SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 28
Prof. Ms. Antonio Figueiredo
• Questionários
• Observações
• Avaliação de Desempenho
• Análise de Cargos
• Modificação do Trabalho
• Entrevista de Desligamento
• Relatórios
• Solicitação da Chefia
• Definição clara do objetivo do Treinamento
• Escolha dos métodos de Treinamento
• Definição dos recursos necessários
• Definição da população-alvo
• Local
• Período
• Quando?
• Quem?
• Onde?
Ter claro todos os objetivos.
• Realização do Treinamento.
• Por que avaliar?
Avaliação deve ser feita:
- Antes
- Durante
- Depois
1. Avaliar se o treinamento produziu as
modificações desejadas no comportamento
dos funcionários;
2. Verificar se os resultados do treinamento
apresenta relação com o alcance das metas
da organização.
Tipos:
- Avaliação de reação
- Avaliação de Aprendizagem
- Avaliação Comportamental
Quem avalia?
- Avaliação do funcionário
- Autoavaliação
- Avaliação pelo Superior Imediato
- Observação do comportamento
- Relatórios
• Adequação do programa de treinamento às
necessidades da empresa.
• Qualidade do treinamento.
• Cooperação das lideranças.
• Interesse dos funcionários.
• Segundo Marras (2000), O LNT identifica as
carências de preparo profissional das pessoas,
ou seja, a diferença entre o que uma pessoa
deveria fazer a aquilo que ela realmente sabe
e faz.
• Carvalho (1974), considerando o treinamento
como uma forma de educação, então definida
como educação técnica ou especializada,
apresenta quatro necessidades para sua
elaboração
• São elas: a ‘formação inicial’, que compreende os trabalhos a
serem desenvolvidos a partir do egresso de um novo
funcionário;
• O ‘aperfeiçoamento no cargo’ quando ocorre a necessidade
de se trabalhar novas questões e/ou evoluir aquelas já
realizadas;
• A ‘transferência’, reportando-se as alterações de cargos e/ou
funções,
• ‘Promoção’ relacionada à intenção de se elevar alguém de um
posto a outro de trabalho, percebendo atribuições mais
complexas. Gil (1994)
• O objetivo precisa ser realista, exeqüível,
descrito de forma sucinta, devendo também
indicar o ponto de contato, “a convergência”
com o processo de planejamento
organizacional
• Objetivos confusos ou fantasiosos, por
exemplo, levarão a treinamentos falhos, que
não trarão benefícios à organização, mas
apenas, quando muito, ao próprio treinando.
• O grande segredo de uma boa elaboração de
LNT está em especificar com precisão e
clareza o conteúdo dos campos objetivo e
forma de verificação. Se estes dois campos
estiverem fortemente ligados e expostos de
forma clara e realista, será muito difícil a
aprovação de treinamentos que não vão ao
encontro dos reais interesses das
organizações
• A chefia imediata deve apontar e levantar
junto aos seus subordinados (treinando em
potencial) as necessidades concretas de
treinamento.
•
 Alguns dos métodos mais utilizados nas
empresas são:
• Demonstração;
• Discussões em grupo;
• Estágio;
• Curso.
24/12/15
 É um método por meio do qual um ou mais instrutores
transmitem conhecimentos a um ou mais aprendizes, executando
eles mesmos – instrutores – as operações de tal modo que elas
sejam assimiladas clara e completamente pelo treinado. As
principais vantagens desse método são: estimula no treinando os
mecanismos conjuntos da ação, da visão e da audição e também
desenvolve, conscientemente, o binômio "ensaio-e-erro" até
assimilar a matéria por esforço próprio.
 Esse método é recomendado para aprendizagem prática de
princípios teóricos, como, por exemplo, fabricar alguma coisa ou
elaborar um balanço, ou até, efetuar uma venda.
24/12/15
 O conceito atual de empresa abrange o trabalho em equipe, com a
necessária divisão de tarefas e conseqüente especialização funcional. É
nesse quadro social que o método de discussões em grupo se destaca,
pois que possibilita aos seus integrantes a conjugação de experiências e de
informações.
 Particularmente indicado para o treinamento de superiores de
primeira linha (diretores, superintendentes, gerentes e chefes), o método
da discussão em grupo pressupõe análise de temas complexos e que
obrigam seus participantes a terem um visão global dos problemas
debatidos.
24/12/15
 É um método que vem sendo largamente requisitado
ultimamente. Empresas há que fazem do estágio um
ponto básico no processo de formação profissional.
 O estágio também é utilizado para o processo de
carreira funcional dentro da companhia.
 O estágio inicial é aplicado ao treinando que ingressa
na empresa sem conhecimento prévio, ou com relativa
base teórica em potencial.
 Via de regra o estágio deve ser um método de
treinamento individual ou, quando muito, para grupos
restritos de treinandos.
24/12/15
 Um programa de curso começa com a
constituição de turmas, seleção de professores e
instrutores, escolha de locais, organização de
horários e preparação de aulas.
24/12/15
 A aplicação das técnicas abaixo citadas depende
basicamente de três fatores: facilidade de aplicação,
adequação, rentabilidade.
 a – Preleção ou Palestra;
 b – Conferência;
 c – Seminário;
 d – Estudo do Caso;
24/12/15
 É a exposição verbal de um assunto
cuidadosamente elaborado. De um modo geral,
caracteriza-se pelo formalismo. Trata-se de um método
de treinamento que pode ser utilizado quando se
pretende alcançar um ou mais objetivos enunciados a
seguir: apresentar um ponto de vista objetivo,
apresentar uma análise correta de um dos aspectos de
um questão controvertida, orientar os treinandos no
sentido de outras leituras e pesquisas, transmitir
informações de maneira direta e formal, identificar e
explorar um determinado problema
24/12/15
 É uma técnica mais formal que a preleção.
Geralmente destinada à apresentação de determinado
assunto a auditórios maiores. Por ser formal e atingir um
número consideravelmente mais elevado de ouvintes
em comparação com a palestra, a conferência deve ser
empregada em ocasiões solenes e restritas a um
número elevado de pessoas.
 É recomendado o emprego da conferência como
parte de um Programa de treinamento interno quando,
então, é convidado um especialista fora da empresa.
24/12/15
 Técnica de treinamento revelado em um grupo
de pessoas reunido com o propósito de estudar
um assunto sob a direção de especialistas. O
seminário caracteriza-se pela troca de
experiências profissionais entre seus
participantes, com elaboração final de conclusões
24/12/15
 É uma técnica de formação em grupo baseada
em discussões organizacionais e sistemáticas de
casos extraídos da vida real
24/12/15
 Consiste, basicamente, na representação de papéis
previamente determinados e em situações simuladas.
 O "role-playing" tem limitações e vantagens. Não é
recomendável, por exemplo, aplicá-lo como técnica única no
Programa de treinamento. Outra limitação é que os participantes da
dramatização, por mais à vontade que possam ficar, sentem certa
dose de inibição natural diante do grupo, dificultando o enfoque
realista de um dado problema em discussão. Finalmente,
lembramos que o "role-playing" não deve ser aplicado a grupos
com baixa motivação funcional, ou dotados de percepção pouco
desenvolvida.
24/12/15
24/12/15

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula -gestão_por_competências
Aula  -gestão_por_competênciasAula  -gestão_por_competências
Aula -gestão_por_competências
Cicero Feitosa
 

Mais procurados (20)

Aula Gestão de Pessoas
Aula Gestão de PessoasAula Gestão de Pessoas
Aula Gestão de Pessoas
 
Introdução a gestão
Introdução a gestãoIntrodução a gestão
Introdução a gestão
 
Aula -gestão_por_competências
Aula  -gestão_por_competênciasAula  -gestão_por_competências
Aula -gestão_por_competências
 
Treinamento e Desenvolvimento
Treinamento e DesenvolvimentoTreinamento e Desenvolvimento
Treinamento e Desenvolvimento
 
TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS
TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS
TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS
 
Slides avaliacao de desempenho - curso belém
Slides   avaliacao de desempenho - curso belémSlides   avaliacao de desempenho - curso belém
Slides avaliacao de desempenho - curso belém
 
Aula 03, 04, 05 e 06 gestao pessoas e liderança lider coach, feedback, des ...
Aula 03, 04, 05 e 06 gestao pessoas e liderança   lider coach, feedback, des ...Aula 03, 04, 05 e 06 gestao pessoas e liderança   lider coach, feedback, des ...
Aula 03, 04, 05 e 06 gestao pessoas e liderança lider coach, feedback, des ...
 
Cultura e clima organizacionais 4
Cultura e clima organizacionais 4Cultura e clima organizacionais 4
Cultura e clima organizacionais 4
 
Organização
OrganizaçãoOrganização
Organização
 
Retenção de talentos
Retenção de talentosRetenção de talentos
Retenção de talentos
 
Liderança
LiderançaLiderança
Liderança
 
Gestão de Pessoas - Aula 1
Gestão de Pessoas - Aula 1Gestão de Pessoas - Aula 1
Gestão de Pessoas - Aula 1
 
Relacionamento Interpessoal 20h
Relacionamento Interpessoal 20hRelacionamento Interpessoal 20h
Relacionamento Interpessoal 20h
 
Trabalho em equipe
Trabalho em equipeTrabalho em equipe
Trabalho em equipe
 
Gestão de Equipes de Alta Performance
Gestão de Equipes de Alta PerformanceGestão de Equipes de Alta Performance
Gestão de Equipes de Alta Performance
 
Gestão e Liderança_Prof. Randes
Gestão e Liderança_Prof. RandesGestão e Liderança_Prof. Randes
Gestão e Liderança_Prof. Randes
 
Avaliação de desempenho ppt
Avaliação de desempenho pptAvaliação de desempenho ppt
Avaliação de desempenho ppt
 
Motivação
MotivaçãoMotivação
Motivação
 
Diagnostico Organizacional
Diagnostico OrganizacionalDiagnostico Organizacional
Diagnostico Organizacional
 
Liderança e gestão.ppt
Liderança e gestão.ppt Liderança e gestão.ppt
Liderança e gestão.ppt
 

Destaque (8)

5. Mergulho Livre - Preparação Física (v5.12.25)
5. Mergulho Livre - Preparação Física (v5.12.25)5. Mergulho Livre - Preparação Física (v5.12.25)
5. Mergulho Livre - Preparação Física (v5.12.25)
 
Treinamento e aperfeiçoamento das capacidades físicas
Treinamento e aperfeiçoamento das capacidades físicasTreinamento e aperfeiçoamento das capacidades físicas
Treinamento e aperfeiçoamento das capacidades físicas
 
Treinamento para melhora a preparação física para o tae kwon do
Treinamento para melhora a preparação física para o tae kwon do Treinamento para melhora a preparação física para o tae kwon do
Treinamento para melhora a preparação física para o tae kwon do
 
Ciclos de treinamento 02
Ciclos de treinamento 02Ciclos de treinamento 02
Ciclos de treinamento 02
 
Prescrição aeróbia
Prescrição aeróbiaPrescrição aeróbia
Prescrição aeróbia
 
Prescrição de atividade física
Prescrição de atividade físicaPrescrição de atividade física
Prescrição de atividade física
 
Ciclos de treinamento
Ciclos de treinamentoCiclos de treinamento
Ciclos de treinamento
 
Treinamento musculação métodos e sistemas
Treinamento   musculação métodos e sistemasTreinamento   musculação métodos e sistemas
Treinamento musculação métodos e sistemas
 

Semelhante a Aula 3 – tipos e métodos de treinamento

Resultados Efetivos com Treinamento On-The-Job
Resultados Efetivos com Treinamento On-The-JobResultados Efetivos com Treinamento On-The-Job
Resultados Efetivos com Treinamento On-The-Job
Giba Dal Prá
 
PPT AULA 04 PRÁTICAS DE TREINAMENTO.pptx
PPT AULA 04 PRÁTICAS DE TREINAMENTO.pptxPPT AULA 04 PRÁTICAS DE TREINAMENTO.pptx
PPT AULA 04 PRÁTICAS DE TREINAMENTO.pptx
Priscyllasantos6
 
Palestra sobre coaching aos pós-graduandos do POSMEC, 04/set/2013
Palestra sobre coaching aos pós-graduandos do POSMEC, 04/set/2013Palestra sobre coaching aos pós-graduandos do POSMEC, 04/set/2013
Palestra sobre coaching aos pós-graduandos do POSMEC, 04/set/2013
Jonny Silva
 
PPTs - Capítulo 7 Treinamento e desenvolvimento de funcionários.pdf
PPTs - Capítulo 7 Treinamento e desenvolvimento de funcionários.pdfPPTs - Capítulo 7 Treinamento e desenvolvimento de funcionários.pdf
PPTs - Capítulo 7 Treinamento e desenvolvimento de funcionários.pdf
TiagoTrombonista
 

Semelhante a Aula 3 – tipos e métodos de treinamento (20)

Gp aula-12
Gp aula-12Gp aula-12
Gp aula-12
 
Resultados Efetivos com Treinamento On-The-Job
Resultados Efetivos com Treinamento On-The-JobResultados Efetivos com Treinamento On-The-Job
Resultados Efetivos com Treinamento On-The-Job
 
coaching
coachingcoaching
coaching
 
PPT AULA 04 PRÁTICAS DE TREINAMENTO.pptx
PPT AULA 04 PRÁTICAS DE TREINAMENTO.pptxPPT AULA 04 PRÁTICAS DE TREINAMENTO.pptx
PPT AULA 04 PRÁTICAS DE TREINAMENTO.pptx
 
Desenvolver pessoas[1]
Desenvolver pessoas[1]Desenvolver pessoas[1]
Desenvolver pessoas[1]
 
Procedimento Treinamento
Procedimento Treinamento Procedimento Treinamento
Procedimento Treinamento
 
Planeamento e gestão da formação leonel boano
Planeamento e gestão da formação   leonel boanoPlaneamento e gestão da formação   leonel boano
Planeamento e gestão da formação leonel boano
 
Palestra sobre coaching aos pós-graduandos do POSMEC, 04/set/2013
Palestra sobre coaching aos pós-graduandos do POSMEC, 04/set/2013Palestra sobre coaching aos pós-graduandos do POSMEC, 04/set/2013
Palestra sobre coaching aos pós-graduandos do POSMEC, 04/set/2013
 
Desenvolvimento de colaboradores pelo perfil comportamental
Desenvolvimento de colaboradores pelo perfil comportamental Desenvolvimento de colaboradores pelo perfil comportamental
Desenvolvimento de colaboradores pelo perfil comportamental
 
Aula 08 recursos humano
Aula 08 recursos humanoAula 08 recursos humano
Aula 08 recursos humano
 
Coaching 2
Coaching 2Coaching 2
Coaching 2
 
MELHORES PRÁTICAS PARA GERENCIAR EQUIPES
MELHORES PRÁTICAS PARA GERENCIAR EQUIPESMELHORES PRÁTICAS PARA GERENCIAR EQUIPES
MELHORES PRÁTICAS PARA GERENCIAR EQUIPES
 
03+aula+rh+treinamento+e+desenvolvimento+pessoal
03+aula+rh+treinamento+e+desenvolvimento+pessoal03+aula+rh+treinamento+e+desenvolvimento+pessoal
03+aula+rh+treinamento+e+desenvolvimento+pessoal
 
Desenvolvimento de carreiras
Desenvolvimento de carreirasDesenvolvimento de carreiras
Desenvolvimento de carreiras
 
Subsistema de desenvolvimento de recursos humanos
Subsistema de desenvolvimento de recursos humanosSubsistema de desenvolvimento de recursos humanos
Subsistema de desenvolvimento de recursos humanos
 
Treinamento Organizacional
Treinamento OrganizacionalTreinamento Organizacional
Treinamento Organizacional
 
Apostila gestão de pessoas III 2014
Apostila gestão de pessoas III   2014Apostila gestão de pessoas III   2014
Apostila gestão de pessoas III 2014
 
DESENVOLVENDO ESTRATÉGIAS PARA SEU NEGÓCIO E CARREIRA
DESENVOLVENDO ESTRATÉGIAS PARA SEU NEGÓCIO E CARREIRADESENVOLVENDO ESTRATÉGIAS PARA SEU NEGÓCIO E CARREIRA
DESENVOLVENDO ESTRATÉGIAS PARA SEU NEGÓCIO E CARREIRA
 
Treinamento (Diagnóstico Levantamento de Necessidades e Deficiências )
Treinamento (Diagnóstico Levantamento de Necessidades e Deficiências )Treinamento (Diagnóstico Levantamento de Necessidades e Deficiências )
Treinamento (Diagnóstico Levantamento de Necessidades e Deficiências )
 
PPTs - Capítulo 7 Treinamento e desenvolvimento de funcionários.pdf
PPTs - Capítulo 7 Treinamento e desenvolvimento de funcionários.pdfPPTs - Capítulo 7 Treinamento e desenvolvimento de funcionários.pdf
PPTs - Capítulo 7 Treinamento e desenvolvimento de funcionários.pdf
 

Último

PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
carlaOliveira438
 
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importânciaclubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
LuanaAlves940822
 
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
edjailmax
 

Último (20)

O carteiro chegou - Janet & Allan Ahlberg
O carteiro chegou - Janet & Allan AhlbergO carteiro chegou - Janet & Allan Ahlberg
O carteiro chegou - Janet & Allan Ahlberg
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
 
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
 
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfHans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
 
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco LeiteOs Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
 
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaNós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
 
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importânciaclubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
 
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de.    Maio laranja dds.pptxCampanha 18 de.    Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
 
Fotossíntese para o Ensino médio primeiros anos
Fotossíntese para o Ensino médio primeiros anosFotossíntese para o Ensino médio primeiros anos
Fotossíntese para o Ensino médio primeiros anos
 
Recurso da Casa das Ciências: Bateria/Acumulador
Recurso da Casa das Ciências: Bateria/AcumuladorRecurso da Casa das Ciências: Bateria/Acumulador
Recurso da Casa das Ciências: Bateria/Acumulador
 
Poema - Reciclar é preciso
Poema            -        Reciclar é precisoPoema            -        Reciclar é preciso
Poema - Reciclar é preciso
 
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
 
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_AssisMemórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 

Aula 3 – tipos e métodos de treinamento

  • 1. Prof. Ms. Antonio Figueiredo
  • 2. • Questionários • Observações • Avaliação de Desempenho • Análise de Cargos • Modificação do Trabalho • Entrevista de Desligamento • Relatórios • Solicitação da Chefia
  • 3. • Definição clara do objetivo do Treinamento • Escolha dos métodos de Treinamento • Definição dos recursos necessários • Definição da população-alvo • Local • Período
  • 4. • Quando? • Quem? • Onde? Ter claro todos os objetivos. • Realização do Treinamento.
  • 5. • Por que avaliar? Avaliação deve ser feita: - Antes - Durante - Depois
  • 6. 1. Avaliar se o treinamento produziu as modificações desejadas no comportamento dos funcionários; 2. Verificar se os resultados do treinamento apresenta relação com o alcance das metas da organização.
  • 7. Tipos: - Avaliação de reação - Avaliação de Aprendizagem - Avaliação Comportamental
  • 8. Quem avalia? - Avaliação do funcionário - Autoavaliação - Avaliação pelo Superior Imediato - Observação do comportamento - Relatórios
  • 9. • Adequação do programa de treinamento às necessidades da empresa. • Qualidade do treinamento. • Cooperação das lideranças. • Interesse dos funcionários.
  • 10. • Segundo Marras (2000), O LNT identifica as carências de preparo profissional das pessoas, ou seja, a diferença entre o que uma pessoa deveria fazer a aquilo que ela realmente sabe e faz.
  • 11. • Carvalho (1974), considerando o treinamento como uma forma de educação, então definida como educação técnica ou especializada, apresenta quatro necessidades para sua elaboração
  • 12. • São elas: a ‘formação inicial’, que compreende os trabalhos a serem desenvolvidos a partir do egresso de um novo funcionário; • O ‘aperfeiçoamento no cargo’ quando ocorre a necessidade de se trabalhar novas questões e/ou evoluir aquelas já realizadas; • A ‘transferência’, reportando-se as alterações de cargos e/ou funções, • ‘Promoção’ relacionada à intenção de se elevar alguém de um posto a outro de trabalho, percebendo atribuições mais complexas. Gil (1994)
  • 13. • O objetivo precisa ser realista, exeqüível, descrito de forma sucinta, devendo também indicar o ponto de contato, “a convergência” com o processo de planejamento organizacional
  • 14. • Objetivos confusos ou fantasiosos, por exemplo, levarão a treinamentos falhos, que não trarão benefícios à organização, mas apenas, quando muito, ao próprio treinando.
  • 15. • O grande segredo de uma boa elaboração de LNT está em especificar com precisão e clareza o conteúdo dos campos objetivo e forma de verificação. Se estes dois campos estiverem fortemente ligados e expostos de forma clara e realista, será muito difícil a aprovação de treinamentos que não vão ao encontro dos reais interesses das organizações
  • 16. • A chefia imediata deve apontar e levantar junto aos seus subordinados (treinando em potencial) as necessidades concretas de treinamento. •
  • 17.  Alguns dos métodos mais utilizados nas empresas são: • Demonstração; • Discussões em grupo; • Estágio; • Curso. 24/12/15
  • 18.  É um método por meio do qual um ou mais instrutores transmitem conhecimentos a um ou mais aprendizes, executando eles mesmos – instrutores – as operações de tal modo que elas sejam assimiladas clara e completamente pelo treinado. As principais vantagens desse método são: estimula no treinando os mecanismos conjuntos da ação, da visão e da audição e também desenvolve, conscientemente, o binômio "ensaio-e-erro" até assimilar a matéria por esforço próprio.  Esse método é recomendado para aprendizagem prática de princípios teóricos, como, por exemplo, fabricar alguma coisa ou elaborar um balanço, ou até, efetuar uma venda. 24/12/15
  • 19.  O conceito atual de empresa abrange o trabalho em equipe, com a necessária divisão de tarefas e conseqüente especialização funcional. É nesse quadro social que o método de discussões em grupo se destaca, pois que possibilita aos seus integrantes a conjugação de experiências e de informações.  Particularmente indicado para o treinamento de superiores de primeira linha (diretores, superintendentes, gerentes e chefes), o método da discussão em grupo pressupõe análise de temas complexos e que obrigam seus participantes a terem um visão global dos problemas debatidos. 24/12/15
  • 20.  É um método que vem sendo largamente requisitado ultimamente. Empresas há que fazem do estágio um ponto básico no processo de formação profissional.  O estágio também é utilizado para o processo de carreira funcional dentro da companhia.  O estágio inicial é aplicado ao treinando que ingressa na empresa sem conhecimento prévio, ou com relativa base teórica em potencial.  Via de regra o estágio deve ser um método de treinamento individual ou, quando muito, para grupos restritos de treinandos. 24/12/15
  • 21.  Um programa de curso começa com a constituição de turmas, seleção de professores e instrutores, escolha de locais, organização de horários e preparação de aulas. 24/12/15
  • 22.  A aplicação das técnicas abaixo citadas depende basicamente de três fatores: facilidade de aplicação, adequação, rentabilidade.  a – Preleção ou Palestra;  b – Conferência;  c – Seminário;  d – Estudo do Caso; 24/12/15
  • 23.  É a exposição verbal de um assunto cuidadosamente elaborado. De um modo geral, caracteriza-se pelo formalismo. Trata-se de um método de treinamento que pode ser utilizado quando se pretende alcançar um ou mais objetivos enunciados a seguir: apresentar um ponto de vista objetivo, apresentar uma análise correta de um dos aspectos de um questão controvertida, orientar os treinandos no sentido de outras leituras e pesquisas, transmitir informações de maneira direta e formal, identificar e explorar um determinado problema 24/12/15
  • 24.  É uma técnica mais formal que a preleção. Geralmente destinada à apresentação de determinado assunto a auditórios maiores. Por ser formal e atingir um número consideravelmente mais elevado de ouvintes em comparação com a palestra, a conferência deve ser empregada em ocasiões solenes e restritas a um número elevado de pessoas.  É recomendado o emprego da conferência como parte de um Programa de treinamento interno quando, então, é convidado um especialista fora da empresa. 24/12/15
  • 25.  Técnica de treinamento revelado em um grupo de pessoas reunido com o propósito de estudar um assunto sob a direção de especialistas. O seminário caracteriza-se pela troca de experiências profissionais entre seus participantes, com elaboração final de conclusões 24/12/15
  • 26.  É uma técnica de formação em grupo baseada em discussões organizacionais e sistemáticas de casos extraídos da vida real 24/12/15
  • 27.  Consiste, basicamente, na representação de papéis previamente determinados e em situações simuladas.  O "role-playing" tem limitações e vantagens. Não é recomendável, por exemplo, aplicá-lo como técnica única no Programa de treinamento. Outra limitação é que os participantes da dramatização, por mais à vontade que possam ficar, sentem certa dose de inibição natural diante do grupo, dificultando o enfoque realista de um dado problema em discussão. Finalmente, lembramos que o "role-playing" não deve ser aplicado a grupos com baixa motivação funcional, ou dotados de percepção pouco desenvolvida. 24/12/15