP) A tabelaseguinte contémdadossobre ocomportamentopressão-volumede 1 mol
de amônia a 25°C:
Pressão (atmosferas) Volume (litros)
2,0 12,0
4,0 6,0
8,0 2,9
9,9 2,4
10,0 0,0020
11,0 0,0020
13,0 0,0020
a) Esboce um gráfico com esses dados e justifique por que o volume se manteve constante
acima de 9,9 atm (represente pressão em abscissas e volumes em ordenadas).
30) (UNICAMP-SP) Durante osdias quentesde verão, uma brincadeira interessante consiste pegar
um saco plástico, leve e de cor preta, encher ¾ do seu volume de ar; amarrar hermeticamente a
sua boca,expondo-o,emseguida,aosraiossolares.Oar nointeriordosaco é aquecido,passandoa
ocupar todo o volume. Como consequência, o saco sobe na atmosfera como um balão.
a) Considere apressãoatmosféricaconstante durante abrincadeirae considerandoaindaque
inicialmente o ar estava a 27°C, calcule a variação da temperatura do ar no interior do saco
plástico, entre a situação inicial e a final, quando o gás ocupa todo o volume.
31) Com o auxíliodaTabelaPeriódica,calcule asmassasmoleculares dos seguintes compostos
abaixo:
a) C2H6 e) CH3COONa
b) SO2 f) (NH4)3PO4
c) CaCO3 g) Fe4[Fe(CN)6]3
d) NaHSO4 h) Na2CO3. 10H2O
32) (Unifor –CE) Para tomar um cafezinho, é comum a adição de açúcar. Suponha que, para
adoçar uma xícara de café, tenha sido colocada 2 colheres de açúcar, contendo, por colher, 3,5 g.
Sabendo-se que a massa molar do açúcar (C12H22O11) é 342 g/mol, a quantidade em mol de açúcar
nesse cafezinho é, aproximadamente:
a) 1 x 10-2
b) 3 x10-2
c) 5 x 10-2
d) 2 x10-2
e) 4 x 10-2
33) (Unirio-RJ) Em100 g de leite empóinfantil,existem500mg de cálcio.Assinale aopção que
indica quantos mols de átomos de cálcio existem numa lata de 400g de leite em pó.
a) 0,0125 b) 0,05 c) 0,1 d) 1 e) 2
Estequiometria,solubilidade,concentrações,gases
professora Ana Cristina
34) (Ufac) Três mols de benzeno (C6H6) contém uma massa de:
a) 78g b) 39g c) 156g d) 72g e) 234g
35) Quantas moléculas existem em 88g de dióxido de carbono (CO2)?
36) (FEPAR-PR) Pelasleisdasproporçõesdefinidas (Lei de Proust), a decomposição térmica do
carbonato de cálcioproduz, respectivamente, 11 g de gás carbônico e 14g de óxido de cálcio. Com
base nesses dados, determine a massa de carbonato de cálcio que pode ser produzida por 8g de
óxido de cálcio. Dados Ca = 40g/mol, C = 12 g/mol, O = 16g/mol.
CaCO3(s)

CaO(s) + CO2(g)
a) 25,0 g c) 6,29g e) 7,90g
b) 14,29g d) 10,10g
37) Equacionando a reação de formação da água:
2H2(g) + O2(G) → 2 H2O (l),
a massa de água formada a partir do consumo de 20 mols de gás hidrogênio será de:
a) 18g
b) 180g
c) 400g
d) 36g
e) 360g
38) O volume de CO2(G), nas CNTP, obtido a partir de 200g de CaCO3, após a decomposição
térmica será de:
CaCO3(s)

CaO(s) + CO2(g)
a) 11,2 L
b) 30,0 L
c) 67,2L
d) 22,4L
e) 44,8 L
39) Dada a reação equacionada a seguir:
Fe (s) + O2(g) → Fe2O3(s)
56 g 24g y
a) Considerando a lei de Lavoisier, qual o valor de y?
b) Faça o balanceamento da equação.
c) Quantos mols de oxigênio são consumidos durante a reação?
Estequiometria,solubilidade,concentrações,gases
professora Ana Cristina
40) O volume de CO2(G), nas CNTP, obtido a partir de 300g de CaCO3, após a decomposição
térmica será de: (5 escores, com cálculos)
CaCO3(s)

CaO(s) + CO2(g)
a) 11,2 L d) 22,4L
b) 30,0 L e) 44,8 L
c) 56,0 L
41) Considere a síntese da água pela reação entre os gases hidrogênio e o oxigênio.
a) Quantosmolsde água podemserobtidosa partirde uma misturaque contenha10 molsde
cada reagente?
b) Qual é o reagente em excesso? Quanto está em excesso?
42) Um químico recebe uma amostra de calcário com 90% de pureza em carbonato de cálcio
(CaCO3).Submete-a à uma “pesagem” e encontra 80g. Que cálculo o químico fará para descobrir a
massa de carbonato de cálcio presente nessa amostra?
43) (FEI-SP) Determine onúmerode átomosde hidrogêniocontidosem100,0 g de álcool etílico
(C2H6O). (Dado: MA: H= 1, C = 12, O = 16).
44) Os agricultoresutilizamocalcário(que contém CaCO3) para corrigir a acidez do solo, antes
do plantio. Qual é a massa de CaCO3 existente em 20 t de calcário com 85% de pureza em CaCO3 ?
(Dados: MA: Ca = 40, C =12, O =16).
45) (Vunesp) Aquecendo 21 g de ferro com 15 g de enxofre obtêm-se 33 g de sulfeto ferroso,
restando 3g de enxofre. Aquecendo 30 g de ferro com 16g de enxofre obtêm-se 44 g de sulfeto
ferroso, restando 2 g de ferro. Demonstre que esses dados obedecem às leis de Lavoisier
(conservação da massa) e de Proust (proporções constantes).
46) Determine a massa de ferro que pode ser obtida a partir de 1000 t de minério hematita
contendo 80% de Fe2O3:
Fe2O3(s) + 3CO(g) → 2 Fe(s) + 3CO2(g)
47) Calcário, que é carbonato de cálcio impuro, é empregado para a obtenção de cal viva,
importante produtoindustrial.Umaamostrade 25 g de calcáriofoi submetida à decomposição por
aquecimentoe verificou-se a produção de 5,0 L de gás carbônico, volume que foi medido a 30°C e
1atm. (O volume molar de gás a 30°C e 1atm é 25 L/mol).
CaCO3(g) → CaO(s) + CO2(g)
a) Qual é a massa de CaCO3 presente na amostra de calcário?
b) Determine o grau de pureza da amostra (isto é, a porcentagem de CaCO3 nessa amostra).
48) Ácidoclorídrico é o nome pelo qual é conhecido o cloreto de hidrogênio, HCl, quando em
solução aquosa. A produção industrial do gás cloreto de hidrogênio ocorre por meio da reação
entre os gases hidrogênio, H2 e cloro, Cl2.
a) equacione a reação envolvida
b) Qual é a proporçãoestequiométricaentre asquantidadesemmolsde reagentes e produtos?
c) Qual a proporção entre os volumes de reagentes e produtos, medidos na mesma pressão e
temperatura?
Estequiometria,solubilidade,concentrações,gases
professora Ana Cristina
49) Ao saírem do supermercado, Gabi e Tomás avistaram uma exposição de carros em cujos
acessórios de segurança se destacava o air bag. O air bag é inflado quando o nitrogênio (N2)
produzidoatravésdoazotetode sódio,emcondiçõesespeciais.Umadas reações envolvidas nesse
processo é
2 NaN3(s) → 2 Na(s) + 3 N2 (g)
Considerando CNTP e volume molar 22,4 L, a massa de azoteto de sódio necessária para
inflar um air bag de 10L com nitrogênio, conforme a equação dada, é, aproximadamente:
a) 0,19g c) 19g e) 68g
b) 1,9 g d) 130 g
50) Numa das etapas da fabricação do ácido nítrico, a amônia reage com o oxigênio de acordo
com a seguinte equação:
4 NH3(g) + 5 O2(g) → 4 NO(g) + 6 H2O(g)
Ao empregar 10 mols de amônia e 15 mols de gás oxigênio:
a) qual a quantidade em mols de NO que se poderá obter?
b) haverá reagente em excesso? Explique.
51) Determine onúmerode átomosde oxigênio contidos em 100,0 g de álcool etílico (C2H6O).
(Dado: MA: H= 1, C = 12, O = 16; ).
52) Analisando uma amostra de hematita, um químico verifica que em 16,0 g de amostra
existem 13,6 g de óxido de ferro (Fe2O3). Qual é o grau de pureza em Fe2O3 dessa amostra?
53) Um químico submeteu 80 g de uma amostra de calcário à decomposição térmica e obteve
28g de óxido de cálcio (CaO). Descubra o grau de pureza em carbonato de cálcio nessa amostra.
(Dados: MCaCO3 = 100 g/mol, McaO = 56 g/mol)
CaCO3(S) Δ CaO (S) + CO2(g)
54) Misturam-se 14,6g de ácido clorídrico (HCl) com 16,0 g de hidróxido de cálcio (Ca(OH)2).
Calcule a massa de cloreto de cálcio (CaCl2) que se forma, supondo que a reação tenha 100% de
rendimento.Qual reagente e em que quantidade está em excesso? (Dados: MA: H = 1, O = 16, Cl =
35,5, Ca = 40).
55) Numadas etapas da fabricação do ácido nítrico, a amônia reage com o oxigênio de acordo
com a seguinte equação:
4NH3(g) + 5O2(g) → 4 NO(g) + 6 H2O(g)
Ao empregar 10 mols de amônia e 15 mols de gás oxigênio:
a) qual a quantidade em mols de NO que se poderá obter?
b) haverá reagente em excesso? Explique.
56) O latão é uma liga de cobre e zinco. Uma amostra de 4,0 g de latão foi mergulhada em
ácido clorídrico suficiente para que todo o zinco reagisse (o cobre não reage com ele).
Zn(s) + 2 HCl(aq) → ZnCl2(aq) + H2(g)
Foram produzidos 560 mL de gás hidrogênio, medidos a 0°C e 1 atm. Qual a massa de zinco na
amostra de latãoanalisada?Que porcentagemdo total isso representa? (O volume molar do gás a
0°C e 1 atm é 22,4L).
Estequiometria,solubilidade,concentrações,gases
professora Ana Cristina
57) (UFC-CE) A cisplatina, um complexo inorgânico utilizado no tratamento do câncer de
testículo,é preparadaatravésda reação da amôniacom o tetracloroplatinatode potássio,segundo
a reação:
K2PtCl4 + 2 NH3 → Pt(NH3)2Cl2 + 2KCl
Ao utilizarem-se 10g de cada um dos reagentes dados, na preparação desta metalodroga,
pede-se:
a) A quantidade máxima de cisplatina que será formada.
b) Identificar o reagente que estará presente em excesso na reação, e o que será
completamente consumido (reagente limitante).
c) A quantidade máxima do reagente em excesso que será consumida.
58) Durante um churrasco, foram queimados 2,4 Kg de carbono grafite, C(graf) constituinte
principal do carvão. Essa queima ocorre de acordo com a seguinte equação química:
C (graf) + O2(g) → CO2(g)
Juntamente comoocarbono,gás oxigênioé consumidoe gáscarbônicoé produzido.Considere que
os volumes desses gases fossem medidos a 25°C e 1 atm, situação em que o volume molar dos
gases é 24,5 L.
a) Determine o volume do oxigênio consumido.
b) Determine o volume de gás carbônico produzido.
59) (Ceetps -SP) A uréiaCO(NH2)2, substância utilizada como fertilizante, é obtida pela reação
entre CO2 e NH3, conforme mostra e equação:
CO2(g) + 2 NH3(g) → CO(NH2)2 (g) + H2O (g)
(Dados: C= 12g/mol. O = 16 g/mol; N = 14 g/mol, H = 1 g/mol)
Se 340 toneladas de amônia produzem 540 toneladas de uréia, o rendimento desse
processo é:
a) 80% c) 90% e) 100%
b) 85% d) 95%
62) A Lei de Gay-Lussac relaciona proporção entre:
a) mols c) volume e) n.d.a
b) massa d) moléculas
63) A Lei de Proust relaciona que, numa substância, é constante a proporção entre:
a) massa c) mols e) n.d.a
b) volume d) moléculas
64) (UFF – RJ) Entre os alimentos que ingerimos, os carboidratos são preferencialmente
utilizados para produzir energia, por exemplo, para manter a temperatura corporal, atividades
musculares e outras funções.
Uma equação representativa desse processo se fundamenta na oxidação da glicose C6H12O6.
Estequiometria,solubilidade,concentrações,gases
professora Ana Cristina
a) Escreva a equação representativa da combustão de um mol de glicose.
b) Se 900 g de glicose são consumidos pelo organismo durante certo período, que massa de
CO2 será produzida?
65) (UFRR) Sabe-se que 24 g de carbono se combinam totalmente com 64 g de oxigênio para
produzirgás carbônico.A massa de oxigênio,emgramas,necessáriaparareagir totalmente com 36
g de carbono para a produção de gás carbônico, vale:
a) 12 b) 24 c) 36
d) 96 e) 108
66) (PUC – RJ) Um dos gases responsáveis pelo aquecimento da Terra é o CO2(G), presente na
atmosfera. Atendendo ao Protocolo de Kyoto, uma das tecnologias empregadas na redução dos
teores desse gás está baseada na seguinte reação:
CaO(s) + CO2(g) → CaCo3s)
Se um determinado dispositivo contém 560 g de CaO(s), a massa de CO2(g) que pode ser removida
por meio desse dispositivo é:
a) 44 g d) 560 g
b) 100 g e) 1120 g
c) 440 g
67) (UFSC) “Houston, we have a problem.” Ao enviar essa mensagem em 13 de abril de 1970, o
comandante da missão espacial Apollo 13, Jim Lovell, sabia que a vida de seus companheiros e a
sua própriaestavamemperigo.Um dostanquesde oxigênioda nave explodira. Uma substância, o
superóxido de potássio (K2O4), poderia ser utilizada para absorver o CO2 e, ao mesmo tempo,
restaurar o O2 da nave.
Calcule, segundo a equação
K2O4 + CO2 →K2CO3 + 3
/2 O2
a massa, emkg,de K2O4 necessáriaparaconsumirtodoo CO2 exaladoporumtripulante durante 72
horas se, em média, uma pessoa exala 1,0 kg de CO2 por dia. (O=16, C = 12, K = 39)
68) (UFG –GO) Um bom lugar para visitar é o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros. Como
quase tudo da região, as águas também apresentam certo mistério: apesar de límpidas, possuem
tonalidade castanha, devido à alta concentração de óxido de ferro.
Revista Economia & Desenvolvimento. Adaptação.
A forma mais comum de apresentação do ferro solúvel, nos corpos-d’água, é como bicarbonato
ferroso. Águas subterrâneas profundas, limpas e incolores, em contato com o ar, ficam turvas e
ocorre a sedimentação de um depósito amarelo-marrom avermelhado. As equações não
balanceadas que representam essas reações são:
Fe(HCO3)2 + O2 + H2O →Fe(OH)3 + CO2
Fe(OH)3 →Fe2O3 + H2O
Considerando as reações envolvidas, calcule a massa de bicarbonato ferroso necessária para
produzir 53,2 g de óxido de ferro.
Estequiometria,solubilidade,concentrações,gases
professora Ana Cristina
69) (UNIMONTES – MG)Um agricultor precisa fazer o preparo do solo para a plantação de
hortaliças e tem como opção quatro fertilizantes nitrogenados, como mostram os dados abaixo:
I. Nitrato de amônio, NH4NO3
II. Nitrato de sódio, NaNO3
III. Ureia, (NH4)2CO
IV. Cloreto de amônio, NH4Cℓ
O agricultor precisa do fertilizante que contenha a maior porcentagem em massa de
nitrogênio. Sendo assim, ele deve adquirir o fertilizante:
a) III b) I c) II d) IV
70) A areia é composta, principalmente, de óxido de silício, que é usado para a fabricação de
silíciopuropor um processochamadopurificaçãoemzona,noqual umanel aquecido vai fundindo
o silícioe arrastando as impurezasparaa extremidade,que é descartada. A reação de produção do
silício puro é dada por:
SiO2(s) + C(s) → CO2(g) + Si(S)
Para a reação, calcule:
a) A massa de carbono necessária para produção de 140 g de silício;
b) A quantidade de matériade CO2 produzida a partir da quantidade de carbono do exercício
anterior;
c) Qual a massa de silício produzida a partir de 0,1 mol de óxido de silício;
d) Qual o volume de CO2 gerado a 1 atm e 0°C, quando são consumidos 36 g de carbono;
e) O número de átomos de silício produzidos a partir de 0,01 mol de óxido de silício.
Solubilidade, Dispersões e Concentrações:
71) (Unifor –CE) Dentre os seguintes materiais:
I. maionese,
II. Iogurte,
III. Azeite de oliva
IV. Refrigerante
Podem ser classificados como dispersões coloidais:
a) I e II
b) I e III
c) II e III
d) II e IV
e) III e IV
72) (Unifor – Ce) Maionese e mistura de sal e óleo constituem, respectivamente, exemplos de
sistemas:
a) Coloidal e coloidal d) homogêneo e homogêneo
Estequiometria,solubilidade,concentrações,gases
professora Ana Cristina
b) Homogêneo e heterogêneo e) coloidal e heterogêneo.
c) Coloidal e homogêneo
73) Qualquer mistura de duas ou mais substâncias é considerada uma solução? Explique.
74) Todas as soluções são líquidas? Dê exemplos que sustentem sua resposta.
75) Numa solução aquosa de ácido sulfúrico, qual é o solvente e qual é o soluto?
76) O brometo de potássio (KBr) é um sólido cristalino branco bastante solúvel em água. Como
você preparariauma soluçãocontendo11,9 g desse sal em 1 L de solução? Que volume da solução
preparada contém 9,52 g de soluto?
77) No rótulo de um frasco de laboratório lê-se:
a) Qual é o solvente e qual é o soluto?
b) Qual é a massa de soluto em 500 cm3
dessa solução?
c) Que volume de solução, em mL, contém 15 g de soluto?
78) Um frasco de laboratório contém 2,0L de uma solução aquosa de NaCℓ. A massa do sal
dissolvida na solução é de 120 g. Que volume deve ser retirado da solução inicial para que se
obtenham 30 g de sal dissolvidos?
a) 1,0 L c) 0,25 L e) 0,75 L
b) 0,5 L d) 1,5 L
79) Qual é a massa de açúcar ingerida por uma pessoa ao beber um copo de 250 mL de limonada
na qual o açúcar está presente na concentração de 80 g/L?
80) (Ufam) Adicionando-sesolutoaumsolvente,chega-seaum pontoemque o solvente não mais
consegue dissolver o soluto. Neste ponto a solução torna-se:
a) supersaturada c) fraca e) diluída
b) concentrada d) saturada
81) (UFV-MG) Assinale a alternativa correta. A solubilidade de uma substância é:
a) a quantidade de substância que pode ser dissolvida em 1000 L de água.
b) a quantidade mínima dessa substância que pode ser dissolvida em certa massa de
solvente (normalmente a 100g) a uma temperatura e pressão especificadas.
c) qualquer quantidade dessa substância que pode ser dissolvida em 1000 g de solvente
sem considerar temperatura e pressão.
d) a quantidade máxima dessa substância que pode ser dissolvida em certa massa de
solvente (normalmente 100g) a uma temperatura e pressão especificadas.
e) a quantidade de substância que pode ser dissolvida em 1000 L de álcool.
82) O coeficiente de solubilidade de um sal é de 40 g por 100g de água a 80°C.
A massa desse sal, a essa temperatura, necessária para saturar 70 g de água é:
NaOH(AQ) C = 60 g/dm3
Estequiometria,solubilidade,concentrações,gases
professora Ana Cristina
a) 18 g c) 36 g e) 70 g
b) 28 g d) 40 g
83) (UFPB) Se 64 g de uma solução saturada de KCℓ, após evaporação completa da água
produziram um resíduo sólido que pesou 24 g, a massa, em gramas, do sal KCℓ necessária para
saturar 100g de água, à mesma temperatura, é:
a) 166,6 g c) 60 g e) 160 g
b) 16 g d) 6 g
84) (UFRS) Quais as soluções aquosas, contendo uma única substância dissolvida, que podem
apresentar corpo de fundo dessa substância?
a) saturadas e supersaturadas
b) somente as saturadas
c) insaturadas diluídas
d) somente as supersaturadas
e) insaturadas concentradas
85) (PUC-SP) A uma solução de cloreto de sódio foi adicionado um cristal desse sal e verificou-se
que este nãose dissolveu,provocando,ainda,aformaçãode um precipitado.Pode-se inferir que a
solução inicial era:
a) estável. c) saturada. e) supersaturada.
b) diluída. d) concentrada.
BonsEstudos!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Cálculo estequiométricos
Cálculo estequiométricosCálculo estequiométricos
Cálculo estequiométricos
quimica_prefederal
 
Termoquimicaparte01 supermed
Termoquimicaparte01 supermedTermoquimicaparte01 supermed
Termoquimicaparte01 supermed
Fábio Oisiovici
 
Calculo
CalculoCalculo
Solubildade e Kps
Solubildade e KpsSolubildade e Kps
Solubildade e Kps
Roberto Silva
 
Calculos quimicos
Calculos quimicosCalculos quimicos
Calculos quimicos
cristina resende
 
Exercicios calculos estequiométricos
Exercicios calculos estequiométricosExercicios calculos estequiométricos
Exercicios calculos estequiométricos
semestraltardetotem
 
Gabarito 2ª lista estequiometria
Gabarito 2ª lista  estequiometriaGabarito 2ª lista  estequiometria
Gabarito 2ª lista estequiometria
Joao Paulo Oliveira
 
Lista de Exercícios: Concentração de Soluções
Lista de Exercícios: Concentração de SoluçõesLista de Exercícios: Concentração de Soluções
Lista de Exercícios: Concentração de Soluções
Hebertty Dantas
 
Atividade progressão parcial 3 ano
Atividade progressão parcial 3 anoAtividade progressão parcial 3 ano
Atividade progressão parcial 3 ano
Escola Pública/Particular
 
Equilibrio de precipitação
Equilibrio de precipitaçãoEquilibrio de precipitação
Equilibrio de precipitação
Adrianne Mendonça
 
Lista de Exercícios: Solucões
Lista de Exercícios: SolucõesLista de Exercícios: Solucões
Lista de Exercícios: Solucões
Hebertty Dantas
 
pH e pOH_Martha Reis
pH e pOH_Martha ReispH e pOH_Martha Reis
pH e pOH_Martha Reis
Escola Pública/Particular
 
Quim04 livro-propostos
Quim04 livro-propostosQuim04 livro-propostos
Quim04 livro-propostos
Fábio Oisiovici
 
04.equilíbrio e titulação de precipitação(prova)
04.equilíbrio e titulação de precipitação(prova)04.equilíbrio e titulação de precipitação(prova)
04.equilíbrio e titulação de precipitação(prova)
Diego Lima
 
QUÍMICA - CADERNO DE PROVAS
QUÍMICA - CADERNO DE PROVASQUÍMICA - CADERNO DE PROVAS
QUÍMICA - CADERNO DE PROVAS
Portal NE10
 
Lista 5 estequiometria
Lista 5   estequiometriaLista 5   estequiometria
Lista 5 estequiometria
Colegio CMC
 
Atividade Cálculos estequiométricos
Atividade Cálculos estequiométricosAtividade Cálculos estequiométricos
Atividade Cálculos estequiométricos
Escola Pública/Particular
 
Cálculos químicos
Cálculos químicosCálculos químicos
Cálculos químicos
Kaleb Reis
 
Precipitação.ppt
 Precipitação.ppt  Precipitação.ppt
Precipitação.ppt
Paulinha Aninha
 
cáculos com mol
cáculos com molcáculos com mol
cáculos com mol
Fábio Oisiovici
 

Mais procurados (20)

Cálculo estequiométricos
Cálculo estequiométricosCálculo estequiométricos
Cálculo estequiométricos
 
Termoquimicaparte01 supermed
Termoquimicaparte01 supermedTermoquimicaparte01 supermed
Termoquimicaparte01 supermed
 
Calculo
CalculoCalculo
Calculo
 
Solubildade e Kps
Solubildade e KpsSolubildade e Kps
Solubildade e Kps
 
Calculos quimicos
Calculos quimicosCalculos quimicos
Calculos quimicos
 
Exercicios calculos estequiométricos
Exercicios calculos estequiométricosExercicios calculos estequiométricos
Exercicios calculos estequiométricos
 
Gabarito 2ª lista estequiometria
Gabarito 2ª lista  estequiometriaGabarito 2ª lista  estequiometria
Gabarito 2ª lista estequiometria
 
Lista de Exercícios: Concentração de Soluções
Lista de Exercícios: Concentração de SoluçõesLista de Exercícios: Concentração de Soluções
Lista de Exercícios: Concentração de Soluções
 
Atividade progressão parcial 3 ano
Atividade progressão parcial 3 anoAtividade progressão parcial 3 ano
Atividade progressão parcial 3 ano
 
Equilibrio de precipitação
Equilibrio de precipitaçãoEquilibrio de precipitação
Equilibrio de precipitação
 
Lista de Exercícios: Solucões
Lista de Exercícios: SolucõesLista de Exercícios: Solucões
Lista de Exercícios: Solucões
 
pH e pOH_Martha Reis
pH e pOH_Martha ReispH e pOH_Martha Reis
pH e pOH_Martha Reis
 
Quim04 livro-propostos
Quim04 livro-propostosQuim04 livro-propostos
Quim04 livro-propostos
 
04.equilíbrio e titulação de precipitação(prova)
04.equilíbrio e titulação de precipitação(prova)04.equilíbrio e titulação de precipitação(prova)
04.equilíbrio e titulação de precipitação(prova)
 
QUÍMICA - CADERNO DE PROVAS
QUÍMICA - CADERNO DE PROVASQUÍMICA - CADERNO DE PROVAS
QUÍMICA - CADERNO DE PROVAS
 
Lista 5 estequiometria
Lista 5   estequiometriaLista 5   estequiometria
Lista 5 estequiometria
 
Atividade Cálculos estequiométricos
Atividade Cálculos estequiométricosAtividade Cálculos estequiométricos
Atividade Cálculos estequiométricos
 
Cálculos químicos
Cálculos químicosCálculos químicos
Cálculos químicos
 
Precipitação.ppt
 Precipitação.ppt  Precipitação.ppt
Precipitação.ppt
 
cáculos com mol
cáculos com molcáculos com mol
cáculos com mol
 

Destaque

Lista de exercícios V Estudo das Soluções
Lista de exercícios V Estudo das SoluçõesLista de exercícios V Estudo das Soluções
Lista de exercícios V Estudo das Soluções
Carlos Priante
 
Gabarito exercicios Diluição
Gabarito exercicios DiluiçãoGabarito exercicios Diluição
Gabarito exercicios Diluição
José Vitor Alves
 
Estudo das Soluções
Estudo das SoluçõesEstudo das Soluções
Estudo das Soluções
Carlos Priante
 
Atividade concentração comum
Atividade concentração comumAtividade concentração comum
Atividade concentração comum
Escola Pública/Particular
 
Recuperação semestral 2.prova e gabarito.2o.ano
Recuperação semestral 2.prova e gabarito.2o.anoRecuperação semestral 2.prova e gabarito.2o.ano
Recuperação semestral 2.prova e gabarito.2o.ano
jucimarpeixoto
 
Revisão de química - enem 2009
Revisão de química - enem 2009Revisão de química - enem 2009
Revisão de química - enem 2009
Vestibular Seriado
 
Lista 2.3 concentração das soluções
Lista 2.3   concentração das soluçõesLista 2.3   concentração das soluções
Lista 2.3 concentração das soluções
carlosrbd
 
Tópico 4 propriedades periodicas parte 1
Tópico 4   propriedades periodicas parte 1Tópico 4   propriedades periodicas parte 1
Tópico 4 propriedades periodicas parte 1
estead2011
 
Balanceamentodeequacoes
BalanceamentodeequacoesBalanceamentodeequacoes
Balanceamentodeequacoes
Denis Weverton
 
Cinética química questoes
Cinética química questoesCinética química questoes
Cinética química questoes
Rodrigo Sampaio
 
Exercícios complementares sobre reação
Exercícios complementares sobre reaçãoExercícios complementares sobre reação
Exercícios complementares sobre reação
ProCLAUDIA/LUCIANE MEIJON/SOARES
 
Exercícios Balanceamento
Exercícios BalanceamentoExercícios Balanceamento
Exercícios Balanceamento
Professora Analynne Almeida
 
Ácidos e Bases Exercícios de Vestibulares
Ácidos e Bases Exercícios de VestibularesÁcidos e Bases Exercícios de Vestibulares
Ácidos e Bases Exercícios de Vestibulares
Bio Sem Limites
 
Nox e oxirredução
Nox e oxirreduçãoNox e oxirredução
Nox e oxirredução
Rodrigo Sampaio
 
Cinética química
Cinética químicaCinética química
Cinética química
Rodrigo Sampaio
 
Prova recuperação 2013 1serie_v4
Prova recuperação 2013 1serie_v4Prova recuperação 2013 1serie_v4
Prova recuperação 2013 1serie_v4
Claudia Cinara Braga
 
Parte 1 – cinemática tópico 3
Parte 1 – cinemática tópico 3Parte 1 – cinemática tópico 3
Parte 1 – cinemática tópico 3
Edlas Junior
 
Expressoes de concentração
Expressoes de concentraçãoExpressoes de concentração
Expressoes de concentração
Rodrigo Sampaio
 
Exercicios soluções
Exercicios soluçõesExercicios soluções
Exercicios soluções
Leonardo Carneiro
 
Gabarito lista de-exercicios - solucoes
Gabarito   lista de-exercicios - solucoesGabarito   lista de-exercicios - solucoes
Gabarito lista de-exercicios - solucoes
Savio Troglio
 

Destaque (20)

Lista de exercícios V Estudo das Soluções
Lista de exercícios V Estudo das SoluçõesLista de exercícios V Estudo das Soluções
Lista de exercícios V Estudo das Soluções
 
Gabarito exercicios Diluição
Gabarito exercicios DiluiçãoGabarito exercicios Diluição
Gabarito exercicios Diluição
 
Estudo das Soluções
Estudo das SoluçõesEstudo das Soluções
Estudo das Soluções
 
Atividade concentração comum
Atividade concentração comumAtividade concentração comum
Atividade concentração comum
 
Recuperação semestral 2.prova e gabarito.2o.ano
Recuperação semestral 2.prova e gabarito.2o.anoRecuperação semestral 2.prova e gabarito.2o.ano
Recuperação semestral 2.prova e gabarito.2o.ano
 
Revisão de química - enem 2009
Revisão de química - enem 2009Revisão de química - enem 2009
Revisão de química - enem 2009
 
Lista 2.3 concentração das soluções
Lista 2.3   concentração das soluçõesLista 2.3   concentração das soluções
Lista 2.3 concentração das soluções
 
Tópico 4 propriedades periodicas parte 1
Tópico 4   propriedades periodicas parte 1Tópico 4   propriedades periodicas parte 1
Tópico 4 propriedades periodicas parte 1
 
Balanceamentodeequacoes
BalanceamentodeequacoesBalanceamentodeequacoes
Balanceamentodeequacoes
 
Cinética química questoes
Cinética química questoesCinética química questoes
Cinética química questoes
 
Exercícios complementares sobre reação
Exercícios complementares sobre reaçãoExercícios complementares sobre reação
Exercícios complementares sobre reação
 
Exercícios Balanceamento
Exercícios BalanceamentoExercícios Balanceamento
Exercícios Balanceamento
 
Ácidos e Bases Exercícios de Vestibulares
Ácidos e Bases Exercícios de VestibularesÁcidos e Bases Exercícios de Vestibulares
Ácidos e Bases Exercícios de Vestibulares
 
Nox e oxirredução
Nox e oxirreduçãoNox e oxirredução
Nox e oxirredução
 
Cinética química
Cinética químicaCinética química
Cinética química
 
Prova recuperação 2013 1serie_v4
Prova recuperação 2013 1serie_v4Prova recuperação 2013 1serie_v4
Prova recuperação 2013 1serie_v4
 
Parte 1 – cinemática tópico 3
Parte 1 – cinemática tópico 3Parte 1 – cinemática tópico 3
Parte 1 – cinemática tópico 3
 
Expressoes de concentração
Expressoes de concentraçãoExpressoes de concentração
Expressoes de concentração
 
Exercicios soluções
Exercicios soluçõesExercicios soluções
Exercicios soluções
 
Gabarito lista de-exercicios - solucoes
Gabarito   lista de-exercicios - solucoesGabarito   lista de-exercicios - solucoes
Gabarito lista de-exercicios - solucoes
 

Semelhante a Cálculos químicos i soluções

Calculo estequiometrico
Calculo estequiometricoCalculo estequiometrico
Calculo estequiometrico
Hugo Cruz Rangel
 
04 estequiometria-100801162153-phpapp01
04 estequiometria-100801162153-phpapp0104 estequiometria-100801162153-phpapp01
04 estequiometria-100801162153-phpapp01
ferfla10
 
Lista 9 2014
Lista 9   2014Lista 9   2014
Lista 9 2014
profNICODEMOS
 
Exercícios de R1 - 2ª série
Exercícios de R1 - 2ª sérieExercícios de R1 - 2ª série
Exercícios de R1 - 2ª série
V
 
Cálculo estequiométricos
Cálculo estequiométricosCálculo estequiométricos
Cálculo estequiométricos
Rogeria Gregio
 
Lista estudo - Terceiro COC - 3 UNIDADE
Lista estudo - Terceiro COC - 3 UNIDADELista estudo - Terceiro COC - 3 UNIDADE
Lista estudo - Terceiro COC - 3 UNIDADE
Rodrigo Sampaio
 
Lista mol ma e mm
Lista   mol ma e mmLista   mol ma e mm
Lista mol ma e mm
FRANCUA
 
mol, massa molar,etc
mol, massa molar,etcmol, massa molar,etc
mol, massa molar,etc
Fábio Oisiovici
 
Exercicios segundo
Exercicios segundoExercicios segundo
Exercicios segundo
Daiane Gris
 
Exercicio de estequiometria
Exercicio de estequiometriaExercicio de estequiometria
Exercicio de estequiometria
Estude Mais
 
Questões gerais de química_2º ano
Questões gerais de química_2º anoQuestões gerais de química_2º ano
Questões gerais de química_2º ano
Escola Pública/Particular
 
Lista grandezas químicas e estequiometria
Lista grandezas químicas e estequiometriaLista grandezas químicas e estequiometria
Lista grandezas químicas e estequiometria
Nai Mariano
 
Lista de exercícios mol eepmac
Lista de exercícios mol eepmacLista de exercícios mol eepmac
Lista de exercícios mol eepmac
InsertESSA
 
Progressão Parcial 3º Ano
Progressão Parcial 3º AnoProgressão Parcial 3º Ano
Progressão Parcial 3º Ano
Escola Pública/Particular
 
Estequiometria simples
Estequiometria simplesEstequiometria simples
Estequiometria simples
Rodrigo Sampaio
 
www.AulasDeQuímicaApoio.com - Química - Cálculo Estequimétrico (parte 2)
www.AulasDeQuímicaApoio.com  - Química -  Cálculo Estequimétrico (parte 2)www.AulasDeQuímicaApoio.com  - Química -  Cálculo Estequimétrico (parte 2)
www.AulasDeQuímicaApoio.com - Química - Cálculo Estequimétrico (parte 2)
Aulas de Química Apoio
 
Quimica 5
Quimica 5Quimica 5
Quimica 5
UFGRS
 
Psa 17 cálculos estequimétricos
Psa 17   cálculos estequimétricosPsa 17   cálculos estequimétricos
Psa 17 cálculos estequimétricos
Fisica-Quimica
 
Reagente limitante e em excesso
Reagente limitante e em excessoReagente limitante e em excesso
Reagente limitante e em excesso
Fernanda Lima
 
2016 aulas 4 e 5 - progressao ext noite
2016   aulas 4 e 5 - progressao ext noite2016   aulas 4 e 5 - progressao ext noite
2016 aulas 4 e 5 - progressao ext noite
paulomigoto
 

Semelhante a Cálculos químicos i soluções (20)

Calculo estequiometrico
Calculo estequiometricoCalculo estequiometrico
Calculo estequiometrico
 
04 estequiometria-100801162153-phpapp01
04 estequiometria-100801162153-phpapp0104 estequiometria-100801162153-phpapp01
04 estequiometria-100801162153-phpapp01
 
Lista 9 2014
Lista 9   2014Lista 9   2014
Lista 9 2014
 
Exercícios de R1 - 2ª série
Exercícios de R1 - 2ª sérieExercícios de R1 - 2ª série
Exercícios de R1 - 2ª série
 
Cálculo estequiométricos
Cálculo estequiométricosCálculo estequiométricos
Cálculo estequiométricos
 
Lista estudo - Terceiro COC - 3 UNIDADE
Lista estudo - Terceiro COC - 3 UNIDADELista estudo - Terceiro COC - 3 UNIDADE
Lista estudo - Terceiro COC - 3 UNIDADE
 
Lista mol ma e mm
Lista   mol ma e mmLista   mol ma e mm
Lista mol ma e mm
 
mol, massa molar,etc
mol, massa molar,etcmol, massa molar,etc
mol, massa molar,etc
 
Exercicios segundo
Exercicios segundoExercicios segundo
Exercicios segundo
 
Exercicio de estequiometria
Exercicio de estequiometriaExercicio de estequiometria
Exercicio de estequiometria
 
Questões gerais de química_2º ano
Questões gerais de química_2º anoQuestões gerais de química_2º ano
Questões gerais de química_2º ano
 
Lista grandezas químicas e estequiometria
Lista grandezas químicas e estequiometriaLista grandezas químicas e estequiometria
Lista grandezas químicas e estequiometria
 
Lista de exercícios mol eepmac
Lista de exercícios mol eepmacLista de exercícios mol eepmac
Lista de exercícios mol eepmac
 
Progressão Parcial 3º Ano
Progressão Parcial 3º AnoProgressão Parcial 3º Ano
Progressão Parcial 3º Ano
 
Estequiometria simples
Estequiometria simplesEstequiometria simples
Estequiometria simples
 
www.AulasDeQuímicaApoio.com - Química - Cálculo Estequimétrico (parte 2)
www.AulasDeQuímicaApoio.com  - Química -  Cálculo Estequimétrico (parte 2)www.AulasDeQuímicaApoio.com  - Química -  Cálculo Estequimétrico (parte 2)
www.AulasDeQuímicaApoio.com - Química - Cálculo Estequimétrico (parte 2)
 
Quimica 5
Quimica 5Quimica 5
Quimica 5
 
Psa 17 cálculos estequimétricos
Psa 17   cálculos estequimétricosPsa 17   cálculos estequimétricos
Psa 17 cálculos estequimétricos
 
Reagente limitante e em excesso
Reagente limitante e em excessoReagente limitante e em excesso
Reagente limitante e em excesso
 
2016 aulas 4 e 5 - progressao ext noite
2016   aulas 4 e 5 - progressao ext noite2016   aulas 4 e 5 - progressao ext noite
2016 aulas 4 e 5 - progressao ext noite
 

Mais de Aninha Felix Vieira Dias

Lista de atividades distribuição eletronica e tabela periodica
Lista de atividades  distribuição eletronica e tabela periodicaLista de atividades  distribuição eletronica e tabela periodica
Lista de atividades distribuição eletronica e tabela periodica
Aninha Felix Vieira Dias
 
Tabela periódica dos elementos químicos
Tabela periódica dos elementos químicosTabela periódica dos elementos químicos
Tabela periódica dos elementos químicos
Aninha Felix Vieira Dias
 
cálculos químicos e soluções
cálculos químicos e soluçõescálculos químicos e soluções
cálculos químicos e soluções
Aninha Felix Vieira Dias
 
Gases e transformações
Gases  e transformaçõesGases  e transformações
Gases e transformações
Aninha Felix Vieira Dias
 
Forças intermoleculares
Forças intermolecularesForças intermoleculares
Forças intermoleculares
Aninha Felix Vieira Dias
 
Ligações químicas e Arranjos atômicos
Ligações químicas e Arranjos atômicosLigações químicas e Arranjos atômicos
Ligações químicas e Arranjos atômicos
Aninha Felix Vieira Dias
 
Ligações químicas
Ligações químicasLigações químicas
Ligações químicas
Aninha Felix Vieira Dias
 
1. introdução ao estudo da química
1. introdução ao estudo da química1. introdução ao estudo da química
1. introdução ao estudo da química
Aninha Felix Vieira Dias
 
2.introdução ao estudo da quimica 2017
2.introdução ao estudo da quimica 20172.introdução ao estudo da quimica 2017
2.introdução ao estudo da quimica 2017
Aninha Felix Vieira Dias
 
1. aula inaugural 2017
1. aula inaugural 20171. aula inaugural 2017
1. aula inaugural 2017
Aninha Felix Vieira Dias
 
Termoquimica
TermoquimicaTermoquimica
Polímeros
PolímerosPolímeros
Isomeria
IsomeriaIsomeria
Cálculos quimicos de termoquimica
Cálculos quimicos de  termoquimicaCálculos quimicos de  termoquimica
Cálculos quimicos de termoquimica
Aninha Felix Vieira Dias
 
Funçoes oxigenadas
Funçoes oxigenadasFunçoes oxigenadas
Funçoes oxigenadas
Aninha Felix Vieira Dias
 
Propriedades coligativas
Propriedades coligativasPropriedades coligativas
Propriedades coligativas
Aninha Felix Vieira Dias
 
Propriedades coligativas
Propriedades coligativasPropriedades coligativas
Propriedades coligativas
Aninha Felix Vieira Dias
 
Gases aula 01
Gases aula 01Gases aula 01
Introdução a organica aula 01
Introdução a organica aula 01Introdução a organica aula 01
Introdução a organica aula 01
Aninha Felix Vieira Dias
 
A história de Cel Drake
A história de Cel DrakeA história de Cel Drake
A história de Cel Drake
Aninha Felix Vieira Dias
 

Mais de Aninha Felix Vieira Dias (20)

Lista de atividades distribuição eletronica e tabela periodica
Lista de atividades  distribuição eletronica e tabela periodicaLista de atividades  distribuição eletronica e tabela periodica
Lista de atividades distribuição eletronica e tabela periodica
 
Tabela periódica dos elementos químicos
Tabela periódica dos elementos químicosTabela periódica dos elementos químicos
Tabela periódica dos elementos químicos
 
cálculos químicos e soluções
cálculos químicos e soluçõescálculos químicos e soluções
cálculos químicos e soluções
 
Gases e transformações
Gases  e transformaçõesGases  e transformações
Gases e transformações
 
Forças intermoleculares
Forças intermolecularesForças intermoleculares
Forças intermoleculares
 
Ligações químicas e Arranjos atômicos
Ligações químicas e Arranjos atômicosLigações químicas e Arranjos atômicos
Ligações químicas e Arranjos atômicos
 
Ligações químicas
Ligações químicasLigações químicas
Ligações químicas
 
1. introdução ao estudo da química
1. introdução ao estudo da química1. introdução ao estudo da química
1. introdução ao estudo da química
 
2.introdução ao estudo da quimica 2017
2.introdução ao estudo da quimica 20172.introdução ao estudo da quimica 2017
2.introdução ao estudo da quimica 2017
 
1. aula inaugural 2017
1. aula inaugural 20171. aula inaugural 2017
1. aula inaugural 2017
 
Termoquimica
TermoquimicaTermoquimica
Termoquimica
 
Polímeros
PolímerosPolímeros
Polímeros
 
Isomeria
IsomeriaIsomeria
Isomeria
 
Cálculos quimicos de termoquimica
Cálculos quimicos de  termoquimicaCálculos quimicos de  termoquimica
Cálculos quimicos de termoquimica
 
Funçoes oxigenadas
Funçoes oxigenadasFunçoes oxigenadas
Funçoes oxigenadas
 
Propriedades coligativas
Propriedades coligativasPropriedades coligativas
Propriedades coligativas
 
Propriedades coligativas
Propriedades coligativasPropriedades coligativas
Propriedades coligativas
 
Gases aula 01
Gases aula 01Gases aula 01
Gases aula 01
 
Introdução a organica aula 01
Introdução a organica aula 01Introdução a organica aula 01
Introdução a organica aula 01
 
A história de Cel Drake
A história de Cel DrakeA história de Cel Drake
A história de Cel Drake
 

Último

Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Falcão Brasil
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
principeandregalli
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
Sandra Pratas
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
valdeci17
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
AntHropológicas Visual PPGA-UFPE
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 

Último (20)

Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 

Cálculos químicos i soluções

  • 1. Estequiometria,solubilidade,concentrações,gases professora Ana Cristina 1) Os compostosiônicos,aose dissolverememágua,tendemase dissociar,formandocátions e ânions.Onitratode potássio(KNO3),quandoemsolução aquosa, dissocia-se, formando o cátion potássio e o ânion nitrato. Para esse composto (KNO3): a) Calcule sua massa molar b) Calcule a quantidade de matéria, em mol, presente em 3g desse sal. 2) Uma solução verdadeira apresenta a seguinte característica: a) É sempre bifásico b) Tem partículas maiores que 100 nm c) Um exemplo de solução verdadeira é o sangue. d) É sempre homogênea 3) Um coloide apresenta a seguinte característica: a) Apresenta partículas menores que 1 nm b) Só é heterogênea no ultramicroscópio c) A fumaça é um exemplo d) É sempre heterogênea e) Não sofre o efeito Tyndall 4) A neblina é um exemplo de: a) Coloide b) Solução c) Mistura heterogênea d) Suspensão 5) (UFPE) O rótulo de um frasco diz que ele contém uma solução 1,5 molar de NaI em água. Isso quer dizer que a solução contém: a) 1,5 mol de NaI/quilograma de solução b) 1,5 mol de NaI/quilograma de água c) 1,5 mol de NaI/litro de água d) 1,5 mol de NaI/litro de solução 6) (U. F. Paraná) Das equaçõesquímicasabaixo,qual(is) está(ão) balanceada(s) corretamente? I. NH3 + HCl  NH4Cl II. BaCl2 + H2SO4  2HCl + BaSO4 III. C2H6O + O2  CO2 + H2O IV. N2 + H2  NH3 a) Somente I b) Somente II c) Somente Ie II d) Somente IIe IV e) Somente IIIe IV 7) (UEA – AM) Um indivíduo bebeu 300 mL de um determinado tipo de vinho que possui 8% de álcool (porcentagememvolume).Considerando-seque amassaespecíficadoálcool (densidade) é igual a 0,8g/mL, qual foi a massa de álcool ingerida por esse indivíduo?
  • 2. Estequiometria,solubilidade,concentrações,gases professora Ana Cristina 8) (UEM-PR) Sabendo-se que 1,0Kg de leite de vacaapresentam1,2g de cálcio,qual é a massa de leite necessáriaparaque um bezerrofaçaa ingestãode 0,18 mol de cálcio? (MMCa = 40 g/mol). 9) Diferencie solução verdadeira, coloide e suspensão. 10) Explique e diferencie: solução insaturada, saturada e supersaturada. 11) Diferencie solução aquosa e solução alcoólica. 12) A massa de glicose (C6H12O6) presente em 200 mL de solução 0,05 mol/L desse açúcar é: 13) Descreva três processos físicos de separação de misturas. 14) Descreva os processos físicos de separação que fazemos quando preparamos e coamos café. 15) Uma dispersão é um sistema no qual uma substância está dispersa em outra. Essas dispersões podem ser classificadas pelo tamanho das partículas, além de outros critérios. Baseado neste contexto conceitue e exemplifique: a) Suspensão b) Coloide c) solução 16) Uma soluçãofoi preparadacom a dissoluçãode 149 g de hipocloritode sódio(NaClO) em água suficienteparase obter5 L de solução.Sabendo que amassamolar desse sal é 74,5 g/mol,a concentraçãoem mol/Ldessasoluçãoé: a) 0,1 mol/L b) 0,2 mol/L c) 0,3 mol/L d) 0,4 mol/L e) 0,5 mol/L 17) Nas Condições Normais de Temperatura e Pressão (CNTP), o volume ocupado por 48g de metano (CH4) é: (R= 0,082 atm.L/mol/K; V=22,4L/mol) a) 224 L b) 72 L c) 7,96 L d) 22,4 L e) 67,2 L 18) A densidade absoluta de um gás é dada pela razão entre os produtos Pressão x Massa Molecular e R (constante dos gases) x Temperatura. Calcule a densidade absoluta do gás metano (CH4) a 1 atm e 27°C. (R= 0,082). a) 16g/L b) 4,2g/L c) 0,65g/L d) 6,0g/L e) 0,85g/L
  • 3. Estequiometria,solubilidade,concentrações,gases professora Ana Cristina 19) As transformações gasosas são quaisquer mudanças que se faz nas variáveis de estado do gás (pressão,temperatura,volume).Complete oquadroabaixocom“VARIA” ou “CONSTANTE”, ou com o NOME DA TRANSFORMAÇÃO para definir as seguintes transformações gasosas: TRANSFORMAÇAO VOLUME PRESSAO TEMPERATURA Isotérmica Varia constante Varia Isovolumétrica Varia varia Varia Dados para as questões abaixo: As leisfísicasdosgasessãoaquelasque se referemaocomportamentode uma certa massa de gás numa transformaçãogasosa. Sua base estáem 3 Leis: a de Boyle-Mariotte (p1V1 = p2V2) e as de Charles e Gay-Lussac (V1/ T1 = V2/T2) e (p1/T1 = p2/T2). 20) (UEM-PR) Um balãovolumétricode volume constante contém um gás ideal à temperatura de 200K. Se a temperatura passar para 800K, a razão entre as pressões inicial e final será: a) ¼ b) ½ c) 1/1 d) 1/6 e) 1/8 21) (CESGRANRIO-RJ) Uma amostra de ozônio ocupa 250 mL a 21°C. Que volume ocupará a 80°C, se não houver variação de pressão? a) 1 000 mL b) 300 mL c) 257 mL d) 350 mL e) 273 mL
  • 4. Estequiometria,solubilidade,concentrações,gases professora Ana Cristina 29) (Fuvest–SP) A tabelaseguinte contémdadossobre ocomportamentopressão-volumede 1 mol de amônia a 25°C: Pressão (atmosferas) Volume (litros) 2,0 12,0 4,0 6,0 8,0 2,9 9,9 2,4 10,0 0,0020 11,0 0,0020 13,0 0,0020 a) Esboce um gráfico com esses dados e justifique por que o volume se manteve constante acima de 9,9 atm (represente pressão em abscissas e volumes em ordenadas). 30) (UNICAMP-SP) Durante osdias quentesde verão, uma brincadeira interessante consiste pegar um saco plástico, leve e de cor preta, encher ¾ do seu volume de ar; amarrar hermeticamente a sua boca,expondo-o,emseguida,aosraiossolares.Oar nointeriordosaco é aquecido,passandoa ocupar todo o volume. Como consequência, o saco sobe na atmosfera como um balão. a) Considere apressãoatmosféricaconstante durante abrincadeirae considerandoaindaque inicialmente o ar estava a 27°C, calcule a variação da temperatura do ar no interior do saco plástico, entre a situação inicial e a final, quando o gás ocupa todo o volume. 31) Com o auxíliodaTabelaPeriódica,calcule asmassasmoleculares dos seguintes compostos abaixo: a) C2H6 e) CH3COONa b) SO2 f) (NH4)3PO4 c) CaCO3 g) Fe4[Fe(CN)6]3 d) NaHSO4 h) Na2CO3. 10H2O 32) (Unifor –CE) Para tomar um cafezinho, é comum a adição de açúcar. Suponha que, para adoçar uma xícara de café, tenha sido colocada 2 colheres de açúcar, contendo, por colher, 3,5 g. Sabendo-se que a massa molar do açúcar (C12H22O11) é 342 g/mol, a quantidade em mol de açúcar nesse cafezinho é, aproximadamente: a) 1 x 10-2 b) 3 x10-2 c) 5 x 10-2 d) 2 x10-2 e) 4 x 10-2 33) (Unirio-RJ) Em100 g de leite empóinfantil,existem500mg de cálcio.Assinale aopção que indica quantos mols de átomos de cálcio existem numa lata de 400g de leite em pó. a) 0,0125 b) 0,05 c) 0,1 d) 1 e) 2
  • 5. Estequiometria,solubilidade,concentrações,gases professora Ana Cristina 34) (Ufac) Três mols de benzeno (C6H6) contém uma massa de: a) 78g b) 39g c) 156g d) 72g e) 234g 35) Quantas moléculas existem em 88g de dióxido de carbono (CO2)? 36) (FEPAR-PR) Pelasleisdasproporçõesdefinidas (Lei de Proust), a decomposição térmica do carbonato de cálcioproduz, respectivamente, 11 g de gás carbônico e 14g de óxido de cálcio. Com base nesses dados, determine a massa de carbonato de cálcio que pode ser produzida por 8g de óxido de cálcio. Dados Ca = 40g/mol, C = 12 g/mol, O = 16g/mol. CaCO3(s)  CaO(s) + CO2(g) a) 25,0 g c) 6,29g e) 7,90g b) 14,29g d) 10,10g 37) Equacionando a reação de formação da água: 2H2(g) + O2(G) → 2 H2O (l), a massa de água formada a partir do consumo de 20 mols de gás hidrogênio será de: a) 18g b) 180g c) 400g d) 36g e) 360g 38) O volume de CO2(G), nas CNTP, obtido a partir de 200g de CaCO3, após a decomposição térmica será de: CaCO3(s)  CaO(s) + CO2(g) a) 11,2 L b) 30,0 L c) 67,2L d) 22,4L e) 44,8 L 39) Dada a reação equacionada a seguir: Fe (s) + O2(g) → Fe2O3(s) 56 g 24g y a) Considerando a lei de Lavoisier, qual o valor de y? b) Faça o balanceamento da equação. c) Quantos mols de oxigênio são consumidos durante a reação?
  • 6. Estequiometria,solubilidade,concentrações,gases professora Ana Cristina 40) O volume de CO2(G), nas CNTP, obtido a partir de 300g de CaCO3, após a decomposição térmica será de: (5 escores, com cálculos) CaCO3(s)  CaO(s) + CO2(g) a) 11,2 L d) 22,4L b) 30,0 L e) 44,8 L c) 56,0 L 41) Considere a síntese da água pela reação entre os gases hidrogênio e o oxigênio. a) Quantosmolsde água podemserobtidosa partirde uma misturaque contenha10 molsde cada reagente? b) Qual é o reagente em excesso? Quanto está em excesso? 42) Um químico recebe uma amostra de calcário com 90% de pureza em carbonato de cálcio (CaCO3).Submete-a à uma “pesagem” e encontra 80g. Que cálculo o químico fará para descobrir a massa de carbonato de cálcio presente nessa amostra? 43) (FEI-SP) Determine onúmerode átomosde hidrogêniocontidosem100,0 g de álcool etílico (C2H6O). (Dado: MA: H= 1, C = 12, O = 16). 44) Os agricultoresutilizamocalcário(que contém CaCO3) para corrigir a acidez do solo, antes do plantio. Qual é a massa de CaCO3 existente em 20 t de calcário com 85% de pureza em CaCO3 ? (Dados: MA: Ca = 40, C =12, O =16). 45) (Vunesp) Aquecendo 21 g de ferro com 15 g de enxofre obtêm-se 33 g de sulfeto ferroso, restando 3g de enxofre. Aquecendo 30 g de ferro com 16g de enxofre obtêm-se 44 g de sulfeto ferroso, restando 2 g de ferro. Demonstre que esses dados obedecem às leis de Lavoisier (conservação da massa) e de Proust (proporções constantes). 46) Determine a massa de ferro que pode ser obtida a partir de 1000 t de minério hematita contendo 80% de Fe2O3: Fe2O3(s) + 3CO(g) → 2 Fe(s) + 3CO2(g) 47) Calcário, que é carbonato de cálcio impuro, é empregado para a obtenção de cal viva, importante produtoindustrial.Umaamostrade 25 g de calcáriofoi submetida à decomposição por aquecimentoe verificou-se a produção de 5,0 L de gás carbônico, volume que foi medido a 30°C e 1atm. (O volume molar de gás a 30°C e 1atm é 25 L/mol). CaCO3(g) → CaO(s) + CO2(g) a) Qual é a massa de CaCO3 presente na amostra de calcário? b) Determine o grau de pureza da amostra (isto é, a porcentagem de CaCO3 nessa amostra). 48) Ácidoclorídrico é o nome pelo qual é conhecido o cloreto de hidrogênio, HCl, quando em solução aquosa. A produção industrial do gás cloreto de hidrogênio ocorre por meio da reação entre os gases hidrogênio, H2 e cloro, Cl2. a) equacione a reação envolvida b) Qual é a proporçãoestequiométricaentre asquantidadesemmolsde reagentes e produtos? c) Qual a proporção entre os volumes de reagentes e produtos, medidos na mesma pressão e temperatura?
  • 7. Estequiometria,solubilidade,concentrações,gases professora Ana Cristina 49) Ao saírem do supermercado, Gabi e Tomás avistaram uma exposição de carros em cujos acessórios de segurança se destacava o air bag. O air bag é inflado quando o nitrogênio (N2) produzidoatravésdoazotetode sódio,emcondiçõesespeciais.Umadas reações envolvidas nesse processo é 2 NaN3(s) → 2 Na(s) + 3 N2 (g) Considerando CNTP e volume molar 22,4 L, a massa de azoteto de sódio necessária para inflar um air bag de 10L com nitrogênio, conforme a equação dada, é, aproximadamente: a) 0,19g c) 19g e) 68g b) 1,9 g d) 130 g 50) Numa das etapas da fabricação do ácido nítrico, a amônia reage com o oxigênio de acordo com a seguinte equação: 4 NH3(g) + 5 O2(g) → 4 NO(g) + 6 H2O(g) Ao empregar 10 mols de amônia e 15 mols de gás oxigênio: a) qual a quantidade em mols de NO que se poderá obter? b) haverá reagente em excesso? Explique. 51) Determine onúmerode átomosde oxigênio contidos em 100,0 g de álcool etílico (C2H6O). (Dado: MA: H= 1, C = 12, O = 16; ). 52) Analisando uma amostra de hematita, um químico verifica que em 16,0 g de amostra existem 13,6 g de óxido de ferro (Fe2O3). Qual é o grau de pureza em Fe2O3 dessa amostra? 53) Um químico submeteu 80 g de uma amostra de calcário à decomposição térmica e obteve 28g de óxido de cálcio (CaO). Descubra o grau de pureza em carbonato de cálcio nessa amostra. (Dados: MCaCO3 = 100 g/mol, McaO = 56 g/mol) CaCO3(S) Δ CaO (S) + CO2(g) 54) Misturam-se 14,6g de ácido clorídrico (HCl) com 16,0 g de hidróxido de cálcio (Ca(OH)2). Calcule a massa de cloreto de cálcio (CaCl2) que se forma, supondo que a reação tenha 100% de rendimento.Qual reagente e em que quantidade está em excesso? (Dados: MA: H = 1, O = 16, Cl = 35,5, Ca = 40). 55) Numadas etapas da fabricação do ácido nítrico, a amônia reage com o oxigênio de acordo com a seguinte equação: 4NH3(g) + 5O2(g) → 4 NO(g) + 6 H2O(g) Ao empregar 10 mols de amônia e 15 mols de gás oxigênio: a) qual a quantidade em mols de NO que se poderá obter? b) haverá reagente em excesso? Explique. 56) O latão é uma liga de cobre e zinco. Uma amostra de 4,0 g de latão foi mergulhada em ácido clorídrico suficiente para que todo o zinco reagisse (o cobre não reage com ele). Zn(s) + 2 HCl(aq) → ZnCl2(aq) + H2(g) Foram produzidos 560 mL de gás hidrogênio, medidos a 0°C e 1 atm. Qual a massa de zinco na amostra de latãoanalisada?Que porcentagemdo total isso representa? (O volume molar do gás a 0°C e 1 atm é 22,4L).
  • 8. Estequiometria,solubilidade,concentrações,gases professora Ana Cristina 57) (UFC-CE) A cisplatina, um complexo inorgânico utilizado no tratamento do câncer de testículo,é preparadaatravésda reação da amôniacom o tetracloroplatinatode potássio,segundo a reação: K2PtCl4 + 2 NH3 → Pt(NH3)2Cl2 + 2KCl Ao utilizarem-se 10g de cada um dos reagentes dados, na preparação desta metalodroga, pede-se: a) A quantidade máxima de cisplatina que será formada. b) Identificar o reagente que estará presente em excesso na reação, e o que será completamente consumido (reagente limitante). c) A quantidade máxima do reagente em excesso que será consumida. 58) Durante um churrasco, foram queimados 2,4 Kg de carbono grafite, C(graf) constituinte principal do carvão. Essa queima ocorre de acordo com a seguinte equação química: C (graf) + O2(g) → CO2(g) Juntamente comoocarbono,gás oxigênioé consumidoe gáscarbônicoé produzido.Considere que os volumes desses gases fossem medidos a 25°C e 1 atm, situação em que o volume molar dos gases é 24,5 L. a) Determine o volume do oxigênio consumido. b) Determine o volume de gás carbônico produzido. 59) (Ceetps -SP) A uréiaCO(NH2)2, substância utilizada como fertilizante, é obtida pela reação entre CO2 e NH3, conforme mostra e equação: CO2(g) + 2 NH3(g) → CO(NH2)2 (g) + H2O (g) (Dados: C= 12g/mol. O = 16 g/mol; N = 14 g/mol, H = 1 g/mol) Se 340 toneladas de amônia produzem 540 toneladas de uréia, o rendimento desse processo é: a) 80% c) 90% e) 100% b) 85% d) 95% 62) A Lei de Gay-Lussac relaciona proporção entre: a) mols c) volume e) n.d.a b) massa d) moléculas 63) A Lei de Proust relaciona que, numa substância, é constante a proporção entre: a) massa c) mols e) n.d.a b) volume d) moléculas 64) (UFF – RJ) Entre os alimentos que ingerimos, os carboidratos são preferencialmente utilizados para produzir energia, por exemplo, para manter a temperatura corporal, atividades musculares e outras funções. Uma equação representativa desse processo se fundamenta na oxidação da glicose C6H12O6.
  • 9. Estequiometria,solubilidade,concentrações,gases professora Ana Cristina a) Escreva a equação representativa da combustão de um mol de glicose. b) Se 900 g de glicose são consumidos pelo organismo durante certo período, que massa de CO2 será produzida? 65) (UFRR) Sabe-se que 24 g de carbono se combinam totalmente com 64 g de oxigênio para produzirgás carbônico.A massa de oxigênio,emgramas,necessáriaparareagir totalmente com 36 g de carbono para a produção de gás carbônico, vale: a) 12 b) 24 c) 36 d) 96 e) 108 66) (PUC – RJ) Um dos gases responsáveis pelo aquecimento da Terra é o CO2(G), presente na atmosfera. Atendendo ao Protocolo de Kyoto, uma das tecnologias empregadas na redução dos teores desse gás está baseada na seguinte reação: CaO(s) + CO2(g) → CaCo3s) Se um determinado dispositivo contém 560 g de CaO(s), a massa de CO2(g) que pode ser removida por meio desse dispositivo é: a) 44 g d) 560 g b) 100 g e) 1120 g c) 440 g 67) (UFSC) “Houston, we have a problem.” Ao enviar essa mensagem em 13 de abril de 1970, o comandante da missão espacial Apollo 13, Jim Lovell, sabia que a vida de seus companheiros e a sua própriaestavamemperigo.Um dostanquesde oxigênioda nave explodira. Uma substância, o superóxido de potássio (K2O4), poderia ser utilizada para absorver o CO2 e, ao mesmo tempo, restaurar o O2 da nave. Calcule, segundo a equação K2O4 + CO2 →K2CO3 + 3 /2 O2 a massa, emkg,de K2O4 necessáriaparaconsumirtodoo CO2 exaladoporumtripulante durante 72 horas se, em média, uma pessoa exala 1,0 kg de CO2 por dia. (O=16, C = 12, K = 39) 68) (UFG –GO) Um bom lugar para visitar é o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros. Como quase tudo da região, as águas também apresentam certo mistério: apesar de límpidas, possuem tonalidade castanha, devido à alta concentração de óxido de ferro. Revista Economia & Desenvolvimento. Adaptação. A forma mais comum de apresentação do ferro solúvel, nos corpos-d’água, é como bicarbonato ferroso. Águas subterrâneas profundas, limpas e incolores, em contato com o ar, ficam turvas e ocorre a sedimentação de um depósito amarelo-marrom avermelhado. As equações não balanceadas que representam essas reações são: Fe(HCO3)2 + O2 + H2O →Fe(OH)3 + CO2 Fe(OH)3 →Fe2O3 + H2O Considerando as reações envolvidas, calcule a massa de bicarbonato ferroso necessária para produzir 53,2 g de óxido de ferro.
  • 10. Estequiometria,solubilidade,concentrações,gases professora Ana Cristina 69) (UNIMONTES – MG)Um agricultor precisa fazer o preparo do solo para a plantação de hortaliças e tem como opção quatro fertilizantes nitrogenados, como mostram os dados abaixo: I. Nitrato de amônio, NH4NO3 II. Nitrato de sódio, NaNO3 III. Ureia, (NH4)2CO IV. Cloreto de amônio, NH4Cℓ O agricultor precisa do fertilizante que contenha a maior porcentagem em massa de nitrogênio. Sendo assim, ele deve adquirir o fertilizante: a) III b) I c) II d) IV 70) A areia é composta, principalmente, de óxido de silício, que é usado para a fabricação de silíciopuropor um processochamadopurificaçãoemzona,noqual umanel aquecido vai fundindo o silícioe arrastando as impurezasparaa extremidade,que é descartada. A reação de produção do silício puro é dada por: SiO2(s) + C(s) → CO2(g) + Si(S) Para a reação, calcule: a) A massa de carbono necessária para produção de 140 g de silício; b) A quantidade de matériade CO2 produzida a partir da quantidade de carbono do exercício anterior; c) Qual a massa de silício produzida a partir de 0,1 mol de óxido de silício; d) Qual o volume de CO2 gerado a 1 atm e 0°C, quando são consumidos 36 g de carbono; e) O número de átomos de silício produzidos a partir de 0,01 mol de óxido de silício. Solubilidade, Dispersões e Concentrações: 71) (Unifor –CE) Dentre os seguintes materiais: I. maionese, II. Iogurte, III. Azeite de oliva IV. Refrigerante Podem ser classificados como dispersões coloidais: a) I e II b) I e III c) II e III d) II e IV e) III e IV 72) (Unifor – Ce) Maionese e mistura de sal e óleo constituem, respectivamente, exemplos de sistemas: a) Coloidal e coloidal d) homogêneo e homogêneo
  • 11. Estequiometria,solubilidade,concentrações,gases professora Ana Cristina b) Homogêneo e heterogêneo e) coloidal e heterogêneo. c) Coloidal e homogêneo 73) Qualquer mistura de duas ou mais substâncias é considerada uma solução? Explique. 74) Todas as soluções são líquidas? Dê exemplos que sustentem sua resposta. 75) Numa solução aquosa de ácido sulfúrico, qual é o solvente e qual é o soluto? 76) O brometo de potássio (KBr) é um sólido cristalino branco bastante solúvel em água. Como você preparariauma soluçãocontendo11,9 g desse sal em 1 L de solução? Que volume da solução preparada contém 9,52 g de soluto? 77) No rótulo de um frasco de laboratório lê-se: a) Qual é o solvente e qual é o soluto? b) Qual é a massa de soluto em 500 cm3 dessa solução? c) Que volume de solução, em mL, contém 15 g de soluto? 78) Um frasco de laboratório contém 2,0L de uma solução aquosa de NaCℓ. A massa do sal dissolvida na solução é de 120 g. Que volume deve ser retirado da solução inicial para que se obtenham 30 g de sal dissolvidos? a) 1,0 L c) 0,25 L e) 0,75 L b) 0,5 L d) 1,5 L 79) Qual é a massa de açúcar ingerida por uma pessoa ao beber um copo de 250 mL de limonada na qual o açúcar está presente na concentração de 80 g/L? 80) (Ufam) Adicionando-sesolutoaumsolvente,chega-seaum pontoemque o solvente não mais consegue dissolver o soluto. Neste ponto a solução torna-se: a) supersaturada c) fraca e) diluída b) concentrada d) saturada 81) (UFV-MG) Assinale a alternativa correta. A solubilidade de uma substância é: a) a quantidade de substância que pode ser dissolvida em 1000 L de água. b) a quantidade mínima dessa substância que pode ser dissolvida em certa massa de solvente (normalmente a 100g) a uma temperatura e pressão especificadas. c) qualquer quantidade dessa substância que pode ser dissolvida em 1000 g de solvente sem considerar temperatura e pressão. d) a quantidade máxima dessa substância que pode ser dissolvida em certa massa de solvente (normalmente 100g) a uma temperatura e pressão especificadas. e) a quantidade de substância que pode ser dissolvida em 1000 L de álcool. 82) O coeficiente de solubilidade de um sal é de 40 g por 100g de água a 80°C. A massa desse sal, a essa temperatura, necessária para saturar 70 g de água é: NaOH(AQ) C = 60 g/dm3
  • 12. Estequiometria,solubilidade,concentrações,gases professora Ana Cristina a) 18 g c) 36 g e) 70 g b) 28 g d) 40 g 83) (UFPB) Se 64 g de uma solução saturada de KCℓ, após evaporação completa da água produziram um resíduo sólido que pesou 24 g, a massa, em gramas, do sal KCℓ necessária para saturar 100g de água, à mesma temperatura, é: a) 166,6 g c) 60 g e) 160 g b) 16 g d) 6 g 84) (UFRS) Quais as soluções aquosas, contendo uma única substância dissolvida, que podem apresentar corpo de fundo dessa substância? a) saturadas e supersaturadas b) somente as saturadas c) insaturadas diluídas d) somente as supersaturadas e) insaturadas concentradas 85) (PUC-SP) A uma solução de cloreto de sódio foi adicionado um cristal desse sal e verificou-se que este nãose dissolveu,provocando,ainda,aformaçãode um precipitado.Pode-se inferir que a solução inicial era: a) estável. c) saturada. e) supersaturada. b) diluída. d) concentrada. BonsEstudos!