SlideShare uma empresa Scribd logo
Resultados Efetivos
com Treinamento On The
Job
On-the-job TrainÍndice
 Nem sempre funciona…
 Por que não funciona?
 Primeiro Passo: a definição dos Tutores
 4 Fatores Críticos de Sucesso para o OJT
 Mais informações e Recursos
On-the-job
training
Adultos aprendem fazendo. Então, um dos recursos mais importantes
para o aprendizado é o treinamento no próprio trabalho.
Normalmente funciona assim: um funcionário mais antigo recebe a
responsabilidade de treinamento de um menos experiente; e o
treinamento acontece por pura observação e acompanhamento.
A principal consequência deste procedimento é que apesar da
experiência acumulada do profissional encarregado de treinar o outro, a
transmissão do conhecimento para a prática simplesmente não
acontece....
Nem sempre funciona…
On-the-job
training
Por que não funciona?
O fato de um profissional ser
um perito na realização do seu
trabalho não significa que ele
seja é capaz de ensinar este
assunto para os outros.
Quem não teve professores
péssimos, mas exímios
conhecedores da matéria?
Os responsáveis pelo
treinamento no
trabalho, podem ou não ter as
capacidades de comunicação e
habilidades interpessoais
necessárias para auxiliar o
processo de aprendizado.
Normalmente os tutores (que são profissionais
competentes ) sabem realizar tão bem, e de
forma tão automática o trabalho que tem
dificuldade em perceber (ou mesmo se lembrar)
das dificuldades iniciais, que eles mesmo viveram
no aprendizado daquela função.
E principalmente, a experiência trouxe uma
capacidade de julgamento tão apurada, que lhes
permite tomar atalhos que um iniciante não tem
a maturidade profissional para julgar se aquilo é
correto ou não, e muitas vezes sequer sabe as
consequências daquelas decisões.
Ao mesmo tempo, um profissional iniciante, ou
que por algum motivo tenha sido direcionado
para o um treinamento deve ser exposto a
aspectos óbvios da operação. Algo que um
tutor, despreparado para a função de treinador
passará por alto, ou mesmo desprezará (“isso é
óbvio...”) aspectos cruciais da realização daquela
tarefa.
Em terceiro lugar, este profissional
experiente, ensinará, no máximo, o
que ele sabe. Ele, hoje
competente, viveu o cenário de
tentativa e erro, e
provavelmente, e com toda boa
intenção irá expor a sua
experiência ao seu motivado
aluno. O que não pode
necessariamente ser algo positivo.
1 2 3
On-the-job
training
Ser competente nas tarefas do trabalho, certamente é algo importante para um
tutor. Mas, entre um candidato que está genuinamente interessado em ser um
tutor, mas não é o profissional mais hábil, e outro candidato que é excepcionalmente
qualificados, mas você não está convencido de que ele realmente quer ser um
treinador; provavelmente deve escolher correta, deve ser a primeira opção.
Ou seja, aquele que quer treinar, que deseja assumir o papel de tutor.
A qualidade mais importante em um instrutor on- the-job é querer treinar outros.
Ter uma atitude que faça valer a pena o esforço do acompanhamento e obter
qualidade necessária de proficiência técnica.
Isso não quer dizer quem um “medalhão” naquela função, não posso ser um ótimo
tutor. Mas provavelmente, as dúvidas e os conhecimentos necessários para o
treinamento daquele profissional iniciante serão tão obvias, que ele mesmo pode se
sentir subutilizado.
Outra questão importante é que normalmente o custo dos profissionais mais
experientes é mais alto assim como as suas responsabilidades diárias.
O primeiro passo: a definição dos
Tutores
On-the-job
training
Ao selecionar os tutores, você deve olhar para certas características.
A pessoa deve:
 Estar genuinamente interessado na função de treinador;
 Ter boas habilidades interpessoais e de comunicação ;
 Ter uma atitude positiva ;
 Ser capaz de ouvir com atenção ;
 Ser paciente ;
 Ter experiência prática com as tarefas que estão sendo treinadas ;
 Demonstrar vontade e desejo de compartilhar trabalho conhecimento e experiência ;
 Ser respeitado por seus pares.
Uma vez que os candidatos a tutor estejam selecionados , eles devem ser treinados nas
técnicas de treinamento on-the –job. A capacidade de treinar outros é uma habilidade
que pode ser aprendida. Raramente ela vem naturalmente.
Lista de Verificação para a Seleção de
Tutores
On-the-job
training
1. Uma análise criteriosa sobre o trabalho a ser realizado.
Tutores (OJT) devem conhecer muito bem o trabalho que deve ser realizado. Não
colocamos a palavra deve destacada a toa. Significa conhecer sobre como aquele
trabalho será entregue:
 Quais as expectativas dos clientes ( internos ou externos),
 Quais os principais erros cometidos,
 Por que eles acontecem, o que fazer para evita-los?
 O que é necessário saber para ser capaz de realizar a tarefa?
Um ponto muito importante sobre o conhecimento do trabalho a ser realizado, diz
respeito ao alinhamento sobre o que será ensinado. Técnicos experientes, podem (e
normalmente tem) pontos de vista individuais sobre a realização daquele trabalho, o
que não necessariamente estão de acordo com as expectativas dos gestores ou
mesmo dos clientes.
Fatores Críticos de Sucesso
On-the-job
training
2. Produzir módulos de treinamento com tarefas identificadas.
Módulos , são o coração e a alma do treinamento on- the-job, são guias de instrução
curtos usados ​​para ensinar e aprender os procedimentos passo-a- passo envolvidos
na realização de uma tarefa ou para apresentar informações.
O uso de módulos de treinamento planejados gera vários benefícios para o
aprendizado de uma função:
 Facilita o trabalho do tutor em ensinar aquela tarefa;
Entregar para o tutor um processo de como aquela tarefa deve ser ensinada diminui
as chances de insucesso. Além disso a sequência de um processo de entrega
estruturada torna fica mais fácil lidar com a relativa imprevisibilidade do fator
humano.
 Padroniza o que está sendo ensinado
Um material planejado garante que os conteúdos que está sendo ensinados estão
alinhados e aprovados pela gestão da empresa.
Fatores Críticos de Sucesso
On-the-job
training
3 . Geração de um ambiente de aprendizagem e aplicação nas
situações de treinamento.
Treinamento de campo, normalmente é realizado um-a- um. Então deve ser dada
uma grande ênfase para a relação entre formador e formando.
Compreender o ambiente de aprendizagem e estilos comportamentais permite que
os tutores motivem e interajam de forma mais eficaz , maximizando a aprendizagem.
Não estamos falando aqui em tutores que sejam especialistas em aprendizagem de
adultos, mas da criação de um ambiente em que possam ser tiradas dúvidas e
resolvidas questões sobre o trabalho que sejam pertinentes a aquele momento de
aprendizado.
Fatores Críticos de Sucesso
On-the-job
training
4. Aplicação do treinamento usando um método estruturado de
entrega .
O ciclo de treinamento on-the-job fornece uma metodologia simples e poderosa
para o alinhamento da operação em torno de um conceito de qualidade operacional
Passo 1 –Tutor e aprendiz estabelecem um modelo mental compartilhado
Passo 2- O Tutor demonstra a tarefa e ao aprendiz estagiário observa
Passo 3- O Tutor explica o que, principalmente o porque da forma de realização
daquela tarefas
Passo 4 –O Tutor observa o aprendiz executar a tarefa e dá um feedback
Passo 5 – O Tutor e o aprendiz discutem os resultados
Fatores Críticos de Sucesso
On-The-Job
Trainin
Sobre aprendizado Organizacional:
www.armata.com.br/blog
Programa de Formação de Tutores OJT:
Nossos Cases e clientes:
www.armata.com.br/cases
Fale Conosco:
contato@armata.com.br
Maiores Informações
On-The-Job
Trainin
APOIAMOS A EXECUÇÃO DOS SEUS
OBJETIVOS ESTRATÉGICOS
Desenvolvemos soluções personalizadas de
aprendizagem e gerenciamento de mudança
que colocam em prática a sua
estratégia, concentrando-se em seu ativo
mais importante: as pessoas.
Sobre Nós
Nossos Cases e clientes:
www.armata.com.br/cases
O que pensamos:
www.armata.com.br/blog
Fale Conosco:
contato@armata.com.br
Obrigado.
Para baixar este paper, siga este link

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Qualidade no Atendimento ao Cliente Código do Consumidor
Qualidade no Atendimento ao Cliente Código do ConsumidorQualidade no Atendimento ao Cliente Código do Consumidor
Qualidade no Atendimento ao Cliente Código do Consumidor
GAC CURSOS ONLINE
 
Treinamento e Desenvolvimento
Treinamento e DesenvolvimentoTreinamento e Desenvolvimento
Treinamento e Desenvolvimento
Jean Israel B. Feijó
 
Liderança e Motivação
Liderança e  MotivaçãoLiderança e  Motivação
Liderança e Motivação
Vania Cardoso
 
Treinamento & Desenvolvimento de Equipes: Modelos, Feramentas e estratégias
Treinamento & Desenvolvimento de Equipes: Modelos, Feramentas e estratégiasTreinamento & Desenvolvimento de Equipes: Modelos, Feramentas e estratégias
Treinamento & Desenvolvimento de Equipes: Modelos, Feramentas e estratégias
Ricardo Silva Coqueiro
 
Liderança
LiderançaLiderança
Liderança
Hesau Monteiro
 
Curso de Liderança e Comunicação
Curso de Liderança e ComunicaçãoCurso de Liderança e Comunicação
Curso de Liderança e Comunicação
Dario Vedana
 
Gestão de Pessoas
 Gestão de Pessoas Gestão de Pessoas
Gestão de Pessoas
Celso Alfaia Barbosa
 
O Papel Do Novo LíDer
O Papel Do Novo LíDerO Papel Do Novo LíDer
O Papel Do Novo LíDer
tati_spazziano
 
Liderança
LiderançaLiderança
Liderança
Gerisval Pessoa
 
Descrição de Cargos, Competência e Treinamento
Descrição de Cargos, Competência e TreinamentoDescrição de Cargos, Competência e Treinamento
Descrição de Cargos, Competência e Treinamento
Templum Consultoria Online
 
Apresentação seminário Desenho de Cargos
Apresentação seminário Desenho de CargosApresentação seminário Desenho de Cargos
Apresentação seminário Desenho de Cargos
Ana Paula Nicacio
 
Trabalho em equipe
Trabalho em equipeTrabalho em equipe
Trabalho em equipe
MATARANGAS
 
MINI AULA KARINA ZACCARON - SENAC
MINI AULA KARINA ZACCARON - SENACMINI AULA KARINA ZACCARON - SENAC
MINI AULA KARINA ZACCARON - SENAC
Karina Z.
 
Avaliação de Desempenho
Avaliação de DesempenhoAvaliação de Desempenho
Avaliação de Desempenho
Unichristus Centro Universitário
 
Trabalho em equipe.Karla Rh
Trabalho em equipe.Karla RhTrabalho em equipe.Karla Rh
Trabalho em equipe.Karla Rh
Alexandre Cavalcanti
 
Trabalho em Equipe
Trabalho em EquipeTrabalho em Equipe
Trabalho em Equipe
Camilo Almendra
 
Apresentação motivacional
Apresentação motivacionalApresentação motivacional
Apresentação motivacional
Avanti! Comunicação
 
Trabalho em Equipe
Trabalho em EquipeTrabalho em Equipe
Trabalho em Equipe
Andrea Dalforno
 
Gestão por Competência
Gestão por CompetênciaGestão por Competência
Gestão por Competência
guest65dc90
 
Você está satisfeito com seu trabalho motivação.
Você está satisfeito com seu trabalho  motivação.Você está satisfeito com seu trabalho  motivação.
Você está satisfeito com seu trabalho motivação.
Jamyle Braga
 

Mais procurados (20)

Qualidade no Atendimento ao Cliente Código do Consumidor
Qualidade no Atendimento ao Cliente Código do ConsumidorQualidade no Atendimento ao Cliente Código do Consumidor
Qualidade no Atendimento ao Cliente Código do Consumidor
 
Treinamento e Desenvolvimento
Treinamento e DesenvolvimentoTreinamento e Desenvolvimento
Treinamento e Desenvolvimento
 
Liderança e Motivação
Liderança e  MotivaçãoLiderança e  Motivação
Liderança e Motivação
 
Treinamento & Desenvolvimento de Equipes: Modelos, Feramentas e estratégias
Treinamento & Desenvolvimento de Equipes: Modelos, Feramentas e estratégiasTreinamento & Desenvolvimento de Equipes: Modelos, Feramentas e estratégias
Treinamento & Desenvolvimento de Equipes: Modelos, Feramentas e estratégias
 
Liderança
LiderançaLiderança
Liderança
 
Curso de Liderança e Comunicação
Curso de Liderança e ComunicaçãoCurso de Liderança e Comunicação
Curso de Liderança e Comunicação
 
Gestão de Pessoas
 Gestão de Pessoas Gestão de Pessoas
Gestão de Pessoas
 
O Papel Do Novo LíDer
O Papel Do Novo LíDerO Papel Do Novo LíDer
O Papel Do Novo LíDer
 
Liderança
LiderançaLiderança
Liderança
 
Descrição de Cargos, Competência e Treinamento
Descrição de Cargos, Competência e TreinamentoDescrição de Cargos, Competência e Treinamento
Descrição de Cargos, Competência e Treinamento
 
Apresentação seminário Desenho de Cargos
Apresentação seminário Desenho de CargosApresentação seminário Desenho de Cargos
Apresentação seminário Desenho de Cargos
 
Trabalho em equipe
Trabalho em equipeTrabalho em equipe
Trabalho em equipe
 
MINI AULA KARINA ZACCARON - SENAC
MINI AULA KARINA ZACCARON - SENACMINI AULA KARINA ZACCARON - SENAC
MINI AULA KARINA ZACCARON - SENAC
 
Avaliação de Desempenho
Avaliação de DesempenhoAvaliação de Desempenho
Avaliação de Desempenho
 
Trabalho em equipe.Karla Rh
Trabalho em equipe.Karla RhTrabalho em equipe.Karla Rh
Trabalho em equipe.Karla Rh
 
Trabalho em Equipe
Trabalho em EquipeTrabalho em Equipe
Trabalho em Equipe
 
Apresentação motivacional
Apresentação motivacionalApresentação motivacional
Apresentação motivacional
 
Trabalho em Equipe
Trabalho em EquipeTrabalho em Equipe
Trabalho em Equipe
 
Gestão por Competência
Gestão por CompetênciaGestão por Competência
Gestão por Competência
 
Você está satisfeito com seu trabalho motivação.
Você está satisfeito com seu trabalho  motivação.Você está satisfeito com seu trabalho  motivação.
Você está satisfeito com seu trabalho motivação.
 

Semelhante a Resultados Efetivos com Treinamento On-The-Job

Treinamento (Diagnóstico Levantamento de Necessidades e Deficiências )
Treinamento (Diagnóstico Levantamento de Necessidades e Deficiências )Treinamento (Diagnóstico Levantamento de Necessidades e Deficiências )
Treinamento (Diagnóstico Levantamento de Necessidades e Deficiências )
PROFIGESTÃO - Profissionais em Gestão de Empresas e Pessoas
 
Aula 3 – tipos e métodos de treinamento
Aula 3 – tipos e métodos de treinamentoAula 3 – tipos e métodos de treinamento
Aula 3 – tipos e métodos de treinamento
Professor Antônio Figueiredo
 
10 Dicas para aumentar o engajamento do Aluno
10 Dicas para aumentar o engajamento do Aluno10 Dicas para aumentar o engajamento do Aluno
10 Dicas para aumentar o engajamento do Aluno
Letícia Spina Tapia
 
PPT AULA 04 PRÁTICAS DE TREINAMENTO.pptx
PPT AULA 04 PRÁTICAS DE TREINAMENTO.pptxPPT AULA 04 PRÁTICAS DE TREINAMENTO.pptx
PPT AULA 04 PRÁTICAS DE TREINAMENTO.pptx
Priscyllasantos6
 
Planeamento e gestão da formação leonel boano
Planeamento e gestão da formação   leonel boanoPlaneamento e gestão da formação   leonel boano
Planeamento e gestão da formação leonel boano
Leonel Boano
 
Aula 08 recursos humano
Aula 08 recursos humanoAula 08 recursos humano
Aula 08 recursos humano
Homero Alves de Lima
 
Venda mais agosto_2013_pág_entrevista
Venda mais agosto_2013_pág_entrevistaVenda mais agosto_2013_pág_entrevista
Venda mais agosto_2013_pág_entrevista
Roberto Vieira Ribeiro
 
Procedimento Treinamento
Procedimento Treinamento Procedimento Treinamento
Procedimento Treinamento
Marcos Abreu
 
Gp aula-12
Gp aula-12Gp aula-12
Gp aula-12
Samuel Fernandes
 
Rerutamento e seleção
Rerutamento e seleçãoRerutamento e seleção
Rerutamento e seleção
Giovana Pizzutti da Silva Kulzer
 
Palestra sobre coaching aos pós-graduandos do POSMEC, 04/set/2013
Palestra sobre coaching aos pós-graduandos do POSMEC, 04/set/2013Palestra sobre coaching aos pós-graduandos do POSMEC, 04/set/2013
Palestra sobre coaching aos pós-graduandos do POSMEC, 04/set/2013
Jonny Silva
 
PPTs - Capítulo 7 Treinamento e desenvolvimento de funcionários.pdf
PPTs - Capítulo 7 Treinamento e desenvolvimento de funcionários.pdfPPTs - Capítulo 7 Treinamento e desenvolvimento de funcionários.pdf
PPTs - Capítulo 7 Treinamento e desenvolvimento de funcionários.pdf
TiagoTrombonista
 
1299158038 objectivos pedagogicos
1299158038 objectivos pedagogicos1299158038 objectivos pedagogicos
1299158038 objectivos pedagogicos
Tarcisio Baptista
 
MELHORES PRÁTICAS PARA GERENCIAR EQUIPES
MELHORES PRÁTICAS PARA GERENCIAR EQUIPESMELHORES PRÁTICAS PARA GERENCIAR EQUIPES
MELHORES PRÁTICAS PARA GERENCIAR EQUIPES
Tatiane Souza
 
1.curso treinamento
1.curso treinamento1.curso treinamento
1.curso treinamento
Luiz Carlos Campos Torres
 
Treinamento De Seguranca
Treinamento De SegurancaTreinamento De Seguranca
Treinamento De Seguranca
Santos de Castro
 
Desenvolvimento de colaboradores pelo perfil comportamental
Desenvolvimento de colaboradores pelo perfil comportamental Desenvolvimento de colaboradores pelo perfil comportamental
Desenvolvimento de colaboradores pelo perfil comportamental
suelen matta
 
É Hora do Show: Como Elevar os Seus Treinamentos a Outro Patamar
É Hora do Show: Como Elevar os Seus Treinamentos a Outro Patamar É Hora do Show: Como Elevar os Seus Treinamentos a Outro Patamar
É Hora do Show: Como Elevar os Seus Treinamentos a Outro Patamar
Conselho Regional de Administração de São Paulo
 
Projeto interdisciplinar
Projeto interdisciplinarProjeto interdisciplinar
Projeto interdisciplinar
Projeto interdisciplinarProjeto interdisciplinar

Semelhante a Resultados Efetivos com Treinamento On-The-Job (20)

Treinamento (Diagnóstico Levantamento de Necessidades e Deficiências )
Treinamento (Diagnóstico Levantamento de Necessidades e Deficiências )Treinamento (Diagnóstico Levantamento de Necessidades e Deficiências )
Treinamento (Diagnóstico Levantamento de Necessidades e Deficiências )
 
Aula 3 – tipos e métodos de treinamento
Aula 3 – tipos e métodos de treinamentoAula 3 – tipos e métodos de treinamento
Aula 3 – tipos e métodos de treinamento
 
10 Dicas para aumentar o engajamento do Aluno
10 Dicas para aumentar o engajamento do Aluno10 Dicas para aumentar o engajamento do Aluno
10 Dicas para aumentar o engajamento do Aluno
 
PPT AULA 04 PRÁTICAS DE TREINAMENTO.pptx
PPT AULA 04 PRÁTICAS DE TREINAMENTO.pptxPPT AULA 04 PRÁTICAS DE TREINAMENTO.pptx
PPT AULA 04 PRÁTICAS DE TREINAMENTO.pptx
 
Planeamento e gestão da formação leonel boano
Planeamento e gestão da formação   leonel boanoPlaneamento e gestão da formação   leonel boano
Planeamento e gestão da formação leonel boano
 
Aula 08 recursos humano
Aula 08 recursos humanoAula 08 recursos humano
Aula 08 recursos humano
 
Venda mais agosto_2013_pág_entrevista
Venda mais agosto_2013_pág_entrevistaVenda mais agosto_2013_pág_entrevista
Venda mais agosto_2013_pág_entrevista
 
Procedimento Treinamento
Procedimento Treinamento Procedimento Treinamento
Procedimento Treinamento
 
Gp aula-12
Gp aula-12Gp aula-12
Gp aula-12
 
Rerutamento e seleção
Rerutamento e seleçãoRerutamento e seleção
Rerutamento e seleção
 
Palestra sobre coaching aos pós-graduandos do POSMEC, 04/set/2013
Palestra sobre coaching aos pós-graduandos do POSMEC, 04/set/2013Palestra sobre coaching aos pós-graduandos do POSMEC, 04/set/2013
Palestra sobre coaching aos pós-graduandos do POSMEC, 04/set/2013
 
PPTs - Capítulo 7 Treinamento e desenvolvimento de funcionários.pdf
PPTs - Capítulo 7 Treinamento e desenvolvimento de funcionários.pdfPPTs - Capítulo 7 Treinamento e desenvolvimento de funcionários.pdf
PPTs - Capítulo 7 Treinamento e desenvolvimento de funcionários.pdf
 
1299158038 objectivos pedagogicos
1299158038 objectivos pedagogicos1299158038 objectivos pedagogicos
1299158038 objectivos pedagogicos
 
MELHORES PRÁTICAS PARA GERENCIAR EQUIPES
MELHORES PRÁTICAS PARA GERENCIAR EQUIPESMELHORES PRÁTICAS PARA GERENCIAR EQUIPES
MELHORES PRÁTICAS PARA GERENCIAR EQUIPES
 
1.curso treinamento
1.curso treinamento1.curso treinamento
1.curso treinamento
 
Treinamento De Seguranca
Treinamento De SegurancaTreinamento De Seguranca
Treinamento De Seguranca
 
Desenvolvimento de colaboradores pelo perfil comportamental
Desenvolvimento de colaboradores pelo perfil comportamental Desenvolvimento de colaboradores pelo perfil comportamental
Desenvolvimento de colaboradores pelo perfil comportamental
 
É Hora do Show: Como Elevar os Seus Treinamentos a Outro Patamar
É Hora do Show: Como Elevar os Seus Treinamentos a Outro Patamar É Hora do Show: Como Elevar os Seus Treinamentos a Outro Patamar
É Hora do Show: Como Elevar os Seus Treinamentos a Outro Patamar
 
Projeto interdisciplinar
Projeto interdisciplinarProjeto interdisciplinar
Projeto interdisciplinar
 
Projeto interdisciplinar
Projeto interdisciplinarProjeto interdisciplinar
Projeto interdisciplinar
 

Resultados Efetivos com Treinamento On-The-Job

  • 2. On-the-job TrainÍndice  Nem sempre funciona…  Por que não funciona?  Primeiro Passo: a definição dos Tutores  4 Fatores Críticos de Sucesso para o OJT  Mais informações e Recursos
  • 3. On-the-job training Adultos aprendem fazendo. Então, um dos recursos mais importantes para o aprendizado é o treinamento no próprio trabalho. Normalmente funciona assim: um funcionário mais antigo recebe a responsabilidade de treinamento de um menos experiente; e o treinamento acontece por pura observação e acompanhamento. A principal consequência deste procedimento é que apesar da experiência acumulada do profissional encarregado de treinar o outro, a transmissão do conhecimento para a prática simplesmente não acontece.... Nem sempre funciona…
  • 4. On-the-job training Por que não funciona? O fato de um profissional ser um perito na realização do seu trabalho não significa que ele seja é capaz de ensinar este assunto para os outros. Quem não teve professores péssimos, mas exímios conhecedores da matéria? Os responsáveis pelo treinamento no trabalho, podem ou não ter as capacidades de comunicação e habilidades interpessoais necessárias para auxiliar o processo de aprendizado. Normalmente os tutores (que são profissionais competentes ) sabem realizar tão bem, e de forma tão automática o trabalho que tem dificuldade em perceber (ou mesmo se lembrar) das dificuldades iniciais, que eles mesmo viveram no aprendizado daquela função. E principalmente, a experiência trouxe uma capacidade de julgamento tão apurada, que lhes permite tomar atalhos que um iniciante não tem a maturidade profissional para julgar se aquilo é correto ou não, e muitas vezes sequer sabe as consequências daquelas decisões. Ao mesmo tempo, um profissional iniciante, ou que por algum motivo tenha sido direcionado para o um treinamento deve ser exposto a aspectos óbvios da operação. Algo que um tutor, despreparado para a função de treinador passará por alto, ou mesmo desprezará (“isso é óbvio...”) aspectos cruciais da realização daquela tarefa. Em terceiro lugar, este profissional experiente, ensinará, no máximo, o que ele sabe. Ele, hoje competente, viveu o cenário de tentativa e erro, e provavelmente, e com toda boa intenção irá expor a sua experiência ao seu motivado aluno. O que não pode necessariamente ser algo positivo. 1 2 3
  • 5. On-the-job training Ser competente nas tarefas do trabalho, certamente é algo importante para um tutor. Mas, entre um candidato que está genuinamente interessado em ser um tutor, mas não é o profissional mais hábil, e outro candidato que é excepcionalmente qualificados, mas você não está convencido de que ele realmente quer ser um treinador; provavelmente deve escolher correta, deve ser a primeira opção. Ou seja, aquele que quer treinar, que deseja assumir o papel de tutor. A qualidade mais importante em um instrutor on- the-job é querer treinar outros. Ter uma atitude que faça valer a pena o esforço do acompanhamento e obter qualidade necessária de proficiência técnica. Isso não quer dizer quem um “medalhão” naquela função, não posso ser um ótimo tutor. Mas provavelmente, as dúvidas e os conhecimentos necessários para o treinamento daquele profissional iniciante serão tão obvias, que ele mesmo pode se sentir subutilizado. Outra questão importante é que normalmente o custo dos profissionais mais experientes é mais alto assim como as suas responsabilidades diárias. O primeiro passo: a definição dos Tutores
  • 6. On-the-job training Ao selecionar os tutores, você deve olhar para certas características. A pessoa deve:  Estar genuinamente interessado na função de treinador;  Ter boas habilidades interpessoais e de comunicação ;  Ter uma atitude positiva ;  Ser capaz de ouvir com atenção ;  Ser paciente ;  Ter experiência prática com as tarefas que estão sendo treinadas ;  Demonstrar vontade e desejo de compartilhar trabalho conhecimento e experiência ;  Ser respeitado por seus pares. Uma vez que os candidatos a tutor estejam selecionados , eles devem ser treinados nas técnicas de treinamento on-the –job. A capacidade de treinar outros é uma habilidade que pode ser aprendida. Raramente ela vem naturalmente. Lista de Verificação para a Seleção de Tutores
  • 7. On-the-job training 1. Uma análise criteriosa sobre o trabalho a ser realizado. Tutores (OJT) devem conhecer muito bem o trabalho que deve ser realizado. Não colocamos a palavra deve destacada a toa. Significa conhecer sobre como aquele trabalho será entregue:  Quais as expectativas dos clientes ( internos ou externos),  Quais os principais erros cometidos,  Por que eles acontecem, o que fazer para evita-los?  O que é necessário saber para ser capaz de realizar a tarefa? Um ponto muito importante sobre o conhecimento do trabalho a ser realizado, diz respeito ao alinhamento sobre o que será ensinado. Técnicos experientes, podem (e normalmente tem) pontos de vista individuais sobre a realização daquele trabalho, o que não necessariamente estão de acordo com as expectativas dos gestores ou mesmo dos clientes. Fatores Críticos de Sucesso
  • 8. On-the-job training 2. Produzir módulos de treinamento com tarefas identificadas. Módulos , são o coração e a alma do treinamento on- the-job, são guias de instrução curtos usados ​​para ensinar e aprender os procedimentos passo-a- passo envolvidos na realização de uma tarefa ou para apresentar informações. O uso de módulos de treinamento planejados gera vários benefícios para o aprendizado de uma função:  Facilita o trabalho do tutor em ensinar aquela tarefa; Entregar para o tutor um processo de como aquela tarefa deve ser ensinada diminui as chances de insucesso. Além disso a sequência de um processo de entrega estruturada torna fica mais fácil lidar com a relativa imprevisibilidade do fator humano.  Padroniza o que está sendo ensinado Um material planejado garante que os conteúdos que está sendo ensinados estão alinhados e aprovados pela gestão da empresa. Fatores Críticos de Sucesso
  • 9. On-the-job training 3 . Geração de um ambiente de aprendizagem e aplicação nas situações de treinamento. Treinamento de campo, normalmente é realizado um-a- um. Então deve ser dada uma grande ênfase para a relação entre formador e formando. Compreender o ambiente de aprendizagem e estilos comportamentais permite que os tutores motivem e interajam de forma mais eficaz , maximizando a aprendizagem. Não estamos falando aqui em tutores que sejam especialistas em aprendizagem de adultos, mas da criação de um ambiente em que possam ser tiradas dúvidas e resolvidas questões sobre o trabalho que sejam pertinentes a aquele momento de aprendizado. Fatores Críticos de Sucesso
  • 10. On-the-job training 4. Aplicação do treinamento usando um método estruturado de entrega . O ciclo de treinamento on-the-job fornece uma metodologia simples e poderosa para o alinhamento da operação em torno de um conceito de qualidade operacional Passo 1 –Tutor e aprendiz estabelecem um modelo mental compartilhado Passo 2- O Tutor demonstra a tarefa e ao aprendiz estagiário observa Passo 3- O Tutor explica o que, principalmente o porque da forma de realização daquela tarefas Passo 4 –O Tutor observa o aprendiz executar a tarefa e dá um feedback Passo 5 – O Tutor e o aprendiz discutem os resultados Fatores Críticos de Sucesso
  • 11. On-The-Job Trainin Sobre aprendizado Organizacional: www.armata.com.br/blog Programa de Formação de Tutores OJT: Nossos Cases e clientes: www.armata.com.br/cases Fale Conosco: contato@armata.com.br Maiores Informações
  • 12. On-The-Job Trainin APOIAMOS A EXECUÇÃO DOS SEUS OBJETIVOS ESTRATÉGICOS Desenvolvemos soluções personalizadas de aprendizagem e gerenciamento de mudança que colocam em prática a sua estratégia, concentrando-se em seu ativo mais importante: as pessoas. Sobre Nós Nossos Cases e clientes: www.armata.com.br/cases O que pensamos: www.armata.com.br/blog Fale Conosco: contato@armata.com.br
  • 13. Obrigado. Para baixar este paper, siga este link