SlideShare uma empresa Scribd logo
Avaliação da Aprendizagem Prof. Ivanderson Pereira da Silva
Sumário Avaliação na Visão de Jussara Hoffmann Avaliação Mediadora Avaliação na visão de Cipriano Luckesi Avalia ção da Aprendizagem escolar
Avaliação da Aprendizagem segundo a visão de Cipriano Luckesi (1995)
“ juízo de qualidade sobre dados relevantes, tendo em vista uma tomada de decisão” (1995, p. 69)
Discutiremos a questão da avaliação do aluno relacionada à questão da democratização do ensino, perguntando se a atual prática da avaliação da aprendizagem escolar está a favor ou contra a democratização do ensino (Luckesi, 1995, p. 60.).
Conforme Luckesi, no ritual pedagógico podemos verificar a freqüente incidência de tais momentos: a prática avaliativa se dá a partir do momento que um determinado conteúdo é dado como encerrado. É nesse momento que se prepara o que poderíamos denominar de  ‘instrumento avaliativo’. (  SCHOPF, )
Próximo do final da unidade de ensino, o professor formula o seu instrumento de avaliação, a partir de diversas variáveis: conteúdo que o professor ensinou efetivamente; conteúdos que o professor não ensinou, mas que deu por suposto ter ensinado;  conteúdos “extras” que o professor inclui no momento da elaboração do teste, para torná-lo mais difícil; o humor do professor em relação à turma que ele tem pela frente; a disciplina ou a indisciplina social desses alunos (Ibidem, p. 67).
Após recolhimento das respostas, os professores corrigem as mesmas e atribuem-lhe um valor (em notas ou em conceitos), que deve corresponder ao nível qualitativo da aprendizagem manifestada pelo aluno (Luckesi, 1995, p. 68.).
Ainda, por vezes, se acrescentam ‘pontos a mais’ ou ‘pontos a menos’ ao aluno, a depender de sua conduta em sala de aula. Esses podem decorrer de condutas inteligentes em relação a matéria ensinada, podem decorrer de atitudes disciplinares, podem corresponder a condutas responsáveis ou não dos alunos etc. (Ibidem, p.68).
Mas e a democratização do ensino???
O processo de democratização do ensino passa por três pontos fundamentais: o acesso à educação escolar; a permanência do educando na instituição até uma certa terminalidade escolar; e a qualidade do ensino. (LUCKESI, 1995)
‘ Acesso universal ao ensino’ é, pois, um elemento essencial da democratização e a porta de entrada para a realização desse desejo de todos nós, que clamamos por uma sociedade emancipada dos mecanismos de opressão (Luckesi, 1995, p. 62.).
O segundo elemento que define a democratização do ensino é a ‘permanência do educando na escola e a conseqüente terminalidade escolar’. Ou seja, o aluno que teve acesso à escola deve ter a possibilidade de permanecer nela até um nível de terminalidade que seja significativo[...] (Ibidem, p.32).
O terceiro fator que entendemos inferir no processo de democratização está afeto à ‘questão da qualidade do ensino’, o que significa estar relacionado à questão da transmissão e da apropriação ativa dos conteúdos escolares (Luckesi, 1995, p. 64.).
Mas então como fazer?
Em primeiro lugar, há que partir para a perspectiva de uma ‘avaliação diagnóstica’. Com isso, queremos dizer que a primeira coisa a ser feita, para que a avaliação sirva à democratização do ensino, é mudar a sua utilização de ‘classificatória’ para ‘diagnóstica’ (Ibidem, p.81) .
Desse modo, a avaliação não seria tão-somente um instrumento para a aprovação ou reprovação dos alunos, mas sim um instrumento de diagnóstico de sua situação, tendo em vista a definição de encaminhamentos adequados para a sua aprendizagem (Luckesi, 1995, p. 81.).
Avaliação da Aprendizagem segundo a visão de  Jussara Hoffmann (1993)
Avaliação mediadora, uma prática contrutivista!
Idéia de que nada, a rigor, está pronto, acabado, e de que, especificamente, o conhecimento não é dado, em nenhuma instância, como algo terminado. Ele se contitui pela interação do indivíduo com o meio físico e social, com o simbolismo humano, com o mundo das relações sociais (Becker, 1993, p. 88-89, apud Hoffmann, 1993, p. 51)
Na teoria construtivista é essencial a interação entre iguais para o desenvolvimento do conhecimento lógico-matemático. O aluno, discutindo com seus colegas, não está submetido a uma relação de autoridade como na relação com o seu professor. (HOFFMANN, 1993, p. 73)
Princípio maior da Avaliação Mediadora é o Princípio da Reflexão-Ação (Hoffmann, 1993, p. 07)
O sistema de avaliação tradicional, classificatório, assegura um ensino de qualidade? A manutenção das provas e notas é garantia do efetivo acompanhamento dos alunos no seu processo de aprendizagem? O sucesso de um aluno na escola tradicional representa o seu desenvolvimento máximo possível?
Sucesso na escola tradicional? Desenvolvimento máximo possível? Memorização Aprendizagem Notas altas Compreensão Obediência Questionamento Passividade Participação
Não-reprovação [...] não pode ser entendida pelos professores como uma proposta de não avaliação. (HOFFMANN, 1993, p. 21)
A questão da subjetividade
Não há como fugir, muito menos, da interpretação do professor no momento da correção. A prova disso é que certas pesquisas demonstram a variabilidade de escores obtidos quando mais de um professor corrige uma mesma questão dissertativa de um aluno ou sua redação. (HOFFMANN, 1993, p. 64)
O problema do gargalo na educação !!!!
Princípios coerentes a uma ação avaliativa mediadora:
Oportunizar aos alunos muitos momentos de expressar suas idéias (HOFFMANN, 1993, p. 71) Oportunizar discussão entre os alunos a partir de situações desencadeadoras (HOFFMANN, 1993, p. 73)
Realizar várias tarefas individuais, menores e sucessivas, investigando teoricamjente, procurando entender razões para as respostas apresentadas pelo educando. (HOFFMANN, 1993, p. 75)
Ao invés de certo/errafo e da pontuação tradicional, fazer comentários sobre as tarefas dos alunos, auxiliando-os a localizar as dificuldades, oferecendo-lhes a oportunidade de descobrir melhores soluções. (HOFFMANN, 1993, p. 82)
Transformar o registros de avaliação em anotações significativas sobre o acompanhamento dos alunos em seu processo de construção do conhecimento (HOFFMANN, 1993, p. 84).
Porque este discurso fica apenas no papel?
Muitos fatores dificultam a superação da prática tradicional, já tão criticada, mas dentre muitos, desponta sobremaneira a crença dos educadores de todos os graus de enino na manutenção da ação avaliatva classificatória como garantia de um ensino de qualidade, que resguarde um saber competente dos alunos. Essa não é apenas a concepção vigente entre os professores, mas a creça de  toda a sociedade  ... (Hoffmann, 1993, p. 11)
“ Avaliação não deve ser uma autópsia, ela deve ser uma biópsia” (autor desconhecido)
Obrigado !!!!
LUCKESI, Cipriano.  Avaliação e Aprendizagem Escolar . 10a Ed. São Paulo: Cortez, 1995. HOFFMANN, Jussara.  Avaliação mediadora:  uma prática em construção sa pré-escola à universidade. 4a Ed. Porto Alegre: Educação e realidade. 1993

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Avaliação mediadora -_jussara_hoffmann
Avaliação mediadora -_jussara_hoffmannAvaliação mediadora -_jussara_hoffmann
Avaliação mediadora -_jussara_hoffmann
Docência "in loco"
 
A avaliação da aprendizagem como processo construtivo do
A avaliação da aprendizagem como processo construtivo doA avaliação da aprendizagem como processo construtivo do
A avaliação da aprendizagem como processo construtivo do
pattyapfonseca
 
Avaliação da aprendizagem escolar
Avaliação da aprendizagem escolarAvaliação da aprendizagem escolar
Avaliação da aprendizagem escolar
Maria Bárbara Floriano
 
AVALIAÇÃO EDUCACIONAL: PESPECTIVIAS
AVALIAÇÃO EDUCACIONAL: PESPECTIVIASAVALIAÇÃO EDUCACIONAL: PESPECTIVIAS
AVALIAÇÃO EDUCACIONAL: PESPECTIVIAS
Vyeyra Santos
 
Curriculo
CurriculoCurriculo
4. avaliação
4. avaliação4. avaliação
4. avaliação
Lilian Moreira
 
O curriculo
O curriculoO curriculo
O curriculo
Germano Minezes
 
Avaliação ppt
Avaliação pptAvaliação ppt
Avaliação ppt
Caio Henrique
 
Avaliação: tipos e funções
Avaliação: tipos e funçõesAvaliação: tipos e funções
Avaliação: tipos e funções
Kogen Gouveia
 
Tendências pedagógicas
Tendências pedagógicasTendências pedagógicas
Tendências pedagógicas
Ivanderson da Silva
 
Estudos sobre avaliação da aprendizagem
Estudos sobre avaliação da aprendizagemEstudos sobre avaliação da aprendizagem
Estudos sobre avaliação da aprendizagem
Ana Rita S de Souza
 
Avaliação
AvaliaçãoAvaliação
Avaliação
lucavao2010
 
Planejamento de Ensino
Planejamento de EnsinoPlanejamento de Ensino
Planejamento de Ensino
Lene Reis
 
Avaliação
AvaliaçãoAvaliação
Avaliação
Jocéia Nunes Mata
 
Avaliação na educação infantil
Avaliação na educação infantilAvaliação na educação infantil
Avaliação na educação infantil
Fátima Regina
 
Relação Professor Aluno
Relação Professor Aluno Relação Professor Aluno
Relação Professor Aluno
Universidade Federal do Ceará
 
4.relacao professor aluno
4.relacao professor aluno4.relacao professor aluno
4.relacao professor aluno
Alba Mate Mate
 
Gestão de sala de aula 2
Gestão de sala de aula 2Gestão de sala de aula 2
Gestão de sala de aula 2
suelyaparecida
 
Ppt avaliação
Ppt avaliaçãoPpt avaliação
Ppt avaliação
Editora Moderna
 
resumo-de-avaliação-mediadora-jussara-hoffmann
 resumo-de-avaliação-mediadora-jussara-hoffmann resumo-de-avaliação-mediadora-jussara-hoffmann
resumo-de-avaliação-mediadora-jussara-hoffmann
Ivanylde Santos
 

Mais procurados (20)

Avaliação mediadora -_jussara_hoffmann
Avaliação mediadora -_jussara_hoffmannAvaliação mediadora -_jussara_hoffmann
Avaliação mediadora -_jussara_hoffmann
 
A avaliação da aprendizagem como processo construtivo do
A avaliação da aprendizagem como processo construtivo doA avaliação da aprendizagem como processo construtivo do
A avaliação da aprendizagem como processo construtivo do
 
Avaliação da aprendizagem escolar
Avaliação da aprendizagem escolarAvaliação da aprendizagem escolar
Avaliação da aprendizagem escolar
 
AVALIAÇÃO EDUCACIONAL: PESPECTIVIAS
AVALIAÇÃO EDUCACIONAL: PESPECTIVIASAVALIAÇÃO EDUCACIONAL: PESPECTIVIAS
AVALIAÇÃO EDUCACIONAL: PESPECTIVIAS
 
Curriculo
CurriculoCurriculo
Curriculo
 
4. avaliação
4. avaliação4. avaliação
4. avaliação
 
O curriculo
O curriculoO curriculo
O curriculo
 
Avaliação ppt
Avaliação pptAvaliação ppt
Avaliação ppt
 
Avaliação: tipos e funções
Avaliação: tipos e funçõesAvaliação: tipos e funções
Avaliação: tipos e funções
 
Tendências pedagógicas
Tendências pedagógicasTendências pedagógicas
Tendências pedagógicas
 
Estudos sobre avaliação da aprendizagem
Estudos sobre avaliação da aprendizagemEstudos sobre avaliação da aprendizagem
Estudos sobre avaliação da aprendizagem
 
Avaliação
AvaliaçãoAvaliação
Avaliação
 
Planejamento de Ensino
Planejamento de EnsinoPlanejamento de Ensino
Planejamento de Ensino
 
Avaliação
AvaliaçãoAvaliação
Avaliação
 
Avaliação na educação infantil
Avaliação na educação infantilAvaliação na educação infantil
Avaliação na educação infantil
 
Relação Professor Aluno
Relação Professor Aluno Relação Professor Aluno
Relação Professor Aluno
 
4.relacao professor aluno
4.relacao professor aluno4.relacao professor aluno
4.relacao professor aluno
 
Gestão de sala de aula 2
Gestão de sala de aula 2Gestão de sala de aula 2
Gestão de sala de aula 2
 
Ppt avaliação
Ppt avaliaçãoPpt avaliação
Ppt avaliação
 
resumo-de-avaliação-mediadora-jussara-hoffmann
 resumo-de-avaliação-mediadora-jussara-hoffmann resumo-de-avaliação-mediadora-jussara-hoffmann
resumo-de-avaliação-mediadora-jussara-hoffmann
 

Destaque

Avaliações Hoffmann
Avaliações    HoffmannAvaliações    Hoffmann
Avaliações Hoffmann
Claudia Ramos
 
Tipos de avaliação
Tipos de avaliaçãoTipos de avaliação
Tipos de avaliação
Marcelo Pires
 
Avaliação da aprendizagem escolar
Avaliação da aprendizagem escolarAvaliação da aprendizagem escolar
Avaliação da aprendizagem escolar
AlessandroRubens
 
Avaliacao na aprendizagem
Avaliacao na aprendizagemAvaliacao na aprendizagem
Avaliacao na aprendizagem
zetesousa
 
Avaliar Para Promover
Avaliar Para PromoverAvaliar Para Promover
Avaliar Para Promover
Meri RochaLeite
 
Avaliação escolar em discução
Avaliação escolar em discuçãoAvaliação escolar em discução
Avaliação escolar em discução
Cursos Profissionalizantes
 
Avaliação da aprendizagem
Avaliação da aprendizagemAvaliação da aprendizagem
Avaliação da aprendizagem
Gerdian Teixeira
 
A avaliação da aprendizagem e o princípio da continuidade da
A avaliação da aprendizagem e o princípio da continuidade daA avaliação da aprendizagem e o princípio da continuidade da
A avaliação da aprendizagem e o princípio da continuidade da
Eliana Zati
 
Avaliação tipos e funções 2
Avaliação tipos e funções 2Avaliação tipos e funções 2
Avaliação tipos e funções 2
SimoneHelenDrumond
 

Destaque (9)

Avaliações Hoffmann
Avaliações    HoffmannAvaliações    Hoffmann
Avaliações Hoffmann
 
Tipos de avaliação
Tipos de avaliaçãoTipos de avaliação
Tipos de avaliação
 
Avaliação da aprendizagem escolar
Avaliação da aprendizagem escolarAvaliação da aprendizagem escolar
Avaliação da aprendizagem escolar
 
Avaliacao na aprendizagem
Avaliacao na aprendizagemAvaliacao na aprendizagem
Avaliacao na aprendizagem
 
Avaliar Para Promover
Avaliar Para PromoverAvaliar Para Promover
Avaliar Para Promover
 
Avaliação escolar em discução
Avaliação escolar em discuçãoAvaliação escolar em discução
Avaliação escolar em discução
 
Avaliação da aprendizagem
Avaliação da aprendizagemAvaliação da aprendizagem
Avaliação da aprendizagem
 
A avaliação da aprendizagem e o princípio da continuidade da
A avaliação da aprendizagem e o princípio da continuidade daA avaliação da aprendizagem e o princípio da continuidade da
A avaliação da aprendizagem e o princípio da continuidade da
 
Avaliação tipos e funções 2
Avaliação tipos e funções 2Avaliação tipos e funções 2
Avaliação tipos e funções 2
 

Semelhante a ApresentaçãO

Apresentação para slideshare
Apresentação para slideshareApresentação para slideshare
Apresentação para slideshare
neiva valadares
 
5
55
Avaliação
AvaliaçãoAvaliação
Avaliação
Miriéli Bernardes
 
A avaliação da aprendizagem como principio da autoria
A avaliação da aprendizagem como principio da autoriaA avaliação da aprendizagem como principio da autoria
A avaliação da aprendizagem como principio da autoria
claudiakarinalara
 
A avaliação como prática pedagógica diferenciada
A avaliação como prática pedagógica diferenciadaA avaliação como prática pedagógica diferenciada
A avaliação como prática pedagógica diferenciada
Gilvandenys Leite Sales
 
Reflexões sobre a avaliação no processo de ensino e aprendizagem
Reflexões sobre a avaliação no processo de ensino e aprendizagemReflexões sobre a avaliação no processo de ensino e aprendizagem
Reflexões sobre a avaliação no processo de ensino e aprendizagem
slucarz
 
Avaliação aprendizagem autoria
Avaliação aprendizagem autoriaAvaliação aprendizagem autoria
Avaliação aprendizagem autoria
Vanessa Basso
 
Avaliao formativa-ou-avaliao-mediadora-1
Avaliao formativa-ou-avaliao-mediadora-1Avaliao formativa-ou-avaliao-mediadora-1
Avaliao formativa-ou-avaliao-mediadora-1
Dilma Franchi
 
Avaliação.docx
Avaliação.docxAvaliação.docx
Avaliação.docx
Josiane Campos
 
A avaliação da aprendizagem como um princípio no desenvolvimento da autoria.1
A avaliação da aprendizagem como um princípio no desenvolvimento da autoria.1A avaliação da aprendizagem como um princípio no desenvolvimento da autoria.1
A avaliação da aprendizagem como um princípio no desenvolvimento da autoria.1
Franciele Taveira
 
Avaliação mediadora
Avaliação mediadoraAvaliação mediadora
Avaliação mediadora
Celi Jandy Moraes Gomes
 
Avaliacao aprendizagem autonomia_thiago
Avaliacao aprendizagem autonomia_thiagoAvaliacao aprendizagem autonomia_thiago
Avaliacao aprendizagem autonomia_thiago
ThiagoPrado14
 
Ivanildo tcc especialização
Ivanildo tcc especializaçãoIvanildo tcc especialização
Ivanildo tcc especialização
ivanildopontinha
 
Avaliacao formativa
Avaliacao formativaAvaliacao formativa
Avaliacao formativa
Marcelo Brito
 
Avaliar para promover
Avaliar para promoverAvaliar para promover
Avaliar para promover
Celi Jandy Moraes Gomes
 
A avaliação no processo de ensino aprendizagem - rea
A avaliação no processo de ensino aprendizagem - reaA avaliação no processo de ensino aprendizagem - rea
A avaliação no processo de ensino aprendizagem - rea
Elizeu Gomes de Faria
 
A avaliacao da aprendizagem como processo construtivo do aluno autor
A avaliacao da aprendizagem como processo construtivo do aluno autorA avaliacao da aprendizagem como processo construtivo do aluno autor
A avaliacao da aprendizagem como processo construtivo do aluno autor
professoralazara
 
Artigo clenilson
Artigo clenilsonArtigo clenilson
Artigo clenilson
Ribeiro DE Sousa
 
Avaliar para promover as setas do caminho jussara hoffman
Avaliar para promover as setas do caminho jussara hoffmanAvaliar para promover as setas do caminho jussara hoffman
Avaliar para promover as setas do caminho jussara hoffman
Valquiria1003
 
OT Habilidades na Aula de História - Ensino Médio
OT Habilidades na Aula de História - Ensino MédioOT Habilidades na Aula de História - Ensino Médio
OT Habilidades na Aula de História - Ensino Médio
Claudia Elisabete Silva
 

Semelhante a ApresentaçãO (20)

Apresentação para slideshare
Apresentação para slideshareApresentação para slideshare
Apresentação para slideshare
 
5
55
5
 
Avaliação
AvaliaçãoAvaliação
Avaliação
 
A avaliação da aprendizagem como principio da autoria
A avaliação da aprendizagem como principio da autoriaA avaliação da aprendizagem como principio da autoria
A avaliação da aprendizagem como principio da autoria
 
A avaliação como prática pedagógica diferenciada
A avaliação como prática pedagógica diferenciadaA avaliação como prática pedagógica diferenciada
A avaliação como prática pedagógica diferenciada
 
Reflexões sobre a avaliação no processo de ensino e aprendizagem
Reflexões sobre a avaliação no processo de ensino e aprendizagemReflexões sobre a avaliação no processo de ensino e aprendizagem
Reflexões sobre a avaliação no processo de ensino e aprendizagem
 
Avaliação aprendizagem autoria
Avaliação aprendizagem autoriaAvaliação aprendizagem autoria
Avaliação aprendizagem autoria
 
Avaliao formativa-ou-avaliao-mediadora-1
Avaliao formativa-ou-avaliao-mediadora-1Avaliao formativa-ou-avaliao-mediadora-1
Avaliao formativa-ou-avaliao-mediadora-1
 
Avaliação.docx
Avaliação.docxAvaliação.docx
Avaliação.docx
 
A avaliação da aprendizagem como um princípio no desenvolvimento da autoria.1
A avaliação da aprendizagem como um princípio no desenvolvimento da autoria.1A avaliação da aprendizagem como um princípio no desenvolvimento da autoria.1
A avaliação da aprendizagem como um princípio no desenvolvimento da autoria.1
 
Avaliação mediadora
Avaliação mediadoraAvaliação mediadora
Avaliação mediadora
 
Avaliacao aprendizagem autonomia_thiago
Avaliacao aprendizagem autonomia_thiagoAvaliacao aprendizagem autonomia_thiago
Avaliacao aprendizagem autonomia_thiago
 
Ivanildo tcc especialização
Ivanildo tcc especializaçãoIvanildo tcc especialização
Ivanildo tcc especialização
 
Avaliacao formativa
Avaliacao formativaAvaliacao formativa
Avaliacao formativa
 
Avaliar para promover
Avaliar para promoverAvaliar para promover
Avaliar para promover
 
A avaliação no processo de ensino aprendizagem - rea
A avaliação no processo de ensino aprendizagem - reaA avaliação no processo de ensino aprendizagem - rea
A avaliação no processo de ensino aprendizagem - rea
 
A avaliacao da aprendizagem como processo construtivo do aluno autor
A avaliacao da aprendizagem como processo construtivo do aluno autorA avaliacao da aprendizagem como processo construtivo do aluno autor
A avaliacao da aprendizagem como processo construtivo do aluno autor
 
Artigo clenilson
Artigo clenilsonArtigo clenilson
Artigo clenilson
 
Avaliar para promover as setas do caminho jussara hoffman
Avaliar para promover as setas do caminho jussara hoffmanAvaliar para promover as setas do caminho jussara hoffman
Avaliar para promover as setas do caminho jussara hoffman
 
OT Habilidades na Aula de História - Ensino Médio
OT Habilidades na Aula de História - Ensino MédioOT Habilidades na Aula de História - Ensino Médio
OT Habilidades na Aula de História - Ensino Médio
 

Mais de Ivanderson da Silva

Midias na educação
Midias na educaçãoMidias na educação
Midias na educação
Ivanderson da Silva
 
Epistemologia
EpistemologiaEpistemologia
Epistemologia
Ivanderson da Silva
 
Orientacoesiniciais
OrientacoesiniciaisOrientacoesiniciais
Orientacoesiniciais
Ivanderson da Silva
 
Minicurso 24
Minicurso 24Minicurso 24
Minicurso 24
Ivanderson da Silva
 
DesmotivaçãO E Indisciplina Escolar Atualizado (1)
DesmotivaçãO E Indisciplina Escolar   Atualizado (1)DesmotivaçãO E Indisciplina Escolar   Atualizado (1)
DesmotivaçãO E Indisciplina Escolar Atualizado (1)
Ivanderson da Silva
 
O Que Pensam Os Alunos[1]
O Que Pensam Os Alunos[1]O Que Pensam Os Alunos[1]
O Que Pensam Os Alunos[1]
Ivanderson da Silva
 
Welson
WelsonWelson
Welson
WelsonWelson
Estagio 2
Estagio 2Estagio 2
ApresentaçãO Do Projeto De RáDio Para O MíDias Na EducaçãO
ApresentaçãO Do Projeto De RáDio Para O MíDias Na EducaçãOApresentaçãO Do Projeto De RáDio Para O MíDias Na EducaçãO
ApresentaçãO Do Projeto De RáDio Para O MíDias Na EducaçãO
Ivanderson da Silva
 
Apresentacao
ApresentacaoApresentacao
Apresentacao
Ivanderson da Silva
 
Apresentacaocaso
ApresentacaocasoApresentacaocaso
Apresentacaocaso
Ivanderson da Silva
 
Mi ComparaçãO Aureliano
Mi ComparaçãO   AurelianoMi ComparaçãO   Aureliano
Mi ComparaçãO Aureliano
Ivanderson da Silva
 
Pesquisa Em EducaçãO
Pesquisa Em EducaçãOPesquisa Em EducaçãO
Pesquisa Em EducaçãO
Ivanderson da Silva
 
Objetos De Aprendizagem
Objetos De AprendizagemObjetos De Aprendizagem
Objetos De Aprendizagem
Ivanderson da Silva
 
Estrelas, GaláXias E Universo
Estrelas, GaláXias E UniversoEstrelas, GaláXias E Universo
Estrelas, GaláXias E Universo
Ivanderson da Silva
 
Apresentacaoepeal
ApresentacaoepealApresentacaoepeal
Apresentacaoepeal
Ivanderson da Silva
 
Apresentacao
ApresentacaoApresentacao
Apresentacao
Ivanderson da Silva
 
07 Ceaal Trabalho
07   Ceaal Trabalho07   Ceaal Trabalho
07 Ceaal Trabalho
Ivanderson da Silva
 
Estrelas, GaláXias E Universo
Estrelas, GaláXias E UniversoEstrelas, GaláXias E Universo
Estrelas, GaláXias E Universo
Ivanderson da Silva
 

Mais de Ivanderson da Silva (20)

Midias na educação
Midias na educaçãoMidias na educação
Midias na educação
 
Epistemologia
EpistemologiaEpistemologia
Epistemologia
 
Orientacoesiniciais
OrientacoesiniciaisOrientacoesiniciais
Orientacoesiniciais
 
Minicurso 24
Minicurso 24Minicurso 24
Minicurso 24
 
DesmotivaçãO E Indisciplina Escolar Atualizado (1)
DesmotivaçãO E Indisciplina Escolar   Atualizado (1)DesmotivaçãO E Indisciplina Escolar   Atualizado (1)
DesmotivaçãO E Indisciplina Escolar Atualizado (1)
 
O Que Pensam Os Alunos[1]
O Que Pensam Os Alunos[1]O Que Pensam Os Alunos[1]
O Que Pensam Os Alunos[1]
 
Welson
WelsonWelson
Welson
 
Welson
WelsonWelson
Welson
 
Estagio 2
Estagio 2Estagio 2
Estagio 2
 
ApresentaçãO Do Projeto De RáDio Para O MíDias Na EducaçãO
ApresentaçãO Do Projeto De RáDio Para O MíDias Na EducaçãOApresentaçãO Do Projeto De RáDio Para O MíDias Na EducaçãO
ApresentaçãO Do Projeto De RáDio Para O MíDias Na EducaçãO
 
Apresentacao
ApresentacaoApresentacao
Apresentacao
 
Apresentacaocaso
ApresentacaocasoApresentacaocaso
Apresentacaocaso
 
Mi ComparaçãO Aureliano
Mi ComparaçãO   AurelianoMi ComparaçãO   Aureliano
Mi ComparaçãO Aureliano
 
Pesquisa Em EducaçãO
Pesquisa Em EducaçãOPesquisa Em EducaçãO
Pesquisa Em EducaçãO
 
Objetos De Aprendizagem
Objetos De AprendizagemObjetos De Aprendizagem
Objetos De Aprendizagem
 
Estrelas, GaláXias E Universo
Estrelas, GaláXias E UniversoEstrelas, GaláXias E Universo
Estrelas, GaláXias E Universo
 
Apresentacaoepeal
ApresentacaoepealApresentacaoepeal
Apresentacaoepeal
 
Apresentacao
ApresentacaoApresentacao
Apresentacao
 
07 Ceaal Trabalho
07   Ceaal Trabalho07   Ceaal Trabalho
07 Ceaal Trabalho
 
Estrelas, GaláXias E Universo
Estrelas, GaláXias E UniversoEstrelas, GaláXias E Universo
Estrelas, GaláXias E Universo
 

Último

Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTALPlanejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
katbrochier1
 
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf eplanejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
HelenStefany
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
fagnerlopes11
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptxO século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
geiseortiz1
 
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
Gênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9ºGênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9º
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
sjcelsorocha
 
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdfConcurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
TathyLopes1
 
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
SidneySilva523387
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de GeografiaAula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
WELTONROBERTOFREITAS
 
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologiaPedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Nertan Dias
 
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidadeAula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
AlessandraRibas7
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
MatheusSousa716350
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
CarlosJean21
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
joaresmonte3
 
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
Manuais Formação
 

Último (20)

Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTALPlanejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
 
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf eplanejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptxO século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
 
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
Gênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9ºGênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9º
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
 
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdfConcurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
 
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de GeografiaAula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
 
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
 
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologiaPedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
 
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidadeAula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
 
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
 

ApresentaçãO

  • 1. Avaliação da Aprendizagem Prof. Ivanderson Pereira da Silva
  • 2. Sumário Avaliação na Visão de Jussara Hoffmann Avaliação Mediadora Avaliação na visão de Cipriano Luckesi Avalia ção da Aprendizagem escolar
  • 3. Avaliação da Aprendizagem segundo a visão de Cipriano Luckesi (1995)
  • 4. “ juízo de qualidade sobre dados relevantes, tendo em vista uma tomada de decisão” (1995, p. 69)
  • 5. Discutiremos a questão da avaliação do aluno relacionada à questão da democratização do ensino, perguntando se a atual prática da avaliação da aprendizagem escolar está a favor ou contra a democratização do ensino (Luckesi, 1995, p. 60.).
  • 6. Conforme Luckesi, no ritual pedagógico podemos verificar a freqüente incidência de tais momentos: a prática avaliativa se dá a partir do momento que um determinado conteúdo é dado como encerrado. É nesse momento que se prepara o que poderíamos denominar de ‘instrumento avaliativo’. ( SCHOPF, )
  • 7. Próximo do final da unidade de ensino, o professor formula o seu instrumento de avaliação, a partir de diversas variáveis: conteúdo que o professor ensinou efetivamente; conteúdos que o professor não ensinou, mas que deu por suposto ter ensinado; conteúdos “extras” que o professor inclui no momento da elaboração do teste, para torná-lo mais difícil; o humor do professor em relação à turma que ele tem pela frente; a disciplina ou a indisciplina social desses alunos (Ibidem, p. 67).
  • 8. Após recolhimento das respostas, os professores corrigem as mesmas e atribuem-lhe um valor (em notas ou em conceitos), que deve corresponder ao nível qualitativo da aprendizagem manifestada pelo aluno (Luckesi, 1995, p. 68.).
  • 9. Ainda, por vezes, se acrescentam ‘pontos a mais’ ou ‘pontos a menos’ ao aluno, a depender de sua conduta em sala de aula. Esses podem decorrer de condutas inteligentes em relação a matéria ensinada, podem decorrer de atitudes disciplinares, podem corresponder a condutas responsáveis ou não dos alunos etc. (Ibidem, p.68).
  • 10. Mas e a democratização do ensino???
  • 11. O processo de democratização do ensino passa por três pontos fundamentais: o acesso à educação escolar; a permanência do educando na instituição até uma certa terminalidade escolar; e a qualidade do ensino. (LUCKESI, 1995)
  • 12. ‘ Acesso universal ao ensino’ é, pois, um elemento essencial da democratização e a porta de entrada para a realização desse desejo de todos nós, que clamamos por uma sociedade emancipada dos mecanismos de opressão (Luckesi, 1995, p. 62.).
  • 13. O segundo elemento que define a democratização do ensino é a ‘permanência do educando na escola e a conseqüente terminalidade escolar’. Ou seja, o aluno que teve acesso à escola deve ter a possibilidade de permanecer nela até um nível de terminalidade que seja significativo[...] (Ibidem, p.32).
  • 14. O terceiro fator que entendemos inferir no processo de democratização está afeto à ‘questão da qualidade do ensino’, o que significa estar relacionado à questão da transmissão e da apropriação ativa dos conteúdos escolares (Luckesi, 1995, p. 64.).
  • 15. Mas então como fazer?
  • 16. Em primeiro lugar, há que partir para a perspectiva de uma ‘avaliação diagnóstica’. Com isso, queremos dizer que a primeira coisa a ser feita, para que a avaliação sirva à democratização do ensino, é mudar a sua utilização de ‘classificatória’ para ‘diagnóstica’ (Ibidem, p.81) .
  • 17. Desse modo, a avaliação não seria tão-somente um instrumento para a aprovação ou reprovação dos alunos, mas sim um instrumento de diagnóstico de sua situação, tendo em vista a definição de encaminhamentos adequados para a sua aprendizagem (Luckesi, 1995, p. 81.).
  • 18. Avaliação da Aprendizagem segundo a visão de Jussara Hoffmann (1993)
  • 19. Avaliação mediadora, uma prática contrutivista!
  • 20. Idéia de que nada, a rigor, está pronto, acabado, e de que, especificamente, o conhecimento não é dado, em nenhuma instância, como algo terminado. Ele se contitui pela interação do indivíduo com o meio físico e social, com o simbolismo humano, com o mundo das relações sociais (Becker, 1993, p. 88-89, apud Hoffmann, 1993, p. 51)
  • 21. Na teoria construtivista é essencial a interação entre iguais para o desenvolvimento do conhecimento lógico-matemático. O aluno, discutindo com seus colegas, não está submetido a uma relação de autoridade como na relação com o seu professor. (HOFFMANN, 1993, p. 73)
  • 22. Princípio maior da Avaliação Mediadora é o Princípio da Reflexão-Ação (Hoffmann, 1993, p. 07)
  • 23. O sistema de avaliação tradicional, classificatório, assegura um ensino de qualidade? A manutenção das provas e notas é garantia do efetivo acompanhamento dos alunos no seu processo de aprendizagem? O sucesso de um aluno na escola tradicional representa o seu desenvolvimento máximo possível?
  • 24. Sucesso na escola tradicional? Desenvolvimento máximo possível? Memorização Aprendizagem Notas altas Compreensão Obediência Questionamento Passividade Participação
  • 25. Não-reprovação [...] não pode ser entendida pelos professores como uma proposta de não avaliação. (HOFFMANN, 1993, p. 21)
  • 26. A questão da subjetividade
  • 27. Não há como fugir, muito menos, da interpretação do professor no momento da correção. A prova disso é que certas pesquisas demonstram a variabilidade de escores obtidos quando mais de um professor corrige uma mesma questão dissertativa de um aluno ou sua redação. (HOFFMANN, 1993, p. 64)
  • 28. O problema do gargalo na educação !!!!
  • 29. Princípios coerentes a uma ação avaliativa mediadora:
  • 30. Oportunizar aos alunos muitos momentos de expressar suas idéias (HOFFMANN, 1993, p. 71) Oportunizar discussão entre os alunos a partir de situações desencadeadoras (HOFFMANN, 1993, p. 73)
  • 31. Realizar várias tarefas individuais, menores e sucessivas, investigando teoricamjente, procurando entender razões para as respostas apresentadas pelo educando. (HOFFMANN, 1993, p. 75)
  • 32. Ao invés de certo/errafo e da pontuação tradicional, fazer comentários sobre as tarefas dos alunos, auxiliando-os a localizar as dificuldades, oferecendo-lhes a oportunidade de descobrir melhores soluções. (HOFFMANN, 1993, p. 82)
  • 33. Transformar o registros de avaliação em anotações significativas sobre o acompanhamento dos alunos em seu processo de construção do conhecimento (HOFFMANN, 1993, p. 84).
  • 34. Porque este discurso fica apenas no papel?
  • 35. Muitos fatores dificultam a superação da prática tradicional, já tão criticada, mas dentre muitos, desponta sobremaneira a crença dos educadores de todos os graus de enino na manutenção da ação avaliatva classificatória como garantia de um ensino de qualidade, que resguarde um saber competente dos alunos. Essa não é apenas a concepção vigente entre os professores, mas a creça de toda a sociedade ... (Hoffmann, 1993, p. 11)
  • 36. “ Avaliação não deve ser uma autópsia, ela deve ser uma biópsia” (autor desconhecido)
  • 38. LUCKESI, Cipriano. Avaliação e Aprendizagem Escolar . 10a Ed. São Paulo: Cortez, 1995. HOFFMANN, Jussara. Avaliação mediadora: uma prática em construção sa pré-escola à universidade. 4a Ed. Porto Alegre: Educação e realidade. 1993