SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 63
Baixar para ler offline
Não	
  se	
  pode	
  comprar	
  INICIATIVA,	
  
Não	
  se	
  pode	
  comprar	
  LEALDADE,	
  
Não	
  se	
  pode	
  comprar	
  a	
  DEDICAÇÃO	
  DE	
  
CORAÇÕES,	
  MENTES	
  E	
  ALMAS.	
  
	
  
	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  Você	
  precisa	
  ganhar	
  estas	
  coisas. 	
  
Clarence	
  Francis	
  	
  
Presidente	
  do	
  Conselho	
  de	
  Administração	
  da	
  General	
  Foods	
  
•  lançar	
  novos	
  desafios,	
  	
  
•  demonstrar	
  as	
  perspec8vas	
  de	
  desenvolvimento	
  
profissional	
  e	
  pessoal,	
  	
  
•  oferecer	
  oportunidades	
  de	
  treinamento,	
  
•  possibilitar	
  o	
  reconhecimento	
  e	
  a	
  valorização,	
  	
  
•  propiciar	
  a	
  integração,	
  	
  
•  demonstrar	
  o	
  sen8mento	
  de	
  u8lidade,	
  	
  
•  promover	
  a	
  empa8a	
  com	
  o	
  es8lo	
  de	
  liderança	
  vigente,	
  	
  
•  garan8r	
  o	
  sen8mento	
  de	
  justa	
  remuneração,	
  	
  
•  oferecer	
  	
  segurança,	
  	
  
•  propiciar	
  autonomia	
  no	
  desenvolvimento	
  das	
  tarefas.	
  	
  
Funcionários	
  com	
  baixos	
  
índices	
  de	
  moLvação	
  uLlizam	
  
de	
  sua	
  capacidade	
  de	
  produção	
  
Funcionários	
  com	
  altos	
  
índices	
  de	
  moLvação	
  uLlizam	
  
de	
  sua	
  capacidade	
  de	
  produção	
  
1943	
  
Dentro	
  de	
  cada	
  ser	
  humano	
  existe	
  
uma	
  hierarquia	
  de	
  cinco	
  categorias	
  
de	
  necessidades:	
  	
  
a)  fisiológica	
  
b)  segurança	
  
c)  social	
  
d)  esLma	
  
e)  autorrealização	
  
1908	
  -­‐	
  1970	
  
Sobrevivência
Auto-
reconhec.
Segurança
Afeto
Ego
“Podemos escolher recuar
em direção à segurança ou
avançar em direção ao
crescimento. A opção pelo
crescimento tem que ser
feita repetidas vezes. E o
medo tem que ser superado
a cada momento”.
Clayton	
  Aldefer	
  
“O princípio de frustração-
regressão: necessidade
inferior pode ser ativada
quando uma necessidade
mais elevada não pode
ser satisfeita e que mais
de uma necessidade
poder ser focalizada de
uma unica vez”.
1917	
  -­‐	
  1998	
  
Necessidade	
   Meio	
  de	
  SaLsfação	
  
Realização	
   CompeLr	
  como	
  forma	
  de	
  auto-­‐avaliação	
  
Afiliação	
   Relacionar-­‐se	
  cordial	
  e	
  afetuosamente	
  
Poder	
   Exercer	
  influência	
  
1969	
  
NECESSIDADES	
  
BIOLÓGICAS	
  
PERFIL	
  
PSICOLOGICO	
  
PROCESSO	
  DE	
  
SOCIALIZAÇÃO	
  
NECESSIDADE	
  
DE	
  REALIZAÇÃO	
  
NECESSIDADE	
  
DE	
  PODER	
  
NECESSIDADE	
  
DE	
  AFILIAÇÃO	
  
Frederick	
  Herzberg	
  
1923	
  -­‐	
  2000	
  
Concentração	
  dos	
  estudos	
  na	
  
análise	
  das	
  aLtudes	
  e	
  
moLvações	
  dos	
  funcionários	
  
dentro	
  de	
  uma	
  empresa.	
  
A	
  relação	
  de	
  uma	
  pessoa	
  com	
  seu	
  trabalho	
  é	
  
básica	
  e	
  de	
  que	
  essa	
  aLtude	
  pode	
  determinar	
  
seu	
  sucesso	
  ou	
  fracasso.	
  
Herzberg	
  invesLgou	
  a	
  seguinte	
  questão:	
  
“O	
  que	
  as	
  pessoas	
  desejam	
  do	
  trabalho?”	
  
A	
  moLvacão	
  é	
  composta	
  de	
  duas	
  dimensões:	
  
a)  fatores	
  higiênicos	
  
	
  	
  	
  	
  	
  aspéctos	
  e	
  aLvidades	
  do	
  trabalho	
  que	
  podem	
  
	
  impedir	
  a	
  insaLsfação,	
  mas	
  que	
  não	
  influenciam	
  os	
  
	
  empregados	
  a	
  crescerem	
  e	
  se	
  desenvolverem.	
  
	
  	
  	
  	
  	
  	
  Ex.	
  As	
  condições	
  em	
  torno	
  do	
  trabalho.	
  
	
  
b)	
  fatores	
  moLvacionais	
  
	
  	
  	
  	
  	
  aspéctos	
  e	
  aLvidades	
  relacionadas	
  ao	
  trabalho	
  que	
  
	
  efeLvamente	
  encorajam	
  esse	
   	
  desenvolvimento.	
  
	
  	
  	
  	
  	
  	
  Ex.	
  Relaciona-­‐se	
  com	
  a	
  execução	
  das	
  tarefas.	
  	
  
Indivíduo
aberto
* Necessidades
* Percepções
ORGANIZAÇÃO
Meio onde possa satisfazer suas
necessidades, pessoais e familiares.
INTERAÇÕES REAÇÕES
“As pessoas se sentem
motivadas a trabalhar mais
quando conseguem algo
tangivel ao realizar a tarefa,
obtêm reconhecimento por seu
trabalho e sentem que o
trabalho em si é interessante”.
Maslow	
   Alderfer	
   Herzberg	
  
autorrealização	
   crescimento	
   fat.	
  mo8vacionais	
  
es8ma	
   relacionamento	
   fat.	
  higiênicos	
  
sociais	
   relacionamento	
   fat.	
  higiênicos	
  
segurança	
   existência	
   fat.	
  higiênicos	
  
fisiológicas	
   existência	
   fat.	
  higiênicos	
  
Tony	
  Hsieh	
  –	
  CEO	
  da	
  Zappos	
  
Definem	
  os	
  processos	
  que	
  
influenciam	
  o	
  comportamento,	
  
descrevem	
  como	
  acontece	
  a	
  
moLvação	
  baseada	
  nos	
  
valores	
  e	
  crenças.	
  
Preocupam	
  com	
  as	
  
necessidades	
  e	
  
incenLvos	
  que	
  geram	
  
o	
  comportamento.	
  
Procuram	
  verificar	
  como	
  
o	
  comportamento	
  é	
  
aLvado,	
  dirigido,	
  
manLdo	
  e	
  como	
  termina.	
  
Victor	
  H.	
  Vroom	
  
1932	
  -­‐	
  
O processo de motivação
deve ser explicado em
função dos objetivos e das
escolhas de cada pessoa e
das suas expectativas em
atingir esses objetivos.
Aquilo que um
indivíduo
acredita ser
capaz de fazer,
após empreender
um esforço.
Se	
  o	
  trabalho	
  
executado	
  representa	
  
claramente	
  a	
  
possibilidade	
  de	
  se	
  
aLngir	
  um	
  objeLvo	
  
esperado.
Representa a
ligação entre
objetivo a ser
atingido e o valor
que este objetivo
tem para o
indivíduo
( valência).
Valência	
  
Instrumentalidade	
  
ExpectaLva	
  
Desejar	
  uma	
  promoção	
  
Estender	
  o	
  horário	
  de	
  trabalho	
  (ação)	
  
É	
  uma	
  forma	
  de	
  se	
  obter	
  a	
  	
  
Promoção	
  (resultado	
  almejado)	
  
Se	
  eu	
  estender	
  o	
  horário	
  de	
  trabalho	
  
	
  e	
  me	
  mostrar	
  colaboraLvo(ações),	
  conseguirei	
  
sensibilizar	
  meu	
  chefe	
  e	
  ser	
  promovido	
  
(resultado)	
  
As	
  pessoas	
  decidem	
  suas	
  ações	
  de	
  maneira	
  instrumental,	
  
procurando	
  maximizar	
  o	
  prazer	
  e	
  ganhos	
  e	
  minimizar	
  perdas	
  
1964	
  
“A	
  essência	
  da	
  
mo8vação	
  da	
  
seleção	
  do	
  
comportamento	
  é	
  
determinada	
  pela	
  
conveniência	
  dos	
  
resultados”.	
  
Enfoque
Exame	
  da	
  moLvação	
  e	
  o	
  modo	
  como	
  
um	
  diagnósLco	
  pode	
  influenciar	
  a	
  
administração	
  do	
  desempenho.	
  
Robert	
  J.	
  House	
  
1932	
  -­‐	
  2011	
  
Tipos de comportamento do líder
1.  liderança diretiva,
2.  liderança apoiadora,
3.  liderança participativa,
4.  liderança orientada para o resultado.
trata de como os líderes estimulam seus subordinados
para o cumprimento das metas estabelecidas.
Funções da gerência:
1.  Estabelecer metas claras e específicas para
seus subrdinados;
2.  Fazer metas suficientemente difíceis para
serem percebidas como desafiantes e não
impossíveis;
3.  Envolver os subordinados no estabelecimento
de metas. 1971	
  
“As funções estratégicas
do líder são de realçar a
motivação do
subordinado para o
desempenho, satisfação
com o trabalho e
aceitação do líder”.
Parte do princípio de que as pessoas
concentram seus esforços em
direção a objetivos, de modo que o
estabelecimento de metas energiza
um indivíduo, dirigindo seus
pensamentos para uma finalidade
Edwin	
  A.	
  Locke	
  
1938	
  -­‐	
  
A premissa subjacente à teoria das metas é que o
comportamento é regulado por valores e metas.
 
Valores	
  
	
  
Desejos	
  pessoais	
  
Feedback	
  
Auto-­‐avaliação	
  
Avaliação	
  gerencial	
  
Metas	
  
Especificidade	
  
Complexidade	
  
Dificuldade	
  
Desempenho	
  
ConcreLzação	
  
das	
  ações	
  
1968	
  
Enfoca	
  os	
  antecedentes	
  das	
  
variáveis	
  às	
  quais	
  
normalmente	
  atribuímos	
  o	
  
comportamento	
  moLvado.	
  
O comportamento do indivíduo é
determinado e mantido pelo ambiente
do próprio indivíduo, isto é, a
motivação do indivíduo é uma função
das consequências de um
comportamento recompensado ou não.
B.	
  Frederic	
  Sckinner	
  
1904	
  -­‐	
  1990	
  
Homem Hipótese
Econômico-racional
A motivição encontra-se na
perspectiva do ganho.
O importante é ter bens materiais
Social
A motivação é o grupo.
O importante é o reconhecimento
dos colegas.
Autorrealizador A motivação é a realização interior.
O importante é a satisfação íntima.
Complexo
A motivação não tem causa única.
Diversos motivos são importantes
para mover o comportamento.
Examina como as pessoas vem a realidade
com base em suas próprias experiências.
a)  recompensas íntrínsecas são intimamente ligadas a
natureza do trabalho em si.
Ex.: realização pessoal e profissional, estima de outras
pessoas etc.
b) reconpensas extrínsecas se relacionam ao contexto e os
aspéctos materiais do trabalho sendo executado.
Ex.: salários benefícios adicionais, condições de trabalho
agradáveis etc.
Obs. Fatores intrísecos correspondem aos fatores de
motivação de Herzberg e os extrínsecos, de higiene.
Johan	
  Wolfgang	
  Von	
  Goethe	
  

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Motivacao
MotivacaoMotivacao
Motivacao
 
Psicologia organizacional
Psicologia organizacionalPsicologia organizacional
Psicologia organizacional
 
Avaliação de desempenho ppt
Avaliação de desempenho pptAvaliação de desempenho ppt
Avaliação de desempenho ppt
 
Liderança e Motivação
Liderança e  MotivaçãoLiderança e  Motivação
Liderança e Motivação
 
Teorias motivacionais
Teorias motivacionaisTeorias motivacionais
Teorias motivacionais
 
Psicologia e Motivação
 Psicologia e Motivação Psicologia e Motivação
Psicologia e Motivação
 
Aula planejamento de carreira
Aula planejamento de carreiraAula planejamento de carreira
Aula planejamento de carreira
 
Psicologia Organizacional e do trabalho
Psicologia Organizacional e do trabalhoPsicologia Organizacional e do trabalho
Psicologia Organizacional e do trabalho
 
Liderança
LiderançaLiderança
Liderança
 
Aula 5 - Teoria das Relações Humanas
Aula 5  - Teoria das Relações HumanasAula 5  - Teoria das Relações Humanas
Aula 5 - Teoria das Relações Humanas
 
Motivação
MotivaçãoMotivação
Motivação
 
Aula 5 planejamento estratégico de gestão de pessoas
Aula 5   planejamento estratégico de gestão de pessoasAula 5   planejamento estratégico de gestão de pessoas
Aula 5 planejamento estratégico de gestão de pessoas
 
Psicologia Organizacional e do Trabalho
Psicologia Organizacional e do TrabalhoPsicologia Organizacional e do Trabalho
Psicologia Organizacional e do Trabalho
 
Liderança e motivação
Liderança e motivaçãoLiderança e motivação
Liderança e motivação
 
Fundamentos de administração 1
Fundamentos de administração 1Fundamentos de administração 1
Fundamentos de administração 1
 
Relacionalmento interpessoal
Relacionalmento interpessoalRelacionalmento interpessoal
Relacionalmento interpessoal
 
Liderança
LiderançaLiderança
Liderança
 
PERSONALIDADE
PERSONALIDADEPERSONALIDADE
PERSONALIDADE
 
Apresentação motivação
Apresentação motivaçãoApresentação motivação
Apresentação motivação
 
TÉCNICAS DE RECRUTAMENTO E SELEÇÃO
TÉCNICAS DE RECRUTAMENTO E SELEÇÃOTÉCNICAS DE RECRUTAMENTO E SELEÇÃO
TÉCNICAS DE RECRUTAMENTO E SELEÇÃO
 

Semelhante a O que motiva as pessoas no trabalho

Motivação teorias clássicas e contemporâneas
Motivação teorias clássicas e contemporâneasMotivação teorias clássicas e contemporâneas
Motivação teorias clássicas e contemporâneasPsicologia_2015
 
02. Dinâmica das Relações Interpessoais: Motivação
02. Dinâmica das Relações Interpessoais: Motivação02. Dinâmica das Relações Interpessoais: Motivação
02. Dinâmica das Relações Interpessoais: MotivaçãoDebora Miceli
 
Apresentação motivação
Apresentação motivaçãoApresentação motivação
Apresentação motivaçãoIvan Celio
 
Curso Introdutório de RH (ALR_Consultoria)
Curso Introdutório de RH (ALR_Consultoria)Curso Introdutório de RH (ALR_Consultoria)
Curso Introdutório de RH (ALR_Consultoria)Airam Lyra Raposo
 
Motivaçãoedelucianthomcastrousp11.pptx
Motivaçãoedelucianthomcastrousp11.pptxMotivaçãoedelucianthomcastrousp11.pptx
Motivaçãoedelucianthomcastrousp11.pptxwesleysenaigo
 
Motivação - SOCIOLOGIA APLICADA A ADMINISTRAÇÃO.
Motivação - SOCIOLOGIA APLICADA A ADMINISTRAÇÃO. Motivação - SOCIOLOGIA APLICADA A ADMINISTRAÇÃO.
Motivação - SOCIOLOGIA APLICADA A ADMINISTRAÇÃO. Nildo Guimaraes
 
Teorias de maslow e herzberg
Teorias de maslow e herzbergTeorias de maslow e herzberg
Teorias de maslow e herzbergalesilvajesus
 
Modelos de liderança 8a aula 31/03/2011
Modelos de liderança 8a aula 31/03/2011Modelos de liderança 8a aula 31/03/2011
Modelos de liderança 8a aula 31/03/2011Unip e Uniplan
 
aula-motivacao-e-lideranca-2020.pptx
aula-motivacao-e-lideranca-2020.pptxaula-motivacao-e-lideranca-2020.pptx
aula-motivacao-e-lideranca-2020.pptxClaytonAlvesdosSanto1
 
Rh nocoes de adm rh saude
Rh nocoes de adm rh saudeRh nocoes de adm rh saude
Rh nocoes de adm rh saudeadmcontabil
 
Rh nocoes de adm rh
Rh nocoes de adm rhRh nocoes de adm rh
Rh nocoes de adm rhadmcontabil
 
Capitulo iv a motivação
Capitulo iv   a motivaçãoCapitulo iv   a motivação
Capitulo iv a motivaçãocarlossono
 
Lideranca e motivacao - Conceitos e teorias
Lideranca e motivacao - Conceitos e teoriasLideranca e motivacao - Conceitos e teorias
Lideranca e motivacao - Conceitos e teoriasLeonardo Machado
 
02 deboramicelidinmicadasrelaesinterpessoaismotivao-120826185341-phpapp01
02 deboramicelidinmicadasrelaesinterpessoaismotivao-120826185341-phpapp0102 deboramicelidinmicadasrelaesinterpessoaismotivao-120826185341-phpapp01
02 deboramicelidinmicadasrelaesinterpessoaismotivao-120826185341-phpapp01Edgar de Almeida
 
02 deboramicelidinmicadasrelaesinterpessoaismotivao-120826185341-phpapp01
02 deboramicelidinmicadasrelaesinterpessoaismotivao-120826185341-phpapp0102 deboramicelidinmicadasrelaesinterpessoaismotivao-120826185341-phpapp01
02 deboramicelidinmicadasrelaesinterpessoaismotivao-120826185341-phpapp01Edgar de Almeida
 
Motivação, Liderança e Empreendedorismo
Motivação, Liderança e EmpreendedorismoMotivação, Liderança e Empreendedorismo
Motivação, Liderança e EmpreendedorismoDeomari Fragoso
 

Semelhante a O que motiva as pessoas no trabalho (20)

Conceito de satisfação no trabalho
Conceito de satisfação no trabalhoConceito de satisfação no trabalho
Conceito de satisfação no trabalho
 
Motivação teorias clássicas e contemporâneas
Motivação teorias clássicas e contemporâneasMotivação teorias clássicas e contemporâneas
Motivação teorias clássicas e contemporâneas
 
02. Dinâmica das Relações Interpessoais: Motivação
02. Dinâmica das Relações Interpessoais: Motivação02. Dinâmica das Relações Interpessoais: Motivação
02. Dinâmica das Relações Interpessoais: Motivação
 
Fatores motivacionais.pdf
Fatores motivacionais.pdfFatores motivacionais.pdf
Fatores motivacionais.pdf
 
Apresentação motivação
Apresentação motivaçãoApresentação motivação
Apresentação motivação
 
Personalidade valores e atitudes
Personalidade valores e atitudesPersonalidade valores e atitudes
Personalidade valores e atitudes
 
Curso Introdutório de RH (ALR_Consultoria)
Curso Introdutório de RH (ALR_Consultoria)Curso Introdutório de RH (ALR_Consultoria)
Curso Introdutório de RH (ALR_Consultoria)
 
Motivaçãoedelucianthomcastrousp11.pptx
Motivaçãoedelucianthomcastrousp11.pptxMotivaçãoedelucianthomcastrousp11.pptx
Motivaçãoedelucianthomcastrousp11.pptx
 
Motivação - SOCIOLOGIA APLICADA A ADMINISTRAÇÃO.
Motivação - SOCIOLOGIA APLICADA A ADMINISTRAÇÃO. Motivação - SOCIOLOGIA APLICADA A ADMINISTRAÇÃO.
Motivação - SOCIOLOGIA APLICADA A ADMINISTRAÇÃO.
 
Teorias de maslow e herzberg
Teorias de maslow e herzbergTeorias de maslow e herzberg
Teorias de maslow e herzberg
 
Motivação
MotivaçãoMotivação
Motivação
 
Modelos de liderança 8a aula 31/03/2011
Modelos de liderança 8a aula 31/03/2011Modelos de liderança 8a aula 31/03/2011
Modelos de liderança 8a aula 31/03/2011
 
aula-motivacao-e-lideranca-2020.pptx
aula-motivacao-e-lideranca-2020.pptxaula-motivacao-e-lideranca-2020.pptx
aula-motivacao-e-lideranca-2020.pptx
 
Rh nocoes de adm rh saude
Rh nocoes de adm rh saudeRh nocoes de adm rh saude
Rh nocoes de adm rh saude
 
Rh nocoes de adm rh
Rh nocoes de adm rhRh nocoes de adm rh
Rh nocoes de adm rh
 
Capitulo iv a motivação
Capitulo iv   a motivaçãoCapitulo iv   a motivação
Capitulo iv a motivação
 
Lideranca e motivacao - Conceitos e teorias
Lideranca e motivacao - Conceitos e teoriasLideranca e motivacao - Conceitos e teorias
Lideranca e motivacao - Conceitos e teorias
 
02 deboramicelidinmicadasrelaesinterpessoaismotivao-120826185341-phpapp01
02 deboramicelidinmicadasrelaesinterpessoaismotivao-120826185341-phpapp0102 deboramicelidinmicadasrelaesinterpessoaismotivao-120826185341-phpapp01
02 deboramicelidinmicadasrelaesinterpessoaismotivao-120826185341-phpapp01
 
02 deboramicelidinmicadasrelaesinterpessoaismotivao-120826185341-phpapp01
02 deboramicelidinmicadasrelaesinterpessoaismotivao-120826185341-phpapp0102 deboramicelidinmicadasrelaesinterpessoaismotivao-120826185341-phpapp01
02 deboramicelidinmicadasrelaesinterpessoaismotivao-120826185341-phpapp01
 
Motivação, Liderança e Empreendedorismo
Motivação, Liderança e EmpreendedorismoMotivação, Liderança e Empreendedorismo
Motivação, Liderança e Empreendedorismo
 

Mais de PUC Minas

Gestão do conhecimento - Faculdade Shalom
Gestão do conhecimento - Faculdade ShalomGestão do conhecimento - Faculdade Shalom
Gestão do conhecimento - Faculdade ShalomPUC Minas
 
História da administração faculdade shalom
História da administração   faculdade shalomHistória da administração   faculdade shalom
História da administração faculdade shalomPUC Minas
 
Enade/2015 - Faculdade Shalom de Uberlândia
Enade/2015 - Faculdade Shalom de UberlândiaEnade/2015 - Faculdade Shalom de Uberlândia
Enade/2015 - Faculdade Shalom de UberlândiaPUC Minas
 
Módulo 5 análise das demonstrações contábeis
Módulo 5   análise das demonstrações contábeisMódulo 5   análise das demonstrações contábeis
Módulo 5 análise das demonstrações contábeisPUC Minas
 
Módulo 4 contabilidade gerencial
Módulo 4   contabilidade gerencialMódulo 4   contabilidade gerencial
Módulo 4 contabilidade gerencialPUC Minas
 
Módulo 4 Contabilidade Gerencial
 Módulo 4   Contabilidade Gerencial Módulo 4   Contabilidade Gerencial
Módulo 4 Contabilidade GerencialPUC Minas
 
Módulo 2 contabilidade gerencial
 Módulo 2  contabilidade gerencial Módulo 2  contabilidade gerencial
Módulo 2 contabilidade gerencialPUC Minas
 
Módulo 1 Contabilidade Gerencial
 Módulo 1   Contabilidade Gerencial Módulo 1   Contabilidade Gerencial
Módulo 1 Contabilidade GerencialPUC Minas
 
O ambiente organizacional e o processo decisório
O ambiente organizacional e o processo decisórioO ambiente organizacional e o processo decisório
O ambiente organizacional e o processo decisórioPUC Minas
 
Capítulo 2 parte 3 - Escola Contingencial
Capítulo 2   parte 3 - Escola ContingencialCapítulo 2   parte 3 - Escola Contingencial
Capítulo 2 parte 3 - Escola ContingencialPUC Minas
 
Capítulo 2 parte 2 - Escolas da Administração
Capítulo 2   parte 2 - Escolas da AdministraçãoCapítulo 2   parte 2 - Escolas da Administração
Capítulo 2 parte 2 - Escolas da AdministraçãoPUC Minas
 
Capítulo 1 Administrações e suas perspectivas
Capítulo 1   Administrações e suas perspectivasCapítulo 1   Administrações e suas perspectivas
Capítulo 1 Administrações e suas perspectivasPUC Minas
 
Capítulo 2 Evolução do pensamento em administração
Capítulo 2   Evolução do pensamento em administraçãoCapítulo 2   Evolução do pensamento em administração
Capítulo 2 Evolução do pensamento em administraçãoPUC Minas
 
Conflito/convívio de gerações
Conflito/convívio de geraçõesConflito/convívio de gerações
Conflito/convívio de geraçõesPUC Minas
 
Clima organizacional
Clima organizacionalClima organizacional
Clima organizacionalPUC Minas
 
Gestão de projetos uberlândia refrescos
Gestão de projetos   uberlândia refrescosGestão de projetos   uberlândia refrescos
Gestão de projetos uberlândia refrescosPUC Minas
 
Método pista
Método pistaMétodo pista
Método pistaPUC Minas
 

Mais de PUC Minas (17)

Gestão do conhecimento - Faculdade Shalom
Gestão do conhecimento - Faculdade ShalomGestão do conhecimento - Faculdade Shalom
Gestão do conhecimento - Faculdade Shalom
 
História da administração faculdade shalom
História da administração   faculdade shalomHistória da administração   faculdade shalom
História da administração faculdade shalom
 
Enade/2015 - Faculdade Shalom de Uberlândia
Enade/2015 - Faculdade Shalom de UberlândiaEnade/2015 - Faculdade Shalom de Uberlândia
Enade/2015 - Faculdade Shalom de Uberlândia
 
Módulo 5 análise das demonstrações contábeis
Módulo 5   análise das demonstrações contábeisMódulo 5   análise das demonstrações contábeis
Módulo 5 análise das demonstrações contábeis
 
Módulo 4 contabilidade gerencial
Módulo 4   contabilidade gerencialMódulo 4   contabilidade gerencial
Módulo 4 contabilidade gerencial
 
Módulo 4 Contabilidade Gerencial
 Módulo 4   Contabilidade Gerencial Módulo 4   Contabilidade Gerencial
Módulo 4 Contabilidade Gerencial
 
Módulo 2 contabilidade gerencial
 Módulo 2  contabilidade gerencial Módulo 2  contabilidade gerencial
Módulo 2 contabilidade gerencial
 
Módulo 1 Contabilidade Gerencial
 Módulo 1   Contabilidade Gerencial Módulo 1   Contabilidade Gerencial
Módulo 1 Contabilidade Gerencial
 
O ambiente organizacional e o processo decisório
O ambiente organizacional e o processo decisórioO ambiente organizacional e o processo decisório
O ambiente organizacional e o processo decisório
 
Capítulo 2 parte 3 - Escola Contingencial
Capítulo 2   parte 3 - Escola ContingencialCapítulo 2   parte 3 - Escola Contingencial
Capítulo 2 parte 3 - Escola Contingencial
 
Capítulo 2 parte 2 - Escolas da Administração
Capítulo 2   parte 2 - Escolas da AdministraçãoCapítulo 2   parte 2 - Escolas da Administração
Capítulo 2 parte 2 - Escolas da Administração
 
Capítulo 1 Administrações e suas perspectivas
Capítulo 1   Administrações e suas perspectivasCapítulo 1   Administrações e suas perspectivas
Capítulo 1 Administrações e suas perspectivas
 
Capítulo 2 Evolução do pensamento em administração
Capítulo 2   Evolução do pensamento em administraçãoCapítulo 2   Evolução do pensamento em administração
Capítulo 2 Evolução do pensamento em administração
 
Conflito/convívio de gerações
Conflito/convívio de geraçõesConflito/convívio de gerações
Conflito/convívio de gerações
 
Clima organizacional
Clima organizacionalClima organizacional
Clima organizacional
 
Gestão de projetos uberlândia refrescos
Gestão de projetos   uberlândia refrescosGestão de projetos   uberlândia refrescos
Gestão de projetos uberlândia refrescos
 
Método pista
Método pistaMétodo pista
Método pista
 

O que motiva as pessoas no trabalho

  • 1.
  • 2.
  • 3. Não  se  pode  comprar  INICIATIVA,   Não  se  pode  comprar  LEALDADE,   Não  se  pode  comprar  a  DEDICAÇÃO  DE   CORAÇÕES,  MENTES  E  ALMAS.                  Você  precisa  ganhar  estas  coisas.   Clarence  Francis     Presidente  do  Conselho  de  Administração  da  General  Foods  
  • 4.
  • 5. •  lançar  novos  desafios,     •  demonstrar  as  perspec8vas  de  desenvolvimento   profissional  e  pessoal,     •  oferecer  oportunidades  de  treinamento,   •  possibilitar  o  reconhecimento  e  a  valorização,     •  propiciar  a  integração,     •  demonstrar  o  sen8mento  de  u8lidade,     •  promover  a  empa8a  com  o  es8lo  de  liderança  vigente,     •  garan8r  o  sen8mento  de  justa  remuneração,     •  oferecer    segurança,     •  propiciar  autonomia  no  desenvolvimento  das  tarefas.    
  • 6. Funcionários  com  baixos   índices  de  moLvação  uLlizam   de  sua  capacidade  de  produção   Funcionários  com  altos   índices  de  moLvação  uLlizam   de  sua  capacidade  de  produção  
  • 7.
  • 8.
  • 9.
  • 10.
  • 12. Dentro  de  cada  ser  humano  existe   uma  hierarquia  de  cinco  categorias   de  necessidades:     a)  fisiológica   b)  segurança   c)  social   d)  esLma   e)  autorrealização  
  • 13.
  • 16. “Podemos escolher recuar em direção à segurança ou avançar em direção ao crescimento. A opção pelo crescimento tem que ser feita repetidas vezes. E o medo tem que ser superado a cada momento”.
  • 18.
  • 19.
  • 20. “O princípio de frustração- regressão: necessidade inferior pode ser ativada quando uma necessidade mais elevada não pode ser satisfeita e que mais de uma necessidade poder ser focalizada de uma unica vez”.
  • 22. Necessidade   Meio  de  SaLsfação   Realização   CompeLr  como  forma  de  auto-­‐avaliação   Afiliação   Relacionar-­‐se  cordial  e  afetuosamente   Poder   Exercer  influência   1969  
  • 23. NECESSIDADES   BIOLÓGICAS   PERFIL   PSICOLOGICO   PROCESSO  DE   SOCIALIZAÇÃO   NECESSIDADE   DE  REALIZAÇÃO   NECESSIDADE   DE  PODER   NECESSIDADE   DE  AFILIAÇÃO  
  • 24.
  • 25.
  • 26. Frederick  Herzberg   1923  -­‐  2000   Concentração  dos  estudos  na   análise  das  aLtudes  e   moLvações  dos  funcionários   dentro  de  uma  empresa.  
  • 27.
  • 28. A  relação  de  uma  pessoa  com  seu  trabalho  é   básica  e  de  que  essa  aLtude  pode  determinar   seu  sucesso  ou  fracasso.   Herzberg  invesLgou  a  seguinte  questão:   “O  que  as  pessoas  desejam  do  trabalho?”  
  • 29. A  moLvacão  é  composta  de  duas  dimensões:   a)  fatores  higiênicos            aspéctos  e  aLvidades  do  trabalho  que  podem    impedir  a  insaLsfação,  mas  que  não  influenciam  os    empregados  a  crescerem  e  se  desenvolverem.              Ex.  As  condições  em  torno  do  trabalho.     b)  fatores  moLvacionais            aspéctos  e  aLvidades  relacionadas  ao  trabalho  que    efeLvamente  encorajam  esse    desenvolvimento.              Ex.  Relaciona-­‐se  com  a  execução  das  tarefas.    
  • 30. Indivíduo aberto * Necessidades * Percepções ORGANIZAÇÃO Meio onde possa satisfazer suas necessidades, pessoais e familiares. INTERAÇÕES REAÇÕES
  • 31.
  • 32. “As pessoas se sentem motivadas a trabalhar mais quando conseguem algo tangivel ao realizar a tarefa, obtêm reconhecimento por seu trabalho e sentem que o trabalho em si é interessante”.
  • 33.
  • 34. Maslow   Alderfer   Herzberg   autorrealização   crescimento   fat.  mo8vacionais   es8ma   relacionamento   fat.  higiênicos   sociais   relacionamento   fat.  higiênicos   segurança   existência   fat.  higiênicos   fisiológicas   existência   fat.  higiênicos  
  • 35. Tony  Hsieh  –  CEO  da  Zappos  
  • 36. Definem  os  processos  que   influenciam  o  comportamento,   descrevem  como  acontece  a   moLvação  baseada  nos   valores  e  crenças.  
  • 37.
  • 38. Preocupam  com  as   necessidades  e   incenLvos  que  geram   o  comportamento.   Procuram  verificar  como   o  comportamento  é   aLvado,  dirigido,   manLdo  e  como  termina.  
  • 39. Victor  H.  Vroom   1932  -­‐   O processo de motivação deve ser explicado em função dos objetivos e das escolhas de cada pessoa e das suas expectativas em atingir esses objetivos.
  • 40. Aquilo que um indivíduo acredita ser capaz de fazer, após empreender um esforço.
  • 41. Se  o  trabalho   executado  representa   claramente  a   possibilidade  de  se   aLngir  um  objeLvo   esperado.
  • 42. Representa a ligação entre objetivo a ser atingido e o valor que este objetivo tem para o indivíduo ( valência).
  • 43. Valência   Instrumentalidade   ExpectaLva   Desejar  uma  promoção   Estender  o  horário  de  trabalho  (ação)   É  uma  forma  de  se  obter  a     Promoção  (resultado  almejado)   Se  eu  estender  o  horário  de  trabalho    e  me  mostrar  colaboraLvo(ações),  conseguirei   sensibilizar  meu  chefe  e  ser  promovido   (resultado)   As  pessoas  decidem  suas  ações  de  maneira  instrumental,   procurando  maximizar  o  prazer  e  ganhos  e  minimizar  perdas   1964  
  • 44.
  • 45. “A  essência  da   mo8vação  da   seleção  do   comportamento  é   determinada  pela   conveniência  dos   resultados”.  
  • 46. Enfoque Exame  da  moLvação  e  o  modo  como   um  diagnósLco  pode  influenciar  a   administração  do  desempenho.   Robert  J.  House   1932  -­‐  2011   Tipos de comportamento do líder 1.  liderança diretiva, 2.  liderança apoiadora, 3.  liderança participativa, 4.  liderança orientada para o resultado.
  • 47. trata de como os líderes estimulam seus subordinados para o cumprimento das metas estabelecidas. Funções da gerência: 1.  Estabelecer metas claras e específicas para seus subrdinados; 2.  Fazer metas suficientemente difíceis para serem percebidas como desafiantes e não impossíveis; 3.  Envolver os subordinados no estabelecimento de metas. 1971  
  • 48. “As funções estratégicas do líder são de realçar a motivação do subordinado para o desempenho, satisfação com o trabalho e aceitação do líder”.
  • 49. Parte do princípio de que as pessoas concentram seus esforços em direção a objetivos, de modo que o estabelecimento de metas energiza um indivíduo, dirigindo seus pensamentos para uma finalidade Edwin  A.  Locke   1938  -­‐  
  • 50.
  • 51. A premissa subjacente à teoria das metas é que o comportamento é regulado por valores e metas.
  • 52.   Valores     Desejos  pessoais   Feedback   Auto-­‐avaliação   Avaliação  gerencial   Metas   Especificidade   Complexidade   Dificuldade   Desempenho   ConcreLzação   das  ações   1968  
  • 53.
  • 54.
  • 55. Enfoca  os  antecedentes  das   variáveis  às  quais   normalmente  atribuímos  o   comportamento  moLvado.  
  • 56.
  • 57. O comportamento do indivíduo é determinado e mantido pelo ambiente do próprio indivíduo, isto é, a motivação do indivíduo é uma função das consequências de um comportamento recompensado ou não. B.  Frederic  Sckinner   1904  -­‐  1990  
  • 58.
  • 59. Homem Hipótese Econômico-racional A motivição encontra-se na perspectiva do ganho. O importante é ter bens materiais Social A motivação é o grupo. O importante é o reconhecimento dos colegas. Autorrealizador A motivação é a realização interior. O importante é a satisfação íntima. Complexo A motivação não tem causa única. Diversos motivos são importantes para mover o comportamento.
  • 60.
  • 61. Examina como as pessoas vem a realidade com base em suas próprias experiências.
  • 62. a)  recompensas íntrínsecas são intimamente ligadas a natureza do trabalho em si. Ex.: realização pessoal e profissional, estima de outras pessoas etc. b) reconpensas extrínsecas se relacionam ao contexto e os aspéctos materiais do trabalho sendo executado. Ex.: salários benefícios adicionais, condições de trabalho agradáveis etc. Obs. Fatores intrísecos correspondem aos fatores de motivação de Herzberg e os extrínsecos, de higiene.
  • 63. Johan  Wolfgang  Von  Goethe