SlideShare uma empresa Scribd logo
Coaching e seus Mitos
  Conhecendo mais o método
Origem
• Etimologicamente coaching vem de coach, palavra antiga referente a onde
  foi desenvolvida, numa pequena vila húngara, uma carruagem coberta
  chamada koczi, idealizada para proteger seus habitantes das intempéries
  regionais ao serem transportados de um lugar para outro. (HENDRICKSON
  1987)

• Ainda hoje, se procurarmos no dicionário Michaellis inglês-Português, o
  primeiro significado atribuído ao termos coach é carruagem.
Evolução do termos
• Com o passar dos anos, o termos coach passou a ser atribuídos a
  instrutor, inicialmente nos esportes.

• Desta forma, a origem do "coaching" no ambiente empresarial vem dos
  esporte, mas hoje esse termo tem muito pouco a ver com o que fazem
  atualmente técnicos esportivos ao treinarem suas equipes.

• Atualmente o termos Coaching esta relacionado ao acompanhamento
  individual, a transferência de conhecimento
  e principalmente ao desenvolvimento
  de competências.
A pratica de coaching
• Trata-se de um processo aberto, que analisa a situação presente, define os
  objetivos de rendimento, combina fontes pessoais, organizacionais e
  externas e, então, implementa um plano para o alcance desses objetivos.
  (King & Eaton 1999)


• Na essência do coaching é ajudar o indivíduo a resolver seus problemas e
  a transformar o que aprendeu em resultados positivos para si e para a
  equipe a qual lidera.
O Coach
PERFIL DO COACH:
• Profissionais com forte base e formação humanista para entender de
  relações interpessoais, grupais, ter vivência organizacional e institucional
  diversificada.
• Profissionais sênior poderá ter mais facilidade para ser ouvi do pelo
  participante (recomenda-se já ter exercido cargo de comando de mesmo
  nível ou superior aos de seus clientes).
• O histórico profissional e pessoal do coach concede credibilidade e
  confiança em processos sigilosos e delicados (MILARÉ, 2007).
O Coach (cont.)
HABILIDADES DO COACH:
• Respeitar confidencialidade, manter relações altamente intensas com
  objetividade,
• Habilidade de escutar, empatizar, fornecer feedback, criar argumentos,
  desafios e explorar o mundo do executivo.
• Ciência em negócios, gerenciamento, assunto político,
• Conhecimento e vivencia do papel de liderança efetivo.
O Coach (cont.)
INDICAÇÃO DO COACH:
   – Profissional da área de recursos humanos das organizações,
   – Pelo superior ou
   – Por um amigo, colega ou pessoa que exerce um papel de referencia
       ESCOLHA DO COACH:
                Lista-se três principais critérios:
                       • Confiança,
                       • Reputação sólida e
                       • Empatia.
                SELEÇÃO DO COACH
                        –   Pela experiência EM acompanhar feedbacks 360 graus,
                        –   Conhecimento de ambiente corporativo e
                        –   Habilidade em confrontar e mesmo assim fornecer suporte
                        –   Mantendo a confidencialidade.
Tipos de Coaching:

 Individual: quando uma pessoa física procura a ajuda profissional por
  iniciativa própria, para realizar mudanças que promovam seu auto-
  desenvolvimento.
 Corporativo: quando é a pessoa jurídica quem contrata a ajuda
  profissional para atender um ou mais colaboradores, para promover
  mudanças pessoais que sejam convertidas em resultados positivos para a
  organização e para o envolvido
                                                         MILARÉ, 2003
Áreas do Coaching
• Coaching espiritual: busca questionar e refletir sobre posicionamentos
  filosóficos;

• Coaching do novo líder: busca especificamente ajudar o líder a assimilar
  seu novo papel e definir e implementar seu novo negócio para garantirem
  juntos os componentes-chave para sua equipe;

• Coaching de relacionamento:ajuda a forma ou a mudança daquelas
  relações para produtividade e satisfação maiores;
Áreas do Coaching (cont.)
• Coaching de legado: ajuda a pessoa que se aposenta a identificar o legado
  que ela gostaria de deixar e tomar as ações apropriadas para fazer seu
  legado se tornar uma realidade;

• Coaching de equipe: um ou mais coaches se especializam em dinâmica e
  efetividade da equipe para trabalhar junto com o líder e cada membro da
  equipe;

• Coaching de executivos da maioria dessas outras formas de coaching é
  seu enfoque dual de trabalho um a um e em desenvolver o executivo
  como líder, enquanto também ajuda aquele líder a alcançar os resultados
  dos negócios.
MITOS SOBRE COACHING
MITO 1: O coaching não precisa de um método estruturado,
     pois depende fundamentalmente da competência do coach.

•   Esse é um dos equívocos mais comuns no mercado atualmente. Muitos
    consultores e executivos acham que, por lidar com pessoas e conhecer bem a
    organização, também podem se tornar bons coachs. Não é bem assim, como
    vimos na introdução do artigo;

•   É preciso diferenciar os seguintes papéis: o coaching executivo (aplicado por um
    especialista contratado pela empresa), o coaching funcional (que é um dos papéis
    de todo chefe) e o coaching informal (que é a orientação profissional do dia-a-dia);

•   É evidente que o papel do coach é importante, mas sem uma metodologia e sem
    estrutura passa a ser algo pouco efetivo.
MITO 2: O coaching visa mais a qualidade de vida do
           profissional que a melhoria de performance.




•   Ainda que no processo de coaching a qualidade de vida seja um aspecto
    importante – no sentido de buscar o equilíbrio entre carreira e vida pessoal, ou
    combater as causas de stress – o principal foco desta ferramenta é, sem dúvida, o
    desenvolvimento do profissional, tendo como objetivo maior a melhoria de
    performance e o aprimoramento de suas competências.
MITO 3: Todo processo de coaching, no fundo, é para resolver
                             problemas.


•    Essa idéia equivocada é uma das grandes causas da resistência de muitas pessoas
     nas organizações a aceitar e se comprometer com um processo de coaching;

•    Coaching é um processo típico de desenvolvimento, portanto, não é necessário
     haver um problema ou uma deficiência para se indicar o método. Por exemplo, um
     excelente momento para se usar o processo de coaching se dá em casos de
     promoção do profissional para um posto mais abrangente e desafiador - uma
     ótima oportunidade para rever seu papel e as competências que serão mais
     exigidas.
MITO 4: Bons profissionais não precisam passar por coaching.




•    Ao contrário, quem mais deveria se beneficiar desse processo são os considerados
     talentos da organização. É especialmente para pessoas que demonstram potencial
     e comprometimento que a empresa deveria oferecer um processo de coaching,
     dentre outros recursos para o desenvolvimento de sua liderança.
MITO 5: Coaching é uma “última chance”

•   Nada mais errado que isso. Acreditar que o coaching é um método de reabilitação
    tem levado muita gente a indicá-lo a qualquer pessoa que apresente algum
    problema de comportamento, como se essa fosse uma panacéia, um remédio para
    todos os males;

•   Se a pessoa está infeliz na sua função, se não concorda com a filosofia da empresa,
    se não consegue manter um bom relacionamento com seu chefe, se não está se
    “enquadrando” nas normas, se só reclama de tudo, se não mostra melhorias ou
    mudanças de atitude, apesar de todos os avisos e sinais, não é o coaching, por si,
    que mudará a situação;
MITO 5: Cont.

•   Parece que, em muitos casos, se abdica do bom senso e não se ataca o problema de frente.
    Muitas vezes, o problema está na falta de feedback, na falta de clareza das políticas e
    diretrizes da organização e não necessariamente no indivíduo. Se o caso é para demissão,
    não se deve recorrer ao coaching.

•   Da mesma forma, o coaching não pode servir de bode expiatório. Algumas empresas “usam”
    o processo de coaching para justificar uma demissão, como se dissessem “tentamos, mas não
    tem jeito”. Vale lembrar que as recomendações do coaching são confidenciais e só podem ser
    divulgadas ao profissional atendido e a quem ele permitir. Por isso, o especialista em
    coaching (ou coach externo) deve ter clareza do objetivo de sua contratação. Se não for o
    desenvolvimento do executivo, mas apenas ratificar uma demissão, melhor não aceitar a
    tarefa.
MITO 6: Qualquer pessoa com experiência gerencial pode ser
                um bom profissional de coaching.


•    Aqui há uma confusão entre o que chamamos de coaching executivo – atividade
     especializada de um profissional externo – e o papel de coach natural que cabe a um líder ou
     a um gestor;

•    Mesmo na função de chefia, são poucos os que efetivamente exercem ou procuram exercer
     esse papel. “Evidentemente, é possível que grandes líderes sejam bons coaches, mas nós
     vemos que somente ocasionalmente isso acontece. O mais típico são líderes semelhantes a
     Steve Jobs, cujas forças distintivas repousam em sua habilidade de instigar outros através de
     sua visão mais do que através de seus talentos como coach”, já escreveram Robert Goffee, da
     London Business School, e Gareth Jones, Diretor de RH da BBC (Harvard Business Review,
     set/out 2000).
MITO 7: É muito difícil quantificar os resultados dos processos
                              de coaching.

•    Isso só é verdade quando uma empresa contrata um processo de coaching sem
     saber especificar os resultados esperados. Já atendi altos executivos, indicados por
     seus superiores, que chegaram a mim sem a menor noção sobre os motivos que os
     levavam a esse atendimento.

•     Ou seja, se antes de se iniciar o processo de coaching ficam claras as expectativas,
     a medição dos resultados não será difícil;

•     Em suma, o coaching se ressente dos mesmos problemas encontrados para aferir
     resultados de treinamento – nos dois casos, muitas vezes, não se sabe muito bem
     porque está se fazendo aquilo;
MITO 7: Cont.

•   Ainda que o resultado esperado seja de natureza qualitativa, pode perfeitamente
    ser medido com algumas medidas simples, como comparar a situação anterior do
    profissional à posterior; aplicar avaliação 360 graus antes e depois ou recolher
    feedbacks ao início e após o desenvolvimento;

•   Realmente, coaching sem medição de resultados pode ficar parecendo terapia
    (nada contra terapias, mas aqui a finalidade é outra). Muito da imagem negativa
    do coaching vem dessa falta de aferição.
MITO 8: Como o responsável por um bom resultado é o próprio
  coachee, não é necessária a participação de seu gestor no
                         processo.
•   Embora poucos admitam, esse é o mito mais comum. Normalmente, os chefes
    “mandam” um subordinado para o processo de coaching e ficam esperando os
    resultados. É mais ou menos como levar um filho ao médico e ficar esperando a
    “cura”.
•   O papel natural de coach dentro da organização cabe ao líder, ao chefe, que no
    dia-a-dia deve estimular e dar condições para que os subordinados se
    desenvolvam;
•   O feedback constante não só é uma obrigação do chefe, como também é uma
    ferramenta importante que ele tem em mãos para contribuir no desenvolvimento
    de sua equipe;
•   Importante: o trabalho de um coach externo, por melhor estruturado que seja,
    não substitui o papel de coach de cada líder em relação à sua equipe.
MITO 9: Coaching é coisa de psicólogo.

•   Aqui a confusão é grande, pois, para muita gente, o coaching está muito próximo
    de uma terapia – manda-se para lá quem tem problemas; afinal, é um
    atendimento individualizado e também confidencial, entre outras semelhanças
    dessas atividades;

•   Ainda que possa se dizer que um processo de coaching efetivo tenha um “efeito
    terapêutico”, estamos falando de métodos completamente diferentes. Mais uma
    vez: o foco do coaching executivo está nas atividades profissionais e não nos
    problemas pessoais, dramas ou traumas do indivíduo;
MITO 9:Cont.

•   Isso não significa que, no processo de coaching, não se lide com os problemas
    pessoais. Mas a forma de lidar e o tratamento são totalmente distintos;

•   No coaching, a história pessoal e profissional, o perfil de personalidade, o grau de
    autoconhecimento, o momento de vida e as perspectivas de carreira são a base
    para gerar comprometimento e consciência de quais são os recursos para alcançar
    os resultados esperados.
MITO 10: Coaching faz milagres!


•   Ainda que nem sempre explicitado, este mito é percebido quando se procura o
    coaching para resolver qualquer problema, de qualquer natureza.

•   Esse mito também decorre da crença de que o coaching, por si, pode resolver o
    problema e nem o indivíduo e nem sua hierarquia precisam fazer grande esforço.
    A expectativa é que o coach “resolva”.
MITO 11: Coaching é só mais um modismo.


•   O termo “coaching” está na moda, sim, e quem dele faz um uso inadequado será
    aos poucos identificado pelo mercado, certamente. Mas a metodologia do
    coaching é bem anterior ao modismo da palavra. O Brasil conta com alguns bons
    profissionais, capacitados para aplicar essa ferramenta de modo estruturado e
    entregar os resultados esperados.
www.coachconsultoria.com.br
       Av. Augusto Meyer 163 /1003
   Bairro Higienópolis • Porto Alegre • RS

        51 33330599 • 51 97390909

     coach@coachconsultoria.com.br

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Apresentação COACHING
Apresentação COACHINGApresentação COACHING
Apresentação COACHING
Lienys Carvalho
 
Coaching Pratico
Coaching PraticoCoaching Pratico
Coaching Pratico
DinsmoreAssociates
 
Introdução ao Coaching
Introdução ao CoachingIntrodução ao Coaching
Introdução ao Coaching
Luci Bonini
 
Introdução ao Coaching
Introdução ao CoachingIntrodução ao Coaching
Introdução ao Coaching
Paulo André Jesus
 
O que é coaching
O que é coachingO que é coaching
O que é coaching
Douglas Ferreira
 
Liderança coach. coach nas organziações!
Liderança coach. coach nas organziações!Liderança coach. coach nas organziações!
Liderança coach. coach nas organziações!
Marcely Santos
 
Leader coach -_coaching_como_filosofia_de_liderança_-_nadir_-_santos
Leader coach -_coaching_como_filosofia_de_liderança_-_nadir_-_santosLeader coach -_coaching_como_filosofia_de_liderança_-_nadir_-_santos
Leader coach -_coaching_como_filosofia_de_liderança_-_nadir_-_santos
IBC Coaching
 
Workshop sobre COACHING "O que é e para que serve"
Workshop sobre COACHING "O que é e para que serve"Workshop sobre COACHING "O que é e para que serve"
Workshop sobre COACHING "O que é e para que serve"
Manuela Selas
 
Palestra Aumente as Vendas com Coaching
Palestra Aumente as Vendas com CoachingPalestra Aumente as Vendas com Coaching
Palestra Aumente as Vendas com Coaching
Fred Graef
 
Planejando 2014
Planejando 2014Planejando 2014
Planejando 2014
IBC Coaching
 
Palestra leader coach ifa7 02 2015
Palestra leader coach ifa7 02 2015Palestra leader coach ifa7 02 2015
Palestra leader coach ifa7 02 2015
Walter Alba
 
Coaching - alcance seus objetivos pessoais e profissionais
Coaching - alcance seus objetivos pessoais e profissionaisCoaching - alcance seus objetivos pessoais e profissionais
Coaching - alcance seus objetivos pessoais e profissionais
IBC Coaching
 
Panorama do coaching no mundo e no Brasil
Panorama do coaching no mundo e no BrasilPanorama do coaching no mundo e no Brasil
Panorama do coaching no mundo e no Brasil
Luci Bonini
 
Coaching Como Ferramenta de Liderança e Gestão de Pessoas
Coaching Como Ferramenta de Liderança e Gestão de PessoasCoaching Como Ferramenta de Liderança e Gestão de Pessoas
Coaching Como Ferramenta de Liderança e Gestão de Pessoas
IBC Coaching
 
Liderança e Fundamentos de Coaching
Liderança e Fundamentos de CoachingLiderança e Fundamentos de Coaching
Liderança e Fundamentos de Coaching
Eduardo Gross
 
Coach - Uma Profissão de Excelência
Coach - Uma Profissão de Excelência Coach - Uma Profissão de Excelência
Coach - Uma Profissão de Excelência
IBC Coaching
 
WORKSHOP: COACHING BÁSICO. COMO DEFINIR E ALCANÇAR OBJETIVOS NA SUA VIDA.
WORKSHOP: COACHING BÁSICO. COMO DEFINIR E ALCANÇAR OBJETIVOS NA SUA VIDA.WORKSHOP: COACHING BÁSICO. COMO DEFINIR E ALCANÇAR OBJETIVOS NA SUA VIDA.
WORKSHOP: COACHING BÁSICO. COMO DEFINIR E ALCANÇAR OBJETIVOS NA SUA VIDA.
Paula Quaiser
 
Lider Coach
Lider CoachLider Coach
Lider Coach
Claudine Hudson
 
Coach - O Lider Coach
Coach -  O Lider CoachCoach -  O Lider Coach
O Poder do Coaching - Ferramentas, Focos e Resultados
O Poder do Coaching - Ferramentas, Focos e ResultadosO Poder do Coaching - Ferramentas, Focos e Resultados
O Poder do Coaching - Ferramentas, Focos e Resultados
IBC Coaching
 

Mais procurados (20)

Apresentação COACHING
Apresentação COACHINGApresentação COACHING
Apresentação COACHING
 
Coaching Pratico
Coaching PraticoCoaching Pratico
Coaching Pratico
 
Introdução ao Coaching
Introdução ao CoachingIntrodução ao Coaching
Introdução ao Coaching
 
Introdução ao Coaching
Introdução ao CoachingIntrodução ao Coaching
Introdução ao Coaching
 
O que é coaching
O que é coachingO que é coaching
O que é coaching
 
Liderança coach. coach nas organziações!
Liderança coach. coach nas organziações!Liderança coach. coach nas organziações!
Liderança coach. coach nas organziações!
 
Leader coach -_coaching_como_filosofia_de_liderança_-_nadir_-_santos
Leader coach -_coaching_como_filosofia_de_liderança_-_nadir_-_santosLeader coach -_coaching_como_filosofia_de_liderança_-_nadir_-_santos
Leader coach -_coaching_como_filosofia_de_liderança_-_nadir_-_santos
 
Workshop sobre COACHING "O que é e para que serve"
Workshop sobre COACHING "O que é e para que serve"Workshop sobre COACHING "O que é e para que serve"
Workshop sobre COACHING "O que é e para que serve"
 
Palestra Aumente as Vendas com Coaching
Palestra Aumente as Vendas com CoachingPalestra Aumente as Vendas com Coaching
Palestra Aumente as Vendas com Coaching
 
Planejando 2014
Planejando 2014Planejando 2014
Planejando 2014
 
Palestra leader coach ifa7 02 2015
Palestra leader coach ifa7 02 2015Palestra leader coach ifa7 02 2015
Palestra leader coach ifa7 02 2015
 
Coaching - alcance seus objetivos pessoais e profissionais
Coaching - alcance seus objetivos pessoais e profissionaisCoaching - alcance seus objetivos pessoais e profissionais
Coaching - alcance seus objetivos pessoais e profissionais
 
Panorama do coaching no mundo e no Brasil
Panorama do coaching no mundo e no BrasilPanorama do coaching no mundo e no Brasil
Panorama do coaching no mundo e no Brasil
 
Coaching Como Ferramenta de Liderança e Gestão de Pessoas
Coaching Como Ferramenta de Liderança e Gestão de PessoasCoaching Como Ferramenta de Liderança e Gestão de Pessoas
Coaching Como Ferramenta de Liderança e Gestão de Pessoas
 
Liderança e Fundamentos de Coaching
Liderança e Fundamentos de CoachingLiderança e Fundamentos de Coaching
Liderança e Fundamentos de Coaching
 
Coach - Uma Profissão de Excelência
Coach - Uma Profissão de Excelência Coach - Uma Profissão de Excelência
Coach - Uma Profissão de Excelência
 
WORKSHOP: COACHING BÁSICO. COMO DEFINIR E ALCANÇAR OBJETIVOS NA SUA VIDA.
WORKSHOP: COACHING BÁSICO. COMO DEFINIR E ALCANÇAR OBJETIVOS NA SUA VIDA.WORKSHOP: COACHING BÁSICO. COMO DEFINIR E ALCANÇAR OBJETIVOS NA SUA VIDA.
WORKSHOP: COACHING BÁSICO. COMO DEFINIR E ALCANÇAR OBJETIVOS NA SUA VIDA.
 
Lider Coach
Lider CoachLider Coach
Lider Coach
 
Coach - O Lider Coach
Coach -  O Lider CoachCoach -  O Lider Coach
Coach - O Lider Coach
 
O Poder do Coaching - Ferramentas, Focos e Resultados
O Poder do Coaching - Ferramentas, Focos e ResultadosO Poder do Coaching - Ferramentas, Focos e Resultados
O Poder do Coaching - Ferramentas, Focos e Resultados
 

Destaque

Giulianno de Lollo - Personal e Professional Coach
Giulianno de Lollo - Personal e Professional CoachGiulianno de Lollo - Personal e Professional Coach
Giulianno de Lollo - Personal e Professional Coach
Giulianno de Lollo
 
Programa Executive Coaching
Programa Executive CoachingPrograma Executive Coaching
Programa Executive Coaching
action_coach
 
Coaching
CoachingCoaching
Coaching
erich8chuck
 
Consultoria Coaching Empresarial
Consultoria Coaching EmpresarialConsultoria Coaching Empresarial
Consultoria Coaching Empresarial
Instituto Gate
 
Proposta de Coaching - Prof. Paulo C. Amaral, Msc.
Proposta de Coaching - Prof. Paulo C. Amaral, Msc.Proposta de Coaching - Prof. Paulo C. Amaral, Msc.
Proposta de Coaching - Prof. Paulo C. Amaral, Msc.
Paulo Amaral
 
Leader Coach: seja um Líder e não um Chefe
Leader Coach: seja um Líder e não um ChefeLeader Coach: seja um Líder e não um Chefe
Leader Coach: seja um Líder e não um Chefe
IBC Coaching
 
Aula 03, 04, 05 e 06 gestao pessoas e liderança lider coach, feedback, des ...
Aula 03, 04, 05 e 06 gestao pessoas e liderança   lider coach, feedback, des ...Aula 03, 04, 05 e 06 gestao pessoas e liderança   lider coach, feedback, des ...
Aula 03, 04, 05 e 06 gestao pessoas e liderança lider coach, feedback, des ...
Janaina Ferreira
 
7 passos para um processo de Coaching pronto para você usar
7 passos para um processo de Coaching pronto para você usar7 passos para um processo de Coaching pronto para você usar
7 passos para um processo de Coaching pronto para você usar
Solides Tecnologia
 
O caminho quadruplo
O caminho quadruploO caminho quadruplo
O caminho quadruplo
Mensagens Virtuais
 
Coaching para empreendedores
Coaching para empreendedoresCoaching para empreendedores
Coaching para empreendedores
washington carlos vieira
 
Proposta Coaching - Modelo Introdutório - Rodrigo Fujii
Proposta Coaching - Modelo Introdutório - Rodrigo FujiiProposta Coaching - Modelo Introdutório - Rodrigo Fujii
Proposta Coaching - Modelo Introdutório - Rodrigo Fujii
Rodrigo Fujii
 
Palestrante motivacional-coaching-empresarial 3
Palestrante motivacional-coaching-empresarial 3Palestrante motivacional-coaching-empresarial 3
Palestrante motivacional-coaching-empresarial 3
Adonai Zanoni
 
Feedback
FeedbackFeedback
Feedback
FeedbackFeedback
Perguntas que você deve se fazer
Perguntas que você deve se fazerPerguntas que você deve se fazer
Perguntas que você deve se fazer
Ana Coelho
 
Coaching - metodologia eficaz para novas práticas de gestão
Coaching - metodologia eficaz para novas práticas de gestãoCoaching - metodologia eficaz para novas práticas de gestão
Coaching - metodologia eficaz para novas práticas de gestão
IBC Coaching
 
De Coach a Chapeiro - Uma história de quebra de paradigma de empreendedorismo
De Coach a Chapeiro - Uma história de quebra de paradigma de empreendedorismoDe Coach a Chapeiro - Uma história de quebra de paradigma de empreendedorismo
De Coach a Chapeiro - Uma história de quebra de paradigma de empreendedorismo
Manoel Pimentel Medeiros
 
Cérebro e mente 2
Cérebro e mente 2Cérebro e mente 2
Cérebro e mente 2
Milton Moura
 
Como Motivar Funcionarios
Como Motivar FuncionariosComo Motivar Funcionarios
Como Motivar Funcionarios
Paulo Antônio Almeida
 
Coach TI - Aconselhamento de Carreira
Coach TI - Aconselhamento de CarreiraCoach TI - Aconselhamento de Carreira
Coach TI - Aconselhamento de Carreira
Márcio Nogueira
 

Destaque (20)

Giulianno de Lollo - Personal e Professional Coach
Giulianno de Lollo - Personal e Professional CoachGiulianno de Lollo - Personal e Professional Coach
Giulianno de Lollo - Personal e Professional Coach
 
Programa Executive Coaching
Programa Executive CoachingPrograma Executive Coaching
Programa Executive Coaching
 
Coaching
CoachingCoaching
Coaching
 
Consultoria Coaching Empresarial
Consultoria Coaching EmpresarialConsultoria Coaching Empresarial
Consultoria Coaching Empresarial
 
Proposta de Coaching - Prof. Paulo C. Amaral, Msc.
Proposta de Coaching - Prof. Paulo C. Amaral, Msc.Proposta de Coaching - Prof. Paulo C. Amaral, Msc.
Proposta de Coaching - Prof. Paulo C. Amaral, Msc.
 
Leader Coach: seja um Líder e não um Chefe
Leader Coach: seja um Líder e não um ChefeLeader Coach: seja um Líder e não um Chefe
Leader Coach: seja um Líder e não um Chefe
 
Aula 03, 04, 05 e 06 gestao pessoas e liderança lider coach, feedback, des ...
Aula 03, 04, 05 e 06 gestao pessoas e liderança   lider coach, feedback, des ...Aula 03, 04, 05 e 06 gestao pessoas e liderança   lider coach, feedback, des ...
Aula 03, 04, 05 e 06 gestao pessoas e liderança lider coach, feedback, des ...
 
7 passos para um processo de Coaching pronto para você usar
7 passos para um processo de Coaching pronto para você usar7 passos para um processo de Coaching pronto para você usar
7 passos para um processo de Coaching pronto para você usar
 
O caminho quadruplo
O caminho quadruploO caminho quadruplo
O caminho quadruplo
 
Coaching para empreendedores
Coaching para empreendedoresCoaching para empreendedores
Coaching para empreendedores
 
Proposta Coaching - Modelo Introdutório - Rodrigo Fujii
Proposta Coaching - Modelo Introdutório - Rodrigo FujiiProposta Coaching - Modelo Introdutório - Rodrigo Fujii
Proposta Coaching - Modelo Introdutório - Rodrigo Fujii
 
Palestrante motivacional-coaching-empresarial 3
Palestrante motivacional-coaching-empresarial 3Palestrante motivacional-coaching-empresarial 3
Palestrante motivacional-coaching-empresarial 3
 
Feedback
FeedbackFeedback
Feedback
 
Feedback
FeedbackFeedback
Feedback
 
Perguntas que você deve se fazer
Perguntas que você deve se fazerPerguntas que você deve se fazer
Perguntas que você deve se fazer
 
Coaching - metodologia eficaz para novas práticas de gestão
Coaching - metodologia eficaz para novas práticas de gestãoCoaching - metodologia eficaz para novas práticas de gestão
Coaching - metodologia eficaz para novas práticas de gestão
 
De Coach a Chapeiro - Uma história de quebra de paradigma de empreendedorismo
De Coach a Chapeiro - Uma história de quebra de paradigma de empreendedorismoDe Coach a Chapeiro - Uma história de quebra de paradigma de empreendedorismo
De Coach a Chapeiro - Uma história de quebra de paradigma de empreendedorismo
 
Cérebro e mente 2
Cérebro e mente 2Cérebro e mente 2
Cérebro e mente 2
 
Como Motivar Funcionarios
Como Motivar FuncionariosComo Motivar Funcionarios
Como Motivar Funcionarios
 
Coach TI - Aconselhamento de Carreira
Coach TI - Aconselhamento de CarreiraCoach TI - Aconselhamento de Carreira
Coach TI - Aconselhamento de Carreira
 

Semelhante a Coaching e seus mitos - Apresentação do Coach Marcelo Cassales Saldanha

Mentoring
MentoringMentoring
Mentoring
Marcos Roberto
 
Coaching: uma intervenção eficaz e suas aplicações
Coaching: uma intervenção eficaz e suas aplicaçõesCoaching: uma intervenção eficaz e suas aplicações
Coaching: uma intervenção eficaz e suas aplicações
Conselho Regional de Administração de São Paulo
 
Introducao ao Coaching amostra
Introducao ao Coaching amostraIntroducao ao Coaching amostra
Introducao ao Coaching amostra
Sergio Cabral
 
Coaching Education
Coaching Education Coaching Education
Coaching Education
GIFTWISH App
 
Palestra sobre coaching aos pós-graduandos do POSMEC, 04/set/2013
Palestra sobre coaching aos pós-graduandos do POSMEC, 04/set/2013Palestra sobre coaching aos pós-graduandos do POSMEC, 04/set/2013
Palestra sobre coaching aos pós-graduandos do POSMEC, 04/set/2013
Jonny Silva
 
LIDER COACH E SUA IMORTÂNCIA NSS ORGANIZAÇÕES.
LIDER COACH E SUA IMORTÂNCIA NSS ORGANIZAÇÕES.LIDER COACH E SUA IMORTÂNCIA NSS ORGANIZAÇÕES.
LIDER COACH E SUA IMORTÂNCIA NSS ORGANIZAÇÕES.
JosineiPeres
 
Artigo Coaching é para mim?
Artigo Coaching é para mim?Artigo Coaching é para mim?
Artigo Coaching é para mim?
Gabriel Santa Rosa
 
Coaching e feedback
Coaching e feedbackCoaching e feedback
Coaching e feedback
Karla Borgo
 
Artigo como escolher seu coach
Artigo como escolher seu coachArtigo como escolher seu coach
Artigo como escolher seu coach
Gabriel Santa Rosa
 
COACH 3.pdf
COACH 3.pdfCOACH 3.pdf
COACH 3.pdf
IveteRegina1
 
La executive coaching
La executive coachingLa executive coaching
La executive coaching
Luiz Antonio Castro Mattos
 
Coaching e avaliação de competencias
Coaching e avaliação de competenciasCoaching e avaliação de competencias
Coaching e avaliação de competencias
washington carlos vieira
 
Coaching rh2
Coaching   rh2Coaching   rh2
Coaching rh2
katiagomide
 
Coaching D
Coaching DCoaching D
Coaching D
Alfonso Gravalos
 
Equipe 5
Equipe 5Equipe 5
Equipe 5
Daniela Garcia
 
Conheça o Coaching
Conheça o CoachingConheça o Coaching
Conheça o Coaching
Patrícia Gonçalves
 
Portfólio Conecta , Palestras, Workshops, Treinamentos e Coaching!
Portfólio Conecta , Palestras, Workshops, Treinamentos e Coaching!Portfólio Conecta , Palestras, Workshops, Treinamentos e Coaching!
Portfólio Conecta , Palestras, Workshops, Treinamentos e Coaching!
Conecta Treinamento e Desenvolvimento Humano
 
Artigo sobre conceitos fundamentais em Coaching
Artigo sobre conceitos fundamentais em Coaching Artigo sobre conceitos fundamentais em Coaching
Artigo sobre conceitos fundamentais em Coaching
Gabriel Santa Rosa
 
Sofia Calheiros-Coaching-5W
Sofia Calheiros-Coaching-5WSofia Calheiros-Coaching-5W
Sofia Calheiros-Coaching-5W
Sofia Calheiros
 
Master Class de Coaching de Vendas de Alta Performance - Aula 1
Master Class de Coaching de Vendas de Alta Performance - Aula 1Master Class de Coaching de Vendas de Alta Performance - Aula 1
Master Class de Coaching de Vendas de Alta Performance - Aula 1
Ernesto Costa Santos
 

Semelhante a Coaching e seus mitos - Apresentação do Coach Marcelo Cassales Saldanha (20)

Mentoring
MentoringMentoring
Mentoring
 
Coaching: uma intervenção eficaz e suas aplicações
Coaching: uma intervenção eficaz e suas aplicaçõesCoaching: uma intervenção eficaz e suas aplicações
Coaching: uma intervenção eficaz e suas aplicações
 
Introducao ao Coaching amostra
Introducao ao Coaching amostraIntroducao ao Coaching amostra
Introducao ao Coaching amostra
 
Coaching Education
Coaching Education Coaching Education
Coaching Education
 
Palestra sobre coaching aos pós-graduandos do POSMEC, 04/set/2013
Palestra sobre coaching aos pós-graduandos do POSMEC, 04/set/2013Palestra sobre coaching aos pós-graduandos do POSMEC, 04/set/2013
Palestra sobre coaching aos pós-graduandos do POSMEC, 04/set/2013
 
LIDER COACH E SUA IMORTÂNCIA NSS ORGANIZAÇÕES.
LIDER COACH E SUA IMORTÂNCIA NSS ORGANIZAÇÕES.LIDER COACH E SUA IMORTÂNCIA NSS ORGANIZAÇÕES.
LIDER COACH E SUA IMORTÂNCIA NSS ORGANIZAÇÕES.
 
Artigo Coaching é para mim?
Artigo Coaching é para mim?Artigo Coaching é para mim?
Artigo Coaching é para mim?
 
Coaching e feedback
Coaching e feedbackCoaching e feedback
Coaching e feedback
 
Artigo como escolher seu coach
Artigo como escolher seu coachArtigo como escolher seu coach
Artigo como escolher seu coach
 
COACH 3.pdf
COACH 3.pdfCOACH 3.pdf
COACH 3.pdf
 
La executive coaching
La executive coachingLa executive coaching
La executive coaching
 
Coaching e avaliação de competencias
Coaching e avaliação de competenciasCoaching e avaliação de competencias
Coaching e avaliação de competencias
 
Coaching rh2
Coaching   rh2Coaching   rh2
Coaching rh2
 
Coaching D
Coaching DCoaching D
Coaching D
 
Equipe 5
Equipe 5Equipe 5
Equipe 5
 
Conheça o Coaching
Conheça o CoachingConheça o Coaching
Conheça o Coaching
 
Portfólio Conecta , Palestras, Workshops, Treinamentos e Coaching!
Portfólio Conecta , Palestras, Workshops, Treinamentos e Coaching!Portfólio Conecta , Palestras, Workshops, Treinamentos e Coaching!
Portfólio Conecta , Palestras, Workshops, Treinamentos e Coaching!
 
Artigo sobre conceitos fundamentais em Coaching
Artigo sobre conceitos fundamentais em Coaching Artigo sobre conceitos fundamentais em Coaching
Artigo sobre conceitos fundamentais em Coaching
 
Sofia Calheiros-Coaching-5W
Sofia Calheiros-Coaching-5WSofia Calheiros-Coaching-5W
Sofia Calheiros-Coaching-5W
 
Master Class de Coaching de Vendas de Alta Performance - Aula 1
Master Class de Coaching de Vendas de Alta Performance - Aula 1Master Class de Coaching de Vendas de Alta Performance - Aula 1
Master Class de Coaching de Vendas de Alta Performance - Aula 1
 

Mais de Marcelo Cassales

Psychological first aid2
Psychological first aid2Psychological first aid2
Psychological first aid2
Marcelo Cassales
 
Psychological first aid1
Psychological first aid1Psychological first aid1
Psychological first aid1
Marcelo Cassales
 
Conexões ESADE - A Formação de Coaching
Conexões ESADE - A Formação de CoachingConexões ESADE - A Formação de Coaching
Conexões ESADE - A Formação de Coaching
Marcelo Cassales
 
1º Encontro de Coaching & Mentoring em AÇÃO
1º Encontro de Coaching & Mentoring em AÇÃO1º Encontro de Coaching & Mentoring em AÇÃO
1º Encontro de Coaching & Mentoring em AÇÃO
Marcelo Cassales
 
Declaração de Conclusão
Declaração de ConclusãoDeclaração de Conclusão
Declaração de Conclusão
Marcelo Cassales
 
Liderança e coaching - desenvolvendo pessoas, recriando organizações
Liderança e coaching - desenvolvendo pessoas, recriando organizaçõesLiderança e coaching - desenvolvendo pessoas, recriando organizações
Liderança e coaching - desenvolvendo pessoas, recriando organizações
Marcelo Cassales
 
Phil harkins 10_leadership_techniques_for_building_high_performing_teams
Phil harkins 10_leadership_techniques_for_building_high_performing_teamsPhil harkins 10_leadership_techniques_for_building_high_performing_teams
Phil harkins 10_leadership_techniques_for_building_high_performing_teams
Marcelo Cassales
 
Você esta a 6 pessoas do que precisa! - Modelo de Mundos Pequenos de Stanley ...
Você esta a 6 pessoas do que precisa! - Modelo de Mundos Pequenos de Stanley ...Você esta a 6 pessoas do que precisa! - Modelo de Mundos Pequenos de Stanley ...
Você esta a 6 pessoas do que precisa! - Modelo de Mundos Pequenos de Stanley ...
Marcelo Cassales
 
Intenational Coaching Certificate - Level 7 - Tactical
Intenational Coaching Certificate - Level 7 - TacticalIntenational Coaching Certificate - Level 7 - Tactical
Intenational Coaching Certificate - Level 7 - Tactical
Marcelo Cassales
 
Coaching de Talentos
Coaching de TalentosCoaching de Talentos
Coaching de Talentos
Marcelo Cassales
 
Institucional Coach Consultoria em Desenvolvimento Humano
Institucional Coach Consultoria em Desenvolvimento HumanoInstitucional Coach Consultoria em Desenvolvimento Humano
Institucional Coach Consultoria em Desenvolvimento Humano
Marcelo Cassales
 

Mais de Marcelo Cassales (12)

Vaga: Vendedor de peças
Vaga: Vendedor de peçasVaga: Vendedor de peças
Vaga: Vendedor de peças
 
Psychological first aid2
Psychological first aid2Psychological first aid2
Psychological first aid2
 
Psychological first aid1
Psychological first aid1Psychological first aid1
Psychological first aid1
 
Conexões ESADE - A Formação de Coaching
Conexões ESADE - A Formação de CoachingConexões ESADE - A Formação de Coaching
Conexões ESADE - A Formação de Coaching
 
1º Encontro de Coaching & Mentoring em AÇÃO
1º Encontro de Coaching & Mentoring em AÇÃO1º Encontro de Coaching & Mentoring em AÇÃO
1º Encontro de Coaching & Mentoring em AÇÃO
 
Declaração de Conclusão
Declaração de ConclusãoDeclaração de Conclusão
Declaração de Conclusão
 
Liderança e coaching - desenvolvendo pessoas, recriando organizações
Liderança e coaching - desenvolvendo pessoas, recriando organizaçõesLiderança e coaching - desenvolvendo pessoas, recriando organizações
Liderança e coaching - desenvolvendo pessoas, recriando organizações
 
Phil harkins 10_leadership_techniques_for_building_high_performing_teams
Phil harkins 10_leadership_techniques_for_building_high_performing_teamsPhil harkins 10_leadership_techniques_for_building_high_performing_teams
Phil harkins 10_leadership_techniques_for_building_high_performing_teams
 
Você esta a 6 pessoas do que precisa! - Modelo de Mundos Pequenos de Stanley ...
Você esta a 6 pessoas do que precisa! - Modelo de Mundos Pequenos de Stanley ...Você esta a 6 pessoas do que precisa! - Modelo de Mundos Pequenos de Stanley ...
Você esta a 6 pessoas do que precisa! - Modelo de Mundos Pequenos de Stanley ...
 
Intenational Coaching Certificate - Level 7 - Tactical
Intenational Coaching Certificate - Level 7 - TacticalIntenational Coaching Certificate - Level 7 - Tactical
Intenational Coaching Certificate - Level 7 - Tactical
 
Coaching de Talentos
Coaching de TalentosCoaching de Talentos
Coaching de Talentos
 
Institucional Coach Consultoria em Desenvolvimento Humano
Institucional Coach Consultoria em Desenvolvimento HumanoInstitucional Coach Consultoria em Desenvolvimento Humano
Institucional Coach Consultoria em Desenvolvimento Humano
 

Último

As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
CarinaSantos916505
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
MateusTavares54
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Érika Rufo
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
LILIANPRESTESSCUDELE
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
JoeteCarvalho
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
wagnermorais28
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
Marlene Cunhada
 

Último (20)

As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
 

Coaching e seus mitos - Apresentação do Coach Marcelo Cassales Saldanha

  • 1. Coaching e seus Mitos Conhecendo mais o método
  • 2. Origem • Etimologicamente coaching vem de coach, palavra antiga referente a onde foi desenvolvida, numa pequena vila húngara, uma carruagem coberta chamada koczi, idealizada para proteger seus habitantes das intempéries regionais ao serem transportados de um lugar para outro. (HENDRICKSON 1987) • Ainda hoje, se procurarmos no dicionário Michaellis inglês-Português, o primeiro significado atribuído ao termos coach é carruagem.
  • 3. Evolução do termos • Com o passar dos anos, o termos coach passou a ser atribuídos a instrutor, inicialmente nos esportes. • Desta forma, a origem do "coaching" no ambiente empresarial vem dos esporte, mas hoje esse termo tem muito pouco a ver com o que fazem atualmente técnicos esportivos ao treinarem suas equipes. • Atualmente o termos Coaching esta relacionado ao acompanhamento individual, a transferência de conhecimento e principalmente ao desenvolvimento de competências.
  • 4. A pratica de coaching • Trata-se de um processo aberto, que analisa a situação presente, define os objetivos de rendimento, combina fontes pessoais, organizacionais e externas e, então, implementa um plano para o alcance desses objetivos. (King & Eaton 1999) • Na essência do coaching é ajudar o indivíduo a resolver seus problemas e a transformar o que aprendeu em resultados positivos para si e para a equipe a qual lidera.
  • 5. O Coach PERFIL DO COACH: • Profissionais com forte base e formação humanista para entender de relações interpessoais, grupais, ter vivência organizacional e institucional diversificada. • Profissionais sênior poderá ter mais facilidade para ser ouvi do pelo participante (recomenda-se já ter exercido cargo de comando de mesmo nível ou superior aos de seus clientes). • O histórico profissional e pessoal do coach concede credibilidade e confiança em processos sigilosos e delicados (MILARÉ, 2007).
  • 6. O Coach (cont.) HABILIDADES DO COACH: • Respeitar confidencialidade, manter relações altamente intensas com objetividade, • Habilidade de escutar, empatizar, fornecer feedback, criar argumentos, desafios e explorar o mundo do executivo. • Ciência em negócios, gerenciamento, assunto político, • Conhecimento e vivencia do papel de liderança efetivo.
  • 7. O Coach (cont.) INDICAÇÃO DO COACH: – Profissional da área de recursos humanos das organizações, – Pelo superior ou – Por um amigo, colega ou pessoa que exerce um papel de referencia ESCOLHA DO COACH: Lista-se três principais critérios: • Confiança, • Reputação sólida e • Empatia. SELEÇÃO DO COACH – Pela experiência EM acompanhar feedbacks 360 graus, – Conhecimento de ambiente corporativo e – Habilidade em confrontar e mesmo assim fornecer suporte – Mantendo a confidencialidade.
  • 8. Tipos de Coaching:  Individual: quando uma pessoa física procura a ajuda profissional por iniciativa própria, para realizar mudanças que promovam seu auto- desenvolvimento.  Corporativo: quando é a pessoa jurídica quem contrata a ajuda profissional para atender um ou mais colaboradores, para promover mudanças pessoais que sejam convertidas em resultados positivos para a organização e para o envolvido MILARÉ, 2003
  • 9. Áreas do Coaching • Coaching espiritual: busca questionar e refletir sobre posicionamentos filosóficos; • Coaching do novo líder: busca especificamente ajudar o líder a assimilar seu novo papel e definir e implementar seu novo negócio para garantirem juntos os componentes-chave para sua equipe; • Coaching de relacionamento:ajuda a forma ou a mudança daquelas relações para produtividade e satisfação maiores;
  • 10. Áreas do Coaching (cont.) • Coaching de legado: ajuda a pessoa que se aposenta a identificar o legado que ela gostaria de deixar e tomar as ações apropriadas para fazer seu legado se tornar uma realidade; • Coaching de equipe: um ou mais coaches se especializam em dinâmica e efetividade da equipe para trabalhar junto com o líder e cada membro da equipe; • Coaching de executivos da maioria dessas outras formas de coaching é seu enfoque dual de trabalho um a um e em desenvolver o executivo como líder, enquanto também ajuda aquele líder a alcançar os resultados dos negócios.
  • 12. MITO 1: O coaching não precisa de um método estruturado, pois depende fundamentalmente da competência do coach. • Esse é um dos equívocos mais comuns no mercado atualmente. Muitos consultores e executivos acham que, por lidar com pessoas e conhecer bem a organização, também podem se tornar bons coachs. Não é bem assim, como vimos na introdução do artigo; • É preciso diferenciar os seguintes papéis: o coaching executivo (aplicado por um especialista contratado pela empresa), o coaching funcional (que é um dos papéis de todo chefe) e o coaching informal (que é a orientação profissional do dia-a-dia); • É evidente que o papel do coach é importante, mas sem uma metodologia e sem estrutura passa a ser algo pouco efetivo.
  • 13. MITO 2: O coaching visa mais a qualidade de vida do profissional que a melhoria de performance. • Ainda que no processo de coaching a qualidade de vida seja um aspecto importante – no sentido de buscar o equilíbrio entre carreira e vida pessoal, ou combater as causas de stress – o principal foco desta ferramenta é, sem dúvida, o desenvolvimento do profissional, tendo como objetivo maior a melhoria de performance e o aprimoramento de suas competências.
  • 14. MITO 3: Todo processo de coaching, no fundo, é para resolver problemas. • Essa idéia equivocada é uma das grandes causas da resistência de muitas pessoas nas organizações a aceitar e se comprometer com um processo de coaching; • Coaching é um processo típico de desenvolvimento, portanto, não é necessário haver um problema ou uma deficiência para se indicar o método. Por exemplo, um excelente momento para se usar o processo de coaching se dá em casos de promoção do profissional para um posto mais abrangente e desafiador - uma ótima oportunidade para rever seu papel e as competências que serão mais exigidas.
  • 15. MITO 4: Bons profissionais não precisam passar por coaching. • Ao contrário, quem mais deveria se beneficiar desse processo são os considerados talentos da organização. É especialmente para pessoas que demonstram potencial e comprometimento que a empresa deveria oferecer um processo de coaching, dentre outros recursos para o desenvolvimento de sua liderança.
  • 16. MITO 5: Coaching é uma “última chance” • Nada mais errado que isso. Acreditar que o coaching é um método de reabilitação tem levado muita gente a indicá-lo a qualquer pessoa que apresente algum problema de comportamento, como se essa fosse uma panacéia, um remédio para todos os males; • Se a pessoa está infeliz na sua função, se não concorda com a filosofia da empresa, se não consegue manter um bom relacionamento com seu chefe, se não está se “enquadrando” nas normas, se só reclama de tudo, se não mostra melhorias ou mudanças de atitude, apesar de todos os avisos e sinais, não é o coaching, por si, que mudará a situação;
  • 17. MITO 5: Cont. • Parece que, em muitos casos, se abdica do bom senso e não se ataca o problema de frente. Muitas vezes, o problema está na falta de feedback, na falta de clareza das políticas e diretrizes da organização e não necessariamente no indivíduo. Se o caso é para demissão, não se deve recorrer ao coaching. • Da mesma forma, o coaching não pode servir de bode expiatório. Algumas empresas “usam” o processo de coaching para justificar uma demissão, como se dissessem “tentamos, mas não tem jeito”. Vale lembrar que as recomendações do coaching são confidenciais e só podem ser divulgadas ao profissional atendido e a quem ele permitir. Por isso, o especialista em coaching (ou coach externo) deve ter clareza do objetivo de sua contratação. Se não for o desenvolvimento do executivo, mas apenas ratificar uma demissão, melhor não aceitar a tarefa.
  • 18. MITO 6: Qualquer pessoa com experiência gerencial pode ser um bom profissional de coaching. • Aqui há uma confusão entre o que chamamos de coaching executivo – atividade especializada de um profissional externo – e o papel de coach natural que cabe a um líder ou a um gestor; • Mesmo na função de chefia, são poucos os que efetivamente exercem ou procuram exercer esse papel. “Evidentemente, é possível que grandes líderes sejam bons coaches, mas nós vemos que somente ocasionalmente isso acontece. O mais típico são líderes semelhantes a Steve Jobs, cujas forças distintivas repousam em sua habilidade de instigar outros através de sua visão mais do que através de seus talentos como coach”, já escreveram Robert Goffee, da London Business School, e Gareth Jones, Diretor de RH da BBC (Harvard Business Review, set/out 2000).
  • 19. MITO 7: É muito difícil quantificar os resultados dos processos de coaching. • Isso só é verdade quando uma empresa contrata um processo de coaching sem saber especificar os resultados esperados. Já atendi altos executivos, indicados por seus superiores, que chegaram a mim sem a menor noção sobre os motivos que os levavam a esse atendimento. • Ou seja, se antes de se iniciar o processo de coaching ficam claras as expectativas, a medição dos resultados não será difícil; • Em suma, o coaching se ressente dos mesmos problemas encontrados para aferir resultados de treinamento – nos dois casos, muitas vezes, não se sabe muito bem porque está se fazendo aquilo;
  • 20. MITO 7: Cont. • Ainda que o resultado esperado seja de natureza qualitativa, pode perfeitamente ser medido com algumas medidas simples, como comparar a situação anterior do profissional à posterior; aplicar avaliação 360 graus antes e depois ou recolher feedbacks ao início e após o desenvolvimento; • Realmente, coaching sem medição de resultados pode ficar parecendo terapia (nada contra terapias, mas aqui a finalidade é outra). Muito da imagem negativa do coaching vem dessa falta de aferição.
  • 21. MITO 8: Como o responsável por um bom resultado é o próprio coachee, não é necessária a participação de seu gestor no processo. • Embora poucos admitam, esse é o mito mais comum. Normalmente, os chefes “mandam” um subordinado para o processo de coaching e ficam esperando os resultados. É mais ou menos como levar um filho ao médico e ficar esperando a “cura”. • O papel natural de coach dentro da organização cabe ao líder, ao chefe, que no dia-a-dia deve estimular e dar condições para que os subordinados se desenvolvam; • O feedback constante não só é uma obrigação do chefe, como também é uma ferramenta importante que ele tem em mãos para contribuir no desenvolvimento de sua equipe; • Importante: o trabalho de um coach externo, por melhor estruturado que seja, não substitui o papel de coach de cada líder em relação à sua equipe.
  • 22. MITO 9: Coaching é coisa de psicólogo. • Aqui a confusão é grande, pois, para muita gente, o coaching está muito próximo de uma terapia – manda-se para lá quem tem problemas; afinal, é um atendimento individualizado e também confidencial, entre outras semelhanças dessas atividades; • Ainda que possa se dizer que um processo de coaching efetivo tenha um “efeito terapêutico”, estamos falando de métodos completamente diferentes. Mais uma vez: o foco do coaching executivo está nas atividades profissionais e não nos problemas pessoais, dramas ou traumas do indivíduo;
  • 23. MITO 9:Cont. • Isso não significa que, no processo de coaching, não se lide com os problemas pessoais. Mas a forma de lidar e o tratamento são totalmente distintos; • No coaching, a história pessoal e profissional, o perfil de personalidade, o grau de autoconhecimento, o momento de vida e as perspectivas de carreira são a base para gerar comprometimento e consciência de quais são os recursos para alcançar os resultados esperados.
  • 24. MITO 10: Coaching faz milagres! • Ainda que nem sempre explicitado, este mito é percebido quando se procura o coaching para resolver qualquer problema, de qualquer natureza. • Esse mito também decorre da crença de que o coaching, por si, pode resolver o problema e nem o indivíduo e nem sua hierarquia precisam fazer grande esforço. A expectativa é que o coach “resolva”.
  • 25. MITO 11: Coaching é só mais um modismo. • O termo “coaching” está na moda, sim, e quem dele faz um uso inadequado será aos poucos identificado pelo mercado, certamente. Mas a metodologia do coaching é bem anterior ao modismo da palavra. O Brasil conta com alguns bons profissionais, capacitados para aplicar essa ferramenta de modo estruturado e entregar os resultados esperados.
  • 26. www.coachconsultoria.com.br Av. Augusto Meyer 163 /1003 Bairro Higienópolis • Porto Alegre • RS 51 33330599 • 51 97390909 coach@coachconsultoria.com.br