Geografia A 11 ano - Transportes

1.352 visualizações

Publicada em

0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.352
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
21
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Geografia A 11 ano - Transportes

  1. 1. Transportes A crescente interacção espacial tem como suporte a rede de transporte e os vários meios de transporte que têm sofrido algumas alterações. Aumento da mobilidade:  Desenvolve o comércio e as actividades produtivas (nível regional e nível internacional);  Diminui as assimetrias regionais  Melhores condições de vida;  Ajudou à expansão de novas formas de organização do espaço (como por exemplo, o crescimento dos subúrbios perto das grandes cidades). Não existe atualmente nenhum país, cuja economia se desenvolva num circuito fechado, pelo contrário, são cada vez mais numerosas as trocas entres os diferentes países. A crescente interação espacial tem como suporte a rede transportes e os vários meios de transporte. O aumento da mobilidade permitiu desenvolver o comércio e consequentemente, as atividades produtivas, tanto a nível regional, quer a nível internacional, diminuir as assimetrias regionais e portanto, melhorar as condições de vida e o bem-estar da população. Ao mesmo tempo, ajudou à expansão de novas formas de organização do espaço, referindo-se a título de exemplo o crescimento dos subúrbios nas grandes cidades e à redistribuição espacial da população. As principais redes de transporte utilizadas para o estabelecimento de ligações são:  Rede rodoviária  Rede ferroviária  Rede marítima  Rede área A escolha do modo de transporte a utilizar depende de vários factores, podendo enunciar-se como os mais importantes o custo do transporte, o tipo de mercadoria a transportar, a distância a percorrer, o tempo gasto no percurso e ainda o tipo de trajecto a percorrer. Em Portugal, no trafego interno de mercadorias e de passageiros utiliza-se, fundamentalmente, o transporte rodoviário. Relativamente ao trafego internacional de mercadorias, o transporte é realizada, na maioria dos casos, por via marítima, ao qual se segue os transportes rodoviário, que nos últimos anos tem registado um crescimento assinalável, sobretudo o que se dirige aos países da União Europeia.
  2. 2. Transporte rodoviário Em Portugal tem registado um aumento significativo, tanto nos veículos pesados como nos ligeiros (devido à subida do nível médio de vida da população e ao desenvolvimento do comércio e das atividades produtivas) Aspetos positivos:  Melhores acessibilidades  Apresenta grande flexibilidade, permite o transporte porta-a-porta, elimina a necessidade de transbordo  Evolução tecnológica  Mais rápido e cómodo  Como tem sido objeto de evolução tecnológica, isso traduz-se na capacidade de carga que aumenta, bem como a especialização, isto é para o transporte de mercadorias diversificadas Aspetos negativos:  Provoca impacto negativo na atmosfera devido á libertação de gases poluentes  Elevado consumo de combustível, e aumento do “desgaste psicológico”, relacionado como dificuldade em estacionar, entre outros  Elevada sinistralidade  Aumento excessivo do tráfego (centros urbanos)  Congestionamento mais frequente (horas de ponta)  Aumento do consumo de combustíveis fósseis Transporte ferroviário Durante a primeira metade do século XX, foi um meio de transporte muito utlizado e constituiu um importante fator para o desenvolvimento do pais em vários níveis. No entanto, face ao desenvolvimento do transporte rodoviário, o ferroviário, perdeu capacidade competitiva, quer no transporte de passageiros, quer no transporte de mercadorias, apresentando uma utilização bastante modesta, quer nas utilizações nacionais, quer nas internacionais. A sua distribuição não é regular. Aspectos positivos:  Economicamente vantajoso no transporte de mercadorias pesadas e volumosas;  Longas e médias distâncias;  Maior capacidade de carga (em comparação com o transporte rodoviário);  Menor consumo de energia e menor poluição;  Baixa sinistralidade;  Evolução tecnológica  Aumento da velocidade média;  Muito confortável no transporte de passageiros.
  3. 3. Aspectos negativos:  Itinerários fixos (menos flexibilidade);  Exigência de transbordo: o Retira comodidade; o Aumento do custo de transporte  Perda de tempo e aumento da mão-de-obra utilizada;  Elevados encargos ao nível da manutenção e funcionamento de infra-estruturas e equipamentos (em comparação com o rodoviário) Está dividida em Rede Principal, Rede Complementar e Rede Secundária.  Rede Principal – Linhas rentáveis que podem vir a ser privatizadas;  Rede Complementar – Linhas de utilizada pública, mas pouco rentáveis economicamente, cuja manutenção e funcionamento são da competência do Estado.  Rede Secundária – Linhas que são de interesse local e regional e cuja manutenção e funcionamento é da responsabilidade das autarquias locais. A densidade de passageiros e mercadorias é muito mais concentrado na linha do norte e nas linhas suburbanas. As linhas mais importantes são: a Linha do Norte que assegura a ligação entre os principais centros urbanos do país e percorre a região mais densamente povoada, mais industrializada e desenvolvida, e a Linha da Beira Alta, principal ligação com o resto da Europa. O transporte de passageiros é essencialmente suburbano (tendo uma posição de destaque nas áreas metropolitanas).No transporte de mercadorias tem um papel pouco relevante (quer no tráfego interno como internacional). Transporte marítimo Cerca de 80% do comercio internacional em Portugal, é realizado por via marítima; Revela-se especialmente vantajoso sob o ponto de vista económico, no tráfego de mercadorias pesadas e volumosas, a longas distâncias, revelando-se muitas vezes o único possível quando se trata de trajetos intercontinentais; a crescente especialização que vem apresentando (petroleiros, etc), torna-o cada vez mais atrativo, pois confere-lhe a possibilidade de transportar variados tipos de mercadorias em boas condições de acondicionamento; O transporte marítimo apresenta, como principais inconvenientes a menor velocidade média alcançada e a exigência de transbordo;
  4. 4. Aspectos positivos:  Vantajoso economicamente no transporte de mercadorias pesadas e volumosas;  Muitas das vezes é o único transporte que consegue estabelecer ligações intercontinentais;  A crescente especialização, que o torna mais atrativo, dá a possibilidade de transportar vários tipos de mercadorias; Por exemplo: transporte de mercadorias em contentores.   Maior segurança;  Maior rapidez das operações de carga e descarga. Aspectos negativos:  Menor velocidade média;  Exigência de transbordo.  Adesão de Portugal à UE  Perdeu alguma importância  Comércio Externo nacional  Via terrestre (especialmente rodoviário uma vez que há uma rede viária muito densa e em bom estado);  Continua a destacar-se no transporte de petróleo, cereais, carvão, cimento, etc. e nas ligações com as regiões autónomas. Transporte aéreo Encontra-se vocacionado para o tráfego de passageiros, dada a rapidez, comodidade e segurança que oferece(aspetos positivos). A sua utilização tem vindo a aumentar muito significativamente em todo o mundo, para viagens longas e também para médias distâncias. Relativamente a mercadorias, a sua utilização é restrita dada a fraca capacidade de carga e os elevados custos de transporte. Indicado para mercadorias leves, pouco volumosas, e de grande valor unitário e perecíveis. Tal como em todo o mundo, também em Portugal, o transporte aéreo tem vindo a crescer especialmente os voos internacionais. Os principais aeroportos de Portugal são: o de Lisboa, o de Sá Carneiro e o de Faro. Aspectos negativos:  Poluição (afecta as pessoas que vivem/trabalham perto do aeroporto),  Enorme custo de energia  Saturação do espaço aéreo  Menos segurança.  Em Portugal a sua utilização tem vindo a aumentar especialmente os voos internacionais  Quebrou o isolamento das regiões autónomas.  Entre as restantes regiões do país o transporte aéreo é pouco significativo devido à concorrência dos transportes ferroviário e rodoviário; ao fraco dinamismo económico na maior parte delas; e a falta de infra-estruturas.
  5. 5. Transporte intermodal/multimodal  O transporte intermodal apresenta-se como uma solução para reduzir a utilização excessiva do transporte rodoviário no tráfego de mercadorias, ao permitir que a mercadoria, numa parte do seu percurso, viaje utilizando outro meio de transporte, designadamente ferroviário. São várias as vantagens que daí resultam, pois permite: diminuir o trânsito nas vias rodoviárias, reduzir a poluição e o consumo de energia, assim como o tempo de deslocação. Permite juntar vantagens e ajudar a ultrapassar as desvantagens de cada transporte.  Uma vez que o comércio externo português se faz essencialmente com a Europa, os projetos de ligação às redes transeuropeias têm também como objetivo prioritário a articulação entre os vários meios de transporte, de forma a permitir a utilização combinada de transportes complementares.  O objetivo é a articulação entre os vários meios de transporte de modo a utilizar uma combinação de transportes complementares. A inserção nas redes transeuropeias  A política comum de transportes, apresenta como um dos seus principais objetivos a criação de uma rede de transportes que integre as redes dos vários modos de transportes, capaz de promover a construção de um espaço sem fronteiras, onde as ligações entre as regiões mais periféricas e as regiões centrais, mais desenvolvidas, sejam facilitadas. A construção de uma rede transeuropeia que promova a intermodalidade permitirá diminuir os problemas ambientais resultantes da poluição e do consumo de energia e permitirá deslocações mais rápidas.  Esta rede liga portos e serviços principais a áreas do interior que por sua vez que vão interligar a outros países. Assim é também possível diminuir as assimetrias regionais em casa país. Só com uma rede transeuropeia é que a UE conseguirá ter um espaço sem fronteiras, onde todos os países se interligam facilmente, permitindo o desenvolvimento mais equilibrado e harmonioso das várias regiões, elimina assim as assimetrias existentes. Politica Comum de Transportes:  Revitalizar o caminho-de-ferro;  Reforçar a qualidade do transporte rodoviário;  Promover o maior uso do transporte marítimo e fluvial;  Promover o transporte intermodal;  Reforçar a segurança rodoviária;  Desenvolver transportes urbanos de qualidade. O objectivo: criar uma rede transeuropeia que integre as redes de transportes ferroviários, rodoviários, aéreos e marítimos e criar um espaço sem fronteiras, melhorando as ligações entre as regiões mais periféricas e as regiões centrais, mais desenvolvidas. Problemas dos transportes em Portugal  Segurança: Portugal tem uma grande sinistralidade que se deve alterar através de campanhas de prevenção e de educação para a prevenção rodoviária, acções de intervenção que tenham em vista melhorar, corrigir ou construir novas infra-estruturas viárias.  Ambiente: Poluição, que leva a doenças e desequilíbrios ecológicos difíceis de corrigir.
  6. 6. Telecomunicações A distribuição espacial das redes de comunicação A crescente internacionalização da economia e o acesso à informação tem como protagonista o desenvolvimento das telecomunicações. A difusão da informação é realizada cada vez de forma mais rápida, permitindo aumentar os intercâmbios e promover relações de complementaridade entre regiões. A modernização do sector das comunicações, aliada à do sector dos transportes, tem alterado o modo como o espaço geográfico é apreendido e vivenciado. O espaço e as distâncias são, desta forma, cada vez mais relativos, podendo medir-se em unidade de distância-tempo e distância-custo. O aumento da mobilidade e da facilidade na difusão da informação está na origem de novas formas de trabalho e comercio, bem como de novos modelos e organização de espaço. Para garantir igualdade de acesso a todos os portugueses aos transportes e às TIC é preciso investir na modernização das redes, mas também na formação relativamente ao domínio das novas tecnologias. Na sequência da integração de Portugal na União Europeia as telecomunicações nacionais foram objeto de enorme modernização, tendo-se assistido à expansão das redes e melhorias substanciais na sua qualidade. Prevalecem, no entanto ainda algumas assimetrias entre o litoral e o interior que é preciso debelar. Face à dependência do GPS americano, a UE está a desenvolver o programa GALILEO de radionavegação por satélite. Um dos grandes objetivos das políticas da União Europeia, no domínio das telecomunicações é promover a igualdade de condições no acesso à informação, entre todos os cidadãos. Os sectores dos transportes e das comunicações, apresentam alguns problemas associados ao ambiente, à segurança e à saúde que se torna necessário combater, nomeadamente através de campanhas de prevenção. Vantagens das TIC:  Ajudam pessoas com falta de mobilidade a saírem do isolamento  Os cidadãos com necessidades especiais têm maior facilidade e mais oportunidades de inserção no mercado de trabalho  São um fator importante para diminuir as assimetrias regionais  Criam novas formas de trabalho e comércio, logo, geram emprego
  7. 7. Desvantages das TIC:  A insegurança causada pela difusão dos vírus informáticos  O perigo de fraude no comércio eletrónico e em transações financeiras  Falta de atenção a aspetos de carácter ético, como a difusão de ideias e comportamentos que atentam contra os direitos humanos, a dificuldade em controlar a qualidade e a fiabilidade dos conteúdos, a possibilidade de invadir a privacidade dos cidadãos, etc  Os perigos associados ao convívio com desconhecidos na internet, principalmente para os mais jovens  Os perigos para a saúde humana, como a emissão de radiações nocivas, e os problemas psicológicos de dependência

×