SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 11
ESCOLA ESTADUAL PROFESSOR JOÃO CRUZ
Título: Realismo: retrato da sociedade brasileira com base em obras Machadianas.
Disciplina: Língua Portuguesa
Professor: Maria Piedade Teodoro da Silva
Alunos: Caroline Segall Arce Santos n° 39
Gabriela Rovani n°08
Série: segundo ano do ensino médio C
Jacareí
2014
Sumário
Sumário......................................................................................................................................2
1.INTRODUÇÃO.............................................................................................................................3
2.REALISMO NA SOCIEDADE BRASILEIRA..........................................................................4
2.1Origem do Realismo no Brasil....................................................................................................4
2.2O que foi o Movimento Literário Realismo no Brasil...............................................................4
2.3Machado de Assis: maior escritor do Brasil..............................................................................5
..........................................................................................................................................................5
2.3.1 Quem foi Machado de Assis ...................................................................................................5
2.3.2Principais obras de Machado de Assis....................................................................................6
2.4NOVA TENDÊNCIA: REALISMO-NATURALISMO ..........................................................7
.........................................................................................................................................................7
2.5 Evolução do Movimento Literário Realismo para o Movimento Literário Naturalismo......8
3.Referencias bibliográficas ..........................................................................................................10
1. INTRODUÇÃO
Essa pesquisa tem como foco aprofundar conhecimento sobre o
Movimento Literário Realismo, este terá como foco o Brasil. De antemão, pode-se
dizer que esse movimento se configura em nítida oposição ao Movimento Literário
Romantismo.
Já se sabe que o tema "Realismo: retrato da sociedade brasileira" é
bem abrangente, por isso o estudo se norteia em responder, no decorrer da
pesquisa, os seguintes questionamentos: "Quais são as características do
Movimento Literário Realismo?", "Como se deu a evolução do Movimento Literário
Realismo para o Movimento Literário Naturalismo?" e "Por que Machado de Assis foi
importante para o Movimento Literário Realismo no Brasil?".
Justifica-se o trabalho então não só por ser uma exigência do Currículo
do Estado de São Paulo, mas também por faltar entendimento crítico de textos
literários principalmente do Realismo: origens e suas características.
Têm-se como objetivo conhecer o Movimento Literário Realismo no
Brasil, entender a evolução do Movimento Literário Realismo para o Movimento
Literário Naturalismo, além de conhecer o maior escritor do Movimento Literário
Realismo brasileiro e sua importância: Machado de Assis.
Espera-se que, no final da pesquisa ter respondido todos os
questionamentos propostos, assim como concluir todos os objetivos almejados,
obtendo assim um conhecimento maior sobre o Movimento Literário Realismo que
teve como foco o Brasil e as obras machadianas.
2. REALISMO NA SOCIEDADE BRASILEIRA
2.1Origem do Realismo no Brasil
Realismo trata-se de um movimento artístico e literário surgido em meados do
século XIX, na Europa (na França mais precisamente), em sequência, e em
oposição do Movimento Literário Romantismo, contrariamente, a estética romântica,
em que a narrativa de aventura ou a o romance de amor contrapunham um herói
íntegro às forças sociais instituídas, o texto realista criticava as futilidades da vida
burguesa.
No Brasil, o Realismo se manifestou por volta de 1870, fugindo do foco
sentimental e emocional, sendo expresso por textos em prosa e em verso. Dentro da
sociedade brasileira não era mais possível ignorar a desigualdade de direitos e
supressão da liberdade que marcavam a sociedade da época. Armados de um olhar
atento, os escritores souberam transpor para o contexto da literatura, muitas vezes
de modo cômico e mordaz, os impasses vivenciados pela sociedade. A imagem de
uma elite que adaptava as ideologias progressistas a seus próprios interesses
constituiu um dos maiores alvos da crítica do Realismo brasileiro “A vida sem luta é
um mar morto no centro do organismo universal” (ASSIS, 2010). Machado de Assis
defendia que as pessoas lutassem por seus direitos, para assim, viver em uma
sociedade igualitária.
2.2O que foi o Movimento Literário Realismo no Brasil
Na literatura brasileira, o Movimento Literário Realismo manifestou-se,
principalmente, na prosa. Os romances realistas tornaram-se instrumentos de crítica
ao comportamento burguês e às instituições sociais. Muitos escritores românticos
começaram a explorar a proposta da literatura realista. Os especialistas em literatura
dizem que o marco inicial do movimento, no Brasil, é a publicação do livro Memórias
Póstumas de Brás Cubas, de Machado de Assis, em 1881. Nessa obra, o escritor
fluminense faz duras críticas à sociedade da época.
2.3Machado de Assis: maior escritor do Brasil
Machado de Assis é importante para o Movimento Literário Realismo por ser
um grande crítico e escritor revelador não só do comportamento humano, mas
também do contexto sócio-político da época assim como em seus romances
pertencentes ao Romantismo, (primeira fase) Ressurreição (1872), seu primeiro
livro, A Mão e a Luva (1874), Helena (1876) e Iaiá Garcia (1878), suas principais
obras foram Memórias Póstumas de Brás Cubas, Quincas Borba e Dom Casmurro.
No artigo "Instinto de Nacionalidade" (1899), Machado critica o principal ponto
de honra do Romantismo brasileiro: o tema nacionalista, nesse artigo ele diz em
poucas palavras que, para ser brasileiro não é necessário falar sempre de imagens
nacionalistas e de símbolos, como na natureza do Brasil, e a figura indígena. Em
relação ao Realismo, Machado sempre se manteve crítico as normas da escola.
Para Carlos Fuentes, a produção de Machado de Assis é um verdadeiro milagre do
contexto limitado do realismo latino-americano.
2.3.1 Quem foi Machado de Assis
Nasceu no Rio de Janeiro em 21 de junho de 1839, filho de uma família muito
pobre. Mulato e vítima de preconceito, perdeu na infância sua mãe e foi criado pela
madrasta. Superou todas as dificuldades da época e tornou-se um grande escritor.
Na infância, estudou numa escola pública durante o primário e aprendeu francês
e latim. Trabalhou como aprendiz de tipógrafo, foi revisor e funcionário público.
Publicou seu primeiro poema intitulado “Ela”, na revista Marmota
Fluminense. Trabalhou como colaborador de algumas revistas e jornais do Rio de
Janeiro. Foi um dos fundadores da Academia Brasileira de letras e seu primeiro
presidente.
Podem - se dividir as obras de Machado de Assis em duas fases: na primeira
fase (fase romântica) as personagens de suas obras possuem
características românticas, sendo o amor e os relacionamentos amorosos os
principais temas de seus livros. Na segunda fase (fase realista), Machado de Assis
abre espaços para as questões psicológicas dos personagens. É a fase em que o
autor retrata muito bem as características do Movimento Literário Realismo.
Machado de Assis faz uma análise profunda e realista do ser humano, destacando
suas vontades, necessidades, defeitos e qualidades.
Machado de Assis morreu de câncer, em sua cidade natal, no ano de 1908.
2.3.2Principais obras de Machado de Assis
Primeira fase: Ressurreição (1872) – É o primeiro romance de machado de
Assis onde o seu Romantismo e considerado moderado, sem os excessos
moderados e sentimentais. A Mão e a Luva (1874) é o segundo romance escrito por
Machado de Assis, sua primeira experiência foi como folhetinista de jornal, seguindo
o exemplo de seus amigos Manuel Antonio de Almeida e José de Alencar.
Helena (1876) onde tem poucos termos da sutileza psicológica dos dois primeiros
romances, verdadeiros estudos de mulheres ou da sutileza filosófica dos romances
da fase madura de Machado. Iaiá Garcia (1878) o ultimo romance da chamada fase
romântica de Machado de Assis.
Segunda fase: Memórias Póstumas de Brás Cubas (1881)desenvolvido em
principio como folhetim, onde no ano seguinte foi publicado como livro, onde o livro
marca um tom caustico e novo estilo na obra de Machado de Assis.
Quincas Borba (1892) este livro é considerado pela critica moderna o segundo da
trilogia realista de Machado de Assis, em que o autor esteve preocupado em utiliza e
o pessimismo e a ironia.
Dom Casmurro (1900) uma historia que é contada em primeira pessoa, pretende
“atar as duas pontas da vida”, ou seja, unir relatos desde sua mocidade até os dias
em que está escrevendo o livro.
Memorial de Aires (1908) esta organizado como uma série de entradas em um
diário, não tem um enredo único, mas compõe-se de vários episódios e anedotas
que se interpermeiam .
2.4NOVA TENDÊNCIA: REALISMO-NATURALISMO
A partir da segunda metade do século XIX, as concepções estéticas que
nortearam o ideário romântico começaram a perder espaço. Uma nova tendência,
baseada na trama psicológica e em personagens inspirados na realidade, toma
conta da literatura ocidental. Estava inaugurado o Realismo-Naturalismo.
No Brasil, essa passagem ocorre em 1881, com a publicação de “Memória
Póstumas de Brás Cubas”, de Machado de Assis (1839-1908) o romance marca um
tom cheio de ironias “(...) Escrevi-a com a pena da galhofa e a tinta da melancolia”
(Machado, 2013) e negatividade “(...) não sei se lhe menti algumas rabugens de
pessimismo“ (Machado, 2013) e novo estilo na obra de Machado, bem como
audácia e inovando a literatura no cenário nacional “(...) Quando meu pai foi eleito
deputado e veio para o Rio de Janeiro com a família“ (Machado, 2008), que o fez
receber, à época, resenhas estranhas, o autor rompe com Memórias Póstumas de
Brás Cubas com a narração linear e objetivista retratando o Rio de Janeiro e sua
época em geral com pessimismo, ironia e indiferença que era seu marco. Memórias
Póstumas de Brás Cubas retrata a escravidão, as classes sociais, o cientificismo e o
positivismo da época, chegando a criar, inclusive, uma nova filosofia. E de “O
Mulato”, de Aluísio Azevedo (1857-1913) também marcou essa passagem, esse livro
contém denuncia ao preconceito racial na sociedade maranhense e da corrupção do
clero, provocando irritação os comprovincianos de Aluísio a ponto de o escritor
resolver mudar-se para a corte, onde fizera sucesso. Enquanto o livro de Machado
apresenta acentuado viés realista, o de Aluísio é claramente naturalista.
“Machado de Assis é considerado o maior escritor do Realismo por criticar a
sociedade burguesa”; “Aluísio de Azevedo é naturalista por escrever que o ser
humano e suas atitudes dependem do meio em que vivem”
2.5 Evolução do Movimento Literário Realismo para o Movimento Literário
Naturalismo
Enquanto o Romantismo era criticado por exaltar o sentimento, a emoção e
iludir o leitor, levando-o a um mundo de sonhos, o Realismo, segundo o escritor
português, Eça de Queiroz, condenaria o que houvesse de mal na sociedade.
Os escritores realistas consideravam que a arte deveria ser dotada de uma
finalidade moralizante. A função do escritor era condenar os vícios, mostrar o certo e
o errado, para limpar a sociedade e a consciência dos indivíduos. Curiosamente,
tanto o Romantismo quanto o Realismo apresentavam como princípios fundamentais
a aliança entre o belo, o justo e o verdadeiro, contudo, por vias diferentes. Enquanto
o artista realista acreditava na possibilidade de alcançar a verdade absoluta por
meio da ciência, o romântico, como um iluminado por Deus, se guiava pela religião.
Para apontar todas as mazelas sociais, o romance realista se caracterizava
por descrições minuciosas, de maneira a constituir um espelho da sociedade
para não falsear a realidade. Apesar de criticar os valores burgueses, os romances
realistas acabavam por validá-los, já que o pensamento da época não contemplava
outra saída. Como refém social, o homem, por heroísmo, renunciava à própria vida,
ou seguia a sociedade burguesa e renunciava à singularidade.
Ao punir a adúltera Luisa com a morte em O Primo Basílio, Eça de Queiroz
induz as esposas a permanecerem casadas e fiéis aos maridos, validando o
casamento, grande símbolo das instituições da sociedade burguesa, que pretendia
combater.
Embora seja contemporâneo do Romantismo e do Realismo, Machado de
Assis não deve ser classificado como membro integrante de nenhum desses dois
movimentos literários, uma vez que em suas obras são encontradas críticas a
ambos os estilos de época. Afinal, como citado anteriormente, ele antecipou traços
da estética modernista, sendo considerado por muitos autores como “inclassificável”.
[...] cavalgando um corcel nervoso, rijo, veloz, como o
corcel das antigas baladas que o Romantismo foi buscar
ao castelo medieval, para dar com ele nas ruas do nosso
século. O pior é que o estafaram a tal ponto, que foi
preciso deitá-lo à margem, onde o Realismo o veio achar
comido de lazeira e vermes, e, por compaixão, o
transportou para os seus livros. (ASSIS, 1978).
A literatura realista preserva uma “atitude natural”. O signo realista ou
representacional é doentio, pois pretende apagar a sua própria condição de signo
para alimentar a ilusão de que estamos percebendo a realidade sem a sua
intervenção. Dessa maneira, nega o caráter produtivo da linguagem e elimina o fato
de que só temos um mundo, porque temos a linguagem.
2.6 Aluísio de Azevedo
Considerado o pioneiro do Naturalismo no Brasil, o romancista Aluísio de
Azevedo nasceu em São Luís, Maranhão em 14 de abril de 1857. Quando jovem ele
fazia caricaturas e poesias, como colaborador, para jornais e revistas no Rio de
Janeiro. Seu primeiro romance publicado foi: Uma lágrima de mulher, em 1880.
Fundador da cadeira número quatro da Academia Brasileira de Letras e
crítico social, este escritor naturalista foi autor de diversos livros, entre eles estão: O
Mulato, que provocou escândalo na época de seu lançamento, Casa de Pensão,
que o consagrou e O Cortiço, conhecido com sua obra mais importante.
Esse autor, que não escondia seu inconformismo com a sociedade brasileira
e com suas regras escreveu, durante grande parte de sua vida, Aluísio de Azevedo
viveu daquilo que ganhava como escritor, mas ao entrar para a vida diplomática ele
abandonou a produção literária. Faleceu em Buenos Aires, Argentina, no dia 21 de
janeiro de 1913.
3. Considerações finais
O Movimento Literário Realismo não possui as mesmas características do
Romantismo: espontaneidade e emoção; ele mostra a realidade, criticas e
angústias da sociedade; dentro do Realismo o homem apresentava a influência
de movimentos políticos.
Os escritores visavam não retratar o belo, como no Movimento Literário
Romantismo, Machado de Assis se destacava no Realismo brasileiro, por ser
considerado “criador” do Realismo no Brasil, sendo absurdamente crítico e negando
a burguesia; portanto criando um retrato real e ferino desse contexto social, isso
também se estende em relação a Luis de Azevedo de uma forma mais patológica
desvenda o lado perverso dos grupos sociais.
Com o Realismo surgiu novos campos de conhecimentos na literatura,
como: sociologia e a psicologia, além de evoluir algum tempo depois para outro
movimento que prezava uma de suas características: a natureza, sendo criado o
Naturalismo.
3. Referencias bibliográficas
• Livro didático “Ser protagonista 2” (BARRETO,Ricardo, 2010)
• www.manualdoestudante.com.br 2010
• www.guiadoestudante.com.br 2007
• www.suapesquisa.com.br 2011
• www.google.com.br/imagens/machado_de_assis
• www.google.com.br/imagens/obras_machadianas
• www.google.com.br/aluisio_de_azevedo
• www.google.com.br/obras_de_aluisio
• www.opensador.com.br 2008
• Memórias Póstumas de Brás Cubas (ASSIS, Machado,2008)
• Memórias Póstumas de Brás Cubas (ASSIS, Machado, 1978)
• Dom Casmurro (ASSIS, Machado, 2012)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula 23 modernismo no brasil - 1ª fase
Aula 23   modernismo no brasil - 1ª faseAula 23   modernismo no brasil - 1ª fase
Aula 23 modernismo no brasil - 1ª faseJonatas Carlos
 
Aula 24 modernismo no brasil - 2ª fase (poesia)
Aula 24   modernismo no brasil - 2ª fase (poesia)Aula 24   modernismo no brasil - 2ª fase (poesia)
Aula 24 modernismo no brasil - 2ª fase (poesia)Jonatas Carlos
 
Literatura aula 21 - modernismo em portugal
Literatura   aula 21 - modernismo em portugalLiteratura   aula 21 - modernismo em portugal
Literatura aula 21 - modernismo em portugalJuliana Oliveira
 
3373962 literatura-aula-19-pre modernismo-brasil
3373962 literatura-aula-19-pre modernismo-brasil3373962 literatura-aula-19-pre modernismo-brasil
3373962 literatura-aula-19-pre modernismo-brasilWilliam Marques
 
Aula 08 arcadismo no brasil
Aula 08   arcadismo no brasilAula 08   arcadismo no brasil
Aula 08 arcadismo no brasilJonatas Carlos
 
Realismo e Naturalismo - Literatura
Realismo e Naturalismo - LiteraturaRealismo e Naturalismo - Literatura
Realismo e Naturalismo - LiteraturaCynthia Funchal
 
O Realismo e o Naturalismo em Portugal
O Realismo e o Naturalismo em PortugalO Realismo e o Naturalismo em Portugal
O Realismo e o Naturalismo em PortugalHipolito Ximenes
 
Aula 25-modernismo-no-brasil-2ª-fase-prosa
Aula 25-modernismo-no-brasil-2ª-fase-prosaAula 25-modernismo-no-brasil-2ª-fase-prosa
Aula 25-modernismo-no-brasil-2ª-fase-prosaConnce Santana
 
3373897 literatura-aula-26-modernismo-no-brasil-3-fase
3373897 literatura-aula-26-modernismo-no-brasil-3-fase3373897 literatura-aula-26-modernismo-no-brasil-3-fase
3373897 literatura-aula-26-modernismo-no-brasil-3-fasejacsonufcmestrado
 
Literatura aula 22 - modernismo no brasil
Literatura   aula 22 - modernismo no brasilLiteratura   aula 22 - modernismo no brasil
Literatura aula 22 - modernismo no brasilJuliana Oliveira
 
Literatura - Era Nacional
Literatura - Era Nacional  Literatura - Era Nacional
Literatura - Era Nacional CrisBiagio
 
Machado De Assis
Machado De AssisMachado De Assis
Machado De Assisguest7d27ba
 
Movimento Literário Realismo
Movimento Literário Realismo Movimento Literário Realismo
Movimento Literário Realismo Allyne Alves
 
Tópicos em literatura maranhense
Tópicos em literatura maranhenseTópicos em literatura maranhense
Tópicos em literatura maranhenseLuis Serra
 
Texto 1 amando fontes
Texto 1 amando fontesTexto 1 amando fontes
Texto 1 amando fontesjoseana1405
 

Mais procurados (18)

Aula 23 modernismo no brasil - 1ª fase
Aula 23   modernismo no brasil - 1ª faseAula 23   modernismo no brasil - 1ª fase
Aula 23 modernismo no brasil - 1ª fase
 
Aula 24 modernismo no brasil - 2ª fase (poesia)
Aula 24   modernismo no brasil - 2ª fase (poesia)Aula 24   modernismo no brasil - 2ª fase (poesia)
Aula 24 modernismo no brasil - 2ª fase (poesia)
 
Literatura aula 21 - modernismo em portugal
Literatura   aula 21 - modernismo em portugalLiteratura   aula 21 - modernismo em portugal
Literatura aula 21 - modernismo em portugal
 
3373962 literatura-aula-19-pre modernismo-brasil
3373962 literatura-aula-19-pre modernismo-brasil3373962 literatura-aula-19-pre modernismo-brasil
3373962 literatura-aula-19-pre modernismo-brasil
 
Aula 08 arcadismo no brasil
Aula 08   arcadismo no brasilAula 08   arcadismo no brasil
Aula 08 arcadismo no brasil
 
Realismo e Naturalismo - Literatura
Realismo e Naturalismo - LiteraturaRealismo e Naturalismo - Literatura
Realismo e Naturalismo - Literatura
 
O Realismo e o Naturalismo em Portugal
O Realismo e o Naturalismo em PortugalO Realismo e o Naturalismo em Portugal
O Realismo e o Naturalismo em Portugal
 
Machado de Assis
Machado de AssisMachado de Assis
Machado de Assis
 
Aula 25-modernismo-no-brasil-2ª-fase-prosa
Aula 25-modernismo-no-brasil-2ª-fase-prosaAula 25-modernismo-no-brasil-2ª-fase-prosa
Aula 25-modernismo-no-brasil-2ª-fase-prosa
 
Ano da morte
Ano da morteAno da morte
Ano da morte
 
3373897 literatura-aula-26-modernismo-no-brasil-3-fase
3373897 literatura-aula-26-modernismo-no-brasil-3-fase3373897 literatura-aula-26-modernismo-no-brasil-3-fase
3373897 literatura-aula-26-modernismo-no-brasil-3-fase
 
Literatura aula 22 - modernismo no brasil
Literatura   aula 22 - modernismo no brasilLiteratura   aula 22 - modernismo no brasil
Literatura aula 22 - modernismo no brasil
 
Literatura - Era Nacional
Literatura - Era Nacional  Literatura - Era Nacional
Literatura - Era Nacional
 
Machado De Assis
Machado De AssisMachado De Assis
Machado De Assis
 
Movimento Literário Realismo
Movimento Literário Realismo Movimento Literário Realismo
Movimento Literário Realismo
 
Realismo
RealismoRealismo
Realismo
 
Tópicos em literatura maranhense
Tópicos em literatura maranhenseTópicos em literatura maranhense
Tópicos em literatura maranhense
 
Texto 1 amando fontes
Texto 1 amando fontesTexto 1 amando fontes
Texto 1 amando fontes
 

Destaque

Presentacion. PracticacursoCarlosA.
Presentacion. PracticacursoCarlosA.Presentacion. PracticacursoCarlosA.
Presentacion. PracticacursoCarlosA.Buzoalegre
 
Orienta curriculares expectativasaprendizagem_ensfnd_cicloi (1)
Orienta curriculares expectativasaprendizagem_ensfnd_cicloi (1)Orienta curriculares expectativasaprendizagem_ensfnd_cicloi (1)
Orienta curriculares expectativasaprendizagem_ensfnd_cicloi (1)010214
 
Codigo de infancia 1.1
Codigo de infancia 1.1Codigo de infancia 1.1
Codigo de infancia 1.1nanyandrea
 
Exercícios realismo-naturalismo
Exercícios realismo-naturalismoExercícios realismo-naturalismo
Exercícios realismo-naturalismoAndriane Cursino
 
Fundamentos sociologicos da educação
Fundamentos sociologicos da educaçãoFundamentos sociologicos da educação
Fundamentos sociologicos da educaçãoceliferreira
 
Receitas Para Hipertensos
Receitas Para HipertensosReceitas Para Hipertensos
Receitas Para HipertensosClaudia Cozinha
 
Apostila cozinha domestica
Apostila cozinha domesticaApostila cozinha domestica
Apostila cozinha domesticaPaula Mello
 
Innovación pública: cambiar para crear más valor público
Innovación pública: cambiar para crear más valor públicoInnovación pública: cambiar para crear más valor público
Innovación pública: cambiar para crear más valor públicoAlberto Ortiz de Zarate
 
Byggopp presentasjon flash 2
Byggopp presentasjon flash 2Byggopp presentasjon flash 2
Byggopp presentasjon flash 2fredrikklock
 
Tema 11º el arte barroco pintura española
Tema 11º el arte barroco pintura española Tema 11º el arte barroco pintura española
Tema 11º el arte barroco pintura española Francisco Bermejo
 

Destaque (20)

Apre Apcc
Apre ApccApre Apcc
Apre Apcc
 
Presentacion. PracticacursoCarlosA.
Presentacion. PracticacursoCarlosA.Presentacion. PracticacursoCarlosA.
Presentacion. PracticacursoCarlosA.
 
Matematica tercer ano
Matematica tercer anoMatematica tercer ano
Matematica tercer ano
 
Oscal visao programatica
Oscal visao programaticaOscal visao programatica
Oscal visao programatica
 
Banksy
BanksyBanksy
Banksy
 
Trabajodetecnologias 111126214944-phpapp01
Trabajodetecnologias 111126214944-phpapp01Trabajodetecnologias 111126214944-phpapp01
Trabajodetecnologias 111126214944-phpapp01
 
Orienta curriculares expectativasaprendizagem_ensfnd_cicloi (1)
Orienta curriculares expectativasaprendizagem_ensfnd_cicloi (1)Orienta curriculares expectativasaprendizagem_ensfnd_cicloi (1)
Orienta curriculares expectativasaprendizagem_ensfnd_cicloi (1)
 
Bahrain report
Bahrain reportBahrain report
Bahrain report
 
Codigo de infancia 1.1
Codigo de infancia 1.1Codigo de infancia 1.1
Codigo de infancia 1.1
 
Exercícios realismo-naturalismo
Exercícios realismo-naturalismoExercícios realismo-naturalismo
Exercícios realismo-naturalismo
 
Os biomas brasileiros
Os biomas brasileirosOs biomas brasileiros
Os biomas brasileiros
 
Fundamentos sociologicos da educação
Fundamentos sociologicos da educaçãoFundamentos sociologicos da educação
Fundamentos sociologicos da educação
 
Receitas Para Hipertensos
Receitas Para HipertensosReceitas Para Hipertensos
Receitas Para Hipertensos
 
Apostila cozinha domestica
Apostila cozinha domesticaApostila cozinha domestica
Apostila cozinha domestica
 
El Exito
El ExitoEl Exito
El Exito
 
Urbanização e problemas urbanos
Urbanização e problemas urbanosUrbanização e problemas urbanos
Urbanização e problemas urbanos
 
Aircraft inspections
Aircraft inspectionsAircraft inspections
Aircraft inspections
 
Innovación pública: cambiar para crear más valor público
Innovación pública: cambiar para crear más valor públicoInnovación pública: cambiar para crear más valor público
Innovación pública: cambiar para crear más valor público
 
Byggopp presentasjon flash 2
Byggopp presentasjon flash 2Byggopp presentasjon flash 2
Byggopp presentasjon flash 2
 
Tema 11º el arte barroco pintura española
Tema 11º el arte barroco pintura española Tema 11º el arte barroco pintura española
Tema 11º el arte barroco pintura española
 

Semelhante a Alunas: Caroline Segall e Gabriela Rovani

Movimento Literário Realismo
Movimento Literário RealismoMovimento Literário Realismo
Movimento Literário RealismoDavid Souza
 
Higor e beatriz trabalho de portugues - Movimento Literario Realismo
Higor e beatriz trabalho de portugues - Movimento Literario RealismoHigor e beatriz trabalho de portugues - Movimento Literario Realismo
Higor e beatriz trabalho de portugues - Movimento Literario RealismoHigor Souza Sant'Ana
 
2ano_machado_de_assis.auladerevisaoparte1ppt
2ano_machado_de_assis.auladerevisaoparte1ppt2ano_machado_de_assis.auladerevisaoparte1ppt
2ano_machado_de_assis.auladerevisaoparte1pptFernandaRibeiro419723
 
Movimento Literário Realismo no Brasil
Movimento Literário Realismo no BrasilMovimento Literário Realismo no Brasil
Movimento Literário Realismo no BrasilRuanGBA
 
Literaturas sobre realismo (7)
Literaturas sobre realismo (7)Literaturas sobre realismo (7)
Literaturas sobre realismo (7)Equipemundi2014
 
Realismo /Naturalismo /Iaia Garcia - Machado de Assis
Realismo /Naturalismo /Iaia Garcia - Machado de AssisRealismo /Naturalismo /Iaia Garcia - Machado de Assis
Realismo /Naturalismo /Iaia Garcia - Machado de AssisMGLAUCIA /LÍNGUA PORTUGUESA
 
Bianca, allyne e letícia
Bianca, allyne e letíciaBianca, allyne e letícia
Bianca, allyne e letíciaAllyne Alves
 
Movimento Literário Realismo
Movimento Literário Realismo Movimento Literário Realismo
Movimento Literário Realismo Allyne Alves
 
Movimento Literário Realismo
Movimento Literário Realismo Movimento Literário Realismo
Movimento Literário Realismo Allyne Alves
 
A prosa romântica brasileira
A prosa romântica brasileiraA prosa romântica brasileira
A prosa romântica brasileiraAdeildo Júnior
 
Jose de Alencar Gabriel de Oliveira
Jose de Alencar Gabriel de OliveiraJose de Alencar Gabriel de Oliveira
Jose de Alencar Gabriel de OliveiraReberth Siqueira
 
A cartomante - conto de misterio.pptx
A cartomante - conto de misterio.pptxA cartomante - conto de misterio.pptx
A cartomante - conto de misterio.pptxProfGihAlves
 
Movimento Literário Realismo: Realismo, movimento literário compromissado em ...
Movimento Literário Realismo: Realismo, movimento literário compromissado em ...Movimento Literário Realismo: Realismo, movimento literário compromissado em ...
Movimento Literário Realismo: Realismo, movimento literário compromissado em ...Dafne Beatriz Santos
 
A Moreninha - Joaquim Manoel de Macedo
A Moreninha - Joaquim Manoel de MacedoA Moreninha - Joaquim Manoel de Macedo
A Moreninha - Joaquim Manoel de MacedoGeovanna Alves
 

Semelhante a Alunas: Caroline Segall e Gabriela Rovani (20)

Movimento Literário Realismo
Movimento Literário RealismoMovimento Literário Realismo
Movimento Literário Realismo
 
Higor e beatriz trabalho de portugues - Movimento Literario Realismo
Higor e beatriz trabalho de portugues - Movimento Literario RealismoHigor e beatriz trabalho de portugues - Movimento Literario Realismo
Higor e beatriz trabalho de portugues - Movimento Literario Realismo
 
2ano_machado_de_assis.ppt
2ano_machado_de_assis.ppt2ano_machado_de_assis.ppt
2ano_machado_de_assis.ppt
 
2ano_machado_de_assis.auladerevisaoparte1ppt
2ano_machado_de_assis.auladerevisaoparte1ppt2ano_machado_de_assis.auladerevisaoparte1ppt
2ano_machado_de_assis.auladerevisaoparte1ppt
 
Movimento Literário Realismo no Brasil
Movimento Literário Realismo no BrasilMovimento Literário Realismo no Brasil
Movimento Literário Realismo no Brasil
 
Realismo
Realismo Realismo
Realismo
 
Literaturas sobre realismo (7)
Literaturas sobre realismo (7)Literaturas sobre realismo (7)
Literaturas sobre realismo (7)
 
O realismo
O realismoO realismo
O realismo
 
Realismo /Naturalismo /Iaia Garcia - Machado de Assis
Realismo /Naturalismo /Iaia Garcia - Machado de AssisRealismo /Naturalismo /Iaia Garcia - Machado de Assis
Realismo /Naturalismo /Iaia Garcia - Machado de Assis
 
Bianca, allyne e letícia
Bianca, allyne e letíciaBianca, allyne e letícia
Bianca, allyne e letícia
 
Movimento Literário Realismo
Movimento Literário Realismo Movimento Literário Realismo
Movimento Literário Realismo
 
Movimento Literário Realismo
Movimento Literário Realismo Movimento Literário Realismo
Movimento Literário Realismo
 
A prosa romântica brasileira
A prosa romântica brasileiraA prosa romântica brasileira
A prosa romântica brasileira
 
Jose de Alencar Gabriel de Oliveira
Jose de Alencar Gabriel de OliveiraJose de Alencar Gabriel de Oliveira
Jose de Alencar Gabriel de Oliveira
 
A cartomante - conto de misterio.pptx
A cartomante - conto de misterio.pptxA cartomante - conto de misterio.pptx
A cartomante - conto de misterio.pptx
 
Naturalismo( apostila)
Naturalismo( apostila)Naturalismo( apostila)
Naturalismo( apostila)
 
realismoenaturalismo.pdf
realismoenaturalismo.pdfrealismoenaturalismo.pdf
realismoenaturalismo.pdf
 
Movimento Literário Realismo: Realismo, movimento literário compromissado em ...
Movimento Literário Realismo: Realismo, movimento literário compromissado em ...Movimento Literário Realismo: Realismo, movimento literário compromissado em ...
Movimento Literário Realismo: Realismo, movimento literário compromissado em ...
 
Arte - Realismo
Arte - RealismoArte - Realismo
Arte - Realismo
 
A Moreninha - Joaquim Manoel de Macedo
A Moreninha - Joaquim Manoel de MacedoA Moreninha - Joaquim Manoel de Macedo
A Moreninha - Joaquim Manoel de Macedo
 

Último

v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
Geometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdfGeometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdf
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdfDemetrio Ccesa Rayme
 
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdfSlides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdfpaulafernandes540558
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptAlineSilvaPotuk
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileirosMary Alvarenga
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024GleyceMoreiraXWeslle
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISVitor Vieira Vasconcelos
 
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfMapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfangelicass1
 
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfEyshilaKelly1
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕESPRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕESpatriciasofiacunha18
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...Martin M Flynn
 
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdfPPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdfAnaGonalves804156
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPanandatss1
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLaseVasconcelos1
 
ADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mental
ADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mentalADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mental
ADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mentalSilvana Silva
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresaulasgege
 
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptxErivaldoLima15
 

Último (20)

v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
Geometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdfGeometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdf
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
 
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdfSlides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
 
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfMapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
 
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕESPRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
 
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdfPPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SP
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
 
ADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mental
ADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mentalADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mental
ADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mental
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
 
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
 

Alunas: Caroline Segall e Gabriela Rovani

  • 1. ESCOLA ESTADUAL PROFESSOR JOÃO CRUZ Título: Realismo: retrato da sociedade brasileira com base em obras Machadianas. Disciplina: Língua Portuguesa Professor: Maria Piedade Teodoro da Silva Alunos: Caroline Segall Arce Santos n° 39 Gabriela Rovani n°08 Série: segundo ano do ensino médio C Jacareí 2014
  • 2. Sumário Sumário......................................................................................................................................2 1.INTRODUÇÃO.............................................................................................................................3 2.REALISMO NA SOCIEDADE BRASILEIRA..........................................................................4 2.1Origem do Realismo no Brasil....................................................................................................4 2.2O que foi o Movimento Literário Realismo no Brasil...............................................................4 2.3Machado de Assis: maior escritor do Brasil..............................................................................5 ..........................................................................................................................................................5 2.3.1 Quem foi Machado de Assis ...................................................................................................5 2.3.2Principais obras de Machado de Assis....................................................................................6 2.4NOVA TENDÊNCIA: REALISMO-NATURALISMO ..........................................................7 .........................................................................................................................................................7 2.5 Evolução do Movimento Literário Realismo para o Movimento Literário Naturalismo......8 3.Referencias bibliográficas ..........................................................................................................10
  • 3. 1. INTRODUÇÃO Essa pesquisa tem como foco aprofundar conhecimento sobre o Movimento Literário Realismo, este terá como foco o Brasil. De antemão, pode-se dizer que esse movimento se configura em nítida oposição ao Movimento Literário Romantismo. Já se sabe que o tema "Realismo: retrato da sociedade brasileira" é bem abrangente, por isso o estudo se norteia em responder, no decorrer da pesquisa, os seguintes questionamentos: "Quais são as características do Movimento Literário Realismo?", "Como se deu a evolução do Movimento Literário Realismo para o Movimento Literário Naturalismo?" e "Por que Machado de Assis foi importante para o Movimento Literário Realismo no Brasil?". Justifica-se o trabalho então não só por ser uma exigência do Currículo do Estado de São Paulo, mas também por faltar entendimento crítico de textos literários principalmente do Realismo: origens e suas características. Têm-se como objetivo conhecer o Movimento Literário Realismo no Brasil, entender a evolução do Movimento Literário Realismo para o Movimento Literário Naturalismo, além de conhecer o maior escritor do Movimento Literário Realismo brasileiro e sua importância: Machado de Assis. Espera-se que, no final da pesquisa ter respondido todos os questionamentos propostos, assim como concluir todos os objetivos almejados, obtendo assim um conhecimento maior sobre o Movimento Literário Realismo que teve como foco o Brasil e as obras machadianas.
  • 4. 2. REALISMO NA SOCIEDADE BRASILEIRA 2.1Origem do Realismo no Brasil Realismo trata-se de um movimento artístico e literário surgido em meados do século XIX, na Europa (na França mais precisamente), em sequência, e em oposição do Movimento Literário Romantismo, contrariamente, a estética romântica, em que a narrativa de aventura ou a o romance de amor contrapunham um herói íntegro às forças sociais instituídas, o texto realista criticava as futilidades da vida burguesa. No Brasil, o Realismo se manifestou por volta de 1870, fugindo do foco sentimental e emocional, sendo expresso por textos em prosa e em verso. Dentro da sociedade brasileira não era mais possível ignorar a desigualdade de direitos e supressão da liberdade que marcavam a sociedade da época. Armados de um olhar atento, os escritores souberam transpor para o contexto da literatura, muitas vezes de modo cômico e mordaz, os impasses vivenciados pela sociedade. A imagem de uma elite que adaptava as ideologias progressistas a seus próprios interesses constituiu um dos maiores alvos da crítica do Realismo brasileiro “A vida sem luta é um mar morto no centro do organismo universal” (ASSIS, 2010). Machado de Assis defendia que as pessoas lutassem por seus direitos, para assim, viver em uma sociedade igualitária. 2.2O que foi o Movimento Literário Realismo no Brasil Na literatura brasileira, o Movimento Literário Realismo manifestou-se, principalmente, na prosa. Os romances realistas tornaram-se instrumentos de crítica ao comportamento burguês e às instituições sociais. Muitos escritores românticos começaram a explorar a proposta da literatura realista. Os especialistas em literatura dizem que o marco inicial do movimento, no Brasil, é a publicação do livro Memórias
  • 5. Póstumas de Brás Cubas, de Machado de Assis, em 1881. Nessa obra, o escritor fluminense faz duras críticas à sociedade da época. 2.3Machado de Assis: maior escritor do Brasil Machado de Assis é importante para o Movimento Literário Realismo por ser um grande crítico e escritor revelador não só do comportamento humano, mas também do contexto sócio-político da época assim como em seus romances pertencentes ao Romantismo, (primeira fase) Ressurreição (1872), seu primeiro livro, A Mão e a Luva (1874), Helena (1876) e Iaiá Garcia (1878), suas principais obras foram Memórias Póstumas de Brás Cubas, Quincas Borba e Dom Casmurro. No artigo "Instinto de Nacionalidade" (1899), Machado critica o principal ponto de honra do Romantismo brasileiro: o tema nacionalista, nesse artigo ele diz em poucas palavras que, para ser brasileiro não é necessário falar sempre de imagens nacionalistas e de símbolos, como na natureza do Brasil, e a figura indígena. Em relação ao Realismo, Machado sempre se manteve crítico as normas da escola. Para Carlos Fuentes, a produção de Machado de Assis é um verdadeiro milagre do contexto limitado do realismo latino-americano. 2.3.1 Quem foi Machado de Assis Nasceu no Rio de Janeiro em 21 de junho de 1839, filho de uma família muito pobre. Mulato e vítima de preconceito, perdeu na infância sua mãe e foi criado pela madrasta. Superou todas as dificuldades da época e tornou-se um grande escritor. Na infância, estudou numa escola pública durante o primário e aprendeu francês e latim. Trabalhou como aprendiz de tipógrafo, foi revisor e funcionário público. Publicou seu primeiro poema intitulado “Ela”, na revista Marmota Fluminense. Trabalhou como colaborador de algumas revistas e jornais do Rio de
  • 6. Janeiro. Foi um dos fundadores da Academia Brasileira de letras e seu primeiro presidente. Podem - se dividir as obras de Machado de Assis em duas fases: na primeira fase (fase romântica) as personagens de suas obras possuem características românticas, sendo o amor e os relacionamentos amorosos os principais temas de seus livros. Na segunda fase (fase realista), Machado de Assis abre espaços para as questões psicológicas dos personagens. É a fase em que o autor retrata muito bem as características do Movimento Literário Realismo. Machado de Assis faz uma análise profunda e realista do ser humano, destacando suas vontades, necessidades, defeitos e qualidades. Machado de Assis morreu de câncer, em sua cidade natal, no ano de 1908. 2.3.2Principais obras de Machado de Assis Primeira fase: Ressurreição (1872) – É o primeiro romance de machado de Assis onde o seu Romantismo e considerado moderado, sem os excessos moderados e sentimentais. A Mão e a Luva (1874) é o segundo romance escrito por Machado de Assis, sua primeira experiência foi como folhetinista de jornal, seguindo o exemplo de seus amigos Manuel Antonio de Almeida e José de Alencar. Helena (1876) onde tem poucos termos da sutileza psicológica dos dois primeiros romances, verdadeiros estudos de mulheres ou da sutileza filosófica dos romances da fase madura de Machado. Iaiá Garcia (1878) o ultimo romance da chamada fase romântica de Machado de Assis. Segunda fase: Memórias Póstumas de Brás Cubas (1881)desenvolvido em principio como folhetim, onde no ano seguinte foi publicado como livro, onde o livro marca um tom caustico e novo estilo na obra de Machado de Assis. Quincas Borba (1892) este livro é considerado pela critica moderna o segundo da trilogia realista de Machado de Assis, em que o autor esteve preocupado em utiliza e o pessimismo e a ironia. Dom Casmurro (1900) uma historia que é contada em primeira pessoa, pretende “atar as duas pontas da vida”, ou seja, unir relatos desde sua mocidade até os dias em que está escrevendo o livro.
  • 7. Memorial de Aires (1908) esta organizado como uma série de entradas em um diário, não tem um enredo único, mas compõe-se de vários episódios e anedotas que se interpermeiam . 2.4NOVA TENDÊNCIA: REALISMO-NATURALISMO A partir da segunda metade do século XIX, as concepções estéticas que nortearam o ideário romântico começaram a perder espaço. Uma nova tendência, baseada na trama psicológica e em personagens inspirados na realidade, toma conta da literatura ocidental. Estava inaugurado o Realismo-Naturalismo. No Brasil, essa passagem ocorre em 1881, com a publicação de “Memória Póstumas de Brás Cubas”, de Machado de Assis (1839-1908) o romance marca um tom cheio de ironias “(...) Escrevi-a com a pena da galhofa e a tinta da melancolia” (Machado, 2013) e negatividade “(...) não sei se lhe menti algumas rabugens de pessimismo“ (Machado, 2013) e novo estilo na obra de Machado, bem como audácia e inovando a literatura no cenário nacional “(...) Quando meu pai foi eleito deputado e veio para o Rio de Janeiro com a família“ (Machado, 2008), que o fez receber, à época, resenhas estranhas, o autor rompe com Memórias Póstumas de Brás Cubas com a narração linear e objetivista retratando o Rio de Janeiro e sua época em geral com pessimismo, ironia e indiferença que era seu marco. Memórias Póstumas de Brás Cubas retrata a escravidão, as classes sociais, o cientificismo e o positivismo da época, chegando a criar, inclusive, uma nova filosofia. E de “O Mulato”, de Aluísio Azevedo (1857-1913) também marcou essa passagem, esse livro contém denuncia ao preconceito racial na sociedade maranhense e da corrupção do clero, provocando irritação os comprovincianos de Aluísio a ponto de o escritor resolver mudar-se para a corte, onde fizera sucesso. Enquanto o livro de Machado apresenta acentuado viés realista, o de Aluísio é claramente naturalista. “Machado de Assis é considerado o maior escritor do Realismo por criticar a sociedade burguesa”; “Aluísio de Azevedo é naturalista por escrever que o ser humano e suas atitudes dependem do meio em que vivem”
  • 8. 2.5 Evolução do Movimento Literário Realismo para o Movimento Literário Naturalismo Enquanto o Romantismo era criticado por exaltar o sentimento, a emoção e iludir o leitor, levando-o a um mundo de sonhos, o Realismo, segundo o escritor português, Eça de Queiroz, condenaria o que houvesse de mal na sociedade. Os escritores realistas consideravam que a arte deveria ser dotada de uma finalidade moralizante. A função do escritor era condenar os vícios, mostrar o certo e o errado, para limpar a sociedade e a consciência dos indivíduos. Curiosamente, tanto o Romantismo quanto o Realismo apresentavam como princípios fundamentais a aliança entre o belo, o justo e o verdadeiro, contudo, por vias diferentes. Enquanto o artista realista acreditava na possibilidade de alcançar a verdade absoluta por meio da ciência, o romântico, como um iluminado por Deus, se guiava pela religião. Para apontar todas as mazelas sociais, o romance realista se caracterizava por descrições minuciosas, de maneira a constituir um espelho da sociedade para não falsear a realidade. Apesar de criticar os valores burgueses, os romances realistas acabavam por validá-los, já que o pensamento da época não contemplava outra saída. Como refém social, o homem, por heroísmo, renunciava à própria vida, ou seguia a sociedade burguesa e renunciava à singularidade. Ao punir a adúltera Luisa com a morte em O Primo Basílio, Eça de Queiroz induz as esposas a permanecerem casadas e fiéis aos maridos, validando o casamento, grande símbolo das instituições da sociedade burguesa, que pretendia combater. Embora seja contemporâneo do Romantismo e do Realismo, Machado de Assis não deve ser classificado como membro integrante de nenhum desses dois movimentos literários, uma vez que em suas obras são encontradas críticas a ambos os estilos de época. Afinal, como citado anteriormente, ele antecipou traços da estética modernista, sendo considerado por muitos autores como “inclassificável”. [...] cavalgando um corcel nervoso, rijo, veloz, como o corcel das antigas baladas que o Romantismo foi buscar ao castelo medieval, para dar com ele nas ruas do nosso
  • 9. século. O pior é que o estafaram a tal ponto, que foi preciso deitá-lo à margem, onde o Realismo o veio achar comido de lazeira e vermes, e, por compaixão, o transportou para os seus livros. (ASSIS, 1978). A literatura realista preserva uma “atitude natural”. O signo realista ou representacional é doentio, pois pretende apagar a sua própria condição de signo para alimentar a ilusão de que estamos percebendo a realidade sem a sua intervenção. Dessa maneira, nega o caráter produtivo da linguagem e elimina o fato de que só temos um mundo, porque temos a linguagem. 2.6 Aluísio de Azevedo Considerado o pioneiro do Naturalismo no Brasil, o romancista Aluísio de Azevedo nasceu em São Luís, Maranhão em 14 de abril de 1857. Quando jovem ele fazia caricaturas e poesias, como colaborador, para jornais e revistas no Rio de Janeiro. Seu primeiro romance publicado foi: Uma lágrima de mulher, em 1880. Fundador da cadeira número quatro da Academia Brasileira de Letras e crítico social, este escritor naturalista foi autor de diversos livros, entre eles estão: O Mulato, que provocou escândalo na época de seu lançamento, Casa de Pensão, que o consagrou e O Cortiço, conhecido com sua obra mais importante. Esse autor, que não escondia seu inconformismo com a sociedade brasileira e com suas regras escreveu, durante grande parte de sua vida, Aluísio de Azevedo viveu daquilo que ganhava como escritor, mas ao entrar para a vida diplomática ele abandonou a produção literária. Faleceu em Buenos Aires, Argentina, no dia 21 de janeiro de 1913.
  • 10. 3. Considerações finais O Movimento Literário Realismo não possui as mesmas características do Romantismo: espontaneidade e emoção; ele mostra a realidade, criticas e angústias da sociedade; dentro do Realismo o homem apresentava a influência de movimentos políticos. Os escritores visavam não retratar o belo, como no Movimento Literário Romantismo, Machado de Assis se destacava no Realismo brasileiro, por ser considerado “criador” do Realismo no Brasil, sendo absurdamente crítico e negando a burguesia; portanto criando um retrato real e ferino desse contexto social, isso também se estende em relação a Luis de Azevedo de uma forma mais patológica desvenda o lado perverso dos grupos sociais. Com o Realismo surgiu novos campos de conhecimentos na literatura, como: sociologia e a psicologia, além de evoluir algum tempo depois para outro movimento que prezava uma de suas características: a natureza, sendo criado o Naturalismo. 3. Referencias bibliográficas • Livro didático “Ser protagonista 2” (BARRETO,Ricardo, 2010) • www.manualdoestudante.com.br 2010 • www.guiadoestudante.com.br 2007 • www.suapesquisa.com.br 2011 • www.google.com.br/imagens/machado_de_assis • www.google.com.br/imagens/obras_machadianas
  • 11. • www.google.com.br/aluisio_de_azevedo • www.google.com.br/obras_de_aluisio • www.opensador.com.br 2008 • Memórias Póstumas de Brás Cubas (ASSIS, Machado,2008) • Memórias Póstumas de Brás Cubas (ASSIS, Machado, 1978) • Dom Casmurro (ASSIS, Machado, 2012)