SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 115
História A - Módulo 9
Alterações geoestratégicas, tensões políticas e
transformações socioculturais no mundo atual
Unidade 1
O fim do Sistema Internacional da Guerra
Fria e a persistência da dicotomia Norte-Sul
http://divulgacaohistoria.wordpress.com/
Módulo 9, História A 2
1.1 O fim do modelo soviético (não é de aprofundamento)
Entre 1985 e 1991 terminou a Guerra Fria, as democracias
populares aboliram a comunismo, as duas Alemanhas unificaram-se
e a URSS desintegrou-se;
Os EUA tornaram-se a única superpotência mundial;
Gorbatchev, último líder da URSS
Módulo 9, História A 3
1.1.1 A Era Gorbatchev
Gorbatchev foi eleito secretário-geral do Partido Comunista
soviético em março de 1985;
A URSS encontrava-se numa situação difícil herdada dos tempos de
Brejnev:
Atraso económico e tecnológico em relação aos EUA;
Dificuldade em suportar as despesas decorrentes da sua influência
no Mundo;
Incapacidade de competir com o projeto americano da era Reagan
de “Guerra das Estrelas”;
Gorbatchev iniciou uma política de aproximação e de diálogo com o
Ocidente;
Módulo 9, História A 4
Propôs aos EUA reiniciar as negociações sobre o desarmamento;
Na URSS iniciou uma política de reestruturação económica
(Perestroika)e de transparência política (Glasnost);
Em termos económicos pretendia:
Descentralizar a economia;
Estabelece a gestão autónoma das empresas (perdem as diretivas
quinquenais e os subsídios que lhes permitiam manter a falta de
produtividade);
Incentiva a formação de um setor privado sobretudo na área de
bens de consumo (cronicamente deficitário);
Módulo 9, História A 5
No âmbito da glasnost incentiva a crítica (abolição da censura) e a
denúncia da corrupção;
Inicia-se a abertura democrática da URSS;
Em março de 1989 realizam-se eleições livres e pluralistas na União
Soviética para a eleição do Congresso dos Deputados do Povo;
Módulo 9, História A 6
O colapso do bloco soviético
As democracias do Leste europeu puderam escolher os seus regimes
políticos;
Durante o anos de 1989 os partidos comunistas perdem o seu lugar
de “partido único” e na maior parte desses países realizam-se
eleições livres:
No dia 9 de novembro de 1989 cai o Muro de Berlim;
Módulo 9, História A 7
A Alemanha é reunificada;
Em novembro de 1990 o Pacto de Varsóvia é dissolvido;
Em 1991 é extinto o COMECON;
Módulo 9, História A 8
O fim da URSS
Na URSS surgem as reivindicações nacionalistas de muitos povos
que levou ao desmembramento da União Soviética;
O processo iniciou-se nas Repúblicas Bálticas (Estónia, Lituânia e
Letónia) que tinham sido anexadas pela URSS no final da II Guerra
Mundial;
Gorbatchev tentou impedir o processo pela força e acabou afastado
do poder;
Em junho 1991, Boris Ieltsin, é eleito presidente da Rússia;
Módulo 9, História A 9
Até aos finais de 1991, a maioria das antigas repúblicas da URSS
declara sua independência;
Em 21 de dezembro de 1991 surge a CEI (Comunidade de Estados
Independentes) que agrupa 12 das antigas 15 repúblicas soviéticas;
Em 25 de dezembro de 1991, Gorbatchev abandona a presidência
da URSS que de facto já tinha desaparecido;
Módulo 9, História A 10
Módulo 9, História A 11
1.1.2 Os problemas da transição para a economia de mercado
Na Rússia, a perestroika, com o fim
dos subsídios às empresas estatais,
levou a uma rápida detioração de
uma economia que já se encontrava
numa situação difícil;
As empresas depararam-se perante
a necessidade de se tornarem
lucrativas, uma desapareceram
outras despediram pessoal;
A liberalização dos preços originou
uma inflação muito acentuada;
Módulo 9, História A 12
Por outro lado, um pequeno grupo, acumulou fortunas fabulosas;
Muitos dos antigos quadros do Partido Comunista assumiram o
controlo de empresas;
Muitos negócios são feitos de forma pouco transparente e muitas
vezes ilegais;
Em meados dos anos 90, 5% da população concentrava 45% dos
rendimentos globais;
Módulo 9, História A 13
Todos os antigos países comunistas, do Leste Europeu, tiveram
uma transição difícil para a economia de mercado;
Viram-se privados dos subsídios que recebiam da URSS, tinham um
parque industrial obsoleto e o seu mercado internacional
preferencial, o COMECON, estava a colapsar;
Nestes países houve uma regressão económica, taxas de
desemprego elevadas, maior desigualdade social;
A taxa de pobreza nesses países passou de 2% para 21% do total da
população;
Módulo 9, História A 14
No entanto existiram assimetrias muito grandes:
A ex-RDA beneficiou dos grandes investimentos realizados pelo
governo alemão;
Países como a República Checa, a Hungria e a Polónia conseguiram
captar investimentos estrangeiros e em meados dos anos 90
verificavam-se já a ultrapassagem do nível de vida da era
comunista;
Muitos destes países aderiram à União Europeia;
Módulo 9, História A 15
1.2. Os polos de desenvolvimento económico
O mundo concentra o seu desenvolvimento económico em três
polos distintos: Os EUA, a UE e a zona da Ásia-Pacífico;
Em termos político-militares o poder, com o fim da URSS, está
concentrado nos EUA;
Módulo 9, História A 16
1.2.1 A Hegemonia dos EUA
Os EUA são:
o quarto maior país do Mundo (9,4 milhões de Km2);
o terceiro mais populoso (300 milhões de habitantes);
o maior Produto Nacional Bruto (PNB)(12 biliões de dólares).
Dominam a vida económica mundial, são a maior potência
económica;
Módulo 9, História A 17
A sua economia está baseada na livre iniciativa e no liberalismo
económico;
Os governos americanos incentivam a livre iniciativa e asseguram
uma elevada competitividade;
Os impostos são pequenos,
A segurança social é ligeira,
Quase não existem impedimentos legislativos aos despedimentos,
E a legislação laboral é pouco restritiva para o patronato;
Módulo 9, História A 18
O tecido industrial americano está baseado na existência de grandes
empresas multinacionais e um grande número de pequenas e
médias empresas;
Módulo 9, História A 19
Os setores de atividade
A economia americana é uma economia centrada no setor
terciário (75% da população ativa, é uma economia pós-industrial;
É a maior exportadora de serviços a nível mundial;
Representa 70% do PIB americano;
Módulo 9, História A 20
A agricultura está industrializada e apresenta uma produtividade
muito alta;
Muitas multinacionais investem na agricultura;
São os maiores exportadores de produtos agrícolas do Mundo;
A agricultura americana representa 18% do PIB e ocupa cerca de 20
milhões de trabalhadores;
Módulo 9, História A 21
A indústria representa cerca de 25% da produção mundial;
Os setores tradicionais (siderurgia e têxteis) entraram em declínio
nos finais do século XX;
O Manufacturing Belt perdeu importância;
Módulo 9, História A 22
Surge o Sun Belt onde se localizam as indústrias de alta tecnologia
(eletrónica, aeroespacial e aeronáutica);
O centro financeiro mantêm-se em Nova Iorque;
Esta situação geográfica privilegia os contactos com o Pacífico e
América Latina;
Módulo 9, História A 23
Nos anos 80, os governos de Ronald Reagan (1981-1989) e de
George Bush (1989-1993) adotaram medidas neoliberais:
Redução dos impostos;
Valorização do dólar;
Liberalização da circulação de capitais a nível internacional;
Vulgarização do recursos ao crédito;
Precarização do trabalho e mão de obra mais barata;
Investimentos na maquinização para diminuir os custos de produção;
Presença nos países do Golfo garantido o controlo da produção de
petróleo;
Expansão do mercado externo, desenvolvida pela administração de
Bill Clinton;
Módulo 9, História A 24
Novos laços comerciais
O presidente americano Bill Clinton, desenvolveu as relações
económicas com a região do Sudeste Asiático, revitalizou a APEC
(Cooperação Económica Ásia-Pacífico);
Favoreceu a criação da NAFTA (Acordo de Comércio Livre da
América do Norte) que determina a livre circulação de capitais e
mercadorias entre os EUA, Canadá e México. O acordo não incluiu a
livre circulação de pessoas;
O Canadá e o México beneficiaram do acordo mas estão
dependentes dos EUA, 75% do comércio canadense é realizado com
os EUA e o no caso do México 80%;
A criação da ALCA (Área de Livre Comércio das Américas) foi
travada por alguns países latino-americanos pois temiam a
dependência face aos EUA;
Módulo 9, História A 25
O dinamismo científico-tecnológico
Os EUA detém a supremacia económica e militar a nível mundial;
Gastam mais em investigação científica do que os outros membros
do G8 em conjunto;
O que é o G8?
Grupo dos 8 países mais industrializados que inclui: EUA,
Alemanha, Canadá, França, Itália, Japão, Reino Unido e Rússia.
Módulo 9, História A 26
O governo americano comparticipa nas despesas das pesquisas
privadas e faz encomendas de material militar sofisticado;
Cerca de 400.000 cientistas europeus trabalham nos EUA;
Nos EUA surgiram os polos de desenvolvimento tecnológico, os
tecnopolos, o mais famoso, situa-se na Califórnia, é o Silicon Valley;
Nestes polos, universidades e empresas colaboram nas pesquisas
tecnológicas;
Módulo 9, História A 27
A hegemonia político-militar
Com o fim da Guerra Fria, nos inícios dos anos 90, surgiu a
esperança no desenvolvimento de uma nova era de paz e
cooperação entre as Nações;
George Bush (pai), presidente americano entre 1989-1993, defende
a criação de uma nova ordem mundial guiada pelos valores que
presidiram à criação da fundação da ONU em 1945;
Módulo 9, História A 28
Em 1990, a ONU aprova uma operação militar, liderada pelos EUA,
para libertar o Kuwait, que tinha sido invadido pelo Iraque;
Em janeiro de 1991, dá-se início à “Guerra do Golfo”, que foi
transmitida em direto pela televisão;
Perante o exército iraquiano, o quarto maior do mundo, com 1
milhão de soldados, os EUA, exibem uma superioridade militar
avassaladora;
Módulo 9, História A 29
Este conflito, o primeiro após, o fim da Guerra Fria, os EUA
demonstraram uma hegemonia militar esmagadora;
O colapso da URSS, deixou os americanos sem rivais na cena
político-militar;
As despesas militares do Japão são insignificantes e a UE, não tem
uma política externa comum;
Os EUA investem maciçamente no complexo industrial militar;
Transformaram-se na única superpotência;
São os “polícias do Mundo”;
Módulo 9, História A 30
Os EUA desempenham um papel fundamental na geopolítica do
Mundo;
Multiplicaram as imposições de sanções económicas, dezenas de
países sofrem ou estão ameaçados de sofrer sanções;
Módulo 9, História A 31
Reforçaram o papel da NATO. Esta deixou de ter um papel
meramente defensivo e passou a zelar pela segurança europeia com
intervenções armadas em vários países;
Vários países que pertenceram ao Pacto de Varsóvia aderiram à
NATO;
Os EUA desenvolveram várias ações armadas de combate ao
terrorismo, humanitárias e de destituição de regimes autoritários
que o governo americano considera uma ameaça à paz;
Módulo 9, História A 32
Os EUA, apesar da Rússia ter diminuído drasticamente os seus
investimentos na área militar, continuou com investimentos
massivos:
Continuam com a Iniciativa de Defesa Estratégica (guerra das
Estrelas), iniciada por Ronald Reagan;
Recusam-se a assinar o Protocolo de Quioto;
Recusam a submeter os seus militares à ação do Tribunal Penal
Internacional;
Intervêm militarmente em várias áreas do globo, sozinhos ou
integrados nas forças da NATO;
Desenvolvem programas de inovação tecnológica na área militar;
Módulo 9, História A 33
São os “polícias do Mundo”:
1986 – atacam vários alvos na Líbia;
1991 – Guerra do golfo;
1992 – Intervenção na Somália;
1999 – Intervenção na Sérvia;
Módulo 9, História A 34
A Guerra do Golfo reforçou a presença americana no mundo árabe;
O persistente apoio prestado a Israel levam ao ressurgimento do
terrorismo de carácter religioso;
2001 – 11 de setembro ataque da Al-Qaeda às Torres Gémeas e ao
Pentágono em Washington;
Módulo 9, História A 35
Este ataque levou a que a administração (governo) americana
transformasse a luta contra o terrorismo como o novo paradigma
da sua política internacional;
Esta política foi definida na Nova Estratégia de Segurança Nacional
(NSS) patrocinada pelo presidente americano, George W. Bush;
Módulo 9, História A 36
O Mundo foi dividido entre os que estavam ao lado da democracia e
liberdade, e os que apoiavam o terrorismo, o “Eixo do Mal”;
Autorreconhecem o direito de levar a cabo guerras preventivas;
Continuam a investir fortemente na indústria militar;
Reforçam a cooperação internacional multilateral, mas se
necessários agirão unilateralmente;
Defendem o direito de espelhar a democracia e os direitos humanos
em todo o mundo, nomeadamente no mundo árabe;
Módulo 9, História A 37
2001 – Invadem o Afeganistão para capturarem Bin Laden,
derrubam o governo dos taliban e procuram democratizar o país;
2003 – Invadem o Iraque e destituem o Presidente Saddam
Hussein;
Levam a cabo uma campanha internacional contra os regimes do
Irão e da Coreia do Norte;
Continuam a perseguir os terroristas e em maio de 2011, matam
Bin Laden, na sua casa no Paquistão;
Módulo 9, História A 38
1.2.2 A União Europeia
Tratado de Roma (1957) abriu caminho para a integração
económica na CEE (Comunidade Económica Europeia);
Foi assinado em 25 de Março de 1957 em Roma pela Alemanha
Ocidental, França, Itália, Bélgica, Países Baixos e Luxemburgo;
Entrou em vigor em 1 de Janeiro de 1958;
Consistia em dois tratados:
Tratado Constitutivo da CEE;
Tratado Constitutivo da Comunidade Europeia da Energia
Atómica (Euratom);
Módulo 9, História A 39
Módulo 9, História A 40
A União Aduaneira inicia-se em 1968;
A CEE foi progressivamente alargando o âmbito da sua atuação;
Surgiram mais e mais complexos organismos;
É acordado entre os países membros o estabelecimento de uma
política agrícola comum (PAC);
Ações de combate ao desemprego;
Criação de um sistema monetário europeu, European Currency Unit
(ECU);
Ajudas para as regiões mais desfavorecidas;
No entanto, no início dos anos 80, a CEE, estava letárgica;
Módulo 9, História A 41
Em meados dos anos 80, o novo presidente, Jacques Delors, vai dar
um novo impulso à Comunidade;
Dão-se avanços na união económica;
Em 1986 é assinado o Ato Único Europeu (1986) que prevê a
instauração de um mercado único para 1993 (circulação livre de
pessoas, mercadorias, capitais e serviços);
Foi publicado um Livro Branco que enumerava as medidas a tomar e
os seus prazos;
Um estudo económico realizado previa que, os signatários do
acordo, teriam de lucro entre 4% a 7% do PIB comunitário;
Módulo 9, História A 42
Acordos de Schengen
1985, a Alemanha, Benelux e
França decidem criar um
espaço sem restrições para a
circulação de pessoas;
Progressivamente foi estendida
a outros países da UE;
O Reino Unido e a Irlanda não
aderiram;
Aderiram países que não
pertencem à UE como a Suíça.
Islândia e a Noruega;
Módulo 9, História A 43
O Ato Único Europeu
1986 – Faz-se a revisão dos tratados fundadores (Tratado de Paris
(1951) e Tratado de Roma (1957);
O Ato Único Europeu reforçou o carácter supranacional dos órgãos
de governo comunitários e acelerou a união económica da Europa;
Módulo 9, História A 44
As perspetivas de lucro e a publicação do Livro Branco tiveram o
efeito de mobilizar os governos, empresas e sindicatos para a
realização do Mercado Único;
Em 1992 é assinado o Tratado de Maastricht que aumenta as
competências da Comunidade para setores como a moeda, política
externa, defesa e política migratória;
O tratado entra em vigor em 1993;
Estabelece a União Europeia (UE)
Tratado de Maastricht
Módulo 9, História A 45
Tratado de Maastricht (os três pilares)
Económico e social
(Mercado Único)
Moeda única e
cidadania europeia
Política externa e
segurança comum
(PESC)
Cooperação justiça e
assuntos internos
O aprofundamento no funcionamento da União Europeia é muito
mais profundo a nível de da economia;
Módulo 9, História A 46
Maastricht definiu o objetivo de adoção de uma moeda única;
A 11 de janeiro de 1999, 11 países, a Grécia entrou mais tarde, o
euro entrou em funcionamento nos mercados de capitais;
A 1 de janeiro de 2002 entra em circulação;
Começa a funcionar o Banco Central Europeu que define a política
monetária da UE;
Ao abandonarem as moedas nacionais os países perderam um dos
maiores símbolos de soberania nacional;
Módulo 9, História A 47
A UE tornou-se a maior potência comercial do Mundo;
O PIB é semelhante aos EUA;
A população é superior a 500 milhões;
Mão de obra qualificada;
Elevado nível de consumo;
No entanto, no início do século XXI, mostrou um crescimento débil
se comparado com os EUA;
Crescimento da UE 2,5% e dos EUA 3,8%;
Nível de desemprego superior ao americano;
Outro problema é o do envelhecimento da população;
Módulo 9, História A 48
Módulo 9, História A 49
Alemanha (1952)
Áustria (1995)
Bélgica (1952)
Bulgária (2007)
Chipre (2004)
Croácia (2013)
Dinamarca (1973)
Eslováquia (2004)
Eslovénia (2004)
Espanha (1986)
Estónia (2004)
Finlândia (1995)
França (1952)
Grécia (1981)
Hungria (2004)
Irlanda (1973)
Itália (1952)
Letónia (2004)
Lituânia (2004)
Luxemburgo (1952)
Malta (2004)
Países Baixos (1952)
Polónia (2004)
Portugal (1986)
Reino Unido (1973)
República Checa (2004)
Roménia (2007)
Suécia (1995)
Estados-Membros da UE
Módulo 9, História A 50
O tratado de Amesterdão
1997 – Assinado o tratado de Amesterdão;
É adotado um Pacto de Estabilidade e Crescimento (PEC) no
sentido de criar uma disciplina orçamental entre todos os países
membros para permitir a implementação da União Económica e
Monetária (UEM);
São determinadas as condições para o lançamento do euro, em
duas fases: 1 janeiro de 1999 (mercado de capitais), 1 de janeiro de
2002, na UE com exceção do Reino Unido, Suécia e Dinamarca;
Módulo 9, História A 51
Tratado de Nice
Estabelecido em dezembro de 2000, assinado em fevereiro de 2001,
para entrar em vigor em fevereiro de 2003;
Estabelece-se o alargamento para alguns países do leste europeu;
A UE passa a ter 27 países membros em 2007 e com a adesão da
Croácia (2013), 28;
Módulo 9, História A 52
A União Europeia e as dificuldades da construção de uma Europa
política
Apesar da entrada em vigor do euro ter consolidado a UE,
continuam a persistir vários problemas, cuja solução parece difícil e
que, certamente, se arrastará ainda por muito tempo;
A nível político-social o desemprego é um dos problemas maiores;
Nas eleições para o Parlamento Europeu há, em todos os países,
uma elevada taxa de abstenção;
Os diversos países não conseguem um acordo que permita uma
política externa comum;
A criação de uma Constituição europeia ficou marcada pro
profundas diferenças e controvérsias;
Módulo 9, História A 53
A nível político existe a resistência provocada pela perda de
soberania nacional por parte dos países;
O número dos chamados eurocéticos é muito grande;
O Tratado de Lisboa (dezembro de 2007) aprovou um tratado
reformador da constituição europeia;
Em junho de 2008, foi recusado, em referendo, pela Irlanda;
Apesar de aprovado pelos parlamentos dos diversos países
continuam a existir muitas dúvidas sobre a sua implementação;
Módulo 9, História A 54
Na Alemanha surgiu uma forte contestação ao tratado;
Na República Checa a aprovação também foi um processo difícil;
Muitos questionam o tratado afirmando que ele reforça o poder dos
grandes países em desfavor dos mais pequenos;
Módulo 9, História A 55
1.2.3 O Espaço económico da Ásia-Pacífico
A economia da área Ásia-Pacífico evoluiu em três fases distintas:
Módulo 9, História A 56
1ª fase – Japão;
2ª fase – Hong-Kong, Singapura, Coreia do Sul e Taiwan (os quatro
dragões asiáticos);
3ª fase – Tailândia, Malásia, Indonésia (Sudeste asiático) e China (
tigres asiáticos);
Módulo 9, História A 57
Os dragões asiáticos
A Malásia, Indonésia, Tailândia e as Filipinas, como o Japão, eram
superpovoados, tinham falta de terras cultiváveis, matérias-primas
e capitais;
Nos anos 70 vão evoluir de uma economia tradicional, de base
agrícola, para uma rápida industrialização;
A industrialização teve por base a produção e exportação de bens
de consumo;
Surgem os Novos Países Industrializados;
Módulo 9, História A 58
O desenvolvimento económico destes países teve por base o
modelo japonês:
Forte intervenção do Estado na economia (crédito e incentivos);
Programas de educação e formação;
Medidas protecionistas;
Incentivo ao investimento estrangeiro e estabelecimento de
parcerias;
Aprendizagem das tecnologias estrangeiras;
Aproveitamento da mão de obra abundante;
Beneficiar com a mentalidade da população que valoriza a
disciplina e trabalha por salários baixos;
Módulo 9, História A 59
Os setores da eletrónica e dos têxteis foram os setores de arranque,
produtos com baixos preços;
Em meados dos anos 70, conjuntamente com o Japão, produziam
cerca de 60% dos produtos manufaturados a nível mundial;
A Coreia do Sul também investiu nas construção naval e no setor
automóvel;
Módulo 9, História A 60
Os Tigres asiáticos
Na década de 80, surge um novo conjunto de países
industrializados: Tailândia, Malásia, Indonésia e Filipinas;
Em conjunto com Singapura, formaram a ASEAN (Associação de
Nações do Sudeste Asiático), para fomentar a paz e uma zona de
comércio livre onde a cooperação era mais importante que a
concorrência;
O desenvolvimento destes países é consequência do
desenvolvimento da primeira vaga, pois resulta de uma necessidade
de matérias-primas, recursos energéticos (petróleo) e bens
alimentares por parte dos países industrializados da região;
Módulo 9, História A 61
A crise da economia ocidental levou os “Dragões asiáticos”
aproximarem-se de outras economias da região;
A região começou a crescer de uma forma mais integrada;
Os “dragões” produziam mercadorias de melhor qualidade e preço
mais elevado, os países da ASEAN, produzem bem de consumo de
qualidade e preço inferior;
O crescimento dos países asiáticos alterou a relação económica
mundial, e no final do século, Hong Kong e Singapura apareciam
entre os 10 países mais ricos do Mundo;
Passam a concorrer diretamente com os EUA e Europa;
Módulo 9, História A 62
O crescimento destes países teve um custo ecológico elevado;
E na sua maioria, a mão de obra, não beneficiou de um grande
desenvolvimento do seu nível de vida;
Módulo 9, História A 63
A questão de Timor
Módulo 9, História A 64
Em 1949, a Holanda entregou à Indonésia, a parte oeste da ilha de
Timor, Portugal manteve o seu domínio que se estendia desde
1512;
Após 25 de abril de 1974, na ilha que não tinha movimentos de
libertação, surgem 3 partidos:
UDT (União Democrática Timorense) favorável à união com
Portugal com autonomia;
APODETI (Associação Popular Democrática Timorense) que
defendia a integração na Indonésia;
FRETILIN (Frente Revolucionária de Timor-Leste Independente) que
defendia a independência e ideias de esquerda;
Módulo 9, História A 65
Em novembro de 1974 o governador português foi substituído e
tentou-se formar um governo de coligação entre os três partidos;
No ano de 1975 surgem conflitos entre os três partidos;
A FRETILIN prende oficiais do exército português, mais tarde liberta-
os e eles retiram-se para uma pequena ilha em frente a Timor,
Ataúro;
Em 28 de novembro de 1975, a FRETILIN declara unilateralmente a
independência de Timor;
A APODETI proclama a integração na Indonésia;
A 7 de dezembro a Indonésia invade o território;
Módulo 9, História A 66
Dá-se início a uma ocupação violenta do território que não é
reconhecida pela ONU;
Portugal continua a ser considera a potência administrante do
território;
Portugal faz campanha internacional pelos direitos do povo de
Timor à autodeterminação e independência;
Os timorenses organizam com as FALANTIL (Forças Armadas de
Libertação e Independência de Timor-Leste) a resistência armada;
A repressão indonésia é violenta e os direitos humanos são
sistematicamente violados;
Módulo 9, História A 67
No dia 12 de novembro de 1991, quando a população participava no
enterro de um estudante morto pela repressão indonésia, no
cemitério de Santa Cruz, estes carregaram sobre a multidão
provocando 271 mortos;
A presença de um repórter americano, Steve Cox, que filmou o
acontecimento deu visibilidade internacional à luta dos timorenses;
Módulo 9, História A 68
Em 1992, o líder da resistência timorense, Xanana Gusmão, é preso
pelos indonésios, no seu julgamento faz a defesa dos direitos do
povo timorense;
Em 1996, o bispo de Díli, D. Ximenes Belo e o representante da
resistência no exterior, José Ramos Horta foram galardoados com o
prémio Nobel da Paz;
Módulo 9, História A 69
Kofi Annan, eleito secretário-geral da ONU em 1997, coloca na
ordem do dia a questão timorense;
Em julho, Nelson Mandela visita Xanana Gusmão na prisão;
A Indonésia, a braços com um crise económica, vê o regime
ditatorial de Suharto, ser contestado;
Em maio de 1998, Suharto demitiu-se, terminavam 32 anos de
ditadura;
A Indonésia lança um programa de reformas democráticas entre as
quais constam o reconhecimento do povo timorense à
autodeterminação;
Módulo 9, História A 70
Em janeiro de 1999, Portugal e a Indonésia, reatam relações
diplomáticas, e em 5 de maio, assinam um acordo para a realização
de um referendo sobre a independência de Timor, patrocinado pela
ONU, a realizar a 30 de agosto de 1999;
As forças pró integração na indonésia, iniciaram uma campanha de
terror (cerca de 2000 mortos) com o apoio de setores das forças
aramadas indonésias;
Perante a violência o pessoal da ONU foi retirado da ilha;
Módulo 9, História A 71
Os resultados do referendo demonstraram que quase 80% da
população queria a independência;
A indignação e a solidariedade internacional manifestou-se e levou
à criação de uma força de paz patrocinada pela ONU, a INTERFET
(Força Internacional para Timor Leste) que procedeu à pacificação
do território;
Em outubro de 1999 é criado um organismo das Nações Unidas, a
UNTAET (Administração Transitória das Nações Unidas em Timor
Leste), liderada pelo brasileiro, Sérgio Vieira de Mello, que organiza
a transição para um governo timorense;
Módulo 9, História A 72
Julho de 2000 toma posse o governo de transição;
Abril de 2002, primeiras eleições presidenciais, o vencedor foi o líder
histórico da resistência, Xanana Gusmão;
20 de maio de 2002, Timor Leste é oficialmente um novo estado,
membro da ONU;
Encerra-se o colonialismo português;
Módulo 9, História A 73
1.2.4 Modernização e abertura da China à economia de mercado
A morte em 1976 de Mao Tsé
Tung deixou evidente o fracasso
do maoísmo;
Em 1978 subiu ao poder Deng
Xiaoping que iniciou uma série
de reformas da economia
chinesa, integrando-a nos
sistemas financeiros e
comerciais internacionais;
A China aderiu a uma economia
de mercado;
Módulo 9, História A 74
A China foi dividida
em duas áreas
diferentes:
Interior:
permanece rural e
afastado do mundo
exterior;
Litoral:
desenvolve uma
economia de
mercado e abre-se
ao capitalismo e
mercado
internacionais;
Módulo 9, História A 75
A transformação da agricultura
A terra é descoletivizada, são arrendadas aos camponeses;
Os camponeses podem vender os excedentes e ficarem com os
lucros;
Nos 5 anos seguintes a produção agrícola cresce 50%;
Módulo 9, História A 76
A indústria sofreu uma transformação maior:
A prioridade dada à indústria pesada é substituída pela indústria de
bens de consumo;
A autarcia é abandonada em favor da exportação;
A China abre-se aos interesses económicos estrangeiros;
Módulo 9, História A 77
O regime de tipo socialista é conciliado com o capitalismo, é criado,
no entender do próprio regime, o socialismo de mercado;
O país adota a divisa “Um país, dois sistemas”;
Em 1980 são criadas 4 Zonas Económicas Especiais,
completamente abertas às indústrias estrangeiras e com uma
legislação ultraliberal;
Em 1981 surge uma nova zona económica e são abertas 14 novas
cidades ao investimento estrangeiro;
Módulo 9, História A 78
Numa fase posterior o capital estrangeiro, em busca de mão de
obra barata, penetra no interior da China;
Todos os setores da economia são abertos ao sistema capitalista,
apenas os setores considerados estratégicos (indústrias militar,
espacial e telecomunicações) permanece no Estado;
Módulo 9, História A 79
Dá-se a aproximação com o Japão;
Em 1978, a China assina o tratado de paz com o governo japonês;
1979 reata as relações diplomáticas com os EUA;
1980 aderiu ao FMI e Banco Mundial;
1986 ao GATT;
2001 à Organização Mundial do Comércio;
Módulo 9, História A 80
Em 1992 começou a funcionar a Bolsa de Valores de Xangai;
2005 o setor dos lanifícios representa um terço da economia
chinesa;
Investem na tecnologia e na indústria automóvel;
A China com um crescimento, desde 1979, de 9,4% ao ano
modificou o mapa da economia mundial;
Em 2005 é a sexta economia do mundo;
Em 2007 é o quarto maior PIB do Mundo;
Ao ritmo atual em 20 a 30 anos ultrapassará os EUA;
Recém-chegada ao mundo industrializado a China tem a vantagem
de ser rica em recursos naturais e ter uma mão de obra muito
abundante e disposta a trabalhar por um pequeno salário e sem
qualquer regalia social;
Módulo 9, História A 81
A liberalização económica não foi acompanhada pela liberalização
política;
O poder está concentrado no Partido Comunista que continua a ser
um partido único;
As liberdades individuais não são respeitadas;
Nas zonas costeiras surge uma burguesia enriquecida e as massas
camponesas permanecem pobres no interior;
A liberalização da economia levou à inflação;
Módulo 9, História A 82
Neste país socialista as diferenças entre litoral e interior e ricos e
pobres cresceu de forma exponencial;
A incoerência entre a via económica adotada e o regime político
trouxe problemas à liderança do Partido Comunista Chinês;
Em 1986 são reprimidas manifestações em prol da liberalização
política;
Em junho de 1989 os protestos da juventude estudantil na Praça de
Tiananmen terminaram com a ocupação por parte do exército da
praça;
Módulo 9, História A 83
Em 1997 morre Deng Xiaoping mas a China mantém o modelo
económico;
Módulo 9, História A 84
A integração de Hong Kong e Macau
Após vários anos de negociações a Grã-Bretanha acordou, em
1984, a transferência de soberania de Hong Kong (colónia desde o
século XIX) para a China em 1 de julho de 1997;
Este acordo previa a transformação de Hong Kong numa Região
Administrativa Especial, com um grau de autonomia para 50 anos;
O território mantinha em funcionamento as instituições
democráticas e uma moeda própria;
Módulo 9, História A 85
Em 1987, Portugal e a China, acordaram a transferência de poderes
para Macau (colónia portuguesa desde 1557), para 20 dezembro de
1999;
Estas transferências de poder desenvolveram-se sobre o lema: “Um
país, dois sistemas”;
Módulo 9, História A 86
1.3 Permanência de Focos de Tensão em Regiões Periféricas
(não é de aprofundamento)
1.3. 1 A situação da África subsariana (entre o Saara e a África do
Sul)
A descolonização de África provocou múltiplos problemas:
Muitos estados africanos não respeitam as etnias, foram
construções artificiais dos europeus;
Em muitos estados residem etnias, por vezes com fortes rivalidades
entre elas;
Não existe uma consciência de nacionalidade;
Existe uma permanente conflitualidade tribal;
O tribalismo substituiu o partidarismo inviabilizando a democracia
pluralista;
Módulo 9, História A 87
Em muitos destes estados as lutas pelo poder, os genocídios, os
conflitos étnicos, os golpes de estado e guerras civis são frequentes;
As fronteiras traçadas pelos europeus deixaram algumas tribos
espalhadas por vários estados criando zonas de conflito
internacional;
Muitos conflitos são marcados pela disputa de recursos naturais;
Módulo 9, História A 88
A instabilidade política e militar inviabiliza o aproveitamento das
riquezas naturais com eficiência, ou, nalguns casos são exploradas
em proveito de uma elite minoritária;
Estes países estão dominados pela sua crescente dívida externa;
As guerras originam deslocações em massa das populações;
Módulo 9, História A 89
Nestes países não existem infraestruturas económicas eficazes;
Não existem quadros técnicos e administrativos;
A evolução da desertificação torna difícil a agricultura;
O fim da guerra fria levou à perda de importância desses países e
por isso a um menor investimento por parte dos países mais
desenvolvidos;
A diminuição do preço das matérias-primas;
Inexistência de politicas de ensino e saúde eficazes;
Módulo 9, História A 90
A África subsariana
apresenta o pior índice de
desenvolvimento humano
e o maior índice de
pobreza do planeta;
A fome devasta a região;
A SIDA tem tido um
impacto, por falta de
medidas de luta,
profundamente negativo;
Módulo 9, História A 91
1.3.2 A América Latina
Esta região, atá aos finais
do século XX, foi
caracterizada pelas
ditaduras militares, o
subdesenvolvimento, os
movimentos de guerrilha
e a repressão política;
Na última década do
século há um processo de
democratização dos
regimes destes países;
Módulo 9, História A 92
Os EUA, inseridos na política da guerra fria, patrocinaram vários
regimes ditatoriais com o pretexto de deterem o avanço comunista;
Esta política americana foi reforçada após a revolução cubana de
1957;
Na prática, com exceção de Cuba, todo o continente sul-americano
estava sobre a proteção dos EUA;
As ditaduras sul americanas promoviam a repressão política, a
oposição à liberdade de opinião, a perseguição e assassínio de
opositores políticos;
Módulo 9, História A 93
Alguns exemplos:
Brasil: A ditadura começou em 1964 e prolongou-se até 1985;
Chile: O exército, chefiado pelo general Augusto Pinochet, derruba o
governo democraticamente eleito do socialista, Salvador Allende, em
1973 e a ditadura chilena, particularmente sanguinária vai-se
prolongar até 1988;
Argentina: Uma ditadura militar entre 1976 e 1982;
Nicarágua: Ditadura da família Somoza, entre 1937 e 1979;
Paraguai: Ditadura do general Stroessner entre 1954 e 1989;
Módulo 9, História A 94
A violência das ditaduras e o exemplo cubano levou à proliferação,
em muitos destes países, de movimentos de guerrilha de inspiração
marxista;
Nicarágua: Frente Sandinista de Libertação Nacional;
El Salvador: Frente Farabundo Marti para a Libertação Nacional;
Peru: Sendero Luminoso (de inspiração maoísta);
Uruguai: Tupamaros;
Bolívia: Exército de Libertação Nacional;
Argentina: Exército Guerrilheiro do Povo
México: Exército Zapatista de Libertação Nacional;
Colômbia: Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia
Módulo 9, História A 95
Nos anos 80 a ação conjugada das guerrilhas, do agravamento das
dificuldades económicas, o aumento do desemprego, taxas de
inflação muito altas, a crescente mobilização popular (união dos
comunistas, socialistas, setores progressista da Igreja, e
movimentos liberais, levou ao aumento da contestação aos
regimes;
Estes regimes são alvo de denúncias internacionais;
O desaparecimento da guerra fria;
Todos estes fatores contribuíram para a democratização destes
regimes;
Módulo 9, História A 96
A democratização dos regimes levou a que muitos movimentos
guerrilheiros depusessem as suas armas e integrassem-se no
sistema democrático como partidos políticos;
Apesar da evolução do sistema político, e de algumas melhorias no
final do século passado e princípios do século XXI, muitos destes
países continuam a experimentar muitas dificuldades económicas;
Módulo 9, História A 97
Em março de 1991, Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai assinaram
um tratado que deu origem à formação da Mercosul, que um
organismo supranacional destinado a fomentar o desenvolvimento
económico da região;
Alguns países conhecem um desenvolvimento económico
assinalável, nomeadamente o Brasil;
Módulo 9, História A 98
1.3.3 O Médio Oriente e os Balcãs
A criação do Estado de Israel, após a II Guerra Mundial, a guerra
com os Palestinianos e o Mundo Árabe, o apoio do Ocidente aos
judeus, em especial dos EUA, condicionou todo o desenvolvimento
daquela área;
Surge o fundamentalismo islâmico que se tornou numa ameaça à
paz mundial;
Módulo 9, História A 99
A origem do conflito israelo-árabe
Módulo 9, História A 100
A convivência na Palestina entre judeus e árabes foi agravada com a
fundação do sionismo em 1896;
Este movimento defendia o regresso da diáspora hebraica à
Palestina um território maioritariamente habitado por árabes;
Em 1917, na Declaração Balfour, o governo britânico apoiava
estabelecimento de “um Lar Nacional para o Povo Judeu na
Palestina;
Em 1918, a SDN, colocou o território sob administração britânica;
Módulo 9, História A 101
Nos anos 40, face à perseguição nazi, os judeus reivindicam perante
o Reino Unido a formação de um Estado de Israel independente;
A Inglaterra, após o final da II Guerra Mundial, entrega a resolução
do problema às Nações Unidas;
Em 1947, a ONU aprova a divisão do território em dois estados, um
judeu e outro árabe, a cidade de Jerusalém permaneceria sob
controlo das Nações Unidas;
No âmbito da Guerra Fria os EUA apoiam Israel e a URSS, os árabes,
levando ao desencadear do conflito permanente;
Módulo 9, História A 102
O plano da ONU foi rejeitado pelos árabes, a Inglaterra abandona o
território, e em maio de 1948, os judeus proclamam a
independência de Israel;
A Liga Árabe declara guerra a Israel e inicia-se um conflito (1948-
1949) que termina com a vitória dos judeus e a ocupação de vastos
territórios conquistado durante a guerra, a expulsão das
populações árabes e a criação de colunatos;
Módulo 9, História A 103
Em 1957, nova guerra;
1967, a Guerra dos Seis Dias;
1973, a Guerra do Yon Kipur;
Todas estas guerras permitiram ao estado judaico ocupar novos
territórios e expulsar centenas de milhar de palestinianos que se
refugiam nos estados árabes vizinhos;
Módulo 9, História A 104
Em 1959, Yasser Arafat, funda uma organização guerrilheira, a Al-
Fatah;
Em 1964, surge a Organização para a Libertação da Palestina (OLP);
Em 1987, surge a Intifada, uma revolta popular nos territórios
ocupados por Israel. Jovens atacam o exército israelita com pedras
e paus;
Em 1993, em Washington, os Palestinianos reconhecem o direito à
existência de Israel e estes comprometem-se a devolver os
territórios conquistados à Autoridade Nacional Palestiniana,
entretanto constituída;
Módulo 9, História A 105
Apesar dos acordos os radicais nos dois lados recusam aceitá-lo;
Os judeus recusam-se a abandonar os colonatos e os palestinianos
recusam-se a reconhecer Israel;
Os palestinianos lançam ataques suicidas sobre a população judaica,
o exército israelita retalia de forma violenta e indiscriminada;
O primeiro-ministro israelita, Isaac Rabin foi assinado por um judeu
ultraortodoxo e o processo de paz estagna;
Módulo 9, História A 106
A eleição de Ariel Sharon, como primeiro-ministro israelita levou ao
recrudescer do conflito;
Em 2004, Yasser Arafat, morre em Paris;
Apesar das tentativas de negociação, em 2006, as eleições
palestinianas são ganhas por um grupo radical islâmico, o Hamas, o
que cria novas dificuldades no processo de paz;
Módulo 9, História A 107
O Irão
Até 1978, o Irão (Pérsia) foi governada por uma monarquia absoluta,
apoiada pelos EUA, que procurava ocidentalizar o país;
Módulo 9, História A 108
Em 1979, a oposição xiita (93% da população), sob a égide do
ayatolah Khomeini, exilado em França, toma o poder em Teerão, o
monarca, (xá) Reza Pahlevi refugia-se nos EUA;
O Irão constitui-se numa república teocrática baseada na lei
islâmica, o poder passou a ser exercido pelos líderes religiosos
(ayatolah) e a lei fundamental do país passou a ser o Corão;
Constitui-se os “Guardas de Revolução” que perseguem
impiedosamente todos os opositores do novo regime;
O Islão está dividido entre duas conceções diferentes da religião: os
Sunitas e os Xiitas;
Módulo 9, História A 109
Em 1979, perante a recusa dos EUA expatriarem o xá, o Irão ocupa a
embaixada americana em Teerão;
Os EUA passam a ser o grande Satã, os principais inimigos da
revolução e de todo o mundo islâmico;
O fundamentalismo islâmico triunfa no Irão e expande-se por todo o
mundo muçulmano;
Surgem organizações terroristas islâmicas;
Módulo 9, História A 110
Nacionalismos e confrontos políticos e religiosos nos Balcãs
Módulo 9, História A 111
No final da Primeira Guerra Mundial foi criado um novo país, a
Jugoslávia (eslavos do sul), sob a liderança da Sérvia;
Foi constituído por povos com línguas, culturas e religiões muito
diversas;
Após a II Guerra Mundial, a liderança do Marechal Tito, levou à
constituição de uma federação de repúblicas (Sérvia, Croácia,
Eslovénia, Bósnia-Herzegovina, Macedónia e Montenegro, e duas
regiões autónomas (Kosovo, maioria albanesa e Voivodina, maioria
húngara) ), a capital era em Belgrado (Sérvia);
Módulo 9, História A 112
Após a morte de Tito (1980) as tensões étnicas degeneram em
violentas confrontações;
Em junho de 1991, a Croácia e a Eslovénia proclamam a sua
independência;
Em setembro de 1991, a Macedónia também declara a sua
independência;
O parlamento da Bósnia-Herzegóvina declara a sua vontade
independentista;
Os processos da Macedónia e da Eslovénia decorreram de forma
mais ou menos pacífica;
Módulo 9, História A 113
A Croácia originou uma violenta e sangrenta guerra civil;
Em 1992, na Bósnia, a guerra declara-se novamente, e croatas-
bósnias, sérvios-bósnios e muçulmanos-bósnios combatem uns
contra os outros;
Dão-se massacres da população civil, os sérvios iniciam uma política
de limpeza étnica;
Só em 1995, com assinatura dos Acordos de Dayton, se alcança a paz
e a Bósnia é dividida em duas regiões semiautónomas (uma sérvio-
bósnia e outra muçulmana-bósnia);
Módulo 9, História A 114
O Kosovo, em 2008, após uma guerra coma Sérvia que levou à
intervenção da NATO, proclamou a sua independência;
A Jugoslávia passou a ser constituída pela Sérvia e Montenegro;
Em 2003, a Jugoslávia deixou de existir e foi substituída pelo nome
de Sérvia-Montenegro;
Em 2006, os dois países passam a ser independentes;
Esta guerra originou mais de 200 mil mortos e mais de 1 milhão de
refugiados;
Em 1996, o Tribunal Internacional de Haia começou a julgar os
responsáveis pelos massacres;
Módulo 9, História A 115
Esta apresentação foi construída tendo por base a seguinte
bibliografia:
COUTO, Célia Pinto, ROSAS, Maria Antónia Monterroso, O tempo
da História 112, Porto Editora, 2013
Antão, António, Preparação para o Exame Nacional 2014, História
A, 2013

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

9 02 a viragem para uma nova era
9 02 a viragem para uma nova era9 02 a viragem para uma nova era
9 02 a viragem para uma nova eraVítor Santos
 
A Guerra Fria
A Guerra FriaA Guerra Fria
A Guerra Friananasimao
 
Resumo de geografia c - fluxos migratórios e fluxos de turismo
Resumo de geografia c - fluxos migratórios e fluxos de turismoResumo de geografia c - fluxos migratórios e fluxos de turismo
Resumo de geografia c - fluxos migratórios e fluxos de turismoLia Treacy
 
As transformações provocadas pela I Guerra Mundial
As transformações provocadas pela I Guerra MundialAs transformações provocadas pela I Guerra Mundial
As transformações provocadas pela I Guerra MundialTeresa Maia
 
As opções totalitárias - IA
As opções totalitárias - IAAs opções totalitárias - IA
As opções totalitárias - IACarlos Vieira
 
Portugal no primeiro pós-guerra.
Portugal no primeiro pós-guerra.Portugal no primeiro pós-guerra.
Portugal no primeiro pós-guerra.home
 
A regressão do demoliberalismo
A regressão do demoliberalismoA regressão do demoliberalismo
A regressão do demoliberalismohome
 
Mundo capitalista
Mundo capitalistaMundo capitalista
Mundo capitalistahome
 
A Hegemonia dos EUA
A Hegemonia dos EUAA Hegemonia dos EUA
A Hegemonia dos EUAJoão Lima
 
8 02 portugal do autoritarismo à democracia alunos
8 02 portugal do autoritarismo à democracia alunos8 02 portugal do autoritarismo à democracia alunos
8 02 portugal do autoritarismo à democracia alunosVítor Santos
 
7 01 parte_1_as_transformações_das_primeiras_décadas_do_século_xx
7 01 parte_1_as_transformações_das_primeiras_décadas_do_século_xx7 01 parte_1_as_transformações_das_primeiras_décadas_do_século_xx
7 01 parte_1_as_transformações_das_primeiras_décadas_do_século_xxVítor Santos
 
Mundo comunista
Mundo comunistaMundo comunista
Mundo comunistahome
 
Fim do modelo sovietico
Fim do modelo sovieticoFim do modelo sovietico
Fim do modelo sovieticoCarlos Vieira
 
Portugal Estado Novo
Portugal   Estado NovoPortugal   Estado Novo
Portugal Estado NovoCarlos Vieira
 

Mais procurados (20)

9 02 a viragem para uma nova era
9 02 a viragem para uma nova era9 02 a viragem para uma nova era
9 02 a viragem para uma nova era
 
Modulo 8 e 9 historia A 12ºano
Modulo 8 e 9 historia A 12ºanoModulo 8 e 9 historia A 12ºano
Modulo 8 e 9 historia A 12ºano
 
A Guerra Fria
A Guerra FriaA Guerra Fria
A Guerra Fria
 
Resumo de geografia c - fluxos migratórios e fluxos de turismo
Resumo de geografia c - fluxos migratórios e fluxos de turismoResumo de geografia c - fluxos migratórios e fluxos de turismo
Resumo de geografia c - fluxos migratórios e fluxos de turismo
 
As transformações provocadas pela I Guerra Mundial
As transformações provocadas pela I Guerra MundialAs transformações provocadas pela I Guerra Mundial
As transformações provocadas pela I Guerra Mundial
 
As opções totalitárias - IA
As opções totalitárias - IAAs opções totalitárias - IA
As opções totalitárias - IA
 
Portugal no primeiro pós-guerra.
Portugal no primeiro pós-guerra.Portugal no primeiro pós-guerra.
Portugal no primeiro pós-guerra.
 
A regressão do demoliberalismo
A regressão do demoliberalismoA regressão do demoliberalismo
A regressão do demoliberalismo
 
Mundo capitalista
Mundo capitalistaMundo capitalista
Mundo capitalista
 
A Hegemonia dos EUA
A Hegemonia dos EUAA Hegemonia dos EUA
A Hegemonia dos EUA
 
8 02 portugal do autoritarismo à democracia alunos
8 02 portugal do autoritarismo à democracia alunos8 02 portugal do autoritarismo à democracia alunos
8 02 portugal do autoritarismo à democracia alunos
 
7 01 parte_1_as_transformações_das_primeiras_décadas_do_século_xx
7 01 parte_1_as_transformações_das_primeiras_décadas_do_século_xx7 01 parte_1_as_transformações_das_primeiras_décadas_do_século_xx
7 01 parte_1_as_transformações_das_primeiras_décadas_do_século_xx
 
Mundo comunista
Mundo comunistaMundo comunista
Mundo comunista
 
A guerra fria
A guerra friaA guerra fria
A guerra fria
 
áSia pacifico
áSia   pacificoáSia   pacifico
áSia pacifico
 
Sociedade Das Naçoes
Sociedade Das NaçoesSociedade Das Naçoes
Sociedade Das Naçoes
 
Um mundo policêntrico
Um mundo policêntricoUm mundo policêntrico
Um mundo policêntrico
 
Fim do modelo sovietico
Fim do modelo sovieticoFim do modelo sovietico
Fim do modelo sovietico
 
Teste modulo 7
Teste modulo 7Teste modulo 7
Teste modulo 7
 
Portugal Estado Novo
Portugal   Estado NovoPortugal   Estado Novo
Portugal Estado Novo
 

Destaque

História A, 12º ano, Módulo 9, Unidade 1
História A, 12º ano, Módulo 9, Unidade 1História A, 12º ano, Módulo 9, Unidade 1
História A, 12º ano, Módulo 9, Unidade 1Joana Filipa Rodrigues
 
2 Um novo equilíbrio global
2   Um novo equilíbrio global2   Um novo equilíbrio global
2 Um novo equilíbrio globalNúria Inácio
 
Historia a-12-ano-resumo
Historia a-12-ano-resumoHistoria a-12-ano-resumo
Historia a-12-ano-resumoEscoladocs
 
Resumos de História 12ºano - Preparação para exame
Resumos de História 12ºano - Preparação para exameResumos de História 12ºano - Preparação para exame
Resumos de História 12ºano - Preparação para exameMaria Rebelo
 
Ex inf13 nov2011_hist_a623
Ex inf13 nov2011_hist_a623Ex inf13 nov2011_hist_a623
Ex inf13 nov2011_hist_a623Escoladocs
 
Fundamentos da hegemonia dos eua a partir da década de 80 do século xx
Fundamentos da hegemonia dos eua a partir da década de 80 do século xxFundamentos da hegemonia dos eua a partir da década de 80 do século xx
Fundamentos da hegemonia dos eua a partir da década de 80 do século xxAlexandra Matos
 
O domínio de Triade
O domínio de TriadeO domínio de Triade
O domínio de TriadeCarlos Vieira
 
O brasil e a nova ordem mundial
O brasil e a nova ordem mundialO brasil e a nova ordem mundial
O brasil e a nova ordem mundialAdelmo Silva
 
04 ainda sob o signo de alá
04 ainda sob o signo de alá04 ainda sob o signo de alá
04 ainda sob o signo de aláVítor Santos
 
Módulo 5 – Cultura do Palácio
Módulo 5 – Cultura do PalácioMódulo 5 – Cultura do Palácio
Módulo 5 – Cultura do PalácioCarlos Vieira
 
Património Mundial e Turismo Cultural -Alhambra- Artur Filipe dos Santos
Património Mundial e Turismo Cultural -Alhambra- Artur Filipe dos SantosPatrimónio Mundial e Turismo Cultural -Alhambra- Artur Filipe dos Santos
Património Mundial e Turismo Cultural -Alhambra- Artur Filipe dos SantosArtur Filipe dos Santos
 
A construção do modelo soviético
A construção do modelo soviéticoA construção do modelo soviético
A construção do modelo soviéticoCarlos Vieira
 
Desafios do nosso tempo
Desafios do nosso tempoDesafios do nosso tempo
Desafios do nosso tempoCarlos Vieira
 
Economia de Moçambique
Economia de MoçambiqueEconomia de Moçambique
Economia de MoçambiqueNunnah Hussen
 

Destaque (20)

História A, 12º ano, Módulo 9, Unidade 1
História A, 12º ano, Módulo 9, Unidade 1História A, 12º ano, Módulo 9, Unidade 1
História A, 12º ano, Módulo 9, Unidade 1
 
2 Um novo equilíbrio global
2   Um novo equilíbrio global2   Um novo equilíbrio global
2 Um novo equilíbrio global
 
Aula 1
Aula 1Aula 1
Aula 1
 
Historia a-12-ano-resumo
Historia a-12-ano-resumoHistoria a-12-ano-resumo
Historia a-12-ano-resumo
 
O fim da urss
O fim da urssO fim da urss
O fim da urss
 
Resumos de História 12ºano - Preparação para exame
Resumos de História 12ºano - Preparação para exameResumos de História 12ºano - Preparação para exame
Resumos de História 12ºano - Preparação para exame
 
União Europeia
União EuropeiaUnião Europeia
União Europeia
 
Ex inf13 nov2011_hist_a623
Ex inf13 nov2011_hist_a623Ex inf13 nov2011_hist_a623
Ex inf13 nov2011_hist_a623
 
Fundamentos da hegemonia dos eua a partir da década de 80 do século xx
Fundamentos da hegemonia dos eua a partir da década de 80 do século xxFundamentos da hegemonia dos eua a partir da década de 80 do século xx
Fundamentos da hegemonia dos eua a partir da década de 80 do século xx
 
O domínio de Triade
O domínio de TriadeO domínio de Triade
O domínio de Triade
 
O brasil e a nova ordem mundial
O brasil e a nova ordem mundialO brasil e a nova ordem mundial
O brasil e a nova ordem mundial
 
A ascensão da europa
A ascensão da europaA ascensão da europa
A ascensão da europa
 
04 ainda sob o signo de alá
04 ainda sob o signo de alá04 ainda sob o signo de alá
04 ainda sob o signo de alá
 
Paul Gauguin
Paul GauguinPaul Gauguin
Paul Gauguin
 
Módulo 5 – Cultura do Palácio
Módulo 5 – Cultura do PalácioMódulo 5 – Cultura do Palácio
Módulo 5 – Cultura do Palácio
 
Património Mundial e Turismo Cultural -Alhambra- Artur Filipe dos Santos
Património Mundial e Turismo Cultural -Alhambra- Artur Filipe dos SantosPatrimónio Mundial e Turismo Cultural -Alhambra- Artur Filipe dos Santos
Património Mundial e Turismo Cultural -Alhambra- Artur Filipe dos Santos
 
A construção do modelo soviético
A construção do modelo soviéticoA construção do modelo soviético
A construção do modelo soviético
 
O fim da URSS
O fim da URSSO fim da URSS
O fim da URSS
 
Desafios do nosso tempo
Desafios do nosso tempoDesafios do nosso tempo
Desafios do nosso tempo
 
Economia de Moçambique
Economia de MoçambiqueEconomia de Moçambique
Economia de Moçambique
 

Semelhante a 9 01 fim da guerra fria

APOIO AULA 2 - Texto Ordens Mundiais e Globalização
APOIO AULA 2 - Texto Ordens Mundiais e GlobalizaçãoAPOIO AULA 2 - Texto Ordens Mundiais e Globalização
APOIO AULA 2 - Texto Ordens Mundiais e GlobalizaçãoCADUCOC1
 
Texto Ordens Mundiais_e_Globalização
Texto Ordens Mundiais_e_GlobalizaçãoTexto Ordens Mundiais_e_Globalização
Texto Ordens Mundiais_e_GlobalizaçãoCADUCOC
 
Revisão bimestral de prova de geografia 2º ano
Revisão bimestral de prova de geografia 2º anoRevisão bimestral de prova de geografia 2º ano
Revisão bimestral de prova de geografia 2º anoeunamahcado
 
12 o após_guerra_fria_e_a_globlização
12 o após_guerra_fria_e_a_globlização12 o após_guerra_fria_e_a_globlização
12 o após_guerra_fria_e_a_globlizaçãoVítor Santos
 
Relações econ. e soc.após 2ª g.g
Relações econ. e soc.após 2ª g.gRelações econ. e soc.após 2ª g.g
Relações econ. e soc.após 2ª g.gmaria40
 
Resumos de história 5ºteste 12ºano
Resumos de história 5ºteste 12ºanoResumos de história 5ºteste 12ºano
Resumos de história 5ºteste 12ºanoMaria Rebelo
 
Unidade 10 oitava série
Unidade 10 oitava sérieUnidade 10 oitava série
Unidade 10 oitava sérielgreggio10
 
Aula 3 Ordem Mundial AZ
Aula 3 Ordem Mundial AZAula 3 Ordem Mundial AZ
Aula 3 Ordem Mundial AZCADUCOC1
 
Aula 2 Ordem Mundial
Aula 2 Ordem MundialAula 2 Ordem Mundial
Aula 2 Ordem MundialCADUCOC
 
Nova ordem mundial.
Nova ordem mundial.Nova ordem mundial.
Nova ordem mundial.Camila Brito
 
12 o após_guerra_fria_e_a_globlização
12 o após_guerra_fria_e_a_globlização12 o após_guerra_fria_e_a_globlização
12 o após_guerra_fria_e_a_globlizaçãoVítor Santos
 
Resumo de História B
Resumo de História BResumo de História B
Resumo de História BAndré Torres
 
TEORIA DOS MUNDOS - GEOGRAFIA
TEORIA DOS MUNDOS - GEOGRAFIATEORIA DOS MUNDOS - GEOGRAFIA
TEORIA DOS MUNDOS - GEOGRAFIALUIS ABREU
 
A nova ordem mundial ou mulitpolaridade
A nova ordem mundial ou mulitpolaridadeA nova ordem mundial ou mulitpolaridade
A nova ordem mundial ou mulitpolaridadeRosemildo Lima
 

Semelhante a 9 01 fim da guerra fria (20)

APOIO AULA 2 - Texto Ordens Mundiais e Globalização
APOIO AULA 2 - Texto Ordens Mundiais e GlobalizaçãoAPOIO AULA 2 - Texto Ordens Mundiais e Globalização
APOIO AULA 2 - Texto Ordens Mundiais e Globalização
 
Texto Ordens Mundiais_e_Globalização
Texto Ordens Mundiais_e_GlobalizaçãoTexto Ordens Mundiais_e_Globalização
Texto Ordens Mundiais_e_Globalização
 
Texto Ordens Mundiais e Globalização
Texto Ordens Mundiais e GlobalizaçãoTexto Ordens Mundiais e Globalização
Texto Ordens Mundiais e Globalização
 
Revisão bimestral de prova de geografia 2º ano
Revisão bimestral de prova de geografia 2º anoRevisão bimestral de prova de geografia 2º ano
Revisão bimestral de prova de geografia 2º ano
 
12 o após_guerra_fria_e_a_globlização
12 o após_guerra_fria_e_a_globlização12 o após_guerra_fria_e_a_globlização
12 o após_guerra_fria_e_a_globlização
 
Relações econ. e soc.após 2ª g.g
Relações econ. e soc.após 2ª g.gRelações econ. e soc.após 2ª g.g
Relações econ. e soc.após 2ª g.g
 
Resumos de história 5ºteste 12ºano
Resumos de história 5ºteste 12ºanoResumos de história 5ºteste 12ºano
Resumos de história 5ºteste 12ºano
 
Unidade 10 oitava série
Unidade 10 oitava sérieUnidade 10 oitava série
Unidade 10 oitava série
 
ATUALIDADES 2014
ATUALIDADES 2014ATUALIDADES 2014
ATUALIDADES 2014
 
Capitalismo x socialismo
Capitalismo x socialismoCapitalismo x socialismo
Capitalismo x socialismo
 
Capitalismo x socialismo
Capitalismo x socialismoCapitalismo x socialismo
Capitalismo x socialismo
 
Capitalismo x socialismo
Capitalismo x socialismoCapitalismo x socialismo
Capitalismo x socialismo
 
Aula 3 Ordem Mundial AZ
Aula 3 Ordem Mundial AZAula 3 Ordem Mundial AZ
Aula 3 Ordem Mundial AZ
 
Aula 2 Ordem Mundial
Aula 2 Ordem MundialAula 2 Ordem Mundial
Aula 2 Ordem Mundial
 
Nova ordem mundial.
Nova ordem mundial.Nova ordem mundial.
Nova ordem mundial.
 
Pwpj
PwpjPwpj
Pwpj
 
12 o após_guerra_fria_e_a_globlização
12 o após_guerra_fria_e_a_globlização12 o após_guerra_fria_e_a_globlização
12 o após_guerra_fria_e_a_globlização
 
Resumo de História B
Resumo de História BResumo de História B
Resumo de História B
 
TEORIA DOS MUNDOS - GEOGRAFIA
TEORIA DOS MUNDOS - GEOGRAFIATEORIA DOS MUNDOS - GEOGRAFIA
TEORIA DOS MUNDOS - GEOGRAFIA
 
A nova ordem mundial ou mulitpolaridade
A nova ordem mundial ou mulitpolaridadeA nova ordem mundial ou mulitpolaridade
A nova ordem mundial ou mulitpolaridade
 

Mais de Vítor Santos

5_02_a revolução francesa_RESUMO.pdf
5_02_a revolução francesa_RESUMO.pdf5_02_a revolução francesa_RESUMO.pdf
5_02_a revolução francesa_RESUMO.pdfVítor Santos
 
5_01_a revolução americana_francesa_outras.pdf
5_01_a revolução americana_francesa_outras.pdf5_01_a revolução americana_francesa_outras.pdf
5_01_a revolução americana_francesa_outras.pdfVítor Santos
 
10_2_A _2_Guerra_mundial_violência.pdf
10_2_A _2_Guerra_mundial_violência.pdf10_2_A _2_Guerra_mundial_violência.pdf
10_2_A _2_Guerra_mundial_violência.pdfVítor Santos
 
10_1_As dificuldades económicas dos anos 1930.pdf
10_1_As dificuldades económicas dos anos 1930.pdf10_1_As dificuldades económicas dos anos 1930.pdf
10_1_As dificuldades económicas dos anos 1930.pdfVítor Santos
 
9_ano_9_4_sociedade_cultura_num_mundo_em_mudança.pdf
9_ano_9_4_sociedade_cultura_num_mundo_em_mudança.pdf9_ano_9_4_sociedade_cultura_num_mundo_em_mudança.pdf
9_ano_9_4_sociedade_cultura_num_mundo_em_mudança.pdfVítor Santos
 
9_ano_9_3_Portugal da primeira república à ditadura militar.pdf
9_ano_9_3_Portugal da primeira república à ditadura militar.pdf9_ano_9_3_Portugal da primeira república à ditadura militar.pdf
9_ano_9_3_Portugal da primeira república à ditadura militar.pdfVítor Santos
 
9_ano_9_2_a_revolução_soviética.pdf
9_ano_9_2_a_revolução_soviética.pdf9_ano_9_2_a_revolução_soviética.pdf
9_ano_9_2_a_revolução_soviética.pdfVítor Santos
 
9_ano_9_1_ apogeu e declinio da influencia europeia.pdf
9_ano_9_1_ apogeu e declinio da influencia europeia.pdf9_ano_9_1_ apogeu e declinio da influencia europeia.pdf
9_ano_9_1_ apogeu e declinio da influencia europeia.pdfVítor Santos
 
03_05 As novas representações da humanidade.pdf
03_05 As novas representações da humanidade.pdf03_05 As novas representações da humanidade.pdf
03_05 As novas representações da humanidade.pdfVítor Santos
 
03_04 A renovação da espiritualidade e da religiosidade.pdf
03_04 A renovação da espiritualidade e da religiosidade.pdf03_04 A renovação da espiritualidade e da religiosidade.pdf
03_04 A renovação da espiritualidade e da religiosidade.pdfVítor Santos
 
03_03 A produção cultural.pdf
03_03 A produção cultural.pdf03_03 A produção cultural.pdf
03_03 A produção cultural.pdfVítor Santos
 
03_02 O alargamento do conhecimento do Mundo.pdf
03_02 O alargamento do conhecimento do Mundo.pdf03_02 O alargamento do conhecimento do Mundo.pdf
03_02 O alargamento do conhecimento do Mundo.pdfVítor Santos
 
03_01 a geografia cultural europeia.pdf
03_01 a geografia cultural europeia.pdf03_01 a geografia cultural europeia.pdf
03_01 a geografia cultural europeia.pdfVítor Santos
 
02_03_Valores vivências e quotidiano.pdf
02_03_Valores vivências e quotidiano.pdf02_03_Valores vivências e quotidiano.pdf
02_03_Valores vivências e quotidiano.pdfVítor Santos
 
02_02_o espaço português.pdf
02_02_o espaço português.pdf02_02_o espaço português.pdf
02_02_o espaço português.pdfVítor Santos
 
02_01_A identidade civilizacional da Europa Ocidental.pdf
02_01_A identidade civilizacional da Europa Ocidental.pdf02_01_A identidade civilizacional da Europa Ocidental.pdf
02_01_A identidade civilizacional da Europa Ocidental.pdfVítor Santos
 
01_03_espaço_civliziçacional_a_beira_mudança.pdf
01_03_espaço_civliziçacional_a_beira_mudança.pdf01_03_espaço_civliziçacional_a_beira_mudança.pdf
01_03_espaço_civliziçacional_a_beira_mudança.pdfVítor Santos
 
01_02_o_modelo_romano.pdf
01_02_o_modelo_romano.pdf01_02_o_modelo_romano.pdf
01_02_o_modelo_romano.pdfVítor Santos
 
01_01_o_modelo_ateniense.pdf
01_01_o_modelo_ateniense.pdf01_01_o_modelo_ateniense.pdf
01_01_o_modelo_ateniense.pdfVítor Santos
 

Mais de Vítor Santos (20)

5_02_a revolução francesa_RESUMO.pdf
5_02_a revolução francesa_RESUMO.pdf5_02_a revolução francesa_RESUMO.pdf
5_02_a revolução francesa_RESUMO.pdf
 
5_01_a revolução americana_francesa_outras.pdf
5_01_a revolução americana_francesa_outras.pdf5_01_a revolução americana_francesa_outras.pdf
5_01_a revolução americana_francesa_outras.pdf
 
10_2_A _2_Guerra_mundial_violência.pdf
10_2_A _2_Guerra_mundial_violência.pdf10_2_A _2_Guerra_mundial_violência.pdf
10_2_A _2_Guerra_mundial_violência.pdf
 
10_1_As dificuldades económicas dos anos 1930.pdf
10_1_As dificuldades económicas dos anos 1930.pdf10_1_As dificuldades económicas dos anos 1930.pdf
10_1_As dificuldades económicas dos anos 1930.pdf
 
9_ano_9_4_sociedade_cultura_num_mundo_em_mudança.pdf
9_ano_9_4_sociedade_cultura_num_mundo_em_mudança.pdf9_ano_9_4_sociedade_cultura_num_mundo_em_mudança.pdf
9_ano_9_4_sociedade_cultura_num_mundo_em_mudança.pdf
 
9_ano_9_3_Portugal da primeira república à ditadura militar.pdf
9_ano_9_3_Portugal da primeira república à ditadura militar.pdf9_ano_9_3_Portugal da primeira república à ditadura militar.pdf
9_ano_9_3_Portugal da primeira república à ditadura militar.pdf
 
9_ano_9_2_a_revolução_soviética.pdf
9_ano_9_2_a_revolução_soviética.pdf9_ano_9_2_a_revolução_soviética.pdf
9_ano_9_2_a_revolução_soviética.pdf
 
9_ano_9_1_ apogeu e declinio da influencia europeia.pdf
9_ano_9_1_ apogeu e declinio da influencia europeia.pdf9_ano_9_1_ apogeu e declinio da influencia europeia.pdf
9_ano_9_1_ apogeu e declinio da influencia europeia.pdf
 
03_05 As novas representações da humanidade.pdf
03_05 As novas representações da humanidade.pdf03_05 As novas representações da humanidade.pdf
03_05 As novas representações da humanidade.pdf
 
03_04 A renovação da espiritualidade e da religiosidade.pdf
03_04 A renovação da espiritualidade e da religiosidade.pdf03_04 A renovação da espiritualidade e da religiosidade.pdf
03_04 A renovação da espiritualidade e da religiosidade.pdf
 
03_03 A produção cultural.pdf
03_03 A produção cultural.pdf03_03 A produção cultural.pdf
03_03 A produção cultural.pdf
 
03_02 O alargamento do conhecimento do Mundo.pdf
03_02 O alargamento do conhecimento do Mundo.pdf03_02 O alargamento do conhecimento do Mundo.pdf
03_02 O alargamento do conhecimento do Mundo.pdf
 
03_01 a geografia cultural europeia.pdf
03_01 a geografia cultural europeia.pdf03_01 a geografia cultural europeia.pdf
03_01 a geografia cultural europeia.pdf
 
02_03_Valores vivências e quotidiano.pdf
02_03_Valores vivências e quotidiano.pdf02_03_Valores vivências e quotidiano.pdf
02_03_Valores vivências e quotidiano.pdf
 
02_02_o espaço português.pdf
02_02_o espaço português.pdf02_02_o espaço português.pdf
02_02_o espaço português.pdf
 
02_01_A identidade civilizacional da Europa Ocidental.pdf
02_01_A identidade civilizacional da Europa Ocidental.pdf02_01_A identidade civilizacional da Europa Ocidental.pdf
02_01_A identidade civilizacional da Europa Ocidental.pdf
 
01_03_espaço_civliziçacional_a_beira_mudança.pdf
01_03_espaço_civliziçacional_a_beira_mudança.pdf01_03_espaço_civliziçacional_a_beira_mudança.pdf
01_03_espaço_civliziçacional_a_beira_mudança.pdf
 
01_02_o_modelo_romano.pdf
01_02_o_modelo_romano.pdf01_02_o_modelo_romano.pdf
01_02_o_modelo_romano.pdf
 
01_01_o_modelo_ateniense.pdf
01_01_o_modelo_ateniense.pdf01_01_o_modelo_ateniense.pdf
01_01_o_modelo_ateniense.pdf
 
0_história_A.pdf
0_história_A.pdf0_história_A.pdf
0_história_A.pdf
 

Último

Movimento Negro Unificado , slide completo.pptx
Movimento Negro Unificado , slide completo.pptxMovimento Negro Unificado , slide completo.pptx
Movimento Negro Unificado , slide completo.pptxmariiiaaa1290
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfcarloseduardogonalve36
 
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfMarcianaClaudioClaud
 
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaO que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaCludiaRodrigues693635
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfssuser06ee57
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Rosana Andrea Miranda
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteLeonel Morgado
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAbdLuxemBourg
 
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxUnidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxRaquelMartins389880
 
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptxSismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptxpatriciapedroso82
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfmaria794949
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASMARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASyan1305goncalves
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...LuizHenriquedeAlmeid6
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaHenrique Santos
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosFernanda Ledesma
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfManuais Formação
 
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteAbuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteIpdaWellington
 

Último (20)

Movimento Negro Unificado , slide completo.pptx
Movimento Negro Unificado , slide completo.pptxMovimento Negro Unificado , slide completo.pptx
Movimento Negro Unificado , slide completo.pptx
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
 
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
 
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaO que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
 
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxUnidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
 
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptxSismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASMARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
 
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteAbuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
 

9 01 fim da guerra fria

  • 1. História A - Módulo 9 Alterações geoestratégicas, tensões políticas e transformações socioculturais no mundo atual Unidade 1 O fim do Sistema Internacional da Guerra Fria e a persistência da dicotomia Norte-Sul http://divulgacaohistoria.wordpress.com/
  • 2. Módulo 9, História A 2 1.1 O fim do modelo soviético (não é de aprofundamento) Entre 1985 e 1991 terminou a Guerra Fria, as democracias populares aboliram a comunismo, as duas Alemanhas unificaram-se e a URSS desintegrou-se; Os EUA tornaram-se a única superpotência mundial; Gorbatchev, último líder da URSS
  • 3. Módulo 9, História A 3 1.1.1 A Era Gorbatchev Gorbatchev foi eleito secretário-geral do Partido Comunista soviético em março de 1985; A URSS encontrava-se numa situação difícil herdada dos tempos de Brejnev: Atraso económico e tecnológico em relação aos EUA; Dificuldade em suportar as despesas decorrentes da sua influência no Mundo; Incapacidade de competir com o projeto americano da era Reagan de “Guerra das Estrelas”; Gorbatchev iniciou uma política de aproximação e de diálogo com o Ocidente;
  • 4. Módulo 9, História A 4 Propôs aos EUA reiniciar as negociações sobre o desarmamento; Na URSS iniciou uma política de reestruturação económica (Perestroika)e de transparência política (Glasnost); Em termos económicos pretendia: Descentralizar a economia; Estabelece a gestão autónoma das empresas (perdem as diretivas quinquenais e os subsídios que lhes permitiam manter a falta de produtividade); Incentiva a formação de um setor privado sobretudo na área de bens de consumo (cronicamente deficitário);
  • 5. Módulo 9, História A 5 No âmbito da glasnost incentiva a crítica (abolição da censura) e a denúncia da corrupção; Inicia-se a abertura democrática da URSS; Em março de 1989 realizam-se eleições livres e pluralistas na União Soviética para a eleição do Congresso dos Deputados do Povo;
  • 6. Módulo 9, História A 6 O colapso do bloco soviético As democracias do Leste europeu puderam escolher os seus regimes políticos; Durante o anos de 1989 os partidos comunistas perdem o seu lugar de “partido único” e na maior parte desses países realizam-se eleições livres: No dia 9 de novembro de 1989 cai o Muro de Berlim;
  • 7. Módulo 9, História A 7 A Alemanha é reunificada; Em novembro de 1990 o Pacto de Varsóvia é dissolvido; Em 1991 é extinto o COMECON;
  • 8. Módulo 9, História A 8 O fim da URSS Na URSS surgem as reivindicações nacionalistas de muitos povos que levou ao desmembramento da União Soviética; O processo iniciou-se nas Repúblicas Bálticas (Estónia, Lituânia e Letónia) que tinham sido anexadas pela URSS no final da II Guerra Mundial; Gorbatchev tentou impedir o processo pela força e acabou afastado do poder; Em junho 1991, Boris Ieltsin, é eleito presidente da Rússia;
  • 9. Módulo 9, História A 9 Até aos finais de 1991, a maioria das antigas repúblicas da URSS declara sua independência; Em 21 de dezembro de 1991 surge a CEI (Comunidade de Estados Independentes) que agrupa 12 das antigas 15 repúblicas soviéticas; Em 25 de dezembro de 1991, Gorbatchev abandona a presidência da URSS que de facto já tinha desaparecido;
  • 11. Módulo 9, História A 11 1.1.2 Os problemas da transição para a economia de mercado Na Rússia, a perestroika, com o fim dos subsídios às empresas estatais, levou a uma rápida detioração de uma economia que já se encontrava numa situação difícil; As empresas depararam-se perante a necessidade de se tornarem lucrativas, uma desapareceram outras despediram pessoal; A liberalização dos preços originou uma inflação muito acentuada;
  • 12. Módulo 9, História A 12 Por outro lado, um pequeno grupo, acumulou fortunas fabulosas; Muitos dos antigos quadros do Partido Comunista assumiram o controlo de empresas; Muitos negócios são feitos de forma pouco transparente e muitas vezes ilegais; Em meados dos anos 90, 5% da população concentrava 45% dos rendimentos globais;
  • 13. Módulo 9, História A 13 Todos os antigos países comunistas, do Leste Europeu, tiveram uma transição difícil para a economia de mercado; Viram-se privados dos subsídios que recebiam da URSS, tinham um parque industrial obsoleto e o seu mercado internacional preferencial, o COMECON, estava a colapsar; Nestes países houve uma regressão económica, taxas de desemprego elevadas, maior desigualdade social; A taxa de pobreza nesses países passou de 2% para 21% do total da população;
  • 14. Módulo 9, História A 14 No entanto existiram assimetrias muito grandes: A ex-RDA beneficiou dos grandes investimentos realizados pelo governo alemão; Países como a República Checa, a Hungria e a Polónia conseguiram captar investimentos estrangeiros e em meados dos anos 90 verificavam-se já a ultrapassagem do nível de vida da era comunista; Muitos destes países aderiram à União Europeia;
  • 15. Módulo 9, História A 15 1.2. Os polos de desenvolvimento económico O mundo concentra o seu desenvolvimento económico em três polos distintos: Os EUA, a UE e a zona da Ásia-Pacífico; Em termos político-militares o poder, com o fim da URSS, está concentrado nos EUA;
  • 16. Módulo 9, História A 16 1.2.1 A Hegemonia dos EUA Os EUA são: o quarto maior país do Mundo (9,4 milhões de Km2); o terceiro mais populoso (300 milhões de habitantes); o maior Produto Nacional Bruto (PNB)(12 biliões de dólares). Dominam a vida económica mundial, são a maior potência económica;
  • 17. Módulo 9, História A 17 A sua economia está baseada na livre iniciativa e no liberalismo económico; Os governos americanos incentivam a livre iniciativa e asseguram uma elevada competitividade; Os impostos são pequenos, A segurança social é ligeira, Quase não existem impedimentos legislativos aos despedimentos, E a legislação laboral é pouco restritiva para o patronato;
  • 18. Módulo 9, História A 18 O tecido industrial americano está baseado na existência de grandes empresas multinacionais e um grande número de pequenas e médias empresas;
  • 19. Módulo 9, História A 19 Os setores de atividade A economia americana é uma economia centrada no setor terciário (75% da população ativa, é uma economia pós-industrial; É a maior exportadora de serviços a nível mundial; Representa 70% do PIB americano;
  • 20. Módulo 9, História A 20 A agricultura está industrializada e apresenta uma produtividade muito alta; Muitas multinacionais investem na agricultura; São os maiores exportadores de produtos agrícolas do Mundo; A agricultura americana representa 18% do PIB e ocupa cerca de 20 milhões de trabalhadores;
  • 21. Módulo 9, História A 21 A indústria representa cerca de 25% da produção mundial; Os setores tradicionais (siderurgia e têxteis) entraram em declínio nos finais do século XX; O Manufacturing Belt perdeu importância;
  • 22. Módulo 9, História A 22 Surge o Sun Belt onde se localizam as indústrias de alta tecnologia (eletrónica, aeroespacial e aeronáutica); O centro financeiro mantêm-se em Nova Iorque; Esta situação geográfica privilegia os contactos com o Pacífico e América Latina;
  • 23. Módulo 9, História A 23 Nos anos 80, os governos de Ronald Reagan (1981-1989) e de George Bush (1989-1993) adotaram medidas neoliberais: Redução dos impostos; Valorização do dólar; Liberalização da circulação de capitais a nível internacional; Vulgarização do recursos ao crédito; Precarização do trabalho e mão de obra mais barata; Investimentos na maquinização para diminuir os custos de produção; Presença nos países do Golfo garantido o controlo da produção de petróleo; Expansão do mercado externo, desenvolvida pela administração de Bill Clinton;
  • 24. Módulo 9, História A 24 Novos laços comerciais O presidente americano Bill Clinton, desenvolveu as relações económicas com a região do Sudeste Asiático, revitalizou a APEC (Cooperação Económica Ásia-Pacífico); Favoreceu a criação da NAFTA (Acordo de Comércio Livre da América do Norte) que determina a livre circulação de capitais e mercadorias entre os EUA, Canadá e México. O acordo não incluiu a livre circulação de pessoas; O Canadá e o México beneficiaram do acordo mas estão dependentes dos EUA, 75% do comércio canadense é realizado com os EUA e o no caso do México 80%; A criação da ALCA (Área de Livre Comércio das Américas) foi travada por alguns países latino-americanos pois temiam a dependência face aos EUA;
  • 25. Módulo 9, História A 25 O dinamismo científico-tecnológico Os EUA detém a supremacia económica e militar a nível mundial; Gastam mais em investigação científica do que os outros membros do G8 em conjunto; O que é o G8? Grupo dos 8 países mais industrializados que inclui: EUA, Alemanha, Canadá, França, Itália, Japão, Reino Unido e Rússia.
  • 26. Módulo 9, História A 26 O governo americano comparticipa nas despesas das pesquisas privadas e faz encomendas de material militar sofisticado; Cerca de 400.000 cientistas europeus trabalham nos EUA; Nos EUA surgiram os polos de desenvolvimento tecnológico, os tecnopolos, o mais famoso, situa-se na Califórnia, é o Silicon Valley; Nestes polos, universidades e empresas colaboram nas pesquisas tecnológicas;
  • 27. Módulo 9, História A 27 A hegemonia político-militar Com o fim da Guerra Fria, nos inícios dos anos 90, surgiu a esperança no desenvolvimento de uma nova era de paz e cooperação entre as Nações; George Bush (pai), presidente americano entre 1989-1993, defende a criação de uma nova ordem mundial guiada pelos valores que presidiram à criação da fundação da ONU em 1945;
  • 28. Módulo 9, História A 28 Em 1990, a ONU aprova uma operação militar, liderada pelos EUA, para libertar o Kuwait, que tinha sido invadido pelo Iraque; Em janeiro de 1991, dá-se início à “Guerra do Golfo”, que foi transmitida em direto pela televisão; Perante o exército iraquiano, o quarto maior do mundo, com 1 milhão de soldados, os EUA, exibem uma superioridade militar avassaladora;
  • 29. Módulo 9, História A 29 Este conflito, o primeiro após, o fim da Guerra Fria, os EUA demonstraram uma hegemonia militar esmagadora; O colapso da URSS, deixou os americanos sem rivais na cena político-militar; As despesas militares do Japão são insignificantes e a UE, não tem uma política externa comum; Os EUA investem maciçamente no complexo industrial militar; Transformaram-se na única superpotência; São os “polícias do Mundo”;
  • 30. Módulo 9, História A 30 Os EUA desempenham um papel fundamental na geopolítica do Mundo; Multiplicaram as imposições de sanções económicas, dezenas de países sofrem ou estão ameaçados de sofrer sanções;
  • 31. Módulo 9, História A 31 Reforçaram o papel da NATO. Esta deixou de ter um papel meramente defensivo e passou a zelar pela segurança europeia com intervenções armadas em vários países; Vários países que pertenceram ao Pacto de Varsóvia aderiram à NATO; Os EUA desenvolveram várias ações armadas de combate ao terrorismo, humanitárias e de destituição de regimes autoritários que o governo americano considera uma ameaça à paz;
  • 32. Módulo 9, História A 32 Os EUA, apesar da Rússia ter diminuído drasticamente os seus investimentos na área militar, continuou com investimentos massivos: Continuam com a Iniciativa de Defesa Estratégica (guerra das Estrelas), iniciada por Ronald Reagan; Recusam-se a assinar o Protocolo de Quioto; Recusam a submeter os seus militares à ação do Tribunal Penal Internacional; Intervêm militarmente em várias áreas do globo, sozinhos ou integrados nas forças da NATO; Desenvolvem programas de inovação tecnológica na área militar;
  • 33. Módulo 9, História A 33 São os “polícias do Mundo”: 1986 – atacam vários alvos na Líbia; 1991 – Guerra do golfo; 1992 – Intervenção na Somália; 1999 – Intervenção na Sérvia;
  • 34. Módulo 9, História A 34 A Guerra do Golfo reforçou a presença americana no mundo árabe; O persistente apoio prestado a Israel levam ao ressurgimento do terrorismo de carácter religioso; 2001 – 11 de setembro ataque da Al-Qaeda às Torres Gémeas e ao Pentágono em Washington;
  • 35. Módulo 9, História A 35 Este ataque levou a que a administração (governo) americana transformasse a luta contra o terrorismo como o novo paradigma da sua política internacional; Esta política foi definida na Nova Estratégia de Segurança Nacional (NSS) patrocinada pelo presidente americano, George W. Bush;
  • 36. Módulo 9, História A 36 O Mundo foi dividido entre os que estavam ao lado da democracia e liberdade, e os que apoiavam o terrorismo, o “Eixo do Mal”; Autorreconhecem o direito de levar a cabo guerras preventivas; Continuam a investir fortemente na indústria militar; Reforçam a cooperação internacional multilateral, mas se necessários agirão unilateralmente; Defendem o direito de espelhar a democracia e os direitos humanos em todo o mundo, nomeadamente no mundo árabe;
  • 37. Módulo 9, História A 37 2001 – Invadem o Afeganistão para capturarem Bin Laden, derrubam o governo dos taliban e procuram democratizar o país; 2003 – Invadem o Iraque e destituem o Presidente Saddam Hussein; Levam a cabo uma campanha internacional contra os regimes do Irão e da Coreia do Norte; Continuam a perseguir os terroristas e em maio de 2011, matam Bin Laden, na sua casa no Paquistão;
  • 38. Módulo 9, História A 38 1.2.2 A União Europeia Tratado de Roma (1957) abriu caminho para a integração económica na CEE (Comunidade Económica Europeia); Foi assinado em 25 de Março de 1957 em Roma pela Alemanha Ocidental, França, Itália, Bélgica, Países Baixos e Luxemburgo; Entrou em vigor em 1 de Janeiro de 1958; Consistia em dois tratados: Tratado Constitutivo da CEE; Tratado Constitutivo da Comunidade Europeia da Energia Atómica (Euratom);
  • 40. Módulo 9, História A 40 A União Aduaneira inicia-se em 1968; A CEE foi progressivamente alargando o âmbito da sua atuação; Surgiram mais e mais complexos organismos; É acordado entre os países membros o estabelecimento de uma política agrícola comum (PAC); Ações de combate ao desemprego; Criação de um sistema monetário europeu, European Currency Unit (ECU); Ajudas para as regiões mais desfavorecidas; No entanto, no início dos anos 80, a CEE, estava letárgica;
  • 41. Módulo 9, História A 41 Em meados dos anos 80, o novo presidente, Jacques Delors, vai dar um novo impulso à Comunidade; Dão-se avanços na união económica; Em 1986 é assinado o Ato Único Europeu (1986) que prevê a instauração de um mercado único para 1993 (circulação livre de pessoas, mercadorias, capitais e serviços); Foi publicado um Livro Branco que enumerava as medidas a tomar e os seus prazos; Um estudo económico realizado previa que, os signatários do acordo, teriam de lucro entre 4% a 7% do PIB comunitário;
  • 42. Módulo 9, História A 42 Acordos de Schengen 1985, a Alemanha, Benelux e França decidem criar um espaço sem restrições para a circulação de pessoas; Progressivamente foi estendida a outros países da UE; O Reino Unido e a Irlanda não aderiram; Aderiram países que não pertencem à UE como a Suíça. Islândia e a Noruega;
  • 43. Módulo 9, História A 43 O Ato Único Europeu 1986 – Faz-se a revisão dos tratados fundadores (Tratado de Paris (1951) e Tratado de Roma (1957); O Ato Único Europeu reforçou o carácter supranacional dos órgãos de governo comunitários e acelerou a união económica da Europa;
  • 44. Módulo 9, História A 44 As perspetivas de lucro e a publicação do Livro Branco tiveram o efeito de mobilizar os governos, empresas e sindicatos para a realização do Mercado Único; Em 1992 é assinado o Tratado de Maastricht que aumenta as competências da Comunidade para setores como a moeda, política externa, defesa e política migratória; O tratado entra em vigor em 1993; Estabelece a União Europeia (UE) Tratado de Maastricht
  • 45. Módulo 9, História A 45 Tratado de Maastricht (os três pilares) Económico e social (Mercado Único) Moeda única e cidadania europeia Política externa e segurança comum (PESC) Cooperação justiça e assuntos internos O aprofundamento no funcionamento da União Europeia é muito mais profundo a nível de da economia;
  • 46. Módulo 9, História A 46 Maastricht definiu o objetivo de adoção de uma moeda única; A 11 de janeiro de 1999, 11 países, a Grécia entrou mais tarde, o euro entrou em funcionamento nos mercados de capitais; A 1 de janeiro de 2002 entra em circulação; Começa a funcionar o Banco Central Europeu que define a política monetária da UE; Ao abandonarem as moedas nacionais os países perderam um dos maiores símbolos de soberania nacional;
  • 47. Módulo 9, História A 47 A UE tornou-se a maior potência comercial do Mundo; O PIB é semelhante aos EUA; A população é superior a 500 milhões; Mão de obra qualificada; Elevado nível de consumo; No entanto, no início do século XXI, mostrou um crescimento débil se comparado com os EUA; Crescimento da UE 2,5% e dos EUA 3,8%; Nível de desemprego superior ao americano; Outro problema é o do envelhecimento da população;
  • 49. Módulo 9, História A 49 Alemanha (1952) Áustria (1995) Bélgica (1952) Bulgária (2007) Chipre (2004) Croácia (2013) Dinamarca (1973) Eslováquia (2004) Eslovénia (2004) Espanha (1986) Estónia (2004) Finlândia (1995) França (1952) Grécia (1981) Hungria (2004) Irlanda (1973) Itália (1952) Letónia (2004) Lituânia (2004) Luxemburgo (1952) Malta (2004) Países Baixos (1952) Polónia (2004) Portugal (1986) Reino Unido (1973) República Checa (2004) Roménia (2007) Suécia (1995) Estados-Membros da UE
  • 50. Módulo 9, História A 50 O tratado de Amesterdão 1997 – Assinado o tratado de Amesterdão; É adotado um Pacto de Estabilidade e Crescimento (PEC) no sentido de criar uma disciplina orçamental entre todos os países membros para permitir a implementação da União Económica e Monetária (UEM); São determinadas as condições para o lançamento do euro, em duas fases: 1 janeiro de 1999 (mercado de capitais), 1 de janeiro de 2002, na UE com exceção do Reino Unido, Suécia e Dinamarca;
  • 51. Módulo 9, História A 51 Tratado de Nice Estabelecido em dezembro de 2000, assinado em fevereiro de 2001, para entrar em vigor em fevereiro de 2003; Estabelece-se o alargamento para alguns países do leste europeu; A UE passa a ter 27 países membros em 2007 e com a adesão da Croácia (2013), 28;
  • 52. Módulo 9, História A 52 A União Europeia e as dificuldades da construção de uma Europa política Apesar da entrada em vigor do euro ter consolidado a UE, continuam a persistir vários problemas, cuja solução parece difícil e que, certamente, se arrastará ainda por muito tempo; A nível político-social o desemprego é um dos problemas maiores; Nas eleições para o Parlamento Europeu há, em todos os países, uma elevada taxa de abstenção; Os diversos países não conseguem um acordo que permita uma política externa comum; A criação de uma Constituição europeia ficou marcada pro profundas diferenças e controvérsias;
  • 53. Módulo 9, História A 53 A nível político existe a resistência provocada pela perda de soberania nacional por parte dos países; O número dos chamados eurocéticos é muito grande; O Tratado de Lisboa (dezembro de 2007) aprovou um tratado reformador da constituição europeia; Em junho de 2008, foi recusado, em referendo, pela Irlanda; Apesar de aprovado pelos parlamentos dos diversos países continuam a existir muitas dúvidas sobre a sua implementação;
  • 54. Módulo 9, História A 54 Na Alemanha surgiu uma forte contestação ao tratado; Na República Checa a aprovação também foi um processo difícil; Muitos questionam o tratado afirmando que ele reforça o poder dos grandes países em desfavor dos mais pequenos;
  • 55. Módulo 9, História A 55 1.2.3 O Espaço económico da Ásia-Pacífico A economia da área Ásia-Pacífico evoluiu em três fases distintas:
  • 56. Módulo 9, História A 56 1ª fase – Japão; 2ª fase – Hong-Kong, Singapura, Coreia do Sul e Taiwan (os quatro dragões asiáticos); 3ª fase – Tailândia, Malásia, Indonésia (Sudeste asiático) e China ( tigres asiáticos);
  • 57. Módulo 9, História A 57 Os dragões asiáticos A Malásia, Indonésia, Tailândia e as Filipinas, como o Japão, eram superpovoados, tinham falta de terras cultiváveis, matérias-primas e capitais; Nos anos 70 vão evoluir de uma economia tradicional, de base agrícola, para uma rápida industrialização; A industrialização teve por base a produção e exportação de bens de consumo; Surgem os Novos Países Industrializados;
  • 58. Módulo 9, História A 58 O desenvolvimento económico destes países teve por base o modelo japonês: Forte intervenção do Estado na economia (crédito e incentivos); Programas de educação e formação; Medidas protecionistas; Incentivo ao investimento estrangeiro e estabelecimento de parcerias; Aprendizagem das tecnologias estrangeiras; Aproveitamento da mão de obra abundante; Beneficiar com a mentalidade da população que valoriza a disciplina e trabalha por salários baixos;
  • 59. Módulo 9, História A 59 Os setores da eletrónica e dos têxteis foram os setores de arranque, produtos com baixos preços; Em meados dos anos 70, conjuntamente com o Japão, produziam cerca de 60% dos produtos manufaturados a nível mundial; A Coreia do Sul também investiu nas construção naval e no setor automóvel;
  • 60. Módulo 9, História A 60 Os Tigres asiáticos Na década de 80, surge um novo conjunto de países industrializados: Tailândia, Malásia, Indonésia e Filipinas; Em conjunto com Singapura, formaram a ASEAN (Associação de Nações do Sudeste Asiático), para fomentar a paz e uma zona de comércio livre onde a cooperação era mais importante que a concorrência; O desenvolvimento destes países é consequência do desenvolvimento da primeira vaga, pois resulta de uma necessidade de matérias-primas, recursos energéticos (petróleo) e bens alimentares por parte dos países industrializados da região;
  • 61. Módulo 9, História A 61 A crise da economia ocidental levou os “Dragões asiáticos” aproximarem-se de outras economias da região; A região começou a crescer de uma forma mais integrada; Os “dragões” produziam mercadorias de melhor qualidade e preço mais elevado, os países da ASEAN, produzem bem de consumo de qualidade e preço inferior; O crescimento dos países asiáticos alterou a relação económica mundial, e no final do século, Hong Kong e Singapura apareciam entre os 10 países mais ricos do Mundo; Passam a concorrer diretamente com os EUA e Europa;
  • 62. Módulo 9, História A 62 O crescimento destes países teve um custo ecológico elevado; E na sua maioria, a mão de obra, não beneficiou de um grande desenvolvimento do seu nível de vida;
  • 63. Módulo 9, História A 63 A questão de Timor
  • 64. Módulo 9, História A 64 Em 1949, a Holanda entregou à Indonésia, a parte oeste da ilha de Timor, Portugal manteve o seu domínio que se estendia desde 1512; Após 25 de abril de 1974, na ilha que não tinha movimentos de libertação, surgem 3 partidos: UDT (União Democrática Timorense) favorável à união com Portugal com autonomia; APODETI (Associação Popular Democrática Timorense) que defendia a integração na Indonésia; FRETILIN (Frente Revolucionária de Timor-Leste Independente) que defendia a independência e ideias de esquerda;
  • 65. Módulo 9, História A 65 Em novembro de 1974 o governador português foi substituído e tentou-se formar um governo de coligação entre os três partidos; No ano de 1975 surgem conflitos entre os três partidos; A FRETILIN prende oficiais do exército português, mais tarde liberta- os e eles retiram-se para uma pequena ilha em frente a Timor, Ataúro; Em 28 de novembro de 1975, a FRETILIN declara unilateralmente a independência de Timor; A APODETI proclama a integração na Indonésia; A 7 de dezembro a Indonésia invade o território;
  • 66. Módulo 9, História A 66 Dá-se início a uma ocupação violenta do território que não é reconhecida pela ONU; Portugal continua a ser considera a potência administrante do território; Portugal faz campanha internacional pelos direitos do povo de Timor à autodeterminação e independência; Os timorenses organizam com as FALANTIL (Forças Armadas de Libertação e Independência de Timor-Leste) a resistência armada; A repressão indonésia é violenta e os direitos humanos são sistematicamente violados;
  • 67. Módulo 9, História A 67 No dia 12 de novembro de 1991, quando a população participava no enterro de um estudante morto pela repressão indonésia, no cemitério de Santa Cruz, estes carregaram sobre a multidão provocando 271 mortos; A presença de um repórter americano, Steve Cox, que filmou o acontecimento deu visibilidade internacional à luta dos timorenses;
  • 68. Módulo 9, História A 68 Em 1992, o líder da resistência timorense, Xanana Gusmão, é preso pelos indonésios, no seu julgamento faz a defesa dos direitos do povo timorense; Em 1996, o bispo de Díli, D. Ximenes Belo e o representante da resistência no exterior, José Ramos Horta foram galardoados com o prémio Nobel da Paz;
  • 69. Módulo 9, História A 69 Kofi Annan, eleito secretário-geral da ONU em 1997, coloca na ordem do dia a questão timorense; Em julho, Nelson Mandela visita Xanana Gusmão na prisão; A Indonésia, a braços com um crise económica, vê o regime ditatorial de Suharto, ser contestado; Em maio de 1998, Suharto demitiu-se, terminavam 32 anos de ditadura; A Indonésia lança um programa de reformas democráticas entre as quais constam o reconhecimento do povo timorense à autodeterminação;
  • 70. Módulo 9, História A 70 Em janeiro de 1999, Portugal e a Indonésia, reatam relações diplomáticas, e em 5 de maio, assinam um acordo para a realização de um referendo sobre a independência de Timor, patrocinado pela ONU, a realizar a 30 de agosto de 1999; As forças pró integração na indonésia, iniciaram uma campanha de terror (cerca de 2000 mortos) com o apoio de setores das forças aramadas indonésias; Perante a violência o pessoal da ONU foi retirado da ilha;
  • 71. Módulo 9, História A 71 Os resultados do referendo demonstraram que quase 80% da população queria a independência; A indignação e a solidariedade internacional manifestou-se e levou à criação de uma força de paz patrocinada pela ONU, a INTERFET (Força Internacional para Timor Leste) que procedeu à pacificação do território; Em outubro de 1999 é criado um organismo das Nações Unidas, a UNTAET (Administração Transitória das Nações Unidas em Timor Leste), liderada pelo brasileiro, Sérgio Vieira de Mello, que organiza a transição para um governo timorense;
  • 72. Módulo 9, História A 72 Julho de 2000 toma posse o governo de transição; Abril de 2002, primeiras eleições presidenciais, o vencedor foi o líder histórico da resistência, Xanana Gusmão; 20 de maio de 2002, Timor Leste é oficialmente um novo estado, membro da ONU; Encerra-se o colonialismo português;
  • 73. Módulo 9, História A 73 1.2.4 Modernização e abertura da China à economia de mercado A morte em 1976 de Mao Tsé Tung deixou evidente o fracasso do maoísmo; Em 1978 subiu ao poder Deng Xiaoping que iniciou uma série de reformas da economia chinesa, integrando-a nos sistemas financeiros e comerciais internacionais; A China aderiu a uma economia de mercado;
  • 74. Módulo 9, História A 74 A China foi dividida em duas áreas diferentes: Interior: permanece rural e afastado do mundo exterior; Litoral: desenvolve uma economia de mercado e abre-se ao capitalismo e mercado internacionais;
  • 75. Módulo 9, História A 75 A transformação da agricultura A terra é descoletivizada, são arrendadas aos camponeses; Os camponeses podem vender os excedentes e ficarem com os lucros; Nos 5 anos seguintes a produção agrícola cresce 50%;
  • 76. Módulo 9, História A 76 A indústria sofreu uma transformação maior: A prioridade dada à indústria pesada é substituída pela indústria de bens de consumo; A autarcia é abandonada em favor da exportação; A China abre-se aos interesses económicos estrangeiros;
  • 77. Módulo 9, História A 77 O regime de tipo socialista é conciliado com o capitalismo, é criado, no entender do próprio regime, o socialismo de mercado; O país adota a divisa “Um país, dois sistemas”; Em 1980 são criadas 4 Zonas Económicas Especiais, completamente abertas às indústrias estrangeiras e com uma legislação ultraliberal; Em 1981 surge uma nova zona económica e são abertas 14 novas cidades ao investimento estrangeiro;
  • 78. Módulo 9, História A 78 Numa fase posterior o capital estrangeiro, em busca de mão de obra barata, penetra no interior da China; Todos os setores da economia são abertos ao sistema capitalista, apenas os setores considerados estratégicos (indústrias militar, espacial e telecomunicações) permanece no Estado;
  • 79. Módulo 9, História A 79 Dá-se a aproximação com o Japão; Em 1978, a China assina o tratado de paz com o governo japonês; 1979 reata as relações diplomáticas com os EUA; 1980 aderiu ao FMI e Banco Mundial; 1986 ao GATT; 2001 à Organização Mundial do Comércio;
  • 80. Módulo 9, História A 80 Em 1992 começou a funcionar a Bolsa de Valores de Xangai; 2005 o setor dos lanifícios representa um terço da economia chinesa; Investem na tecnologia e na indústria automóvel; A China com um crescimento, desde 1979, de 9,4% ao ano modificou o mapa da economia mundial; Em 2005 é a sexta economia do mundo; Em 2007 é o quarto maior PIB do Mundo; Ao ritmo atual em 20 a 30 anos ultrapassará os EUA; Recém-chegada ao mundo industrializado a China tem a vantagem de ser rica em recursos naturais e ter uma mão de obra muito abundante e disposta a trabalhar por um pequeno salário e sem qualquer regalia social;
  • 81. Módulo 9, História A 81 A liberalização económica não foi acompanhada pela liberalização política; O poder está concentrado no Partido Comunista que continua a ser um partido único; As liberdades individuais não são respeitadas; Nas zonas costeiras surge uma burguesia enriquecida e as massas camponesas permanecem pobres no interior; A liberalização da economia levou à inflação;
  • 82. Módulo 9, História A 82 Neste país socialista as diferenças entre litoral e interior e ricos e pobres cresceu de forma exponencial; A incoerência entre a via económica adotada e o regime político trouxe problemas à liderança do Partido Comunista Chinês; Em 1986 são reprimidas manifestações em prol da liberalização política; Em junho de 1989 os protestos da juventude estudantil na Praça de Tiananmen terminaram com a ocupação por parte do exército da praça;
  • 83. Módulo 9, História A 83 Em 1997 morre Deng Xiaoping mas a China mantém o modelo económico;
  • 84. Módulo 9, História A 84 A integração de Hong Kong e Macau Após vários anos de negociações a Grã-Bretanha acordou, em 1984, a transferência de soberania de Hong Kong (colónia desde o século XIX) para a China em 1 de julho de 1997; Este acordo previa a transformação de Hong Kong numa Região Administrativa Especial, com um grau de autonomia para 50 anos; O território mantinha em funcionamento as instituições democráticas e uma moeda própria;
  • 85. Módulo 9, História A 85 Em 1987, Portugal e a China, acordaram a transferência de poderes para Macau (colónia portuguesa desde 1557), para 20 dezembro de 1999; Estas transferências de poder desenvolveram-se sobre o lema: “Um país, dois sistemas”;
  • 86. Módulo 9, História A 86 1.3 Permanência de Focos de Tensão em Regiões Periféricas (não é de aprofundamento) 1.3. 1 A situação da África subsariana (entre o Saara e a África do Sul) A descolonização de África provocou múltiplos problemas: Muitos estados africanos não respeitam as etnias, foram construções artificiais dos europeus; Em muitos estados residem etnias, por vezes com fortes rivalidades entre elas; Não existe uma consciência de nacionalidade; Existe uma permanente conflitualidade tribal; O tribalismo substituiu o partidarismo inviabilizando a democracia pluralista;
  • 87. Módulo 9, História A 87 Em muitos destes estados as lutas pelo poder, os genocídios, os conflitos étnicos, os golpes de estado e guerras civis são frequentes; As fronteiras traçadas pelos europeus deixaram algumas tribos espalhadas por vários estados criando zonas de conflito internacional; Muitos conflitos são marcados pela disputa de recursos naturais;
  • 88. Módulo 9, História A 88 A instabilidade política e militar inviabiliza o aproveitamento das riquezas naturais com eficiência, ou, nalguns casos são exploradas em proveito de uma elite minoritária; Estes países estão dominados pela sua crescente dívida externa; As guerras originam deslocações em massa das populações;
  • 89. Módulo 9, História A 89 Nestes países não existem infraestruturas económicas eficazes; Não existem quadros técnicos e administrativos; A evolução da desertificação torna difícil a agricultura; O fim da guerra fria levou à perda de importância desses países e por isso a um menor investimento por parte dos países mais desenvolvidos; A diminuição do preço das matérias-primas; Inexistência de politicas de ensino e saúde eficazes;
  • 90. Módulo 9, História A 90 A África subsariana apresenta o pior índice de desenvolvimento humano e o maior índice de pobreza do planeta; A fome devasta a região; A SIDA tem tido um impacto, por falta de medidas de luta, profundamente negativo;
  • 91. Módulo 9, História A 91 1.3.2 A América Latina Esta região, atá aos finais do século XX, foi caracterizada pelas ditaduras militares, o subdesenvolvimento, os movimentos de guerrilha e a repressão política; Na última década do século há um processo de democratização dos regimes destes países;
  • 92. Módulo 9, História A 92 Os EUA, inseridos na política da guerra fria, patrocinaram vários regimes ditatoriais com o pretexto de deterem o avanço comunista; Esta política americana foi reforçada após a revolução cubana de 1957; Na prática, com exceção de Cuba, todo o continente sul-americano estava sobre a proteção dos EUA; As ditaduras sul americanas promoviam a repressão política, a oposição à liberdade de opinião, a perseguição e assassínio de opositores políticos;
  • 93. Módulo 9, História A 93 Alguns exemplos: Brasil: A ditadura começou em 1964 e prolongou-se até 1985; Chile: O exército, chefiado pelo general Augusto Pinochet, derruba o governo democraticamente eleito do socialista, Salvador Allende, em 1973 e a ditadura chilena, particularmente sanguinária vai-se prolongar até 1988; Argentina: Uma ditadura militar entre 1976 e 1982; Nicarágua: Ditadura da família Somoza, entre 1937 e 1979; Paraguai: Ditadura do general Stroessner entre 1954 e 1989;
  • 94. Módulo 9, História A 94 A violência das ditaduras e o exemplo cubano levou à proliferação, em muitos destes países, de movimentos de guerrilha de inspiração marxista; Nicarágua: Frente Sandinista de Libertação Nacional; El Salvador: Frente Farabundo Marti para a Libertação Nacional; Peru: Sendero Luminoso (de inspiração maoísta); Uruguai: Tupamaros; Bolívia: Exército de Libertação Nacional; Argentina: Exército Guerrilheiro do Povo México: Exército Zapatista de Libertação Nacional; Colômbia: Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia
  • 95. Módulo 9, História A 95 Nos anos 80 a ação conjugada das guerrilhas, do agravamento das dificuldades económicas, o aumento do desemprego, taxas de inflação muito altas, a crescente mobilização popular (união dos comunistas, socialistas, setores progressista da Igreja, e movimentos liberais, levou ao aumento da contestação aos regimes; Estes regimes são alvo de denúncias internacionais; O desaparecimento da guerra fria; Todos estes fatores contribuíram para a democratização destes regimes;
  • 96. Módulo 9, História A 96 A democratização dos regimes levou a que muitos movimentos guerrilheiros depusessem as suas armas e integrassem-se no sistema democrático como partidos políticos; Apesar da evolução do sistema político, e de algumas melhorias no final do século passado e princípios do século XXI, muitos destes países continuam a experimentar muitas dificuldades económicas;
  • 97. Módulo 9, História A 97 Em março de 1991, Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai assinaram um tratado que deu origem à formação da Mercosul, que um organismo supranacional destinado a fomentar o desenvolvimento económico da região; Alguns países conhecem um desenvolvimento económico assinalável, nomeadamente o Brasil;
  • 98. Módulo 9, História A 98 1.3.3 O Médio Oriente e os Balcãs A criação do Estado de Israel, após a II Guerra Mundial, a guerra com os Palestinianos e o Mundo Árabe, o apoio do Ocidente aos judeus, em especial dos EUA, condicionou todo o desenvolvimento daquela área; Surge o fundamentalismo islâmico que se tornou numa ameaça à paz mundial;
  • 99. Módulo 9, História A 99 A origem do conflito israelo-árabe
  • 100. Módulo 9, História A 100 A convivência na Palestina entre judeus e árabes foi agravada com a fundação do sionismo em 1896; Este movimento defendia o regresso da diáspora hebraica à Palestina um território maioritariamente habitado por árabes; Em 1917, na Declaração Balfour, o governo britânico apoiava estabelecimento de “um Lar Nacional para o Povo Judeu na Palestina; Em 1918, a SDN, colocou o território sob administração britânica;
  • 101. Módulo 9, História A 101 Nos anos 40, face à perseguição nazi, os judeus reivindicam perante o Reino Unido a formação de um Estado de Israel independente; A Inglaterra, após o final da II Guerra Mundial, entrega a resolução do problema às Nações Unidas; Em 1947, a ONU aprova a divisão do território em dois estados, um judeu e outro árabe, a cidade de Jerusalém permaneceria sob controlo das Nações Unidas; No âmbito da Guerra Fria os EUA apoiam Israel e a URSS, os árabes, levando ao desencadear do conflito permanente;
  • 102. Módulo 9, História A 102 O plano da ONU foi rejeitado pelos árabes, a Inglaterra abandona o território, e em maio de 1948, os judeus proclamam a independência de Israel; A Liga Árabe declara guerra a Israel e inicia-se um conflito (1948- 1949) que termina com a vitória dos judeus e a ocupação de vastos territórios conquistado durante a guerra, a expulsão das populações árabes e a criação de colunatos;
  • 103. Módulo 9, História A 103 Em 1957, nova guerra; 1967, a Guerra dos Seis Dias; 1973, a Guerra do Yon Kipur; Todas estas guerras permitiram ao estado judaico ocupar novos territórios e expulsar centenas de milhar de palestinianos que se refugiam nos estados árabes vizinhos;
  • 104. Módulo 9, História A 104 Em 1959, Yasser Arafat, funda uma organização guerrilheira, a Al- Fatah; Em 1964, surge a Organização para a Libertação da Palestina (OLP); Em 1987, surge a Intifada, uma revolta popular nos territórios ocupados por Israel. Jovens atacam o exército israelita com pedras e paus; Em 1993, em Washington, os Palestinianos reconhecem o direito à existência de Israel e estes comprometem-se a devolver os territórios conquistados à Autoridade Nacional Palestiniana, entretanto constituída;
  • 105. Módulo 9, História A 105 Apesar dos acordos os radicais nos dois lados recusam aceitá-lo; Os judeus recusam-se a abandonar os colonatos e os palestinianos recusam-se a reconhecer Israel; Os palestinianos lançam ataques suicidas sobre a população judaica, o exército israelita retalia de forma violenta e indiscriminada; O primeiro-ministro israelita, Isaac Rabin foi assinado por um judeu ultraortodoxo e o processo de paz estagna;
  • 106. Módulo 9, História A 106 A eleição de Ariel Sharon, como primeiro-ministro israelita levou ao recrudescer do conflito; Em 2004, Yasser Arafat, morre em Paris; Apesar das tentativas de negociação, em 2006, as eleições palestinianas são ganhas por um grupo radical islâmico, o Hamas, o que cria novas dificuldades no processo de paz;
  • 107. Módulo 9, História A 107 O Irão Até 1978, o Irão (Pérsia) foi governada por uma monarquia absoluta, apoiada pelos EUA, que procurava ocidentalizar o país;
  • 108. Módulo 9, História A 108 Em 1979, a oposição xiita (93% da população), sob a égide do ayatolah Khomeini, exilado em França, toma o poder em Teerão, o monarca, (xá) Reza Pahlevi refugia-se nos EUA; O Irão constitui-se numa república teocrática baseada na lei islâmica, o poder passou a ser exercido pelos líderes religiosos (ayatolah) e a lei fundamental do país passou a ser o Corão; Constitui-se os “Guardas de Revolução” que perseguem impiedosamente todos os opositores do novo regime; O Islão está dividido entre duas conceções diferentes da religião: os Sunitas e os Xiitas;
  • 109. Módulo 9, História A 109 Em 1979, perante a recusa dos EUA expatriarem o xá, o Irão ocupa a embaixada americana em Teerão; Os EUA passam a ser o grande Satã, os principais inimigos da revolução e de todo o mundo islâmico; O fundamentalismo islâmico triunfa no Irão e expande-se por todo o mundo muçulmano; Surgem organizações terroristas islâmicas;
  • 110. Módulo 9, História A 110 Nacionalismos e confrontos políticos e religiosos nos Balcãs
  • 111. Módulo 9, História A 111 No final da Primeira Guerra Mundial foi criado um novo país, a Jugoslávia (eslavos do sul), sob a liderança da Sérvia; Foi constituído por povos com línguas, culturas e religiões muito diversas; Após a II Guerra Mundial, a liderança do Marechal Tito, levou à constituição de uma federação de repúblicas (Sérvia, Croácia, Eslovénia, Bósnia-Herzegovina, Macedónia e Montenegro, e duas regiões autónomas (Kosovo, maioria albanesa e Voivodina, maioria húngara) ), a capital era em Belgrado (Sérvia);
  • 112. Módulo 9, História A 112 Após a morte de Tito (1980) as tensões étnicas degeneram em violentas confrontações; Em junho de 1991, a Croácia e a Eslovénia proclamam a sua independência; Em setembro de 1991, a Macedónia também declara a sua independência; O parlamento da Bósnia-Herzegóvina declara a sua vontade independentista; Os processos da Macedónia e da Eslovénia decorreram de forma mais ou menos pacífica;
  • 113. Módulo 9, História A 113 A Croácia originou uma violenta e sangrenta guerra civil; Em 1992, na Bósnia, a guerra declara-se novamente, e croatas- bósnias, sérvios-bósnios e muçulmanos-bósnios combatem uns contra os outros; Dão-se massacres da população civil, os sérvios iniciam uma política de limpeza étnica; Só em 1995, com assinatura dos Acordos de Dayton, se alcança a paz e a Bósnia é dividida em duas regiões semiautónomas (uma sérvio- bósnia e outra muçulmana-bósnia);
  • 114. Módulo 9, História A 114 O Kosovo, em 2008, após uma guerra coma Sérvia que levou à intervenção da NATO, proclamou a sua independência; A Jugoslávia passou a ser constituída pela Sérvia e Montenegro; Em 2003, a Jugoslávia deixou de existir e foi substituída pelo nome de Sérvia-Montenegro; Em 2006, os dois países passam a ser independentes; Esta guerra originou mais de 200 mil mortos e mais de 1 milhão de refugiados; Em 1996, o Tribunal Internacional de Haia começou a julgar os responsáveis pelos massacres;
  • 115. Módulo 9, História A 115 Esta apresentação foi construída tendo por base a seguinte bibliografia: COUTO, Célia Pinto, ROSAS, Maria Antónia Monterroso, O tempo da História 112, Porto Editora, 2013 Antão, António, Preparação para o Exame Nacional 2014, História A, 2013