Recist

1.832 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.832
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
54
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
58
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Recist

  1. 1. MR3 Roberto Corrêa14/06/2012
  2. 2. Baseline: 4,6 + 5,4= 10,0cm.Follow-up: 3,3 + 2,7= 6,0 cm.Decréscimo de 40% na soma das lesões= resposta parcial.
  3. 3. Homem de 64 anos com câncer de cólon
  4. 4. Mulher de 75 anos com história de neoplasia pulmonar
  5. 5. Mulher de 52 anos com neoplasia pulmonar
  6. 6. Lesões não mensuráveis
  7. 7. Mulher de 59 anos com câncer de mama
  8. 8. Homem de 45 anos com câncer gástrico. Ascite maligna.
  9. 9. Mulher de 70 anos com câncer de pulmão. Linfangite carcinomatosa
  10. 10. Exemplo de progressão de lesões não alvo
  11. 11. Diferença RECIST 1.0 versus 1.1Número de lesões alvo por órgão: 2Número total de lesões alvo: 5Metanálise de 16 trials: não alterou resposta global; mínimainfluência na sobrevida livre de doença.
  12. 12. Diferença RECIST 1.0 versus 1.1Avaliação dos linfonodos:Linfonodos: eixo curto ≥ 15mm: lesão mensurável (target lesion);Linfonodos: eixo curto < 10mm: “não patológicos”;Linfonodos: eixo curto ≥ 10mm e < 15mm: nontarget lesions;
  13. 13. Diferença RECIST 1.0 versus 1.1Classificação de progressão de doença:Aumento absoluto de 5mm na soma dos diâmetros das lesões alvo eaumento de 20% dessa soma;Essa mudança foi importante para melhor avaliar as lesões de pequenovolume.
  14. 14. Critério de CHOI:Redução de 10% no diâmetro da lesão alvo ou;Redução de 15% da atenuação da lesão na TC.
  15. 15. Lesões pulmonares escavadas:Controverso o método de mensuração.
  16. 16. Diferença da avaliação em relação à fase do contraste fase arterial Fase portal
  17. 17. Progressão de doença
  18. 18. Obrigado

×