Resumos de Português: Os Lusíadas

894 visualizações

Publicada em

Resumos para o Exame Nacional de 12ºano de Português

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
894
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
11
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Resumos de Português: Os Lusíadas

  1. 1. Os Lusíadas Narrativaépicaque faz umaleituramíticada Históriade Portugal.Emestiloelevado,cantaumaação heróica passadae analisaosacontecimentosfuturos,cujavisãoosdeusessãocapazesde antecipar.  Herói coletivo- o povo português, osseusfeitosgloriosose acontecimentos históricosmais significativos;  Epopeiado iníciodo Império(séculosXVI,1572) - narrativa emverso,com característicasclássicasa nível da estruturae do estilo,que narraos feitosgrandiososde umherói com interesse paratodaa Humanidade; 1) Proposição: poeta propõe-se a exaltar os feitos dos portugueses; 2) Invocação: poeta pede ajuda às ninfas; 3) Dedicatória: poeta dedica a sua obra a D. Sebastião; 4) Narração: poeta relata a descoberta do caminho marítimo para a Índia pelos navegadores portugueses liderados por Vasco da Gama  Fontesliterárias:“Odisseia”de Homeroe “Eneida”de Virgílio  Sebastianismoinicial - exaltaçãode D.Sebastião,paraquemse anunciaum destinoglorioso;  A recompensa- os heróistêmacessoàIlha dosAmores,prémiosimbólicodaheroicidade conquistada;  o tom didáticodopoemapresente nasreflexõesdoPoeta: 1) a efemeridade davidae os limitesdacondiçãohumana 2) a crítica ao menosprezodasArtese dasLetras 3) o valorda virtude e da honra conseguidasporméritopróprio 4) a ingratidãoda Pátriaque,nãoreconhecendooméritodoPoeta,inviabilizaoaparecimentode futurosescritores 5) a denúnciadoefeitocorruptordodinheiro 6) a confiançanas capacidadeshumanasparaatingira verdadeiravirtude Traduz as façanhase o espíritodopovoportuguês(capazde trazer ao conhecimentodaEuropae da Humanidade povosdesconhecidos,lugaresignoradose inóspitose oscaminhosmarítimosparaligaros cinco continentes). OsLusíadasnãocontam apenasa viagemmarítimae a Históriaportuguesa,masrevelam também,oespíritodo homemdaRenascençaque acreditana experiênciae narazão.A Ilhados Amoresé, no fimda obra,o símboloda capacidade dosPortuguesesnaexploraçãodosmares,graçasàs experiências marítimase ao seuespíritode aventura,masigualmente,àsuavontade indómitade conhecere estabelecer harmoniano planeta,aproximandooOriente e oOcidente. O poetapretende conceder,atravésdestaobra,odireitoà imortalidadedosnautasportuguesespelosseus feitoshistóricos.
  2. 2. Estrutura externa:  10 cantos; Oitavas; Versos decassilábicos; Esquema rimático: ABABABCC  4 Planos: do poeta; da viagem; da mitologia; da história de Portugal Estrutura interna Introdução  Proposição  Invocaçãoàs Tágides,a Calíope,àsninfasdoTejoe do Mondego e de novoa Calíope  DedicatóriaaD. Sebastião Desenvolvimento  A viagem;Osdeuses/Omitológico - açãocentral (narrada pelopoetaemalternância)  A Históriade Portugal - ação secundária(encaixadanaViageme narradapor Vascoda Gama/Paulo Gama) - Discursosque relatamepisódiospassadosrelativamente ao cursoda viagem  Consideraçõesdopoeta- (normalmente nofinal de cadacanto) Plano da viagem: constitui aação central relacionadacoma descobertadocaminhomarítimopara a Índia, chefiadaporVascoda Gama. Plano mitológico:intervençõesdosdeusesdoOlimponaviagem, emalternânciacoma ação principal. O destinoprofético:  Profeciasde Júpiter(cantosIe II)  ProfeciasnoConsíliodosDeusesmarítimos (c.VI)  ProfeciasnaIlhados Amores (c.X) O destinoprofético (entre ovividoe oimaginário):  SonhoProféticode D.Manuel (c. IV)  Maldiçãodo Adamastor(c. V) Génerolírico:  a fragilidade davidahumana(c.I)  as lamentaçõesdopoeta- face aos que desprezamapoesia(c.V)  o valorda glória(c. VI) e o poderdo ouro (c.VIII)  a exortaçãoaos que aspiramà imortalidade (c.IX),aorei e às futurasglórias(c. X)  a crítica à sociedade doseutempo - materialismo,corrupção,injustiça...
  3. 3. Plano da História de Portugal: encaixadonoplanodaviagem. Plano das reflexõesdopoeta: consideraçõesde Camões,normalmentenofinal de cadacanto,fazendo váriascríticas (nomeadamenteàignorância,desprezopelacultura,ambiçãodesmensurada,podertirânico, hipocrisia,exploraçãodospobres,podercorruptodoouro),e defendendoummodelode homemideal que ganhará o direitoaser recebidonaIlhade Vénus. Episódios Episódio- é uma pequenanarrativa,comintrodução,desenvolvimentoe conclusão,que se relaciona diretamente comatrama principal,contribuindoparaenriquecê-laouaté mesmoexplicá-la. Surgeminseridosnanarrativacentral comoformade embelezarotexto,quebraramonotonia,dar dinamismoe enriqueceraobra. 1) EpisódiosMitológicos  ConsíliodosDeusesno Olimpo – os deusesreúnem-senoOlimpoparadecidirodestinodos portugueses.  Pedidode Vénusa Júpiter– Vénusintercede juntode Júpiter,a favordosportugueses.  ConsíliodosDeusesmarinhos – Baco consegue convencerosdeusesmarinhosaprovocaremuma tempestade paraafundara armada portuguesa.  Váriasintervençõesde Vénuse Baco 2) EpisódiosBélicos  Batalha de Ourique – relatohistóricodaBatalha de Ourique,travadacontraos mouros,durante o reinadode D. AfonsoHenriques.  Batalha do Salado – D. AfonsoIV intercedeafavorde Castela,que haviasidoinvadidapelosMouros.  Batalha de Aljubarrota – Batalha travadacontra o Rei de Castela, que pretendiatomaroreino português.Portugal sai vencedorgraçasà bravurade D. João,Mestre de Avise de D. NunoÁlvares Pereira. 3) EpisódiosLíricos  FormosíssimaMaria – filhade D. AfonsoIV e rainhade Castela,apelaa seupai que auxilie Castela, na lutacontra os Mouros.  Inêsde Castro – relatoda morte de D. Inêsde Castro, amante de D. Pedro,que é condenadaà morte por D. AfonsoIV. 4) EpisódiosNaturalistas/Descritivo-pictóricos  Fogo de Santelmo – relatode um fenómenometeorológiconatural, que ocorre durante aviagem. Consiste numadescargaelétricaluminosa.  Tromba Marítima – relatode umfenómenometeorológicosemelhanteaumtornado,mas de menordimensão.  O escorbuto – relatoda doençaque assolaa tripulação,matandoumnúmeromuitoelevadode marinheiros.  A Tempestade – relatoda tempestade que se abate sobre aarmada de Vasco da Gama, durante o ConsíliodosDeusesMarinhos.A tempestade terminagraçasà intervençãode Vénus,que solicitaa ajudadas "ninfasamorosas".
  4. 4. 5) Episódios Simbólicos  Sonho proféticode D. Manuel – D. Manuel temum sonhoproféticocomossucessose perigosdos portuguesesnoOriente.Este sonhoincentivaD.Manuel a enviarVascoda Gama e a sua armada em busca docaminhomarítimo para a Índia.  Velhodo Restelo– No diada partidada armada, um velhosurge nocaise falasobre os Descobrimentos.Éa voz dobom senso,que adverte parao perigode tal empreendimento.  O Gigante Adamastor – na passagempeloCabodas Tormentas(posteriormente apelidadode Cabo da Boa Esperança),osportuguesessãoconfrontadoscomo Gigante Adamastor,que ameaçaa continuaçãoda viagem.OGigante simbolizaomedododesconhecido.  A Ilha dos Amores – noregressoa Portugal,Vascoda Gama e a sua armada são conduzidosàIlha dos Amores.Estaé uma ilhade deleitese consideradaarecompensapeloesforçoe coragemde um povo.Aqui,Tétismostraa Gama a Grande Máquinado Mundo e o futurodopovoportuguês. Simbolizaosonho,arecompensa,aimortalidade (oHomemascende aolugardosdeuses). As personagens:  do planoda viagem:VascodaGama  do planomitológico:Júpiter,Vénus,Baco  do planoda História:D.AfonsoHenriques,D.AfonsoIV,Inêsde Castro,D.Manuel,Adamastor, VelhodoRestelo
  5. 5. A Mensagem FernandoPessoa,no poemaépico-lírico,canta,de formafragmentáriae numaatitude introspetiva,o impérioterritorial,masretratao Portugal que "faltacumprir-se",que se encontraemdeclínioanecessitar de uma força anímica. Projeta-nosnumadimensãocíclicacentradana esperançade um novorecomeço. Características:  Nas duasprimeiraspartesdaMensagem é possível umdiálogocom OsLusíadas;emO Encoberto, Pessoasitua-se nomomentoemque oImpérioPortuguêsparece desmoronar-seporcompletoe, assume,então,ocargo de anunciadorde umnovociclo que se anuncia,o QuintoImpério,que não precisade ser material,mascivilizacional.  Procura anunciarum novoimpériocivilizacional.O“intensosofrimentopatriótico”leva-oaantever um impérioque se encontraparaalémdo material. Estrutura tripartida da Mensagem:  Nascimento  Vida  Morte/renascimento Os 44 poemasque constituema Mensagem encontram-se agrupadosemtrêspartes: 1ª Parte – Brasão (construtoresdo Império) - Corresponde aonascimento,comreferência aosmitose figurashistóricasaté D. Sebastião,identificadasnoselementosdosbrasões.Dá-noscontadoPortugal erguidopeloesforçodosheróise destinadoagrandesfeitos. 2ª Parte – Mar Português(o sonho marítimo e a obra das descobertas) - Surge a realizaçãoe a vida;refere personalidadese acontecimentosdosDescobrimentosque exigiramumalutacontrao desconhecidoe os elementosnaturais.Expansãode Portugal nomundo,passandopelosDescobrimentose terminandocomo declínio. 3ª Parte – O Encoberto (encobrimentoresultante damorte e ligação ao messianismo) - Representaa esperançanumfuturoassociadoa um messiase aomitosebastianista,atravésdaressurreição,que nos impulsionaparaum QuintoImpérionumdomínioespiritual - antecipaçãoproféticade umacontecimento grandiosoque estáescritonodestinoportuguês.
  6. 6. Os Lusíadas e a Mensagem  Cantam de perspetivasdiferentesagrandezade Portugal e o sentimentoportuguês;  Camõesprocura perpetuaramemóriade todosos heróisque construíramo ImpérioPortuguês; FernandoPessoadescobre apredestinaçãodessesheróis,paraencontrarumnovo heroísmoque exige grandezade almae capacidade de sonhar,quandoo mesmoImpériose mostramoribundo.;  Em Lusíadas,Camõesconsegui fazerasíntese entre omundopagãoe o mundocristão;na Mensagem,Pessoaprocuraaharmoniaentre o mundopagão,o mundocristãoe o mundo esotérico.

×