SlideShare uma empresa Scribd logo
RUPTURA DISTAL DO TENDÃO
DO BÍCEPS
https://traumatologiaeortopedia.com.br/
Introdução
• É uma patologia incomum;
• A primeira descrição da avulsão distal do bíceps é
creditada a Starks, em 1843;
• O primeiro tratamento cirúrgico foi relatado por
Acquaviva em 1898;
• Menos de 200 casos de avulsão distal do bíceps foram
relatados na literatura até pouco tempo;
Ruptura Distal do Tendão do Bíceps
Introdução - Anatomia
• A inserção distal do bíceps se faz na face posterior da
tuberosidade radial;
• Existe uma bursa entre o tendão e a região anterior da
tuberosidade;
• A partir da porção medial do tendão, tem origem a
aponeurose bicipital;
• A aponeurose passa anterio a artéria braquial;
Ruptura Distal do Tendão do Bíceps
Introdução - Anatomia
Ruptura Distal do Tendão do Bíceps
cotovelo esquerdo
Introdução - Anatomia
Ruptura Distal do Tendão do Bíceps
cotovelo esquerdo
Introdução - Anatomia
Ruptura Distal do Tendão do Bíceps
braço direito
https://traumatologiaeortopedia.com.br/
Introdução - Funções
• Ações primárias:
- flexão do antebraço:
1. agonistas: braquial e braquiorradial;
2. antagonistas: tríceps e anconeo;
Ruptura Distal do Tendão do Bíceps
Introdução - Funções
• Ações secundárias:
- flexão do braço (no ombro):
1. agonistas: deltóide anterior, coracobraquial e
peitoral maior (cabeça clavicular);
2. antagonistas: deltóide posterior, cabeça longa do
tríceps, grande dorsal, peitoral maior (cabeça esternal)
e redondo maior;
Ruptura Distal do Tendão do Bíceps
Introdução - Funções
• Ações secundárias:
- supinação do antebraço:
1. agonistas: supinador;
2. antagonistas: pronador redondo e quadrado;
Ruptura Distal do Tendão do Bíceps
Introdução - Funções
• Ações secundárias:
- supinação do antebraço:
Com o cotovelo estendido a força de supinação do
bíceps é duas vezes mais forte que a do supinador.
Com o cotovelo fletido, essa força é ainda maior;
Ruptura Distal do Tendão do Bíceps
Introdução - Funções
Ruptura Distal do Tendão do Bíceps
Avaliação Clínica
• Mais comum em homens, entre a quarta e a sexta
décadas de vida;
• Idade média de 50 anos;
• 80% dos casos acometem membro dominante;
• Avulsão bilateral é extremamente rara, mas já foi
relatada;
Ruptura Distal do Tendão do Bíceps
Avaliação Clínica
• A avulsão ocorre normalmente durante uma elevação
forçada com o cotovelo flexionado a 90 graus;
• É resultado de uma contratura súbita ou prolongada do
bíceps contra uma resistência de alta carga;
• Na maioria dos casos um evento traumático é
reconhecido pelo paciente;
• Sintomas pré-ruptura ou pródromos são incomuns;
Ruptura Distal do Tendão do Bíceps
https://traumatologiaeortopedia.com.br/
Avaliação Clínica
Ruptura Distal do Tendão do Bíceps
Avaliação Clínica
• A ruptura se dá normalmente na inserção tendão-osso,
não permanecendo porção tendinosa na tuberosidade
passível de sutura (tenorrafia);
Ruptura Distal do Tendão do Bíceps
Avaliação Clínica
• Sinais de degeneração do tendão podem predispor a
rupturas;
• Alterações ósseas na tuberosidade (visualizadas ao R-
X) são incomuns, mas relatadas na literatura -
alterações degenerativas hipertróficas;
• Tais alterações ósseas poderiam levar a rupturas
durante a supinação e pronação;
Ruptura Distal do Tendão do Bíceps
Sinais Clínicos
• Quando ocorre a ruptura o paciente pode sentir um
estalido ou sensação de ruptura;
• Apresenta dor aguda na fossa cubital;
• Aumento da sensibilidade, edema e equimose de leve a
moderada;
• Em rupturas completas não se palpa a porção distal do
tendão;
• Pode haver deformidade aparente ao tentar-se
contração;
Ruptura Distal do Tendão do Bíceps
Sinais Clínicos
• O paciente ainda pode ser capaz de flexionar o
cotovelo às custas do braquial;
• Pode também supinar o antebraço através do
supinador;
• As forças de flexão e
supinação estarão
diminuídas;
Ruptura Distal do Tendão do Bíceps
Diagnóstico
• Estabelecido pela história e exame físico;
• A presença radiológica de fragmentos avulsionados na
tuberosidade é incomum;
• RNM pode ser útil quando o diagnóstico não está claro
(ruptura parcial e diag. ≠);
• Diagnóstico diferencial: tendinite bicipital, bursite,
tenossinovite, contusão do braquial e compressão do
nervo cutâneo lateral do antebraço  diferenciação
fácil quando ruptura é completa;
Ruptura Distal do Tendão do Bíceps
Tratamento
• É cirúrgico;
• Tratamento não-cirúrgico causa déficit de até 60% na
flexão do cotovelo e entre 65 a 85% na supinação;
• O objetivo é reestabelecimento da força de supinação e
flexão do antebraço e do cotovelo através do reparo
anatômico do tendão na tuberosidade radial;
• O tratamento pode trazer as funções tão próximas a
normalidade quando o reparo é feito dentro de até 2
semanas (> 95%);
Ruptura Distal do Tendão do Bíceps
https://traumatologiaeortopedia.com.br/
Tratamento
Boyd e Anderson (1961)
• Técnica de dupla incisão;
• Incisão transversal anterior (3-4cm) + localização do tendão +
sutura não-absorvível do mesmo (cuidar cutâneo lateral do
antebraço);
• Flexão do cotovelo e incisão póstero-lateral + dissecção junto ao
olécrano (proteção ao nervo radial – interósseo posterior);
• Pronação do antebraço + exposição da tuberosidade do rádio +
osteótomo para alçapão + 2 orifícios com broca;
• Passar os fios com posição em flexão;
Ruptura Distal do Tendão do Bíceps
Tratamento
Ruptura Distal do Tendão do Bíceps
Tratamento
Ruptura Distal do Tendão do Bíceps
Tratamento
Boyd e Anderson (1961)
• Técnica de dupla incisão;
• Parece estar mais relacionada a calcificação
heterotópica e sinostose radio-ulnar:
- evitar dissecção subperiostal da ulna;
- limpar debri ósseo;
- usar dreno para evitar hematomas;
• Menor risco de lesão neuro-vascular quando
comparada ao acesso único, anterior, de Henry;
Ruptura Distal do Tendão do Bíceps
Tratamento
Lintner e Fischer
• Incisão única anterior;
• Utilização de âncoras – exposição limitada;
• Sugerem minimização da lesão neurológica;
Ruptura Distal do Tendão do Bíceps
Pós-op. e Reabilitação
• Após reparo cirúrgico o cotovelo é imobilizado com 90
graus de flexão. A rotação pode ser neutra ou com
supinação moderada a total, dependendo do grau de
tensão do tendão;
• 8 semanas de proteção - imobilização (pop em geral);
• Atletas: 4 semanas de imobilização + 4 semanas com
splinting dinâmico;
Ruptura Distal do Tendão do Bíceps
Pós-op. e Reabilitação
• Programa de mobilização gradual mais ampla e
fortalecimento é iniciado com 6 a 8 semanas de pós-
operatório;
• O programa é seguido por exercícios de resistência
progressiva por 8 a 12 semanas;
• Não permitir movimentos de extrema força contra
resistência por 6 meses;
Ruptura Distal do Tendão do Bíceps
https://traumatologiaeortopedia.com.br/
Pós-op. e Reabilitação
• Retorno a capacidade de força máxima ocorre em 4 a 6
meses;
• Arco de movimento máximo é atingido em 6 meses;
• Retorno a esportes sem contato e sem máxima força de
resistência é permitido em 3 meses;
• Esportes de contato total e com força máxima são
liberados em 6 meses se o programa de reabilitação já
estiver no platô máximo;
Ruptura Distal do Tendão do Bíceps
Tratamento – Rupturas Crônicas
• Consideradas quando com 4 semanas ou mais;
• Dificuldade em levar o tendão até a tuberosidade;
• Risco aumentado de lesão do radial;
• Tratamento tem sido feito através da fixação do tendão
ao processo coronóide ou ao braquial;
• Fornece boa recuperação quanto a flexão;
• Enxerto de fáscia lata para reconstrução do tendão é
necessário para recuperação da supinação;
Ruptura Distal do Tendão do Bíceps
Tratamento – Rupturas Crônicas
Ruptura Distal do Tendão do Bíceps
https://traumatologiaeortopedia.com.br/
Bibliografia
Ruptura Distal do Tendão do Bíceps
DeLee and Drez's Orthopaedic Sports Medicine, 2nd ed.
Campbell`s Operative Orthopaedics, 10th ed.
https://traumatologiaeortopedia.com.br/

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Síndrome do Manguito Rotador
Síndrome do Manguito RotadorSíndrome do Manguito Rotador
Síndrome do Manguito Rotador
Omar Mohamad Abdallah
 
2014827 111116 lesao+ligamentar+joelho
2014827 111116 lesao+ligamentar+joelho2014827 111116 lesao+ligamentar+joelho
2014827 111116 lesao+ligamentar+joelho
Isabel Amarante
 
Aula de exame fisico do cotovelo e epicondilite
Aula de exame fisico do cotovelo e epicondiliteAula de exame fisico do cotovelo e epicondilite
Aula de exame fisico do cotovelo e epicondilite
Mauricio Fabiani
 
4ª e 5ª aula imobiização
4ª e 5ª aula   imobiização4ª e 5ª aula   imobiização
4ª e 5ª aula imobiização
Prof Silvio Rosa
 
Traumas dos Membros Inferiores
Traumas dos Membros InferioresTraumas dos Membros Inferiores
Traumas dos Membros Inferiores
Caio Gonçalves de Souza
 
Aula Balanço Ligamentar na Artroplastia Total do Joelho - Dr David Sadigursky
Aula Balanço Ligamentar na Artroplastia Total do Joelho - Dr David SadigurskyAula Balanço Ligamentar na Artroplastia Total do Joelho - Dr David Sadigursky
Aula Balanço Ligamentar na Artroplastia Total do Joelho - Dr David Sadigursky
David Sadigursky
 
Reconstrução do Ligamento Anterolateral
Reconstrução do Ligamento AnterolateralReconstrução do Ligamento Anterolateral
Reconstrução do Ligamento Anterolateral
David Sadigursky
 
Epicondilite lateral
Epicondilite lateralEpicondilite lateral
Epicondilite lateral
Ana Carolina Sousa
 
Osteocondrite de tornozelo
Osteocondrite de tornozeloOsteocondrite de tornozelo
Osteocondrite de tornozelo
Dr. Márcio Rogério Borges Silveira
 
Dor em membros inferiores
Dor em membros inferioresDor em membros inferiores
Dor em membros inferiores
Paulo Alambert
 
Fraturas Comuns do Antebraço
Fraturas Comuns do AntebraçoFraturas Comuns do Antebraço
Fraturas Comuns do Antebraço
Carlos Andrade
 
Exame Físico de Ombro
Exame Físico de Ombro Exame Físico de Ombro
Exame Físico de Ombro
Omar Mohamad Abdallah
 
Powerpoint trações
Powerpoint traçõesPowerpoint trações
Powerpoint trações
Tiago Barata
 
Capsulite adesiva
Capsulite adesivaCapsulite adesiva
Capsulite adesiva
Gilmar Roberto Batista
 
Trauma dos Membros Superiores
Trauma dos Membros SuperioresTrauma dos Membros Superiores
Trauma dos Membros Superiores
Caio Gonçalves de Souza
 
Tendinopatia do epicondilo lateral 19 10 2016
Tendinopatia do epicondilo lateral 19 10 2016Tendinopatia do epicondilo lateral 19 10 2016
Tendinopatia do epicondilo lateral 19 10 2016
Acqua Blue Fitnnes
 
Osgood – schlatter e condromalácia patelar
Osgood – schlatter e condromalácia patelarOsgood – schlatter e condromalácia patelar
Osgood – schlatter e condromalácia patelar
nikkisilva
 
Dor em membros inferiores
Dor em membros inferioresDor em membros inferiores
Dor em membros inferiores
pauloalambert
 
Avaliação da coluna lombar
Avaliação da coluna lombarAvaliação da coluna lombar
Avaliação da coluna lombar
Junio Alves
 
Traumatologia2
Traumatologia2Traumatologia2
Traumatologia2
Jane Meneszes
 

Mais procurados (20)

Síndrome do Manguito Rotador
Síndrome do Manguito RotadorSíndrome do Manguito Rotador
Síndrome do Manguito Rotador
 
2014827 111116 lesao+ligamentar+joelho
2014827 111116 lesao+ligamentar+joelho2014827 111116 lesao+ligamentar+joelho
2014827 111116 lesao+ligamentar+joelho
 
Aula de exame fisico do cotovelo e epicondilite
Aula de exame fisico do cotovelo e epicondiliteAula de exame fisico do cotovelo e epicondilite
Aula de exame fisico do cotovelo e epicondilite
 
4ª e 5ª aula imobiização
4ª e 5ª aula   imobiização4ª e 5ª aula   imobiização
4ª e 5ª aula imobiização
 
Traumas dos Membros Inferiores
Traumas dos Membros InferioresTraumas dos Membros Inferiores
Traumas dos Membros Inferiores
 
Aula Balanço Ligamentar na Artroplastia Total do Joelho - Dr David Sadigursky
Aula Balanço Ligamentar na Artroplastia Total do Joelho - Dr David SadigurskyAula Balanço Ligamentar na Artroplastia Total do Joelho - Dr David Sadigursky
Aula Balanço Ligamentar na Artroplastia Total do Joelho - Dr David Sadigursky
 
Reconstrução do Ligamento Anterolateral
Reconstrução do Ligamento AnterolateralReconstrução do Ligamento Anterolateral
Reconstrução do Ligamento Anterolateral
 
Epicondilite lateral
Epicondilite lateralEpicondilite lateral
Epicondilite lateral
 
Osteocondrite de tornozelo
Osteocondrite de tornozeloOsteocondrite de tornozelo
Osteocondrite de tornozelo
 
Dor em membros inferiores
Dor em membros inferioresDor em membros inferiores
Dor em membros inferiores
 
Fraturas Comuns do Antebraço
Fraturas Comuns do AntebraçoFraturas Comuns do Antebraço
Fraturas Comuns do Antebraço
 
Exame Físico de Ombro
Exame Físico de Ombro Exame Físico de Ombro
Exame Físico de Ombro
 
Powerpoint trações
Powerpoint traçõesPowerpoint trações
Powerpoint trações
 
Capsulite adesiva
Capsulite adesivaCapsulite adesiva
Capsulite adesiva
 
Trauma dos Membros Superiores
Trauma dos Membros SuperioresTrauma dos Membros Superiores
Trauma dos Membros Superiores
 
Tendinopatia do epicondilo lateral 19 10 2016
Tendinopatia do epicondilo lateral 19 10 2016Tendinopatia do epicondilo lateral 19 10 2016
Tendinopatia do epicondilo lateral 19 10 2016
 
Osgood – schlatter e condromalácia patelar
Osgood – schlatter e condromalácia patelarOsgood – schlatter e condromalácia patelar
Osgood – schlatter e condromalácia patelar
 
Dor em membros inferiores
Dor em membros inferioresDor em membros inferiores
Dor em membros inferiores
 
Avaliação da coluna lombar
Avaliação da coluna lombarAvaliação da coluna lombar
Avaliação da coluna lombar
 
Traumatologia2
Traumatologia2Traumatologia2
Traumatologia2
 

Semelhante a Ruptura distal do tendao do biceps

Alteração Biomecânica do Cotovelo
Alteração Biomecânica do CotoveloAlteração Biomecânica do Cotovelo
Alteração Biomecânica do Cotovelo
Welisson Porto
 
Ressonância de joelho compactado
Ressonância de joelho compactadoRessonância de joelho compactado
Ressonância de joelho compactado
Jiga Jose
 
Fisioterapia aplicada a traumato ortopedia e desporto i cap 8 patologias da c...
Fisioterapia aplicada a traumato ortopedia e desporto i cap 8 patologias da c...Fisioterapia aplicada a traumato ortopedia e desporto i cap 8 patologias da c...
Fisioterapia aplicada a traumato ortopedia e desporto i cap 8 patologias da c...
Helen Vieira
 
Lesao manguito e impacto
Lesao manguito e impactoLesao manguito e impacto
Lesao manguito e impacto
Dr. Márcio Rogério Borges Silveira
 
Vias-de-acesso-Quadril.ppt
Vias-de-acesso-Quadril.pptVias-de-acesso-Quadril.ppt
Vias-de-acesso-Quadril.ppt
WhiskaMontao
 
Fraturas diafisária de úmero
Fraturas diafisária de úmeroFraturas diafisária de úmero
Fraturas diafisária de úmero
Marcus Murata
 
Espondilite anquilosante da coluna vertebral
Espondilite anquilosante da coluna vertebralEspondilite anquilosante da coluna vertebral
Espondilite anquilosante da coluna vertebral
Dr. Márcio Rogério Borges Silveira
 
Escoliose
EscolioseEscoliose
Escoliose
Autómono
 
Coluna vertebral cinesiologia
Coluna vertebral cinesiologiaColuna vertebral cinesiologia
Coluna vertebral cinesiologia
Renata Oliveira
 
Praticas de imobilizações
Praticas de imobilizaçõesPraticas de imobilizações
Praticas de imobilizações
foconavida
 
Posicionamentos e transferências
Posicionamentos e transferênciasPosicionamentos e transferências
Posicionamentos e transferências
eccifafe
 
02 - Técnicas cirúrgicas de amputação.pdf
02 - Técnicas cirúrgicas de amputação.pdf02 - Técnicas cirúrgicas de amputação.pdf
02 - Técnicas cirúrgicas de amputação.pdf
Joaquim Henrique Lorenzetti Branco
 
Fraturas do femur distal
Fraturas do femur distalFraturas do femur distal
Fraturas do femur distal
Dr. Márcio Rogério Borges Silveira
 
Como tratar a condropatia patelo-femoral ?
Como tratar a condropatia patelo-femoral ?Como tratar a condropatia patelo-femoral ?
Como tratar a condropatia patelo-femoral ?
Lizandra Nunnes
 
Aula 10_Biomecanica e Cinesiologia ombro, cotovelo, punho e dedos - 3 horas.pdf
Aula 10_Biomecanica e Cinesiologia ombro, cotovelo, punho e dedos - 3 horas.pdfAula 10_Biomecanica e Cinesiologia ombro, cotovelo, punho e dedos - 3 horas.pdf
Aula 10_Biomecanica e Cinesiologia ombro, cotovelo, punho e dedos - 3 horas.pdf
ssuser7da808
 
Cotovelo
CotoveloCotovelo
pptx_20221211_210509_0000.pptx
pptx_20221211_210509_0000.pptxpptx_20221211_210509_0000.pptx
pptx_20221211_210509_0000.pptx
RanielyMatias1
 
67665124-Tendinite-Da-Pata-de-Ganso.pdf
67665124-Tendinite-Da-Pata-de-Ganso.pdf67665124-Tendinite-Da-Pata-de-Ganso.pdf
67665124-Tendinite-Da-Pata-de-Ganso.pdf
mennahen sylver
 
Tendinopatias do cotovelo
Tendinopatias do cotoveloTendinopatias do cotovelo
Tendinopatias do cotovelo
Dr. Márcio Rogério Borges Silveira
 
Cópia de amputação.pptxvfvfdvfvfvfvvvvvv
Cópia de amputação.pptxvfvfdvfvfvfvvvvvvCópia de amputação.pptxvfvfdvfvfvfvvvvvv
Cópia de amputação.pptxvfvfdvfvfvfvvvvvv
marianasouzanasc
 

Semelhante a Ruptura distal do tendao do biceps (20)

Alteração Biomecânica do Cotovelo
Alteração Biomecânica do CotoveloAlteração Biomecânica do Cotovelo
Alteração Biomecânica do Cotovelo
 
Ressonância de joelho compactado
Ressonância de joelho compactadoRessonância de joelho compactado
Ressonância de joelho compactado
 
Fisioterapia aplicada a traumato ortopedia e desporto i cap 8 patologias da c...
Fisioterapia aplicada a traumato ortopedia e desporto i cap 8 patologias da c...Fisioterapia aplicada a traumato ortopedia e desporto i cap 8 patologias da c...
Fisioterapia aplicada a traumato ortopedia e desporto i cap 8 patologias da c...
 
Lesao manguito e impacto
Lesao manguito e impactoLesao manguito e impacto
Lesao manguito e impacto
 
Vias-de-acesso-Quadril.ppt
Vias-de-acesso-Quadril.pptVias-de-acesso-Quadril.ppt
Vias-de-acesso-Quadril.ppt
 
Fraturas diafisária de úmero
Fraturas diafisária de úmeroFraturas diafisária de úmero
Fraturas diafisária de úmero
 
Espondilite anquilosante da coluna vertebral
Espondilite anquilosante da coluna vertebralEspondilite anquilosante da coluna vertebral
Espondilite anquilosante da coluna vertebral
 
Escoliose
EscolioseEscoliose
Escoliose
 
Coluna vertebral cinesiologia
Coluna vertebral cinesiologiaColuna vertebral cinesiologia
Coluna vertebral cinesiologia
 
Praticas de imobilizações
Praticas de imobilizaçõesPraticas de imobilizações
Praticas de imobilizações
 
Posicionamentos e transferências
Posicionamentos e transferênciasPosicionamentos e transferências
Posicionamentos e transferências
 
02 - Técnicas cirúrgicas de amputação.pdf
02 - Técnicas cirúrgicas de amputação.pdf02 - Técnicas cirúrgicas de amputação.pdf
02 - Técnicas cirúrgicas de amputação.pdf
 
Fraturas do femur distal
Fraturas do femur distalFraturas do femur distal
Fraturas do femur distal
 
Como tratar a condropatia patelo-femoral ?
Como tratar a condropatia patelo-femoral ?Como tratar a condropatia patelo-femoral ?
Como tratar a condropatia patelo-femoral ?
 
Aula 10_Biomecanica e Cinesiologia ombro, cotovelo, punho e dedos - 3 horas.pdf
Aula 10_Biomecanica e Cinesiologia ombro, cotovelo, punho e dedos - 3 horas.pdfAula 10_Biomecanica e Cinesiologia ombro, cotovelo, punho e dedos - 3 horas.pdf
Aula 10_Biomecanica e Cinesiologia ombro, cotovelo, punho e dedos - 3 horas.pdf
 
Cotovelo
CotoveloCotovelo
Cotovelo
 
pptx_20221211_210509_0000.pptx
pptx_20221211_210509_0000.pptxpptx_20221211_210509_0000.pptx
pptx_20221211_210509_0000.pptx
 
67665124-Tendinite-Da-Pata-de-Ganso.pdf
67665124-Tendinite-Da-Pata-de-Ganso.pdf67665124-Tendinite-Da-Pata-de-Ganso.pdf
67665124-Tendinite-Da-Pata-de-Ganso.pdf
 
Tendinopatias do cotovelo
Tendinopatias do cotoveloTendinopatias do cotovelo
Tendinopatias do cotovelo
 
Cópia de amputação.pptxvfvfdvfvfvfvvvvvv
Cópia de amputação.pptxvfvfdvfvfvfvvvvvvCópia de amputação.pptxvfvfdvfvfvfvvvvvv
Cópia de amputação.pptxvfvfdvfvfvfvvvvvv
 

Mais de Dr. Márcio Rogério Borges Silveira

Fascite plantar
Fascite plantarFascite plantar
Artrose quadril
Artrose quadrilArtrose quadril
Fratura transtrocanterica
Fratura transtrocantericaFratura transtrocanterica
Fratura transtrocanterica
Dr. Márcio Rogério Borges Silveira
 
Artroplastia pri ma ria do quadril
Artroplastia pri ma ria do quadrilArtroplastia pri ma ria do quadril
Artroplastia pri ma ria do quadril
Dr. Márcio Rogério Borges Silveira
 
Tendinite calcaria
Tendinite calcariaTendinite calcaria
Lesoes proximais do biceps
Lesoes proximais do bicepsLesoes proximais do biceps
Lesoes proximais do biceps
Dr. Márcio Rogério Borges Silveira
 
Luxacao gleno umeral aguda e inveterada
Luxacao gleno umeral aguda e inveteradaLuxacao gleno umeral aguda e inveterada
Luxacao gleno umeral aguda e inveterada
Dr. Márcio Rogério Borges Silveira
 
Lux aca o acromioclavicular
Lux aca o acromioclavicularLux aca o acromioclavicular
Lux aca o acromioclavicular
Dr. Márcio Rogério Borges Silveira
 
Fratura umero proximal
Fratura umero proximalFratura umero proximal
Fratura umero proximal
Dr. Márcio Rogério Borges Silveira
 
Fratura de clavicula
Fratura de claviculaFratura de clavicula
Capsulite adesiva
Capsulite adesivaCapsulite adesiva
Fratura radio distal
Fratura radio distalFratura radio distal
Fratura de diafise de femur
Fratura de diafise de femurFratura de diafise de femur
Fratura de diafise de femur
Dr. Márcio Rogério Borges Silveira
 
Fraturas diafisarias dos ossos da perna
Fraturas diafisarias dos ossos da pernaFraturas diafisarias dos ossos da perna
Fraturas diafisarias dos ossos da perna
Dr. Márcio Rogério Borges Silveira
 
Fratura diafisaria do umero
Fratura diafisaria do umeroFratura diafisaria do umero
Fratura diafisaria do umero
Dr. Márcio Rogério Borges Silveira
 
Fratura da cabeca do radio
Fratura da cabeca do radioFratura da cabeca do radio
Fratura da cabeca do radio
Dr. Márcio Rogério Borges Silveira
 
Artroplastia de joelho
Artroplastia de joelhoArtroplastia de joelho
Artroplastia de joelho
Dr. Márcio Rogério Borges Silveira
 
Fratura de patela
Fratura de patelaFratura de patela
Fraturas de tibia e fibula proximais
Fraturas de tibia e fibula proximaisFraturas de tibia e fibula proximais
Fraturas de tibia e fibula proximais
Dr. Márcio Rogério Borges Silveira
 
Patologia femuropatelar
Patologia femuropatelarPatologia femuropatelar
Patologia femuropatelar
Dr. Márcio Rogério Borges Silveira
 

Mais de Dr. Márcio Rogério Borges Silveira (20)

Fascite plantar
Fascite plantarFascite plantar
Fascite plantar
 
Artrose quadril
Artrose quadrilArtrose quadril
Artrose quadril
 
Fratura transtrocanterica
Fratura transtrocantericaFratura transtrocanterica
Fratura transtrocanterica
 
Artroplastia pri ma ria do quadril
Artroplastia pri ma ria do quadrilArtroplastia pri ma ria do quadril
Artroplastia pri ma ria do quadril
 
Tendinite calcaria
Tendinite calcariaTendinite calcaria
Tendinite calcaria
 
Lesoes proximais do biceps
Lesoes proximais do bicepsLesoes proximais do biceps
Lesoes proximais do biceps
 
Luxacao gleno umeral aguda e inveterada
Luxacao gleno umeral aguda e inveteradaLuxacao gleno umeral aguda e inveterada
Luxacao gleno umeral aguda e inveterada
 
Lux aca o acromioclavicular
Lux aca o acromioclavicularLux aca o acromioclavicular
Lux aca o acromioclavicular
 
Fratura umero proximal
Fratura umero proximalFratura umero proximal
Fratura umero proximal
 
Fratura de clavicula
Fratura de claviculaFratura de clavicula
Fratura de clavicula
 
Capsulite adesiva
Capsulite adesivaCapsulite adesiva
Capsulite adesiva
 
Fratura radio distal
Fratura radio distalFratura radio distal
Fratura radio distal
 
Fratura de diafise de femur
Fratura de diafise de femurFratura de diafise de femur
Fratura de diafise de femur
 
Fraturas diafisarias dos ossos da perna
Fraturas diafisarias dos ossos da pernaFraturas diafisarias dos ossos da perna
Fraturas diafisarias dos ossos da perna
 
Fratura diafisaria do umero
Fratura diafisaria do umeroFratura diafisaria do umero
Fratura diafisaria do umero
 
Fratura da cabeca do radio
Fratura da cabeca do radioFratura da cabeca do radio
Fratura da cabeca do radio
 
Artroplastia de joelho
Artroplastia de joelhoArtroplastia de joelho
Artroplastia de joelho
 
Fratura de patela
Fratura de patelaFratura de patela
Fratura de patela
 
Fraturas de tibia e fibula proximais
Fraturas de tibia e fibula proximaisFraturas de tibia e fibula proximais
Fraturas de tibia e fibula proximais
 
Patologia femuropatelar
Patologia femuropatelarPatologia femuropatelar
Patologia femuropatelar
 

Último

Diagnóstico de línga pela Medicina Tradicional Chinesa
Diagnóstico de línga pela Medicina Tradicional ChinesaDiagnóstico de línga pela Medicina Tradicional Chinesa
Diagnóstico de línga pela Medicina Tradicional Chinesa
Misael Rabelo de Martins Custódio
 
CORP SSMA PROC 01 Análise preliminar de riscos - APR revisada.docx
CORP SSMA PROC 01 Análise preliminar de riscos - APR revisada.docxCORP SSMA PROC 01 Análise preliminar de riscos - APR revisada.docx
CORP SSMA PROC 01 Análise preliminar de riscos - APR revisada.docx
bentosst
 
NUTRIÇÃO E DIETETICA APLICADA A ENFERMAGEM grau tecnico.pptx
NUTRIÇÃO E DIETETICA APLICADA A ENFERMAGEM grau tecnico.pptxNUTRIÇÃO E DIETETICA APLICADA A ENFERMAGEM grau tecnico.pptx
NUTRIÇÃO E DIETETICA APLICADA A ENFERMAGEM grau tecnico.pptx
RAILANELIMAGOMES
 
anomalias dentárias imaginologia odontologia
anomalias dentárias imaginologia odontologiaanomalias dentárias imaginologia odontologia
anomalias dentárias imaginologia odontologia
SmeladeOliveira1
 
ALOP-2020 revista de tratamiento odontopediatria.pdf
ALOP-2020 revista de tratamiento odontopediatria.pdfALOP-2020 revista de tratamiento odontopediatria.pdf
ALOP-2020 revista de tratamiento odontopediatria.pdf
DentiKi
 
Rejuvenescimento da Pele- Dicas e Tratamentos
Rejuvenescimento da Pele- Dicas e TratamentosRejuvenescimento da Pele- Dicas e Tratamentos
Rejuvenescimento da Pele- Dicas e Tratamentos
Werberth Ladislau Rodrigues da Silveira
 

Último (6)

Diagnóstico de línga pela Medicina Tradicional Chinesa
Diagnóstico de línga pela Medicina Tradicional ChinesaDiagnóstico de línga pela Medicina Tradicional Chinesa
Diagnóstico de línga pela Medicina Tradicional Chinesa
 
CORP SSMA PROC 01 Análise preliminar de riscos - APR revisada.docx
CORP SSMA PROC 01 Análise preliminar de riscos - APR revisada.docxCORP SSMA PROC 01 Análise preliminar de riscos - APR revisada.docx
CORP SSMA PROC 01 Análise preliminar de riscos - APR revisada.docx
 
NUTRIÇÃO E DIETETICA APLICADA A ENFERMAGEM grau tecnico.pptx
NUTRIÇÃO E DIETETICA APLICADA A ENFERMAGEM grau tecnico.pptxNUTRIÇÃO E DIETETICA APLICADA A ENFERMAGEM grau tecnico.pptx
NUTRIÇÃO E DIETETICA APLICADA A ENFERMAGEM grau tecnico.pptx
 
anomalias dentárias imaginologia odontologia
anomalias dentárias imaginologia odontologiaanomalias dentárias imaginologia odontologia
anomalias dentárias imaginologia odontologia
 
ALOP-2020 revista de tratamiento odontopediatria.pdf
ALOP-2020 revista de tratamiento odontopediatria.pdfALOP-2020 revista de tratamiento odontopediatria.pdf
ALOP-2020 revista de tratamiento odontopediatria.pdf
 
Rejuvenescimento da Pele- Dicas e Tratamentos
Rejuvenescimento da Pele- Dicas e TratamentosRejuvenescimento da Pele- Dicas e Tratamentos
Rejuvenescimento da Pele- Dicas e Tratamentos
 

Ruptura distal do tendao do biceps

  • 1. RUPTURA DISTAL DO TENDÃO DO BÍCEPS https://traumatologiaeortopedia.com.br/
  • 2. Introdução • É uma patologia incomum; • A primeira descrição da avulsão distal do bíceps é creditada a Starks, em 1843; • O primeiro tratamento cirúrgico foi relatado por Acquaviva em 1898; • Menos de 200 casos de avulsão distal do bíceps foram relatados na literatura até pouco tempo; Ruptura Distal do Tendão do Bíceps
  • 3. Introdução - Anatomia • A inserção distal do bíceps se faz na face posterior da tuberosidade radial; • Existe uma bursa entre o tendão e a região anterior da tuberosidade; • A partir da porção medial do tendão, tem origem a aponeurose bicipital; • A aponeurose passa anterio a artéria braquial; Ruptura Distal do Tendão do Bíceps
  • 4. Introdução - Anatomia Ruptura Distal do Tendão do Bíceps cotovelo esquerdo
  • 5. Introdução - Anatomia Ruptura Distal do Tendão do Bíceps cotovelo esquerdo
  • 6. Introdução - Anatomia Ruptura Distal do Tendão do Bíceps braço direito https://traumatologiaeortopedia.com.br/
  • 7. Introdução - Funções • Ações primárias: - flexão do antebraço: 1. agonistas: braquial e braquiorradial; 2. antagonistas: tríceps e anconeo; Ruptura Distal do Tendão do Bíceps
  • 8. Introdução - Funções • Ações secundárias: - flexão do braço (no ombro): 1. agonistas: deltóide anterior, coracobraquial e peitoral maior (cabeça clavicular); 2. antagonistas: deltóide posterior, cabeça longa do tríceps, grande dorsal, peitoral maior (cabeça esternal) e redondo maior; Ruptura Distal do Tendão do Bíceps
  • 9. Introdução - Funções • Ações secundárias: - supinação do antebraço: 1. agonistas: supinador; 2. antagonistas: pronador redondo e quadrado; Ruptura Distal do Tendão do Bíceps
  • 10. Introdução - Funções • Ações secundárias: - supinação do antebraço: Com o cotovelo estendido a força de supinação do bíceps é duas vezes mais forte que a do supinador. Com o cotovelo fletido, essa força é ainda maior; Ruptura Distal do Tendão do Bíceps
  • 11. Introdução - Funções Ruptura Distal do Tendão do Bíceps
  • 12. Avaliação Clínica • Mais comum em homens, entre a quarta e a sexta décadas de vida; • Idade média de 50 anos; • 80% dos casos acometem membro dominante; • Avulsão bilateral é extremamente rara, mas já foi relatada; Ruptura Distal do Tendão do Bíceps
  • 13. Avaliação Clínica • A avulsão ocorre normalmente durante uma elevação forçada com o cotovelo flexionado a 90 graus; • É resultado de uma contratura súbita ou prolongada do bíceps contra uma resistência de alta carga; • Na maioria dos casos um evento traumático é reconhecido pelo paciente; • Sintomas pré-ruptura ou pródromos são incomuns; Ruptura Distal do Tendão do Bíceps https://traumatologiaeortopedia.com.br/
  • 14. Avaliação Clínica Ruptura Distal do Tendão do Bíceps
  • 15. Avaliação Clínica • A ruptura se dá normalmente na inserção tendão-osso, não permanecendo porção tendinosa na tuberosidade passível de sutura (tenorrafia); Ruptura Distal do Tendão do Bíceps
  • 16. Avaliação Clínica • Sinais de degeneração do tendão podem predispor a rupturas; • Alterações ósseas na tuberosidade (visualizadas ao R- X) são incomuns, mas relatadas na literatura - alterações degenerativas hipertróficas; • Tais alterações ósseas poderiam levar a rupturas durante a supinação e pronação; Ruptura Distal do Tendão do Bíceps
  • 17. Sinais Clínicos • Quando ocorre a ruptura o paciente pode sentir um estalido ou sensação de ruptura; • Apresenta dor aguda na fossa cubital; • Aumento da sensibilidade, edema e equimose de leve a moderada; • Em rupturas completas não se palpa a porção distal do tendão; • Pode haver deformidade aparente ao tentar-se contração; Ruptura Distal do Tendão do Bíceps
  • 18. Sinais Clínicos • O paciente ainda pode ser capaz de flexionar o cotovelo às custas do braquial; • Pode também supinar o antebraço através do supinador; • As forças de flexão e supinação estarão diminuídas; Ruptura Distal do Tendão do Bíceps
  • 19. Diagnóstico • Estabelecido pela história e exame físico; • A presença radiológica de fragmentos avulsionados na tuberosidade é incomum; • RNM pode ser útil quando o diagnóstico não está claro (ruptura parcial e diag. ≠); • Diagnóstico diferencial: tendinite bicipital, bursite, tenossinovite, contusão do braquial e compressão do nervo cutâneo lateral do antebraço  diferenciação fácil quando ruptura é completa; Ruptura Distal do Tendão do Bíceps
  • 20. Tratamento • É cirúrgico; • Tratamento não-cirúrgico causa déficit de até 60% na flexão do cotovelo e entre 65 a 85% na supinação; • O objetivo é reestabelecimento da força de supinação e flexão do antebraço e do cotovelo através do reparo anatômico do tendão na tuberosidade radial; • O tratamento pode trazer as funções tão próximas a normalidade quando o reparo é feito dentro de até 2 semanas (> 95%); Ruptura Distal do Tendão do Bíceps https://traumatologiaeortopedia.com.br/
  • 21. Tratamento Boyd e Anderson (1961) • Técnica de dupla incisão; • Incisão transversal anterior (3-4cm) + localização do tendão + sutura não-absorvível do mesmo (cuidar cutâneo lateral do antebraço); • Flexão do cotovelo e incisão póstero-lateral + dissecção junto ao olécrano (proteção ao nervo radial – interósseo posterior); • Pronação do antebraço + exposição da tuberosidade do rádio + osteótomo para alçapão + 2 orifícios com broca; • Passar os fios com posição em flexão; Ruptura Distal do Tendão do Bíceps
  • 22. Tratamento Ruptura Distal do Tendão do Bíceps
  • 23. Tratamento Ruptura Distal do Tendão do Bíceps
  • 24. Tratamento Boyd e Anderson (1961) • Técnica de dupla incisão; • Parece estar mais relacionada a calcificação heterotópica e sinostose radio-ulnar: - evitar dissecção subperiostal da ulna; - limpar debri ósseo; - usar dreno para evitar hematomas; • Menor risco de lesão neuro-vascular quando comparada ao acesso único, anterior, de Henry; Ruptura Distal do Tendão do Bíceps
  • 25. Tratamento Lintner e Fischer • Incisão única anterior; • Utilização de âncoras – exposição limitada; • Sugerem minimização da lesão neurológica; Ruptura Distal do Tendão do Bíceps
  • 26. Pós-op. e Reabilitação • Após reparo cirúrgico o cotovelo é imobilizado com 90 graus de flexão. A rotação pode ser neutra ou com supinação moderada a total, dependendo do grau de tensão do tendão; • 8 semanas de proteção - imobilização (pop em geral); • Atletas: 4 semanas de imobilização + 4 semanas com splinting dinâmico; Ruptura Distal do Tendão do Bíceps
  • 27. Pós-op. e Reabilitação • Programa de mobilização gradual mais ampla e fortalecimento é iniciado com 6 a 8 semanas de pós- operatório; • O programa é seguido por exercícios de resistência progressiva por 8 a 12 semanas; • Não permitir movimentos de extrema força contra resistência por 6 meses; Ruptura Distal do Tendão do Bíceps https://traumatologiaeortopedia.com.br/
  • 28. Pós-op. e Reabilitação • Retorno a capacidade de força máxima ocorre em 4 a 6 meses; • Arco de movimento máximo é atingido em 6 meses; • Retorno a esportes sem contato e sem máxima força de resistência é permitido em 3 meses; • Esportes de contato total e com força máxima são liberados em 6 meses se o programa de reabilitação já estiver no platô máximo; Ruptura Distal do Tendão do Bíceps
  • 29. Tratamento – Rupturas Crônicas • Consideradas quando com 4 semanas ou mais; • Dificuldade em levar o tendão até a tuberosidade; • Risco aumentado de lesão do radial; • Tratamento tem sido feito através da fixação do tendão ao processo coronóide ou ao braquial; • Fornece boa recuperação quanto a flexão; • Enxerto de fáscia lata para reconstrução do tendão é necessário para recuperação da supinação; Ruptura Distal do Tendão do Bíceps
  • 30. Tratamento – Rupturas Crônicas Ruptura Distal do Tendão do Bíceps https://traumatologiaeortopedia.com.br/
  • 31. Bibliografia Ruptura Distal do Tendão do Bíceps DeLee and Drez's Orthopaedic Sports Medicine, 2nd ed. Campbell`s Operative Orthopaedics, 10th ed. https://traumatologiaeortopedia.com.br/