SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 7
Portugal no primeiro pós-guerra
Dificuldades económicas e
instabilidade política e social.
A falência da Primeira República
A queda da monarquia
 A implantação da República em Portugal, que
ocorreu a 5 de outubro 1910, deveu-se ao
descrédito em que caiu a monarquia, causado
por:
 Elevados
problemas
económicos,
em
particular a dependência externa.
 Incapacidade política:
O modelo rotativista era incapaz de resolver os
problemas nacionais.
Fracassaram os planos colonialistas.
A divulgação dos ideais republicanos era cada vez
maior.
 Porém, a primeira experiência republicana não teve
grande sucesso!
Dificuldades económicas
• A participação na IGM desorganizou a economia:
– A carência de bens essenciais (pão, carvão, gás, açúcar,
batatas) fez subir os preços dos produtos, que estavam sujeitos
a racionamento.
– Para compensar a escassez de meios de pagamento, os
governos aumentaram a quantidade de dinheiro em circulação a moeda desvalorizou, a inflação cresceu, o poder de compra
diminuiu, o custo de vida aumentou.

• A falta de investimento industrial fez crescer o défice da
balança comercial.
• A dependência do financiamento estrangeiro conduziu
ao aumento da dívida pública.
Instabilidade social
• Perda das bases de apoio republicano – a subida do
custo de vida provocou o descontentamento da classe
média e do operariado.
• Agitação social: vagas de greves; atentados à bomba;
propaganda antirrepublicana. A revolução na Rússia
(1917) intensificou o movimento operário fazendo surgir
a Confederação Geral do Trabalho (1920). A resposta
do patronato levou à criação da Confederação Patronal.
• Oposição da Igreja: as medidas anticlericais (proibição
do ensino religioso nas escolas; nacionalização dos
bens da Igreja; expulsão das ordens religiosas; criação
do registo civil obrigatório) fizeram diminuir o apoio
popular ao regime republicano. Em 1915, foi criado o
Centro Católico Português. Em 1917, as aparições de
Fátima aumentaram o sentimento religioso.
Instabilidade política - causas
• Intervenção de Portugal na Grande Guerra – motivada
pela tentativa de mostrar o prestígio do regime
republicano; auxiliar a Inglaterra e proteger as colónias
frente aos ataques da Alemanha.
• Parlamentarismo/instabilidade governativa – a
Constituição de 1911 atribuía ao poder legislativo,
representado pelo Congresso, a supremacia política.
Resultava então que a falta de maioria parlamentar
ocasionava a queda dos governos. A divisão dos
republicanos em vários partidos, tornava ainda mais
difícil a formação de maiorias parlamentares.
Instabilidade política
– ameaças autoritárias
• 1911/1913 – Tentativas de restauração monárquica por
parte de Paiva Couceiro.
• 1915 – ditadura militar do general Pimenta de Castro.
• 1917/1918 – Ditadura do major Sidónio Pais (a chamada
“República Nova”).
• 1919 – proclamação da “Monarquia do Norte” (na
sequência da guerra civil de janeiro/fevereiro)
• 1926 – Golpe de Estado do general Gomes da Costa,
põe fim à 1.ª República e dá inicio ao período de
ditadura do Estado Novo.
Instabilidade política
– ameaças autoritárias
• 1911/1913 – Tentativas de restauração monárquica por
parte de Paiva Couceiro.
• 1915 – ditadura militar do general Pimenta de Castro.
• 1917/1918 – Ditadura do major Sidónio Pais (a chamada
“República Nova”).
• 1919 – proclamação da “Monarquia do Norte” (na
sequência da guerra civil de janeiro/fevereiro)
• 1926 – Golpe de Estado do general Gomes da Costa,
põe fim à 1.ª República e dá inicio ao período de
ditadura do Estado Novo.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A construção do modelo soviético
A construção do modelo soviéticoA construção do modelo soviético
A construção do modelo soviéticoCarlos Vieira
 
8 02 portugal do autoritarismo à democracia alunos
8 02 portugal do autoritarismo à democracia alunos8 02 portugal do autoritarismo à democracia alunos
8 02 portugal do autoritarismo à democracia alunosVítor Santos
 
Portugal. naturalismo e vanguardas
Portugal. naturalismo e vanguardasPortugal. naturalismo e vanguardas
Portugal. naturalismo e vanguardashome
 
7 01 parte_1_as_transformações_das_primeiras_décadas_do_século_xx
7 01 parte_1_as_transformações_das_primeiras_décadas_do_século_xx7 01 parte_1_as_transformações_das_primeiras_décadas_do_século_xx
7 01 parte_1_as_transformações_das_primeiras_décadas_do_século_xxVítor Santos
 
A reconstrucao posguerra
A reconstrucao posguerraA reconstrucao posguerra
A reconstrucao posguerraPatrícia Alves
 
As transformações provocadas pela I Guerra Mundial
As transformações provocadas pela I Guerra MundialAs transformações provocadas pela I Guerra Mundial
As transformações provocadas pela I Guerra MundialTeresa Maia
 
A questão colonial e o 25 de abril
A questão colonial e o 25 de abrilA questão colonial e o 25 de abril
A questão colonial e o 25 de abrilCarlos Vieira
 
9 01 fim da guerra fria
9 01 fim da guerra fria9 01 fim da guerra fria
9 01 fim da guerra friaVítor Santos
 
Portugal Estado Novo
Portugal   Estado NovoPortugal   Estado Novo
Portugal Estado NovoCarlos Vieira
 
7 01 parte_2_as_transformações_das_primeiras_décadas_do_século_xx
7 01 parte_2_as_transformações_das_primeiras_décadas_do_século_xx7 01 parte_2_as_transformações_das_primeiras_décadas_do_século_xx
7 01 parte_2_as_transformações_das_primeiras_décadas_do_século_xxVítor Santos
 
Mundo capitalista
Mundo capitalistaMundo capitalista
Mundo capitalistahome
 
2 Um novo equilíbrio global
2   Um novo equilíbrio global2   Um novo equilíbrio global
2 Um novo equilíbrio globalNúria Inácio
 
A ascensão da Europa
A ascensão da EuropaA ascensão da Europa
A ascensão da Europapcsanto
 
As Vanguardas: Ruturas com os Cânones das Artes
As Vanguardas: Ruturas com os Cânones das ArtesAs Vanguardas: Ruturas com os Cânones das Artes
As Vanguardas: Ruturas com os Cânones das ArtesJorge Fernandes
 
Liberalismo em portugal
Liberalismo em portugalLiberalismo em portugal
Liberalismo em portugalcattonia
 
7 03 a degradação do ambiente internacional
7 03 a degradação do ambiente internacional7 03 a degradação do ambiente internacional
7 03 a degradação do ambiente internacionalVítor Santos
 

Mais procurados (20)

A construção do modelo soviético
A construção do modelo soviéticoA construção do modelo soviético
A construção do modelo soviético
 
O Estado Novo
O Estado NovoO Estado Novo
O Estado Novo
 
O Estado Novo
O Estado NovoO Estado Novo
O Estado Novo
 
8 02 portugal do autoritarismo à democracia alunos
8 02 portugal do autoritarismo à democracia alunos8 02 portugal do autoritarismo à democracia alunos
8 02 portugal do autoritarismo à democracia alunos
 
Portugal. naturalismo e vanguardas
Portugal. naturalismo e vanguardasPortugal. naturalismo e vanguardas
Portugal. naturalismo e vanguardas
 
7 01 parte_1_as_transformações_das_primeiras_décadas_do_século_xx
7 01 parte_1_as_transformações_das_primeiras_décadas_do_século_xx7 01 parte_1_as_transformações_das_primeiras_décadas_do_século_xx
7 01 parte_1_as_transformações_das_primeiras_décadas_do_século_xx
 
A reconstrucao posguerra
A reconstrucao posguerraA reconstrucao posguerra
A reconstrucao posguerra
 
As transformações provocadas pela I Guerra Mundial
As transformações provocadas pela I Guerra MundialAs transformações provocadas pela I Guerra Mundial
As transformações provocadas pela I Guerra Mundial
 
A questão colonial e o 25 de abril
A questão colonial e o 25 de abrilA questão colonial e o 25 de abril
A questão colonial e o 25 de abril
 
Modulo 8 e 9 historia A 12ºano
Modulo 8 e 9 historia A 12ºanoModulo 8 e 9 historia A 12ºano
Modulo 8 e 9 historia A 12ºano
 
9 01 fim da guerra fria
9 01 fim da guerra fria9 01 fim da guerra fria
9 01 fim da guerra fria
 
Portugal Estado Novo
Portugal   Estado NovoPortugal   Estado Novo
Portugal Estado Novo
 
Frentes populares
Frentes popularesFrentes populares
Frentes populares
 
7 01 parte_2_as_transformações_das_primeiras_décadas_do_século_xx
7 01 parte_2_as_transformações_das_primeiras_décadas_do_século_xx7 01 parte_2_as_transformações_das_primeiras_décadas_do_século_xx
7 01 parte_2_as_transformações_das_primeiras_décadas_do_século_xx
 
Mundo capitalista
Mundo capitalistaMundo capitalista
Mundo capitalista
 
2 Um novo equilíbrio global
2   Um novo equilíbrio global2   Um novo equilíbrio global
2 Um novo equilíbrio global
 
A ascensão da Europa
A ascensão da EuropaA ascensão da Europa
A ascensão da Europa
 
As Vanguardas: Ruturas com os Cânones das Artes
As Vanguardas: Ruturas com os Cânones das ArtesAs Vanguardas: Ruturas com os Cânones das Artes
As Vanguardas: Ruturas com os Cânones das Artes
 
Liberalismo em portugal
Liberalismo em portugalLiberalismo em portugal
Liberalismo em portugal
 
7 03 a degradação do ambiente internacional
7 03 a degradação do ambiente internacional7 03 a degradação do ambiente internacional
7 03 a degradação do ambiente internacional
 

Destaque

Apresentação portugal no primeiro pós guerra 2
Apresentação portugal no primeiro pós guerra 2Apresentação portugal no primeiro pós guerra 2
Apresentação portugal no primeiro pós guerra 2Escoladocs
 
Queda primeira república 1314
Queda primeira república 1314Queda primeira república 1314
Queda primeira república 1314Maria Gomes
 
A 1º República
A 1º RepúblicaA 1º República
A 1º RepúblicaMaria Gomes
 
MODERNISMO EM PORTUGAL
MODERNISMO EM PORTUGALMODERNISMO EM PORTUGAL
MODERNISMO EM PORTUGALluisant
 

Destaque (8)

Apresentação portugal no primeiro pós guerra 2
Apresentação portugal no primeiro pós guerra 2Apresentação portugal no primeiro pós guerra 2
Apresentação portugal no primeiro pós guerra 2
 
New deal
New dealNew deal
New deal
 
Queda primeira república 1314
Queda primeira república 1314Queda primeira república 1314
Queda primeira república 1314
 
Crise E Queda Da Monarquia
Crise E Queda Da MonarquiaCrise E Queda Da Monarquia
Crise E Queda Da Monarquia
 
A 1º República
A 1º RepúblicaA 1º República
A 1º República
 
MODERNISMO EM PORTUGAL
MODERNISMO EM PORTUGALMODERNISMO EM PORTUGAL
MODERNISMO EM PORTUGAL
 
A história da 1ª republica
A história da 1ª republicaA história da 1ª republica
A história da 1ª republica
 
1ª RepúBlica
1ª RepúBlica1ª RepúBlica
1ª RepúBlica
 

Semelhante a Portugal pós-1GM: dificuldades económicas e instabilidade política

Da Queda Da Monarquia à ImplantaçãO Da RepúBlica
Da Queda Da Monarquia à ImplantaçãO Da RepúBlicaDa Queda Da Monarquia à ImplantaçãO Da RepúBlica
Da Queda Da Monarquia à ImplantaçãO Da RepúBlicaMinokitas 1
 
HistóRia 1ª Republica
HistóRia 1ª RepublicaHistóRia 1ª Republica
HistóRia 1ª Republicacrie_historia9
 
Portugal: Da 1ª república à ditadura militar
Portugal: Da 1ª república à ditadura militarPortugal: Da 1ª república à ditadura militar
Portugal: Da 1ª república à ditadura militarAnaM187
 
1ªRepublica Portuguesa
1ªRepublica Portuguesa1ªRepublica Portuguesa
1ªRepublica Portuguesacrie_historia9
 
Daquedadamonarquiaimplantaodarepblicaapresentaodeslides 100125040935-phpapp02
Daquedadamonarquiaimplantaodarepblicaapresentaodeslides 100125040935-phpapp02Daquedadamonarquiaimplantaodarepblicaapresentaodeslides 100125040935-phpapp02
Daquedadamonarquiaimplantaodarepblicaapresentaodeslides 100125040935-phpapp02Xanaa' Matias'
 
Da queda da Monarquia à Implantação da República
Da queda da Monarquia à Implantação da RepúblicaDa queda da Monarquia à Implantação da República
Da queda da Monarquia à Implantação da RepúblicaInês e Beatriz
 
13 daquedadamonarquiaimplantaodarepblicaapresentaode
13 daquedadamonarquiaimplantaodarepblicaapresentaode13 daquedadamonarquiaimplantaodarepblicaapresentaode
13 daquedadamonarquiaimplantaodarepblicaapresentaodeR C
 
Da Queda Da Monarquia à ImplantaçãO Da RepúBlica ~ ApresentaçãO De Slides
Da Queda Da Monarquia à ImplantaçãO Da RepúBlica ~ ApresentaçãO De SlidesDa Queda Da Monarquia à ImplantaçãO Da RepúBlica ~ ApresentaçãO De Slides
Da Queda Da Monarquia à ImplantaçãO Da RepúBlica ~ ApresentaçãO De Slidesoliviaguerra
 
Da queda da Monarquia à Implantação da República
Da queda da Monarquia à Implantação da RepúblicaDa queda da Monarquia à Implantação da República
Da queda da Monarquia à Implantação da Repúblicafilipafonso
 
Da queda da Monarquia à Implantação da República
Da queda da Monarquia à Implantação da RepúblicaDa queda da Monarquia à Implantação da República
Da queda da Monarquia à Implantação da Repúblicafilipafonso
 
Crise e queda da monarquia constitucional até à doutrina Nazi
Crise e queda da monarquia constitucional até à doutrina NaziCrise e queda da monarquia constitucional até à doutrina Nazi
Crise e queda da monarquia constitucional até à doutrina NaziRitaMag2
 
Historia republica oficial[1]
Historia  republica oficial[1]Historia  republica oficial[1]
Historia republica oficial[1]alimentacao
 
Trabalho De Historia
Trabalho De HistoriaTrabalho De Historia
Trabalho De Historiaguest600ffe1
 
Portugal_ da I República à Ditadura Militar.pptx
Portugal_ da I República à Ditadura Militar.pptxPortugal_ da I República à Ditadura Militar.pptx
Portugal_ da I República à Ditadura Militar.pptxCarlosAraujo428034
 

Semelhante a Portugal pós-1GM: dificuldades económicas e instabilidade política (20)

Trabalho HGP - A Queda da Monarquia
Trabalho HGP - A Queda da MonarquiaTrabalho HGP - A Queda da Monarquia
Trabalho HGP - A Queda da Monarquia
 
Da Queda Da Monarquia à ImplantaçãO Da RepúBlica
Da Queda Da Monarquia à ImplantaçãO Da RepúBlicaDa Queda Da Monarquia à ImplantaçãO Da RepúBlica
Da Queda Da Monarquia à ImplantaçãO Da RepúBlica
 
HistóRia 1ª Republica
HistóRia 1ª RepublicaHistóRia 1ª Republica
HistóRia 1ª Republica
 
Portugal: Da 1ª república à ditadura militar
Portugal: Da 1ª república à ditadura militarPortugal: Da 1ª república à ditadura militar
Portugal: Da 1ª república à ditadura militar
 
1ªRepublica Portuguesa
1ªRepublica Portuguesa1ªRepublica Portuguesa
1ªRepublica Portuguesa
 
Daquedadamonarquiaimplantaodarepblicaapresentaodeslides 100125040935-phpapp02
Daquedadamonarquiaimplantaodarepblicaapresentaodeslides 100125040935-phpapp02Daquedadamonarquiaimplantaodarepblicaapresentaodeslides 100125040935-phpapp02
Daquedadamonarquiaimplantaodarepblicaapresentaodeslides 100125040935-phpapp02
 
1ª RepúBlica
1ª RepúBlica1ª RepúBlica
1ª RepúBlica
 
Dificuldade Da 1ªRepublica
Dificuldade Da 1ªRepublicaDificuldade Da 1ªRepublica
Dificuldade Da 1ªRepublica
 
Da queda da Monarquia à Implantação da República
Da queda da Monarquia à Implantação da RepúblicaDa queda da Monarquia à Implantação da República
Da queda da Monarquia à Implantação da República
 
13 daquedadamonarquiaimplantaodarepblicaapresentaode
13 daquedadamonarquiaimplantaodarepblicaapresentaode13 daquedadamonarquiaimplantaodarepblicaapresentaode
13 daquedadamonarquiaimplantaodarepblicaapresentaode
 
Da Queda Da Monarquia à ImplantaçãO Da RepúBlica ~ ApresentaçãO De Slides
Da Queda Da Monarquia à ImplantaçãO Da RepúBlica ~ ApresentaçãO De SlidesDa Queda Da Monarquia à ImplantaçãO Da RepúBlica ~ ApresentaçãO De Slides
Da Queda Da Monarquia à ImplantaçãO Da RepúBlica ~ ApresentaçãO De Slides
 
Da queda da Monarquia à Implantação da República
Da queda da Monarquia à Implantação da RepúblicaDa queda da Monarquia à Implantação da República
Da queda da Monarquia à Implantação da República
 
Da queda da Monarquia à Implantação da República
Da queda da Monarquia à Implantação da RepúblicaDa queda da Monarquia à Implantação da República
Da queda da Monarquia à Implantação da República
 
A 1ª RepúBlica
A 1ª RepúBlicaA 1ª RepúBlica
A 1ª RepúBlica
 
A 1ªRepúBlica
A 1ªRepúBlicaA 1ªRepúBlica
A 1ªRepúBlica
 
Crise e queda da monarquia constitucional até à doutrina Nazi
Crise e queda da monarquia constitucional até à doutrina NaziCrise e queda da monarquia constitucional até à doutrina Nazi
Crise e queda da monarquia constitucional até à doutrina Nazi
 
Historia republica oficial[1]
Historia  republica oficial[1]Historia  republica oficial[1]
Historia republica oficial[1]
 
Trabalho De Historia
Trabalho De HistoriaTrabalho De Historia
Trabalho De Historia
 
1ª RepúBlica
1ª RepúBlica1ª RepúBlica
1ª RepúBlica
 
Portugal_ da I República à Ditadura Militar.pptx
Portugal_ da I República à Ditadura Militar.pptxPortugal_ da I República à Ditadura Militar.pptx
Portugal_ da I República à Ditadura Militar.pptx
 

Mais de home

Democracia em Atenas
Democracia em AtenasDemocracia em Atenas
Democracia em Atenashome
 
Ascensao da europa
Ascensao da europaAscensao da europa
Ascensao da europahome
 
China de Mao Tsé-Tung
China de Mao Tsé-TungChina de Mao Tsé-Tung
China de Mao Tsé-Tunghome
 
O modelo ateniense uma cultura aberta à cidade
O modelo ateniense   uma cultura aberta à cidadeO modelo ateniense   uma cultura aberta à cidade
O modelo ateniense uma cultura aberta à cidadehome
 
Pistas para um comentário de texto a História
Pistas para um comentário de texto a HistóriaPistas para um comentário de texto a História
Pistas para um comentário de texto a Históriahome
 
Portugal. Da Revolução de 25 de Abril à estabilização da Democracia
Portugal. Da Revolução de 25 de Abril à estabilização da DemocraciaPortugal. Da Revolução de 25 de Abril à estabilização da Democracia
Portugal. Da Revolução de 25 de Abril à estabilização da Democraciahome
 
Crescimento do Japão
Crescimento do JapãoCrescimento do Japão
Crescimento do Japãohome
 
Mundo comunista
Mundo comunistaMundo comunista
Mundo comunistahome
 
Mutações nos comportamentos e na cultura. As vanguardas, rutura na arte (part...
Mutações nos comportamentos e na cultura. As vanguardas, rutura na arte (part...Mutações nos comportamentos e na cultura. As vanguardas, rutura na arte (part...
Mutações nos comportamentos e na cultura. As vanguardas, rutura na arte (part...home
 
Mutações nos comportamentos e na cultura. As vanguardas, rutura na arte. (par...
Mutações nos comportamentos e na cultura. As vanguardas, rutura na arte. (par...Mutações nos comportamentos e na cultura. As vanguardas, rutura na arte. (par...
Mutações nos comportamentos e na cultura. As vanguardas, rutura na arte. (par...home
 
Absolutismo e mercantilismo numa sociedade de ordens
Absolutismo e mercantilismo numa sociedade de ordensAbsolutismo e mercantilismo numa sociedade de ordens
Absolutismo e mercantilismo numa sociedade de ordenshome
 

Mais de home (11)

Democracia em Atenas
Democracia em AtenasDemocracia em Atenas
Democracia em Atenas
 
Ascensao da europa
Ascensao da europaAscensao da europa
Ascensao da europa
 
China de Mao Tsé-Tung
China de Mao Tsé-TungChina de Mao Tsé-Tung
China de Mao Tsé-Tung
 
O modelo ateniense uma cultura aberta à cidade
O modelo ateniense   uma cultura aberta à cidadeO modelo ateniense   uma cultura aberta à cidade
O modelo ateniense uma cultura aberta à cidade
 
Pistas para um comentário de texto a História
Pistas para um comentário de texto a HistóriaPistas para um comentário de texto a História
Pistas para um comentário de texto a História
 
Portugal. Da Revolução de 25 de Abril à estabilização da Democracia
Portugal. Da Revolução de 25 de Abril à estabilização da DemocraciaPortugal. Da Revolução de 25 de Abril à estabilização da Democracia
Portugal. Da Revolução de 25 de Abril à estabilização da Democracia
 
Crescimento do Japão
Crescimento do JapãoCrescimento do Japão
Crescimento do Japão
 
Mundo comunista
Mundo comunistaMundo comunista
Mundo comunista
 
Mutações nos comportamentos e na cultura. As vanguardas, rutura na arte (part...
Mutações nos comportamentos e na cultura. As vanguardas, rutura na arte (part...Mutações nos comportamentos e na cultura. As vanguardas, rutura na arte (part...
Mutações nos comportamentos e na cultura. As vanguardas, rutura na arte (part...
 
Mutações nos comportamentos e na cultura. As vanguardas, rutura na arte. (par...
Mutações nos comportamentos e na cultura. As vanguardas, rutura na arte. (par...Mutações nos comportamentos e na cultura. As vanguardas, rutura na arte. (par...
Mutações nos comportamentos e na cultura. As vanguardas, rutura na arte. (par...
 
Absolutismo e mercantilismo numa sociedade de ordens
Absolutismo e mercantilismo numa sociedade de ordensAbsolutismo e mercantilismo numa sociedade de ordens
Absolutismo e mercantilismo numa sociedade de ordens
 

Último

Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISVitor Vieira Vasconcelos
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASEdinardo Aguiar
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdfProfGleide
 
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfMapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfangelicass1
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasRicardo Diniz campos
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptAlineSilvaPotuk
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfErasmo Portavoz
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptxErivaldoLima15
 
PRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basico
PRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basicoPRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basico
PRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basicoSilvaDias3
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfEyshilaKelly1
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxkarinasantiago54
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxDeyvidBriel
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxconcelhovdragons
 
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.HildegardeAngel
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfIedaGoethe
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoCelianeOliveira8
 

Último (20)

Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
 
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfMapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
 
PRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basico
PRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basicoPRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basico
PRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basico
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
 
(76- ESTUDO MATEUS) A ACLAMAÇÃO DO REI..
(76- ESTUDO MATEUS) A ACLAMAÇÃO DO REI..(76- ESTUDO MATEUS) A ACLAMAÇÃO DO REI..
(76- ESTUDO MATEUS) A ACLAMAÇÃO DO REI..
 
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
 

Portugal pós-1GM: dificuldades económicas e instabilidade política

  • 1. Portugal no primeiro pós-guerra Dificuldades económicas e instabilidade política e social. A falência da Primeira República
  • 2. A queda da monarquia  A implantação da República em Portugal, que ocorreu a 5 de outubro 1910, deveu-se ao descrédito em que caiu a monarquia, causado por:  Elevados problemas económicos, em particular a dependência externa.  Incapacidade política: O modelo rotativista era incapaz de resolver os problemas nacionais. Fracassaram os planos colonialistas. A divulgação dos ideais republicanos era cada vez maior.  Porém, a primeira experiência republicana não teve grande sucesso!
  • 3. Dificuldades económicas • A participação na IGM desorganizou a economia: – A carência de bens essenciais (pão, carvão, gás, açúcar, batatas) fez subir os preços dos produtos, que estavam sujeitos a racionamento. – Para compensar a escassez de meios de pagamento, os governos aumentaram a quantidade de dinheiro em circulação a moeda desvalorizou, a inflação cresceu, o poder de compra diminuiu, o custo de vida aumentou. • A falta de investimento industrial fez crescer o défice da balança comercial. • A dependência do financiamento estrangeiro conduziu ao aumento da dívida pública.
  • 4. Instabilidade social • Perda das bases de apoio republicano – a subida do custo de vida provocou o descontentamento da classe média e do operariado. • Agitação social: vagas de greves; atentados à bomba; propaganda antirrepublicana. A revolução na Rússia (1917) intensificou o movimento operário fazendo surgir a Confederação Geral do Trabalho (1920). A resposta do patronato levou à criação da Confederação Patronal. • Oposição da Igreja: as medidas anticlericais (proibição do ensino religioso nas escolas; nacionalização dos bens da Igreja; expulsão das ordens religiosas; criação do registo civil obrigatório) fizeram diminuir o apoio popular ao regime republicano. Em 1915, foi criado o Centro Católico Português. Em 1917, as aparições de Fátima aumentaram o sentimento religioso.
  • 5. Instabilidade política - causas • Intervenção de Portugal na Grande Guerra – motivada pela tentativa de mostrar o prestígio do regime republicano; auxiliar a Inglaterra e proteger as colónias frente aos ataques da Alemanha. • Parlamentarismo/instabilidade governativa – a Constituição de 1911 atribuía ao poder legislativo, representado pelo Congresso, a supremacia política. Resultava então que a falta de maioria parlamentar ocasionava a queda dos governos. A divisão dos republicanos em vários partidos, tornava ainda mais difícil a formação de maiorias parlamentares.
  • 6. Instabilidade política – ameaças autoritárias • 1911/1913 – Tentativas de restauração monárquica por parte de Paiva Couceiro. • 1915 – ditadura militar do general Pimenta de Castro. • 1917/1918 – Ditadura do major Sidónio Pais (a chamada “República Nova”). • 1919 – proclamação da “Monarquia do Norte” (na sequência da guerra civil de janeiro/fevereiro) • 1926 – Golpe de Estado do general Gomes da Costa, põe fim à 1.ª República e dá inicio ao período de ditadura do Estado Novo.
  • 7. Instabilidade política – ameaças autoritárias • 1911/1913 – Tentativas de restauração monárquica por parte de Paiva Couceiro. • 1915 – ditadura militar do general Pimenta de Castro. • 1917/1918 – Ditadura do major Sidónio Pais (a chamada “República Nova”). • 1919 – proclamação da “Monarquia do Norte” (na sequência da guerra civil de janeiro/fevereiro) • 1926 – Golpe de Estado do general Gomes da Costa, põe fim à 1.ª República e dá inicio ao período de ditadura do Estado Novo.