SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 18
Baixar para ler offline
Síntese
Unidade 4.1
José Saramago,
O ano da morte de
Ricardo Reis
O ano da morte de Ricardo Reis
O ano da morte de Ricardo Reis decorre em 1935 e 1936, num
que passam por (comunismo e fascismo) e
José Saramago
O ano da morte de Ricardo Reis
Em Portugal
 Ditadura presidida por Salazar, estado corporativo, União Nacional (capítulos IV, IX, XI e XIII)
 Polícia política – PIDE (capítulos VIII, IX e XVII)
 Relação íntima entre a Igreja Católica e o regime salazarista (capítulo XIII)
 Conceção nacionalista do estado (capítulo XVI)
 Mocidade Portuguesa (capítulos XVII e XVIII)
 Legião Portuguesa (capítulo XVIII)
 Revoltas militares contra o Estado Novo (capítulo XIX)
José Saramago
O ano da morte de Ricardo Reis
Na Europa
Espanha: Dá-se um golpe político
chefiado pelo General Franco, para
instalar a ditadura em Espanha. A
legalidade democrática espanhola é
derrubada.
Itália: Ascensão política do fascismo
italiano, chefiado por Mussolini,
principalmente através da agressão
militar italiana à Etiópia.
França: O ano 1936 é um tempo de
grande agitação social na França
democrática, com os franceses em luta
por direitos sociais, luta que levará a
esquerda ao poder.
Alemanha: Ascensão do poder
nazi-fascista. Hitler segue uma
política nacionalista e racista.
José Saramago
O ano da morte de Ricardo Reis
No Brasil:

natureza fascista chefiado por .

encontram-se referidos no romance .
José Saramago
O ano da morte de Ricardo Reis
Representações do amor
A aproximação de Reis a Marcenda é cautelosa, iniciando-se pela
fase da amizade recíproca.
Marcenda
Sedução
Não ocorrem por parte de Reis certas liberdades que toma com
Lídia dado o estatuto social de Marcenda.
A aproximação intensifica-se através da mão esquerda de
Marcenda colocada «entre as mãos dele», num exame de natureza
médica (capítulo VI).
José Saramago
O ano da morte de Ricardo Reis
A sedução de Lídia inicia-se com a mão de Reis delicadamente
pousada no seu braço, no seu quarto, sentindo «o calor da pele»,
«ficaram assim alguns segundos», reagindo Lídia com um baixar de
olhos e tremendo...
Lídia
Sedução
Reis arrepende-se da fraqueza do seu ato. Mas não deixa de,
«sedutor ridículo», elogiar a beleza de Lídia: «Acho-a muito bonita».
 Como resposta, Lídia usa também técnicas de sedução (capítulo
IV).
José Saramago
O ano da morte de Ricardo Reis

Marcenda
Desejo
José Saramago
O ano da morte de Ricardo Reis

.
Desejo
Lídia


puramente sensual, sem amor, sentimento
[...]»
José Saramago
O ano da morte de Ricardo Reis
:
Ricardo Reis
, logo que ela entra em sua casa: «[...] a boca dele
José Saramago
O ano da morte de Ricardo Reis
Beijos
imagine-se, beijou-a muito,
na boca [...]»
José Saramago
O ano da morte de Ricardo Reis
Ricardo Reis
Beijos
[...]» .
Lídia e Ricardo Reis
José Saramago
O ano da morte de Ricardo Reis
Corpo, pudor e beleza
O amor em Saramago
ganha asas. Quem assim fala do amor elogia a vida. [...]
,
José Saramago
O ano da morte de Ricardo Reis
Intertextualidade
 , ao longo da
obra, num reverso da epopeia:
«Aqui, onde o mar se acabou e a terra espera.»
José Saramago
O ano da morte de Ricardo Reis
Luís de Camões
Intertextualidade
 A sua presença observa-se implicitamente:
Cesário Verde
José Saramago
O ano da morte de Ricardo Reis
a) no deambular de Ricardo Reis pelos
mesmos espaços da cidade;
d) no olhar para dentro (para terra) e
não para o mar.
b) na observação dos tipos sociais;
c) nas referências a Camões;
Intertextualidade
 Referências textuais com a poesia de
Fernando Pessoa e heterónimos. Viaja pelo
território labiríntico e ambíguo da poesia
pessoana.
Fernando Pessoa
José Saramago
O ano da morte de Ricardo Reis
Linguagem, estilo e estrutura
José Saramago
O ano da morte de Ricardo Reis
Estrutura da
obra
Tom
oralizante e
pontuação
Recursos
expressivos
«desaparecimento» de Ricardo Reis e Fernando Pessoa.
Narrador oralizante, cuja escrita flui como a voz que fala para ser
ouvida. Utiliza apenas o ponto e a vírgula que fazem as funções dos
outros sinais de pontuação, na representação do discurso direto
(diálogos).
Mais frequentes: a antítese, a comparação, a enumeração, a ironia e
a metáfora.
Reprodução
do discurso
no discurso
Discurso direto, discurso indireto e discurso indireto livre.
José Saramago
José Saramago
O ano da morte de Ricardo Reis

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Fernando Pessoa Nostalgia da Infância
Fernando Pessoa Nostalgia da InfânciaFernando Pessoa Nostalgia da Infância
Fernando Pessoa Nostalgia da InfânciaSamuel Neves
 
Ode Triunfal de Álvaro de Campos
Ode Triunfal de Álvaro de CamposOde Triunfal de Álvaro de Campos
Ode Triunfal de Álvaro de Camposguest3fc89a1
 
Síntese fernando pessoa
Síntese fernando pessoaSíntese fernando pessoa
Síntese fernando pessoalenaeira
 
Coesão textual
Coesão textualCoesão textual
Coesão textualgracacruz
 
Alberto caeiro biografia e caracteristicas
Alberto caeiro biografia e caracteristicasAlberto caeiro biografia e caracteristicas
Alberto caeiro biografia e caracteristicasAnabela Fernandes
 
Álvaro de Campos
Álvaro de CamposÁlvaro de Campos
Álvaro de CamposAna Isabel
 
Resumos de Português: Cesário verde
Resumos de Português: Cesário verdeResumos de Português: Cesário verde
Resumos de Português: Cesário verdeRaffaella Ergün
 
Mensagem Fernando Pessoa
Mensagem   Fernando PessoaMensagem   Fernando Pessoa
Mensagem Fernando Pessoaguest0f0d8
 
Intertextualidade entre Os Lusíadas e Mensagem
Intertextualidade entre Os Lusíadas e MensagemIntertextualidade entre Os Lusíadas e Mensagem
Intertextualidade entre Os Lusíadas e MensagemPaulo Vitorino
 
características temáticas de Fernando Pessoa - ortónimo
características temáticas de Fernando Pessoa - ortónimocaracterísticas temáticas de Fernando Pessoa - ortónimo
características temáticas de Fernando Pessoa - ortónimoDina Baptista
 
Estrutura mensagem
Estrutura mensagemEstrutura mensagem
Estrutura mensagemameliapadrao
 
Power point "Frei Luís de Sousa"
Power point "Frei Luís de Sousa"Power point "Frei Luís de Sousa"
Power point "Frei Luís de Sousa"gracacruz
 
Cesario Verde Ave Marias Ana Catarina E Ana Sofia
Cesario Verde   Ave Marias   Ana Catarina E Ana SofiaCesario Verde   Ave Marias   Ana Catarina E Ana Sofia
Cesario Verde Ave Marias Ana Catarina E Ana SofiaJoana Azevedo
 
Historia a-12-ano-resumo
Historia a-12-ano-resumoHistoria a-12-ano-resumo
Historia a-12-ano-resumoEscoladocs
 
Temáticas de Cesário verde
Temáticas de Cesário verdeTemáticas de Cesário verde
Temáticas de Cesário verdeMariaVerde1995
 

Mais procurados (20)

Fernando Pessoa Nostalgia da Infância
Fernando Pessoa Nostalgia da InfânciaFernando Pessoa Nostalgia da Infância
Fernando Pessoa Nostalgia da Infância
 
Fernando Pessoa-Ortónimo
Fernando Pessoa-OrtónimoFernando Pessoa-Ortónimo
Fernando Pessoa-Ortónimo
 
Ode Triunfal de Álvaro de Campos
Ode Triunfal de Álvaro de CamposOde Triunfal de Álvaro de Campos
Ode Triunfal de Álvaro de Campos
 
Ricardo Reis
Ricardo ReisRicardo Reis
Ricardo Reis
 
Síntese fernando pessoa
Síntese fernando pessoaSíntese fernando pessoa
Síntese fernando pessoa
 
Coesão textual
Coesão textualCoesão textual
Coesão textual
 
Alberto caeiro biografia e caracteristicas
Alberto caeiro biografia e caracteristicasAlberto caeiro biografia e caracteristicas
Alberto caeiro biografia e caracteristicas
 
Álvaro de Campos
Álvaro de CamposÁlvaro de Campos
Álvaro de Campos
 
Resumos de Português: Cesário verde
Resumos de Português: Cesário verdeResumos de Português: Cesário verde
Resumos de Português: Cesário verde
 
Ceifeira
CeifeiraCeifeira
Ceifeira
 
Mensagem - Fernando Pessoa
Mensagem - Fernando Pessoa Mensagem - Fernando Pessoa
Mensagem - Fernando Pessoa
 
Mensagem Fernando Pessoa
Mensagem   Fernando PessoaMensagem   Fernando Pessoa
Mensagem Fernando Pessoa
 
Intertextualidade entre Os Lusíadas e Mensagem
Intertextualidade entre Os Lusíadas e MensagemIntertextualidade entre Os Lusíadas e Mensagem
Intertextualidade entre Os Lusíadas e Mensagem
 
características temáticas de Fernando Pessoa - ortónimo
características temáticas de Fernando Pessoa - ortónimocaracterísticas temáticas de Fernando Pessoa - ortónimo
características temáticas de Fernando Pessoa - ortónimo
 
Estrutura mensagem
Estrutura mensagemEstrutura mensagem
Estrutura mensagem
 
Power point "Frei Luís de Sousa"
Power point "Frei Luís de Sousa"Power point "Frei Luís de Sousa"
Power point "Frei Luís de Sousa"
 
Actos Ilocutórios
Actos IlocutóriosActos Ilocutórios
Actos Ilocutórios
 
Cesario Verde Ave Marias Ana Catarina E Ana Sofia
Cesario Verde   Ave Marias   Ana Catarina E Ana SofiaCesario Verde   Ave Marias   Ana Catarina E Ana Sofia
Cesario Verde Ave Marias Ana Catarina E Ana Sofia
 
Historia a-12-ano-resumo
Historia a-12-ano-resumoHistoria a-12-ano-resumo
Historia a-12-ano-resumo
 
Temáticas de Cesário verde
Temáticas de Cesário verdeTemáticas de Cesário verde
Temáticas de Cesário verde
 

Destaque

Síntese Sermão de Santo António aos Peixes
Síntese Sermão de Santo António aos PeixesSíntese Sermão de Santo António aos Peixes
Síntese Sermão de Santo António aos PeixesCatarina Castro
 
Contextualização histórico literária - O Ano da Morte de Ricardo Reis
Contextualização histórico literária - O Ano da Morte de Ricardo ReisContextualização histórico literária - O Ano da Morte de Ricardo Reis
Contextualização histórico literária - O Ano da Morte de Ricardo ReisCatarina Castro
 
Contextualização histórico literária - O Ano da Morte de Ricardo Reis
Contextualização histórico literária - O Ano da Morte de Ricardo ReisContextualização histórico literária - O Ano da Morte de Ricardo Reis
Contextualização histórico literária - O Ano da Morte de Ricardo ReisCatarina Castro
 
Contextualização histórico literária - Sermão
Contextualização histórico literária - SermãoContextualização histórico literária - Sermão
Contextualização histórico literária - SermãoCatarina Castro
 
Características Poéticas de Álvaro de Campos
Características Poéticas de Álvaro de CamposCaracterísticas Poéticas de Álvaro de Campos
Características Poéticas de Álvaro de CamposDina Baptista
 
O heteronimo Alberto Caeiro
O heteronimo Alberto CaeiroO heteronimo Alberto Caeiro
O heteronimo Alberto Caeiroguest155834
 

Destaque (9)

Síntese Sermão de Santo António aos Peixes
Síntese Sermão de Santo António aos PeixesSíntese Sermão de Santo António aos Peixes
Síntese Sermão de Santo António aos Peixes
 
Contextualização histórico literária - O Ano da Morte de Ricardo Reis
Contextualização histórico literária - O Ano da Morte de Ricardo ReisContextualização histórico literária - O Ano da Morte de Ricardo Reis
Contextualização histórico literária - O Ano da Morte de Ricardo Reis
 
Contextualização histórico literária - O Ano da Morte de Ricardo Reis
Contextualização histórico literária - O Ano da Morte de Ricardo ReisContextualização histórico literária - O Ano da Morte de Ricardo Reis
Contextualização histórico literária - O Ano da Morte de Ricardo Reis
 
Contextualização histórico literária - Sermão
Contextualização histórico literária - SermãoContextualização histórico literária - Sermão
Contextualização histórico literária - Sermão
 
Características Poéticas de Álvaro de Campos
Características Poéticas de Álvaro de CamposCaracterísticas Poéticas de Álvaro de Campos
Características Poéticas de Álvaro de Campos
 
áLvaro de campos
áLvaro de camposáLvaro de campos
áLvaro de campos
 
áLvaro de campos
áLvaro de camposáLvaro de campos
áLvaro de campos
 
O heteronimo Alberto Caeiro
O heteronimo Alberto CaeiroO heteronimo Alberto Caeiro
O heteronimo Alberto Caeiro
 
Ricardo reis
Ricardo reisRicardo reis
Ricardo reis
 

Semelhante a O ano da morte de Ricardo Reis

Síntese da subunidade.ppt
Síntese da subunidade.pptSíntese da subunidade.ppt
Síntese da subunidade.pptleniafilipe
 
O ano da morte de r. reis
O ano da morte de r. reisO ano da morte de r. reis
O ano da morte de r. reisnatttaas
 
1 amrr titulo_e_estrutura_da_obra
1 amrr titulo_e_estrutura_da_obra1 amrr titulo_e_estrutura_da_obra
1 amrr titulo_e_estrutura_da_obraana salema
 
As personagens femininas em o amrr
As personagens femininas em o amrrAs personagens femininas em o amrr
As personagens femininas em o amrrPaula Lemos
 
modernismo_2geracao.pdf
modernismo_2geracao.pdfmodernismo_2geracao.pdf
modernismo_2geracao.pdfjosue261257
 
Segunda fase-modernismo
Segunda fase-modernismoSegunda fase-modernismo
Segunda fase-modernismoNádia França
 
Modernismo Segunda Fase Brasil
Modernismo Segunda Fase BrasilModernismo Segunda Fase Brasil
Modernismo Segunda Fase Brasilggmota93
 
O retrato real da sociedade burguesa no século XIX pela percepção do Movimen...
O retrato real da sociedade burguesa  no século XIX pela percepção do Movimen...O retrato real da sociedade burguesa  no século XIX pela percepção do Movimen...
O retrato real da sociedade burguesa no século XIX pela percepção do Movimen...Doutora em Linguística Aplicada pela PUC-SP
 
Alunas: Caroline Segall e Gabriela Rovani
 Alunas: Caroline Segall e Gabriela Rovani  Alunas: Caroline Segall e Gabriela Rovani
Alunas: Caroline Segall e Gabriela Rovani Carol Segall
 
Contextualização histórica e literária - José Saramago 12º ano
Contextualização histórica e literária - José Saramago 12º anoContextualização histórica e literária - José Saramago 12º ano
Contextualização histórica e literária - José Saramago 12º anoLaraCosta708069
 
Biogrfia de saramago preparada para pdf.
Biogrfia de saramago preparada para pdf.Biogrfia de saramago preparada para pdf.
Biogrfia de saramago preparada para pdf.stcnsaidjv
 
modernismo-2a-fase-30-a-45.pptx
modernismo-2a-fase-30-a-45.pptxmodernismo-2a-fase-30-a-45.pptx
modernismo-2a-fase-30-a-45.pptxVivianeSilva230677
 
modernismo-2a-fase-30-a-45.pptx
modernismo-2a-fase-30-a-45.pptxmodernismo-2a-fase-30-a-45.pptx
modernismo-2a-fase-30-a-45.pptxVivianeSilva230677
 
Prosa 2º geração modernista
Prosa 2º geração modernistaProsa 2º geração modernista
Prosa 2º geração modernistaSamila Salen
 
Aula memc3b3rias-de-um-sargento-de-milc3adcias
Aula memc3b3rias-de-um-sargento-de-milc3adciasAula memc3b3rias-de-um-sargento-de-milc3adcias
Aula memc3b3rias-de-um-sargento-de-milc3adciasMaria das Dores Justo
 
Modernismo da Geração de 30
Modernismo da Geração de 30Modernismo da Geração de 30
Modernismo da Geração de 30Karina Cunha
 
Biografia bando do 4
Biografia bando do 4Biografia bando do 4
Biografia bando do 4poletef
 
2 Fase Modernista- ROMANCE DE 30
2 Fase Modernista- ROMANCE DE 302 Fase Modernista- ROMANCE DE 30
2 Fase Modernista- ROMANCE DE 30Jaqueline Soares
 

Semelhante a O ano da morte de Ricardo Reis (20)

Síntese da subunidade.ppt
Síntese da subunidade.pptSíntese da subunidade.ppt
Síntese da subunidade.ppt
 
O ano da morte de r. reis
O ano da morte de r. reisO ano da morte de r. reis
O ano da morte de r. reis
 
1 amrr titulo_e_estrutura_da_obra
1 amrr titulo_e_estrutura_da_obra1 amrr titulo_e_estrutura_da_obra
1 amrr titulo_e_estrutura_da_obra
 
As personagens femininas em o amrr
As personagens femininas em o amrrAs personagens femininas em o amrr
As personagens femininas em o amrr
 
modernismo_2geracao.pdf
modernismo_2geracao.pdfmodernismo_2geracao.pdf
modernismo_2geracao.pdf
 
Segunda fase-modernismo
Segunda fase-modernismoSegunda fase-modernismo
Segunda fase-modernismo
 
José saramago
José saramagoJosé saramago
José saramago
 
Modernismo Segunda Fase Brasil
Modernismo Segunda Fase BrasilModernismo Segunda Fase Brasil
Modernismo Segunda Fase Brasil
 
O retrato real da sociedade burguesa no século XIX pela percepção do Movimen...
O retrato real da sociedade burguesa  no século XIX pela percepção do Movimen...O retrato real da sociedade burguesa  no século XIX pela percepção do Movimen...
O retrato real da sociedade burguesa no século XIX pela percepção do Movimen...
 
Alunas: Caroline Segall e Gabriela Rovani
 Alunas: Caroline Segall e Gabriela Rovani  Alunas: Caroline Segall e Gabriela Rovani
Alunas: Caroline Segall e Gabriela Rovani
 
Contextualização histórica e literária - José Saramago 12º ano
Contextualização histórica e literária - José Saramago 12º anoContextualização histórica e literária - José Saramago 12º ano
Contextualização histórica e literária - José Saramago 12º ano
 
Biogrfia de saramago preparada para pdf.
Biogrfia de saramago preparada para pdf.Biogrfia de saramago preparada para pdf.
Biogrfia de saramago preparada para pdf.
 
modernismo-2a-fase-30-a-45.pptx
modernismo-2a-fase-30-a-45.pptxmodernismo-2a-fase-30-a-45.pptx
modernismo-2a-fase-30-a-45.pptx
 
modernismo-2a-fase-30-a-45.pptx
modernismo-2a-fase-30-a-45.pptxmodernismo-2a-fase-30-a-45.pptx
modernismo-2a-fase-30-a-45.pptx
 
Prosa 2º geração modernista
Prosa 2º geração modernistaProsa 2º geração modernista
Prosa 2º geração modernista
 
Aula memc3b3rias-de-um-sargento-de-milc3adcias
Aula memc3b3rias-de-um-sargento-de-milc3adciasAula memc3b3rias-de-um-sargento-de-milc3adcias
Aula memc3b3rias-de-um-sargento-de-milc3adcias
 
Modernismo da Geração de 30
Modernismo da Geração de 30Modernismo da Geração de 30
Modernismo da Geração de 30
 
Biografia bando do 4
Biografia bando do 4Biografia bando do 4
Biografia bando do 4
 
Biografia
BiografiaBiografia
Biografia
 
2 Fase Modernista- ROMANCE DE 30
2 Fase Modernista- ROMANCE DE 302 Fase Modernista- ROMANCE DE 30
2 Fase Modernista- ROMANCE DE 30
 

Mais de Catarina Castro

Contextualização histórico literária - Almeida Garrett
Contextualização histórico literária - Almeida GarrettContextualização histórico literária - Almeida Garrett
Contextualização histórico literária - Almeida GarrettCatarina Castro
 
Linguística textual - Intertextualidade
Linguística textual - IntertextualidadeLinguística textual - Intertextualidade
Linguística textual - IntertextualidadeCatarina Castro
 
Texto narrativo (características)
Texto narrativo (características)Texto narrativo (características)
Texto narrativo (características)Catarina Castro
 
A Constituição do Território Nacional e a Posição Geográfica de Portugal
A Constituição do Território Nacional e a Posição Geográfica de PortugalA Constituição do Território Nacional e a Posição Geográfica de Portugal
A Constituição do Território Nacional e a Posição Geográfica de PortugalCatarina Castro
 
As Vagas Revolucionárias Liberais e Nacionais
As Vagas Revolucionárias Liberais e Nacionais As Vagas Revolucionárias Liberais e Nacionais
As Vagas Revolucionárias Liberais e Nacionais Catarina Castro
 
Variabilidade da radiação solar i
Variabilidade da radiação solar iVariabilidade da radiação solar i
Variabilidade da radiação solar iCatarina Castro
 
Variabilidade da radiação solar geral
Variabilidade da radiação solar geralVariabilidade da radiação solar geral
Variabilidade da radiação solar geralCatarina Castro
 
Variabilidade da radiaçã solar
Variabilidade da radiaçã solarVariabilidade da radiaçã solar
Variabilidade da radiaçã solarCatarina Castro
 
Valorização da radiação solar
Valorização da radiação solarValorização da radiação solar
Valorização da radiação solarCatarina Castro
 
Potencialidades do Litoral
Potencialidades do LitoralPotencialidades do Litoral
Potencialidades do LitoralCatarina Castro
 
Problemas e Potencialidades dos Recursos do Subsolo
Problemas e Potencialidades dos Recursos do SubsoloProblemas e Potencialidades dos Recursos do Subsolo
Problemas e Potencialidades dos Recursos do SubsoloCatarina Castro
 
Evolução da População Portuguesa
Evolução da População PortuguesaEvolução da População Portuguesa
Evolução da População PortuguesaCatarina Castro
 
Estruturas e Comportamentos Sociodemográficos
Estruturas e Comportamentos SociodemográficosEstruturas e Comportamentos Sociodemográficos
Estruturas e Comportamentos SociodemográficosCatarina Castro
 
Diversidade dos Recursos do Subsolo
Diversidade dos Recursos do SubsoloDiversidade dos Recursos do Subsolo
Diversidade dos Recursos do SubsoloCatarina Castro
 
Distribuição da População Portuguesa
Distribuição da População PortuguesaDistribuição da População Portuguesa
Distribuição da População PortuguesaCatarina Castro
 
As Disponibilidades Hídricas
As Disponibilidades HídricasAs Disponibilidades Hídricas
As Disponibilidades HídricasCatarina Castro
 
A Inserção de Portugal nos Diferentes Espaços
A Inserção de Portugal nos Diferentes EspaçosA Inserção de Portugal nos Diferentes Espaços
A Inserção de Portugal nos Diferentes EspaçosCatarina Castro
 
A Especificidade do Clima em Portugal
A Especificidade do Clima em PortugalA Especificidade do Clima em Portugal
A Especificidade do Clima em PortugalCatarina Castro
 

Mais de Catarina Castro (20)

Contextualização histórico literária - Almeida Garrett
Contextualização histórico literária - Almeida GarrettContextualização histórico literária - Almeida Garrett
Contextualização histórico literária - Almeida Garrett
 
Linguística textual - Intertextualidade
Linguística textual - IntertextualidadeLinguística textual - Intertextualidade
Linguística textual - Intertextualidade
 
Texto narrativo (características)
Texto narrativo (características)Texto narrativo (características)
Texto narrativo (características)
 
A Constituição do Território Nacional e a Posição Geográfica de Portugal
A Constituição do Território Nacional e a Posição Geográfica de PortugalA Constituição do Território Nacional e a Posição Geográfica de Portugal
A Constituição do Território Nacional e a Posição Geográfica de Portugal
 
As Vagas Revolucionárias Liberais e Nacionais
As Vagas Revolucionárias Liberais e Nacionais As Vagas Revolucionárias Liberais e Nacionais
As Vagas Revolucionárias Liberais e Nacionais
 
Variabilidade da radiação solar i
Variabilidade da radiação solar iVariabilidade da radiação solar i
Variabilidade da radiação solar i
 
Variabilidade da radiação solar geral
Variabilidade da radiação solar geralVariabilidade da radiação solar geral
Variabilidade da radiação solar geral
 
Variabilidade da radiaçã solar
Variabilidade da radiaçã solarVariabilidade da radiaçã solar
Variabilidade da radiaçã solar
 
Valorização da radiação solar
Valorização da radiação solarValorização da radiação solar
Valorização da radiação solar
 
Potencialidades do Litoral
Potencialidades do LitoralPotencialidades do Litoral
Potencialidades do Litoral
 
Recursos Energéticos
Recursos EnergéticosRecursos Energéticos
Recursos Energéticos
 
Problemas e Potencialidades dos Recursos do Subsolo
Problemas e Potencialidades dos Recursos do SubsoloProblemas e Potencialidades dos Recursos do Subsolo
Problemas e Potencialidades dos Recursos do Subsolo
 
Evolução da População Portuguesa
Evolução da População PortuguesaEvolução da População Portuguesa
Evolução da População Portuguesa
 
Estruturas e Comportamentos Sociodemográficos
Estruturas e Comportamentos SociodemográficosEstruturas e Comportamentos Sociodemográficos
Estruturas e Comportamentos Sociodemográficos
 
Diversidade dos Recursos do Subsolo
Diversidade dos Recursos do SubsoloDiversidade dos Recursos do Subsolo
Diversidade dos Recursos do Subsolo
 
Distribuição da População Portuguesa
Distribuição da População PortuguesaDistribuição da População Portuguesa
Distribuição da População Portuguesa
 
As Disponibilidades Hídricas
As Disponibilidades HídricasAs Disponibilidades Hídricas
As Disponibilidades Hídricas
 
A Inserção de Portugal nos Diferentes Espaços
A Inserção de Portugal nos Diferentes EspaçosA Inserção de Portugal nos Diferentes Espaços
A Inserção de Portugal nos Diferentes Espaços
 
A Especificidade do Clima em Portugal
A Especificidade do Clima em PortugalA Especificidade do Clima em Portugal
A Especificidade do Clima em Portugal
 
A Atividade Piscatória
A Atividade PiscatóriaA Atividade Piscatória
A Atividade Piscatória
 

Último

Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoSer Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoJayaneSales1
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...nexocan937
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...LuizHenriquedeAlmeid6
 
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURACRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURADouglasVasconcelosMa
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas BrasileirosMary Alvarenga
 
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptxProva de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptxJosAurelioGoesChaves
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREIVONETETAVARESRAMOS
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLaseVasconcelos1
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdfCarlosRodrigues832670
 
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. EvoluçãoAs teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. Evoluçãoprofleticiasantosbio
 
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil  2023.ppsxA área de ciências da religião no brasil  2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsxGilbraz Aragão
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 
Modelos atômicos: quais são, história, resumo
Modelos atômicos: quais são, história, resumoModelos atômicos: quais são, história, resumo
Modelos atômicos: quais são, história, resumoprofleticiasantosbio
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoCelianeOliveira8
 
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxRevolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxHlioMachado1
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxkarinasantiago54
 
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxQUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxAntonioVieira539017
 

Último (20)

Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoSer Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
 
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURACRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
 
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptxProva de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptx
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
 
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. EvoluçãoAs teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
 
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil  2023.ppsxA área de ciências da religião no brasil  2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 
Modelos atômicos: quais são, história, resumo
Modelos atômicos: quais são, história, resumoModelos atômicos: quais são, história, resumo
Modelos atômicos: quais são, história, resumo
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
 
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxRevolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
 
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxQUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
 

O ano da morte de Ricardo Reis

  • 1. Síntese Unidade 4.1 José Saramago, O ano da morte de Ricardo Reis
  • 2. O ano da morte de Ricardo Reis O ano da morte de Ricardo Reis decorre em 1935 e 1936, num que passam por (comunismo e fascismo) e José Saramago O ano da morte de Ricardo Reis
  • 3. Em Portugal  Ditadura presidida por Salazar, estado corporativo, União Nacional (capítulos IV, IX, XI e XIII)  Polícia política – PIDE (capítulos VIII, IX e XVII)  Relação íntima entre a Igreja Católica e o regime salazarista (capítulo XIII)  Conceção nacionalista do estado (capítulo XVI)  Mocidade Portuguesa (capítulos XVII e XVIII)  Legião Portuguesa (capítulo XVIII)  Revoltas militares contra o Estado Novo (capítulo XIX) José Saramago O ano da morte de Ricardo Reis
  • 4. Na Europa Espanha: Dá-se um golpe político chefiado pelo General Franco, para instalar a ditadura em Espanha. A legalidade democrática espanhola é derrubada. Itália: Ascensão política do fascismo italiano, chefiado por Mussolini, principalmente através da agressão militar italiana à Etiópia. França: O ano 1936 é um tempo de grande agitação social na França democrática, com os franceses em luta por direitos sociais, luta que levará a esquerda ao poder. Alemanha: Ascensão do poder nazi-fascista. Hitler segue uma política nacionalista e racista. José Saramago O ano da morte de Ricardo Reis
  • 5. No Brasil:  natureza fascista chefiado por .  encontram-se referidos no romance . José Saramago O ano da morte de Ricardo Reis
  • 6. Representações do amor A aproximação de Reis a Marcenda é cautelosa, iniciando-se pela fase da amizade recíproca. Marcenda Sedução Não ocorrem por parte de Reis certas liberdades que toma com Lídia dado o estatuto social de Marcenda. A aproximação intensifica-se através da mão esquerda de Marcenda colocada «entre as mãos dele», num exame de natureza médica (capítulo VI). José Saramago O ano da morte de Ricardo Reis
  • 7. A sedução de Lídia inicia-se com a mão de Reis delicadamente pousada no seu braço, no seu quarto, sentindo «o calor da pele», «ficaram assim alguns segundos», reagindo Lídia com um baixar de olhos e tremendo... Lídia Sedução Reis arrepende-se da fraqueza do seu ato. Mas não deixa de, «sedutor ridículo», elogiar a beleza de Lídia: «Acho-a muito bonita».  Como resposta, Lídia usa também técnicas de sedução (capítulo IV). José Saramago O ano da morte de Ricardo Reis
  • 8.  Marcenda Desejo José Saramago O ano da morte de Ricardo Reis
  • 9.  . Desejo Lídia   puramente sensual, sem amor, sentimento [...]» José Saramago O ano da morte de Ricardo Reis
  • 10. : Ricardo Reis , logo que ela entra em sua casa: «[...] a boca dele José Saramago O ano da morte de Ricardo Reis Beijos
  • 11. imagine-se, beijou-a muito, na boca [...]» José Saramago O ano da morte de Ricardo Reis Ricardo Reis Beijos
  • 12. [...]» . Lídia e Ricardo Reis José Saramago O ano da morte de Ricardo Reis Corpo, pudor e beleza
  • 13. O amor em Saramago ganha asas. Quem assim fala do amor elogia a vida. [...] , José Saramago O ano da morte de Ricardo Reis
  • 14. Intertextualidade  , ao longo da obra, num reverso da epopeia: «Aqui, onde o mar se acabou e a terra espera.» José Saramago O ano da morte de Ricardo Reis Luís de Camões
  • 15. Intertextualidade  A sua presença observa-se implicitamente: Cesário Verde José Saramago O ano da morte de Ricardo Reis a) no deambular de Ricardo Reis pelos mesmos espaços da cidade; d) no olhar para dentro (para terra) e não para o mar. b) na observação dos tipos sociais; c) nas referências a Camões;
  • 16. Intertextualidade  Referências textuais com a poesia de Fernando Pessoa e heterónimos. Viaja pelo território labiríntico e ambíguo da poesia pessoana. Fernando Pessoa José Saramago O ano da morte de Ricardo Reis
  • 17. Linguagem, estilo e estrutura José Saramago O ano da morte de Ricardo Reis Estrutura da obra Tom oralizante e pontuação Recursos expressivos «desaparecimento» de Ricardo Reis e Fernando Pessoa. Narrador oralizante, cuja escrita flui como a voz que fala para ser ouvida. Utiliza apenas o ponto e a vírgula que fazem as funções dos outros sinais de pontuação, na representação do discurso direto (diálogos). Mais frequentes: a antítese, a comparação, a enumeração, a ironia e a metáfora. Reprodução do discurso no discurso Discurso direto, discurso indireto e discurso indireto livre.
  • 18. José Saramago José Saramago O ano da morte de Ricardo Reis