Tep

1.441 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

Tep

  1. 1. HUSMSERVIÇO DE DIAGNÓSTICO POR IMAGEM TROMBOEMBOLIA PULMONAR R3 RÉGIS SILVA
  2. 2. TEP-A embolia pulmonar ocorre como conseqüência de um trombo, formado nosistema venoso profundo, que se desprende e, atravessando as cavidades direitasdo coração, obstrui a artéria pulmonar ou um de seus ramos.-No ocidente, sua incidência na população geral é estimada em 5/10.000pacientes, com mortalidade quatro vezes maior quando o tratamento não éinstituído.-Em aproximadamente 70% dos casos de TEP, a TVP está presente nos mmii,muitas vezes sem evidências clínicas.
  3. 3. TEP Diagnóstico clínico-Do diagnóstico e risco.-A elaboração diagnóstica de TEV envolve vários fatores a serem analisadosconjuntamente.-Probabilidade pré-teste, seleção de exames e estratégias diagnósticas.-Dosagem do d-dímero.-Gases sanguíneos.-ECG
  4. 4. TEP
  5. 5. TEP Christopher Study; JAMA 2006;295:172-179
  6. 6. Achados na radiografia de tórax-Baixa sensibilidade e especificidade, porém tem função de excluir outras condiçõesque podem simular clinicamente TEP. Westermark sign of pulmonary embolism. The right hilum is large, and vessels beyond the hilum in the right lower lobe are small. Imaging of Diseases
  7. 7. TEP Radiografia de tóraxPosteroanterior radiograph showing discoid atelectasis in a patient with pulmonaryembolism. Imaging of Diseases of the Chest Fifth Edition, 2010 Elsevier
  8. 8. Radiografia de tórax cone shape (Hampton hump) Imaging of Diseases of the Chest Fifth Edition, 2010 Elsevier
  9. 9. cavitating pulmonary infarct. Imaging of Diseases of the Chest Fifth Edition, 2010 Elsevier
  10. 10. Cintilografia-Cintilografia tem sido considerada uma alternativa entre as tecnicas de diagnóstico por imagemquando o paciente não pode ser submetido a angiotomografia.-Em 2/3 dos casos os achados são inconclusivos. Pulmonary infarct. A, A perfusion defect is visible in the lingular region of the left lung (left posterior oblique view). B, A 81 mKr ventilation scan shows a defect at the same site, but it is clearly smaller than the corresponding perfusion defect, typical of pulmonary infarction.
  11. 11. Angiotomografia-Padrão ouro para o diagnóstico.-Sua acurácia tornou-se maior com os equipamentos MDT.-Identificação de êmbolos, sinais indiretos e diagnósticos alternativos.-Defeito de enchimento parcial.-Defeito de enchimento completo.-Achados parenquimatosos - Consolidação - Oligemia - Atelectasia laminar
  12. 12. Achados da angiotomografia-Paciente de 32 anos com dor no peito. RadioGraphics 2004; 24:1219 –1238
  13. 13. -Mulher de 45 anos se apresenta no PS com dor no peito. RadioGraphics 2004; 24:1219 –1238
  14. 14. -Homem com dispnéia severa e dor torácica. RadioGraphics 2004; 24:1219 –1238
  15. 15. -Paciente com episódio de síncope um mês após cirurgia de câncer de colon Imaging of Diseases of the Chest Fifth Edition, 2010 Elsevier
  16. 16. -Homem de 66 anos com dor torácica e dispnéia RadioGraphics 2004; 24:1219 –1238
  17. 17. -Mulher de 87 anos assintomática. RadioGraphics 2004; 24:1219 –1238
  18. 18. -Tromboembolismo pulmonar agudo. Imaging of Diseases of the Chest Fifth Edition, 2010 Elsevier
  19. 19. -Discrepância acentuada no tamanho das artérias pulmonares segmentares esubsegmentares entre os dois lados. Imaging of Diseases of the Chest Fifth Edition, 2010 Elsevier
  20. 20. -Linfonodos mimetizando tromboembolismo pulmonar Imaging of Diseases of the Chest Fifth Edition, 2010 Elsevier
  21. 21. -Mulher de 58 anos com dispnéia e dor torácica. RadioGraphics 2004; 24:1219 –1238
  22. 22. Venotomografia X ultrassonografia com Doppler-Parte integrante da avaliação da TEP é avaliacão da TVP.-Venografia convencional foi substituida pela US Doppler.-Mais recentemente a TC foi capaz de demonstrar trombose na pelve e mmii,porém seu uso e controverso em relação a US Doppler.-A avaliacão deve ser desde o nível do acetábulo até o joelho.
  23. 23. Imaging of Diseases of the Chest Fifth Edition, 2010Elsevier
  24. 24. -Venotomografia de mulher de 76 anos. AJR 2007; 189:156–161
  25. 25. -Homem de 18 anos com dor torácica, dispnéia e tosse AJR 2009; 192:654–661
  26. 26. - Mulher de 52 anos que apresentou-se com dor no peito, falta de ar e edema demembro inferior com angiotomografia de tórax normal. AJR 2009; 192:654–661
  27. 27. -Homem com 49 anos e falta de ar, angiotomografia de torax normal AJR 2009; 192:654–661
  28. 28. TROMBOEMBOLIA PULMONAR CRÔNICA-É definida como a embolia que permanece por um período de pelo menos trêsmeses após o evento agudo.-Muitos pacientes são assintomáticos, quando tem o principal sintoma é adispnéia progressiva.-O processo pode resultar em hipertensão pulmonar.-Achados da angiotomografia: - Localização excêntrica dos êmbolos. - Racanalização - Membrana intraluminal - Calcificação no interior do êmbolo - Dilatacão das anterias pulmonares - Áreas de parênquima com vascularização reduzida.
  29. 29. -Paciente com TEP crônico. Imaging of Diseases of the Chest Fifth Edition, 2010 Elsevier
  30. 30. -Homem de 27 anos com dispnéia e TEP crônico. RadioGraphics 2004; 24:1219 –1238
  31. 31. -Paciente de 62 anos com dispnéia e TEP crônico. RadioGraphics 2004; 24:1219 –1238
  32. 32. -Mulher de 60 anos com dispnéia. RadioGraphics 2004; 24:1219 –1238
  33. 33. TEP crônico RadioGraphics 2004; 24:1219 –1238
  34. 34. -Paciente com doença tromboembólica crônica Imaging of Diseases of the Chest Fifth Edition, 2010 Elsevier
  35. 35. Ressonância magnética-É uma alternativa quando o paciente não pode ser submetido a contraste iodadoou a exposição à irradiação é motivo de preocupação.-Pouca capacidade de identificar alterações pulmonares que simulem TEP.-Limitações referentes as condicões clínicas do paciente.
  36. 36. -Paciente com tromboembolismo pulmonar. Imaging of Diseases of the Chest Fifth Edition, 2010 Elsevier
  37. 37. - Paciente masculino, 59 anos, com dispnéia severa e tromboembolismo emartérias pulmonares e lobares Imaging of Diseases of the Chest Fifth Edition, 2010 Elsevier
  38. 38. Imaging of Diseases of the Chest Fifth Edition, 2010Elsevier
  39. 39. Diagnóstico de TEP em gestantes-A queixa de dispnéia e edema de mmii é queixa comum em gestantes.-TEV é mais comum no puerpério.-A investigação de TEV na gestante exige a realização de método de boa acuráciae com risco aceitável para mãe e para o feto.-Probabilidade pré teste, achados da radiografia de tórax, cintilografia perfusionale ecocardiograma.-D-dímero aceitavel se menor do que 500µg/l
  40. 40. Referência

×