SlideShare uma empresa Scribd logo
PREXPM
Projeto Experimental – Planejamento de Mídia
Profa. Juliane Cavalcante Vitoriano da Silva
prof.jucavalcante@gmail.com
Conceitos técnicos de mídia
Comunicação Social – Publicidade e Propaganda PREXPM - Projeto Experimental: Planejamento de Mídia Prof. Juliane Cavalcante Vitoriano da Silva
Conceitos técnicos de mídia
UNIVERSO
Comunicação Social – Publicidade e Propaganda PREXPM - Projeto Experimental: Planejamento de Mídia Prof. Juliane Cavalcante Vitoriano da Silva
Conceitos técnicos de mídia
CONJUNTO DE PESSOAS DE UM MERCADO OU A TOTALIDADE DOS
MERCADOS QUE SE ESTÁ ESTUDANDO OU QUE SE DESEJA ATINGIR
Comunicação Social – Publicidade e Propaganda PREXPM - Projeto Experimental: Planejamento de Mídia Prof. Juliane Cavalcante Vitoriano da Silva
Conceitos técnicos de mídia
Exemplos de Universos:
 Corredores do Estado de São Paulo
 Consumidores de Carros
 Compradores de Espuma de barbear
 Eleitores do Estado de São Paulo
 Empreendedoras
Comunicação Social – Publicidade e Propaganda PREXPM - Projeto Experimental: Planejamento de Mídia Prof. Juliane Cavalcante Vitoriano da Silva
Conceitos técnicos de mídia
AUDIÊNCIA
DE TV
Comunicação Social – Publicidade e Propaganda PREXPM - Projeto Experimental: Planejamento de Mídia Prof. Juliane Cavalcante Vitoriano da Silva
Conceitos técnicos de mídia
Também já se questionou sobre isso?
Então vamos lá! Você agora vai saber como chegam aos
números que tanto influenciam o nosso trabalho.
O IBOPE sabe o que estou
vendo na minha TV?
Como o IBOPE é medido?
Você já foi entrevistado
pelo IBOPE?
Cada ponto do IBOPE corresponde
a quantas pessoas?
Se eu ligar todos aparelhos de
TV da minha casa,
dou mais audiência para o programa?
O que é o IBOPE?
Comunicação Social – Publicidade e Propaganda PREXPM - Projeto Experimental: Planejamento de Mídia Prof. Juliane Cavalcante Vitoriano da Silva
Conceitos técnicos de mídia
O que é o IBOPE?
 Fundado em 1942 por Auricélio Penteado
 Queria saber a audiência de sua rádio
 Começa com audiência de rádio e pesquisa de consumo de produtos
Década de 50:
pesquisas políticas e de
TV por método flagrante.
No final dos anos 80 é
que surgem os
peoplemeters
O IBOPE sabe o que estou
vendo na minha TV?
Não. Só os domicílios
que participam da amostra têm sua
audiência aferida pelo IBOPE.
Comunicação Social – Publicidade e Propaganda PREXPM - Projeto Experimental: Planejamento de Mídia Prof. Juliane Cavalcante Vitoriano da Silva
Conceitos técnicos de mídia
Como se mede
AUDIÊNCIA?
Auditoria
interna e externa
7
Processamento e
controle de qualidade
5
Treinamento 4
Instalação do
Peoplemeter/DIB
ou
Distribuição dos
cadernos nos domicílios
3
Contratação
dos
domicílios
1
Levantamento
Socioeconômico
2
Seleção da
amostra6
Coleta e
validação
dos dados
ou
Coleta e leitura
dos dados
(scanner)
Entrega da
informação
8
Comunicação Social – Publicidade e Propaganda PREXPM - Projeto Experimental: Planejamento de Mídia Prof. Juliane Cavalcante Vitoriano da Silva
Conceitos técnicos de mídia
Passo 1: Levantamento Sócio-econômico
Levantamento na cidade ou região para averiguar a
configuração do lugar:
 Classe econômica
 Idade e gênero da população
 Número de domicílios
 Quantidade de moradores por domicílio
 Presença de televisão
Baseado no IBGE e no LSE (Levantamento Sócio econômico)
O passo seguinte é selecionar a amostra.
Comunicação Social – Publicidade e Propaganda PREXPM - Projeto Experimental: Planejamento de Mídia Prof. Juliane Cavalcante Vitoriano da Silva
Conceitos técnicos de mídia
Passo 2: Seleção da Amostra
Primeiro: O que é uma amostra?
É um conjunto escolhido para representar um grupo maior
Para medir a audiência, um grupo de indivíduos é escolhido para representar a
população, pois essa amostra possui as mesmas características do grande grupo.
Desta forma, podemos interpretar o comportamento da amostra como o
comportamento da população como um todo.
Comunicação Social – Publicidade e Propaganda PREXPM - Projeto Experimental: Planejamento de Mídia Prof. Juliane Cavalcante Vitoriano da Silva
Conceitos técnicos de mídia
Passo 3: Contratação de Domicílios
Selecionados os domicílios que servem para a amostra, com base
no cadastro feito durante o Levantamento Sócio-econômico, o
IBOPE entra em contato e contrata o domicílio.
O domicílio não recebe “salário”, mas passa a concorrer a prêmios
periodicamente, para que seja incentivada a sua participação.
Esses domicílios são sistematicamente trocados, de
forma que não sejam registrados os ‘vícios’ que
possam apresentar. Todo ano 25% da amostra é
trocada. Cada domicílio fica, no máximo, quatro
anos na amostra. Um novo entra, com
características que representam o seu perfil na
população geral.
Comunicação Social – Publicidade e Propaganda PREXPM - Projeto Experimental: Planejamento de Mídia Prof. Juliane Cavalcante Vitoriano da Silva
Conceitos técnicos de mídia
Passo 4: Instalação do People Meter
O People Meter é o aparelho instalado na televisão e que recolhe as informações
enquanto as pessoas estão assistindo.
Ele armazena as informações e transmite para a central do IBOPE.
Mas como sabemos o perfil de quem está
assistindo?
O controle tem números que
correspondem aos moradores da casa.
O IBOPE já tem o cadastro desta família
e associa o número às pessoas.
Mas as pessoas informam mesmo?
Sim, informam. Quando é notada alguma anormalidade
o IBOPE entra em contato para verificar o que está
ocorrendo.
Se houve modificações, o domicílio é substituído.
Comunicação Social – Publicidade e Propaganda PREXPM - Projeto Experimental: Planejamento de Mídia Prof. Juliane Cavalcante Vitoriano da Silva
Conceitos técnicos de mídia
Peoplemeter – DIB6
Comunicação Social – Publicidade e Propaganda PREXPM - Projeto Experimental: Planejamento de Mídia Prof. Juliane Cavalcante Vitoriano da Silva
Conceitos técnicos de mídia
Caderno
Caderno
Em praças onde não há medição regular, o
IBOPE realiza a pesquisa através de caderno.
Os domicílios são escolhidos por amostragem
e um caderno é deixado para que as pessoas
residentes registrem o que estão assistindo.
Metodologia indica mais recall que
comportamento de audiência
Comunicação Social – Publicidade e Propaganda PREXPM - Projeto Experimental: Planejamento de Mídia Prof. Juliane Cavalcante Vitoriano da Silva
Conceitos técnicos de mídia
Passo 5: Treinamento
É muito fácil operar o People Meter.
A versão mais moderna é um aparelho parecido com um DVD, que funciona por
controle remoto.
Antes de entrar em operação, todas as pessoas do domicílio passam por um
treinamento para aprender a usá-lo.
Apenas um mês após estar presente no painel o domicílio passa a ser
contabilizado
Comunicação Social – Publicidade e Propaganda PREXPM - Projeto Experimental: Planejamento de Mídia Prof. Juliane Cavalcante Vitoriano da Silva
Conceitos técnicos de mídia
Passo 6: Coleta e Validação de Dados
Enquanto as pessoas estão assistindo televisão no
domicílio, o People Meter envia em tempo real as
informações para a central do IBOPE.
Estas informações são enviadas via rádio
e sinal de celular.
Enquanto mudam de canal, ligam a televisão, entram
e saem moradores, os movimentos são registrados
pelo People Meter e enviados para a central.
Comunicação Social – Publicidade e Propaganda PREXPM - Projeto Experimental: Planejamento de Mídia Prof. Juliane Cavalcante Vitoriano da Silva
Conceitos técnicos de mídia
Passo 7: Processo e Controle de Qualidade
Quando recebe os dados, o IBOPE os processa e transforma nos
números de audiência que recebemos na emissora.
No Controle de Qualidade é verificada a consistência dos dados, se
está dentro dos padrões de normalidade e se todos os aparelhos estão
enviando sinal.
Após passar pelo Controle de Qualidade o dado
é repassado para nós.
Passo 8: Entrega dos dados
Por fim, recebemos os clientes recebem os
dados
Comunicação Social – Publicidade e Propaganda PREXPM - Projeto Experimental: Planejamento de Mídia Prof. Juliane Cavalcante Vitoriano da Silva
Conceitos técnicos de mídia
Como se mede o IBOPE?
Auditoria
interna e externa
7
Processamento e
controle de qualidade
5
Treinamento
4
Instalação do
Peoplemeter/DIB
ou
Distribuição dos
cadernos nos domicílios
3
Contratação dos domicílios
1 Levantamento
Socioeconômico
2
Seleção da
amostra6
Coleta e
validação
dos dados
ou
Coleta e leitura
dos dados
(scanner)
Entrega da
informação
8
Comunicação Social – Publicidade e Propaganda PREXPM - Projeto Experimental: Planejamento de Mídia Prof. Juliane Cavalcante Vitoriano da Silva
Conceitos técnicos de mídia
Quanto vale um ponto no IBOPE? Estimativas 2014
1 ponto sempre equivale a 1% do universo
Temos audiência domiciliar e individual
Os relatórios de audiência são produzidos com a audiência domiciliar
O IBOPE só considera indivíduos com 4 anos ou mais em suas amostras
São Paulo
1 ponto domiciliar
65,202 domicílios
(São 6.520.157 domicílios no total)
1 ponto individual
193.282 indivíduos
(São 19.328.191 no total)
Rio de Janeiro
1 ponto domiciliar
39.600 domicílios
1 ponto individual
109.982 indivíduos
Brasília
1 ponto domiciliar
8.392 domicílios
1 ponto individual
25.329 indivíduos
Porto Alegre
1 ponto domiciliar
10.439 domicílios
1 ponto individual
28.235 indivíduos
Comunicação Social – Publicidade e Propaganda PREXPM - Projeto Experimental: Planejamento de Mídia Prof. Juliane Cavalcante Vitoriano da Silva
Conceitos técnicos de mídia
Audiência (rat%)
É a média de pessoas ou domicílios sintonizados por minuto
em um programa ou faixa horária.
Fórmula:
Audiência Domiciliar = número de domicílios sintonizados no programa x 100
Total de domicílios do Universo
Audiência Individual = número de indivíduos sintonizados no programa x 100
Total de indivíduos do Universo
Exemplo:
Audiência Domiciliar = 1.200.000 x 100
2.500.000
Audiência Individual = 200.000 x 100
800.000
0,48 x 100 = 48%
0,25 x 100 = 25%
Comunicação Social – Publicidade e Propaganda PREXPM - Projeto Experimental: Planejamento de Mídia Prof. Juliane Cavalcante Vitoriano da Silva
Conceitos técnicos de mídia
Participação (shr%)
A participação – ou share – só considera os indivíduos e/ou domicílios com televisão
ligada no horário analisado.
É interessante para entender o comportamento do público que está disponível para
assistir o conteúdo exibido.
Fórmula:
Exemplo:
0,36 x 100 = 36%
0,20 x 100 = 20%
Audiência Domiciliar = número de domicílios sintonizados no programa x 100
Total de domicílios com TV ligada no horário
do programa
Audiência Individual = número de indivíduos sintonizados no programa x 100
Total de indivíduos com TV ligada no horário
do programa
Participação Domiciliar = 1.800.000 x 100
5.000.000
Participação Individual = 200.000 x 100
1.000.000
Comunicação Social – Publicidade e Propaganda PREXPM - Projeto Experimental: Planejamento de Mídia Prof. Juliane Cavalcante Vitoriano da Silva
Conceitos técnicos de mídia
Comunicação Social – Publicidade e Propaganda PREXPM - Projeto Experimental: Planejamento de Mídia Prof. Juliane Cavalcante Vitoriano da Silva
Conceitos técnicos de mídia
Comunicação Social – Publicidade e Propaganda PREXPM - Projeto Experimental: Planejamento de Mídia Prof. Juliane Cavalcante Vitoriano da Silva
Conceitos técnicos de mídia
Comunicação Social – Publicidade e Propaganda PREXPM - Projeto Experimental: Planejamento de Mídia Prof. Juliane Cavalcante Vitoriano da Silva
Conceitos técnicos de mídia
Comunicação Social – Publicidade e Propaganda PREXPM - Projeto Experimental: Planejamento de Mídia Prof. Juliane Cavalcante Vitoriano da Silva
Conceitos técnicos de mídia
Comunicação Social – Publicidade e Propaganda PREXPM - Projeto Experimental: Planejamento de Mídia Prof. Juliane Cavalcante Vitoriano da Silva
Conceitos técnicos de mídia
Comunicação Social – Publicidade e Propaganda PREXPM - Projeto Experimental: Planejamento de Mídia Prof. Juliane Cavalcante Vitoriano da Silva
Conceitos técnicos de mídia
Comunicação Social – Publicidade e Propaganda PREXPM - Projeto Experimental: Planejamento de Mídia Prof. Juliane Cavalcante Vitoriano da Silva
Conceitos técnicos de mídia
Comunicação Social – Publicidade e Propaganda PREXPM - Projeto Experimental: Planejamento de Mídia Prof. Juliane Cavalcante Vitoriano da Silva
Conceitos técnicos de mídia
Comunicação Social – Publicidade e Propaganda PREXPM - Projeto Experimental: Planejamento de Mídia Prof. Juliane Cavalcante Vitoriano da Silva
Conceitos técnicos de mídia
Comunicação Social – Publicidade e Propaganda PREXPM - Projeto Experimental: Planejamento de Mídia Prof. Juliane Cavalcante Vitoriano da Silva
Conceitos técnicos de mídia

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Avaliação e monitoramento de serviços de saúde
Avaliação e monitoramento de serviços de saúdeAvaliação e monitoramento de serviços de saúde
Avaliação e monitoramento de serviços de saúde
Arare Carvalho Júnior
 
Comunicação em saúde
Comunicação em saúdeComunicação em saúde
Comunicação na Saúde
Comunicação na Saúde Comunicação na Saúde
Comunicação na Saúde
ÊXITO Marketing
 
Incidência e prevalência
Incidência e  prevalênciaIncidência e  prevalência
Incidência e prevalência
Afonso Ribeiro
 
Enfermagem em UTI saude enfermagem112341
Enfermagem em UTI saude enfermagem112341Enfermagem em UTI saude enfermagem112341
Enfermagem em UTI saude enfermagem112341
voceduardomscsousa
 
1 aula souza completa aph
1 aula souza completa aph  1 aula souza completa aph
1 aula souza completa aph
Ulisses Souza
 
Livreto sae
Livreto saeLivreto sae
Livreto sae
Adrize Porto
 
Acolhimento à Demanda Espontânea na APS
Acolhimento à Demanda Espontânea na APSAcolhimento à Demanda Espontânea na APS
Acolhimento à Demanda Espontânea na APS
Frankly Eudes
 
Aula 01 Teorias da Comunicação - Preliminares e Definições
Aula 01   Teorias da Comunicação - Preliminares e DefiniçõesAula 01   Teorias da Comunicação - Preliminares e Definições
Aula 01 Teorias da Comunicação - Preliminares e Definições
Elizeu Nascimento Silva
 
Novas Diretrizes PCR - AHA
Novas Diretrizes PCR - AHANovas Diretrizes PCR - AHA
Novas Diretrizes PCR - AHA
Leandro Carvalho
 
Evolução de enfermagem
Evolução de enfermagemEvolução de enfermagem
Evolução de enfermagem
Jonathan Silva
 
Infraestrutura Ideal em Oncologia - Patrícia Sampaio
Infraestrutura Ideal em Oncologia - Patrícia SampaioInfraestrutura Ideal em Oncologia - Patrícia Sampaio
Infraestrutura Ideal em Oncologia - Patrícia Sampaio
Oncoguia
 
DOENÇAS DE NOTIFICAÇÕES COMPULSORIA
DOENÇAS DE NOTIFICAÇÕES COMPULSORIADOENÇAS DE NOTIFICAÇÕES COMPULSORIA
DOENÇAS DE NOTIFICAÇÕES COMPULSORIA
Ana Carolina Costa
 
Gêneros e formatos televisivos
Gêneros e formatos televisivosGêneros e formatos televisivos
Gêneros e formatos televisivos
sergioborgato
 
Aula+sinais+vitais carmen
Aula+sinais+vitais carmenAula+sinais+vitais carmen
Aula+sinais+vitais carmen
drilopez
 
Aula-Drogas-em-UTI_2016.pptx
Aula-Drogas-em-UTI_2016.pptxAula-Drogas-em-UTI_2016.pptx
Aula-Drogas-em-UTI_2016.pptx
shaiane2
 
Enfermeiro na atenção à dor e luto
Enfermeiro na atenção à dor e lutoEnfermeiro na atenção à dor e luto
Enfermeiro na atenção à dor e luto
Rodrigo Bastos
 
Estrategias de midia
Estrategias de midiaEstrategias de midia
Estrategias de midia
Kauê Krischnegg
 
Autocuidado Apoiado
Autocuidado ApoiadoAutocuidado Apoiado
Psicologia aula 4 resumo aulas 1 2-3
Psicologia aula 4 resumo aulas 1 2-3Psicologia aula 4 resumo aulas 1 2-3
Psicologia aula 4 resumo aulas 1 2-3
Cintia Colotoni
 

Mais procurados (20)

Avaliação e monitoramento de serviços de saúde
Avaliação e monitoramento de serviços de saúdeAvaliação e monitoramento de serviços de saúde
Avaliação e monitoramento de serviços de saúde
 
Comunicação em saúde
Comunicação em saúdeComunicação em saúde
Comunicação em saúde
 
Comunicação na Saúde
Comunicação na Saúde Comunicação na Saúde
Comunicação na Saúde
 
Incidência e prevalência
Incidência e  prevalênciaIncidência e  prevalência
Incidência e prevalência
 
Enfermagem em UTI saude enfermagem112341
Enfermagem em UTI saude enfermagem112341Enfermagem em UTI saude enfermagem112341
Enfermagem em UTI saude enfermagem112341
 
1 aula souza completa aph
1 aula souza completa aph  1 aula souza completa aph
1 aula souza completa aph
 
Livreto sae
Livreto saeLivreto sae
Livreto sae
 
Acolhimento à Demanda Espontânea na APS
Acolhimento à Demanda Espontânea na APSAcolhimento à Demanda Espontânea na APS
Acolhimento à Demanda Espontânea na APS
 
Aula 01 Teorias da Comunicação - Preliminares e Definições
Aula 01   Teorias da Comunicação - Preliminares e DefiniçõesAula 01   Teorias da Comunicação - Preliminares e Definições
Aula 01 Teorias da Comunicação - Preliminares e Definições
 
Novas Diretrizes PCR - AHA
Novas Diretrizes PCR - AHANovas Diretrizes PCR - AHA
Novas Diretrizes PCR - AHA
 
Evolução de enfermagem
Evolução de enfermagemEvolução de enfermagem
Evolução de enfermagem
 
Infraestrutura Ideal em Oncologia - Patrícia Sampaio
Infraestrutura Ideal em Oncologia - Patrícia SampaioInfraestrutura Ideal em Oncologia - Patrícia Sampaio
Infraestrutura Ideal em Oncologia - Patrícia Sampaio
 
DOENÇAS DE NOTIFICAÇÕES COMPULSORIA
DOENÇAS DE NOTIFICAÇÕES COMPULSORIADOENÇAS DE NOTIFICAÇÕES COMPULSORIA
DOENÇAS DE NOTIFICAÇÕES COMPULSORIA
 
Gêneros e formatos televisivos
Gêneros e formatos televisivosGêneros e formatos televisivos
Gêneros e formatos televisivos
 
Aula+sinais+vitais carmen
Aula+sinais+vitais carmenAula+sinais+vitais carmen
Aula+sinais+vitais carmen
 
Aula-Drogas-em-UTI_2016.pptx
Aula-Drogas-em-UTI_2016.pptxAula-Drogas-em-UTI_2016.pptx
Aula-Drogas-em-UTI_2016.pptx
 
Enfermeiro na atenção à dor e luto
Enfermeiro na atenção à dor e lutoEnfermeiro na atenção à dor e luto
Enfermeiro na atenção à dor e luto
 
Estrategias de midia
Estrategias de midiaEstrategias de midia
Estrategias de midia
 
Autocuidado Apoiado
Autocuidado ApoiadoAutocuidado Apoiado
Autocuidado Apoiado
 
Psicologia aula 4 resumo aulas 1 2-3
Psicologia aula 4 resumo aulas 1 2-3Psicologia aula 4 resumo aulas 1 2-3
Psicologia aula 4 resumo aulas 1 2-3
 

Semelhante a Aula 03 conceitos de audiência

Pesquisa em mídia 14 de abril
Pesquisa em mídia 14 de abrilPesquisa em mídia 14 de abril
Pesquisa em mídia 14 de abril
Kauê Krischnegg
 
Apresentação joão oliver
Apresentação joão oliverApresentação joão oliver
Apresentação joão oliver
marsate
 
Cartilha de Mídia IBOPE
Cartilha de Mídia IBOPECartilha de Mídia IBOPE
Cartilha de Mídia IBOPE
Tacia Rocha
 
Aula 07 características dos meios de comunicação v2.pptx
Aula 07   características dos meios de comunicação v2.pptxAula 07   características dos meios de comunicação v2.pptx
Aula 07 características dos meios de comunicação v2.pptx
profjucavalcante
 
07 Roteiro De Plano De MíDia
07 Roteiro De Plano De MíDia07 Roteiro De Plano De MíDia
07 Roteiro De Plano De MíDia
lia.lvo
 
07 Roteiro De Plano De Mídia
07  Roteiro De  Plano De  Mídia07  Roteiro De  Plano De  Mídia
07 Roteiro De Plano De Mídia
lia.lvo
 
Aula 01 apresentação, plano de ensino e introdução
Aula 01   apresentação, plano de ensino e introduçãoAula 01   apresentação, plano de ensino e introdução
Aula 01 apresentação, plano de ensino e introdução
profjucavalcante
 
Aula 01 Apresentação, Plano de ensino e Panorama da Mídia
Aula 01   Apresentação, Plano de ensino e Panorama da MídiaAula 01   Apresentação, Plano de ensino e Panorama da Mídia
Aula 01 Apresentação, Plano de ensino e Panorama da Mídia
profjucavalcante
 
Aula 02 4 Ppan 2010 1
Aula 02 4 Ppan 2010 1Aula 02 4 Ppan 2010 1
Aula 02 4 Ppan 2010 1
Ney Queiroz
 
Aula 14 4 rpan_2010_2
Aula 14 4 rpan_2010_2Aula 14 4 rpan_2010_2
Aula 14 4 rpan_2010_2
Ney Queiroz
 
TV indoor PUC-RJ (Projeto final IBMEC)
TV indoor PUC-RJ (Projeto final IBMEC)TV indoor PUC-RJ (Projeto final IBMEC)
TV indoor PUC-RJ (Projeto final IBMEC)
Rafael Schaeppi da Silva
 
Aula 11 revisão
Aula 11   revisãoAula 11   revisão
Aula 11 revisão
Juliane Cavalcante
 
Aula 02 4 rpan_2010_2
Aula 02 4 rpan_2010_2Aula 02 4 rpan_2010_2
Aula 02 4 rpan_2010_2
Ney Queiroz
 
Gerenciamento de performance em ci
Gerenciamento de performance em ciGerenciamento de performance em ci
Gerenciamento de performance em ci
InformaGroup
 
Mas aula01
Mas aula01Mas aula01
Mas aula01
Plínio Okamoto
 
Aula 06 como identificar um problema de pesquisa e formulação de problemas ...
Aula 06   como identificar um problema de pesquisa e formulação de problemas ...Aula 06   como identificar um problema de pesquisa e formulação de problemas ...
Aula 06 como identificar um problema de pesquisa e formulação de problemas ...
profjucavalcante
 
Leite Single
Leite SingleLeite Single
Leite Single
Bruno Pimentel
 
TV Digital e Personalização
TV Digital e PersonalizaçãoTV Digital e Personalização
TV Digital e Personalização
Elaine Cecília Gatto
 
Aula 10 classificação dos meios
Aula 10   classificação dos meiosAula 10   classificação dos meios
Aula 10 classificação dos meios
Juliane Cavalcante
 
Manualbasico
ManualbasicoManualbasico
Manualbasico
tvjuina
 

Semelhante a Aula 03 conceitos de audiência (20)

Pesquisa em mídia 14 de abril
Pesquisa em mídia 14 de abrilPesquisa em mídia 14 de abril
Pesquisa em mídia 14 de abril
 
Apresentação joão oliver
Apresentação joão oliverApresentação joão oliver
Apresentação joão oliver
 
Cartilha de Mídia IBOPE
Cartilha de Mídia IBOPECartilha de Mídia IBOPE
Cartilha de Mídia IBOPE
 
Aula 07 características dos meios de comunicação v2.pptx
Aula 07   características dos meios de comunicação v2.pptxAula 07   características dos meios de comunicação v2.pptx
Aula 07 características dos meios de comunicação v2.pptx
 
07 Roteiro De Plano De MíDia
07 Roteiro De Plano De MíDia07 Roteiro De Plano De MíDia
07 Roteiro De Plano De MíDia
 
07 Roteiro De Plano De Mídia
07  Roteiro De  Plano De  Mídia07  Roteiro De  Plano De  Mídia
07 Roteiro De Plano De Mídia
 
Aula 01 apresentação, plano de ensino e introdução
Aula 01   apresentação, plano de ensino e introduçãoAula 01   apresentação, plano de ensino e introdução
Aula 01 apresentação, plano de ensino e introdução
 
Aula 01 Apresentação, Plano de ensino e Panorama da Mídia
Aula 01   Apresentação, Plano de ensino e Panorama da MídiaAula 01   Apresentação, Plano de ensino e Panorama da Mídia
Aula 01 Apresentação, Plano de ensino e Panorama da Mídia
 
Aula 02 4 Ppan 2010 1
Aula 02 4 Ppan 2010 1Aula 02 4 Ppan 2010 1
Aula 02 4 Ppan 2010 1
 
Aula 14 4 rpan_2010_2
Aula 14 4 rpan_2010_2Aula 14 4 rpan_2010_2
Aula 14 4 rpan_2010_2
 
TV indoor PUC-RJ (Projeto final IBMEC)
TV indoor PUC-RJ (Projeto final IBMEC)TV indoor PUC-RJ (Projeto final IBMEC)
TV indoor PUC-RJ (Projeto final IBMEC)
 
Aula 11 revisão
Aula 11   revisãoAula 11   revisão
Aula 11 revisão
 
Aula 02 4 rpan_2010_2
Aula 02 4 rpan_2010_2Aula 02 4 rpan_2010_2
Aula 02 4 rpan_2010_2
 
Gerenciamento de performance em ci
Gerenciamento de performance em ciGerenciamento de performance em ci
Gerenciamento de performance em ci
 
Mas aula01
Mas aula01Mas aula01
Mas aula01
 
Aula 06 como identificar um problema de pesquisa e formulação de problemas ...
Aula 06   como identificar um problema de pesquisa e formulação de problemas ...Aula 06   como identificar um problema de pesquisa e formulação de problemas ...
Aula 06 como identificar um problema de pesquisa e formulação de problemas ...
 
Leite Single
Leite SingleLeite Single
Leite Single
 
TV Digital e Personalização
TV Digital e PersonalizaçãoTV Digital e Personalização
TV Digital e Personalização
 
Aula 10 classificação dos meios
Aula 10   classificação dos meiosAula 10   classificação dos meios
Aula 10 classificação dos meios
 
Manualbasico
ManualbasicoManualbasico
Manualbasico
 

Mais de profjucavalcante

Aula 08 briefing e roteiro de mídia
Aula 08   briefing e roteiro de mídiaAula 08   briefing e roteiro de mídia
Aula 08 briefing e roteiro de mídia
profjucavalcante
 
Aula 08 merchandising, promoção de vendas e exibitécnica
Aula 08   merchandising, promoção de vendas e exibitécnicaAula 08   merchandising, promoção de vendas e exibitécnica
Aula 08 merchandising, promoção de vendas e exibitécnica
profjucavalcante
 
Aula 07 promoções com premiações cont
Aula 07   promoções com premiações contAula 07   promoções com premiações cont
Aula 07 promoções com premiações cont
profjucavalcante
 
Aula 08 abordagens e tipos de pesquisa (cont)
Aula 08   abordagens e tipos de pesquisa (cont)Aula 08   abordagens e tipos de pesquisa (cont)
Aula 08 abordagens e tipos de pesquisa (cont)
profjucavalcante
 
Aula 07 tipos de pesquisa
Aula 07   tipos de pesquisaAula 07   tipos de pesquisa
Aula 07 tipos de pesquisa
profjucavalcante
 
Aula 06 promoções com premiações
Aula 06   promoções com premiaçõesAula 06   promoções com premiações
Aula 06 promoções com premiações
profjucavalcante
 
Aula 05 ofertas, descontos e reduções de preço cont
Aula 05   ofertas, descontos e reduções de preço contAula 05   ofertas, descontos e reduções de preço cont
Aula 05 ofertas, descontos e reduções de preço cont
profjucavalcante
 
Aula 04 ofertas, descontos e reduções de preço
Aula 04   ofertas, descontos e reduções de preçoAula 04   ofertas, descontos e reduções de preço
Aula 04 ofertas, descontos e reduções de preço
profjucavalcante
 
Aula 05 tipos de pesquisa e esquema geral de pesquisa de marketing
Aula 05   tipos de pesquisa e esquema geral de pesquisa de marketingAula 05   tipos de pesquisa e esquema geral de pesquisa de marketing
Aula 05 tipos de pesquisa e esquema geral de pesquisa de marketing
profjucavalcante
 
Aula 04 sim, fluxo de informação, pesquisa de base e aplicada, importancia ...
Aula 04   sim, fluxo de informação, pesquisa de base e aplicada, importancia ...Aula 04   sim, fluxo de informação, pesquisa de base e aplicada, importancia ...
Aula 04 sim, fluxo de informação, pesquisa de base e aplicada, importancia ...
profjucavalcante
 
Aula 04 qualificação, perfil psicográfico, afinidade e alcance
Aula 04   qualificação, perfil psicográfico, afinidade e alcanceAula 04   qualificação, perfil psicográfico, afinidade e alcance
Aula 04 qualificação, perfil psicográfico, afinidade e alcance
profjucavalcante
 
Aula 02 ipc, classificação econômica e cenário internet
Aula 02  ipc, classificação econômica e cenário internetAula 02  ipc, classificação econômica e cenário internet
Aula 02 ipc, classificação econômica e cenário internet
profjucavalcante
 
la Aula 03 conceituação de pesquisa e funções da pesquisa de marketing
la Aula 03   conceituação de pesquisa e funções da pesquisa de marketingla Aula 03   conceituação de pesquisa e funções da pesquisa de marketing
la Aula 03 conceituação de pesquisa e funções da pesquisa de marketing
profjucavalcante
 
Aula 02 pequena história da pesquisa
Aula 02   pequena história da pesquisaAula 02   pequena história da pesquisa
Aula 02 pequena história da pesquisa
profjucavalcante
 
Aula 01 apresentação, plano de ensino e introdução
Aula 01   apresentação, plano de ensino e introduçãoAula 01   apresentação, plano de ensino e introdução
Aula 01 apresentação, plano de ensino e introdução
profjucavalcante
 
Aula 01 apresentação, plano de ensino e introdução
Aula 01   apresentação, plano de ensino e introduçãoAula 01   apresentação, plano de ensino e introdução
Aula 01 apresentação, plano de ensino e introdução
profjucavalcante
 
Aula 03 técnicas, meios, recursos, ferramentas e intrumentos
Aula 03   técnicas, meios, recursos, ferramentas e intrumentosAula 03   técnicas, meios, recursos, ferramentas e intrumentos
Aula 03 técnicas, meios, recursos, ferramentas e intrumentos
profjucavalcante
 
Aula 02 definição de promoção de vendas
Aula 02   definição de promoção de vendasAula 02   definição de promoção de vendas
Aula 02 definição de promoção de vendas
profjucavalcante
 
Aula 01 apresentação, plano de ensino e introdução
Aula 01   apresentação, plano de ensino e introduçãoAula 01   apresentação, plano de ensino e introdução
Aula 01 apresentação, plano de ensino e introdução
profjucavalcante
 
Classificação dos meios
Classificação dos meiosClassificação dos meios
Classificação dos meios
profjucavalcante
 

Mais de profjucavalcante (20)

Aula 08 briefing e roteiro de mídia
Aula 08   briefing e roteiro de mídiaAula 08   briefing e roteiro de mídia
Aula 08 briefing e roteiro de mídia
 
Aula 08 merchandising, promoção de vendas e exibitécnica
Aula 08   merchandising, promoção de vendas e exibitécnicaAula 08   merchandising, promoção de vendas e exibitécnica
Aula 08 merchandising, promoção de vendas e exibitécnica
 
Aula 07 promoções com premiações cont
Aula 07   promoções com premiações contAula 07   promoções com premiações cont
Aula 07 promoções com premiações cont
 
Aula 08 abordagens e tipos de pesquisa (cont)
Aula 08   abordagens e tipos de pesquisa (cont)Aula 08   abordagens e tipos de pesquisa (cont)
Aula 08 abordagens e tipos de pesquisa (cont)
 
Aula 07 tipos de pesquisa
Aula 07   tipos de pesquisaAula 07   tipos de pesquisa
Aula 07 tipos de pesquisa
 
Aula 06 promoções com premiações
Aula 06   promoções com premiaçõesAula 06   promoções com premiações
Aula 06 promoções com premiações
 
Aula 05 ofertas, descontos e reduções de preço cont
Aula 05   ofertas, descontos e reduções de preço contAula 05   ofertas, descontos e reduções de preço cont
Aula 05 ofertas, descontos e reduções de preço cont
 
Aula 04 ofertas, descontos e reduções de preço
Aula 04   ofertas, descontos e reduções de preçoAula 04   ofertas, descontos e reduções de preço
Aula 04 ofertas, descontos e reduções de preço
 
Aula 05 tipos de pesquisa e esquema geral de pesquisa de marketing
Aula 05   tipos de pesquisa e esquema geral de pesquisa de marketingAula 05   tipos de pesquisa e esquema geral de pesquisa de marketing
Aula 05 tipos de pesquisa e esquema geral de pesquisa de marketing
 
Aula 04 sim, fluxo de informação, pesquisa de base e aplicada, importancia ...
Aula 04   sim, fluxo de informação, pesquisa de base e aplicada, importancia ...Aula 04   sim, fluxo de informação, pesquisa de base e aplicada, importancia ...
Aula 04 sim, fluxo de informação, pesquisa de base e aplicada, importancia ...
 
Aula 04 qualificação, perfil psicográfico, afinidade e alcance
Aula 04   qualificação, perfil psicográfico, afinidade e alcanceAula 04   qualificação, perfil psicográfico, afinidade e alcance
Aula 04 qualificação, perfil psicográfico, afinidade e alcance
 
Aula 02 ipc, classificação econômica e cenário internet
Aula 02  ipc, classificação econômica e cenário internetAula 02  ipc, classificação econômica e cenário internet
Aula 02 ipc, classificação econômica e cenário internet
 
la Aula 03 conceituação de pesquisa e funções da pesquisa de marketing
la Aula 03   conceituação de pesquisa e funções da pesquisa de marketingla Aula 03   conceituação de pesquisa e funções da pesquisa de marketing
la Aula 03 conceituação de pesquisa e funções da pesquisa de marketing
 
Aula 02 pequena história da pesquisa
Aula 02   pequena história da pesquisaAula 02   pequena história da pesquisa
Aula 02 pequena história da pesquisa
 
Aula 01 apresentação, plano de ensino e introdução
Aula 01   apresentação, plano de ensino e introduçãoAula 01   apresentação, plano de ensino e introdução
Aula 01 apresentação, plano de ensino e introdução
 
Aula 01 apresentação, plano de ensino e introdução
Aula 01   apresentação, plano de ensino e introduçãoAula 01   apresentação, plano de ensino e introdução
Aula 01 apresentação, plano de ensino e introdução
 
Aula 03 técnicas, meios, recursos, ferramentas e intrumentos
Aula 03   técnicas, meios, recursos, ferramentas e intrumentosAula 03   técnicas, meios, recursos, ferramentas e intrumentos
Aula 03 técnicas, meios, recursos, ferramentas e intrumentos
 
Aula 02 definição de promoção de vendas
Aula 02   definição de promoção de vendasAula 02   definição de promoção de vendas
Aula 02 definição de promoção de vendas
 
Aula 01 apresentação, plano de ensino e introdução
Aula 01   apresentação, plano de ensino e introduçãoAula 01   apresentação, plano de ensino e introdução
Aula 01 apresentação, plano de ensino e introdução
 
Classificação dos meios
Classificação dos meiosClassificação dos meios
Classificação dos meios
 

Último

Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
C4io99
 
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.pptNR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
Vanessa F. Rezende
 
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
marcos oliveira
 
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdfGuia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
FLAVIOROBERTOGOUVEA
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
arodatos81
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdfOficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
beathrizalves131
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Mary Alvarenga
 
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
antonio carlos
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
pattyhsilva271204
 
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdfCALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CristviaFerreira
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Leonel Morgado
 
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdfPainel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
marcos oliveira
 

Último (20)

Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
 
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.pptNR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
 
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
 
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
 
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdfGuia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
 
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdfOficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
 
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
 
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdfCALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
 
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdfPainel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
 

Aula 03 conceitos de audiência

  • 1. PREXPM Projeto Experimental – Planejamento de Mídia Profa. Juliane Cavalcante Vitoriano da Silva prof.jucavalcante@gmail.com
  • 3. Comunicação Social – Publicidade e Propaganda PREXPM - Projeto Experimental: Planejamento de Mídia Prof. Juliane Cavalcante Vitoriano da Silva Conceitos técnicos de mídia UNIVERSO
  • 4. Comunicação Social – Publicidade e Propaganda PREXPM - Projeto Experimental: Planejamento de Mídia Prof. Juliane Cavalcante Vitoriano da Silva Conceitos técnicos de mídia CONJUNTO DE PESSOAS DE UM MERCADO OU A TOTALIDADE DOS MERCADOS QUE SE ESTÁ ESTUDANDO OU QUE SE DESEJA ATINGIR
  • 5. Comunicação Social – Publicidade e Propaganda PREXPM - Projeto Experimental: Planejamento de Mídia Prof. Juliane Cavalcante Vitoriano da Silva Conceitos técnicos de mídia Exemplos de Universos:  Corredores do Estado de São Paulo  Consumidores de Carros  Compradores de Espuma de barbear  Eleitores do Estado de São Paulo  Empreendedoras
  • 6. Comunicação Social – Publicidade e Propaganda PREXPM - Projeto Experimental: Planejamento de Mídia Prof. Juliane Cavalcante Vitoriano da Silva Conceitos técnicos de mídia AUDIÊNCIA DE TV
  • 7. Comunicação Social – Publicidade e Propaganda PREXPM - Projeto Experimental: Planejamento de Mídia Prof. Juliane Cavalcante Vitoriano da Silva Conceitos técnicos de mídia Também já se questionou sobre isso? Então vamos lá! Você agora vai saber como chegam aos números que tanto influenciam o nosso trabalho. O IBOPE sabe o que estou vendo na minha TV? Como o IBOPE é medido? Você já foi entrevistado pelo IBOPE? Cada ponto do IBOPE corresponde a quantas pessoas? Se eu ligar todos aparelhos de TV da minha casa, dou mais audiência para o programa? O que é o IBOPE?
  • 8. Comunicação Social – Publicidade e Propaganda PREXPM - Projeto Experimental: Planejamento de Mídia Prof. Juliane Cavalcante Vitoriano da Silva Conceitos técnicos de mídia O que é o IBOPE?  Fundado em 1942 por Auricélio Penteado  Queria saber a audiência de sua rádio  Começa com audiência de rádio e pesquisa de consumo de produtos Década de 50: pesquisas políticas e de TV por método flagrante. No final dos anos 80 é que surgem os peoplemeters O IBOPE sabe o que estou vendo na minha TV? Não. Só os domicílios que participam da amostra têm sua audiência aferida pelo IBOPE.
  • 9. Comunicação Social – Publicidade e Propaganda PREXPM - Projeto Experimental: Planejamento de Mídia Prof. Juliane Cavalcante Vitoriano da Silva Conceitos técnicos de mídia Como se mede AUDIÊNCIA? Auditoria interna e externa 7 Processamento e controle de qualidade 5 Treinamento 4 Instalação do Peoplemeter/DIB ou Distribuição dos cadernos nos domicílios 3 Contratação dos domicílios 1 Levantamento Socioeconômico 2 Seleção da amostra6 Coleta e validação dos dados ou Coleta e leitura dos dados (scanner) Entrega da informação 8
  • 10. Comunicação Social – Publicidade e Propaganda PREXPM - Projeto Experimental: Planejamento de Mídia Prof. Juliane Cavalcante Vitoriano da Silva Conceitos técnicos de mídia Passo 1: Levantamento Sócio-econômico Levantamento na cidade ou região para averiguar a configuração do lugar:  Classe econômica  Idade e gênero da população  Número de domicílios  Quantidade de moradores por domicílio  Presença de televisão Baseado no IBGE e no LSE (Levantamento Sócio econômico) O passo seguinte é selecionar a amostra.
  • 11. Comunicação Social – Publicidade e Propaganda PREXPM - Projeto Experimental: Planejamento de Mídia Prof. Juliane Cavalcante Vitoriano da Silva Conceitos técnicos de mídia Passo 2: Seleção da Amostra Primeiro: O que é uma amostra? É um conjunto escolhido para representar um grupo maior Para medir a audiência, um grupo de indivíduos é escolhido para representar a população, pois essa amostra possui as mesmas características do grande grupo. Desta forma, podemos interpretar o comportamento da amostra como o comportamento da população como um todo.
  • 12. Comunicação Social – Publicidade e Propaganda PREXPM - Projeto Experimental: Planejamento de Mídia Prof. Juliane Cavalcante Vitoriano da Silva Conceitos técnicos de mídia Passo 3: Contratação de Domicílios Selecionados os domicílios que servem para a amostra, com base no cadastro feito durante o Levantamento Sócio-econômico, o IBOPE entra em contato e contrata o domicílio. O domicílio não recebe “salário”, mas passa a concorrer a prêmios periodicamente, para que seja incentivada a sua participação. Esses domicílios são sistematicamente trocados, de forma que não sejam registrados os ‘vícios’ que possam apresentar. Todo ano 25% da amostra é trocada. Cada domicílio fica, no máximo, quatro anos na amostra. Um novo entra, com características que representam o seu perfil na população geral.
  • 13. Comunicação Social – Publicidade e Propaganda PREXPM - Projeto Experimental: Planejamento de Mídia Prof. Juliane Cavalcante Vitoriano da Silva Conceitos técnicos de mídia Passo 4: Instalação do People Meter O People Meter é o aparelho instalado na televisão e que recolhe as informações enquanto as pessoas estão assistindo. Ele armazena as informações e transmite para a central do IBOPE. Mas como sabemos o perfil de quem está assistindo? O controle tem números que correspondem aos moradores da casa. O IBOPE já tem o cadastro desta família e associa o número às pessoas. Mas as pessoas informam mesmo? Sim, informam. Quando é notada alguma anormalidade o IBOPE entra em contato para verificar o que está ocorrendo. Se houve modificações, o domicílio é substituído.
  • 14. Comunicação Social – Publicidade e Propaganda PREXPM - Projeto Experimental: Planejamento de Mídia Prof. Juliane Cavalcante Vitoriano da Silva Conceitos técnicos de mídia Peoplemeter – DIB6
  • 15. Comunicação Social – Publicidade e Propaganda PREXPM - Projeto Experimental: Planejamento de Mídia Prof. Juliane Cavalcante Vitoriano da Silva Conceitos técnicos de mídia Caderno Caderno Em praças onde não há medição regular, o IBOPE realiza a pesquisa através de caderno. Os domicílios são escolhidos por amostragem e um caderno é deixado para que as pessoas residentes registrem o que estão assistindo. Metodologia indica mais recall que comportamento de audiência
  • 16. Comunicação Social – Publicidade e Propaganda PREXPM - Projeto Experimental: Planejamento de Mídia Prof. Juliane Cavalcante Vitoriano da Silva Conceitos técnicos de mídia Passo 5: Treinamento É muito fácil operar o People Meter. A versão mais moderna é um aparelho parecido com um DVD, que funciona por controle remoto. Antes de entrar em operação, todas as pessoas do domicílio passam por um treinamento para aprender a usá-lo. Apenas um mês após estar presente no painel o domicílio passa a ser contabilizado
  • 17. Comunicação Social – Publicidade e Propaganda PREXPM - Projeto Experimental: Planejamento de Mídia Prof. Juliane Cavalcante Vitoriano da Silva Conceitos técnicos de mídia Passo 6: Coleta e Validação de Dados Enquanto as pessoas estão assistindo televisão no domicílio, o People Meter envia em tempo real as informações para a central do IBOPE. Estas informações são enviadas via rádio e sinal de celular. Enquanto mudam de canal, ligam a televisão, entram e saem moradores, os movimentos são registrados pelo People Meter e enviados para a central.
  • 18. Comunicação Social – Publicidade e Propaganda PREXPM - Projeto Experimental: Planejamento de Mídia Prof. Juliane Cavalcante Vitoriano da Silva Conceitos técnicos de mídia Passo 7: Processo e Controle de Qualidade Quando recebe os dados, o IBOPE os processa e transforma nos números de audiência que recebemos na emissora. No Controle de Qualidade é verificada a consistência dos dados, se está dentro dos padrões de normalidade e se todos os aparelhos estão enviando sinal. Após passar pelo Controle de Qualidade o dado é repassado para nós. Passo 8: Entrega dos dados Por fim, recebemos os clientes recebem os dados
  • 19. Comunicação Social – Publicidade e Propaganda PREXPM - Projeto Experimental: Planejamento de Mídia Prof. Juliane Cavalcante Vitoriano da Silva Conceitos técnicos de mídia Como se mede o IBOPE? Auditoria interna e externa 7 Processamento e controle de qualidade 5 Treinamento 4 Instalação do Peoplemeter/DIB ou Distribuição dos cadernos nos domicílios 3 Contratação dos domicílios 1 Levantamento Socioeconômico 2 Seleção da amostra6 Coleta e validação dos dados ou Coleta e leitura dos dados (scanner) Entrega da informação 8
  • 20. Comunicação Social – Publicidade e Propaganda PREXPM - Projeto Experimental: Planejamento de Mídia Prof. Juliane Cavalcante Vitoriano da Silva Conceitos técnicos de mídia Quanto vale um ponto no IBOPE? Estimativas 2014 1 ponto sempre equivale a 1% do universo Temos audiência domiciliar e individual Os relatórios de audiência são produzidos com a audiência domiciliar O IBOPE só considera indivíduos com 4 anos ou mais em suas amostras São Paulo 1 ponto domiciliar 65,202 domicílios (São 6.520.157 domicílios no total) 1 ponto individual 193.282 indivíduos (São 19.328.191 no total) Rio de Janeiro 1 ponto domiciliar 39.600 domicílios 1 ponto individual 109.982 indivíduos Brasília 1 ponto domiciliar 8.392 domicílios 1 ponto individual 25.329 indivíduos Porto Alegre 1 ponto domiciliar 10.439 domicílios 1 ponto individual 28.235 indivíduos
  • 21. Comunicação Social – Publicidade e Propaganda PREXPM - Projeto Experimental: Planejamento de Mídia Prof. Juliane Cavalcante Vitoriano da Silva Conceitos técnicos de mídia Audiência (rat%) É a média de pessoas ou domicílios sintonizados por minuto em um programa ou faixa horária. Fórmula: Audiência Domiciliar = número de domicílios sintonizados no programa x 100 Total de domicílios do Universo Audiência Individual = número de indivíduos sintonizados no programa x 100 Total de indivíduos do Universo Exemplo: Audiência Domiciliar = 1.200.000 x 100 2.500.000 Audiência Individual = 200.000 x 100 800.000 0,48 x 100 = 48% 0,25 x 100 = 25%
  • 22. Comunicação Social – Publicidade e Propaganda PREXPM - Projeto Experimental: Planejamento de Mídia Prof. Juliane Cavalcante Vitoriano da Silva Conceitos técnicos de mídia Participação (shr%) A participação – ou share – só considera os indivíduos e/ou domicílios com televisão ligada no horário analisado. É interessante para entender o comportamento do público que está disponível para assistir o conteúdo exibido. Fórmula: Exemplo: 0,36 x 100 = 36% 0,20 x 100 = 20% Audiência Domiciliar = número de domicílios sintonizados no programa x 100 Total de domicílios com TV ligada no horário do programa Audiência Individual = número de indivíduos sintonizados no programa x 100 Total de indivíduos com TV ligada no horário do programa Participação Domiciliar = 1.800.000 x 100 5.000.000 Participação Individual = 200.000 x 100 1.000.000
  • 23. Comunicação Social – Publicidade e Propaganda PREXPM - Projeto Experimental: Planejamento de Mídia Prof. Juliane Cavalcante Vitoriano da Silva Conceitos técnicos de mídia
  • 24. Comunicação Social – Publicidade e Propaganda PREXPM - Projeto Experimental: Planejamento de Mídia Prof. Juliane Cavalcante Vitoriano da Silva Conceitos técnicos de mídia
  • 25. Comunicação Social – Publicidade e Propaganda PREXPM - Projeto Experimental: Planejamento de Mídia Prof. Juliane Cavalcante Vitoriano da Silva Conceitos técnicos de mídia
  • 26. Comunicação Social – Publicidade e Propaganda PREXPM - Projeto Experimental: Planejamento de Mídia Prof. Juliane Cavalcante Vitoriano da Silva Conceitos técnicos de mídia
  • 27. Comunicação Social – Publicidade e Propaganda PREXPM - Projeto Experimental: Planejamento de Mídia Prof. Juliane Cavalcante Vitoriano da Silva Conceitos técnicos de mídia
  • 28. Comunicação Social – Publicidade e Propaganda PREXPM - Projeto Experimental: Planejamento de Mídia Prof. Juliane Cavalcante Vitoriano da Silva Conceitos técnicos de mídia
  • 29. Comunicação Social – Publicidade e Propaganda PREXPM - Projeto Experimental: Planejamento de Mídia Prof. Juliane Cavalcante Vitoriano da Silva Conceitos técnicos de mídia
  • 30. Comunicação Social – Publicidade e Propaganda PREXPM - Projeto Experimental: Planejamento de Mídia Prof. Juliane Cavalcante Vitoriano da Silva Conceitos técnicos de mídia
  • 31. Comunicação Social – Publicidade e Propaganda PREXPM - Projeto Experimental: Planejamento de Mídia Prof. Juliane Cavalcante Vitoriano da Silva Conceitos técnicos de mídia
  • 32. Comunicação Social – Publicidade e Propaganda PREXPM - Projeto Experimental: Planejamento de Mídia Prof. Juliane Cavalcante Vitoriano da Silva Conceitos técnicos de mídia
  • 33. Comunicação Social – Publicidade e Propaganda PREXPM - Projeto Experimental: Planejamento de Mídia Prof. Juliane Cavalcante Vitoriano da Silva Conceitos técnicos de mídia