SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 29
Baixar para ler offline
I Guerra Mundial Carlos Jorge Canto Vieira
I Guerra Mundial O Continente Europeu em 1914 2
I Guerra Mundial Tipos de Regime  Democracias Regimes Autoritários Inglaterra; França; Suíça; Portugal; Suécia; Dinamarca; Holanda; Bélgica. Império Alemão; Império Austro-Hungaro; Império Russo; Império Otomano; Itália; Bulgária; Roménia. 3
I Guerra Mundial A Paz Ameaçada Rivalidades internacionais; Nacionalismo; Concorrência Económica; Rompimento do Equilíbrio Internacional. 4
I Guerra Mundial A Paz Ameaçada Rivalidades internacionais; Criadas com o desenvolvimento do Imperialismo colonial nomeadamente por causa da partilha colonial de África. 5
I Guerra Mundial A Paz Ameaçada Nacionalismo: Pangermanismo -> supremacia da raça germânica e expansão para novos território; Paneslavismo -> necessidade de se tornarem independentes dos seus opressores (nomeadamente nos balcãs); Revanchismo francês -> A França queria a recuperação da Alsácia-Lorena. 6
I Guerra Mundial A Paz Ameaçada Concorrência Económica; Entre as potências industriais (Inglaterra e Alemanha); Necessidade de novos mercados de abastecimento e de expansão; 7
I Guerra Mundial A Paz Ameaçada Rompimento do Equilíbrio internacional. Tríplice Aliança (1882) Império Alemão; Império Austro-Hungaro; Itália. Tríplice Entente (1904) Inglaterra; França; Império Russo. 8
I Guerra Mundial Focos de instabilidade na Europa 9 1 – Alsácia Lorena 2 – Triste e Fiume 3 – Balcãs 4 - Polónia 4 1 2 3
I Guerra Mundial O Início do Conflito 28 de Junho de 1914 GraviloPrincip, nacionalista Sérvio, assassina o Arquiduque Francisco Fernando, herdeiro do trono Austro-hungaro em Sarajevo. A Áustria-Hungria faz um ultimato à Sérvia e acaba por invadir este território Tinha começado a Guerra. 10
I Guerra Mundial Fases da Guerra Fase de Movimentos -> 1914 Fase das Trincheiras  -> 1914-1917 Fase de Movimentos -> 1918  11
I Guerra Mundial Fase de Movimentos – 1914	 Com base no Plano Schlieffen os alemães ocupam quase toda a Bélgica e também o norte da França.  Porém não conseguem tomar Paris nem dominar a costa francesa no Canal da Mancha. São parados na Batalha de Marne 12
I Guerra Mundial Fase das Trincheiras – 1914-1917 As linhas de combate estabilizam-se e ambos os exércitos procuraram protecção num complexo sistema de trincheiras; Protegidas por intrincadas redes de arame farpado e por ninhos de metralhadora, eram posições muito difíceis de conquistar As condições de vida são más: ratos, parasitas, lama, pó, frio, calor, doenças 13
I Guerra Mundial Fase das Trincheiras – 1914-1917 (cont.) Neste período deram-se grandes batalhas: Batalha de Verdun (1916) Batalha do Somme (1916) 14
I Guerra Mundial Esquema das trincheiras 15
16 Soldadosalemãesnumatrincheira fonte: www.wereldoorlog1418.nl/ Trincheirainglesa fonte: www.wereldoorlog1418.nl/  
17 Soldadosalemãesdepois de umacaçadaaosratos -> Umanoite de caçada Fonte: pro.corbis.com/
I Guerra Mundial Frentes da Guerra 18 1 – Frente Ocidental:    Do mar do Norte à Suíça;   Da Suíça ao mar Adriático. 2 – Frente Oriental:    Do mar Báltico ao mar negro . 3 -  Frente Balcânica:    Do norte da Grécia à Turquia; 2 1 3
I Guerra Mundial Fase de Movimentos – 1918 Em 1917, a Rússia da sai da Guerra e assina com o Império Alemão o tratado de Brest-Litovsk onde reconhece a derrota, Em 1917, os EUA entram na Guerra e no ano seguinte tudo se modifica. Mais homens Mais armamento Mais capacidade industrial Mais capacidade económica 19
I Guerra Mundial Fase de Movimentos – 1918 (cont…) Os alemães perante o reforço das posições aliadas são obrigados a retirar-se. Acabam por pedir a rendição e assinar o Armistício.  20 Festa em Paris no fim da Guerra Fonte: http://veja.abril.com.br/
I Guerra Mundial Introdução de novas armas Avião Tanque Submarino Granadas de mão Gás tóxico Artilharia Pesada Lança-Chamas 21
I Guerra Mundial Tratado de Versalhes – 1919 Para a Alemanha: Reconhecia ter sido a principal responsável pela guerra; Perdia territórios na Europa: Alsácia/Lorena para os franceses; Corredor de Danzig para a Polónia; Abandonava as suas colónias em favor dos aliados. 22
I Guerra Mundial Tratado de Versalhes – 1919 Para a Alemanha (cont…): Comprometia-se a pagar elevadas indemnizações; A zona do Reno era ocupada pelos franceses; Só podia possuir um pequeno exército; A sua marinha ficava limitada, e não podia possuir submarinos; Não podia ter aviação militar. 23
I Guerra Mundial Tratado de St. Germain – 1919 Para a Austria-Hungria (cont…): Deixava de existir como Império e passavam a existir 2 territórios independentes: A Áustria; A Hungria. Deixavam de ter acesso directo ao mar. Perdiam territórios para os novos estados europeus. 24
I Guerra Mundial Consequências do tratado de Versalhes Nova Ordem internacional: Os EUA como nova potência. Novo mapa político da Europa: Polónia; Finlândia; Estónia Letónia Lituânia 25 ,[object Object]
Roménia
Jugoslávia
URSS (1917)
Republica da Irlanda (1921),[object Object]

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

As opções totalitárias - IA
As opções totalitárias - IAAs opções totalitárias - IA
As opções totalitárias - IACarlos Vieira
 
Historia a-12-ano-resumo
Historia a-12-ano-resumoHistoria a-12-ano-resumo
Historia a-12-ano-resumoEscoladocs
 
7 01 as transformações das primeiras décadas do século xx blogue
7 01 as transformações das primeiras décadas do século xx blogue7 01 as transformações das primeiras décadas do século xx blogue
7 01 as transformações das primeiras décadas do século xx blogueVítor Santos
 
7 02 o_agudizar_anos 30
7 02 o_agudizar_anos 307 02 o_agudizar_anos 30
7 02 o_agudizar_anos 30Vítor Santos
 
Liberalismo em portugal
Liberalismo em portugalLiberalismo em portugal
Liberalismo em portugalcattonia
 
6 01 as transformacoes economicas na europa e no mundo
6 01 as transformacoes economicas na europa e no mundo6 01 as transformacoes economicas na europa e no mundo
6 01 as transformacoes economicas na europa e no mundoVítor Santos
 
A Sociedade Oitocentista
A Sociedade OitocentistaA Sociedade Oitocentista
A Sociedade Oitocentistaluisant
 
Consequências da 2ª Guerra Mundial
Consequências da 2ª Guerra MundialConsequências da 2ª Guerra Mundial
Consequências da 2ª Guerra MundialSusana Simões
 
Mutações nos Comportamentos e na Cultura
Mutações nos Comportamentos e na CulturaMutações nos Comportamentos e na Cultura
Mutações nos Comportamentos e na Culturagofontoura
 
Crise 1929
Crise 1929Crise 1929
Crise 1929Rui Neto
 
Portugal. naturalismo e vanguardas
Portugal. naturalismo e vanguardasPortugal. naturalismo e vanguardas
Portugal. naturalismo e vanguardashome
 
A Europa e o mundo no limiar do século xx
A Europa e o mundo no limiar do século xx A Europa e o mundo no limiar do século xx
A Europa e o mundo no limiar do século xx Teresa Maia
 
A questão colonial e o 25 de abril
A questão colonial e o 25 de abrilA questão colonial e o 25 de abril
A questão colonial e o 25 de abrilCarlos Vieira
 

Mais procurados (20)

As opções totalitárias - IA
As opções totalitárias - IAAs opções totalitárias - IA
As opções totalitárias - IA
 
Historia a-12-ano-resumo
Historia a-12-ano-resumoHistoria a-12-ano-resumo
Historia a-12-ano-resumo
 
7 01 as transformações das primeiras décadas do século xx blogue
7 01 as transformações das primeiras décadas do século xx blogue7 01 as transformações das primeiras décadas do século xx blogue
7 01 as transformações das primeiras décadas do século xx blogue
 
7 02 o_agudizar_anos 30
7 02 o_agudizar_anos 307 02 o_agudizar_anos 30
7 02 o_agudizar_anos 30
 
RevoluçãO Russa
RevoluçãO RussaRevoluçãO Russa
RevoluçãO Russa
 
Crise 1929
Crise 1929Crise 1929
Crise 1929
 
Guerra Fria
Guerra FriaGuerra Fria
Guerra Fria
 
1ª Republica
1ª Republica1ª Republica
1ª Republica
 
Liberalismo em portugal
Liberalismo em portugalLiberalismo em portugal
Liberalismo em portugal
 
6 01 as transformacoes economicas na europa e no mundo
6 01 as transformacoes economicas na europa e no mundo6 01 as transformacoes economicas na europa e no mundo
6 01 as transformacoes economicas na europa e no mundo
 
A Sociedade Oitocentista
A Sociedade OitocentistaA Sociedade Oitocentista
A Sociedade Oitocentista
 
Consequências da 2ª Guerra Mundial
Consequências da 2ª Guerra MundialConsequências da 2ª Guerra Mundial
Consequências da 2ª Guerra Mundial
 
Mutações nos Comportamentos e na Cultura
Mutações nos Comportamentos e na CulturaMutações nos Comportamentos e na Cultura
Mutações nos Comportamentos e na Cultura
 
Loucos Anos 20
Loucos Anos 20Loucos Anos 20
Loucos Anos 20
 
História A - módulo 3, 4 e 6
História A - módulo 3, 4 e 6História A - módulo 3, 4 e 6
História A - módulo 3, 4 e 6
 
Crise 1929
Crise 1929Crise 1929
Crise 1929
 
Portugal. naturalismo e vanguardas
Portugal. naturalismo e vanguardasPortugal. naturalismo e vanguardas
Portugal. naturalismo e vanguardas
 
II Guerra Mundial
II Guerra MundialII Guerra Mundial
II Guerra Mundial
 
A Europa e o mundo no limiar do século xx
A Europa e o mundo no limiar do século xx A Europa e o mundo no limiar do século xx
A Europa e o mundo no limiar do século xx
 
A questão colonial e o 25 de abril
A questão colonial e o 25 de abrilA questão colonial e o 25 de abril
A questão colonial e o 25 de abril
 

Destaque

Crise Do Capitalismo
Crise Do CapitalismoCrise Do Capitalismo
Crise Do CapitalismoCarlos Vieira
 
Rebelioes regenciais blog
Rebelioes regenciais blogRebelioes regenciais blog
Rebelioes regenciais blogIsabel Aguiar
 
Slide imigração e fim trafico negreiro
Slide imigração e fim trafico negreiro Slide imigração e fim trafico negreiro
Slide imigração e fim trafico negreiro Isabel Aguiar
 
SEGUNDO REINADO 1840-1889
SEGUNDO REINADO 1840-1889SEGUNDO REINADO 1840-1889
SEGUNDO REINADO 1840-1889Isabel Aguiar
 
Caracteristicas Do Fascismo
Caracteristicas Do FascismoCaracteristicas Do Fascismo
Caracteristicas Do FascismoCarlos Vieira
 
INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA
INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA
INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA Isabel Aguiar
 
ABOLIÇÃO E REPÚBLICA NO BRASIL
ABOLIÇÃO E REPÚBLICA NO BRASILABOLIÇÃO E REPÚBLICA NO BRASIL
ABOLIÇÃO E REPÚBLICA NO BRASILIsabel Aguiar
 
A SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIAL
A SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIALA SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIAL
A SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIALIsabel Aguiar
 
O REINADO DE D. PEDRO I
O REINADO DE D. PEDRO IO REINADO DE D. PEDRO I
O REINADO DE D. PEDRO IIsabel Aguiar
 
A EUROPA NO SÉCULO XIX
A EUROPA NO SÉCULO XIXA EUROPA NO SÉCULO XIX
A EUROPA NO SÉCULO XIXIsabel Aguiar
 
QUESTÕES DE HISTÓRIA - BRASIL IMPÉRIO
QUESTÕES DE HISTÓRIA - BRASIL IMPÉRIOQUESTÕES DE HISTÓRIA - BRASIL IMPÉRIO
QUESTÕES DE HISTÓRIA - BRASIL IMPÉRIOIsabel Aguiar
 
GUERRA DO PARAGUAI 1864-1870
GUERRA DO PARAGUAI 1864-1870GUERRA DO PARAGUAI 1864-1870
GUERRA DO PARAGUAI 1864-1870Isabel Aguiar
 
Reconquista Cristã
Reconquista CristãReconquista Cristã
Reconquista Cristãcattonia
 
Revolução soviética
Revolução soviéticaRevolução soviética
Revolução soviéticaCarlos Vieira
 
1ª guerra mundial (1914 1918)
1ª guerra mundial (1914 1918)1ª guerra mundial (1914 1918)
1ª guerra mundial (1914 1918)Valéria Shoujofan
 

Destaque (20)

Loucos anos 20
Loucos anos 20Loucos anos 20
Loucos anos 20
 
A 2ª Guerra Mundial
A 2ª Guerra MundialA 2ª Guerra Mundial
A 2ª Guerra Mundial
 
Crise Do Capitalismo
Crise Do CapitalismoCrise Do Capitalismo
Crise Do Capitalismo
 
Rebelioes regenciais blog
Rebelioes regenciais blogRebelioes regenciais blog
Rebelioes regenciais blog
 
Slide imigração e fim trafico negreiro
Slide imigração e fim trafico negreiro Slide imigração e fim trafico negreiro
Slide imigração e fim trafico negreiro
 
SEGUNDO REINADO 1840-1889
SEGUNDO REINADO 1840-1889SEGUNDO REINADO 1840-1889
SEGUNDO REINADO 1840-1889
 
Caracteristicas Do Fascismo
Caracteristicas Do FascismoCaracteristicas Do Fascismo
Caracteristicas Do Fascismo
 
INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA
INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA
INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA
 
ABOLIÇÃO E REPÚBLICA NO BRASIL
ABOLIÇÃO E REPÚBLICA NO BRASILABOLIÇÃO E REPÚBLICA NO BRASIL
ABOLIÇÃO E REPÚBLICA NO BRASIL
 
A SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIAL
A SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIALA SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIAL
A SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIAL
 
O REINADO DE D. PEDRO I
O REINADO DE D. PEDRO IO REINADO DE D. PEDRO I
O REINADO DE D. PEDRO I
 
A EUROPA NO SÉCULO XIX
A EUROPA NO SÉCULO XIXA EUROPA NO SÉCULO XIX
A EUROPA NO SÉCULO XIX
 
QUESTÕES DE HISTÓRIA - BRASIL IMPÉRIO
QUESTÕES DE HISTÓRIA - BRASIL IMPÉRIOQUESTÕES DE HISTÓRIA - BRASIL IMPÉRIO
QUESTÕES DE HISTÓRIA - BRASIL IMPÉRIO
 
AFRICANOS NO BRASIL
AFRICANOS NO BRASILAFRICANOS NO BRASIL
AFRICANOS NO BRASIL
 
GUERRA DO PARAGUAI 1864-1870
GUERRA DO PARAGUAI 1864-1870GUERRA DO PARAGUAI 1864-1870
GUERRA DO PARAGUAI 1864-1870
 
Reconquista Cristã
Reconquista CristãReconquista Cristã
Reconquista Cristã
 
Absolutismo
AbsolutismoAbsolutismo
Absolutismo
 
Revolução soviética
Revolução soviéticaRevolução soviética
Revolução soviética
 
Arte Século XX
Arte Século XXArte Século XX
Arte Século XX
 
1ª guerra mundial (1914 1918)
1ª guerra mundial (1914 1918)1ª guerra mundial (1914 1918)
1ª guerra mundial (1914 1918)
 

Semelhante a I Guerra Mundial

A primeira guerra mundial
A primeira guerra mundialA primeira guerra mundial
A primeira guerra mundialhistoriando
 
História 9º ano - A Europa e o Mundo no limiar do século XX
História 9º ano - A Europa e o Mundo no limiar do século XXHistória 9º ano - A Europa e o Mundo no limiar do século XX
História 9º ano - A Europa e o Mundo no limiar do século XXLeandro Leitão
 
Primeira Guerra Mundial motivos e fases.
Primeira Guerra Mundial motivos e fases.Primeira Guerra Mundial motivos e fases.
Primeira Guerra Mundial motivos e fases.RuiMeireles15
 
Primeira Guerra.ppt.....................
Primeira Guerra.ppt.....................Primeira Guerra.ppt.....................
Primeira Guerra.ppt.....................RuiMeireles15
 
I Guerra Mundial_9.º ano_Timor no mundo e a realidade em TL
I Guerra Mundial_9.º ano_Timor no mundo e a realidade em TLI Guerra Mundial_9.º ano_Timor no mundo e a realidade em TL
I Guerra Mundial_9.º ano_Timor no mundo e a realidade em TLRuiMeireles15
 
Primeira guerra mundial prof ka (ppt)
Primeira guerra mundial prof ka (ppt)Primeira guerra mundial prof ka (ppt)
Primeira guerra mundial prof ka (ppt)Karina de Figueiredo
 
A primeira guerra mundial
A primeira guerra mundialA primeira guerra mundial
A primeira guerra mundialhistoriando
 
Primeira guerra mundial
Primeira guerra mundialPrimeira guerra mundial
Primeira guerra mundialpatriciacaralo
 
A primeira guerra mundial
A primeira guerra mundialA primeira guerra mundial
A primeira guerra mundialFatima Freitas
 
Primeira Guerra Mundial
Primeira Guerra MundialPrimeira Guerra Mundial
Primeira Guerra MundialCarla Freitas
 
Caderno Diário A Primeira Guerra Mundial e as transformações do pós-guerra n...
Caderno Diário A Primeira Guerra Mundial e as transformações do pós-guerra n...Caderno Diário A Primeira Guerra Mundial e as transformações do pós-guerra n...
Caderno Diário A Primeira Guerra Mundial e as transformações do pós-guerra n...Laboratório de História
 
Primeira Guerra Mundial (com exercícios)
Primeira Guerra Mundial   (com exercícios)Primeira Guerra Mundial   (com exercícios)
Primeira Guerra Mundial (com exercícios)João Gonçalves Macedo
 
Primeira grande guerra mundial professora Maida Marciano
Primeira grande guerra mundial professora Maida MarcianoPrimeira grande guerra mundial professora Maida Marciano
Primeira grande guerra mundial professora Maida MarcianoMaida Marciano
 
Material escrito aulão sao mateus os especialistas
Material escrito aulão sao mateus os especialistasMaterial escrito aulão sao mateus os especialistas
Material escrito aulão sao mateus os especialistasLucilo Campos
 

Semelhante a I Guerra Mundial (20)

Primeira guerra
Primeira guerraPrimeira guerra
Primeira guerra
 
A primeira guerra mundial
A primeira guerra mundialA primeira guerra mundial
A primeira guerra mundial
 
História 9º ano - A Europa e o Mundo no limiar do século XX
História 9º ano - A Europa e o Mundo no limiar do século XXHistória 9º ano - A Europa e o Mundo no limiar do século XX
História 9º ano - A Europa e o Mundo no limiar do século XX
 
Primeira Guerra Mundial motivos e fases.
Primeira Guerra Mundial motivos e fases.Primeira Guerra Mundial motivos e fases.
Primeira Guerra Mundial motivos e fases.
 
Primeira Guerra.ppt.....................
Primeira Guerra.ppt.....................Primeira Guerra.ppt.....................
Primeira Guerra.ppt.....................
 
I Guerra Mundial_9.º ano_Timor no mundo e a realidade em TL
I Guerra Mundial_9.º ano_Timor no mundo e a realidade em TLI Guerra Mundial_9.º ano_Timor no mundo e a realidade em TL
I Guerra Mundial_9.º ano_Timor no mundo e a realidade em TL
 
Primeira guerra mundial prof ka (ppt)
Primeira guerra mundial prof ka (ppt)Primeira guerra mundial prof ka (ppt)
Primeira guerra mundial prof ka (ppt)
 
A primeira guerra mundial
A primeira guerra mundialA primeira guerra mundial
A primeira guerra mundial
 
A primeira guerra mundial
A primeira guerra mundialA primeira guerra mundial
A primeira guerra mundial
 
Primeira guerra mundial
Primeira guerra mundialPrimeira guerra mundial
Primeira guerra mundial
 
A primeira guerra mundial
A primeira guerra mundialA primeira guerra mundial
A primeira guerra mundial
 
Primeira Guerra Mundial
Primeira Guerra MundialPrimeira Guerra Mundial
Primeira Guerra Mundial
 
Caderno Diário A Primeira Guerra Mundial e as transformações do pós-guerra n...
Caderno Diário A Primeira Guerra Mundial e as transformações do pós-guerra n...Caderno Diário A Primeira Guerra Mundial e as transformações do pós-guerra n...
Caderno Diário A Primeira Guerra Mundial e as transformações do pós-guerra n...
 
Primeira Guerra Mundial (com exercícios)
Primeira Guerra Mundial   (com exercícios)Primeira Guerra Mundial   (com exercícios)
Primeira Guerra Mundial (com exercícios)
 
Primeira grande guerra mundial professora Maida Marciano
Primeira grande guerra mundial professora Maida MarcianoPrimeira grande guerra mundial professora Maida Marciano
Primeira grande guerra mundial professora Maida Marciano
 
A primeira guerra mundial
A primeira guerra mundialA primeira guerra mundial
A primeira guerra mundial
 
2º ano - Primeira Guerra Mundial
2º ano - Primeira Guerra Mundial2º ano - Primeira Guerra Mundial
2º ano - Primeira Guerra Mundial
 
Material escrito aulão sao mateus os especialistas
Material escrito aulão sao mateus os especialistasMaterial escrito aulão sao mateus os especialistas
Material escrito aulão sao mateus os especialistas
 
I gm
I gm I gm
I gm
 
1ªguerra mundial
1ªguerra mundial1ªguerra mundial
1ªguerra mundial
 

Mais de Carlos Vieira

Cultura do Salão – Lisboa pombalina
Cultura do Salão – Lisboa pombalinaCultura do Salão – Lisboa pombalina
Cultura do Salão – Lisboa pombalinaCarlos Vieira
 
Cultura do Salão – Introdução ao Neoclassico
Cultura do Salão – Introdução ao NeoclassicoCultura do Salão – Introdução ao Neoclassico
Cultura do Salão – Introdução ao NeoclassicoCarlos Vieira
 
Cultura do Salão – Pintura do rococó
Cultura do Salão – Pintura do rococóCultura do Salão – Pintura do rococó
Cultura do Salão – Pintura do rococóCarlos Vieira
 
Cultura do Salão – Rococo internacional
Cultura do Salão – Rococo internacionalCultura do Salão – Rococo internacional
Cultura do Salão – Rococo internacionalCarlos Vieira
 
Cultura do Salão – Escultura do rococo
Cultura do Salão – Escultura do rococoCultura do Salão – Escultura do rococo
Cultura do Salão – Escultura do rococoCarlos Vieira
 
Cultura do Salão - Origens do rococo
Cultura do Salão - Origens do rococoCultura do Salão - Origens do rococo
Cultura do Salão - Origens do rococoCarlos Vieira
 
Cultura do Palco - Barroco em Portugal
Cultura do Palco - Barroco em Portugal Cultura do Palco - Barroco em Portugal
Cultura do Palco - Barroco em Portugal Carlos Vieira
 
Cultura do Palco - Pintura barroca internacional
Cultura do Palco - Pintura barroca internacional Cultura do Palco - Pintura barroca internacional
Cultura do Palco - Pintura barroca internacional Carlos Vieira
 
Cultura do Palco - Pintura Barroca
Cultura do Palco - Pintura BarrocaCultura do Palco - Pintura Barroca
Cultura do Palco - Pintura BarrocaCarlos Vieira
 
Cultura do Palco - Escultura Barroca
Cultura do Palco - Escultura BarrocaCultura do Palco - Escultura Barroca
Cultura do Palco - Escultura BarrocaCarlos Vieira
 
Cultura do Palco - Arquitectura Barroca
Cultura do Palco - Arquitectura BarrocaCultura do Palco - Arquitectura Barroca
Cultura do Palco - Arquitectura BarrocaCarlos Vieira
 
Cultura do Barroco - Palácio de Versalhes
Cultura do Barroco - Palácio de VersalhesCultura do Barroco - Palácio de Versalhes
Cultura do Barroco - Palácio de VersalhesCarlos Vieira
 
Cultura do Palácio - Renascimento e Maneirismo em Portugal
Cultura do Palácio - Renascimento e Maneirismo em PortugalCultura do Palácio - Renascimento e Maneirismo em Portugal
Cultura do Palácio - Renascimento e Maneirismo em PortugalCarlos Vieira
 

Mais de Carlos Vieira (20)

Cubismo
CubismoCubismo
Cubismo
 
Abstracionismo
AbstracionismoAbstracionismo
Abstracionismo
 
O Patriota
O PatriotaO Patriota
O Patriota
 
As sufragistas
As sufragistasAs sufragistas
As sufragistas
 
Madame bovary
Madame bovaryMadame bovary
Madame bovary
 
Cavalo de guerra
Cavalo de guerraCavalo de guerra
Cavalo de guerra
 
Danton
DantonDanton
Danton
 
Cultura do Salão – Lisboa pombalina
Cultura do Salão – Lisboa pombalinaCultura do Salão – Lisboa pombalina
Cultura do Salão – Lisboa pombalina
 
Cultura do Salão – Introdução ao Neoclassico
Cultura do Salão – Introdução ao NeoclassicoCultura do Salão – Introdução ao Neoclassico
Cultura do Salão – Introdução ao Neoclassico
 
Cultura do Salão – Pintura do rococó
Cultura do Salão – Pintura do rococóCultura do Salão – Pintura do rococó
Cultura do Salão – Pintura do rococó
 
Cultura do Salão – Rococo internacional
Cultura do Salão – Rococo internacionalCultura do Salão – Rococo internacional
Cultura do Salão – Rococo internacional
 
Cultura do Salão – Escultura do rococo
Cultura do Salão – Escultura do rococoCultura do Salão – Escultura do rococo
Cultura do Salão – Escultura do rococo
 
Cultura do Salão - Origens do rococo
Cultura do Salão - Origens do rococoCultura do Salão - Origens do rococo
Cultura do Salão - Origens do rococo
 
Cultura do Palco - Barroco em Portugal
Cultura do Palco - Barroco em Portugal Cultura do Palco - Barroco em Portugal
Cultura do Palco - Barroco em Portugal
 
Cultura do Palco - Pintura barroca internacional
Cultura do Palco - Pintura barroca internacional Cultura do Palco - Pintura barroca internacional
Cultura do Palco - Pintura barroca internacional
 
Cultura do Palco - Pintura Barroca
Cultura do Palco - Pintura BarrocaCultura do Palco - Pintura Barroca
Cultura do Palco - Pintura Barroca
 
Cultura do Palco - Escultura Barroca
Cultura do Palco - Escultura BarrocaCultura do Palco - Escultura Barroca
Cultura do Palco - Escultura Barroca
 
Cultura do Palco - Arquitectura Barroca
Cultura do Palco - Arquitectura BarrocaCultura do Palco - Arquitectura Barroca
Cultura do Palco - Arquitectura Barroca
 
Cultura do Barroco - Palácio de Versalhes
Cultura do Barroco - Palácio de VersalhesCultura do Barroco - Palácio de Versalhes
Cultura do Barroco - Palácio de Versalhes
 
Cultura do Palácio - Renascimento e Maneirismo em Portugal
Cultura do Palácio - Renascimento e Maneirismo em PortugalCultura do Palácio - Renascimento e Maneirismo em Portugal
Cultura do Palácio - Renascimento e Maneirismo em Portugal
 

Último

Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullyingMary Alvarenga
 
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxSlides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoCelianeOliveira8
 
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.azulassessoria9
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptxProva de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptxJosAurelioGoesChaves
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLaseVasconcelos1
 
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAAVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAEdioFnaf
 
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Paula Meyer Piagentini
 
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil  2023.ppsxA área de ciências da religião no brasil  2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsxGilbraz Aragão
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxHenriqueLuciano2
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...LuizHenriquedeAlmeid6
 
Apreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaApreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaeliana862656
 
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxQUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxAntonioVieira539017
 
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxRevolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxHlioMachado1
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Paula Meyer Piagentini
 
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfQueleLiberato
 

Último (20)

Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
 
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxSlides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
 
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptxProva de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptx
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
 
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAAVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
 
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
 
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil  2023.ppsxA área de ciências da religião no brasil  2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
 
Apreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaApreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escrita
 
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxQUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
 
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxRevolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
 
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
 

I Guerra Mundial

  • 1. I Guerra Mundial Carlos Jorge Canto Vieira
  • 2. I Guerra Mundial O Continente Europeu em 1914 2
  • 3. I Guerra Mundial Tipos de Regime Democracias Regimes Autoritários Inglaterra; França; Suíça; Portugal; Suécia; Dinamarca; Holanda; Bélgica. Império Alemão; Império Austro-Hungaro; Império Russo; Império Otomano; Itália; Bulgária; Roménia. 3
  • 4. I Guerra Mundial A Paz Ameaçada Rivalidades internacionais; Nacionalismo; Concorrência Económica; Rompimento do Equilíbrio Internacional. 4
  • 5. I Guerra Mundial A Paz Ameaçada Rivalidades internacionais; Criadas com o desenvolvimento do Imperialismo colonial nomeadamente por causa da partilha colonial de África. 5
  • 6. I Guerra Mundial A Paz Ameaçada Nacionalismo: Pangermanismo -> supremacia da raça germânica e expansão para novos território; Paneslavismo -> necessidade de se tornarem independentes dos seus opressores (nomeadamente nos balcãs); Revanchismo francês -> A França queria a recuperação da Alsácia-Lorena. 6
  • 7. I Guerra Mundial A Paz Ameaçada Concorrência Económica; Entre as potências industriais (Inglaterra e Alemanha); Necessidade de novos mercados de abastecimento e de expansão; 7
  • 8. I Guerra Mundial A Paz Ameaçada Rompimento do Equilíbrio internacional. Tríplice Aliança (1882) Império Alemão; Império Austro-Hungaro; Itália. Tríplice Entente (1904) Inglaterra; França; Império Russo. 8
  • 9. I Guerra Mundial Focos de instabilidade na Europa 9 1 – Alsácia Lorena 2 – Triste e Fiume 3 – Balcãs 4 - Polónia 4 1 2 3
  • 10. I Guerra Mundial O Início do Conflito 28 de Junho de 1914 GraviloPrincip, nacionalista Sérvio, assassina o Arquiduque Francisco Fernando, herdeiro do trono Austro-hungaro em Sarajevo. A Áustria-Hungria faz um ultimato à Sérvia e acaba por invadir este território Tinha começado a Guerra. 10
  • 11. I Guerra Mundial Fases da Guerra Fase de Movimentos -> 1914 Fase das Trincheiras -> 1914-1917 Fase de Movimentos -> 1918 11
  • 12. I Guerra Mundial Fase de Movimentos – 1914 Com base no Plano Schlieffen os alemães ocupam quase toda a Bélgica e também o norte da França. Porém não conseguem tomar Paris nem dominar a costa francesa no Canal da Mancha. São parados na Batalha de Marne 12
  • 13. I Guerra Mundial Fase das Trincheiras – 1914-1917 As linhas de combate estabilizam-se e ambos os exércitos procuraram protecção num complexo sistema de trincheiras; Protegidas por intrincadas redes de arame farpado e por ninhos de metralhadora, eram posições muito difíceis de conquistar As condições de vida são más: ratos, parasitas, lama, pó, frio, calor, doenças 13
  • 14. I Guerra Mundial Fase das Trincheiras – 1914-1917 (cont.) Neste período deram-se grandes batalhas: Batalha de Verdun (1916) Batalha do Somme (1916) 14
  • 15. I Guerra Mundial Esquema das trincheiras 15
  • 16. 16 Soldadosalemãesnumatrincheira fonte: www.wereldoorlog1418.nl/ Trincheirainglesa fonte: www.wereldoorlog1418.nl/  
  • 17. 17 Soldadosalemãesdepois de umacaçadaaosratos -> Umanoite de caçada Fonte: pro.corbis.com/
  • 18. I Guerra Mundial Frentes da Guerra 18 1 – Frente Ocidental: Do mar do Norte à Suíça; Da Suíça ao mar Adriático. 2 – Frente Oriental: Do mar Báltico ao mar negro . 3 - Frente Balcânica: Do norte da Grécia à Turquia; 2 1 3
  • 19. I Guerra Mundial Fase de Movimentos – 1918 Em 1917, a Rússia da sai da Guerra e assina com o Império Alemão o tratado de Brest-Litovsk onde reconhece a derrota, Em 1917, os EUA entram na Guerra e no ano seguinte tudo se modifica. Mais homens Mais armamento Mais capacidade industrial Mais capacidade económica 19
  • 20. I Guerra Mundial Fase de Movimentos – 1918 (cont…) Os alemães perante o reforço das posições aliadas são obrigados a retirar-se. Acabam por pedir a rendição e assinar o Armistício. 20 Festa em Paris no fim da Guerra Fonte: http://veja.abril.com.br/
  • 21. I Guerra Mundial Introdução de novas armas Avião Tanque Submarino Granadas de mão Gás tóxico Artilharia Pesada Lança-Chamas 21
  • 22. I Guerra Mundial Tratado de Versalhes – 1919 Para a Alemanha: Reconhecia ter sido a principal responsável pela guerra; Perdia territórios na Europa: Alsácia/Lorena para os franceses; Corredor de Danzig para a Polónia; Abandonava as suas colónias em favor dos aliados. 22
  • 23. I Guerra Mundial Tratado de Versalhes – 1919 Para a Alemanha (cont…): Comprometia-se a pagar elevadas indemnizações; A zona do Reno era ocupada pelos franceses; Só podia possuir um pequeno exército; A sua marinha ficava limitada, e não podia possuir submarinos; Não podia ter aviação militar. 23
  • 24. I Guerra Mundial Tratado de St. Germain – 1919 Para a Austria-Hungria (cont…): Deixava de existir como Império e passavam a existir 2 territórios independentes: A Áustria; A Hungria. Deixavam de ter acesso directo ao mar. Perdiam territórios para os novos estados europeus. 24
  • 25.
  • 29.
  • 30. I Guerra Mundial O declínio da Europa Aspecto demográfico: 8 milhões de mortos; 6milhões de inválidos Perda de cerca de um décimo da população activa. Aspecto económico-financeiro: Decréscimo da produção industrial, em cerca de 40%; Decréscimo da produção agrícola, em cerca de 30%; Perda de mercados para os EUA e Japão; Balança de pagamentos negativa. Desvalorização das moedas europeias em relação ao dólar. 27
  • 31. I Guerra Mundial O declínio da Europa (cont…) Aspecto social: Empobrecimento das classes médias; Surgimento de uma nova classe social: o proletariado; Enriquecimento de industriais; O novo papel da mulher na sociedade; Existência de grande número de inválidos. 28
  • 32. I Guerra Mundial Sociedade das Nações Constituída: 32 países vencedores; 13 países neutrais. A Alemanha, a Turquia e a Rússia não faziam parte da SDN Objectivos: Preservar a paz e a independência dos estados membros; Proteger as minorias nacionais; Organizar o desarmamento geral, em especial da Alemanha; Promover a cooperação económica, financeira, social e cultural. 29