Resumos 10º ano - Economia A (3ªa parte)

648 visualizações

Publicada em

Terceira e última parte dos resumos da Matéria de 10º ano de Economia A para o exame nacional. Contém resumos sobre: Poupança e investimento.

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
648
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
58
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Resumos 10º ano - Economia A (3ªa parte)

  1. 1. 7. Poupançae investimento 7.1- A utilizaçãodosrendimentos- oconsumoe a poupança: O rendimento pessoal disponível pode serutilizadosobduasformas:emconsumoe/ouempoupança. O consumo: é a porção de rendimentodestinada àaquisiçãode bense serviçosque permitesatisfazer necessidades. A poupança: é a parte do rendimentoque nãoé empregueemconsumo,consistindonumarenúnciaà satisfaçãoimediatae necessidades,de modoaserpossível satisfazernecessidadesnofuturo.Poupar significapôrde ladouma certa quantianomomentopresente,parautilizarnummomentofuturo.  Principaisrazões que levam as famíliasa poupar:  O facto de o rendimentoauferidoultrapassaromontante habitual dosencargossuportados com o consumo,permitindoassimreservarparamaistarde algumdo seurendimentoatual.  O desejode adquiriralgodispendioso,tornando-se necessárioamealhardinheirodurante um certoperíodode tempo  A incertezaquantoaofuturo,o receiode nãoteremrendimentono futuro Há váriosfatoresque influenciamapoupança,sendoorendimentodisponível umdeles,poisquantomaioré o rendimentomaioré ovalorque remanesce depoisde se deduziremosencargoscomo consumo,ou seja, maioré a poupança. As expectativasquantoaofuturosãooutro fator determinante dapoupança,porque,geralmente,hámaior tendênciaparapouparnas situaçõesemque é maiorincertezaquantoaosrendimentosdofuturo. Por outrolado,como vivemosnumasociedadede consumo,apoupançatambém dependedograude consumismodasfamílias.Muitasvezes,apublicidade,astécnicasde venda agressivase as facilidadesde pagamentoconcedidasgeramconsumos exageradose desnecessários.Asfamílias,mesmonoscasosemque os rendimentosdisponíveissão superioresaosgastoscom o consumo,são tentadasa utilizaroexcedenteembensde consumo,nãoreservandomuito para situaçõesfuturas. As famíliasnãosão osúnicosagentesque poupam, asempresastambémo fazem,poupandonopresente paramaistarde investirem.
  2. 2. 7.2-Os destinosda poupança- aimportânciadoinvestimento: A parte do rendimentodisponível que é consagradaápoupança pode serutilizadade váriasformas.Tendo3 destinosparaa poupança: a colocação financeira,o entesouramentoe o investimento. Colocação financeira: Consiste,naaplicaçãodapoupança emprodutosfinanceirosdisponibilizadosporintermédiode instituições financeiras.Comoexemplode produtosfinanceirospodemosreferirosdepósitosaprazo,as ações,as obrigações,etc.Uma panópliade produtostaovariadosque tornaimportante definirumcritérioparaa sua escolha. O montante a colocare o períodode tempoemque o aforradorestadispostoa renunciará utilizaçãodo capital são doisfatoresdecisivosnaescolhadoprodutofinanceiro.Masa seleçãodoprodutomais adequadoparacada aforradordeve tambémlevaremconsideraçãoosseguintesaspetos:  O risco:se o produtogarante,ou não,uma determinadarentabilidade ouse asua taxa de rentabilidade é fixaouvariável  A rentabilidade:se orendimentoesperadodoprodutoé maisoumenoselevado  A liquidez:se otituloé maisou menosfacilmenteconvertível emmoeda  A fiscalidade:se existembenefíciosfiscaisassociadosaoprodutoe otipode tributaçãoque incide sobre os rendimentosdaíderivados Entesouramento: Diz-se que háentesouramentoquandoapoupançaficaá guardados seusproprietáriosou,casofique à guarda de terceiros,aentreganão é feitacom o objetivode aumentarovalordocapital,poiso entesouramentonãotemcomointuitoarentabilizaçãodopatrimónio. No entantoissonãosignificaque umaobrade arte adquiridacomoobjetode decoraçãoque não se destina a ser revendida,nãopossaconstituirumentesouramentoque maistarde venhaaservalorizado. O entesouramentopode serrealizadoatravésdaguardade valoresemcofresouemoutroslocais semelhantesou,então,atravésdaaquisição,semintençãode revenda,de bensque nãose depreciemcom o tempo,comopor, exemplo,asjoias. Investimento: Trata-se de canalizara poupançapara a atividade produtiva,de formaapossibilitaramanutençãoouo aumentodasua capacidade.A poupança é assimusada na aquisiçãoousubstituiçãode equipamentose na reposiçãodosstocksdas matérias-primasutilizadas nofabricode bens
  3. 3. O investimentopode serdenominado formaçãode capital, que,por suavez,se divide emduas componentes:  A formaçãobruta de capital fixo(FBCF) que designao valordoinvestimento líquidorealizadocoma aquisiçãode bensduradouros(CAPITALFIXO) juntamente comovalordo capital fixoque foi consumido(AMORTIZAÇÔES),istoé,englobaovalorque foi investidoembensde equipamentos, edifícios,etc.independentemente de se tratarda aquisiçãode bensnovosoudosencargos suportadoscom a substituiçãooureparaçãodosequipamentosjáexistentes. Noprimeirocasoé o investimentode capacidade,no segundocaso é o investimentode substituição (ourenovação).  Variaçãode existências,representaasoscilaçõesdosstocksde existênciasentre doisperíodos diferentes.Normalmente,considera-se operíodode umano, sendooseucálculoefetuadopela subtração dovalordas matérias-primas,produtossemiacabadose produtosacabadosexistentesno iníciodo ano,ao valor existente nofinal doano,apurando-se,dessemodo,asvariaçõesdosstocks de existênciasque ocorremaolongodoano. O investimentopode serclassificadoem 3 categorias:  Investimentomaterial:quandodizrespeitoáaquisiçãode bens tangíveisistoé,à compra de benscom existênciafísica,bens corpóreos.  Investimentoimaterial:quandose refere àaquisiçãode bens intangíveis,bensnãocorpóreos,comoaprestaçãode serviços relacionadoscoma formaçãoou investigaçãoe desenvolvimento,a aquisiçãode marcas,patentesousoftware informático,asdespesas com publicidade,etc.  O investimentofinanceiro:se envolveaaquisiçãode ativos financeiros,porexemplo,açõesouobrigações. O investimentopode serclassificadode acordo com as suas funçõesprincipais:  Investimentode substituição:asseguraamanutençãoda capacidade produtivaatravésdareposiçãodocapital à medidaque este vai utilizado  Investimentode inovação:mantemosequipamentose osprocessos de fabricotecnologicamente atualizadosparagarantirema eficiênciae competitividade dasunidadesprodutivas.  Investimentode capacidade:possibilitaoaumentodacapacidade produtivadaunidade de produçãoatravésda aquisiçãode mais bensde equipamento.
  4. 4. Não sãosó as empresasque investem,poistambémoestadorealiza investimentosaoconstruirinfraestruturaspúblicas,comoviasde comunicação, pontes,escola…Oinvestimentopode,assim, serpúblicoouprivado,conforme é efetuadopeloestadoouporagentesprivados.Ambossãoimportantesparao país poiscriam empregoe aumentamasua riqueza,dandolugara mais poupança,que por sua vez,geranovosinvestimentose potenciaum crescimentoeconómicosustentado. Inovação tecnológica e investigaçãoe desenvolvimento (I&D): O investimentonainovaçãoé umatarefa fundamental paraa dinamizaçãodaatividade económica.Hoje em dia,os processosde descobertadesenrolam-sede formamuitorápida,poisdelesdependeasociedade de consumoemque vivemos. Importadistinguirosconceitosde inovaçãoe invenção  A invenção:temcomo resultadoacriação de um novoprojetooua descobertade umanova técnicade fabricoque ainda nãoexistiam.  A inovação: resultade um melhoramentode umprodutooutécnicajáexistentes. A sociedade de consumobaseia-senanecessidadesde estarconstantemente alançarnovosprodutosno mercado,sendoestes,frutode inovação,poisapenassãoalteradas algumasdas suascaracterísticasou funções,que comestratégiasde marketingfazemcomque osbensrenasçamnomercadosob aparênciade novosprodutos. A investigaçãotambémtemumimportante papel nacompetitividadedasempresas,poisé graçasa elaque os produtose processosde fabricovãosendosistematicamente inovados.Assimdeve-sedistinguira inovaçãode produtodas inovaçõesde processo, conforme se trate de alteraçõesaonível doprodutooudo processode fabrico.Asempresasapostamno I&D como formade se tornaremmaiscompetitivas- àmedida que a investigaçãovai gerandoresultados,aprodutividade dasempresasvai melhorando,poisas inovações permitem-lhesagirde formamaiseficiente. Não sãosó as empresasque apostamna inovação.Oestadotambémaposta,na procura de estimulara descobertamedianteaatribuiçãode verbaspara a investigaçãoauniversidades,laboratórios,etc.e a concessãode patentesaosautoresdasdescobertas.Portugal temevoluídonestaárea,aumentandoo númerode bolsasde mestradose doutoramentosconcedidos,significandoque ainovaçãoestaa aumentar no nossopaís. Portugal temvindoacriar algunstecnopolos- centrosde desenvolvimentotecnológico- cujo objetivoé ode promovera inovaçãoe a competitividade.Emboraaindaassimprecisarmosmuitodo exterior,temosmuitoque evoluir.
  5. 5. 7.3- O financiamentodaatividadeeconómica- autofinanciamentoefinanciamentoexterno. As empresasnecessitamde capital parase manterememfuncionamento,dadoque têmde suportar encargoscom existências,equipamentos,recursoshumanos,etc.Noentanto,nemsempre dispõemdototal necessárioparacobriras despesascoma sua atividade,porvezes,asempresastêmnecessidade de recorrer a capital alheio.Assim,ofinanciamentodasempresaspode serefetuadopormeiode fundosprópriosou alheios,tratando-se,noprimeirocaso, (financiamentointerno), e nosegundocasode (financiamento externo). Nas situaçõesemque asempresasdetêmosmeiossuficientesparao financiamentodasuaatividade,diz-se que dispõemde capacidade de financiamentoe,noscasosemque os fundossãopróprios,o financiamento é interno- é ochamadoautofinanciamento. Noutrassituações,quandoasempresasnãodispõemde fundosprópriossuficientesparafinanciaremasua atividade,diz-se que temnecessidadede financiamento.Nesse caso,asempresastemde recorrerao financiamentoexterno. 7.3.3- Financiamento externo indireto Financiamentoexterno- financiamentocomcapitaisalheios.Podeserdireto(mercadode títulos) ou indireto(créditodasinstituiçõesfinanceiras). Crédito- cedênciatemporáriade umadeterminadaquantiatendocomocontrapartidaosjuros.Oacordo estabelecidoentre odetentordocapital e o beneficiáriodocréditoé feitopormeiode umcontrato:o contrato mútuo(empréstimo).Éfundamental paraaeconomiapoispermite potenciaroseucrescimento. Principaisfunçõesdos bancos: Captação de depósitos; Concessãode crédito;Criaçãode moedaescritural. Tambémse dedicamà guarda e administraçãode valorese prestação de serviçosde consultoria;procedem à emissãoe colocaçãode valoresmobiliáriose àgestãode meiosde pagamento(ex: cartões, cheques, etc). Os bancos,por norma,apenasconcedemempréstimosquandoconsideramque osdevedoresoferecem confiançano que respeitaaocumprimentodocontratomas,muitasvezes,pedemaosseusclientesa entregade garantias adicionais (formade assegurarocumprimentointegraldosseuscontratos). As garantiaspodemserreais,se implicamumaentregaacessóriade bensaopatrimóniododevedoroude terceiros. Os bancossão as instituiçõesque se dedicam, porumlado,à captação das poupanças (de quemdispõe de capital excedentário que recebe,emtrocade depositarláo seudinheiro,umaremuneração:juros).Por outro lado,utilizamumaparte daspoupançascaptadaspara as disponibilizaraosindivíduosque necessitam de financiamento,concedendo-lhesassimo crédito.
  6. 6. Outra funçãoimportante desempenhadapelosbancosnaatividade económica:criaçãode moedaescritural. Quandopermitemque parte daspoupançaspor si captadas voltemaentrar no mercadopelaviado crédito, estãoa criar a moeda(efeito multiplicadorde crédito).Osbancossãoobrigadosa constituirumareserva (guardaruma percentagemdosvalorescaptadosnodepósito),poisnãopodemaplicartodasaspoupanças emcrédito. Taxas de juro e a atividade económica Comojá referido,os jurosremuneramasoperaçõesbancárias(ativase passivas) e amargemde lucrodas instituições de créditoé obtidapeladiferençaentre osjurosde empréstimoscobradosaosdevedorese os jurosde depósitosentreguesaosdepositantes.Porumlado,osjurosconstituemumincentivoàpoupança (quandoastaxas são maiselevadas,incentivaosaforradoresapoupar).Poroutro lado,osjuros podem fornecerum incentivoaoconsumo e ao investimento (quandoastaxasestãobaixas,incentivaaocrédito). Instituiçõesfinanceirasmonetárias(bancos)- criam moedaao receberemdepósitose aoconcederem crédito. Instituiçõesfinanceirasnão monetárias- apenasconcedemcrédito(nãocriammoedanemrecebem depósitos).Asprincipaissãoas sociedadesde locaçãofinanceira,associedadesde factoringe associedades de capital de risco.  Sociedadesde locação financeira- sociedadesque cedemtemporariamenteousode um bema outrem,mediante opagamentode umarenda.Nofimdocontrato, o bempode seradquiridopor um valorresidual.  Sociedadesde factoring- sociedadesque assumemascobrançasde empresassobre terceiros, mediante umpagamentode umacomissão.  Sociedadesde capital de risco- sociedadesque investememempresascomprojetosde altorisco, com o objetivode obterem umacompensaçãonasuavenda,depoisde asteremajudadoa desenvolver. Financiamento externo direto- o mercado de títulos Mercado de títulos- mercadoonde são transacionadososvaloresmobiliários(ex.ações,obrigações).Estes valoressãotítulosde créditode médioe longoprazosque representamdireitosde propriedade oude créditopara os seusdetentores.Decompõe-se emdois:omercadoprimário,nocasodas emissõesde ativos novos,e o mercadosecundário,onde se transacionamostítuloscotadosembolsa. Ações- títulosrepresentativosdocapital social dassociedadesanónimas.A suaposse confere aotitulara qualidade de acionista(detémasaçõese passaa sercoproprietáriodaempresa).Orendimentodasações depende daevoluçãodasituaçãodaempresa,ouseja,apresentaumelevadograude riscopelofactode seremtítuloscom rendimentovariável(podeoferecerumaaltarentabilidade oudarprejuízo). Obrigações- títulosrepresentativosde partesdadívidade uma empresa(correspondemaumempréstimo dos aforradores).Assim,opossuidorde obrigações(obrigacionista),é reembolsadopelacedênciadoseu capital numprazo fixadopormeiode um contrato,recebendoemtrocaum rendimentoperiódicoem funçãodo númerode obrigaçõessubscritas.
  7. 7. O mercadode títulos é compostopelo mercadoprimário e pelomercadosecundário.  Mercado primário- mercadoonde os novosativossãoemitidos,gerandoassimentradasde capital nas empresasque procuramfinanciar-se(iniciamasuacirculaçãoemboranão tenhamsido admitidosacotação embolsa).  Mercado secundário- mercadoonde sãotransacionadosostítulosemitidosnomercadoprimário que já reúnemascondiçõesde admissãoacotação em bolsa. Bolsa de valores- local de encontroentre a ofertae a procura dosvaloresmobiliárioscotados. Bolsa de valoresmobiliários- local de encontrodosproprietáriosde títulosjáemitidose emcirculaçãocom os investidoresque desejamadquiriressestítulos. Cotação- preçoassumidopelosativosemcadamomento.Reflete osinteressesdaofertae da procura de cada título. Sociedadesfinanceirasde corretagem- agentes(corretoresque estãoorganizadossobaformade sociedades) que possuemautorizaçãoparaefetuartransaçõesembolsaemnome dosseusclientesouem nome próprio. Investimento em Portugal e o investimento português no estrangeiro O investimentoque é realizadoemcadapaís pode terorigeminternaouexterna.  Investimentointerno- aplicaçãodaspoupançasdasfamílias,dasempresasoudo Estadodesse país.  Investimentoexterno- aplicaçãode poupançasprovenientesdoestrangeiro. O investimentodesempenhaumpapel fundamentalnaeconomiapois constitui ummotorde arranque para o seucrescimento:geraempregoe aumentaaprodução. Investimentodireto- determinadocapital é injetadode formadiretanumaeconomia(ex.quandoum estrangeirodecideabrirumaempresaemterritórioportuguêse vice-versa) Investimentodiretoestrangeiro(IDE)- investimentorealizadoemPortugal poragentesestrangeiros diretamente numaeconomialocal,que proporcionagrandesvantagenstantoparaqueminveste comopara quemrecebe.Permitedesenvolverregiões,revitalizando-as,melhorandoassuasinfraestruturase criando emprego. Portugal temvindoa perdera capacidade de atração de IDE devido àmudançada economiaportuguesa desde aadesãoà UE, nomeadamente àmãode obra, deixoude sertãobarata como era noutrostempos (fatoratrativo).
  8. 8. Os principaisentraves à captação de IDE emPortugal:  Baixasqualificaçõesdosrecursoshumanos  Excessode burocracia  Justiçamorosa  Elevadacarga fiscal Portugal deve apostar:  Formação dosrecursoshumanos(naeducação)  Desburocratizaçãodosprogressosadministrativos  Construçãode infraestruturascomoviasde comunicaçãoque aproximamasregiõesmaisafastadas dos grandescentrosurbanos  Equilíbriodasfinançaspúblicas  Fiscalidade moderada  Principaispaísesque investememPortugal sãoeuropeus: Alemanha,PaísesBaixos,ReinoUnido,França, Espanha.  Principaissetoresde atividadeaque se destinaoinvestimento:indústriatransformadora,ocomércio por grossoe a retalhoe as atividadesfinanceiras. Investimentodiretode Portugal no exterior(IDPE)- investimentodosagentesportuguesesnaseconomias locaisde outrospaíses.Assim,asempresasportuguesasapostamnainternacionalizaçãocomoformade expandiremosseusnegócios.  PrincipaisdestinosdoIDPE: Luxemburgo,Espanha,PaísesBaixos.PodemosaindaapontaroBrasil, Angolae E.U.A. comopaíses forada União Europeiaque recebemIDPE.  PrincipaisramosnosquaisPortugal investe: setoresde atividadefinanceirae seguros.

×