SlideShare uma empresa Scribd logo
Questão 1)
A um erlenmeyer x contendo solução aquosa de
(ácido forte), de concentração 0,08 mol L–1,
foi adicionada gradualmente uma solução aquosa
de NaOH (base forte), de concentração 0,10 mol L–
1, com o auxílio de uma bureta. O gráfico que
fornece as concentrações das diferentes espécies,
durante essa titulação, é:
a)
b)
c)
d)
e)
Questão 2)
Considere a reação representada pela equação a
seguir.
2 NO₂(g) ⇆N₂O₄(g)
O gás NO₂ é um gás de coloração castanho-
avermelhado enquanto que seu dímero N₂O₄, um
gás incolor. Em um determinado cilindro,
adicionou-se quantidades de gases até que se
obteve 1 atm de NO2 e 1 atm de N₂O₄.
Considerando que o Kp dessa reação seja de 2 na
temperatura do experimento, assinale a
alternativa correta.
a) Não é observada alteração na coloração da
mistura.
b) A mistura aumenta a intensidade da coloração
castanha.
c) A mistura diminui a intensidade da coloração
castanha.
d) Não é possível prever o que vai ocorrer com a
intensidade da coloração dos gases porque não é
possível calcular os valores de concentração.
e) Não é possível prever o que vai ocorrer com a
intensidade da coloração dos gases porque não foi
fornecida a temperatura.
Questão 3)
Para determinar a concentração de uma solução
de nitrato de prata (AgNO₃), separou-se uma
amostra de 1 L dessa solução e adicionou-se
cloreto de sódio (NaCℓ) até o instante em que se
observou a formação de um precipitado. Sabendo-
se que foram adicionados 1,17 μg de cloreto
de sódio, assinale a alternativa que apresenta a
concentração (10 ̄ ³ mol/L) da solução de nitrato
de prata.
Dados: 1 μg = 10 ̄ ⁶ g;
Kps do AgCℓ= 1,8 · 10 ̄ ¹º ;
Massa molar do NaCℓ = 58,5 g/mol.
a) 2
b) 2,5
c) 3
d) 6
e) 9
Questão 4)
O tetróxido de dinitrogênio dissocia-se segundo
a reação:
Partindo de 1 mol de N₂O₄ em um recipiente de 20
L, qual a constante de equilíbrio (Kc), admitindo
que o grau de dissociação é 20%?
a) 100
b) 10
c) 0,1
d) 10⁻²
Questão 5)
Um aluno, na aula de laboratório de Química,
utilizou 0,2 L de solução 24,0 g/L de hidróxido de
sódio e misturou a 1,3 L de solução 2,08 g/L de
mesmo soluto. A solução obtida é, então, diluída
até um volume final de 2,5 L. A concentração, em
g/L, da solução, após a diluição, é,
aproximadamente, igual a
a) 26,0.
b) 13,0.
c) 5,0.
d) 4,0.
e) 3,0.
Questão 6)
A frutose, conhecida como açúcar para
diabéticos, tem maior poder de adoçar e é menos
densa. Após o preparo de um suco da polpa do
café, verificou-se que 200 mL da solução obtida
continha 58 mg de frutose. A concentração dessa
substância no café preparado é de
a) 0,29 g/L.
b) 2,9 g/L.
c) 0,029 g/L.
d) 290 g/L.
e) 0,58 g/L.
Questão 7)
O etanol, composto orgânico de fórmula
molecular C2H5OH, pertence à classe dos alcoóis.
Ele não é encontrado espontaneamente na
natureza, podendo ser obtido por diferentes
processos a partir de diversas fontes. No Brasil, a
biomassa é a fonte de maior significância, na qual
se destaca a cana-de-açúcar (sacarose) como
matéria-prima. Nesse procedimento, utiliza-se a
fermentação alcoólica como base na produção de
etanol. A obtenção do álcool etílico hidratado, a
partir da cana-de-açúcar, pode ser representada
pelo esquema a seguir.
Em I e IV, que envolvem processos de
fracionamento, são realizadas, respectivamente:
a) filtração e destilação.
b) destilação e decantação.
c) filtração e decantação.
d) destilação e filtração.
e) decantação e decantação.
Questão 8)
Um aluno de Química resolveu produzir gás
amônia. Foram adicionados 4,5 g de gás
hidrogênio a 31,5 g de gás nitrogênio originando-
se 25,5 g de amônia, sobrando ainda nitrogênio
que não reagiu. Para se obter 85 g de amônia, a
quantidade de hidrogênio e de nitrogênio
necessária é, respectivamente:
a) 15,0 g e 70,0 g.
b) 10,6 g e 74,4 g.
c) 13,5 g e 71,5 g.
d) 1,5 g e 83,5 g.
e) 40,0 g e 45,0 g.
Questão 9)
Em uma aula de laboratório, foi dissolvido
cloreto de sódio (NaCl) em água. Em seguida, foi
mergulhado um pedaço de madeira na solução,
esperando secar. Ao queimá-lo, apareceu uma
chama amarela. Esse fenômeno ocorreu porque:
a) o calor transferiu energia aos elétrons dessa
substância, fazendo com que eles se deslocassem
para níveis energéticos mais altos, emitindo luz.
b) o calor transferiu energia aos elétrons dessa
substância, fazendo com que eles se deslocassem
para níveis energéticos mais baixos, emitindo luz.
c) o calor transferiu energia aos elétrons dessa
substância, fazendo com que eles se deslocassem
para níveis energéticos mais altos. Quando esses
elétrons excitados voltam a níveis energéticos
inferiores, eles devolvem a energia absorvida sob
forma de luz.
d) Para não se destacarem do seu nível energético,
os elétrons, ao receberem calor, emitem luz.
e) os elétrons são liberados do núcleo, liberando
energia eletromagnética.
Questão 10)
O fogo é resultante de uma reação de combustão
e, para que ocorra, é necessário o contato de uma
substância, o combustível, com outra, o
comburente, que normalmente é o oxigênio do ar.
Dos processos utilizados para combater incêndios
listados a seguir, assinale o que corresponde a
uma mudança química.
a) Resfriamento para absorver o calor de
combustão.
b) Abafamento para isolar o combustível.
c) Neutralização de substâncias intermediárias
que realimentam a combustão.
d) Supressão do combustível pela retirada deste.
e) Redução da concentração do comburente.
Questão 11)
Fluoroquinolonas constituem uma classe de
antibióticos capazes de combater diferentes tipos
de bactérias. A norfloxacina, a esparfloxacina e a
levofloxacina são alguns dos membros da família
das fluoroquinolonas.
De acordo com as informações anteriores, é
correto afirmar que:
a) a norfloxacina apresenta um grupo funcional
amida em sua estrutura.
b) a norfloxacina e a esparfloxacina apresentam os
grupos funcionais amina e ácido carboxílico em
comum.
c) a esparfloxacina apresenta cadeia carbônica
saturada.
d) a norfloxacina e a levofloxacina apresentam
grupo funcional éter.
e) a levofloxacina não apresenta anel aromático.
Questão 12)
A cana-de-açúcar é a principal matéria-prima
para a indústria sucroalcooleira brasileira. A
agroindústria da cana envolve etapas, como:
produção e abastecimento da indústria com
matéria-prima; gerenciamento dos insumos,
resíduos, subprodutos e da versatilidade da
produção de açúcar ou álcool; armazenamento e
comercialização dos produtos finais. Essas etapas
devem ser executadas com o emprego de técnicas
eficientes de gerenciamento. A obtenção do álcool
etílico hidratado, a partir da cana-de-açúcar, pode
ser representada pelo esquema a seguir:
Os processos de fracionamento que envolvem,
respectivamente, I e IV são:
a) filtração e decantação.
b) destilação e decantação.
c) destilação e filtração.
d) evaporação e destilação fracionada.
e) filtração e destilação.
Questão 13)
Uma reação de titulação foi realizada para
determinar a fórmula molecular de um ácido
carboxílico. O experimento foi realizado conforme
as etapas a seguir:
• Etapa 1: 0,074 g do ácido carboxílico foi dissolvido
em 100 mL de água destilada;
• Etapa 2: foram adicionadas 20 gotas de uma
solução alcoólica de fenolftaleína 1% m/v;
• Etapa 3: foram gastos 100 mL de solução 0,005
mol/L de hidróxido de cálcio até o ponto de mudança
de cor do indicador.
Com base nos dados do experimento, a fórmula
molecular do ácido em análise é
Note e adote:
Massas molares (g/mol): H = 1; C = 12; O = 16.
a) C2H4O2.
b) C3H6O2.
c) C4H8O2.
d) C5H10O2.
e) C6H12O2.
Questão 14)
O ARLA 32 (Agente Redutor Líquido Automotivo) é
um reagente químico à base de ureia de alta
pureza, projetado especificamente para uso em
sistemas SCR (Redução Catalítica Seletiva) para
reduzir as emissões de NOx. Ele é incolor, estável e
não inflamável. As matérias-primas utilizadas para
produzir o ARLA 32 incluem gás natural, carvão ou
outros produtos derivados do petróleo. O ARLA 32
(densidade de 1,1 g/cm3) é preparado
combinando-se ureia de alta pureza com água
deionizada para criar uma solução a 32,5% m/m.
Estudos indicam que o consumo do ARLA 32 será
de aproximadamente 5% do consumo
do combustível dependendo da operação do
veículo, regime de trabalho, aspectos geográficos,
capacidade de carga etc. Nessa condição, para
cada 50 litros de combustível diesel (densidade de
0,85 g/cm3) queimado, o usuário utilizará 2,5 litros
de ARLA 32.
Qual a quantidade de ureia consumida, em mol,
quando são utilizados 1 200 L de óleo diesel?
Note e adote:
Massa molar da ureia: 60 g/mol.
a) 357,50
b) 339,62
c) 325,00
d) 295,45
e) 276,25
Questão 15)
O Brasil reduziu a quantia de etanol na gasolina
de 25% para 20% em outubro de 2011, devido a
uma escassez do biocombustível e a um aumento
no preço. Para este ano, no entanto, a indústria de
cana afirma ser capaz de atender a uma demanda
maior.
Assim, em maio de 2013, o percentual de etanol
na gasolina passa de 20% para 25%. A mudança foi
anunciada no fim de janeiro pelo ministro de
Minas e Energia, Edison Lobão, e publicada no
Diário Oficial da União em março.
Disponível em: <http://economia.uol.com.br/>
Com o objetivo de impulsionar à indústria do
etanol e reduzir a importação de gasolina, o
governo, a partir de maio de 2013, está
possibilitando a venda de gasolina
a) mais concentrada devido à adição de etanol.
b) mais concentrada devido à retirada de etanol.
c) mais diluída devido à adição de etanol.
d) mais diluída devido à retirada de etanol.
e) com a mesma concentração de outubro de
2011.
Questão 16)
O cloreto de potássio é um composto
inorgânico salino, de fórmula química KCℓ, cujo
uso é amplamente difundido no meio médico
como repositor de potássio no organismo. Os
valores de referência para o potássio sérico no
corpo humano encontram-se entre 3,5 mmol/L
a 5,0 mmol/L. Esse eletrólito é o íon intracelular
mais abundante, sendo essencial em diversos
processos fisiológicos, especialmente na
transmissão dos impulsos nervosos, promovendo
a contração dos músculos.
Dados: massa molar: KCℓ = 74,5 g/mol; 1 mmol =
10−3 mol.
Na constituição de um medicamento injetável,
com uma solução de volume 50 mL, as
quantidades mínima e máxima de cloreto de
potássio (KCℓ), em miligramas, devem ser,
respectivamente,
a) 13 · 10−3 e 18,6 · 10−3.
b) 0,13 e 0,186.
c) 1,3 e 1,86.
d) 13 e 18,6.
e) 130 e 186.
Questão 17)
Nas festas e churrascos em família, é costume usar
geleiras de isopor para resfriar bebidas enlatadas
ou engarrafadas.
Para gelar bem, muitas pessoas costumam
adicionar sal e/ou álcool à mistura gelo/água. A
melhor eficiência mencionadase deve ao fato de
que a presença de sal ou álcool
a) aumenta a taxa de transferência de calor.
b) abaixa a temperatura do gelo.
c) aumenta a temperatura de ebulição.
d) abaixa a temperatura de fusão.
e) abaixa a dissipação de calor para o exterior.
Questão 18)
Os peixes conseguem absorver o gás oxigênio
(O2) dissolvido na água. Em um aquário, podemos
manter a quantidade de oxigênio adequada à
sobrevivência dos peixes borbulhando ar e
controlando a temperatura do sistema. Na
natureza, a quantidade adequada de O2
é providenciada pelo próprio ambiente. No
entanto, o descaso e o não tratamento das águas
utilizadas, tanto nas indústrias como nas nossas
casas, é responsável pela introdução de grandes
quantidades de resíduos em rios e lagos.
Esses resíduos podem reagir com o gás oxigênio
ou favorecer o desenvolvimento de bactérias
aeróbias que provocam a diminuição da
quantidade de oxigênio na água, o que
acaba causando uma grande mortandade de
peixes. Uma das maneiras de abrandar a ação
desses poluentes consiste em manter a água
desses rios sob constante e intensa
agitação. Dessa maneira, obtém-se maior contato
da água com o ar e, consequentemente, uma
maior oxigenação dessa água, possibilitando a
respiração de peixes e outros seres vivos. Esse
método de aeração da água também pode ser
utilizado para amenizar os estragos causados pelo
despejo de líquidos aquecidos em rios e lagos, pois
o aumento de temperatura da água também
provoca a diminuição de oxigênio nela dissolvido.
Escolha a opção correta.
a) O texto nos mostra que a solubilidade do
oxigênio na água aumenta com a diminuição da
temperatura.
b) A Lei de Henry relaciona a diminuição de
solubilidade dos gases em água com o aumento da
temperatura.
c) O efeito Tyndall justifica a diminuição de
solubilidade do oxigênio na água, pois afirma que
ocorre maior desenvolvimento de bactérias em
meios ricos em dejetos orgânicos.
d) A superfície de contato da água com o ar só
pode aumentar o teor de oxigênio dissolvido
durante a noite, pois a agitação das partículas
favorece a solubilidade.
e) O texto afirma que as indústrias poluem mais as
águas que as nossas casas.
Questão 19)
A humanidade presencia drásticas reduções na
quantidade de água potável, pois a sensação de
infinitude retardou a tomada de consciência sobre
esse problema e desenvolveu, historicamente,
uma cultura de uso abusivo dos recursos hídricos.
Portanto, o risco do esgotamento desses recursos
é iminente e resultante de ações antrópicas
como desmatamentos, mineração, esgotos brutos
e dejetos provenientes também de fontes
orgânicas.
Uma das estratégias viáveis para promover a
manutenção da qualidade das coleções de águas
dulcícolas pode ser representada pela
a) adoção de políticas com princípios sustentáveis,
entre as quais o tratamento dos esgotos antes de
atingirem as coleções hídricas.
b) criação de leis e órgãos que reivindiquem o
direito coletivo e proíbam a construção de
indústrias, o que impediria a contaminação da
água.
c) conscientização da população sobre a ingestão
de água tratada, que é isenta de micro-organismos
patogênicos, o que evitaria problemas sociais.
d) autodepuração, processo natural por meio do
qual as coleções hídricas que recebem carga
abusiva de material biodegradável dos esgotos se
recuperam totalmente.
e) destinação de recursos para investimento em
saneamento básico, cisternas e barragens
subterrâneas, medidas suficientes para restaurar
ambientes contaminados.
Questão 20)
PENDÊNCIA
O teste de tolerância à glicose é um teste de diagnóstico
para diabetes. Após passar a noite em jejum, você colhe
uma glicemia de jejum e recebe para beber uma solução
com alta concentração de açúcar (75 g de glicose) e é colhida
nova glicemia após 2 horas. O teste de tolerância oral à
glicose é considerado positivo quando a glicemia fica acima
de 200 mg/dL após 120 min. Normalmente, a glicose não
sobe muito e retorna ao normal após duas a três horas. Em
um diabético, a glicose sanguínea é geralmente mais alta
após o jejum, sobe mais depois de ingerir a solução de
glicose e leva quatro a seis horas para descer.
Disponível em: <http://www.saude.hsw.uol.com.br>.
Com base no teste em questão, podemos inferir que a
concentração de glicose em mol/L, quando o teste for
positivo, será de aproximadamente
Dados: Glicose (C6H12O6) = 180 g/mol.
a) 1,1 · 10–2
.
b) 2,0 · 10–4
.
c) 3,2 · 10–6
.
d) 1,0 · 10–3
.
e) 2,5 · 10–3
.
Questão 21)
Para impedir a contaminação microbiana do
suprimento de água, deve-se eliminar as emissões
de efluentes e, quando necessário, tratá-lo com
desinfetante. O ácido hipocloroso (HCℓO),
produzido pela reação entre cloro e água, é um
dos compostos mais empregados como
desinfetante. Contudo, ele não atua somente
como oxidante, mas também como um ativo
agente de cloração. A presença de matéria
orgânica dissolvida no suprimento de água clorada
pode levar à formação de clorofórmio (CHCℓ3) e
outras espécies orgânicas cloradas tóxicas.
SPIRO, T. G.; STIGLIANI, W. M.
Química ambiental. São Paulo:
Pearson, 2009 (adaptado).
Visando eliminar da água o clorofórmio e outras
moléculas orgânicas, o tratamento adequado é a
a) filtração, com o uso de filtros de carvão ativo.
b) fluoretação, pela adição de fluoreto de sódio.
c) coagulação, pela adição de sulfato de
alumínio.
d) correção do pH, pela adição de carbonato de
sódio.
e) floculação, em tanques de concreto com a água
em movimento.
Questão 22)
Os fragmentos de texto abaixo descrevem dois
processos de múltiplas aplicações em nosso
cotidiano.
I. É o que ocorre, por exemplo, quando colocamos
uma cenoura em um frasco com solução
concentrada de água e sal. Depois de
aproximadamente dois dias, nota-se que a
cenoura apresenta menor volume e aspecto
enrugado e murcho, porque as moléculas de
água em suas células são transferidas para a
salmoura, que é mais concentrada. As
moléculas de água passam através das
membranas celulares da cenoura.
II.Esse processo tem sido usado com o intuito de
“potabilizar” a água por meio da dessalinização.
Se dá por influência da pressão que se aplica
sobre a superfície na qual se encontra a solução
hipertônica, o que impede do solvente, no caso
a água, ser transportado para o meio
mais concentrado. Isso permite que a água,
chamada doce, vá sendo isolada do sal. Tal
processo passou a ser usado pelos cientistas por
volta da década de 60.
Os processos I e II podem ser caracterizados,
respectivamente, como
a) filtração e destilação.
b) difusão e osmose.
c) osmose e decantação.
d) osmose e osmose reversa.
e) filtração e filtração a vácuo.
Questão 23)
Com as chuvas intensas que caíram na cidade do
Rio de Janeiro em março de 2013, grande
quantidade de matéria orgânica se depositou na
lagoa Rodrigo de Freitas. O consumo biológico
desse material contribuiu para a redução a zero do
nível de gás oxigênio dissolvida na água,
provocando a mortandade dos peixes.
O volume médio de água na lagoa é igual a 6,2 .
106 L.
Imediatamente antes de ocorrer a mortandade
dos peixes, a concentração de gás oxigênio
dissolvido na água correspondia a 2,5 . 10–4 mol .
L–1.
Ao final da mortandade, a quantidade consumida,
em quilogramas, de gás oxigênio dissolvida foi
igual a
Dado: O = 16.
a) 24,8.
b) 49,6.
c) 74,4.
d) 99,2.
e) 120,0.
Questão 24)
Com as chuvas intensas que caíram na cidade
do Rio de Janeiro em março de 2013, grande
quantidade de matéria orgânica se depositou na
lagoa Rodrigo de Freitas. O consumo biológico
desse material contribuiu para a redução a zero do
nível de gás oxigênio dissolvido na água,
provocando a mortandade dos peixes.
O volume médio de água na lagoa é igual a 6,2 · 106
L. Imediatamente antes de ocorrer a mortandade
dos peixes, a concentração de gás oxigênio
dissolvido na água correspondia a 2,5 · 10– 4 mol .
L– 1.
Ao final da mortandade, a quantidade consumida,
em quilogramas, de gás oxigênio dissolvido foi
igual a:
Dado: O = 16.
a) 24,8
b) 49,6
c) 74,4
d) 99,2
e) 125,5
Questão 25)
Acidente causa vazamento de produto químico
na Dutra
A pista sentido Rio da Rodovia Presidente Dutra
(BR-116), na altura da Serra das Araras, em Piraí
(RJ), ficou fechada ao tráfego devido ao
vazamento de produto químico na pista.
Cerca de 30 mil litros de ácido sulfúrico eram
transportados pelo veículo. Com o acidente,
houve total vazamento do produto, que se
espalhou pela pista, e uma faixa reversível
foi montada na pista de subida (sentido São Paulo)
da Serra das Araras. O congestionamento
ultrapassou quatro quilômetros nos dois sentidos
da rodovia. Técnicos do Instituto Estadual do
Ambiente do Rio (Inea) e o Corpo de Bombeiros
foram mobilizados para conseguir neutralizar o
ácido derramado, jogando cal a pista.
Disponível em: <http://www.estadao.com.br>. Acesso em: 19 dez. 2013.
(adaptado)
As reações de neutralização do ácido sulfúrico com
cal em água são:
CaO(s) + H2O( ) → Ca(OH)2(aq)
Ca(OH)2(aq) + H2SO4(aq) → CaSO4(s) + 2 H2O( )
Sabendo que a concentração do ácido sulfúrico
era de 2,8 g/L, qual a massa, em quilogramas, de
cal (CaO) que os bombeiros precisaram usar para
neutralizar todo o ácido derramado?
Dados: massas molares em g/mol: H2SO4 = 98;
CaO = 56.
a) 168 kg
b) 84 kg
c) 105 kg
d) 96 kg
e) 48 kg
Questão 26)
Alguns medicamentos são vendidos na forma
de comprimidos, para uso adulto, ou na forma de
gotas. Os comprimidos apresentam uma
quantidade específica do princípio ativo, por
unidade, enquanto a solução pode ser receitada
em quantidade variada (volume variado).
Imagine que um adulto esteja com dor de
cabeça e precise tomar um comprimido de
paracetamol, não dispondo do comprimido e sim
da solução infantil em gotas, analisou as bulas de
cada um (fornecidas a seguir) e decidiu tomar
o medicamento na forma de gotas.
Determine quantas gotas da solução o adulto
precisa tomar para ingerir a mesma quantidade do
princípio ativo que seria fornecida pelo
comprimido.
Dado: 1 gota = 0,05 mL.
a) 3 gotas.
b) 25 gotas.
c) 50 gotas.
d) 75 gotas.
e) 90 gotas.
Questão 27)
A varfarina é um fármaco que diminui a
agregação plaquetária, e por isso é utilizada como
anticoagulante, desde que esteja presente no
plasma, com uma concentração superior a 1,0
mg/L. Entretanto, concentrações plasmáticas
superiores a 4,0 mg/L podem desencadear
hemorragias. As moléculas desse fármaco ficam
retidas no espaço intravascular e dissolvidas
exclusivamente no plasma, que
representa aproximadamente 60% do sangue em
volume.
Em um medicamento, a varfarina é administrada
por via intravenosa na forma de solução aquosa,
com concentração de 3,0 mg/mL. Um indivíduo
adulto, com volume sanguíneo total de 5,0 L, será
submetido a um tratamento com solução injetável
desse medicamento.
Qual é o máximo volume da solução do
medicamento que pode ser administrado a esse
indivíduo, pela via intravenosa, de maneira que
não ocorram hemorragias causadas pelo
anticoagulante?
a) 1,0 mL
b) 1,7 mL
c) 2,7 mL
d) 4,0 mL
e) 6,7 mL
Questão 28)
A hidroponia pode ser definida como uma
técnica de produção de vegetais sem
necessariamente a presença de solo. Uma das
formas de implementação é manter as plantas
com suas raízes suspensas em meio líquido, de
onde retiram os nutrientes essenciais. Suponha
que um produtor de rúcula hidropônica precise
ajustar a concentração do íon nitrato (NO3
-) para
0,009 mol/L em um tanque de 5 000 litros e, para
tanto, tem em mãos uma solução comercial
nutritiva de nitrato de cálcio 90 g/L. As massas
molares dos elementos N, O e Ca são iguais a 14
g/mol, 16 g/mol e 40 g/mol, respectivamente.
Qual o valor mais próximo do volume da solução
nutritiva, em litros, que o produtor deve
adicionar ao tanque?
a) 26
b) 41
c) 45
d) 51
e) 82
Questão 29)
Uma solução saturada de K2Cr2O7 foi preparada
com a dissolução do sal em 1,0 kg de água. A
influência da temperatura sobre a solubilidade
está representada na figura a seguir.
Com base nos dados apresentados, as massas dos
dois íons resultantes da dissociação do K2Cr2O7 a
50 °C serão, aproximadamente,
Dado: Densidade da água: 1,0 g/mL
a) 40 e 105 g
b) 40 e 260 g
c) 80 e 105 g
d) 80 e 220 g
e) 105 e 195 g
Questão 30)
Nos versos de “Mar Portuguez”, o poeta Fernando
Pessoa homenageia seus compatriotas que
participaram das viagens dos descobrimentos.
Ó mar salgado,
Quanto do teu sal são lágrimas
de Portugal
A água do mar apresenta diversos sais que lhe
conferem a salinidade, pois, em cada quilograma
de água do mar, estão dissolvidos, em média,
cerca de 35 g de sais.
(spq.pt/boletim/docs/boletimSPQ_101_056_24.pdf Acesso em:
16.08.2013. Adaptado)
Baseando-se na concentração de sais descrita no
texto, para a obtenção de 1 kg de sais, a massa de
água do mar necessária será, em kg,
aproximadamente de
a) 1.
b) 5.
c) 20.
d) 29.
e) 35.
Questão 31)
A salinidade da água é um fator fundamental para
a sobrevivência dos peixes. A maioria deles vive
em condições
restritas de salinidade, embora existam espécies
como o salmão, que consegue viver em ambientes
que vão da
água doce à água do mar. Há peixes que
sobrevivem em concentrações salinas adversas,
desde que estas não se afastem muito das
originais.
Considere um rio que tenha passado por um
processo de salinização. Observe na tabela suas
faixas de concentração de cloreto de sódio.
*isotônica à água do mar
Um aquário com 100 L de solução aquosa de NaCℓ
com concentração igual a 2,1 g . L–1, será utilizado
para criar peixes que vivem no trecho Z do rio. A
fim de atingir a concentração mínima para a
sobrevivência dos peixes, deverá ser acrescentado
NaCR à solução, sem alteração de seu volume.
A massa de cloreto de sódio a ser adicionada,
em quilogramas, é igual a:
a) 2,40
b) 3,30
c) 3,51
d) 3,72
e) 2,20
Questão 32)
Apesar dos problemas que traz, o automóvel é
um grande facilitador de comunicação. Já em
meados do século XX, a participação do automóvel
na sociedade humana estava muito estabelecida.
Até recentemente, para aumentar a octanagem
da gasolina era adicionado um composto
de chumbo. Quando a sociedade passou a
perceber os males que o chumbo liberado na
atmosfera trazia, ocorreram pressões sociais que
levaram, pouco a pouco, ao abandono desse
aditivo.
O gráfico abaixo mostra uma comparação entre
a concentração média de chumbo, por indivíduo,
encontrada no sangue de uma população, em
determinado lugar. E a quantidade total de
chumbo adicionado na gasolina entre os anos de
1976 e 1980.
Sobre o texto e o gráfico anteriores, marque o
item correto
a) O fato de a curva referente à gasolina se
sobrepor à do sangue significa que todo o chumbo
emitido pela queima da gasolina foi absorvido
pelos seres humanos.
b) Entre 1979 e 1980, existiam 0,11 mg de chumbo
por litro de sangue.
c) Na maior parte do ano de 1977, o teor de
chumbo no sangue das pessoas diminuiu, pois
uma quantidade menor de composto com
chumbo foi adicionada à gasolina.
d) Antes de 1976, o teor de chumbo na gasolina
era muito elevado.
e) Entre os anos de 1976 e 1977, eram
encontrados 100 toneladas de chumbo na
gasolina.
Questão 33)
O gráfico a seguir mostra curvas de solubilidade
para substâncias nas condições indicadas e
pressão de 1 atm.
A interpretação dos dados desse gráfico
permite afirmar corretamente que
a) compostos iônicos são insolúveis em água, na
temperatura de 0°C.
b) o cloreto de sódio é pouco solúvel em água à
medida que a temperatura aumenta.
c) sais diferentes podem apresentar a mesma
solubilidade em uma dada temperatura.
d) a solubilidade de um sal depende,
principalmente, da espécie catiônica presente no
composto.
e) a solubilidade do cloreto de sódio é menor que
a dos outros sais para qualquer temperatura.
Questão 34)
O gráfico abaixo mostra a variação nas
concentrações de soluções saturadas de dois sais
em água, Li2SO4 (reta descendente) e (reta
ascendente), individualmente, em função da
variação na temperatura da solução. A
concentração é expressa em termos de percentual
massa/massa, ou seja, a massa do sal dissolvido
em 100 g da solução.
Assinale o item correto:
a) O sulfato de lítio é menos solúvel que o cloreto
de amônio.
b) Em água, a 30 °C, é possível dissolver uma massa
menor de cloreto de amônio do que de sulfato de
lítio.
c) O gráfico sugere que a dissolução do sulfato de
lítio constitui um processo endotérmico, ao passo
que a dissolução do cloreto de amônio tem caráter
exotérmico.
d) A solubilidade do sulfato de lítio seria menor em
uma solução contendo Na2SO4 do que em água
pura.
e) Em água, a 50 °C, é possível dissolver 30 g de
sulfato de lítio, mas não é possível dissolver
completamente 30 g de cloreto de amônio.
Questão 35)
Uma garrafa de refrigerante apresenta a
informação de que 500 mL do produto possui 34 g
de carboidrato. Supondo que todo o carboidrato
presente esteja na forma de sacarose (C12H22O11),
a opção que mostra corretamente a
concentração aproximada deste açúcar em L–1 é
a) 20 x 10–4.
b) 20 x 10–3.
c) 20 x 10–2.
d) 20 x 10–1.
e) 20 x 10.
Questão 36)
Fonte: LISBOA, Júlio Cezar Foschini. (Org.)
Química Ser Protanista, vol. 2. Edições SM: 2010, p. 39.
O comportamento do gás oxigênio com a variação
de temperatura descrito no gráfico, bem como o
comportamento físico geral dos gases, permitem
afirmar corretamente que
a) as forças atrativas se sobrepõem às forças de
repulsão entre as moléculas do gás oxigênio com
o aumento da temperatura.
b) as colisões entre as moléculas de um gás
aumentam de frequência com o aumento de
temperatura, à pressão constante, diminuindo a
velocidade média das moléculas e reduzindo sua
solubilidade em água.
c) a solubilidade de um gás em um líquido
depende da energia cinética das moléculas do gás
e da pressão exercida sobre o sistema que
comporta o soluto gasoso e o solvente líquido.
d) dois reservatórios de água mantidos sob as
mesmas condições de limpeza e pressão de 1 atm,
localizados na Bahia, a 35 ºC, e no Paraná, a 20 ºC,
terão a mesma concentração de O2(g) dissolvido na
água.
e) as concentrações de O2(g) dissolvido em
amostras de água do mar Báltico e do mar
Vermelho independem de suas concentrações
salinas, que são 30 g/L e 40 g/L, respectivamente.
Questão 37)
O soro fisiológico é uma solução com
concentração 0,9% em massa de NaCR em água
destilada; pode ser usado como antisséptico nasal,
limpeza de lentes de contato, ferimentos e como
repositor de íons sódio (Na+) e cloreto (Cℓ–) por ser
uma solução isotônica aos fluidos corporais.
Com base na concentração indicada no texto,
podemos inferir que a concentração deste soro
fisiológico em mol/L será:
Dados: Na = 23 g/mol; Cℓ = 35,5 g/mol.
a) 0,15 mol/L
b) 0,30 mol/L
c) 0,05 mol/L
d) 0,40 mol/L
e) 0,80 mol/L
Questão 38)
O peróxido de hidrogênio é comumente
utilizado como antisséptico e alvejante. Também
pode ser empregado em trabalhos de restauração
de quadros enegrecidos e no clareamento de
dentes. Na presença de soluções ácidas
de oxidantes, como o permanganato de potássio,
esse óxido decompõe-se, conforme a equação a
seguir:
5H2O2(aq) + 2KMnO4(aq) + 3H2SO4(aq) 5O2(g) +
2MnSO4(aq) + K2SO4(aq) + 8H2O( )
ROCHA-FILHO, R. C. R.; SILVA, R. R. Introdução aos Cálculos da Química. São
Paulo: McGraw-Hill, 1992.
De acordo com a estequiometria da reação
descrita, a quantidade de permanganato de
potássio necessária para reagir completamente
com 20,0 mL de uma solução 0,1 mol/L de
peróxido de hidrogênio é igual a
a) 2,0 ⋅ 100 mol
b) 2,0 ⋅ 10– 3 mol
c) 8,0 ⋅ 10– 1 mol
d) 8,0 ⋅ 10– 4 mol
e) 5,0 ⋅ 10– 3 mol
Questão 39)
A quantidade de etanol presente na gasolina
deve respeitar os limites estabelecidos pela
Agência Nacional do Petróleo. O governo, para
forçar a diminuição do preço do etanol, tem
reduzido o teor desse componente na gasolina.
Um aluno, para determinar o teor de etanol
presente na gasolina, realizou um experimento
adicionando 50 mL de gasolina e 50 mL de água a
um cilindro graduado com tampa. Após agitar a
solução, o aluno observou a presença de duas
fases, uma superior e outra inferior, constatando
que a fase superior continha 35 mL de líquido.
Sabendo-se que a densidade dos hidrocarbonetos
é menor que a da água, é correto afirmar que, na
gasolina testada pelo aluno, o teor de álcool, em
volume/volume, é de, aproximadamente,
a) 15%.
b) 30%.
c) 35%.
d) 60%.
e) 70%.
Questão 40)
Em uma das Etecs, após uma partida de basquete
sob sol forte, um dos alunos passou mal e foi
levado ao prontosocorro.
O médico diagnosticou desidratação e por isso o
aluno ficou em observação, recebendo soro na
veia.
No dia seguinte, a professora de Química usou o
fato para ensinar aos alunos a preparação do soro
caseiro, que é um bom recurso para evitar a
desidratação.
Soro Caseiro
Um litro de água fervida
Uma colher (de café) de sal
Uma colher (de sopa) de açúcar
Após a explicação, os alunos estudaram a
solubilidade dos dois compostos em água, usados
na preparação do soro, realizando dois
experimentos:
I. Pesar 50 g de açúcar (sacarose) e adicionar em
um béquer que continha 100 g de água sob
agitação.
II. Pesar 50 g de sal (cloreto de sódio) e adicionar
em um béquer que continha 100 g de água sob
agitação.
Após deixar os sistemas em repouso, eles
deveriam observar se houve formação de corpo
de chão (depósito de substância que não se
dissolveu). Em caso positivo, eles deveriam
filtrar, secar, pesar o material em excesso e
ilustrar o procedimento.
Um grupo elaborou os seguintes esquemas:
Analisando os esquemas elaborados, é possível
afirmar que, nas condições em que foram
realizados os experimentos
a) o sistema I é homogêneo e bifásico.
b) o sistema II é uma solução homogênea.
c) o sal é mais solúvel em água que a sacarose.
d) a solubilidade da sacarose em água é 50 g por
100 g de água.
e) a solubilidade do cloreto de sódio (NaC ) em
água é de 36 g por 100 g de água.
Questão 41)
O gráfico a seguir mostra curvas de solubilidade
para substâncias nas condições indicadas e
pressão de 1 atm.
A interpretação dos dados desse gráfi co permite
afirmar corretamente que
a) compostos iônicos são insolúveis em água, na
temperatura de 0°C.
b) o cloreto de sódio é pouco solúvel em água à
medida que a temperatura aumenta.
c) sais diferentes podem apresentar a mesma
solubilidade em uma dada temperatura.
d) a solubilidade de um sal depende,
principalmente, da espécie catiônica presente no
composto.
e) a solubilidade do cloreto de sódio é menor que
a dos outros sais para qualquer temperatura.
Questão 42)
No rótulo de uma embalagem de vinagre de
maçã, encontra-se a informação de que o teor de
ácido acético presente é de 4,15% (m/v). A
concentração de ácido acético (CH3COOH = 60
g/mol) expressa em termos de molaridade, é de,
aproximadamente,
a) 5,0 mol . L–1.
b) 3,5 mol . L–1.
c) 1,4 mol . L–1.
d) 1,0 mol . L–1.
e) 0,7 mol . L–1.
Questão 43)
As solubilidades dos sais KNO3 e NaC ,
expressas em gramas do sal por 100 gramas de
água, em função da temperatura, estão
representadas no gráfico a seguir.
Com base nas informações fornecidas, pode-se
afirmar corretamente que
a) a dissolução dos dois sais em água são processos
exotérmicos.
b) quando se adicionam 50 g de KNO3 em 100 g de
água a 25°C, todo o sólido se dissolve.
c) a solubilidade do KNO3 é maior que a do NaC
para toda a faixa de temperatura abrangida pelo
gráfico.
d) quando se dissolvem 90 g de KNO3 em 100 g de
água em ebulição e, em seguida, se resfria a
solução a 20°C,
recupera-se cerca de 30 g do sal sólido.
e) a partir de uma amostra contendo 95 g de KNO3
e 5 g de NaC , pode-se obter KNO3 puro por
cristalização fracionada.
Questão 44)
Um químico, ao desenvolver um perfume, decidiu
incluir entre os componentes um aroma de frutas
com concentração máxima de 10–4 mol/L. Ele
dispõe de um frasco da substância aromatizante,
em solução hidroalcoólica, com concentração de
0,01 mol/L.
Para a preparação de uma amostra de 0,50 L do
novo perfume, contendo o aroma de frutas na
concentração desejada, o volume da solução
hidroalcoólica que o químico deverá utilizar será
igual a
a) 5,0 mL.
b) 2,0 mL.
c) 0,50 mL.
d) 1,0 mL.
e) 0,20 mL.
Questão 45)
O peróxido de hidrogênio é comumente utilizado
como antisséptico e alvejante. Também pode ser
empregado em trabalhos de restauração de
quadros enegrecidos e no clareamento de dentes.
Na presença de soluções ácidas de oxidantes,
como o permanganato de potássio, este
óxido decompõe-se, conforme a equação a seguir:
5 H2O2(aq) + 2 KMnO4(aq) + 3 H2SO4(aq) 5 O2(g) + 2
MnSO4(aq) + K2SO4(aq) + 8 H2O( )
ROCHA-FILHO. R. C. R.; SILVA, R. R. Introdução aos Cálculos da Química. São
Paulo: McGraw-Hill, 1992.
De acordo com a estequiometria da reação
descrita, a quantidade de permanganato de
potássio necessária para reagir completamente
com 20,0 mL de uma solução 0,1 mol/L de
peróxido de hidrogênio é igual a
a) 2,0 . 100 mol.
b) 2,0 . 10–3 mol.
c) 8,0 . 10–1 mol.
d) 8,0 . 10–4 mol.
e) 5,0 . 10–3 mol.
Questão 46)
O álcool utilizado como combustível automotivo
(etanol hidratado) deve apresentar uma taxa
máxima de água em sua composição para não
prejudicar o funcionamento do motor. Uma
maneira simples e rápida de estimar a
quantidade de etanol em misturas com água é
medir a densidade da mistura. O gráfico mostra a
variação da densidade da mistura
em que me e ma são as massas de etanol e de água
na mistura, respectivamente, a uma temperatura
de 20 °C.
Disponível em: www.handymath.com. Acesso em: 8 ago. 2012.
Suponha que, em uma inspeção de rotina
realizada em determinado posto, tenha-se
verificado que 50,0 cm3 de álcool combustível
tenham massa igual a 45,0 g. Qual é a fração
percentual de etanol nessa mistura?
a) 7%
b) 10%
c) 55%
d) 90%
e) 93%
Questão 47)
A cafeína é um alcaloide, identificado como 1,3,7-
trimetilxantina (massa molar igual a 194
g/mol), cuja estrutura química contém uma
unidade de purina, conforme representado. Esse
alcaloide é encontrado em grande quantidade nas
sementes de café e nas folhas de chá-verde. Uma
xícara de café contém, em média, 80 mg de
cafeína.
MARIA, C. A. B.; MOREIRA, R. F. A. Cafeína: revisão sobre métodos de
análise. Química Nova, n. 1, 2007 (adaptado).
Considerando que a xícara descrita contém um
volume de 200 mL de café, a concentração, em
mol/L, de cafeína nessa xícara é mais próxima de:
a) 0,0004.
b) 0,002.
c) 0,4.
d) 2.
e) 4.
Questão 48)
Em uma das Etecs, após uma partida de basquete
sob sol forte, um dos alunos passou mal e foi
levado ao pronto-socorro.
O médico diagnosticou desidratação e por isso o
aluno ficou em observação, recebendo soro na
veia.
No dia seguinte, a professora de Química usou o
fato para ensinar aos alunos a preparação do soro
caseiro, que é um bom recurso para evitar a
desidratação.
Soro Caseiro
Um litro de água fervida
Uma colher (de café) de sal
Uma colher (de sopa) de açúcar
Após a explicação, os alunos estudaram a
solubilidade dos dois compostos em água, usados
na preparação do soro, realizando dois
experimentos:
I. Pesar 50 g de açúcar (sacarose) e adicionar
em um béquer que continha 100 g de água
sob agitação.
II. Pesar 50 g de sal (cloreto de sódio) e
adicionar em um béquer que continha 100 g
de água sob agitação.
Após deixar os sistemas em repouso, eles
deveriam observar se houve formação de corpo
de chão (depósito de substância que não se
dissolveu). Em caso positivo, eles deveriam filtrar,
secar, pesar o material em excesso e ilustrar o
procedimento.
Um grupo elaborou os seguintes esquemas:
Analisando os esquemas elaborados, é
possível afirmar que, nas condições em que foram
realizados os experimentos,
a) o sistema I é homogêneo e bifásico.
b) o sistema II é uma solução homogênea.
c) o sal é mais solúvel em água que a sacarose.
d) a solubilidade da sacarose em água é 50 g por
100 g de água.
e) a solubilidade do cloreto de sódio (NaCℓ) em
água é de 36 g por 100 g de água.
Questão 49)
O óxido de cálcio apresenta baixa solubilidade em
água, como mostrado na tabela abaixo:
Considerando as características das soluções
aquosas e as informações da tabela, é correto
afirmar:
a) Uma solução 0,023 mol/L de CaO a 10°C é
insaturada.
b) Uma solução 0,023 mol/L de CaO a 10°C
contém excesso de soluto dissolvido.
c) Uma solução 0,013 mol/L de CaO a 80°C é
saturada.
d) A dissolução de CaO em água é endotérmica.
e) A dissolução de 0,013 mol de CaO em 1 L, a
80°C, forma uma solução supersaturada.
Questão 50)
Após a ingestão de bebidas alcoólicas, o
metabolismo do álcool e sua presença no sangue
dependem de fatores como peso corporal,
condições e tempo após a ingestão. O gráfico
mostra a variação da concentração de álcool no
sangue de indivíduos de mesmo peso que
beberam três latas de cerveja cada um, em
diferentes condições: em jejum e após o jantar.
(Revista Pesquisa FAPESP nº 57, setembro 2000)
Tendo em vista que a concentração máxima de
álcool no sangue permitida pela legislação
brasileira para motoristas é 0,6 g/L, o individuo
que bebeu apos o janta e o que bebeu em jejum
só poderão dirigir apos, aproximadamente:
a) uma hora e uma hora e meia, respectivamente.
b) três horas e meia hora, respectivamente.
c) três horas e quatro horas e meia,
respectivamente.
d) seis horas e três horas, respectivamente.
e) seis horas, igualmente.
Questão 51)
Com base nos dados da tabela abaixo e nos
conhecimentos sobre propriedades da matéria,
pode-se afirmar:
a) O cloreto de sódio flutua no benzeno.
b) O benzeno é miscível com água em qualquer
proporção.
c) Naftaleno e água formam mistura homogênea.
d) Água, cloreto de sódio e benzeno, em qualquer
proporção, formam mistura bifásica.
e) Um litro de água pode dissolver 0,36 kg de
cloreto de sódio, a 20°C.
Questão 52)
Um estudante recebe quatro frascos, rotulados
como A, B, C e D, todos contendo um líquido
incolor e transparente. Cada frasco contém um
dos seguintes materiais: água, solução aquosa de
nitrato de zinco, solução aquosa de cloreto de
sódio, solução aquosa de nitrato de prata, não
necessariamente na ordem A, B, C e D. Solicita-se
ao estudante que identifique o material de cada
frasco. Para isto, ele efetua alguns testes.
O estudante sabe que os nitratos são solúveis e
que, entre os cloretos, o de zinco é solúvel e o de
prata é de baixa solubilidade em meio aquoso. O
estudante adiciona, então, algumas gotas do
material A nas amostras dos materiais B, C e D e
observa a formação de um precipitado na amostra
C. Nada observa nas amostras B e D.
Levando em conta apenas esta observação, é
correto afirmar:
a) O material A é a solução de nitrato de prata.
b) O material C é a solução de cloreto de sódio.
c) O material B é a água.
d) A solução de nitrato de prata pode ser o
material A ou o material C.
e) O material D não pode ser a água.
Questão 53)
Um suco concentrado de laranja possui um teor
de sólidos totais de 50%. O processo de produção
é caracterizado pela prensagem da fruta e
separação de cascas e bagaços, pelo qual é obtido
o suco in natura, que possui 10% em massa de
sólidos totais (solúveis e insolúveis). Este ainda
passa por um processo de evaporação para
retirada de parte da água.
Quando duas toneladas de suco de laranja in
natura são colocadas em um evaporador, a massa
de água evaporada para obtenção do suco
concentrado é, em quilogramas, igual a
a) 400.
b) 800.
c) 1 000.
d) 1 200.
e) 1 600.
Questão 54)
O rótulo de uma garrafa de água mineral natural
contém as seguintes informações:
Analisando o rótulo, podemos inferir que
Dados: Ca = 40 , F = 19, P = 31, O = 16.
a) nesta água o pOH é maior que o pH.
b) trata-se de uma água levemente ácida.
c) a concentração de fluoretos e fosfatos é de
aproximadamente 0,2 mol/L.
d) se o pH desta água fosse 7,0 (pH neutro) a
condutividade elétrica a 25ºC seria zero.
e) a concentração de cálcio em mol/L é de
aproximadamente 3,7 · 10⁻⁴.
Questão 55)
Quando se fala em branqueamento ou
desinfecção, imediatamente se pensa em
hipoclorito de sódio, cuja solução aquosa é
conhecida como água sanitária. O efeito
branqueador vem do ânion hipoclorito, em geral,
na forma de sal sódico, NaOCl. Essa substância
pode ser obtida por meio da seguinte reação:
Considerando a existência de cloro gasoso em
excesso, qual o volume de uma solução de NaOH
de concentração 2 mol/L necessário para produzir
hipoclorito em quantidade suficiente para
preparar 2 L de uma solução 0,5 mol/L de NaOCl?
a) 1 L
b) 2 L
c) 3 L
d) 4 L
e) 5 L
Questão 56)
Os efluentes industriais devem ser
criteriosamente tratados a fim de se evitar a
contaminação de rios e lagos por compostos e
metais tóxicos. A análise química de uma amostra
de 5,0 litros de um efluente industrial indicou a
presença de 400 mg de cromo. Como a densidade
desse efluente é 1 g/mL, é correto afirmar que o
teor de cromo encontrado na amostra, em ppm,
foi de
a) 8.
b) 800.
c) 0,8.
d) 80.
e) 0,08.
Questão 57)
Ao colocar um pouco de açúcar na água e
mexer até a obtenção de uma só fase, prepara-se
uma solução. O mesmo acontece ao se adicionar
um pouquinho de sal à água e misturar bera. Uma
substância capaz de dissolver o soluto é
denominada solvente; por exemplo, a água é um
solvente para o açúcar, para o sal e para várias
outras substâncias. A figura a seguir ilustra essa
citação.
Disponível em: www.sobiologia.com.br. Acesso
em: 27 abr. 2010.
Suponha que uma pessoa, para adoçar seu
cafezinho, tenha utilizado 3,42 g de sacarose
(massa molar igual a 342 g/mol) para uma xícara
de 50 m do líquido. Qual é a concentração final,
em mol/ , de sacarose nesse cafezinho?
a) 0,02
b) 0,2
c) 2
d) 200
e) 2000
Questão 58)
Observe a tabela abaixo:
Obs.: Os parâmetros do Ministério da Saúde têm
como referência os da Organização Mundial da
Saúde, daí a semelhança.
A tabela completa dos parâmetros pode ser encontrada na Internet, no
endereço eletrônico:
http://www.ambiental-lab.com.br/tabl. html
A Tabela de Parâmetros de Potabilidade nos
informa as concentrações máximas permitidas de
coliformes fecais (bactérias normalmente
encontradas no intestino de animais de sangue
quente, como o homem), de chumbo e de
mercúrio na água para que ela seja considerada
potável. Isso significa dizer que a água extraída de
uma determinada fonte que apresenta 0,10 mg de
chumbo em cada 2 litros de água é considerada
potável. Isso porque a concentração desse metal
nessa água continua sendo de 0,05 mg/l.
Sabendo disso, e de posse dos valores expressos
na tabela, avalie se a água de um determinado
poço que apresenta 0,10 mg de chumbo e 0,010
mg de mercúrio dissolvidos em 5 litros dessa água
pode ser considerada adequada ao consumo
humano (potável).
a) A água desse poço é potável porque a
concentração de chumbo e de mercúrio está
abaixo de 0,001 mg/L para ambos os metais.
b) Essa água não é potável porque o nível de
chumbo está acima de 0,05 mg/l.
c) A água não é potável, pois, apesar de a
concentração de chumbo ser considerada inferior
ao limite máximo aceitável, a concentração de
mercúrio é o dobro do limite máximo
recomendado.
d) A água é potável porque apresenta nível zero de
coliformes fecais e concentração muito inferior
aos valores apresentados na tabela para ambos os
metais.
e) A água desse poço não é potável porque
apresenta níveis de chumbo e coliformes fecais
muito acima do permitido.
Questão 59)
O consumo de gás natural no Brasil registrou novo
recorde histórico no mês de janeiro de 2014. De
acordo com o levantamento estatístico feito pela
Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras
de Gás Natural, foram consumidos, em média,
73,3 milhões de metros cúbicos diários.
O consumo recorde de gás natural foi puxado pelo
segmento termelétrico, que utilizou 30,7 milhões
de metros cúbicos por dia, em média, no mês de
maio. Observando a equação a seguir, determine,
aproximadamente, a massa de CO2, em g/hora,
emitida somente pelas termelétricas, segundo
a pesquisa mencionada.
CH4 + 2 O2 → CO2 + 2 H2O ΔH = 810 kJ/mol
Dados: 1 mol = 22,4 L; CH4 = 16 g/mol; CO2 = 44
g/mol.
a) 2,50 · 103 ton
b) 5,25 · 104 g
c) 1,28 · 109 ton
d) 25 · 103 ton
e) 5 · 103 kg
Questão 60)
Os combustíveis fósseis apresentam enxofre
como impureza. Na queima desses combustíveis,
são lançados na atmosfera óxidos de enxofre que,
em determinadas condições, são oxidados e,
em contato com a umidade do ar, transformam-se
em ácido sulfúrico (H2SO4). Este último precipita
sob forma de “chuva ácida”, causando sérios
danos ao meio ambiente.
Esses fenômenos estão representados pelas
equações a seguir.
A massa de ácido sulfúrico formada com a
queima total de 15 kg de carvão, contendo 3,2%
em massa de enxofre, é igual a
Dados: S = 32 g/mol; O = 16 g/mol; H = 1 g/mol.
a) 1,47 kg.
b) 2,94 kg.
c) 4,7 kg.
d) 0,735 kg.
e) 1,32 kg.
Questão 61)
Todos os organismos necessitam de água e
grande parte deles vive em rios, lagos e oceanos.
Os processos biológicos, como respiração e
fotossintese, exercem profunda influência na
química das águas naturais em todo o planeta. O
oxigênio é ator dominante na química e na
bioquímica da hidrosfera. Devido a sua baixa
solubilidade em água (9,0 mg/f a 20°C) a
disponibilidade de oxigênio nos ecossistemas
aquáticos estabelece o limite entre a vida
aeróbica e anaeróbica. Nesse contexto, um
parâmetro chamado Demanda Bioquímica de
Oxigênio (DBO) foi definido para medir a
quantidade de matéria orgânica presente em um
sistema hídrico. A DBO corresponde á massa de
O2 em miligramas necessária para realizar a
oxidação total do carbono orgânico em um litro
de água.
BAIRD, C. Quimica Ambiental. Ed. Bookmam, 2005 (adaptado).
Dados: Massas molares em g/mol: C = 12; H = 1;
O = 16. Suponha que 10 mg de açúcar (fórmula
mínima CH2O e massa molar igual a 30 g/mol) são
dissolvidos em um litro de água; em quanto a
DBO será aumentada?
a) 0,4 mg de O2/litro
b) 1,7 mg de O2/ litro
c) 2,7 mg de O2/ litro
d) 9,4 mg de O2/ litro
e) 10,7 mg de O2/ litro
Questão 62)
A solubilidade de um gás em um líquido
aumenta quando elevamos a pressão do gás sobre
o líquido e também quando reduzimos a
temperatura do líquido. Considere espécies de
peixe que necessitam, para sua sobrevivência, de
elevada taxa de oxigênio dissolvido na água.
Admita quatro lagos, A, B, C e D, com as seguintes
características:
Lago A: altitude H e temperatura T (T > 0°C)
Lago B: altitude 2H e temperatura T
Lago C: altitude H e temperatura 2T
Lago D: altitude 2H e temperatura 2T
Sabe-se que, quanto maior a altitude, menor é a
pressão atmosférica.
Os peixes teriam maior chance de sobrevivência
a) no lago A.
b) no lago B.
c) no lago C.
d) no lago D.
e) indiferentemente em qualquer dos lagos.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Lista de exercícios hidrocarbonetos
Lista de exercícios   hidrocarbonetosLista de exercícios   hidrocarbonetos
Lista de exercícios hidrocarbonetos
Profª Alda Ernestina
 
Quimica SoluçõEs
Quimica SoluçõEsQuimica SoluçõEs
Quimica SoluçõEs
Thiago
 
Cinetica quimica questoes_objetivas[1]
Cinetica quimica questoes_objetivas[1]Cinetica quimica questoes_objetivas[1]
Cinetica quimica questoes_objetivas[1]
Profª Rosana
 
Mercosul textos
Mercosul textosMercosul textos
Mercosul textos
Tadeu Vasconcelos
 
Exercícios de distribuição eletrônica
Exercícios de distribuição eletrônicaExercícios de distribuição eletrônica
Exercícios de distribuição eletrônica
Valquiria R. Nascimento
 
Exercicio de estequiometria
Exercicio de estequiometriaExercicio de estequiometria
Exercicio de estequiometria
Estude Mais
 
27580175 propriedades-gerais-da-materia
27580175 propriedades-gerais-da-materia27580175 propriedades-gerais-da-materia
27580175 propriedades-gerais-da-materia
cristiana Leal
 
Descritores de quimica 3º col
Descritores de quimica   3º colDescritores de quimica   3º col
Descritores de quimica 3º col
Wana Bisinotto
 
Potência e energia
Potência e energiaPotência e energia
Potência e energia
O mundo da FÍSICA
 
Teste chama 2014
Teste chama 2014Teste chama 2014
Termoquímica 2015 exercicios ii unidade
Termoquímica 2015 exercicios ii unidadeTermoquímica 2015 exercicios ii unidade
Termoquímica 2015 exercicios ii unidade
Junior Dou
 
Apostila eja-3-serie-medio-20111
Apostila eja-3-serie-medio-20111Apostila eja-3-serie-medio-20111
Apostila eja-3-serie-medio-20111
Marcia Marcia.Cristina2
 
Gabarito calor e temperatura
Gabarito   calor e temperaturaGabarito   calor e temperatura
Gabarito calor e temperatura
professoraludmila
 
Atividades sobre densidade
Atividades sobre densidadeAtividades sobre densidade
Atividades sobre densidade
Escola Pública/Particular
 
Exercícios átomos
Exercícios átomosExercícios átomos
Exercícios átomos
Regina de Castro
 
atividade de física 1º ano - optica geometrica
atividade de física 1º ano - optica geometricaatividade de física 1º ano - optica geometrica
atividade de física 1º ano - optica geometrica
Luiz Saturno de Lima Saturno
 
Exercicios Fontes de Energia - 5º ano E.F
Exercicios Fontes de Energia - 5º ano E.FExercicios Fontes de Energia - 5º ano E.F
Exercicios Fontes de Energia - 5º ano E.F
Shaieny Leite
 
Interpretação meu abrigo
Interpretação   meu abrigoInterpretação   meu abrigo
Interpretação meu abrigo
Ana Caroline Fagundes Dourado
 
Leis ponderais
Leis ponderais Leis ponderais
Leis ponderais
Escola Modelo de Iguatu
 
Atividade avaliativa calorias nos alimentos
Atividade avaliativa   calorias nos alimentosAtividade avaliativa   calorias nos alimentos
Atividade avaliativa calorias nos alimentos
Escola Pública/Particular
 

Mais procurados (20)

Lista de exercícios hidrocarbonetos
Lista de exercícios   hidrocarbonetosLista de exercícios   hidrocarbonetos
Lista de exercícios hidrocarbonetos
 
Quimica SoluçõEs
Quimica SoluçõEsQuimica SoluçõEs
Quimica SoluçõEs
 
Cinetica quimica questoes_objetivas[1]
Cinetica quimica questoes_objetivas[1]Cinetica quimica questoes_objetivas[1]
Cinetica quimica questoes_objetivas[1]
 
Mercosul textos
Mercosul textosMercosul textos
Mercosul textos
 
Exercícios de distribuição eletrônica
Exercícios de distribuição eletrônicaExercícios de distribuição eletrônica
Exercícios de distribuição eletrônica
 
Exercicio de estequiometria
Exercicio de estequiometriaExercicio de estequiometria
Exercicio de estequiometria
 
27580175 propriedades-gerais-da-materia
27580175 propriedades-gerais-da-materia27580175 propriedades-gerais-da-materia
27580175 propriedades-gerais-da-materia
 
Descritores de quimica 3º col
Descritores de quimica   3º colDescritores de quimica   3º col
Descritores de quimica 3º col
 
Potência e energia
Potência e energiaPotência e energia
Potência e energia
 
Teste chama 2014
Teste chama 2014Teste chama 2014
Teste chama 2014
 
Termoquímica 2015 exercicios ii unidade
Termoquímica 2015 exercicios ii unidadeTermoquímica 2015 exercicios ii unidade
Termoquímica 2015 exercicios ii unidade
 
Apostila eja-3-serie-medio-20111
Apostila eja-3-serie-medio-20111Apostila eja-3-serie-medio-20111
Apostila eja-3-serie-medio-20111
 
Gabarito calor e temperatura
Gabarito   calor e temperaturaGabarito   calor e temperatura
Gabarito calor e temperatura
 
Atividades sobre densidade
Atividades sobre densidadeAtividades sobre densidade
Atividades sobre densidade
 
Exercícios átomos
Exercícios átomosExercícios átomos
Exercícios átomos
 
atividade de física 1º ano - optica geometrica
atividade de física 1º ano - optica geometricaatividade de física 1º ano - optica geometrica
atividade de física 1º ano - optica geometrica
 
Exercicios Fontes de Energia - 5º ano E.F
Exercicios Fontes de Energia - 5º ano E.FExercicios Fontes de Energia - 5º ano E.F
Exercicios Fontes de Energia - 5º ano E.F
 
Interpretação meu abrigo
Interpretação   meu abrigoInterpretação   meu abrigo
Interpretação meu abrigo
 
Leis ponderais
Leis ponderais Leis ponderais
Leis ponderais
 
Atividade avaliativa calorias nos alimentos
Atividade avaliativa   calorias nos alimentosAtividade avaliativa   calorias nos alimentos
Atividade avaliativa calorias nos alimentos
 

Destaque

3º simulado ENEM (sábado)- Gabarito comentado
3º simulado ENEM (sábado)- Gabarito comentado3º simulado ENEM (sábado)- Gabarito comentado
3º simulado ENEM (sábado)- Gabarito comentado
emanuel
 
1°S_Aula 2 _origem da célula_ fev-2014
1°S_Aula 2 _origem da célula_ fev-2014 1°S_Aula 2 _origem da célula_ fev-2014
1°S_Aula 2 _origem da célula_ fev-2014
Ionara Urrutia Moura
 
Nomenclatura de hidrocarbonetos ramificados
Nomenclatura de hidrocarbonetos ramificadosNomenclatura de hidrocarbonetos ramificados
Nomenclatura de hidrocarbonetos ramificados
Igor Tunes
 
Solubilidade e soluções químicas
Solubilidade e soluções químicasSolubilidade e soluções químicas
Solubilidade e soluções químicas
Hebertty Dantas
 
1 origem da vida 2010
1 origem da vida 20101 origem da vida 2010
1 origem da vida 2010
Anderson Bento Matias
 
Fisica 1 exercicios gabarito 22
Fisica 1 exercicios gabarito 22Fisica 1 exercicios gabarito 22
Fisica 1 exercicios gabarito 22
comentada
 
Como montar um pca posto de bastecimento
Como montar um pca   posto de bastecimentoComo montar um pca   posto de bastecimento
Como montar um pca posto de bastecimento
KATIA ARAUJO
 
Transmissão de rádio terrestre e por satélite
Transmissão de rádio terrestre e por satéliteTransmissão de rádio terrestre e por satélite
Transmissão de rádio terrestre e por satélite
Márcio Bortolini dos Santos
 
Aula 03 elasticidade e suas aplicações
Aula 03   elasticidade e suas aplicaçõesAula 03   elasticidade e suas aplicações
Aula 03 elasticidade e suas aplicações
petecoslides
 
Quim03 livro-propostos
Quim03 livro-propostosQuim03 livro-propostos
Quim03 livro-propostos
eduardo
 
Comentarios simulado sas-enem-1o_dia_2013
Comentarios simulado sas-enem-1o_dia_2013Comentarios simulado sas-enem-1o_dia_2013
Comentarios simulado sas-enem-1o_dia_2013
Isaquel Silva
 
Exercicios 3º 1ºb com respostas
Exercicios 3º   1ºb com respostasExercicios 3º   1ºb com respostas
Exercicios 3º 1ºb com respostas
blogprofbento
 
Lista qui-1-geral-fenomenosmudancafases
Lista qui-1-geral-fenomenosmudancafasesLista qui-1-geral-fenomenosmudancafases
Lista qui-1-geral-fenomenosmudancafases
Hebertty Dantas
 
Cálculos de concentração
Cálculos de concentraçãoCálculos de concentração
Cálculos de concentração
Joanna de Paoli
 
Aula 2 - Microeconomia - Economia de Sociedades Cooperativas
Aula 2  - Microeconomia - Economia de Sociedades CooperativasAula 2  - Microeconomia - Economia de Sociedades Cooperativas
Aula 2 - Microeconomia - Economia de Sociedades Cooperativas
Erick Cotta
 
MicroEconomia
MicroEconomiaMicroEconomia
MicroEconomia
Renan Stoffel
 
Questao energia e_trabalho
Questao energia e_trabalhoQuestao energia e_trabalho
Questao energia e_trabalho
Betine Rost
 
Apostila-calculos-1-pdf
Apostila-calculos-1-pdfApostila-calculos-1-pdf
Apostila-calculos-1-pdf
Fernanda Camargo
 
Fisica tópico 1 – termologia
Fisica tópico 1 – termologiaFisica tópico 1 – termologia
Fisica tópico 1 – termologia
comentada
 
Gabarito das questões de Termologia - 2º Ano
Gabarito das questões de Termologia - 2º AnoGabarito das questões de Termologia - 2º Ano
Gabarito das questões de Termologia - 2º Ano
Edson Marcos Silva
 

Destaque (20)

3º simulado ENEM (sábado)- Gabarito comentado
3º simulado ENEM (sábado)- Gabarito comentado3º simulado ENEM (sábado)- Gabarito comentado
3º simulado ENEM (sábado)- Gabarito comentado
 
1°S_Aula 2 _origem da célula_ fev-2014
1°S_Aula 2 _origem da célula_ fev-2014 1°S_Aula 2 _origem da célula_ fev-2014
1°S_Aula 2 _origem da célula_ fev-2014
 
Nomenclatura de hidrocarbonetos ramificados
Nomenclatura de hidrocarbonetos ramificadosNomenclatura de hidrocarbonetos ramificados
Nomenclatura de hidrocarbonetos ramificados
 
Solubilidade e soluções químicas
Solubilidade e soluções químicasSolubilidade e soluções químicas
Solubilidade e soluções químicas
 
1 origem da vida 2010
1 origem da vida 20101 origem da vida 2010
1 origem da vida 2010
 
Fisica 1 exercicios gabarito 22
Fisica 1 exercicios gabarito 22Fisica 1 exercicios gabarito 22
Fisica 1 exercicios gabarito 22
 
Como montar um pca posto de bastecimento
Como montar um pca   posto de bastecimentoComo montar um pca   posto de bastecimento
Como montar um pca posto de bastecimento
 
Transmissão de rádio terrestre e por satélite
Transmissão de rádio terrestre e por satéliteTransmissão de rádio terrestre e por satélite
Transmissão de rádio terrestre e por satélite
 
Aula 03 elasticidade e suas aplicações
Aula 03   elasticidade e suas aplicaçõesAula 03   elasticidade e suas aplicações
Aula 03 elasticidade e suas aplicações
 
Quim03 livro-propostos
Quim03 livro-propostosQuim03 livro-propostos
Quim03 livro-propostos
 
Comentarios simulado sas-enem-1o_dia_2013
Comentarios simulado sas-enem-1o_dia_2013Comentarios simulado sas-enem-1o_dia_2013
Comentarios simulado sas-enem-1o_dia_2013
 
Exercicios 3º 1ºb com respostas
Exercicios 3º   1ºb com respostasExercicios 3º   1ºb com respostas
Exercicios 3º 1ºb com respostas
 
Lista qui-1-geral-fenomenosmudancafases
Lista qui-1-geral-fenomenosmudancafasesLista qui-1-geral-fenomenosmudancafases
Lista qui-1-geral-fenomenosmudancafases
 
Cálculos de concentração
Cálculos de concentraçãoCálculos de concentração
Cálculos de concentração
 
Aula 2 - Microeconomia - Economia de Sociedades Cooperativas
Aula 2  - Microeconomia - Economia de Sociedades CooperativasAula 2  - Microeconomia - Economia de Sociedades Cooperativas
Aula 2 - Microeconomia - Economia de Sociedades Cooperativas
 
MicroEconomia
MicroEconomiaMicroEconomia
MicroEconomia
 
Questao energia e_trabalho
Questao energia e_trabalhoQuestao energia e_trabalho
Questao energia e_trabalho
 
Apostila-calculos-1-pdf
Apostila-calculos-1-pdfApostila-calculos-1-pdf
Apostila-calculos-1-pdf
 
Fisica tópico 1 – termologia
Fisica tópico 1 – termologiaFisica tópico 1 – termologia
Fisica tópico 1 – termologia
 
Gabarito das questões de Termologia - 2º Ano
Gabarito das questões de Termologia - 2º AnoGabarito das questões de Termologia - 2º Ano
Gabarito das questões de Termologia - 2º Ano
 

Semelhante a Lista de Exercícios: Solucões

Plantão de química
Plantão de químicaPlantão de química
Plantão de química
bloggerquimica
 
Cálculo Ezquiziométrico
 Cálculo Ezquiziométrico Cálculo Ezquiziométrico
Cálculo Ezquiziométrico
Captando
 
Estudos2
Estudos2Estudos2
CINÉTICA QUIMICA REVISÃO
CINÉTICA QUIMICA REVISÃOCINÉTICA QUIMICA REVISÃO
CINÉTICA QUIMICA REVISÃO
Fábio Oisiovici
 
Questões revisão - Prova
Questões revisão - ProvaQuestões revisão - Prova
Questões revisão - Prova
Rodrigo Sampaio
 
Reações orgânicas bahiana revisão
Reações orgânicas bahiana revisãoReações orgânicas bahiana revisão
Reações orgânicas bahiana revisão
Fábio Oisiovici
 
Questões gerais de química_2º ano
Questões gerais de química_2º anoQuestões gerais de química_2º ano
Questões gerais de química_2º ano
Escola Pública/Particular
 
Lista de Exercícios: Concentração de Soluções
Lista de Exercícios: Concentração de SoluçõesLista de Exercícios: Concentração de Soluções
Lista de Exercícios: Concentração de Soluções
Hebertty Dantas
 
Estudos independentes2
Estudos independentes2Estudos independentes2
Estudos independentes2
Escola Pública/Particular
 
Exercícios de R1 - 2ª série
Exercícios de R1 - 2ª sérieExercícios de R1 - 2ª série
Exercícios de R1 - 2ª série
V
 
Cálculo estequiométricos
Cálculo estequiométricosCálculo estequiométricos
Cálculo estequiométricos
Rogeria Gregio
 
Reacoes org ii
Reacoes org iiReacoes org ii
Reacoes org ii
Nayonara Karolynne
 
Proprieda coligat
Proprieda coligatProprieda coligat
Proprieda coligat
Brito Ronaldo
 
Lista estudo - Terceiro COC - 3 UNIDADE
Lista estudo - Terceiro COC - 3 UNIDADELista estudo - Terceiro COC - 3 UNIDADE
Lista estudo - Terceiro COC - 3 UNIDADE
Rodrigo Sampaio
 
Ap 15
Ap 15Ap 15
2º ano
2º ano2º ano
Cálculos químicos
Cálculos químicosCálculos químicos
Cálculos químicos
Kaleb Reis
 
Exame de-quimica-up -2009
Exame de-quimica-up -2009Exame de-quimica-up -2009
Exame de-quimica-up -2009
Antonio Matusse
 
Avaliacao parcial sobre efeitos coligativos 2018
Avaliacao parcial sobre efeitos coligativos  2018Avaliacao parcial sobre efeitos coligativos  2018
Avaliacao parcial sobre efeitos coligativos 2018
Clebson Ramos
 
Recuperação 2º ano 1º bim
Recuperação 2º ano 1º bimRecuperação 2º ano 1º bim
Recuperação 2º ano 1º bim
blogprofbento
 

Semelhante a Lista de Exercícios: Solucões (20)

Plantão de química
Plantão de químicaPlantão de química
Plantão de química
 
Cálculo Ezquiziométrico
 Cálculo Ezquiziométrico Cálculo Ezquiziométrico
Cálculo Ezquiziométrico
 
Estudos2
Estudos2Estudos2
Estudos2
 
CINÉTICA QUIMICA REVISÃO
CINÉTICA QUIMICA REVISÃOCINÉTICA QUIMICA REVISÃO
CINÉTICA QUIMICA REVISÃO
 
Questões revisão - Prova
Questões revisão - ProvaQuestões revisão - Prova
Questões revisão - Prova
 
Reações orgânicas bahiana revisão
Reações orgânicas bahiana revisãoReações orgânicas bahiana revisão
Reações orgânicas bahiana revisão
 
Questões gerais de química_2º ano
Questões gerais de química_2º anoQuestões gerais de química_2º ano
Questões gerais de química_2º ano
 
Lista de Exercícios: Concentração de Soluções
Lista de Exercícios: Concentração de SoluçõesLista de Exercícios: Concentração de Soluções
Lista de Exercícios: Concentração de Soluções
 
Estudos independentes2
Estudos independentes2Estudos independentes2
Estudos independentes2
 
Exercícios de R1 - 2ª série
Exercícios de R1 - 2ª sérieExercícios de R1 - 2ª série
Exercícios de R1 - 2ª série
 
Cálculo estequiométricos
Cálculo estequiométricosCálculo estequiométricos
Cálculo estequiométricos
 
Reacoes org ii
Reacoes org iiReacoes org ii
Reacoes org ii
 
Proprieda coligat
Proprieda coligatProprieda coligat
Proprieda coligat
 
Lista estudo - Terceiro COC - 3 UNIDADE
Lista estudo - Terceiro COC - 3 UNIDADELista estudo - Terceiro COC - 3 UNIDADE
Lista estudo - Terceiro COC - 3 UNIDADE
 
Ap 15
Ap 15Ap 15
Ap 15
 
2º ano
2º ano2º ano
2º ano
 
Cálculos químicos
Cálculos químicosCálculos químicos
Cálculos químicos
 
Exame de-quimica-up -2009
Exame de-quimica-up -2009Exame de-quimica-up -2009
Exame de-quimica-up -2009
 
Avaliacao parcial sobre efeitos coligativos 2018
Avaliacao parcial sobre efeitos coligativos  2018Avaliacao parcial sobre efeitos coligativos  2018
Avaliacao parcial sobre efeitos coligativos 2018
 
Recuperação 2º ano 1º bim
Recuperação 2º ano 1º bimRecuperação 2º ano 1º bim
Recuperação 2º ano 1º bim
 

Mais de Hebertty Dantas

Diagrama de fases e Pressao de vapor
Diagrama de fases e Pressao de vaporDiagrama de fases e Pressao de vapor
Diagrama de fases e Pressao de vapor
Hebertty Dantas
 
Gabarito SAS: L3. Quí1. Aula 11
Gabarito SAS: L3. Quí1. Aula 11Gabarito SAS: L3. Quí1. Aula 11
Gabarito SAS: L3. Quí1. Aula 11
Hebertty Dantas
 
Gabarito SAS: L3. Quí1. Aula 10
Gabarito SAS: L3. Quí1. Aula 10Gabarito SAS: L3. Quí1. Aula 10
Gabarito SAS: L3. Quí1. Aula 10
Hebertty Dantas
 
Forca e Nomenclatura dos Ácidos
Forca e Nomenclatura dos ÁcidosForca e Nomenclatura dos Ácidos
Forca e Nomenclatura dos Ácidos
Hebertty Dantas
 
Lista de Exercícios: Distribuição Eletrônica e Tabela Periódica
Lista de Exercícios: Distribuição Eletrônica e Tabela PeriódicaLista de Exercícios: Distribuição Eletrônica e Tabela Periódica
Lista de Exercícios: Distribuição Eletrônica e Tabela Periódica
Hebertty Dantas
 
Gabarito SAS: L3. Quí1. Aula 09
Gabarito SAS: L3. Quí1. Aula 09Gabarito SAS: L3. Quí1. Aula 09
Gabarito SAS: L3. Quí1. Aula 09
Hebertty Dantas
 
Gabarito SAS: L2. Quí1. Aula 08
Gabarito SAS: L2. Quí1. Aula 08Gabarito SAS: L2. Quí1. Aula 08
Gabarito SAS: L2. Quí1. Aula 08
Hebertty Dantas
 
Teorias Ácido-Bases
Teorias Ácido-BasesTeorias Ácido-Bases
Teorias Ácido-Bases
Hebertty Dantas
 
Gabarito SAS: L2. Quí3. Aula 08
Gabarito SAS: L2. Quí3. Aula 08Gabarito SAS: L2. Quí3. Aula 08
Gabarito SAS: L2. Quí3. Aula 08
Hebertty Dantas
 
Gabarito SAS: L2. Quí3. Aula 07
Gabarito SAS: L2. Quí3. Aula 07Gabarito SAS: L2. Quí3. Aula 07
Gabarito SAS: L2. Quí3. Aula 07
Hebertty Dantas
 
Gabarito SAS: L2. Quí3. Aula 06
Gabarito SAS: L2. Quí3. Aula 06Gabarito SAS: L2. Quí3. Aula 06
Gabarito SAS: L2. Quí3. Aula 06
Hebertty Dantas
 
Gabarito SAS: L2. Quí3. Aula 05
Gabarito SAS: L2. Quí3. Aula 05Gabarito SAS: L2. Quí3. Aula 05
Gabarito SAS: L2. Quí3. Aula 05
Hebertty Dantas
 
Técnicas de Balanceamentos de Equações Químicas
Técnicas de Balanceamentos de Equações QuímicasTécnicas de Balanceamentos de Equações Químicas
Técnicas de Balanceamentos de Equações Químicas
Hebertty Dantas
 
Gabarito SAS: L2. qui1. aula 07
Gabarito SAS: L2. qui1. aula 07Gabarito SAS: L2. qui1. aula 07
Gabarito SAS: L2. qui1. aula 07
Hebertty Dantas
 
Gabarito SAS: L2. qui1. aula 06
Gabarito SAS: L2. qui1. aula 06Gabarito SAS: L2. qui1. aula 06
Gabarito SAS: L2. qui1. aula 06
Hebertty Dantas
 
Nox, Oxidação e Redução
Nox, Oxidação e ReduçãoNox, Oxidação e Redução
Nox, Oxidação e Redução
Hebertty Dantas
 
Gabarito: L2. Quí 1. Aulas 05
Gabarito: L2. Quí 1. Aulas 05Gabarito: L2. Quí 1. Aulas 05
Gabarito: L2. Quí 1. Aulas 05
Hebertty Dantas
 
Gabarito: L1. Quí 1. Aulas 04
Gabarito: L1. Quí 1. Aulas 04Gabarito: L1. Quí 1. Aulas 04
Gabarito: L1. Quí 1. Aulas 04
Hebertty Dantas
 
Lista de Exercícios de Atomística
Lista de Exercícios de AtomísticaLista de Exercícios de Atomística
Lista de Exercícios de Atomística
Hebertty Dantas
 
Gabarito. L1. quí 3. aulas 01-04
Gabarito. L1. quí 3. aulas 01-04Gabarito. L1. quí 3. aulas 01-04
Gabarito. L1. quí 3. aulas 01-04
Hebertty Dantas
 

Mais de Hebertty Dantas (20)

Diagrama de fases e Pressao de vapor
Diagrama de fases e Pressao de vaporDiagrama de fases e Pressao de vapor
Diagrama de fases e Pressao de vapor
 
Gabarito SAS: L3. Quí1. Aula 11
Gabarito SAS: L3. Quí1. Aula 11Gabarito SAS: L3. Quí1. Aula 11
Gabarito SAS: L3. Quí1. Aula 11
 
Gabarito SAS: L3. Quí1. Aula 10
Gabarito SAS: L3. Quí1. Aula 10Gabarito SAS: L3. Quí1. Aula 10
Gabarito SAS: L3. Quí1. Aula 10
 
Forca e Nomenclatura dos Ácidos
Forca e Nomenclatura dos ÁcidosForca e Nomenclatura dos Ácidos
Forca e Nomenclatura dos Ácidos
 
Lista de Exercícios: Distribuição Eletrônica e Tabela Periódica
Lista de Exercícios: Distribuição Eletrônica e Tabela PeriódicaLista de Exercícios: Distribuição Eletrônica e Tabela Periódica
Lista de Exercícios: Distribuição Eletrônica e Tabela Periódica
 
Gabarito SAS: L3. Quí1. Aula 09
Gabarito SAS: L3. Quí1. Aula 09Gabarito SAS: L3. Quí1. Aula 09
Gabarito SAS: L3. Quí1. Aula 09
 
Gabarito SAS: L2. Quí1. Aula 08
Gabarito SAS: L2. Quí1. Aula 08Gabarito SAS: L2. Quí1. Aula 08
Gabarito SAS: L2. Quí1. Aula 08
 
Teorias Ácido-Bases
Teorias Ácido-BasesTeorias Ácido-Bases
Teorias Ácido-Bases
 
Gabarito SAS: L2. Quí3. Aula 08
Gabarito SAS: L2. Quí3. Aula 08Gabarito SAS: L2. Quí3. Aula 08
Gabarito SAS: L2. Quí3. Aula 08
 
Gabarito SAS: L2. Quí3. Aula 07
Gabarito SAS: L2. Quí3. Aula 07Gabarito SAS: L2. Quí3. Aula 07
Gabarito SAS: L2. Quí3. Aula 07
 
Gabarito SAS: L2. Quí3. Aula 06
Gabarito SAS: L2. Quí3. Aula 06Gabarito SAS: L2. Quí3. Aula 06
Gabarito SAS: L2. Quí3. Aula 06
 
Gabarito SAS: L2. Quí3. Aula 05
Gabarito SAS: L2. Quí3. Aula 05Gabarito SAS: L2. Quí3. Aula 05
Gabarito SAS: L2. Quí3. Aula 05
 
Técnicas de Balanceamentos de Equações Químicas
Técnicas de Balanceamentos de Equações QuímicasTécnicas de Balanceamentos de Equações Químicas
Técnicas de Balanceamentos de Equações Químicas
 
Gabarito SAS: L2. qui1. aula 07
Gabarito SAS: L2. qui1. aula 07Gabarito SAS: L2. qui1. aula 07
Gabarito SAS: L2. qui1. aula 07
 
Gabarito SAS: L2. qui1. aula 06
Gabarito SAS: L2. qui1. aula 06Gabarito SAS: L2. qui1. aula 06
Gabarito SAS: L2. qui1. aula 06
 
Nox, Oxidação e Redução
Nox, Oxidação e ReduçãoNox, Oxidação e Redução
Nox, Oxidação e Redução
 
Gabarito: L2. Quí 1. Aulas 05
Gabarito: L2. Quí 1. Aulas 05Gabarito: L2. Quí 1. Aulas 05
Gabarito: L2. Quí 1. Aulas 05
 
Gabarito: L1. Quí 1. Aulas 04
Gabarito: L1. Quí 1. Aulas 04Gabarito: L1. Quí 1. Aulas 04
Gabarito: L1. Quí 1. Aulas 04
 
Lista de Exercícios de Atomística
Lista de Exercícios de AtomísticaLista de Exercícios de Atomística
Lista de Exercícios de Atomística
 
Gabarito. L1. quí 3. aulas 01-04
Gabarito. L1. quí 3. aulas 01-04Gabarito. L1. quí 3. aulas 01-04
Gabarito. L1. quí 3. aulas 01-04
 

Último

Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Biblioteca UCS
 
LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptxLIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
WelidaFreitas1
 
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Mary Alvarenga
 
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdfCADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
NatySousa3
 
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdfCaderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
carlaslr1
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
ValdineyRodriguesBez1
 
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manualUFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
Manuais Formação
 
Acróstico - Reciclar é preciso
Acróstico   -  Reciclar é preciso Acróstico   -  Reciclar é preciso
Acróstico - Reciclar é preciso
Mary Alvarenga
 
os-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdf
os-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdfos-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdf
os-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdf
GiselaAlves15
 
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdfiNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
andressacastro36
 
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdfEspecialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
DanielCastro80471
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
PROPOSTA CURRICULAR EDUCACAO FISICA.docx
PROPOSTA CURRICULAR  EDUCACAO FISICA.docxPROPOSTA CURRICULAR  EDUCACAO FISICA.docx
PROPOSTA CURRICULAR EDUCACAO FISICA.docx
Escola Municipal Jesus Cristo
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
MateusTavares54
 
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
1000a
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 
Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...
Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...
Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...
Luana Neres
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
RenanSilva991968
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 

Último (20)

Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
 
LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptxLIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
 
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
 
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdfCADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
 
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdfCaderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
 
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manualUFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
 
Acróstico - Reciclar é preciso
Acróstico   -  Reciclar é preciso Acróstico   -  Reciclar é preciso
Acróstico - Reciclar é preciso
 
os-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdf
os-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdfos-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdf
os-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdf
 
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdfiNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
 
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdfEspecialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
PROPOSTA CURRICULAR EDUCACAO FISICA.docx
PROPOSTA CURRICULAR  EDUCACAO FISICA.docxPROPOSTA CURRICULAR  EDUCACAO FISICA.docx
PROPOSTA CURRICULAR EDUCACAO FISICA.docx
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
 
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 
Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...
Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...
Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 

Lista de Exercícios: Solucões

  • 1. Questão 1) A um erlenmeyer x contendo solução aquosa de (ácido forte), de concentração 0,08 mol L–1, foi adicionada gradualmente uma solução aquosa de NaOH (base forte), de concentração 0,10 mol L– 1, com o auxílio de uma bureta. O gráfico que fornece as concentrações das diferentes espécies, durante essa titulação, é: a) b) c) d) e) Questão 2) Considere a reação representada pela equação a seguir. 2 NO₂(g) ⇆N₂O₄(g) O gás NO₂ é um gás de coloração castanho- avermelhado enquanto que seu dímero N₂O₄, um gás incolor. Em um determinado cilindro, adicionou-se quantidades de gases até que se obteve 1 atm de NO2 e 1 atm de N₂O₄. Considerando que o Kp dessa reação seja de 2 na temperatura do experimento, assinale a alternativa correta. a) Não é observada alteração na coloração da mistura. b) A mistura aumenta a intensidade da coloração castanha.
  • 2. c) A mistura diminui a intensidade da coloração castanha. d) Não é possível prever o que vai ocorrer com a intensidade da coloração dos gases porque não é possível calcular os valores de concentração. e) Não é possível prever o que vai ocorrer com a intensidade da coloração dos gases porque não foi fornecida a temperatura. Questão 3) Para determinar a concentração de uma solução de nitrato de prata (AgNO₃), separou-se uma amostra de 1 L dessa solução e adicionou-se cloreto de sódio (NaCℓ) até o instante em que se observou a formação de um precipitado. Sabendo- se que foram adicionados 1,17 μg de cloreto de sódio, assinale a alternativa que apresenta a concentração (10 ̄ ³ mol/L) da solução de nitrato de prata. Dados: 1 μg = 10 ̄ ⁶ g; Kps do AgCℓ= 1,8 · 10 ̄ ¹º ; Massa molar do NaCℓ = 58,5 g/mol. a) 2 b) 2,5 c) 3 d) 6 e) 9 Questão 4) O tetróxido de dinitrogênio dissocia-se segundo a reação: Partindo de 1 mol de N₂O₄ em um recipiente de 20 L, qual a constante de equilíbrio (Kc), admitindo que o grau de dissociação é 20%? a) 100 b) 10 c) 0,1 d) 10⁻² Questão 5) Um aluno, na aula de laboratório de Química, utilizou 0,2 L de solução 24,0 g/L de hidróxido de sódio e misturou a 1,3 L de solução 2,08 g/L de mesmo soluto. A solução obtida é, então, diluída até um volume final de 2,5 L. A concentração, em g/L, da solução, após a diluição, é, aproximadamente, igual a a) 26,0. b) 13,0. c) 5,0. d) 4,0. e) 3,0. Questão 6) A frutose, conhecida como açúcar para diabéticos, tem maior poder de adoçar e é menos densa. Após o preparo de um suco da polpa do café, verificou-se que 200 mL da solução obtida continha 58 mg de frutose. A concentração dessa substância no café preparado é de a) 0,29 g/L. b) 2,9 g/L.
  • 3. c) 0,029 g/L. d) 290 g/L. e) 0,58 g/L. Questão 7) O etanol, composto orgânico de fórmula molecular C2H5OH, pertence à classe dos alcoóis. Ele não é encontrado espontaneamente na natureza, podendo ser obtido por diferentes processos a partir de diversas fontes. No Brasil, a biomassa é a fonte de maior significância, na qual se destaca a cana-de-açúcar (sacarose) como matéria-prima. Nesse procedimento, utiliza-se a fermentação alcoólica como base na produção de etanol. A obtenção do álcool etílico hidratado, a partir da cana-de-açúcar, pode ser representada pelo esquema a seguir. Em I e IV, que envolvem processos de fracionamento, são realizadas, respectivamente: a) filtração e destilação. b) destilação e decantação. c) filtração e decantação. d) destilação e filtração. e) decantação e decantação. Questão 8) Um aluno de Química resolveu produzir gás amônia. Foram adicionados 4,5 g de gás hidrogênio a 31,5 g de gás nitrogênio originando- se 25,5 g de amônia, sobrando ainda nitrogênio que não reagiu. Para se obter 85 g de amônia, a quantidade de hidrogênio e de nitrogênio necessária é, respectivamente: a) 15,0 g e 70,0 g. b) 10,6 g e 74,4 g. c) 13,5 g e 71,5 g. d) 1,5 g e 83,5 g. e) 40,0 g e 45,0 g. Questão 9) Em uma aula de laboratório, foi dissolvido cloreto de sódio (NaCl) em água. Em seguida, foi mergulhado um pedaço de madeira na solução, esperando secar. Ao queimá-lo, apareceu uma chama amarela. Esse fenômeno ocorreu porque: a) o calor transferiu energia aos elétrons dessa substância, fazendo com que eles se deslocassem para níveis energéticos mais altos, emitindo luz. b) o calor transferiu energia aos elétrons dessa substância, fazendo com que eles se deslocassem para níveis energéticos mais baixos, emitindo luz. c) o calor transferiu energia aos elétrons dessa substância, fazendo com que eles se deslocassem para níveis energéticos mais altos. Quando esses
  • 4. elétrons excitados voltam a níveis energéticos inferiores, eles devolvem a energia absorvida sob forma de luz. d) Para não se destacarem do seu nível energético, os elétrons, ao receberem calor, emitem luz. e) os elétrons são liberados do núcleo, liberando energia eletromagnética. Questão 10) O fogo é resultante de uma reação de combustão e, para que ocorra, é necessário o contato de uma substância, o combustível, com outra, o comburente, que normalmente é o oxigênio do ar. Dos processos utilizados para combater incêndios listados a seguir, assinale o que corresponde a uma mudança química. a) Resfriamento para absorver o calor de combustão. b) Abafamento para isolar o combustível. c) Neutralização de substâncias intermediárias que realimentam a combustão. d) Supressão do combustível pela retirada deste. e) Redução da concentração do comburente. Questão 11) Fluoroquinolonas constituem uma classe de antibióticos capazes de combater diferentes tipos de bactérias. A norfloxacina, a esparfloxacina e a levofloxacina são alguns dos membros da família das fluoroquinolonas. De acordo com as informações anteriores, é correto afirmar que: a) a norfloxacina apresenta um grupo funcional amida em sua estrutura. b) a norfloxacina e a esparfloxacina apresentam os grupos funcionais amina e ácido carboxílico em comum. c) a esparfloxacina apresenta cadeia carbônica saturada. d) a norfloxacina e a levofloxacina apresentam grupo funcional éter. e) a levofloxacina não apresenta anel aromático. Questão 12) A cana-de-açúcar é a principal matéria-prima para a indústria sucroalcooleira brasileira. A agroindústria da cana envolve etapas, como: produção e abastecimento da indústria com matéria-prima; gerenciamento dos insumos, resíduos, subprodutos e da versatilidade da produção de açúcar ou álcool; armazenamento e comercialização dos produtos finais. Essas etapas devem ser executadas com o emprego de técnicas eficientes de gerenciamento. A obtenção do álcool etílico hidratado, a partir da cana-de-açúcar, pode ser representada pelo esquema a seguir:
  • 5. Os processos de fracionamento que envolvem, respectivamente, I e IV são: a) filtração e decantação. b) destilação e decantação. c) destilação e filtração. d) evaporação e destilação fracionada. e) filtração e destilação. Questão 13) Uma reação de titulação foi realizada para determinar a fórmula molecular de um ácido carboxílico. O experimento foi realizado conforme as etapas a seguir: • Etapa 1: 0,074 g do ácido carboxílico foi dissolvido em 100 mL de água destilada; • Etapa 2: foram adicionadas 20 gotas de uma solução alcoólica de fenolftaleína 1% m/v; • Etapa 3: foram gastos 100 mL de solução 0,005 mol/L de hidróxido de cálcio até o ponto de mudança de cor do indicador. Com base nos dados do experimento, a fórmula molecular do ácido em análise é Note e adote: Massas molares (g/mol): H = 1; C = 12; O = 16. a) C2H4O2. b) C3H6O2. c) C4H8O2. d) C5H10O2. e) C6H12O2. Questão 14) O ARLA 32 (Agente Redutor Líquido Automotivo) é um reagente químico à base de ureia de alta pureza, projetado especificamente para uso em sistemas SCR (Redução Catalítica Seletiva) para reduzir as emissões de NOx. Ele é incolor, estável e não inflamável. As matérias-primas utilizadas para produzir o ARLA 32 incluem gás natural, carvão ou outros produtos derivados do petróleo. O ARLA 32 (densidade de 1,1 g/cm3) é preparado combinando-se ureia de alta pureza com água deionizada para criar uma solução a 32,5% m/m. Estudos indicam que o consumo do ARLA 32 será de aproximadamente 5% do consumo do combustível dependendo da operação do veículo, regime de trabalho, aspectos geográficos, capacidade de carga etc. Nessa condição, para cada 50 litros de combustível diesel (densidade de 0,85 g/cm3) queimado, o usuário utilizará 2,5 litros de ARLA 32. Qual a quantidade de ureia consumida, em mol, quando são utilizados 1 200 L de óleo diesel? Note e adote: Massa molar da ureia: 60 g/mol. a) 357,50 b) 339,62
  • 6. c) 325,00 d) 295,45 e) 276,25 Questão 15) O Brasil reduziu a quantia de etanol na gasolina de 25% para 20% em outubro de 2011, devido a uma escassez do biocombustível e a um aumento no preço. Para este ano, no entanto, a indústria de cana afirma ser capaz de atender a uma demanda maior. Assim, em maio de 2013, o percentual de etanol na gasolina passa de 20% para 25%. A mudança foi anunciada no fim de janeiro pelo ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, e publicada no Diário Oficial da União em março. Disponível em: <http://economia.uol.com.br/> Com o objetivo de impulsionar à indústria do etanol e reduzir a importação de gasolina, o governo, a partir de maio de 2013, está possibilitando a venda de gasolina a) mais concentrada devido à adição de etanol. b) mais concentrada devido à retirada de etanol. c) mais diluída devido à adição de etanol. d) mais diluída devido à retirada de etanol. e) com a mesma concentração de outubro de 2011. Questão 16) O cloreto de potássio é um composto inorgânico salino, de fórmula química KCℓ, cujo uso é amplamente difundido no meio médico como repositor de potássio no organismo. Os valores de referência para o potássio sérico no corpo humano encontram-se entre 3,5 mmol/L a 5,0 mmol/L. Esse eletrólito é o íon intracelular mais abundante, sendo essencial em diversos processos fisiológicos, especialmente na transmissão dos impulsos nervosos, promovendo a contração dos músculos. Dados: massa molar: KCℓ = 74,5 g/mol; 1 mmol = 10−3 mol. Na constituição de um medicamento injetável, com uma solução de volume 50 mL, as quantidades mínima e máxima de cloreto de potássio (KCℓ), em miligramas, devem ser, respectivamente, a) 13 · 10−3 e 18,6 · 10−3. b) 0,13 e 0,186. c) 1,3 e 1,86. d) 13 e 18,6. e) 130 e 186. Questão 17) Nas festas e churrascos em família, é costume usar geleiras de isopor para resfriar bebidas enlatadas ou engarrafadas. Para gelar bem, muitas pessoas costumam adicionar sal e/ou álcool à mistura gelo/água. A melhor eficiência mencionadase deve ao fato de que a presença de sal ou álcool a) aumenta a taxa de transferência de calor. b) abaixa a temperatura do gelo. c) aumenta a temperatura de ebulição. d) abaixa a temperatura de fusão.
  • 7. e) abaixa a dissipação de calor para o exterior. Questão 18) Os peixes conseguem absorver o gás oxigênio (O2) dissolvido na água. Em um aquário, podemos manter a quantidade de oxigênio adequada à sobrevivência dos peixes borbulhando ar e controlando a temperatura do sistema. Na natureza, a quantidade adequada de O2 é providenciada pelo próprio ambiente. No entanto, o descaso e o não tratamento das águas utilizadas, tanto nas indústrias como nas nossas casas, é responsável pela introdução de grandes quantidades de resíduos em rios e lagos. Esses resíduos podem reagir com o gás oxigênio ou favorecer o desenvolvimento de bactérias aeróbias que provocam a diminuição da quantidade de oxigênio na água, o que acaba causando uma grande mortandade de peixes. Uma das maneiras de abrandar a ação desses poluentes consiste em manter a água desses rios sob constante e intensa agitação. Dessa maneira, obtém-se maior contato da água com o ar e, consequentemente, uma maior oxigenação dessa água, possibilitando a respiração de peixes e outros seres vivos. Esse método de aeração da água também pode ser utilizado para amenizar os estragos causados pelo despejo de líquidos aquecidos em rios e lagos, pois o aumento de temperatura da água também provoca a diminuição de oxigênio nela dissolvido. Escolha a opção correta. a) O texto nos mostra que a solubilidade do oxigênio na água aumenta com a diminuição da temperatura. b) A Lei de Henry relaciona a diminuição de solubilidade dos gases em água com o aumento da temperatura. c) O efeito Tyndall justifica a diminuição de solubilidade do oxigênio na água, pois afirma que ocorre maior desenvolvimento de bactérias em meios ricos em dejetos orgânicos. d) A superfície de contato da água com o ar só pode aumentar o teor de oxigênio dissolvido durante a noite, pois a agitação das partículas favorece a solubilidade. e) O texto afirma que as indústrias poluem mais as águas que as nossas casas. Questão 19) A humanidade presencia drásticas reduções na quantidade de água potável, pois a sensação de infinitude retardou a tomada de consciência sobre esse problema e desenvolveu, historicamente, uma cultura de uso abusivo dos recursos hídricos. Portanto, o risco do esgotamento desses recursos é iminente e resultante de ações antrópicas como desmatamentos, mineração, esgotos brutos e dejetos provenientes também de fontes orgânicas. Uma das estratégias viáveis para promover a manutenção da qualidade das coleções de águas dulcícolas pode ser representada pela a) adoção de políticas com princípios sustentáveis, entre as quais o tratamento dos esgotos antes de atingirem as coleções hídricas. b) criação de leis e órgãos que reivindiquem o direito coletivo e proíbam a construção de indústrias, o que impediria a contaminação da água.
  • 8. c) conscientização da população sobre a ingestão de água tratada, que é isenta de micro-organismos patogênicos, o que evitaria problemas sociais. d) autodepuração, processo natural por meio do qual as coleções hídricas que recebem carga abusiva de material biodegradável dos esgotos se recuperam totalmente. e) destinação de recursos para investimento em saneamento básico, cisternas e barragens subterrâneas, medidas suficientes para restaurar ambientes contaminados. Questão 20) PENDÊNCIA O teste de tolerância à glicose é um teste de diagnóstico para diabetes. Após passar a noite em jejum, você colhe uma glicemia de jejum e recebe para beber uma solução com alta concentração de açúcar (75 g de glicose) e é colhida nova glicemia após 2 horas. O teste de tolerância oral à glicose é considerado positivo quando a glicemia fica acima de 200 mg/dL após 120 min. Normalmente, a glicose não sobe muito e retorna ao normal após duas a três horas. Em um diabético, a glicose sanguínea é geralmente mais alta após o jejum, sobe mais depois de ingerir a solução de glicose e leva quatro a seis horas para descer. Disponível em: <http://www.saude.hsw.uol.com.br>. Com base no teste em questão, podemos inferir que a concentração de glicose em mol/L, quando o teste for positivo, será de aproximadamente Dados: Glicose (C6H12O6) = 180 g/mol. a) 1,1 · 10–2 . b) 2,0 · 10–4 . c) 3,2 · 10–6 . d) 1,0 · 10–3 . e) 2,5 · 10–3 . Questão 21) Para impedir a contaminação microbiana do suprimento de água, deve-se eliminar as emissões de efluentes e, quando necessário, tratá-lo com desinfetante. O ácido hipocloroso (HCℓO), produzido pela reação entre cloro e água, é um dos compostos mais empregados como desinfetante. Contudo, ele não atua somente como oxidante, mas também como um ativo agente de cloração. A presença de matéria orgânica dissolvida no suprimento de água clorada pode levar à formação de clorofórmio (CHCℓ3) e outras espécies orgânicas cloradas tóxicas. SPIRO, T. G.; STIGLIANI, W. M. Química ambiental. São Paulo: Pearson, 2009 (adaptado). Visando eliminar da água o clorofórmio e outras moléculas orgânicas, o tratamento adequado é a a) filtração, com o uso de filtros de carvão ativo. b) fluoretação, pela adição de fluoreto de sódio. c) coagulação, pela adição de sulfato de alumínio. d) correção do pH, pela adição de carbonato de sódio. e) floculação, em tanques de concreto com a água em movimento. Questão 22) Os fragmentos de texto abaixo descrevem dois processos de múltiplas aplicações em nosso cotidiano.
  • 9. I. É o que ocorre, por exemplo, quando colocamos uma cenoura em um frasco com solução concentrada de água e sal. Depois de aproximadamente dois dias, nota-se que a cenoura apresenta menor volume e aspecto enrugado e murcho, porque as moléculas de água em suas células são transferidas para a salmoura, que é mais concentrada. As moléculas de água passam através das membranas celulares da cenoura. II.Esse processo tem sido usado com o intuito de “potabilizar” a água por meio da dessalinização. Se dá por influência da pressão que se aplica sobre a superfície na qual se encontra a solução hipertônica, o que impede do solvente, no caso a água, ser transportado para o meio mais concentrado. Isso permite que a água, chamada doce, vá sendo isolada do sal. Tal processo passou a ser usado pelos cientistas por volta da década de 60. Os processos I e II podem ser caracterizados, respectivamente, como a) filtração e destilação. b) difusão e osmose. c) osmose e decantação. d) osmose e osmose reversa. e) filtração e filtração a vácuo. Questão 23) Com as chuvas intensas que caíram na cidade do Rio de Janeiro em março de 2013, grande quantidade de matéria orgânica se depositou na lagoa Rodrigo de Freitas. O consumo biológico desse material contribuiu para a redução a zero do nível de gás oxigênio dissolvida na água, provocando a mortandade dos peixes. O volume médio de água na lagoa é igual a 6,2 . 106 L. Imediatamente antes de ocorrer a mortandade dos peixes, a concentração de gás oxigênio dissolvido na água correspondia a 2,5 . 10–4 mol . L–1. Ao final da mortandade, a quantidade consumida, em quilogramas, de gás oxigênio dissolvida foi igual a Dado: O = 16. a) 24,8. b) 49,6. c) 74,4. d) 99,2. e) 120,0. Questão 24) Com as chuvas intensas que caíram na cidade do Rio de Janeiro em março de 2013, grande quantidade de matéria orgânica se depositou na lagoa Rodrigo de Freitas. O consumo biológico desse material contribuiu para a redução a zero do nível de gás oxigênio dissolvido na água, provocando a mortandade dos peixes. O volume médio de água na lagoa é igual a 6,2 · 106 L. Imediatamente antes de ocorrer a mortandade dos peixes, a concentração de gás oxigênio dissolvido na água correspondia a 2,5 · 10– 4 mol . L– 1. Ao final da mortandade, a quantidade consumida, em quilogramas, de gás oxigênio dissolvido foi igual a: Dado: O = 16.
  • 10. a) 24,8 b) 49,6 c) 74,4 d) 99,2 e) 125,5 Questão 25) Acidente causa vazamento de produto químico na Dutra A pista sentido Rio da Rodovia Presidente Dutra (BR-116), na altura da Serra das Araras, em Piraí (RJ), ficou fechada ao tráfego devido ao vazamento de produto químico na pista. Cerca de 30 mil litros de ácido sulfúrico eram transportados pelo veículo. Com o acidente, houve total vazamento do produto, que se espalhou pela pista, e uma faixa reversível foi montada na pista de subida (sentido São Paulo) da Serra das Araras. O congestionamento ultrapassou quatro quilômetros nos dois sentidos da rodovia. Técnicos do Instituto Estadual do Ambiente do Rio (Inea) e o Corpo de Bombeiros foram mobilizados para conseguir neutralizar o ácido derramado, jogando cal a pista. Disponível em: <http://www.estadao.com.br>. Acesso em: 19 dez. 2013. (adaptado) As reações de neutralização do ácido sulfúrico com cal em água são: CaO(s) + H2O( ) → Ca(OH)2(aq) Ca(OH)2(aq) + H2SO4(aq) → CaSO4(s) + 2 H2O( ) Sabendo que a concentração do ácido sulfúrico era de 2,8 g/L, qual a massa, em quilogramas, de cal (CaO) que os bombeiros precisaram usar para neutralizar todo o ácido derramado? Dados: massas molares em g/mol: H2SO4 = 98; CaO = 56. a) 168 kg b) 84 kg c) 105 kg d) 96 kg e) 48 kg Questão 26) Alguns medicamentos são vendidos na forma de comprimidos, para uso adulto, ou na forma de gotas. Os comprimidos apresentam uma quantidade específica do princípio ativo, por unidade, enquanto a solução pode ser receitada em quantidade variada (volume variado). Imagine que um adulto esteja com dor de cabeça e precise tomar um comprimido de paracetamol, não dispondo do comprimido e sim da solução infantil em gotas, analisou as bulas de cada um (fornecidas a seguir) e decidiu tomar o medicamento na forma de gotas.
  • 11. Determine quantas gotas da solução o adulto precisa tomar para ingerir a mesma quantidade do princípio ativo que seria fornecida pelo comprimido. Dado: 1 gota = 0,05 mL. a) 3 gotas. b) 25 gotas. c) 50 gotas. d) 75 gotas. e) 90 gotas. Questão 27) A varfarina é um fármaco que diminui a agregação plaquetária, e por isso é utilizada como anticoagulante, desde que esteja presente no plasma, com uma concentração superior a 1,0 mg/L. Entretanto, concentrações plasmáticas superiores a 4,0 mg/L podem desencadear hemorragias. As moléculas desse fármaco ficam retidas no espaço intravascular e dissolvidas exclusivamente no plasma, que representa aproximadamente 60% do sangue em volume. Em um medicamento, a varfarina é administrada por via intravenosa na forma de solução aquosa, com concentração de 3,0 mg/mL. Um indivíduo adulto, com volume sanguíneo total de 5,0 L, será submetido a um tratamento com solução injetável desse medicamento. Qual é o máximo volume da solução do medicamento que pode ser administrado a esse indivíduo, pela via intravenosa, de maneira que não ocorram hemorragias causadas pelo anticoagulante? a) 1,0 mL b) 1,7 mL c) 2,7 mL d) 4,0 mL e) 6,7 mL
  • 12. Questão 28) A hidroponia pode ser definida como uma técnica de produção de vegetais sem necessariamente a presença de solo. Uma das formas de implementação é manter as plantas com suas raízes suspensas em meio líquido, de onde retiram os nutrientes essenciais. Suponha que um produtor de rúcula hidropônica precise ajustar a concentração do íon nitrato (NO3 -) para 0,009 mol/L em um tanque de 5 000 litros e, para tanto, tem em mãos uma solução comercial nutritiva de nitrato de cálcio 90 g/L. As massas molares dos elementos N, O e Ca são iguais a 14 g/mol, 16 g/mol e 40 g/mol, respectivamente. Qual o valor mais próximo do volume da solução nutritiva, em litros, que o produtor deve adicionar ao tanque? a) 26 b) 41 c) 45 d) 51 e) 82 Questão 29) Uma solução saturada de K2Cr2O7 foi preparada com a dissolução do sal em 1,0 kg de água. A influência da temperatura sobre a solubilidade está representada na figura a seguir. Com base nos dados apresentados, as massas dos dois íons resultantes da dissociação do K2Cr2O7 a 50 °C serão, aproximadamente, Dado: Densidade da água: 1,0 g/mL a) 40 e 105 g b) 40 e 260 g c) 80 e 105 g d) 80 e 220 g e) 105 e 195 g Questão 30) Nos versos de “Mar Portuguez”, o poeta Fernando Pessoa homenageia seus compatriotas que participaram das viagens dos descobrimentos. Ó mar salgado, Quanto do teu sal são lágrimas de Portugal A água do mar apresenta diversos sais que lhe conferem a salinidade, pois, em cada quilograma de água do mar, estão dissolvidos, em média, cerca de 35 g de sais. (spq.pt/boletim/docs/boletimSPQ_101_056_24.pdf Acesso em: 16.08.2013. Adaptado)
  • 13. Baseando-se na concentração de sais descrita no texto, para a obtenção de 1 kg de sais, a massa de água do mar necessária será, em kg, aproximadamente de a) 1. b) 5. c) 20. d) 29. e) 35. Questão 31) A salinidade da água é um fator fundamental para a sobrevivência dos peixes. A maioria deles vive em condições restritas de salinidade, embora existam espécies como o salmão, que consegue viver em ambientes que vão da água doce à água do mar. Há peixes que sobrevivem em concentrações salinas adversas, desde que estas não se afastem muito das originais. Considere um rio que tenha passado por um processo de salinização. Observe na tabela suas faixas de concentração de cloreto de sódio. *isotônica à água do mar Um aquário com 100 L de solução aquosa de NaCℓ com concentração igual a 2,1 g . L–1, será utilizado para criar peixes que vivem no trecho Z do rio. A fim de atingir a concentração mínima para a sobrevivência dos peixes, deverá ser acrescentado NaCR à solução, sem alteração de seu volume. A massa de cloreto de sódio a ser adicionada, em quilogramas, é igual a: a) 2,40 b) 3,30 c) 3,51 d) 3,72 e) 2,20 Questão 32) Apesar dos problemas que traz, o automóvel é um grande facilitador de comunicação. Já em meados do século XX, a participação do automóvel na sociedade humana estava muito estabelecida. Até recentemente, para aumentar a octanagem da gasolina era adicionado um composto de chumbo. Quando a sociedade passou a perceber os males que o chumbo liberado na atmosfera trazia, ocorreram pressões sociais que levaram, pouco a pouco, ao abandono desse aditivo. O gráfico abaixo mostra uma comparação entre a concentração média de chumbo, por indivíduo, encontrada no sangue de uma população, em determinado lugar. E a quantidade total de chumbo adicionado na gasolina entre os anos de 1976 e 1980.
  • 14. Sobre o texto e o gráfico anteriores, marque o item correto a) O fato de a curva referente à gasolina se sobrepor à do sangue significa que todo o chumbo emitido pela queima da gasolina foi absorvido pelos seres humanos. b) Entre 1979 e 1980, existiam 0,11 mg de chumbo por litro de sangue. c) Na maior parte do ano de 1977, o teor de chumbo no sangue das pessoas diminuiu, pois uma quantidade menor de composto com chumbo foi adicionada à gasolina. d) Antes de 1976, o teor de chumbo na gasolina era muito elevado. e) Entre os anos de 1976 e 1977, eram encontrados 100 toneladas de chumbo na gasolina. Questão 33) O gráfico a seguir mostra curvas de solubilidade para substâncias nas condições indicadas e pressão de 1 atm. A interpretação dos dados desse gráfico permite afirmar corretamente que a) compostos iônicos são insolúveis em água, na temperatura de 0°C. b) o cloreto de sódio é pouco solúvel em água à medida que a temperatura aumenta. c) sais diferentes podem apresentar a mesma solubilidade em uma dada temperatura. d) a solubilidade de um sal depende, principalmente, da espécie catiônica presente no composto. e) a solubilidade do cloreto de sódio é menor que a dos outros sais para qualquer temperatura. Questão 34) O gráfico abaixo mostra a variação nas concentrações de soluções saturadas de dois sais em água, Li2SO4 (reta descendente) e (reta ascendente), individualmente, em função da variação na temperatura da solução. A concentração é expressa em termos de percentual
  • 15. massa/massa, ou seja, a massa do sal dissolvido em 100 g da solução. Assinale o item correto: a) O sulfato de lítio é menos solúvel que o cloreto de amônio. b) Em água, a 30 °C, é possível dissolver uma massa menor de cloreto de amônio do que de sulfato de lítio. c) O gráfico sugere que a dissolução do sulfato de lítio constitui um processo endotérmico, ao passo que a dissolução do cloreto de amônio tem caráter exotérmico. d) A solubilidade do sulfato de lítio seria menor em uma solução contendo Na2SO4 do que em água pura. e) Em água, a 50 °C, é possível dissolver 30 g de sulfato de lítio, mas não é possível dissolver completamente 30 g de cloreto de amônio. Questão 35) Uma garrafa de refrigerante apresenta a informação de que 500 mL do produto possui 34 g de carboidrato. Supondo que todo o carboidrato presente esteja na forma de sacarose (C12H22O11), a opção que mostra corretamente a concentração aproximada deste açúcar em L–1 é a) 20 x 10–4. b) 20 x 10–3. c) 20 x 10–2. d) 20 x 10–1. e) 20 x 10. Questão 36) Fonte: LISBOA, Júlio Cezar Foschini. (Org.) Química Ser Protanista, vol. 2. Edições SM: 2010, p. 39. O comportamento do gás oxigênio com a variação de temperatura descrito no gráfico, bem como o comportamento físico geral dos gases, permitem afirmar corretamente que a) as forças atrativas se sobrepõem às forças de repulsão entre as moléculas do gás oxigênio com o aumento da temperatura. b) as colisões entre as moléculas de um gás aumentam de frequência com o aumento de temperatura, à pressão constante, diminuindo a velocidade média das moléculas e reduzindo sua solubilidade em água.
  • 16. c) a solubilidade de um gás em um líquido depende da energia cinética das moléculas do gás e da pressão exercida sobre o sistema que comporta o soluto gasoso e o solvente líquido. d) dois reservatórios de água mantidos sob as mesmas condições de limpeza e pressão de 1 atm, localizados na Bahia, a 35 ºC, e no Paraná, a 20 ºC, terão a mesma concentração de O2(g) dissolvido na água. e) as concentrações de O2(g) dissolvido em amostras de água do mar Báltico e do mar Vermelho independem de suas concentrações salinas, que são 30 g/L e 40 g/L, respectivamente. Questão 37) O soro fisiológico é uma solução com concentração 0,9% em massa de NaCR em água destilada; pode ser usado como antisséptico nasal, limpeza de lentes de contato, ferimentos e como repositor de íons sódio (Na+) e cloreto (Cℓ–) por ser uma solução isotônica aos fluidos corporais. Com base na concentração indicada no texto, podemos inferir que a concentração deste soro fisiológico em mol/L será: Dados: Na = 23 g/mol; Cℓ = 35,5 g/mol. a) 0,15 mol/L b) 0,30 mol/L c) 0,05 mol/L d) 0,40 mol/L e) 0,80 mol/L Questão 38) O peróxido de hidrogênio é comumente utilizado como antisséptico e alvejante. Também pode ser empregado em trabalhos de restauração de quadros enegrecidos e no clareamento de dentes. Na presença de soluções ácidas de oxidantes, como o permanganato de potássio, esse óxido decompõe-se, conforme a equação a seguir: 5H2O2(aq) + 2KMnO4(aq) + 3H2SO4(aq) 5O2(g) + 2MnSO4(aq) + K2SO4(aq) + 8H2O( ) ROCHA-FILHO, R. C. R.; SILVA, R. R. Introdução aos Cálculos da Química. São Paulo: McGraw-Hill, 1992. De acordo com a estequiometria da reação descrita, a quantidade de permanganato de potássio necessária para reagir completamente com 20,0 mL de uma solução 0,1 mol/L de peróxido de hidrogênio é igual a a) 2,0 ⋅ 100 mol b) 2,0 ⋅ 10– 3 mol c) 8,0 ⋅ 10– 1 mol d) 8,0 ⋅ 10– 4 mol e) 5,0 ⋅ 10– 3 mol Questão 39) A quantidade de etanol presente na gasolina deve respeitar os limites estabelecidos pela Agência Nacional do Petróleo. O governo, para forçar a diminuição do preço do etanol, tem reduzido o teor desse componente na gasolina. Um aluno, para determinar o teor de etanol presente na gasolina, realizou um experimento adicionando 50 mL de gasolina e 50 mL de água a um cilindro graduado com tampa. Após agitar a solução, o aluno observou a presença de duas
  • 17. fases, uma superior e outra inferior, constatando que a fase superior continha 35 mL de líquido. Sabendo-se que a densidade dos hidrocarbonetos é menor que a da água, é correto afirmar que, na gasolina testada pelo aluno, o teor de álcool, em volume/volume, é de, aproximadamente, a) 15%. b) 30%. c) 35%. d) 60%. e) 70%. Questão 40) Em uma das Etecs, após uma partida de basquete sob sol forte, um dos alunos passou mal e foi levado ao prontosocorro. O médico diagnosticou desidratação e por isso o aluno ficou em observação, recebendo soro na veia. No dia seguinte, a professora de Química usou o fato para ensinar aos alunos a preparação do soro caseiro, que é um bom recurso para evitar a desidratação. Soro Caseiro Um litro de água fervida Uma colher (de café) de sal Uma colher (de sopa) de açúcar Após a explicação, os alunos estudaram a solubilidade dos dois compostos em água, usados na preparação do soro, realizando dois experimentos: I. Pesar 50 g de açúcar (sacarose) e adicionar em um béquer que continha 100 g de água sob agitação. II. Pesar 50 g de sal (cloreto de sódio) e adicionar em um béquer que continha 100 g de água sob agitação. Após deixar os sistemas em repouso, eles deveriam observar se houve formação de corpo de chão (depósito de substância que não se dissolveu). Em caso positivo, eles deveriam filtrar, secar, pesar o material em excesso e ilustrar o procedimento. Um grupo elaborou os seguintes esquemas: Analisando os esquemas elaborados, é possível afirmar que, nas condições em que foram realizados os experimentos a) o sistema I é homogêneo e bifásico. b) o sistema II é uma solução homogênea. c) o sal é mais solúvel em água que a sacarose. d) a solubilidade da sacarose em água é 50 g por 100 g de água. e) a solubilidade do cloreto de sódio (NaC ) em água é de 36 g por 100 g de água. Questão 41) O gráfico a seguir mostra curvas de solubilidade para substâncias nas condições indicadas e pressão de 1 atm.
  • 18. A interpretação dos dados desse gráfi co permite afirmar corretamente que a) compostos iônicos são insolúveis em água, na temperatura de 0°C. b) o cloreto de sódio é pouco solúvel em água à medida que a temperatura aumenta. c) sais diferentes podem apresentar a mesma solubilidade em uma dada temperatura. d) a solubilidade de um sal depende, principalmente, da espécie catiônica presente no composto. e) a solubilidade do cloreto de sódio é menor que a dos outros sais para qualquer temperatura. Questão 42) No rótulo de uma embalagem de vinagre de maçã, encontra-se a informação de que o teor de ácido acético presente é de 4,15% (m/v). A concentração de ácido acético (CH3COOH = 60 g/mol) expressa em termos de molaridade, é de, aproximadamente, a) 5,0 mol . L–1. b) 3,5 mol . L–1. c) 1,4 mol . L–1. d) 1,0 mol . L–1. e) 0,7 mol . L–1. Questão 43) As solubilidades dos sais KNO3 e NaC , expressas em gramas do sal por 100 gramas de água, em função da temperatura, estão representadas no gráfico a seguir. Com base nas informações fornecidas, pode-se afirmar corretamente que a) a dissolução dos dois sais em água são processos exotérmicos. b) quando se adicionam 50 g de KNO3 em 100 g de água a 25°C, todo o sólido se dissolve. c) a solubilidade do KNO3 é maior que a do NaC para toda a faixa de temperatura abrangida pelo gráfico.
  • 19. d) quando se dissolvem 90 g de KNO3 em 100 g de água em ebulição e, em seguida, se resfria a solução a 20°C, recupera-se cerca de 30 g do sal sólido. e) a partir de uma amostra contendo 95 g de KNO3 e 5 g de NaC , pode-se obter KNO3 puro por cristalização fracionada. Questão 44) Um químico, ao desenvolver um perfume, decidiu incluir entre os componentes um aroma de frutas com concentração máxima de 10–4 mol/L. Ele dispõe de um frasco da substância aromatizante, em solução hidroalcoólica, com concentração de 0,01 mol/L. Para a preparação de uma amostra de 0,50 L do novo perfume, contendo o aroma de frutas na concentração desejada, o volume da solução hidroalcoólica que o químico deverá utilizar será igual a a) 5,0 mL. b) 2,0 mL. c) 0,50 mL. d) 1,0 mL. e) 0,20 mL. Questão 45) O peróxido de hidrogênio é comumente utilizado como antisséptico e alvejante. Também pode ser empregado em trabalhos de restauração de quadros enegrecidos e no clareamento de dentes. Na presença de soluções ácidas de oxidantes, como o permanganato de potássio, este óxido decompõe-se, conforme a equação a seguir: 5 H2O2(aq) + 2 KMnO4(aq) + 3 H2SO4(aq) 5 O2(g) + 2 MnSO4(aq) + K2SO4(aq) + 8 H2O( ) ROCHA-FILHO. R. C. R.; SILVA, R. R. Introdução aos Cálculos da Química. São Paulo: McGraw-Hill, 1992. De acordo com a estequiometria da reação descrita, a quantidade de permanganato de potássio necessária para reagir completamente com 20,0 mL de uma solução 0,1 mol/L de peróxido de hidrogênio é igual a a) 2,0 . 100 mol. b) 2,0 . 10–3 mol. c) 8,0 . 10–1 mol. d) 8,0 . 10–4 mol. e) 5,0 . 10–3 mol. Questão 46) O álcool utilizado como combustível automotivo (etanol hidratado) deve apresentar uma taxa máxima de água em sua composição para não prejudicar o funcionamento do motor. Uma maneira simples e rápida de estimar a quantidade de etanol em misturas com água é medir a densidade da mistura. O gráfico mostra a variação da densidade da mistura em que me e ma são as massas de etanol e de água na mistura, respectivamente, a uma temperatura de 20 °C.
  • 20. Disponível em: www.handymath.com. Acesso em: 8 ago. 2012. Suponha que, em uma inspeção de rotina realizada em determinado posto, tenha-se verificado que 50,0 cm3 de álcool combustível tenham massa igual a 45,0 g. Qual é a fração percentual de etanol nessa mistura? a) 7% b) 10% c) 55% d) 90% e) 93% Questão 47) A cafeína é um alcaloide, identificado como 1,3,7- trimetilxantina (massa molar igual a 194 g/mol), cuja estrutura química contém uma unidade de purina, conforme representado. Esse alcaloide é encontrado em grande quantidade nas sementes de café e nas folhas de chá-verde. Uma xícara de café contém, em média, 80 mg de cafeína. MARIA, C. A. B.; MOREIRA, R. F. A. Cafeína: revisão sobre métodos de análise. Química Nova, n. 1, 2007 (adaptado). Considerando que a xícara descrita contém um volume de 200 mL de café, a concentração, em mol/L, de cafeína nessa xícara é mais próxima de: a) 0,0004. b) 0,002. c) 0,4. d) 2. e) 4. Questão 48) Em uma das Etecs, após uma partida de basquete sob sol forte, um dos alunos passou mal e foi levado ao pronto-socorro. O médico diagnosticou desidratação e por isso o aluno ficou em observação, recebendo soro na veia. No dia seguinte, a professora de Química usou o fato para ensinar aos alunos a preparação do soro caseiro, que é um bom recurso para evitar a desidratação.
  • 21. Soro Caseiro Um litro de água fervida Uma colher (de café) de sal Uma colher (de sopa) de açúcar Após a explicação, os alunos estudaram a solubilidade dos dois compostos em água, usados na preparação do soro, realizando dois experimentos: I. Pesar 50 g de açúcar (sacarose) e adicionar em um béquer que continha 100 g de água sob agitação. II. Pesar 50 g de sal (cloreto de sódio) e adicionar em um béquer que continha 100 g de água sob agitação. Após deixar os sistemas em repouso, eles deveriam observar se houve formação de corpo de chão (depósito de substância que não se dissolveu). Em caso positivo, eles deveriam filtrar, secar, pesar o material em excesso e ilustrar o procedimento. Um grupo elaborou os seguintes esquemas: Analisando os esquemas elaborados, é possível afirmar que, nas condições em que foram realizados os experimentos, a) o sistema I é homogêneo e bifásico. b) o sistema II é uma solução homogênea. c) o sal é mais solúvel em água que a sacarose. d) a solubilidade da sacarose em água é 50 g por 100 g de água. e) a solubilidade do cloreto de sódio (NaCℓ) em água é de 36 g por 100 g de água. Questão 49) O óxido de cálcio apresenta baixa solubilidade em água, como mostrado na tabela abaixo: Considerando as características das soluções aquosas e as informações da tabela, é correto afirmar: a) Uma solução 0,023 mol/L de CaO a 10°C é insaturada. b) Uma solução 0,023 mol/L de CaO a 10°C contém excesso de soluto dissolvido. c) Uma solução 0,013 mol/L de CaO a 80°C é saturada. d) A dissolução de CaO em água é endotérmica. e) A dissolução de 0,013 mol de CaO em 1 L, a 80°C, forma uma solução supersaturada. Questão 50) Após a ingestão de bebidas alcoólicas, o metabolismo do álcool e sua presença no sangue dependem de fatores como peso corporal, condições e tempo após a ingestão. O gráfico mostra a variação da concentração de álcool no sangue de indivíduos de mesmo peso que beberam três latas de cerveja cada um, em diferentes condições: em jejum e após o jantar.
  • 22. (Revista Pesquisa FAPESP nº 57, setembro 2000) Tendo em vista que a concentração máxima de álcool no sangue permitida pela legislação brasileira para motoristas é 0,6 g/L, o individuo que bebeu apos o janta e o que bebeu em jejum só poderão dirigir apos, aproximadamente: a) uma hora e uma hora e meia, respectivamente. b) três horas e meia hora, respectivamente. c) três horas e quatro horas e meia, respectivamente. d) seis horas e três horas, respectivamente. e) seis horas, igualmente. Questão 51) Com base nos dados da tabela abaixo e nos conhecimentos sobre propriedades da matéria, pode-se afirmar: a) O cloreto de sódio flutua no benzeno. b) O benzeno é miscível com água em qualquer proporção. c) Naftaleno e água formam mistura homogênea. d) Água, cloreto de sódio e benzeno, em qualquer proporção, formam mistura bifásica. e) Um litro de água pode dissolver 0,36 kg de cloreto de sódio, a 20°C. Questão 52) Um estudante recebe quatro frascos, rotulados como A, B, C e D, todos contendo um líquido incolor e transparente. Cada frasco contém um dos seguintes materiais: água, solução aquosa de nitrato de zinco, solução aquosa de cloreto de sódio, solução aquosa de nitrato de prata, não necessariamente na ordem A, B, C e D. Solicita-se ao estudante que identifique o material de cada frasco. Para isto, ele efetua alguns testes. O estudante sabe que os nitratos são solúveis e que, entre os cloretos, o de zinco é solúvel e o de prata é de baixa solubilidade em meio aquoso. O estudante adiciona, então, algumas gotas do material A nas amostras dos materiais B, C e D e observa a formação de um precipitado na amostra C. Nada observa nas amostras B e D.
  • 23. Levando em conta apenas esta observação, é correto afirmar: a) O material A é a solução de nitrato de prata. b) O material C é a solução de cloreto de sódio. c) O material B é a água. d) A solução de nitrato de prata pode ser o material A ou o material C. e) O material D não pode ser a água. Questão 53) Um suco concentrado de laranja possui um teor de sólidos totais de 50%. O processo de produção é caracterizado pela prensagem da fruta e separação de cascas e bagaços, pelo qual é obtido o suco in natura, que possui 10% em massa de sólidos totais (solúveis e insolúveis). Este ainda passa por um processo de evaporação para retirada de parte da água. Quando duas toneladas de suco de laranja in natura são colocadas em um evaporador, a massa de água evaporada para obtenção do suco concentrado é, em quilogramas, igual a a) 400. b) 800. c) 1 000. d) 1 200. e) 1 600. Questão 54) O rótulo de uma garrafa de água mineral natural contém as seguintes informações: Analisando o rótulo, podemos inferir que Dados: Ca = 40 , F = 19, P = 31, O = 16. a) nesta água o pOH é maior que o pH. b) trata-se de uma água levemente ácida. c) a concentração de fluoretos e fosfatos é de aproximadamente 0,2 mol/L. d) se o pH desta água fosse 7,0 (pH neutro) a condutividade elétrica a 25ºC seria zero. e) a concentração de cálcio em mol/L é de aproximadamente 3,7 · 10⁻⁴. Questão 55) Quando se fala em branqueamento ou desinfecção, imediatamente se pensa em hipoclorito de sódio, cuja solução aquosa é conhecida como água sanitária. O efeito branqueador vem do ânion hipoclorito, em geral, na forma de sal sódico, NaOCl. Essa substância pode ser obtida por meio da seguinte reação: Considerando a existência de cloro gasoso em excesso, qual o volume de uma solução de NaOH de concentração 2 mol/L necessário para produzir
  • 24. hipoclorito em quantidade suficiente para preparar 2 L de uma solução 0,5 mol/L de NaOCl? a) 1 L b) 2 L c) 3 L d) 4 L e) 5 L Questão 56) Os efluentes industriais devem ser criteriosamente tratados a fim de se evitar a contaminação de rios e lagos por compostos e metais tóxicos. A análise química de uma amostra de 5,0 litros de um efluente industrial indicou a presença de 400 mg de cromo. Como a densidade desse efluente é 1 g/mL, é correto afirmar que o teor de cromo encontrado na amostra, em ppm, foi de a) 8. b) 800. c) 0,8. d) 80. e) 0,08. Questão 57) Ao colocar um pouco de açúcar na água e mexer até a obtenção de uma só fase, prepara-se uma solução. O mesmo acontece ao se adicionar um pouquinho de sal à água e misturar bera. Uma substância capaz de dissolver o soluto é denominada solvente; por exemplo, a água é um solvente para o açúcar, para o sal e para várias outras substâncias. A figura a seguir ilustra essa citação. Disponível em: www.sobiologia.com.br. Acesso em: 27 abr. 2010. Suponha que uma pessoa, para adoçar seu cafezinho, tenha utilizado 3,42 g de sacarose (massa molar igual a 342 g/mol) para uma xícara de 50 m do líquido. Qual é a concentração final, em mol/ , de sacarose nesse cafezinho? a) 0,02 b) 0,2 c) 2 d) 200 e) 2000 Questão 58) Observe a tabela abaixo:
  • 25. Obs.: Os parâmetros do Ministério da Saúde têm como referência os da Organização Mundial da Saúde, daí a semelhança. A tabela completa dos parâmetros pode ser encontrada na Internet, no endereço eletrônico: http://www.ambiental-lab.com.br/tabl. html A Tabela de Parâmetros de Potabilidade nos informa as concentrações máximas permitidas de coliformes fecais (bactérias normalmente encontradas no intestino de animais de sangue quente, como o homem), de chumbo e de mercúrio na água para que ela seja considerada potável. Isso significa dizer que a água extraída de uma determinada fonte que apresenta 0,10 mg de chumbo em cada 2 litros de água é considerada potável. Isso porque a concentração desse metal nessa água continua sendo de 0,05 mg/l. Sabendo disso, e de posse dos valores expressos na tabela, avalie se a água de um determinado poço que apresenta 0,10 mg de chumbo e 0,010 mg de mercúrio dissolvidos em 5 litros dessa água pode ser considerada adequada ao consumo humano (potável). a) A água desse poço é potável porque a concentração de chumbo e de mercúrio está abaixo de 0,001 mg/L para ambos os metais. b) Essa água não é potável porque o nível de chumbo está acima de 0,05 mg/l. c) A água não é potável, pois, apesar de a concentração de chumbo ser considerada inferior ao limite máximo aceitável, a concentração de mercúrio é o dobro do limite máximo recomendado. d) A água é potável porque apresenta nível zero de coliformes fecais e concentração muito inferior aos valores apresentados na tabela para ambos os metais. e) A água desse poço não é potável porque apresenta níveis de chumbo e coliformes fecais muito acima do permitido. Questão 59) O consumo de gás natural no Brasil registrou novo recorde histórico no mês de janeiro de 2014. De acordo com o levantamento estatístico feito pela Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Gás Natural, foram consumidos, em média, 73,3 milhões de metros cúbicos diários. O consumo recorde de gás natural foi puxado pelo segmento termelétrico, que utilizou 30,7 milhões de metros cúbicos por dia, em média, no mês de maio. Observando a equação a seguir, determine, aproximadamente, a massa de CO2, em g/hora, emitida somente pelas termelétricas, segundo a pesquisa mencionada. CH4 + 2 O2 → CO2 + 2 H2O ΔH = 810 kJ/mol Dados: 1 mol = 22,4 L; CH4 = 16 g/mol; CO2 = 44 g/mol. a) 2,50 · 103 ton b) 5,25 · 104 g c) 1,28 · 109 ton d) 25 · 103 ton e) 5 · 103 kg
  • 26. Questão 60) Os combustíveis fósseis apresentam enxofre como impureza. Na queima desses combustíveis, são lançados na atmosfera óxidos de enxofre que, em determinadas condições, são oxidados e, em contato com a umidade do ar, transformam-se em ácido sulfúrico (H2SO4). Este último precipita sob forma de “chuva ácida”, causando sérios danos ao meio ambiente. Esses fenômenos estão representados pelas equações a seguir. A massa de ácido sulfúrico formada com a queima total de 15 kg de carvão, contendo 3,2% em massa de enxofre, é igual a Dados: S = 32 g/mol; O = 16 g/mol; H = 1 g/mol. a) 1,47 kg. b) 2,94 kg. c) 4,7 kg. d) 0,735 kg. e) 1,32 kg. Questão 61) Todos os organismos necessitam de água e grande parte deles vive em rios, lagos e oceanos. Os processos biológicos, como respiração e fotossintese, exercem profunda influência na química das águas naturais em todo o planeta. O oxigênio é ator dominante na química e na bioquímica da hidrosfera. Devido a sua baixa solubilidade em água (9,0 mg/f a 20°C) a disponibilidade de oxigênio nos ecossistemas aquáticos estabelece o limite entre a vida aeróbica e anaeróbica. Nesse contexto, um parâmetro chamado Demanda Bioquímica de Oxigênio (DBO) foi definido para medir a quantidade de matéria orgânica presente em um sistema hídrico. A DBO corresponde á massa de O2 em miligramas necessária para realizar a oxidação total do carbono orgânico em um litro de água. BAIRD, C. Quimica Ambiental. Ed. Bookmam, 2005 (adaptado). Dados: Massas molares em g/mol: C = 12; H = 1; O = 16. Suponha que 10 mg de açúcar (fórmula mínima CH2O e massa molar igual a 30 g/mol) são dissolvidos em um litro de água; em quanto a DBO será aumentada? a) 0,4 mg de O2/litro b) 1,7 mg de O2/ litro c) 2,7 mg de O2/ litro d) 9,4 mg de O2/ litro e) 10,7 mg de O2/ litro Questão 62) A solubilidade de um gás em um líquido aumenta quando elevamos a pressão do gás sobre o líquido e também quando reduzimos a temperatura do líquido. Considere espécies de peixe que necessitam, para sua sobrevivência, de elevada taxa de oxigênio dissolvido na água. Admita quatro lagos, A, B, C e D, com as seguintes características: Lago A: altitude H e temperatura T (T > 0°C) Lago B: altitude 2H e temperatura T
  • 27. Lago C: altitude H e temperatura 2T Lago D: altitude 2H e temperatura 2T Sabe-se que, quanto maior a altitude, menor é a pressão atmosférica. Os peixes teriam maior chance de sobrevivência a) no lago A. b) no lago B. c) no lago C. d) no lago D. e) indiferentemente em qualquer dos lagos.