SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 22
Baixar para ler offline
Distribuição da população
portuguesa
Distribuição da população portuguesa
Os condicionantes e os problemas na distribuição da população
Distribuição da população,
em Portugal:
assimetrias regionais
marcada por
Litoral
• mais densamente
povoado
Interior
• continua a perder população
• mais atrativo • fraca capacidade de
atrair e fixar população
derivam de fatores naturais e humanos
Fig. Densidade populacional, por concelhos,
em 2011.
o concelho do Funchal
Maiores densidades
populacionais:
• litoral
continental
• ilhas da Madeira
e São Miguel
Destacam-se:
 alguns concelhos no Grande Porto,
na Grande Lisboa e na Península de
Setúbal
 os concelhos de São João da
Madeira e Entroncamento
Distribuição da população portuguesa
Distribuição da população portuguesa
Fig. Densidade populacional, por concelhos,
em 2011.
• do interior continental
• do litoral alentejano
• de grande parte do Algarve
• da vertente norte e da parte
ocidental da ilha da Madeira
• da maioria das ilhas açorianas
Menores densidades
populacionais:
os concelhos:
Distribuição da população portuguesa
Fig. Taxa de variação da população nos
concelhos de Portugal, entre 2001 e 2011.
 Bipolarização: elevada densidade
populacional nas duas áreas
metropolitanas de Lisboa e Porto...
As tendências…
Portugal Continental, continua a
evidenciar as tendências de:
 Litoralização: concentração da
população e das atividades
económicas no litoral…
Distribuição da população portuguesa
Fig. Taxa de variação da população nos
concelhos de Portugal, entre 2001 e 2011.
Alguns concelhos contrariam
estas tendências:
• vários
municípios do
interior ganharam
população
• Lisboa e Porto,
têm perdido
população para
concelhos próximos
Regiões Autónomas: crescimento
populacional em Santa Cruz, Porto Santo
(Madeira) e Ribeira Grande (Açores); perda
de população na maioria dos municípios
açorianos e em alguns da Madeira, como
Santana
Fatores responsáveis pela distribuição da
população no território português
Fatores
Fatores naturais
Clima Relevo
Fertilidade
dos solos
Fatores humanos
Mobilidade
da
população
Acessibilidade
Fixação de
atividades
económicas
Atração
urbana
Distribuição da população portuguesa
• Pela influência do Atlântico, o clima é
mais húmido e ameno.
• Predomina um relevo menos
acidentado, com planícies como as do
Mondego, Tejo e Sado - maior
acessibilidade natural.
• Extensa linha de costa – favorece a
pesca e cria acessibilidade para o
exterior.
• Relevo e clima favorecem fertilidade
dos solos o que favorece a agricultura.
Fatores Físicos
Ponte 25 de Abril - LisboaRio Sado - Alcácer do SalPescador - Algarve
Campo de arroz - Lezíria do Tejo
Atração pelo litoral urbano
 Fatores físicos e humanos favoráveis ao dinamismo demográfico e
económico do litoral.
Distribuição da população portuguesa
• Melhores condições naturais para a agricultura,
favorecendo, atualmente, uma prática agrícola
mais moderna e produtiva, com maior acesso
aos mercados.
• Grande número de cidades e áreas
urbanizadas, com oferta de habitação e grande
diversidade de serviços (saúde, educação,
cultura, lazer, etc.).
• Maior densidade e qualidade das redes e
infraestruturas de transporte e comunicação;
• Grande implantação de atividades industriais e
terciárias, muitas de grande dimensão, que
proporcionam maior oferta de emprego.
Fatores Humanos
Plantação de milho - MinhoCidade do PortoGare do Oriente - LisboaRefinaria - Matosinhos
Retornados das ex-colónias
Distribuição da população portuguesa
• O maior dinamismo demográfico e
económico do litoral foi causa, mas também
efeito do êxodo rural, mais intenso nas
décadas de 60 e 70.
• Mais recentemente, também da imigração,
que tende a fixar-se nas áreas urbanas do
litoral, sobretudo nas regiões de Lisboa e
Algarve.
Fatores Humanos
Imigrante brasileiro
Distribuição da população portuguesa
Funchal - MadeiraPonta Delgada - Açores
• importante
efeito polarizador
para os concelhos
próximos
Regiões
Autónomas
Ponta Delgada
(Açores)
Funchal
(Madeira)
• áreas de maior
dinamismo
demográfico
Distribuição da população portuguesa
• A norte do Tejo, o relevo é mais acidentado,
com predomínio de montanha e planalto.
• As temperaturas são, geralmente, mais
baixas no inverno e mais altas no verão,
principalmente no sul, onde o clima se
caracteriza também por uma secura
acentuada.
• Relevo e clima influenciam os solos que, de
modo geral, são mais pobres.
• Menor acessibilidade natural.
Fatores Físicos
Serra da EstrelaAlentejoDouro vinhateiro
Despovoamento do interior
• fatores menos
favoráveis…
Interior: perda e
envelhecimento da
população…
• menor desenvolvimento
e menos oportunidades de
trabalho e futuro…
deve-se
traduzem-se
Distribuição da população portuguesa
• Condições naturais menos propícias à
agricultura e que, por vezes, dificultam a sua
modernização.
• Menor número de cidades e de áreas urbanas
com menor dimensão; oferta de serviços menos
diversificada e com pouca especialização.
• Menor implantação da indústria e de atividades
terciárias e, assim, menor oferta de emprego.
• Redes e infraestruturas de transporte e
comunicação menos densas e, muitas vezes,
com fraca ligação às povoações dos territórios
que atravessam.
Fatores Humanos
Marvão - AlentejoMonsanto – Castelo Branco
Distribuição da população portuguesa
A24 - ViseuDouro vinhateiro
• o dinamismo
económico de
algumas cidades
de média dimensão,
como Viseu e
Castelo Branco
Êxodo rural
associado à
emigração…
• levou ao progressivo
despovoamento do
interior
Atualmente
• alguns fatores atenuam a tendência de
perda demográfica:
• a valorização de
áreas rurais, como o
Alto Douro Vinhateiro,
ou a área envolvente
da barragem do
Alqueva
Congestionamentos de Trânsito
Distribuição da população portuguesa
Ribeira - Porto“Hora de Ponta”
surgem problemas como:
Problemas...
Em muitas áreas
urbanas do litoral…
• excessiva concentração
de pessoas e atividades
económicas
• ultrapassa a
capacidade de
carga humana
• desordenamento
do território
• sobrelotação de
equipamentos,
infraestruturas e
serviços
• congestionamentos
de trânsito
• degradação
ambiental
Resíduos urbanosSem abrigo
• desqualificação
social e humana
Distribuição da população portuguesa
Agricultora idosaMonsantoIncêndio florestal
Problemas que contribuem para a degradação do
património natural e edificado no Interior:
 No interior…
• o abandono das áreas rurais é, simultaneamente, causa e efeito da
fraca oferta de bens e serviços.
• envelhecimento
demográfico
• despovoamento
de muitas aldeias
• abandono
dos campos
• falta de mão de obra
para trabalhos de
vigilância e proteção
das florestas, etc.
Assim, o planeamento nacional, regional e municipal é fundamental
para a promoção, crescimento económico e para o desenvolvimento
das regiões do interior, numa perspetiva sustentável, como:
Soluções para atenuar a desigual
distribuição da população no território
Um interior mais atrativo, baseado na sua beleza paisagística, na
valorização do recursos endógenos, no saber dos seus habitantes e no
incremento de dinamismo económico e social, são aspetos fundamentais
para reduzir as assimetrias regionais na repartição da população.
a) a criação de serviços de apoio à população;
b) a melhoria e aumento da rede de transportes;
Assim, o planeamento nacional, regional e municipal é fundamental
para a promoção, crescimento económico e para o desenvolvimento
das regiões do interior, numa perspetiva sustentável, como:
Soluções para atenuar a desigual
distribuição da população no território
c) a atribuição de incentivos à fixação de atividades económicas;
d) a valorização dos recursos endógenos, promovendo, por
exemplo, a produção de energia renovável e as atividades
de lazer;
e) a atribuição de incentivos à fixação da população jovem e com
níveis de formação e qualificação profissional mais elevados.
Distribuição da população portuguesa
Desenvolvimento
Sustentável
Planeamento
socioeconómico
Ordenamento do
Território
 Processo contínuo e
integrado de organização
do espaço biofísico,
visando a utilização do
território de acordo com
as suas capacidades e
vocações.
 Com vista ao
desenvolvimento das
atividades económicas e
a melhoria da qualidade
de vida, numa lógica de
desenvolvimento
sustentável.
 Pressupõe a satisfação
das necessidades do
presente sem
comprometer a
capacidade de satisfação
das gerações futuras, pela
correta utilização e gestão
dos recursos naturais.
Possíveis soluções…
• implementação
de serviços de
apoio à
população,
educação e
qualificação da
mão de obra
- criação de
parques
industriais e
tecnológicos e
oferta de
incentivos fiscais e
financeiros, que
atraiam
investimento e
gerem emprego,
nas áreas do
interior
• desenvolvimento de
atividades
económicas, incluindo
as que se associam à
agricultura e valorizam
potencialidades locais
(artesanato, produtos
tradicionais, proteção
ambiental, etc.)
Distribuição da população portuguesa
Desenvolvimento sustentável
A valorização de todos os recursos naturais e humanos e a redução das
assimetrias
• a efetiva
melhoria das
acessibilidades
IMPLICA
Distribuição da população portuguesa
Fim da apresentação

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Principais problemas e soluções sociodemográficos
Principais problemas e soluções sociodemográficosPrincipais problemas e soluções sociodemográficos
Principais problemas e soluções sociodemográficosIlda Bicacro
 
A População Distribuição da População 2º Ano
A População  Distribuição da População   2º AnoA População  Distribuição da População   2º Ano
A População Distribuição da População 2º Anoguest27c000
 
As características da rede urbana: o caso de Portugal - Geografia 11º Ano
As características da rede urbana: o caso de Portugal - Geografia 11º AnoAs características da rede urbana: o caso de Portugal - Geografia 11º Ano
As características da rede urbana: o caso de Portugal - Geografia 11º Ano713773
 
Rede urbana nacional
Rede urbana nacionalRede urbana nacional
Rede urbana nacionalCacilda Basto
 
A expansão urbana em Portugal - Geografia 11º ano
A expansão urbana em Portugal - Geografia 11º anoA expansão urbana em Portugal - Geografia 11º ano
A expansão urbana em Portugal - Geografia 11º ano713773
 
As características da rede urbana
As características da rede urbanaAs características da rede urbana
As características da rede urbanaIlda Bicacro
 
Algarve - Região Agrária
Algarve - Região Agrária Algarve - Região Agrária
Algarve - Região Agrária Miguel Sargento
 
Áreas Metropolitanas de Lisboa e Porto
Áreas Metropolitanas de Lisboa e PortoÁreas Metropolitanas de Lisboa e Porto
Áreas Metropolitanas de Lisboa e PortoIdalina Leite
 
As áreas metropolitanas de Lisboa e Porto - Geografia 11º ano
As áreas metropolitanas de Lisboa e Porto - Geografia 11º anoAs áreas metropolitanas de Lisboa e Porto - Geografia 11º ano
As áreas metropolitanas de Lisboa e Porto - Geografia 11º ano713773
 
Gestão e valorização do litoral e do espaço marítimo (1)
Gestão e valorização do litoral e do espaço marítimo (1)Gestão e valorização do litoral e do espaço marítimo (1)
Gestão e valorização do litoral e do espaço marítimo (1)Ilda Bicacro
 
Principais problemas e soluções sociodemográficos adaptado
Principais problemas e soluções sociodemográficos adaptadoPrincipais problemas e soluções sociodemográficos adaptado
Principais problemas e soluções sociodemográficos adaptadoIlda Bicacro
 
1 recursos do-subsolo (1)
1 recursos do-subsolo (1)1 recursos do-subsolo (1)
1 recursos do-subsolo (1)Ilda Bicacro
 
Geografia A - 10º/11º Ano
Geografia A - 10º/11º AnoGeografia A - 10º/11º Ano
Geografia A - 10º/11º AnoHneves
 
Multifuncionalidade 11ºlh1
Multifuncionalidade 11ºlh1Multifuncionalidade 11ºlh1
Multifuncionalidade 11ºlh1mariajosantos
 

Mais procurados (20)

Principais problemas e soluções sociodemográficos
Principais problemas e soluções sociodemográficosPrincipais problemas e soluções sociodemográficos
Principais problemas e soluções sociodemográficos
 
A População Distribuição da População 2º Ano
A População  Distribuição da População   2º AnoA População  Distribuição da População   2º Ano
A População Distribuição da População 2º Ano
 
As características da rede urbana: o caso de Portugal - Geografia 11º Ano
As características da rede urbana: o caso de Portugal - Geografia 11º AnoAs características da rede urbana: o caso de Portugal - Geografia 11º Ano
As características da rede urbana: o caso de Portugal - Geografia 11º Ano
 
Rede urbana nacional
Rede urbana nacionalRede urbana nacional
Rede urbana nacional
 
A expansão urbana em Portugal - Geografia 11º ano
A expansão urbana em Portugal - Geografia 11º anoA expansão urbana em Portugal - Geografia 11º ano
A expansão urbana em Portugal - Geografia 11º ano
 
As características da rede urbana
As características da rede urbanaAs características da rede urbana
As características da rede urbana
 
Algarve - Região Agrária
Algarve - Região Agrária Algarve - Região Agrária
Algarve - Região Agrária
 
Áreas Metropolitanas de Lisboa e Porto
Áreas Metropolitanas de Lisboa e PortoÁreas Metropolitanas de Lisboa e Porto
Áreas Metropolitanas de Lisboa e Porto
 
As áreas metropolitanas de Lisboa e Porto - Geografia 11º ano
As áreas metropolitanas de Lisboa e Porto - Geografia 11º anoAs áreas metropolitanas de Lisboa e Porto - Geografia 11º ano
As áreas metropolitanas de Lisboa e Porto - Geografia 11º ano
 
Valorização da radiação solar
Valorização da radiação solarValorização da radiação solar
Valorização da radiação solar
 
Gestão e valorização do litoral e do espaço marítimo (1)
Gestão e valorização do litoral e do espaço marítimo (1)Gestão e valorização do litoral e do espaço marítimo (1)
Gestão e valorização do litoral e do espaço marítimo (1)
 
Principais problemas e soluções sociodemográficos adaptado
Principais problemas e soluções sociodemográficos adaptadoPrincipais problemas e soluções sociodemográficos adaptado
Principais problemas e soluções sociodemográficos adaptado
 
1 recursos do-subsolo (1)
1 recursos do-subsolo (1)1 recursos do-subsolo (1)
1 recursos do-subsolo (1)
 
Geografia A - 10º/11º Ano
Geografia A - 10º/11º AnoGeografia A - 10º/11º Ano
Geografia A - 10º/11º Ano
 
Funções urbanas (2)
Funções urbanas (2)Funções urbanas (2)
Funções urbanas (2)
 
Multifuncionalidade 11ºlh1
Multifuncionalidade 11ºlh1Multifuncionalidade 11ºlh1
Multifuncionalidade 11ºlh1
 
Pac
PacPac
Pac
 
A Agricultura
A AgriculturaA Agricultura
A Agricultura
 
Características da agricultura portuguesa
Características da agricultura portuguesaCaracterísticas da agricultura portuguesa
Características da agricultura portuguesa
 
Problemas urbanos
Problemas urbanosProblemas urbanos
Problemas urbanos
 

Semelhante a Distribuição População PT

Geografia A_ 10º/11ºanos (revisto)
Geografia A_ 10º/11ºanos (revisto)Geografia A_ 10º/11ºanos (revisto)
Geografia A_ 10º/11ºanos (revisto)Idalina Leite
 
População portuguesa
População portuguesaPopulação portuguesa
População portuguesaTina Lima
 
Trabalho de grupo tur população portuguesa
Trabalho de grupo tur população portuguesaTrabalho de grupo tur população portuguesa
Trabalho de grupo tur população portuguesaTina Lima
 
Retrato Territorial de Portugal (Ano de Edição 2017)
Retrato Territorial de Portugal (Ano de Edição 2017)Retrato Territorial de Portugal (Ano de Edição 2017)
Retrato Territorial de Portugal (Ano de Edição 2017)Idalina Leite
 
A PopulaçãO DistribuiçãO Da PopulaçãO 2º Ano Alunos
A PopulaçãO  DistribuiçãO Da PopulaçãO   2º Ano   AlunosA PopulaçãO  DistribuiçãO Da PopulaçãO   2º Ano   Alunos
A PopulaçãO DistribuiçãO Da PopulaçãO 2º Ano Alunosabarros
 
4 as áreas metropolitanas
4 as áreas metropolitanas4 as áreas metropolitanas
4 as áreas metropolitanasElsa Condeço
 
geom8_areas_fixacao_humana.pptx
geom8_areas_fixacao_humana.pptxgeom8_areas_fixacao_humana.pptx
geom8_areas_fixacao_humana.pptxMariaDias870471
 
Distribuição Espacial da População Portuguesa
Distribuição Espacial da População PortuguesaDistribuição Espacial da População Portuguesa
Distribuição Espacial da População Portuguesaabarros
 
Trabalho de Geografia A - Mértola
Trabalho de Geografia A - MértolaTrabalho de Geografia A - Mértola
Trabalho de Geografia A - Mértolacarolinagomesss
 
PROPOSTA TEMÁTICA - O Alentejo é Futuro
PROPOSTA TEMÁTICA - O Alentejo é Futuro PROPOSTA TEMÁTICA - O Alentejo é Futuro
PROPOSTA TEMÁTICA - O Alentejo é Futuro Cláudio Carneiro
 
Programa CDU Ponte de Lima Autárquicas 2009
Programa CDU Ponte de Lima Autárquicas 2009Programa CDU Ponte de Lima Autárquicas 2009
Programa CDU Ponte de Lima Autárquicas 2009cduptl
 
Desequilíbrios regionais
Desequilíbrios regionaisDesequilíbrios regionais
Desequilíbrios regionaisAna Helena
 
Cidades Sustentáveis 2020
Cidades Sustentáveis 2020Cidades Sustentáveis 2020
Cidades Sustentáveis 2020Idalina Leite
 
Estrutura da população ativa portuguesa
Estrutura da população ativa portuguesaEstrutura da população ativa portuguesa
Estrutura da população ativa portuguesaFILIPEBatista33
 
A sociedade - desequilibrios regionais
A sociedade - desequilibrios regionaisA sociedade - desequilibrios regionais
A sociedade - desequilibrios regionaisMaria Teixiera
 

Semelhante a Distribuição População PT (20)

Geografia A_ 10º/11ºanos (revisto)
Geografia A_ 10º/11ºanos (revisto)Geografia A_ 10º/11ºanos (revisto)
Geografia A_ 10º/11ºanos (revisto)
 
População portuguesa
População portuguesaPopulação portuguesa
População portuguesa
 
Trabalho de grupo tur população portuguesa
Trabalho de grupo tur população portuguesaTrabalho de grupo tur população portuguesa
Trabalho de grupo tur população portuguesa
 
Turismo em espaço rural
Turismo em espaço ruralTurismo em espaço rural
Turismo em espaço rural
 
Retrato Territorial de Portugal (Ano de Edição 2017)
Retrato Territorial de Portugal (Ano de Edição 2017)Retrato Territorial de Portugal (Ano de Edição 2017)
Retrato Territorial de Portugal (Ano de Edição 2017)
 
A PopulaçãO DistribuiçãO Da PopulaçãO 2º Ano Alunos
A PopulaçãO  DistribuiçãO Da PopulaçãO   2º Ano   AlunosA PopulaçãO  DistribuiçãO Da PopulaçãO   2º Ano   Alunos
A PopulaçãO DistribuiçãO Da PopulaçãO 2º Ano Alunos
 
4 as áreas metropolitanas
4 as áreas metropolitanas4 as áreas metropolitanas
4 as áreas metropolitanas
 
Ppt4
Ppt4Ppt4
Ppt4
 
geom8_areas_fixacao_humana.pptx
geom8_areas_fixacao_humana.pptxgeom8_areas_fixacao_humana.pptx
geom8_areas_fixacao_humana.pptx
 
1 Urbano Rural Cidade
1  Urbano Rural Cidade1  Urbano Rural Cidade
1 Urbano Rural Cidade
 
Distribuição Espacial da População Portuguesa
Distribuição Espacial da População PortuguesaDistribuição Espacial da População Portuguesa
Distribuição Espacial da População Portuguesa
 
Trabalho de Geografia A - Mértola
Trabalho de Geografia A - MértolaTrabalho de Geografia A - Mértola
Trabalho de Geografia A - Mértola
 
Sudeste
SudesteSudeste
Sudeste
 
PROPOSTA TEMÁTICA - O Alentejo é Futuro
PROPOSTA TEMÁTICA - O Alentejo é Futuro PROPOSTA TEMÁTICA - O Alentejo é Futuro
PROPOSTA TEMÁTICA - O Alentejo é Futuro
 
Programa CDU Ponte de Lima Autárquicas 2009
Programa CDU Ponte de Lima Autárquicas 2009Programa CDU Ponte de Lima Autárquicas 2009
Programa CDU Ponte de Lima Autárquicas 2009
 
Indústria
IndústriaIndústria
Indústria
 
Desequilíbrios regionais
Desequilíbrios regionaisDesequilíbrios regionais
Desequilíbrios regionais
 
Cidades Sustentáveis 2020
Cidades Sustentáveis 2020Cidades Sustentáveis 2020
Cidades Sustentáveis 2020
 
Estrutura da população ativa portuguesa
Estrutura da população ativa portuguesaEstrutura da população ativa portuguesa
Estrutura da população ativa portuguesa
 
A sociedade - desequilibrios regionais
A sociedade - desequilibrios regionaisA sociedade - desequilibrios regionais
A sociedade - desequilibrios regionais
 

Mais de Catarina Castro

"O Ano da Morte de Ricardo Reis" - Retoma de Conteúdos
"O Ano da Morte de Ricardo Reis" - Retoma de Conteúdos "O Ano da Morte de Ricardo Reis" - Retoma de Conteúdos
"O Ano da Morte de Ricardo Reis" - Retoma de Conteúdos Catarina Castro
 
Síntese Sermão de Santo António aos Peixes
Síntese Sermão de Santo António aos PeixesSíntese Sermão de Santo António aos Peixes
Síntese Sermão de Santo António aos PeixesCatarina Castro
 
Contextualização histórico literária - Sermão
Contextualização histórico literária - SermãoContextualização histórico literária - Sermão
Contextualização histórico literária - SermãoCatarina Castro
 
Contextualização histórico literária - Almeida Garrett
Contextualização histórico literária - Almeida GarrettContextualização histórico literária - Almeida Garrett
Contextualização histórico literária - Almeida GarrettCatarina Castro
 
Linguística textual - Intertextualidade
Linguística textual - IntertextualidadeLinguística textual - Intertextualidade
Linguística textual - IntertextualidadeCatarina Castro
 
Texto narrativo (características)
Texto narrativo (características)Texto narrativo (características)
Texto narrativo (características)Catarina Castro
 
Síntese José Saramago, O ano da morte de ricardo reis
Síntese José Saramago, O ano da morte de ricardo reisSíntese José Saramago, O ano da morte de ricardo reis
Síntese José Saramago, O ano da morte de ricardo reisCatarina Castro
 
Contextualização histórico literária - O Ano da Morte de Ricardo Reis
Contextualização histórico literária - O Ano da Morte de Ricardo ReisContextualização histórico literária - O Ano da Morte de Ricardo Reis
Contextualização histórico literária - O Ano da Morte de Ricardo ReisCatarina Castro
 
Contextualização histórico literária - O Ano da Morte de Ricardo Reis
Contextualização histórico literária - O Ano da Morte de Ricardo ReisContextualização histórico literária - O Ano da Morte de Ricardo Reis
Contextualização histórico literária - O Ano da Morte de Ricardo ReisCatarina Castro
 
Contextualização histórico literária - O Ano da Morte de Ricardo Reis
Contextualização histórico literária - O Ano da Morte de Ricardo ReisContextualização histórico literária - O Ano da Morte de Ricardo Reis
Contextualização histórico literária - O Ano da Morte de Ricardo ReisCatarina Castro
 
A Constituição do Território Nacional e a Posição Geográfica de Portugal
A Constituição do Território Nacional e a Posição Geográfica de PortugalA Constituição do Território Nacional e a Posição Geográfica de Portugal
A Constituição do Território Nacional e a Posição Geográfica de PortugalCatarina Castro
 
As Vagas Revolucionárias Liberais e Nacionais
As Vagas Revolucionárias Liberais e Nacionais As Vagas Revolucionárias Liberais e Nacionais
As Vagas Revolucionárias Liberais e Nacionais Catarina Castro
 
Variabilidade da radiação solar i
Variabilidade da radiação solar iVariabilidade da radiação solar i
Variabilidade da radiação solar iCatarina Castro
 
Variabilidade da radiação solar geral
Variabilidade da radiação solar geralVariabilidade da radiação solar geral
Variabilidade da radiação solar geralCatarina Castro
 
Variabilidade da radiaçã solar
Variabilidade da radiaçã solarVariabilidade da radiaçã solar
Variabilidade da radiaçã solarCatarina Castro
 
Valorização da radiação solar
Valorização da radiação solarValorização da radiação solar
Valorização da radiação solarCatarina Castro
 
Potencialidades do Litoral
Potencialidades do LitoralPotencialidades do Litoral
Potencialidades do LitoralCatarina Castro
 
Problemas e Potencialidades dos Recursos do Subsolo
Problemas e Potencialidades dos Recursos do SubsoloProblemas e Potencialidades dos Recursos do Subsolo
Problemas e Potencialidades dos Recursos do SubsoloCatarina Castro
 
Evolução da População Portuguesa
Evolução da População PortuguesaEvolução da População Portuguesa
Evolução da População PortuguesaCatarina Castro
 

Mais de Catarina Castro (20)

"O Ano da Morte de Ricardo Reis" - Retoma de Conteúdos
"O Ano da Morte de Ricardo Reis" - Retoma de Conteúdos "O Ano da Morte de Ricardo Reis" - Retoma de Conteúdos
"O Ano da Morte de Ricardo Reis" - Retoma de Conteúdos
 
Síntese Sermão de Santo António aos Peixes
Síntese Sermão de Santo António aos PeixesSíntese Sermão de Santo António aos Peixes
Síntese Sermão de Santo António aos Peixes
 
Contextualização histórico literária - Sermão
Contextualização histórico literária - SermãoContextualização histórico literária - Sermão
Contextualização histórico literária - Sermão
 
Contextualização histórico literária - Almeida Garrett
Contextualização histórico literária - Almeida GarrettContextualização histórico literária - Almeida Garrett
Contextualização histórico literária - Almeida Garrett
 
Linguística textual - Intertextualidade
Linguística textual - IntertextualidadeLinguística textual - Intertextualidade
Linguística textual - Intertextualidade
 
Texto narrativo (características)
Texto narrativo (características)Texto narrativo (características)
Texto narrativo (características)
 
Síntese José Saramago, O ano da morte de ricardo reis
Síntese José Saramago, O ano da morte de ricardo reisSíntese José Saramago, O ano da morte de ricardo reis
Síntese José Saramago, O ano da morte de ricardo reis
 
Contextualização histórico literária - O Ano da Morte de Ricardo Reis
Contextualização histórico literária - O Ano da Morte de Ricardo ReisContextualização histórico literária - O Ano da Morte de Ricardo Reis
Contextualização histórico literária - O Ano da Morte de Ricardo Reis
 
Contextualização histórico literária - O Ano da Morte de Ricardo Reis
Contextualização histórico literária - O Ano da Morte de Ricardo ReisContextualização histórico literária - O Ano da Morte de Ricardo Reis
Contextualização histórico literária - O Ano da Morte de Ricardo Reis
 
Contextualização histórico literária - O Ano da Morte de Ricardo Reis
Contextualização histórico literária - O Ano da Morte de Ricardo ReisContextualização histórico literária - O Ano da Morte de Ricardo Reis
Contextualização histórico literária - O Ano da Morte de Ricardo Reis
 
A Constituição do Território Nacional e a Posição Geográfica de Portugal
A Constituição do Território Nacional e a Posição Geográfica de PortugalA Constituição do Território Nacional e a Posição Geográfica de Portugal
A Constituição do Território Nacional e a Posição Geográfica de Portugal
 
As Vagas Revolucionárias Liberais e Nacionais
As Vagas Revolucionárias Liberais e Nacionais As Vagas Revolucionárias Liberais e Nacionais
As Vagas Revolucionárias Liberais e Nacionais
 
Variabilidade da radiação solar i
Variabilidade da radiação solar iVariabilidade da radiação solar i
Variabilidade da radiação solar i
 
Variabilidade da radiação solar geral
Variabilidade da radiação solar geralVariabilidade da radiação solar geral
Variabilidade da radiação solar geral
 
Variabilidade da radiaçã solar
Variabilidade da radiaçã solarVariabilidade da radiaçã solar
Variabilidade da radiaçã solar
 
Valorização da radiação solar
Valorização da radiação solarValorização da radiação solar
Valorização da radiação solar
 
Potencialidades do Litoral
Potencialidades do LitoralPotencialidades do Litoral
Potencialidades do Litoral
 
Recursos Energéticos
Recursos EnergéticosRecursos Energéticos
Recursos Energéticos
 
Problemas e Potencialidades dos Recursos do Subsolo
Problemas e Potencialidades dos Recursos do SubsoloProblemas e Potencialidades dos Recursos do Subsolo
Problemas e Potencialidades dos Recursos do Subsolo
 
Evolução da População Portuguesa
Evolução da População PortuguesaEvolução da População Portuguesa
Evolução da População Portuguesa
 

Último

Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISVitor Vieira Vasconcelos
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresaulasgege
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOMarcosViniciusLemesL
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirIedaGoethe
 
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOVALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOBiatrizGomes1
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024Jeanoliveira597523
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASEdinardo Aguiar
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfaulasgege
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfIedaGoethe
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A  galinha ruiva sequencia didatica 3 anoA  galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A galinha ruiva sequencia didatica 3 anoandrealeitetorres
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalJacqueline Cerqueira
 
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfEyshilaKelly1
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPanandatss1
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundonialb
 
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfAdrianaCunha84
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfErasmo Portavoz
 

Último (20)

Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
 
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOVALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A  galinha ruiva sequencia didatica 3 anoA  galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
 
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SP
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
 
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
 

Distribuição População PT

  • 2. Distribuição da população portuguesa Os condicionantes e os problemas na distribuição da população Distribuição da população, em Portugal: assimetrias regionais marcada por Litoral • mais densamente povoado Interior • continua a perder população • mais atrativo • fraca capacidade de atrair e fixar população derivam de fatores naturais e humanos
  • 3. Fig. Densidade populacional, por concelhos, em 2011. o concelho do Funchal Maiores densidades populacionais: • litoral continental • ilhas da Madeira e São Miguel Destacam-se:  alguns concelhos no Grande Porto, na Grande Lisboa e na Península de Setúbal  os concelhos de São João da Madeira e Entroncamento Distribuição da população portuguesa
  • 4. Distribuição da população portuguesa Fig. Densidade populacional, por concelhos, em 2011. • do interior continental • do litoral alentejano • de grande parte do Algarve • da vertente norte e da parte ocidental da ilha da Madeira • da maioria das ilhas açorianas Menores densidades populacionais: os concelhos:
  • 5. Distribuição da população portuguesa Fig. Taxa de variação da população nos concelhos de Portugal, entre 2001 e 2011.  Bipolarização: elevada densidade populacional nas duas áreas metropolitanas de Lisboa e Porto... As tendências… Portugal Continental, continua a evidenciar as tendências de:  Litoralização: concentração da população e das atividades económicas no litoral…
  • 6. Distribuição da população portuguesa Fig. Taxa de variação da população nos concelhos de Portugal, entre 2001 e 2011. Alguns concelhos contrariam estas tendências: • vários municípios do interior ganharam população • Lisboa e Porto, têm perdido população para concelhos próximos Regiões Autónomas: crescimento populacional em Santa Cruz, Porto Santo (Madeira) e Ribeira Grande (Açores); perda de população na maioria dos municípios açorianos e em alguns da Madeira, como Santana
  • 7. Fatores responsáveis pela distribuição da população no território português Fatores Fatores naturais Clima Relevo Fertilidade dos solos Fatores humanos Mobilidade da população Acessibilidade Fixação de atividades económicas Atração urbana
  • 8. Distribuição da população portuguesa • Pela influência do Atlântico, o clima é mais húmido e ameno. • Predomina um relevo menos acidentado, com planícies como as do Mondego, Tejo e Sado - maior acessibilidade natural. • Extensa linha de costa – favorece a pesca e cria acessibilidade para o exterior. • Relevo e clima favorecem fertilidade dos solos o que favorece a agricultura. Fatores Físicos Ponte 25 de Abril - LisboaRio Sado - Alcácer do SalPescador - Algarve Campo de arroz - Lezíria do Tejo Atração pelo litoral urbano  Fatores físicos e humanos favoráveis ao dinamismo demográfico e económico do litoral.
  • 9. Distribuição da população portuguesa • Melhores condições naturais para a agricultura, favorecendo, atualmente, uma prática agrícola mais moderna e produtiva, com maior acesso aos mercados. • Grande número de cidades e áreas urbanizadas, com oferta de habitação e grande diversidade de serviços (saúde, educação, cultura, lazer, etc.). • Maior densidade e qualidade das redes e infraestruturas de transporte e comunicação; • Grande implantação de atividades industriais e terciárias, muitas de grande dimensão, que proporcionam maior oferta de emprego. Fatores Humanos Plantação de milho - MinhoCidade do PortoGare do Oriente - LisboaRefinaria - Matosinhos
  • 10. Retornados das ex-colónias Distribuição da população portuguesa • O maior dinamismo demográfico e económico do litoral foi causa, mas também efeito do êxodo rural, mais intenso nas décadas de 60 e 70. • Mais recentemente, também da imigração, que tende a fixar-se nas áreas urbanas do litoral, sobretudo nas regiões de Lisboa e Algarve. Fatores Humanos Imigrante brasileiro
  • 11. Distribuição da população portuguesa Funchal - MadeiraPonta Delgada - Açores • importante efeito polarizador para os concelhos próximos Regiões Autónomas Ponta Delgada (Açores) Funchal (Madeira) • áreas de maior dinamismo demográfico
  • 12. Distribuição da população portuguesa • A norte do Tejo, o relevo é mais acidentado, com predomínio de montanha e planalto. • As temperaturas são, geralmente, mais baixas no inverno e mais altas no verão, principalmente no sul, onde o clima se caracteriza também por uma secura acentuada. • Relevo e clima influenciam os solos que, de modo geral, são mais pobres. • Menor acessibilidade natural. Fatores Físicos Serra da EstrelaAlentejoDouro vinhateiro Despovoamento do interior • fatores menos favoráveis… Interior: perda e envelhecimento da população… • menor desenvolvimento e menos oportunidades de trabalho e futuro… deve-se traduzem-se
  • 13. Distribuição da população portuguesa • Condições naturais menos propícias à agricultura e que, por vezes, dificultam a sua modernização. • Menor número de cidades e de áreas urbanas com menor dimensão; oferta de serviços menos diversificada e com pouca especialização. • Menor implantação da indústria e de atividades terciárias e, assim, menor oferta de emprego. • Redes e infraestruturas de transporte e comunicação menos densas e, muitas vezes, com fraca ligação às povoações dos territórios que atravessam. Fatores Humanos Marvão - AlentejoMonsanto – Castelo Branco
  • 14. Distribuição da população portuguesa A24 - ViseuDouro vinhateiro • o dinamismo económico de algumas cidades de média dimensão, como Viseu e Castelo Branco Êxodo rural associado à emigração… • levou ao progressivo despovoamento do interior Atualmente • alguns fatores atenuam a tendência de perda demográfica: • a valorização de áreas rurais, como o Alto Douro Vinhateiro, ou a área envolvente da barragem do Alqueva
  • 15. Congestionamentos de Trânsito Distribuição da população portuguesa Ribeira - Porto“Hora de Ponta” surgem problemas como: Problemas... Em muitas áreas urbanas do litoral… • excessiva concentração de pessoas e atividades económicas • ultrapassa a capacidade de carga humana • desordenamento do território • sobrelotação de equipamentos, infraestruturas e serviços • congestionamentos de trânsito • degradação ambiental Resíduos urbanosSem abrigo • desqualificação social e humana
  • 16. Distribuição da população portuguesa Agricultora idosaMonsantoIncêndio florestal Problemas que contribuem para a degradação do património natural e edificado no Interior:  No interior… • o abandono das áreas rurais é, simultaneamente, causa e efeito da fraca oferta de bens e serviços. • envelhecimento demográfico • despovoamento de muitas aldeias • abandono dos campos • falta de mão de obra para trabalhos de vigilância e proteção das florestas, etc.
  • 17. Assim, o planeamento nacional, regional e municipal é fundamental para a promoção, crescimento económico e para o desenvolvimento das regiões do interior, numa perspetiva sustentável, como: Soluções para atenuar a desigual distribuição da população no território Um interior mais atrativo, baseado na sua beleza paisagística, na valorização do recursos endógenos, no saber dos seus habitantes e no incremento de dinamismo económico e social, são aspetos fundamentais para reduzir as assimetrias regionais na repartição da população. a) a criação de serviços de apoio à população; b) a melhoria e aumento da rede de transportes;
  • 18. Assim, o planeamento nacional, regional e municipal é fundamental para a promoção, crescimento económico e para o desenvolvimento das regiões do interior, numa perspetiva sustentável, como: Soluções para atenuar a desigual distribuição da população no território c) a atribuição de incentivos à fixação de atividades económicas; d) a valorização dos recursos endógenos, promovendo, por exemplo, a produção de energia renovável e as atividades de lazer; e) a atribuição de incentivos à fixação da população jovem e com níveis de formação e qualificação profissional mais elevados.
  • 19. Distribuição da população portuguesa Desenvolvimento Sustentável Planeamento socioeconómico Ordenamento do Território  Processo contínuo e integrado de organização do espaço biofísico, visando a utilização do território de acordo com as suas capacidades e vocações.  Com vista ao desenvolvimento das atividades económicas e a melhoria da qualidade de vida, numa lógica de desenvolvimento sustentável.  Pressupõe a satisfação das necessidades do presente sem comprometer a capacidade de satisfação das gerações futuras, pela correta utilização e gestão dos recursos naturais. Possíveis soluções…
  • 20. • implementação de serviços de apoio à população, educação e qualificação da mão de obra - criação de parques industriais e tecnológicos e oferta de incentivos fiscais e financeiros, que atraiam investimento e gerem emprego, nas áreas do interior • desenvolvimento de atividades económicas, incluindo as que se associam à agricultura e valorizam potencialidades locais (artesanato, produtos tradicionais, proteção ambiental, etc.) Distribuição da população portuguesa Desenvolvimento sustentável A valorização de todos os recursos naturais e humanos e a redução das assimetrias • a efetiva melhoria das acessibilidades IMPLICA