SlideShare uma empresa Scribd logo
1. (Pucrs) Para responder à questão, analise o texto e a
estrutura a seguir.
Uma das preocupações do Comitê Olímpico Internacional é
combater o doping de atletas nas Olimpíadas. Para isso, uma
série de análises é realizada rotineiramente com amostras
de urina colhidas dos atletas. Nessas análises, uma das
substâncias pesquisadas é o THG, que é um esteroide
anabolizante. Os métodos de análise são extremamente
sensíveis, sendo possível detectar THG em uma
concentração tão baixa como 1 ppb (uma parte por bilhão).
Isso significa uma concentração em que há um bilionésimo
de grama de THG para cada grama de amostra.
De acordo com as informações acima, assinale a alternativa
correta.
a) A molécula de THG apresenta grupo hidróxido, o que lhe
confere caráter básico.
b) A cadeia carbônica do THG é cíclica, ramificada e tem 17
átomos de carbono.
c) Uma amostra de urina com 1 ppb de THG tem cerca de 1
bilhão de moléculas de THG.
d) Na água pura, com pH 7, a concentração de íons H
é de
100 ppb.
e) O THG apresenta características químicas típicas de
cetonas, alcenos e álcoois.
2. (Ucs) Centenas de milhares de toneladas de magnésio
metálico são produzidas anualmente, em grande parte para
a fabricação de ligas leves. De fato, a maior parte do alumínio
utilizado hoje em dia contém 5% em massa de magnésio
para melhorar suas propriedades mecânicas e torná-lo mais
resistente à corrosão. É interessante observar que os
minerais que contêm magnésio não são as principais fontes
desse elemento. A maior parte do magnésio é obtida a partir
da água do mar, na qual os íons 2
Mg 
estão presentes em
uma concentração de 0,05 mol / L. Para obter o magnésio
metálico, os íons 2
Mg 
da água do mar são inicialmente
precipitados sob a forma de hidróxido de magnésio, com
uma solução de hidróxido de cálcio. O hidróxido de magnésio
é removido desse meio por filtração, sendo finalmente
tratado com excesso de uma solução de ácido clorídrico.
Após a evaporação do solvente, o sal anidro obtido é fundido
e submetido ao processo de eletrólise ígnea.
Considerando as informações do texto acima, assinale a
alternativa correta.
a) A filtração é um processo físico que serve para separar
misturas homogêneas de um sólido disperso em um
líquido ou em um gás.
b) A massa de 2
Mg 
presente em 500 mL de água do mar
é de 2,025 g.
c) A eletrólise ígnea do sal anidro produz, além do magnésio
metálico, um gás extremamente tóxico e de odor
irritante.
d) O hidróxido de magnésio é uma monobase fraca, muito
solúvel em água.
e) O processo de eletrólise é um fenômeno físico, em que um
ou mais elementos sofrem variaçơes nos seus números de
oxidaçăo no transcorrer de uma reaçăo química.
3. (Uece) O magnésio subministrado na forma de cloreto de
magnésio tem papel importante para o fortalecimento dos
músculos e nervos, função imunológica, reforça a estrutura
óssea, regula os níveis de pressão arterial e o açúcar do
sangue, etc. A título experimental, um estudante de
bioquímica preparou uma solução de cloreto de magnésio
utilizando 200 g de água e 20 g de cloreto de magnésio
que passou a ter densidade de 1,10 g mL. Para essa
solução, a concentração em quantidade de matéria é,
aproximadamente,
a) 1,05 mol L.
b) 1,20 mol L.
c) 1,30 mol L.
d) 1,50 mol L.
4. (Ufpa) Devido à toxicidade do íon lítio, a concentração
máxima desse íon no sangue deve ser de 1
1,0 mmol L .
Considerando que um adulto tenha 5 litros de sangue, a
massa total (em mg) de íons lítio no sangue desse adulto
deve ser de aproximadamente
Dado: Massa molar 1
Li (g mol ) 6,94.

a) 6,9.
b) 13,9.
c) 20,8.
d) 27,8.
e) 34,7.
5. (Udesc) Para limpeza de superfícies como concreto, tijolo,
dentre outras, geralmente é utilizado um produto com nome
comercial de “ácido muriático”. A substância ativa desse
produto é o ácido clorídrico (HC ), um ácido inorgânico
forte, corrosivo e tóxico. O volume de HC em mililitros,
que deve ser utilizado para preparar 50,0 mL de HC
3 mol L, a partir da solução concentrada com densidade de
3
1,18 g cm e 37% (m m) é, aproximadamente:
a) 150 mL
b) 12,5 mL
c) 125 mL
d) 8,7 mL
e) 87 mL
6. (Ueg) Considere 5 L de uma solução aquosa contendo
146 g de cloreto de sódio que será utilizada como solução
de partida para outras de mais baixa concentração. Uma
quantidade de 2 mL dessa solução contém uma massa de
soluto, em miligramas, de aproximadamente
a) 3
b) 29
c) 58
d) 73
e) 292
7. (Ufpa) A análise de uma amostra de sangue determinou
que ela contém 0,14 equivalentes de íons Na
por litro.
Assumindo que todos os íons Na
originam-se somente da
presença de NaC disolvido, a massa, em gramas, de
NaC em 500 mL de sangue é de aproximadamente
Dados: Massas molares 1
(g mol ) :
Na 23; C 35,5.
a) 1,6.
b) 2,0.
c) 4,1.
d) 5,0.
e) 6,1.
8. (Feevale) O soro fisiológico pode ser utilizado em diversos
procedimentos caseiros, como para limpar feridas e
machucados, para higiene nasal ou para limpeza de lentes
de contato. Normalmente é uma solução a 0,9% de cloreto
de sódio em água. Em caso de necessidade, pode ser feito
em casa, fervendo-se previamente a água utilizada para
fazer soro. Foi necessário preparar 0,5 litro dessa solução.
Marque a alternativa que apresenta respectivamente a
quantidade de cloreto de sódio necessária para essa
preparação e a concentração molar dessa solução.
a) 1
4,5 g e 0,308 mol L
b) 1
0,154 g e 4,5 mol L
c) 1
0,154 g e 9,0 mol L
d) 1
9,0 g e 0,154 mol L
e) 1
4,5 g e 0,154 mol L
9. (Enem 2ª aplicação) O soro fisiológico é uma solução
aquosa de cloreto de sódio (NaC ) comumente utilizada
para higienização ocular, nasal, de ferimentos e de lentes de
contato. Sua concentração é 0,90% em massa e densidade
igual a 1,00 g mL.
Qual massa de NaC , em grama, deverá ser adicionada à
água para preparar 500 mL desse soro?
a) 0,45
b) 0,90
c) 4,50
d) 9,00
e) 45,00
10. (Pucpr) A tabela apresentada a seguir representa parte
das informações interpretativas de um exame de sangue:
Supondo um paciente que possua diabetes, a molaridade de
glicose 6 12 6(C H O ), em seu sangue em mol L,
considerando o nível inicial, será aproximadamente:
Dados: C 12; H 1; O 16.  
a) 0,7.
b) 7.
c) 2
7 10 .

d) 3
7 10 .

e) 5
7 10 .

Teste de tolerância à glicose oral
NÍVEL DE GLICOSE SIGNIFICADO
De 70 a 99 mg dl Glicemia em jejum normal
De 100 a 125 mg dl
(5.6 a 6.9 mmol L)
Glicemia em jejum
alterada (pré-diabetes)
126 mg dl ou mais em
pelo menos dois exames
Diabetes
11. (Imed) Considere um frasco de 1.000 mL,
completamente cheio, contendo uma solução aquosa
0,5 M de 4CuSO . A respeito dessa solução, assinale a
alternativa correta.
a) O frasco contém 0,5 mols de 4CuSO por litro de
solução.
b) A cada 1.000 mL de solução, encontramos 0,5 g de
4CuSO .
c) O sulfato de cobre é um ácido de Arrhenius.
d) Para obtermos uma solução 1M de 4CuSO , a partir da
solução 0,5 M, basta diluir a solução estoque duas vezes.
e) Uma vez que a concentração molar, molaridade, dessa
solução de 4CuSO é 0,5 M, sua concentração comum,
C, é 0,5 M.
12. (Pucmg) A tabela apresenta a composição química de
uma água mineral.
SUBSTÂNCIA 1
CONCENTRAÇÃO mg L
Bicarbonato
3(HCO ) 6.100
Bário 2
(Ba )
412
Cálcio 2
(Ca ) 2.000
Dióxido de carbono
2(CO )
1.100
Fluoreto (F ) 19
Magnésio 2
(Mg ) 729
Potássio (K ) 390
Sódio (Na ) 460
É INCORRETO afirmar que um litro dessa água possui:
Dados: H 1; C 22; Ba 137; Ca 40; O 16;
F 19; Mg 24; K 39; Na 23.
a) 0,1mol de bicarbonato e 0,05 mol de cálcio.
b) 0,025 mol de dióxido de carbono e 0,001mol de
fluoreto.
c) 0,01mol de potássio e 0,02 mol de sódio.
d) 0,03 mol de bário e 0,003 mol de magnésio.
TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO:
Leia o texto para responder às questões abaixo:
A luz branca é composta por ondas eletromagnéticas de
todas as frequências do espectro visível. O espectro de
radiação emitido por um elemento, quando submetido a um
arco elétrico ou a altas temperaturas, é descontínuo e
apresenta uma de suas linhas com maior intensidade, o que
fornece “uma impressão digital” desse elemento. Quando
essas linhas estão situadas na região da radiação visível, é
possível identificar diferentes elementos químicos por meio
dos chamados testes de chama.
A tabela apresenta as cores características emitidas por
alguns elementos no teste de chama:
Elemento Cor
sódio laranja
potássio violeta
cálcio vermelho-tijolo
cobre azul-esverdeada
13. (Unesp) Uma estudante preparou 10,0 mL de uma
solução 1
1,00 mol L
 de cloreto de um dos metais
apresentados na tabela do texto a fim de realizar um teste
de chama em laboratório. No teste de chama houve
liberação de luz vermelha intensa. A partir das informações
contidas no texto e utilizando a classificação periódica dos
elementos, assinale a alternativa que apresenta a massa do
sal utilizado pela estudante, em gramas, e a sua fórmula.
Dados:  Ca 40,1; C 35,5.
a) 1,11 e 2CaC .
b) 7,56 e CaC .
c) 11,1 e 2CaC .
d) 0,756 e CaC .
e) 0,111 e 2CaC .
TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO:
Para resolver a(s) questão(ões) a seguir considere o texto
retirado do website da Universidade Federal de São Paulo
(UNIFESP).
“[...] Junho de 2003. Um erro em uma indústria
farmacêutica provoca intoxicação em dezenas de pessoas.
Há uma morte confirmada e outras 15 suspeitas. A causa:
um veneno chamado carbonato de bário. O Celobar,
medicamento que causou a tragédia, deveria conter
somente sulfato de bário. Mas, na tentativa de transformar
o carbonato em sulfato, algum erro fez com que quase 15%
da massa do Celobar comercializado fosse de carbonato de
bário.
Pacientes tomam sulfato de bário para que os
órgãos de seu sistema digestório fiquem visíveis nas
radiografias. É o chamado contraste. O problema é que os
íons bário são muito tóxicos. Quando absorvidos causam
vômito, cólicas, diarreia, tremores, convulsões e até a morte.
Cerca de 0,5 g é dose fatal. Mas, se a toxicidade é do bário,
por que o sulfato de bário não é perigoso e o carbonato de
bário sim?
É que o sulfato de bário praticamente não se
dissolve na água. Sua solubilidade em água é de apenas
5
1,0 10 mol L
 (sob temperatura de 25 C). O que os
pacientes ingerem é uma suspensão aquosa desse sal em
que a maior parte dele não está dissolvida. Sem dissolução,
não há, praticamente, dissociação do sal. É por isso que os
íons bário não são liberados para serem absorvidos pelo
organismo. Não há perigo.
Ainda assim, só para garantir, essa suspensão
costuma ser preparada em uma solução de sulfato de
potássio, um sal bastante solúvel em água. A função desse
sal é aumentar a concentração de íons sulfato. Desse modo,
o equilíbrio da dissociação do sal é bem deslocado para a
esquerda, diminuindo ainda mais a presença de íons bário na
suspensão.
Com o carbonato de bário é diferente. Apesar de
pouco solúvel em água, ele reage com o ácido clorídrico do
nosso estômago formando um sal solúvel, o cloreto de bário.
Ao se dissolver, esse sal se dissocia, liberando íons bário para
o organismo. O corpo absorve esses íons, e a intoxicação
acontece. Triste é saber que uma simples gota de ácido
clorídrico, misturada ao Celobar, teria evitado a tragédia.
Essa gota produziria bolhas de gás carbônico, o que
evidenciaria a presença do veneno no medicamento [...]”.
http://www2.unifesp.br/reitoria/residuos//curiosidades/ca
socelobar
(data do acesso: 12/04/2016).
14. (Acafe) Baseado nas informações fornecidas e nos
conceitos químicos, assinale a alternativa que contém o
número de íons bário presente em 250 mL de uma solução
aquosa saturada de 4BaSO (sob temperatura de 25 C).
Dados: número de Avogadro: 23
6 10 entidades.
a) 28
1,5 10 íons
b) 18
6 10 íons
c) 18
1,5 10 íons
d) 23
1,5 10 íons
15. (Ufsm) Sal, vilão ou mocinho?
Substância imprescindível ao equilíbrio das funções
orgânicas, o cloreto de sódio pode produzir efeitos
indesejados se consumido em excesso. A demanda natural
desse composto fez com que ele superasse o ouro como
valor estratégico e fosse base para remunerar o trabalho.
Tanto os íons Na
como os C 
são essenciais para a
manutenção da vida animal, controlando o volume de
líquidos e a manutenção da pressão arterial.
Fonte: Scientific American Brasil, Ano II, n. 16, p. 50, 2013.
(adaptado)
O sal apresenta inúmeras utilidades, sendo considerado o
mais antigo aditivo alimentar. Dentre os usos do NaC ,
destaca-se o soro fisiológico, uma solução 0,9% de cloreto
de sódio.
Com base nessas informações, e correto afirmar que a
solução é do tipo
a) eletrolítica e a concentração do sal é de 1
0,015 molL .
b) não eletrolítica e a concentração do sal é de
1
0,900 molL .
c) eletrolítica e a concentração do sal é de 1
0,900 molL .
d) não eletrolítica e a concentração do sal é de
1
0,154 molL .
e) eletrolítica e a concentração do sal é de 1
0,154 molL .
16. (Pucrj) A um recipiente contendo 100 mL de solução
aquosa de ácido acético 1
1,0 mol L
foram adicionados
20 mL de solução aquosa de hidróxido de sódio
1
2,0 mol L .
Na reação, a massa de água formada, em
grama, é igual a:
a) 0,18
b) 0,36
c) 0,48
d) 0,72
e) 0,76
17. (Upf) Uma das formas de obtenção de ácido clorídrico
pode ocorrer por meio da reação entre gás cloro 2(g)(C ) e
gás hidrogênio 2(g)(H ), seguida pela dissolução, em água, do
produto obtido. As equações dessas reações, sem ajuste
estequiométrico, estão abaixo representadas:
2 ( )
2(g) 2(g) (g)
H O
(g) (aq)
C H HC
HC HC
 

Desse modo, considerando que 35,5 g de gás cloro
2(g)(C ) sejam colocados para reagir com 1,5 mol de gás
hidrogênio 2(g)(H ) e que o produto obtido dessa reação seja
dissolvido em 1,0 L de água, é correto afirmar que:
a) Há reagente em excesso, o qual, nesse caso, é o gás cloro.
b) A quantidade de cloreto de hidrogênio produzida é de
73 g.
c) A concentração da solução será de 1
73 g L .
d) A quantidade de gás hidrogênio que reage é de 3 g.
e) A concentração em quantidade de matéria da solução é
de 1
1mol L .
18. (Upf) O rótulo de uma garrafa indica que a concentração
de íons cálcio 2
(aq)(Ca )
da água mineral nela contida é de
1
40,08 mg L .
Considerando que uma pessoa ingere 1 litro
dessa água, assinale a alternativa que indica corretamente a
quantidade de íons 2
(aq)Ca 
consumida por ela.
Dado: Ca 40,08.
a) 1
0,1mol L
b) 1
1mol L
c) 1
0,001mol L
d) 1
0,01mol L
e) 1
10 mol L
19. (Pucrs) Analise as informações e a tabela a seguir.
“A toxicologia é a ciência que estuda as substâncias tóxicas
ou venenosas e sua capacidade de interferir em organismos
vivos, sejam eles plantas ou animais [...] Um parâmetro
importante em toxicologia é a chamada dose letal 50
50(DL ), definida como a quantidade de uma substância
química que, quando administrada em uma única dose por
via oral, expressa em massa da substância por massa de
animal [...], produz a morte de 50% dos animais dentro de
um período de observação.”
L.C.F. Pimentel et al., O inacreditável emprego de produtos
químicos perigosos no passado, Química Nova 29, 2006,
1138-49, (adaptado).
Tabela – 50DL de substâncias
Substância
50DL em rato via oral
(mg / kg de massa corporal)
sulfato de cobre (II) 3000
nicotina 60
dioxina 0,02
De acordo com as informações acima, em relação a ratos, é
correto afirmar:
a) A nicotina é 3000 vezes mais tóxica do que a dioxina.
b) Ingerindo 0,1mol de sulfato de cobre, um rato de 100 g
provavelmente não morreria.
c) Um gole de solução 0,1g / L de sulfato de cobre é mais
perigoso do que igual volume de solução 10 g / L de
nicotina.
d) O sulfato de cobre é mais tóxico do que a dioxina.
e) A ingestão de uma dose de 60 mg de nicotina por um
rato de 100 g seria fatal.
20. (Udesc) A Organização Pan-Americana e a Organização
Mundial da Saúde recomendam a fluoretação das águas de
abastecimento público como medida da mais alta prioridade
para prevenção e controle da cárie dentária. De acordo com
a Portaria nº 2914, do Ministério da Saúde de 2011, o valor
máximo permitido de fluoreto presente na água de
abastecimento público é de 1
1,5mgL .
Considerando um
reservatório com capacidade de 1,50 milhões de metros
cúbicos, assinale a alternativa que corresponde à massa de
fluoreto de sódio que deve ser adicionada ao reservatório,
para que a concentração final de fluoreto seja a máxima
permitida.
a) 3
5 10 g
b) 2,25ton
c) 4,97ton
d) 6
1,50 10 g
e) 6
42,0 10 g
21. (Mackenzie) Em uma análise de laboratório, uma
amostra de ferro com 100% de pureza foi tratada com
10 mL, de solução 1
1,0 mo L
 de HC até completa
dissolução. A reação ocorrida nesse processo é representada
pela equação NÃO BALANCEADA abaixo:
(s) (aq) 2(aq) 2(g)Fe HC FeC H  
Assim, pode-se afirmar que as massas de ferro na amostra e
de hidrogênio liberada por essa reação são,
respectivamente,
Dados: massas molares 1
(g mo ) :
 H 1, C 35,5 e
Fe 56
a) 0,28 g e 0,01g.
b) 0,56 g e 0,04 g.
c) 0,28 g e 0,02 g.
d) 0,84 g e 0,01g.
e) 0,84 g e 0,04 g.
22. (Cefet MG) Um dos motivos da crescente contaminação
das águas por hormônios presentes nos anticoncepcionais é
o fato de que, 24 h após a ingestão de um comprimido
contendo, em média, 3
35 10 mg
 de etinilestradiol,
90% é excretado pela urina de forma inalterada e somente
10% é metabolizado. Considerando-se que uma mulher
ingere um comprimido de anticoncepcional por dia e que o
volume diário de urina é de 1,5 L, a concentração média de
etinilestradiol na urina dessa mulher, em g / L, é igual a
a) 6
35,0 10 .

b) 6
31,5 10 .

c) 6
30,0 10 .

d) 6
23,0 10 .

e) 6
21,0 10 .

23. (Fgv) A cachaça é um produto genuinamente brasileiro
reconhecido internacionalmente e registrado na
Organização Mundial de Comércio. A produção artesanal,
com a utilização de alambiques de cobre, atinge 300
milhões de litros por ano. Os apreciadores avaliam que o
produto artesanal tem melhor qualidade e sabor do que o
produzido em alambiques de aço inoxidável; entretanto a
cachaça artesanal apresenta o teor de cobre residual que
deve obedecer ao limite máximo de 5mg / L.
(http://www.scielo.br/pdf/qn/v32n4/v32n4a04.pdf.
Adaptado)
A quantidade máxima de cobre, em quilogramas, que pode
ser encontrada no volume considerado de cachaça artesanal
produzida durante um ano no Brasil e que respeita o limite
máximo de cobre nessa bebida é
a) 2
1,5 10 .
b) 3
1,5 10 .
c) 4
1,5 10 .
d) 5
1,5 10 .
e) 6
1,5 10 .
24. (Enem PPL) A cafeína é um alcaloide, identificado como
1,3,7-trimetilxantina (massa molar igual a 194 g mol), cuja
estrutura química contém uma unidade de purina, conforme
representado. Esse alcaloide é encontrado em grande
quantidade nas sementes de café e nas folhas de chá-verde.
Uma xícara de café contém, em média, 80 mg de cafeína.
Considerando que a xícara descrita contém um volume de
200 mL de café, a concentração, em mol/L, de cafeína
nessa xícara é mais próxima de:
a) 0,0004.
b) 0,002.
c) 0,4.
d) 2.
e) 4.
25. (Ufrgs) O trióxido de arsênio, 2 3As O , é utilizado como
quimioterápico no tratamento de alguns tipos de leucemia
mieloide aguda. O protocolo de um determinado paciente
indica que ele deva receber uma infusão intravenosa com
4,95mg de trióxido de arsênio, diluídos em soro fisiológico
até o volume final de 250mL.
A concentração em mol / L de trióxido de arsênio na
solução utilizada nessa infusão é
a) 1
1,0 10 .

b) 2
2,5 10 .

c) 4
1,0 10 .

d) 5
2,5 10 .

e) 6
1,0 10 .

26. (Pucrs) Por meio da Resolução Nº 1, de 4 de março de
2015, o Conselho Interministerial do Açúcar e do Álcool
recomendou a obrigatoriedade da adição de 27% de etanol
anidro na gasolina comum e 25% na gasolina Premium.
Antes a gasolina comum tinha 25% de etanol anidro. Sobre
essas diferentes composições, é correto afirmar que
a) a gasolina comum permite rodar mais quilômetros por
litro do que antes.
b) a gasolina comum consome mais oxigênio do que antes
para a queima completa por litro do combustível.
c) a gasolina Premium passa a ser mais econômica do que a
gasolina comum.
d) o calor liberado na queima de um litro de gasolina
Premium é menor do que na queima de um litro de
gasolina comum.
e) a concentração de gás carbônico na atmosfera aumentará
mais lentamente.
27. (Uema) Uma peça publicitária veiculada na revista Veja
apresentou a seguinte chamada: ¯ Gasolina S 50
tecnologia para melhorar a vida dos brasileiros. A Petrobrás
desenvolveu a gasolina S-50 que tem 94% menos enxofre
do que a versão anterior. A redução foi de 800 mg / kg para
50 mg / kg do teor de enxofre na gasolina‖.
Fonte: REVISTA VEJA. São Paulo: Abril, ed. 2376, p.76, 4 jun.
2014.
A representação de concentração do teor de enxofre, no
texto, corresponde à
a) molalidade.
b) molaridade.
c) fração molar.
d) parte por milhão.
e) concentração comum.
28. (Pucmg) A 25 C é possível dissolver
aproximativamente 6,25 mo de cloreto de sódio em um
litro de água. É CORRETO afirmar que a solubilidade do
cloreto de sódio em água, em 1
g mL ,
é:
a) 0,3656
b) 36,56
c) 0,4625
d) 46,25
TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO:
A salinidade da água é um fator fundamental para a
sobrevivência dos peixes. A maioria deles vive em condições
restritas de salinidade, embora existam espécies como o
salmão, que consegue viver em ambientes que vão da água
doce à água do mar. Há peixes que sobrevivem em
concentrações salinas adversas, desde que estas não se
afastem muito das originais.
Considere um rio que tenha passado por um processo de
salinização. Observe na tabela suas faixas de concentração
de cloreto de sódio.
Trecho do rio Concentração de  1
NaC mol L

W < 0,01
X 0,1 − 0,2
Y 0,4 − 0,5
Z 0,6 *
*isotônica à água do mar
29. (Uerj) Um aquário com 100 L de solução aquosa de
NaC com concentração igual a 1
2,1 g L ,
 será utilizado
para criar peixes que vivem no trecho Z do rio. A fim de
atingir a concentração mínima para a sobrevivência dos
peixes, deverá ser acrescentado NaC à solução, sem
alteração de seu volume.
A massa de cloreto de sódio a ser adicionada, em
quilogramas, é igual a:
a) 2,40
b) 3,30
c) 3,51
d) 3,72
TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO:
Leia o texto para responder à(s) questão(ões).
A história do seriado Breaking Bad gira em torno de um
professor de Química do ensino médio, com uma esposa
grávida e um filho adolescente que sofre de paralisia
cerebral. Quando é diagnosticado com câncer, ele abraça
uma vida de crimes, produzindo e vendendo
metanfetaminas.
O uso de drogas pode desestabilizar totalmente a vida de
uma pessoa, gerando consequências devastadoras e
permanentes. Muitas vezes, toda a família é afetada.
As metanfetaminas são substâncias relacionadas
quimicamente com as anfetaminas e são um potente
estimulante que afeta o sistema nervoso central.
(http://tinyurl.com/pffwfe6. Acesso em: 13.06.2014.
Adaptado)
30. (Fatec) O uso de flúor é eficaz no combate à cárie
dentária. Por isso, foram estabelecidos protocolos de
utilização do flúor na área de saúde bucal como a adição de
flúor na água de abastecimento público e em pastas dentais.
A escovação dental é considerada um dos métodos mais
eficazes na prevenção da cárie, ao aliar a remoção da placa
à exposição constante ao flúor.
Todavia, a exposição excessiva pode causar alguns malefícios
à saúde. Para isso, foram estabelecidos níveis seguros de
consumo do flúor, quando este oferece o máximo benefício
sem risco à saúde. As pastas de dente apresentam uma
concentração de flúor que varia entre 1.100 e 1.500 ppm.
É importante ressaltar que as pastas de dente com flúor
devem ser utilizadas durante a escovação e não ingeridas.
(http://tinyurl.com/ovrxl8b. Acesso em: 29.08.2014.
Adaptado)
A concentração máxima de flúor presente nas pastas de
dente mencionada no texto, em porcentagem em massa,
corresponde a
a) 0,0015%.
b) 0,015%.
c) 0,15%.
d) 1,5%.
e) 15%.
31. (Pucrs) Em residências dotadas de caixa d’água, é muito
importante a limpeza periódica, pelo menos uma vez ao ano.
Para isso, é necessário lavá-la com uma mistura, contendo
80mL de solução de hipoclorito de sódio  NaC O , a
2,5%m/v, dissolvidos em água suficiente para preparar 1000
litros de solução. Essa mistura deve ficar em contato com o
interior da caixa por cerca de 30 minutos, após rigorosa
limpeza mecânica. Ao final, é necessário lavar a caixa com
água corrente para que não reste excesso de cloro.
Em relação a essas informações, é correto afirmar que
a) a quantidade de hipoclorito presente em cada 1000L de
solução na caixa a ser limpa é 25g.
b) o hipoclorito de sódio é obtido diretamente da reaçăo
entre ácido clorídrico e hidróxido de sódio.
c) a hidrólise do sal mencionado faz baixar o pH do meio.
d) a solução de hipoclorito de sódio adicionada à água tem
concentração aproximada de 0,3mol/L.
e) a massa molar do hipoclorito de sódio é 36,0g/mol.
32. (Unimontes) O modo mais frequente de expressar uma
solução percentual é volume por volume. Assim, para
preparar 50 m de uma solução concentrada de um ácido a
2%, utilizando-se um balão volumétrico de capacidade de
50 m , o procedimento mais adequado na sequência
colocada é:
a) Adicionar 40 m de água no balão, seguido de 1 m do
ácido, e diluir com água até a marca de calibração.
b) Adicionar 50 m de água no balão, seguido de 1 m do
ácido, e conferir o volume com a marca de calibração.
c) Adicionar 1 m do ácido no balão, seguido de 50 m de
água, e conferir o volume com a marca de calibração.
d) Adicionar 1 m do ácido no balão, seguido de 40 m de
água, e diluir com água até a marca de calibração.
33. (Uepb) A água pode participar de uma reação química
como produto ou pode ser eliminada de um meio, e a estes
processos se dá a mesma denominação: desidratação. Este
processo pode ser benéfico ao ser humano quando permite
obter produtos que mantenham a qualidade por mais
tempo, por evitar a presença de microrganismos que se
proliferam na presença de água. Entretanto, em ambientes
que tenham a quantidade de água evaporada maior do que
a precipitação desta, em forma de chuva, por exemplo, no
solo pode indicar que este tende a se tornar árido com o
passar do tempo, diminuindo a presença de vegetação e
levando a desertificação. Este é um grave problema mundial,
com 24 bilhões de toneladas de solos férteis desaparecendo
a cada ano. Assim, considerando que um solo deserto não
possui matéria orgânica, qual a quantidade de carbono
orgânico perdido nos solos tornados inférteis anualmente,
sabendo que a média de matéria orgânica é 20 g/kg de solo,
com composição de 40 % de carbono orgânico?
a) 8g.
b) 13
9,2 10 g.
c) 13
24 10 g.
d) 13
9,6 10 g.
e) 24
19,2 10 g.
34. (Pucrj) Uma solução aquosa contendo hidróxido de
potássio como soluto possui pH 12. Sendo o produto iônico
da água igual a 14
1,0 10 ,
 a 25 C, a concentração de
OH
em quantidade de matéria 1
(mol L )
nessa solução é:
a) 1
10
b) 2
10
c) 6
10
d) 8
10
e) 12
10
35. (Upf) A clara de ovo é rica em uma proteína denominada
albumina e 100 g de clara podem conter até 82 g dessa
proteína. Para formar uma proteína, os aminoácidos reagem
entre si da seguinte forma:
Considerando as informações apresentadas, assinale a
alternativa incorreta.
a) Proteínas são substâncias macromoleculares formadas
por reações de polimerização (condensação) de
aminoácidosα  por meio de ligações peptídicas entre
grupamentos carboxílicos e grupamentos amínicos.
b) A albumina é uma proteína e é considerada uma
macromolécula formada pela reação entre aminoácidos.
c) A reação apresentada pode ser revertida em meio ácido,
caso em que a ligação peptídica sofrerá hidrólise,
originando novamente os aminoácidos.
d) As proteínas são macromoléculas de cadeia heterogênea
que realizam interações por ligações de hidrogênio.
e) Considerando a concentração máxima de albumina na
clara de ovo, em conformidade com o disposto no
enunciado, pode-se afirmar que, em 10 g de clara, sua
concentração será de 8,2% (m/m).
36. (Acafe) A Portaria 2914, de 12 de dezembro de 2011, do
Ministério da Saúde, dispõe sobre procedimentos de
controle e vigilância da qualidade da água para consumo
humano e seu padrão de potabilidade. Em seu artigo 39,
parágrafo segundo, diz “[...] Recomenda-se que o teor
máximo de cloro residual livre em qualquer ponto do
sistema de abastecimento seja de 2 mg/L […]”
Utilizando-se de técnicas apropriadas, uma amostra de água
do sistema de abastecimento foi analisada e apresentou
concentração de cloro residual livre de 5
4 10 mol / L.

Dados: Considere que o cloro residual livre corresponda à
espécie química 2C .
Massa molar do C : 35,5 g / mol.
O teor de cloro residual livre na amostra analisada está:
a) abaixo do valor máximo permitido, apresentando uma
concentração de cloro residual livre de 1,42 mg/L.
b) acima do valor máximo permitido, apresentando uma
concentração de cloro residual livre de 2,84 mg/L.
c) acima do valor máximo permitido, apresentando uma
concentração de cloro residual livre de 4 mg/L.
d) abaixo do valor máximo permitido, apresentando uma
concentração de cloro residual livre de 0,284 mg/L.
TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO:
Seca na Paraíba
A Paraíba, bem como todo o Nordeste, passa pela pior seca
dos últimos cinquenta anos. A situação hídrica está em nível
crítico, com mais da metade dos mananciais monitorados
abaixo de 20% da capacidade de armazenamento da água.
Esta diminuição do volume de água armazenada impede que
seja utilizada para consumo humano. Alem disso, as águas
de poços artesianos que ainda resistem também têm
concentração elevada de sais. Com a finalidade de classificar
as águas quanto a seus usos, de acordo com a quantidade
presente de determinados substâncias, o Conselho Nacional
do Meio Ambiente (CONAMA) resolveu editar Resolução
357, de 17 de março de 2005.
37. (Uepb) Sabendo que para que uma água seja classificada
como doce deve ter uma salinidade não maior que 0,05 %
(g/100 g de água), qual a máxima concentração em
quantidade de matéria de sal em termos de
hidrogenocarbonato de potássio para que uma amostra de
água seja considerada doce? Considere a densidade da água
igual a 1 g/mL.
a) 4
5,00 10 mol / L

b) 3
5,95 10 mol / L

c) 0,05 mol / L
d) 0,0595 mol / L
e) 3
5,00 10 mol / L

38. (Ufsj) Segundo a legislação brasileira, o teor de cloro
para comercialização de água sanitária deve situar-se entre
2 e 2,5% m/m. Uma análise de várias marcas de água
sanitária pelo Inmetro mostrou que uma delas apresentava
um teor de cloro igual a 2,8% m/m. O fabricante resolveu
corrigi-la por diluição da solução com água. A quantidade de
água, em gramas, que pode ser adicionada para diluir 100
gramas dessa solução de água sanitária de forma a respeitar
o teor de cloro permitido pela legislação é igual a
a) 45
b) 20
c) 5
d) 50
39. (Ufrgs) Um estudante realizou uma diluição, conforme
mostrado na figura abaixo.
Supondo-se que a densidade da água, bem como da solução
inicial, seja de 1,0 g mL-1
, qual será o volume de água a ser
adicionado para que a solução passe a ter concentração de
0,2 mol L-1
?
a) 25 mL.
b) 50 mL.
c) 100 mL.
d) 200 mL.
e) 250 mL.
40. (Pucrj) Considere duas soluções aquosas de ácido
clorídrico e hidróxido de sódio cujas concentrações em
quantidade de matéria são indicadas a seguir:
[HCl] = 0,63 mol L-1
[NaOH] = 0,47 mol L-1
.
Ao se misturar 100 mL de cada uma das soluções, ocorre a
reação de neutralização representada adiante:
HCl(aq) + NaOH(aq)  H2O(l) + NaCl(aq)
Com essas informações, está incorreto afirmar que
a) hidróxido de sódio é o reagente limitante.
b) Na+
e Cl-
são íons espectadores.
c) 0,047 mol de HCl reagem com 0,047 mol de NaOH e
formam 0,047 mol de H2O(l).
d) 0,016 mol de HCl não reagem.
e) 0,063 mol de HCl reagem com 0,047 mol de NaOH e
formam 0,063 mol de NaCl.
41. (Ufpr) A mistura de 26,7 g de NaCℓ (massa molar 53,4
g.mol-1
) em água suficiente para que a solução apresente o
volume de 500 mL resulta numa concentração de:
a) 26,7% (m/v).
b) 26,7 g.L-1
.
c) 1,0 mol.L-1
.
d) 0,0534 g.L-1
.
e) 13,35 L.mol.
42. (Enem) Ao colocar um pouco de açúcar na água e mexer
até a obtenção de uma só fase, prepara-se uma solução. O
mesmo acontece ao se adicionar um pouquinho de sal à água
e misturar bem. Uma substância capaz de dissolver o soluto
é denominada solvente; por exemplo, a água é um solvente
para o açúcar, para o sal e para várias outras substâncias. A
figura a seguir ilustra essa citação.
Suponha que uma pessoa, para adoçar seu cafezinho, tenha
utilizado 3,42g de sacarose (massa molar igual a 342 g/mol)
para uma xícara de 50 mℓ do líquido. Qual é a concentração
final, em molℓ, de sacarose nesse cafezinho?
a) 0,02
b) 0,2
c) 2
d) 200
e) 2000
Resposta da questão 1:
[E]
O THG apresenta ligações duplas ( )π entre átomos de
carbonos e as funções químicas cetona e álcool.
Observações:
A molécula de THG apresenta grupo hidroxila ligado a
carbono saturado (álcool).
A cadeia carbônica do THG é mista.
Os métodos de análise são extremamente sensíveis, sendo
possível detectar THG em uma concentração tão baixa
como 1 ppb (uma parte por bilhão). Isso significa uma
concentração em que há um bilionésimo de grama de THG
para cada grama de amostra.
9
1g 10 g
1ppb
1.000.000.000 g 1g

 
Na água pura, com pH 7, a concentração de íons H
é de
7
10 mol L.
2
7 7 6 1 1 1
3 3 6 9
H OH
10 mol H 10 1g 10 10 1g 10 1g 10 g
0,1ppb
1L de água 1.0
M 1g mol; d 1mg L 1.0
0
00 g
0 g 10 g 1 1 g 0 g
L
0 0 1

      
  
   
    

Resposta da questão 2:
[C]
[A] Incorreta. A filtração é um processo físico que separa
misturas heterogêneas de um sólido disperso em um
líquido ou em um gás.
[B] Incorreta.
2
0,05 mol de Mg
1 L
x
2
500mL
x 0,025mol
1 mol de Mg

24g
0,025 mol y
y 0,6g
[C] Correta. A eletrólise ígnea irá formar o metal magnésio
e o gás cloro (tóxico e de odor irritante), devido à
formação do sal cloreto de magnésio, como citado no
texto.
2 2 2Mg(OH) 2HC MgC 2H O  
A eletrólise ígnea será dada primeiro pela fusão do sal,
que irá separar os íons, em seguida, esses íons irão se
depositar nos eletrodos, conforme as reações a seguir:
Reações da eletrólise ígnea:
2
2(aq) (aq) (aq)
2
(aq)
MgC Mg C
cátodo: Mg 2
Δ
 

 
 0
(s)
0
(aq) 2(s)
e Mg
ânodo : 2C C 2



  e
2 0 0
(aq) (aq) 2(g) (s)Mg 2C C Mg 
  
[D] Incorreta. O hidróxido de magnésio é uma dibase, muito
pouco solúvel em água.
[E] Incorreta. O processo de eletrólise é um fenômeno
químico, em que um ou mais elementos sofrem variações
nos seus números de oxidação no transcorrer de uma
reação química.
Resposta da questão 3:
[A]
2
2
2
MgC
MgC
MgC
total
M 95 g / mol
m
n
M
20
n 0,2105263 mol
95
m 200 g 20 g 220 g
d 1.100 g / L
m m
d V
V d
220
V 0,2 L
1100
Cqm : Concentração em quantidade de matéria
0,2105263 mol
Cqm 1,0526315 mol / L
0,2
Cqm 1,05 mol / L


 
  

  
 
 

Resposta da questão 4:
[E]
máx[ ] L1,0 mmol
Assim:
1,0 mmol 1L
x mmol 5 L
x 5,0 mmol
1 mmol

3
6,94 10 g de Li
5 mmol


y
y 0,0347 g ou 34,7 mg
Resposta da questão 5:
[B]
1
1 1 2 2
1
1
MM d 1000
36,5 0,37 1,18 1000
11,96 mol L
V V
11,96 V 3 50
V 12,54 mL
Μ τ
Μ
Μ
Μ Μ

   
   
 
  
  

Resposta da questão 6:
[C]
5 L 5.000 mL
146 g (cloreto de sódio)

5.000 mL (solução)
m (cloreto de sódio)
3
2 mL (solução)
m (cloreto de sódio) 0,0584 g 58,4 10 g
m (cloreto de sódio) 58,4 mg 58 mg

  
 
Resposta da questão 7:
[C]
0,14 eq. de Na
Relação entre concentração e normalidade:
N kΜ 
Onde k é a valência do cátion ou do ânion:
0,14
0,14 mol L
1
Μ  
Proporção:
1:1:1
NaC Na C
0,14 0,14 0,14
m m
0,14
MM V 58,5 0,5
m 4,09 g
Μ
 
 
  
 

Resposta da questão 8:
[E]
Concentração de NaC em água:
0,9%, ou seja, 0,9g 100mL de água.
Assim, para um volume de 0,5L, teremos:
0,9g 100mL
x g 500mL
x 4,5g
1m 4,5
Conc. Molar 0,154 mol L
MM V 58,5 0,5

   
 
Resposta da questão 9:
[C]
d 1,00 g mL 1.000 g L
Em 1litro (1.000 mL) :
1.000 g
 
NaC
100%
m
NaC
0,90%
0,90% 1.000 g
m 9,0 g
100%
9,0 g

 
NaC
1.000 mL
m'
NaC
500 mL
9,0 g 500 mL
m' 4,50 g
1.000 mL

 
Resposta da questão 10:
[D]
6 12 6
3
1
3
2
1
6 12 6
C H O 180
mg 126 10 g
Diabetes: 126
dL L10
126 10 g g
c 126 10
L L10
1mol (C H O )









  
180 g
n 2
3
6 12 6
126 10 g
n 0,007 mol
[C H O ] 0,007 mol / L 7 10 mol / L




  
Resposta da questão 11:
[A]
[A] Correta.
0,5M 0,5 mol /L, assim haverá 0,5 mol de
4CuSO por litro de solução.
[B] Incorreta. A cada 1.000 mL, ou seja, 1L teremos
0,5 mol de CuS.
0,5M 0,5 mol /L, assim haverá 0,5 mol de
4CuSO por litro de solução.
41 mol de CuSO 159,5g
0,5 mol x
x 79,75g
[C] Incorreta. Para ser um ácido de Arrhenius, o composto
deverá liberar, em solução aquosa o cátion H ,
que no
caso do sulfato de cobre, não temos esse elemento em
sua composição.
[D] Incorreta. Se diluirmos a solução de 0,5M sua
concentração irá diminuir ainda mais.
[E] Incorreta.
Conc. comum
Conc. Molar =
MM
Conc. comum = 0,5 159,5 79,75g / L 
Resposta da questão 12:
[D]
1
m (g)
n
M (g mol )


SUBSTÂ
NCIA
1
CONCENTRAÇÃO mg L 1
CONCENTRAÇÃO mol L
Bicarbon
ato
3(HCO ) 6.100
3
6.100 10
0,1
61



Bário
2
(Ba ) 412
3
412 10
0,003
137



Cálcio
2
(Ca ) 2.000
3
2.000 10
0,05
40



Dióxido
de
carbono
2(CO )
1.100
3
1.100 10
0,025
44



Fluoreto
(F ) 19
3
19 10
0,001
19



Magnési
o
2
(Mg )
729
3
729 10
0,03
24



Potássio
(K ) 390
3
390 10
0,01
39



Sódio
(Na ) 460
3
460 10
0,02
23



O correto é: 0,003 mol de bário e 0,03 mol de magnésio.
Resposta da questão 13:
[A]
A partir da tabela fornecida no enunciado:
Elemento Cor
sódio laranja
potássio violeta
cálcio vermelho-tijolo
cobre azul-esverdeada
Conclui-se que o elemento químico presente na solução é o
cálcio (luz vermelha).
2
2Ca C C CaC .  

2
2
CaC
2
3
2
3
CaC 40,1 2 35,5 111,1
M 111,1 g / mol
[CaC ] 1,00 mol / L
V 10,0 mL 10 10 L
m
[CaC ]
M V
m
1,00
111,1 10 10
m 1,111 g


   


  



 

Resposta da questão 14:
[C]
De acordo com o texto, o sulfato de bário praticamente não
se dissolve na água. Sua solubilidade em água é de apenas
5
1,0 10 mol L
 (sob temperatura de 25 C).
2 2
4 4
2 5
4
BaSO Ba SO
[BaSO ] [Ba ] 1,0 10 mol L
1.000 mL
 
 

  
5 23
1,0 10 6 10 íons
250 mL

  
íons
18
íons
n
n 1,5 10 íons 
Resposta da questão 15:
[E]
Calculando a concentração do sal em 1
mol L ,
 teremos:
0,9% 0,9g em 100mL de água
58,5g de NaC

1mol
0,9g x
x 0,00154mol
0,00154mol

100mL
y
1
1000mL
y 0,154mol L
 
A solução de cloreto de sódio em água é uma solução
eletrolítica, pois apresenta íons em solução.
Resposta da questão 16:
[D]
O reagente limitante da reação será o NaOH, e a proporção
estequiométrica é de 1:1, a quantidade de água formada
será também de 0,04mol de água. Assim, tem-se:
1 mol 18g
0,04mol x
x 0,72g
Resposta da questão 17:
[E]
Teremos:
2(g) 2(g) (g)C H 2HC 
(g)2HC 2 ( )
2 ( )
2 ( )
H O
(aq)
H O
2(g) 2(g) (aq)Global
H O
2(g) 2(g) (aq)Global
2HC
C H 2HC
C H 2HC
71 g

 
 
1mol 2 mols
35,5 g
reagente
em excesso
1,5 mol
2 ( )H O
2(g) 2(g) (aq)Global
1mol
71 1,5 106,5 (maior resultado : excesso)
35,5 1 35,5
C H 2HC
35,5 g
 
 
 
0,5 mol
(aq)
1mol
[HC ] 1mol / L
Resposta da questão 18:
[C]
2
2
3
Ca
3
3
1Ca
3
2
2 1
Em 1L :
m 40,08 10 g
m 40,08 10 g
n 10 mol
M 40,08 g mol
10 mol
[Ca ]
1L
[Ca ] 0,001mol L








 
 

  


 
Resposta da questão 19:
[E]
De acordo com a tabela, vem:
Para um rato de 100 g:
FATAL
60 mg (nicotina) : 1000 g (massa corporal)
60 mg (nicotina) : 100 g (massa corporal)
Resposta da questão 20:
[C]
3
1,5 10 g
 1 L
x g
6
1.500.000.000 L
x 2,25 10 g ou 2,25 ton de F
NaF
 
 
F
42g

19g
x ton 2,25ton
x 4,95 ton
Resposta da questão 21:
[A]
Teremos:
2
2
HC
(s) (aq) 2(aq) 2(g)
Fe H
Fe
H
10 mL (0,01L)
n [concentração molar] volume
n 1,0 0,01 0,01mol
Fe 2HC FeC H
56 g 2 mols 2g
m 0,01mol m
56 0,01
m 0,28 g
2
2 0,01
m 0,01 g
2
 
  
  

 

 
Resposta da questão 22:
[E]
São excretados 90% de 3
35 10 mg,
 ou seja,
6
31,5 10 g.

6
631,5 10 g
C 21 10 g / L
1,5L


  
Resposta da questão 23:
[B]
Teremos:
6
3
V 300 10 L
c 5 mg / L 5 10 g / L
1L

 
  
3
6
5 10 g
300 10 L



3 6 3
m
m 1500 10 g 1,5 10 g 1,5 10 kg     
Resposta da questão 24:
[B]
Uma xícara de café contém 80 mg de cafeína.
1
cafeína
1
1
M 194 g mol
V 200 mL 0,2 L
m 80 mg 0,08 g
m 0,08 g
n
M 194 g mol
0,08 g
n 194 g mol
Concentração (mol / L) 0,0020615 mol / L
V 0,2 L
Concentração (mol / L) 0,002 mol / L



 
 
 
 


  

Resposta da questão 25:
[C]
Teremos:
2 3
2 3
3
2 3
4
2 3
As O 198
m
[As O ]
M V
4,95 10
[As O ]
198 0,250
[As O ] 1,0 10 mol/L








 
Resposta da questão 26:
[E]
Como a porcentagem de etanol aumentou de 25% para
27%, conclui-se que a quantidade de isooctano 8 18(C H )
diminui.
Supondo-se a mesma quantidade, em mols, o etanol
produz menos gás carbônico durante a combustão do que o
isooctano.
A questão não especifica o tipo de porcentagem, em massa
ou em volume, por isso dá margem à confusão.
Resposta da questão 27:
[D]
3
800 10 g 800 g
800 mg/kg (ppm; parte por milhão)
1000 g 1.000.000 g


 
Resposta da questão 28:
[A]
NaC 58,5 g / mol
Em 1000 mL :
1mol

58,5 g
6,25 mol m
m 365,625 g
365,625 g
Concentração (solubilidade)
1000 mL
Concentração (solubilidade) 0,3656 g / mL



Resposta da questão 29:
[B]
A massa de cloreto de sódio presente na água do rio será:
m
M
MM V
m 0,6 58,5 100
m 3510 g ou 3,51kg


  

A massa de cloreto de sódio presente no aquário será:
m
C
V
m 2,1 100 210 g

  
A massa a ser adicionada será a diferença entre elas:
adicionadam 3510 210 3300g ou 3,3kg  
Resposta da questão 30:
[C]
As pastas de dente apresentam uma concentração de flúor
que varia entre 1.100 e 1.500 ppm.
2
2
Valor máximo 1.500 ppm
1
1ppm
1.000.000
1 15 15 10
1.500 ppm 1.500 15 10 % 0,15 %
1.000.000 10.000 100





      
Resposta da questão 31:
[D]
[A] Incorreta.
2,5%(m / v)
2,5g 3
100 10 L de NaC O
x


1000L
x 25.000g ou 25kg
[B] Incorreta. A reação entre o ácido clorídrico e o
hidróxido de sódio forma o cloreto de sódio e água.
2HC NaOH NaC H O  
[C] Incorreta. A hidrólise do NaC O forma:
2NaC O + H O HC O NaOH
(ác. fraco) (base forte)
 
Provocando, portanto uma elevação no pH.
[D] Correta.
3
m m
C = 0,025 2g
V 80 10
1 mol

  

74,5g
x 2g
x 0,027mol
n 0,027
0,3mol / L
V 0,08
μ

  
[E] Incorreta. A massa molar do hipoclorito  NaC O é de
74,5g/mol.
Resposta da questão 32:
[A]
2%(m/m) 2 mL/100mL
2 mL

100mL
x 50mL
x 1mL
Ao se preparar uma solução ácida, deve-se adicionar o
ácido à água, e nunca ao contrário, assim, para se preparar
uma solução a 2% em um balão de 50mL, primeiro adiciona
em torno de 40mL de água, em seguida, adiciona 1mL de
ácido e então completa-se com água até o menisco (marca
de calibração) do balão volumétrico.
Resposta da questão 33:
ANULADA.
1,0 kg de solo 20g de mat. orgânica (M.O.)
composição de 40% de M.O.
Assim, teremos:
1,0 kg de solo 20g de M.O.(40%)
ou seja:
1,0 kg de solo
12
8g de M.O.
24 10 kg
14
x
x 1,92 10 g 
Assim, não há alternativa correta.
Resposta da questão 34:
[B]
Teremos:
12
14
12 14
2
pH 12
[H ] 10 mol / L
[H ][OH ] 10
10 [OH ] 10
[OH ] 10 mol / L
 
  
  
 



 

Resposta da questão 35:
[E]
A clara de ovo é rica em uma proteína denominada
albumina e 100 g de clara podem conter até 82 g dessa
proteína.
100 g 100 % (clara)
82 g
τ



 
albumina
albumina
albumina
total
albumina
albumina
p
p 82 %
m
m
m
0,82
10
m 8,2 g concentração de 82 % (m/m)
Resposta da questão 36:
[B]
21 mol de C
5
71g ou 71000mg
4 10 mol
 x
x 2,84 mg/L
Portanto, acima do valor máximo permitido.
Resposta da questão 37:
[E]
0,05g 2100g de H O
x 2
3
1000g de H O (1L, pois a d 1g/mL)
x 0,5g
1mol de KHCO


100g
x
3
0,5g
x 5,00 10 mol / L
 
Resposta da questão 38:
[B]
Em 100g se solução temos 2,8g de cloro.
Pela legislação, a massa de cloro deve representar um valor
entre 2,0% e, no máximo, 2,5% da solução. Vamos
considerar que uma massa m de água foi adicionada, de
forma que a massa total da solução passou a 100+m.
Na hipótese de se preparar uma solução com 2,5% (valor
máximo permitido):
100 m   ————    1 00%
 2,8g       ————     2,5%

30
2,5 (100 m) 280 250 2,5m 280 2,5m 30 m 12g
2,5
          
Na hipótese de se preparar uma solução com 2,0% (valor
mínimo permitido):
100 m   ————    1 00%
 2,8g       ————     2,0%

80
2,0 (100 m) 280 200 2,0m 280 2,0m 80 m 32g
2,5
          
Assim, para atender a legislação, a massa de água
adicionada deverá ser um valor entre 12g e 32g.
Resposta da questão 39:
[B]
Calculo da concentração inicial da solução:
2 4
2 4
1 mol de Na SO —— 142 g
n —— 7,1g
n 0,05 mol de Na SO
2 4
2 4
0,05 mol de Na SO —— 200 mL
n —— 1000 mL
n 0,25 mol de Na SO em 1 litro de solução 0,25 mol L 
Ao adicionar mais água à solução, ocorrerá uma diluição, ou
seja, a concentração final diminuirá de forma inversamente
proporcional ao volume final da solução. Aplica-se a
expressão matemática abaixo, considerando que a
concentração final é 0,2 mol/L.
INICIAL ~INICIAL FINAL FINALC V C V 0,25 0,2 0,2 (V 0,2)
0,01
0,05 0,2 V 0,04 0,01 0,2V V 0,05L 50mL
0,2
       
         
Resposta da questão 40:
[E]
Teremos:
[HCl] = 0,63 mol L-1
 n(HCl) = 0,63  0,1 = 0,063 mol
[NaOH] = 0,47 mol L-1
 n(NaOH) = 0,47  0,1 = 0,047 mol
HCl(aq) + NaOH(aq)  H2O(l) + NaCl(aq)
1 mol  1 mol
¨0,063 mol  0,047 mol
(excesso)
1 mol  1 mol
0,047 mol  0,047 mol
Resposta da questão 41:
[C]
1
1
m 26,7
C 53,4 g.L
V 0,5
Concentração comum Concentração molar x Massa molar
53,4 Concentração molar x 53,4
Concentração molar 1,0 mol.L


  



Resposta da questão 42:
[B]
3,42 g de sacarose equivalem a 1
3,42 g
342 g.mol
, ou seja, 0,01
mol.
0,01 mol  50  10-3
L
x  1 L
X = 0,2 mol
[sacarose] = 0,2 mol/L

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Da sociedade pós industrial à pós-moderna- novas teorias sobre o mundo con...
Da sociedade pós industrial à pós-moderna- novas teorias sobre o mundo con...Da sociedade pós industrial à pós-moderna- novas teorias sobre o mundo con...
Da sociedade pós industrial à pós-moderna- novas teorias sobre o mundo con...
Carlos Jonathan Santos
 
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: DESTILAÇÃO FRACIONADA E PONTO DE EBULIÇÃO
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: DESTILAÇÃO FRACIONADA E PONTO DE EBULIÇÃORELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: DESTILAÇÃO FRACIONADA E PONTO DE EBULIÇÃO
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: DESTILAÇÃO FRACIONADA E PONTO DE EBULIÇÃO
Ezequias Guimaraes
 
Fotossíntese e quimiossíntese
Fotossíntese e quimiossínteseFotossíntese e quimiossíntese
Fotossíntese e quimiossíntese
Professora Raquel
 
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: SOLUBILIDADE DOS COMPOSTOS ORGÂNICA
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: SOLUBILIDADE DOS COMPOSTOS ORGÂNICARELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: SOLUBILIDADE DOS COMPOSTOS ORGÂNICA
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: SOLUBILIDADE DOS COMPOSTOS ORGÂNICA
Ezequias Guimaraes
 
Ácidos e Bases Exercícios de Vestibulares
Ácidos e Bases Exercícios de VestibularesÁcidos e Bases Exercícios de Vestibulares
Ácidos e Bases Exercícios de Vestibulares
Bio Sem Limites
 
Resumo: Ácidos e Bases
Resumo: Ácidos e BasesResumo: Ácidos e Bases
Resumo: Ácidos e Bases
Bio Sem Limites
 
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: PREPARO DE SOLUÇÃO
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: PREPARO DE SOLUÇÃORELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: PREPARO DE SOLUÇÃO
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: PREPARO DE SOLUÇÃO
Ezequias Guimaraes
 
Solução tampão
Solução tampãoSolução tampão
Solução tampão
Wendell Moura
 
A membrana plasmática
A membrana plasmáticaA membrana plasmática
A membrana plasmática
Alpha Colégio e Vestibulares
 
Equilibrio de precipitação
Equilibrio de precipitaçãoEquilibrio de precipitação
Equilibrio de precipitação
Adrianne Mendonça
 
QUÍM. ORG.- Classificação de cadeias carbônicas
QUÍM. ORG.- Classificação de cadeias carbônicasQUÍM. ORG.- Classificação de cadeias carbônicas
QUÍM. ORG.- Classificação de cadeias carbônicas
Professor Maurício Monteiro
 
Funções inorgânicas
Funções inorgânicasFunções inorgânicas
Funções inorgânicas
Andrea Barreto
 
Funções inorgânicas1 (Química)
Funções inorgânicas1 (Química)Funções inorgânicas1 (Química)
Funções inorgânicas1 (Química)
larissahaas
 
Briofitas E Pteridofitas
Briofitas E PteridofitasBriofitas E Pteridofitas
Briofitas E Pteridofitas
Andrea Barreto
 
Slides ácidos e bases
Slides ácidos e basesSlides ácidos e bases
Slides ácidos e bases
Roberto Bagatini
 
Hibridação sp sp2 e sp3
Hibridação sp sp2 e sp3Hibridação sp sp2 e sp3
Hibridação sp sp2 e sp3
Pedro Kangombe
 
5 filosofia e ciencia
5 filosofia e ciencia 5 filosofia e ciencia
5 filosofia e ciencia
Erica Frau
 
Membrana plasmática slides COMPLETO
Membrana plasmática slides COMPLETOMembrana plasmática slides COMPLETO
Membrana plasmática slides COMPLETO
Sheila Cassenotte
 
Modelo de ficha de leitura
Modelo de ficha de leituraModelo de ficha de leitura
Modelo de ficha de leitura
Sérgio Lagoa
 
CONHECIMENTO CIENTÍFICO
CONHECIMENTO CIENTÍFICOCONHECIMENTO CIENTÍFICO
CONHECIMENTO CIENTÍFICO
Net Viva
 

Mais procurados (20)

Da sociedade pós industrial à pós-moderna- novas teorias sobre o mundo con...
Da sociedade pós industrial à pós-moderna- novas teorias sobre o mundo con...Da sociedade pós industrial à pós-moderna- novas teorias sobre o mundo con...
Da sociedade pós industrial à pós-moderna- novas teorias sobre o mundo con...
 
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: DESTILAÇÃO FRACIONADA E PONTO DE EBULIÇÃO
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: DESTILAÇÃO FRACIONADA E PONTO DE EBULIÇÃORELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: DESTILAÇÃO FRACIONADA E PONTO DE EBULIÇÃO
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: DESTILAÇÃO FRACIONADA E PONTO DE EBULIÇÃO
 
Fotossíntese e quimiossíntese
Fotossíntese e quimiossínteseFotossíntese e quimiossíntese
Fotossíntese e quimiossíntese
 
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: SOLUBILIDADE DOS COMPOSTOS ORGÂNICA
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: SOLUBILIDADE DOS COMPOSTOS ORGÂNICARELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: SOLUBILIDADE DOS COMPOSTOS ORGÂNICA
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: SOLUBILIDADE DOS COMPOSTOS ORGÂNICA
 
Ácidos e Bases Exercícios de Vestibulares
Ácidos e Bases Exercícios de VestibularesÁcidos e Bases Exercícios de Vestibulares
Ácidos e Bases Exercícios de Vestibulares
 
Resumo: Ácidos e Bases
Resumo: Ácidos e BasesResumo: Ácidos e Bases
Resumo: Ácidos e Bases
 
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: PREPARO DE SOLUÇÃO
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: PREPARO DE SOLUÇÃORELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: PREPARO DE SOLUÇÃO
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: PREPARO DE SOLUÇÃO
 
Solução tampão
Solução tampãoSolução tampão
Solução tampão
 
A membrana plasmática
A membrana plasmáticaA membrana plasmática
A membrana plasmática
 
Equilibrio de precipitação
Equilibrio de precipitaçãoEquilibrio de precipitação
Equilibrio de precipitação
 
QUÍM. ORG.- Classificação de cadeias carbônicas
QUÍM. ORG.- Classificação de cadeias carbônicasQUÍM. ORG.- Classificação de cadeias carbônicas
QUÍM. ORG.- Classificação de cadeias carbônicas
 
Funções inorgânicas
Funções inorgânicasFunções inorgânicas
Funções inorgânicas
 
Funções inorgânicas1 (Química)
Funções inorgânicas1 (Química)Funções inorgânicas1 (Química)
Funções inorgânicas1 (Química)
 
Briofitas E Pteridofitas
Briofitas E PteridofitasBriofitas E Pteridofitas
Briofitas E Pteridofitas
 
Slides ácidos e bases
Slides ácidos e basesSlides ácidos e bases
Slides ácidos e bases
 
Hibridação sp sp2 e sp3
Hibridação sp sp2 e sp3Hibridação sp sp2 e sp3
Hibridação sp sp2 e sp3
 
5 filosofia e ciencia
5 filosofia e ciencia 5 filosofia e ciencia
5 filosofia e ciencia
 
Membrana plasmática slides COMPLETO
Membrana plasmática slides COMPLETOMembrana plasmática slides COMPLETO
Membrana plasmática slides COMPLETO
 
Modelo de ficha de leitura
Modelo de ficha de leituraModelo de ficha de leitura
Modelo de ficha de leitura
 
CONHECIMENTO CIENTÍFICO
CONHECIMENTO CIENTÍFICOCONHECIMENTO CIENTÍFICO
CONHECIMENTO CIENTÍFICO
 

Semelhante a Lista de Exercícios: Concentração de Soluções

Soluções lista
Soluções lista Soluções lista
Soluções lista
Fábio Oisiovici
 
DISPERSÕES REVISÃO ENEM
DISPERSÕES REVISÃO ENEMDISPERSÕES REVISÃO ENEM
DISPERSÕES REVISÃO ENEM
Fábio Oisiovici
 
Lista 2 recuperacao
Lista 2   recuperacaoLista 2   recuperacao
Lista 2 recuperacao
Rodrigo Sampaio
 
Questões gerais de química_2º ano
Questões gerais de química_2º anoQuestões gerais de química_2º ano
Questões gerais de química_2º ano
Escola Pública/Particular
 
Lista de Exercícios: Solucões
Lista de Exercícios: SolucõesLista de Exercícios: Solucões
Lista de Exercícios: Solucões
Hebertty Dantas
 
Lista de exercicios_solucoes_31
Lista de exercicios_solucoes_31Lista de exercicios_solucoes_31
Lista de exercicios_solucoes_31
Letícia Persch
 
Volumetria de neutralizacao
Volumetria de neutralizacaoVolumetria de neutralizacao
Volumetria de neutralizacao
Flavio Cardoso Reis
 
Lista de exercícios estequiometria
Lista de exercícios   estequiometriaLista de exercícios   estequiometria
Lista de exercícios estequiometria
Silvia Goós
 
enem revisão soluções
enem revisão soluções enem revisão soluções
enem revisão soluções
Fábio Oisiovici
 
Exercicios segundo
Exercicios segundoExercicios segundo
Exercicios segundo
Daiane Gris
 
2 exercicios físico química
2 exercicios físico química2 exercicios físico química
2 exercicios físico química
Biomedicina_
 
Lista 08 -_estequiometria
Lista 08 -_estequiometriaLista 08 -_estequiometria
Lista 08 -_estequiometria
torquatofp
 
Soluções
SoluçõesSoluções
Soluções
Marcio Pereira
 
cálculos químicos e soluções
cálculos químicos e soluçõescálculos químicos e soluções
cálculos químicos e soluções
Aninha Felix Vieira Dias
 
Estudos independentes2
Estudos independentes2Estudos independentes2
Estudos independentes2
Escola Pública/Particular
 
Cálculos químicos i soluções
Cálculos químicos i   soluçõesCálculos químicos i   soluções
Cálculos químicos i soluções
Aninha Felix Vieira Dias
 
concentração soluções
concentração soluçõesconcentração soluções
concentração soluções
Fábio Oisiovici
 
Exercícios de R1 - 2ª série
Exercícios de R1 - 2ª sérieExercícios de R1 - 2ª série
Exercícios de R1 - 2ª série
V
 
Exercícios 2º ano 1ºb
Exercícios 2º ano 1ºbExercícios 2º ano 1ºb
Exercícios 2º ano 1ºb
blogprofbento
 
Gama módulo 26
Gama   módulo 26Gama   módulo 26
Gama módulo 26
Naidilene Aguilar
 

Semelhante a Lista de Exercícios: Concentração de Soluções (20)

Soluções lista
Soluções lista Soluções lista
Soluções lista
 
DISPERSÕES REVISÃO ENEM
DISPERSÕES REVISÃO ENEMDISPERSÕES REVISÃO ENEM
DISPERSÕES REVISÃO ENEM
 
Lista 2 recuperacao
Lista 2   recuperacaoLista 2   recuperacao
Lista 2 recuperacao
 
Questões gerais de química_2º ano
Questões gerais de química_2º anoQuestões gerais de química_2º ano
Questões gerais de química_2º ano
 
Lista de Exercícios: Solucões
Lista de Exercícios: SolucõesLista de Exercícios: Solucões
Lista de Exercícios: Solucões
 
Lista de exercicios_solucoes_31
Lista de exercicios_solucoes_31Lista de exercicios_solucoes_31
Lista de exercicios_solucoes_31
 
Volumetria de neutralizacao
Volumetria de neutralizacaoVolumetria de neutralizacao
Volumetria de neutralizacao
 
Lista de exercícios estequiometria
Lista de exercícios   estequiometriaLista de exercícios   estequiometria
Lista de exercícios estequiometria
 
enem revisão soluções
enem revisão soluções enem revisão soluções
enem revisão soluções
 
Exercicios segundo
Exercicios segundoExercicios segundo
Exercicios segundo
 
2 exercicios físico química
2 exercicios físico química2 exercicios físico química
2 exercicios físico química
 
Lista 08 -_estequiometria
Lista 08 -_estequiometriaLista 08 -_estequiometria
Lista 08 -_estequiometria
 
Soluções
SoluçõesSoluções
Soluções
 
cálculos químicos e soluções
cálculos químicos e soluçõescálculos químicos e soluções
cálculos químicos e soluções
 
Estudos independentes2
Estudos independentes2Estudos independentes2
Estudos independentes2
 
Cálculos químicos i soluções
Cálculos químicos i   soluçõesCálculos químicos i   soluções
Cálculos químicos i soluções
 
concentração soluções
concentração soluçõesconcentração soluções
concentração soluções
 
Exercícios de R1 - 2ª série
Exercícios de R1 - 2ª sérieExercícios de R1 - 2ª série
Exercícios de R1 - 2ª série
 
Exercícios 2º ano 1ºb
Exercícios 2º ano 1ºbExercícios 2º ano 1ºb
Exercícios 2º ano 1ºb
 
Gama módulo 26
Gama   módulo 26Gama   módulo 26
Gama módulo 26
 

Mais de Hebertty Dantas

Diagrama de fases e Pressao de vapor
Diagrama de fases e Pressao de vaporDiagrama de fases e Pressao de vapor
Diagrama de fases e Pressao de vapor
Hebertty Dantas
 
Gabarito SAS: L3. Quí1. Aula 11
Gabarito SAS: L3. Quí1. Aula 11Gabarito SAS: L3. Quí1. Aula 11
Gabarito SAS: L3. Quí1. Aula 11
Hebertty Dantas
 
Gabarito SAS: L3. Quí1. Aula 10
Gabarito SAS: L3. Quí1. Aula 10Gabarito SAS: L3. Quí1. Aula 10
Gabarito SAS: L3. Quí1. Aula 10
Hebertty Dantas
 
Forca e Nomenclatura dos Ácidos
Forca e Nomenclatura dos ÁcidosForca e Nomenclatura dos Ácidos
Forca e Nomenclatura dos Ácidos
Hebertty Dantas
 
Lista de Exercícios: Distribuição Eletrônica e Tabela Periódica
Lista de Exercícios: Distribuição Eletrônica e Tabela PeriódicaLista de Exercícios: Distribuição Eletrônica e Tabela Periódica
Lista de Exercícios: Distribuição Eletrônica e Tabela Periódica
Hebertty Dantas
 
Gabarito SAS: L3. Quí1. Aula 09
Gabarito SAS: L3. Quí1. Aula 09Gabarito SAS: L3. Quí1. Aula 09
Gabarito SAS: L3. Quí1. Aula 09
Hebertty Dantas
 
Gabarito SAS: L2. Quí1. Aula 08
Gabarito SAS: L2. Quí1. Aula 08Gabarito SAS: L2. Quí1. Aula 08
Gabarito SAS: L2. Quí1. Aula 08
Hebertty Dantas
 
Teorias Ácido-Bases
Teorias Ácido-BasesTeorias Ácido-Bases
Teorias Ácido-Bases
Hebertty Dantas
 
Gabarito SAS: L2. Quí3. Aula 08
Gabarito SAS: L2. Quí3. Aula 08Gabarito SAS: L2. Quí3. Aula 08
Gabarito SAS: L2. Quí3. Aula 08
Hebertty Dantas
 
Gabarito SAS: L2. Quí3. Aula 07
Gabarito SAS: L2. Quí3. Aula 07Gabarito SAS: L2. Quí3. Aula 07
Gabarito SAS: L2. Quí3. Aula 07
Hebertty Dantas
 
Gabarito SAS: L2. Quí3. Aula 06
Gabarito SAS: L2. Quí3. Aula 06Gabarito SAS: L2. Quí3. Aula 06
Gabarito SAS: L2. Quí3. Aula 06
Hebertty Dantas
 
Gabarito SAS: L2. Quí3. Aula 05
Gabarito SAS: L2. Quí3. Aula 05Gabarito SAS: L2. Quí3. Aula 05
Gabarito SAS: L2. Quí3. Aula 05
Hebertty Dantas
 
Técnicas de Balanceamentos de Equações Químicas
Técnicas de Balanceamentos de Equações QuímicasTécnicas de Balanceamentos de Equações Químicas
Técnicas de Balanceamentos de Equações Químicas
Hebertty Dantas
 
Gabarito SAS: L2. qui1. aula 07
Gabarito SAS: L2. qui1. aula 07Gabarito SAS: L2. qui1. aula 07
Gabarito SAS: L2. qui1. aula 07
Hebertty Dantas
 
Gabarito SAS: L2. qui1. aula 06
Gabarito SAS: L2. qui1. aula 06Gabarito SAS: L2. qui1. aula 06
Gabarito SAS: L2. qui1. aula 06
Hebertty Dantas
 
Nox, Oxidação e Redução
Nox, Oxidação e ReduçãoNox, Oxidação e Redução
Nox, Oxidação e Redução
Hebertty Dantas
 
Gabarito: L2. Quí 1. Aulas 05
Gabarito: L2. Quí 1. Aulas 05Gabarito: L2. Quí 1. Aulas 05
Gabarito: L2. Quí 1. Aulas 05
Hebertty Dantas
 
Gabarito: L1. Quí 1. Aulas 04
Gabarito: L1. Quí 1. Aulas 04Gabarito: L1. Quí 1. Aulas 04
Gabarito: L1. Quí 1. Aulas 04
Hebertty Dantas
 
Lista de Exercícios de Atomística
Lista de Exercícios de AtomísticaLista de Exercícios de Atomística
Lista de Exercícios de Atomística
Hebertty Dantas
 
Gabarito. L1. quí 3. aulas 01-04
Gabarito. L1. quí 3. aulas 01-04Gabarito. L1. quí 3. aulas 01-04
Gabarito. L1. quí 3. aulas 01-04
Hebertty Dantas
 

Mais de Hebertty Dantas (20)

Diagrama de fases e Pressao de vapor
Diagrama de fases e Pressao de vaporDiagrama de fases e Pressao de vapor
Diagrama de fases e Pressao de vapor
 
Gabarito SAS: L3. Quí1. Aula 11
Gabarito SAS: L3. Quí1. Aula 11Gabarito SAS: L3. Quí1. Aula 11
Gabarito SAS: L3. Quí1. Aula 11
 
Gabarito SAS: L3. Quí1. Aula 10
Gabarito SAS: L3. Quí1. Aula 10Gabarito SAS: L3. Quí1. Aula 10
Gabarito SAS: L3. Quí1. Aula 10
 
Forca e Nomenclatura dos Ácidos
Forca e Nomenclatura dos ÁcidosForca e Nomenclatura dos Ácidos
Forca e Nomenclatura dos Ácidos
 
Lista de Exercícios: Distribuição Eletrônica e Tabela Periódica
Lista de Exercícios: Distribuição Eletrônica e Tabela PeriódicaLista de Exercícios: Distribuição Eletrônica e Tabela Periódica
Lista de Exercícios: Distribuição Eletrônica e Tabela Periódica
 
Gabarito SAS: L3. Quí1. Aula 09
Gabarito SAS: L3. Quí1. Aula 09Gabarito SAS: L3. Quí1. Aula 09
Gabarito SAS: L3. Quí1. Aula 09
 
Gabarito SAS: L2. Quí1. Aula 08
Gabarito SAS: L2. Quí1. Aula 08Gabarito SAS: L2. Quí1. Aula 08
Gabarito SAS: L2. Quí1. Aula 08
 
Teorias Ácido-Bases
Teorias Ácido-BasesTeorias Ácido-Bases
Teorias Ácido-Bases
 
Gabarito SAS: L2. Quí3. Aula 08
Gabarito SAS: L2. Quí3. Aula 08Gabarito SAS: L2. Quí3. Aula 08
Gabarito SAS: L2. Quí3. Aula 08
 
Gabarito SAS: L2. Quí3. Aula 07
Gabarito SAS: L2. Quí3. Aula 07Gabarito SAS: L2. Quí3. Aula 07
Gabarito SAS: L2. Quí3. Aula 07
 
Gabarito SAS: L2. Quí3. Aula 06
Gabarito SAS: L2. Quí3. Aula 06Gabarito SAS: L2. Quí3. Aula 06
Gabarito SAS: L2. Quí3. Aula 06
 
Gabarito SAS: L2. Quí3. Aula 05
Gabarito SAS: L2. Quí3. Aula 05Gabarito SAS: L2. Quí3. Aula 05
Gabarito SAS: L2. Quí3. Aula 05
 
Técnicas de Balanceamentos de Equações Químicas
Técnicas de Balanceamentos de Equações QuímicasTécnicas de Balanceamentos de Equações Químicas
Técnicas de Balanceamentos de Equações Químicas
 
Gabarito SAS: L2. qui1. aula 07
Gabarito SAS: L2. qui1. aula 07Gabarito SAS: L2. qui1. aula 07
Gabarito SAS: L2. qui1. aula 07
 
Gabarito SAS: L2. qui1. aula 06
Gabarito SAS: L2. qui1. aula 06Gabarito SAS: L2. qui1. aula 06
Gabarito SAS: L2. qui1. aula 06
 
Nox, Oxidação e Redução
Nox, Oxidação e ReduçãoNox, Oxidação e Redução
Nox, Oxidação e Redução
 
Gabarito: L2. Quí 1. Aulas 05
Gabarito: L2. Quí 1. Aulas 05Gabarito: L2. Quí 1. Aulas 05
Gabarito: L2. Quí 1. Aulas 05
 
Gabarito: L1. Quí 1. Aulas 04
Gabarito: L1. Quí 1. Aulas 04Gabarito: L1. Quí 1. Aulas 04
Gabarito: L1. Quí 1. Aulas 04
 
Lista de Exercícios de Atomística
Lista de Exercícios de AtomísticaLista de Exercícios de Atomística
Lista de Exercícios de Atomística
 
Gabarito. L1. quí 3. aulas 01-04
Gabarito. L1. quí 3. aulas 01-04Gabarito. L1. quí 3. aulas 01-04
Gabarito. L1. quí 3. aulas 01-04
 

Último

Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
AmiltonAparecido1
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
AntnioManuelAgdoma
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
LeticiaRochaCupaiol
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
LEANDROSPANHOL1
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
Marlene Cunhada
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
CarinaSantos916505
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 

Último (20)

Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 

Lista de Exercícios: Concentração de Soluções

  • 1. 1. (Pucrs) Para responder à questão, analise o texto e a estrutura a seguir. Uma das preocupações do Comitê Olímpico Internacional é combater o doping de atletas nas Olimpíadas. Para isso, uma série de análises é realizada rotineiramente com amostras de urina colhidas dos atletas. Nessas análises, uma das substâncias pesquisadas é o THG, que é um esteroide anabolizante. Os métodos de análise são extremamente sensíveis, sendo possível detectar THG em uma concentração tão baixa como 1 ppb (uma parte por bilhão). Isso significa uma concentração em que há um bilionésimo de grama de THG para cada grama de amostra. De acordo com as informações acima, assinale a alternativa correta. a) A molécula de THG apresenta grupo hidróxido, o que lhe confere caráter básico. b) A cadeia carbônica do THG é cíclica, ramificada e tem 17 átomos de carbono. c) Uma amostra de urina com 1 ppb de THG tem cerca de 1 bilhão de moléculas de THG. d) Na água pura, com pH 7, a concentração de íons H é de 100 ppb. e) O THG apresenta características químicas típicas de cetonas, alcenos e álcoois. 2. (Ucs) Centenas de milhares de toneladas de magnésio metálico são produzidas anualmente, em grande parte para a fabricação de ligas leves. De fato, a maior parte do alumínio utilizado hoje em dia contém 5% em massa de magnésio para melhorar suas propriedades mecânicas e torná-lo mais resistente à corrosão. É interessante observar que os minerais que contêm magnésio não são as principais fontes desse elemento. A maior parte do magnésio é obtida a partir da água do mar, na qual os íons 2 Mg  estão presentes em uma concentração de 0,05 mol / L. Para obter o magnésio metálico, os íons 2 Mg  da água do mar são inicialmente precipitados sob a forma de hidróxido de magnésio, com uma solução de hidróxido de cálcio. O hidróxido de magnésio é removido desse meio por filtração, sendo finalmente tratado com excesso de uma solução de ácido clorídrico. Após a evaporação do solvente, o sal anidro obtido é fundido e submetido ao processo de eletrólise ígnea. Considerando as informações do texto acima, assinale a alternativa correta. a) A filtração é um processo físico que serve para separar misturas homogêneas de um sólido disperso em um líquido ou em um gás. b) A massa de 2 Mg  presente em 500 mL de água do mar é de 2,025 g. c) A eletrólise ígnea do sal anidro produz, além do magnésio metálico, um gás extremamente tóxico e de odor irritante. d) O hidróxido de magnésio é uma monobase fraca, muito solúvel em água. e) O processo de eletrólise é um fenômeno físico, em que um ou mais elementos sofrem variaçơes nos seus números de oxidaçăo no transcorrer de uma reaçăo química. 3. (Uece) O magnésio subministrado na forma de cloreto de magnésio tem papel importante para o fortalecimento dos músculos e nervos, função imunológica, reforça a estrutura óssea, regula os níveis de pressão arterial e o açúcar do sangue, etc. A título experimental, um estudante de bioquímica preparou uma solução de cloreto de magnésio utilizando 200 g de água e 20 g de cloreto de magnésio que passou a ter densidade de 1,10 g mL. Para essa solução, a concentração em quantidade de matéria é, aproximadamente, a) 1,05 mol L. b) 1,20 mol L. c) 1,30 mol L. d) 1,50 mol L. 4. (Ufpa) Devido à toxicidade do íon lítio, a concentração máxima desse íon no sangue deve ser de 1 1,0 mmol L . Considerando que um adulto tenha 5 litros de sangue, a massa total (em mg) de íons lítio no sangue desse adulto deve ser de aproximadamente Dado: Massa molar 1 Li (g mol ) 6,94.  a) 6,9. b) 13,9. c) 20,8. d) 27,8. e) 34,7.
  • 2. 5. (Udesc) Para limpeza de superfícies como concreto, tijolo, dentre outras, geralmente é utilizado um produto com nome comercial de “ácido muriático”. A substância ativa desse produto é o ácido clorídrico (HC ), um ácido inorgânico forte, corrosivo e tóxico. O volume de HC em mililitros, que deve ser utilizado para preparar 50,0 mL de HC 3 mol L, a partir da solução concentrada com densidade de 3 1,18 g cm e 37% (m m) é, aproximadamente: a) 150 mL b) 12,5 mL c) 125 mL d) 8,7 mL e) 87 mL 6. (Ueg) Considere 5 L de uma solução aquosa contendo 146 g de cloreto de sódio que será utilizada como solução de partida para outras de mais baixa concentração. Uma quantidade de 2 mL dessa solução contém uma massa de soluto, em miligramas, de aproximadamente a) 3 b) 29 c) 58 d) 73 e) 292 7. (Ufpa) A análise de uma amostra de sangue determinou que ela contém 0,14 equivalentes de íons Na por litro. Assumindo que todos os íons Na originam-se somente da presença de NaC disolvido, a massa, em gramas, de NaC em 500 mL de sangue é de aproximadamente Dados: Massas molares 1 (g mol ) : Na 23; C 35,5. a) 1,6. b) 2,0. c) 4,1. d) 5,0. e) 6,1. 8. (Feevale) O soro fisiológico pode ser utilizado em diversos procedimentos caseiros, como para limpar feridas e machucados, para higiene nasal ou para limpeza de lentes de contato. Normalmente é uma solução a 0,9% de cloreto de sódio em água. Em caso de necessidade, pode ser feito em casa, fervendo-se previamente a água utilizada para fazer soro. Foi necessário preparar 0,5 litro dessa solução. Marque a alternativa que apresenta respectivamente a quantidade de cloreto de sódio necessária para essa preparação e a concentração molar dessa solução. a) 1 4,5 g e 0,308 mol L b) 1 0,154 g e 4,5 mol L c) 1 0,154 g e 9,0 mol L d) 1 9,0 g e 0,154 mol L e) 1 4,5 g e 0,154 mol L 9. (Enem 2ª aplicação) O soro fisiológico é uma solução aquosa de cloreto de sódio (NaC ) comumente utilizada para higienização ocular, nasal, de ferimentos e de lentes de contato. Sua concentração é 0,90% em massa e densidade igual a 1,00 g mL. Qual massa de NaC , em grama, deverá ser adicionada à água para preparar 500 mL desse soro? a) 0,45 b) 0,90 c) 4,50 d) 9,00 e) 45,00 10. (Pucpr) A tabela apresentada a seguir representa parte das informações interpretativas de um exame de sangue: Supondo um paciente que possua diabetes, a molaridade de glicose 6 12 6(C H O ), em seu sangue em mol L, considerando o nível inicial, será aproximadamente: Dados: C 12; H 1; O 16.   a) 0,7. b) 7. c) 2 7 10 .  d) 3 7 10 .  e) 5 7 10 .  Teste de tolerância à glicose oral NÍVEL DE GLICOSE SIGNIFICADO De 70 a 99 mg dl Glicemia em jejum normal De 100 a 125 mg dl (5.6 a 6.9 mmol L) Glicemia em jejum alterada (pré-diabetes) 126 mg dl ou mais em pelo menos dois exames Diabetes
  • 3. 11. (Imed) Considere um frasco de 1.000 mL, completamente cheio, contendo uma solução aquosa 0,5 M de 4CuSO . A respeito dessa solução, assinale a alternativa correta. a) O frasco contém 0,5 mols de 4CuSO por litro de solução. b) A cada 1.000 mL de solução, encontramos 0,5 g de 4CuSO . c) O sulfato de cobre é um ácido de Arrhenius. d) Para obtermos uma solução 1M de 4CuSO , a partir da solução 0,5 M, basta diluir a solução estoque duas vezes. e) Uma vez que a concentração molar, molaridade, dessa solução de 4CuSO é 0,5 M, sua concentração comum, C, é 0,5 M. 12. (Pucmg) A tabela apresenta a composição química de uma água mineral. SUBSTÂNCIA 1 CONCENTRAÇÃO mg L Bicarbonato 3(HCO ) 6.100 Bário 2 (Ba ) 412 Cálcio 2 (Ca ) 2.000 Dióxido de carbono 2(CO ) 1.100 Fluoreto (F ) 19 Magnésio 2 (Mg ) 729 Potássio (K ) 390 Sódio (Na ) 460 É INCORRETO afirmar que um litro dessa água possui: Dados: H 1; C 22; Ba 137; Ca 40; O 16; F 19; Mg 24; K 39; Na 23. a) 0,1mol de bicarbonato e 0,05 mol de cálcio. b) 0,025 mol de dióxido de carbono e 0,001mol de fluoreto. c) 0,01mol de potássio e 0,02 mol de sódio. d) 0,03 mol de bário e 0,003 mol de magnésio. TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO: Leia o texto para responder às questões abaixo: A luz branca é composta por ondas eletromagnéticas de todas as frequências do espectro visível. O espectro de radiação emitido por um elemento, quando submetido a um arco elétrico ou a altas temperaturas, é descontínuo e apresenta uma de suas linhas com maior intensidade, o que fornece “uma impressão digital” desse elemento. Quando essas linhas estão situadas na região da radiação visível, é possível identificar diferentes elementos químicos por meio dos chamados testes de chama. A tabela apresenta as cores características emitidas por alguns elementos no teste de chama: Elemento Cor sódio laranja potássio violeta cálcio vermelho-tijolo cobre azul-esverdeada 13. (Unesp) Uma estudante preparou 10,0 mL de uma solução 1 1,00 mol L  de cloreto de um dos metais apresentados na tabela do texto a fim de realizar um teste de chama em laboratório. No teste de chama houve liberação de luz vermelha intensa. A partir das informações contidas no texto e utilizando a classificação periódica dos elementos, assinale a alternativa que apresenta a massa do sal utilizado pela estudante, em gramas, e a sua fórmula. Dados:  Ca 40,1; C 35,5. a) 1,11 e 2CaC . b) 7,56 e CaC . c) 11,1 e 2CaC . d) 0,756 e CaC . e) 0,111 e 2CaC . TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO: Para resolver a(s) questão(ões) a seguir considere o texto retirado do website da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). “[...] Junho de 2003. Um erro em uma indústria farmacêutica provoca intoxicação em dezenas de pessoas. Há uma morte confirmada e outras 15 suspeitas. A causa: um veneno chamado carbonato de bário. O Celobar, medicamento que causou a tragédia, deveria conter somente sulfato de bário. Mas, na tentativa de transformar o carbonato em sulfato, algum erro fez com que quase 15% da massa do Celobar comercializado fosse de carbonato de
  • 4. bário. Pacientes tomam sulfato de bário para que os órgãos de seu sistema digestório fiquem visíveis nas radiografias. É o chamado contraste. O problema é que os íons bário são muito tóxicos. Quando absorvidos causam vômito, cólicas, diarreia, tremores, convulsões e até a morte. Cerca de 0,5 g é dose fatal. Mas, se a toxicidade é do bário, por que o sulfato de bário não é perigoso e o carbonato de bário sim? É que o sulfato de bário praticamente não se dissolve na água. Sua solubilidade em água é de apenas 5 1,0 10 mol L  (sob temperatura de 25 C). O que os pacientes ingerem é uma suspensão aquosa desse sal em que a maior parte dele não está dissolvida. Sem dissolução, não há, praticamente, dissociação do sal. É por isso que os íons bário não são liberados para serem absorvidos pelo organismo. Não há perigo. Ainda assim, só para garantir, essa suspensão costuma ser preparada em uma solução de sulfato de potássio, um sal bastante solúvel em água. A função desse sal é aumentar a concentração de íons sulfato. Desse modo, o equilíbrio da dissociação do sal é bem deslocado para a esquerda, diminuindo ainda mais a presença de íons bário na suspensão. Com o carbonato de bário é diferente. Apesar de pouco solúvel em água, ele reage com o ácido clorídrico do nosso estômago formando um sal solúvel, o cloreto de bário. Ao se dissolver, esse sal se dissocia, liberando íons bário para o organismo. O corpo absorve esses íons, e a intoxicação acontece. Triste é saber que uma simples gota de ácido clorídrico, misturada ao Celobar, teria evitado a tragédia. Essa gota produziria bolhas de gás carbônico, o que evidenciaria a presença do veneno no medicamento [...]”. http://www2.unifesp.br/reitoria/residuos//curiosidades/ca socelobar (data do acesso: 12/04/2016). 14. (Acafe) Baseado nas informações fornecidas e nos conceitos químicos, assinale a alternativa que contém o número de íons bário presente em 250 mL de uma solução aquosa saturada de 4BaSO (sob temperatura de 25 C). Dados: número de Avogadro: 23 6 10 entidades. a) 28 1,5 10 íons b) 18 6 10 íons c) 18 1,5 10 íons d) 23 1,5 10 íons 15. (Ufsm) Sal, vilão ou mocinho? Substância imprescindível ao equilíbrio das funções orgânicas, o cloreto de sódio pode produzir efeitos indesejados se consumido em excesso. A demanda natural desse composto fez com que ele superasse o ouro como valor estratégico e fosse base para remunerar o trabalho. Tanto os íons Na como os C  são essenciais para a manutenção da vida animal, controlando o volume de líquidos e a manutenção da pressão arterial. Fonte: Scientific American Brasil, Ano II, n. 16, p. 50, 2013. (adaptado) O sal apresenta inúmeras utilidades, sendo considerado o mais antigo aditivo alimentar. Dentre os usos do NaC , destaca-se o soro fisiológico, uma solução 0,9% de cloreto de sódio. Com base nessas informações, e correto afirmar que a solução é do tipo a) eletrolítica e a concentração do sal é de 1 0,015 molL . b) não eletrolítica e a concentração do sal é de 1 0,900 molL . c) eletrolítica e a concentração do sal é de 1 0,900 molL . d) não eletrolítica e a concentração do sal é de 1 0,154 molL . e) eletrolítica e a concentração do sal é de 1 0,154 molL . 16. (Pucrj) A um recipiente contendo 100 mL de solução aquosa de ácido acético 1 1,0 mol L foram adicionados 20 mL de solução aquosa de hidróxido de sódio 1 2,0 mol L . Na reação, a massa de água formada, em grama, é igual a: a) 0,18 b) 0,36 c) 0,48 d) 0,72 e) 0,76 17. (Upf) Uma das formas de obtenção de ácido clorídrico pode ocorrer por meio da reação entre gás cloro 2(g)(C ) e gás hidrogênio 2(g)(H ), seguida pela dissolução, em água, do produto obtido. As equações dessas reações, sem ajuste estequiométrico, estão abaixo representadas:
  • 5. 2 ( ) 2(g) 2(g) (g) H O (g) (aq) C H HC HC HC    Desse modo, considerando que 35,5 g de gás cloro 2(g)(C ) sejam colocados para reagir com 1,5 mol de gás hidrogênio 2(g)(H ) e que o produto obtido dessa reação seja dissolvido em 1,0 L de água, é correto afirmar que: a) Há reagente em excesso, o qual, nesse caso, é o gás cloro. b) A quantidade de cloreto de hidrogênio produzida é de 73 g. c) A concentração da solução será de 1 73 g L . d) A quantidade de gás hidrogênio que reage é de 3 g. e) A concentração em quantidade de matéria da solução é de 1 1mol L . 18. (Upf) O rótulo de uma garrafa indica que a concentração de íons cálcio 2 (aq)(Ca ) da água mineral nela contida é de 1 40,08 mg L . Considerando que uma pessoa ingere 1 litro dessa água, assinale a alternativa que indica corretamente a quantidade de íons 2 (aq)Ca  consumida por ela. Dado: Ca 40,08. a) 1 0,1mol L b) 1 1mol L c) 1 0,001mol L d) 1 0,01mol L e) 1 10 mol L 19. (Pucrs) Analise as informações e a tabela a seguir. “A toxicologia é a ciência que estuda as substâncias tóxicas ou venenosas e sua capacidade de interferir em organismos vivos, sejam eles plantas ou animais [...] Um parâmetro importante em toxicologia é a chamada dose letal 50 50(DL ), definida como a quantidade de uma substância química que, quando administrada em uma única dose por via oral, expressa em massa da substância por massa de animal [...], produz a morte de 50% dos animais dentro de um período de observação.” L.C.F. Pimentel et al., O inacreditável emprego de produtos químicos perigosos no passado, Química Nova 29, 2006, 1138-49, (adaptado). Tabela – 50DL de substâncias Substância 50DL em rato via oral (mg / kg de massa corporal) sulfato de cobre (II) 3000 nicotina 60 dioxina 0,02 De acordo com as informações acima, em relação a ratos, é correto afirmar: a) A nicotina é 3000 vezes mais tóxica do que a dioxina. b) Ingerindo 0,1mol de sulfato de cobre, um rato de 100 g provavelmente não morreria. c) Um gole de solução 0,1g / L de sulfato de cobre é mais perigoso do que igual volume de solução 10 g / L de nicotina. d) O sulfato de cobre é mais tóxico do que a dioxina. e) A ingestão de uma dose de 60 mg de nicotina por um rato de 100 g seria fatal. 20. (Udesc) A Organização Pan-Americana e a Organização Mundial da Saúde recomendam a fluoretação das águas de abastecimento público como medida da mais alta prioridade para prevenção e controle da cárie dentária. De acordo com a Portaria nº 2914, do Ministério da Saúde de 2011, o valor máximo permitido de fluoreto presente na água de abastecimento público é de 1 1,5mgL . Considerando um reservatório com capacidade de 1,50 milhões de metros cúbicos, assinale a alternativa que corresponde à massa de fluoreto de sódio que deve ser adicionada ao reservatório, para que a concentração final de fluoreto seja a máxima permitida. a) 3 5 10 g b) 2,25ton c) 4,97ton d) 6 1,50 10 g e) 6 42,0 10 g 21. (Mackenzie) Em uma análise de laboratório, uma amostra de ferro com 100% de pureza foi tratada com 10 mL, de solução 1 1,0 mo L  de HC até completa dissolução. A reação ocorrida nesse processo é representada pela equação NÃO BALANCEADA abaixo:
  • 6. (s) (aq) 2(aq) 2(g)Fe HC FeC H   Assim, pode-se afirmar que as massas de ferro na amostra e de hidrogênio liberada por essa reação são, respectivamente, Dados: massas molares 1 (g mo ) :  H 1, C 35,5 e Fe 56 a) 0,28 g e 0,01g. b) 0,56 g e 0,04 g. c) 0,28 g e 0,02 g. d) 0,84 g e 0,01g. e) 0,84 g e 0,04 g. 22. (Cefet MG) Um dos motivos da crescente contaminação das águas por hormônios presentes nos anticoncepcionais é o fato de que, 24 h após a ingestão de um comprimido contendo, em média, 3 35 10 mg  de etinilestradiol, 90% é excretado pela urina de forma inalterada e somente 10% é metabolizado. Considerando-se que uma mulher ingere um comprimido de anticoncepcional por dia e que o volume diário de urina é de 1,5 L, a concentração média de etinilestradiol na urina dessa mulher, em g / L, é igual a a) 6 35,0 10 .  b) 6 31,5 10 .  c) 6 30,0 10 .  d) 6 23,0 10 .  e) 6 21,0 10 .  23. (Fgv) A cachaça é um produto genuinamente brasileiro reconhecido internacionalmente e registrado na Organização Mundial de Comércio. A produção artesanal, com a utilização de alambiques de cobre, atinge 300 milhões de litros por ano. Os apreciadores avaliam que o produto artesanal tem melhor qualidade e sabor do que o produzido em alambiques de aço inoxidável; entretanto a cachaça artesanal apresenta o teor de cobre residual que deve obedecer ao limite máximo de 5mg / L. (http://www.scielo.br/pdf/qn/v32n4/v32n4a04.pdf. Adaptado) A quantidade máxima de cobre, em quilogramas, que pode ser encontrada no volume considerado de cachaça artesanal produzida durante um ano no Brasil e que respeita o limite máximo de cobre nessa bebida é a) 2 1,5 10 . b) 3 1,5 10 . c) 4 1,5 10 . d) 5 1,5 10 . e) 6 1,5 10 . 24. (Enem PPL) A cafeína é um alcaloide, identificado como 1,3,7-trimetilxantina (massa molar igual a 194 g mol), cuja estrutura química contém uma unidade de purina, conforme representado. Esse alcaloide é encontrado em grande quantidade nas sementes de café e nas folhas de chá-verde. Uma xícara de café contém, em média, 80 mg de cafeína. Considerando que a xícara descrita contém um volume de 200 mL de café, a concentração, em mol/L, de cafeína nessa xícara é mais próxima de: a) 0,0004. b) 0,002. c) 0,4. d) 2. e) 4. 25. (Ufrgs) O trióxido de arsênio, 2 3As O , é utilizado como quimioterápico no tratamento de alguns tipos de leucemia mieloide aguda. O protocolo de um determinado paciente indica que ele deva receber uma infusão intravenosa com 4,95mg de trióxido de arsênio, diluídos em soro fisiológico até o volume final de 250mL. A concentração em mol / L de trióxido de arsênio na solução utilizada nessa infusão é a) 1 1,0 10 .  b) 2 2,5 10 . 
  • 7. c) 4 1,0 10 .  d) 5 2,5 10 .  e) 6 1,0 10 .  26. (Pucrs) Por meio da Resolução Nº 1, de 4 de março de 2015, o Conselho Interministerial do Açúcar e do Álcool recomendou a obrigatoriedade da adição de 27% de etanol anidro na gasolina comum e 25% na gasolina Premium. Antes a gasolina comum tinha 25% de etanol anidro. Sobre essas diferentes composições, é correto afirmar que a) a gasolina comum permite rodar mais quilômetros por litro do que antes. b) a gasolina comum consome mais oxigênio do que antes para a queima completa por litro do combustível. c) a gasolina Premium passa a ser mais econômica do que a gasolina comum. d) o calor liberado na queima de um litro de gasolina Premium é menor do que na queima de um litro de gasolina comum. e) a concentração de gás carbônico na atmosfera aumentará mais lentamente. 27. (Uema) Uma peça publicitária veiculada na revista Veja apresentou a seguinte chamada: ¯ Gasolina S 50 tecnologia para melhorar a vida dos brasileiros. A Petrobrás desenvolveu a gasolina S-50 que tem 94% menos enxofre do que a versão anterior. A redução foi de 800 mg / kg para 50 mg / kg do teor de enxofre na gasolina‖. Fonte: REVISTA VEJA. São Paulo: Abril, ed. 2376, p.76, 4 jun. 2014. A representação de concentração do teor de enxofre, no texto, corresponde à a) molalidade. b) molaridade. c) fração molar. d) parte por milhão. e) concentração comum. 28. (Pucmg) A 25 C é possível dissolver aproximativamente 6,25 mo de cloreto de sódio em um litro de água. É CORRETO afirmar que a solubilidade do cloreto de sódio em água, em 1 g mL , é: a) 0,3656 b) 36,56 c) 0,4625 d) 46,25 TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO: A salinidade da água é um fator fundamental para a sobrevivência dos peixes. A maioria deles vive em condições restritas de salinidade, embora existam espécies como o salmão, que consegue viver em ambientes que vão da água doce à água do mar. Há peixes que sobrevivem em concentrações salinas adversas, desde que estas não se afastem muito das originais. Considere um rio que tenha passado por um processo de salinização. Observe na tabela suas faixas de concentração de cloreto de sódio. Trecho do rio Concentração de  1 NaC mol L  W < 0,01 X 0,1 − 0,2 Y 0,4 − 0,5 Z 0,6 * *isotônica à água do mar 29. (Uerj) Um aquário com 100 L de solução aquosa de NaC com concentração igual a 1 2,1 g L ,  será utilizado para criar peixes que vivem no trecho Z do rio. A fim de atingir a concentração mínima para a sobrevivência dos peixes, deverá ser acrescentado NaC à solução, sem alteração de seu volume. A massa de cloreto de sódio a ser adicionada, em quilogramas, é igual a: a) 2,40 b) 3,30 c) 3,51 d) 3,72 TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO: Leia o texto para responder à(s) questão(ões). A história do seriado Breaking Bad gira em torno de um professor de Química do ensino médio, com uma esposa grávida e um filho adolescente que sofre de paralisia cerebral. Quando é diagnosticado com câncer, ele abraça uma vida de crimes, produzindo e vendendo metanfetaminas. O uso de drogas pode desestabilizar totalmente a vida de uma pessoa, gerando consequências devastadoras e permanentes. Muitas vezes, toda a família é afetada.
  • 8. As metanfetaminas são substâncias relacionadas quimicamente com as anfetaminas e são um potente estimulante que afeta o sistema nervoso central. (http://tinyurl.com/pffwfe6. Acesso em: 13.06.2014. Adaptado) 30. (Fatec) O uso de flúor é eficaz no combate à cárie dentária. Por isso, foram estabelecidos protocolos de utilização do flúor na área de saúde bucal como a adição de flúor na água de abastecimento público e em pastas dentais. A escovação dental é considerada um dos métodos mais eficazes na prevenção da cárie, ao aliar a remoção da placa à exposição constante ao flúor. Todavia, a exposição excessiva pode causar alguns malefícios à saúde. Para isso, foram estabelecidos níveis seguros de consumo do flúor, quando este oferece o máximo benefício sem risco à saúde. As pastas de dente apresentam uma concentração de flúor que varia entre 1.100 e 1.500 ppm. É importante ressaltar que as pastas de dente com flúor devem ser utilizadas durante a escovação e não ingeridas. (http://tinyurl.com/ovrxl8b. Acesso em: 29.08.2014. Adaptado) A concentração máxima de flúor presente nas pastas de dente mencionada no texto, em porcentagem em massa, corresponde a a) 0,0015%. b) 0,015%. c) 0,15%. d) 1,5%. e) 15%. 31. (Pucrs) Em residências dotadas de caixa d’água, é muito importante a limpeza periódica, pelo menos uma vez ao ano. Para isso, é necessário lavá-la com uma mistura, contendo 80mL de solução de hipoclorito de sódio  NaC O , a 2,5%m/v, dissolvidos em água suficiente para preparar 1000 litros de solução. Essa mistura deve ficar em contato com o interior da caixa por cerca de 30 minutos, após rigorosa limpeza mecânica. Ao final, é necessário lavar a caixa com água corrente para que não reste excesso de cloro. Em relação a essas informações, é correto afirmar que a) a quantidade de hipoclorito presente em cada 1000L de solução na caixa a ser limpa é 25g. b) o hipoclorito de sódio é obtido diretamente da reaçăo entre ácido clorídrico e hidróxido de sódio. c) a hidrólise do sal mencionado faz baixar o pH do meio. d) a solução de hipoclorito de sódio adicionada à água tem concentração aproximada de 0,3mol/L. e) a massa molar do hipoclorito de sódio é 36,0g/mol. 32. (Unimontes) O modo mais frequente de expressar uma solução percentual é volume por volume. Assim, para preparar 50 m de uma solução concentrada de um ácido a 2%, utilizando-se um balão volumétrico de capacidade de 50 m , o procedimento mais adequado na sequência colocada é: a) Adicionar 40 m de água no balão, seguido de 1 m do ácido, e diluir com água até a marca de calibração. b) Adicionar 50 m de água no balão, seguido de 1 m do ácido, e conferir o volume com a marca de calibração. c) Adicionar 1 m do ácido no balão, seguido de 50 m de água, e conferir o volume com a marca de calibração. d) Adicionar 1 m do ácido no balão, seguido de 40 m de água, e diluir com água até a marca de calibração. 33. (Uepb) A água pode participar de uma reação química como produto ou pode ser eliminada de um meio, e a estes processos se dá a mesma denominação: desidratação. Este processo pode ser benéfico ao ser humano quando permite obter produtos que mantenham a qualidade por mais tempo, por evitar a presença de microrganismos que se proliferam na presença de água. Entretanto, em ambientes que tenham a quantidade de água evaporada maior do que a precipitação desta, em forma de chuva, por exemplo, no solo pode indicar que este tende a se tornar árido com o passar do tempo, diminuindo a presença de vegetação e levando a desertificação. Este é um grave problema mundial, com 24 bilhões de toneladas de solos férteis desaparecendo a cada ano. Assim, considerando que um solo deserto não possui matéria orgânica, qual a quantidade de carbono orgânico perdido nos solos tornados inférteis anualmente, sabendo que a média de matéria orgânica é 20 g/kg de solo, com composição de 40 % de carbono orgânico? a) 8g. b) 13 9,2 10 g. c) 13 24 10 g. d) 13 9,6 10 g. e) 24 19,2 10 g. 34. (Pucrj) Uma solução aquosa contendo hidróxido de potássio como soluto possui pH 12. Sendo o produto iônico
  • 9. da água igual a 14 1,0 10 ,  a 25 C, a concentração de OH em quantidade de matéria 1 (mol L ) nessa solução é: a) 1 10 b) 2 10 c) 6 10 d) 8 10 e) 12 10 35. (Upf) A clara de ovo é rica em uma proteína denominada albumina e 100 g de clara podem conter até 82 g dessa proteína. Para formar uma proteína, os aminoácidos reagem entre si da seguinte forma: Considerando as informações apresentadas, assinale a alternativa incorreta. a) Proteínas são substâncias macromoleculares formadas por reações de polimerização (condensação) de aminoácidosα  por meio de ligações peptídicas entre grupamentos carboxílicos e grupamentos amínicos. b) A albumina é uma proteína e é considerada uma macromolécula formada pela reação entre aminoácidos. c) A reação apresentada pode ser revertida em meio ácido, caso em que a ligação peptídica sofrerá hidrólise, originando novamente os aminoácidos. d) As proteínas são macromoléculas de cadeia heterogênea que realizam interações por ligações de hidrogênio. e) Considerando a concentração máxima de albumina na clara de ovo, em conformidade com o disposto no enunciado, pode-se afirmar que, em 10 g de clara, sua concentração será de 8,2% (m/m). 36. (Acafe) A Portaria 2914, de 12 de dezembro de 2011, do Ministério da Saúde, dispõe sobre procedimentos de controle e vigilância da qualidade da água para consumo humano e seu padrão de potabilidade. Em seu artigo 39, parágrafo segundo, diz “[...] Recomenda-se que o teor máximo de cloro residual livre em qualquer ponto do sistema de abastecimento seja de 2 mg/L […]” Utilizando-se de técnicas apropriadas, uma amostra de água do sistema de abastecimento foi analisada e apresentou concentração de cloro residual livre de 5 4 10 mol / L.  Dados: Considere que o cloro residual livre corresponda à espécie química 2C . Massa molar do C : 35,5 g / mol. O teor de cloro residual livre na amostra analisada está: a) abaixo do valor máximo permitido, apresentando uma concentração de cloro residual livre de 1,42 mg/L. b) acima do valor máximo permitido, apresentando uma concentração de cloro residual livre de 2,84 mg/L. c) acima do valor máximo permitido, apresentando uma concentração de cloro residual livre de 4 mg/L. d) abaixo do valor máximo permitido, apresentando uma concentração de cloro residual livre de 0,284 mg/L. TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO: Seca na Paraíba A Paraíba, bem como todo o Nordeste, passa pela pior seca dos últimos cinquenta anos. A situação hídrica está em nível crítico, com mais da metade dos mananciais monitorados abaixo de 20% da capacidade de armazenamento da água. Esta diminuição do volume de água armazenada impede que seja utilizada para consumo humano. Alem disso, as águas de poços artesianos que ainda resistem também têm concentração elevada de sais. Com a finalidade de classificar as águas quanto a seus usos, de acordo com a quantidade presente de determinados substâncias, o Conselho Nacional do Meio Ambiente (CONAMA) resolveu editar Resolução 357, de 17 de março de 2005. 37. (Uepb) Sabendo que para que uma água seja classificada como doce deve ter uma salinidade não maior que 0,05 % (g/100 g de água), qual a máxima concentração em quantidade de matéria de sal em termos de hidrogenocarbonato de potássio para que uma amostra de água seja considerada doce? Considere a densidade da água igual a 1 g/mL. a) 4 5,00 10 mol / L  b) 3 5,95 10 mol / L 
  • 10. c) 0,05 mol / L d) 0,0595 mol / L e) 3 5,00 10 mol / L  38. (Ufsj) Segundo a legislação brasileira, o teor de cloro para comercialização de água sanitária deve situar-se entre 2 e 2,5% m/m. Uma análise de várias marcas de água sanitária pelo Inmetro mostrou que uma delas apresentava um teor de cloro igual a 2,8% m/m. O fabricante resolveu corrigi-la por diluição da solução com água. A quantidade de água, em gramas, que pode ser adicionada para diluir 100 gramas dessa solução de água sanitária de forma a respeitar o teor de cloro permitido pela legislação é igual a a) 45 b) 20 c) 5 d) 50 39. (Ufrgs) Um estudante realizou uma diluição, conforme mostrado na figura abaixo. Supondo-se que a densidade da água, bem como da solução inicial, seja de 1,0 g mL-1 , qual será o volume de água a ser adicionado para que a solução passe a ter concentração de 0,2 mol L-1 ? a) 25 mL. b) 50 mL. c) 100 mL. d) 200 mL. e) 250 mL. 40. (Pucrj) Considere duas soluções aquosas de ácido clorídrico e hidróxido de sódio cujas concentrações em quantidade de matéria são indicadas a seguir: [HCl] = 0,63 mol L-1 [NaOH] = 0,47 mol L-1 . Ao se misturar 100 mL de cada uma das soluções, ocorre a reação de neutralização representada adiante: HCl(aq) + NaOH(aq)  H2O(l) + NaCl(aq) Com essas informações, está incorreto afirmar que a) hidróxido de sódio é o reagente limitante. b) Na+ e Cl- são íons espectadores. c) 0,047 mol de HCl reagem com 0,047 mol de NaOH e formam 0,047 mol de H2O(l). d) 0,016 mol de HCl não reagem. e) 0,063 mol de HCl reagem com 0,047 mol de NaOH e formam 0,063 mol de NaCl. 41. (Ufpr) A mistura de 26,7 g de NaCℓ (massa molar 53,4 g.mol-1 ) em água suficiente para que a solução apresente o volume de 500 mL resulta numa concentração de: a) 26,7% (m/v). b) 26,7 g.L-1 . c) 1,0 mol.L-1 . d) 0,0534 g.L-1 . e) 13,35 L.mol. 42. (Enem) Ao colocar um pouco de açúcar na água e mexer até a obtenção de uma só fase, prepara-se uma solução. O mesmo acontece ao se adicionar um pouquinho de sal à água e misturar bem. Uma substância capaz de dissolver o soluto é denominada solvente; por exemplo, a água é um solvente para o açúcar, para o sal e para várias outras substâncias. A figura a seguir ilustra essa citação. Suponha que uma pessoa, para adoçar seu cafezinho, tenha utilizado 3,42g de sacarose (massa molar igual a 342 g/mol) para uma xícara de 50 mℓ do líquido. Qual é a concentração final, em molℓ, de sacarose nesse cafezinho? a) 0,02 b) 0,2 c) 2 d) 200 e) 2000
  • 11. Resposta da questão 1: [E] O THG apresenta ligações duplas ( )π entre átomos de carbonos e as funções químicas cetona e álcool. Observações: A molécula de THG apresenta grupo hidroxila ligado a carbono saturado (álcool). A cadeia carbônica do THG é mista. Os métodos de análise são extremamente sensíveis, sendo possível detectar THG em uma concentração tão baixa como 1 ppb (uma parte por bilhão). Isso significa uma concentração em que há um bilionésimo de grama de THG para cada grama de amostra. 9 1g 10 g 1ppb 1.000.000.000 g 1g    Na água pura, com pH 7, a concentração de íons H é de 7 10 mol L. 2 7 7 6 1 1 1 3 3 6 9 H OH 10 mol H 10 1g 10 10 1g 10 1g 10 g 0,1ppb 1L de água 1.0 M 1g mol; d 1mg L 1.0 0 00 g 0 g 10 g 1 1 g 0 g L 0 0 1                      Resposta da questão 2: [C] [A] Incorreta. A filtração é um processo físico que separa misturas heterogêneas de um sólido disperso em um líquido ou em um gás. [B] Incorreta. 2 0,05 mol de Mg 1 L x 2 500mL x 0,025mol 1 mol de Mg  24g 0,025 mol y y 0,6g [C] Correta. A eletrólise ígnea irá formar o metal magnésio e o gás cloro (tóxico e de odor irritante), devido à formação do sal cloreto de magnésio, como citado no texto. 2 2 2Mg(OH) 2HC MgC 2H O   A eletrólise ígnea será dada primeiro pela fusão do sal, que irá separar os íons, em seguida, esses íons irão se depositar nos eletrodos, conforme as reações a seguir: Reações da eletrólise ígnea: 2 2(aq) (aq) (aq) 2 (aq) MgC Mg C cátodo: Mg 2 Δ       0 (s) 0 (aq) 2(s) e Mg ânodo : 2C C 2      e 2 0 0 (aq) (aq) 2(g) (s)Mg 2C C Mg     [D] Incorreta. O hidróxido de magnésio é uma dibase, muito pouco solúvel em água. [E] Incorreta. O processo de eletrólise é um fenômeno químico, em que um ou mais elementos sofrem variações nos seus números de oxidação no transcorrer de uma reação química. Resposta da questão 3: [A]
  • 12. 2 2 2 MgC MgC MgC total M 95 g / mol m n M 20 n 0,2105263 mol 95 m 200 g 20 g 220 g d 1.100 g / L m m d V V d 220 V 0,2 L 1100 Cqm : Concentração em quantidade de matéria 0,2105263 mol Cqm 1,0526315 mol / L 0,2 Cqm 1,05 mol / L                 Resposta da questão 4: [E] máx[ ] L1,0 mmol Assim: 1,0 mmol 1L x mmol 5 L x 5,0 mmol 1 mmol  3 6,94 10 g de Li 5 mmol   y y 0,0347 g ou 34,7 mg Resposta da questão 5: [B] 1 1 1 2 2 1 1 MM d 1000 36,5 0,37 1,18 1000 11,96 mol L V V 11,96 V 3 50 V 12,54 mL Μ τ Μ Μ Μ Μ                   Resposta da questão 6: [C] 5 L 5.000 mL 146 g (cloreto de sódio)  5.000 mL (solução) m (cloreto de sódio) 3 2 mL (solução) m (cloreto de sódio) 0,0584 g 58,4 10 g m (cloreto de sódio) 58,4 mg 58 mg       Resposta da questão 7: [C] 0,14 eq. de Na Relação entre concentração e normalidade: N kΜ  Onde k é a valência do cátion ou do ânion: 0,14 0,14 mol L 1 Μ   Proporção: 1:1:1 NaC Na C 0,14 0,14 0,14 m m 0,14 MM V 58,5 0,5 m 4,09 g Μ           Resposta da questão 8: [E] Concentração de NaC em água: 0,9%, ou seja, 0,9g 100mL de água. Assim, para um volume de 0,5L, teremos: 0,9g 100mL x g 500mL x 4,5g 1m 4,5 Conc. Molar 0,154 mol L MM V 58,5 0,5        Resposta da questão 9: [C]
  • 13. d 1,00 g mL 1.000 g L Em 1litro (1.000 mL) : 1.000 g   NaC 100% m NaC 0,90% 0,90% 1.000 g m 9,0 g 100% 9,0 g    NaC 1.000 mL m' NaC 500 mL 9,0 g 500 mL m' 4,50 g 1.000 mL    Resposta da questão 10: [D] 6 12 6 3 1 3 2 1 6 12 6 C H O 180 mg 126 10 g Diabetes: 126 dL L10 126 10 g g c 126 10 L L10 1mol (C H O )             180 g n 2 3 6 12 6 126 10 g n 0,007 mol [C H O ] 0,007 mol / L 7 10 mol / L        Resposta da questão 11: [A] [A] Correta. 0,5M 0,5 mol /L, assim haverá 0,5 mol de 4CuSO por litro de solução. [B] Incorreta. A cada 1.000 mL, ou seja, 1L teremos 0,5 mol de CuS. 0,5M 0,5 mol /L, assim haverá 0,5 mol de 4CuSO por litro de solução. 41 mol de CuSO 159,5g 0,5 mol x x 79,75g [C] Incorreta. Para ser um ácido de Arrhenius, o composto deverá liberar, em solução aquosa o cátion H , que no caso do sulfato de cobre, não temos esse elemento em sua composição. [D] Incorreta. Se diluirmos a solução de 0,5M sua concentração irá diminuir ainda mais. [E] Incorreta. Conc. comum Conc. Molar = MM Conc. comum = 0,5 159,5 79,75g / L  Resposta da questão 12: [D] 1 m (g) n M (g mol )   SUBSTÂ NCIA 1 CONCENTRAÇÃO mg L 1 CONCENTRAÇÃO mol L Bicarbon ato 3(HCO ) 6.100 3 6.100 10 0,1 61    Bário 2 (Ba ) 412 3 412 10 0,003 137    Cálcio 2 (Ca ) 2.000 3 2.000 10 0,05 40    Dióxido de carbono 2(CO ) 1.100 3 1.100 10 0,025 44    Fluoreto (F ) 19 3 19 10 0,001 19    Magnési o 2 (Mg ) 729 3 729 10 0,03 24    Potássio (K ) 390 3 390 10 0,01 39    Sódio (Na ) 460 3 460 10 0,02 23    O correto é: 0,003 mol de bário e 0,03 mol de magnésio. Resposta da questão 13: [A]
  • 14. A partir da tabela fornecida no enunciado: Elemento Cor sódio laranja potássio violeta cálcio vermelho-tijolo cobre azul-esverdeada Conclui-se que o elemento químico presente na solução é o cálcio (luz vermelha). 2 2Ca C C CaC .    2 2 CaC 2 3 2 3 CaC 40,1 2 35,5 111,1 M 111,1 g / mol [CaC ] 1,00 mol / L V 10,0 mL 10 10 L m [CaC ] M V m 1,00 111,1 10 10 m 1,111 g                  Resposta da questão 14: [C] De acordo com o texto, o sulfato de bário praticamente não se dissolve na água. Sua solubilidade em água é de apenas 5 1,0 10 mol L  (sob temperatura de 25 C). 2 2 4 4 2 5 4 BaSO Ba SO [BaSO ] [Ba ] 1,0 10 mol L 1.000 mL         5 23 1,0 10 6 10 íons 250 mL     íons 18 íons n n 1,5 10 íons  Resposta da questão 15: [E] Calculando a concentração do sal em 1 mol L ,  teremos: 0,9% 0,9g em 100mL de água 58,5g de NaC  1mol 0,9g x x 0,00154mol 0,00154mol  100mL y 1 1000mL y 0,154mol L   A solução de cloreto de sódio em água é uma solução eletrolítica, pois apresenta íons em solução. Resposta da questão 16: [D] O reagente limitante da reação será o NaOH, e a proporção estequiométrica é de 1:1, a quantidade de água formada será também de 0,04mol de água. Assim, tem-se: 1 mol 18g 0,04mol x x 0,72g Resposta da questão 17: [E] Teremos:
  • 15. 2(g) 2(g) (g)C H 2HC  (g)2HC 2 ( ) 2 ( ) 2 ( ) H O (aq) H O 2(g) 2(g) (aq)Global H O 2(g) 2(g) (aq)Global 2HC C H 2HC C H 2HC 71 g      1mol 2 mols 35,5 g reagente em excesso 1,5 mol 2 ( )H O 2(g) 2(g) (aq)Global 1mol 71 1,5 106,5 (maior resultado : excesso) 35,5 1 35,5 C H 2HC 35,5 g       0,5 mol (aq) 1mol [HC ] 1mol / L Resposta da questão 18: [C] 2 2 3 Ca 3 3 1Ca 3 2 2 1 Em 1L : m 40,08 10 g m 40,08 10 g n 10 mol M 40,08 g mol 10 mol [Ca ] 1L [Ca ] 0,001mol L                     Resposta da questão 19: [E] De acordo com a tabela, vem: Para um rato de 100 g: FATAL 60 mg (nicotina) : 1000 g (massa corporal) 60 mg (nicotina) : 100 g (massa corporal) Resposta da questão 20: [C] 3 1,5 10 g  1 L x g 6 1.500.000.000 L x 2,25 10 g ou 2,25 ton de F NaF     F 42g  19g x ton 2,25ton x 4,95 ton Resposta da questão 21: [A] Teremos: 2 2 HC (s) (aq) 2(aq) 2(g) Fe H Fe H 10 mL (0,01L) n [concentração molar] volume n 1,0 0,01 0,01mol Fe 2HC FeC H 56 g 2 mols 2g m 0,01mol m 56 0,01 m 0,28 g 2 2 0,01 m 0,01 g 2               Resposta da questão 22: [E] São excretados 90% de 3 35 10 mg,  ou seja, 6 31,5 10 g.  6 631,5 10 g C 21 10 g / L 1,5L      Resposta da questão 23: [B] Teremos: 6 3 V 300 10 L c 5 mg / L 5 10 g / L 1L       3 6 5 10 g 300 10 L    3 6 3 m m 1500 10 g 1,5 10 g 1,5 10 kg      Resposta da questão 24: [B]
  • 16. Uma xícara de café contém 80 mg de cafeína. 1 cafeína 1 1 M 194 g mol V 200 mL 0,2 L m 80 mg 0,08 g m 0,08 g n M 194 g mol 0,08 g n 194 g mol Concentração (mol / L) 0,0020615 mol / L V 0,2 L Concentração (mol / L) 0,002 mol / L                  Resposta da questão 25: [C] Teremos: 2 3 2 3 3 2 3 4 2 3 As O 198 m [As O ] M V 4,95 10 [As O ] 198 0,250 [As O ] 1,0 10 mol/L           Resposta da questão 26: [E] Como a porcentagem de etanol aumentou de 25% para 27%, conclui-se que a quantidade de isooctano 8 18(C H ) diminui. Supondo-se a mesma quantidade, em mols, o etanol produz menos gás carbônico durante a combustão do que o isooctano. A questão não especifica o tipo de porcentagem, em massa ou em volume, por isso dá margem à confusão. Resposta da questão 27: [D] 3 800 10 g 800 g 800 mg/kg (ppm; parte por milhão) 1000 g 1.000.000 g     Resposta da questão 28: [A] NaC 58,5 g / mol Em 1000 mL : 1mol  58,5 g 6,25 mol m m 365,625 g 365,625 g Concentração (solubilidade) 1000 mL Concentração (solubilidade) 0,3656 g / mL    Resposta da questão 29: [B] A massa de cloreto de sódio presente na água do rio será: m M MM V m 0,6 58,5 100 m 3510 g ou 3,51kg       A massa de cloreto de sódio presente no aquário será: m C V m 2,1 100 210 g     A massa a ser adicionada será a diferença entre elas: adicionadam 3510 210 3300g ou 3,3kg   Resposta da questão 30: [C] As pastas de dente apresentam uma concentração de flúor que varia entre 1.100 e 1.500 ppm. 2 2 Valor máximo 1.500 ppm 1 1ppm 1.000.000 1 15 15 10 1.500 ppm 1.500 15 10 % 0,15 % 1.000.000 10.000 100             Resposta da questão 31: [D] [A] Incorreta. 2,5%(m / v) 2,5g 3 100 10 L de NaC O x   1000L x 25.000g ou 25kg
  • 17. [B] Incorreta. A reação entre o ácido clorídrico e o hidróxido de sódio forma o cloreto de sódio e água. 2HC NaOH NaC H O   [C] Incorreta. A hidrólise do NaC O forma: 2NaC O + H O HC O NaOH (ác. fraco) (base forte)   Provocando, portanto uma elevação no pH. [D] Correta. 3 m m C = 0,025 2g V 80 10 1 mol      74,5g x 2g x 0,027mol n 0,027 0,3mol / L V 0,08 μ     [E] Incorreta. A massa molar do hipoclorito  NaC O é de 74,5g/mol. Resposta da questão 32: [A] 2%(m/m) 2 mL/100mL 2 mL  100mL x 50mL x 1mL Ao se preparar uma solução ácida, deve-se adicionar o ácido à água, e nunca ao contrário, assim, para se preparar uma solução a 2% em um balão de 50mL, primeiro adiciona em torno de 40mL de água, em seguida, adiciona 1mL de ácido e então completa-se com água até o menisco (marca de calibração) do balão volumétrico. Resposta da questão 33: ANULADA. 1,0 kg de solo 20g de mat. orgânica (M.O.) composição de 40% de M.O. Assim, teremos: 1,0 kg de solo 20g de M.O.(40%) ou seja: 1,0 kg de solo 12 8g de M.O. 24 10 kg 14 x x 1,92 10 g  Assim, não há alternativa correta. Resposta da questão 34: [B] Teremos: 12 14 12 14 2 pH 12 [H ] 10 mol / L [H ][OH ] 10 10 [OH ] 10 [OH ] 10 mol / L                 Resposta da questão 35: [E] A clara de ovo é rica em uma proteína denominada albumina e 100 g de clara podem conter até 82 g dessa proteína. 100 g 100 % (clara) 82 g τ      albumina albumina albumina total albumina albumina p p 82 % m m m 0,82 10 m 8,2 g concentração de 82 % (m/m) Resposta da questão 36: [B]
  • 18. 21 mol de C 5 71g ou 71000mg 4 10 mol  x x 2,84 mg/L Portanto, acima do valor máximo permitido. Resposta da questão 37: [E] 0,05g 2100g de H O x 2 3 1000g de H O (1L, pois a d 1g/mL) x 0,5g 1mol de KHCO   100g x 3 0,5g x 5,00 10 mol / L   Resposta da questão 38: [B] Em 100g se solução temos 2,8g de cloro. Pela legislação, a massa de cloro deve representar um valor entre 2,0% e, no máximo, 2,5% da solução. Vamos considerar que uma massa m de água foi adicionada, de forma que a massa total da solução passou a 100+m. Na hipótese de se preparar uma solução com 2,5% (valor máximo permitido): 100 m   ————    1 00%  2,8g       ————     2,5%  30 2,5 (100 m) 280 250 2,5m 280 2,5m 30 m 12g 2,5            Na hipótese de se preparar uma solução com 2,0% (valor mínimo permitido): 100 m   ————    1 00%  2,8g       ————     2,0%  80 2,0 (100 m) 280 200 2,0m 280 2,0m 80 m 32g 2,5            Assim, para atender a legislação, a massa de água adicionada deverá ser um valor entre 12g e 32g. Resposta da questão 39: [B] Calculo da concentração inicial da solução: 2 4 2 4 1 mol de Na SO —— 142 g n —— 7,1g n 0,05 mol de Na SO 2 4 2 4 0,05 mol de Na SO —— 200 mL n —— 1000 mL n 0,25 mol de Na SO em 1 litro de solução 0,25 mol L  Ao adicionar mais água à solução, ocorrerá uma diluição, ou seja, a concentração final diminuirá de forma inversamente proporcional ao volume final da solução. Aplica-se a expressão matemática abaixo, considerando que a concentração final é 0,2 mol/L. INICIAL ~INICIAL FINAL FINALC V C V 0,25 0,2 0,2 (V 0,2) 0,01 0,05 0,2 V 0,04 0,01 0,2V V 0,05L 50mL 0,2                   Resposta da questão 40: [E] Teremos: [HCl] = 0,63 mol L-1  n(HCl) = 0,63  0,1 = 0,063 mol [NaOH] = 0,47 mol L-1  n(NaOH) = 0,47  0,1 = 0,047 mol HCl(aq) + NaOH(aq)  H2O(l) + NaCl(aq) 1 mol  1 mol ¨0,063 mol  0,047 mol (excesso) 1 mol  1 mol 0,047 mol  0,047 mol Resposta da questão 41: [C]
  • 19. 1 1 m 26,7 C 53,4 g.L V 0,5 Concentração comum Concentração molar x Massa molar 53,4 Concentração molar x 53,4 Concentração molar 1,0 mol.L         Resposta da questão 42: [B] 3,42 g de sacarose equivalem a 1 3,42 g 342 g.mol , ou seja, 0,01 mol. 0,01 mol  50  10-3 L x  1 L X = 0,2 mol [sacarose] = 0,2 mol/L