SlideShare uma empresa Scribd logo
REFERENCIAL
CURRICULAR
NACIONAL PARA A
EDUCAÇÃO INFANTIL
MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E DO DESPORTO
SECRETARIA DE EDUCAÇÃO FUNDAMENTAL
DEPARTAMENTO DE POLÍTICA DA EDUCAÇÃO FUNDAMENTAL
COORDENAÇÃO GERAL DE EDUCAÇÃO INFANTIL
Brasília/1998
Introdução
Características do RECNEI
Algumas considerações sobre creches e pré-escolas
A criança
Educar
O professor de educação infantil
Organização do Referencial Curricular Nacional para a educação
infantil
Objetivos gerais da educação infantil
A instituição e o projeto educativo
Estrutura do Referencial Curricular Nacional para a Educação
Infantil Bibliografia
CRIANÇA
 A concepção de criança é uma noção historicamente construída
e conseqüentemente vem mudando ao longo dos tempos, não
se apresentando de forma homogênea nem mesmo no interior
de uma mesma sociedade e época. Assim é possível que, por
exemplo, em uma mesma cidade existam diferentes maneiras
de se considerar as crianças pequenas dependendo da classe
social a qual pertencem, do grupo étnico do qual fazem parte.
Boa parte das crianças pequenas brasileiras enfrentam um
cotidiano bastante adverso que as conduz desde muito cedo a
precárias condições de vida e ao trabalho infantil, ao abuso e
exploração por parte de adultos. Outras crianças são protegidas
de todas as maneiras, recebendo de suas famílias e da
sociedade em geral todos os cuidados necessários ao seu
desenvolvimento. Essa dualidade revela a contradição e conflito
de uma sociedade que não resolveu ainda as grandes
desigualdades sociais presentes no cotidiano.
EDUCAR
 Educar significa, portanto, propiciar situações de cuidados,
brincadeiras e aprendizagens orientadas de forma integrada
e que possam contribuir para o desenvolvimento das
capacidades infantis de relação interpessoal, de ser e estar
com os outros em uma atitude básica de aceitação, respeito
e confiança, e o acesso, pelas crianças, aos conhecimentos
mais amplos da realidade social e cultural. Neste processo, a
educação poderá auxiliar o desenvolvimento das
capacidades de apropriação e conhecimento das
potencialidades corporais, afetivas, emocionais, estéticas e
éticas, na perspectiva de contribuir para a formação de
crianças felizes e saudáveis.
CUIDAR
 A base do cuidado humano é compreender como ajudar o outro a
se desenvolver como ser humano. Cuidar significa valorizar e
ajudar a desenvolver capacidades. O cuidado é um ato em relação
ao outro e a si próprio que possui uma dimensão expressiva e
implica em procedimentos específicos.
 O desenvolvimento integral depende tanto dos cuidados
relacionais, que envolvem a dimensão afetiva e dos cuidados com
os aspectos biológicos do corpo, como a qualidade da
alimentação e dos cuidados com a saúde, quanto da forma como
esses cuidados são oferecidos e das oportunidades de acesso a
conhecimentos variados.
BRINCAR
 No ato de brincar, os sinais, os gestos, os objetos e os espaços valem e
significam outra coisa daquilo que aparentam ser. Ao brincar as crianças
recriam e repensam os acontecimentos que lhes deram origem, sabendo
que estão brincando. A brincadeira é uma linguagem infantil que mantém
um vínculo essencial com aquilo que é o “não-brincar”.
 Se a brincadeira é uma ação que ocorre no plano da imaginação isto
implica que aquele que brinca tenha o domínio da linguagem simbólica.
Isto quer dizer que é preciso haver consciência da diferença existente
entre a brincadeira e a realidade imediata que lhe forneceu conteúdo
para realizar-se. Nesse sentido, para brincar é preciso apropriar-se de
elementos da realidade imediata de tal forma a atribuir-lhes novos
significados. Essa peculiaridade da brincadeira ocorre por meio da
articulação entre a imaginação e a imitação da realidade. Toda
brincadeira é uma imitação transformada, no plano das emoções e das
idéias, de uma realidade anteriormente vivenciada.
Aprender em situações orientadas
 A organização de situações de aprendizagens
orientadas ou que dependem de uma intervenção
direta do professor permite que as crianças trabalhem
com diversos conhecimentos. Estas aprendizagens
devem estar baseadas não apenas nas propostas dos
professores, mas, essencialmente, na escuta das
crianças e na compreensão do papel que
desempenham a experimentação e o erro na
construção do conhecimento. (ou ‘erro construtivo’)
O ERRO COMO PROCESSO DE
APRENDIZAGEM
 O erro construtivo tem uma função primordial no
processo cognitivo. Neste processo, a criança elabora
hipóteses que se apóiam em soluções próprias,
particulares e provisórias para resolver problemas, por
meio de aproximações sucessivas ao conceito
cientificamente considerado. Nem todo erro cometido
pelas crianças pode ser considerado erro construtivo,
ele só faz sentido em um processo de elaboração
cognitiva.
Para que as aprendizagens infantis ocorram com
sucesso, é preciso que o professor considere,
na organização do trabalho educativo:
 a interação com crianças da mesma idade e de idades diferentes
em situações diversas como fator de promoção da aprendizagem
e do desenvolvimento e da capacidade de relacionar-se;
 os conhecimentos prévios de qualquer natureza, que as crianças
já possuem sobre o assunto, já que elas aprendem por meio de
uma construção interna ao relacionar suas idéias com as novas
informações de que dispõem e com as interações que
estabelece;
 a individualidade e a diversidade;
 o grau de desafio que as atividades apresentam e o fato de que
devam ser significativas e apresentadas de maneira integrada
para as crianças e o mais próximas possíveis das práticas
sociais reais;
 a resolução de problemas como forma de aprendizagem.
INTERAÇÃO
 A interação social em situações diversas é uma das estratégias
mais importantes do professor para a promoção de
aprendizagens pelas crianças. Assim, cabe ao professor
propiciar situações de conversa, brincadeiras ou de
aprendizagens orientadas que garantam a troca entre as
crianças, de forma a que possam comunicar-se e expressar-se,
demonstrando seus modos de agir, de pensar e de sentir, em
um ambiente acolhedor e que propicie a confiança e a auto-
estima.
 A interação permite que se crie uma situação de ajuda na qual
as crianças avancem no seu processo de aprendizagem.
DIVERSIDADE E
INDIVIDUALIDADE
 Considerar que as crianças são diferentes entre si, implica
propiciar uma educação baseada em condições de
aprendizagem que respeitem suas necessidades e ritmos
individuais, visando a ampliar e a enriquecer as capacidades de
cada criança, considerando-as como pessoas singulares e com
características próprias. Individualizar a educação infantil, ao
contrário do que se poderia supor, não é marcar e estigmatizar
as crianças pelo que diferem, mas levar em conta suas
singularidades, respeitando-as e valorizando-as como fator de
enriquecimento pessoal e cultural.
APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA
E CONHECIMENTOS PRÉVIOS
 Os assuntos trabalhados com as crianças devem
guardar relações específicas com os níveis de
desenvolvimento das crianças em cada grupo e faixa
etária e, também, respeitar e propiciar a amplitude
das mais diversas experiências em relação aos eixos
de trabalho propostos.
RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS
 Nas situações de aprendizagem o problema
adquire um sentido importante quando as
crianças buscam soluções e discutem-nas
com as outras crianças. Não se trata de
situações que permitam “aplicar” o que já se
sabe, mas sim daquelas que possibilitam
produzir novos conhecimentos a partir
dos que já se tem e em interação com
novos desafios.
PROXIMIDADE COM AS
PRÁTICAS SOCIAIS REAIS
 A prática educativa deve buscar situações de
aprendizagens que reproduzam
 contextos cotidianos nos quais, por exemplo,
escrever, contar, ler, desenhar, procurar uma
 informação etc. tenha uma função real. Isto é,
escreve-se para guardar uma informação,
 para enviar uma mensagem, contam-se
tampinhas para fazer uma coleção etc.
EDUCAR CRIANÇAS COM
NECESSIDADES ESPECIAIS
 Os avanços no pensamento sociológico, filosófico e
legal vêm exigindo, por parte do sistema educacional
brasileiro, o abandono de práticas segregacionistas
que, ao longo da história, marginalizaram e
estigmatizaram pessoas com diferenças individuais
acentuadas. A LDB, no seu capítulo V, Da Educação
Especial, parágrafo 3º, determina que:
“A oferta de educação especial, dever constitucional do
Estado, tem início na faixa etária de zero a seis anos,
durante a educação infantil”.
A qualidade do processo de integração depende da
estrutura organizacional da instituição, pressupondo
propostas que considerem:
 grau de deficiência e as
potencialidades de cada
criança;
 idade cronológica;
 disponibilidade de recursos
humanos e materiais
existentes na comunidade;
 condições socioeconômicas
e culturais da região;
 estágio de desenvolvimento
dos serviços de educação
especial já implantado nas
unidades federadas.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Concepção de infância ao longo da história
Concepção de infância ao longo da históriaConcepção de infância ao longo da história
Concepção de infância ao longo da história
Lílian Reis
 
Interdisciplinaridade
InterdisciplinaridadeInterdisciplinaridade
Interdisciplinaridade
Gerdian Teixeira
 
Projeto.doc teatro na ed. infantil
Projeto.doc teatro na ed. infantilProjeto.doc teatro na ed. infantil
Projeto.doc teatro na ed. infantil
Cecília Alcântara
 
Formação continuada de professores.
Formação continuada de professores.Formação continuada de professores.
Formação continuada de professores.
Magda Marques
 
Brinquedoteca
BrinquedotecaBrinquedoteca
Brinquedoteca
Rafael Oliveira
 
Slide ludicidade
Slide ludicidadeSlide ludicidade
Slide ludicidade
Gislaine
 
Histórico Ed Infantil
Histórico Ed InfantilHistórico Ed Infantil
Histórico Ed Infantil
Maria Bárbara Floriano
 
Oficina formação de leitores
Oficina formação de leitoresOficina formação de leitores
Oficina formação de leitores
Glauco Roberto Bertucci
 
Literatura Infantil Slides
Literatura Infantil   SlidesLiteratura Infantil   Slides
Literatura Infantil Slides
estercotrim
 
Tendências pedagógicas
Tendências pedagógicasTendências pedagógicas
Tendências pedagógicas
Antonio Futuro
 
Concepçâo de infancia
Concepçâo de infanciaConcepçâo de infancia
Concepçâo de infancia
Jaisna Luara
 
A história da criança no brasil
A história da criança no brasilA história da criança no brasil
A história da criança no brasil
Daniele Rubim
 
Currículo escolar
Currículo escolarCurrículo escolar
Literatura infantil-juvenil
Literatura infantil-juvenilLiteratura infantil-juvenil
Literatura infantil-juvenil
Susanne Messias
 
Sarau cultural (1)
Sarau cultural (1)Sarau cultural (1)
Sarau cultural (1)
Suelly Francisco
 
4. infâncias e suas linguagens
4. infâncias e suas linguagens4. infâncias e suas linguagens
4. infâncias e suas linguagens
Ulisses Vakirtzis
 
Brincadeiras e jogos na educação infantil 2
Brincadeiras e jogos na educação infantil 2Brincadeiras e jogos na educação infantil 2
Brincadeiras e jogos na educação infantil 2
Selma Regina Costa
 
O filme "Entre os muros da escola": teatro da incompetência de um professor
O filme "Entre os muros da escola": teatro da incompetência de um professorO filme "Entre os muros da escola": teatro da incompetência de um professor
O filme "Entre os muros da escola": teatro da incompetência de um professor
Flavio Farah
 
LUDICIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTIL
LUDICIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTILLUDICIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTIL
LUDICIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTIL
ritagatti
 
CriançA e o Faz De Conta
CriançA e o Faz De ContaCriançA e o Faz De Conta
CriançA e o Faz De Conta
marlene_herter
 

Mais procurados (20)

Concepção de infância ao longo da história
Concepção de infância ao longo da históriaConcepção de infância ao longo da história
Concepção de infância ao longo da história
 
Interdisciplinaridade
InterdisciplinaridadeInterdisciplinaridade
Interdisciplinaridade
 
Projeto.doc teatro na ed. infantil
Projeto.doc teatro na ed. infantilProjeto.doc teatro na ed. infantil
Projeto.doc teatro na ed. infantil
 
Formação continuada de professores.
Formação continuada de professores.Formação continuada de professores.
Formação continuada de professores.
 
Brinquedoteca
BrinquedotecaBrinquedoteca
Brinquedoteca
 
Slide ludicidade
Slide ludicidadeSlide ludicidade
Slide ludicidade
 
Histórico Ed Infantil
Histórico Ed InfantilHistórico Ed Infantil
Histórico Ed Infantil
 
Oficina formação de leitores
Oficina formação de leitoresOficina formação de leitores
Oficina formação de leitores
 
Literatura Infantil Slides
Literatura Infantil   SlidesLiteratura Infantil   Slides
Literatura Infantil Slides
 
Tendências pedagógicas
Tendências pedagógicasTendências pedagógicas
Tendências pedagógicas
 
Concepçâo de infancia
Concepçâo de infanciaConcepçâo de infancia
Concepçâo de infancia
 
A história da criança no brasil
A história da criança no brasilA história da criança no brasil
A história da criança no brasil
 
Currículo escolar
Currículo escolarCurrículo escolar
Currículo escolar
 
Literatura infantil-juvenil
Literatura infantil-juvenilLiteratura infantil-juvenil
Literatura infantil-juvenil
 
Sarau cultural (1)
Sarau cultural (1)Sarau cultural (1)
Sarau cultural (1)
 
4. infâncias e suas linguagens
4. infâncias e suas linguagens4. infâncias e suas linguagens
4. infâncias e suas linguagens
 
Brincadeiras e jogos na educação infantil 2
Brincadeiras e jogos na educação infantil 2Brincadeiras e jogos na educação infantil 2
Brincadeiras e jogos na educação infantil 2
 
O filme "Entre os muros da escola": teatro da incompetência de um professor
O filme "Entre os muros da escola": teatro da incompetência de um professorO filme "Entre os muros da escola": teatro da incompetência de um professor
O filme "Entre os muros da escola": teatro da incompetência de um professor
 
LUDICIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTIL
LUDICIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTILLUDICIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTIL
LUDICIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTIL
 
CriançA e o Faz De Conta
CriançA e o Faz De ContaCriançA e o Faz De Conta
CriançA e o Faz De Conta
 

Destaque

EDUCAR, CUIDAR E BRINCAR A PARTIR DO REFERENCIAL CURRICULAR NACIONAL PARA A E...
EDUCAR, CUIDAR E BRINCAR A PARTIR DO REFERENCIAL CURRICULAR NACIONAL PARA A E...EDUCAR, CUIDAR E BRINCAR A PARTIR DO REFERENCIAL CURRICULAR NACIONAL PARA A E...
EDUCAR, CUIDAR E BRINCAR A PARTIR DO REFERENCIAL CURRICULAR NACIONAL PARA A E...
Silvia Marina Anaruma
 
Com quantos Cs se constrói uma igreja - Cuidado
Com quantos Cs se constrói uma igreja - CuidadoCom quantos Cs se constrói uma igreja - Cuidado
Com quantos Cs se constrói uma igreja - Cuidado
Clinton César
 
Educação Infantil
Educação InfantilEducação Infantil
Educação Infantil
marlene_herter
 
Fundamentos e metodologia da educação infantil
Fundamentos e metodologia da educação infantilFundamentos e metodologia da educação infantil
Fundamentos e metodologia da educação infantil
mirafontela
 
Diretrizes Curriculares Nacionais Para a Educação Infantil
Diretrizes Curriculares Nacionais Para a Educação InfantilDiretrizes Curriculares Nacionais Para a Educação Infantil
Diretrizes Curriculares Nacionais Para a Educação Infantil
Camila Coelho
 
Metodologia da educação infantil
Metodologia da educação infantilMetodologia da educação infantil
Metodologia da educação infantil
Marília Bogéa
 
Questoes com gabarito de fundamentos e metodos da educacao infantil
Questoes com gabarito de fundamentos e metodos da educacao infantilQuestoes com gabarito de fundamentos e metodos da educacao infantil
Questoes com gabarito de fundamentos e metodos da educacao infantil
Leila Bezerra
 
Brinquedos e brincadeiras na educação infantil
Brinquedos e brincadeiras na educação infantilBrinquedos e brincadeiras na educação infantil
Brinquedos e brincadeiras na educação infantil
SimoneHelenDrumond
 
O lúdico jogos brinquedos e brincadeiras na construção do processo de aprend...
O lúdico  jogos brinquedos e brincadeiras na construção do processo de aprend...O lúdico  jogos brinquedos e brincadeiras na construção do processo de aprend...
O lúdico jogos brinquedos e brincadeiras na construção do processo de aprend...
SimoneHelenDrumond
 
EDUCAÇÃO INFANTIL
EDUCAÇÃO INFANTILEDUCAÇÃO INFANTIL
EDUCAÇÃO INFANTIL
Roshelly Milanez
 
A RepresentaçãO Social De Professor Da EducaçãO Infantil
A RepresentaçãO Social De Professor Da EducaçãO InfantilA RepresentaçãO Social De Professor Da EducaçãO Infantil
A RepresentaçãO Social De Professor Da EducaçãO Infantil
guest9af8f23
 
Arquivo Fotográfico - ORGANIZAÇÃO DE ESPAÇOS NA EDUCAÇÃO INFANTIL
Arquivo Fotográfico - ORGANIZAÇÃO DE ESPAÇOS NA EDUCAÇÃO INFANTILArquivo Fotográfico - ORGANIZAÇÃO DE ESPAÇOS NA EDUCAÇÃO INFANTIL
Arquivo Fotográfico - ORGANIZAÇÃO DE ESPAÇOS NA EDUCAÇÃO INFANTIL
felipehistory
 
Diretrizes Curriculares Nacionais para a EI
Diretrizes Curriculares Nacionais para a EIDiretrizes Curriculares Nacionais para a EI
Diretrizes Curriculares Nacionais para a EI
ProinfanciaES
 
Arte e educação (3)
Arte e educação (3)Arte e educação (3)
Arte e educação (3)
Edna Sales Santos
 
Juntos construímos!
Juntos construímos!Juntos construímos!
Juntos construímos!
Luziete Leite
 
Ldb nascente
Ldb nascenteLdb nascente
Ldb nascente
Leonarda Macedo
 
Slides rcnei 05052014
Slides rcnei 05052014Slides rcnei 05052014
Slides rcnei 05052014
João Alberto
 
Cartilha de Eco-Brinquedos
Cartilha de Eco-BrinquedosCartilha de Eco-Brinquedos
Cartilha de Eco-Brinquedos
Tamanduá Sem Bandeira
 
Projeto lixo no lixo
Projeto lixo no lixo  Projeto lixo no lixo
Projeto lixo no lixo
Beatriz Sayuri
 
Diretrizes%20 Curriculares%20 Nacionais%20para%20a%20 Educacao%20 Infantil[1]...
Diretrizes%20 Curriculares%20 Nacionais%20para%20a%20 Educacao%20 Infantil[1]...Diretrizes%20 Curriculares%20 Nacionais%20para%20a%20 Educacao%20 Infantil[1]...
Diretrizes%20 Curriculares%20 Nacionais%20para%20a%20 Educacao%20 Infantil[1]...
Miriam Camargo
 

Destaque (20)

EDUCAR, CUIDAR E BRINCAR A PARTIR DO REFERENCIAL CURRICULAR NACIONAL PARA A E...
EDUCAR, CUIDAR E BRINCAR A PARTIR DO REFERENCIAL CURRICULAR NACIONAL PARA A E...EDUCAR, CUIDAR E BRINCAR A PARTIR DO REFERENCIAL CURRICULAR NACIONAL PARA A E...
EDUCAR, CUIDAR E BRINCAR A PARTIR DO REFERENCIAL CURRICULAR NACIONAL PARA A E...
 
Com quantos Cs se constrói uma igreja - Cuidado
Com quantos Cs se constrói uma igreja - CuidadoCom quantos Cs se constrói uma igreja - Cuidado
Com quantos Cs se constrói uma igreja - Cuidado
 
Educação Infantil
Educação InfantilEducação Infantil
Educação Infantil
 
Fundamentos e metodologia da educação infantil
Fundamentos e metodologia da educação infantilFundamentos e metodologia da educação infantil
Fundamentos e metodologia da educação infantil
 
Diretrizes Curriculares Nacionais Para a Educação Infantil
Diretrizes Curriculares Nacionais Para a Educação InfantilDiretrizes Curriculares Nacionais Para a Educação Infantil
Diretrizes Curriculares Nacionais Para a Educação Infantil
 
Metodologia da educação infantil
Metodologia da educação infantilMetodologia da educação infantil
Metodologia da educação infantil
 
Questoes com gabarito de fundamentos e metodos da educacao infantil
Questoes com gabarito de fundamentos e metodos da educacao infantilQuestoes com gabarito de fundamentos e metodos da educacao infantil
Questoes com gabarito de fundamentos e metodos da educacao infantil
 
Brinquedos e brincadeiras na educação infantil
Brinquedos e brincadeiras na educação infantilBrinquedos e brincadeiras na educação infantil
Brinquedos e brincadeiras na educação infantil
 
O lúdico jogos brinquedos e brincadeiras na construção do processo de aprend...
O lúdico  jogos brinquedos e brincadeiras na construção do processo de aprend...O lúdico  jogos brinquedos e brincadeiras na construção do processo de aprend...
O lúdico jogos brinquedos e brincadeiras na construção do processo de aprend...
 
EDUCAÇÃO INFANTIL
EDUCAÇÃO INFANTILEDUCAÇÃO INFANTIL
EDUCAÇÃO INFANTIL
 
A RepresentaçãO Social De Professor Da EducaçãO Infantil
A RepresentaçãO Social De Professor Da EducaçãO InfantilA RepresentaçãO Social De Professor Da EducaçãO Infantil
A RepresentaçãO Social De Professor Da EducaçãO Infantil
 
Arquivo Fotográfico - ORGANIZAÇÃO DE ESPAÇOS NA EDUCAÇÃO INFANTIL
Arquivo Fotográfico - ORGANIZAÇÃO DE ESPAÇOS NA EDUCAÇÃO INFANTILArquivo Fotográfico - ORGANIZAÇÃO DE ESPAÇOS NA EDUCAÇÃO INFANTIL
Arquivo Fotográfico - ORGANIZAÇÃO DE ESPAÇOS NA EDUCAÇÃO INFANTIL
 
Diretrizes Curriculares Nacionais para a EI
Diretrizes Curriculares Nacionais para a EIDiretrizes Curriculares Nacionais para a EI
Diretrizes Curriculares Nacionais para a EI
 
Arte e educação (3)
Arte e educação (3)Arte e educação (3)
Arte e educação (3)
 
Juntos construímos!
Juntos construímos!Juntos construímos!
Juntos construímos!
 
Ldb nascente
Ldb nascenteLdb nascente
Ldb nascente
 
Slides rcnei 05052014
Slides rcnei 05052014Slides rcnei 05052014
Slides rcnei 05052014
 
Cartilha de Eco-Brinquedos
Cartilha de Eco-BrinquedosCartilha de Eco-Brinquedos
Cartilha de Eco-Brinquedos
 
Projeto lixo no lixo
Projeto lixo no lixo  Projeto lixo no lixo
Projeto lixo no lixo
 
Diretrizes%20 Curriculares%20 Nacionais%20para%20a%20 Educacao%20 Infantil[1]...
Diretrizes%20 Curriculares%20 Nacionais%20para%20a%20 Educacao%20 Infantil[1]...Diretrizes%20 Curriculares%20 Nacionais%20para%20a%20 Educacao%20 Infantil[1]...
Diretrizes%20 Curriculares%20 Nacionais%20para%20a%20 Educacao%20 Infantil[1]...
 

Semelhante a Recnei ed. inf.

RCNEI.pdf
RCNEI.pdfRCNEI.pdf
RCNEI.pdf
karlliny martins
 
O Cotidiano Da EducaçãO Infantil
O Cotidiano Da EducaçãO InfantilO Cotidiano Da EducaçãO Infantil
O Cotidiano Da EducaçãO Infantil
marlene_herter
 
Educação infantil
Educação infantilEducação infantil
Educação infantil
Rosinara Azeredo
 
21655835 a-indissociabilidade-entre-educar-cuidar-e-brincar
21655835 a-indissociabilidade-entre-educar-cuidar-e-brincar21655835 a-indissociabilidade-entre-educar-cuidar-e-brincar
21655835 a-indissociabilidade-entre-educar-cuidar-e-brincar
Eduardo Lopes
 
Educação infantil referencias curriculares.pptx
Educação infantil referencias curriculares.pptxEducação infantil referencias curriculares.pptx
Educação infantil referencias curriculares.pptx
AbimaelsonSantos
 
Investigação do currículo na escola da educação infantil.
Investigação do currículo na escola da educação infantil.Investigação do currículo na escola da educação infantil.
Investigação do currículo na escola da educação infantil.
SimoneHelenDrumond
 
Oppi
OppiOppi
Investigação do currículo na escola da educação infantil. 1
Investigação do currículo na escola da educação infantil. 1Investigação do currículo na escola da educação infantil. 1
Investigação do currículo na escola da educação infantil. 1
SimoneHelenDrumond
 
Investigação do currículo na escola da educação infantil. simone helen drumond
Investigação do currículo na escola da educação infantil. simone helen drumondInvestigação do currículo na escola da educação infantil. simone helen drumond
Investigação do currículo na escola da educação infantil. simone helen drumond
SimoneHelenDrumond
 
RCNEI resumo eixos 2014
RCNEI resumo eixos 2014RCNEI resumo eixos 2014
RCNEI resumo eixos 2014
Jacqueline Campos
 
Desenvolvimento infantil 2
Desenvolvimento infantil 2Desenvolvimento infantil 2
Desenvolvimento infantil 2
SimoneHelenDrumond
 
O Cotidiano Da Educao Infantil2050
O Cotidiano Da Educao Infantil2050O Cotidiano Da Educao Infantil2050
O Cotidiano Da Educao Infantil2050
Brenduxinha
 
Semana Pedagógica 2022.pptx
Semana Pedagógica 2022.pptxSemana Pedagógica 2022.pptx
Semana Pedagógica 2022.pptx
SocorroBrito12
 
Artigo 2f
Artigo 2fArtigo 2f
Artigo 2f
cefaprodematupa
 
Cmei fotos atividades 1º semestre de 2009 por simone helen drumond
Cmei fotos atividades 1º semestre de 2009 por simone helen drumondCmei fotos atividades 1º semestre de 2009 por simone helen drumond
Cmei fotos atividades 1º semestre de 2009 por simone helen drumond
SimoneHelenDrumond
 
Oficina 3 avaliar, registrar e refletir as práticas docentes e o desenvolvim...
Oficina 3  avaliar, registrar e refletir as práticas docentes e o desenvolvim...Oficina 3  avaliar, registrar e refletir as práticas docentes e o desenvolvim...
Oficina 3 avaliar, registrar e refletir as práticas docentes e o desenvolvim...
Rosicler Casal Bueno Cardoso
 
Projeto pibid 1º semestre
Projeto pibid 1º semestreProjeto pibid 1º semestre
Projeto pibid 1º semestre
Kleriton Franklin
 
Joziel Bezerra de Souza
Joziel  Bezerra  de  SouzaJoziel  Bezerra  de  Souza
Joziel Bezerra de Souza
joziel Bezerra de souza
 
Talita
TalitaTalita
Ise tcc thaisy_lomenso
Ise tcc thaisy_lomensoIse tcc thaisy_lomenso
Ise tcc thaisy_lomenso
MARCOS SOUSA
 

Semelhante a Recnei ed. inf. (20)

RCNEI.pdf
RCNEI.pdfRCNEI.pdf
RCNEI.pdf
 
O Cotidiano Da EducaçãO Infantil
O Cotidiano Da EducaçãO InfantilO Cotidiano Da EducaçãO Infantil
O Cotidiano Da EducaçãO Infantil
 
Educação infantil
Educação infantilEducação infantil
Educação infantil
 
21655835 a-indissociabilidade-entre-educar-cuidar-e-brincar
21655835 a-indissociabilidade-entre-educar-cuidar-e-brincar21655835 a-indissociabilidade-entre-educar-cuidar-e-brincar
21655835 a-indissociabilidade-entre-educar-cuidar-e-brincar
 
Educação infantil referencias curriculares.pptx
Educação infantil referencias curriculares.pptxEducação infantil referencias curriculares.pptx
Educação infantil referencias curriculares.pptx
 
Investigação do currículo na escola da educação infantil.
Investigação do currículo na escola da educação infantil.Investigação do currículo na escola da educação infantil.
Investigação do currículo na escola da educação infantil.
 
Oppi
OppiOppi
Oppi
 
Investigação do currículo na escola da educação infantil. 1
Investigação do currículo na escola da educação infantil. 1Investigação do currículo na escola da educação infantil. 1
Investigação do currículo na escola da educação infantil. 1
 
Investigação do currículo na escola da educação infantil. simone helen drumond
Investigação do currículo na escola da educação infantil. simone helen drumondInvestigação do currículo na escola da educação infantil. simone helen drumond
Investigação do currículo na escola da educação infantil. simone helen drumond
 
RCNEI resumo eixos 2014
RCNEI resumo eixos 2014RCNEI resumo eixos 2014
RCNEI resumo eixos 2014
 
Desenvolvimento infantil 2
Desenvolvimento infantil 2Desenvolvimento infantil 2
Desenvolvimento infantil 2
 
O Cotidiano Da Educao Infantil2050
O Cotidiano Da Educao Infantil2050O Cotidiano Da Educao Infantil2050
O Cotidiano Da Educao Infantil2050
 
Semana Pedagógica 2022.pptx
Semana Pedagógica 2022.pptxSemana Pedagógica 2022.pptx
Semana Pedagógica 2022.pptx
 
Artigo 2f
Artigo 2fArtigo 2f
Artigo 2f
 
Cmei fotos atividades 1º semestre de 2009 por simone helen drumond
Cmei fotos atividades 1º semestre de 2009 por simone helen drumondCmei fotos atividades 1º semestre de 2009 por simone helen drumond
Cmei fotos atividades 1º semestre de 2009 por simone helen drumond
 
Oficina 3 avaliar, registrar e refletir as práticas docentes e o desenvolvim...
Oficina 3  avaliar, registrar e refletir as práticas docentes e o desenvolvim...Oficina 3  avaliar, registrar e refletir as práticas docentes e o desenvolvim...
Oficina 3 avaliar, registrar e refletir as práticas docentes e o desenvolvim...
 
Projeto pibid 1º semestre
Projeto pibid 1º semestreProjeto pibid 1º semestre
Projeto pibid 1º semestre
 
Joziel Bezerra de Souza
Joziel  Bezerra  de  SouzaJoziel  Bezerra  de  Souza
Joziel Bezerra de Souza
 
Talita
TalitaTalita
Talita
 
Ise tcc thaisy_lomenso
Ise tcc thaisy_lomensoIse tcc thaisy_lomenso
Ise tcc thaisy_lomenso
 

Mais de Elisa Maria Gomide

AULAS-2-3-Introd aos Est. da Hist.-FONTES HISTÓRICAS-25-01-2019.pptx
AULAS-2-3-Introd aos Est. da Hist.-FONTES HISTÓRICAS-25-01-2019.pptxAULAS-2-3-Introd aos Est. da Hist.-FONTES HISTÓRICAS-25-01-2019.pptx
AULAS-2-3-Introd aos Est. da Hist.-FONTES HISTÓRICAS-25-01-2019.pptx
Elisa Maria Gomide
 
FENÍCIOS, HEBREUS E PERSAS aula 30-05-2019.pptx
FENÍCIOS, HEBREUS E PERSAS aula 30-05-2019.pptxFENÍCIOS, HEBREUS E PERSAS aula 30-05-2019.pptx
FENÍCIOS, HEBREUS E PERSAS aula 30-05-2019.pptx
Elisa Maria Gomide
 
H6ºAno-Roma-ALUNO-Apostila-slides.pdf
H6ºAno-Roma-ALUNO-Apostila-slides.pdfH6ºAno-Roma-ALUNO-Apostila-slides.pdf
H6ºAno-Roma-ALUNO-Apostila-slides.pdf
Elisa Maria Gomide
 
Desenvolvimento infantil piaget-vygtsky-maturama-wallon
Desenvolvimento infantil piaget-vygtsky-maturama-wallonDesenvolvimento infantil piaget-vygtsky-maturama-wallon
Desenvolvimento infantil piaget-vygtsky-maturama-wallon
Elisa Maria Gomide
 
Mod iii unid1_jul2006-educar e cuidar
Mod iii unid1_jul2006-educar e cuidarMod iii unid1_jul2006-educar e cuidar
Mod iii unid1_jul2006-educar e cuidar
Elisa Maria Gomide
 
Teoria e prática educativa na área da alfabetização
Teoria e prática educativa na área da alfabetizaçãoTeoria e prática educativa na área da alfabetização
Teoria e prática educativa na área da alfabetização
Elisa Maria Gomide
 
Reflexoes sobre curriculo e identidade
Reflexoes sobre curriculo e identidadeReflexoes sobre curriculo e identidade
Reflexoes sobre curriculo e identidade
Elisa Maria Gomide
 
Aula03 contribuição da-psicanálise_à_educação-01-09-2014
Aula03 contribuição da-psicanálise_à_educação-01-09-2014Aula03 contribuição da-psicanálise_à_educação-01-09-2014
Aula03 contribuição da-psicanálise_à_educação-01-09-2014
Elisa Maria Gomide
 
Operacoes-fundamentais-matematicas
Operacoes-fundamentais-matematicasOperacoes-fundamentais-matematicas
Operacoes-fundamentais-matematicas
Elisa Maria Gomide
 
Fmm aula-29-10-2012-operacoes-fundamentais-matematicas
Fmm aula-29-10-2012-operacoes-fundamentais-matematicasFmm aula-29-10-2012-operacoes-fundamentais-matematicas
Fmm aula-29-10-2012-operacoes-fundamentais-matematicas
Elisa Maria Gomide
 
MFmm aula-29-10-2012-tecnicas operatorias
MFmm aula-29-10-2012-tecnicas operatoriasMFmm aula-29-10-2012-tecnicas operatorias
MFmm aula-29-10-2012-tecnicas operatorias
Elisa Maria Gomide
 
Como escolher e organizar atividades de ensino bordenave
Como escolher e organizar atividades de ensino bordenaveComo escolher e organizar atividades de ensino bordenave
Como escolher e organizar atividades de ensino bordenave
Elisa Maria Gomide
 
Aula01 org.e metodologia-ed.inf-2013-2
Aula01 org.e metodologia-ed.inf-2013-2Aula01 org.e metodologia-ed.inf-2013-2
Aula01 org.e metodologia-ed.inf-2013-2
Elisa Maria Gomide
 
Hep aula4-antiguidade-romana-a humanitas.12-03-2012
Hep aula4-antiguidade-romana-a humanitas.12-03-2012Hep aula4-antiguidade-romana-a humanitas.12-03-2012
Hep aula4-antiguidade-romana-a humanitas.12-03-2012
Elisa Maria Gomide
 
Hep aula3-antiguidade oriental-grega-romana.07-03-2012
Hep aula3-antiguidade oriental-grega-romana.07-03-2012Hep aula3-antiguidade oriental-grega-romana.07-03-2012
Hep aula3-antiguidade oriental-grega-romana.07-03-2012
Elisa Maria Gomide
 
Hep aula2-comunidades tribais-educacaodifusa.29-02-2012
Hep aula2-comunidades tribais-educacaodifusa.29-02-2012Hep aula2-comunidades tribais-educacaodifusa.29-02-2012
Hep aula2-comunidades tribais-educacaodifusa.29-02-2012
Elisa Maria Gomide
 
Estilos de aprendizagem prof.ª elisa
Estilos de aprendizagem prof.ª elisaEstilos de aprendizagem prof.ª elisa
Estilos de aprendizagem prof.ª elisa
Elisa Maria Gomide
 
Leiseducacao a distancia
Leiseducacao a distanciaLeiseducacao a distancia
Leiseducacao a distancia
Elisa Maria Gomide
 

Mais de Elisa Maria Gomide (18)

AULAS-2-3-Introd aos Est. da Hist.-FONTES HISTÓRICAS-25-01-2019.pptx
AULAS-2-3-Introd aos Est. da Hist.-FONTES HISTÓRICAS-25-01-2019.pptxAULAS-2-3-Introd aos Est. da Hist.-FONTES HISTÓRICAS-25-01-2019.pptx
AULAS-2-3-Introd aos Est. da Hist.-FONTES HISTÓRICAS-25-01-2019.pptx
 
FENÍCIOS, HEBREUS E PERSAS aula 30-05-2019.pptx
FENÍCIOS, HEBREUS E PERSAS aula 30-05-2019.pptxFENÍCIOS, HEBREUS E PERSAS aula 30-05-2019.pptx
FENÍCIOS, HEBREUS E PERSAS aula 30-05-2019.pptx
 
H6ºAno-Roma-ALUNO-Apostila-slides.pdf
H6ºAno-Roma-ALUNO-Apostila-slides.pdfH6ºAno-Roma-ALUNO-Apostila-slides.pdf
H6ºAno-Roma-ALUNO-Apostila-slides.pdf
 
Desenvolvimento infantil piaget-vygtsky-maturama-wallon
Desenvolvimento infantil piaget-vygtsky-maturama-wallonDesenvolvimento infantil piaget-vygtsky-maturama-wallon
Desenvolvimento infantil piaget-vygtsky-maturama-wallon
 
Mod iii unid1_jul2006-educar e cuidar
Mod iii unid1_jul2006-educar e cuidarMod iii unid1_jul2006-educar e cuidar
Mod iii unid1_jul2006-educar e cuidar
 
Teoria e prática educativa na área da alfabetização
Teoria e prática educativa na área da alfabetizaçãoTeoria e prática educativa na área da alfabetização
Teoria e prática educativa na área da alfabetização
 
Reflexoes sobre curriculo e identidade
Reflexoes sobre curriculo e identidadeReflexoes sobre curriculo e identidade
Reflexoes sobre curriculo e identidade
 
Aula03 contribuição da-psicanálise_à_educação-01-09-2014
Aula03 contribuição da-psicanálise_à_educação-01-09-2014Aula03 contribuição da-psicanálise_à_educação-01-09-2014
Aula03 contribuição da-psicanálise_à_educação-01-09-2014
 
Operacoes-fundamentais-matematicas
Operacoes-fundamentais-matematicasOperacoes-fundamentais-matematicas
Operacoes-fundamentais-matematicas
 
Fmm aula-29-10-2012-operacoes-fundamentais-matematicas
Fmm aula-29-10-2012-operacoes-fundamentais-matematicasFmm aula-29-10-2012-operacoes-fundamentais-matematicas
Fmm aula-29-10-2012-operacoes-fundamentais-matematicas
 
MFmm aula-29-10-2012-tecnicas operatorias
MFmm aula-29-10-2012-tecnicas operatoriasMFmm aula-29-10-2012-tecnicas operatorias
MFmm aula-29-10-2012-tecnicas operatorias
 
Como escolher e organizar atividades de ensino bordenave
Como escolher e organizar atividades de ensino bordenaveComo escolher e organizar atividades de ensino bordenave
Como escolher e organizar atividades de ensino bordenave
 
Aula01 org.e metodologia-ed.inf-2013-2
Aula01 org.e metodologia-ed.inf-2013-2Aula01 org.e metodologia-ed.inf-2013-2
Aula01 org.e metodologia-ed.inf-2013-2
 
Hep aula4-antiguidade-romana-a humanitas.12-03-2012
Hep aula4-antiguidade-romana-a humanitas.12-03-2012Hep aula4-antiguidade-romana-a humanitas.12-03-2012
Hep aula4-antiguidade-romana-a humanitas.12-03-2012
 
Hep aula3-antiguidade oriental-grega-romana.07-03-2012
Hep aula3-antiguidade oriental-grega-romana.07-03-2012Hep aula3-antiguidade oriental-grega-romana.07-03-2012
Hep aula3-antiguidade oriental-grega-romana.07-03-2012
 
Hep aula2-comunidades tribais-educacaodifusa.29-02-2012
Hep aula2-comunidades tribais-educacaodifusa.29-02-2012Hep aula2-comunidades tribais-educacaodifusa.29-02-2012
Hep aula2-comunidades tribais-educacaodifusa.29-02-2012
 
Estilos de aprendizagem prof.ª elisa
Estilos de aprendizagem prof.ª elisaEstilos de aprendizagem prof.ª elisa
Estilos de aprendizagem prof.ª elisa
 
Leiseducacao a distancia
Leiseducacao a distanciaLeiseducacao a distancia
Leiseducacao a distancia
 

Último

Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Mauricio Alexandre Silva
 
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
Manuais Formação
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
AdrianoMontagna1
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de GeografiaAula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
WELTONROBERTOFREITAS
 
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento EuropeuEurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Centro Jacques Delors
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
Crisnaiara
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
AlineOliveira625820
 
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdfRazonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Demetrio Ccesa Rayme
 
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
vitorreissouzasilva
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
CarlosJean21
 
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
Pr Davi Passos - Estudos Bíblicos
 
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Centro Jacques Delors
 
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptxPsicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
TiagoLouro8
 
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
SidneySilva523387
 
formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...
JakiraCosta
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
Manuais Formação
 
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdfsaid edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
ThiagoRORISDASILVA1
 

Último (20)

Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
 
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
 
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de GeografiaAula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
 
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento EuropeuEurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
 
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdfRazonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
 
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
 
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
 
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
 
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptxPsicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
 
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
 
formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
 
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdfsaid edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
 

Recnei ed. inf.

  • 1. REFERENCIAL CURRICULAR NACIONAL PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E DO DESPORTO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO FUNDAMENTAL DEPARTAMENTO DE POLÍTICA DA EDUCAÇÃO FUNDAMENTAL COORDENAÇÃO GERAL DE EDUCAÇÃO INFANTIL Brasília/1998
  • 2. Introdução Características do RECNEI Algumas considerações sobre creches e pré-escolas A criança Educar O professor de educação infantil Organização do Referencial Curricular Nacional para a educação infantil Objetivos gerais da educação infantil A instituição e o projeto educativo Estrutura do Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil Bibliografia
  • 3. CRIANÇA  A concepção de criança é uma noção historicamente construída e conseqüentemente vem mudando ao longo dos tempos, não se apresentando de forma homogênea nem mesmo no interior de uma mesma sociedade e época. Assim é possível que, por exemplo, em uma mesma cidade existam diferentes maneiras de se considerar as crianças pequenas dependendo da classe social a qual pertencem, do grupo étnico do qual fazem parte. Boa parte das crianças pequenas brasileiras enfrentam um cotidiano bastante adverso que as conduz desde muito cedo a precárias condições de vida e ao trabalho infantil, ao abuso e exploração por parte de adultos. Outras crianças são protegidas de todas as maneiras, recebendo de suas famílias e da sociedade em geral todos os cuidados necessários ao seu desenvolvimento. Essa dualidade revela a contradição e conflito de uma sociedade que não resolveu ainda as grandes desigualdades sociais presentes no cotidiano.
  • 4. EDUCAR  Educar significa, portanto, propiciar situações de cuidados, brincadeiras e aprendizagens orientadas de forma integrada e que possam contribuir para o desenvolvimento das capacidades infantis de relação interpessoal, de ser e estar com os outros em uma atitude básica de aceitação, respeito e confiança, e o acesso, pelas crianças, aos conhecimentos mais amplos da realidade social e cultural. Neste processo, a educação poderá auxiliar o desenvolvimento das capacidades de apropriação e conhecimento das potencialidades corporais, afetivas, emocionais, estéticas e éticas, na perspectiva de contribuir para a formação de crianças felizes e saudáveis.
  • 5. CUIDAR  A base do cuidado humano é compreender como ajudar o outro a se desenvolver como ser humano. Cuidar significa valorizar e ajudar a desenvolver capacidades. O cuidado é um ato em relação ao outro e a si próprio que possui uma dimensão expressiva e implica em procedimentos específicos.  O desenvolvimento integral depende tanto dos cuidados relacionais, que envolvem a dimensão afetiva e dos cuidados com os aspectos biológicos do corpo, como a qualidade da alimentação e dos cuidados com a saúde, quanto da forma como esses cuidados são oferecidos e das oportunidades de acesso a conhecimentos variados.
  • 6. BRINCAR  No ato de brincar, os sinais, os gestos, os objetos e os espaços valem e significam outra coisa daquilo que aparentam ser. Ao brincar as crianças recriam e repensam os acontecimentos que lhes deram origem, sabendo que estão brincando. A brincadeira é uma linguagem infantil que mantém um vínculo essencial com aquilo que é o “não-brincar”.  Se a brincadeira é uma ação que ocorre no plano da imaginação isto implica que aquele que brinca tenha o domínio da linguagem simbólica. Isto quer dizer que é preciso haver consciência da diferença existente entre a brincadeira e a realidade imediata que lhe forneceu conteúdo para realizar-se. Nesse sentido, para brincar é preciso apropriar-se de elementos da realidade imediata de tal forma a atribuir-lhes novos significados. Essa peculiaridade da brincadeira ocorre por meio da articulação entre a imaginação e a imitação da realidade. Toda brincadeira é uma imitação transformada, no plano das emoções e das idéias, de uma realidade anteriormente vivenciada.
  • 7.
  • 8. Aprender em situações orientadas  A organização de situações de aprendizagens orientadas ou que dependem de uma intervenção direta do professor permite que as crianças trabalhem com diversos conhecimentos. Estas aprendizagens devem estar baseadas não apenas nas propostas dos professores, mas, essencialmente, na escuta das crianças e na compreensão do papel que desempenham a experimentação e o erro na construção do conhecimento. (ou ‘erro construtivo’)
  • 9. O ERRO COMO PROCESSO DE APRENDIZAGEM  O erro construtivo tem uma função primordial no processo cognitivo. Neste processo, a criança elabora hipóteses que se apóiam em soluções próprias, particulares e provisórias para resolver problemas, por meio de aproximações sucessivas ao conceito cientificamente considerado. Nem todo erro cometido pelas crianças pode ser considerado erro construtivo, ele só faz sentido em um processo de elaboração cognitiva.
  • 10. Para que as aprendizagens infantis ocorram com sucesso, é preciso que o professor considere, na organização do trabalho educativo:  a interação com crianças da mesma idade e de idades diferentes em situações diversas como fator de promoção da aprendizagem e do desenvolvimento e da capacidade de relacionar-se;  os conhecimentos prévios de qualquer natureza, que as crianças já possuem sobre o assunto, já que elas aprendem por meio de uma construção interna ao relacionar suas idéias com as novas informações de que dispõem e com as interações que estabelece;  a individualidade e a diversidade;  o grau de desafio que as atividades apresentam e o fato de que devam ser significativas e apresentadas de maneira integrada para as crianças e o mais próximas possíveis das práticas sociais reais;  a resolução de problemas como forma de aprendizagem.
  • 11. INTERAÇÃO  A interação social em situações diversas é uma das estratégias mais importantes do professor para a promoção de aprendizagens pelas crianças. Assim, cabe ao professor propiciar situações de conversa, brincadeiras ou de aprendizagens orientadas que garantam a troca entre as crianças, de forma a que possam comunicar-se e expressar-se, demonstrando seus modos de agir, de pensar e de sentir, em um ambiente acolhedor e que propicie a confiança e a auto- estima.  A interação permite que se crie uma situação de ajuda na qual as crianças avancem no seu processo de aprendizagem.
  • 12.
  • 13. DIVERSIDADE E INDIVIDUALIDADE  Considerar que as crianças são diferentes entre si, implica propiciar uma educação baseada em condições de aprendizagem que respeitem suas necessidades e ritmos individuais, visando a ampliar e a enriquecer as capacidades de cada criança, considerando-as como pessoas singulares e com características próprias. Individualizar a educação infantil, ao contrário do que se poderia supor, não é marcar e estigmatizar as crianças pelo que diferem, mas levar em conta suas singularidades, respeitando-as e valorizando-as como fator de enriquecimento pessoal e cultural.
  • 14. APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA E CONHECIMENTOS PRÉVIOS  Os assuntos trabalhados com as crianças devem guardar relações específicas com os níveis de desenvolvimento das crianças em cada grupo e faixa etária e, também, respeitar e propiciar a amplitude das mais diversas experiências em relação aos eixos de trabalho propostos.
  • 15. RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS  Nas situações de aprendizagem o problema adquire um sentido importante quando as crianças buscam soluções e discutem-nas com as outras crianças. Não se trata de situações que permitam “aplicar” o que já se sabe, mas sim daquelas que possibilitam produzir novos conhecimentos a partir dos que já se tem e em interação com novos desafios.
  • 16. PROXIMIDADE COM AS PRÁTICAS SOCIAIS REAIS  A prática educativa deve buscar situações de aprendizagens que reproduzam  contextos cotidianos nos quais, por exemplo, escrever, contar, ler, desenhar, procurar uma  informação etc. tenha uma função real. Isto é, escreve-se para guardar uma informação,  para enviar uma mensagem, contam-se tampinhas para fazer uma coleção etc.
  • 17. EDUCAR CRIANÇAS COM NECESSIDADES ESPECIAIS  Os avanços no pensamento sociológico, filosófico e legal vêm exigindo, por parte do sistema educacional brasileiro, o abandono de práticas segregacionistas que, ao longo da história, marginalizaram e estigmatizaram pessoas com diferenças individuais acentuadas. A LDB, no seu capítulo V, Da Educação Especial, parágrafo 3º, determina que: “A oferta de educação especial, dever constitucional do Estado, tem início na faixa etária de zero a seis anos, durante a educação infantil”.
  • 18. A qualidade do processo de integração depende da estrutura organizacional da instituição, pressupondo propostas que considerem:  grau de deficiência e as potencialidades de cada criança;  idade cronológica;  disponibilidade de recursos humanos e materiais existentes na comunidade;  condições socioeconômicas e culturais da região;  estágio de desenvolvimento dos serviços de educação especial já implantado nas unidades federadas.