SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 119
História A - Módulo 7 (parte 1)
Crises, embates ideológicos e mutações culturais
na primeira metade do século XX
Unidade 1
As transformações das primeiras décadas do
século XX
http://divulgacaohistoria.wordpress.com/
2017_2018
Módulo 7, História A 2
Causas da 1ª Guerra Mundial:
Imperialismo;
Nacionalismos;
Rivalidades económicas;
Alianças militares (Triple Entente e Tripla Aliança).
Clima de “paz armada” levou ao conflito generalizado (1914-
1918);
A guerra termina com a derrota da Alemanha e do Império Austro-
Húngaro.
Módulo 7, História A 3
In FORTES, Alexandra; Freitas Gomes, Fátima e Fortes, José, Linhas da História 12, Areal Editores, 2015
Módulo 7, História A 4
1.1 Um novo equilíbrio global
A Primeira Guerra Mundial terminou em 11 de novembro de 1918;
A Conferência de Paz iniciou-se em janeiro de 1919;
São assinados vários acordos, entre eles o Tratado de Versalhes;
Surge uma nova geografia política e uma nova ordem internacional;
Módulo 7, História A 5
1.1.1 A geografia política após a Primeira Guerra Mundial. A
Sociedade das Nações
Os diversos tratados assinados
provocaram uma profunda
transformação do mapa político
da Europa e do Médio Oriente.
Surgiu um novo equilíbrio
mundial;
Módulo 7, História A 6
A Conferência de Paz iniciou-se em janeiro de 1919 na cidade de
Paris;
As condições prévias das negociações foram apresentadas pelo
presidente norte-americano, Woodrow Wilson, os chamados
“Catorze Pontos”;
Neste documento procurava-se desenvolver a ideia que o tratado de
paz deveria ser “liberal e não punitivo dos vencidos”;
Neste documento Wilson defendia a liberdade de navegação, o
desarmamento, regulação das disputas coloniais, a liberdade da
Rússia decidir o seu destino, regularização das fronteiras europeias e
a criação de uma associação de nações para fomentar a justiça e a
cooperação entre os países;
Módulo 7, História A 7
Não houve verdadeira negociação, os vencedores impuseram aos
vencidos as suas decisões;
A França e os EUA desentenderam-se sobre as medidas a tomar em
relação à Alemanha;
Foram assinado s vários tratados de paz:
Tratado de Versalhes (entre os Aliados e a Alemanha);
Tratado de St. Germain-en-Laye (Áustria), Tratado de Neuilly
(Bulgária), Tratado de Trianon (Hungria) e o Tratado de Sèvres
(Império Otomano);
Módulo 7, História A 8
1914
Módulo 7, História A 9
1925
Módulo 7, História A 10
1914
1925
Módulo 7, História A 11
O Império Russo desapareceu e foi substituído para URSS (União
das Repúblicas Socialistas Soviéticas;
O Império Alemão, que tinha perdido a guerra perdeu várias
regiões e territórios (Alsácia e Lorena, territórios para a Polónia,
Checoslováquia, Bélgica, Dinamarca;
O Império Austro-Húngaro morreu e em seu lugar nasceu a Áustria,
Hungria e Checoslováquia;
Módulo 7, História A 12
O Império Otomano foi amputado de alguns territórios e aí
nasceram novos estados, como a Síria e o Líbano (protetorado
francês);
Surge o Iraque, dominado pela Inglaterra, bem como o Egito e a
Palestina;
A Arábia Saudita torna-se um reino independente;
Módulo 7, História A 13
Muitos do novos países que surgiram no Leste e Sul da Europa
tinham regimes políticos baseados na representação parlamentar;
Multiplicam-se os estados-nação que surgiram do desmembramento
dos impérios (Finlândia, Estónia, Letónia, Lituánia, Polónia, Hungria)
e outros são formados por várias nacionalidades (Checoslováquia,
Jugoslávia);
Módulo 7, História A 14
O que é um estado-nação?
Um estado é uma entidade política e geopolítica;
Uma nação é uma unidade étnica e cultural;
Estado-nação implica em uma situação onde os dois são
coincidentes.
Wikipédia (adaptado)
Módulo 7, História A 15
Os estados vencidos (Áustria e Turquia) sofreram perdas territoriais
muito fortes;
A Alemanha perdeu 1/7 do seu território, a Prússia Oriental ficou
separada (corredor de Dantzig);
Ficou sem 1/10 da sua população;
Módulo 7, História A 16
Perdeu as suas colónias e marinha de guerra, as minas de carvão
do Sarre foram entregues, por um período de 15 anos, à França;
Foi condenada a pagar pesadas indeminizações aos vencedores;
Parte do seu território foi desmilitarizado;
O exército foi reduzido a 100 mil homens;
Módulo 7, História A 17
Os vencedores redesenharam o mapa político, e aumentaram os
seus territórios;
Os países vencidos viram os seus países a encolherem;
O tratado de Versalhes impôs condições extremamente duras à
Alemanha;
Os alemães consideraram o Tratado como um diktat (uma
imposição);
Os EUA não assinaram o Tratado de Versalhes;
Módulo 7, História A 18
A Sociedade das Nações e a nova ordem internacional
Módulo 7, História A 19
O Presidente norte-americano, Thomas Woodrow Wilson, propõe,
em 1919, a criação de uma liga de nações, a Sociedade das Nações
(SDN);
Os seus principais objetivos consistiam em promover a cooperação
e a paz entre as nações, subordinadas ao Direito Internacional;
Uma agressão a um dos membros obrigava os outros a intervirem;
Assegurar a independência e integridade territorial dos estados;
A sua sede estabeleceu-se na cidade suíça de Genebra;
A SDN constituiu uma razão de esperança para os povos;
Módulo 7, História A 20
No entanto logo de início surgiram vários problemas na constituição
da SDN;
Na SDN falta uma pedra?
EUA
Módulo 7, História A 21
A nova ordem internacional saída da Primeira Guerra Mundial
não favoreceu o êxito da SDN:
Os EUA não ratificaram o Tratado de Versalhes e não participaram
na SDN;
Os republicanos dominando o Congresso defendiam uma política
isolacionista;
Apoiando-se nas ideias económicas de Keynes, estavam contra a
reconstrução dos países vencedores à custa dos vencidos;
Módulo 7, História A 22
Os vencidos sentiam-se humilhados pelas condições impostas
pelos vencedores e obrigados a pagar pesadas indeminizações
aos vencedores;
Entre os vencedores surgiram novamente as rivalidades e lutas
pela hegemonia do Mundo;
Muitos países vencedores sentiam que não tinham recebido a
justa recompensa monetárias, o caso de Portugal, outros que
não tinham sido recompensados com territórios suficientes, o
caso da Itália;
Módulo 7, História A 23
Na redefinição de fronteiras muitas pretensões de minorias
nacionais não foram atendidas;
Surgiram novos países que não respeitaram as identidades éticas e
culturais de alguns povos;
Na Checoslováquia, na região dos Sudetas, ficaram cerca de 6
milhões de alemães;
A Jugoslávia agrupava vários povos submetidos à Sérvia;
Territórios ucranianos e bielorussos passaram para a Polónia;
A Áustria ficou proibida de se juntar à Alemanha;
Módulo 7, História A 24
A difícil recuperação económica da Europa e a dependência em
relação aos Estados Unidos
A Primeira Guerra Mundial teve consequências muito diferenciadas
sobre os diversos países.
Módulo 7, História A 25
Pela análise destes dados quais os países mais afetados e os mais
beneficiados?
Módulo 7, História A 26
A Europa estava destruída, precisava de reconstruir as suas
infraestruturas, resolver o problema do desemprego e da inflação
crescente;
A reconversão da economia europeia dependeu dos capitais
americanos e dos pagamentos (reparações de guerra) pagos pela
Alemanha aos vencedores;
Módulo 7, História A 27
Uma das consequências do conflito mundial foi o declínio dos
países europeus e a elevação dos Estados Unidos à categoria de
maior potência mundial;
Perdas europeias:
Demográficas: perdas humanas durante a guerra, diminuição da
mão de obra, envelhecimento da população, excedente da
população feminina;
Materiais: a Europa, sobretudo a Central em ruínas (cidades,
fábricas, quintas e vias de comunicação destruídas);
Módulo 7, História A 28
Perdas europeias:
Económicas:
Racionamento dos bens essenciais;
Inflação galopante (os estados emitiram moeda, provocando a sua
desvalorização);
Perda de poder de compra da classe média;
Módulo 7, História A 29
Os países europeus recorreram a empréstimos estrangeiros,
como não os podiam pagar recorriam a mais empréstimos,
desequilibrando a balança de pagamento dos estados, agrava-se o
défice dos países;
A partir de meados da década de 20 existe alguma recuperação
económica, dando origem aos “Loucos Anos Vinte”, que no
entanto seriam de curta duração;
Módulo 7, História A 30
A Europa transformou-se em compradora de bens e serviços dos
EUA;
As moedas europeias desvalorizam-se e é abandonado o padrão-
ouro (Gold Standard) e é substituído na Conferência de Génova
maio de 1922 o Gold Exchange Standard;
O padrão-ouro foi o sistema monetário cuja primeira fase vigorou
desde o século XIX até a Primeira Guerra Mundial. Os bancos eram
obrigados a converter as notas bancárias por eles emitidos
em ouro (ou prata), sempre que solicitado pelo cliente.
Cada país comprometia-se em fixar o valor da sua moeda em
relação a uma quantidade específica de ouro;
Wikipédia (adaptado)
Módulo 7, História A 31
A Europa tornou-se dependente dos EUA;
Os EUA transformam-se na primeira potência mundial;
Módulo 7, História A 32
Em 1922, a Áustria declarou falência;
Em 1923, a inflação na Alemanha torna-se galopante;
Módulo 7, História A 33
A desvalorização da moeda obrigava a uma constante emissão de
novas notas, formavam-se filas à porta dos bancos para trocar as
notas antigas;
Módulo 7, História A 34
A ascensão dos EUA e a recuperação europeia
A economia americana passou a dominar as trocas comerciais a
nível mundial;
Durante a guerra os americanos forneceram à Europa todo o tipo de
produtos, o que causou a dependência da economia europeia dos
EUA;
Deste modo metade dos stocks de ouro mundiais concentraram-se
em território americano, Nova Iorque torna-se no principal centro
financeiro mundial;
Apesar de uma pequena crise entre 1920-21, a economia americana
apresentava-se pujante;
Módulo 7, História A 35
Desenvolvem-se os métodos de racionalização do trabalho
(taylorismo) nos EUA e Europa;
Cresce a concentração capitalista empresarial;
Em maio de 1922, na Conferência de Génova, o padrão-ouro é
substituído pelo Gold Exchange Standard – na falta de reservas de
ouro, uma moeda passaria a ser convertida noutra moeda
considerada forte e por isso convertível em ouro;
Em 1925, a libra voltava a ser convertível em ouro (o dólar nunca
tinha deixado de o ser);
Módulo 7, História A 36
COUTO, Célia Pinto, ROSAS,
Maria Antónia Monterroso,
O tempo da História 12,
Porto Editora, 2013
Módulo 7, História A 37
A recuperação económica europeia, a partir de 1924, foi
alicerçada no crédito concedido pelos EUA;
Os americanos concederam imensos créditos a países europeus;
Agrava-se a dependência económica da Europa em relação aos
EUA;
A partir de 1925, viveram-se anos de prosperidade (felizes anos
vinte);
Módulo 7, História A 38
Renasce uma grande confiança no capitalismo liberal e desenvolve-
se um clima de confiança;
Nasce, sobretudo nos EUA, o consumismo que levou a um grande
desenvolvimento comercial e industrial;
Em 1929 este clima otimista irá modificar-se completamente;
Módulo 7, História A 39
1.2 A implantação do marxismo-leninismo na Rússia. A construção
do modelo soviético
Em 1867 os EUA compraram o Alasca à Rússia.
Módulo 7, História A 40
No início de 1917, a Rússia era governada por um monarca absoluto,
o czar Nicolau II;
A situação económica e social era muito precária;
Economia atrasada: agricultura pobre e rudimentar, indústria pouco
desenvolvida;
Módulo 7, História A 41
Os camponeses (85% da população) reivindicavam terras que
estavam na posse da aristocracia;
O proletariado exigia melhores salários e condições de trabalho;
A burguesia e, mesmo, parte da aristocracia pretendiam a
modernização do país e uma maior abertura política;
Módulo 7, História A 42
Várias organizações políticas opunham-se ao absolutismo:
Socialistas-revolucionários;
Sociais-democratas (bolcheviques e mencheviques);
Constitucionais-democratas (defensores da democracia liberal);
Após a revolução de 1905 a frágil tentativa do czar de liberalizar o
regime falhou completamente;
Módulo 7, História A 43
A participação da Rússia na Primeira Guerra Mundial agravou as
dificuldades económicas do país;
A fome generaliza-se provocando manifestações e revoltas;
As derrotas nos campos de batalha fomentam a deserção e levam os
opositores do czar a acusá-lo de incompetência;
Módulo 7, História A 44
Da Revolução de fevereiro à Revolução de outubro
No início de 1917, a frágil situação económica da Rússia abria
caminho à difusão das ideias de contestação do regime czarista;
Constituem-se sovietes;
Soviete - é a designação atribuída aos conselhos de operários,
trabalhadores, camponeses que, a partir de 1905, foram
constituídos na Rússia.
Estavam organizados de forma hierárquica: de fábrica, de cidade, de
distrito de província, etc.;
Módulo 7, História A 45
Entre 22 e 28 de fevereiro de 1917, Petrogrado (Sampetersburgo) é
palco de grandes manifestações que se alastram a outras cidades
russas (Revolução de Fevereiro);
Operários, uma grande parte da classe média, e até alguns
aristocratas apoiavam esta luta contra o absolutismo;
Os Sovietes instigam o derrube do Czar;
Nicolau II abdica no dia 2 de março;
A Rússia torna-se uma república;
Módulo 7, História A 46
É instituído um governo provisório, primeiro dirigido por Lvov, e
depois por Kerensky, que procura desenvolver uma democracia
parlamentar na Rússia;
Lvov e Kerensky eram mencheviques;
Módulo 7, História A 47
Programa do Governo Provisório:
Democratizar a Rússia;
Organizar eleições para uma Assembleia Constituinte;
Abolir os privilégios do clero e da nobreza;
Sufrágio universal;
Resolver os problemas económicos e sociais;
Módulo 7, História A 48
O Governo Provisório não consegue encontrar soluções para a
grave crise económica;
O Governo acaba por defender a continuação da participação de
Rússia na Primeira Guerra Mundial;
Estes dois fatores desagradam a uma maioria de russos que com a
liderança do Partido Social Democrático Operário Russo e dos
Sovietes contestam o Governo Provisório;
Módulo 7, História A 49
O Partido Operário Social-Democrata Russo estava dividido entre
mencheviques e bolcheviques;
Menchevique (minoria em russo, defendiam a democracia
parlamentar e uma via reformista da sociedade);
Bolchevique (maioria em russo, defendiam a revolução e as teses
marxistas, e a revolução como forma de conquistar o poder, irão
dar origem ao Partido Comunista);
Módulo 7, História A 50
Os sovietes continuam a crescer e a fomentar a agitação social
contra o governo provisório e a Duma (parlamento russo);
Em abril, Lenine, líder dos bolcheviques e exilado em Paris,
regressa à Rússia;
No seu regresso divulga um documento, “Teses de abril”, onde
defende a retirada imediata da Rússia da guerra, a tomada do
poder pelo proletariado, através dos sovietes que eram dominados
pelos bolcheviques;
Módulo 7, História A 51
O objetivo central dos bolcheviques era o derrube do Governo
Provisório e a instituição da ditadura do proletariado;
A Rússia agita-se e os sovietes constituem-se num poder paralelo;
A guerra é cada vez menos popular e os bolcheviques pretendem
abandoná-la, afirmam que é uma guerra capitalista, onde se
disputam os interesses capitalistas dos diversos países;
O caos económico continua e o governo provisório mostra-se
incapaz de resolver a situação;
Módulo 7, História A 52
Nos dias 24 e 25 de outubro desencadeia-se revolução bolchevique;
As milícias bolcheviques (Guardas Vermelhos), em Sampetersburgo,
controlam os pontos estratégicos da cidade e assaltam o Palácio de
Inverno e derrubam o Governo Provisório;
O II Congresso dos Sovietes entregou o poder ao Conselho de
Comissários do Povo, composto por bolcheviques;
Módulo 7, História A 53
Lenine foi nomeado presidente, Trotsky, ministro da guerra e
Estaline, ministro das nacionalidades;
Pela primeira vez os representantes do proletariado tomaram o
poder político num país;
Triunfavam as ideias de Karl Marx, de luta de classes e de processo
revolucionário como forma de alcançar o poder;
Módulo 7, História A 54
Lenine
Estaline
Trotsky
Módulo 7, História A 55
1.2.2 Da democracia dos sovietes ao centralismo democrático
O novo governo iniciou negociações com a Alemanha para a retirada
russa da guerra;
Foram publicados vários decretos;
Sobre a paz, exorta-se os povos à paz;
Módulo 7, História A 56
Sobre a terra, as grandes propriedades agrícolas foram entregues a
sovietes de camponeses;
Sobre o controlo operários, atribuía a gestão das fábricas aos
sovietes operários;
Sobre as nacionalidades, concedia a todos os povos do antigo
Império Russo o estatuto de igualdade e o direito à
autodeterminação;
Módulo 7, História A 57
Os sovietes tornaram-se na pedra angular do novo regime, e por isso
esta fase da revolução russa é denominada democracia dos
sovietes;
A democracia passou a ser entendida como um regime que deveria
representar os interesses do proletariado;
Lenine vai aplicar as ideias de Karl Marx adaptando-as à situação
concreta da Rússia (marxismo-leninismo);
A Rússia deixou de ser uma democracia liberal e transformou-se
numa república dos sovietes;
A democracia é explicada como a expressão dos interesses do
proletariado;
Módulo 7, História A 58
Em finais de 1917 são organizadas eleições para uma Assembleia
Constituinte, perante o fracasso eleitoral dos bolcheviques (25%),
Lenine dissolveu a Assembleia e o poder foi transferido para o
Congresso dos Sovietes (assembleia representante dos diversos
sovietes);
A Constituição de 1918 considerou o Congresso dos Sovietes o
órgão máximo de soberania, surgia a República Soviética;
Todos os partidos políticos foram proibidos, com a exceção do
Partido Comunista;
Módulo 7, História A 59
O marxismo-leninismo defendia a conquista do poder pelos
operários e camponeses através da instituição da ditadura do
proletariado;
Principais objetivos da ditadura do proletariado:
Abolir a propriedade privada e nacionalização dos meios de
produção;
Construir uma sociedade sem classes e sem exploração do Homem
pelo Homem;
Distribuição dos bens segundo as necessidades de cada um;
Módulo 7, História A 60
O objetivo fundamental do comunismo é o fim da economia
capitalista e a criação de uma economia onde a propriedade é
coletiva para construir uma sociedade sem classes;
Depois de conseguidas estas transformações económicas e sociais,
o Estado deixaria de existir e alcançaria o último estádio do
socialismo, o comunismo;
A teoria marxista-leninista defendia que a revolução do proletariado
deveria ser mundial, não conhecendo nem fronteiras nem nações;
Módulo 7, História A 61
O objetivo central dos bolcheviques era a construção de uma
sociedade comunista (uma sociedade sem classes, democrática e
onde o estado seria abolido, e o Homem alcançaria a liberdade e a
felicidade);
Mas para chegar a esse estádio final, teorizado por Karl Marx, no
século XIX, era necessário passar pela etapa da ditadura do
proletariado;
Ditadura do proletariado – fase de transição na construção de uma
sociedade comunista que se caracteriza pelo proletariado retirar à
burguesia todos os meios de produção e centralizá-los no Estado
que é considerado o legítimo representante do proletariado;
Módulo 7, História A 62
Em Brest-Litovsk, depois de demoradas negociações, é assinado,
em março de 1918, a paz com a Alemanha;
Neste tratado a Rússia perdeu a Polónia, Ucrânia, Finlândia, Estónia,
Lituánia e Letónia;
Lenine afirmou que tinha sido “uma paz desastrosa mas necessária”,
pois a Rússia perdeu ¼ da sua população e das suas terras
cultiváveis, ¾ das minas de ferro;
Módulo 7, História A 63
O governo bolchevique começa a sentir grandes dificuldades:
A resistência dos grandes proprietários e empresários;
O regresso de 7 milhões de soldados da frente de batalha, sem
emprego ;
A inflação continuava a subir;
Surgiam por todo o território fenómenos de banditismo;
Nas eleições para a Assembleia Constituinte só obtiveram 25% dos
votos;
Módulo 7, História A 64
Módulo 7, História A 65
Desencadeou-se uma guerra civil em março de 1918 e que se
prolongou até 1920 que causou a morte a 10 milhões de pessoas;
O Exército Branco (opositores aos bolchevistas) são apoiados pelos
Estados Unidos, Inglaterra, França e Japão);
O Exército Vermelho, organizado por Trotsky, demonstrou ser um
eficiente corpo de combate;
Módulo 7, História A 66
Os “brancos” demonstraram grandes dificuldades de união e as
populações foram, em grande parte hostis, pois receavam o
regresso dos grandes proprietários;
A guerra, foi extraordinariamente violenta e terminou com a vitória
do Exército Vermelho;
Módulo 7, História A 67
O comunismo de guerra (1918-1921)
Numa primeira fase da Revolução de Outubro viveu-se na
democracia dos sovietes;
No entanto cedo o governo bolchevique começou a passar por
sérias dificuldades:
a resistências dos proprietários,
a perda das eleições para a Assembleia Constituinte,
o tratado de paz com a Alemanha desastroso,
as dificuldades económicas
e, sobretudo, a guerra civil;
Estas dificuldades levaram à implantação de uma nova fase da
revolução que ficou conhecida como “comunismo de guerra”;
Módulo 7, História A 68
Na Rússia é instaurada a ditadura do proletariado, com algumas
especificidades diferentes da teorização de Marx;
A conceção marxista de proletariado era sinónima de operariado,
Lenine acrescentou-lhe os camponeses (a Rússia era um país
atrasado onde a maior parte dos habitantes era constituída por
camponeses);
Outra diferença tem que ver com o facto de a ditadura do
proletariado ter sido instaurada numa fase de guerra civil;
Módulo 7, História A 69
A fase do comunismo de guerra coloca um fim na democracia dos
sovietes;
As leis que tinham concedido a terra aos camponeses e a direção das
fábricas aos operários foram abolidos;
Toda a economia foi nacionalizada (controlada e dirigida pelo
Estado);
Módulo 7, História A 70
Os camponeses são obrigados a entregar as colheitas ao estado,
todas as fábricas com mais de 5 operários passaram a ser dirigidas
pelo Estado;
O Estado repartia os bens do seguinte modo: primeiro o Exército
Vermelho, depois os operários e camponeses e, no final, a burguesia;
Módulo 7, História A 71
Era necessário aumentar a produção para salvar a revolução;
O trabalho passou a ser obrigatório entre os 16 e os 50 anos;
Foi estimulado o culto do herói da produção;
O horário de trabalho foi aumentado, a indisciplina era
violentamente reprimida;
O salário era atribuído conforme o rendimento do trabalhador;
Módulo 7, História A 72
Em março de 1918, o partido bolchevique é renomeado e passou a
designar-se Partido Comunista;
A Tcheca (polícia política criada em dezembro de 1917) passou a
perseguir implacavelmente todos os suspeitos de estarem contra a
revolução;
A Tcheca tinha plenos poderes, as pessoas eram presas, eram
julgados sumariamente e depois enviados para campos de
concentração ou executados;
Módulo 7, História A 73
Bastava uma simples suspeita de um individuo ser
contrarrevolucionários para cair nas malhas da polícia;
Os membros socialistas-revolucionários e mencheviques foram
expulsos dos sovietes;
É a época do Terror Vermelho;
Em 1919 é criada a III Internacional Comunista (Komintern), onde
participavam os partidos comunistas de todo o mundo com o
objetivo de preparar a a revolução mundial;
Módulo 7, História A 74
O centralismo democrático
Para os marxistas-leninistas, o poder só é democrático quando
emana do proletariado, mesmo que seja apenas exercido por um
único partido. As outras forças partidárias, na Rússia, foram
excluídas por não representarem o povo;
Em 1922, a Rússia, transforma-se na União das Repúblicas
Socialistas Soviéticas (URSS), um Estado multinacional e federal,
onda as diversas repúblicas dispunham de uma Constituição e
alguma autonomia;
Na URSS, Lenine cria um novo conceito de democracia, o
centralismo democrático;
Módulo 7, História A 75
Todo o poder emanava dos sovietes de base, escolhidos por sufrágio
universal;
Havia sovietes locais e regionais, representavam as diversas
nacionalidades no Congresso dos Sovietes que reunia anualmente;
O Congresso dos Sovietes designava o Comité Executivo Central, um
tipo de parlamento, dividido em duas câmaras: o Conselho da União
e o Conselho das Nacionalidades;
Estes escolhiam o Presidium, órgão com poderes executivos e
legislativos e o Conselho de Comissários do Povo (conselho de
ministros);
Módulo 7, História A 76
Esta estrutura, teoricamente democrática, era controlada, pelos
órgãos do Estado, cujas ordens eram executadas sem questionar, e
pelo Partido Comunista, que se tornou numa hierarquia paralela ao
Estado, e que, na maior parte da vezes, dirigia o Estado;
Muitas vezes os órgãos do Partido e do estado confundiam-se, e as
pessoas eram as mesmas;
Na URSS, Estado e Partido Comunista identificavam-se e
confundiam-se;
Os sovietes transformaram-se em simples elementos de
transmissão das diretivas do Partido Comunista para a população;
Módulo 7, História A 77
Módulo 7, História A 78
Para Lenine esta estrutura era democrática, pois apesar de só
existir um partido este representava os interesses do proletariado;
Era a democracia dos pobres que implicava existirem restrições da
liberdade dos inimigos contrarrevolucionários;
Na URSS, não existia uma democracia tipo ocidental, pluripartidária
que era apelidada de “democracia burguesa”;
Módulo 7, História A 79
A Nova Política Económica (NEP) (1921-1927)
A guerra civil (1918-1920) devastou a Rússia;
A produção de cereais descera para metade da de 1913;
Obrigados a entregar a produção ao Estado muitos camponeses
escondiam parte da produção e não tinham qualquer motivação
para se esforçarem na produção;
Módulo 7, História A 80
O Inverno de 1920/21 foi extremamente rigoroso e foi seguido de
uma seca que originou 3 milhões de mortos de fome;
A produção industrial também diminuiu para níveis inferiores aos de
1913;
Os transportes estavam, em grande parte, paralisados;
Módulo 7, História A 81
Em fevereiro de 1921, Lenine, muda a sua estratégia económica;
O comunismo de guerra vai dar lugar à Nova Política Económica
(NEP);
O objetivo da NEP era recuperar economicamente o país e
aumentar os níveis de produção;
Há um recuo das nacionalizações, a iniciativa privada é aceite para
as empresas com menos de 20 operários, só ficam no Estado os
setores industriais considerados fundamentais;
Módulo 7, História A 82
O investimento estrangeiro é fomentado, são criadas empresas de
capitais mistos (privado e do estado);
Incentivou-se a vinda de técnicos estrangeiros, máquinas a
matérias-primas;
Módulo 7, História A 83
O trabalho obrigatório foi abolido, e foram atribuídos prémios de
produtividade;
Na agricultura as requisições foram substituídas por impostos em
géneros e a coletivização dos campos parou;
Os camponeses podiam vender parte da sua colheita;
Lenine criou uma economia mista, em parte socialista em parte
capitalista;
Os bancos, a grande e média indústria e os transportes
permaneceram no estado;
Módulo 7, História A 84
A NEP deu resultados e a produção industrial, comercial e agrícola
aumentou;
Surge uma nova pequena e média burguesia ligada aos negócios e à
indústria (nepman) e pequenos proprietários rurais (kulaks);
Em 1927 já tinham ultrapassado os níveis de produção anteriores à
Primeira Guerra Mundial;
Em 1924, faleceu Lenine;
Módulo 7, História A 85
1.3 A regressão do demoliberalismo (não é de aprofundamento)
1.3.1 O impacto do socialismo revolucionário; dificuldades
económicas e a radicalização dos movimentos sociais; emergência
dos autoritarismos.
No pós-guerra os países europeus atravessaram graves
dificuldades económicas;
Neste contexto desenvolvem-se as contestações, greves e
movimentos revolucionários;
A vitória do Partido Comunista na Rússia serviu de incentivo a
muitos movimentos na Europa;
Módulo 7, História A 86
A crise económica levou a que a burguesia industrial e financeira
visse os seus patrimónios desvalorizados, nalguns casos até
abriram falência;
Muitos camponeses ficaram arruinados;
As classes médias urbanas, dependentes de um salário, viram os
seus rendimentos diminuírem, alguns caíram na proletarização que
tanto temiam;
Módulo 7, História A 87
O operariado fabril e agrícola mergulhou na miséria e no
desemprego;
Agravam-se as tensões sociais e o descontentamento:
De um lado, o conservadorismo da burguesia,
Do outro os movimentos revolucionários proletários;
Módulo 7, História A 88
Os sindicatos reivindicavam melhorias salariais e denunciavam os
excessos do capitalismo;
Surgem novos partidos, muitos deles ligados às ideias socialistas;
Em março de 1919, em Moscovo, formou-se a III Internacional,
também chamada de Internacional Comunista ou Komintern;
Este organismo pretendia coordenar as atividades dos
movimentos proletários a nível mundial, lutava pelo triunfo das
ideias dos marxismo-leninismo;
Punha em prática uma ideia de Karl Marx: “Proletários de todos os
países uni-vos”;
Módulo 7, História A 89
Para a Rússia, que sofria o boicote dos países capitalistas, a
internacionalização da revolução comunista era muito importante;
Lenine e Trotsky estabeleceram as regras para a revolução se
desencadear na Europa, que deveria ser liderada pelos partidos
comunistas;
Nos anos vinte a Europa foi sacudida por uma vaga de movimentos
revolucionários;
Na Alemanha e na Hungria houve tentativa de tomada do poder;
A violência alastrou a muitos países europeus, com greves e
manifestações;
Módulo 7, História A 90
Estas ações revolucionárias provocaram o pânico nos setores mais
conservadores da Europa;
Surgem os movimentos fascistas como uma reação ao eclodir do
movimento operário;
A burguesia (alta, média e baixa) treme perante o avanço do
bolchevismo;
Muitos atribuem este caos à incapacidade da democracia liberal, os
partidos discutem no parlamento e não conseguem chegar a cordo;
Defendem soluções autoritárias para o governo de forma a garantir
a paz, a segurança e o desenvolvimento económico;
Módulo 7, História A 91
Surgem movimento autoritários de direita que se armam e
organizam milícias que espalham o terror entre os adeptos do
socialismo;
Estes movimento são fortemente nacionalistas e prometem
autoridade, a paz e o progresso social;
Procuram o apoio dos oficiais do exército;
Grande parte da burguesia é atraída por estes movimentos, pois
veem nestes a única forma de derrotar o comunismo;
Módulo 7, História A 92
Um dos primeiros movimentos a triunfar foi o de Mussolini, em
Itália, em 1922;
Este vai ser um regime fascista de referência para outros que se vão
instalar em diversos países europeus
Módulo 7, História A 93
O avanço dos movimentos de extrema-direita levou à instauração
de ditaduras em diversos países europeus:
Hungria (1920), Itália (1922), Turquia (1923), Espanha (1923),
Albânia (1925), Lituânia, Portugal e Polónia (1926), Jugoslávia
(1929);
No final dos anos vinte, na Alemanha, o partido nazi, liderado por
Hitler, ganhava cada vez mais adeptos;
Assiste-se, nos anos vinte, à regressão do demoliberalismo e ao
desenvolvimento de regimes autoritários.
Módulo 7, História A 94
1.4. Mutações nos comportamentos e na cultura
No século XX surgem grandes cidades com milhões de habitantes,
nos países mais industrializados a população urbana ultrapassou a
rural;
Esta massificação da urbanização vai contribuir decisivamente para
grandes transformações na cultura e vida da civilização oriental;
Módulo 7, História A 95
Nas grandes metrópoles os indivíduos tornam-se anónimos no
meio da multidão;
A cultura tende para a estandardização e massificação;
Nos tempos livres a população dirige-se para os cafés, cinemas,
estádios, salões de baile, etc.;
A proliferação da classe média levou ao desenvolvimento de uma
nova cultura do ócio, a cidade fomenta esta cultura fornecendo
alternativas diversificadas;
Módulo 7, História A 96
A sociedade urbana vive uma na ânsia do consumo e do
divertimento;
A convivência entre os sexos torna-se mais livre e ousada;
Módulo 7, História A 97
A Primeira Guerra Mundial contribuiu para uma mudança na
condição feminina;
O desenvolvimentos dos transportes públicos e do automóvel
tornam as deslocações mais fáceis;
O desporto entra nos hábitos do quotidiano;
A vida acelera;
Módulo 7, História A 98
O trabalho desumaniza-se;
A racionalização do trabalho tende a transformar o Homem num
escravo da atividade profissional e dos valores materiais que esta
pode proporcionar;
Módulo 7, História A 99
Nos Anos Vinte surge a cultura do lazer;
As populações urbanas procuram viver de forma frenética e
ruidosa;
Módulo 7, História A 100
Surge um novo conceito de família:
O casamento como um contrato é substituído pelo casamento por
amor;
A institucionalização do divórcio torna o casamento mais instável;
Divulgam-se as práticas anticoncecionais, o número de filhos por
casal diminui;
Módulo 7, História A 101
A crise dos valores tradicionais
Os habitantes das cidades perderam as suas raízes rurais;
Submetem-se a novos ritmos de trabalho;
O mundo urbano não favorece o enraizamento das populações, o
emprego é precário e os transportes favorecem as deslocações;
Desaparecem as solidariedades tradicionais do mundo rural;
A vida urbana é condicionada pelo individualismo e pelo
anonimato;
Módulo 7, História A 102
A Primeira Guerra Mundial terminou com a época de otimismo e
de crença no desenvolvimento científico interrupto e colocou em
causa os valores morais e culturais herdados do século XIX;
O conflito mundial tenha causado a morte a 10 milhões de pessoas
e ao desencadear de uma grave crise económica;
Surge um sentimento de pessimismo e de descrença no futuro;
Oswald Spengler publica o livro “A decadência do Ocidente” onde
prevê o fim inevitável da civilização ocidental;
Módulo 7, História A 103
A guerra levou muitos a pensarem que nunca mais voltaria a ser o
que era;
Surge uma profunda crise espiritual que coloca em causa os valores
tradicionais e que deixam de seguir um padrão rígido:
Da família e da indissolubilidade do casamento;
A moral sexual, o papel da mulher, os conceitos e práticas religiosas;
As condutas sociais;
Módulo 7, História A 104
Os Anos Vinte colocaram em causa os valores da sociedade do
século XIX:
Os aspetos materiais da vida sobrepõe-se à moral cristã;
Os valores humanistas são dilacerados pela violenta ascensão dos
movimentos fascistas e autoritários;
A democracia liberal é posta em causa pelos movimentos
comunistas e fascistas;
Desenvolve-se o espírito de anomia social;
Anomia social – ausência de normas aceites pelo grupo social. Os
valores que ditam a regra de conduta são relativos. É uma
característica das sociedades em mudança.
Módulo 7, História A 105
A evolução da condição feminina
As primeira reivindicações femininas surgiram em meados do século
XIX, consistiam na luta pelo direito à propriedade, à tutela dos filhos
em caso de viuvez, ao acesso à educação;
No inicio do século XX surgem as primeiras reivindicações
sufragistas;
Surgem movimentos que lutam pelo direito a votar das mulheres;
Destacou-se, em Inglaterra, o papel desempenhado por Emmeline
Pankhurst;
Lutam também pelo acesso a cargos públicos e a igualdade no
trabalho e na família;
Módulo 7, História A 106
O movimento sufragista inglês organizou várias formas de
protesto;
Em Portugal, em 1909, surgiu a Liga Republicana das Mulheres
Portuguesas e em 1911, a Associação de Propaganda Feminina;
Carolina Beatriz Ângelo, em 1911, e aproveitando uma omissão da
lei foi a primeira mulher a votar em Portugal;
A legislação foi imediatamente corrigida;
Módulo 7, História A 107
Apesar das reivindicações feministas, e apenas com algumas
exceções, até à primeira Guerra Mundial a mulheres
continuaram arredadas do sufrágio;
A guerra alterou esta situação, com os homens na frente de
batalha, muitas mulheres acederam a empregos;
Módulo 7, História A 108
As mulheres demonstraram que podiam substituir os homens
nas mais variadas profissões;
Por outro lado passaram a auferir um salário, o que lhe dá a
independência económica;
Módulo 7, História A 109
Nos anos a seguir à guerra, as mulheres vão ganhando o direito de
participação na vida política pelo menos em grande parte dos
países ocidentais;
Frequentam festas, vivem e viajam sozinhas, usam o cabelo curto
“à garçonne”;
A luta pela completa igualdade foi longa e difícil e ainda hoje não
está completa;
Módulo 7, História A 110
1.4.2 A descrença no pensamento positivista e as novas conceções
científicas
O século XIX foi dominado pelas ideias do positivismo. A ciência
seria capaz de desvelar toda a Natureza. O Universo era regido por
leis claras e racionais;
No século XX esta conceção, de estrita racionalidade, é posta em
causa, dão-se avanços em outras áreas do conhecimento;
A física quântica demonstra que o conhecimento é sempre parcial;
Módulo 7, História A 111
No início do século XX descobre-se que o átomo não é a mais
pequena partícula da matéria;
A teoria quântica, desenvolvida por físicos como Max Planck e Niels
Bohr, teve um enorme impacto ao afirmar que nunca é possível
determinar com exatidão o que está a ocorrer e o que acontecerá.
Transforma o conhecimento, não numa certeza, mas numa
probabilidade;
Módulo 7, História A 112
Werner Heisenberg (1901-1976), enuncia o princípio da incerteza
que evidencia a impossibilidade de conhecer o Universo na sua
totalidade;
Estas novas conceções científicas determinam que o positivismos
seja substituído pelo relativismo;
Relativismo – conjunto de teorias que apresentam a ideia comum
que não existe uma verdade absoluta (ciência, valores, cultura,
arte)
Albert Einstein publica em 1905 a “Teoria da Relatividade Restrita” e
em 1915, a Teoria da Relatividade Geral;
O decorrer do tempo deixa de ser imutável e varia conforme a
velocidade dos corpos;
O tempo é relativo;
Nos inícios do século XX a certeza objetiva e positivista é substituída
pelo princípio da incerteza e do relativismo do conhecimento;
Descobre-se que o conhecimento é subjetivo;
Módulo 7, História A 113
Módulo 7, História A 114
Módulo 7, História A 115
Sigmund Freud (1856- 1939) criou a Sociedade Psicanalítica de
Viena em 1908, conjuntamente com Carl Jung (1875-1961) e Alfred
Adler (1870-1937);
Jung desenvolveu a noção de inconsciente coletivo e Adler falou da
ideia de complexo de inferioridade;
Henri Bergson fala da intuição que é separada da inteligência;
Módulo 7, História A 116
Sigmund Freud vai contestar que a mente do Homem é
estritamente racional;
Freud chegou à conclusão que os comportamentos humanos
também são dirigidos por impulsos inconscientes, escondidos na
profundeza da mente. Os impulsos sexuais seriam os dominantes;
Segundo os seus estudos muitos dos comportamentos anormais
resultavam de complexos provocados pelo recalcamento, no
inconsciente, de recordações ou desejos que as pessoas não
teriam podido satisfazer, no passado, devido às limitações e
proibições de ordem moral;
Freud, criou a psicologia analítica ou psicanálise;
Módulo 7, História A 117
Segundo a psicanálise, o psiquismo humano estrutura-se em 3
níveis: o consciente, o subconsciente e o inconsciente;
O indivíduo, por causa da moral, tem tendência para bloquear os
desejos indecorosos ou culpabilizantes no inconsciente;
Estes desejos aparecem no inconsciente sobre a forma de neuroses;
A terapêutica freudiana passa pela análise dos pensamentos e dos
sonhos tornando-os conscientes, e, por isso, libertando o paciente
das suas neuroses;
A psicanálise teve uma grande influência, não só na psicologia e
psiquiatria, mas até na arte;
Módulo 7, História A 118
Nos princípios do século XX, todos estes novos conceitos científicos
levaram à mudança dos paradigmas científico e cultural. As
conceções sobre o Homem, o Universo e a Natureza mudaram
radicalmente;
Paradigma- O paradigma é um princípio, teoria ou conhecimento
originado da pesquisa num determinado campo científico.
Uma referência inicial que servirá de modelo para novas pesquisas.
Módulo 7, História A 119
Esta apresentação foi construída tendo por base a seguinte
bibliografia:
FORTES, Alexandra; Freitas Gomes, Fátima e Fortes, José, Linhas da
História 12, Areal Editores, 2015
COUTO, Célia Pinto, ROSAS, Maria Antónia Monterroso, O tempo da
História 12, Porto Editora, 2013
Antão, António, Preparação para o Exame Nacional 2014, História A,
Porto Editora 2015
Catarino, António Luís, Preparar o Exame Nacional de História A,
Areal Editores, 2015
2017/2018

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mutações nos Comportamentos e na Cultura
Mutações nos Comportamentos e na CulturaMutações nos Comportamentos e na Cultura
Mutações nos Comportamentos e na Cultura
gofontoura
 
Historia a-12-ano-resumo
Historia a-12-ano-resumoHistoria a-12-ano-resumo
Historia a-12-ano-resumo
Escoladocs
 
As transformações provocadas pela I Guerra Mundial
As transformações provocadas pela I Guerra MundialAs transformações provocadas pela I Guerra Mundial
As transformações provocadas pela I Guerra Mundial
Teresa Maia
 
I vaga de descolonização
I vaga de descolonizaçãoI vaga de descolonização
I vaga de descolonização
Carlos Vieira
 
A construção do modelo soviético
A construção do modelo soviéticoA construção do modelo soviético
A construção do modelo soviético
Carlos Vieira
 
A grande depressão e o seu impacto social resumo
A grande depressão e o seu impacto  social resumoA grande depressão e o seu impacto  social resumo
A grande depressão e o seu impacto social resumo
Escoladocs
 

Mais procurados (20)

6 03 evolucao democratica nacionalismo e imperialismo
6 03 evolucao democratica nacionalismo e imperialismo6 03 evolucao democratica nacionalismo e imperialismo
6 03 evolucao democratica nacionalismo e imperialismo
 
6 01 as transformacoes economicas na europa e no mundo
6 01 as transformacoes economicas na europa e no mundo6 01 as transformacoes economicas na europa e no mundo
6 01 as transformacoes economicas na europa e no mundo
 
6 02 a sociedade industrial e urbana
6 02 a sociedade industrial e urbana6 02 a sociedade industrial e urbana
6 02 a sociedade industrial e urbana
 
9 02 a viragem para uma nova era
9 02 a viragem para uma nova era9 02 a viragem para uma nova era
9 02 a viragem para uma nova era
 
Mutações nos Comportamentos e na Cultura
Mutações nos Comportamentos e na CulturaMutações nos Comportamentos e na Cultura
Mutações nos Comportamentos e na Cultura
 
9 01 fim da guerra fria
9 01 fim da guerra fria9 01 fim da guerra fria
9 01 fim da guerra fria
 
6 01 as transformações economicas na europa e no mundo_alunos
6 01 as transformações economicas na europa e no mundo_alunos6 01 as transformações economicas na europa e no mundo_alunos
6 01 as transformações economicas na europa e no mundo_alunos
 
Historia a-12-ano-resumo
Historia a-12-ano-resumoHistoria a-12-ano-resumo
Historia a-12-ano-resumo
 
Modulo 8 e 9 historia A 12ºano
Modulo 8 e 9 historia A 12ºanoModulo 8 e 9 historia A 12ºano
Modulo 8 e 9 historia A 12ºano
 
6 04 portugal uma sociedade capitalista dependente
6 04 portugal uma sociedade capitalista dependente6 04 portugal uma sociedade capitalista dependente
6 04 portugal uma sociedade capitalista dependente
 
As transformações provocadas pela I Guerra Mundial
As transformações provocadas pela I Guerra MundialAs transformações provocadas pela I Guerra Mundial
As transformações provocadas pela I Guerra Mundial
 
Teste modulo 7
Teste modulo 7Teste modulo 7
Teste modulo 7
 
Portugal. naturalismo e vanguardas
Portugal. naturalismo e vanguardasPortugal. naturalismo e vanguardas
Portugal. naturalismo e vanguardas
 
Frentes populares
Frentes popularesFrentes populares
Frentes populares
 
Mundo capitalista
Mundo capitalistaMundo capitalista
Mundo capitalista
 
I vaga de descolonização
I vaga de descolonizaçãoI vaga de descolonização
I vaga de descolonização
 
7 01 parte_2_as_transformações_das_primeiras_décadas_do_século_xx
7 01 parte_2_as_transformações_das_primeiras_décadas_do_século_xx7 01 parte_2_as_transformações_das_primeiras_décadas_do_século_xx
7 01 parte_2_as_transformações_das_primeiras_décadas_do_século_xx
 
A construção do modelo soviético
A construção do modelo soviéticoA construção do modelo soviético
A construção do modelo soviético
 
A grande depressão e o seu impacto social resumo
A grande depressão e o seu impacto  social resumoA grande depressão e o seu impacto  social resumo
A grande depressão e o seu impacto social resumo
 
Fim do modelo sovietico
Fim do modelo sovieticoFim do modelo sovietico
Fim do modelo sovietico
 

Destaque

A identidade civilizacional da europa ocidental
A identidade civilizacional da europa ocidentalA identidade civilizacional da europa ocidental
A identidade civilizacional da europa ocidental
Vítor Santos
 

Destaque (20)

00 01 preparação_exame_nacional_história_a_2018_módulo_1
00 01 preparação_exame_nacional_história_a_2018_módulo_100 01 preparação_exame_nacional_história_a_2018_módulo_1
00 01 preparação_exame_nacional_história_a_2018_módulo_1
 
9 03 portugal no novo quadro internacional
9 03 portugal no novo quadro internacional9 03 portugal no novo quadro internacional
9 03 portugal no novo quadro internacional
 
12 o após_guerra_fria_e_a_globlização
12 o após_guerra_fria_e_a_globlização12 o após_guerra_fria_e_a_globlização
12 o após_guerra_fria_e_a_globlização
 
05 a cultura do palácio 2
05 a cultura do palácio 205 a cultura do palácio 2
05 a cultura do palácio 2
 
05 a cultura do palácio 1
05 a cultura do palácio 105 a cultura do palácio 1
05 a cultura do palácio 1
 
04 história a_revisões_módulo_4
04 história a_revisões_módulo_404 história a_revisões_módulo_4
04 história a_revisões_módulo_4
 
00 1 preparação_exame_nacional_2017
00 1 preparação_exame_nacional_201700 1 preparação_exame_nacional_2017
00 1 preparação_exame_nacional_2017
 
Regeneração
RegeneraçãoRegeneração
Regeneração
 
O espaço português 1
O espaço português 1O espaço português 1
O espaço português 1
 
03 historia a_revisões_módulo_3
03 historia a_revisões_módulo_303 historia a_revisões_módulo_3
03 historia a_revisões_módulo_3
 
00 revisões módulos_3_4_6_história_a
00 revisões módulos_3_4_6_história_a00 revisões módulos_3_4_6_história_a
00 revisões módulos_3_4_6_história_a
 
02 história a_revisões_módulo_2
02 história a_revisões_módulo_202 história a_revisões_módulo_2
02 história a_revisões_módulo_2
 
00 3 preparação_exame_nacional_2017
00 3 preparação_exame_nacional_201700 3 preparação_exame_nacional_2017
00 3 preparação_exame_nacional_2017
 
00 2 preparação_exame_nacional_2017
00 2 preparação_exame_nacional_201700 2 preparação_exame_nacional_2017
00 2 preparação_exame_nacional_2017
 
05 as novas representações da humanidade
05 as novas representações da humanidade05 as novas representações da humanidade
05 as novas representações da humanidade
 
Valores, vivências e quotidiano
Valores, vivências e quotidianoValores, vivências e quotidiano
Valores, vivências e quotidiano
 
01 a geografia cultural europeia
01 a geografia cultural europeia01 a geografia cultural europeia
01 a geografia cultural europeia
 
A identidade civilizacional da europa ocidental
A identidade civilizacional da europa ocidentalA identidade civilizacional da europa ocidental
A identidade civilizacional da europa ocidental
 
Quadro religião comparadas
Quadro religião comparadasQuadro religião comparadas
Quadro religião comparadas
 
4 03 15_16triunfo dos estados e dinamicas economicas nos seculos xvii e xviii
4 03 15_16triunfo dos estados e dinamicas economicas nos seculos xvii e xviii4 03 15_16triunfo dos estados e dinamicas economicas nos seculos xvii e xviii
4 03 15_16triunfo dos estados e dinamicas economicas nos seculos xvii e xviii
 

Semelhante a 7 01 parte_1_as_transformações_das_primeiras_décadas_do_século_xx

Resumo global-exame-historia-a
Resumo global-exame-historia-aResumo global-exame-historia-a
Resumo global-exame-historia-a
SARA MARTINS
 
Historiando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olharesHistoriando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olhares
janahlira
 
Primeira Guerra Mundial motivos e fases.
Primeira Guerra Mundial motivos e fases.Primeira Guerra Mundial motivos e fases.
Primeira Guerra Mundial motivos e fases.
RuiMeireles15
 
I Guerra Mundial_9.º ano_Timor no mundo e a realidade em TL
I Guerra Mundial_9.º ano_Timor no mundo e a realidade em TLI Guerra Mundial_9.º ano_Timor no mundo e a realidade em TL
I Guerra Mundial_9.º ano_Timor no mundo e a realidade em TL
RuiMeireles15
 
Historiando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olharesHistoriando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olhares
janahlira
 

Semelhante a 7 01 parte_1_as_transformações_das_primeiras_décadas_do_século_xx (20)

2 Um novo equilíbrio global
2   Um novo equilíbrio global2   Um novo equilíbrio global
2 Um novo equilíbrio global
 
Século xx
Século xxSéculo xx
Século xx
 
resumo-global-exame-historia-a (1).pdf
resumo-global-exame-historia-a (1).pdfresumo-global-exame-historia-a (1).pdf
resumo-global-exame-historia-a (1).pdf
 
Resumo global-exame-historia-a
Resumo global-exame-historia-aResumo global-exame-historia-a
Resumo global-exame-historia-a
 
1 guerra mundial
1 guerra mundial1 guerra mundial
1 guerra mundial
 
Caderno Diário A Primeira Guerra Mundial e as transformações do pós-guerra n...
Caderno Diário A Primeira Guerra Mundial e as transformações do pós-guerra n...Caderno Diário A Primeira Guerra Mundial e as transformações do pós-guerra n...
Caderno Diário A Primeira Guerra Mundial e as transformações do pós-guerra n...
 
Primeira guerra mundial
Primeira guerra mundialPrimeira guerra mundial
Primeira guerra mundial
 
I Guerra Mundial
I Guerra MundialI Guerra Mundial
I Guerra Mundial
 
Primeira guerra mundial
Primeira guerra mundialPrimeira guerra mundial
Primeira guerra mundial
 
I guerra-mundial
I guerra-mundialI guerra-mundial
I guerra-mundial
 
Primeira guerra
Primeira guerra Primeira guerra
Primeira guerra
 
Historiando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olharesHistoriando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olhares
 
Primeira Guerra Mundial motivos e fases.
Primeira Guerra Mundial motivos e fases.Primeira Guerra Mundial motivos e fases.
Primeira Guerra Mundial motivos e fases.
 
Primeira Guerra.ppt.....................
Primeira Guerra.ppt.....................Primeira Guerra.ppt.....................
Primeira Guerra.ppt.....................
 
I Guerra Mundial_9.º ano_Timor no mundo e a realidade em TL
I Guerra Mundial_9.º ano_Timor no mundo e a realidade em TLI Guerra Mundial_9.º ano_Timor no mundo e a realidade em TL
I Guerra Mundial_9.º ano_Timor no mundo e a realidade em TL
 
Historiando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olharesHistoriando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olhares
 
Aula 5 - A Guerra acabou, o mundo se modificou..pptx
Aula 5 - A Guerra acabou, o mundo se modificou..pptxAula 5 - A Guerra acabou, o mundo se modificou..pptx
Aula 5 - A Guerra acabou, o mundo se modificou..pptx
 
Primeira guerra mundial
Primeira guerra mundialPrimeira guerra mundial
Primeira guerra mundial
 
I gm
I gm I gm
I gm
 
9 ano 1manual-isa
9 ano 1manual-isa9 ano 1manual-isa
9 ano 1manual-isa
 

Mais de Vítor Santos

Mais de Vítor Santos (20)

5_02_a revolução francesa_RESUMO.pdf
5_02_a revolução francesa_RESUMO.pdf5_02_a revolução francesa_RESUMO.pdf
5_02_a revolução francesa_RESUMO.pdf
 
5_01_a revolução americana_francesa_outras.pdf
5_01_a revolução americana_francesa_outras.pdf5_01_a revolução americana_francesa_outras.pdf
5_01_a revolução americana_francesa_outras.pdf
 
10_2_A _2_Guerra_mundial_violência.pdf
10_2_A _2_Guerra_mundial_violência.pdf10_2_A _2_Guerra_mundial_violência.pdf
10_2_A _2_Guerra_mundial_violência.pdf
 
10_1_As dificuldades económicas dos anos 1930.pdf
10_1_As dificuldades económicas dos anos 1930.pdf10_1_As dificuldades económicas dos anos 1930.pdf
10_1_As dificuldades económicas dos anos 1930.pdf
 
9_ano_9_4_sociedade_cultura_num_mundo_em_mudança.pdf
9_ano_9_4_sociedade_cultura_num_mundo_em_mudança.pdf9_ano_9_4_sociedade_cultura_num_mundo_em_mudança.pdf
9_ano_9_4_sociedade_cultura_num_mundo_em_mudança.pdf
 
9_ano_9_3_Portugal da primeira república à ditadura militar.pdf
9_ano_9_3_Portugal da primeira república à ditadura militar.pdf9_ano_9_3_Portugal da primeira república à ditadura militar.pdf
9_ano_9_3_Portugal da primeira república à ditadura militar.pdf
 
9_ano_9_2_a_revolução_soviética.pdf
9_ano_9_2_a_revolução_soviética.pdf9_ano_9_2_a_revolução_soviética.pdf
9_ano_9_2_a_revolução_soviética.pdf
 
9_ano_9_1_ apogeu e declinio da influencia europeia.pdf
9_ano_9_1_ apogeu e declinio da influencia europeia.pdf9_ano_9_1_ apogeu e declinio da influencia europeia.pdf
9_ano_9_1_ apogeu e declinio da influencia europeia.pdf
 
03_05 As novas representações da humanidade.pdf
03_05 As novas representações da humanidade.pdf03_05 As novas representações da humanidade.pdf
03_05 As novas representações da humanidade.pdf
 
03_04 A renovação da espiritualidade e da religiosidade.pdf
03_04 A renovação da espiritualidade e da religiosidade.pdf03_04 A renovação da espiritualidade e da religiosidade.pdf
03_04 A renovação da espiritualidade e da religiosidade.pdf
 
03_03 A produção cultural.pdf
03_03 A produção cultural.pdf03_03 A produção cultural.pdf
03_03 A produção cultural.pdf
 
03_02 O alargamento do conhecimento do Mundo.pdf
03_02 O alargamento do conhecimento do Mundo.pdf03_02 O alargamento do conhecimento do Mundo.pdf
03_02 O alargamento do conhecimento do Mundo.pdf
 
03_01 a geografia cultural europeia.pdf
03_01 a geografia cultural europeia.pdf03_01 a geografia cultural europeia.pdf
03_01 a geografia cultural europeia.pdf
 
02_03_Valores vivências e quotidiano.pdf
02_03_Valores vivências e quotidiano.pdf02_03_Valores vivências e quotidiano.pdf
02_03_Valores vivências e quotidiano.pdf
 
02_02_o espaço português.pdf
02_02_o espaço português.pdf02_02_o espaço português.pdf
02_02_o espaço português.pdf
 
02_01_A identidade civilizacional da Europa Ocidental.pdf
02_01_A identidade civilizacional da Europa Ocidental.pdf02_01_A identidade civilizacional da Europa Ocidental.pdf
02_01_A identidade civilizacional da Europa Ocidental.pdf
 
01_03_espaço_civliziçacional_a_beira_mudança.pdf
01_03_espaço_civliziçacional_a_beira_mudança.pdf01_03_espaço_civliziçacional_a_beira_mudança.pdf
01_03_espaço_civliziçacional_a_beira_mudança.pdf
 
01_02_o_modelo_romano.pdf
01_02_o_modelo_romano.pdf01_02_o_modelo_romano.pdf
01_02_o_modelo_romano.pdf
 
01_01_o_modelo_ateniense.pdf
01_01_o_modelo_ateniense.pdf01_01_o_modelo_ateniense.pdf
01_01_o_modelo_ateniense.pdf
 
0_história_A.pdf
0_história_A.pdf0_história_A.pdf
0_história_A.pdf
 

Último

Último (20)

"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
 
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf
 
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASMARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
 
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdf
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdfSistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdf
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdf
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf HitlerAlemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
 
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptxSismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é preciso
 
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfo-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animal
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 

7 01 parte_1_as_transformações_das_primeiras_décadas_do_século_xx

  • 1. História A - Módulo 7 (parte 1) Crises, embates ideológicos e mutações culturais na primeira metade do século XX Unidade 1 As transformações das primeiras décadas do século XX http://divulgacaohistoria.wordpress.com/ 2017_2018
  • 2. Módulo 7, História A 2 Causas da 1ª Guerra Mundial: Imperialismo; Nacionalismos; Rivalidades económicas; Alianças militares (Triple Entente e Tripla Aliança). Clima de “paz armada” levou ao conflito generalizado (1914- 1918); A guerra termina com a derrota da Alemanha e do Império Austro- Húngaro.
  • 3. Módulo 7, História A 3 In FORTES, Alexandra; Freitas Gomes, Fátima e Fortes, José, Linhas da História 12, Areal Editores, 2015
  • 4. Módulo 7, História A 4 1.1 Um novo equilíbrio global A Primeira Guerra Mundial terminou em 11 de novembro de 1918; A Conferência de Paz iniciou-se em janeiro de 1919; São assinados vários acordos, entre eles o Tratado de Versalhes; Surge uma nova geografia política e uma nova ordem internacional;
  • 5. Módulo 7, História A 5 1.1.1 A geografia política após a Primeira Guerra Mundial. A Sociedade das Nações Os diversos tratados assinados provocaram uma profunda transformação do mapa político da Europa e do Médio Oriente. Surgiu um novo equilíbrio mundial;
  • 6. Módulo 7, História A 6 A Conferência de Paz iniciou-se em janeiro de 1919 na cidade de Paris; As condições prévias das negociações foram apresentadas pelo presidente norte-americano, Woodrow Wilson, os chamados “Catorze Pontos”; Neste documento procurava-se desenvolver a ideia que o tratado de paz deveria ser “liberal e não punitivo dos vencidos”; Neste documento Wilson defendia a liberdade de navegação, o desarmamento, regulação das disputas coloniais, a liberdade da Rússia decidir o seu destino, regularização das fronteiras europeias e a criação de uma associação de nações para fomentar a justiça e a cooperação entre os países;
  • 7. Módulo 7, História A 7 Não houve verdadeira negociação, os vencedores impuseram aos vencidos as suas decisões; A França e os EUA desentenderam-se sobre as medidas a tomar em relação à Alemanha; Foram assinado s vários tratados de paz: Tratado de Versalhes (entre os Aliados e a Alemanha); Tratado de St. Germain-en-Laye (Áustria), Tratado de Neuilly (Bulgária), Tratado de Trianon (Hungria) e o Tratado de Sèvres (Império Otomano);
  • 10. Módulo 7, História A 10 1914 1925
  • 11. Módulo 7, História A 11 O Império Russo desapareceu e foi substituído para URSS (União das Repúblicas Socialistas Soviéticas; O Império Alemão, que tinha perdido a guerra perdeu várias regiões e territórios (Alsácia e Lorena, territórios para a Polónia, Checoslováquia, Bélgica, Dinamarca; O Império Austro-Húngaro morreu e em seu lugar nasceu a Áustria, Hungria e Checoslováquia;
  • 12. Módulo 7, História A 12 O Império Otomano foi amputado de alguns territórios e aí nasceram novos estados, como a Síria e o Líbano (protetorado francês); Surge o Iraque, dominado pela Inglaterra, bem como o Egito e a Palestina; A Arábia Saudita torna-se um reino independente;
  • 13. Módulo 7, História A 13 Muitos do novos países que surgiram no Leste e Sul da Europa tinham regimes políticos baseados na representação parlamentar; Multiplicam-se os estados-nação que surgiram do desmembramento dos impérios (Finlândia, Estónia, Letónia, Lituánia, Polónia, Hungria) e outros são formados por várias nacionalidades (Checoslováquia, Jugoslávia);
  • 14. Módulo 7, História A 14 O que é um estado-nação? Um estado é uma entidade política e geopolítica; Uma nação é uma unidade étnica e cultural; Estado-nação implica em uma situação onde os dois são coincidentes. Wikipédia (adaptado)
  • 15. Módulo 7, História A 15 Os estados vencidos (Áustria e Turquia) sofreram perdas territoriais muito fortes; A Alemanha perdeu 1/7 do seu território, a Prússia Oriental ficou separada (corredor de Dantzig); Ficou sem 1/10 da sua população;
  • 16. Módulo 7, História A 16 Perdeu as suas colónias e marinha de guerra, as minas de carvão do Sarre foram entregues, por um período de 15 anos, à França; Foi condenada a pagar pesadas indeminizações aos vencedores; Parte do seu território foi desmilitarizado; O exército foi reduzido a 100 mil homens;
  • 17. Módulo 7, História A 17 Os vencedores redesenharam o mapa político, e aumentaram os seus territórios; Os países vencidos viram os seus países a encolherem; O tratado de Versalhes impôs condições extremamente duras à Alemanha; Os alemães consideraram o Tratado como um diktat (uma imposição); Os EUA não assinaram o Tratado de Versalhes;
  • 18. Módulo 7, História A 18 A Sociedade das Nações e a nova ordem internacional
  • 19. Módulo 7, História A 19 O Presidente norte-americano, Thomas Woodrow Wilson, propõe, em 1919, a criação de uma liga de nações, a Sociedade das Nações (SDN); Os seus principais objetivos consistiam em promover a cooperação e a paz entre as nações, subordinadas ao Direito Internacional; Uma agressão a um dos membros obrigava os outros a intervirem; Assegurar a independência e integridade territorial dos estados; A sua sede estabeleceu-se na cidade suíça de Genebra; A SDN constituiu uma razão de esperança para os povos;
  • 20. Módulo 7, História A 20 No entanto logo de início surgiram vários problemas na constituição da SDN; Na SDN falta uma pedra? EUA
  • 21. Módulo 7, História A 21 A nova ordem internacional saída da Primeira Guerra Mundial não favoreceu o êxito da SDN: Os EUA não ratificaram o Tratado de Versalhes e não participaram na SDN; Os republicanos dominando o Congresso defendiam uma política isolacionista; Apoiando-se nas ideias económicas de Keynes, estavam contra a reconstrução dos países vencedores à custa dos vencidos;
  • 22. Módulo 7, História A 22 Os vencidos sentiam-se humilhados pelas condições impostas pelos vencedores e obrigados a pagar pesadas indeminizações aos vencedores; Entre os vencedores surgiram novamente as rivalidades e lutas pela hegemonia do Mundo; Muitos países vencedores sentiam que não tinham recebido a justa recompensa monetárias, o caso de Portugal, outros que não tinham sido recompensados com territórios suficientes, o caso da Itália;
  • 23. Módulo 7, História A 23 Na redefinição de fronteiras muitas pretensões de minorias nacionais não foram atendidas; Surgiram novos países que não respeitaram as identidades éticas e culturais de alguns povos; Na Checoslováquia, na região dos Sudetas, ficaram cerca de 6 milhões de alemães; A Jugoslávia agrupava vários povos submetidos à Sérvia; Territórios ucranianos e bielorussos passaram para a Polónia; A Áustria ficou proibida de se juntar à Alemanha;
  • 24. Módulo 7, História A 24 A difícil recuperação económica da Europa e a dependência em relação aos Estados Unidos A Primeira Guerra Mundial teve consequências muito diferenciadas sobre os diversos países.
  • 25. Módulo 7, História A 25 Pela análise destes dados quais os países mais afetados e os mais beneficiados?
  • 26. Módulo 7, História A 26 A Europa estava destruída, precisava de reconstruir as suas infraestruturas, resolver o problema do desemprego e da inflação crescente; A reconversão da economia europeia dependeu dos capitais americanos e dos pagamentos (reparações de guerra) pagos pela Alemanha aos vencedores;
  • 27. Módulo 7, História A 27 Uma das consequências do conflito mundial foi o declínio dos países europeus e a elevação dos Estados Unidos à categoria de maior potência mundial; Perdas europeias: Demográficas: perdas humanas durante a guerra, diminuição da mão de obra, envelhecimento da população, excedente da população feminina; Materiais: a Europa, sobretudo a Central em ruínas (cidades, fábricas, quintas e vias de comunicação destruídas);
  • 28. Módulo 7, História A 28 Perdas europeias: Económicas: Racionamento dos bens essenciais; Inflação galopante (os estados emitiram moeda, provocando a sua desvalorização); Perda de poder de compra da classe média;
  • 29. Módulo 7, História A 29 Os países europeus recorreram a empréstimos estrangeiros, como não os podiam pagar recorriam a mais empréstimos, desequilibrando a balança de pagamento dos estados, agrava-se o défice dos países; A partir de meados da década de 20 existe alguma recuperação económica, dando origem aos “Loucos Anos Vinte”, que no entanto seriam de curta duração;
  • 30. Módulo 7, História A 30 A Europa transformou-se em compradora de bens e serviços dos EUA; As moedas europeias desvalorizam-se e é abandonado o padrão- ouro (Gold Standard) e é substituído na Conferência de Génova maio de 1922 o Gold Exchange Standard; O padrão-ouro foi o sistema monetário cuja primeira fase vigorou desde o século XIX até a Primeira Guerra Mundial. Os bancos eram obrigados a converter as notas bancárias por eles emitidos em ouro (ou prata), sempre que solicitado pelo cliente. Cada país comprometia-se em fixar o valor da sua moeda em relação a uma quantidade específica de ouro; Wikipédia (adaptado)
  • 31. Módulo 7, História A 31 A Europa tornou-se dependente dos EUA; Os EUA transformam-se na primeira potência mundial;
  • 32. Módulo 7, História A 32 Em 1922, a Áustria declarou falência; Em 1923, a inflação na Alemanha torna-se galopante;
  • 33. Módulo 7, História A 33 A desvalorização da moeda obrigava a uma constante emissão de novas notas, formavam-se filas à porta dos bancos para trocar as notas antigas;
  • 34. Módulo 7, História A 34 A ascensão dos EUA e a recuperação europeia A economia americana passou a dominar as trocas comerciais a nível mundial; Durante a guerra os americanos forneceram à Europa todo o tipo de produtos, o que causou a dependência da economia europeia dos EUA; Deste modo metade dos stocks de ouro mundiais concentraram-se em território americano, Nova Iorque torna-se no principal centro financeiro mundial; Apesar de uma pequena crise entre 1920-21, a economia americana apresentava-se pujante;
  • 35. Módulo 7, História A 35 Desenvolvem-se os métodos de racionalização do trabalho (taylorismo) nos EUA e Europa; Cresce a concentração capitalista empresarial; Em maio de 1922, na Conferência de Génova, o padrão-ouro é substituído pelo Gold Exchange Standard – na falta de reservas de ouro, uma moeda passaria a ser convertida noutra moeda considerada forte e por isso convertível em ouro; Em 1925, a libra voltava a ser convertível em ouro (o dólar nunca tinha deixado de o ser);
  • 36. Módulo 7, História A 36 COUTO, Célia Pinto, ROSAS, Maria Antónia Monterroso, O tempo da História 12, Porto Editora, 2013
  • 37. Módulo 7, História A 37 A recuperação económica europeia, a partir de 1924, foi alicerçada no crédito concedido pelos EUA; Os americanos concederam imensos créditos a países europeus; Agrava-se a dependência económica da Europa em relação aos EUA; A partir de 1925, viveram-se anos de prosperidade (felizes anos vinte);
  • 38. Módulo 7, História A 38 Renasce uma grande confiança no capitalismo liberal e desenvolve- se um clima de confiança; Nasce, sobretudo nos EUA, o consumismo que levou a um grande desenvolvimento comercial e industrial; Em 1929 este clima otimista irá modificar-se completamente;
  • 39. Módulo 7, História A 39 1.2 A implantação do marxismo-leninismo na Rússia. A construção do modelo soviético Em 1867 os EUA compraram o Alasca à Rússia.
  • 40. Módulo 7, História A 40 No início de 1917, a Rússia era governada por um monarca absoluto, o czar Nicolau II; A situação económica e social era muito precária; Economia atrasada: agricultura pobre e rudimentar, indústria pouco desenvolvida;
  • 41. Módulo 7, História A 41 Os camponeses (85% da população) reivindicavam terras que estavam na posse da aristocracia; O proletariado exigia melhores salários e condições de trabalho; A burguesia e, mesmo, parte da aristocracia pretendiam a modernização do país e uma maior abertura política;
  • 42. Módulo 7, História A 42 Várias organizações políticas opunham-se ao absolutismo: Socialistas-revolucionários; Sociais-democratas (bolcheviques e mencheviques); Constitucionais-democratas (defensores da democracia liberal); Após a revolução de 1905 a frágil tentativa do czar de liberalizar o regime falhou completamente;
  • 43. Módulo 7, História A 43 A participação da Rússia na Primeira Guerra Mundial agravou as dificuldades económicas do país; A fome generaliza-se provocando manifestações e revoltas; As derrotas nos campos de batalha fomentam a deserção e levam os opositores do czar a acusá-lo de incompetência;
  • 44. Módulo 7, História A 44 Da Revolução de fevereiro à Revolução de outubro No início de 1917, a frágil situação económica da Rússia abria caminho à difusão das ideias de contestação do regime czarista; Constituem-se sovietes; Soviete - é a designação atribuída aos conselhos de operários, trabalhadores, camponeses que, a partir de 1905, foram constituídos na Rússia. Estavam organizados de forma hierárquica: de fábrica, de cidade, de distrito de província, etc.;
  • 45. Módulo 7, História A 45 Entre 22 e 28 de fevereiro de 1917, Petrogrado (Sampetersburgo) é palco de grandes manifestações que se alastram a outras cidades russas (Revolução de Fevereiro); Operários, uma grande parte da classe média, e até alguns aristocratas apoiavam esta luta contra o absolutismo; Os Sovietes instigam o derrube do Czar; Nicolau II abdica no dia 2 de março; A Rússia torna-se uma república;
  • 46. Módulo 7, História A 46 É instituído um governo provisório, primeiro dirigido por Lvov, e depois por Kerensky, que procura desenvolver uma democracia parlamentar na Rússia; Lvov e Kerensky eram mencheviques;
  • 47. Módulo 7, História A 47 Programa do Governo Provisório: Democratizar a Rússia; Organizar eleições para uma Assembleia Constituinte; Abolir os privilégios do clero e da nobreza; Sufrágio universal; Resolver os problemas económicos e sociais;
  • 48. Módulo 7, História A 48 O Governo Provisório não consegue encontrar soluções para a grave crise económica; O Governo acaba por defender a continuação da participação de Rússia na Primeira Guerra Mundial; Estes dois fatores desagradam a uma maioria de russos que com a liderança do Partido Social Democrático Operário Russo e dos Sovietes contestam o Governo Provisório;
  • 49. Módulo 7, História A 49 O Partido Operário Social-Democrata Russo estava dividido entre mencheviques e bolcheviques; Menchevique (minoria em russo, defendiam a democracia parlamentar e uma via reformista da sociedade); Bolchevique (maioria em russo, defendiam a revolução e as teses marxistas, e a revolução como forma de conquistar o poder, irão dar origem ao Partido Comunista);
  • 50. Módulo 7, História A 50 Os sovietes continuam a crescer e a fomentar a agitação social contra o governo provisório e a Duma (parlamento russo); Em abril, Lenine, líder dos bolcheviques e exilado em Paris, regressa à Rússia; No seu regresso divulga um documento, “Teses de abril”, onde defende a retirada imediata da Rússia da guerra, a tomada do poder pelo proletariado, através dos sovietes que eram dominados pelos bolcheviques;
  • 51. Módulo 7, História A 51 O objetivo central dos bolcheviques era o derrube do Governo Provisório e a instituição da ditadura do proletariado; A Rússia agita-se e os sovietes constituem-se num poder paralelo; A guerra é cada vez menos popular e os bolcheviques pretendem abandoná-la, afirmam que é uma guerra capitalista, onde se disputam os interesses capitalistas dos diversos países; O caos económico continua e o governo provisório mostra-se incapaz de resolver a situação;
  • 52. Módulo 7, História A 52 Nos dias 24 e 25 de outubro desencadeia-se revolução bolchevique; As milícias bolcheviques (Guardas Vermelhos), em Sampetersburgo, controlam os pontos estratégicos da cidade e assaltam o Palácio de Inverno e derrubam o Governo Provisório; O II Congresso dos Sovietes entregou o poder ao Conselho de Comissários do Povo, composto por bolcheviques;
  • 53. Módulo 7, História A 53 Lenine foi nomeado presidente, Trotsky, ministro da guerra e Estaline, ministro das nacionalidades; Pela primeira vez os representantes do proletariado tomaram o poder político num país; Triunfavam as ideias de Karl Marx, de luta de classes e de processo revolucionário como forma de alcançar o poder;
  • 54. Módulo 7, História A 54 Lenine Estaline Trotsky
  • 55. Módulo 7, História A 55 1.2.2 Da democracia dos sovietes ao centralismo democrático O novo governo iniciou negociações com a Alemanha para a retirada russa da guerra; Foram publicados vários decretos; Sobre a paz, exorta-se os povos à paz;
  • 56. Módulo 7, História A 56 Sobre a terra, as grandes propriedades agrícolas foram entregues a sovietes de camponeses; Sobre o controlo operários, atribuía a gestão das fábricas aos sovietes operários; Sobre as nacionalidades, concedia a todos os povos do antigo Império Russo o estatuto de igualdade e o direito à autodeterminação;
  • 57. Módulo 7, História A 57 Os sovietes tornaram-se na pedra angular do novo regime, e por isso esta fase da revolução russa é denominada democracia dos sovietes; A democracia passou a ser entendida como um regime que deveria representar os interesses do proletariado; Lenine vai aplicar as ideias de Karl Marx adaptando-as à situação concreta da Rússia (marxismo-leninismo); A Rússia deixou de ser uma democracia liberal e transformou-se numa república dos sovietes; A democracia é explicada como a expressão dos interesses do proletariado;
  • 58. Módulo 7, História A 58 Em finais de 1917 são organizadas eleições para uma Assembleia Constituinte, perante o fracasso eleitoral dos bolcheviques (25%), Lenine dissolveu a Assembleia e o poder foi transferido para o Congresso dos Sovietes (assembleia representante dos diversos sovietes); A Constituição de 1918 considerou o Congresso dos Sovietes o órgão máximo de soberania, surgia a República Soviética; Todos os partidos políticos foram proibidos, com a exceção do Partido Comunista;
  • 59. Módulo 7, História A 59 O marxismo-leninismo defendia a conquista do poder pelos operários e camponeses através da instituição da ditadura do proletariado; Principais objetivos da ditadura do proletariado: Abolir a propriedade privada e nacionalização dos meios de produção; Construir uma sociedade sem classes e sem exploração do Homem pelo Homem; Distribuição dos bens segundo as necessidades de cada um;
  • 60. Módulo 7, História A 60 O objetivo fundamental do comunismo é o fim da economia capitalista e a criação de uma economia onde a propriedade é coletiva para construir uma sociedade sem classes; Depois de conseguidas estas transformações económicas e sociais, o Estado deixaria de existir e alcançaria o último estádio do socialismo, o comunismo; A teoria marxista-leninista defendia que a revolução do proletariado deveria ser mundial, não conhecendo nem fronteiras nem nações;
  • 61. Módulo 7, História A 61 O objetivo central dos bolcheviques era a construção de uma sociedade comunista (uma sociedade sem classes, democrática e onde o estado seria abolido, e o Homem alcançaria a liberdade e a felicidade); Mas para chegar a esse estádio final, teorizado por Karl Marx, no século XIX, era necessário passar pela etapa da ditadura do proletariado; Ditadura do proletariado – fase de transição na construção de uma sociedade comunista que se caracteriza pelo proletariado retirar à burguesia todos os meios de produção e centralizá-los no Estado que é considerado o legítimo representante do proletariado;
  • 62. Módulo 7, História A 62 Em Brest-Litovsk, depois de demoradas negociações, é assinado, em março de 1918, a paz com a Alemanha; Neste tratado a Rússia perdeu a Polónia, Ucrânia, Finlândia, Estónia, Lituánia e Letónia; Lenine afirmou que tinha sido “uma paz desastrosa mas necessária”, pois a Rússia perdeu ¼ da sua população e das suas terras cultiváveis, ¾ das minas de ferro;
  • 63. Módulo 7, História A 63 O governo bolchevique começa a sentir grandes dificuldades: A resistência dos grandes proprietários e empresários; O regresso de 7 milhões de soldados da frente de batalha, sem emprego ; A inflação continuava a subir; Surgiam por todo o território fenómenos de banditismo; Nas eleições para a Assembleia Constituinte só obtiveram 25% dos votos;
  • 65. Módulo 7, História A 65 Desencadeou-se uma guerra civil em março de 1918 e que se prolongou até 1920 que causou a morte a 10 milhões de pessoas; O Exército Branco (opositores aos bolchevistas) são apoiados pelos Estados Unidos, Inglaterra, França e Japão); O Exército Vermelho, organizado por Trotsky, demonstrou ser um eficiente corpo de combate;
  • 66. Módulo 7, História A 66 Os “brancos” demonstraram grandes dificuldades de união e as populações foram, em grande parte hostis, pois receavam o regresso dos grandes proprietários; A guerra, foi extraordinariamente violenta e terminou com a vitória do Exército Vermelho;
  • 67. Módulo 7, História A 67 O comunismo de guerra (1918-1921) Numa primeira fase da Revolução de Outubro viveu-se na democracia dos sovietes; No entanto cedo o governo bolchevique começou a passar por sérias dificuldades: a resistências dos proprietários, a perda das eleições para a Assembleia Constituinte, o tratado de paz com a Alemanha desastroso, as dificuldades económicas e, sobretudo, a guerra civil; Estas dificuldades levaram à implantação de uma nova fase da revolução que ficou conhecida como “comunismo de guerra”;
  • 68. Módulo 7, História A 68 Na Rússia é instaurada a ditadura do proletariado, com algumas especificidades diferentes da teorização de Marx; A conceção marxista de proletariado era sinónima de operariado, Lenine acrescentou-lhe os camponeses (a Rússia era um país atrasado onde a maior parte dos habitantes era constituída por camponeses); Outra diferença tem que ver com o facto de a ditadura do proletariado ter sido instaurada numa fase de guerra civil;
  • 69. Módulo 7, História A 69 A fase do comunismo de guerra coloca um fim na democracia dos sovietes; As leis que tinham concedido a terra aos camponeses e a direção das fábricas aos operários foram abolidos; Toda a economia foi nacionalizada (controlada e dirigida pelo Estado);
  • 70. Módulo 7, História A 70 Os camponeses são obrigados a entregar as colheitas ao estado, todas as fábricas com mais de 5 operários passaram a ser dirigidas pelo Estado; O Estado repartia os bens do seguinte modo: primeiro o Exército Vermelho, depois os operários e camponeses e, no final, a burguesia;
  • 71. Módulo 7, História A 71 Era necessário aumentar a produção para salvar a revolução; O trabalho passou a ser obrigatório entre os 16 e os 50 anos; Foi estimulado o culto do herói da produção; O horário de trabalho foi aumentado, a indisciplina era violentamente reprimida; O salário era atribuído conforme o rendimento do trabalhador;
  • 72. Módulo 7, História A 72 Em março de 1918, o partido bolchevique é renomeado e passou a designar-se Partido Comunista; A Tcheca (polícia política criada em dezembro de 1917) passou a perseguir implacavelmente todos os suspeitos de estarem contra a revolução; A Tcheca tinha plenos poderes, as pessoas eram presas, eram julgados sumariamente e depois enviados para campos de concentração ou executados;
  • 73. Módulo 7, História A 73 Bastava uma simples suspeita de um individuo ser contrarrevolucionários para cair nas malhas da polícia; Os membros socialistas-revolucionários e mencheviques foram expulsos dos sovietes; É a época do Terror Vermelho; Em 1919 é criada a III Internacional Comunista (Komintern), onde participavam os partidos comunistas de todo o mundo com o objetivo de preparar a a revolução mundial;
  • 74. Módulo 7, História A 74 O centralismo democrático Para os marxistas-leninistas, o poder só é democrático quando emana do proletariado, mesmo que seja apenas exercido por um único partido. As outras forças partidárias, na Rússia, foram excluídas por não representarem o povo; Em 1922, a Rússia, transforma-se na União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS), um Estado multinacional e federal, onda as diversas repúblicas dispunham de uma Constituição e alguma autonomia; Na URSS, Lenine cria um novo conceito de democracia, o centralismo democrático;
  • 75. Módulo 7, História A 75 Todo o poder emanava dos sovietes de base, escolhidos por sufrágio universal; Havia sovietes locais e regionais, representavam as diversas nacionalidades no Congresso dos Sovietes que reunia anualmente; O Congresso dos Sovietes designava o Comité Executivo Central, um tipo de parlamento, dividido em duas câmaras: o Conselho da União e o Conselho das Nacionalidades; Estes escolhiam o Presidium, órgão com poderes executivos e legislativos e o Conselho de Comissários do Povo (conselho de ministros);
  • 76. Módulo 7, História A 76 Esta estrutura, teoricamente democrática, era controlada, pelos órgãos do Estado, cujas ordens eram executadas sem questionar, e pelo Partido Comunista, que se tornou numa hierarquia paralela ao Estado, e que, na maior parte da vezes, dirigia o Estado; Muitas vezes os órgãos do Partido e do estado confundiam-se, e as pessoas eram as mesmas; Na URSS, Estado e Partido Comunista identificavam-se e confundiam-se; Os sovietes transformaram-se em simples elementos de transmissão das diretivas do Partido Comunista para a população;
  • 78. Módulo 7, História A 78 Para Lenine esta estrutura era democrática, pois apesar de só existir um partido este representava os interesses do proletariado; Era a democracia dos pobres que implicava existirem restrições da liberdade dos inimigos contrarrevolucionários; Na URSS, não existia uma democracia tipo ocidental, pluripartidária que era apelidada de “democracia burguesa”;
  • 79. Módulo 7, História A 79 A Nova Política Económica (NEP) (1921-1927) A guerra civil (1918-1920) devastou a Rússia; A produção de cereais descera para metade da de 1913; Obrigados a entregar a produção ao Estado muitos camponeses escondiam parte da produção e não tinham qualquer motivação para se esforçarem na produção;
  • 80. Módulo 7, História A 80 O Inverno de 1920/21 foi extremamente rigoroso e foi seguido de uma seca que originou 3 milhões de mortos de fome; A produção industrial também diminuiu para níveis inferiores aos de 1913; Os transportes estavam, em grande parte, paralisados;
  • 81. Módulo 7, História A 81 Em fevereiro de 1921, Lenine, muda a sua estratégia económica; O comunismo de guerra vai dar lugar à Nova Política Económica (NEP); O objetivo da NEP era recuperar economicamente o país e aumentar os níveis de produção; Há um recuo das nacionalizações, a iniciativa privada é aceite para as empresas com menos de 20 operários, só ficam no Estado os setores industriais considerados fundamentais;
  • 82. Módulo 7, História A 82 O investimento estrangeiro é fomentado, são criadas empresas de capitais mistos (privado e do estado); Incentivou-se a vinda de técnicos estrangeiros, máquinas a matérias-primas;
  • 83. Módulo 7, História A 83 O trabalho obrigatório foi abolido, e foram atribuídos prémios de produtividade; Na agricultura as requisições foram substituídas por impostos em géneros e a coletivização dos campos parou; Os camponeses podiam vender parte da sua colheita; Lenine criou uma economia mista, em parte socialista em parte capitalista; Os bancos, a grande e média indústria e os transportes permaneceram no estado;
  • 84. Módulo 7, História A 84 A NEP deu resultados e a produção industrial, comercial e agrícola aumentou; Surge uma nova pequena e média burguesia ligada aos negócios e à indústria (nepman) e pequenos proprietários rurais (kulaks); Em 1927 já tinham ultrapassado os níveis de produção anteriores à Primeira Guerra Mundial; Em 1924, faleceu Lenine;
  • 85. Módulo 7, História A 85 1.3 A regressão do demoliberalismo (não é de aprofundamento) 1.3.1 O impacto do socialismo revolucionário; dificuldades económicas e a radicalização dos movimentos sociais; emergência dos autoritarismos. No pós-guerra os países europeus atravessaram graves dificuldades económicas; Neste contexto desenvolvem-se as contestações, greves e movimentos revolucionários; A vitória do Partido Comunista na Rússia serviu de incentivo a muitos movimentos na Europa;
  • 86. Módulo 7, História A 86 A crise económica levou a que a burguesia industrial e financeira visse os seus patrimónios desvalorizados, nalguns casos até abriram falência; Muitos camponeses ficaram arruinados; As classes médias urbanas, dependentes de um salário, viram os seus rendimentos diminuírem, alguns caíram na proletarização que tanto temiam;
  • 87. Módulo 7, História A 87 O operariado fabril e agrícola mergulhou na miséria e no desemprego; Agravam-se as tensões sociais e o descontentamento: De um lado, o conservadorismo da burguesia, Do outro os movimentos revolucionários proletários;
  • 88. Módulo 7, História A 88 Os sindicatos reivindicavam melhorias salariais e denunciavam os excessos do capitalismo; Surgem novos partidos, muitos deles ligados às ideias socialistas; Em março de 1919, em Moscovo, formou-se a III Internacional, também chamada de Internacional Comunista ou Komintern; Este organismo pretendia coordenar as atividades dos movimentos proletários a nível mundial, lutava pelo triunfo das ideias dos marxismo-leninismo; Punha em prática uma ideia de Karl Marx: “Proletários de todos os países uni-vos”;
  • 89. Módulo 7, História A 89 Para a Rússia, que sofria o boicote dos países capitalistas, a internacionalização da revolução comunista era muito importante; Lenine e Trotsky estabeleceram as regras para a revolução se desencadear na Europa, que deveria ser liderada pelos partidos comunistas; Nos anos vinte a Europa foi sacudida por uma vaga de movimentos revolucionários; Na Alemanha e na Hungria houve tentativa de tomada do poder; A violência alastrou a muitos países europeus, com greves e manifestações;
  • 90. Módulo 7, História A 90 Estas ações revolucionárias provocaram o pânico nos setores mais conservadores da Europa; Surgem os movimentos fascistas como uma reação ao eclodir do movimento operário; A burguesia (alta, média e baixa) treme perante o avanço do bolchevismo; Muitos atribuem este caos à incapacidade da democracia liberal, os partidos discutem no parlamento e não conseguem chegar a cordo; Defendem soluções autoritárias para o governo de forma a garantir a paz, a segurança e o desenvolvimento económico;
  • 91. Módulo 7, História A 91 Surgem movimento autoritários de direita que se armam e organizam milícias que espalham o terror entre os adeptos do socialismo; Estes movimento são fortemente nacionalistas e prometem autoridade, a paz e o progresso social; Procuram o apoio dos oficiais do exército; Grande parte da burguesia é atraída por estes movimentos, pois veem nestes a única forma de derrotar o comunismo;
  • 92. Módulo 7, História A 92 Um dos primeiros movimentos a triunfar foi o de Mussolini, em Itália, em 1922; Este vai ser um regime fascista de referência para outros que se vão instalar em diversos países europeus
  • 93. Módulo 7, História A 93 O avanço dos movimentos de extrema-direita levou à instauração de ditaduras em diversos países europeus: Hungria (1920), Itália (1922), Turquia (1923), Espanha (1923), Albânia (1925), Lituânia, Portugal e Polónia (1926), Jugoslávia (1929); No final dos anos vinte, na Alemanha, o partido nazi, liderado por Hitler, ganhava cada vez mais adeptos; Assiste-se, nos anos vinte, à regressão do demoliberalismo e ao desenvolvimento de regimes autoritários.
  • 94. Módulo 7, História A 94 1.4. Mutações nos comportamentos e na cultura No século XX surgem grandes cidades com milhões de habitantes, nos países mais industrializados a população urbana ultrapassou a rural; Esta massificação da urbanização vai contribuir decisivamente para grandes transformações na cultura e vida da civilização oriental;
  • 95. Módulo 7, História A 95 Nas grandes metrópoles os indivíduos tornam-se anónimos no meio da multidão; A cultura tende para a estandardização e massificação; Nos tempos livres a população dirige-se para os cafés, cinemas, estádios, salões de baile, etc.; A proliferação da classe média levou ao desenvolvimento de uma nova cultura do ócio, a cidade fomenta esta cultura fornecendo alternativas diversificadas;
  • 96. Módulo 7, História A 96 A sociedade urbana vive uma na ânsia do consumo e do divertimento; A convivência entre os sexos torna-se mais livre e ousada;
  • 97. Módulo 7, História A 97 A Primeira Guerra Mundial contribuiu para uma mudança na condição feminina; O desenvolvimentos dos transportes públicos e do automóvel tornam as deslocações mais fáceis; O desporto entra nos hábitos do quotidiano; A vida acelera;
  • 98. Módulo 7, História A 98 O trabalho desumaniza-se; A racionalização do trabalho tende a transformar o Homem num escravo da atividade profissional e dos valores materiais que esta pode proporcionar;
  • 99. Módulo 7, História A 99 Nos Anos Vinte surge a cultura do lazer; As populações urbanas procuram viver de forma frenética e ruidosa;
  • 100. Módulo 7, História A 100 Surge um novo conceito de família: O casamento como um contrato é substituído pelo casamento por amor; A institucionalização do divórcio torna o casamento mais instável; Divulgam-se as práticas anticoncecionais, o número de filhos por casal diminui;
  • 101. Módulo 7, História A 101 A crise dos valores tradicionais Os habitantes das cidades perderam as suas raízes rurais; Submetem-se a novos ritmos de trabalho; O mundo urbano não favorece o enraizamento das populações, o emprego é precário e os transportes favorecem as deslocações; Desaparecem as solidariedades tradicionais do mundo rural; A vida urbana é condicionada pelo individualismo e pelo anonimato;
  • 102. Módulo 7, História A 102 A Primeira Guerra Mundial terminou com a época de otimismo e de crença no desenvolvimento científico interrupto e colocou em causa os valores morais e culturais herdados do século XIX; O conflito mundial tenha causado a morte a 10 milhões de pessoas e ao desencadear de uma grave crise económica; Surge um sentimento de pessimismo e de descrença no futuro; Oswald Spengler publica o livro “A decadência do Ocidente” onde prevê o fim inevitável da civilização ocidental;
  • 103. Módulo 7, História A 103 A guerra levou muitos a pensarem que nunca mais voltaria a ser o que era; Surge uma profunda crise espiritual que coloca em causa os valores tradicionais e que deixam de seguir um padrão rígido: Da família e da indissolubilidade do casamento; A moral sexual, o papel da mulher, os conceitos e práticas religiosas; As condutas sociais;
  • 104. Módulo 7, História A 104 Os Anos Vinte colocaram em causa os valores da sociedade do século XIX: Os aspetos materiais da vida sobrepõe-se à moral cristã; Os valores humanistas são dilacerados pela violenta ascensão dos movimentos fascistas e autoritários; A democracia liberal é posta em causa pelos movimentos comunistas e fascistas; Desenvolve-se o espírito de anomia social; Anomia social – ausência de normas aceites pelo grupo social. Os valores que ditam a regra de conduta são relativos. É uma característica das sociedades em mudança.
  • 105. Módulo 7, História A 105 A evolução da condição feminina As primeira reivindicações femininas surgiram em meados do século XIX, consistiam na luta pelo direito à propriedade, à tutela dos filhos em caso de viuvez, ao acesso à educação; No inicio do século XX surgem as primeiras reivindicações sufragistas; Surgem movimentos que lutam pelo direito a votar das mulheres; Destacou-se, em Inglaterra, o papel desempenhado por Emmeline Pankhurst; Lutam também pelo acesso a cargos públicos e a igualdade no trabalho e na família;
  • 106. Módulo 7, História A 106 O movimento sufragista inglês organizou várias formas de protesto; Em Portugal, em 1909, surgiu a Liga Republicana das Mulheres Portuguesas e em 1911, a Associação de Propaganda Feminina; Carolina Beatriz Ângelo, em 1911, e aproveitando uma omissão da lei foi a primeira mulher a votar em Portugal; A legislação foi imediatamente corrigida;
  • 107. Módulo 7, História A 107 Apesar das reivindicações feministas, e apenas com algumas exceções, até à primeira Guerra Mundial a mulheres continuaram arredadas do sufrágio; A guerra alterou esta situação, com os homens na frente de batalha, muitas mulheres acederam a empregos;
  • 108. Módulo 7, História A 108 As mulheres demonstraram que podiam substituir os homens nas mais variadas profissões; Por outro lado passaram a auferir um salário, o que lhe dá a independência económica;
  • 109. Módulo 7, História A 109 Nos anos a seguir à guerra, as mulheres vão ganhando o direito de participação na vida política pelo menos em grande parte dos países ocidentais; Frequentam festas, vivem e viajam sozinhas, usam o cabelo curto “à garçonne”; A luta pela completa igualdade foi longa e difícil e ainda hoje não está completa;
  • 110. Módulo 7, História A 110 1.4.2 A descrença no pensamento positivista e as novas conceções científicas O século XIX foi dominado pelas ideias do positivismo. A ciência seria capaz de desvelar toda a Natureza. O Universo era regido por leis claras e racionais; No século XX esta conceção, de estrita racionalidade, é posta em causa, dão-se avanços em outras áreas do conhecimento; A física quântica demonstra que o conhecimento é sempre parcial;
  • 111. Módulo 7, História A 111 No início do século XX descobre-se que o átomo não é a mais pequena partícula da matéria; A teoria quântica, desenvolvida por físicos como Max Planck e Niels Bohr, teve um enorme impacto ao afirmar que nunca é possível determinar com exatidão o que está a ocorrer e o que acontecerá. Transforma o conhecimento, não numa certeza, mas numa probabilidade;
  • 112. Módulo 7, História A 112 Werner Heisenberg (1901-1976), enuncia o princípio da incerteza que evidencia a impossibilidade de conhecer o Universo na sua totalidade; Estas novas conceções científicas determinam que o positivismos seja substituído pelo relativismo; Relativismo – conjunto de teorias que apresentam a ideia comum que não existe uma verdade absoluta (ciência, valores, cultura, arte)
  • 113. Albert Einstein publica em 1905 a “Teoria da Relatividade Restrita” e em 1915, a Teoria da Relatividade Geral; O decorrer do tempo deixa de ser imutável e varia conforme a velocidade dos corpos; O tempo é relativo; Nos inícios do século XX a certeza objetiva e positivista é substituída pelo princípio da incerteza e do relativismo do conhecimento; Descobre-se que o conhecimento é subjetivo; Módulo 7, História A 113
  • 115. Módulo 7, História A 115 Sigmund Freud (1856- 1939) criou a Sociedade Psicanalítica de Viena em 1908, conjuntamente com Carl Jung (1875-1961) e Alfred Adler (1870-1937); Jung desenvolveu a noção de inconsciente coletivo e Adler falou da ideia de complexo de inferioridade; Henri Bergson fala da intuição que é separada da inteligência;
  • 116. Módulo 7, História A 116 Sigmund Freud vai contestar que a mente do Homem é estritamente racional; Freud chegou à conclusão que os comportamentos humanos também são dirigidos por impulsos inconscientes, escondidos na profundeza da mente. Os impulsos sexuais seriam os dominantes; Segundo os seus estudos muitos dos comportamentos anormais resultavam de complexos provocados pelo recalcamento, no inconsciente, de recordações ou desejos que as pessoas não teriam podido satisfazer, no passado, devido às limitações e proibições de ordem moral; Freud, criou a psicologia analítica ou psicanálise;
  • 117. Módulo 7, História A 117 Segundo a psicanálise, o psiquismo humano estrutura-se em 3 níveis: o consciente, o subconsciente e o inconsciente; O indivíduo, por causa da moral, tem tendência para bloquear os desejos indecorosos ou culpabilizantes no inconsciente; Estes desejos aparecem no inconsciente sobre a forma de neuroses; A terapêutica freudiana passa pela análise dos pensamentos e dos sonhos tornando-os conscientes, e, por isso, libertando o paciente das suas neuroses; A psicanálise teve uma grande influência, não só na psicologia e psiquiatria, mas até na arte;
  • 118. Módulo 7, História A 118 Nos princípios do século XX, todos estes novos conceitos científicos levaram à mudança dos paradigmas científico e cultural. As conceções sobre o Homem, o Universo e a Natureza mudaram radicalmente; Paradigma- O paradigma é um princípio, teoria ou conhecimento originado da pesquisa num determinado campo científico. Uma referência inicial que servirá de modelo para novas pesquisas.
  • 119. Módulo 7, História A 119 Esta apresentação foi construída tendo por base a seguinte bibliografia: FORTES, Alexandra; Freitas Gomes, Fátima e Fortes, José, Linhas da História 12, Areal Editores, 2015 COUTO, Célia Pinto, ROSAS, Maria Antónia Monterroso, O tempo da História 12, Porto Editora, 2013 Antão, António, Preparação para o Exame Nacional 2014, História A, Porto Editora 2015 Catarino, António Luís, Preparar o Exame Nacional de História A, Areal Editores, 2015 2017/2018