SlideShare uma empresa Scribd logo
QUÍMICA
Editora Exato 17
ESTEQUIOMETRIA
1. INTRODUÇÃO
É o cálculo das quantidades de reagentes e/ou
produtos em uma reação química.
Observe:
1 Mol
(C.N.T.P.)
ocupa
possui
pesa
V = 22,71 litros
massa molar
(em gramas)
6,02 x 10
Entidades elementares
23 átomos
moléculas
íons
2. PROCEDIMENTO PARA O CÁLCULO
1o
) Montar a equação química.
2o
) Fazer o balanceamento da equação.
3o
) Montar uma regra de três entre os dados e a
pergunta do problema.
Exemplo:
Sobre a oxidação do monóxido de carbono e-
quacionada abaixo:
2 2
CO(g) O (g) CO (g)+ →
Dados :
C 12g/mol.
O 16g/mol.
=
=
Quantos gramas de CO2 serão obtidos, quando
consumidos 7g de CO?
Resolução:
1CO +
1
2
(g) (g) (g)2 2
2
1COO
1º passo:
montar a equação
2º passo:
balancear a equação
3º passo:
montar a regra
de três
28g de CO
7g de CO
2
44g de CO
X
X=
7g . 44g
28g
= 11g de CO
3. REAGENTE LIMITANTE E REAGENTE EM
EXCESSO
Calcula-se primeiro as quantidades que reagem
entre si de cada componente. Para isto, estabelece-se
uma regra de três, descobrindo o reagente em exces-
so.
Para resolvermos a questão, trabalharemos
sempre com o reagente que aparece em menor quan-
tidade (reagente limitante). Despreze o reagente em
excesso.
4. GRAU DE PUREZA (P) E RENDIMENTO
(R)
Nos dois casos, obteremos, no exercício, o e-
quivalente a 100% de pureza ou de rendimento e, a
partir disto, estabelecemos uma regra de três, utili-
zando a porcentagem dada na questão (de pureza ou
rendimento).
EXERCÍCIOS RESOLVIDOS
1 O maior emprego isolado do ácido sulfúrico é
observado na indústria de fertilizantes à base de
fósforo ou de amônio. O exemplo mais importan-
te é a obtenção do “superfosfato”:
Ca3(PO4)2 + H2SO4 Ca2H2(PO4)2 + CaSO4
O fósforo (P) é usado no desenvolvimento das
raízes.
[M(Ca)=40,1g/mol; M(P)=31,0g/mol;
M(O)=16,0g/mol; M(H)=1,0g/mol;
M(S)=32,0g/mol].
Calcule a massa de ácido sulfúrico, em tone-
ladas (t), necessária para reagir com 155150 Kg de
Ca3(PO4)2 (fosforita) na produção de “superfosfato”,
considerando a inexistência de excesso de qualquer
reagente.
Resolução:
Avaliando a reação percebemos que ela ocorre
na proporção de 1:1, logo 1 mol de fosforita reage
com um mol de ácido sulfúrico. A massa molar de
fosforita é igual a 310,3g/mol e de ácido sulfúrico é
igual a 98 g/ mol.
Montando uma regra de três, temos:
310,3g de fosforita  →reagem
98g de ácido sulfúrico
155150kg de fosforita  →reagem
X kg de ácido sul-
fúrico
X = 49000 kg
Logo, a resposta será igual a 49 toneladas.
2 A combustão completa de isooctano (C8H18) leva
à formação de dióxido de carbono e água. Calcu-
le a massa, em kg, de dióxido de carbono lançada
no meio ambiente, na combustão completa de
10,0 mols de isooctano. Multiplique o resultado
encontrado por 10 e despreze a parte decimal, ca-
so exista.
Considere os dados: M(C)=12,0g/mol,
M(H)=1,0 g/mol e M(O)=16,0 g/mol.
Editora Exato 18
Resolução:
A combustão completa do isooctano é repre-
sentada por: C8H18 + 12,5 O2 → 8 CO2 + 9 H2O.
Desta forma, 1 mol de isooctano produz 8 mols
de CO2, como a massa molar do CO2 é igual a 44
g/mol, temos a seguinte relação:
1 mol de isooctano  →produz
352 g de gás carbôni-
co
10 mols de isooctano  →produzirá
X mols de gás
carbônico
X = 3520g de gás carbônico
Logo o valor em kg será igual a 3,52.
EXERCÍCIOS DE SALA
1 (UnB) Os relâmpagos ocasionam a quebra de
moléculas do gás nitrogênio, possibilitando que
átomos deste elemento possam ser fixados a ou-
tros elementos. A fixação de átomos de nitrogê-
nio a átomos de oxigênio forma o óxido de
nitrogênio, de acordo com a equação química
(não balanceada)
N2(g) + O2(g) → NO(g)
O óxido de nitrogênio é então levado para o solo
pelas chuvas, fertilizando-o. Algo em torno de 1
(um) quilograma de NO é produzido por cada re-
lâmpago.
Massas molares:
M (N) = 14,0 g/mol.
M (O) = 16,00 g/mol.
Com essas informações, julgue os itens a seguir:
1111 Pela equação acima, para cada mol de nitrogê-
nio são produzidos 2 (dois) mols de óxido de
nitrogênio.
2222 Com 65g inicial de N2 será formado 120g de
NO.
3333 Nas Condições Normais de Temperatura e
Pressão (CNTP), em cada mol de nitrogênio
serão obtidos 22,71 litros de óxido de nitrogê-
nio.
2 (UnB) Nas receitas para fazer bolos, é muito uti-
lizado um fermento chamado sal bicarbonato de
amônia, também chamado de carbonato ácido de
amônia. Quando aquecido, esse sal decompõe em
gás carbônico, amônia e água. Partindo-se de
158g de fermento que apresenta 50% de pureza
em carbonato ácido de amônia, calcule a massa
(em gramas) de gás carbônico obtida.
Massas molares:
M(N) = 14,0g/mol.
M(C) = 12,0 g/mol.
M(O) = 16,0 g/mol.
M(H) = 1,0 g/mol.
Reação fornecida:
NH4 HCO3(s) → CO2(g) + NH3(g) + H2O(g)
3 (UnB) O carbonato de sódio (Na2CO3), usado na
fabricação de vidro, é encontrado na natureza em
quantidades mínimas. Ele, entretanto, pode ser
obtido através de produtos naturais muito abun-
dantes: o carbonato de cálcio (CaCO3, mármore)
e o cloreto de sódio (NaCl, sal de cozinha). A e-
quação abaixo fornece a obtenção do carbonato
de sódio:
CaCO3 + 2NaCl → Na2CO3 + CaCl2
Massas molares:
M(Ca) = 40,0 g/mol.
M(O) = 16,0 g/mol.
M(Cl) = 35,5 g/mol.
M(Na) = 23,0 g/mol.
M(C) = 12,0 g/mol.
A partir destas informações, julgue os itens que se
seguem:
1111 A reação química acima é de deslocamento
simples.
2222 A partir de 400g de CaCO3 serão obtidos 4
(quatro) mols de Na2CO3.
3333 Para cada mol de NaCl serão obtidos 3,01 x
1023
moléculas de Na2CO3.
4 (UnB) A reação de combustão de um dos com-
ponentes do gás de cozinha, o gás butano, pode
ser representada pela seguinte equação química
não-balanceada:
C4H10(g) + O2(g) ¡ CO2(g) + H2O(l)
Sabendo que o volume molar de um gás ideal nas
CNTP é 22,71 L/mol e que M(C) = 12 g/mol,
M(O) = 16 g/mol e M(H) = 1 g/mol, julgue os i-
tens que se seguem:
1111 De acordo com a lei das proporções definidas,
dobrando-se as massas dos gases butano e oxi-
gênio, as massas de gás carbônico e de água
diminuirão na mesma proporção.
2222 São necessários 13 mols de gás oxigênio para
reagir com 2 mols de gás butano.
3333 A queima de 58 g de butano produzirá 90 g de
água.
4444 Nas CNTP, para produzir 45,42 L de gás car-
bônico são necessários 116 g de gás butano.
Editora Exato 19
5 (UnB) A transformação do mármore (carbonato
de cálcio) em gesso (sulfato de cálcio), sob a ação
da chuva ácida (solução aquosa de ácido sulfúri-
co), é dada por uma equação química que tem
como produtos, além do sulfato de cálcio, a água
e o gás dióxido de carbono. Admitindo que os re-
agentes sejam consumidos totalmente, calcule a
massa em gramas de sulfato de cálcio, formada
quando 50 gramas de carbonato de cálcio reagem
com 49 gramas de ácido sulfúrico.
CaCO (s) H SO (aq) CaSO (s) H O( ) CO (g)3 2 4 4 2 2
+ → + +l
Dados: Massas molares (M): M (Ca) =
40g / mol
M (C) = 12 g / mol.
M (O) = 16 g / mol.
M (H) = 1gg / mol.
M (S) = 32 g / mol.
6 (CATÓLICA) O hidróxido de alumínio
(Al(OH)3) é utilizado como medicamento à aci-
dez estomacal (azia), provocada pelo excesso de
ácido clorídrico (HCl) produzido pelo estômago.
Sabendo-se que uma dose do medicamento con-
tém 3,2g de Al(OH)3, determine o número de
mols de HCl neutralizados no estômago.
Dados: massa molar do Al(OH)3 = 78g/mol.
7 A equação química SO2(g) + 2H2S(g) →
2H2O(L) + 3S(s) representa a reação de formação
do enxofre a partir de gases vulcânicos. Para
produzir um depósito de enxofre de 4,8 x 106
Kg, são necessários quantos mols de SO2(g) ?
Massas molares:
M(S) = 32,0 g/mol.
M(O) = 16,0 g/mol.
Divida a sua resposta por 107
.
8 (CEUB-2°/98) 7,0 g de nitrogênio reagem com
quantidade suficiente de hidrogênio produzindo
amônia, segundo a equação química não balance-
ada:
N2(g) + H2(g) NH3(g)
A massa de amônia produzida nesta reação será:
Dados: N - 14 u e H - 1 u.
a) 34 g.
b) 17 g.
c) 15 g.
d) 7,5 g.
e) 8,5 g.
9 (UnB) A equação química (não balanceada) que
descreve a reação de formação da amônia (NH3),
a partir das substâncias simples nitrogênio e hi-
drogênio, é:
N2(g) + H2(g) NH3(g)
Calcule a quantidade de N2(g) (em gramas) que se-
rá consumida na obtenção de 170g NH3(g).
Massas molares: M(N) = 14 g/mol.
M(H) = 1 g/mol.
10 (FUVEST) Nas indústrias petroquímicas, o en-
xofre pode ser obtido pela reação: 2H2S + SO2
3S + 2H2O
Qual a quantidade máxima de enxofre, em gra-
mas, que pode ser obtida, partindo-se de 5,0 mols
de H2S e 2,0 mols de SO2 ? Indique os cálculos.
Massa atômica do S = 32,1.
11 (Cesgranrio) Um funileiro usa um maçarico de
acetileno para soldar uma panela. O gás acetileno
é obtido na hora, através da seguinte reação quí-
mica:
Dados: M(Ca)=40g/mol
M(C) = 12g/mol
CaC2 + 2H2O Ca(OH)2 + C2H2
Qual a massa aproximada de carbureto de cálcio
(CaC2) que será necessária para obter 12,31 L de
acetileno (C2H2) a 1 atm e 27°C?
a) 64 g.
b) 16 g.
c) 3,2 g.
d) 32 g.
e) 6,4 g.
12 (ESPEM-SP) O hipoclorito de sódio tem propri-
edades bactericida e alvejante, sendo utilizado
para cloração de piscinas, e é vendido no merca-
do consumidor, em solução, como Água Sanitá-
ria, Cândida, Q-bôa, etc.
Para fabricá-lo, reage-se gás cloro com soda
cáustica:
Cl2 + 2NaOH NaCl + NaCIO + H2O
A massa de soda cáustica, necessária para obter
149 kg de hipoclorito de sódio, é:
Dados: M(Na) = 23 g/mol
M(O)=16g/mol
MCl)=35,5 g/mol
a) 40 kg.
b) 80 kg.
c) 120 kg.
d) 160 kg.
e) 200 kg.
Editora Exato 20
13 (UnB-PAS-1° Ano). Uma das atividades do
químico, com importantes aplicações nas demais
áreas do conhecimento humano, consiste em de-
terminar a quantidade de uma substância necessá-
ria para reagir com outra. Um médico, quando
receita certo medicamento, deve calcular a quan-
tidade de substância ativa do medicamento que
reagirá com as substâncias do organismo do paci-
ente. Para realizar seus cálculos, o médico pode
tomar como base as relações estequiométricas en-
tre as substâncias reagentes. Com relação aos
princípios da estequiometria, envolvidos nos cál-
culos do médico, julgue os itens a seguir:
1111 Para tais cálculos, é necessário balancear a e-
quação química; o que significa considerar
que, na reação química, embora haja transfor-
mação, há conservação de átomos.
2222 Os cálculos estequiométricos poderão ser fei-
tos com base na massa molar da substância a-
tiva, determinada experimentalmente, e com
base em resultados da lei das proporções, defi-
nidas para a reação em questão, ainda que não
se tenha conhecimento preciso da estrutura
química daquela substância.
3333 Cálculos de medicação que se baseiam na es-
tequiometria pressupõem o conhecimento de
técnicas específicas de contagem de moléculas
uma a uma.
14 (UERJ) "O químico francês Antoine Laurent de
Lavoisier ficaria surpreso se conhecesse o muni-
cípio de Resende, a 160 quilômetros do Rio. É lá,
às margens da Via Dutra, que moradores, empre-
sários e o poder público seguem à risca a máxima
do cientista que revolucionou o século XVIII, ao
provar que, na natureza, tudo se transforma. Gra-
ças a uma campanha que já reúne boa parte da
população, Resende é forte concorrente ao título
de capital nacional da reciclagem. Ao mesmo
tempo em que diminui a quantidade de lixo joga-
do no aterro sanitário, a comunidade faz sucata
virar objeto de consumo. Nada se perde."
(Revista Domingo, 11 jul. 1993).
Assim, com base na equação:
2Al2O3(s) 4Al(s) + 302(g)
e supondo-se um rendimento de 100% no proces-
so, a massa de alumínio que pode ser obtida na re-
ciclagem de 255 kg de sucata, contendo 80% de
Al2O3 em massa, é:
Dados: M(Al) = 27 g/mol.
M(O) = 16 g/mol.
M(H) = 1 g/mol.
M(S) = 32 g/mol.
a) 540 kg.
b) 270 kg.
c) 135 kg.
d) 108 kg.
e) 96 kg.
15 (FUVEST-SP) O equipamento de proteção co-
nhecido como air bag, usado em automóveis,
contém substâncias que se transformam, em de-
terminadas condições, liberando N2, que infla um
recipiente de plástico.
As equações das reações envolvidas no processo
são:
2NaN3 2Na + 3N2
azoteto de sódio
10Na + 2KNO3 K2O + 5Na2O + N2
a) Considerando que N2 é gerado nas duas rea-
ções, calcule a massa de azoteto de sódio ne-
cessária para que sejam gerados 80 L de
nitrogênio, nas condições ambientes.
b) Os óxidos formados, em contato com a pele,
podem provocar queimadura. Escreva a equa-
ção da reação de um desses óxidos com a água
contida na pele.
(Dados: volume molar do gás nas condições am-
bientes = 25 L/moI; massa molar do NaN3 =
65 g/mol).
GABARITO
Exercícios
1 C, E, E
2 44g
3 E, C, C
4 E, C, C, E
5 68g
6 0,12
7 5
8 E
9 140g
10 192,6g
11 D
12 D
13 C, C, E
14 D
15 a) 104g
b) K2O + H2O 2KOH
Na2O + H2O 2NaOH

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Termoquimicaparte01 supermed
Termoquimicaparte01 supermedTermoquimicaparte01 supermed
Termoquimicaparte01 supermed
Fábio Oisiovici
 
Termoquímica 2015 exercicios ii unidade
Termoquímica 2015 exercicios ii unidadeTermoquímica 2015 exercicios ii unidade
Termoquímica 2015 exercicios ii unidade
Junior Dou
 
TERMOQUÍMICA - EXERCÍCIOS
TERMOQUÍMICA - EXERCÍCIOSTERMOQUÍMICA - EXERCÍCIOS
TERMOQUÍMICA - EXERCÍCIOS
Cursos Profissionalizantes
 
Lista 50 estequiometria
Lista 50   estequiometriaLista 50   estequiometria
Lista 50 estequiometria
Colegio CMC
 
Estequiometria
EstequiometriaEstequiometria
Estequiometria
Aninha Felix Vieira Dias
 
Exercícios Enem Química - Treinamento aulas 7, 8 e 9
Exercícios Enem Química - Treinamento aulas 7, 8 e 9Exercícios Enem Química - Treinamento aulas 7, 8 e 9
Exercícios Enem Química - Treinamento aulas 7, 8 e 9
Maiquel Vieira
 
Lista 25 cálculo estequiométrico
Lista 25   cálculo estequiométricoLista 25   cálculo estequiométrico
Lista 25 cálculo estequiométrico
Colegio CMC
 
Exercicio reagente limitante
Exercicio reagente limitanteExercicio reagente limitante
Exercicio reagente limitante
Rogerio Andrade
 
Leis ponderais 2
Leis ponderais 2Leis ponderais 2
Leis ponderais 2
Charles Qmc
 
Cálculos químicos i soluções
Cálculos químicos i   soluçõesCálculos químicos i   soluções
Cálculos químicos i soluções
Aninha Felix Vieira Dias
 
Termoquímica
TermoquímicaTermoquímica
Termoquímica
Vinny Silva
 
Exercícios termoquímica
Exercícios termoquímicaExercícios termoquímica
Exercícios termoquímica
Vanderlei Barboza da Silva
 
Lista de exercícios VI Termoquímica
Lista de exercícios VI TermoquímicaLista de exercícios VI Termoquímica
Lista de exercícios VI Termoquímica
Carlos Priante
 
Exercícios Estequiometria
Exercícios EstequiometriaExercícios Estequiometria
Exercícios Estequiometria
iqscquimica
 
Termoquimica
TermoquimicaTermoquimica
Termoquimica
zeramento contabil
 
Lista de exercícios - cálculo estequiométrico
Lista de exercícios - cálculo estequiométricoLista de exercícios - cálculo estequiométrico
Lista de exercícios - cálculo estequiométrico
semestraltardetotem
 
Estequiometria - Prof. Fernando Abreu
Estequiometria - Prof. Fernando AbreuEstequiometria - Prof. Fernando Abreu
Estequiometria - Prof. Fernando Abreu
Fernando Abreu
 
Estequiometria
EstequiometriaEstequiometria
Estequiometria
Silvio Gentil
 
Quimica 002 termoquimica
Quimica  002 termoquimicaQuimica  002 termoquimica
Quimica 002 termoquimica
con_seguir
 
Sandrogreco Lista De ExercíCios 3 Q. Geral Eng. Pet. 2007
Sandrogreco Lista De ExercíCios 3   Q. Geral  Eng. Pet.  2007Sandrogreco Lista De ExercíCios 3   Q. Geral  Eng. Pet.  2007
Sandrogreco Lista De ExercíCios 3 Q. Geral Eng. Pet. 2007
Profª Cristiana Passinato
 

Mais procurados (20)

Termoquimicaparte01 supermed
Termoquimicaparte01 supermedTermoquimicaparte01 supermed
Termoquimicaparte01 supermed
 
Termoquímica 2015 exercicios ii unidade
Termoquímica 2015 exercicios ii unidadeTermoquímica 2015 exercicios ii unidade
Termoquímica 2015 exercicios ii unidade
 
TERMOQUÍMICA - EXERCÍCIOS
TERMOQUÍMICA - EXERCÍCIOSTERMOQUÍMICA - EXERCÍCIOS
TERMOQUÍMICA - EXERCÍCIOS
 
Lista 50 estequiometria
Lista 50   estequiometriaLista 50   estequiometria
Lista 50 estequiometria
 
Estequiometria
EstequiometriaEstequiometria
Estequiometria
 
Exercícios Enem Química - Treinamento aulas 7, 8 e 9
Exercícios Enem Química - Treinamento aulas 7, 8 e 9Exercícios Enem Química - Treinamento aulas 7, 8 e 9
Exercícios Enem Química - Treinamento aulas 7, 8 e 9
 
Lista 25 cálculo estequiométrico
Lista 25   cálculo estequiométricoLista 25   cálculo estequiométrico
Lista 25 cálculo estequiométrico
 
Exercicio reagente limitante
Exercicio reagente limitanteExercicio reagente limitante
Exercicio reagente limitante
 
Leis ponderais 2
Leis ponderais 2Leis ponderais 2
Leis ponderais 2
 
Cálculos químicos i soluções
Cálculos químicos i   soluçõesCálculos químicos i   soluções
Cálculos químicos i soluções
 
Termoquímica
TermoquímicaTermoquímica
Termoquímica
 
Exercícios termoquímica
Exercícios termoquímicaExercícios termoquímica
Exercícios termoquímica
 
Lista de exercícios VI Termoquímica
Lista de exercícios VI TermoquímicaLista de exercícios VI Termoquímica
Lista de exercícios VI Termoquímica
 
Exercícios Estequiometria
Exercícios EstequiometriaExercícios Estequiometria
Exercícios Estequiometria
 
Termoquimica
TermoquimicaTermoquimica
Termoquimica
 
Lista de exercícios - cálculo estequiométrico
Lista de exercícios - cálculo estequiométricoLista de exercícios - cálculo estequiométrico
Lista de exercícios - cálculo estequiométrico
 
Estequiometria - Prof. Fernando Abreu
Estequiometria - Prof. Fernando AbreuEstequiometria - Prof. Fernando Abreu
Estequiometria - Prof. Fernando Abreu
 
Estequiometria
EstequiometriaEstequiometria
Estequiometria
 
Quimica 002 termoquimica
Quimica  002 termoquimicaQuimica  002 termoquimica
Quimica 002 termoquimica
 
Sandrogreco Lista De ExercíCios 3 Q. Geral Eng. Pet. 2007
Sandrogreco Lista De ExercíCios 3   Q. Geral  Eng. Pet.  2007Sandrogreco Lista De ExercíCios 3   Q. Geral  Eng. Pet.  2007
Sandrogreco Lista De ExercíCios 3 Q. Geral Eng. Pet. 2007
 

Semelhante a 04 estequiometria-100801162153-phpapp01

Cálculos químicos
Cálculos químicosCálculos químicos
Cálculos químicos
Kaleb Reis
 
aula2estequiometria.pdf e mais do que um simples manual
aula2estequiometria.pdf e mais do que um simples manualaula2estequiometria.pdf e mais do que um simples manual
aula2estequiometria.pdf e mais do que um simples manual
hensonmateus035
 
Psa 17 cálculos estequimétricos
Psa 17   cálculos estequimétricosPsa 17   cálculos estequimétricos
Psa 17 cálculos estequimétricos
Fisica-Quimica
 
Calculo estequiometrico
Calculo estequiometricoCalculo estequiometrico
Calculo estequiometrico
Hugo Cruz Rangel
 
Apostila de cursinho estequiometria e gases (2)
Apostila de cursinho estequiometria e gases (2)Apostila de cursinho estequiometria e gases (2)
Apostila de cursinho estequiometria e gases (2)
Leonidas3112
 
cálculos químicos e soluções
cálculos químicos e soluçõescálculos químicos e soluções
cálculos químicos e soluções
Aninha Felix Vieira Dias
 
Janela da exata
Janela da exataJanela da exata
Janela da exata
Leonidas3112
 
Lista estudo - Terceiro COC - 3 UNIDADE
Lista estudo - Terceiro COC - 3 UNIDADELista estudo - Terceiro COC - 3 UNIDADE
Lista estudo - Terceiro COC - 3 UNIDADE
Rodrigo Sampaio
 
Exercicios segundo
Exercicios segundoExercicios segundo
Exercicios segundo
Daiane Gris
 
Exercicio de estequiometria
Exercicio de estequiometriaExercicio de estequiometria
Exercicio de estequiometria
Estude Mais
 
Sandrogreco Gabarito Da Lista De ExercíCios 3 Q. Geral Eng. Pet. 2007
Sandrogreco Gabarito Da Lista De ExercíCios 3   Q. Geral  Eng. Pet.  2007Sandrogreco Gabarito Da Lista De ExercíCios 3   Q. Geral  Eng. Pet.  2007
Sandrogreco Gabarito Da Lista De ExercíCios 3 Q. Geral Eng. Pet. 2007
Profª Cristiana Passinato
 
135
135135
ESTEQUIOMETRIA DAS REAÇÕES QUIMICAS..ppt
ESTEQUIOMETRIA DAS REAÇÕES QUIMICAS..pptESTEQUIOMETRIA DAS REAÇÕES QUIMICAS..ppt
ESTEQUIOMETRIA DAS REAÇÕES QUIMICAS..ppt
FabianoSales13
 
Aula 02 - Estequiometria.pptx
Aula 02 - Estequiometria.pptxAula 02 - Estequiometria.pptx
Aula 02 - Estequiometria.pptx
JosBorges56
 
Lista 9 2014
Lista 9   2014Lista 9   2014
Lista 9 2014
profNICODEMOS
 
Lista de exercícios estequiometria
Lista de exercícios   estequiometriaLista de exercícios   estequiometria
Lista de exercícios estequiometria
Silvia Goós
 
Reagente limitante e em excesso
Reagente limitante e em excessoReagente limitante e em excesso
Reagente limitante e em excesso
Fernanda Lima
 
2°em química rec final_exercícios
2°em química rec final_exercícios2°em química rec final_exercícios
2°em química rec final_exercícios
Adriana Ignácio
 
ATIVIDADE ESTEQUIOMETRIA.pdf
ATIVIDADE ESTEQUIOMETRIA.pdfATIVIDADE ESTEQUIOMETRIA.pdf
ATIVIDADE ESTEQUIOMETRIA.pdf
Escola Pública/Particular
 
Exercicios de termoquimica com gabarito
Exercicios de termoquimica com gabaritoExercicios de termoquimica com gabarito
Exercicios de termoquimica com gabarito
Estude Mais
 

Semelhante a 04 estequiometria-100801162153-phpapp01 (20)

Cálculos químicos
Cálculos químicosCálculos químicos
Cálculos químicos
 
aula2estequiometria.pdf e mais do que um simples manual
aula2estequiometria.pdf e mais do que um simples manualaula2estequiometria.pdf e mais do que um simples manual
aula2estequiometria.pdf e mais do que um simples manual
 
Psa 17 cálculos estequimétricos
Psa 17   cálculos estequimétricosPsa 17   cálculos estequimétricos
Psa 17 cálculos estequimétricos
 
Calculo estequiometrico
Calculo estequiometricoCalculo estequiometrico
Calculo estequiometrico
 
Apostila de cursinho estequiometria e gases (2)
Apostila de cursinho estequiometria e gases (2)Apostila de cursinho estequiometria e gases (2)
Apostila de cursinho estequiometria e gases (2)
 
cálculos químicos e soluções
cálculos químicos e soluçõescálculos químicos e soluções
cálculos químicos e soluções
 
Janela da exata
Janela da exataJanela da exata
Janela da exata
 
Lista estudo - Terceiro COC - 3 UNIDADE
Lista estudo - Terceiro COC - 3 UNIDADELista estudo - Terceiro COC - 3 UNIDADE
Lista estudo - Terceiro COC - 3 UNIDADE
 
Exercicios segundo
Exercicios segundoExercicios segundo
Exercicios segundo
 
Exercicio de estequiometria
Exercicio de estequiometriaExercicio de estequiometria
Exercicio de estequiometria
 
Sandrogreco Gabarito Da Lista De ExercíCios 3 Q. Geral Eng. Pet. 2007
Sandrogreco Gabarito Da Lista De ExercíCios 3   Q. Geral  Eng. Pet.  2007Sandrogreco Gabarito Da Lista De ExercíCios 3   Q. Geral  Eng. Pet.  2007
Sandrogreco Gabarito Da Lista De ExercíCios 3 Q. Geral Eng. Pet. 2007
 
135
135135
135
 
ESTEQUIOMETRIA DAS REAÇÕES QUIMICAS..ppt
ESTEQUIOMETRIA DAS REAÇÕES QUIMICAS..pptESTEQUIOMETRIA DAS REAÇÕES QUIMICAS..ppt
ESTEQUIOMETRIA DAS REAÇÕES QUIMICAS..ppt
 
Aula 02 - Estequiometria.pptx
Aula 02 - Estequiometria.pptxAula 02 - Estequiometria.pptx
Aula 02 - Estequiometria.pptx
 
Lista 9 2014
Lista 9   2014Lista 9   2014
Lista 9 2014
 
Lista de exercícios estequiometria
Lista de exercícios   estequiometriaLista de exercícios   estequiometria
Lista de exercícios estequiometria
 
Reagente limitante e em excesso
Reagente limitante e em excessoReagente limitante e em excesso
Reagente limitante e em excesso
 
2°em química rec final_exercícios
2°em química rec final_exercícios2°em química rec final_exercícios
2°em química rec final_exercícios
 
ATIVIDADE ESTEQUIOMETRIA.pdf
ATIVIDADE ESTEQUIOMETRIA.pdfATIVIDADE ESTEQUIOMETRIA.pdf
ATIVIDADE ESTEQUIOMETRIA.pdf
 
Exercicios de termoquimica com gabarito
Exercicios de termoquimica com gabaritoExercicios de termoquimica com gabarito
Exercicios de termoquimica com gabarito
 

04 estequiometria-100801162153-phpapp01

  • 1. QUÍMICA Editora Exato 17 ESTEQUIOMETRIA 1. INTRODUÇÃO É o cálculo das quantidades de reagentes e/ou produtos em uma reação química. Observe: 1 Mol (C.N.T.P.) ocupa possui pesa V = 22,71 litros massa molar (em gramas) 6,02 x 10 Entidades elementares 23 átomos moléculas íons 2. PROCEDIMENTO PARA O CÁLCULO 1o ) Montar a equação química. 2o ) Fazer o balanceamento da equação. 3o ) Montar uma regra de três entre os dados e a pergunta do problema. Exemplo: Sobre a oxidação do monóxido de carbono e- quacionada abaixo: 2 2 CO(g) O (g) CO (g)+ → Dados : C 12g/mol. O 16g/mol. = = Quantos gramas de CO2 serão obtidos, quando consumidos 7g de CO? Resolução: 1CO + 1 2 (g) (g) (g)2 2 2 1COO 1º passo: montar a equação 2º passo: balancear a equação 3º passo: montar a regra de três 28g de CO 7g de CO 2 44g de CO X X= 7g . 44g 28g = 11g de CO 3. REAGENTE LIMITANTE E REAGENTE EM EXCESSO Calcula-se primeiro as quantidades que reagem entre si de cada componente. Para isto, estabelece-se uma regra de três, descobrindo o reagente em exces- so. Para resolvermos a questão, trabalharemos sempre com o reagente que aparece em menor quan- tidade (reagente limitante). Despreze o reagente em excesso. 4. GRAU DE PUREZA (P) E RENDIMENTO (R) Nos dois casos, obteremos, no exercício, o e- quivalente a 100% de pureza ou de rendimento e, a partir disto, estabelecemos uma regra de três, utili- zando a porcentagem dada na questão (de pureza ou rendimento). EXERCÍCIOS RESOLVIDOS 1 O maior emprego isolado do ácido sulfúrico é observado na indústria de fertilizantes à base de fósforo ou de amônio. O exemplo mais importan- te é a obtenção do “superfosfato”: Ca3(PO4)2 + H2SO4 Ca2H2(PO4)2 + CaSO4 O fósforo (P) é usado no desenvolvimento das raízes. [M(Ca)=40,1g/mol; M(P)=31,0g/mol; M(O)=16,0g/mol; M(H)=1,0g/mol; M(S)=32,0g/mol]. Calcule a massa de ácido sulfúrico, em tone- ladas (t), necessária para reagir com 155150 Kg de Ca3(PO4)2 (fosforita) na produção de “superfosfato”, considerando a inexistência de excesso de qualquer reagente. Resolução: Avaliando a reação percebemos que ela ocorre na proporção de 1:1, logo 1 mol de fosforita reage com um mol de ácido sulfúrico. A massa molar de fosforita é igual a 310,3g/mol e de ácido sulfúrico é igual a 98 g/ mol. Montando uma regra de três, temos: 310,3g de fosforita  →reagem 98g de ácido sulfúrico 155150kg de fosforita  →reagem X kg de ácido sul- fúrico X = 49000 kg Logo, a resposta será igual a 49 toneladas. 2 A combustão completa de isooctano (C8H18) leva à formação de dióxido de carbono e água. Calcu- le a massa, em kg, de dióxido de carbono lançada no meio ambiente, na combustão completa de 10,0 mols de isooctano. Multiplique o resultado encontrado por 10 e despreze a parte decimal, ca- so exista. Considere os dados: M(C)=12,0g/mol, M(H)=1,0 g/mol e M(O)=16,0 g/mol.
  • 2. Editora Exato 18 Resolução: A combustão completa do isooctano é repre- sentada por: C8H18 + 12,5 O2 → 8 CO2 + 9 H2O. Desta forma, 1 mol de isooctano produz 8 mols de CO2, como a massa molar do CO2 é igual a 44 g/mol, temos a seguinte relação: 1 mol de isooctano  →produz 352 g de gás carbôni- co 10 mols de isooctano  →produzirá X mols de gás carbônico X = 3520g de gás carbônico Logo o valor em kg será igual a 3,52. EXERCÍCIOS DE SALA 1 (UnB) Os relâmpagos ocasionam a quebra de moléculas do gás nitrogênio, possibilitando que átomos deste elemento possam ser fixados a ou- tros elementos. A fixação de átomos de nitrogê- nio a átomos de oxigênio forma o óxido de nitrogênio, de acordo com a equação química (não balanceada) N2(g) + O2(g) → NO(g) O óxido de nitrogênio é então levado para o solo pelas chuvas, fertilizando-o. Algo em torno de 1 (um) quilograma de NO é produzido por cada re- lâmpago. Massas molares: M (N) = 14,0 g/mol. M (O) = 16,00 g/mol. Com essas informações, julgue os itens a seguir: 1111 Pela equação acima, para cada mol de nitrogê- nio são produzidos 2 (dois) mols de óxido de nitrogênio. 2222 Com 65g inicial de N2 será formado 120g de NO. 3333 Nas Condições Normais de Temperatura e Pressão (CNTP), em cada mol de nitrogênio serão obtidos 22,71 litros de óxido de nitrogê- nio. 2 (UnB) Nas receitas para fazer bolos, é muito uti- lizado um fermento chamado sal bicarbonato de amônia, também chamado de carbonato ácido de amônia. Quando aquecido, esse sal decompõe em gás carbônico, amônia e água. Partindo-se de 158g de fermento que apresenta 50% de pureza em carbonato ácido de amônia, calcule a massa (em gramas) de gás carbônico obtida. Massas molares: M(N) = 14,0g/mol. M(C) = 12,0 g/mol. M(O) = 16,0 g/mol. M(H) = 1,0 g/mol. Reação fornecida: NH4 HCO3(s) → CO2(g) + NH3(g) + H2O(g) 3 (UnB) O carbonato de sódio (Na2CO3), usado na fabricação de vidro, é encontrado na natureza em quantidades mínimas. Ele, entretanto, pode ser obtido através de produtos naturais muito abun- dantes: o carbonato de cálcio (CaCO3, mármore) e o cloreto de sódio (NaCl, sal de cozinha). A e- quação abaixo fornece a obtenção do carbonato de sódio: CaCO3 + 2NaCl → Na2CO3 + CaCl2 Massas molares: M(Ca) = 40,0 g/mol. M(O) = 16,0 g/mol. M(Cl) = 35,5 g/mol. M(Na) = 23,0 g/mol. M(C) = 12,0 g/mol. A partir destas informações, julgue os itens que se seguem: 1111 A reação química acima é de deslocamento simples. 2222 A partir de 400g de CaCO3 serão obtidos 4 (quatro) mols de Na2CO3. 3333 Para cada mol de NaCl serão obtidos 3,01 x 1023 moléculas de Na2CO3. 4 (UnB) A reação de combustão de um dos com- ponentes do gás de cozinha, o gás butano, pode ser representada pela seguinte equação química não-balanceada: C4H10(g) + O2(g) ¡ CO2(g) + H2O(l) Sabendo que o volume molar de um gás ideal nas CNTP é 22,71 L/mol e que M(C) = 12 g/mol, M(O) = 16 g/mol e M(H) = 1 g/mol, julgue os i- tens que se seguem: 1111 De acordo com a lei das proporções definidas, dobrando-se as massas dos gases butano e oxi- gênio, as massas de gás carbônico e de água diminuirão na mesma proporção. 2222 São necessários 13 mols de gás oxigênio para reagir com 2 mols de gás butano. 3333 A queima de 58 g de butano produzirá 90 g de água. 4444 Nas CNTP, para produzir 45,42 L de gás car- bônico são necessários 116 g de gás butano.
  • 3. Editora Exato 19 5 (UnB) A transformação do mármore (carbonato de cálcio) em gesso (sulfato de cálcio), sob a ação da chuva ácida (solução aquosa de ácido sulfúri- co), é dada por uma equação química que tem como produtos, além do sulfato de cálcio, a água e o gás dióxido de carbono. Admitindo que os re- agentes sejam consumidos totalmente, calcule a massa em gramas de sulfato de cálcio, formada quando 50 gramas de carbonato de cálcio reagem com 49 gramas de ácido sulfúrico. CaCO (s) H SO (aq) CaSO (s) H O( ) CO (g)3 2 4 4 2 2 + → + +l Dados: Massas molares (M): M (Ca) = 40g / mol M (C) = 12 g / mol. M (O) = 16 g / mol. M (H) = 1gg / mol. M (S) = 32 g / mol. 6 (CATÓLICA) O hidróxido de alumínio (Al(OH)3) é utilizado como medicamento à aci- dez estomacal (azia), provocada pelo excesso de ácido clorídrico (HCl) produzido pelo estômago. Sabendo-se que uma dose do medicamento con- tém 3,2g de Al(OH)3, determine o número de mols de HCl neutralizados no estômago. Dados: massa molar do Al(OH)3 = 78g/mol. 7 A equação química SO2(g) + 2H2S(g) → 2H2O(L) + 3S(s) representa a reação de formação do enxofre a partir de gases vulcânicos. Para produzir um depósito de enxofre de 4,8 x 106 Kg, são necessários quantos mols de SO2(g) ? Massas molares: M(S) = 32,0 g/mol. M(O) = 16,0 g/mol. Divida a sua resposta por 107 . 8 (CEUB-2°/98) 7,0 g de nitrogênio reagem com quantidade suficiente de hidrogênio produzindo amônia, segundo a equação química não balance- ada: N2(g) + H2(g) NH3(g) A massa de amônia produzida nesta reação será: Dados: N - 14 u e H - 1 u. a) 34 g. b) 17 g. c) 15 g. d) 7,5 g. e) 8,5 g. 9 (UnB) A equação química (não balanceada) que descreve a reação de formação da amônia (NH3), a partir das substâncias simples nitrogênio e hi- drogênio, é: N2(g) + H2(g) NH3(g) Calcule a quantidade de N2(g) (em gramas) que se- rá consumida na obtenção de 170g NH3(g). Massas molares: M(N) = 14 g/mol. M(H) = 1 g/mol. 10 (FUVEST) Nas indústrias petroquímicas, o en- xofre pode ser obtido pela reação: 2H2S + SO2 3S + 2H2O Qual a quantidade máxima de enxofre, em gra- mas, que pode ser obtida, partindo-se de 5,0 mols de H2S e 2,0 mols de SO2 ? Indique os cálculos. Massa atômica do S = 32,1. 11 (Cesgranrio) Um funileiro usa um maçarico de acetileno para soldar uma panela. O gás acetileno é obtido na hora, através da seguinte reação quí- mica: Dados: M(Ca)=40g/mol M(C) = 12g/mol CaC2 + 2H2O Ca(OH)2 + C2H2 Qual a massa aproximada de carbureto de cálcio (CaC2) que será necessária para obter 12,31 L de acetileno (C2H2) a 1 atm e 27°C? a) 64 g. b) 16 g. c) 3,2 g. d) 32 g. e) 6,4 g. 12 (ESPEM-SP) O hipoclorito de sódio tem propri- edades bactericida e alvejante, sendo utilizado para cloração de piscinas, e é vendido no merca- do consumidor, em solução, como Água Sanitá- ria, Cândida, Q-bôa, etc. Para fabricá-lo, reage-se gás cloro com soda cáustica: Cl2 + 2NaOH NaCl + NaCIO + H2O A massa de soda cáustica, necessária para obter 149 kg de hipoclorito de sódio, é: Dados: M(Na) = 23 g/mol M(O)=16g/mol MCl)=35,5 g/mol a) 40 kg. b) 80 kg. c) 120 kg. d) 160 kg. e) 200 kg.
  • 4. Editora Exato 20 13 (UnB-PAS-1° Ano). Uma das atividades do químico, com importantes aplicações nas demais áreas do conhecimento humano, consiste em de- terminar a quantidade de uma substância necessá- ria para reagir com outra. Um médico, quando receita certo medicamento, deve calcular a quan- tidade de substância ativa do medicamento que reagirá com as substâncias do organismo do paci- ente. Para realizar seus cálculos, o médico pode tomar como base as relações estequiométricas en- tre as substâncias reagentes. Com relação aos princípios da estequiometria, envolvidos nos cál- culos do médico, julgue os itens a seguir: 1111 Para tais cálculos, é necessário balancear a e- quação química; o que significa considerar que, na reação química, embora haja transfor- mação, há conservação de átomos. 2222 Os cálculos estequiométricos poderão ser fei- tos com base na massa molar da substância a- tiva, determinada experimentalmente, e com base em resultados da lei das proporções, defi- nidas para a reação em questão, ainda que não se tenha conhecimento preciso da estrutura química daquela substância. 3333 Cálculos de medicação que se baseiam na es- tequiometria pressupõem o conhecimento de técnicas específicas de contagem de moléculas uma a uma. 14 (UERJ) "O químico francês Antoine Laurent de Lavoisier ficaria surpreso se conhecesse o muni- cípio de Resende, a 160 quilômetros do Rio. É lá, às margens da Via Dutra, que moradores, empre- sários e o poder público seguem à risca a máxima do cientista que revolucionou o século XVIII, ao provar que, na natureza, tudo se transforma. Gra- ças a uma campanha que já reúne boa parte da população, Resende é forte concorrente ao título de capital nacional da reciclagem. Ao mesmo tempo em que diminui a quantidade de lixo joga- do no aterro sanitário, a comunidade faz sucata virar objeto de consumo. Nada se perde." (Revista Domingo, 11 jul. 1993). Assim, com base na equação: 2Al2O3(s) 4Al(s) + 302(g) e supondo-se um rendimento de 100% no proces- so, a massa de alumínio que pode ser obtida na re- ciclagem de 255 kg de sucata, contendo 80% de Al2O3 em massa, é: Dados: M(Al) = 27 g/mol. M(O) = 16 g/mol. M(H) = 1 g/mol. M(S) = 32 g/mol. a) 540 kg. b) 270 kg. c) 135 kg. d) 108 kg. e) 96 kg. 15 (FUVEST-SP) O equipamento de proteção co- nhecido como air bag, usado em automóveis, contém substâncias que se transformam, em de- terminadas condições, liberando N2, que infla um recipiente de plástico. As equações das reações envolvidas no processo são: 2NaN3 2Na + 3N2 azoteto de sódio 10Na + 2KNO3 K2O + 5Na2O + N2 a) Considerando que N2 é gerado nas duas rea- ções, calcule a massa de azoteto de sódio ne- cessária para que sejam gerados 80 L de nitrogênio, nas condições ambientes. b) Os óxidos formados, em contato com a pele, podem provocar queimadura. Escreva a equa- ção da reação de um desses óxidos com a água contida na pele. (Dados: volume molar do gás nas condições am- bientes = 25 L/moI; massa molar do NaN3 = 65 g/mol). GABARITO Exercícios 1 C, E, E 2 44g 3 E, C, C 4 E, C, C, E 5 68g 6 0,12 7 5 8 E 9 140g 10 192,6g 11 D 12 D 13 C, C, E 14 D 15 a) 104g b) K2O + H2O 2KOH Na2O + H2O 2NaOH