SlideShare uma empresa Scribd logo
Introdução à Psicologia do
Desenvolvimento
• Apontamentos do texto -
• O Ciclo Vital - Cap. 1 – Determinando o
Estágio: Conceitos e Métodos Básicos –
• Helen Bee – Artes Médicas , POA, 1997
Profa.Dra. Silvia Marina Anaruma
2016
Licença Creative Commons
1. Explicando as mudanças ao longo do
ciclo de vida
Desenvolvimento
Mudança Continuidade
PartilhadasPeculiares
Universais
Determinada cultura
Grupo
indivíduo
QUAL A ORIGEM DAS
MUDANÇAS?
• Natureza x Criação
Biológicos Ambiente
Explicando as mudanças...
• 1. Mudanças partilhadas – referentes à
idade, comum a todas as espécies
• 2. Mudanças comuns a um subgrupo –
determinada geração
• 3. Mudanças individuais – eventos
singulares, não partilhados
Mudanças partilhadas, referentes à idade
Mudanças biologicamente influenciadas
Experiências partilhadas
Mudanças internas partilhadas
Efeitos culturais e de grupo
(Maturação)
Relógio
Biológico
Relógio
social
Relógio
Biológico
+
Relógio
social
Timing do
nascimento
Eventos singulares não- partilhados
Experiências individuais moldam a vida de crianças e
adultos
As mesmas experiências podem afetar
diferentemente as pessoas
Experiências mudam o curso de vida da
pessoa
Período sensível Períodos Críticos
Timing da experiência
Eventos singulares
EVENTOS NA HORA CERTA X EVENTOS FORA DE HORA
Pergunta
• Quais as consequências de um time
diferente?
• Quais as consequências de uma gravidez precoce, com
12 anos, por exemplo?
• O que significa ter filhos aos 50 anos?
• Qual a consequência de fazer uma faculdade aos 50
anos?
• O que aconteceria se eu........hoje?
Explicando a continuidade ...
• Explicações biológicas de consistência
• Fontes biológicas de continuidade
Explicações biológicas de
consistência
• “ Todos os membros de uma determinada
espécie partilha códigos genéticos
básicos que moldam os padrões de
desenvolvimento normal – Maturação “
• Herança – individual e coletiva
• Ex: fenótipo, peso, inteligência, aspectos
do temperamento, psicopatologias
Como avaliar o que é herdado?
• Duas técnicas:
• Estudo de gêmeos idênticos e fraternos
• Estudo de filhos adotivos
O comportamento
sempre será um
produto conjunto do
padrão genético e do
ambiente e uma
pessoa
Ainda assim,
fica claro que
nascemos com
certos padrões
de resposta que
moldam nossa
reação no
mundo
Pergunta
• Que padrões de
comportamento vem me
acompanhando ao longo da
vida?
Fontes ambientais de continuidade
Tendemos a escolher ambientes que
combinem com nossas
características Esporte
individual x
esporte coletivo
Profissão
Diversão
Nossos padrões habituais
desencadeiam reações dos
outros que apresentam a
possibilidade de perpetuá-
los
A tendência pode ser
rompida, se o ambiente
não mais os apoiar
Natureza x Criação – Controvérsias
• Modelos internos de experiência
• A perspectiva ecológica
• Abordagens Interacionistas
Modelos internos de experiência
• “ O efeito de alguma experiência repousa
na interpretação que o indivíduo faz dela,
no significado que o indivíduo confere à
experiência e não em quaisquer
propriedades objetivas da mesma “
A mesma experiência parece ter efeitos variados sobre
diferentes adultos
A perspectiva ecológica
• A influência de vários ambientes e
pessoas além da família imediata
Escola
Amigos
Vizinhos
Profissão
dos pais
País - cidade -
bairro
Papéis
sociais
Etnia
Pergunta
• Volte para a sua infância e avalie o
quanto sua vida foi afetada pela
condição da sua família, vizinhos,
profissão dos seus pais, situação do
país...
Abordagens Interacionistas
• Visão do desenvolvimento em que há a
interação entre os fatores inatos e o
ambiente
• Modelo da Vulnerabilidade e Resistência
Vulnerabilidade
Fatores de
proteção
Ambiente
Não se dá a soma, mas a interação
As vulnerabilidades são cumulativas
Pergunta
• Na equação: vulnerabilidade x fatores de
proteção x ambiente, quando pode haver
um resultado negativo?
• Levante seus fatores de proteção e suas
vulnerabilidades e comente como eles
interagiram ( interagem) com o ambiente
V P PA =
V P A =
Qual a natureza da mudança
desenvolvimental?
• Mudança qualitativa x mudança quantitativa
Presença de
estágios
Reorganização, fases, rupturas,
comportamentos típicos...
Evolucionistas
Quadro dos antigos tópicos do
desenvolvimento
Problematização
• Os alunos do Ensino Médio que
frequentam a escola hoje na nossa
sociedade, nasceram no começo do Sec.
XXI. O que caracterizou este momento
(por volta do ano 2002) até os dias de
hoje?
Questões éticas na Pesquisa
sobre o desenvolvimento
• Toda pesquisa sobre seres humanos
envolve certos riscos e desperta algumas
questões de ordem ética
• Comitê de ética em pesquisa: garante a
integridade dos sujeitos de pesquisa
Métodos de Pesquisa
• 1. Tamanho da amostra
• 2. Tipo de Pesquisa:
• Naturalista
• Experimental
• 3. Instrumentos e Técnicas:
• Questionários
• Entrevistas
• Testes
• Observações
Pergunta
Dê exemplos de possíveis riscos que os
sujeitos correm nas pesquisas sobre
desenvolvimento.
Como fazer um experimento que envolva o
efeito do uso de drogas como a maconha
sobre o desenvolvimento?
Três principais tipos de pesquisa
• Projeto por seção cruzada ou
transversal : vários grupos, de idades
diferentes são testados separadamente e
feita uma comparação entre eles
• Não permite verificar a consistência do
comportamento ao longo do tempo
• Não revela muito sobre a sequência do
desenvolvimento
Longitudinais:
Mesmos sujeitos acompanhados ao longo
do tempo
Garante a consistência ou inconsistência e
as sequências de mudança
Problemas quanto ao desgaste seletivo e o
abandono do projeto
Não resolvem o problema do cohort ou
subgrupo
Seqüenciais:
• Envolvem o estudo de mais de um
subgrupo (cohort)
Longitudinal:
compara as
colunas
Cruzada:
compara
as linhas
Sequenciais:
envolve a
combinação
de ambos
Estudos experimentais
Causa
Efeito
Variável
independente
Variável
dependente
A presença do animal melhora o estado
geral de pacientes?
•
• Relato de experiência: terapia assistida por animais (TAA) - mais um recurso na
comunicação entre paciente e enfermeiro. Cíntia Hissae Kawakami; Cyntia
Kaori Nakano
• An. 8. Simp. Bras. Comun. Enferm. May. 2002
• RESUMO
• Esse trabalho é um relato de experiência após conhecermos os benefícios
conseguidos por meio da Terapia Assistida por Animais (TAA) em quatro instituições
de saúde da cidade de São Paulo. As visitas foram feitas no 2o semestre de 2001
em uma casa especializada em educação especial para crianças com diversas
síndromes; uma que abriga idosos abandonados ou sem família; uma que oferece
apoio para crianças com câncer e outra que abriga e dá assistência à crianças
aidéticas. Percebemos, observando a visita de animais aos pacientes, que estes se
tornaram mais alegres, mais dispostos, conversando mais entre si e com os
voluntários; e que a TAA pode ser usada também como um recurso de aproximação
entre o enfermeiro e o paciente.
• Como garantir que não há outra variável
de interferência na pesquisa?
• O método de aprendizagem altera a
compreensão do conteúdo?
• O período do curso melhora o
desempenho do aluno?
• O professor interfere na disciplina da
classe?
O creme funciona para
minhas espinhas?
Como saber
qual é o
fator
causal?
• Grupo controle x Grupo experimental
Grupo
experimental
Grupo
controle
Recebe o
tratamento
Variável
independente
Pergunta
• Pense num problema que possa ser
investigado através do método
experimental com grupo controle e grupo
experimental
Como analisar os dados?
• Comparando grupos etários calculando o
escore médio de alguma medida
• Utilizando o método de correlação –
permite verificar a relação entre duas
variáveis
• A amplitude da relação é determinada
pelo coeficiente de relação
O coeficiente de relação oscila ...
• entre -1.00 e +1.00.
• Zero - ausência de correlação ou independência da variância nas
variáveis consideradas
• Neste caso, ela pode ser positiva (+1.00) ou negativa/inversa (-
1.00) conforme as oscilações dos resultados nas duas variáveis
ocorram no mesmo sentido (por exemplo, a relação entre a
motivação e a aprendizagem), ou em sentido inverso (por exemplo,
a relação entre o número de faltas às aulas e o rendimento
escolar).
• Não garante afirmar a causa e o efeito entre os fenômenos
• Ex. Consumo de picolé a afogamentos
• Tomar café e ataque cardíaco
• Número de tatuagens e acidentes de carro
Pergunta
• Qual a relação entre nível de escolaridade
e uso de álcool?
• De forma simulada determine o
coeficiente de correlação entre estas duas
variáveis
Bibliografia
– BEE, H. O Ciclo vital. PA, Artes Médicas,
1997.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A teoria do desenvolvimento humano segundo Erik Erikson
A teoria do desenvolvimento humano segundo Erik EriksonA teoria do desenvolvimento humano segundo Erik Erikson
A teoria do desenvolvimento humano segundo Erik Erikson
Thiago de Almeida
 
Aprendizagem operante
Aprendizagem operanteAprendizagem operante
Aprendizagem operante
Nilson Dias Castelano
 
Behaviorismo
Behaviorismo Behaviorismo
Behaviorismo
Profissão Professor
 
Teoria do Behaviorismo de Skinner
Teoria do Behaviorismo de SkinnerTeoria do Behaviorismo de Skinner
Teoria do Behaviorismo de Skinner
Eduardo Petrucci
 
Aula - Introdução à Psicologia 1
Aula - Introdução à Psicologia 1Aula - Introdução à Psicologia 1
Aula - Introdução à Psicologia 1
Felipe Saraiva Nunes de Pinho
 
Psicologia social
Psicologia socialPsicologia social
Psicologia social
Laércio Góes
 
Desenvolvimento humano
Desenvolvimento humanoDesenvolvimento humano
Desenvolvimento humano
Amanda da Silveira
 
Os 4 pilares da psicologia comunitária
Os 4 pilares da psicologia comunitáriaOs 4 pilares da psicologia comunitária
Os 4 pilares da psicologia comunitária
marcelydantasingrid
 
Aprendizagem Social Bandura
Aprendizagem Social BanduraAprendizagem Social Bandura
Aprendizagem Social Bandura
aritovi
 
Análise funcional, contingência e contiguidade
Análise funcional, contingência e contiguidadeAnálise funcional, contingência e contiguidade
Análise funcional, contingência e contiguidade
Nilson Dias Castelano
 
Behaviorismo
BehaviorismoBehaviorismo
Slides atualizados psicologia social (2)
Slides atualizados psicologia social (2)Slides atualizados psicologia social (2)
Slides atualizados psicologia social (2)
Conceição Gomes
 
Psicologia do desenvolvimento
Psicologia do desenvolvimentoPsicologia do desenvolvimento
Psicologia do desenvolvimento
Thiago de Almeida
 
Desenvolvimento idade adulta
Desenvolvimento idade adultaDesenvolvimento idade adulta
Desenvolvimento idade adulta
psicologiaazambuja
 
Punição positiva x negativa
Punição positiva x negativaPunição positiva x negativa
Punição positiva x negativa
Nelson Novaes Neto
 
Psicologia do desenolvimento
Psicologia do desenolvimentoPsicologia do desenolvimento
Psicologia do desenolvimento
Ana Larissa Perissini
 
Desenvolvimento humano e aprendizagem ii
Desenvolvimento humano e aprendizagem iiDesenvolvimento humano e aprendizagem ii
Desenvolvimento humano e aprendizagem ii
fernandomaceioalagoas
 
Introdução à psicologia
Introdução à psicologiaIntrodução à psicologia
Introdução à psicologia
Laércio Góes
 
Regrasx contingências
Regrasx contingênciasRegrasx contingências
Regrasx contingências
Nilson Dias Castelano
 
Aprendizagem no Condicionamento Operante
Aprendizagem no Condicionamento OperanteAprendizagem no Condicionamento Operante
Aprendizagem no Condicionamento Operante
CatarinaNeivas
 

Mais procurados (20)

A teoria do desenvolvimento humano segundo Erik Erikson
A teoria do desenvolvimento humano segundo Erik EriksonA teoria do desenvolvimento humano segundo Erik Erikson
A teoria do desenvolvimento humano segundo Erik Erikson
 
Aprendizagem operante
Aprendizagem operanteAprendizagem operante
Aprendizagem operante
 
Behaviorismo
Behaviorismo Behaviorismo
Behaviorismo
 
Teoria do Behaviorismo de Skinner
Teoria do Behaviorismo de SkinnerTeoria do Behaviorismo de Skinner
Teoria do Behaviorismo de Skinner
 
Aula - Introdução à Psicologia 1
Aula - Introdução à Psicologia 1Aula - Introdução à Psicologia 1
Aula - Introdução à Psicologia 1
 
Psicologia social
Psicologia socialPsicologia social
Psicologia social
 
Desenvolvimento humano
Desenvolvimento humanoDesenvolvimento humano
Desenvolvimento humano
 
Os 4 pilares da psicologia comunitária
Os 4 pilares da psicologia comunitáriaOs 4 pilares da psicologia comunitária
Os 4 pilares da psicologia comunitária
 
Aprendizagem Social Bandura
Aprendizagem Social BanduraAprendizagem Social Bandura
Aprendizagem Social Bandura
 
Análise funcional, contingência e contiguidade
Análise funcional, contingência e contiguidadeAnálise funcional, contingência e contiguidade
Análise funcional, contingência e contiguidade
 
Behaviorismo
BehaviorismoBehaviorismo
Behaviorismo
 
Slides atualizados psicologia social (2)
Slides atualizados psicologia social (2)Slides atualizados psicologia social (2)
Slides atualizados psicologia social (2)
 
Psicologia do desenvolvimento
Psicologia do desenvolvimentoPsicologia do desenvolvimento
Psicologia do desenvolvimento
 
Desenvolvimento idade adulta
Desenvolvimento idade adultaDesenvolvimento idade adulta
Desenvolvimento idade adulta
 
Punição positiva x negativa
Punição positiva x negativaPunição positiva x negativa
Punição positiva x negativa
 
Psicologia do desenolvimento
Psicologia do desenolvimentoPsicologia do desenolvimento
Psicologia do desenolvimento
 
Desenvolvimento humano e aprendizagem ii
Desenvolvimento humano e aprendizagem iiDesenvolvimento humano e aprendizagem ii
Desenvolvimento humano e aprendizagem ii
 
Introdução à psicologia
Introdução à psicologiaIntrodução à psicologia
Introdução à psicologia
 
Regrasx contingências
Regrasx contingênciasRegrasx contingências
Regrasx contingências
 
Aprendizagem no Condicionamento Operante
Aprendizagem no Condicionamento OperanteAprendizagem no Condicionamento Operante
Aprendizagem no Condicionamento Operante
 

Destaque

estudo do desenvolvimento humano
estudo do desenvolvimento humanoestudo do desenvolvimento humano
estudo do desenvolvimento humano
CRIS TORRES
 
Desenvolvimento Humano
Desenvolvimento HumanoDesenvolvimento Humano
Desenvolvimento Humano
andressa bonn
 
Desenvolvimento humano e ciclo vital –
Desenvolvimento humano e ciclo vital –Desenvolvimento humano e ciclo vital –
Desenvolvimento humano e ciclo vital –
Viviane Pasqualeto
 
Psicologia do desenvolvimento e da aprendizagem
Psicologia do desenvolvimento e da aprendizagemPsicologia do desenvolvimento e da aprendizagem
Psicologia do desenvolvimento e da aprendizagem
Débora Silveira
 
Psicologia do desenvolvimento
Psicologia do desenvolvimentoPsicologia do desenvolvimento
Psicologia do desenvolvimento
ruibraz
 
A crianca em desenvolvimento helen bee
A crianca em desenvolvimento   helen beeA crianca em desenvolvimento   helen bee
A crianca em desenvolvimento helen bee
Karina Regy
 
Capítulo 01 a-criança-em-crescimento
Capítulo 01 a-criança-em-crescimentoCapítulo 01 a-criança-em-crescimento
Capítulo 01 a-criança-em-crescimento
Lucia Schermack
 
DESENVOLVIMENTO PSICOSSOCIAL NA 3º INFÂNCIA
DESENVOLVIMENTO PSICOSSOCIAL NA 3º INFÂNCIADESENVOLVIMENTO PSICOSSOCIAL NA 3º INFÂNCIA
DESENVOLVIMENTO PSICOSSOCIAL NA 3º INFÂNCIA
Elayne Camilo
 
Desenvolvimento humano
Desenvolvimento humanoDesenvolvimento humano
Desenvolvimento humano
Filosofia São Bento
 
Estágios do desenvolvimento cognitivo segundo jean piaget
Estágios do desenvolvimento cognitivo segundo jean piagetEstágios do desenvolvimento cognitivo segundo jean piaget
Estágios do desenvolvimento cognitivo segundo jean piaget
Anaí Peña
 
Psicologia da aprendizagem
Psicologia da aprendizagemPsicologia da aprendizagem
Psicologia da aprendizagem
na educação
 
Tipos De Aprendizagem
Tipos De AprendizagemTipos De Aprendizagem
Tipos De Aprendizagem
Eliane Almeida
 
Ciclos vitais
Ciclos vitaisCiclos vitais
Ciclos vitais
Rosiane Bezerra
 
Rede Não Bata Eduque
Rede Não Bata EduqueRede Não Bata Eduque
Rede Não Bata Eduque
Rede Nacional Primeira Infância
 
Palestra EducaçãO
Palestra EducaçãOPalestra EducaçãO
Palestra EducaçãO
Liviamandelli
 
Familia e prato dificil de
Familia e prato dificil deFamilia e prato dificil de
Familia e prato dificil de
Mensagens Virtuais
 
Entre perdas e ganhos
Entre perdas e ganhosEntre perdas e ganhos
Entre perdas e ganhos
Dany Romeira
 
Neuro2 (1)
Neuro2 (1)Neuro2 (1)
Neuro2 (1)
Leonardo Souza
 
Quem ama educa.
Quem ama educa.Quem ama educa.
Quem ama educa.
Wilma Barbosa
 
Manual Carinho & Aconchego Slings
Manual Carinho & Aconchego SlingsManual Carinho & Aconchego Slings
Manual Carinho & Aconchego Slings
Carinho & Aconchego Slings
 

Destaque (20)

estudo do desenvolvimento humano
estudo do desenvolvimento humanoestudo do desenvolvimento humano
estudo do desenvolvimento humano
 
Desenvolvimento Humano
Desenvolvimento HumanoDesenvolvimento Humano
Desenvolvimento Humano
 
Desenvolvimento humano e ciclo vital –
Desenvolvimento humano e ciclo vital –Desenvolvimento humano e ciclo vital –
Desenvolvimento humano e ciclo vital –
 
Psicologia do desenvolvimento e da aprendizagem
Psicologia do desenvolvimento e da aprendizagemPsicologia do desenvolvimento e da aprendizagem
Psicologia do desenvolvimento e da aprendizagem
 
Psicologia do desenvolvimento
Psicologia do desenvolvimentoPsicologia do desenvolvimento
Psicologia do desenvolvimento
 
A crianca em desenvolvimento helen bee
A crianca em desenvolvimento   helen beeA crianca em desenvolvimento   helen bee
A crianca em desenvolvimento helen bee
 
Capítulo 01 a-criança-em-crescimento
Capítulo 01 a-criança-em-crescimentoCapítulo 01 a-criança-em-crescimento
Capítulo 01 a-criança-em-crescimento
 
DESENVOLVIMENTO PSICOSSOCIAL NA 3º INFÂNCIA
DESENVOLVIMENTO PSICOSSOCIAL NA 3º INFÂNCIADESENVOLVIMENTO PSICOSSOCIAL NA 3º INFÂNCIA
DESENVOLVIMENTO PSICOSSOCIAL NA 3º INFÂNCIA
 
Desenvolvimento humano
Desenvolvimento humanoDesenvolvimento humano
Desenvolvimento humano
 
Estágios do desenvolvimento cognitivo segundo jean piaget
Estágios do desenvolvimento cognitivo segundo jean piagetEstágios do desenvolvimento cognitivo segundo jean piaget
Estágios do desenvolvimento cognitivo segundo jean piaget
 
Psicologia da aprendizagem
Psicologia da aprendizagemPsicologia da aprendizagem
Psicologia da aprendizagem
 
Tipos De Aprendizagem
Tipos De AprendizagemTipos De Aprendizagem
Tipos De Aprendizagem
 
Ciclos vitais
Ciclos vitaisCiclos vitais
Ciclos vitais
 
Rede Não Bata Eduque
Rede Não Bata EduqueRede Não Bata Eduque
Rede Não Bata Eduque
 
Palestra EducaçãO
Palestra EducaçãOPalestra EducaçãO
Palestra EducaçãO
 
Familia e prato dificil de
Familia e prato dificil deFamilia e prato dificil de
Familia e prato dificil de
 
Entre perdas e ganhos
Entre perdas e ganhosEntre perdas e ganhos
Entre perdas e ganhos
 
Neuro2 (1)
Neuro2 (1)Neuro2 (1)
Neuro2 (1)
 
Quem ama educa.
Quem ama educa.Quem ama educa.
Quem ama educa.
 
Manual Carinho & Aconchego Slings
Manual Carinho & Aconchego SlingsManual Carinho & Aconchego Slings
Manual Carinho & Aconchego Slings
 

Semelhante a Psico. do desenvolvimento introdução- ciclo vital - bee

Aula 2 educação e metodologias pedagógicas
Aula 2 educação e metodologias pedagógicasAula 2 educação e metodologias pedagógicas
Aula 2 educação e metodologias pedagógicas
Caroline Piske
 
Tecnicas de Pesquisa em Psicologia 3
Tecnicas de Pesquisa em Psicologia 3Tecnicas de Pesquisa em Psicologia 3
Tecnicas de Pesquisa em Psicologia 3
Alex Rilie
 
Guia de aprendizagem biologia - 3º ano - 2º bimestre
Guia de aprendizagem   biologia - 3º ano - 2º bimestreGuia de aprendizagem   biologia - 3º ano - 2º bimestre
Guia de aprendizagem biologia - 3º ano - 2º bimestre
CEPI-INDEPENDENCIA
 
Terapia Comportamental e Cognitiva Infantil
Terapia Comportamental e Cognitiva InfantilTerapia Comportamental e Cognitiva Infantil
Terapia Comportamental e Cognitiva Infantil
Marcelo da Rocha Carvalho
 
Respeita a diferenca.pdf
Respeita a diferenca.pdfRespeita a diferenca.pdf
Respeita a diferenca.pdf
Ilda Bicacro
 
Modelos de Pesquisa Científica de Abordagem Quantitativa
Modelos de Pesquisa Científica de Abordagem QuantitativaModelos de Pesquisa Científica de Abordagem Quantitativa
Modelos de Pesquisa Científica de Abordagem Quantitativa
Rilva Lopes de Sousa Muñoz
 
Aula Introdução aos Métodos de 2024.pdf
Aula Introdução aos Métodos de 2024.pdfAula Introdução aos Métodos de 2024.pdf
Aula Introdução aos Métodos de 2024.pdf
MarceloHenriques20
 
Tecnicas de Pesquisa em Psicologia 2
Tecnicas de Pesquisa em Psicologia 2Tecnicas de Pesquisa em Psicologia 2
Tecnicas de Pesquisa em Psicologia 2
Alex Rilie
 
Psicopedagogia clinica pratica especifica
Psicopedagogia clinica  pratica especificaPsicopedagogia clinica  pratica especifica
Psicopedagogia clinica pratica especifica
Mariana Willendorff Oliveira
 
Aula puc etologia
Aula puc etologiaAula puc etologia
Pesquisa Experimental
Pesquisa ExperimentalPesquisa Experimental
Pesquisa Experimental
Hilma Khoury
 
Teoria Humanista
Teoria HumanistaTeoria Humanista
Teoria Humanista
Silvia Marina Anaruma
 
CARL ROGERS.pptx
CARL ROGERS.pptxCARL ROGERS.pptx
CARL ROGERS.pptx
Marcel A. M. Ferraz
 
AULA 14 - Dimensões humanas da conservação.ppt
AULA 14 - Dimensões humanas da conservação.pptAULA 14 - Dimensões humanas da conservação.ppt
AULA 14 - Dimensões humanas da conservação.ppt
WesleyCordeiro14
 
O que é Desenvolvimento.pptx
O que é Desenvolvimento.pptxO que é Desenvolvimento.pptx
O que é Desenvolvimento.pptx
ssuserd293d11
 
Nb m07t11 adriana_m_machado
Nb m07t11 adriana_m_machadoNb m07t11 adriana_m_machado
Nb m07t11 adriana_m_machado
Andrea Cortelazzi
 
Teoria humanista
Teoria humanistaTeoria humanista
Teoria humanista
Silvia Marina Anaruma
 
A prática da psicoterapia infantil a partir do referencial teórico do psicodrama
A prática da psicoterapia infantil a partir do referencial teórico do psicodramaA prática da psicoterapia infantil a partir do referencial teórico do psicodrama
A prática da psicoterapia infantil a partir do referencial teórico do psicodrama
Jéssica Santos
 
20 métodos e técnicas de pesquisa
20 métodos e técnicas de pesquisa20 métodos e técnicas de pesquisa
20 métodos e técnicas de pesquisa
Joao Balbi
 
20 métodos e técnicas de pesquisa
20 métodos e técnicas de pesquisa20 métodos e técnicas de pesquisa
20 métodos e técnicas de pesquisa
Joao Balbi
 

Semelhante a Psico. do desenvolvimento introdução- ciclo vital - bee (20)

Aula 2 educação e metodologias pedagógicas
Aula 2 educação e metodologias pedagógicasAula 2 educação e metodologias pedagógicas
Aula 2 educação e metodologias pedagógicas
 
Tecnicas de Pesquisa em Psicologia 3
Tecnicas de Pesquisa em Psicologia 3Tecnicas de Pesquisa em Psicologia 3
Tecnicas de Pesquisa em Psicologia 3
 
Guia de aprendizagem biologia - 3º ano - 2º bimestre
Guia de aprendizagem   biologia - 3º ano - 2º bimestreGuia de aprendizagem   biologia - 3º ano - 2º bimestre
Guia de aprendizagem biologia - 3º ano - 2º bimestre
 
Terapia Comportamental e Cognitiva Infantil
Terapia Comportamental e Cognitiva InfantilTerapia Comportamental e Cognitiva Infantil
Terapia Comportamental e Cognitiva Infantil
 
Respeita a diferenca.pdf
Respeita a diferenca.pdfRespeita a diferenca.pdf
Respeita a diferenca.pdf
 
Modelos de Pesquisa Científica de Abordagem Quantitativa
Modelos de Pesquisa Científica de Abordagem QuantitativaModelos de Pesquisa Científica de Abordagem Quantitativa
Modelos de Pesquisa Científica de Abordagem Quantitativa
 
Aula Introdução aos Métodos de 2024.pdf
Aula Introdução aos Métodos de 2024.pdfAula Introdução aos Métodos de 2024.pdf
Aula Introdução aos Métodos de 2024.pdf
 
Tecnicas de Pesquisa em Psicologia 2
Tecnicas de Pesquisa em Psicologia 2Tecnicas de Pesquisa em Psicologia 2
Tecnicas de Pesquisa em Psicologia 2
 
Psicopedagogia clinica pratica especifica
Psicopedagogia clinica  pratica especificaPsicopedagogia clinica  pratica especifica
Psicopedagogia clinica pratica especifica
 
Aula puc etologia
Aula puc etologiaAula puc etologia
Aula puc etologia
 
Pesquisa Experimental
Pesquisa ExperimentalPesquisa Experimental
Pesquisa Experimental
 
Teoria Humanista
Teoria HumanistaTeoria Humanista
Teoria Humanista
 
CARL ROGERS.pptx
CARL ROGERS.pptxCARL ROGERS.pptx
CARL ROGERS.pptx
 
AULA 14 - Dimensões humanas da conservação.ppt
AULA 14 - Dimensões humanas da conservação.pptAULA 14 - Dimensões humanas da conservação.ppt
AULA 14 - Dimensões humanas da conservação.ppt
 
O que é Desenvolvimento.pptx
O que é Desenvolvimento.pptxO que é Desenvolvimento.pptx
O que é Desenvolvimento.pptx
 
Nb m07t11 adriana_m_machado
Nb m07t11 adriana_m_machadoNb m07t11 adriana_m_machado
Nb m07t11 adriana_m_machado
 
Teoria humanista
Teoria humanistaTeoria humanista
Teoria humanista
 
A prática da psicoterapia infantil a partir do referencial teórico do psicodrama
A prática da psicoterapia infantil a partir do referencial teórico do psicodramaA prática da psicoterapia infantil a partir do referencial teórico do psicodrama
A prática da psicoterapia infantil a partir do referencial teórico do psicodrama
 
20 métodos e técnicas de pesquisa
20 métodos e técnicas de pesquisa20 métodos e técnicas de pesquisa
20 métodos e técnicas de pesquisa
 
20 métodos e técnicas de pesquisa
20 métodos e técnicas de pesquisa20 métodos e técnicas de pesquisa
20 métodos e técnicas de pesquisa
 

Mais de Silvia Marina Anaruma

A 1a. experiencia alimentar
A 1a. experiencia alimentar A 1a. experiencia alimentar
A 1a. experiencia alimentar
Silvia Marina Anaruma
 
Amamentação e sustentabilidade
Amamentação e sustentabilidadeAmamentação e sustentabilidade
Amamentação e sustentabilidade
Silvia Marina Anaruma
 
Como a amamentacao pode contribuir para um Planeta mais saudável
Como a amamentacao pode contribuir para um Planeta mais saudávelComo a amamentacao pode contribuir para um Planeta mais saudável
Como a amamentacao pode contribuir para um Planeta mais saudável
Silvia Marina Anaruma
 
Sergipe com musica
Sergipe com musicaSergipe com musica
Sergipe com musica
Silvia Marina Anaruma
 
Semana do aleitamento materno de rio claro audio
Semana do aleitamento materno de rio claro audioSemana do aleitamento materno de rio claro audio
Semana do aleitamento materno de rio claro audio
Silvia Marina Anaruma
 
Apontamentos sobre o conceito de aprendizagem
Apontamentos sobre o conceito de aprendizagemApontamentos sobre o conceito de aprendizagem
Apontamentos sobre o conceito de aprendizagem
Silvia Marina Anaruma
 
Pesquisa nacional am 2008
Pesquisa nacional am 2008Pesquisa nacional am 2008
Pesquisa nacional am 2008
Silvia Marina Anaruma
 
Mitos, crendices e verdades sobre o aleitamento materno
Mitos, crendices e verdades sobre o aleitamento maternoMitos, crendices e verdades sobre o aleitamento materno
Mitos, crendices e verdades sobre o aleitamento materno
Silvia Marina Anaruma
 
Concepções de desenvolvimento e modelos pedagógicos de ensino
Concepções de desenvolvimento e modelos pedagógicos de ensino Concepções de desenvolvimento e modelos pedagógicos de ensino
Concepções de desenvolvimento e modelos pedagógicos de ensino
Silvia Marina Anaruma
 
Pensar a aprendizagem
Pensar a aprendizagemPensar a aprendizagem
Pensar a aprendizagem
Silvia Marina Anaruma
 
Apontamentos sobre o conceito de aprendizagem
Apontamentos sobre o conceito de aprendizagemApontamentos sobre o conceito de aprendizagem
Apontamentos sobre o conceito de aprendizagem
Silvia Marina Anaruma
 
Contribuição do aleitamento materno para a Educação Infantil
Contribuição do aleitamento materno para a Educação Infantil Contribuição do aleitamento materno para a Educação Infantil
Contribuição do aleitamento materno para a Educação Infantil
Silvia Marina Anaruma
 
Adolescência no Brasil
Adolescência no Brasil Adolescência no Brasil
Adolescência no Brasil
Silvia Marina Anaruma
 
O desenvolvimento auditivo na fase pré natal
O desenvolvimento auditivo na  fase pré natalO desenvolvimento auditivo na  fase pré natal
O desenvolvimento auditivo na fase pré natal
Silvia Marina Anaruma
 
Método canguru ou
Método canguru ouMétodo canguru ou
Método canguru ou
Silvia Marina Anaruma
 
Inovações no ensino das Dimensões Psicossociais da Escola na formação de Peda...
Inovações no ensino das Dimensões Psicossociais da Escola na formação de Peda...Inovações no ensino das Dimensões Psicossociais da Escola na formação de Peda...
Inovações no ensino das Dimensões Psicossociais da Escola na formação de Peda...
Silvia Marina Anaruma
 
Mulher Trabalhadora que amamenta
Mulher Trabalhadora que amamenta Mulher Trabalhadora que amamenta
Mulher Trabalhadora que amamenta
Silvia Marina Anaruma
 
Proama na defesa pelo Respeito ao Nascimento
Proama na defesa pelo Respeito ao NascimentoProama na defesa pelo Respeito ao Nascimento
Proama na defesa pelo Respeito ao Nascimento
Silvia Marina Anaruma
 
Mecanismos de defesa do ego
Mecanismos de defesa do egoMecanismos de defesa do ego
Mecanismos de defesa do ego
Silvia Marina Anaruma
 
Livro completo. poesia
Livro completo. poesiaLivro completo. poesia
Livro completo. poesia
Silvia Marina Anaruma
 

Mais de Silvia Marina Anaruma (20)

A 1a. experiencia alimentar
A 1a. experiencia alimentar A 1a. experiencia alimentar
A 1a. experiencia alimentar
 
Amamentação e sustentabilidade
Amamentação e sustentabilidadeAmamentação e sustentabilidade
Amamentação e sustentabilidade
 
Como a amamentacao pode contribuir para um Planeta mais saudável
Como a amamentacao pode contribuir para um Planeta mais saudávelComo a amamentacao pode contribuir para um Planeta mais saudável
Como a amamentacao pode contribuir para um Planeta mais saudável
 
Sergipe com musica
Sergipe com musicaSergipe com musica
Sergipe com musica
 
Semana do aleitamento materno de rio claro audio
Semana do aleitamento materno de rio claro audioSemana do aleitamento materno de rio claro audio
Semana do aleitamento materno de rio claro audio
 
Apontamentos sobre o conceito de aprendizagem
Apontamentos sobre o conceito de aprendizagemApontamentos sobre o conceito de aprendizagem
Apontamentos sobre o conceito de aprendizagem
 
Pesquisa nacional am 2008
Pesquisa nacional am 2008Pesquisa nacional am 2008
Pesquisa nacional am 2008
 
Mitos, crendices e verdades sobre o aleitamento materno
Mitos, crendices e verdades sobre o aleitamento maternoMitos, crendices e verdades sobre o aleitamento materno
Mitos, crendices e verdades sobre o aleitamento materno
 
Concepções de desenvolvimento e modelos pedagógicos de ensino
Concepções de desenvolvimento e modelos pedagógicos de ensino Concepções de desenvolvimento e modelos pedagógicos de ensino
Concepções de desenvolvimento e modelos pedagógicos de ensino
 
Pensar a aprendizagem
Pensar a aprendizagemPensar a aprendizagem
Pensar a aprendizagem
 
Apontamentos sobre o conceito de aprendizagem
Apontamentos sobre o conceito de aprendizagemApontamentos sobre o conceito de aprendizagem
Apontamentos sobre o conceito de aprendizagem
 
Contribuição do aleitamento materno para a Educação Infantil
Contribuição do aleitamento materno para a Educação Infantil Contribuição do aleitamento materno para a Educação Infantil
Contribuição do aleitamento materno para a Educação Infantil
 
Adolescência no Brasil
Adolescência no Brasil Adolescência no Brasil
Adolescência no Brasil
 
O desenvolvimento auditivo na fase pré natal
O desenvolvimento auditivo na  fase pré natalO desenvolvimento auditivo na  fase pré natal
O desenvolvimento auditivo na fase pré natal
 
Método canguru ou
Método canguru ouMétodo canguru ou
Método canguru ou
 
Inovações no ensino das Dimensões Psicossociais da Escola na formação de Peda...
Inovações no ensino das Dimensões Psicossociais da Escola na formação de Peda...Inovações no ensino das Dimensões Psicossociais da Escola na formação de Peda...
Inovações no ensino das Dimensões Psicossociais da Escola na formação de Peda...
 
Mulher Trabalhadora que amamenta
Mulher Trabalhadora que amamenta Mulher Trabalhadora que amamenta
Mulher Trabalhadora que amamenta
 
Proama na defesa pelo Respeito ao Nascimento
Proama na defesa pelo Respeito ao NascimentoProama na defesa pelo Respeito ao Nascimento
Proama na defesa pelo Respeito ao Nascimento
 
Mecanismos de defesa do ego
Mecanismos de defesa do egoMecanismos de defesa do ego
Mecanismos de defesa do ego
 
Livro completo. poesia
Livro completo. poesiaLivro completo. poesia
Livro completo. poesia
 

Último

Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
JoanaFigueira11
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
ProfessoraTatianaT
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
Manuais Formação
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
fran0410
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
joaresmonte3
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
CarinaSantos916505
 
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdfJOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
ClaudiaMainoth
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
Manuais Formação
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 

Último (20)

Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
 
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdfJOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 

Psico. do desenvolvimento introdução- ciclo vital - bee

  • 1. Introdução à Psicologia do Desenvolvimento • Apontamentos do texto - • O Ciclo Vital - Cap. 1 – Determinando o Estágio: Conceitos e Métodos Básicos – • Helen Bee – Artes Médicas , POA, 1997 Profa.Dra. Silvia Marina Anaruma 2016 Licença Creative Commons
  • 2. 1. Explicando as mudanças ao longo do ciclo de vida Desenvolvimento Mudança Continuidade PartilhadasPeculiares Universais Determinada cultura Grupo indivíduo
  • 3. QUAL A ORIGEM DAS MUDANÇAS? • Natureza x Criação Biológicos Ambiente
  • 4. Explicando as mudanças... • 1. Mudanças partilhadas – referentes à idade, comum a todas as espécies • 2. Mudanças comuns a um subgrupo – determinada geração • 3. Mudanças individuais – eventos singulares, não partilhados
  • 5. Mudanças partilhadas, referentes à idade Mudanças biologicamente influenciadas Experiências partilhadas Mudanças internas partilhadas Efeitos culturais e de grupo (Maturação) Relógio Biológico Relógio social Relógio Biológico + Relógio social Timing do nascimento
  • 6. Eventos singulares não- partilhados Experiências individuais moldam a vida de crianças e adultos As mesmas experiências podem afetar diferentemente as pessoas Experiências mudam o curso de vida da pessoa
  • 7. Período sensível Períodos Críticos Timing da experiência Eventos singulares EVENTOS NA HORA CERTA X EVENTOS FORA DE HORA
  • 8. Pergunta • Quais as consequências de um time diferente? • Quais as consequências de uma gravidez precoce, com 12 anos, por exemplo? • O que significa ter filhos aos 50 anos? • Qual a consequência de fazer uma faculdade aos 50 anos? • O que aconteceria se eu........hoje?
  • 9. Explicando a continuidade ... • Explicações biológicas de consistência • Fontes biológicas de continuidade
  • 10. Explicações biológicas de consistência • “ Todos os membros de uma determinada espécie partilha códigos genéticos básicos que moldam os padrões de desenvolvimento normal – Maturação “ • Herança – individual e coletiva • Ex: fenótipo, peso, inteligência, aspectos do temperamento, psicopatologias
  • 11. Como avaliar o que é herdado? • Duas técnicas: • Estudo de gêmeos idênticos e fraternos • Estudo de filhos adotivos
  • 12. O comportamento sempre será um produto conjunto do padrão genético e do ambiente e uma pessoa
  • 13. Ainda assim, fica claro que nascemos com certos padrões de resposta que moldam nossa reação no mundo
  • 14. Pergunta • Que padrões de comportamento vem me acompanhando ao longo da vida?
  • 15. Fontes ambientais de continuidade Tendemos a escolher ambientes que combinem com nossas características Esporte individual x esporte coletivo Profissão Diversão
  • 16. Nossos padrões habituais desencadeiam reações dos outros que apresentam a possibilidade de perpetuá- los
  • 17. A tendência pode ser rompida, se o ambiente não mais os apoiar
  • 18. Natureza x Criação – Controvérsias • Modelos internos de experiência • A perspectiva ecológica • Abordagens Interacionistas
  • 19. Modelos internos de experiência • “ O efeito de alguma experiência repousa na interpretação que o indivíduo faz dela, no significado que o indivíduo confere à experiência e não em quaisquer propriedades objetivas da mesma “ A mesma experiência parece ter efeitos variados sobre diferentes adultos
  • 20. A perspectiva ecológica • A influência de vários ambientes e pessoas além da família imediata
  • 21. Escola Amigos Vizinhos Profissão dos pais País - cidade - bairro Papéis sociais Etnia
  • 22. Pergunta • Volte para a sua infância e avalie o quanto sua vida foi afetada pela condição da sua família, vizinhos, profissão dos seus pais, situação do país...
  • 23. Abordagens Interacionistas • Visão do desenvolvimento em que há a interação entre os fatores inatos e o ambiente • Modelo da Vulnerabilidade e Resistência
  • 24. Vulnerabilidade Fatores de proteção Ambiente Não se dá a soma, mas a interação As vulnerabilidades são cumulativas
  • 25. Pergunta • Na equação: vulnerabilidade x fatores de proteção x ambiente, quando pode haver um resultado negativo? • Levante seus fatores de proteção e suas vulnerabilidades e comente como eles interagiram ( interagem) com o ambiente
  • 26. V P PA = V P A =
  • 27. Qual a natureza da mudança desenvolvimental? • Mudança qualitativa x mudança quantitativa Presença de estágios Reorganização, fases, rupturas, comportamentos típicos... Evolucionistas
  • 28. Quadro dos antigos tópicos do desenvolvimento
  • 29. Problematização • Os alunos do Ensino Médio que frequentam a escola hoje na nossa sociedade, nasceram no começo do Sec. XXI. O que caracterizou este momento (por volta do ano 2002) até os dias de hoje?
  • 30. Questões éticas na Pesquisa sobre o desenvolvimento • Toda pesquisa sobre seres humanos envolve certos riscos e desperta algumas questões de ordem ética • Comitê de ética em pesquisa: garante a integridade dos sujeitos de pesquisa
  • 31. Métodos de Pesquisa • 1. Tamanho da amostra • 2. Tipo de Pesquisa: • Naturalista • Experimental • 3. Instrumentos e Técnicas: • Questionários • Entrevistas • Testes • Observações
  • 32. Pergunta Dê exemplos de possíveis riscos que os sujeitos correm nas pesquisas sobre desenvolvimento. Como fazer um experimento que envolva o efeito do uso de drogas como a maconha sobre o desenvolvimento?
  • 33. Três principais tipos de pesquisa • Projeto por seção cruzada ou transversal : vários grupos, de idades diferentes são testados separadamente e feita uma comparação entre eles • Não permite verificar a consistência do comportamento ao longo do tempo • Não revela muito sobre a sequência do desenvolvimento
  • 34. Longitudinais: Mesmos sujeitos acompanhados ao longo do tempo Garante a consistência ou inconsistência e as sequências de mudança Problemas quanto ao desgaste seletivo e o abandono do projeto Não resolvem o problema do cohort ou subgrupo
  • 35. Seqüenciais: • Envolvem o estudo de mais de um subgrupo (cohort) Longitudinal: compara as colunas Cruzada: compara as linhas Sequenciais: envolve a combinação de ambos
  • 37. A presença do animal melhora o estado geral de pacientes? • • Relato de experiência: terapia assistida por animais (TAA) - mais um recurso na comunicação entre paciente e enfermeiro. Cíntia Hissae Kawakami; Cyntia Kaori Nakano • An. 8. Simp. Bras. Comun. Enferm. May. 2002 • RESUMO • Esse trabalho é um relato de experiência após conhecermos os benefícios conseguidos por meio da Terapia Assistida por Animais (TAA) em quatro instituições de saúde da cidade de São Paulo. As visitas foram feitas no 2o semestre de 2001 em uma casa especializada em educação especial para crianças com diversas síndromes; uma que abriga idosos abandonados ou sem família; uma que oferece apoio para crianças com câncer e outra que abriga e dá assistência à crianças aidéticas. Percebemos, observando a visita de animais aos pacientes, que estes se tornaram mais alegres, mais dispostos, conversando mais entre si e com os voluntários; e que a TAA pode ser usada também como um recurso de aproximação entre o enfermeiro e o paciente.
  • 38. • Como garantir que não há outra variável de interferência na pesquisa? • O método de aprendizagem altera a compreensão do conteúdo? • O período do curso melhora o desempenho do aluno? • O professor interfere na disciplina da classe?
  • 39. O creme funciona para minhas espinhas? Como saber qual é o fator causal?
  • 40. • Grupo controle x Grupo experimental Grupo experimental Grupo controle Recebe o tratamento Variável independente
  • 41. Pergunta • Pense num problema que possa ser investigado através do método experimental com grupo controle e grupo experimental
  • 42. Como analisar os dados? • Comparando grupos etários calculando o escore médio de alguma medida • Utilizando o método de correlação – permite verificar a relação entre duas variáveis • A amplitude da relação é determinada pelo coeficiente de relação
  • 43. O coeficiente de relação oscila ... • entre -1.00 e +1.00. • Zero - ausência de correlação ou independência da variância nas variáveis consideradas • Neste caso, ela pode ser positiva (+1.00) ou negativa/inversa (- 1.00) conforme as oscilações dos resultados nas duas variáveis ocorram no mesmo sentido (por exemplo, a relação entre a motivação e a aprendizagem), ou em sentido inverso (por exemplo, a relação entre o número de faltas às aulas e o rendimento escolar). • Não garante afirmar a causa e o efeito entre os fenômenos • Ex. Consumo de picolé a afogamentos • Tomar café e ataque cardíaco • Número de tatuagens e acidentes de carro
  • 44. Pergunta • Qual a relação entre nível de escolaridade e uso de álcool? • De forma simulada determine o coeficiente de correlação entre estas duas variáveis
  • 45. Bibliografia – BEE, H. O Ciclo vital. PA, Artes Médicas, 1997.