9 ano 9_2_as transformações do após-guerra

21.339 visualizações

Publicada em

As transformações do após-guerra, História 9 ano

Publicada em: Educação
0 comentários
9 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
21.339
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
15.594
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
9
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

9 ano 9_2_as transformações do após-guerra

  1. 1. História - 9º ano Apogeu e declínio da influência europeia 9.2 As transformações do pós-guerra http://divulgacaohistoria.wordpress.com/
  2. 2. 2 1 – Conhecer as transformações geopolíticas decorrentes da 1.ª Grande Guerra. 1. Enunciar as principais decisões dos tratados de paz (com destaque para o Tratado de Versalhes). 2. Identificar as principais alterações no mapa político europeu do após guerra. 3. Referir os grandes objetivos da criação da Sociedade das Nações (SDN).
  3. 3. 3 2 – Conhecer e compreender as transformações económicas do após guerra. 1. Caracterizar a situação económica e social europeia no após guerra. 2. Explicar o fim da hegemonia europeia e o reforço da afirmação dos EUA como principal potência económica mundial. 3. Caracterizar a economia dos anos 20, destacando o seu carácter modernizador, instável e especulativo. 4. Referir outros fatores de tensão económica na década de 20, nomeadamente a rivalidade entre novos e velhos países industriais, o pagamento de dívidas e indemnizações de guerra e a adoção de políticas protecionistas.
  4. 4. 4 3 – Conhecer e compreender a Revolução Soviética. 1. Caracterizar sucintamente a Rússia czarista ao nível político, económico e social. 2. Relacionar a entrada da Rússia na 1.ª Grande Guerra com o agravar das tensões sociais e políticas. 3. Caracterizar a “Revolução de Fevereiro”, salientando o caráter demoliberal das medidas tomadas pelo governo provisório. 4. Relacionar a decisão de permanência da Rússia na 1.ª Grande Guerra com o eclodir da “Revolução de Outubro”.
  5. 5. O expansionismo europeu 5 5. Caracterizar a “Revolução de Outubro”, as principais medidas tomadas (fim do envolvimento na guerra, participação dos operários na gestão das fábricas e divisão das grandes propriedades rurais pelas famílias camponesas). 6. Descrever as principais etapas de implantação do regime comunista entre 1917 e 1924 (Guerra civil e Comunismo de Guerra, NEP, formação da URSS). 7. Avaliar o impacto da Revolução Bolchevique na Europa Ocidental e no Mundo em geral.
  6. 6. 6 4 – Conhecer e compreender as transformações socioculturais das primeiras décadas do século XX. 1. Caracterizar a sociedade europeia nas duas primeiras décadas do século XX, salientando o peso crescente das classes médias e a melhoria das condições de vida do operariado, apesar da manutenção de grandes desequilíbrios sociais. 2. Relacionar os efeitos da guerra com a alteração de mentalidades e costumes nos “loucos anos 20”. 3. Avaliar os efeitos da guerra ao nível da emancipação feminina, problematizando temáticas atuais relativas à igualdade de género.
  7. 7. O expansionismo europeu 7 4. Caracterizar sucintamente a cultura de massas, salientando a sua relação com a melhoria das condições de vida nas décadas de 20 e 30 do século XX. 5. Distinguir as principais correntes estéticas que marcaram a evolução nas artes. 6. Indicar alguns dos principais vultos e obras de referência do modernismo português.
  8. 8. O expansionismo europeu 8 https://www.youtube.com/watch?v=ElBt6scahxU&list=PLrVbe- vPkX7vX-A6TV4t5wZLJDiubZhj- A História do século XX (1914-1939)
  9. 9. 9 A Primeira Guerra Mundial terminou em 11 de novembro de 1918; A Conferência de Paz iniciou-se em janeiro de 1919; São assinados vários acordos, entre eles o Tratado de Versalhes; Surge uma nova geografia política e uma nova ordem internacional; Os diversos tratados assinados provocaram uma profunda transformação do mapa político da Europa e do Médio Oriente.
  10. 10. O expansionismo europeu 10 1914
  11. 11. O expansionismo europeu 11 1925
  12. 12. 12 1914 1925
  13. 13. 13 O Império Russo desapareceu e foi substituído para URSS (União das Repúblicas Socialistas Soviéticas; O Império Alemão, que tinha perdido a guerra perdeu várias regiões e territórios (Alsácia e Lorena, territórios para a Polónia, Checoslováquia, Bélgica, Dinamarca; O Império Austro-Húngaro morreu e em seu lugar nasceu a Áustria, Hungria e Checoslováquia;
  14. 14. 14 Multiplicam-se os estados-nação que surgiram do desmembramento dos impérios (Finlândia, Estónia, Letónia, Lituánia, Polónia, Hungria); Outros estados são formados por várias nacionalidades (Checoslováquia (República Checa e Eslováquia), Jugoslávia (Sérvia, Croácia, Macedónia, Eslovénia, Bósnia-Herzegovina, Montenegro e Kosovo) );
  15. 15. O expansionismo europeu 15 O que é um estado-nação? Um estado é uma entidade política e geopolítica; Uma nação é uma unidade étnica e cultural; Estado-nação implica em uma situação onde os dois são coincidentes. Wikipédia (adaptado)
  16. 16. 16 Os estados vencidos (Áustria e Turquia) sofreram perdas territoriais muito fortes; A Alemanha perdeu 1/7 do seu território, a Prússia Oriental ficou separada (corredor de Dantzig); Ficou sem 1/10 da sua população; Tratado de Versalhes:
  17. 17. O expansionismo europeu 17 Perdeu as suas colónias e marinha de guerra, as minas de carvão do Sarre foram entregues, por um período de 15 anos, à França; Foi condenada a pagar pesadas indeminizações aos vencedores; Parte do seu território foi desmilitarizado; O exército foi reduzido a 100 mil homens;
  18. 18. 18 A Sociedade das Nações e a nova ordem internacional
  19. 19. 19 O Presidente norte-americano, Thomas Woodrow Wilson, propõe, em 1919, a criação de uma liga de nações, a Sociedade das Nações (SDN); Os seus principais objetivos consistiam em promover a cooperação e a paz entre as nações, subordinadas ao Direito Internacional;
  20. 20. O expansionismo europeu 20 Uma agressão a um dos membros obrigava os outros a intervirem; Assegurar a independência e integridade territorial dos estados; A sua sede estabeleceu-se na cidade suíça de Genebra; A SDN constituiu uma razão de esperança para os povos;
  21. 21. 21 No entanto logo de início surgiram vários problemas na constituição da SDN; Na SDN falta uma pedra? EUA
  22. 22. 22 A difícil recuperação económica da Europa e a dependência em relação aos Estados Unidos A Primeira Guerra Mundial teve consequências muito diferenciadas sobre os diversos países.
  23. 23. O expansionismo europeu 23 Pela análise destes dados quais os países mais afetados e os mais beneficiados?
  24. 24. 24
  25. 25. 25 Uma das consequências do conflito mundial foi o declínio dos países europeus e a elevação dos Estados Unidos à categoria de maior potência mundial; Perdas europeias: Demográficas: perdas humanas durante a guerra, diminuição da mão de obra, envelhecimento da população, excedente da população feminina; Materiais: a Europa, sobretudo a Central em ruínas (cidades, fábricas, quintas e vias de comunicação destruídas);
  26. 26. 26 Perdas europeias: Económicas: Racionamento dos bens essenciais; Inflação galopante (os estados emitiram moeda, provocando a sua desvalorização); Perda de poder de compra da classe média;
  27. 27. O expansionismo europeu 27 Os países europeus recorreram a empréstimos estrangeiros, como não os podiam pagar recorriam a mais empréstimos, desequilibrando a balança de pagamento dos estados, agrava-se o défice dos países; A partir de meados da década de 20 existe alguma recuperação económica, dando origem aos “Loucos Anos Vinte”, que no entanto seriam de curta duração;
  28. 28. 28 A indústria americana aproveitou o declínio da indústria europeia e desenvolveu modos de produção mais eficientes: Estes novos métodos foram introduzidos por Henry Ford e por isso ficaram conhecidos como “fordismo”; Baseava-se no “taylorismo” (divisão do trabalho em tarefas simples, rápidas e repetitivas); https://www.youtube.com/watch?v=DfGs2Y5WJ14
  29. 29. O expansionismo europeu 29 A produção em série levou à estandardização (produtos iguais); Estes métodos de trabalho levaram à produção em massa; O preço dos produtos baixou e o consumo subiu;
  30. 30. 30 Difunde-se a venda a crédito e a prestações; Desenvolve-se a publicidade; Surgem os monopólios (o controlo, por parte de uma empresa, da produção de um determinado produto);
  31. 31. 31 A Europa, até 1925, mergulhou numa grave crise económica; Para recuperarem da crise, os países europeus, adotaram medidas protecionistas (aumento das taxas alfandegárias); A concorrência entre países aumentou as rivalidades económicas;
  32. 32. 32 A frágil prosperidade da década de 20 A indústria americana, nos finais da década de 20, diminuiu as suas exportações para a Europa, os stocks começaram a acumular-se; Existia na sociedade americana uma febre de investimento bolsista e milhões de americanos compravam ações a um preço superior ao seu real valor;
  33. 33. 33 A Rússia no início do século XX Monarquia absoluta (Czar Nicolau II); Sociedade feudal e hierarquizada; A maior parte das terras pertenciam ao clero e à nobreza; Economia atrasada baseada na agricultura; Pouca indústria; Pouco comércio; Poucas e más vias de comunicação;
  34. 34. 34 Os camponeses (85% da população) reivindicavam terras que estavam na posse da aristocracia; O proletariado exigia melhores salários e condições de trabalho; A burguesia e, mesmo, parte da aristocracia pretendiam a modernização do país e uma maior abertura política; Várias organizações políticas opunham-se ao absolutismo: Partido Operário Social-Democrata (bolcheviques e mencheviques); Surgiram os sovietes controlados pelos bolcheviques;
  35. 35. 35 Após a revolução de 1905 a frágil tentativa do czar de liberalizar o regime falhou completamente; A participação da Rússia na I Guerra Mundial, as derrotas militares e a falta de alimentos agravaram a situação; Em fevereiro de 1917, dá-se uma revolução e o Czar abdicou; Foi constituído um governo provisório liderado pelos mencheviques que mantém a Rússia na guerra; Os bolcheviques opõem-se ao governo;
  36. 36. 36 Em outubro, 25, os bolcheviques, liderados por Lenine, organizam uma revolução que leva ao poder o Partido Bolchevique; Medidas tomadas pelo governo bolchevique: Paz com a Alemanha (tratado de Brest-Litovsk); Nacionalização da propriedade privada; Criação da Tcheka (polícia política);
  37. 37. 37 O governo bolchevique baseava as suas ideias no marxismo- leninismo; Procurou implementar a ditadura do proletariado (retirar todo o poder à burguesia e criar as bases para construir uma sociedade comunista);
  38. 38. 38 Emerge uma guerra civil (1918-1920): Exército Branco (reúne todos os opositores do regime e são apoiados pelos EUA, Reino Unido, França); Contra Exército Vermelho (bolchevique);
  39. 39. O expansionismo europeu 39 Inicia-se a fase conhecida por Comunismo de Guerra (1918- 1921): Proibição de todos os partidos (exceto o bolchevique que mudou o nome para Partido Comunista); Instauração da censura; Perseguição de todos os opositores políticos;
  40. 40. 40 A guerra civil arruinou a Rússia; Para restaurar a economia, Lenine, lançou a Nova Política Económica (NEP) (1921-1927): O estado controlava as indústrias mais importantes e os transportes; Era permitida a iniciativa privada para a pequena indústria (menos de 20 trabalhadores) e produção agrícola;
  41. 41. O expansionismo europeu 41 Fomentou-se a entrada de capitais estrangeiros; Restaurou-se (em parte) a liberdade de comércio; Esta política levou ao aumento da produção e à melhoria das condições de vida das populações;
  42. 42. 42 Em 1922 foi criada a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas; Uma federação de estados; A Revolução Bolchevique teve um grande impacto mundial, em muitos países do mundo surgem partidos comunistas; A burguesia fica assustada pois teme a tomada do poder por parte dos comunistas;
  43. 43. Módulo 7, História A 43 No século XX surgem grandes cidades com milhões de habitantes, nos países mais industrializados a população urbana ultrapassou a rural; Esta massificação da urbanização vai contribuir decisivamente para grandes transformações na cultura e vida da civilização oriental; Transformações sociais nas primeiras décadas do século XX
  44. 44. Módulo 7, História A 44 Nas grandes metrópoles os indivíduos tornam-se anónimos no meio da multidão; A cultura tende para a estandardização e massificação; Nos tempos livres a população dirige-se para os cafés, os cinemas, os estádios, salões de baile, etc.; A proliferação da classe média levou ao desenvolvimento de uma nova cultura do ócio, a cidade fomenta esta cultura fornecendo alternativas diversificadas;
  45. 45. 45 A Primeira Guerra Mundial contribuiu para uma mudança na condição feminina; O desenvolvimentos dos transportes públicos e do automóvel tornam as deslocações mais fáceis; O desporto entra nos hábitos do quotidiano; A vida acelera;
  46. 46. 46 O trabalho desumaniza-se; A racionalização do trabalho tende a transformar o Homem num escravo da atividade profissional e dos valores materiais que esta pode proporcionar;
  47. 47. 47 Nos Anos Vinte surge a cultura do lazer; As populações urbanas procuram viver de forma frenética e ruidosa;
  48. 48. Módulo 7, História A 48 Surge um novo conceito de família: O casamento como um contrato é substituído pelo casamento por amor; A institucionalização do divórcio torna o casamento mais instável; Divulgam-se as práticas anticoncecionais, o número de filhos por casal diminui;
  49. 49. Módulo 7, História A 49 A crise dos valores tradicionais Os habitantes das cidades perderam as suas raízes rurais; Submetem-se a novos ritmos de trabalho; O mundo urbano não favorece o enraizamento das populações, o emprego é precário e os transportes favorecem as deslocações; Desaparecem as solidariedades tradicionais do mundo rural; A vida urbana é condicionada pelo individualismo e pelo anonimato;
  50. 50. 50 A Primeira Guerra Mundial terminou com a época de otimismo e de crença no desenvolvimento científico interrupto e colocou em causa os valores morais e culturais herdados do século XIX; O conflito mundial tenha causado a morte a 10 milhões de pessoas e ao desencadear de uma grave crise económica; Surge um sentimento de pessimismo e de descrença no futuro;
  51. 51. 51 A evolução da condição feminina As primeira reivindicações femininas surgiram em meados do século XIX, consistiam na luta pelo direito à propriedade, à tutela dos filhos em caso de viuvez, ao acesso à educação; No inicio do século XX surgem as primeiras reivindicações sufragistas;
  52. 52. O expansionismo europeu 52 Surgem movimentos que lutam pelo direito a votar das mulheres; Destacou-se, em Inglaterra, o papel desempenhado por Emmeline Pankhurst; Lutam também pelo acesso a cargos públicos e a igualdade no trabalho e na família;
  53. 53. 53 O movimento sufragista inglês organizou várias formas de protesto; Em Portugal, em 1909, surgiu a Liga Republicana das Mulheres Portuguesas e em 1911, a Associação de Propaganda Feminina; Carolina Beatriz Ângelo, em 1911, e aproveitando uma omissão da lei foi a primeira mulher a votar em Portugal; A legislação foi imediatamente corrigida;
  54. 54. Módulo 7, História A 54 Apesar das reivindicações feministas, e apenas com algumas exceções, até à primeira Guerra Mundial a mulheres continuaram arredadas do sufrágio; A guerra alterou esta situação, com os homens na frente de batalha, muitas mulheres acederam a empregos;
  55. 55. 55 As mulheres demonstraram que podiam substituir os homens nas mais variadas profissões; Por outro lado passaram a auferir um salário, o que lhe dá a independência económica;
  56. 56. 56 Nos anos a seguir à guerra, as mulheres vão ganhando o direito de participação na vida política pelo menos em grande parte dos países ocidentais; Frequentam festas, vivem e viajam sozinhas, usam o cabelo curto “à garçonne”; A luta pela completa igualdade foi longa e difícil e ainda hoje não está completa;
  57. 57. 57 1.4.3 As vanguardas: ruturas com os cânones das artes e da literatura O desenvolvimento das novas ideias filosóficas e científicas teve um efeito na cultura e no início do século XX desenvolve-se uma estética nova; Este movimento cultural e artístico ficou conhecido pelo nome de Modernismo;
  58. 58. O significado do termo Expressionismo em arte aplicou- se à arte na qual a forma não nasce diretamente da realidade observada, mas de reações emocionais e subjetivas à realidade; Munch, O grito 58
  59. 59. Surge uma estética nova; 59
  60. 60. Matisse, Harmonia Vermelha, 1908 Expressionismo 60
  61. 61. Primeira revolução artística do século XX; Afirmam a autonomia da cor; Entendem a pintura como instinto, como veículo de expressão das suas emoções; Exaltam as cores fortes; Dérain, Retrato de Matisse, 1905 61
  62. 62. O Expressionismo pretende transmitir ao espectador emoções estéticas profundas; Através da exaltação das cores que delimitam e definem as formas planificadas; Onde a ilusão da terceira dimensão se perde; Vlaminck, Port Marley 62
  63. 63. Braque, Parque de Cárrierres O cubismo foi um dos movimentos mais importantes da arte do século XX; Os seus criadores foram: Pablo Picasso (1881-1973), em Horta del Hebro; Georges Braque, em L’Éstaque (1882-1963) Módulo 7, História A 63
  64. 64. O motivo (objeto, pessoa, paisagem) não é representado de um único ponto de vista, mas sob vários pontos de vista na mesma representação (perspetivas múltiplas), introduzindo a dimensão tempo às outras três; 64
  65. 65. Inspiração na Teoria da Relatividade de Einstein; 65
  66. 66. Picasso e Braque iniciaram uma das maiores revoluções da Arte: Abrindo caminho à arte abstrata e outros movimentos artísticos; 66
  67. 67. Picasso, Les Demoiselles d’Avignon, 1906/07 Módulo 7, História A 67
  68. 68. O abstracionismo nasceu em 1910 a partir de uma experiência de Kandinsky; Arte abstrata: toda a arte que não contém nenhuma relação com a realidade, quer essa realidade tenha sido ou não o ponto de partida do artista; Módulo 7, História A 68
  69. 69. Kandinsky, Composição VII, óleo, e estudos para o quadro 69
  70. 70. Kandinsky, Com o arco negro “A cor é o meio de exercer uma influência directa na alma. A cor é a tecla. O olhar o martelo. A alma é o piano de muitas cordas. O som musical tem acesso directo à alma, e aí encontra de imediato uma ressonância, porque o Homem tem música em si mesmo, que pode negar que isso também pode ser válido para a pintura”. Kandinsky 70
  71. 71. Kandinsky, Improvisação V “A cor assim como afecta os animais, também afecta, com igual força e vigor, as reacções humanas” Kandinsky 71
  72. 72. Malevitch, Composição Suprematista Abstracionismo Geométrico 72
  73. 73. Mondrian, Vermelho, Amarelo e Azul As formas e as linhas estabelecem múltiplas relações espaciais que assentam no equilíbrio, harmonia e serenidade do ângulo recto; O ângulo recto e a harmonia estiveram presentes em todas as actividades artísticas; 73
  74. 74. Mondrian, Vermelho, Amarelo e Azul A vertical e a horizontal são a expressão de duas forças opostas; A cor deve ser plana e primária; A arte não deve ter qualquer relação com o aspeto natural das coisas; 74
  75. 75. Futurismo Balla, Menina a correr numa varanda 75
  76. 76. Carrá, Manifestação Intervencionista, 1914, colagens 76
  77. 77. Boccioni, Estados de Espírito I, Os Adeuses, 1911 O Futurismo nasceu em Itália, mas oficialmente apareceu em 1909, com a publicação do Manifesto Futurista, de Filippo Tommaso Marinetti (poeta), no jornal Le Fígaro, de Paris; Primeiro surge na literatura e estende-se às artes plásticas, arquitetura, música e cinema; 77
  78. 78. Carro de corrida do início do século XX, Vitória de Samotrácia No Manifesto afirma-se: “Um automóvel de corrida com o seu adorno de grossos tubos semelhantes a serpentes de hálito explosivo (…) é mais belo que a Vitória de Samotrácia”; 78
  79. 79. Balla, Dinamismo de um cão conduzido pela trela 79
  80. 80. Boccioni, Formas Únicas em Continuidade no Espaço, 1913, Bronze 80
  81. 81. 81 A nova arquitetura: Escola de Chicago e Bauhaus Na Europa e nos EUA surgiram duas escola de arquitetura que desenvolveram o modernismo: Formas geométricas; Superfícies planas e retilíneas; Pouca decoração; É uma arquitetura funcional;
  82. 82. 82 A Escola de Chicago desenhou os primeiros arranha-céus;
  83. 83. 83 O arquiteto americano, Frank Lloyd Wright criou um novo tipo de edifícos em que os espaços interiores harmonizavam-se com a paisagem, a arquitetura funcional orgânica;
  84. 84. 84 Na Alemanha a escola de artes, Bauhaus, desenha edifícios e objetos de design de carácter utilitário;
  85. 85. 85 Os caminhos da literatura Tal como nas artes plásticas a literatura sofreu uma verdadeira revolução e também aqui as tradições e valores foram postos em causa; Surgiram novos tipos de escrita; Foi abandonado a descrição realista e ordenada da realidade; Muitas obras literárias procuraram retratar a vida psicológica e interior das personagens; As obras literárias são dominadas pelo pessimismo, o desencanto e a angústia;
  86. 86. 86 Principais obras e artistas: Ulisses, James Joyce; Montanha Mágica, Thomas Mann; Adeus às Armas, Ernest Hemingway
  87. 87. 87 O Modernismo em Portugal Nos inícios do século XX em Portugal a criação artística e literária estava dominada pelo naturalismo e evidenciava uma forte resistência à mudança e à inovação; A burguesia (compradora da cultura) tinha gostos pouco evoluídos condicionando toda a produção cultural portuguesa; Após a implantação da República surgiram alguns grupos de intelectuais portugueses que pretendiam romper com o marasmo da situação;
  88. 88. O primeiro modernismo – a revista Orpheu (1911-1918) Publicação da revista Orpheu (1915), fundada por Mário de Sá- Carneiro (1890-1916) e Fernando Pessoa (1888-1935) ao quais se juntaram Almada Negreiros (1893-1970) e Santa-Rita (1889-1918); Foram os principais responsáveis pela introdução do Modernismo em Portugal; Só foram publicados dois números; 88
  89. 89. 89 Apesar da sua curta duração esta revista desempenhou um papel importante; Promoveu novas formas literárias e artística e contestou o naturalismo; Apesar de terminada a revista, o movimento cultural manteve-se vivo;
  90. 90. 90 O segundo modernismo – a revista Presença (anos 20 e 30) A revista Presença surgiu, em Coimbra, em março de 1927 e foi publicada até 1940; Foi fundada por José Régio, Branquinho da Fonseca e João Gaspar Simões; Seguiram a linha de pensamento fundado pela revista Orpheu e lutaram contra o academismo literário, por uma crítica livre.
  91. 91. 91 Nesta revista participaram nomes como Aquilino Ribeiro, Miguel Torga e Ferreira de Castro entre outros; A Presença defendeu a criação de uma literatura mais viva, livre, oposta ao academismo e jornalismo rotineiro, primando pela crítica, pela predominância do individual sobre o coletivo, do psicológico sobre o social, da intuição sobre a razão. (wikipédia)
  92. 92. Eduardo Viana Viana, O Homem das louças, 1919 92
  93. 93. Amadeo de Souza-Cardoso É uma pintura que é uma reflexão plástica entre o Cubismo e o Abstracionismo; È uma mistura do Cubismo, Futurismo, Expressionismo, Abstracionismo torna difícil a classificação das suas obras; Souza-Cardoso, Casa de Manhufe 93
  94. 94. Souza-Cardoso, Cozinha de Manhufe, 1913 Participou em exposições em Paris, Berlim e Nova Iorque; 94
  95. 95. Souza-Cardoso, Coty 95
  96. 96. Santa-Rita Pintor, A cabeça Guilherme de Santa-Rita (Santa- Rita Pintor); É difícil analisar a sua obra pois, antes de morrer, mandou-a destruir, havendo poucas exceções, como a Cabeça; 96
  97. 97. Fotografia de Santa- Rita Pintor e a revista Portugal Futurista Foi um agitador de ideias, um inovador no campo estético e o organizador da revista Portugal Futurista, em 1917; 97
  98. 98. Almada Negreiros Foi pintor, poeta, cenógrafo, bailarino, caricaturista, dinamizador das revistas Orpheu e Portugal Futurista; A sua pintura balança entre a Arte Nova e a Abstração a Modernidade Futurista e as raízes portuguesas; Almada Negreiros, Autorretrato, Autorretrato num grupo 98
  99. 99. Teve uma ação preponderante no movimento futurista em Portugal; “Ultimatum futurista às gerações portuguesas do século XX”, “Manifesto Anti Dantas”; Almada Negreiros, Nu feminino, 1926 99
  100. 100. Muitos artistas emigraram, caso de Vieira da Silva, outros foram lutando contra a ditadura; Os movimentos de vanguarda desenvolvem-se com grandes dificuldades e desconhecidos para a maioria da população; Nem sempre foram compreendidos pelo público; Foram oposição à ditadura, e procuraram desenvolver a vida cultural portuguesa; 100
  101. 101. Bibliografia: Apresentação construída com base nos livros: Oliveira, Ana Rodrigues e outros, O fio da História, Texto Editora Neto, Helena e outros, História 9, Editora Santillana, 2014 Diniz, Maria Emília, Tavares, Adérito, Caldeira, Arlindo M., História 9, Raiz Editora, 2012 101

×